Você está na página 1de 46
PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO TÉCNICO DE NÍVEL MÉDIO EM SEGURANÇA NO TRABALHO APROVADO PELO CONSELHO SUPERIOR

PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO TÉCNICO DE NÍVEL MÉDIO EM SEGURANÇA NO TRABALHO

APROVADO PELO CONSELHO SUPERIOR RESOLUÇÃO No XX/XX

ARACAJU

2013

CNPJ:10.728.444/0003-63

Razão Social: INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SERGIPE CAMPUS ARACAJU Nome fantasia: IFS Esfera administrativa: FEDERAL Endereço: AV. ENG. GENTIL TAVARES DA MOTA, Nº 1166, BAIRRO GETÚLIO VARGAS. ARACAJU SE, CEP:49055-260 Telefone: (79) 3711.3100 Fax: (79) 3711.3155 E-mail: proen@ifs.edu.br/gabinete.reitoria@ifs.edu.br Site: www.ifs.edu.br

Curso Técnico de Nível Médio em Segurança no Trabalho

  • 1. Eixo tecnológico: Ambiente, Saúde e Segurança.

  • 2. Carga Horária: 1380 horas

  • 3. Regime: Semestral

  • 4. Turno de oferta: Vespertino, Noturno

  • 5. Duração: 02 anos

  • 6. Forma de Oferta: Subsequente

  • 7. Local de oferta: Multicampi

SUMÁRIO

  • 1. JUSTIFICATIVA..........................................................................................................

04

  • 2. OBJETIVOS................................................................................................................

06

  • 2.1 GERAL.........................................................................................

OBJETIVO

06

  • 2.2 ESPECÍFICOS...........................................................................

OBJETIVOS

07

  • 3. PERFIL PROFISSIONAL DE

CONCLUSÃO..............................................................

07

  • 4. REQUISITOS DE ACESSO.........................................................................................08

  • 5. ORGANIZAÇÃO

CURRICULAR.................................................................................

08

  • 5.1 FUNDAMENTAÇÃO LEGAL...........................................................................08

  • 5.2 ESTRUTURA CURRICULAR..........................................................................08

  • 6. CRITÉRIOS DE APROVEITAMENTO DE CONHECIMENTOS.................................12

  • 7. CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO.....................................................................................12

  • 8. DIPLOMA E CERTIFICADOS.....................................................................................13

  • 9. INSTALAÇÕES E EQUIPAMENTOS.........................................................................13

    • 10. PESSOAL DOCENTE E TECNICO ADMINISTRATIVO............................................14

    • 11. ANEXOS.....................................................................................................................16

      • 11.1. ANEXO I EMENTAS...............................................................................16

      • 11.2. ANEXO II TABELA DE EQUIVALÊNCIA................................................45

1 - JUSTIFICATIVA

A Segurança e Saúde do Trabalho (SST) se caracteriza pelo papel estratégico de educar os trabalhadores no sentido de promover atitudes conscientes para o trabalho seguro durante a realização das suas tarefas diárias. As demais atividades dessa área visam implantar preceitos, valores e crenças de segurança no esforço de integrar a segurança, a qualidade, o meio ambiente, a produção e o controle dos custos das empresas. Para tanto, os profissionais dessa área analisam as condições de trabalho, planejam e elaboram normas e instruções de trabalho, reforçam comportamentos seguros, realizam auditorias e implementam ações corretivas que eliminam ou minimizam os riscos dos locais de trabalho. O funcionamento efetivo da SST nas organizações pode trazer o benefício da redução das perdas humanas, ao patrimônio, ao meio ambiente e ao processo produtivo, além de evitar consequências danosas ao mundo do trabalho. Esses benefícios podem ser evidenciados pelas mudanças radicais ocorridas no cenário da

área no início dos anos 2000, quando o Brasil saiu do primeiro lugar no ranking de acidentes do trabalho no mundo, posição que ocupou nas décadas de 70 e 80, para o 15º lugar em 1999, segundo dados da Organização Internacional do Trabalho OIT. Este novo quadro é, sem dúvida, fruto do somatório de diversos fatores, entre os quais destacam-se o trabalho dos profissionais de segurança e a melhor aplicação dos conhecimentos gerados, somados a decisões políticas importantes para a área. Entre estas, salienta-se o empenho governamental nas questões relativas à saúde e segurança dos trabalhadores expresso pelo Programa Brasileiro da Qualidade e Produtividade PBQP, que estabeleceu a meta de redução em 25% na taxa de acidentes de trabalho até 2003. Para alcançar esse objetivo, as empresas brasileiras terão que mudar a forma de encarar a questão da segurança, pois os acidentes e as doenças decorrentes do trabalho constituem um claro e significativo desperdício de recursos e sinais evidentes de falhas de gestão. A segurança deve ser um componente claro daquilo que

chamamos de “Gestão Total”; sua ausência implica uma gestão incompleta, que deixa

brechas para resultados indesejáveis. As reclamações trabalhistas de periculosidade e insalubridade, a perda da produtividade, as indenizações relativas aos acidentes de

trabalho, enfim, o passivo ocupacional das empresas tem sido o retrato mais fiel dessa gestão incompleta. A tendência é que a segurança deva alcançar um valor, quase supremo, que hoje em dia se concede à “qualidade”, uma vez que para consegui-la integrada totalmente aos processos e métodos de trabalho é necessário um esforço constante, a fim de se criar e desenvolver nas empresas uma cultura preventiva. Com o advento de normas globalizadas, como é o caso da British Standard (BS 8800), um guia de gerenciamento para a Saúde e Segurança no Trabalho, em 1996, e a Occupational Health And Safety Assessment Seneies (OSHAS 18001), que é uma série de normas para elaboração de um sistema de gestão de Saúde e Segurança no Trabalho, em 1999, iniciou-se o desafio para o alcance de resultados positivos, os quais dependerão, invariavelmente, da quantidade e qualidade dos esforços empregados, não só pelos profissionais de segurança (mais preparados, com visão gerencial), mas pela vontade expressa dos dirigentes das empresas para os quais o sucesso se expresse pela consolidação da marca, dos produtos, dos lucros, da liderança de mercado e, também, pelo alcance de um maior bem-estar de nossos trabalhadores. Além da BS 8800 e da OSHAS 18001, estão sendo preparadas condições para a criação de uma Norma ISO para a Saúde e Segurança no Trabalho, com o apoio da OIT, o que pode representar mais uma barreira para os produtos comercializados entre

os países, desta vez por uma questão mais nobre, que é a saúde e a integridade física e mental dos trabalhadores. Com a provável privatização do Seguro Acidente de Trabalho SAT, o mercado abrir-se-á, mais ainda, para as Auditorias de Segurança, para os estudos que visam à redução/eliminação de acidentes e para os treinamentos de segurança, que são um pilar estratégico neste contexto. Este acontecimento por si só já agita o mercado porque vai

mexer muito no “custo Brasil”. A privatização já aconteceu na Espanha, no Chile e na

Argentina, e se pode observar que os primeiros anos foram os mais difíceis. O Chile, por

exemplo, só conseguiu voltar às alíquotas em 2000, após oito anos de privatização.

O desafio é superar as adversidades e estimular a empresa a manter um compromisso e comportamento efetivo com a cultura que preserve a integridade física, mental e até social dos trabalhadores e desenvolver programas de educação preventiva evitando que eles sejam acometidos de lesões, doenças relacionadas aos contaminantes existentes nos ambientes de trabalho.

Neste contexto, fica claro o espaço para uma participação maior do profissional técnico em Segurança no sistema produtivo, em ações voltadas para o planejamento, implementação de atividades e verificações periódicas, uma vez que a sua função laboral perpassa pela integração da Segurança com outras áreas da empresa, a exemplo das áreas de Manutenção, a Produção, a Qualidade e a Administração.

Em Sergipe as estatísticas apontam um crescimento nos acidentes de Trabalho, de acordo com os dados fornecidos pela Previdência Social, baseados em informações são fornecidas pelas empresas, quando preenchem a CAT (comunicação de acidente de trabalho).a seguir:

Quadro 1 Número de acidentes de trabalho em Sergipe entre 2004 e 2006

Ano

Número de acidentes de trabalho

2004

1894

2005

2182

2006

2243

Estas informações foram compiladas dos registros de acidentes dos tipos: típico, trajeto e doenças do trabalho.

Dessa forma, o IFS propõe um Curso Técnico de Segurança do Trabalho com vistas ao atendimento das necessidades de segurança, saúde e preservação do meio ambiente no mundo do trabalho.

2 - OBJETIVOS

2.1 - Objetivo Geral

Formar técnicos de nível médio em Segurança no Trabalho oferecendo uma base de conhecimentos Científicos e tecnológicos, a profissionais que atuarão no mundo do trabalho visando à promoção da “Qualidade de Vida no Trabalho”, por meio da preservação da saúde dos trabalhadores na segurança, nos processos, ambientes de trabalho e meio ambiente natural, atendendo assim a demanda do sistema produtivo, brasileiro por esse profissional.

2.2 - Objetivos Específicos

Oferecer condições para que o aluno desenvolva as competências profissionais necessárias ao desempenho das atividades no campo da saúde ocupacional, segurança ambiental, industrial e serviços, ergonomia, higiene ocupacional e gestão da saúde, segurança do trabalho e meio ambiente; Promover capacitação técnico-científica para que o aluno utilize e aplique os programas de segurança e meio ambiente no campo de trabalho, indicando especificamente, os equipamentos de segurança, inclusive os equipamentos de proteção individual e coletiva, verificando a sua qualidade e adequação ao ambiente e situação em que deve ser utilizado, no intuito de estabelecer uma relação entre os saberes teórico- práticos; Desenvolver saberes, habilidades e conhecimentos técnicos, organizacionais, priorizando atitudes éticas, psicologicamente fundamentadas na formação de um cidadão profissional tecnicamente competente, com visão de futuro e com responsabilidade ambiental e social.

3 - PERFIL PROFISSIONAL DE CONCLUSÃO

Atuar em ações prevencionistas nos processos produtivos com auxílio de métodos e técnicas de identificação, avaliação e medidas de controle de riscos ambientais de acordo com normas regulamentadoras e princípios de higiene e saúde do trabalho. Desenvolver ações educativas na área de saúde e segurança do trabalho. Orientar o uso de Equipamentos de Proteção Individual (EPI) e Equipamentos de Proteção Coletiva (EPC). Coletar e organizar informações de saúde e de segurança no trabalho. Executar o Programa de Prevenção de Riscos Ambientais (PPRA). Investigar, analisar acidentes e recomendar medidas de prevenção e controle.

4

- REQUISITOS DE ACESSO

O acesso ao Curso Técnico de Nível Médio em Segurança no Trabalho dar- se-á através de Processo Seletivo, regulado por Edital próprio, o qual deverá avaliar os saberes e os conhecimentos adquiridos pelos candidatos, no Ensino Médio ou equivalente. Para tanto, o candidato deverá ter concluído ou estar cursando a 3ª série do Ensino Médio ou equivalente.

