Você está na página 1de 98

CRÍTICA A FENOMENOLOGIA

Para Sartre, o ser é aquilo que ele é. Não existe nenhuma fundamentação metafísica.
Síntese passiva: representa as vivências espontâneas que são Ele pode existir ou não. Não existe uma essencia universal que nos una em atribuições comuns.
apropriadas pela consciência e servirão de objeto para uma Nós existimos singularmente. Nessa nossa existencia a gente faz a essencia.
consciência de segundo grau A existencia singular de cada um tem sua essencia.
Habitus é então concebido como um sistema de esquemas individuais, socialmente
constituído de disposições
estruturadas (no social) e estruturantes (nas mentes), adquirido nas e pelas experiências
práticas (em condi-
ções sociais específicas de existência), constantemente orientado para funções e ações
do agir cotidiano

Mundo social como


uma representação

A teoria praxiológica,
ao fugir dos
determinismos das prá-
ticas, pressupõe uma
relação dialética entre
sujeito e
sociedade, uma relação
de mão dupla entre
habitus
individual e a estrutura
de um campo,
socialmente
determinado. Segundo
esse ponto de vista, as
ações,
comportamentos,
escolhas ou aspirações
individuais
não derivam de
cálculos ou
planejamentos, são
antes
produtos da relação
entre um habitus e as
pressões e
estímulos de uma
conjuntura.