Você está na página 1de 178
N N Ú Ú C C L L E E O O T T E
N N Ú Ú C C L L E E O O T T E

NNÚÚCCLLEEOO TTEEMMÁÁTTIICCOO AABBEELLHHAASS NNAATTIIVVAASS SSEEMM FFEERRRRÃÃOO

Sumário Parcial e Índice

EEQQUUIIPPEE TTÉÉCCNNIICCAA RREESSPPOONNSSÁÁVVEELL

XXIIIIII

44 -- NNÚÚCCLLEEOO TTEEMMÁÁTTIICCOO AABBEELLHHAASS NNAATTIIVVAASS SSEEMM FFEERRRRÃÃOO

11

4.1 INTRODUÇÃO GERAL

1

4.1.1

Introdução

1

4.2 DESCRIÇÃO DIÁRIA DAS ATIVIDADES NO PERÍODO

2

4.3 CONSIDERAÇÕES FINAIS

164

ÍNDICE DE GRÁFICOS

GRÁFICO 1 Avaliação em porcentagem de 50 enxames realocados no Parque Ecológico da Klabin

14

GRÁFICO 2 Avaliação em porcentagem de 50 enxames realocados no Setor de Fitoterápicos da Klabin Lagoa

16

GRÁFICO 3 Avaliação em porcentagem de 10 enxames realocados na propriedade de José Valter Pavan

18

GRÁFICO 4 Avaliação em porcentagem de 10 enxames realocados na propriedade de Mário Kossar

19

GRÁFICO 5 Avaliação em porcentagem de 10 enxames realocados na propriedade de Otacílio Timótio

21

GRÁFICO 6 Avaliação em porcentagem de 8 enxames realocados na propriedade de Ana Mozuski Kutz

34

GRÁFICO 7 Avaliação em porcentagem de 6 enxames realocados na propriedade de Leonidas Kutz

35

GRÁFICO 8 – Avaliação em porcentagem de 6 enxames realocados na propriedade de Cleber Marcio
GRÁFICO 8 – Avaliação em porcentagem de 6 enxames realocados na propriedade de Cleber Marcio

GRÁFICO 8 Avaliação em porcentagem de 6 enxames realocados na propriedade de Cleber Marcio Kutz

37

GRÁFICO 9 Avaliação em porcentagem de 6 enxames realocados na propriedade de Henrique Marcio Kutz

38

GRÁFICO 10 Avaliação em porcentagem de 6 enxames realocados na propriedade de Claudemir Pereira de Carvalho

40

GRÁFICO 11 Avaliação em porcentagem de 6 enxames realocados na propriedade de Humberto Godoy Androcioli

41

GRÁFICO 12 Avaliação em porcentagem de 28 enxames (Reserva Apomel) realocados na propriedade de Ana Mozuski Kutz

43

GRÁFICO 13 Avaliação em porcentagem de 6 enxames realocados na propriedade de Pablo Gomes Martinez

44

GRÁFICO 15 Avaliação em porcentagem de 6 enxames realocados na propriedade de Flávio Ferreira de Melo

47

GRÁFICO 16 Avaliação em porcentagem de 6 enxames realocados na propriedade de Jocenei Teles

49

GRÁFICO 17 Avaliação em porcentagem de 6 enxames realocados na propriedade de Osmarina Teles

50

GRÁFICO 18 Avaliação em porcentagem de 6 enxames realocados na propriedade de Orlando Bueno Sutil

52

GRÁFICO 19 Avaliação em porcentagem de 6 enxames realocados na propriedade de Alfredo Pereira de Jesus

53

GRÁFICO 20 Avaliação em porcentagem de 8 enxames realocados na propriedade de Carlos Roberto Franzol

55

GRÁFICO 21 Avaliação em porcentagem de 6 enxames realocados na propriedade de Fernando Carlos Franzol

56

GRÁFICO 22 Avaliação em porcentagem de 6 enxames realocados na propriedade de Elena Baran Taques

58

GRÁFICO 23 Avaliação em porcentagem de 6 enxames realocados na propriedade de João Iraílson Taques

59

GRÁFICO 24 Avaliação em porcentagem de 6 enxames realocados na propriedade de Leandro Taques

61

GRÁFICO 25 Avaliação em porcentagem de 6 enxames realocados na propriedade de Antonio Carlos Socodoliak

62

GRÁFICO 26 – Avaliação em porcentagem de 6 enxames realocados na propriedade de Odair Gonçalves
GRÁFICO 26 – Avaliação em porcentagem de 6 enxames realocados na propriedade de Odair Gonçalves

GRÁFICO 26 Avaliação em porcentagem de 6 enxames realocados na propriedade de Odair Gonçalves da Silva

64

GRÁFICO 27 Avaliação em porcentagem de 6 enxames realocados na propriedade de Adilson Aparecido dos Santos

66

GRÁFICO 28 Avaliação em porcentagem de 42 enxames realocados na Reserva Particular do Patrimônio Natural RPPN Monte Sinai

77

GRÁFICO 29 Avaliação em porcentagem de 6 enxames realocados na propriedade de Leonardo Krominski

78

GRÁFICO 30 Avaliação em porcentagem de 6 enxames realocados na propriedade de Alexandre Roberto da Silva

80

GRÁFICO 31 Avaliação em porcentagem de 8 enxames realocados na propriedade de Joel Scheifer

81

GRÁFICO 32 Avaliação em porcentagem de 6 enxames realocados na propriedade de Sirlene Scheifer

83

GRÁFICO 33 Avaliação em porcentagem de 6 enxames realocados na propriedade de José Pedro Santos

92

GRÁFICO 34 Avaliação em porcentagem de 6 enxames realocados na propriedade de Alcebíades Silva Cruz

94

GRÁFICO 35 Avaliação em porcentagem de 6 enxames realocados na propriedade de Vilson Ortiz

95

GRÁFICO 36 Avaliação em porcentagem de 6 enxames realocados na propriedade de José Luiz dos Santos Neto

97

GRÁFICO 37 Avaliação em porcentagem de 6 enxames realocados na propriedade de Roberto Donizete Bento

98

GRÁFICO 38 Avaliação em porcentagem de 50 enxames realocados na propriedade de Marcelo Barbosa de Melo

101

GRÁFICO 39 Avaliação em porcentagem de 10 enxames realocados na propriedade de Raul Lopes da Silva Filho

103

GRÁFICO 40 Avaliação em porcentagem de 32 enxames realocados na propriedade de Wellinton Lara Gonçalves

105

GRÁFICO 41 Avaliação em porcentagem de 32 enxames realocados na propriedade de Marlon Lara Gonçalves

107

GRÁFICO 42 Avaliação em porcentagem de 32 enxames realocados na propriedade de Luiz Fernando Weslei Pereira

110

GRÁFICO 43 – Avaliação em porcentagem de 50 enxames realocados na propriedade de Eleosdabele de
GRÁFICO 43 – Avaliação em porcentagem de 50 enxames realocados na propriedade de Eleosdabele de

GRÁFICO 43 Avaliação em porcentagem de 50 enxames realocados na propriedade de Eleosdabele de Campos Dutra

126

GRÁFICO 44 Avaliação em porcentagem de 50 enxames realocados na propriedade de Adriano Ferreira de Melo

129

GRÁFICO 45 Avaliação em porcentagem de 50 enxames realocados na propriedade de Valdemir Oliveira de Melo