  • 5 - ORGANIZAÇÃO CURRICULAR

5.1 - FUNDAMENTAÇÃO LEGAL

Este Projeto Pedagógico de Curso foi elaborado em observância ao disposto na Lei n. 9.394, de 20 de dezembro de 1996, no Decreto n. 5154, de 23 de julho de 2004, na Lei n. 11.741, de 16 de julho de 2008, na Lei 11.892/08, de 29 de dezembro de 2008, no Parecer n. 39, de 8 de dezembro de 2004, na Resolução CNE/CEB n. 3/2008, atualizada pelo Parecer CNE/CEB n. 3, de 06 de junho de 2012, na Resolução CNE/CEB n. 6, de 20 de setembro de 2012; no Parecer n. 11, de 04 de setembro de 2012; no Parecer CNE/CEB n. 7, de 09 de julho de 2010, na Resolução CNE/CEB n. 4, de 13 de julho de 2010 e aos princípios contidos no Projeto Político Pedagógico Institucional e no Regulamento da Organização Didática.

5.2 - ORGANIZAÇÃO CURRICULAR

A organização curricular do Curso Técnico de Nível Médio em Segurança do Trabalho encontra-se respaldada em política pública para a educação profissional orientada para a superação da dicotomia trabalho manual X trabalho intelectual, através da construção de conhecimentos técnico-científicos, necessários ao desempenho de uma atividade laboral, que visa à qualificação nas dimensões sociais e profissionais da formação do trabalhador. Superando a sobreposição entre campos do conhecimento e campos da profissionalização. Essa perspectiva buscará inserir a dimensão intelectual ao trabalho produtivo, comprometendo-se, sobremaneira, com a atuação efetiva do trabalhador no sentido

social, em uma perspectiva de sujeito, com capacidade de gestão a sua formação continuada e os processos de trabalho de maneira crítica e autônoma. A operacionalização deste currículo demandará ações educativas que fomentem a construção de aprendizagens significativas e viabilizem a articulação e a mobilização dos saberes, estabelecendo um relacionamento ativo, construtivo e criador do conhecimento. O presente plano de curso será uma referência para o trabalho pedagógico a ser implementado. A organização do curso se dará, em regime semestral e terá a sua estrutura curricular composta por disciplinas que serão distribuídas em 4 períodos semestrais, cada período com duração de 18 semanas. Os períodos eletivos abordarão desde os Fundamentos de Segurança do Trabalho que desenvolverá as competências para o desenvolvimento e aplicação das normas regulamentadoras, como também conhecimentos no planejamento e implementação dos processos de gestão ambiental, bem como as habilidades nas práticas e controles preventivos da saúde física e mental do trabalhador. Esse currículo terá uma carga horária específica destinada à realização das Práticas Profissionais, realizadas por meio de Seminários, Trabalhos Extraclasse, visitas técnicas e desenvolvimento de atividades em empresas (após a conclusão do 2º período), Micro-estágio, elaboração e execução de cursos de atualização. Além das atividades propostas para a prática profissional, o estudante poderá optar pelo Estágio não obrigatório, que agregará valor a sua formação profissional, tal como previsto pela Lei 11.788 de 25.09.2009 que dispõe sobre o estágio de estudantes. Para integralização do curso, o aluno deverá cumprir uma carga horária total de 1380 horas, conforme matriz curricular abaixo apresentada.

5.3 TABELA DA MATRIZ CURRICULAR

Tabela 1: Matriz Curricular do Curso Técnico de Nível Médio em Segurança no Trabalho

 

1º PERÍODO

 

Código

 

Total de

 

Carga Horária

   
       

da

disciplina

Disciplina

aulas

semanais

Hora

Aula (50

min)

Hora

relógio

Teórica

Prática

Pré-

requisitos

 

Educação

3

 

45

  • 54 -

  • 45 -

 

Ambiental

 

Leitura e

4

 

60

  • 72 -

  • 60 -

 
 

Construção de

           

Textos

 

Segurança do

Trabalho I

4

72

60

 
  • 50 -

10

 
 

Riscos

Ocupacionais I

3

54

45

 
  • 40 -

5

 
 

Introdução a

           

Medicina do

3

54

45

  • 30 -

15

Trabalho

 

Legislação

3

54

45

 
  • 45 -

-

 

Aplicada

 

Inglês

3

54

45

 
  • 45 -

-

 

Instrumental

 

Carga Horária Total

414

345

315

30

 

Tabela 2: Matriz Curricular do Curso Técnico de Nível Médio em Segurança no Trabalho

 

2º PERÍODO

 
       

Carga Horária

   

Código

da

Disciplina

Total de

aulas

Hora

Aula

Hora

Teórica

Prática

Pré-

requisitos

disciplina

semanais

(50

relógio

min)

 
 

Segurança

           

nas

  • 10 Segurança

Instalações

3

54

  • 45 35

no trabalho I

Elétricas

 
             

Leitura e

Técnica de

Oratória

3

54

  • 45 35

  • 10 construção

de textos

 

Prevenção e

           

Combate a

4

72

  • 60 55

5

-

Sinistro

 

Riscos

         

Riscos

Ocupacionais

3

54

35

10

  • 45 Ocupacionais

II

I

 

Gestão

3

54

 

35

10

Educação

  • 45 Ambiental

Ambiental

 

Segurança

     

50

10

  • 60 Segurança

do Trabalho

4

72

II

no Trabalho I

 

Psicologia

           

Ocupacional

3

54

  • 45 35

10

-

I

Carga Horária Total

414

345

280

65

 

Tabela 3: Matriz Curricular do Curso Técnico de Nível Médio em Segurança no Trabalho

 

3º PERÍODO

 

Código

 

Total de

   

Carga Horária

   
       

da

disciplina

Disciplina

aulas

semanais

Hora

Aula (50

min)

Hora

relógio

Teórica

Prática

 

Pré-

requisitos

 

Prática

           

Profissional I

4

  • 72 60

30

30

 

-

 

Ergonomia

4

  • 72 60

 

50

10

 

-

 

Atmosfera

           

Explosiva e

Espaço

Confinado

3

  • 54 45

35

10

 

Prevenção e

combate a

incêndio

               

Psicologia

Psicologia

Ocupacional II

3

  • 54 45

35

10

Ocupacional

I

               

Segurança

Segurança do

Trabalho III

4

  • 72 60

50

10

no trabalho

II

 

Primeiros

           

Socorros

3

  • 54 45

30

15

 

-

 

Auditoria de

           

Sistemas de

3

  • 54 45

35

10

 

-

Gestão

 

Carga Horária Total

 

432

360

265

95

 

Tabela 4: Matriz Curricular do Curso Técnico de Nível Médio em Segurança no Trabalho

 

4º PERÍODO

 

Código

   

Total de

 

Carga Horária

   
       

da

disciplina

Disciplina

aulas

semanais

Hora

Aula

(50 min)

 

Hora

relógio

Teórica

Prática

Pré-

requisitos

 

Prática

         

Prática

Profissional

90

  • 5 75

45

30

Profissional

II

I

 

Segurança

           

na

Construção

Civil

  • 4 60

72

50

10

Segurança

no

Trabalho III

 

Controle de

Perdas

 
  • 3 45

54

 

35

10

-

 

Atendimento

           

a

Emergências

Ambientais

  • 3 45

54

35

10

Gestão

Ambiental

 

Programas

         

Segurança

de

  • 4 60

72

50

10

no

Segurança

Trabalho III

 

Saúde

 
  • 3 45

54

 

35

10

Introdução

 

Hospitalar

         

a Medicina

do

Trabalho

Carga Horária Total

396

330

250

80

 

Tabela 5: Resumo da Carga Horária do Curso

 

RESUMO

Carga horária teórica

1110

Carga horária prática

270

Carga horária total

1.380 h.r.

  • 6 CRITÉRIOS DE APROVEITAMENTO DE CONHECIMENTOS

Será concedido ao aluno o direito de aproveitamento de estudos concluídos com êxito, em nível de ensino equivalente, através de equivalência curricular ou exame de proficiência. A equivalência curricular e o exame de proficiência serão realizados de acordo com o Regulamento da Organização Didática do IFS e o Regulamento do Exame de Proficiência, cabendo o reconhecimento da identidade de valor formativo dos conteúdos e/ou conhecimentos requeridos.

  • 7 CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO

A avaliação do desempenho escolar será feita nos termos da organização didática do IFS, de forma processual, verificando o desenvolvimento dos saberes teóricos e práticos construídos ao longo do processo de aprendizagem. Dentre os instrumentos e técnicas de avaliação que poderão ser utilizados destacam-se o diálogo, a observação, a participação, as fichas de acompanhamento, os trabalhos individuais e em grupo, testes, provas, atividades práticas e a auto-avaliação. Nessa perspectiva, a avaliação deverá contemplar os seguintes critérios:

Prevalência dos aspectos qualitativos sobre os quantitativos;

Inclusão de tarefas contextualizadas;

Manutenção de diálogo permanente entre professor e aluno;

Utilização funcional do conhecimento;

O

aluno

só será considerado aprovado no período semestral se possuir

frequência igual ou superior a 75% no cômputo da carga horária total do módulo, bem como média igual ou superior a 6,0 (seis) em cada disciplina.

  • 8 - DIPLOMA/CERTIFICADO

Após integralizar todas as disciplinas e demais atividades previstas neste Projeto Pedagógico de Curso, o aluno fará jus ao Diploma de Técnico de Nível Médio em

Segurança do Trabalho.

  • 9 - INSTALAÇÕES E EQUIPAMENTOS

O Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Sergipe IFS (Campus Aracaju) proporcionará as instalações e equipamentos abaixo relacionados para atender as exigências do curso Técnico de Nível Médio em Segurança do Trabalho.

Tabela 6: Instalações

Item

Instalações

Quantidade

1

MANEQUIM PARA TREINAMENTO DE RESSUSCITAÇÃO CÁRDIO-PULMONAR

2

2

MURAL COM EPI´s (MÁCARAS, LUVAS, ÓCULOS, CAPACETE, PROTEÇÃO FACIAL E OUTROS

2

3

KED COLETE IMOBILIZADOR COMPLETO ADULTO E COLAR REGULÁVEL CERVICAL

2

4

PRANCHA PARA PRIMEIROS SOCORROS

1

5

MANTA ALUMINIZADA PARA COBERTURA DE VÍTIMAS DE ACIDENTES

4

 

CONJUNTO APARELHO AUTÔNOMO DE RESPIRAÇÃO DE AR COMPRIMIDO, COM

 

6

PRESSÃO POSITIVA E ACOPLAMENTO PARA MÁSCARA CARONA E CILINDRO DE FIBRA DE CARBONO

3

7

BONECOS DE EXPOSIÇÃO

2

8

KIT TESTE DE VEDAÇÃO PARA RESPIRADORES

1

(3M)

9

CHUVEIRO E LAVA-OLHOS

1

10

TV LCD DE 46”

1

11

DVD

1

12

DATA-SHOW

1

13

SALA COM AR CONDICIONADO SPLIT

1

14

QUADRO BRANCO E TELA DE PROJEÇÃO

1

Tabela 7: Equipamentos

Item

 

Equipamentos

 

Quantidade

 

TERMÔMETRO DE GLOBO DIGITAL MOD. TGD-

 

1

 

200

 

2

2

TERMÔMETRO DE GLOBO INSTRUTHERM

 

1

3

DECIBELIMETRO MOD DEC 460 REG.06010165

 

4

4

CALIBRADOR PARA DECIBELIMETRO

 

