Você está na página 1de 6

Introdução

Neste trabalho iremos falar sobre o Lucro Presumido no comércio, para podermos
estudar é preciso que sejam definidos alguns conceitos como: O que é lucro presumido?
Quais são as pessoas jurídicas autorizadas a optar ou não?Sistema de tributação,etc.

1
Conceito

Lucro Presumido é a forma de tributação simplificada do Imposto de Renda (IR) e


Contribuição Social sobre o Lucro (CSLL). É uma forma de tributação onde se usa
como base de calculo do imposto, o valor apurado mediante a aplicação de um
determinado percentual sobre a receita bruta.

Sistema de tributação

A sistemática de tributação pelo Lucro Presumido é regulamentada pelos artigos 516 a


528 do Regulamento do Imposto de Renda (Decreto 3.000/99).
As Leis nºs 8.981/95, arts. 27 e 45; 9.065/95, art. 1º; 9.249/95, arts. 1º, 9º, § 4º, 10, 11, §
2º, 15, 17, 21, § 2º, 22, § 1º, 27, 29, 30 e 36, V; 9.430/96, arts. 1º, 4º, 5º, 7º, 8º, 19, § 7º,
22, § 3º, 51 a 54, 58, 70 e 88, XXVI e 9.718/98, arts. 13 e 14; MP 2.158-35/2001, art.
20; RIR/99, art. 516 a 528.

Empresas que podem optar pelo Lucro Presumido

Podem optar pela tributação com base no lucro presumido as pessoas jurídicas, não
obrigadas à apuração do lucro real, cuja receita bruta total, no ano-calendário
imediatamente anterior (em 2007, para a opção no ano-calendário de 2008), tenha sido
igual ou inferior a R$ 48.000.000,00 ou ao limite proporcional de R$ 4.000.000,00
multiplicados pelo número de meses de atividade no ano, se inferior a 12 (Lei nº.
9.718/1998, art. 14 , com a redação dada pela Lei nº. 10.637/2002, art. 46).
As demais pessoas jurídicas que não se enquadrem nas condições a que se referem
observadas o limite de receita bruta, poderão, a partir de 01/01/99, exercer a opção pela
sistemática do lucro presumido, inclusive:

• As sociedades civis de profissão regulamentada;


• As pessoas jurídicas que exploram atividade rural;
• As sociedades por ações, de capital aberto;
• As empresas que se dediquem à compra e à venda, ao loteamento, à
incorporação ou à construção de imóveis e à execução de obras da construção
civil;
• As empresas que tenham sócios ou acionistas residentes ou domiciliados no
exterior;
• As empresas constituídas sob qualquer forma societária, de cujo capital
participem entidades da administração pública, direta ou indireta, federal,
estadual ou municipal;
• Que sejam filiais, sucursais, agências ou representações, no país, de pessoas
jurídicas com sede no exterior;

2
• As empresas que vendam bens importados, qualquer que seja o valor da receita
auferida com a venda desses produtos.
• As corretoras de seguro, por serem consideradas empresas de intermediação de
negócios.

Também podem optar pela tributação com base no lucro presumido as pessoas jurídicas
que iniciarem atividades ou que resultarem de incorporação, fusão ou cisão, desde que
não estejam obrigadas à tributação pelo lucro real (Manual de Instruções da DIPJ/2008).

Empresas não podem optar pelo Lucro Presumido

Não pode optar pelo regime do lucro presumido, ainda que preenchendo o requisito
relativo ao limite máximo de receita bruta, são aquelas pessoas jurídicas que, por
determinação legal (Lei nº. 9.718/98, art. 14; RIR/99, art. 246), estão obrigadas à
apuração do lucro real, a seguir:

• Pessoas jurídicas cujas atividades sejam de bancos comerciais, bancos de


investimentos, bancos de desenvolvimento, caixas econômicas, sociedades de
crédito, financiamento e investimento, sociedades de crédito imobiliário,
sociedades corretoras de títulos e valores mobiliários, empresas de arrendamento
mercantil, cooperativas de crédito, empresas de seguro privado e de
capitalização e entidades de previdência privada aberta;

• Pessoas jurídicas que tiverem lucros, rendimentos ou ganhos de capitais


oriundos do exterior;

• Pessoas jurídicas que, autorizadas pela legislação tributária, queiram usufruir de


benefícios fiscais relativos à isenção ou redução do imposto de renda;

• Pessoas jurídicas que, no decorrer do ano-calendário, tenham efetuado o


recolhimento mensal com base em estimativa;

• Pessoas jurídicas que explorem as atividades de prestação cumulativa e contínua


de serviços de assessoria de crédito, mercadológica, gestão de crédito, seleção e
riscos, administração de contas a pagar e a receber, compras de direitos
creditórios resultantes de vendas mercantis a prazo ou de prestação de serviços
(factoring).