131

GRÁFICO 46 Avaliação em porcentagem de 50 enxames realocados na propriedade de Leandro da Silva Santos

133

GRÁFICO 47 Avaliação em porcentagem de 50 enxames realocados na propriedade de Mauri Batista Carneiro

151

GRÁFICO 48 Avaliação em porcentagem de 50 enxames realocados na propriedade de Jhulian Scheneider de Miranda

154

GRÁFICO 49 Avaliação em porcentagem de 157 enxames realocados na área do Horto das Caviúnas COPEL

159

ÍNDICE DE FIGURAS

FIGURA 1 - Tentativa de predação por tatu em ninho da espécie Trigona fulviventris

3

FIGURA 2 Detalhe da predação por tatu em ninho da espécie Trigona fulviventris

3

FIGURA 3 - Ataque de tatu evitado devido ao compensado

4

FIGURA 4 Tentativa de predação por tatu em ninho de Cephalotrigona capitata

4

FIGURA 5 Forma de disposição dos troncos com ninhos no Parque Ecológico

7

FIGURA 6 Ninho de tubuna com presença de abelhas sentinelas no tubo de entrada no Parque Ecológico

7

FIGURA 7 Avaliação técnica da sobrevivência e adaptação do ninho de tubuna

8

FIGURA 8 Atividade de manutenção com levantamento de tronco que estava caído no chão

8

FIGURA 9 Tomada das coordenadas geográficas com aparelho de GPS

8

FIGURA 10 Enxame em que foi registrada a presença de abelhas campeiras com resina nas corbículas

9

FIGURA 11 Forma de acondicionamento e avaliação da sobrevivência dos ninhos em campo no meliponário Lagoa

9

FIGURA 12 Forma de acondicionamento de alguns ninhos no meliponário Lagoa

10

FIGURA 13 – Acondicionamento dos troncos com ninhos em pomar de Citrus no meliponário Lagoa
FIGURA 13 – Acondicionamento dos troncos com ninhos em pomar de Citrus no meliponário Lagoa

FIGURA 13 Acondicionamento dos troncos com ninhos em pomar de Citrus no meliponário Lagoa

10

FIGURA 14 Pomar de Citrus onde foram realocadas abelhas nativas no meliponário da Lagoa

10

FIGURA 15 Predação e óbito por tatu no meliponário do José Pavan

11

FIGURA 16 Assistência técnica e avaliação no meliponário do Mário Kossar

11

FIGURA 17 Assistência técnica e avaliação da sobrevivência em propriedade de apicultor Otacílio Timótio

12

FIGURA 18 Astrapeia (Dombeya sp) plantada por Otacílio para fornecimento de alimentação complementar para as abelhas

12

FIGURA 19 Avaliação de enxame de mirim droriana (Plebeia droryana) realocado na propriedade da Ana Kutz

27

FIGURA 20 Enxames de abelhas nativas sem ferrão realocados para reserva “Apomel”

27

FIGURA 21 Enxames acondicionados sobre cavaletes individuais

28

FIGURA 22 Enxame de borá (Tetragona clavipes) realocado na propriedade da Ana Kutz

28

FIGURA 23 Enxames realocados e avaliados na propriedade de Pablo Martinez

28

FIGURA 24 Enxames de abelhas nativas sem ferrão realocados na propriedade de Daniel Cordeiro e acondicionados sobre cavalete coletivo na horta

29

FIGURA 25 Enxame de abelha mirim droriana (Plebeia droryana) em excelentes condições de adaptação ao novo ambiente

29

FIGURA 26 Tubo de entrada de abelha tubuna (Scaptotrigona bipunctata) igualmente bem adaptado

29

FIGURA 27 Apicultora Osmarina Teles em seu meliponário durante assistência técnica

30

FIGURA 28 Apicultor Orlando Bueno Sutil em seu meliponário durante a visita de avaliação e assistência técnica

30

FIGURA 29 Enxame de manduri (Melipona marginata), onde verificou-se a presença de abelha sentinela na entrada do ninho

31

FIGURA 30 Tronco onde foi registrado ataque e óbito por formigas doceiras (Camponotus sp), no meliponário de Elena Baran Taques

32

FIGURA 31 – Assitência técnica e avaliação de sobrevivência dos enxames na propriedade do apicultor
FIGURA 31 – Assitência técnica e avaliação de sobrevivência dos enxames na propriedade do apicultor

FIGURA 31 Assitência técnica e avaliação de sobrevivência dos enxames na propriedade do apicultor Antônio Socodoliak

32

FIGURA 32 Visita técnica no meliponário coletivo instalado na RPPN Monte Sinai, em Mauá da Serra, PR

68

FIGURA 33 Detalhe do mesmo meliponário coletivo na RPPN Monte Sinai

69

FIGURA 34 Ninho de mirim preguiça (Friesella schrottkyi) instalado na RPPN

69

FIGURA 35 Enxame de borá realocado já à um ano na RPPN e que demonstra grande adaptação ao novo local

70

FIGURA 36 Exemplo de cavalete individual no meliponário instalado na RPPN Monte Sinai

70

FIGURA 37 Outro exemplo da forma de acondicionamento em cavalete individual com cobertura de telha, protegendo do excesso de sol e de chuva 70

FIGURA 38 Enxame de tubuna (Scaptotrigona bipunctata), onde tronco foi acondicionado em uma plataforma circular de cimento e pedra evitando contato com umidade do solo

71

FIGURA 39 Enxame de jataí que entrou onde havia anteriormente um enxame de borá

72

FIGURA 40 Avaliação técnica dos enxames realocados na RPPN quanto a sua adaptação e sobrevivência

72

FIGURA 41 Avaliação do meliponário instalado na RPPN Monte Sinai

73

FIGURA 42 Avaliação e assistência técnica das abelhas nativas sem ferrão realocadas na propriedade do apicultor Leonardo Krominski

73

FIGURA 43 Avaliação e assistência técnica das abelhas nativas sem ferrão realocadas na propriedade do apicultor Alexandro Silva

74

FIGURA 44 Meliponário instalado na propriedade do Joel Scheifer em área de plantio de erva-mate (Ilex paraguariensis)

74

FIGURA 45 Enxames realocados em área de pomar em propriedade de produtor Alcebíades Cruz

86

FIGURA 46 Enxames realocados em área de pomar e devidamente instalados em cavaletes individuais erguios no chão e com telhas de proteção contra o excesso de sol e chuva

86

FIGURA 47 – Produtor de mel de Ortigueira acompanha os trabalhos no seu meliponário 87
FIGURA 47 – Produtor de mel de Ortigueira acompanha os trabalhos no seu meliponário 87

FIGURA 47 Produtor de mel de Ortigueira acompanha os trabalhos no seu meliponário

87

FIGURA 48 Enxames realocados em área de horta doméstica atrás da casa e cercada de animais de criação na propriedade do José Neto

87

FIGURA 49 Meliponário localizado em cavalete coletivo no pomar do Roberto Donizete Bento no município de Ortigueira

88

FIGURA 50 Revisão dos enxames realocados nas área do depositário Marcelo Melo

88

FIGURA 51 Enxame realocado em propriedade de depositário Raul Lopes, na varanda da casa

89

FIGURA 52 Troncos com ninhos de abelhas nativas sem ferrão realocados na bordadeira de uma capoeira com boa oferta floral

