Você está na página 1de 37

CIÊNCIAS 7ª SÉRIE CEESVO

CIÊNCIAS

INSTRUÇÕES PARA O ESTUDO

Para estudar e aprender o conteúdo do módulo,


você deverá ler atentamente as explicações. Talvez seja
necessário ler mais de uma vez.

Veja as instruções contidas nas atividades e


somente comece a resolver os exercícios após ter entendido
completamente o texto.

Não escreva no módulo, pois você terá de


devolvê-lo ao CEESVO para que ele seja utilizado por outra
pessoa.

Consulte o professor se você encontrar dificuldades


durante os estudos.

ROTEIRO DE CIÊNCIAS – ENSINO FUNDAMENTAL


5ª SÉRIE: Módulos 1, 2 e 3.
6ª SÉRIE: Módulos 4 e 5.
7ª SÉRIE: Módulos 6 e 7.
8ª SÉRIE: Módulos 8 e 9

Bom Estudo!

1
CIÊNCIAS 7ª SÉRIE CEESVO

7ª SÉRIE

MÓDULO 6
CÉLULAS - UNIDADES FUNDAMENTAIS
Células são pequenos compartimentos, quase sempre invisíveis a olho nu,
presentes em todos os organismos, com exceção dos vírus.
Uma célula é uma “bolsinha” de matéria viva. Suas necessidades são muito
parecidas com as de um organismo inteiro. Por isso, a célula pode ser considerada
uma “miniatura” do organismo.

ORGANIZAÇÃO CELULAR

Por mais diferentes que sejam as células


quanto à sua forma ou à sua função, todas
elas apresentam algumas estruturas
básicas, com papéis bem definidos. Assim
qualquer célula tem um envoltório externo,
que é a membrana plasmática; um
material gelatinoso interno, chamado
citoplasma; e uma região central (como se
fosse um caroço de fruta) que é o núcleo.

Célula animal e suas organelas

2
CIÊNCIAS 7ª SÉRIE CEESVO

MEMBRANA PLASMÁTICA
A membrana plasmática é uma “pelinha” bem fina que envolve toda a célula e tem
como função regular as trocas entre a célula e o ambiente. Isso quer dizer que ela
faz uma seleção das substâncias que entram na célula ou dela saem. Os biólogos
chamam essa característica de permeabilidade seletiva. Você consegue explicar o
significado dessa expressão?
Você já deve ter ouvido falar que quase tudo o que comemos chega até as nossas
células. De maneira geral, moléculas pequenas como as de água, de oxigênio, de
gás carbônico e de glicose passam com facilidade pela membrana plasmática.
Moléculas grandes, como as de gordura e de proteínas, não conseguem atravessá-
la, sendo necessário ser digerida (quebrada) em partículas menores no tubo
digestivo.

CITOPLASMA
É um material gelatinoso, atravessado por uma rede de canais chamada retículo
endoplasmático. Também fazem parte do citoplasma pequenas estruturas que
ficam nele mergulhados, tais como as mitocôndrias e ribossomos.
O citoplasma é responsável pela transformação do alimento que penetra na célula e
pelo transporte e armazenamento de substâncias no interior da célula.
O retículo é uma via de transporte muito eficiente. Ele também apresenta regiões
mais alagadas, chamadas vacúolos. É ali que as reservas alimentares podem ser
armazenadas.

3
CIÊNCIAS 7ª SÉRIE CEESVO

PRODUÇÃO DE ENERGIA
Parte do alimento absorvido pela célula é utilizado como A mitocôndria é a
combustível. Isso ocorre principalmente com os açúcares. organela celular
Os açúcares e o oxigênio entram na mitocôndria e ali responsável pela
reagem através de um processo de combustão liberando produção de energia. É
uma organela
energia.
basicamente
Como resíduos, são produzidos gás carbônico e água. membranosa. Seu
envoltório é formado
por duas membranas, a
membrana externa e a
PRODUÇÃO DE MATERIAL CELULAR membrana interna.

A célula também usa parte de seu alimento para fabricar mais material celular. As
estruturas encarregadas dessa tarefa são os ribossomos. Utilizando matérias-
primas que entraram através da membrana, eles fabricam substâncias especiais
chamadas proteínas.
As proteínas são as principais moléculas de construção da matéria celular. Grande
parte da célula é formada por elas. Assim, sintetizar (produzir) proteínas permite que
a célula cresça e também substitua partes desgastadas. Crescer é o primeiro passo
para que a célula se reproduza.

NÚCLEO: COMANDO CELULAR

Todas as funções de uma célula são coordenadas pelo núcleo. Assim, por exemplo,
o núcleo controla a produção das proteínas, regulando a atividade dos ribossomos.

4
CIÊNCIAS 7ª SÉRIE CEESVO

No interior do núcleo, existem pequenos filamentos chamados cromossomos, que


contém a “programação” da célula. Tudo o que a célula faz depende das
informações existentes em seus cromossomos.
Os cromossomos são constituídos por ácidos nucléicos, substâncias muito
estudadas nos últimos quarenta anos.

MULTIPLICAÇÃO

O núcleo celular está também relacionado com uma propriedade muito importante
das células: a capacidade de multiplicação. É através desse processo que os
organismos crescem e substituem partes perdidas ou desgastadas.
Quando uma célula atinge determinado tamanho, ela pode se dividir. Nesse
processo, a célula inicial se parte em duas células menores.
Antes da divisão, porém, o núcleo, com todos os seus componentes se duplica. Por
alguns instantes, a célula possuirá dois núcleos idênticos. Somente então o
citoplasma se dividirá, formando duas células independentes, com as mesmas
capacidades da célula inicial.

ORGANISMOS UNICELULARES E PLURICELULARES


Alguns seres vivos são formados apenas por uma célula, os protozoários e as
bactérias são exemplos desses organismos. Eles são chamados de organismos
unicelulares (única célula).

Euglenas unicelulares

Bactérias unicelulares

Exemplo: um protozoário consegue se mover, é atraído pelo alimento e o transforma


para obter energia e crescer. Além disso, ele pode se reproduzir, formando dois
novos organismos. Dessa forma, sua única célula desempenha todas as funções.
Quando os seres vivos são formados por várias células são chamadas de
pluricelulares (muitas células), uma laranjeira, um gato ou nós mesmos temos
células de vários tipos, com funções diferentes. Uma célula do sistema nervoso se
especializa em enviar informações, enquanto uma célula muscular se especializa no
movimento. Podemos dizer que, neste caso, existe uma divisão de trabalho entre
as diferentes células.

