Você está na página 1de 8

Coletânea técnica 013 - criação de aves Maio de 2017

Sistema de produção de
aves caipiras
Franguinho na Panela

O recanto onde moro é uma linda passarela


O carijó canta cedo, bem pertinho da janela
Eu levanto quando bate o sininho da capela
E lá vou eu pro roçado, tenho Deus de sentinela
Têm dia que meu almoço, é um pão com mortadela
Mas lá no meu ranchinho a mulher e os filhinhos
Tem franguinho na panela.

(Paraíso e Moacyr dos Santos)

Apoio:

Palmas-TO
13

TABELA 07 - RESULTADOS OBTIDOS COM A PRODUÇÃO DE 155 AVES:

Coletânea técnica 013

Fonte: Ruraltins/Seder, 2016.

Para a produzir um frango com 90 dias de idade, obtivemos o consumo de 8,95 kg de ração,
o que representou 70% do custo total. Portanto, vale a pena ressaltar a importância da
forrageira nos piquetes para complementação da alimentação das aves, onde estima-se
que esse fornecimento chega a reduzir em 30% o custo com a alimentação.
Sistema de Produção de Aves
TABELA 08 - ANÁLISE FINANCEIRA: Caipiras
Fonte: Ruraltins/Seder, 2016.

As aves produzidas neste projeto serão direcionadas pra abate em frigorífico com serviço
de inspeção municipal (SIM), para serem comercializadas de forma legal obedecendo a
legislação. A preferência dos consumidores por produtos naturais e saudáveis cria uma
forte demanda de mercado em todo pais, em função da qualidade, textura e sabor.

Maio de 2017
12

Secretaria de Desenvolvimento Rural


Quadra 1212 Sul, Av. LO 27, esquina com Av. NS 10
Cep: 77153-010 - Palmas-TO TABELA 05 - ESQUEMA SIMPLIFICADO DE VACINAÇÃO E VERMIFUGAÇÃO PARA FRANGO CAIPIRA:
Telefones: (63) 2111-2609/2111-2608/2111-2629

Prefeito: Carlos Franco Amastha


Secretário de Desenvolvimento Rural: Roberto Jorge Sahium
Secretário Executivo: Claudemir Portugal Soares
Diretor de Assistência Técnica: Bonfim dos Reis Ferreira dos Santos
Diretor Operacional de Máquinas Agrícola: Fernando Aires Castelo Branco Rodrigues

Equipe Técnica Seder:


Engenheiro Agrônomo Roberto Jorge Sahium
Engenheiro Agrônomo Roberto Campos Pinto
Engenheiro Agrônomo Roberto Cunha Carvalho
Engenheiro Agrônomo Antônio Luiz Alves de Sousa
Engenheiro Agrônomo Luiz da Silva Machado Neto
Engenheiro Agrônomo Dirceu Rodrigues do Amaral
Engenheiro Agrícola Charles Moura e Silva
Engenheira de Aquicultura Maíra Zambonato Dorneles
Engenheira de Alimentos Leandra Cristina Alencar
Técnico em Agropecuária Bonfim dos Reis Ferreira dos Santos
Técnico em Agropecuária Cid Biavatti
Vacinação contra as doenças que acometem as aves
Técnico em Agropecuária Homero Juliani Barbosa
Técnico em Agropecuária Luiz Antonio Santana Neto TABELA 06 - CUSTO DE PRODUÇÃO:
Técnico em Agropecuária Wesley Rodrigues Farias
Médico Veterinário Cláudio Luiz Damé Sayão A tabela 06 mostra uma síntese dos resultados obtidos durante um ciclo de criação de 90
Médico Veterinário Geraldino Ferreira Paz dias, o qual os mesmos servirão de base para a formação do custo de produção.
Médico Veterinário Guilherme Vaz Burns
Médico Veterinário José Evanildo Bonfim Tenório

Elaboração:
Médico Veterinário Cláudio Luiz Damé Sayão Lobato (Seder)
Fonte: Ruraltins/Seder, 2016.
Zootecnista: Hélio de Souza (Ruraltins)
Técnico em Agropecuária Homero Juliani Barbosa (Seder)

