Você está na página 1de 1

Antibitico profiltico: usa-se para prevenir a infeco de um agente conhecido ou

suspeito. de dose nica, at 24h ou de 24 a 48h


Infeco ps-operatria: depende da quantidade e tipo de contsaminao, tcnica
cirrgica e anestsica, resistncia do hospedeiro e virulncia do agente.
Alto risco de contaminao bacteriana: cirurgias gastro-intestinal, genito-urinrio e
respiratrio.
Baixo risco de contaminao mas h risco de infeco: amputao e uso de prtese.
Baixo risco de contaminao mas o hospedeiro imunossuprimino: transplante, radio e
quimioterapia.
Quando prescrever: operaes limpa ou potencialmente contaminada, ou seja, risco de
at 5%. Prescrever para pacientes acima de 70 anos, desnutridos, imunodeprimidos,
urgncias, prteses, cirurgia cardaca e neurolgica.
Em operaes contaminadas, com risco de 10%, prescrever o antibitico pra todos os
casos, menos em operaes proctolgicas orificiais e operaes eletivas do estmago.
Fatores que devem influenciar a escolha do antibitico: espectro (para a flora
bacteriana local), toxicidade, risco de alterar a flora bacteriana (evitar antibitico de
ultima gerao), farmacocintica (meia-vida), durao (influencia na meia vida saber
quanto tempo e os picos do antibitico), custo.
Fatores sistmicos que aumentam o risco de infeco: diabetes, uso de corticoide,
obesidade, extremos de idade, desnutrio (obesidade no exclui desnutrio!), outra
operao recente, transfuso, trs ou mais diagnsticos clnicos, ASA 3, 4 ou 5
Fatores locais que aumentam o risco de infeco: corpo estranho (prtese),
eletrocoagulao, injees com adrenalina, drenos cirrgicos, tricotomia com lmina de
barbear, irradiao local prvia.
Quando o processo infeccioso j est estabelecido, o antibitico curativo. Ele
emprico ou baseado no antibiograma. Pode ser de curta ou longa durao.
Manuseio da infeco intra-abdonminal: precisa ser um processo agreciso, preciso e
rpido. 75% dos casos o diagnstico clnico. Manuseio focado no controle do foco
infeccioso e da doena de base. Envolve suporte hemodinmico, imunolgico,
nutricional e metablico, e fazer terapia antimicrobiana.
Cirurgia minimamente invasiva: quando menos agressivo for, menor o risco de
infeco; A profilaxia no evita infeco do local operatrio.
Infeco do local cirrgico: cabe ao cirurgio determinar tratamento, diagnstico, tecido
negrosado (tem que ser retirado, independente do local da infeco), profundidade, e
complicaes