Você está na página 1de 8

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS

CEng – Centro de Engenharias


Curso de Engenharia de Produção

Disciplina: Eng. Da Qualidade II


Prof. Leonardo Betemps

RELATÓRIO SOBRE A NORMA AA 1000


ESTRUTURA DE GESTÃO DA RESPONSABILIDADE CORPORATIVA

Acadêmicos:
Elvio Jr
Juliano Hallal
Laila Crizel
Sandriane Miranda
Thomas Fernandes

Pelotas – 2016/2
1) INTRODUÇÃO

A partir de uma atividade proposta em aula pelo professor da disciplina de


Engenharia da Qualidade II, para compreendermos algumas normas importantes
para as organizações tornou-se necessária a revisão bibliográfica a respeito da
Norma AA1000 que versa sobre a Estrutura de Gestão da Responsabilidade
Corporativa.
Como a norma AA1000 lida com a gestão da Responsabilidade Social, vale
iniciar com o seu conceito, que é definido como sendo um ato de forma voluntária,
que algumas empresas podem adotar como posturas, comportamentos e ações que
promovam o bem-estar dos seus públicos, sejam eles: Internos: funcionários,
acionistas, etc; ou Externos: comunidade, parceiros, meio ambiente, etc. A
Responsabilidade Social pode ser subdivida, como em: Responsabilidade Social
Corporativa (RSC), Responsabilidade Social Empresarial (RSE) e Responsabilidade
Social Ambiental (RSA).
Tendo como base estes conceitos podemos compreender de forma mais
clara a norma ela foi lançada em 1999 pelo ISEA (Institute of Social and Ethical
Accountability), hoje AccountAbility, a AA1000 surgiu como resposta à crescente
geração de relatórios de sustentabilidade e à necessidade de mecanismos para
certificar sua confiabilidade, desta forma passou a ser a ferramenta mais abrangente
para gestão da responsabilidade social corporativa. A Série AA1000 inclui três
normas: AA1000APS (2008) AccountAbility Principles (Princípios da Prestação de
contas), AA1000AS (2008) Assurance Standard (Padrão de Garantia) e AA1000SES
(2005) Stakeholder Engagement Standard (Padrão de Engajamento das Partes
Interessadas).

2) DESENVOLVIMENTO

O trabalho apresenta uma revisão bibliográfica sobre a norma AA1000 que


trata sobre estrutura de gestão da responsabilidade corporativa.

2.1)Responsabilidade Social

A Responsabilidade Social Corporativa é uma das três subdivisões da


Responsabilidade Social, e é definida como preocupações sociais das empresas,
voltadas ao seu ambiente de negócios ou ao seu quadro de funcionários.
Fig.1: A empresa e suas partes interessadas (Fonte: Oficinas de Gestão - Conferência Internacional
2005 - Empresas e Responsabilidade Social; Instituto Ethos de Empresas e Responsabilidade Social)