Fotos:
Divulgação Seder e Ruraltins

Diagramação e arte: Cid Biavatti


11

O avicultor deve fazer o acompanhamento do desempenho das aves, através de pesagem


semanal de 10% do lote, avaliando o desempenho das linhagens, sexo e consumo, afim de
determinar o custo de produção, rentabilidade e a relação custo/benefício.
Apresentação 05
GRÁFICO 01 - DESEMPENHO DAS LINHAGENS DE FRANGO CAIPIRA, AOS 90 DIAS DE IDADE:
Instalações 06
Desempenho das linhagens de frango caipira, UD - Agrotins, 2016
Galpões 06
3.050 2.937 2.938 3.050 2.945
3.050 Piquetes 07
GANHO DE PESO

3.000 2.229 2.324


2.500 Equipamentos 08
2.000 Manejo 09
1.500
1.000 Manejo Nutricional 09
500
0 Manejo Sanitário 11
2.1 3.1 2.9 2.9 2.9 3.3 2.8 Comercialização 13
Master Gigante Tricolor Vermelho Vermelho Carijó P. Carijó
Griss Negro P.P Pesadão P.
CONVERSÃO ALIMENTAR
Fonte: Ruraltins/Seder, 2015.

O gráfico mostra o desempenho das linhagens criadas no sistema semi-intensivo, que


receberem ração balanceada de acordo com as fases inicial e crescimento, tendo livre
acesso aos piquetes de grama estrela africana, a partir dos 30 dias de idade.
Em relação à conversão alimentar e o ganho de peso, o melhor desempenho foi da
linhagem Master Griss, onde para cada 2,1 kg consumido de ração, obteve-se 1 kg de
peso vivo.

O manejo sanitário engloba todas as medidas de higienização, vacinação e vermifugação,


para garantir, de forma preventiva, a saúde das aves.
5 10

É notável o desenvolvimento da criação de aves caipiras em nosso


município. Várias unidades demonstrativas, nos últimos anos, foram
instaladas com o acompanhamento de técnicos da extensão rural e da
iniciativa privada, onde forma avaliados o desenvolvimento de linhagens de
aves, tipos de concentrado e os sistemas de criação. Nas unidades as
capacitações de produtores e técnicos estão sendo realizadas de forma TABELA 03 - CONSUMO MÉDIO DIÁRIO DE ÁGUA PARA 360 FRANGOS:
prática, impulsionando o setor de forma regional.
Em 2017 a cadeia produtiva foi fortalecida com a implantação do frigorífico,
no município de Palmas, permitindo o desenvolvimento da atividade, com o
acréscimo de novos produtores e com o fornecimento de alimentos de
Importante destacar a necessidade da qualidade da água a ser fornecida, bem
qualidade aos consumidores locais .
como a verificação diária da higiene dos bebedouros.
Boa leitura!!! TABELA 04 - PESAGEM DAS AVES A CADA 7 DIAS, LINHAGEM *TRC INCUBATÓRIO - AVIFRAN-DF:

* Linhagem Tricolor Fonte: Ruraltins/Seder, 2015.


9 6

Limpeza e desinfecção do galpão: São construções simples e funcionais, podendo utilizar materiais disponíveis na
É realizada entre retirada de um lote e entrada de outro, além da limpeza e desinfecção o propriedade ou adquiridos no comércio local, devendo ser de fácil acesso e de baixo custo.
galpão deverá ter um descanso de 10 dias antes da chegada de um novo lote. A implantação será feita em local plano ou com pouca declividade, protegido de ventos,
bem drenados, com área sombreada e próxima de água limpa.

Modo de Usar: caiação ou pulverização direta das instalações.


A cama deverá ser de boa qualidade, cobrir o piso do galpão de maneira uniforme, O galpão deverá ser construído no sentido leste oeste, de forma que o sol não entre
atingindo no mínimo 8cm de altura. O material empregado poderá ser a casca de arroz ou diretamente no galpão nos horários mais quentes do dia, o que favorece ao conforto
maravalhas de madeira. térmico das aves.