1

5

LUXÍMETRO DIGITAL 200.000 LUX

 

2

6

LUXÍMETRO DIGITAL/PORTÁTIL

 

1

7

 

DOSIMETRO DIGITAL LCD

 

2

8

DOSIMETRO DIGITAL INTRUTHERM

 

2

9

BOMBA DE AMOSTRAGEM DE POEIRA E GASES DIGITAL

 

2

10

BOMBA DE AMOSTRAGEM PESSOAL MOD BDXII

 

2

11

CALIBRADOR DE VAZÃO. MARCA GILIAN

 

1

12

 

EXPLOSIMETRO SCOUT

 

1

13

PSICROMETRO MANUAL. TERM. DE BULBO UMIDO/SECOE

 

1

14

ANEMOMETRO AD-250 INSTRUTHERM

 

1

15

TERMOHIGROMETRO DIG. BAT. MED. UMIDADE

 

3

16

MONITOR DE VIBRAÇÃO QUEST

 

1

17

AMOSTRADOR DE BIOAEROSSOLDE UM ESTÁGIOS, MODELO BIOAEROL1

 

1

18

KIT DOSIMETRO DE RUÍDO (SEM FIO), MODELO

 

1

 

EG5-D-10

19

DETECTOR DE 04 GASES, MOD. GASALERTMICROCLIP, SENDO: CO (MONÓXIDO DE CARBONO), H 2 S (ACIDO SULFIDRICO), O 2 (OXIGÊNIO) E LEL (GASES COMBUSTÍVEIS)

 

1

10 - CORPO DOCENTE E TÉCNICO ADMINISTRATIVO

 
 

Tabela 8: Pessoal Docente

 

FORMAÇÃO INICIAL

TITULAÇÃO

REGIME DE

 

NOME

TRABALHO

   

Especialista em

 

Adriano Ezequiel Silva

Arquiteto

Engenheiro de

40Hs

Segurança do

 

Trabalho

 
   

Especialista em

 

Andreza Menezes

Engenheira Civil

Engenheiro de

D.E.

Souza

Segurança do

 

Trabalho

 

Aroldo Hitoshi Otsuka

Engenharia Química

Mestre em Eng. Quimica

40Hs

Célia Maria Cardoso

Psicóloga

Especialista em

40Hs

 

FORMAÇÃO INICIAL

TITULAÇÃO

REGIME DE

NOME

TRABALHO

de R. Limeira

 

aprofundamento de práticas pedagógicas

 

Chirlaine Cristine Gonçalves

Enfermeira

Mestre em Saúde coletiva

40Hs

Fábio Brandão Britto

Engenheiro Mecânico

Mestre em Agroecossistemas

40Hs

Fernanda Patrícia Lima Torquato

Eng. Civil

Mestre em Eng. Sanitária e Ambiental

40Hs

Marcos Andre Santos Guedes

Engenharia de Materiais (Cerâmica, metais e polímeros)

Especialista em Engenharia de Segurança do Trabalho, Especialista em Sistema de Gestão Integrado SGI

40Hs

Marilda Colares Jardelina dos Santos

Engenheira Civil

Mestre em meio ambiente

40Hs

Maristela Gomes Pinto de Brito

Médica

Mestre em Administração de Recursos Humanos

40Hs

Patrícia Rodrigues Souza

Engenheira Química

Especialista em Engenharia de Segurança do Trabalho, Especialista em Eng. De Gás Natural, Especialista em Sistema de Gestão Integrado SGI

40Hs

Tabela 9: Pessoal Técnico-administrativo

 

FORMAÇÃO

REGIME DE

 

NOME

TRABALHO

CARGO

Rosemary Conceição Silva

Pedagogia

40 Hs

Pedagoga

11. ANEXOS 11.1 EMENTAS DAS DISCIPLINAS

1º PERÍODO

CURSO

TÉCNICO DE NÍVEL MÉDIO EM SEGURANÇA NO TRABALHO

   

CARGA

 

DISCIPLINA

Educação Ambiental

HORÁRIA

45 h.r.

PRÉ-

 

PERÍODO

 

REQUISITO(S)

-

  • 1. EMENTA

Introdução a pesquisa científica dirigida. Histórico, Definição, Interdisciplinaridade, Objetivos. O homem e o meio ambiente: percepção do problema e busca das soluções, normas de proteção dos recursos naturais; Ecologia e natureza cíclica; Poluição ambiental: água, solo e ar. Causas e consequências; Impactos ambientais:

global e local, consequências, Conferências Internacionais e Nacionais, Acordos Internacionais, Organizações Não Governamentais; Desenvolvimento sustentável x sustentabilidade corporativa, social e cívica; Crimes ambientais: Lei de crimes ambientais (Lei nº 9605 de 12/02/1998), aplicação da pena, da apreensão do produto e do instrumento de infração ou de crime; Gerenciamento de resíduos: conceitos, classificação de resíduos, resíduos de saúde, resíduos industriais, Resolução Conama nº 358, de 29/04/2005; Legislação Federal do Meio Ambiente: Constituição Federal, Leis Federais, Estaduais e Municipais, Resoluções do Conama, Código Florestal; Políticas ambientais: Histórico, Instrumentos Legais, Política Nacional do Meio Ambiente, Políticas integrantes da PNMA, Políticas Internacionais; Gerenciamento de resíduos: NR25.

  • 2. BIBLIOGRAFIA BÁSICA

FILHO, Antônio Nunes Barbosa. Segurança do Trabalho e Gestão Ambiental:editora Atlas;

GARCIA, Gustavo F. B. Meio Ambiente do Trabalho. 2ª 16d. Editora LTR,

2009.

LOUREIRO, Carlos Frederico Educaçao ambiental, gestão publica, movimentos sociais e formação humana Uma abordagem., Ed. Rima

3.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

DIAS, Genebaldo Freire. Educação Ambiental: Princípios e Práticas. 9º edição. São Paulo: Gaia, 2004; Ministério da Educação. Lei nº 9.795:

Política Nacional de Educação Ambiental, 1999. NOVO, Maria Villaverde ; CIMARRO, Aurélio Santisteban; SOBEJANO, Maria José. Juegos de Educacion Ambiental : Texto guia para o professor de nível médio e superior. SATO, Michele. Educação Ambiental.Editora Rima. SATO, Michele; CARVALHO, Isabel Cirstina de Moura. Educação Ambiental: Pesquisa e desafios. Porto Alegre:Editora Artmed,2012. SAUVÉ, Lucie 17d 17d. Educação Ambiental-uma relação construtiva entre a escola e a comunidade. Montreal:Projeto Edamaz, UQAM,2000.131p. BARSANO, Paulo Roberto. Meio ambiente: guia prático e didático. 1ª 17ditor. São 17dito: 17dito, 2012. TRENNEPOHL, Curt; Trennepohl,Terence. Licenciamento ambiental. 3ª 17ditor. Niterói: impetus,2010.

CURSO

 

TÉCNICO DE NÍVEL MÉDIO EM SEGURANÇA NO TRABALHO

     

CARGA

 

DISCIPLINA

 

Leitura e Construção de textos

HORÁRIA

60 h.r.

PRÉ-

   

PERÍODO

 

REQUISITO(S)

 

-

  • 1. EMENTA

Linguagem,

língua

e

fala.

Redação.

Técnicas

de

composição.

Percepção,

abstração, leitura do mundo. Leitura e interpretação de textos. Metodologia Científica

  • 2. BIBLIOGRAFIA BÁSICA

KUENZER, Acácia. Pedagogia da fabrica As Relações de produção e educação do trabalhador., Ed. Cortez, 2002 NORONHA, Curry, Helena. Análise de Erros: o que podemos aprender

com as respostas dos alunos

Edt. Autentica

.. RIBEIRO, M. L dos Santos. História da educação brasileira: A organização escolar, São Paulo, 1993

3.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

GARCIA, Othon Moacyr. Comunicação em prosa moderna: aprenda a

escrever, aprendendo a pensar. 23ª edição, Rio de Janeiro:FGV, 2003. INFANTE, Ulisses. Do texto ao texto: curso prático de leitura e redação. 6ª

edição, São Paulo:Scipione, 2000. MESQUITA, Roberto Melo. Gramática da Língua Portuguesa. São Paulo:

Saraiva, 1999. SAVIOLE F. P. & FIORINE J. L. Lições de Texto: Leitura e Redação. São Paulo: Ática, 2000.

CURSO

TÉCNICO DE NÍVEL MÉDIO EM SEGURANÇA NO TRABALHO

   

CARGA

 

DISCIPLINA

Segurança do Trabalho I

HORÁRIA

60 h.r.

PRÉ-

 

PERÍODO

 

REQUISITO(S)

-

  • 1. EMENTA

Interpretação e análise das normas: NR-11 NR-12; NR-13 e NR 14 Sistemas de

segurança em equipamentos e Proteção de Máquinas. Aplicação dos componentes eletromecânicos em máquinas e seus sistemas de proteção. Risco em caldeiras, bombas, compressores, transportadores, ferramentas manuais e motorizadas. Programas de manutenção e arranjo físico. Elaboração de ordem de serviço. Processos de soldagem e os riscos existentes. Interpretação e análise das normas: NR-11 NR-12; NR-13 e NR 14. Sistemas de proteção coletiva em equipamentos. Análise no Transporte, Armazenamento e Manuseio de Materiais e seus riscos.

  • 2. BIBLIOGRAFIA BÁSICA

Termos de Higiene Industrial: Fundação Mapre;

Legislação de Segurança e Saúde Ocupacional: Lei 6.514/77 e Portaria

3.214/78, Lei 5.889/73 ZOCCHIO, Álvaro Pedro; FERREIRA, Luiz Carlos. Segurança em Trabalho

com maquinaria:, editora LTr; BARBOSA, Antonio Nunes Filho. Segurança do Trabalho e Gestão Ambiental,

1ªEd. São Paulo, Ed.Atlas 2001. SAMPAIO, Gilberto Maffei A., Pontos de Partida em Segurança Industrial, Rio de janeiro, Ed. Qualitymark, 2003.

BURGESS, William A .Identificação de Possíveis riscos à saúde do trabalhador nos diversos processos industriais. São Paulo,Ed. Ergo ltda, 1997 MOURA,Reinaldo A. Segurança na Movimentação de Materiais, 19d Ivan Rossi Wainer, Emílio. Curso de Soldagem. São Paulo, ABM,1994 DRAGONI, José Fausto, Proteção de Máquinas, Equipamentos, Mecanismo e Cadeado de Segurança, Editora Ltr, 1ª edição, 2011 TELLES, Pedro Carlos Silva, Vasos de Pressão Edição 2 Editora Ltc, 1996 NR-13 Manual Técnico de Caldeiras e Vasos de Pressão Ministério do Trabalho 2006

CURSO

TÉCNICO DE NÍVEL MÉDIO EM SEGURANÇA NO TRABALHO

   

CARGA

 

DISCIPLINA

Riscos Ocupacionais I

HORÁRIA

45 h.r.

