Você está na página 1de 6

Compreensão de texto e Interpretação de texto

Métodos de leitura

Tenha consciência do tipo de texto que você tem. Pergunte a si mesmo: que tipo de texto estou lendo? É informativo como um
jornal, um livro ou um manual? Ou ele é mais artístico como um romance ou um conto? É importante ter perguntas assim em
mente.[1]

Exemplo: caso esteja lendo para seguir instruções, como em uma receita ou guia de montagem, você precisará entender o
significado exato de cada etapa.

Caso esteja lendo um texto que contenha muita informação, como um livro, você lerá, acima de tudo, para obter novas
informações sobre coisas que você não sabe ou não entende.

Decida o propósito da leitura. A razão por trás de uma leitura tem impacto direto no modo como você lê. Exemplo: ler um
romance para uma turma de alunos pode ser diferente do que ler um romance por puro prazer. Por quê? Ler um romance por
diversão é bem diferente de ter que entender e memorizá-lo para uma leitura ao público. Pergunte-se: qual o objetivo da
minha leitura?

Caso esteja lendo para conseguir informações de como atender aos requisitos do trabalho ou da escola, por exemplo, o melhor
será usar técnicas extensivas.

Caso esteja lendo para praticar a pronúncia, aprender vocabulário ou estudar gramáticas, também será mais interessante usar
técnicas extensivas.

Caso esteja lendo por prazer, você estará livre para escolher o método que preferir.

Imagem intitulada Read a Book If You Don't Enjoy Reading Step 14

Dê uma olhada rápida no texto antes de começar a ler. Seja qual for o objetivo da leitura que você for fazer, será muito útil dar
uma breve olhada na obra como um todo. Observe a estrutura e apresentação da obra, pois são as formas mais fáceis de
incrementar o entendimento.[2]

A obra tem um título?

Ela tem um índice?

Ela está dividida em capítulos?

Ela tem algum conteúdo extra, como palavras-chave, ilustrações ou gráficos?

Método

Leitura intensiva

Faça uma leitura intensa se quiser praticar o básico e aprender vocabulário. Esse tipo de leitura se concentra mais em detalhes
individuais do texto. Caso queira praticar a pronúncia, estudar a gramática ou aprender vocabulário, leia mais devagar e se
concentre nas palavras e frases individuais.[3]

Imagem intitulada Make a Habit of Reading Step 9


2

Procure pela ideia geral. Na leitura intensa, nem sempre é interessante captar cada detalhe do significado de algo. Em vez
disso, você pode tentar entender a essência do texto, ou seja, a ideia geral que a leitura quer nos transmitir.[4]

Não fique parado em partes que você não entende muito bem. Caso consiga resumir a ideia principal da leitura, significa que
você está indo bem.

Imagem intitulada Write a TOK Essay Step 14

Leia em voz alta. Essa é uma forma de melhorar suas habilidades de leituras, uma vez que ela faz você se envolver com o texto
de duas formas: observando as palavras e as escutando. Ela também é essencial se você está praticando a pronúncia.

Imagem intitulada Read a Book If You Don't Enjoy Reading Step 10

Tente adivinhar o significado das palavras novas. Encontrou uma palavra desconhecida? Não vá atrás do dicionário
imediatamente. Tente adivinhar o significado da palavra com base nas palavras que estão ao redor dela no contexto.[5]

Exemplo: digamos que você leia a frase a seguir e queira saber o significado de “pessimista”: Minha mãe está sempre feliz e
otimista, ao total contrário do meu irmão, o pessimista.

A partir dessa frase, você pode deduzir que “pessimista” significa o oposto de feliz: um ser mal-humorado e irritado.

Anote as palavras novas que você quer saber o significado. Caso essas palavras apareçam e você não consegue entender o que
elas significam, anote-as e procure o significado em um bom dicionário. Dessa forma, você também pode estudar as palavras
mais tarde.[6]

Imagem intitulada Increase Concentration While Studying Step 5

Mantenha uma boa rotina de leitura. Quanto mais você lê, mais fácil ficará a leitura. Praticar, no mínimo, de 15 a 30 minutos
por dia, todos os dias, fará uma grande diferença.[7]

Leia qualquer coisa que interessar a você se estiver apenas tentando melhorar suas habilidades básicas.