5
CIÊNCIAS 7ª SÉRIE CEESVO

GLÓBULO VERMELHO GLÓBULO BRANCO

CÉLULA NERVOSA
6
CIÊNCIAS 7ª SÉRIE CEESVO

CONCLUSÃO
A semelhança entre as necessidades das células e as dos organismos não é
casual. Na realidade, quando almoçamos, por exemplo, o destino final do alimento
é cada uma de nossas células.
O oxigênio que os pulmões extraem da atmosfera tem como destino a célula para
que ela possa junto com o alimento produzir energia. Quando o organismo excreta
urina, o que está sendo jogado fora, na realidade, são os resíduos que todas as
células do corpo produziram.
Quando o coração pulsa está bombeando sangue através das artérias e veias
fazendo com que o alimento e o oxigênio, chegue a todas às células e os
subprodutos resultantes do metabolismo celular sejam retirados das células.
Portanto um organismo pluricelular nada mais é que uma grande colônia de células
onde cada uma desempenha funções específicas para o bom funcionamento do
todo.

EXERCÍCIOS – Responda em seu caderno:


01. O que é uma célula e quais são suas três estruturas básicas?

02. Qual a função de cada uma dessas estruturas?

03. Como as células se multiplicam e qual a finalidade dessa multiplicação?

04. O que são organismos unicelulares e pluricelulares? Dê exemplos.

APRENDENDO A NOS ALIMENTAR


Num bar, existem diversos pratos rápidos, todos com o mesmo preço, para serem
escolhidos pelos clientes na hora do almoço.
Os pratos estão representados abaixo. Qual deles deveria ser escolhido por uma
pessoa adulta, com atividade moderada, que buscasse a refeição mais completa
para satisfazer as necessidades de seu corpo?

PRATO 1 PRATO 2 PRATO 3 PRATO 4

arroz macarrão frango com filé de frango


feijão com molho molho batata cozida
bife almôndegas arroz salada com alface,
ovo frito (bolinhos de maionese tomate, pepino e
carne) cenoura, temperada

As substâncias contidas nos alimentos podem ser separadas por grupos, de acordo
com sua constituição e função no organismo. Vejamos:

7
CIÊNCIAS 7ª SÉRIE CEESVO

Açúcares: fornecem energia.


Proteínas: fornecem materiais para a construção do corpo.
Gorduras: fornecem materiais para a construção do corpo e energia.
Vitaminas e sais minerais: auxilia o crescimento, a manutenção e participam de
várias funções vitais.
Água:constitui a maior parte do nosso corpo.

Todos os derivados animais são ricos em proteínas, como, por exemplo, a carne de
boi, de frango, de peixe e de outros animais, além de ovos e leite.

8
CIÊNCIAS 7ª SÉRIE CEESVO

Os açúcares são encontrados nas massas, pães, doces, frutas e cereais.

Os óleos, manteiga, queijos, embutidos (salame, lingüiça, salsicha), toucinho,


castanhas e frutas, como abacate e coco, são ricos em gordura.

Vitaminas e sais minerais são encontrados nas frutas e verduras cruas e ainda
no leite, em peixes e ovos.

9
CIÊNCIAS 7ª SÉRIE CEESVO

Todos os alimentos possuem certo teor de água, mas frutas e verduras possuem
maior quantidade dela.
Os alimentos que contêm açúcares, proteínas e gorduras precisam ser digeridos,
transformando-se em partículas suficientemente pequenas que possam ser
absorvidas pelo organismo e chega até nossas células.
Cozinhar esses alimentos é importante para auxiliar a digestão. As vitaminas e
sais minerais são tão pequenos que não precisam ser digeridos: passam direto do
intestino para o sangue e deste para as células.
Quando possível, é importante que frutas e legumes sejam comidos crus. Quando
são cozidos, suas vitaminas perdem parte de seu efeito.

UM POUCO DE HISTÓRIA

Os seres humanos são animais que se alimentam tanto de vegetais como de outros
animais.
Alguns animais comem apenas vegetais. É o caso de capivaras, cavalos, bois,
cabras, e muitos outros. Esses animais são chamados de herbívoros.
Os animais carnívoros — onças, cobras, gaviões e aranhas, por exemplo —
alimentam-se exclusivamente de outros animais.
Vários animais, como certos macacos e aves e ainda os seres humanos, alimentam-
se de tudo. Por isso, são chamados de onívoros.
Mas, quando dizemos tudo, não significa que todos os animais comem de tudo. É aí
que está a diferença. Dependendo da região em que vivem, os animais comem
determinado tipo de alimento, pois podem variar os vegetais e animais que existem
em cada região.
Em relação aos seres humanos, além da região, os costumes, a cultura e hábitos
também variam. Por isso, encontramos uma variedade muito grande na
alimentação.
O Brasil era habitado originalmente por índios, que possuíam sua própria forma de
se alimentar. Caçavam pacas, macacos, tatus, rãs, antas, cobras e lagartos;
pescavam vários tipos de peixe e coletavam ovos, mel, frutas (cajus, jabuticabas,
maracujás, goiabas), frutos do mar (ostras, mariscos, mexilhões) e também folhas,
sementes, raízes e caules.
Os índios utilizavam condimentos que dão sabor aos alimentos, como pimentas e
algumas folhas. A mandioca é a base da sua alimentação; os índios utilizavam-na
como farinha para um tipo de pão, ou misturada à comida.
Com a chegada dos portugueses, os hábitos de alguns índios foram se modificando.
Os dos portugueses, também. Isso demorou bastante, pois não é fácil modificar
hábitos.
Os portugueses começaram a usar alimentos nativos da nossa terra, como
mandioca, mas trouxeram muitas sementes e plantaram uva, melão, laranja,
banana, coco, trigo, azeitona.
Os portugueses, acostumados ao uso de cebola, alho, coentro, hortelã e louro,
continuaram usando esses ingredientes para temperar a comida. Os portugueses
trouxeram também animais como galinhas, porcos, cabras, carneiros, touros e
vacas.

10
CIÊNCIAS 7ª SÉRIE CEESVO

Com o tempo, foram se formando vilas: assim nasceram as cidades brasileiras. Os


hábitos foram ficando cada vez mais misturados e ainda hoje percebe-se a
influência dos costumes portugueses e dos índios na mesa dos brasileiros. No Norte
e Nordeste do país ainda se come a farinha de mandioca misturada à carne, por
exemplo.
Os escravos africanos também influenciaram os costumes dos brasileiros com suas
plantas típicas, como quiabo, erva-doce, melancia, dendê, pimenta-malagueta,
manga.
A feijoada, prato brasileiro tão típico, foi uma invenção dos escravos. Eles
ganhavam os restos dos porcos mortos pelos senhores de engenho e cozinhavam
esses restos junto com feijão.
No Sul e Sudeste do Brasil a influência dos índios não é tão marcante. Nessas duas
regiões, os índios foram dizimados muito mais rapidamente do que no Norte e no
Nordeste.
No Sul, é marcante a presença de italianos e de alemães.
Em todo o Brasil, japoneses, chineses, espanhóis, árabes, sírios, libaneses, judeus
e muitos outros povos também enriqueceram os cardápios brasileiros.
Comer não representa apenas sobrevivência, mas também prazer. Preparar a
comida e sentar-se à mesa com outras pessoas faz parte da vida.
A refeição é um momento de encontro da família, de negócios, de comemorações,
em que laços podem ser estreitados.