PRÉ-

 

PERÍODO

 

REQUISITO(S)

-

  • 1. EMENTA

Iluminação. Pressões anormais. Radiações ionizantes e não ionizantes, Avaliação e controle da exposição ao calor e Frio ; Riscos Ambientais. Limitar-se apenas aos riscos físicos. Histórico. Conceitos fundamentais. NR-15. Avaliação e controle da exposição ocupacional ao ruído. Exposição ocupacional às vibrações mecânicas. Iluminação. Pressões anormais. Radiações ionizantes e não ionizantes. Avaliação e controle da exposição ao calor. Frio Reconhecimento dos fatores intervenientes da exposição ocupacional. Riscos Ambientais: classificação das categorias de riscos Físicos. Agentes de riscos. Estudo e análise de casos de riscos medições com instrumentos específicos na área de segurança como: luxímetro, decibelímetro e etc. Análise de controle e aplicação de medidas de controle.

  • 2. BIBLIOGRAFIA BÁSICA

BREVIGLIERO, Ezio; POSSEBON, José e SPINELLI, Robson Higiene

Ocupacional Agentes Físicos, Químicos e Biológicos. 4ª Ed

..

Editora

SENAC, 2006. CAMPOS, Armando. Prevenção e Controle de Risco

Editora LTR, 2006.

.. SEBASTIÃO, Ivone Vieira. Manual de Segurança e Saúde no Trabalho:editora LTr;

  • 3. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

Manual Prático de Avaliação e Controle De Poeiras e outros particulados Ed. LTr Tuffi Messias Saliba.

Manual Prático de Avaliação e Controle do Calor Ed. LTr Tuffi Messias

Saliba. Manual Prático de Avaliação e Controle de Gases e Vapores Ed. LTr Tuffi Messias Saliba.

CURSO

TÉCNICO DE NÍVEL MÉDIO EM SEGURANÇA NO TRABALHO

   

CARGA

 

DISCIPLINA

Introdução à Medicina do Trabalho

HORÁRIA

45 h.r.

PRÉ-

 

PERÍODO

 

REQUISITO(S)

-

  • 1. EMENTA

Histórico, Conceituação e importância da medicina do trabalho. Serviços de medicina do trabalho. Aspectos epidemiológicos das doenças do trabalho. Vigilância da saúde na exposição a riscos ocupacionais. Educação e saúde do trabalho. Principais agentes tóxicos.

  • 2. BIBLIOGRAFIA BÁSICA

VIEIRA, Sebastião Ivone Medicina Básica do Trabalhoeditora GENESIS, edição n° 6; Legislação de Segurança e Saúde Ocupacional: Lei 6.514/77 e Portaria 3.214/78, Lei 5.889/73 e Portaria86/05 (NR 31) e Portaria 485/05 (NR 32), edição n°1;

SILVA, Paulo Fernando.

Manual

de

Patologia

e

Manutenção de

Pavimentos: Eng. editora PINI, edição n°1; BELLUSCI, Silvia Meirelles. Doenças Profissionais ou do trabalho, São Paulo, Ed. Senac 2010, 11ª Ed.

  • 3. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

BELLUSCI, Silvia Meirelles Doenças Profissionais ou do Trabalho. 10ª Ed. Editora Senac São Paulo, 2008. Manual de Legislação.Segurança e Medicina do Trabalho.Editora Atlas. MENDES, Renee.Patologia do Trabalho Atualizada e Ampliada.Editora Atheneu. VIEIRA, Sebastião Ivone.Medicina Básica do Trabalho.Editora Gênesis, 1995. SZABÓ JR. A. M. Manual de segurança, higiene e medicina do trabalho. 2.ed. São Paulo: Rideel, 2011. DIÁCOMO, R. M.; VIEIRA, S. I. Medicina básica do trabalho: legislação em

medicina do trabalho. Curitiba: Genesis, 1996 MORAES, M. V. Enfermagem do trabalho: programa, procedimentos e técnicas. 3.ed. rev. São Paulo: Iátria, 2011.

CURSO

TÉCNICO DE NÍVEL MÉDIO EM SEGURANÇA NO TRABALHO

   

CARGA

 

DISCIPLINA

Legislação Aplicada

HORÁRIA

45 h.r.

PRÉ-

 

PERÍODO

 

REQUISITO(S)

-

  • 1. EMENTA

Estudar preceitos constitucionais de proteção ao trabalho. Estudo do capítulo V da CLT. Legislação Previdenciária. Atribuições dos técnicos de segurança e suas responsabilidades civis e criminais diante do acidente e da doença do trabalho. Ética Profissional NR 27. Código de Ética; Capitulo V da CLT. NR 27 Registro Profissional do Técnico de Segurança do Trabalho no Mte; LEI 8.213 de 24/07/91; Responsabilidades civis e criminais diante do acidente e da doença do trabalho; Guia do Trabalhador Previdência Social. Legislação de segurança do trabalho NBR 14280. Histórico e Siglas de Segurança. Conceitos de Segurança. CAT.

  • 2. BIBLIOGRAFIA BÁSICA

OLIVEIRA, Juarez. Consolidação das Leis do Trabalho:editora Saraiva, edição n°13; CASIMIRO Armando; FERRARI Irany, MELCHIADES, Rodrigues Martins CLTeditora LTr; Legislação de Segurança e Saúde Ocupacional: Lei 6.514/77 e Portaria 3.214/78, Lei 5.889/73 e Portaria86/05 (NR 31) e Portaria 485/05 (NR 32), edição n°1; ARAUJO, Vaneska Donato. Responsabilidade Civil., Revista dos tribunais, 2008, São Paulo, 1ª Ed.

  • 3. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

Segurança e Medicina do Trabalho Ed. Atlas 2008

Manual de Saúde e Segurança do Trabalho Ed. LTr Vols. I, II e III

NASCIMENTO, Jose Augusto do Responsabilidade civil e criminal dos

profissionais do confea/CREA/mútua. Ed. Jus fórum. PERREIRA, Alexandre Demetrius Tratado de segurança e saúde ocupacional:

Aspectos técnicos e jurídicos,

CURSO

TÉCNICO DE NÍVEL MÉDIO EM SEGURANÇA NO TRABALHO

   

CARGA

 

DISCIPLINA

Inglês Instrumental

HORÁRIA

45 h.r.

PRÉ-

 

PERÍODO

 

REQUISITO(S)

-

  • 1. EMENTA

Estratégias de leitura em língua inglesa. Compreensão escrita de estruturas gramaticais básicas da língua. Estratégias de leitura em língua inglesa: General comprehesion, skimmimg, scanninig, prediction; Identificação de cognatos; Leitura de textos em inglês de acordo com a proposta do curso; Uso do dicionário/ identificação de grupos nominais e de conectivos.

  • 2. BIBLIOGRAFIA BÁSICA

MUNHOZ, R. Estratégias de leitura

Vol-2 . São Paulo. Texto novo, 2002

.. SOUZA, Adriana Grade Fiori Leitura em língua inglesa: Uma abordagem

instrumental., Ed. Atlas. Novo Dicionário de termos Técnicos: Ingles-Portugues. Dois volumes. 24ª Edic. Globo TORRES, Nelso. Gramática Pr´tatica da Lingua Inglesa: O inglês descomplicado., Ed. Saraiva, 2007, 10ª edição, São Paulo.

  • 3. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

GUANDALINI, E.O. Técnicas de leitura em inglês: ESP: estágio 1. São

Paulo: texto novo, 2002 STOFF, RUDOLF. Gramática de inglês. 1º edição, Editora presença

FONTES Martins. Gramatica prática do inglês Um gui a para quem tem medo da gramática inglesa. Editora WMF

2º PERÍODO

CURSO

TÉCNICO DE NÍVEL MÉDIO EM SEGURANÇA NO TRABALHO

   

CARGA

 

DISCIPLINA

Segurança nas Instalações Elétricas

HORÁRIA

45 h.r.

PRÉ-

 

PERÍODO

 

REQUISITO(S)

Segurança no trabalho I

  • 1. EMENTA

Introdução à segurança nas instalações elétricas. NBR 5410, nova NR 10, riscos elétricos, para-raios, APP, medidas de proteção para trabalhos com eletricidade. Conceitos sobre corrente, tensão, resistência elétrica e potência. Princípios do choque elétrico e seus efeitos. Riscos elétricos em máquinas e equipamentos. Análise preliminar de perigo ;Estudo dos Para-raios. Interpretação e análise das normas: NR-10 e NBR 5410. Medidas de proteção para trabalhos com eletricidade.

  • 2. BIBLIOGRAFIA BÁSICA

Legislação de Segurança e Saúde Ocupacional: Lei 6.514/77 e Portaria 3.214/78,

Lei 5.889/73 VIEIRA Sebastião Ivone Manual de Segurança e Saúde no Trabalho:editora

LTr; SALIBA, Tuffi Messias & CORREA, Márcia Angelim Chaves Insalubridade e Periculosidade.

CAMPOS, Armando. Prevenção e Controle de Risco

..

Editora LTR, 2006.

  • 3. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

NBR 5410 Instalações Elétricas em Baixa Tensão. ABNT Segurança em Serviço em Instalações Elétricas Curso Básico. Escola Politécnica da USP. São Paulo BARROS, Benjamim Ferreira de, GUIMARÃES Elaine Cristina de Almeida, BORELLI Reinaldo, GE Ricardo Luis . NR-10 GUIA PRÁTICO DE ANÁLISE E APLICAÇÃO, - Editora: Érica,2010

CURSO

TÉCNICO DE NÍVEL MÉDIO EM SEGURANÇA NO TRABALHO

   

CARGA

 

DISCIPLINA

Técnicas de Oratória

HORÁRIA

45 h.r.

PRÉ-

 

PERÍODO

 

REQUISITO(S)

Leitura e Construção de Texto

  • 1. EMENTA

Práticas de bom desempenho para falar em público de improviso. Posturas e contextualização. O que é Oratória; Relativismo no discurso; Elementos da comunicação oral; O signo linguístico e a clareza do discurso; Variedades linguísticas; Coesão do texto oral; Vícios de linguagem ; Prosódia; Ortoepia; Características do bom orador hoje; Qualidades do discurso hoje; Requisitos fundamentais para apresentação de palestras e explanações em geral.

  • 2. BIBLIOGRAFIA BÁSICA

Legislação de Segurança e Saúde Ocupacional: Lei 6.514/77 e Portaria 3.214/78, Lei 5.889/73

Pontos de vista. Edt. São Paulo: Cenpec, 2010

ZABALA, Antony. A prática educativa: Como ensinar.; Edt. Artmed.

JACKSON, W. M., Orações., Tradução por Camilo Castelo Branco, São Paulo, 1964

SOARES, José Luís., O rastro da vida: uma pequena história de bilhões de anos., São Paulo, Ed. Moderna, 1ª Ed. 1992

  • 3. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

CINTRA, J.C.A. Técnica de apresentação oratória aplicada às apresentações

com data-

show. São Paulo: Ed. Rima, 2007.

POLITO, Reinaldo. Como falar corretamente e sem inibições. São Paulo:

Saraiva, 2005.

POLITO, Reinado. Superdicas para falar bem: em conversas e apresentações. São Paulo: Saraiva, 2005.

POLITO,

Reinaldo. Vença o medo

de falar

em

público. Rio de Janeiro:

Saraiva, 1999.

CURSO

TÉCNICO DE NÍVEL MÉDIO EM SEGURANÇA NO TRABALHO

   

CARGA

 

DISCIPLINA

Prevenção e Combate a Sinistro

HORÁRIA

60 h.r.

