Curso Técnico em Química Análise Orgânica

PRÁTICA: EXTRAÇÃO DA CAFEÍNA

Maylla Dias Melany Fernandes Patrícia Costa Rachel da Vitória Suelen Carminatti

Professores: Almir Andreão e Patrícia Silvana

Aracruz, 07 Outubro de 2010

guaraná. classificado como alcalóide. principalmente).INTRODUÇÃO A cafeína pura (C8H10N4O2). A freqüência no consumo pode levar a uma dependência moderada e a interrupção pode causar irritabilidade. chás. . chocolates. como o ferro. A cafeína é a droga mais consumida no mundo. faz parte do grupo de compostos orgânicos listados como metil-xantinas. [1] Mas a cafeína possui vários aspectos que podem ser vistos como positivos. estando presente em uma grande quantidade de plantas e como café. [1] As Xantinas são estimulantes do sistema nervoso central. que constitui aproximadamente 5% do peso das folhas de chá. [3] A determinação e a análise das propriedades específicas dos materiais do ambiente. sem gosto. [2] A ação biológica da cafeína inclui estimulação cardíaca e respiratória. ocorre uma dificuldade do organismo em absorver nutrientes importantes. bem como efeito diurético. [2] A cafeína é pode ser extraída de misturas que a contenham por um solvente orgânico após transformar em ácido o meio. Para isso deve-se determinar algumas das propriedades específicas desses materiais. Algumas preparações estimulantes e analgésicas contêm cafeína como ingrediente ativo. sonolência e dores de cabeça. cacau. são formas de se conseguir saber se uma determinada matéria é uma substância pura ou uma mistura. Seu ponto de fusão está entre 234ºC e 239ºC. o que lhe confere a propriedade de extrair substâncias pouco polares de soluções aquosas formando um sistema bifásico que muitas vezes pode emulsionar (em temperaturas elevadas e/ou após agitação vigorosa do sistema. no tratamento do Transtorno do Déficit de Atenção e também na prevenção do câncer de pulmão entre fumantes. Estudos mostram o tratamento de algumas doenças associados a ela. como na prevenção do Mal de Parkinson. como por exemplo: densidade. Utiliza-se clorofórmio devido a sua polaridade e densidade. Se há um excesso no consumo de produtos que contém cafeína. cola. É uma substância branca. acarretando em um estado de alerta de curta duração.

[3] Entretanto. espectroscopia na região do ultravioleta e visível. uso de determinados reagentes de identificação. dentre outros.[3] . a comparação dos espectro obtido com os espectros armazenados nessa biblioteca. qual ou quais são as substâncias analisadas. portanto. (Como mostrado nas figuras 1 e 2 a seguir. identificando. As substâncias puras apresentam ponto de fusão e de ebulição constantes. Na maioria desses instrumentos há uma biblioteca digital que possibilita. cromatografia líquida de alta eficiência (HPLC). cromatografia gasosa associada à espectroscopia de massa (CG_MS).ponto de fusão e ebulição. muitas vezes. as substâncias são identificadas por métodos instrumentais. espectroscopia de absorção atômica.)[4] Atualmente. em frações de segundo.etc. Os principais métodos instrumentais são: espectroscopia na região do infravermelho (FT-IR). mesmo com tantas tecnologias. como por exemplo: determinação de propriedades específicas da substância em questão. já as misturas apresentes variação durante a mudança de estado físico. pode-se usar método não instrumentais de identificação.

MATERIAIS E REAGENTES Abaixo. estão descritos os materiais utilizados para a extração da cafeína a partir do chá preto: • Béqueres • Gelo • Sachês de chá preto • Vidros de Relógio • Funil de decantação • NaOH 6 mol/L • Na2SO4 anidro • Suporte de metal • Garras • Funil de vidro • Diclorometano • Bastão de vidro • Capilar • Aparelho medidor de ponto de fusão . Calcular a porcentagem em massa da cafeína extraída.OBJETIVOS Realizar a extração da cafeína a partir do chá preto.

.