89

FIGURA 53 Jataí (Tetragonisca angustula) muito bem adaptada em seu novo ambiente

90

FIGURA 54 Enxames de borá (Tetragona clavipes), em que foi registrada a presença de campeiras com pólen nas corbículas

90

FIGURA 55 Enxame de iratim (Lestrimelitta rufipes), que alojou-se em ninho anteriormente habitado por outra espécie

91

FIGURA 56 Enxame realocado em área de floresta secundária e muito bem adaptado

113

FIGURA 57 Entrada de enxame de manduri (Melipona marginata) que foi realocado e apresenta bom desenvolvimento

114

FIGURA 58 Visão geral a capoeira, (formação florestal em estágio intermediário de sucessão) nas proximidades do meliponário do depositário Adriano

114

FIGURA 59 Tronco contendo ninho de abelha nativa sem ferrão fixado em forquilha de árvore aproximando ao máximo do habitat natural da espécie

115

FIGURA 60 Uma visão geral da árvore de manga (Mangifera indica), com troncos fixados nas forquilhas, tentando aproximar ao máximo da condição encontrada na natureza

116

FIGURA 61 Placa com número tombo do enxame em que houve tentativa de predação por pica-pau (Picidae)

116

FIGURA 62 Local do tronco onde houve a tentativa de predação por pica-pau (Picidae)

117

FIGURA 63 Entrada de ninho de tubuna demonstrando excelente adaptação

118

FIGURA 64 – Entrada de ninho de jataí com dois tubos de entrada muito longos
FIGURA 64 – Entrada de ninho de jataí com dois tubos de entrada muito longos

FIGURA 64 Entrada de ninho de jataí com dois tubos de entrada muito longos demonstrando excelente adaptação ao novo local

118

FIGURA 65 Entrada do enxame de jataí com tubo muito longo

119

FIGURA 66 Entrada de um enxame de jataí, também realocado para o mesmo local e demosntrando excelente adaptação

120

FIGURA 67 Avaliação e assistência técnica em área do depositário Valdemir Melo .120

FIGURA 68 Enxames de abelhas nativas sem ferrão realocado em forquilha de árvore onde tentou-se aproximar do habitat em que a espécie ocorre no meio natural

121

FIGURA 69 Entrada do ninho de tubuna onde foi registrada a presença de abelhas campeiras retornando do campo com pólen nas corbículas

122

FIGURA 70 Entrada de mirim droriana (Plebeia droryana), onde foi registrada a presença de sentinelas na entrada do ninho

122

FIGURA 71 Avaliação técnica em meliponário do depositário Leandro

123

FIGURA 72 Enxame onde foi registrada ataque de inimigo natural de abelha iratim (Lestrimelitta rufipes), no meliponário do depositário Leandro Silva

124

FIGURA 73 Avaliação dos ninhos no depositário Mauri Carneiro

136

FIGURA 74 Entrada do enxame de abelha iraí (Nannotrigona testaceicornis) evidenciando grande população interna do ninho

137

FIGURA 75 Tronco anteriormente habitado por borá e que veio a óbito e posteriormente recolonizado por um enxame de jataí no meliponário do depositário Mauri Carneiro

138

FIGURA 76 Detalhe do tronco antes habitado por borá e que foi recolonizado por jataí, pôde-se observar vestígios de cera com resina que antes formava a entrada de borá, e que agora saem os tubos de entrada da jataí

139

FIGURA 77 Entrada de enxame de borá onde foi registrada a presença de muitas abelhas sentinelas na entrada do ninho

140

FIGURA 78 Detalhe de um enxame iratim (Lestrimelitta rufipes)

140

FIGURA 79 Avaliação de sobrevivência e adaptação dos ninhos realocados no meliponário do Horto das Caviúnas

141

FIGURA 80 Entrada do enxame de manduri (Melipona marginata), com presença de abelha sentinela

141

FIGURA 81 – Ninho de iraí ( Nannotrigona testaceicornis), que entrou por enxameamento em tronco
FIGURA 81 – Ninho de iraí ( Nannotrigona testaceicornis), que entrou por enxameamento em tronco

FIGURA 81 Ninho de iraí (Nannotrigona testaceicornis), que entrou por enxameamento em tronco habitado por arapuá branco (Trigona fuscipennis)

142

FIGURA 82 Detalhe da entrada do enxame iraí (Nannotrigona testaceicornis)

142

FIGURA 83 Detalhe da entrada da abelha borá em que foi registrada a presença de entrada de abelhas campeiras com pólen nas corbículas

143

FIGURA 84 Novamente sentinela da abelha mombucão na entrada do enxame

143

FIGURA 85 Detalhe da entrada da abelha mombucão em que foi registrada a presença de abelhas capeiras retornando do campo com o corpo coberto de pólen

144

FIGURA 86 Detalhe da entrada com a abelha mombucão coberta de pólen amarelado

145

FIGURA 87 Mais um detalhe da mesma entrada com a abelha campeira coberta de pólen amarelado

146

FIGURA 88 Detalhe da entrada da abelha iraí com dois tubos de entrada. Somente enxames com muitas abelhas em seu interior precisam de duas entradas

146

FIGURA 89 Enxame de arapuá manso (Trigona fulviventris), que deve ser enterrado, sendo semi-subterrâneos na natureza

147

FIGURA 90 Avaliação da abelha boca de sapo (Partamona helleri) demonstrando excelente adaptação ao novo ambiente

147

FIGURA 91 Outro caso de abelha que possui ninhos externos e que deve ser fixado em forquilhas das árvores situação mais próxima da encontrada naturalmente no ambiente

148

FIGURA 92 Detalhe do enxame de irapuá (Trigona spinipes), que foi fixado na forquilha da árvore. Esta espécie possui ninhos externos fixados nas árvores e sempre a grande altura

149

FIGURA 93 Cavaletes individuais sendo retirados do meliponário do Horto das Caviúnas

160

FIGURA 94 Cavaletes individuais sendo retirados do horto

161

FIGURA 95 Telhas sendo substituídas no CT de Melissofauna

161

FIGURA 96 Organização e limpeza do CT de Melissofauna

162

FIGURA 97 Reorganização de troncos que estavam em local inadequado, pois local estava sendo usado por animais de criação

163

FIGURA 98 – Troncos reorganizados em local mais adequado 163 ÍNDICE DE TABELAS TABELA 1
FIGURA 98 – Troncos reorganizados em local mais adequado 163 ÍNDICE DE TABELAS TABELA 1

FIGURA 98 Troncos reorganizados em local mais adequado

163

ÍNDICE DE TABELAS

TABELA 1 Dados da 1ª Campanha do Monitoramento no Parque Ecológico da Klabin

depositário

TABELA 2 – Dados da 1ª Campanha do Monitoramento no Setor de Fitoterápicos da Klabin

TABELA 2 Dados da 1ª Campanha do Monitoramento no Setor de Fitoterápicos da Klabin (Lagoa) depositário Luiz Vicente Miranda Telêmaco Borba-PR

12

14

TABELA 3 Dados da 1ª Campanha do Monitoramento no apicultor José Valter Pavan

COOCAT-MEL -Telêmaco Borba-PR

17

TABELA 4 Dados da 1ª Campanha do Monitoramento no apicultor e Presidente da

COOCAT-MEL Mário Kossar - Telêmaco Borba-PR

18

TABELA 5 Dados da 1ª Campanha do Monitoramento no apicultor Otacílio da Luz Timótio COOCAT-MEL - Telêmaco Borba-PR