UMA ALIMENTAÇÃO EQUILIBRADA


Hábitos e costumes alimentares são formas de ingerir materiais de que o corpo
necessita para sua construção, renovando a energia.
Misturar alimentos é a melhor forma de conseguir proteínas, açúcares, gorduras,
vitaminas e sais minerais, pois nenhum alimento, sozinho, possui todos os
nutrientes necessários ao corpo.

EXERCÍCIOS – Responda em seu caderno:


5. Faça uma lista do que você comeu nas duas últimas refeições. Agora, distribua os
alimentos da sua lista na tabela a seguir, classificando-os em proteínas, gorduras,
açúcares, vitaminas e sais minerais. Um alimento pode estar em mais do que uma
coluna.

VITAMINAS E
AÇÚCARES PROTEÍNAS GORDURAS
SAIS MINERAIS

11
CIÊNCIAS 7ª SÉRIE CEESVO

De modo geral, nossa alimentação deve incluir diversos tipos de alimentos, pois é
essa variedade que garante todos os nutrientes de que necessitamos.
As quantidades de cada tipo de alimento variam de acordo com a idade da pessoa e
com a atividade que ela realiza.

Por exemplo: um trabalhador braçal, que faz muito esforço o dia todo, necessita de
muita energia. Por isso, precisa de mais açúcares e gordura, além das proteínas,
vitaminas e sais minerais.

Uma criança em fase de crescimento naturalmente precisa de açúcares para lhe


fornecer energia e de vitaminas e sais minerais, mas também precisa de muita
proteína para a construção do seu corpo.
Em geral, um adulto com uma atividade moderada deve ingerir açúcares e
proteínas, poucas gorduras e vegetais variados para suprir suas necessidades de
vitaminas e sais minerais.

Proteínas de origem animal, como carne e ovos, não precisam ser ingeridas em
grande quantidade. Não há necessidade, em condições normais, de se comer carne
e ovos numa única refeição. Se não vamos nos movimentar muito, também não é
preciso carregar nos açúcares.

É importante a variedade de frutas, legumes, e verduras. As gorduras são


necessárias em pequenas quantidades e, na maioria das vezes, o óleo utilizado
para cozinhar ou temperar já é suficiente.

O excesso de açúcares é convertido em gordura e fica armazenado no corpo para


ser utilizado em outro momento. Se não for utilizado, pode se acumular e a pessoa
engorda.
As gorduras, além de provocar aumento indesejável de peso, pode-se acumular nos
vasos sangüíneos, causando problemas à saúde.

Vamos analisar os pratos apresentados na página 7:

PRATO 1 PRATO 2

Arroz – açúcares Macarrão com molho – açúcares, gorduras

Feijão – proteínas, açúcares Almôndegas - proteínas, açúcares

Ovo frito – proteínas, gorduras e


poucas vitaminas

12
CIÊNCIAS 7ª SÉRIE CEESVO

PRATO 3
PRATO 4

Frango com molho – proteínas, Filé de frango – proteínas


gorduras
Salada com alface, tomate, pepino e
Arroz – açúcares cenoura, temperada – vitaminas e sais
minerais, gorduras

Maionese – açúcar, gorduras e Batata cozida - açúcares


poucas vitaminas

CUIDADOS COM A ALIMENTAÇÃO

Precisamos ficar atentos para não prejudicar o corpo com excesso de alguns tipos
de alimentos e, ao mesmo tempo, para não deixar que faltem nutrientes importantes
na nossa alimentação.
O que comemos, como estudamos, é resultante dos hábitos e costumes de cada
povo, mas é essencial que a alimentação seja equilibrada.
Existem outros cuidados que devem ser tomados com a alimentação. Infelizmente,
em nosso país, ainda há um descaso muito grande com relação às condições de
vida das populações. Vários problemas decorrem da falta de saneamento básico:

As fossas, utilizadas devido à ausência de esgoto encanado, muitas


vezes contaminam os lençóis de água subterrâneos.

A água não encanada e não tratada ainda é muito usada em residências.

O lixo espalhado contamina animais de criação e as próprias pessoas,


além de reservatórios de água.

Muitas doenças que ainda existem em nosso país, transmitidas por alimentos
contaminados, já poderiam ter sido erradicadas se houvesse saneamento básico.
Para eliminar essas doenças transmitidas por alimentos contaminados, a população
deve ter acesso aos serviços de água tratada, rede de esgoto e coleta do lixo.
As verminoses são doenças típicas de países sem condições de higiene. No Brasil,
são comuns doenças como ascaridíase (ou lombriga) e teníase (ou solitária).
A ascaridíase é transmitida pelos alimentos contaminados por ovos de vermes.
Quando se regam as verduras com água suja por fezes de pessoas doentes,
contaminam-se os alimentos. A água contaminada por seres que causam doenças
pode até ser uma água clara e transparente, pois ovos e pequenos seres não
podem ser vistos sem microscópio.
A água com que se lavam os alimentos e que se bebe deve ser fervida ou
desinfetada com cloro.

13
CIÊNCIAS 7ª SÉRIE CEESVO

A teníase é transmitida quando se come carne mal-cozida de porco ou de vaca. Os


animais criados em locais sujos comem detritos, como fezes de pessoas doentes,
que contêm ovos de tênia. O porco e a vaca não ficam doentes, mas na sua carne
ficam as larvas, que só morrem se forem submetidas a alta temperatura. Por isso,
devemos fritar muita bem a carne, para não ingerí-las cruas.
A amebíase é uma doença causada por alimentos contaminados por um animal
microscópico, mas que não é um verme. A água contaminada por amebas, quando
ingerida ou utilizada para regar hortaliças, chega ao intestino carregando esses
seres que provocarão a doença e irão causar problemas, como disenterias, dores
de barriga, enjôos etc.
Algumas doenças transmitidas por bactérias também têm como causa a falta de
condições de higiene. É o caso da cólera, por exemplo. Ela se alastrou em locais
muito pobres e sem que se desenvolvesse uma política séria para prevenção desse
tipo de doença.

