P. 1
Artigo Completo

Artigo Completo

|Views: 234|Likes:
Publicado porcarolina_custodio_1

More info:

Published by: carolina_custodio_1 on Apr 12, 2012
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

04/12/2012

pdf

text

original

CUIDADOS DE ENFERMAGEM A PACIENTES COM SINDROME DE GUILLAINBARRÊ: UMA REVISÃO DE LITERATURA NURSING CARE OF PATIENTS OF GUILLAIN-BARRE SYNDROME

: A REVIEW OF LITERATURE MARINK, Werley Santana1 LOPES, Geraldo Newton Junior2 PACELLI, Eugênio3 Resumo: A síndrome de Guillain-Barré é urna polineuropatia desmielinizante aguda, caracterizada por paresia ou paralisia, que afeta mais de um membro, associada à perda de reflexos tendinosos e aumento de proteína liquórica. Esta pesquisa bibliográfica tem como objetivo discutir os cuidados do profissional enfermeiro aos pacientes portadores da Síndrome de Guillain Barre. Não esquecendo, no entanto, de especificar as possíveis intervenções de enfermagem a estes clientes. Palavras chaves: Síndrome de Guillain Barre, Sistematização da Assistência, Cuidados de Enfermagem. Abstract: The Guillain-Barre syndrome is acute demyelinating polyneuropathy urn,

characterized by paresis or paralysis, which affects more than one member, coupled with loss of reflexes and tendons increase of protein liquor. This literature search aims to discuss the care of professional nurses to patients of Guillain Barre Syndrome. Do not forget, however, to specify the possible intervention of nursing to these Nursing.
1

customers.

Key words: Guillain Barre Syndrome, Systematization of Assistance, Care of

Acadêmicos do 7º período do Curso de Graduação em Enfermagem das Faculdades Unidas do Norte de Minas – FUNORTE de Montes Claros – MG.
2 3

espinhais e periféricos. três médicos parisienses: Geoges Guillain. Tal observação instigou este estudo de revisão bibliográfica sobre os cuidados de Enfermagem a pacientes com Síndrome de Guillain Barré com o objetivo de abordar algumas características da SGB. que afeta os músculos do organismo humano. de etiologia desconhecida. em 1916. os do trato urinário. Hoje. o quadro é conhecido no meio médico. a grande maioria destas pesquisas. . além do grupo muscular dos membros e da respiração. como os da deglutição. do próprio coração e dos olhos. sendo. que afeta os músculos do organismo humano. vários investigadores se interessaram pela síndrome. envolvendo os nervos cranianos. e demonstrando que outros músculos. Jean Alexander Barré e André Strohl demonstraram a anormalidade característica do aumento das proteínas com celularidade normal. que ocorria no líquor dos pacientes acometidos pela doença.2 1 INTRODUÇÃO Segundo Goldman (2001). é simétrica e associada à perda dos reflexos tendinosos e aumento da concentração de proteína no líquido cefalorraquidiano. apresentar planos de cuidado tendo como base possíveis necessidades do paciente e como a enfermagem pode contribuir para a recuperação dos mesmos. afirmam que síndrome de Guillain Barré é uma síndrome clínica rapidamente progressiva. 2 REVISÃO DE LITERATURA De acordo Steinberg (apud Monteiro et al. colhendo informações adicionais sobre o distúrbio. voltados para a medicina. a síndrome de Guillain Barré é uma neuropatia periférica progressiva autoimune. como Síndrome de Guillain-Barré (SGB) ou Polirradiculoneurite (PRN) aguda. Brunner e Studarth (2002). em geral. poderiam ser afetados. Esta patologia é habitualmente caracterizada por fraqueza ou paralisia que acomete mais de um membro. Para Souza e Souza (2007) a síndrome de Guillain Barré é uma neuropatia periférica progressiva auto-imune. De acordo com literaturas analisadas. 2003).