2.2) Norma AA1000

Os princípios da norma AA1000 da accountability visam o envolvimento da


organização em práticas que venham a atender as necessidades das partes
interessadas na compreensão, desempenho, ações, tal como respostas às
preocupações relativas à sustentabilidade e responsabilidade social.
Esta norma possui diretrizes que guiam as empresas na determinação de
suas estratégias de sustentabilidade e do quanto elas são incorporadas na gestão e
no cotidiano da empresa. Os princípios das normas ajudam as empresas na
identificação do que é significativo em termos de sustentabilidade para cada
empresa, na definição de uma estratégia de inclusão das partes interessadas e,
finalmente, ajudam a empresa a conversar, ouvir e responder às demandas dessas
partes.
Esta norma foi revista em meados de 2008 através de uma longa consulta a
multistakeholders e sua versão em português colabora para que as empresas
brasileiras possam compreender os conceitos e introduzi-los na estratégia da
organização. O objetivo desta tradução é, estimular a produção de relatórios de
sustentabilidade e que os relatórios sejam verificados por terceiros que os reavalie
sob a ótica dos princípios de sustentabilidade da norma.
“A adoção da AA1000 exige comprometimento da diretoria executiva, estudo
e preparação adequados. O objetivo não é estabelecer metas e rotas, mas dar
orientações para o estabelecimento de práticas de engajamento e diálogo com
públicos estratégicos, baseadas em princípios de boa governança corporativa,
compartilhamento de valores e reciprocidade de obrigações”, afirma Joe Sellwood,
diretor da AccountAbility no Brasil em Portal fator Brasil
<https://www.revistafatorbrasil.com.br/ver_noticia.php?not=77468> acesso em 19 de
fevereiro de 2017.
2.2.1)Os princípios fundamentais da AA1000
A AA1000 foi fundamentada sobre onze princípios de qualidade da gestão,
reunidos em quatro grupos:
(a) escopo e estrutura do processo da organização:O Escopo e estrutura do
processo da organização são compostos da completude que caracteriza o quão
completa é a gestão social; a materialidade, que trata do quão significante é a
informação prestada; e a regularidade e conveniência, que trata da ação sistemática
no tempo certo do processo de accountability4.
(b) significância da organização: A significância da organização é composta
pela garantia da qualidade, que para ser satisfeita deve incluir a auditoria de terceira
parte, apesar de que nem sempre isso é feito; e a acessibilidade, envolvendo a
comunicação apropriada e efetiva das partes interessadas.
(c) qualidade da informação: A qualidade da informação inclui a
comparabilidade, que é o grau em que o relato social é comparável com outras
situações, benchmarks e outras referências quaisquer; a confiabilidade, aspecto que
mede o grau de ausência de erros e vieses que possam alterar a informação
original; a relevância relacionada ao grau de importância da informação no contexto
social; e o entendimento, necessário à compreensão da informação que está sendo
divulgada.
(d) gerenciamento do processo em base contínua: O gerenciamento do
processo em base contínua é composto pela integração, aspecto que se pretende
tornar consistente o conjunto da contabilidade, auditoria e relato para que seja um
só produto do esforço social; e a melhoria contínua, que é necessária para provocar
um movimento para a busca de resultados de indicadores cada vez melhores nos
contornos analisados da gestão social.

2.2.2) Composição da norma AA1000

A Série AA1000 inclui três normas: AA1000APS (2008) AccountAbility


Principles (Princípios da Prestação de contas), AA1000AS (2008) Assurance
Standard (Padrão de Garantia) e AA1000SES (2005) Stakeholder Engagement
Standard (Padrão de Engajamento das Partes Interessadas).

2.2.2.1)AA1000APS (2008)

Tem por objetivo proporcionar às empresas um grupo de princípios aceites a


nível internacional e disponíveis de forma gratuita, que lhes permita enquadrar e
estruturar a forma como compreendem, gerem, administram, implementam, avaliam
e comunicam a sua prestação de contas. Estes princípios destinam-se a ser
utilizados por organizações que adaptaram uma abordagem responsável e
estratégica à temática da sustentabilidade. Eles também ajudarão estas
organizações a compreender, gerir e melhorar o seu desempenho sustentável.
Seu princípios são três sendo que um deles é um princípio base, o Princípio
da Inclusão, é o base para os outros, o Princípio da Relevância e o Princípio da
Responsabilidade. O princípio base da Inclusão é necessário para se alcançar a
Relevância e a Responsabilidade. Em conjunto, os três princípios servem de base à
realização da prestação de contas.