Normalmente, doenças transmitidas por alimentos contaminados causam


disenteria, que é uma reação do corpo a algo estranho. Ocorrem diarréias, que são
a eliminação do material do intestino, com água que existe no corpo.
O intestino grosso tem a função de absorver a água dos restos alimentares. Com
isso, a água volta ao sangue, hidratando o corpo naturalmente, e nossas fezes
saem endurecidas. Quando algum parasita (verme, protozoário, vírus ou bactéria)
se instala no intestino, a reação natural do corpo é expulsá-lo. Por isso as fezes
saem tão líquidas. No entanto, se a água não for reposta, a pessoa fica desidratada.
A diarréia é uma das maiores causas de mortalidade infantil. Perdendo água, a
criança afetada se desidrata e morre.
Os problemas que mencionamos acima afetam pessoas que não dispõem de
serviços e condições de higiene, mas que conseguem, pelo menos, algum alimento.
E aqueles que não possuem nem comida?
A fome ainda é uma realidade, mesmo em países que produzem bastante alimento.
O problema da fome não é um problema de produção, e sim de má distribuição da
riqueza.
Muitas pessoas não conseguem comida para se alimentar regularmente. Sem
comida suficiente por longos períodos, acabam enfraquecidas e doentes. As que
não morrem não têm condições de lutar pelo seu direito à comida.

EXERCÍCIOS – Responda em seu caderno:


Com base nos pratos 1,2,3 e 4 da página 12 e 13, responda à questão 6.

06. Qual das refeições é mais completa, considerando-se os nutrientes necessários


para uma pessoa com atividade moderada? Explique.

07. É necessário exigir melhores condições de vida e, ao mesmo tempo, proteger


nosso organismo. O que podemos fazer, individualmente, para evitar essas
doenças?

14
CIÊNCIAS 7ª SÉRIE CEESVO

08. Quais são as principais doenças transmitidas pela alimentação? O que se pode
fazer para evitá-las?

09. Existem doenças transmitidas por alimentos contaminados, como, por exemplo,
a disenteria. Explique o que acontece com o nosso corpo quando contraímos esta
doença.

FAZENDO A DIGESTÃO
De onde provém a energia necessária para o movimento dos automóveis?
Nosso corpo é semelhante a um carro. Como você acha que conseguimos energia
para viver?

Um corpo é muito mais complexo que uma máquina. Ele consegue sentir emoções e
pode encontrar soluções para novos problemas que surgem.
Em alguns aspectos, no entanto, somos parecidos com as máquinas.
Um carro necessita de algo para se movimentar. Nosso corpo também. Como
conseguimos energia para correr, andar, falar, trabalhar, dormir, pensar?

Assim como um carro ou máquina qualquer, nosso corpo precisa de um combustível


do qual possa retirar energia para sobreviver.
Você sabe que, sem alimentos, não conseguimos sobreviver. Do mesmo modo, um
carro não consegue se movimentar se não possuir gasolina ou álcool, por exemplo.
Para que qualquer máquina se movimente, é necessário que haja um combustível
que “alimente” de energia o motor.
O alimento é o nosso combustível. Mas, além de fornecer energia, os alimentos
fornecem também materiais para a construção e manutenção do corpo.

Tudo o que ingerimos se transforma em outras substâncias que irão se incorporar


ao nosso corpo ou liberar energia para as nossas atividades diárias. O que não for
aproveitado será eliminado.
Mas os alimentos não podem se transformar em energia ou constituir partes do
nosso corpo se não sofrerem modificações.

A primeira modificação é do tamanho. Você sabe que mastigamos os alimentos na


boca. Mas, para que as substâncias que compõem os alimentos possam caminhar
pelo sangue e ser absorvidas pelo corpo todo, precisam ter tamanho muito menor
do que os pedaços produzidos pela mastigação.
A função da digestão é essa: reduzir os alimentos ao tamanho necessário para que
sejam aproveitados pelo corpo.

Todos os animais, desde o menor microrganismo até um elefante, digerem


alimentos. A exceção são os parasitas.
Num microrganismo, a digestão é bem simples: os nutrientes atravessam seu
pequeno corpo e são digeridos por substâncias que o próprio animal produz.
Nos animais maiores, a digestão é mais complexa e envolve diversas etapas.

15
CIÊNCIAS 7ª SÉRIE CEESVO

UM TUBO E MUITAS CURVAS


Para que os alimentos possam ser transformados em partículas menores, é
necessário que eles fiquem algumas horas no nosso organismo, e que caminhem
lentamente para serem absorvidos.

O nosso tubo digestivo inicia-se na boca e termina no ânus.

O nosso tubo digestivo nada mais é do que um grande tubo, só que cheio de
curvas. Ao longo desse tubo existem órgãos que auxiliam o processo de digestão,
como o fígado e o pâncreas.
Observe o próximo desenho :

TUBO DIGESTÓRIO HUMANO

16
CIÊNCIAS 7ª SÉRIE CEESVO

Esse é o tubo digestivo encontrado em grande parte dos animais. Na natureza,


podemos encontrar algumas variações. Em animais que se alimentam
exclusivamente de vegetais, o estômago pode ser mais complexo, contendo vários
compartimentos. Um desses compartimentos abriga microrganismos que digerem a
celulose dos vegetais para que ela seja aproveitada pelo animal “vegetariano” .
Exemplo: o boi.

Os peixes não possuem intestinos muito longos e as aves possuem duas estruturas
para amolecimento e trituração dos alimentos: o papo e a moela.

17
CIÊNCIAS 7ª SÉRIE CEESVO

Nosso intestino é bastante longo e fica todo dobrado. Além


disso, a parte interna do tubo é enrugada e dobrada para
aumentar a superfície.

As dobras do intestino humano chamam-se vilosidades.


São como os dedos de uma luva.

COMO DIGERIMOS OS ALIMENTOS?


Nossa digestão começa na boca. O alimento sofre a ação dos dentes e da saliva,
que trituram e amolecem os alimentos.
A saliva é produzida pelas glândulas salivares. Contém, além de água, enzimas que
iniciam a digestão dos açúcares.

Enzimas são substâncias químicas que aumentam a velocidade de um


processo químico. Por exemplo: algumas enzimas ajudam a “quebrar” os
alimentos.

As enzimas são específicas, ou seja, auxiliam apenas um tipo específico de


processo.

Existem enzimas que agem sobre os açúcares, enzimas que agem sobre proteínas
e outras que agem sobre as gorduras.

As gorduras são digeridas pelas enzimas, chamadas lipases. As lipases agem


sobre as gorduras com a ajuda da bile, que não contém enzimas. A bile faz o papel
dos detergentes, ou seja, diminui o tamanho das gotículas de gordura para facilitar a
ação das lipases. Dessa forma, aumenta a superfície de contato entre a gordura e
as enzimas digestivas.

As enzimas ficam dissolvidas em líquidos chamados sucos. A saliva é o primeiro


desses sucos líquidos. Ela possui um tipo de enzima, a ptialina, que começa a
digerir os açúcares.