20

TABELA 6 Dados da 1ª Campanha do Monitoramento no apicultora e Presidente Ana

Mozuski Kutz APOMEL - Ortigueira-PR

33

TABELA 7 Dados da 1ª Campanha do Monitoramento no apicultor Leonidas Kutz APOMEL - Ortigueira-PR

34

TABELA 8 Dados da 1ª Campanha do Monitoramento do apicultor Cleber Marcio Kutz

APOMEL -

Ortigueira-PR

TABELA 9 – Dados da 1ª Campanha do Monitoramento do apicultor Henrique Marcio Kutz –
TABELA 9 – Dados da 1ª Campanha do Monitoramento do apicultor Henrique Marcio Kutz –

TABELA 9 Dados da 1ª Campanha do Monitoramento do apicultor Henrique Marcio Kutz APOMEL - Ortigueira-PR

36

37

TABELA 10 Dados da 1ª Campanha do Monitoramento do apicultor Claudemir Pereira

de Carvalho APOMEL - Ortigueira-PR

39

TABELA 11 Dados da 1ª Campanha do Monitoramento do apicultor Humberto Godoy

Androcioli APOMEL - Ortigueira-PR

40

TABELA 12 Dados da 1ª Campanha do Monitoramento na apicultora e Presidente da

APOMEL - Ana Mozuski Kutz Ninhos Reservas - Ortigueira-PR

42

TABELA 13 Dados da 1ª Campanha do Monitoramento do apicultor Pablo Gomes Martinez APOMEL Ortigueira-PR

43

TABELA 14 Dados da 1ª Campanha do Monitoramento do apicultor Daniel Cordeiro

APOMEL - Ortigueira-PR

45

TABELA 15 Dados da 1ª Campanha do Monitoramento do apicultor Flávio Ferreira de

Melo APOMEL - Ortigueira-PR

46

TABELA 16 – Dados da 1ª Campanha do Monitoramento do apicultor Jocenei Teles – APOMEL
TABELA 16 – Dados da 1ª Campanha do Monitoramento do apicultor Jocenei Teles – APOMEL

TABELA 16 Dados da 1ª Campanha do Monitoramento do apicultor Jocenei Teles APOMEL - Ortigueira-PR

TABELA 17 Dados da 1ª Campanha do Monitoramento da apicultora Osmarina Teles

48

APOMEL - Ortigueira-PR

49

TABELA 18 Dados da 1ª Campanha do Monitoramento do apicultor Orlando Bueno

Sutil APOMEL - Ortigueira-PR

50

TABELA 19 Dados da 1ª Campanha do Monitoramento do apicultor Alfredo Pereira de

Jesus APOMEL - Ortigueira-PR

52

TABELA 20 Dados da 1ª Campanha do Monitoramento do apicultor Carlos Roberto Franzol APOMEL - Ortigueira-PR

54

TABELA 21 Dados da 1ª Campanha do Monitoramento do apicultor Fernando Carlos

Franzol APOMEL - Ortigueira-PR

55

TABELA 22 Dados da 1ª Campanha do Monitoramento do apicultor Elena Aparecida

Baran Taques APOMEL - Ortigueira-PR

57

TABELA 23 Dados da 1ª Campanha do Monitoramento do apicultor João Iraílson Taques APOMEL - Ortigueira-PR

58

TABELA 24 Dados da 1ª Campanha do Monitoramento do apicultor Leandro Taques

APOMEL - Ortigueira-PR

60

TABELA 25 Dados da 1ª Campanha do Monitoramento do apicultor Antonio Carlos Socodoliak APOMEL - Ortigueira-PR

61

TABELA 26 Dados da 1ª Campanha do Monitoramento do apicultor Odair Gonçalves

da Silva APOMEL - Ortigueira-PR

62

TABELA 28 Dados da 1ª Campanha do Monitoramento da Reserva Particular do Patrimônio Natural-RPPN Monte Sinai depositário Willian Cunha Mauá da Serra-PR

75

TABELA 29 Dados da 1ª Campanha do Monitoramento do apicultor Leonardo Krominski APOMEL - Ortigueira-PR

77

TABELA 30 Dados da 1ª Campanha do Monitoramento do apicultor Alexandro Roberto

da Silva APOMEL - Ortigueira-PR

78

TABELA 31 Dados da 1ª Campanha do Monitoramento do apicultor Joel Scheifer APOMEL - Ortigueira-PR

80

TABELA 32 Dados da 1ª Campanha do Monitoramento da apicultora Sirlene Scheifer

APOMEL - Ortigueira-PR

82

TABELA 33 – Dados da 1ª Campanha do Monitoramento do apicultor José Pedro dos Santos
TABELA 33 – Dados da 1ª Campanha do Monitoramento do apicultor José Pedro dos Santos

TABELA 33 Dados da 1ª Campanha do Monitoramento do apicultor José Pedro dos Santos APOMEL - Ortigueira-PR

TABELA 34 Dados da 1ª Campanha do Monitoramento do apicultor Alcebíades Silva

91

Cruz

APOMEL - Ortigueira-PR

TABELA 35 – Dados da 1ª Campanha do Monitoramento do apicultor Vilson José Batista Ortiz

TABELA 35 Dados da 1ª Campanha do Monitoramento do apicultor Vilson José Batista Ortiz APOMEL - Ortigueira-PR TABELA 36 Dados da 1ª Campanha do Monitoramento do apicultor José Luiz dos Santos Neto APOMEL - Ortigueira-PR

36 – Dados da 1ª Campanha do Monitoramento do apicultor José Luiz dos Santos Neto –

92

94

96

TABELA 37 Dados da 1ª Campanha do Monitoramento do apicultor Roberto Donizete

Bento APOMEL - Ortigueira-PR

97

TABELA 38 Dados da 1ª Campanha do Monitoramento do depositário Marcelo

Barbosa de Melo

Sapé-Ortigueira-PR

99

TABELA 39 Dados da 1ª Campanha do Monitoramento do depositário Raul Lopes da

Silva

Filho Natingui-Ortigueira-PR

101

TABELA 40 Dados da 1ª Campanha do Monitoramento do depositário Wellinton Lara

Gonçalves Natingui-Ortigueira-PR

103

TABELA 41 Dados da 1ª Campanha do Monitoramento do depositário Marlon Lara Gonçalves Natingui-Ortigueira-PR

105

TABELA 42 Dados da 1ª Campanha do Monitoramento do depositário Luiz Fernando

107

TABELA 43 Dados da 1ª Campanha do Monitoramento do depositário Eleosdabele de

125

TABELA 44 Dados da 1ª Campanha do Monitoramento do depositário Adriano Ferreira

Weslei Pereira Natingui-Ortigueira-PR

Campos Dutra Sapé-Ortigueira-PR

de Melo Sapé-Ortigueira-PR TABELA 45 Dados da 1ª Campanha do Monitoramento do depositário Valdemir

127

Oliveira de Melo Palmital-Ortigueira-PR TABELA 46 Dados da 1ª Campanha do Monitoramento do depositário Leandro da