2.2.2.2)AA1000AS

Teve a primeira edição da AA1000 Assurance Standard, publicada em 2003,


foi, a nível mundial, a primeira norma de assurance em sustentabilidade. Foi
desenvolvida para assegurar a credibilidade e a qualidade do desempenho
sustentável e da elaboração de relatórios de sustentabilidade. A edição de 2008 da
AA1000 Assurance Standard, é a segunda edição desta norma da AccountAbility .
O objetivo da AA1000AS (2008) é que o assurance em sustentabilidade
avalie e proporcione conclusões sobre: a natureza e o nível de adesão aos
Princípios AA1000 da AccountAbility e, quando aplicável a qualidade da informação
disponibilizada publicamente em relação ao desempenho sustentável.
Existem dois tipos de processos de assurance em sustentabilidade de acordo
com esta norma, são eles:
Tipo 1 – Princípios da AccountAbility - A entidade responsável pelo
assurance deve avaliar a natureza e o nível de adesão da organização aos três
Princípios AA1000PS, segundo os princípios destina-se a dar uma garantia às
partes interessadas relativamente à forma como a organização efetua a gestão do
seu desempenho em matéria de sustentabilidade, e como a divulga no seu relatório
de sustentabilidade. Ela também avalia a informação disponibilizada publicamente,
os sistemas e os processos implementados pela organização, bem como a
informação de desempenho que demonstra a adesão aos princípios.
Tipo 2 – Princípios da AccountAbility e Informação Específica de
Desempenho - a entidade responsável pelo assurance deve avaliar também a
fiabilidade (precisão do método de medição e pode ser averiguada através da
análise da consistência ou estabilidade desse método) da informação de
desempenho sustentável. É seleccionada informação específica com base na
determinação da relevância, e nas necessidades significativas dos potenciais
utilizadores da declaração de assurance.

2.2.2.3)AA1000SES

A AA1000SES (Stakeholder Engagement Standard) é a estrutura que


assegura a robustez do processo de envolvimento das partes interessadas..
Busca prover o embasamento para que as empresas projetem e implantem o
engajamento das partes interessadas.
Fonte: AA1000 Stakeholder Engagement Standard (AA1000SES) 2015

A organização deve estabelecer uma metodologia para identificar e mapear


seus públicos de relacionamento, sendo ela guiada pelos seguintes critérios:

● Responsabilidade: Stakeholders por quem a organização tem


responsabilidades legais, financeiras ou operacionais sob a forma de
contratos, regulações, políticas ou práticas;

● Influência: Pessoas ou grupos de pessoas com poder de influência ou


poder de decisão sobre o assunto relevante;

● Proximidade: Público interno, comunidades locais, parceiros de


negócio, autoridades locais, provedores locais de infraestrutura;

● Dependência: Partes que são direta ou indiretamente dependentes de


atividades ou operações da organização;

● Representação: ONGs, sindicatos, conselhos de classe, associações


de moradores e outros tipos de representantes relevantes para o tema;

● Interesses estratégicos: Públicos de relacionamento com os quais a


organização pretende estabelecer comunicação especial como
consumidores, franqueados, acadêmicos ou outras entidades da
sociedade civil.

Abordados os temas relativos ao comprometimento com a inclusão, o propósito


do engajamento, os objetivos estratégicos e operacionais para o envolvimento das
partes interessadas, as próximas etapas deste processo irão orientar seu
planejamento, preparação, implantação e sua revisão em busca da melhoria
contínua.

2.2.3) Comparação das normas AA1000 e SA8000

Comparando as duas normas que tratam da Responsabilidade Social temos


que a SA8000 trata da GESTÃO DA RESPONSABILIDADE SOCIAL
EMPRESARIAL e a norma AA1000 versa sobre ESTRUTURA DE GESTÃO DA
RESPONSABILIDADE CORPORATIVA e que ambas lidam com a análise da ótica
de ética de responsabilidade, ética da afirmativa do princípio de humanidade e ética
geradora de moral convencional.
Como a AA1000 possui um enfoque na relação da empresa com seus
diversos parceiros, ou “stakeholders”, uma de suas principais características é o
caráter evolutivo já que é uma avaliação regular (anual). Já a SA8000 foca
primordialmente nas relações trabalhistas e visa assegurar que não existam ações
antissociais ao longo da cadeia produtiva, como trabalho infantil, trabalho escravo
ou discriminação.
A SA 8000 (www.sa8000.com) é um documento para ser utilizado como
referência para a constituição de sistemas de gestão de responsabilidade social. A
criação da SA8000 se deu devido a preocupação das organizações sobretudo para
coibir a prática de trabalho infantil e escravo e outras práticas de contratação de
empregados que sejam consideradas abusivas.
Já a AA1000 (http://www.accountability.org.uk) é a primeira norma mundial
elaborada para a responsabilidade corporativa com foco na contabilidade, auditoria
e relato social e ético. O documento foi elaborado pelo ISEA – Institute of Social and
Ethical AccontAbility, organização sem fins lucrativos, sediada em Londres e
fundada em 1995 que promove o desenvolvimento de ferramentas e normas de
accountability. O lançamento da primeira versão foi em 1999. Após uma pesquisa
realizada com a sociedade empresarial, pública e civil o ISEA desenvolveu uma
nova versão que foi publicada em março de 2003.