Depois que o alimento passa pela boca, ele desce passando pela faringe e pelo
esôfago até chegar ao estômago.

18
CIÊNCIAS 7ª SÉRIE CEESVO

O ESTÔMAGO
O estômago é um “bolsa” na qual o alimento permanecerá por algumas horas, num
processo de digestão normal.
As paredes do estômago produzem o suco gástrico, composto por enzimas, água,
ácido clorídrico e outras substâncias. É muito importante que o suco gástrico seja
ácido, pois as enzimas nele contidas necessitam de um meio ácido para atuar, se
não perdem seu efeito. Essas enzimas digerem proteínas.
O estômago faz apenas a digestão inicial das proteínas. A maior parte desse
processo ocorrerá, na realidade, no intestino delgado.

OS INTESTINOS

O intestino delgado é o principal órgão da digestão. Suas paredes produzem o


suco entérico, que é rico em enzimas.
O pâncreas também produz um suco com enzimas, que é lançado no intestino
delgado: o suco pancreático.
A bile é lançada no intestino delgado quando ingerimos alimentos ricos em gordura.
A bile é produzida no fígado e armazenada na vesícula biliar.
Às vezes acontece de uma pessoa ter problemas na vesícula, e a única solução
pode ser retirá-la.
Quando chega ao final do intestino delgado, o alimento está praticamente digerido.
Em torno do tubo do intestino existe grande quantidade de vasos sangüíneos. O
alimento digerido se tornou tão pequeno que consegue atravessar as paredes do
intestino e dos vasos para ser distribuído pelo sangue para o corpo todo.

A função do intestino grosso é reabsorver a água que ainda existe nos restos de
alimento. As fezes, que são os restos alimentares não aproveitados (fibras e outras
substâncias), formam-se no intestino grosso.

19
CIÊNCIAS 7ª SÉRIE CEESVO

Portanto, podemos concluir que é por meio dos alimentos que conseguimos os
nutrientes necessários para obter energia e materiais para a construção e a
manutenção do nosso corpo. Um carro se movimenta quando possui combustível, e
nós, quando nos alimentamos.

EXERCÍCIOS – Responda em seu caderno:


10. O que acontece com os alimentos até se transformarem em energia ou fazer
parte do nosso corpo?

11. Qual o caminho dos alimentos dentro do seu corpo? Responda com base no que
você já sabe.

12. De maneira simplificada, podemos dizer que os dentes e a bile têm a mesma
função: tornar os pedaços de alimentos menores. Por que você acha que isso é
importante?

MÓDULO 7
RESPIRAÇÃO E CIRCULAÇÃO

20
CIÊNCIAS 7ª SÉRIE CEESVO

A figura anterior é um gráfico possível da pulsação de um trabalhador, carregador


de carga, nas várias horas do dia.

A pulsação é um ritmo que corresponde às batidas do coração. Dependendo da


situação, pode ser mais lenta ou mais rápida.

Podemos sentir os batimentos cardíacos (batidas do coração) em outros locais do


corpo além do peito, como no pescoço, nas têmporas e, mais facilmente, nos
punhos. A medida utilizada para contar a pulsação é o número de batidas por
minuto.

Tente sentir a sua pulsação


Coloque sua mão direita no pulso esquerdo, com o dedo indicador ou médio sobre a
face interna do braço, logo abaixo da articulação e mais perto do polegar, como
indica a figura abaixo.

Pressione discretamente o pulso, até sentir a pulsação. Marque dez segundos no


relógio e, ao mesmo tempo, vá contando suas batidas.

Multiplique o número de batidas que você contou por 6. Assim terá o resultado de
sua pulsação em 60 segundos, ou seja, em um minuto.

O coração funciona de modo semelhante a uma bomba de ar, empurrando o sangue


que nele entra. Começa a bater quando ainda estamos no corpo de nossa mãe,
muito antes de nascermos, e bate sem parar, independentemente da nossa
vontade, até o momento da nossa morte.

O batimento cardíaco é controlado por um compartimento da nossa cabeça


chamado encéfalo.

O sangue, impulsionado pelo coração, passa pelo corpo todo, como mostra o
esquema a seguir.

21
CIÊNCIAS 7ª SÉRIE CEESVO

SISTEMA CIRCULATÓRIO DO CORPO HUMANO


Do centro do sistema circulatório, o coração bombeia sangue por vasos
sangüíneos chamados artérias, que levam o sangue para o corpo inteiro.
Depois de passar pelos órgãos, o sangue retorna ao coração por outros vasos, as
veias.

Sistema Circulatório Humano

A ilustração mostra alguns desses vasos sangüíneos que alimentam os principais


órgãos. As artérias se ramificam até chegar aos capilares (vasos sangüíneos muito
pequenos), que fazem a ligação com as veias.

22
CIÊNCIAS 7ª SÉRIE CEESVO

Em todos os locais do nosso corpo, o sangue precisa circular continuamente,


trazendo com ele as substâncias necessárias para a manutenção da vida. Exemplo:
os nutrientes resultantes do processo da digestão, que você acabou de estudar,
passa do intestino delgado ao sangue, para que este (sangue) leve-o até as células.
É igualmente necessário que o sangue descarte para fora do corpo, continuamente,
as substâncias desnecessárias ou até mesmo tóxicas que nosso próprio corpo
produz.
O órgão que mantém o sangue circulando é o coração.

O coração está localizado na


frente do peito, logo atrás das
costelas, ocupando posição
central, mas voltado para a
esquerda. É um órgão
musculoso, resistente, mas
não é rígido. Assim, pode se
contrair continuamente para
expulsar o sangue.
Internamente, o coração é
dividido em dois lados. Esses
lados funcionam, na realidade, como duas bombas. Veja a figura abaixo:

A bomba que corresponde ao


lado direito do nosso corpo (e
esquerdo da figura) bombeia
sangue para os pulmões. A
outra, do lado esquerdo,
bombeia sangue para todos os
órgãos do corpo. Nosso sangue
circula sempre dentro de tubos,
os vasos sangüíneos (artérias,
veias e capilares).
O sangue segue sempre o
mesmo caminho, realizando
duas funções básicas.
A primeira função é a troca de
gases da respiração: o sangue
recebe oxigênio e elimina gás
carbônico nos pulmões.
A segunda função é o transporte
desses gases e de outras
substâncias (nutrientes) por todo
o corpo.
Essas duas funções são
realizadas simultaneamente,
impulsionadas pelas duas
“bombas” do coração.