Percentuais

No ano-calendário de 1999, serão aplicados os seguintes percentuais na determinação


do lucro presumido:

1,6% (um inteiro e seis décimos por cento) sobre a receita bruta mensal auferida na
revenda, para consumo, de combustível derivado de petróleo, álcool etílico carburante e
gás natural;

3
8% (oito por cento) sobre a receita bruta mensal proveniente:

Da venda de produtos de fabricação própria;


Da venda de mercadorias adquiridas para revenda;
Da industrialização de produtos em que a matéria-prima, ou o produto intermediário ou
o material de embalagem tenham sido fornecidos por quem encomendou a
industrialização;
Da atividade rural;
De serviços hospitalares;
Do transporte de cargas;
De outras atividades não caracterizadas como prestação de serviços;

16% (dezesseis por cento) sobre a receita bruta mensal auferida pela prestação de
serviços de transporte, exceto o de cargas;

32% (trinta e dois por cento) sobre a receita bruta mensal auferida com as atividades de:

Prestação de serviços, pelas sociedades civis, relativos ao exercício de profissão


legalmente regulamentada;
Intermediação de negócios;
Administração, locação ou cessão de bens imóveis, móveis ou direitos de qualquer
natureza;
Construção por administração ou por empreitada unicamente de mão-de-obra;
Prestação de qualquer outra espécie de serviço não mencionada anteriormente.

As atividades de corretagem (seguros, imóveis, etc.) e as de representação comercial são


consideradas atividades de intermediação de negócios.

No caso de atividades diversificadas será aplicado o percentual correspondente sobre a


receita proveniente de cada atividade

A alíquota do IRPJ sobre o lucro presumido é de 15%

Adicional do IRPJ

Sobre a parcela do lucro bruto presumido trimestral que exceder a R$ 60.000,00 deverá
ser aplicada alíquota de 10% a título adicional do IRPJ, ou, no caso de inicio de
atividades, ao limite correspondente á multiplicação de R$ 20.000,00 pelo número de
meses do período de apuração.

Contribuição Social

As pessoas jurídicas optantes pelo lucro presumido determinarão à base de cálculo da


Contribuição Social, que será de 12% sobre a receita bruta com adições devidas.

A Alíquota da Contribuição Social é de 9% como regra geral, e de 9% para Instituições


Financeiras, inclusive corretoras de seguro até 31.12.2002.

Prazos de Recolhimento

4
O IRPJ e a contribuição social apurados deverão ser recolhidos no último dia do mês
seguinte ao do encerramento do trimestre ou, por opção da empresa, em que até três
cotas mensais, desde que o valor de cada cota não seja inferior a R$ 1.000,00.

A pessoa jurídica com base no lucro presumido deverá:

• Manter escrituração contábil nos termos da legislação comercial. Para efeitos


fiscais, é dispensável a estruturação quando a pessoa jurídica mantiver Livro
caixa, devidamente escriturado, contendo, toda a movimentação financeira,
inclusive bancária;
• Manter o Livro de registro de Inventário, no qual deverão constar registrados os
estoques existentes no término do ano-calendário abrangido pela tributação
simplificada;
• Manter em boa guarda e ordem, enquanto não decorrido o prazo decadencial e
prescritas eventuais ações que lhes sejam pertinentes, todos os livros de
escrituração obrigatórios determinados pela legislação fiscal específica, bem
assim os documentos e demais papéis que servirem de base para escrituração
comercial e fiscal (Decreto-Lei nº. 486, de 1969, art. 4º);
• Lalur, quando tiver lucros deferidos de períodos de apuração anteriores (saldo de
lucro inflacionário a tributar na situação específica de ser optante pelo lucro
presumido no ano calendário 1996, conforme IN SRF nº. 93, de 1997, art. 36,
inciso V, §§ 7º e 8º) e/ou prejuízo a compensar.

Forma de Pagamento

O IRPJ e a CSLL devidos com base no Lucro Presumido deverão ser pagos até o último
dia útil do mês subseqüente ao do encerramento do período de apuração trimestral.
Assim, o IR devido no 1o. trimestre/2.001 deverá ser pago até 30.04.2001 (se este dia
não houver expediente bancário, então o vencimento deve ser antecipado).

Utiliza-se o DARF normal (cor preta), com os seguintes códigos:

2089 - IRPJ

2372 - CSLL

Na hipótese do IR ou CSLL ser superior a R$ 2.000,00, poderá ser pago em até 3 quotas
iguais, mensais e sucessivas, observado o seguinte:

• As quotas deverão ser pagas até o último dia útil dos meses subseqüentes ao do
encerramento do período de apuração;
• Nenhuma quota poderá ter valor inferior a R$ 1.000,00;
• O valor de cada quota (excluída a primeira, se paga no prazo) será acrescido de
juros SELIC, acumulada mensalmente, calculados a partir do primeiro dia do
segundo mês subseqüente ao do enceramento do período de apuração até o
último dia do mês anterior ao do pagamento, e de 1% no mês de pagamento.

5
Conclusão

Assim, podemos entender que o lucro presumido é um método simplificado para


apuração da base de cálculo dos impostos incidentes sobre o lucro e independe do fato
da empresa ter ou não resultado positivo em suas operações.