Você está na página 1de 14

Noruega como Modelo de Reabilitação de Criminosos

O Brasil é responsável por uma das mais altas taxas de reincidência


criminal em todo o mundo. No país, a taxa média de reincidência (amplamente
admitida mas nunca comprovada empiricamente) é de mais ou menos 70%, ou
seja, 7 em cada 10 criminosos voltam a cometer algum tipo de crime após
saírem da cadeia.

Alguns perguntariam “Por quê?”. E eu pergunto: “Por que não?” O que


esperar de um sistema que propõe reabilitar e reinserir aqueles que cometerem
algum tipo de crime, mas nada oferece, para que essa situação realmente
aconteça? Presídios em estado de depredação total, pouquíssimos programas
educacionais e laborais para os detentos, praticamente nenhum incentivo
cultural, e, ainda, uma sinistra cultura (mas que diverte muitas pessoas) de que
bandido bom é bandido morto (a vingança é uma festa, dizia Nietzsche).
Situação contrária é encontrada na Noruega. Considerada pela ONU, em 2012,
o melhor país para se viver (1º no ranking do IDH) e, de acordo com
levantamento feito pelo Instituto Avante Brasil, o 8º país com a menor taxa de
homicídios no mundo, lá o sistema carcerário chega a reabilitar 80% dos
criminosos, ou seja, apenas 2 em cada 10 presos voltam a cometer crimes; é
uma das menores taxas de reincidência do mundo.

Em uma prisão em Bastoy, chamada de ilha paradisíaca, essa


reincidência é de cerca de 16% entre os homicidas, estupradores e traficantes
que por ali passaram. Os EUA chegam a registrar 60% de reincidência e o
Reino Unido, 50%. A média europeia é 50%. A Noruega associa as baixas
taxas de reincidência ao fato de ter seu sistema penal pautado na reabilitação e
não na punição por vingança ou retaliação do criminoso. A reabilitação, nesse
caso, não é uma opção, ela é obrigatória.

Dessa forma, qualquer criminoso poderá ser condenado à pena máxima


prevista pela legislação do país (21 anos), e, se o indivíduo não comprovar
estar totalmente reabilitado para o convívio social, a pena será prorrogada, em
mais 5 anos, até que sua reintegração seja comprovada. O presídio é um
prédio, em meio a uma floresta, decorado com grafites e quadros nos
corredores, e no qual as celas não possuem grades, mas sim uma boa cama,
banheiro com vaso sanitário, chuveiro, toalhas brancas e porta, televisão de
tela plana, mesa, cadeira e armário, quadro para afixar papéis e fotos, além de
geladeiras. Encontra-se lá uma ampla biblioteca, ginásio de esportes, campo
de futebol, chalés para os presos receberem os familiares, estúdio de gravação
de música e oficinas de trabalho. Nessas oficinas são oferecidos cursos de
formação profissional, cursos educacionais, e o trabalhador recebe uma
pequena remuneração. Para controlar o ócio, oferecer muitas atividades, de
educação, de trabalho e de lazer, é a estratégia.
A prisão é construída em blocos de oito celas cada (alguns dos presos,
como estupradores e pedófilos, ficam em blocos separados). Cada bloco tem
sua cozinha. A comida é fornecida pela prisão, mas é preparada pelos próprios
detentos, que podem comprar alimentos no mercado interno para abastecer
seus refrigeradores. Todos os responsáveis pelo cuidado dos detentos devem
passar por no mínimo dois anos de preparação para o cargo, em um curso
superior, tendo como obrigação fundamental mostrar respeito a todos que ali
estão. Partem do pressuposto que, ao mostrarem respeito, os outros também
aprenderão a respeitar.

A diferença do sistema de execução penal norueguês em relação ao


sistema da maioria dos países, como o brasileiro, americano, inglês, é que ele
é fundamentado na ideia de que a prisão é a privação da liberdade, e pautado
na reabilitação e não no tratamento cruel e na vingança. O detento, nesse
modelo, é obrigado a mostrar progressos educacionais, laborais e
comportamentais, e, dessa forma, provar que pode ter o direito de exercer sua
liberdade novamente junto à sociedade.

A diferença entre os dois países (Noruega e Brasil) é a seguinte:


enquanto lá os presos saem e praticamente não cometem crimes, respeitando
a população, aqui os presos saem roubando e matando pessoas. Mas essas
são consequências aparentemente colaterais, porque a população manifesta
muito mais prazer no massacre contra o preso produzido dentro dos presídios
(a vingança é uma festa, dizia Nietzsche).