23
CIÊNCIAS 7ª SÉRIE CEESVO

A figura anterior mostra o caminho percorrido pelo sangue: sai do lado direito do
coração e vai para os pulmões, volta para o lado esquerdo, vai para todo o corpo e
volta ao lado direito.
O sangue sai do coração por vasos de grosso calibre, as artérias, que vão se
afastando, ramificando-se em outro vasos de menor calibre, que chegam a ser mais
finos que fios de cabelo. Esses vasos muito finos recebem, por isso, o nome de
capilares.
É pelos capilares que o sangue é encontrado nas extremidades dos dedos, no
“branco” dos olhos, na pele. Sem sair dos capilares, o sangue vai se juntando em
outros vasos, cada vez de maior calibre, que vão ao coração. Esses vasos são as
veias.
As veias, em geral, estão envolvidas por músculos dos braços e das pernas, que
auxiliam o rebombeamento do sangue ao coração sem que ele retorne aos
capilares. Assim como as veias, o coração também tem válvulas parecidas com as
de bombas de ar, permitindo ao sangue fluir em sentido único, como mostra a figura
anterior.
O corpo de um adulto tem cerca de cinco litros de sangue.
O sangue é um líquido vermelho. Vermelho é a cor de uma das substâncias que o
compõem, a única que vemos e que transporta o oxigênio. E a hemoglobina é
encontrada nos glóbulos vermelhos.
Além dessa, há outras, de cor clara, que defendem o organismo. Elas combatem os
seres estranhos que podem entrar em nosso corpo, causando infecção. Esses
componentes são constantes no sangue, são os glóbulos brancos.
O sangue é um meio de transporte para tudo o que circula pelo corpo — água,
remédios, alimentos, hormônios das glândulas etc. Por onde o sangue passa, ele
recebe substâncias e fornece outras.
Portanto, a composição do sangue não é sempre a mesma em todos os lugares do
corpo.

RESPIRAÇÃO
Em situações normais, você respira sem perceber. Mas, em qualquer atividade
física mais exigente, o ritmo da respiração pode variar bastante.
Se quiser você pode parar de respirar, mas apenas por pouco mais de um minuto.
Logo, vem uma sensação de mal-estar que o obriga, automaticamente, a voltar a
respirar.
O ar não pára de entrar e sair do corpo, não importa em que ritmo.
O nosso encéfalo controla a respiração. Dormindo ou acordados, respiramos sem
que tenhamos de lembrar disso.
O ar entra pela boca ou nariz e segue por meio de tubos até os pulmões, que estão
situados um de cada lado do tórax, protegidos pela caixa torácica que é formada
pelas costelas.
O ar que entra pelas narinas passa pelas fossas nasais, um espaço oco entre o
nariz e a garganta, recoberto por uma membrana mucosa fina, úmida e cheia de
vasos sangüíneos.

24
CIÊNCIAS 7ª SÉRIE CEESVO

Graças aos pelinhos das narinas,


o ar entra mais limpo nas fossas
nasais, onde também se aquece
— as fossas são pequeninas
câmaras quentes.
O ar também pode entrar pela
boca. De um jeito ou de outro,
passa pela faringe (a nossa
garganta), a caminho dos
pulmões.
O ar que entra nos pulmões leva
o oxigênio para dentro do corpo.
O ar que sai traz gás carbônico
para fora.
Isso acontece por meio de um
sistema de tubos ramificados. O
maior deles é a traquéia, um tubo
flexível reforçado por anéis de
cartilagem. A traquéia vai da
garganta até a parte superior do
tórax, medindo uns 10
centímetros de comprimento (ver
desenho).

Da parte superior do tórax, a traquéia se bifurca em dois tubos curtos, os brônquios


direito e esquerdo, também reforçados por anéis cartilaginosos.

Os brônquios penetram nos pulmões e a partir daí vão se ramificando muitas e


muitas vezes, diminuindo de diâmetro e se espalhando pelos pulmões como os
ramos da copa de uma árvore. Assim ramificados, são chamados de bronquíolos.

Nas extremidades desses bronquíolos mais finos encontram-se minúsculos e


finíssimos saquinhos de ar, chamados de alvéolos pulmonares.

Uma pessoa adulta pode ter mais de 300 milhões de alvéolos pulmonares. Esse
conjunto de “saquinhos” é o que forma a estrutura básica dos pulmões.

EXERCÍCIOS – Responda em seu caderno:


1.Observando a figura anterior do sistema circulatório, por onde o sangue circula
dentro do nosso corpo?

2.O sangue é o meio de transporte para tudo o que circula pelo corpo. O que o
sangue transporta? Quantos litros de sangue tem em média o corpo de um adulto?

3.O sangue que entra e o que sai dos pulmões é igual? Explique sua resposta.

4.Por onde o ar entra e sai do nosso corpo? Qual é a diferença entre o ar que entra
e o que sai?

25
CIÊNCIAS 7ª SÉRIE CEESVO

O
FUNCIONAMENTO
DOS PULMÕES
Os pulmões, portanto,
são dois grandes órgãos
de consistência
esponjosa, recobertos
por inúmeros vasos
sangüíneos que aí
chegam trazendo muito
sangue do coração. Uma
membrana fina e lisa
cobre e protege os
pulmões, instalados na
parte traseira da caixa
torácica. Veja a figura ao
lado.

Os pulmões se enchem de ar quando inalamos ou inspiramos, e soltam o ar


quando exalamos ou expiramos.
Fechando os olhos, inspire profundamente e sinta o que acontece com o tórax. Em
seguida, expire (solte) todo o ar que puder. Sinta em que momento os músculos se
contraem.
O principal músculo da respiração é o diaframa. É uma membrana fortíssima, que
se estende na base da caixa torácica (ver desenho a seguir), separando os órgãos
do peito (coração e pulmões) dos órgãos da barriga (estômago e fígado, por
exemplo). A respiração normal é realizada pelo movimento do diafragma. Quando o
diafragma se contrai, fica mais baixo e plano e o volume do tórax aumenta,
possibilitando a entrada do ar.

A respiração funciona como um fole.


Quando o diafragma relaxa, ele toma uma Fole: Utensílio destinado a produzir
forma abobadada (encurvada), vento para ativar uma combustão ou
comprimindo levemente os pulmões e limpar cavidades.
auxiliando a saída do ar.
Essa é a forma normal e suave de respirar.
Mas, quando “forçamos” a respiração, o volume do tórax aumenta muito. Nesse
caso, os músculos localizados entre as costelas auxiliam o movimento da
respiração. Veja a figura a seguir.