a doença continuará para o resto da vida. principalmente se houver dificuldade respiratória e de deglutição . o que impede a transmissão normal dos impulsos elétricos ao longo das raízes nervosas sensoriomotoras. a síndrome de Guillain-Barré é muitas vezes precedida por um quadro de infecção a vírus. Para Lewis (1986). Afirma também que em alguns casos. as proteínas do líquor estão aumentadas na grande maioria dos casos. A contagem de células do líquor costuma fornecer resultados normais. mas alguns pacientes com síndrome de SGB típica apresentam entre 10 e 100 células mononucleares por mm³ de líquor (LEWIS. Souza e Souza (2007) afirmam. afetando adultos e crianças. Nascimento (2006) explica que o principal aspecto patológico da síndrome de Guillain Barré é a desmielinização segmentar dos nervos periféricos. sendo a etiologia desconhecida. Souza e Souza (2007) apresentam que o tratamento é basicamente é o que chamamos imunossupressão. ainda. Lewis et al (1986) esclarece que. A partir desses dados Souza e Souza (2007) informam que no início da doença.3 Segundo Goldman (2001). orofaríngeos ou da musculatura extrínseca dos olhos. 95% dos indivíduos com esta doença sobrevivem e cerca de 75% se recuperam completamente mas para alguns. a doença ocorre em todas as partes do mundo. Por isso é que os sinais de perdas sensoriais e motoras ocorrem de modo simultâneo. Aproximadamente.000 habitantes. Além disso. a doença se inicia pelo comprometimento dos músculos faciais. em qualquer época do ano. porém não foi possível comprovar a invasão dos nervos periféricos ou das raízes nervosas por vírus. a transmissão nervosa autônoma pode ser prejudicada. independente da classe social e dos hábitos de vida. que a incidência anual é de 2-4 casos por 100. uma vez que os níveis protéicos possam estar normais durante os primeiros dias de doença. os músculos proximais costumam estar às vezes mais seriamente afetados que a musculatura distal. provavelmente o cliente necessitará acompanhamento médico intrahospitalar. 1986). Em relação aos exames complementares. na fase inicial da síndrome. A SGB causa inflamação e alterações degenerativas nas raízes nervosas posteriores (sensoriais) e anteriores (motoras). ao contrário do que se observa na maioria das neuropatias de outra etiologia.

a doença pode ser monitorizada em casa. 4. os autores citam que a síndrome de Guillain-Barré apresenta formas e tipos variados. uma vez diminuídos os sintomas. suas queixas e complicações. Levando em consideração que as necessidades básicas de todo ser humano são os cuidados de si mesmo. fator que revela incapacidade na execução dos movimentos. elaboraram um quadro sobre a Sistematização da Assistência em Enfermagem. entretanto. no período de 27/08/2008 a 15/09/2008 nos quais os seguintes descritores foram utilizados: Síndrome de Guiller Barre. e em sites de busca como Google acerca do tema em questão. que as informações sejam transmitidas aos efetores de forma adequada. o trabalho e a distração. embasados nos Diagnósticos de Enfermagem disponíveis em NANDA. relacionado histórico do cliente. (SOUZA E SOUZA. com o auxílio de um enfermeiro especializado. cuidados de enfermagem. Assim. uma vez que a lesão tem foco nos sítios das raízes nervosas. “O Diagnóstico deve ser baseado no conjunto de vários achados clínicos e laboratoriais.4 envolvida no quadro agudo. gerando comprometimento funcional considerável. Souza e Souza (2007). . materiais científicos como artigos publicados em revistas como: Revista Meio Ambiente e Saúde. impedindo assim. e visitas periódicas ao médico. os autores apresentados mostram que a finalidade dos cuidados de Enfermagem é dar suporte a todas as funções orgânicas até que o doente possa fazer por si só. visto que nenhuma observação isolada é patognomônica e nenhum exame laboratorial é específico para a doença”. RESULTADOS E DISCUSSÃO Segundo pesquisas realizadas no estudo. 2007) 3 METODOLOGIA O estudo descrito trata-se de uma revisão bibliográfica sistematizado em pesquisas nos arquivos da Biblioteca Professor Antônio Jorge da Universidade Estadual de Montes Claros – UNIMONTES e da Biblioteca Raimundo Avelar das Faculdades Unidas do Norte de Minas – FUNORTE.

3. 1. Avaliar ressecamento da mucosa oral. 1. 2. 1. Avaliar permeabilidade do tubo.1.6. 1.6. Insuficiência respiratória Diagnóstico de NANDA Padrão respiratório ineficaz devido à disfunção neuromuscular/Fadiga muscular. 2. Manter a cabeceira elevada durante as refeições para evitar broncoaspiração. Examinar a respiração do cliente e avaliar quanto à dificuldade. Observar cianose periférica e de extremidades. paralisia facial).4. acúmulos de secreções e obstrução dos brônquios. Avaliar o Cuff para intubação respiratória. envolvimento de nervos cranianos e distúrbios respiratórios.3. Cuidar para que a fisioterapia respiratória e em membros esteja sendo realizada constantemente. 3. Cuidados de Enfermagem 1. avaliando as dietas prescritas. 1. 3.5 Problemas 1. Avaliar distensão abdominal. 2. Finalidade: evitar atelectasias.2. Monitorizar as refeições para avaliar o nível de dificuldade do cliente em deglutir.2.1. Dificuldade Deglutição prejudicada de deglutição relacionada à lesão neuromuscular (ex: força ou contração diminuída dos músculos envolvidos na mastigação.1. 1. 2. Posicionar o cliente de forma a promover o conforto. 1. Acoplar o tubo ao respirador.6.4. Paralisia dos Mobilidade física músculos prejudicada relacionada a prejuízos sensórioperceptivos.2. Manter cabeceira do leito do cliente elevada. Aspirar secreções regularmente. 2. Atentar para adaptação do cliente à dieta prescrita.6. 2. e fornecer . Supervisionar o suporte nutricional.1. Se o cliente necessitar do uso de prótese respiratória: 1.2. Finalidade: evitar pneumonia por aspiração de corpo estranho ou fluídos para os pulmões.5.3. segurança e expansão pulmonar.5.7. 3. com movimentação do cliente no leito.6. 1. Solicitar e avaliar gasometria. 1. Massagear panturrilhas. prejuízo perceptivo.4. Dar apoio psicológico ao cliente e seus familiares.