LUIZ FLÁVIO GOMES, jurista, diretor-presidente do Instituto Avante Brasil e


coeditor do Portal atualidadesdodireito.com.br. Estou no blogdolfg.com.br. **
Colaborou Flávia Mestriner Botelho, socióloga e pesquisadora do Instituto
Avante Brasil.

FONTE: Adaptado de http://institutoavantebrasil.com.br/noruega-como-


modelo-dereabilitacao-de-criminosos/

Após a leitura atenta do texto apresentado a seguir, responda às questões


propostas.

“Mas essas são consequências aparentemente colaterais, porque a população


manifesta muito mais prazer no massacre contra o preso produzido dentro dos
presídios “.

1- Há um trecho, dentro do período destacado acima, que provoca


ambiguidade. Marque-o:

[A] aparentemente colaterais


[B] produzido dentro dos presídios

[C] contra o preso

[D] manifesta mais prazer

[E] no massacre

2- Em dois momentos do texto, o redator cita Nietzsche, que teria afirmado: “a


vingança é uma festa”. A partir do que se depreende da leitura, essa “festa”
significa

[A] uma notória satisfação das pessoas em geral em relação às matanças e às


condições humilhantes a que são submetidos os presos no Brasil.

[B] um presídio cujas celas contenham uma cama, vaso sanitário, chuveiro,
toalhas brancas, televisão de tela plana, composto, ainda, por ampla biblioteca,
ginásio de esportes e chalés para os presos receberem seus familiares.

[C] uma sinistra cultura de nada oferecer para que um criminoso possa se
reabilitar e ser reinserido em uma sociedade que conta com presídios em
estado de depredação total e pouquíssimos programas educacionais para os
detentos.

[D] a situação de ser considerada, a Noruega, o melhor país para se viver, com
a menor taxa de homicídios do mundo, onde o sistema carcerário chega a
reabilitar cerca de 80% dos criminosos.

[E] a atitude dos presos no Brasil que, após o cumprimento da pena, exercem
sua liberdade roubando e matando as pessoas, comprovando que o sistema
poderia ser melhor se aderisse ao adágio “bandido bom é bandido morto”.

3- Em “Alguns perguntariam ‘Por quê?’. E eu pergunto: ‘Por que não?”, as


perguntas retóricas constituem:

[A] crítica ao senso comum, por meio do discurso subjetivo.

[B] linguagem apelativa, com intuito de persuadir o leitor.

[C] verossimilhança, por meio do discurso direto.

[D] diálogo entre textos, fazendo alusão ao discurso alheio.

[E] estratégia argumentativa, ponto de partida da análise do autor.


“Mas essas são consequências aparentemente colaterais, porque a população
manifesta muito mais prazer no massacre contra o preso produzido dentro dos
presídios “.

4- Há um trecho, dentro do período destacado acima, que provoca


ambiguidade. Marque-o:

[A] aparentemente colaterais

[B] produzido dentro dos presídios

[C] contra o preso

[D] manifesta mais prazer

[E] no massacre

Leia a charge:

Disponível em:
https://diariodecomunicacao.wordpress.com/2012/11/14/polissemia-metafora-e-
metonimia
5- A fala da personagem possui uma metonímia que é apresentada por meio

A)da causa pelo efeito.

B)da marca pelo produto.

C)da parte pelo todo.

D)do autor pela obra.

E)do singular pelo plural.

Leia a charge

As charges geralmente vinculam seu objetivo ao efeito de humor nelas


construído a partir de variados recursos.
6- Os elementos verbais e não verbais presentes na charge acima –
provavelmente calcada na frase “Beba com moderação” que encerra certas
propagandas de bebida - permitem a inferência de que a intenção do seu autor
foi
A)destacar os cuidados necessários para o mal apresentado.
B)mostrar a importância de ingerir líquidos no dia a dia.
C)criticar as enganosas plataformas dos políticos.
D)destacar a importância de um bom programa político.
E)destacar a importância de um bom programa político.

Leia a charge:

7- Pela análise dos elementos verbais e não verbais nela existentes, é possível
inferir que:

A)à proporção que há o aumento da expectativa de vida do brasileiro ocorre


também a melhoria da qualidade de vida.

B)o fato de a expectativa de vida aumentar não revela, necessariamente,


melhoria nas condições de vida da população.

C)envelhecer é, no Brasil, certamente vantajoso, pois possibilita a


contemplação das mudanças no país.

D)a elevação da expectativa de vida do brasileiro vem acompanhada de muitos


benefícios e de alguns problemas.