26
CIÊNCIAS 7ª SÉRIE CEESVO

A maioria dos animais que vivem em contato com o ar respiram pelos pulmões.
Todas as aves, todos os mamíferos e também os jacarés e as cobras, do grupo
dos répteis, respiram por pulmões.
Já os insetos, que também vivem no ambiente terrestre, não possuem pulmões. O
ar entra e sai por orifícios nos lados do corpo deles. Esses orifícios são o início de
pequenos tubinhos, ramificados como uma árvore, por onde o ar circula. São
chamados traquéias, pois são parecidos com a traquéia humana.
Outros animais, como as minhocas, utilizam oxigênio do ar que está entre os grãos
de terra, mas respiram somente pela pele. Elas não têm pulmões nem traquéias.
Nos ambientes aquáticos, animais como peixes, camarões, lulas e muitos outros
utilizam o oxigênio da água. Eles conseguem respirar na água porque possuem
brânquias. Na maioria dos peixes, as brânquias ficam cobertas, na parte posterior à
boca. Veja a figura.

Os vegetais aquáticos e as algas também


utilizam o oxigênio da água para respirar.
Plantas com raízes aquáticas e folhas para
cima da água respiram o oxigênio do ar,
como as plantas terrestres. E o caso da
vitória-régia.

Como os outros mamíferos, o golfinho, o


boto e a baleia têm pulmões e respiram o
oxigênio do ar. Vivem a maior parte do
tempo na água, mas sobem à superfície de
vez em quando para respirar.

27
CIÊNCIAS 7ª SÉRIE CEESVO

Há um grupo especial de animais que


vivem a primeira parte de sua vida
somente na água, respirando por
brânquias. Quando se tornam adultos,
perdem as brânquias e vivem a maior
parte do tempo no ambiente terrestre,
adquirindo pulmões, mas respirando
principalmente pela pele. Esse grupo
reúne os anfíbios. São os sapos e as
rãs, que vivem na água (quando jovens)
e na terra (quando adultos). Anfíbio é
uma palavra formada por anfi, que quer
dizer ambos, e bio, que significa vida.
Anfíbio, portanto, significa ambas as
vidas, isto é, a terrestre e a aquática.

De qualquer maneira, o oxigênio que entra no organismo sempre se espalha por


ele. Todas as substâncias que estão no nosso corpo para nos dar energia só
conseguem fornecer essa energia se o oxigênio entrar em contato com elas. Essa é
a importância fundamental da respiração.

Do contato entre aquelas substâncias e o ar, além da energia, surge o gás


carbônico, que precisa sair do corpo. No nosso caso, o gás carbônico faz o caminho
de todas as partes do corpo para os pulmões. Esse transporte do oxigênio para um
lado e do gás carbônico para outro é realizado pelo sangue, que vive em
movimento.

O sangue permite a obtenção de energia, por transportar o oxigênio. É por isso que,
quando nossos músculos necessitam de energia para algum esforço, a velocidade
dos batimentos cardíacos aumenta. Isso aumenta a velocidade de circulação do
sangue que transporta o oxigênio. A necessidade de oxigênio leva também os
pulmões a trabalhar mais depressa.

EXERCÍCIOS – Responda em seu caderno:

5. Dentro dos pulmões, o ar que inspiramos muda de composição. Uma parte do


oxigênio contido nele passa para o corpo, e o gás carbônico produzido pelo corpo
passa para o ar. Como o gás carbônico do corpo chega até os pulmões?

6. Você conhece outros animais que respiram pelos pulmões, como nós?

28
CIÊNCIAS 7ª SÉRIE CEESVO

7. A partir do que você leu, preencha a tabela com as estruturas que os seres vivos
abaixo utilizam para respirar.
Pulmões Brânquias Traquéias Pele

Galinha

Peixe

Jacaré

Barata

Minhoca

PELE, SEUS ANEXOS E SISTEMA EXCRETOR


A seguir, trataremos de alguns assuntos bastante interessantes como, por exemplo,
as estruturas externas do nosso corpo e algumas manifestações que podemos
observar de fora, mas que estão realcionadas a funções internas, como a excreção
de substâncias tóxicas.

PELE: A COBERTURA DO CORPO


A nossa pele é muito importante: ela nos protege dos microorganismos que estão
por toda parte. Você já percebeu que às vezes, quando se machuca, aparece uma
certa vermelhidão em torno do machucado?

Isso acontece porque a barreira que a pele forma foi rompida e os microorganismos
entraram, deixando seu machucado inflamado.

Todos nós temos, na pele dos dedos, marcas que nos identificam: são as
impressões digitais. Elas se formam quando o bebê ainda está no útero da mãe,
cerca de seis a oito semanas antes do nascimento. Mesmo com o passar dos anos,
essas marcas não desaparecem. Cada pessoa possui sua própria marca.

A nossa pele também “gasta” e, por isso, está sempre sendo reposta. A cada
quarenta dias, mais ou menos, toda a nossa pele se renova, mas as nossas
impressões digitais não se alteram.

A cor da pele das pessoas também varia bastante. Nossa cor é herdada dos nossos
pais. Mas, dependendo do local onde moramos ou da intensidade do Sol a que
ficamos expostos, essa cor pode sofrer pequenas alterações.

29
CIÊNCIAS 7ª SÉRIE CEESVO

Nossa pele tem pigmentos que nos dão a cor que possuímos. Esses pigmentos são
chamados de melanina e servem para proteção. Quanto mais melanina uma
pessoa possuir naturalmente, mais protegida dos raios solares ela estará, pois o Sol
pode causar diversos problemas à pele: manchas, pintas e até mesmo câncer. Por
isso, pessoas com pele escura, isto é, com mais melanina, são menos susceptíveis
a ter problemas de pele.

CABELOS
Dissemos que os pêlos são parecidos com os cabelos. Mas o que mais sabemos
sobre os cabelos?

Observe estes anúncios: O Shampoo Nutritivo Seda Linha Pro, formulado


com queratina e Pró-vitamina B5, atua nos cabelos
quebradiços e nas pontas duplas.

WeIla Balsam Liquid Hair — O primeiro produto


que contém queratina, aminoácidos e proteínas, os
mesmos ingredientes que compõem a estrutura
natural dos cabelos.

O cabelo é produzido no bulbo capilar (ver desenho), que é a parte viva do cabelo.
À medida que o cabelo vai crescendo, o fio de cabelo vai sendo preenchido por uma
proteína chamada queratina. Depois de todo preenchido, o fio morre.

Nosso cabelo, portanto, é


constituído de matéria
morta. A parte viva é
apenas o bulbo que fica
no couro cabeludo.

O comprimento a que
podem chegar os cabelos
varia de pessoa para
pessoa. A cada quatro
anos, normalmente, todo
o cabelo de uma pessoa
se renova, pois os fios
vão caindo e outros são
formados naquele mesmo
bulbo, cada um a seu
tempo.

Em casos normais, quando um fio de cabelo cai, é porque já está sendo produzido
um novo fio.

30
CIÊNCIAS 7ª SÉRIE CEESVO

A cor dos cabelos varia de pessoa para pessoa. Essa cor, assim como a cor da
pele, também é herdada da nossa família e é resultado de pigmentos que surgem
na raiz do cabelo e cobrem todo o fio.
Para tingir os cabelos, precisamos retirar a pigmentação natural e aplicar nele uma
tinta.