2.2.4)Empresas que utilizam a AA1000

Mesmo já existindo há de mais de uma década, a AA1000 é muito pouco


difundida no Brasil. Uma empresa que faz uso dela é a Souza Cruz, que a cada 18
meses promove os Diálogos Corporativos. Além de servirem de consolidação das
informações dos relatórios, os encontros ajudam a Souza Cruz a traçar estratégias
de responsabilidade social, além de avaliar a evolução dos diversos programas da
área. E um projeto muito interessante que surgiu daí foi o Diálogos Universitários,
cujo objetivo é complementar a formação educacional e cultural dos universitários,
além de promoção do empreendedorismo jovem no país.
Outra empresa que tem ligação a AA1000 é o Itaú-Unibanco, pois foi ele que
ajudou a avaliar e traduzir esta norma para que pudesse ser difundida e adotada
mais facilmente por empresas nacionais. A implantação desta norma no Itaú
Unibanco foi realizada em um período de cinco anos, e foi realizada em ciclos de
incorporação. O primeiro deles foi a aprendizagem da norma. O segundo e terceiro
ciclos são a sua incorporação e o relacionamento com públicos estratégicos.

3)CONCLUSÃO

Com base na pesquisa realizada podemos observar e concluir que o


engajamento das partes interessadas é o ponto-chave para o sucesso da
implantação do padrão AA 1000. A norma vincula questões sociais, ambientais e
éticas à gestão estratégica e operações do negócio dentro da empresa em questão.
Também contribuindo para que a organização evolua no quesito de
desenvolvimento sustentável.
Com a pesquisa observamos que poucas empresas adotam esta norma no
Brasil, isto pelo fato de ser pouco difundida no país, muito embora, por outro lado,
seja bastante utilizada em empresas internacionais, as quais tem bastante
visibilidade e reconhecimento por adotá-la.
A norma, por fim, é bastante importante no ramo empresarial, pois trata da
gestão da responsabilidade social, pois atualmente é de importância fundamental
para o cotidiano das empresas e não somente como mais um diferencial no aspecto
de competitividade perante os seus concorrentes.

4)BIBLIOGRAFIA
1.Accountability<https://www.accountability.org/wp-
content/uploads/.../AA1000APS_portugues.pdf>.Acesso em 17 de fevereiro de 2017.
2..Accountability<https://www.accountability.org/wp-
content/uploads/.../AA1000AS_portuguese>. Acesso em 20 de fevereiro de 2017.
3. Responsabilidade Social<http://www.responsabilidadesocial.com/o-que-e-
responsabilidade-social/>. Acesso em 20 de fevereiro de 2017.
4.Qualypro<http://www.qualypro.com.br/artigos/a-relacao-entre-a-sa-8000-e-aa1000-com-o-
marco-referencial-da-etica-dos-negocios-um-entendimento-necessario>. Acesso em 18 de
fevereiro de 2017.
5.Responsabilidade Social<http://www.responsabilidadesocial.com/>. Acesso em 20 de
fevereiro de 2017.
6.Novital<https://noviental.wordpress.com/2011/01/05/engajamento-de-stakeholders-
utilizando-a-norma-aa1000ses/>. Acesso em 18 de fevereiro de 2017.
7. institutoatkwhh<http://www.institutoatkwhh.org.br/compendio/?q=node%2F119>. Acesso
em 22 de fevereiro de 2017.