E)o brasileiro nem sempre recebe algo inversamente proporcional àquilo que
lhe é merecido ou prometido.
Analise a imagem:

8- O movimento artístico denominado cubismo desenvolveu-se na primeira


década do século XX, liderado pelo espanhol Pablo Picasso e pelo francês
Georges Braque. A partir da figura acima, assinale a opção correta com relação
às características desse movimento.
A)Nas obras cubistas, os objetos são representados de forma realista.
B)Os cubistas procuravam representar em suas obras o movimento, sugerindo
velocidade.
C)Por meio das imagens fragmentadas, os pintores cubistas procuravam
passar uma ideia de profundidade.
D)As obras desse movimento são marcadas pela decomposição e
geometrização das formas naturais.
E)Por meio de imagens bem desenhadas, os artistas pretendiam conquistar o
público

Analise a imagem:
PICASSO, P. Guernica . Óleo sobre tela. 349 × 777 cm. Museu Reina Sofia,
Espanha, 1937. Disponível em: http://www.fddreis.files.wordpress.com. Acesso
em: 26 jul. 2010 (Foto: Reprodução/Enem)

O pintor espanhol Pablo Picasso (1881–1973), um dos mais valorizados no


mundo artístico, tanto em termos financeiros quanto históricos, criou a obra
Guernica em protesto ao ataque aéreo à pequena cidade basca de mesmo
nome. A obra, feita para integrar o Salão Internacional de Artes Plásticas de
Paris, percorreu toda a Europa, chegando aos EUA e instalando-se no MoMA,
de onde sairia apenas em 1981.

9- Essa obra cubista apresenta elementos plásticos identificados pelo

A)graças à imponência com que trata o tema histórico, num grande painel
monocromático que retrata realisticamente os horrores da guerra.

B)pelo uso de formas irregulares e fragmentadas e rostos distorcidos com


grande efeito, criando uma atmosfera de pânico e terror, numa confusão de
planos narrativos.

C)pela geometrização das formas, explorando com perfeição a noção de


profundidade ao dar forma exata e volume aos seres e objetos representados
tridimensionalmente.

D)pelo aspecto monocromático e pela bidimensionalidade, criando uma pintura


não figurativa que abre mão de linhas e contornos na composição dos planos.

E)pela forma como une o clássico e o moderno, ao retratar a realidade de


forma fragmentada, mas respeitando os princípios de equilíbrio e harmonia na
composição.
10 -Em relação ao movimento vanguardista do século XX, é correto afirmar
que:

A)Movimentos artísticos como o Dadaísmo e o Surrealismo influenciaram o


Romance de 30, dando passagem a modelos estéticos anteriores voltados para
questões nacionalistas, regionalistas e individuais ao autor.

B)O Cubismo pregava a introdução de ideologias políticas, sociais e


psicológicas para as obras plásticas e literárias.

C) O movimento vanguardista do século XX promoveu total retorno de estéticas


anteriores a medida que pregava a vinda de temas clássicos e nacionalistas.

D) O Futurismo trazia a inovação artística por meio da utilização de figuras


heróicas e idealizadas, além de trazer a idealização feminina na literatura.

E)Movimentos artísticos como o Cubismo e Futurismo influenciaram o


Modernismo brasileiro graças a sua ruptura com estéticas anteriores, trazendo
ao artista brasileiro o caráter destrutivo.

Leia o trecho

A Semana de Arte Moderna, ou Semana de 1922, marcou a entrada do


Modernismo artístico e literário no Brasil. Em 22/02/1922, A Gazeta publicou a
seguinte notícia:

“Ao público chocado diante da nova música tocada na Semana, como diante
dos quadros expostos e dos poemas sem rima (...): sons sucessivos, sem
nexo, estão fora da arte musical: são ruídos, são estrondos; palavras sem
nexos estão fora do discurso: são disparates como tantos e tão cabeludos que
nesta semana conseguiram desopilar os nervos do público paulista [...]”.

(A Gazeta em 22-02-1922: In Emília Amaral e outros. Cit. Pág. 67.)


11- O teor de tal repercussão demonstra:

A)uma “demolição” das convenções estéticas tradicionais.

B)uma retomada da estética parnasiana, considerada superficial.

C)a modernidade urbana introduzida pelo crescimento industrial.

D)a relevância de aspectos nacionalistas vistos na quebra de antigos


paradigmas.

E)a valorização do cientificismo, nos moldes do realismo.

12- A Semana de Arte Moderna de 1922 trouxe como importante


consequência para a sociedade:

A)o desprezo pelos movimentos de vanguarda, a exemplo do Cubismo e do


Expressionismo, pois os ideais propostos não correspondiam à realidade
brasileira.

B)a preferência por temas ligados a fatos históricos consagrados, narrados de


forma idealizada e em total obediência às exigências da língua padrão.