129

Silva

Santos Palmital-Ortigueira-PR

132

TABELA 47 Dados da 1ª Campanha do Monitoramento do depositário Mauri Batista

Carneiro Sapé-Ortigueira-PR

149

TABELA 48 Dados da 1ª Campanha do Monitoramento do depositário Jhulian Scheneider de Miranda Sapé-Ortigueira-PR

151

TABELA 49 Dados da 1ª Campanha do Monitoramento no Horto das Caviúnas- Ortigueira-PR

154

E E Q Q U U I I P P E E T T É
E E Q Q U U I I P P E E T T É

EEQQUUIIPPEE TTÉÉCCNNIICCAA RREESSPPOONNSSÁÁVVEELL

GRADUADOS

Especialista

Diego Nunes - Engenheiro Florestal

Tatiana de Mello Damasco - Técnica em Meio Ambiente

AUXILIARES

Aux. Monitoramento 1 Jhulian Scheneider Miranda

Aux. Monitoramento 2 - Paulinho Lemes Domingues

1 4 - NÚCLEO TEMÁTICO ABELHAS NATIVAS SEM FERRÃO 4.1 INTRODUÇÃO GERAL O presente relatório
1 4 - NÚCLEO TEMÁTICO ABELHAS NATIVAS SEM FERRÃO 4.1 INTRODUÇÃO GERAL O presente relatório

1

4 - NÚCLEO TEMÁTICO ABELHAS NATIVAS SEM FERRÃO

4.1 INTRODUÇÃO GERAL

O presente relatório contém os resultados da 1ª Campanha do Monitoramento

dos enxames resgatados e realocados durante o resgate de melissofauna ocorrido na fase de supressão vegetacional da UHE-Mauá.

Procedeu-se a avaliação da sobrevivência dos enxames de abelhas nativas sem ferrão e efetivou-se a assistência técnica aos receptores destes enxames, os quais encontram-se depositados junto aos apicultores, depositários ou instituições que receberam esse material e devidamente listados nas licenças do IBAMA/NUFAU/SUPES/PR.

A avaliação de sobrevivência e monitoramento contempla ainda os enxames

que foram mantidos no Centro de Triagem de Melissofauna e Meliponário Intermediário,

ambos localizados próximo ao Horto das Caviúnas, município de Ortigueira.

4.1.1 Introdução

Será apresentado a seguir o resultado da avaliação de sobrevivência e da assistência técnica que foram realizados nesta primera campanha do monitoramento, os quais estão previstos no Termo de Referência do resgate de melissofauna.

O monitoramento previsto inicialmente pela contratante tem como objetivo principal avaliar, registrar e comparar o desenvolvimento biológico e a adaptação dos enxames após a sua realocação e correta destinação, além dar assistência técnica aos receptores dos enxames, possibilitando ao término das campanhas, determinar a taxa de sobrevivência dos enxames de abelhas nativas sem ferrão após um ano de sua realocação.

Os parâmetros avaliados foram:

Nos troncos: presença ou ausência da atividade de abelhas campeiras e sentinelas ao redor da entrada, a quantidade de abelhas campeiras e sentinelas ao redor da entrada, presença ou ausência de entrada com pólen ou resinas

2 (própolis) na corbícula, condição/conservação do tronco, presença ou ausência de inimigos naturais e efetuando
2 (própolis) na corbícula, condição/conservação do tronco, presença ou ausência de inimigos naturais e efetuando

2

(própolis) na corbícula, condição/conservação do tronco, presença ou ausência de inimigos naturais e efetuando o seu controle se constatado.

Nas caixas racionais: além destes observados nos troncos também serão regitrados apectos do interior dos ninhos, tais como estoque de pólen, estoque de mel, estoque de própolis, quantidade de postura, números de favo de cria, presença ou ausência de rainha poedeira, idade da rainha poedeira, presença ou ausência de invólucro. Todos os ninhos mantidos em caixas racionais serão registrados fotograficamente por dentro, em cada campanha, para posterior comparação dos resultados. Todos os dados serão registrados em planilhas e receberão tratamento de forma que possam gerar artigos científicos.

Quanto as condições do local e zelo na manutenção dos enxames:

comprometimento dos receptores, conservação dos troncos e caixas racionais. Aplicação das orientações e do treinamento realizado antes do recebimento dos enxames.

4.2 DESCRIÇÃO DIÁRIA DAS ATIVIDADES NO PERÍODO

Dia 11-02 segunda-feira

Chegada no canteiro de obras da UHE Mauá, recebimento dos materiais e equipamentos para o início das atividades do monitoramento, que foi realizado no período da tarde, com uma visita técnica no CT de Melissofauna e no meliponário intermediário do Horto das Caviúnas, onde ficaram 157 ninhos em troncos e um em caixa racional, ao chegarmos no local, constatou-se que alguns ninhos estavam com características que evidenciavam que os mesmos haviam sofrido várias tentativas de ataque de predação natural, aparentemente de tatu, que foram impedidas preventivamente pela colocação chapas de compensado que foram pregados em suas bases (Figuras 1, 2, 3 e 4), sendo que um enxame de mombucão foi levado a óbito devido a predação do mesmo e outros vários ninhos com telhas quebradas e troncos caídos, verificou-se também neste dia que todo final de tarde as vacas que são de propriedade vizinha ao Horto, vão no CT de Melissofauna e passam a noite no local, com isso vimos que teríamos que colocar os troncos em local que evitasse que os animais os derrubassem, houve um planejamento

3 para a segunda-feira dia 18/06/2012, onde dois auxiliares nos foram disponibilizados para realizar o
3 para a segunda-feira dia 18/06/2012, onde dois auxiliares nos foram disponibilizados para realizar o

3

para a segunda-feira dia 18/06/2012, onde dois auxiliares nos foram disponibilizados para realizar o manejo dos troncos.

FIGURA 1 - Tentativa de predação por tatu em ninho da espécie Trigona fulviventris

por tatu em ninho da espécie Trigona fulviventris FIGURA 2 – Detalhe da predação por tatu

FIGURA 2 Detalhe da predação por tatu em ninho da espécie Trigona fulviventris

da espécie Trigona fulviventris FIGURA 2 – Detalhe da predação por tatu em ninho da espécie
4 FIGURA 3 - Ataque de tatu evitado devido ao compensado FIGURA 4 – Tentativa
4 FIGURA 3 - Ataque de tatu evitado devido ao compensado FIGURA 4 – Tentativa

4

FIGURA 3 - Ataque de tatu evitado devido ao compensado

4 FIGURA 3 - Ataque de tatu evitado devido ao compensado FIGURA 4 – Tentativa de

FIGURA 4 Tentativa de predação por tatu em ninho de Cephalotrigona capitata

de predação por tatu em ninho de Cephalotrigona capitata Dia 12-06 – terça-feira Neste dia iniciaram-se

Dia 12-06 terça-feira

Neste dia iniciaram-se as atividades de monitoramento no município de Telêmaco Borba-PR, a primeira visita técnica ocorreu no Parque Ecológico da Klabin, onde foram revisados 50 enxames de abelhas nativas sem ferrão. O meliponário da Klabin está em bom estado de conservação, tendo-se em vista, que o objetivo do mesmo é a reintrodução na natureza dos enxames resgatados (Figura 5). Foram avaliados e coletados dados em ficha de campo elaborada para registro de todos os enxames monitorados (Tabela 1), sendo que não foi constatado nenhum óbito e as abelhas apresentaram uma boa recuperação e

5 adaptação ao novo local ( Gráfico 1 ), foi realizada também manutenção em troncos
5 adaptação ao novo local ( Gráfico 1 ), foi realizada também manutenção em troncos

5

adaptação ao novo local (Gráfico 1), foi realizada também manutenção em troncos caídos (Figuras 6, 7, 8 e 9). Constatou-se que o local está bastante sombreado e úmido, por conta da alta densidade das árvores da capoeira (fase intermediária de sucessão), no entanto nada será feito ou proposto a respeito por tratar-se de um parque ecológico, onde um raleamento das árvores causaria um impacto negativo no ambiente e por que, como já foi dito acima, o objetivo deste meliponário é o de reintrodução das abelhas na natureza, seja qual for a situação local, e avaliar a viabilidade da metodologia.