ð A ração deverá ser balanceada, podendo ser preparada na propriedade, visando reduzir
custos ou pode ser adquirida no comércio local;
Oeste
ð Para fabricação das rações é necessário ter disponível alguns equipamentos na
propriedade, como triturador, balança e misturador;
ð Para melhor desempenho das aves é importante manter a qualidade dos ingredientes e as
pesagens adequadas, obedecendo cada fase de desenvolvimento, conforme descrito nas
tabela 01 e 02.

TABELA 01 - TIPOS DE RAÇÃO PARA O FRANGO CAIPIRA: Leste

Para área do galpão, utilizamos uma densidade 10 aves/m² e em alguns casos em que o
avicultor busca economizar em instalações, é possível construir os galpões com
repartições, porém é importante obedecer todos os critérios técnicos necessários.

TABELA 02 - COMPOSIÇÃO DAS RAÇÕES PARA O FRANGO CAIPIRA: GALPÕES 10 m²/ave


Comprimento (m) Largura (m) Altura (m) Área (m²) N° de Aves
5,00 3,00 2,00 15,00 150
6,00 4,00 2,20 24,00 240
8,00 5,00 2,20 40,00 400
7 8
Detalhes da construção do galpão:

ð Altura do pé direito: 2,20m;


ð Telhado: Telhas de fibrocimento com inclinação de 25%;
ð Beiral: Largura de 0,80m;
ð Piso: Cimentado com 0,30m acima do solo e declive de 1%, voltado para a porta;
ð Paredes laterais: Mureta com 50cm de altura e inclinação de 45° na borda superior
para evitar o empoleiramento. O restante é fechado com tela de arame de 0,5
polegada;
ð Iluminação do galpão: Uma lâmpada de 60 watt para cada galpão;
ð Pedilúvio: Instalado na entrada do galpão com a finalidade de promover a higiene das
instalações, tendo as seguintes medidas 0,80m de comprimento x 0,50m de largura x
0,10m de profundidade;
ð Fossa de putrefação: Para receber as aves mortas, a construção deverá ser longe dos
galpões, apresenta as seguintes dimensões 1,80m de profundidade por 1,50m de
largura. ð Círculo de proteção apresenta as seguintes características: altura 50cm, diâmetro
2,5m - material de chapa de duratex;
ð Campânula pode ser a gás ou elétrica para a fase inicial; este equipamento é utilizado
desde a chegada dos pintinhos até os 14 dias de idade, podendo se estender até os 21
dias, conforme a época do ano;
ð Cortinas devem ser instaladas no lado externo do galpão, fixada na mureta e fechando
para cima. O material utilizado é a ráfia (polietileno);
Os piquetes devem ser construídos de forma a garantir uma área de 5m² por ave. A divisão ð Comedouro tubular para 20 kg de ração; sua capacidade é para 50 aves e é utilizado
da área dos piquetes é feita visando o pastoreio mais uniforme, promovendo o em todas as fases de criação.
fornecimento de forragem de melhor qualidade e reduzindo a infestação parasitária. ð Bebedouro pendular é utilizado para todas as fases da criação; sua capacidade é para
Na formação do pasto é recomendado fazer correção e adubação do solo conforme o 100 aves;
resultado da análise. As variedades mais indicadas para plantio são a grama estrela ð Outros equipamentos como carrinho de mão, pulverizador balde, lança- chama,
Foto: Divulgação Seder
africana, tifton 85, coast balança, triturador e outros são necessários para executar as atividades da granja.
cross e capim aruana.
A ocupação dos
piquetes acontece a
partir do 30º dia de
vida. As cercas devem
ser construídas com tela
de galinheiro de 1,50m
na malha nº 22, com
estacas distanciadas 3m
e fios de arame farpado
com espaçamento de
0,01m, 0,75m e 1,50m Piquete para pastejo
de altura.