PRÉ-

 

PERÍODO

 

REQUISITO(S)

-

  • 1. EMENTA

Conceitos gerais. Proteção e Combate a Incêndios (NR 23): química do fogo, sistemas de prevenção; sistemas de combate; rotas de fuga; brigado de emergência; plano de emergência. Proteção contra o risco de explosões: atmosferas explosivas. Interpretação e uso das normas: NR-19 (Explosivos); NR-20(líquidos combustíveis e Inflamáveis). Causas de Incêndios, Física e Química do fogo. Comportamento do fogo. Materiais perigosos classificação. Sistema de detecção do fogo e alarmes. Extintores portáteis, portas corta-fogo, abastecimento de água, sistemas de aspersão (sprinklers), Canhões, Esguichos, mangueiras. Normas da ABNT: NBR 9441 Detecção e Alarme, NBR 10898 Iluminação de Emergência, NBR 12693 Sistemas de Proteção por Extintores de Incêndio, NBR 13434 2 Sinalização, NBR 14227 Símbolos e Gráficos, NBR 9077 Saída de Emergências de Edifícios, Nr 19, Nr 20, Nr-23. Brigada de emergência; Plano de emergência; Simulados de emergência. Perigos das explosões. Classificação de explosivos. Documentos e Plantas necessárias para protocolo no corpo de bombeiros objetivando o Atestado de Regularidade.

  • 2. BIBLIOGRAFIA BÁSICA

PEREIRA, Anderson Guimarães. Segurança Contra Incêndios.,. Editora LTR, 2009.

Legislação de Segurança e Saúde Ocupacional: Lei 6.514/77 e Portaria 3.214/78, Lei 5.889/73

GONÇALVES,

Ary Sistema de Prevenção Contra Incêndio:editora

interciência; CAMPOS, Armando. Prevenção e Controle de Risco

..

Editora LTR, 2006.

  • 3. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

    • Manual de Saúde e Segurança do Trabalho Ed. LTr Vols. I, II e III

  • CAMILLO, Abel Batista Jr. Manual de prevenção e combate a incêndios. 2004, Ed.Senac.

  • GUIMARÃES, Leonam dos Santos. Segurança de Sítios Nucleares. Ed. Abdan, 2010

CURSO

TÉCNICO DE NÍVEL MÉDIO EM SEGURANÇA NO TRABALHO

   

CARGA

 

DISCIPLINA

Riscos Ocupacionais II

HORÁRIA

45 h.r.

PRÉ-

 

PERÍODO

 

REQUISITO(S)

Riscos Ocupacionais I

  • 1. EMENTA Generalidades: Ambientes Internos e Externos. Contaminantes Aéreos:

Toxicologia Ocupacional. Tipos de Toxidades. Tolerância as substâncias tóxicas, tempo de exposição, Propriedades nocivas das substâncias químicas, Entrada de elementos tóxicos no organismo humano, Fispq, Limites de exposição ocupacional à agentes químicos: uso da NR-15 e ACGIH. Controle dos perigos: Controles de Engenharia, Prática de trabalhos e controles administrativos, Equipamentos de proteção, Avaliação da exposição ocupacional, Estudo de GHE, noções sobre PPR, riscos biológicos. Programa de proteção respiratória. Equipamentos de proteção respiratório; filtros para aerodisérsóides. Riscos provenientes de produtos químicos: inerentes a ambientes industriais. Impacto de produtos perigosos no ar e água. Gases, vapores, fumos, poeiras, aerossóis, fumaças, neblinas. Produtos químicos que podem causar um ou mais efeitos tóxicos. Perigos ao homem e ao meio ambiente. Tolerância a exposição a substâncias tóxicas. Tempo de exposição e ao contato com os produtos químicos. Sistema circulatório, cutâneo, e respiratório. Doenças provocadas pelos contaminantes. Anexos da NR-15. Medidas de Proteção: Individual e coletiva. Estratégia de amostragem; coleta de materiais e análise do material coletado. Riscos Biológicos. Equipamentos de proteção respiratório; filtros para aerodispersóides.

  • 2. BIBLIOGRAFIA BÁSICA

PACHECO Waldemar Jr Qualidade na Segurança e Higiene do Trabalho:.

editora Atlas; SALIBA, Tuffi Messias e CORRÊA Márcia Angelim Chaves Manual Prático

de Avaliação e Controle de Gases e Vapores PPRA:editora LTr, edição n° 2; SALIBA, Tuffi Messias. Manual Prático de Avaliação e Controle de Poeira e outros Particulados PPRA editora LTr, edição n° 2;

CAMPOS, Armando. Prevenção e Controle de Risco

..

Editora LTR, 2006.

3.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

SALIBA, Tuffi Messias Manual para enquadramento de Insalubridade e Periculosidade Editora LTR .

SALIBA, Tuffi Messias Manual prático de avaliações ambientais Editora LTR

Segurança e Medicina do Trabalho- Editora Atlas NR 15

CURSO

TÉCNICO DE NÍVEL MÉDIO EM SEGURANÇA NO TRABALHO

   

CARGA

 

DISCIPLINA

Gestão Ambiental

HORÁRIA

45 h.r.

PRÉ-

 

PERÍODO

 

REQUISITO(S)

Educação Ambiental

  • 1. EMENTA

Desenvolvimento x Natureza, sociedade consciente, minimização e controle de resíduos, análise do ciclo e vida, sistema de gestão ambiental, produção mais limpa, ISO 14000. Desenvolvimento x Natureza. Sociedade Consciente. Comportamento ambiental nas empresas. Sistemas de Gestão Ambiental: aplicações, finalidades e benefícios potenciais. Normas ABNT Série ISO 14.000: Certificação ambiental. Auditoria Ambiental, princípios aplicáveis em Sistema de Gestão Ambiental. Ferramentas de gestão ambiental: Programa 5S, 5 Menos que são Mais; Produção Mais Limpa; A3P e outros. Instrumentos de gestão dos recursos hídricos. Programa Nacional do meio ambiente e SISNAMA , Resoluções CONAMA, Licenciamento ambiental:

conceito, objetivo, LP, LI e LO, bases legais, Instrumentos de avaliação de impactos ambientais: RCA/PCA e EIA/RIMA. Produção mais limpa: conceitos, Declaração Internacional, ecoeficiência, mercado de carbono, polêmicas ambientais, soluções ambientais. 1-Relação Desenvolvimento X Natureza: Sociedade consciente. 2-O conceito de gestão ambiental. Histórico da gestão ambiental no Brasil. As dimensões da gestão ambiental. A gestão ambiental na dimensão empresarial. Histórico da gestão ambiental nas empresas. Vantagens da gestão ambiental para as empresas. 3-O conceito de SGAs- Sistemas de Gestão Ambiental. Características de um SGA. Modelos de sistemas de gestão ambiental direcionados para empresas. 4-ISO 14001. Gestão Ambiental (ISO-14001). As etapas de implantação da ISO14001. Conceito de auditorias ambientais. Tipos e etapas de uma

auditoria

ambiental.

5-Instrumentos de apoio para a gestão ambiental: Análise de Ciclo de Vida (ACV); Programas de minimização e gerenciamento de resíduos industriais com enfoque na Produção Mais Limpa (P+L), Programa 5S, Cinco Menos que são Mais. 6-Instrumentos de Gestão de recursos hídricos: Instrumentos de

comando.

E

controle,

Instrumentos

para

tomada

de

decisão,

Incorporação

de

instrumentos econômicos.

  • 2. BIBLIOGRAFIA BÁSICA

 

GARCIA, Gustavo F. B Meio Ambiente do Trabalho. 2ª

Editora LTR,

 

2009.

 

FILHO, Antônio Nunes Barbosa Segurança do Trabalho e Gestão Ambiental:editora Atlas;

Legislação de Segurança e Saúde Ocupacional: Lei 6.514/77 e Portaria 3.214/78, Lei 5.889/73

CAMPOS, Armando. Prevenção e Controle de Risco

Editora LTR, 2006.

.. FILHO, Antônio Nunes Barbosa. Segurança do Trabalho e Gestão Ambiental:editora Atlas;

  • 3. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

ANDRADE, R.O.B. de; Tachizawa, T.,Carvalho, A.B. de. Gestão Ambiental:

enfoque estratégico aplicado ao desenvolvimento sustentável. 2ª Ed. Pearson Educacion do Brasil, 2002.

LOPES, I. V. (Org) Gestão Ambiental no Brasil: Experiências e Sucesso. Ed. Fundação Getulio Vargas. 5ª Ed. 2002

ABNT. Coletânea de normas de gestão ambiental. Rio de Janeiro, 1997.

BRAGA, R. Instrumento para a gestão ambiental e de recursos hídricos. Recife:

Ed. Universitária da UFPE, 2009.

CAJAZEIRA,

J.

E.

R.

ISO 14001

Qualitymark, 1998.

manual de implantação.

Rio

de

Janeiro:

DIAS, R. Gestão ambiental: responsabilidade social e sustentabilidade. São Paulo: Atlas 2ª 28d., 2011.

PHILIPPI JR., A.; ROMÉRO, M.A.; BRUNA, G. C. Curso de Gestão Ambiental. Barueri: Manole, 2004.

REIS, L.F.S.S.D.; QUEIROZ, S.M.P. Gestão ambiental em pequenas e médias empresas. Rio de Janeiro: Qualitymark, 2002.

ROVERE, E.

L.

L.

28d. 28d. Manual de

Janeiro: Qualitymark, 2001.

auditoria ambiental.

28d. Rio

de

CURSO

TÉCNICO DE NÍVEL MÉDIO EM SEGURANÇA NO TRABALHO

   

CARGA

 

DISCIPLINA

Segurança no Trabalho II

HORÁRIA

60 h.r.

PRÉ-

 

PERÍODO

 

REQUISITO(S)

Segurança no Trabalho I

  • 1. EMENTA Histórico e Siglas de Segurança. Conceitos de Segurança

As normas NR-1;

.. NR-2; NR-3; NR-4; NR-5,NR 6 e NR 28;CAT; OS; PT; mapas de riscos

  • 2. BIBLIOGRAFIA BÁSICA

Legislação de Segurança e Saúde Ocupacional: Lei 6.514/77 e Portaria 3.214/78, Lei 5.889/73 e Portaria86/05 (NR 31) e Portaria 485/05 (NR 32), edição n°1; Normas Regulamentadoras NR: editora Atlas, edição n°60, Portaria n° 3.214, de 8/6/1978;

Segurança e Medicina do Trabalho Normas Regulamentadoras NR (Manual de Legislação Lei No 6514 de 22 de dezembro de 1977). 67ª Ed. Equipe Atlas. Editora Atlas, 2011.

CAMPOS, Armando. Prevenção e Controle de Risco

Editora LTR, 2006.

.. SEBASTIÃO, Ivone Vieira. Manual de Segurança e Saúde no Trabalho:editora LTr;

  • 3. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR Curso Básico de Segurança e Saúde do Trabalho Ed. LTr. Manual de Saúde e Segurança do Trabalho Ed. LTr Vols. I, II e III. Segurança e Medicina do Trabalho Editora Atlas NR 12,3,4,5, 6 e 28.

CURSO

TÉCNICO DE NÍVEL MÉDIO EM SEGURANÇA NO TRABALHO

   

CARGA

 

DISCIPLINA

Psicologia Ocupacional I

HORÁRIA

45 h.r.