dano sensório-motor.2. 3.6 e informações sobre a doença e suas perspectivas de cura. 5. 4. Prevenir Trombose Venosa Profunda e Embolia Pulmonar com a administração de medicamentos anticoagulantes de acordo com a prescrição médica. 4. Realizar balanço Hídrico para urinar prejudicada ligada ao rigoroso.Notificar ao médico sobre o débito urinário diminuído. situação de risco de vida. Incentivar a participação ativa e apoiar os esforços para aderir ao plano de tratamento. 5.1. Providenciar apoio para os pés e raquetes para as mãos. Inquietação Ansiedade ligada à 5. 5. Evitar neuropatias compressivas por posturas viciosas (ex: nervo ulnar e fibular). 4. 4. 4.4. 3. Atentar para a administração de medicamentos e seus efeitos.2.4.6. 3.8.4. Administrar líquidos com segurança.1. musculoesqueléticos neuromusculares.Manter a família informada sobre a condição do cliente e o tratamento que está sendo administrado. para prevenção de queda dos pés e das mãos. conforme prescrição médica. .3.Providenciar tratamento rápido angústia respiratória e à e confiável.6.5. 3.3. 3.Compreender e aceitar as ansiedades básicas do cliente agudamente traumatizado.5.Fornecer explicação simples e franca sobre a SGB e o tratamento que foi realizado. Promover alívio da dor com a administração de fármacos como a prescrição médica. Implementar sonda vesical de demora. Oferecer proteção aos olhos do cliente se houver paralisia facial. Evitar úlceras de decúbito com a mudança do cliente no leito de 2/2 horas. 3. Dificuldade Eliminação urinária 4. 5. 4.7.3.

promovendo uma tosse eficaz e drenagem postural de modo a obter uma boa higiene brônquica. Fazer o desmame do ventilador. Imobilidade: Todos os dados reforçam a necessidade de mais pesquisas sobre a doença. com o intuito de oferecer a este paciente uma melhor qualidade de vida. • • • • • Prevenir complicações pulmonares. suporte nutricional. cuidados pulmonares. a abordagem destes pacientes. a área da Enfermagem.7 Rev. Promoção de exercícios. outros cuidados merecem ser ressaltados. Meio Amb. principalmente. como: Cuidados Pulmonares: • • Avaliar e vigiar o grau de disfunção pulmonar e atuar de acordo dados Promover a reeducação funcional respiratória. executando os exercícios obtidos. Assim. 5 CONCLUSÃO Este estudo possibilitou a ampliação da visão em relação aos vários fatores que podem influenciar as ações de Enfermagem e. Transferência de leito para cadeira. gestão da dor o e suporte emocional. as intervenções de Enfermagem centram-se imobilidade. concluímos a necessidade . por parte da área da saúde. com base em outros estudos encontrados durante a pesquisa. a compreensão de algumas das dificuldades e limitações vivenciadas pelos portadores da Síndrome de Guillain Barré. Estimular a automobilização. 2007 No caso da SGB. respiratórios. Estes profissionais devem se interagir sobre a doença para obter uma visão geral. ainda. Devido à escassez da literatura relacionada à atuação da enfermagem nos pacientes acometidos pela Síndrome de Guillain-Barré. Saúde.

Sitio: <http://www. 2007.C. vol.profissionaldasaude. 7. 2006. M. MONTEIRO. SOUZA. MACHADO. 2006. Janice Gomes Barbosa. Tratado de Neurologia. NASCIMENTO. Michelle A. garantindo então a qualidade dos cuidados e um melhor tratamento possível. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan. Adriana Verli de. 1986. Acesso em 13/09/2008. FERNANDES. Atuação Fisioterapêutica no Comprometimento Cardiorrespiratório na Síndrome de Guillain-Barré: relato de caso. 2.com>.T. S. Merril. ed. Disponível em: <http://www.S. B. 21. Tratado de Medicina Interna. 10.8 de uma Sistematização da Assistência direcionada a doença para que o profissional da Enfermagem possa desempenhar o seu papel em prevenir e/ou minimizar o aparecimento de possíveis complicações. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan.ed. SOUZA. STUDARTH. 2003. B. Acesso em: 14/09/2008 . Rio de Janeiro: Guanabara Koogan. Odete. vol. Luiza Cristina. ed.F. Enfermagem em cuidados críticos. Ferreira de. GOLDMAN.com. São Paulo.B. 4.capscursos. Rio de Janeiro. 6 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS BRUNNER. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan. Síndrome de Guillain Barré sob os Cuidados de Enfermagem: artigo de revisão. Tratado de Enfermagem.br>. LEWIS. 2001.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->