Reler todos os textos que você já leu pode ajudá-lo a ganhar confiança.

Método

Leitura extensiva

Imagem intitulada Be Well Read Step 14

Tente a leitura extensiva se estiver procurando por entendimento. Ela funciona quando você está tentando captar o significado
da obra, visto que essa técnica se concentra na visão geral do texto. Trata-se da melhor técnica para se estudar um livro, ler um
artigo de jornal para buscar informações ou para quando você for ler um romance por prazer.[8]

Imagem intitulada Be Well Read Step 1

2
Faça anotações a partir da leitura. Caso queira ler para entender algo com mais profundidade, como um livro teórico, existe um
método bem simples: ler bastante. Deixe um bloco de notas por perto e anote tudo que você pensa ser importante enquanto lê
o texto.[9]

Exemplo, você pode fazer tópicos para resumir pensamentos toda vez que uma ideia maior vier a sua mente.

Caso existam termos-chave ou datas na leitura, anote-os também.

Caso existam trechos que você não entende, anote as dúvidas que você tem e reflita sobre elas posteriormente.

Faça anotações no texto. Anotações são excelentes para memorizar conceitos ou decifrar certos sentidos no texto. Exemplo:
você pode sublinhar ou destacar os trechos importantes. Você também pode tentar circular os termos-chave e fazer anotações
nas margens das páginas.[10]

Imagem intitulada Read Fast Step 4

Revise o que você está lendo sintetizando as ideias. De vez em quando, pare e leia algumas frases em suas anotações para
resumir o que você leu até agora. Transcrever as ideias principais do texto com suas próprias palavras e escrevê-las é uma
forma de verificar se você está entendendo a leitura. Voltar para o material de estudos também ajuda você a lembrar do que
leu.[11]

Caso você tenha dificuldade em resumir ou lembrar de alguma parte do que você leu, volte e leia o texto novamente.

Você também pode escrever um resumo em forma de esquema em vez de fazer frases inteiras.

Imagem intitulada Read a Book If You Don't Enjoy Reading Step 8

Não procure pelo significado de muitas palavras. Ao ler extensivamente, o significado geral e as ideias principais são mais
importantes do que saber o significado de cada palavra. Parar de ler para procurar o significado de todas as palavras que você
não conhece também vai tirar sua concentração, dificultando a continuidade na leitura das ideias principais.[12]

No entanto, ao se deparar com uma palavra que pareça importante para você de alguma forma, e você não saiba o significado,
vá em frente e procure-o.

Palavras usadas repetidamente costumam ser importantes dentro da obra e valem a pena serem exploradas em termos de
significado.

Dicas

Faça registros dos seus estudos criando uma lista de livros ou artigos que você leu e marcando quantos minutos você lê por dia.
Isso dará a você motivação para continuar progredindo nos estudos.[13]

Escolha um local bem iluminado e no qual você se sinta confortável para ler.[14]

Compreensão de texto e Interpretação de texto

Compreensão de texto (Está no texto) – consiste em analisar o que realmente está escrito, ou seja, coletar dados do texto. O
enunciado normalmente assim se apresenta:

- As considerações do autor se voltam para...

- Segundo o texto, está correta...

- De acordo com o texto, está incorreta...

- Tendo em vista o texto, é incorreto...


- O autor sugere ainda...

- De acordo com o texto, é certo...

- O autor afirma que...

- Na opinião do autor do texto...

- O texto informa que...

- No texto podemos ...

Interpretação de texto (Está além do texto) – consiste em saber o que se infere (conclui) do que está escrito. O enunciado
normalmente é encontrado da seguinte maneira:

- O texto possibilita o entendimento de que...

- Com apoio no texto, infere-se que...

- O texto encaminha o leitor para...

- Pretende o texto mostrar que o leitor...

- O texto possibilita deduzir-se que...

-Depreende-se / Infere-se / Conclui-se do texto que...

- É possível subentender-se a partir do texto que...

- Qual a intenção do autor quando afirma que ...