PRÉ-

 

PERÍODO

 

REQUISITO(S)

-

  • 1. EMENTA

A psicologia como ciência- Conceitos e perspectivas do estudo das organizações- O indivíduo e a organização- Cognição nas organizações do trabalho- Motivação no trabalho- Emoções e afetos- Satisfação no trabalho e comprometimento com a organização- Grupos e equipes de trabalho- Liderança e o poder nas organizações- Selecionando funcionários. Avaliação de satisfação no trabalho; Natureza de satisfação no trabalho; Conflito familiar/trabalho; Personalidade/trabalho; Características de Grupos e equipes de trabalho; Condições ambientais e desempenho no trabalho; Conduzindo um estudo de validação. Poder nas organizações.

  • 2. BIBLIOGRAFIA BÁSICA

VIEIRA, Sebastião Ivone Medicina Básica do Trabalho:editora GENESIS, edição n° 6;

Busca,

Salvamento

e

Resgate

em

Medicina Ocupacional:

FUNDACENTRO; LEAVELL, Hugh e CLARK, E. Gurney Medicina Preventiva:30ditor

MCGRAW-HILL; FERNANDES, Almesinda Martins de O. Psicologia e relações Humanas no Trabalho, 2ª Ed, 2006, Rio de Janeiro.

  • 3. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

Chanlat J. F. O indivíduo na organização. São Paulo. Ed. Atlas;

Foguel, S. J Souza, C.C. Desenvolvimento organizacional: crise

organizacional e deterioração organizacional. Ed. Atalas. São Paulo 1990 Spector, Paule. Psicologia nas organizações. São Paulo. Ed. Saraiva 2002;

A inteligência emocional. São Paulo. Objetiva, 1996

3º PERÍODO

CURSO

TÉCNICO DE NÍVEL MÉDIO EM SEGURANÇA NO TRABALHO

   

CARGA

 

DISCIPLINA

Prática Profissional I

HORÁRIA

60 h.r.

PRÉ-

 

PERÍODO

 

REQUISITO(S)

-

  • 1. EMENTA

Aplicação da Ordem de Serviço, Emissão da CAT, Treinamentos de SST, Elaboração da Comissão Interna de Prevenção de Acidentes, Elaboração do Mapa de Riscos Ambientais, Elaboração de Ficha de EPI, Check list do sistema de combate a incêndio, Auditar Ficha de Manutenção, Análise de Artigos Técnicos, Elaboração de APR (Análise Preliminar de Riscos) em empresas (micro e pequenas).Planejamento de Seminário. Objetivo da Prática Profissional, Aplicação da ordem de serviço com avaliação de grupos através de dinâmicas. Aplicação simulada de emissão de CAT conforme um caso prático de acidentes de trabalho, Preparação e aplicação de documentos do processo eleitoral de Cipa, Aplicação de mapa de riscos em campo, Vistoria em extintores com recomendações de melhoria. Aplicação de auditorias em fichas técnicas (manutenção), debates de artigos técnicos de revistas especializadas na área de SST, Aplicação de APR simulada em empresas de diversos segmentos industriais de micro e pequenas empresas do estado de Sergipe. Aplicação de Seminário Interdisciplinar.

  • 2. BIBLIOGRAFIA BÁSICA

Legislação de Segurança e Saúde Ocupacional: Lei 6.514/77 e Portaria

3.214/78, Lei 5.889/73 Segurança e Saúde no Trabalho editora IOB, edição n° 4 , Portaria Mtb

n° 3.214, de 8/6/78, e 3.067,de 12/4/88; VIEIRA, Sebastião Ivone Manual de Segurança e Saúde no Trabalho:

editora LTr; SEBASTIÃO, Ivone Vieira. Manual de Segurança e Saúde no Trabalho:

editora LTr; SHERIQUE, Jaques., Aprenda como fazer: PPRA, PCMAT, Ed. LTR, São Paulo, 2004 2ª Ed.

  • 3. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

Manual de Saúde e Segurança do Trabalho Edwar Abreu-Ed. LTR.

Revista Proteção

Revista Emergências

CURSO

TÉCNICO DE NÍVEL MÉDIO EM SEGURANÇA NO TRABALHO

   

CARGA

 

DISCIPLINA

Ergonomia

HORÁRIA

60 h.r.

PRÉ-

 

PERÍODO

 

REQUISITO(S)

-

  • 1. EMENTA

Histórico da ergonomia; Classificação da ergonomia Biomecânica ocupacional Noções e conceitos de antropometria. Concepção de um Laudo Ergonômico num caso prático. Interpretação e uso da NR-17. DORT; adaptações ao trabalho; novas tecnologias. Histórico da ergonomia; ergonomia do trabalho, classificação; ergonomia do produto e produção; organismo humano; confiabilidade humana; biomecânica ocupacional;trabalho sobre postura; Ações ergonômicas e análise do trabalho. Bases para a prática da ergonomia. A construção da ação ergonômica. A condução e análise em situações de trabalho. Noções e conceitos de antropometria. Concepção de um Laudo Ergonômico num caso prático. Interpretação e uso da NR-17. DORT; adaptações ao trabalho; novas tecnologias; ambientes para portadores de deficiência.

  • 2. BIBLIOGRAFIA BÁSICA

Legislação de Segurança e Saúde Ocupacional: Lei 6.514/77 e Portaria

3.214/78, Lei 5.889/73 VIEIRA, Sebastião Ivone Manual de Segurança e Saúde no Trabalho:editora LTr;

IIDA, Itiro, ERGONOMIA Projeto e produção; Ed. Edgard Blucher Ltda

MARTINEZ, Waldimir Novaes. PPP na aposentadoria especial: quem deve fazê-lo, como elaborá-lo, períodos incluídos, seus signatários, para quem entregá-lo 230 perguntas e respostas sobre PPP e o LTCAT, 2ª Ed, Ed. LTR, 2003, São Paulo.

  • 3. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

GRANDJEAN, Etienne. Manual de Ergonomia ; Ed. Bookman ltda

Segurança e Medicina do Trabalho Lei 6514 NR17. Ed. Atlas

Segurança e Medicina do Trabalho Normas Regulamentadoras NR (Manual de Legislação Lei No 6514 de 22 de dezembro de 1977). 67ª Ed. Equipe Atlas. Editora Atlas, 2011.

CURSO

TÉCNICO DE NÍVEL MÉDIO EM SEGURANÇA NO TRABALHO

 

Atmosfera Explosiva e Espaço

CARGA

 

DISCIPLINA

Confinado

HORÁRIA

45 h.r.

PRÉ-

 

PERÍODO

 

REQUISITO(S)

Prevenção e combate a incêndio

  • 1. EMENTA

Espaço Confinado (NR33) riscos respiratórios; APR. Filtros químicos. Seleção de respiradores para uso rotineiro. Exercícios de seleção de respiradores e filtros para diversas situações. Definições e tipos de ventilação industrial, ventilação natural. Componentes do sistema de ventilação: captores, ventiladores, dutos e exaustores. Conceitos de Periculosidade Agentes de Risco e definição de Áreas de Risco. Conceitos de Espaço Confinado Medidas de Prevenção; treinamento; sinalização e elaboração PET. Conceitos de Atmosfera Explosiva reconhecimento de áreas classificadas.

  • 2. BIBLIOGRAFIA BÁSICA

HENNIES, Wildor Theodoro e WEYNE, Gastão Rúbio de Sá Segurança na Mineração e no uso de Explosivos: - FUNDACENTRO, edição n° 2;

GONÇALVES,

Ary Sistema de Prevenção Contra Incêndio:editora

interciência; GUIMARÃES, Anderson Segurança Contra Incêndios. PEREIRA ,. Editora LTR, 2009.

  • 3. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

Atmosfera Explosiva Petrobrás

SALIBA, Tuffi Messias Manual para enquadramento de Insalubridade e

Periculosidade Editora LTR . Segurança e Medicina do Trabalho Editora Atlas NR 16 e NR- 33

Revista emergência

Revista proteção

CURSO

TÉCNICO DE NÍVEL MÉDIO EM SEGURANÇA NO TRABALHO

   

CARGA

 

DISCIPLINA

Psicologia Ocupacional II

HORÁRIA

45 h.r.

PRÉ-

 

PERÍODO

 

REQUISITO(S)

Psicologia Ocupacional I

  • 1. EMENTA

Sociedade organizacional- Aprendizagem humana em organizações e trabalho- Vínculos do indivíduo com a organização e com o trabalho- Cultura organizacional- Personalidade- Ajustamento e produtividade- Saúde mental e trabalho- Diversidade Cultural. Avaliação de satisfação no trabalho; Natureza de satisfação no trabalho; Conflito familiar/trabalho; Personalidade/trabalho; Conduzindo um estudo de validação. Estresse pós-traumático; Síndrome de Bounaut; Síndrome de TMRT; Condições ambientais e desempenho no trabalho.

  • 2. BIBLIOGRAFIA BÁSICA

VIEIRA, Sebastião Ivone Medicina Básica do Trabalho:editora GENESIS, edição n° 6;

Busca,

Salvamento

e

Resgate

em

Medicina Ocupacional:

FUNDACENTRO;

 

LEAVELL, Hugh e CLARK, E. Gurney Medicina Preventiva:editora

MCGRAW-HILL; FERNANDES, Almesinda Martins de O. Psicologia e relações Humanas no Trabalho, 2ª Ed, 2006, Rio de Janeiro. FERNANDES, Almesinda Martins de O. Psicologia e relações Humanas no Trabalho, 2ª Ed, 2006, Rio de Janeiro.

  • 3. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

CHANLAT J. F. O indivíduo na organização. São Paulo. Ed. Atlas;

FOGUEL, S. J Souza, C.C. Desenvolvimento organizacional: crise organizacional e deterioração organizacional. Ed. Atalas. São Paulo 199

SPECTOR, Paule. Psicologia nas organizações. São Paulo. Ed. Saraiva

2002;

CURSO

TÉCNICO DE NÍVEL MÉDIO EM SEGURANÇA NO TRABALHO

   

CARGA

 

DISCIPLINA

Segurança do Trabalho III

HORÁRIA

60 h.r.

PRÉ-

 

PERÍODO

 

REQUISITO(S)

Segurança do trabalho II

  • 1. EMENTA

Segurança e Saúde no Trabalho na agricultura, pecuária, silvicultura, exploração florestal e aquicultura (NR 31); Segurança e Saúde no Trabalho Portuário (NR 29) ; Segurança e Saúde no Trabalho Aquaviário NR 30. NR-34. Estudo detalhado da NR 31 PGSSMATR (Programas de Gestão de Segurança, Saúde e Meio Ambiente de Trabalho Rural), da NR 30 (Programa de Segurança e Saúde no Trabalho Aquaviário) e da NR 29 (Programa de Segurança, Higiene e Saúde nos Trabalhos Portuários). Elaboração, Gerenciamento e Implementação de Programas de Saúde, Segurança e Higiene relacionados com as: NR 31, NR 30 e NR29. Dimensionamento e adequação das Áreas de Vivencia baseados nas: NR 29, NR 30 e NR 31. Conceituação dos riscos ambientais: Físicos, Químicos e Biológicos. Estudo dos efeitos da exposição a riscos ambientais no organismo humano e medidas de controle e prevenção. Complementação com estudo das seguintes Normas Regulamentadoras:

NR-4 SESMT, NR-5 CIPA, NR-6 EPI, NR-9 PPRA. Estudo relacionado com resíduos provenientes dos processos produtivos, descarte e tratamento. Dimensionamento dos Serviços Especializados em Segurança e Saúde do trabalhador SESMT ou equivalente: SESSTP Serviço Especializado em Segurança e Saúde do Trabalhador Portuário (NR 29); SESTR Serviço Especializado em Segurança e Saúde no Trabalho Rural (NR 31). Dimensionamento das Comissões de prevenção de Acidentes no trabalho: CPATP Comissão de Prevenção de Acidentes no Trabalho Portuário (NR 29); GSSTB Grupo de Segurança e Saúde no Trabalho a Bordo dos Navios Mercantes (NR 30) e CIPATR Comissão Interna de Prevenção de Acidentes do Trabalho Rural (NR 31).