Em seguida deslocou-se para o meliponário no Setor de Fitoterápicos da Klabin (Lagoa) onde foram avaliados e revisados também 50 enxames (Tabela 2). Os enxames realocados para o meliponário situado na Lagoa também apresentaram um bom estado de conservação dos enxames e uma boa adaptação das mesmas as novas condições locais, apresentando inclusive abelhas da espécie borá (Tetragona clavipes) e mirim droriana (Plebeia droriana) entrando no ninho com resina (própolis) nas patas traseiras (Figura 10). Alguns enxames ficaram acondicionados em local coberto sendo colocado em cavaletes coletivos bem protegidos da ação do sol e chuva (Figuras 11 e 12) e outros realocados em pomar de Citrus (Figuras 13 e 14). Dos 50 enxames avaliados (Gráfico 2) 58% foram visualizadas com abelhas sentinelas na entrada, 22% ausência de sentinelas ou ruídos, 18% presença de ruídos internos e 2% de óbito e pelo que foi observado e constatado no local, apresentou um ataque do predador natural tatu (família Dasipodidae).

Início do monitoramento dos enxames que foram cedidos aos apicultores da Cooperativa de Apicultores e Meliponicultores Caminhos do Tibagi COOCAT-MEL, com o início das atividades no apicultor José Valter Pavan, no local próximo a área da Klabin (Lagoa), onde foram revisados 10 enxames realocados (Tabela 3), onde constatou-se que 4 deles foram a óbito, pois haviam sofrido ataque de tatu (Figura 15). O meliponário do apicultor José Pavan está em local ermo, desabitado e ao que tudo indica sem manutenção, no local foi constatado o ataque de tatu causando a morte de quatro ninhos de um total de dez realocados (Gráfico 3). A situação do meliponário é preocupante, apesar de o local ser bem arborizado e apresentar plenas condições de alimentação para as

6 abelhas, procurou-se contactar o apicultor que não foi localizado, para que se pudesse comunicá-lo
6 abelhas, procurou-se contactar o apicultor que não foi localizado, para que se pudesse comunicá-lo

6

abelhas, procurou-se contactar o apicultor que não foi localizado, para que se pudesse comunicá-lo da situação e orientá-lo quanto a medida de controle adequada.

Visita a propriedade do Presidente da COOCAT - Mário Kossar, Centro, onde foram revisados os 10 enxames realocados (Tabela 4). O meliponário do produtor Mário Kossar (Figura 16), mesmo estando localizado em uma área urbana, apresentou uma boa adaptação por parte das abelhas a este novo local e as suas condições de oferta floral. Dos 10 enxames avaliados em todos foram visualizadas abelhas sentinelas ou ruídos internos (Gráfico 4), e todos os ninhos apresentavam boas condições de conservação e acondicionamento, com cobertura de telhas e bem alocados.

Visita no propriedade do apicultor Otacílio Timótio, Jardim Vila Rosa, também revisados os 10 enxames (Tabela 5). O apicultor Otacílio Timótio possui uma ótima área bem próximo ao rio Tibagi, com bastante vegetação natural e além disso o mesmo realiza plantios de espécies melíferas, como a atrapéia (Dombeya sp) em sua propriedade com o único objetivo de alimentar suas abelhas (Figuras 17 e 18), é mesmo um exemplo de cuidado e dedicação. Dos 10 enxames avaliados todos foram visualizadas com abelhas sentinelas ou ruídos internos. Como refexo natural desta dedicação as abelhas que estão sob sua responsabilidade estão muito bem, trabalhando muito, chegando com bastante pólen e muitas abelhas sentinelas nas entradas dos ninhos (Gráfico 5).

Visita na propriedade do Célio Brandão, Distrito Industrial, o Mário Kossar representante da COOCAT, nos informou que o Célio Brandão estava ausente devido ao trabalho, e que os enxames haviam sido realocados para outra área no município de Tibagi, de propriedade do Sr. João outro asssociado da cooperativa, mas que não recebeu nenhum enxame oriundo do resgate,então houve contato com o Sr. João, que nos informou, que por conta própria, o apicultor Célio Brandão levou 6 dos 10 enxames para a cidade de Tibagi, todos os apicultores foram orientados a não levarem estes enxames para outros lugares, se não fosse em áreas dos municípios impactados pelo empreendimento, pelo período em que fosse realizado o presente monitoramento. Durante contato com o mesmo foi pedido para que o apicultor trouxesse os ninhos de volta, para que na próxima

7 campanha do monitoramento, possam ser reavaliados, e que se tal determinação não fosse realizada,
7 campanha do monitoramento, possam ser reavaliados, e que se tal determinação não fosse realizada,

7

campanha do monitoramento, possam ser reavaliados, e que se tal determinação não fosse realizada, poderíamos requisitar os demais enxames sob sua responsabilidade. Deslocamento para o município de Ortigueira-PR.

FIGURA 5 Forma de disposição dos troncos com ninhos no Parque Ecológico

de disposição dos troncos com ninhos no Parque Ecológico FIGURA 6 – Ninho de tubuna com

FIGURA 6 Ninho de tubuna com presença de abelhas sentinelas no tubo de entrada no Parque Ecológico

Ecológico FIGURA 6 – Ninho de tubuna com presença de abelhas sentinelas no tubo de entrada
8 FIGURA 7 – Avaliação técnica da sobrevivência e adaptação do ninho de tubuna FIGURA
8 FIGURA 7 – Avaliação técnica da sobrevivência e adaptação do ninho de tubuna FIGURA

8

FIGURA 7 Avaliação técnica da sobrevivência e adaptação do ninho de tubuna

técnica da sobrevivência e adaptação do ninho de tubuna FIGURA 8 – Atividade de manutenção com

FIGURA 8 Atividade de manutenção com levantamento de tronco que estava caído no chão

com levantamento de tronco que estava caído no chão FIGURA 9 – Tomada das coordenadas geográficas

FIGURA 9 Tomada das coordenadas geográficas com aparelho de GPS

levantamento de tronco que estava caído no chão FIGURA 9 – Tomada das coordenadas geográficas com
9 FIGURA 10 – Enxame em que foi registrada a presença de abelhas campeiras com
9 FIGURA 10 – Enxame em que foi registrada a presença de abelhas campeiras com

9

FIGURA 10 Enxame em que foi registrada a presença de abelhas campeiras com resina nas corbículas

a presença de abelhas campeiras com resina nas corbículas FIGURA 11 – Forma de acondicionamento e

FIGURA 11 Forma de acondicionamento e avaliação da sobrevivência dos ninhos em campo no meliponário Lagoa