** Entenda: Enquanto a Compreensão de texto trabalha com as frases e ideias escritas no texto, ou seja, aspectos visíveis, a
interpretação de textos trabalha com a subjetividade, com o SEU entendimento do texto.

Dez mandamentos para uma análise de textos

1 – Ler duas vezes o texto. A primeira para tomar contato com o assunto; a segunda para observar como o texto está
articulado; desenvolvido.

2 – Observar que um parágrafo em relação ao outro pode indicar uma continuação ou uma conclusão ou, ainda, uma falsa
oposição.

3 – Sublinhar, em cada parágrafo, a idéia mais importante (tópico frasal).

4 – Ler com muito cuidado os enunciados das questões para entender direito a intenção do que foi pedido.

5 – Sublinhar palavras como: erro, incorreto, correto, etc., para não se confundir no momento de responder à questão.

6 – Escrever, ao lado de cada parágrafo, ou de cada estrofe, a idéia mais importante contida neles.

7 – Não levar em consideração o que o autor quis dizer, mas sim o que ele disse; escreveu.

8 – Se o enunciado mencionar tema ou idéia principal, deve-se examinar com atenção a introdução e/ou a conclusão.
9 – Se o enunciado mencionar argumentação, deve preocupar-se com o desenvolvimento.

10 – Tomar cuidado com os vocábulos relatores (os que remetem a outros vocábulos do texto: pronomes relativos, pronomes
pessoais, pronomes demonstrativos, etc.)

Os entornos da leitura

Os textos, sejam verbais ou não verbais, exigem que o leitor tenha conhecimento de mundo e dos códigos utilizados,
para que assim ele possa determinar o valor de cada elemento presente nos textos.

Assim, quando lemos um texto, buscamos, nessa posição de leitores, elementos – provenientes do contexto e do
próprio texto – que permitam a atribuição de sentidos. É o equilíbrio entre elementos do contexto e do texto que auxiliam na
decifração do texto.

A leitura é um processo, portanto, que coloca lado a lado autor / falante e leitor/ ouvinte intermediados pelo texto.
Cada texto, como aparece no box sobre gêneros, pode ser oral ou escrito; e também verbal ou não verbal, ou ainda misto, isto
é, verbal e não verbal, como nas histórias em quadrinhos. O que garante a legibilidade dos textos é a unidade de sentido,
negociada na interação entre leitor / ouvinte e autor / falante.

Quando estamos conversando com amigos íntimos, há uma interação que, para outras pessoas, pode parecer sem
sentido. Conversamos de maneira aparentemente cifrada, pois nos entendemos com poucas palavras e muitos implícitos
(informações que dependem do grau de conhecimento entre os envolvidos, da situação em que estão e não propriamente do
que é dito). Por exemplo: se temos um amigo que é mais “esquentado”, o seguinte diálogo faz sentido:

-O vendedor insistiu muito com o Carlos. – disse o primeiro amigo


- Deu B.O.? – perguntou o segundo.

- Quase... – responde rindo o primeiro.

B.O. (boletim de ocorrência) aqui significa que Carlos teria brigado com o vendedor por causa da insistência. Em outra
situação, o segundo amigo continuaria ouvindo a história sem esse tipo de comentário, que resulta do fato de Carlos ser
bastante combativo e ter pouca paciência, daí a inferência do segundo amigo sobre uma suposta briga de Carlos com o
vendedor e o consequente B.O. – boletim feito na ocasião da denúncia na delegacia.

Para entender melhor como funcionam os implícitos no texto, imaginemos a seguinte fala de um diálogo:

- Pedro parou de fumar! (posto)

Esse é o posto. O posto está marcado linguisticamente (pelas palavras ditas) e não pode ser negado, pois está explícito.

O pressuposto, um dos implícitos do texto, está marcado nos elementos linguísticos, pois se Pedro parou de fumar, o
verbo “parar” implica que ele fumava antes. Assim cada leitor ou ouvinte utiliza seus conhecimentos linguísticos e de mundo
para compreender o que está sendo dito.