  • 2. BIBLIOGRAFIA BÁSICA

SHERIQUE, Jaques Aprenda como fazer: PPRA PCMAT PGR

LTCAT LT PPP GFIP

Editora LTR, 2010.

.. CAMPOS, Armando Comissão Interna de Prevenção de Acidentes

CIPA:, edição n° 10; VIEIRA Sebastião Ivone Manual de Segurança e Saúde no Trabalho:editora LTr;

  • 3. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

ARAÚJO, G. M. Normas Regulamentadoras comentadas. Volumes 1 e 2. Ed. Autor. 4ª Edição.

GARCIA, Eduardo, Aspectos de prevenção e controle de acidentes no trabalho com agrotóxicos. São Paulo: FUNDACENTRO, 2005.

HERALDO, Nelson Guimarães, MONTEIRO, Luiz Roberto. Vestimenta

 

Protetora

para

o

Aplicador

de

Pesticidas.

Campinas

SP:

FUNDACENTRO, 2005.

 

Manual de Auditoria em Segurança e Saúde no Publicação do MTE (2002).

Trabalho

Rural

Manual de Trabalho Portuário e Elementário Publicação MTE 2001.

NR Normas Regulamentadoras de Segurança e Medicina do Trabalho. Port. 3214-MTE de 08/06/78. In: Manuais de Legislação Atlas no. 16, São Paulo, ATLAS.

Portaria MTE 34, de 14/12/2000

 

CURSO

TÉCNICO DE NÍVEL MÉDIO EM SEGURANÇA NO TRABALHO

   

CARGA

 

DISCIPLINA

Primeiros Socorros

HORÁRIA

45 h.r.

PRÉ-

 

PERÍODO

 

REQUISITO(S)

-

1. EMENTA

Interpretação e análise dos procedimentos de primeiros socorros. Práticas e simulações de atendimento pré-hospitalar em casos de acidentes ou urgências. Noções de anatomia e fisiologia aplicada a primeiros socorros; Práticas de primeiros socorros para acidentes e doenças do trabalho devidos aos riscos químicos, biológicos, de acidentes e físicos, inclusive aqueles devido às instalações elétricas. Definições:

atendimento pré-hospitalar; suporte básico de vida; riscos de choque elétrico; ações do choque elétrico no organismo humano. Primeiros socorros para acidentes de origem elétrica. Procedimento básico para RCP Ressuscitação Cardio-pulmonar. Práticas de RCP com todos os alunos.

2.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

Busca,

Salvamento

e

Resgate

em

Medicina Ocupacional:

FUNDACENTRO; BOTELHO, Manoel Henrique Campos Manual de Primeiros Socorros do

Engenheiro e do Arquiteto; Primeiros Socorros Como Agir em Situações de Emergência. 2ª Ed. Editora Senac Nacional, 2004.

  • 3. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

NOVAES, Geovanni da S. e NOVAES, Jeferson da S. Manual de Primeiro Socorros - - Sprint 1994.

Primeiros Socorros, Bizjak, G & Berjeron, J.B.,- Atheneu,1999.

Doenças Profissionais ou do Trabalho. 10ª Ed. BELLUSCI, Silvia Meirelles Editora Senac São Paulo, 2008.

CURSO

TÉCNICO DE NÍVEL MÉDIO EM SEGURANÇA NO TRABALHO

   

CARGA

 

DISCIPLINA

Auditoria de Sistema de Gestão

HORÁRIA

45 h.r.

PRÉ-

 

PERÍODO

 

REQUISITO(S)

-

  • 1. EMENTA

Conceitos, estudo de casos práticos da aplicação de uma auditoria num sistema de gestão integrado existente em empresas. Uso das normas ISO 9001 e OHSAS

18001. Termos e definições da Qualidade.Relacionados com qualidade; Relacionados com a gestão; - Relacionados com a organização; - Relacionados com o processo e o produto; - Relacionados com a conformidade; - Relacionados com a característica; - Relacionados com a documentação; Relacionados com o exame; - Relacionados com a auditoria; - Relacionados com a garantia da qualidade para os processos de medição Métodos de solução de problemas. Técnicas gráficas de identificação do problema:

Fluxograma, folha de verificação. Técnicas gráficas de análise do problema: Histograma, diagrama de dispersão. Técnicas gráficas de identificação e análise do problema:

Diagrama de Pareto, diagrama causa e efeito. Ciclo PDCA (PLAN, DO, CHECK,

ACTION). Fundamentos de Sistemas de Gestão da Qualidade ISO 9001. Objetivo; - Aplicação; - Requisitos para sistemas de gestão da qualidade. Função da alta direção no sistema de gestão de qualidade; Política de qualidade. Abordagem de sistemas de gestão de qualidade. avaliação de sistemas de gestão de qualidade: auditoria, análise crítica e auto- avaliação. Melhoria contínua, ação corretiva e ação preventiva; - Documentação de sistemas de gestão de qualidade. 5Elementos do Sistema de Gestão de Segurança e Saúde Ocupacional OHSAS 18001. Objetivo; Aplicação; Análise crítica inicial da situação de SSO. Política de SSO; - Requisitos técnicos e legais; Objetivos e metas de SSO; Programa de Gestão de SSO; - Implementação e operação: responsabilidade; treinamento; documentação; controle de documentos dados; controle operacional; preparação e atendimento a emergências. Verificação e ação corretiva: monitoramento e mensuração do desempenho; acidentes, incidentes, não-conformidades e ações corretivas e preventivas; controle de registros; auditoria; análise crítica.

  • 2. BIBLIOGRAFIA BÁSICA

CERQUEIRA, Jorge Pereira Sistemas de gestão integrado ISO 9001,14001,OHSAS 18001,SA 8000, NBR, , Ed. Qualitymarkt, 2005

SOUZA, Roberto de Sistema de Gestão de qualidade para empresa construtoras., ET AL ; Edt. Pini

ORAL, Eliza; OGLIARI, Andre e ABREU, Aline França de. Gestão integrada da inovação, C; Ed. Atlas

  • 3. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

BS 8800:1996. Diretrizes para Sistemas de Gerenciamento de Segurança e Saúde Ocupacional.

NBR ISO 9000:2000. Sistema de Gestão de Qualidade Fundamentos e vocabulários.

NBR ISO 9000:2001: Sistema de Gestão de Qualidade Requisitos.

 

OHSAS

18001:1998,

Specification

for

Ocupational

and

Health

Management Systems.

BRASSAR, D.M. Qualidade Ferramenta para uma melhoria contínua. Rio de Janeiro: Qualitymark, 1992.

PALADINI, E.P. Gestão da Qualidade. Teoria e Prática. São Paulo: Atlas,

2002.

4º PERÍODO

CURSO

TÉCNICO DE NÍVEL MÉDIO EM SEGURANÇA NO TRABALHO

   

CARGA

 

DISCIPLINA

Prática Profissional II

HORÁRIA

75 h.r.

PRÉ-

 

PERÍODO

 

REQUISITO(S)

Prática Profissional I

  • 1. EMENTA

Redação técnica/Elaboração de relatórios técnicos; Aplicação da Ordem de Serviço em atividades insalubres/periculosas, Treinamentos de SST, Informações para a elaboração do PPRA, Observação planejada de atos inseguros, Relatório de ocorrência de acidentes, Reunião de DDS interdisciplinar, acidentes fatais: o que fazer? Desenvolvendo e ministrando treinamentos de liderança, boas práticas em instrumentação, Promoção de seminários interdisciplinares; Aplicação da redação técnica voltada a Prática Profissional nas empresas através de inspeções rotineiras, Aplicação da ordem de serviço com avaliação de grupos através de dinâmicas em atividades insalubres/periculosas. Aplicação simulada de treinamentos com casos práticos de acidentes de trabalho e doenças do trabalhador, Preparação e aplicação de documentos da NR-09 (PPRA), Aplicação de mapa de acidentes em campo e registro de relatório envolvendo apresentação do caso, Práticas de reuniões de segurança com equipes de trabalho após acidente fatal. Debates de artigos técnicos de revistas especializadas na área de SST, Construção e Aplicação de práticas de liderança; simulados com instrumentos de higiene ocupacional. Planejamento e Aplicação de Seminário Interdisciplinar.

  • 2. BIBLIOGRAFIA BÁSICA

Legislação de Segurança e Saúde Ocupacional: Lei 6.514/77 e Portaria 3.214/78, Lei 5.889/73

PEREIRA,

Alexandre

Demetrius

Tratado de Segurança e Saúde

Ocupacional:; SEBASTIÃO, Ivone Vieira Manual de Segurança e Saúde no Trabalho:editora LTr; Vol I , Vol II Vol III

MARTINEZ, Waldimir Novaes. PPP na aposentadoria especial: quem deve fazê-lo, como elaborá-lo, períodos incluídos, seus signatários, para quem entregá-lo 230 perguntas e respostas sobre PPP e o LTCAT, 2ª Ed, Ed. LTR, 2003, São Paulo.

  • 3. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

Normas Regulamentadoras Comentadas

Manual de Saúde e Segurança do Trabalho Edwar Abreu-Ed. LTR.

Revista Proteção

Revista Emergências

CURSO

TÉCNICO DE NÍVEL MÉDIO EM SEGURANÇA NO TRABALHO

   

CARGA

 

DISCIPLINA

Segurança na Construção Civil

HORÁRIA

60 h.r.

PRÉ-

 

PERÍODO

 

REQUISITO(S)

Segurança no Trabalho III

  • 1. EMENTA

Interpretação e uso da NR-18. Concepção de um PCMAT Programa de Condições do Meio Ambiente do Trabalho na Construção Civil; Edificações (NR 8); Condições Sanitárias e de conforto nos locais de trabalho; Trabalho a Céu Aberto(NR 21). Estudo detalhado da NR 8 (Edificações); NR-18 (Programa de Condições do Meio Ambiente do Trabalho na Construção Civil), NR 21 Trabalho a Céu Aberto; NR 25 (Resíduos Industriais). Elaboração, Gerenciamento e Implementação de Programas de Saúde, Segurança e Higiene relacionados com as: NR 8; NR-18; NR 21; - Elaboração da documentação a ser apresentada a DRT’s e aos Auditores Fiscais. – Dimensionamento e adequação das Áreas de Vivência baseadas nas: NR 8; NR18; NR21. Conceituação dos riscos ambientais: Físicos, Químicos e Biológicos. Estudo dos efeitos da exposição a riscos ambientais no organismo humano e medidas de controle e prevenção. Complementação com estudo das seguintes Normas Regulamentadoras: NR-4 SESMT, NR-5 CIPA, NR-6 EPI, NR-9 PPRA. Estudo relacionado com resíduos provenientes dos processos produtivos, descarte e tratamento. Elaboração de procedimentos relativos à fase da obra e Setor de Serviços. Elaboração de treinamento especifico por fase de obra. – Especificação de EPI’s por funções e fases de obra. Noções de Locais e Espaços Confinados.