FIGURA 11 – Forma de acondicionamento e avaliação da sobrevivência dos ninhos em campo no meliponário
10 FIGURA 12 – Forma de acondicionamento de alguns ninhos no meliponário Lagoa FIGURA 13
10 FIGURA 12 – Forma de acondicionamento de alguns ninhos no meliponário Lagoa FIGURA 13

10

FIGURA 12 Forma de acondicionamento de alguns ninhos no meliponário Lagoa

de acondicionamento de alguns ninhos no meliponário Lagoa FIGURA 13 – Acondicionamento dos troncos com ninhos

FIGURA 13 Acondicionamento dos troncos com ninhos em pomar de Citrus no meliponário Lagoa

com ninhos em pomar de Citrus no meliponário Lagoa FIGURA 14 – Pomar de Citrus onde

FIGURA 14 Pomar de Citrus onde foram realocadas abelhas nativas no meliponário da Lagoa

no meliponário Lagoa FIGURA 14 – Pomar de Citrus onde foram realocadas abelhas nativas no meliponário
11 FIGURA 15 – Predação e óbito por tatu no meliponário do José Pavan FIGURA
11 FIGURA 15 – Predação e óbito por tatu no meliponário do José Pavan FIGURA

11

FIGURA 15 Predação e óbito por tatu no meliponário do José Pavan

Predação e óbito por tatu no meliponário do José Pavan FIGURA 16 – Assistência técnica e

FIGURA 16 Assistência técnica e avaliação no meliponário do Mário Kossar

tatu no meliponário do José Pavan FIGURA 16 – Assistência técnica e avaliação no meliponário do
12 FIGURA 17 – Assistência técnica e avaliação da sobrevivência em propriedade de apicultor Otacílio
12 FIGURA 17 – Assistência técnica e avaliação da sobrevivência em propriedade de apicultor Otacílio

12

FIGURA 17 Assistência técnica e avaliação da sobrevivência em propriedade de apicultor Otacílio Timótio

em propriedade de apicultor Otacílio Timótio FIGURA 18 – Astrapeia ( Dombeya sp ) plantada por

FIGURA 18 Astrapeia (Dombeya sp) plantada por Otacílio para fornecimento de alimentação

complementar para as abelhas

fornecimento de alimentação complementar para as abelhas TABELA 1 – Dados da 1ª Campanha do Monitoramento

TABELA 1 Dados da 1ª Campanha do Monitoramento no Parque Ecológico da Klabin depositário Sérgio Adão Filipaki Telêmaco Borba-PR

Nº T

Espécie de abelha

Forma

P/A

P/A

Q A

P/A

C T

P/AI

M

Acond

C S

R

S

E

P

N C

R

B

110

Mirim preguiça (Friesella schrottkyi)

Tronco

A

A

0

 

A OK

A N

 

170

Borá (Tetragona clavipes)

Tronco

A

P

0

 

A OK

A N

 

190

Mirim preguiça (Friesella schrottkyi)

Tronco

A

P

0

 

A OK

A N

 

193

Manduri (Melipona marginata)

Tronco

A

P

0

 

A OK

A N

 

326

Borá (Tetragona clavipes)

Tronco

A

P

0

 

A OK

A N

 

396

Borá (Tetragona clavipes)

Tronco

P

P

20

 

A OK

A N

 

401

Borá (Tetragona clavipes)

Tronco

A

P

0

 

A OK

A N

 
13 422 Manduri ( Melipona marginata ) Tronco A P 0 A OK A N
13 422 Manduri ( Melipona marginata ) Tronco A P 0 A OK A N

13

422

Manduri (Melipona marginata)

Tronco

A

P

0

A OK

A N

486

Iraí (Nannotrigona testaceicornis)

Tronco

A

P

0

A OK

A N

613

Borá (Tetragona clavipes)

Tronco

P

P

10

A OK

A N

677

Manduri (Melipona marginata)

Tronco

P

P

1

A OK

A N

787

Jataí (Tetragonisca angustula)

Tronco

A

P

0

A OK

A N

805

Mirim guaçu (Plebeia remota)

Tronco

A

P

0

A OK

A N

811

Mombucão (Cephalotrigona capitata)

Tronco

A

P

0

A OK

A N

891

Borá (Tetragona clavipes)

Tronco

P

P

10

A OK

A N

978

Mirim guaçu (Plebeia remota)

Tronco

A

P

0

A OK

A N

1055

Mirim droriana (Plebeia droryana)

Tronco

A

A

0

A OK

A N

1063

Tubuna (Scaptotrigona bipunctata)

Tronco

P

P

20

A OK

A N

1068

Borá (Tetragona clavipes)

Tronco

P

P

20

A OK

A N

1125

Jataí (Tetragonisca angustula)

Tronco

A

A

0

A OK

A N

1130

Mirim droriana (Plebeia droryana)

Tronco

A

A

0

A OK

A N

1131

Tubuna (Scaptotrigona bipunctata)

Tronco

P

P

5

A OK

A N

1132

Mirim guaçu (Plebeia remota)

Tronco

A

P

0

A OK

A N

1134

Borá (Tetragona clavipes)

Tronco

P

P

8

A OK

A N

1154

Tubuna (Scaptotrigona bipunctata)

Tronco

A

P

0

A OK

A N

1167

Borá (Tetragona clavipes)

Tronco

A

P

0

A OK

A N

1183

Mirim droriana (Plebeia droryana)

Tronco

A

P

0

A OK

A N

1185

Mirim droriana (Plebeia droryana)

Tronco

A

P

0

A OK

A N

1188

Mirim droriana (Plebeia droryana)

Tronco

A

P

0

A OK

A N

1196

Manduri (Melipona marginata)

Tronco

A

P

0

A OK

A N

1201

Mirim droriana (Plebeia droryana)

Tronco

P

P

1

A OK

A N

1210

Borá (Tetragona clavipes)

Tronco

A

A

0

A OK

A N

1213

Mirim droriana (Plebeia droryana)

Tronco

A

A

0

A OK

A N

1216

Mirim droriana (Plebeia droryana)

Tronco

A

P

0

A OK

A N

1232

Mirim guaçu (Plebeia remota)

Tronco

A

A

0

A OK

A N

1238

Mirim droriana (Plebeia droryana)

Tronco

A

P

0

A OK

A N

1239

Mirim droriana (Plebeia droryana)

Tronco

A

P

0

A OK

A N

1247

Mirim droriana (Plebeia droryana)

Tronco

A

A

0

A OK

A N

1250

Tubuna (Scaptotrigona bipunctata)

Tronco

P

P

15

A OK

A N

1258

Jataí (Tetragonisca angustula)

Tronco

A

P

0

A OK

A N

1268

Mirim droriana (Plebeia droryana)

Tronco

A

A

0

A OK

A N

1270

Tubuna (Scaptotrigona bipunctata)

Tronco

P

P

20

A OK

A N

1282

Mirim droriana (Plebeia droryana)

Tronco

A

P

0

A OK

A N

1299

Mombucão (Cephalotrigona capitata)

Tronco

P

P

1

A OK

A N

1300

Mirim droriana (Plebeia droryana)

Tronco

A

P

0

A OK

A N

1301

Jataí (Tetragonisca angustula)

Tronco

A

P

0

A OK

A N

1302

Mirim preguiça (Friesella schrottkyi)