C)o estabelecimento de regras rígidas e definidas para a criação poética e para


a narrativa, agrupando, dessa forma, as diferentes correntes artísticas daquele
momento.

D)a percepção de que os modelos artísticos europeus deveriam ser


substituídos pelos dos EUA, já que esse país despontava como nação líder.

E)a conscientização dos brasileiros sobre a riquíssima cultura de nosso país,


sobretudo a popular, que até então era discriminada pelas elites.

13- A Semana de Arte Moderna (1922), expressão de um movimento cultural


que atingiu todas as nossas manifestações artísticas, surgiu de uma rejeição
ao chamado colonialismo mental, pregava uma maior fidelidade à realidade
brasileira e valorizava sobretudo o regionalismo. Com isso, pode-se dizer que:

A)o romance regional assumiu características de exaltação, retratando os


aspectos românticos da vida sertaneja.
B)a escultura e a pintura tiveram seu apogeu com a valorização dos modelos
clássicos.

C)o movimento redescobriu o Brasil, revitalizando os temas nacionais e


reinterpretando nossa realidade.

D)os modelos arquitetônicos do período buscaram sua inspiração na tradição


do barroco português.

E)a preocupação dominante dos autores foi com o retratar os males da


colonização.

14- Os principais nomes da primeira fase do Modernismo na Literatura foram:

A)Lima Barreto, Augusto dos Anjos e Oswald de Andrade.

B)Mário de Andrade, Manuel Bandeira e Oswald de Andrade.

C)Mário Quintana, Mário de Andrade e Patrícia Galvão.

D)Manuel Bandeira, Tarsila do Amaral e Lima Barreto.

E)Monteiro Lobato, Oswald de Andrade e Vinícius de Moraes.

Leia o poema:

Vício na fala

Para dizerem milho dizem mio

Para melhor dizem mió

Para pior pió

Para telha dizem teia


Para telhado dizem teiado

E vão fazendo telhados.

(Oswald de Andrade)

15- Sobre o poema de Oswald de Andrade, julgue as seguintes proposições:

I. O poema de Oswald de Andrade volta-se contra o preconceito linguístico e


nos chama a atenção para a necessidade de uma espécie de ética linguística
pautada na diferença entre as línguas, nesse caso em uma única língua.

II. O poema critica a maneira de falar do povo brasileiro, sobretudo das classes
incultas que desconhecem o nível formal da língua.

III. Para ele, os falantes que dizem “mio”, “mió”, “pió”, “teia”, “teiado”, de certa
forma, constroem um “telhado”, ou seja, criam novas formas de pronúncia que
se sobressaem, em muitos casos, à norma culta.

IV. A palavra “vício”, encontrada no título do poema, denota certo preconceito


linguístico do autor, que julga a norma culta superior ao coloquialismo presente
na fala das pessoas menos esclarecidas.

A)Todas estão corretas.

B)I e III estão corretas.

C)I, III e IV estão corretas.

D)II e III estão corretas.

E)Apenas I está correta.


Leia o poema:

Erro de português

Quando o português chegou

Debaixo de uma bruta chuva

Vestiu o índio

Que pena!

Fosse uma manhã de sol

O índio tinha despido

O português.

Oswald de Andrade

16- Sobre o poema de Oswald de Andrade, observe as seguintes proposições


e assinale as que estão corretas:

I. Faz uma crítica contra a colonização portuguesa na Brasil. Essa crítica pode
ser confirmada a partir do título do poema, o qual contém uma ambiguidade
intencional.

II. Nesse poema, a temática do relacionamento amoroso é abordada de


maneira inovadora, distante da idealização romântica proposta pelos
ultrarromânticos.

III. O poema utiliza elementos como o humor, a ironia e o sarcasmo para relatar
a chegada do português em terras brasileiras.

IV. Apropria-se de uma linguagem simples e prosaica para fazer uma reflexão
profunda e complexa.
V. No poema de Oswald nota-se a preocupação com a métrica, a versificação e
a rima, embora o conteúdo do poema seja inovador.

A)I, II e IV.

B)II, III e V.

C)I, III e IV.

D)III e IV.

E)II e V.

Questões abertas:

17- Apresente o projeto literário do Modernismo fase I destacados as principais


críticas deste movimento.( 1,0)

_______________________________________________________________
_______________________________________________________________
_______________________________________________________________
_______________________________________________________________
_______________________________________________________________

18- Explique de que forma o Pré-modernismo apresenta um retrato da


realidade brasileira.( 1,0)

_______________________________________________________________
_______________________________________________________________
_______________________________________________________________
_______________________________________________________________
_______________________________________________________________