O outro implícito é o subentendido, pois, de acordo com a situação imediata que envolve os falantes (as relações entre
eles – se são amigos, conhecidos, pai e filho, empregado e patrão -,e a situação ampliada em que se inserem (os participantes
do diálogo podem estar no século XXI em que o hábito de fumar é combatido por questões de saúde ou estar no século XIX, em
que fumar fazia parte dos hábitos de um homem elegante), há várias respostas para essa fala que dependerá dessa situação. A
pessoa que responderá pode entender a frase como uma informação ou como uma forma de repreensão.

Se a pessoa entender como uma informação que a outra está fornecendo, ela pode responder:

- Ele disse mesmo que queria parar! Ou: – Que bom, agora os problemas respiratórios dele vão sumir.

Em outro caso, se a pessoa entender essa fala como uma forma de repreensão, a resposta será bem diferente:
- Eu já disse que cada um pára quando quer. Ou: - Você sempre fica me pressionando. Toda hora vem com sermão. Eu
já sei que preciso parar de fumar.

A resposta está baseada no que a pessoa entendeu do fato e não do que foi dito. Trata-se do subentendido que é como
o ouvinte ou o leitor compreende o que foi dito segundo suas expectativas; a situação em que ocorre a conversa ou o momento
em que acontece a leitura; a relação que tem com o outro falante / o autor ou ainda com o tema apresentado. Isso resulta do
fato de que não dizemos tudo, pois se o fizéssemos a comunicação seria lenta e menos eficaz. Conforme os gêneros que
estamos utilizando, podemos explicitar mais ou menos informações, visões de mundo e opiniões.

Os gêneros jurídicos, por exemplo, deixam menos informação implícita por trabalharem com fatos, provas e
argumentos que levem ao ganho do processo (livrar um réu de uma acusação ou conseguir que ele seja considerado culpado
por aquilo de que foi acusado – depende de que lado o advogado está). Já os gêneros publicitários deixam mais elementos
implícitos por terem como objetivo não somente que os consumidores considerem o produto melhor, mas que tenha o desejo
de comprar. Por essa razão, os gêneros publicitários criam certas imagens baseadas nas expectativas nos consumidores e não
somente na leitura dos dados apresentados.

O subentendido, às vezes, se refere a como um autor ou um falante entende os temas tratados nos textos. Vejam o
caso dessas manchetes.

“Mandinga” funciona, Luxa é expulso por


agressão em gandula e Inter fatura o retorno
(Folha online, 29-04-2012)

Internacional vence o Grêmio e vai decidir com


o Caxias (Estadão online, 29-04-2012)

Ambas as manchetes tratam de um mesmo jogo entre Internacional e Grêmio pelo campeonato estadual, porém cada
uma delas indica como o jornal considera a notícia da partida. A Folha destaca a partida como consequência de outros fatos
apresentados durante a semana (a mandinga – colocar sal grosso no banco de reservas do Grêmio) e aponta como elementos
relevantes a expulsão do técnico do Grêmio (Luxemburgo, também conhecido como Luxa) e a vitória do Internacional. Já o
Estadão se atém somente ao fato principal deixando os detalhes como a preparação durante a semana e a expulsão do técnico
(Luxemburgo) para outro momento. O subentendido aqui se refere ao modo como cada jornal trata o tema partida semi-final
do campeonato gaúcho de futebol. Um com mais detalhes, direcionando o que o leitor deve entender dos fatos e outra que
apresenta de forma mais “neutra” o que ocorreu na partida, deixando mais espaço para o leitor.

Os implícitos do texto oral ou escrito dependem do conhecimento de língua, de gênero, de mundo.

Os conhecimentos de língua são necessários para que todos nós possamos entender como as palavras ou as estruturas
do texto se relacionam.

Os conhecimentos de gênero são importantes para saber as funções de cada texto; também é importante saber por
onde circulam e quais intenções colocam e seus autores/falantes e quais expectativas demandam de seus leitores / ouvintes.
Ou melhor, deve-se levar em conta como cada um deve se comportar ao ler o texto de determinado gênero, uma vez que é
diferente ler uma notícia e uma conta de luz ou de água.

Por fim, os conhecimentos de mundo são imprescindíveis para a atribuição de sentidos a um texto, porque sem eles as
palavras não significam, já que o significado de um texto é marcado histórica e socialmente.