Dimensionamentos e localização dos equipamentos de Proteção contra incêndios. Noções de Sinalização de Segurança. Dimensionamento dos Serviços Especializados em Segurança e Saúde do trabalhador. Dimensionamento da Comissão Interna de Prevenção de Acidentes CIPA nas empresas da indústria da construção Observação das Recomendações Técnicas de Procedimentos RTP elaboradas pela FUNDACENTRO.

  • 2. BIBLIOGRAFIA BÁSICA

ROUSSELET, Edison da Silva e FALCÃO, César A Segurança na Obra:

editora Interciência; Legislação de Segurança e Saúde Ocupacional: Lei 6.514/77 e Portaria 3.214/78, Lei 5.889/73

SÁ, Anneliza Soares de. Manual prático da Nr18: Condições e meio ambiente de trabalho na industria da construção;; Edt. LTR

ROUSSELET, Edison da Silva. A segurança na obra: manual técnico de segurança do trabalho em edificações prediais/ Edison da Silva Rousselet, Cesar Falcão, Rio de Janeiro : Interciência, 1999

  • 3. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

ARAÚJO, G. M. Normas Regulamentadoras Comentadas. Volumes 1 e 2. Ed. Autor. 4ª Edição.

ROUSSELET,

 

Edison

da

Silva.

Manual

de

Procedimentos

para

Implantação

de

Canteiros

de

Obras

na

Indústria

da

Construção.

SECONCI-RIO.

 

RTP

RECOMENDAÇÃO

TÉCNICA

DE

PROCEDIMENTOS.

FUNDACENTRO. 2001

 

SHERIQUE, J., Aprenda como fazer PPRA, PCMAT e MRA. Editora LTR. São Paulo.

SALIBA, T. M., Curso Básico de Segurança e Higiene Ocupacional. Editora LTR. 2004. São Paulo.

SALIBA, T. M., CORREA, M. A., 42d all., Higiene do trabalho e programa de prevenção de riscos ambientais. Editora LTR. São Paulo, 2001.

SOUZA, Telmo Camilo

de.

Prevenção

dos

Riscos

Laborais

nas

Marcenarias e Carpintarias DRT/SC MTE.

CURSO

TÉCNICO DE NÍVEL MÉDIO EM SEGURANÇA NO TRABALHO

   

CARGA

 

DISCIPLINA

Controle de Perdas

HORÁRIA

45 h.r.

PRÉ-

 

PERÍODO

 

REQUISITO(S)

-

  • 1. EMENTA Conceitos gerais. Análise de causas e eventos

Programas de prevenção e

.. controle de perdas nas empresas. APR. Estudo de caso. Análise de riscos.

Análise e Investigação de Acidentes com casos práticos. Fundamentos da prevenção e controle de perdas. Controle de acidentes com danos a propriedade. Elementos básicos para um programa de segurança. Controle de identificação das causas dos acidentes. Administração de riscos. Técnicas de análise. Controle de perdas e perícias trabalhistas. Estudo de casos práticos para investigação de acidentes.

  • 2. BIBLIOGRAFIA BASICA

CAMPOS, Armando Prevenção e Controle de Risco

..

Editora LTR, 2006.

ZOCCHIO, Álvaro Vítimas, Causas e Cúmplices de Acidentes de

Trabalho

..

Editora LTR, 2004.

Introdução à Engenharia de Segurança de Sistemas: FUNDACENTRO, edição n°3;

  • 3. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

CAMPOS,

Vicente

Falconi.

Controle

de

Qualidade

Total.

Rio

de

Janeiro: Bloch,1992

 

TAVARES, J. da C. Noções de prevenção e controle de perdas em segurança do trabalho. São Paulo: SENAC, 2006

VIANNA, Freitas Bastos. Manual de prevenção de acidentes. Rio de Janeiro:, 1976

ZOCCHIO, Álvaro. Prática de prevenção de acidentes. São Paulo:

Atlas, 1965

CURSO

TÉCNICO DE NÍVEL MÉDIO EM SEGURANÇA NO TRABALHO

   

CARGA

 

DISCIPLINA

Atendimento a Emergências Ambiental

HORÁRIA

45 h.r.

PRÉ-

 

PERÍODO

 

REQUISITO(S)

Gestão Ambiental

  • 1. EMENTA

Atendimento a emergências químicas. Prevenção, controle de emergências e remediação; Plano de Ação de emergência. Aspectos legais nas emergências químicas,atendimento a emergências químicas. Aspectos sobre segurança do trabalhador durante o atendimento emergencial. Panorama do Transporte Terrestre de Produtos Perigosos. Gestão ambiental no transporte terrestre de produtos perigosos. Plano de Ação de emergência: Metodologia, importância, estudo de casos. Catástrofes/desastres ambientais e seus impactos. Sistemas de Gerenciamento e Resposta a Acidentes Industriais.

  • 2. BIBLIOGRAFIA BÁSICA

SANCHEZ, Luis Henrique Avaliação de impacto ambiental: Conceitos e método., São Paulo, Oficina de textos.

Avaliação e pericia ambiental. Edt. Bertran, Brasil 2012

A lei da natureza: Lei de crimes ambientais, Ibama, Edt. Brasília, 1998

  • 3. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

DANTAS, Marcelo Buzaglo ,Tutela de Urgência nas Lides Ambientais Editora: FORENSE UNIVERSITÁRIA

MARIANO,Jacqueline Barboza, Impactos Ambientais do Refino de Petróleo Editora: INTERCIENCIA

SILVA, Ivan da ,Crimes Ambientais e Juizados Especiais Juruá Editora

CURSO

TÉCNICO DE NÍVEL MÉDIO EM SEGURANÇA NO TRABALHO

   

CARGA

 

DISCIPLINA

Programas de Segurança

HORÁRIA

60 h.r.

PRÉ-

Gestão Ambiental Segurança do

PERÍODO

 

REQUISITO(S)

Trabalho III

SALIBA, Tuffi Messias Manual Prático de Avaliação e Controle do Ruído PPRA: editora LTr, edição n° 3;

SALIBA, Tuffi Messias Manual Prático de Avaliação e Controle de Calor

PPRA editora LTr, edição n° 2; SHERIQUE, Jaques. Aprenda como fazer: PPRA PCMAT PGR

LTCAT LT PPP GFIP

..

Editora LTR, 2010.

  • 3. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

ARAÚJO, G. M. Normas Regulamentadoras Comentadas. Volumes 1 e 2. Ed. Autor. 4ª Edição.

NR Normas Regulamentadoras de Segurança e Medicina do Trabalho. Port. 3214-MTE de 08/06/78. In: Manuais de Legislação Atlas no. 16, São Paulo, ATLAS.

SHERIQUE, J., Aprenda como fazer PPRA, PCMAT e MRA. Editora LTR. São Paulo.

SALIBA, T. M., Manual prático de avaliação e controle de ruído PPRA. Editora LTR São Paulo.

SALIBA, T. M., Manual prático de avaliação e controle de calor PPRA. Editora LTR. São Paulo.

SALIBA, T. M., Manual prático de avaliação e controle de poeira e outros particulados PPRA. Editora LTR. São Paulo.

SALIBA, T. M., Manual prático de avaliação e controle de gases e vapores

PPRA.

Editora LTR. São Paulo.

SALIBA, Tuffi Messias & CORREA, Marcia Angelim Chaves Manual Prático de Avaliação e Controle de Gases e Vapores PPRA. 3ª Ed .. Editora LTR, 2009. SANTOS, Milena Sanches Tayano dos; ET AL Segurança e saúde no trabalho em perguntas e respostas,; Edt. Thonson, 2005

CURSO

TÉCNICO DE NÍVEL MÉDIO EM SEGURANÇA NO TRABALHO

   

CARGA

 

DISCIPLINA

Saúde Hospitalar

HORÁRIA

45 h.r.

PRÉ-

 

PERÍODO

 

REQUISITO(S)

Introdução a medicina do trabalho

  • 1. EMENTA

Interpretação e análise das normas: NR-07 NR-32; Interpretação e uso da NR-7. Concepção de um Programa de Controle Médico da Saúde Ocupacional . Estudo de Caso. Segurança Hospitalar NR-32.

  • 2. BIBLIOGRAFIA BÁSICA

HUGH,

Leavell

e

GURNEY,

E.

Clark

Medicina

Preventiva:

45ditor

MCGRAW-HILL; MAGALHÃES, Lúcio Flávio de Segurança Aplicada às instalações

hospitalares:editora Senac, edição n°4; Primeiros Socorros Como Agir em Situações de Emergência. 2ª Ed. Editora Senac Nacional, 2004

Manual de Legislação.Segurança e Medicina do Trabalho.Editora Atlas.

MENDES, Renee.Patologia do Trabalho Atualizada e Ampliada.Editora Atheneu.

VIEIRA,Sebastião Ivone. Medicina Básica do Trabalho. Editora

Gênesis,1995.

  • 11.2 TABELA DE EQUIVALÊNCIA DAS DISCIPLINAS

Matriz Curricular n. 7532

Matriz Curricular atual

 

Leitura e Construção de Textos

Leitura e Construção de Textos Segurança do Trabalho I

 

Riscos Ocupacionais

Segurança do Trabalho I Riscos Ocupacionais I

Introdução a Medicina do Trabalho

 
 

Introdução a Medicina do Trabalho Riscos Ocupacionais II

Agentes Químicos Atmosfera Explosiva e Espaço Confinado

Atmosfera Explosiva e Espaço Confinado

   

Segurança nas Instalações Elétricas Técnica de Oratória

Segurança nas Instalações Elétricas Técnica de Oratória

Primeiros Socorros

Primeiros Socorros

Inglês Instrumental

Inglês Instrumental

Psicologia Ocupacional I

Psicologia Ocupacional I

   

Ergonomia Gestão Ambiental

Ergonomia Gestão Ambiental

Prevenção e Combate a Sinistro

 
 

Prevenção e Combate a Sinistro Legislação Aplicada

Legislação Aplicada Auditoria de Sistemas de Gestão

Auditoria de Sistemas de Gestão

Segurança na Construção Civil

Segurança na Construção Civil

   

Educação Ambiental Controle de Perdas

Educação Ambiental Controle de Perdas

Atendimento a Emergências Ambientais

Atendimento a Emergências Ambientais

Programas de Segurança

Programas de Segurança

   

Psicologia Ocupacional II Saúde Hospitalar

Psicologia Ocupacional II Saúde Hospitalar

Segurança do Trabalho II

Segurança do Trabalho II

   

Segurança do Trabalho III Prática Profissional I

Segurança do Trabalho III Prática Profissional I

Prática Profissional II

Prática Profissional II