OS PÊLOS
Espalhados por toda a nossa pele existem pêlos. Eles são muito parecidos com os
nosso cabelos, mas um pouco mais curtos.

Nossos pêlos estão sempre crescendo. Mas as pontas deles se “gastam” quando
encostamos nas roupas e em objetos. Isso faz com que eles mantenham quase
sempre o mesmo tamanho.

Alguns pêlos são muito importantes: é o caso dos cílios, por exemplo. Eles
protegem nossos olhos de pequenas partículas de poeira que podem estar voando.

Os pêlos pubianos (que cobrem os órgãos genitais) também são importantes


protetores.

UNHAS

Na ponta dos nossos dedos existe outra proteção: as unhas. Em animais que usam
as pontas dos membros mais que nós, elas são mais grossas e resistentes.

Observe a pata de um cavalo. As nossas unhas não são tão grossas, mas também
protegem. Imagine as pontas dos nossos dedos sem unhas...

Nossas unhas crescem até


determinado ponto, e esse
comprimento varia de pessoa para
pessoa. A unha de um pessoa pode
chegar aos 10, 12, 15 centímetro, e
depois não cresce mais.

É importante ter as unhas sempre


aparadas e limpas. Unhas longas
juntam sujeira que contamina o que
pegamos— alimentos, por exemplo.

Se prendemos o dedo e machucarmos a unha, ela pode ficar com alguma marca.
Mas, se machucarmos a base da unha, que é a parte viva, ela pode crescer torta
para sempre.

31
CIÊNCIAS 7ª SÉRIE CEESVO

Compare os anúncios abaixo com aqueles anúncios sobre cabelos. O que você
pode concluir quanto à constituição de cabelos e unhas?

Esmalte Colorama, com proteína e queratina.


Uma forma prática de embelezar e tratar as suas

Vasenol Mãos & Unhas — Sua fórmula exclusiva contém


lipossomas, que suavizam a pele, e queratina, que deixa as unhas
no mínimo 30% mais resistentes.

GLÂNDULAS

Em nosso corpo
existem substância
oleosas que
protegem a pele, os
pêlos e os cabelos.
Elas são produzidas
Epiderme pelas glândulas
sebáceas e fazem
nossa pele ficar
Derme macia e
impermeável.
Hipoderme
A pele possui várias
camadas: uma parte
viva, uma parte de
glândula
matéria morta (que
sebácea
também possui
queratina) e uma
camada constituída
por essas
substâncias oleosas.

As glândulas sebáceas estão distribuídas pelo corpo em quantidades diferentes.


Existem regiões do corpo que ficam oleosas mais rapidamente que outras.

As substâncias oleosas protegem o nosso corpo. Mas, em quantidade excessiva,


podem provocar problemas, pois elas criam um meio propício para a instalação de
microrganismos que podem ocasionar doenças e mau cheiro.

32
CIÊNCIAS 7ª SÉRIE CEESVO

É por isso que devemos lavar nosso corpo para retirar o excesso de óleo.
Nossas glândulas sudoríparas também são muito importantes. Elas produzem o
suor, substância que possui várias funções.
O suor serve como um radiador de motor de carro! Ele refresca nosso corpo.
Quando nos movimentamos, nossos músculos produzem calor. Para que não
esquentemos demais, nossas glândulas sudoríparas produzem suor. Isso permite
que nosso corpo se resfrie.
O suor não possui apenas função refrescante. Você já deve ter notado, pelo sabor,
que o suor não é feito só de água.
Deve ter notado também que, em geral, eliminamos menos urina quando suamos
muito. Certo?
Podemos perceber, portanto, que deve existir uma relação entre urina e o suor.
O sabor do suor é levemente salgado, pois ele possui uréia e sais, além de água em
grande quantidade.

VAMOS VER AGORA COMO A URINA É FORMADA


Nosso organismo necessita de
alimento para se desenvolver e
se manter. Depois de utilizar os
alimentos, temos que eliminar o
“lixo” que sobra.
O sangue leva esse “lixo”, que
é muito tóxico e se chama
amônia, até o fígado. O fígado
transforma a amônia em algo
menos tóxico (uréia).
O sangue que contém uréia,
além de água, proteínas, etc.,
vai então para os rins, que são
os responsáveis por toda a
filtração do sangue. Os
rins selecionam também o que
ainda é importante para o
organismo — como água,
Uretra
aminoácido, vitaminas —e
devolvem tudo isso ao sangue.
O que sobra para ser eliminado, portanto, é uréia, sais e água em excesso.
A urina produzida é levada para a bexiga pelo ureter. Quando a bexiga está muito
cheia, eliminamos a urina pela uretra. Veja a figura.

Os rins localizam-se nas nossas costas, lateralmente, no final das costelas.


Atenção: é muito raro os rins doerem! Quando sentimos dor nesse local,
provavelmente ocorreu um problema na coluna lombar.
Você pode ver que tanto o suor como a urina são formados pelas mesmas
substâncias. A principal diferença entre os dois é a quantidade de água: o suor tem
muito mais.

33
CIÊNCIAS 7ª SÉRIE CEESVO

Nossas glândulas sudoríparas também têm, portanto,a função de auxiliar a


eliminação de substâncias tóxicas.
Você deve ter percebido, quantas coisas existem em nossa pele. No dia-a-dia, nem
reparamos como são importantes. Deve ter percebido também que existe uma
relação entre o que acontece com o interior do nosso corpo e o lado externo.

34
CIÊNCIAS 7ª SÉRIE CEESVO

BIBLIOGRAFIA

BARROS, Carlos e PAULINO, Wilson Roberto. Ciências – O meio ambiente.


Editora Ática.

GEWANDSZNAJDER, Fernando. Ciências – a vida na Terra. Editora Ática.

Revista Super Interessante.

Apostilas de Ciências do CEESSO.

Sites: www.google.com.br
www. msn.com.br

Revista Educação.

EJA – Apostila Unificado.

Coleção “FRASE DIDÁTICA” de Ciências – Ensino Fundamental.

CDs room: O corpo Humano


Seres vivos

35
CIÊNCIAS 7ª SÉRIE CEESVO

CENTRO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO SUPLETIVA DE VOTORANTIM

CEESVO

COLABORADOR

Prof. Marcelo Alves Moraes

COORDENAÇÃO

Neiva Aparecida Ferraz Nunes

DIREÇÂO

Elisabete Marinoni Gomes

Maria Isabel de Ramalho Carvalho Kupper

36
This document was created with Win2PDF available at http://www.win2pdf.com.
The unregistered version of Win2PDF is for evaluation or non-commercial use only.
This page will not be added after purchasing Win2PDF.