Você está na página 1de 5

ADMINISTRAÇÃO DE MATERIAIS

INTRODUÇÃO

Não há como uma empresa funcionar sem a existência de recursos, sejam eles
financeiros, humanos ou materiais. Esta disciplina irá focar a sua atenção sobre estes
últimos, sejam eles no que diz respeito aos insumos ou aos bens patrimoniais
indispensáveis no processo de fabricação.
Com a crescente concorrência existente por uma participação no mercado
consumidor as empresas buscam identificar formas de melhorar seus desempenhos,
encontrando maneiras diferentes de obterem vantagens competitivas. Uma das formas
de obter uma vantagem, se não competitiva, mas pelo menos comparativa é através de
uma boa gestão dos recursos materiais e patrimoniais.
Com os custos crescentes é importante gerir bem seus estoques e seu
patrimônio produtivo de forma a utilizá-los com a máxima eficiência e eficácia. è sobre
isso que estaremos falando a partir de agora.

1. O CONCEITO DE ADMINISTRAÇÃO DE MATERIAIS:

Administração de Recursos Materiais engloba a seqüência de operações que tem


início na identificação do fornecedor, na compra do bem ou serviço, em seu
recebimento, transporte interno e acondicionamento (armazenagem), em seu
transporte durante o processo produtivo, em sua armazenagem como produto
acabado e, finalmente, em sua distribuição ao consumidor final.
FIGURA 1. Ciclo da Administração de Materiais

2. A IMPORTÂNCIA DA ADMINISTRAÇÃO DE MATERIAIS E SUA AMPLITUDE

Sendo o ambiente competitivo como é faz-se necessário a busca de alternativas de


vencer os concorrentes. A administração de materiais é bastante ampla e pode
contribuir a partir do momento que envolve as seguintes atividades:
• Gerenciamento dos recursos materiais:
• Gerenciamento dos estoques de :
• Materiais auxiliares
• Matéria-prima
• Produtos/materiais em processo
• Produtos acabados
• Gerenciamento dos Recursos Patrimoniais:
• Equipamentos
• Instalações, prédios, veículos, etc.
• Compras:
• O que deve ser comprado
• Como deve ser comprado
• Quando deve ser comprado
• Onde deve ser comprado
• De quem deve ser comprado
• Por que preço deve ser comprado
• Em que quantidade deve ser comprado
• Logística interna e
• Logística Externa

Do desempenho satisfatório dessas atividades dependem os Departamentos de


Vendas, Produção, Manutenção, os Setores Administrativos, etc.
Tem-se de considerar:
• que o número de itens e a diversidade dos mesmos é grande,
• que as informações tem de ser precisas e rápidas
• que a manutenção de estoques representa parcela significativa do ativo da
empresa, etc.

3. O ADMINISTRADOR DE MATERIAIS
É o profissional a quem cabe o gerenciamento, o controle e a direção da empresa
na área de materiais, buscando os melhores resultados em termos de lucratividade e
produtividade. Exerce o POCCC dentro da área de recursos materiais e patrimoniais.

4. COMO AVALIAR O DESEMPENHO DA ÁREA DE MATERIAIS


Dentro de cada uma das sub - áreas da administração de materiais poderão ser
estabelecidos indicadores de desempenho próprios que devem fornecer informações
sobre a realidade da área de materiais, possibilitando assim a tomada de ações
corretivas de forma a eliminar os desvios, e para isso é preciso que:
• Os dados coletados sejam completos e confiáveis;
• Que expressem informação de valor para a empresa
• Devem ser simples de forma a que os próprios operadores possam coletá-los sem
confusão
• Devem ser de fácil entendimento por todos
Como exemplo, podemos citar:
• % de erros nas ordens de compra
• % de itens comprados recebidos na data correta
• % de falta de matérias-primas
• Rotatividade dos estoques
• % do ativo imobilizado em estoques
• % de produtos acabados entregues aos clientes nas datas combinadas, etc.

5. EVOLUÇÃO E MUDANÇAS SIGNIFICATIVAS NA ADMINSITRAÇÃO DE


MATERIAIS
Se considerarmos a posição do homem de produção e de vendas seu desejo é de
que exista a maior quantidade de matérias-primas e produtos acabados,
respectivamente, estocados de forma a poder atender as suas necessidades. Porém
sendo a manutenção de estoques algo extremamente caro para a empresa é preciso
que o Administrador de Materiais equilibre os mesmos de forma a satisfazer ambos, os
administradores de produção e vendas e também ao administrador financeiro.
Sendo assim várias tem sido as etapas que vem ocorrendo dentro da administração
de materiais cabendo ressaltar algumas delas tais como:
• A logística – operação integrada, que trata das atividades de movimentação e
armazenagem, que facilitam o fluxo de materiais e produtos desde a aquisição até o
ponto de consumo final, bem como dos fluxos de informações; (SERÁ ABORDADO
EM AULA ESPECÍFICA)
• Técnicas japonesas de administração tais como o JIT/Kanban;
• Desenvolvimento de Parcerias – fornecedores preferenciais
• Programação de fornecedores – manter uma programação integrada entre o PCP
da fábrica e o fornecedor via EDI (Eletronic Data Interchange) ou Internet
• O ECR (Efficient Consumer Response) ou resposta eficiente ao consumidor –
fornecedores e distribuidores trabalhando juntos para agregar valor para o
consumidor e reduzir custos.
• Uso de simulações
• Uso de CEP para identificar rapidamente as variações nos processos, etc.

6. DESAFIOS E TENDÊNCIAS

Com certeza o maior desafio continuará sendo a busca do equilíbrio entre o nível
dos estoques os recursos financeiros disponíveis. Quanto manter em estoque com o
menor risco de falta de materiais. Como atender a esta equação.
A tendência aponta para uma necessidade crescente no desenvolvimento de
técnicas de previsão que possibilitem minimizar as possibilidades de erro na
administração dos recursos materiais. Será necessário que a área de materiais e seu
administrador sejam o mais dinâmicos possível de forma a responder de forma rápida
as movimentações do mercado. Para isso um excelente suporte de informática é
fundamental, fornecendo as informações em tempo real.
A integração entre as empresas, fornecedores e compradores, deve ser cada vez
mais intensa buscando ganhos para a cadeia como um todo.