Tronco

A

A

0

A OK

A N

1303

Mirim droriana (Plebeia droryana)

Tronco

P

P

3

A OK

A N

1304

Mirim droriana (Plebeia droryana)

Tronco

P

P

1

A OK

A N

1305

Jataí (Tetragonisca angustula)

Tronco

A

P

0

A OK

A N

Legenda da Tabela:

Nº T Número Tombo Espécie de abelha Forma Acond Forma de acondionamento

14 P/A C S – Presença ou Ausência de abelhas sentinelas ou campeiras P/A R
14 P/A C S – Presença ou Ausência de abelhas sentinelas ou campeiras P/A R

14

P/A

C S Presença ou Ausência de abelhas sentinelas ou campeiras

P/A

R Presença ou Ausência de ruídos internos

Q C S Quantidade de abelhas sentinelas

P/A E P R B Presença ou ausência da entrada de pólen, resinas e barro

CT Condição do tronco

P/AI Presença ou ausência de inimigos naturais

MC Medida de controle

GRÁFICO 1 Avaliação em porcentagem de 50 enxames realocados no Parque Ecológico da Klabin

de 50 enxames realocados no Parque Ecológico da Klabin O gráfico acima demonstra que no Parque

O gráfico acima demonstra que no Parque Ecológico da Klabin foi constatada a presença de

ruídos internos em 52% dos enxames avaliados, foi constatada a visualização de abelhas

sentinelas na entrada dos ninhos em 28% dos ninhos avaliados e a ausência de sentinelas ou

ruídos internos em 20% dos enxame avaliados e não foi evidenciado nenhum óbito.

TABELA 2 Dados da 1ª Campanha do Monitoramento no Setor de Fitoterápicos da Klabin (Lagoa) depositário Luiz Vicente Miranda Telêmaco Borba-PR

Nº T

Espécie de abelha

Forma

P/A

P/A

Q A

P/A

C T

P/AI

M

15     Acond C S R S E P   N C R B
15     Acond C S R S E P   N C R B

15

   

Acond

C S

R

S

E

P

 

N

C

R

B

362

Iraí (Nannotrigona testaceicornis)

Tronco

P

P

2

A

OK

A

N

397

Borá (Tetragona clavipes)

Tronco

P

P

18

P/R

OK

A

N

436

Mirim preguiça (Friesella schrottkyi)

Tronco

A

A

0

 

OK

A A

 

N

440

Manduri (Melipona marginata)

Tronco

A

P

0

 

OK

A A

 

N

471

Mirim guaçu (Plebeia remota)

Tronco

P

P

1

 

OK

A A

 

N

510

Manduri (Melipona marginata)

Tronco

A

P

0

 

OK

A A

 

N

665

Mombucão (Cephalotrigona capitata)

Tronco

P

P

1

 

OK

A A

 

N

743

Tubuna (Scaptotrigona bipunctata)

Tronco

P

P

15

 

OK

A A

 

N

832

Borá (Tetragona clavipes)

Tronco

P

P

20

 

OK

A A

 

N

957

Mombucão (Cephalotrigona capitata)

Tronco

A

P

0

 

OK

A A

 

N

1000

Mirim droriana (Plebeia droryana)

Tronco

A

A

0

 

OK

A A

 

N

1003

Borá (Tetragona clavipes)

Tronco

P

P

20

 

OK

A A

 

N

1010

Mirim guaçu (Plebeia remota)

Tronco

P

P

2

 

OK

A A

 

N

1012

Mirim guaçu (Plebeia remota)

Tronco

P

P

1

 

OK

A A

 

N

1035

Mirim guaçu (Plebeia remota)

Tronco

P

P

4

 

OK

A A

 

N

1049

Mirim guaçu (Plebeia remota)

Tronco

A

A

0

 

OK

A A

 

N

1085

Jataí (Tetragonisca angustula)

Tronco

P

P

3

 

OK

A A

 

N

1106

Mirim droriana (Plebeia droryana)

Tronco

P

P

1

 

OK

A A

 

N

1107

Mirim droriana (Plebeia droryana)

Tronco

P

P

1

 

OK

A A

 

N

1144

Mirim droriana (Plebeia droryana)

Tronco

P

P

1

 

OK

A A

 

N

1156

Tubuna (Scaptotrigona bipunctata)

Tronco

P

P

20

 

OK

A A

 

N

1157

Borá (Tetragona clavipes)

Tronco

P

P

10

 

OK

A A

 

N

1165

Mirim droriana (Plebeia droryana)

Tronco

P

P

2

 

OK

A A

 

N

1173

Jataí (Tetragonisca angustula)

Tronco

Óbito por ataque de tatu

P

N

1175

Mirim droriana (Plebeia droryana)

Tronco

A

A

0

 

A OK

A

N

1176

Manduri (Melipona marginata)

Tronco

A

A

0

 

A OK

A

N

1190

Mirim preguiça (Friesella schrottkyi)

Tronco

A

A

0

 

A OK

A

N

1191

Mirim preguiça (Friesella schrottkyi)

Tronco

A

A

0

 

A OK

A

N

1192

Manduri (Melipona marginata)

Tronco

A

P

0

 

A OK

A

N

1209

Tubuna (Scaptotrigona bipunctata)

Tronco

P

P

12

 

A OK

A

N

1221

Tubuna (Scaptotrigona bipunctata)

Tronco

P

P

15

 

A OK

A

N

1224

Manduri (Melipona marginata)

Tronco

A

P

0

 

A OK

A

N

1233

Mirim droriana (Plebeia droryana)

Tronco

P

P

1

 

A OK

A

N

1240

Manduri (Melipona marginata)

Tronco

A

P

0

 

A OK

A

N

1241

Mirim droriana (Plebeia droryana)

Tronco

A

A

0

 

A OK

A

N

1242

Mirim droriana (Plebeia droryana)

Tronco

P

P

1

 

A OK

A

N

1261

Mirim droriana (Plebeia droryana)

Tronco

A

P

0

 

A OK

A

N

1262

Mirim guaçu (Plebeia remota)

Tronco

A

P

0

 

A OK

A

N

1275

Mirim droriana (Plebeia droryana)

Tronco

A

A

0

 

A OK

A

N

1284

Mirim droriana (Plebeia droryana)

Tronco

P

P

4

 

A OK

A

N

1308

Jataí (Tetragonisca angustula)

Tronco

A

A

0

 

A OK

A

N

1309

Mirim droriana (Plebeia droryana)

Tronco

P

P

1

 

A OK

A

N

1310

Mirim droriana (Plebeia droryana)

Tronco

P

P

2

 

A OK

A

N

1311

Mirim droriana (Plebeia droryana)

Tronco

A

A

0

 

A OK

A

N

1312

Iraí (Nannotrigona testaceicornis)

Tronco

A

P

0

 

A OK

A

N

1313

Manduri (Melipona marginata)

Tronco

P

P

1

 

A OK

A

N

16 1314 Jataí ( Tetragonisca angustula ) Tronco P P 1   A OK A
16 1314 Jataí ( Tetragonisca angustula ) Tronco P P 1   A OK A

16

1314

Jataí (Tetragonisca angustula)

Tronco

P

P

1

 

A OK

A

N

1316

Mirim droriana (Plebeia droryana)

Tronco

P

P

2

 

A OK

A

N

1317

Borá (Tetragona clavipes)