Você está na página 1de 2

CULTURA E ESPIRITISMO

DÓXA KAI ALÉTHEIA (OPINIÃO E VERDADE)

João Fernandes da Silva Júnior


joaofdasilvajunior@gmail.com

Embora o título deste artigo possa parecer muito estranho a primeira vista, comentamos
que ele foi a base da Filosofia na Grécia antiga, Dóxa (crença, opinião) provém de
Doken (acreditar), e Alétheia significa verdade.
A verdade está acima – infinitamente acima – de nossas opiniões pessoais, de nossos
conceitos e de nossos preconceitos.
Querer colocar uma opinião como sendo a representação de uma verdade absoluta não
passa de mistificação, de falta de visão, de vontade de ser o dono da verdade. Vivemos
atualmente em um ritmo de incessante progresso intelectual, tecnológico, etc, mas,
simultaneamente, os seres humanos ainda se sentem excluídos, mal compreendidos,
desinformados, e, principalmente, mal amados. Jovens se perdem nos caminhos da vida,
ingressando na dolorosa via que conduz às drogas, à violência, etc.
A Filosofia tem como objetivo buscar as causas das coisas que acontecem, mas a base
da Filosofia é dar respostas para as mais importantes perguntas dos seres humanos, e
uma dessas perguntas – certamente a principal – é: Existe Deus? Imaginar um universo
infinito sem um Criador é algo cabível somente dentro de uma história de ficção
científica. Causas existindo sem um Criador para elas? Enquanto as pessoas não
encontrarem Deus dentro do próprio coração elas buscarão inutilmente o Criador
sentado em um trono flutuante no espaço sideral.
Temos de passar para as gerações mais jovens o estímulo pela leitura, o desejo de
aprender, a vontade de se superar a cada dia, e fazendo isso estaremos cumprindo nosso
papel como pais e pessoas conscientes da importância da educação para os seres
humanos.
As opiniões podem ser – e realmente são – muitas, variadas, e até mesmo, conflitantes,
entretanto, a verdade que está muito acima de nós é a existência de um PAI que nos
ama infinitamente. Não temos de nos sentir sozinhos, desamparados, desiludidos, mal
amados; somos importantes demais para o nosso Criador, somos filhos de Deus, somos
os herdeiros diretos do Universo, e o Cosmos é regido por uma lei justa: a lei do amor.
Abracemos com carinho a tarefa de instruir os nossos jovens, de não permitir que eles
se percam nos descaminhos que conduzem para sofrimentos intensos nas dimensões
inferiores da Espiritualidade. Amemos nossos filhos dando a eles disciplina, carinho,
limites, educação, cultura e Evangelho. As palavras de Jesus são claras para aqueles que
abrem o seu coração para as realidades metafísicas da existência dos espíritos; da
intercomunicação entre os vivos e os “mortos”, da reencarnação, da evolução incessante
rumo ao Pai Maior.
O Supremo Arquiteto do Universo também estruturou para a nossa vida uma série de
benesses, de realizações, de vitórias, de conquistas, etc, temos somente de não perder de
vista que todas essas coisas somente serão obtidas através de nosso suor, de nosso
trabalho, de nossa perseverança no bem. Não é porque somos espíritos imortais que
devamos deixar para o futuro todos os trabalhos que já temos como iniciar na presente
encarnação. Somos os construtores de nosso destino na medida em que fazemos
diariamente opções (certas ou equivocadas). Somos os herdeiros daquilo que deixamos
para nós mesmos no passado e que trouxemos como “bagagem de vida” para o presente.
O prazer de viver livre, sem depender de drogas, de bebidas, etc, é imensamente
superior à qualquer outro, porque assim estamos realizando a vontade de nosso Pai. Ele
quer que sejamos puros e perfeitos, e um dia seremos realmente, mas até lá temos de
nos nortear com as palavras e os exemplos do nosso Mestre Jesus.