Ao final deste tempo. transferiram-na para um funil de decantação e então.PROCEDIMENTO Pesaram-se a quantidade de chá preto contido nos saches. O solvente foi removido com o auxílio da capela. com a mesma quantidade de água destilada por 1 vez. Colocaram-se a massa de chá preto em um béquer contendo 200 mL de água destilada previamente aquecida (97-98 ºC). Secaram-se. O rendimento da extração foi calculado e o ponto de fusão analisado e comparado com o valor teórico. e ao final. A solução foi filtrada e coletada em um béquer. Após o resfriamento da solução resultante. deixando-se evaporar por uma semana. . extraíram-na com porções de 20 mL de Diclorometano por 3 vezes.6272g. para garantir. obtendo-se uma massa m1 igual a 3. As fazes orgânicas foram extraídas com porções de 20 mL de NaOH 6M por 2 vezes seguidas. portanto. a fase orgânica com 3 espátulas de Sulfato de Sódio anidro. filtrou-se a solução. e deixaram-se por 1 minuto imergido. agitando o funil suavemente durante a separação.

o chá a ser analisado foi aquecido juntamente com a água para a retirada da fase orgânica das folhas secas. Recolheu-se assim a fase orgânica. dentre outros. o diclorometano. que faz com que o diclorometano reaja a ele . há uma solubilidade máxima no diclorometano que também é polar. tornando a mistura do funil bifásica. o que existe é uma afinidade entre as suas moléculas. Sendo a molécula da cafeína polar. mais que isso. ela apresenta um conjunto de componentes químicos tais como proteínas. para melhor extração. Isso ocorre porque a água quente faz o vapor atravessar as estruturas das folhas. sendo a parte superior apolar. Posteriormente foi adicionado NaOH 6M para a retirada do diclorometano.RESULTADOS E DISCUSSÕES Conforme descrito na ordem acima. O resfriamento foi necessário devido ao alto grau de volatilidade do solvente. que conferem as suas características mais peculiares. na verdade não ocorre ‘reação’ entre cafeína e diclorometano. O chá preto não contém somente a cafeína como constituinte básico. isso se dá devido sua alta reatividade. Durante essas etapas o funil foi suavemente agitado. Para isso resfriou-se a solução obtida e fez-se a extração da fase orgânica com um solvente. forçando a quebra das bolsas intercelulares e a liberação de algumas substâncias. Na adição de 20 mL de diclorometano. açúcares. não se misturando com a parte inferior (polar). óleos essenciais. E repetiu-se esse procedimento por mais duas vezes para melhor garantia da extração. taninos. bem maior do que o diclorometano com a água.

para remover eventuais moléculas de água presentes na solução.01985g de cafeína. A solução foi então deixada na capela para secar durante uma semana.6272 g--------------------. Tendo em vista a massa de chá utilizado m1 igual a 3. Consideramos então que este experimento obteve um resultado satisfatório dentro do padrão. a julgar pelo aspecto esbranquiçado. um valor baixo. mas é aceitável já que algumas vezes são necessárias toneladas de plantas para a retirada de alguns miligramas de determinadas substâncias. resultando em uma massa m2 igual a 0. Obteve-se então a cafeína com um bom grau de pureza. Depois foi colocada uma porção de água para garantir a retirada total do hidróxido de sódio.100% 0. um agente dessecante.55 (m/m).6272g e a massa de cafeína extraída m2 igual a 0. Em seguida secaram-se a fase orgânica com sulfato de sódio anidro. o que resulta em uma porcentagem 0.01985g --------------------. A etapa foi repetida por mais uma vez por garantia. Calcularam-se o seu rendimento: 3.restando no funil apenas a fase orgânica desejada. Após a secagem foi realizada a pesagem do material coletado. .55% O rendimento final foi então de 0.55%.X% X= 0. Posteriormente coletou-se uma pequena amostra dessa cafeína em um tubo capilar e com o auxílio de uma aparelho medidor de fusão. o que mostra um valor dentro do valor real na literatura (234ºC e 239ºC).01985g. observou-se que a temperatura média de fusão foi de 235ºC.

ufpr.br/quimica/mudanca-deestado-de-substancia-pura-e-mistura.CONCLUSÃO Para que haja uma eficaz extração de compostos orgânicos como a cafeína. levando em consideração que no chá há vários outros compostos e a cafeína é apenas um deles. deve ser levada em conta a polaridade das moléculas para a escolha do solvente. [4]COLEGIO WEB ( http://www.html) Visita em 05 de outubro de 2010.pdf) Visita em 04 de outubro de 2010.pdf) Visita em 05 de outubro de 2010. [3] UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL (http://www. [2] BRASIL ESCOLA (http://www.ufrgs.com.quimica. REFERÊNCIAS [1] UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ (http://www.br/dqo/poligrafos/Poligrafo_QUI02_004_2009_2. pois pequenas quantidades de cafeína podem ter sido perdidas durante a extração. ou até mesmo não ter sido retirada completamente.com/drogas/cafeina. A densidade dos compostos permite a separação dos mesmos. . Porém o resultado pode não ser exato.brasilescola.iq. uma vez sendo eles polares e apolares.br/eduquim/pdf/experimento2. não se solubilizam.colegioweb.htm) Visita em 04 de outubro de 2010. Foi analisada a mínima quantidade de cafeína extraída.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful