Você está na página 1de 5

Série Gênesis – Passos tortos pelo Caminho reto – Mensagem 32

Série Gênesis – Passos tortos pelo Caminho reto – Mensagem 32 1

El Elohe Israel! (Texto: Gn 33:1~20)

1. Introdução.

Peniel foi um ponto de mudança na vida de Jacó. Ele recebera a última confirmação da graça de Deus antes que ele pudesse ter o reencontro mais tenso de sua vida: seu irmão Esaú já estava próximo com o seus quatrocentos homens.

Pessoas são transformadas pelo poder de Deus. A vida muda radicalmente, mas não é por isso que tornamo-nos perfeitos de um dia para o outro, os todos os nossos medos e temores são arrancados por completo. Ainda que tenhamos tido um encontro marcante com Deus, continuamos como pessoas humanas, limitadas, dependentes de amor e pecadoras.

Duas pessoas: Jacó e Esaú. Antes irmãos que se separaram. Um odiava o outro. O outro tinha medo do um. Mas chegou um dia em que eles fizeram as pazes e tudo foi resolvido. Será que tudo isso foi mérito deles ou foi obra de Deus?

O texto começa de uma maneira muito tensa ainda. Mas termina em um altar de

gratidão de adoração. Assim é a nossa vida. Até os mais terríveis dilemas e tribulações

nos fazem, lá no final, reconhecer a grandeza e a graça de Deus.

2. Exposição do texto. (Gn 33:1~20)

1 Quando Jacó olhou e viu que Esaú estava se aproximando, com quatrocentos homens, dividiu as crianças entre Lia, Raquel e as duas servas. 2 Colocou as servas e os

seus filhos à frente, Lia e seus filhos depois, e Raquel com José por último. 3 Ele mesmo passou à frente e, ao aproximar-se do seu irmão, curvou-se até o chão sete vezes.

4 Mas Esaú correu ao encontro de Jacó e abraçou-se ao seu pescoço, e o beijou.

E eles choraram. 5 Então Esaú ergueu o olhar e viu as mulheres e as crianças. E

perguntou: “Quem são estes?” Jacó respondeu: “São os filhos que Deus concedeu ao teu servo”.

6 Então as servas e os seus filhos se aproximaram e se curvaram. 7 Depois, Lia e

os seus filhos vieram e se curvaram. Por último, chegaram José e Raquel, e também se curvaram.

8 Esaú perguntou: “O que você pretende com todos os rebanhos que encontrei pelo caminho?”. “Ser bem recebido por ti, meu senhor”, respondeu Jacó.

9 Disse, porém, Esaú: “Eu já tenho muito, meu irmão. Guarde para você o que é

seu”.

10 Mas Jacó insistiu: “Não! Se te agradaste de mim, aceita este presente de minha parte, porque ver a tua face é como contemplar a face de Deus; além disso, tu me recebeste tão bem! 11 Aceita, pois, o presente que te foi trazido, pois Deus tem sido favorável para comigo, e eu já tenho tudo o que necessito”. Jacó tanto insistiu que Esaú acabou aceitando.

1 Pregado no MEP dia 31 de outubro de 2010.

Paulo Sung Ho Won – www.sunghojd.blogspot.com

Série Gênesis – Passos tortos pelo Caminho reto – Mensagem 32

12 Então disse Esaú: “Vamos seguir em frente. Eu o acompanharei”.

13 Jacó, porém, lhe disse: “Meu senhor sabe que as crianças são frágeis e que estão sob os meus cuidados ovelhas e vacas que amamentam suas crias. Se forçá-las demais na caminhada, um só dia que seja, todo o rebanho morrerá. 14 Por isso, meu senhor, vai à frente do teu servo, e eu sigo atrás, devagar, no passo dos rebanhos e das crianças, até que eu chegue ao meu senhor em Seir”.

15 Esaú sugeriu: “Permita-me, então, deixar alguns homens com você”. Jacó perguntou: “Mas para quê, meu senhor? Ter sido bem recebido já me foi suficiente!”.

16 Naquele dia Esaú voltou para Seir. 17 Jacó, todavia, foi para Sucote, onde construiu uma casa para si e abrigos para o seu gado. Foi por isso que o lugar recebeu o nome de Sucote.

18 Tendo voltado de Padã-Arã, Jacó chegou a salvo à 2 cidade de Siquém, em Canaã, e acampou próximo da cidade. 19 Por cem peças de prata 3 comprou dos filhos de Hamor, pai de Siquém, a parte do campo onde tinha armado acampamento. 20 Ali edificou um altar e lhe chamou El Elohe Israel 4 .

1. Coragem para superar os problemas.

"Quando Jacó olhou e viu que Esaú estava se aproximando, com quatrocentos homens, dividiu as crianças entre Lia, Raquel e as duas servas. Colocou as servas e os seus filhos à frente, Lia e seus filhos depois, e Raquel com José por último. Ele mesmo passou à frente e, ao aproximar-se do seu irmão, curvou-se até o chão sete vezes." (vss.

1~3).

A atitude de Jacó foi diametralmente oposta àquela que ele teve antes de atravessar o

Vale do Jaboque. Se ele estava extremamente receoso e com medo da situação, agora ele estava confiante. A coragem brotara dentro do si. Essa foi mais uma conseqüência do encontro com Deus em Peniel. Diante daquela certeza de que Deus estaria com ele, Jacó passou a ter a coragem necessária para superar todos os seus medos.

Diante de um problema, uma pessoa pode ter dois tipos de reação: enfrentá-lo ou fugir (o que sempre é mais cômodo). Mesmo que sejamos cristãos e fiéis a Deus, os nossos problemas não são anulados: eles continuam lá esperando por uma decisão nossa. É muito improvável que o problema deixe de existir com um estalar dos dedos de Deus. Muito pelo contrário: o problema ainda estará lá. Porém, o que nos consola é que embora, em muitos casos, Deus não tire de nós o problema plenamente, ele nos dá condições suficientes para que possamos vencê-lo, superá-lo.

A covardia de Jacó se transformou em coragem. Coragem de encarar de frente o seu

maior temor, seu próprio irmão Esaú. Não é exatamente esse tipo de atitude que nós também gostaríamos de ter em face dos nossos mais terríveis dilemas e tribulações? Jacó saiu de lá de trás e assumiu o seu lugar: fora ele que anos antes causara toda essa confusão. Agora, era hora dele resolver tudo. Precisamos de coragem de nos responsabilizarmos pelos erros do passado. Essa coragem quem nos dá é Deus.

Amados irmãos, a crença de que Deus estava com ele foi suficiente para que o medo se dissipasse. E você? Quais os seus temores? O que tem te tirado a paz? Saiba que Deus

2 33.18 Ou chegou a Salém, uma cidade de Siquém,

3 33.19 Hebraico: 100 quesitas. Uma quesita era uma unidade monetária de peso e valor desconhecidos.

4 33.20 Isto é, Deus, o Deus de Israel ou poderoso é o Deus de Israel.

Série Gênesis – Passos tortos pelo Caminho reto – Mensagem 32

está com você por onde quer que você for. Nele podemos ter a certeza de que em nenhum momento seremos desamparados.

2. Deus move os corações!

"Mas Esaú correu ao encontro de Jacó e abraçou-se ao seu pescoço, e o beijou. E eles choraram" (vr. 4)

Diante de um ato tão inesperado da parte do seu irmão Jacó só teve tempo de chorar. Não sabemos o que aconteceu. A última vez que Genesis mencionara Esaú foi ele dizendo: "Vêm próximo os dias de luto de meu pai; então matarei a Jacó, meu irmão." (27:41b, ARA). Esaú estava com o coração cheio de ódio naquela hora. Muitos anos se passaram e agora, diante de seu irmão, a atitude menos esperada acontece: Esaú recebeu Jacó carinhosamente, e os dois choraram copiosamente abraçados, um no pescoço do outro.

O que aconteceu nesse ínterim para que Esaú tivesse uma atitude totalmente oposta

àquela que ele prometeu anos antes? O texto se cala. Mas não podemos deixar de ter a certeza de que Deus também estava agindo no coração de Esaú para apaziguá-lo de toda

a ira e ódio.

"Então Esaú ergueu o olhar e viu as mulheres e as crianças. E perguntou: “Quem são estes?” Jacó respondeu: “São os filhos que Deus concedeu ao teu servo”. Então as servas e os seus filhos se aproximaram e se curvaram. Depois, Lia e os seus filhos vieram e se curvaram. Por último, chegaram José e Raquel, e também se curvaram." (vss. 5,6).

Jacó fez uma apresentação de toda a sua família a Esaú e todos se curvaram diante dele. Da mesma maneira que Jacó se curvou, e sete vezes (vr. 3), todos se curvaram em reconhecimento da "autoridade" (essa mais moral do que efetiva, uma vez que Jacó assumiu a bênção e a condição de primogênito) de Esaú. Que mudança. Fora justamente Jacó que usurpara esse direito de seu irmão. Agora, vinte anos depois, todos se curvaram diante de Esaú: era um momento de redenção, uma declaração coreografada

de perdão e justiça.

Jacó também havia preparado muitos presentes para seu irmão: "Esaú perguntou: “O que você pretende com todos os rebanhos que encontrei pelo caminho?”. “Ser bem recebido por ti, meu senhor”, respondeu Jacó. Disse, porém, Esaú: “Eu já tenho muito, meu irmão. Guarde para você o que é seu”. Mas Jacó insistiu: “Não! Se te agradaste de mim, aceita este presente de minha parte, porque ver a tua face é como contemplar a face de Deus; além disso, tu me recebeste tão bem! Aceita, pois, o presente que te foi trazido, pois Deus tem sido favorável para comigo, e eu já tenho tudo o que necessito”. Jacó tanto insistiu que Esaú acabou aceitando." (vss. 8~11)

Não há duvida de que o nosso Deus é o Deus que move os corações!

Série Gênesis – Passos tortos pelo Caminho reto – Mensagem 32

do que a Reconciliação. O momento do perdão e da aceitação são momentos peculiares apenas às pessoas e não aos animais. Mas a coragem de Jacó em assumir seus erros e reconciliar-se com seu irmão não era de uma coragem absoluta. Embora Esaú mostrasse pelas suas atitudes que havia perdoado seu irmãos mais novo, Jacó permaneceu com um pé atrás.

"Então disse Esaú: “Vamos seguir em frente. Eu o acompanharei”. Jacó, porém, lhe disse: “Meu senhor sabe que as crianças são frágeis e que estão sob os meus cuidados ovelhas e vacas que amamentam suas crias. Se forçá-las demais na caminhada, um só dia que seja, todo o rebanho morrerá. Por isso, meu senhor, vai à frente do teu servo, e eu sigo atrás, devagar, no passo dos rebanhos e das crianças, até que eu chegue ao meu senhor em Seir”. Esaú sugeriu: “Permita-me, então, deixar alguns homens com você”. Jacó perguntou: “Mas para quê, meu senhor? Ter sido bem recebido já me foi suficiente!”." (vss. 12~15)

Nem a proposta de companhia, em a proposta de escolta foram aceitos por Jacó. Vai que nessas Esaú muda de idéia e ataca a todos? Podemos ver um lado bem humano de Jacó. Ainda que ele tenha tido um encontro muito marcante com Deus, e ainda que muito do que ele era tenha sido transformado pela graça divina, Jacó ainda era uma pessoa vulnerável a erros e temores.

Meu irmãos, não pense que em se resolvendo um problema você terá paz eterna. Depois de uma preocupação virá outra. Mesmo dentro de um problema, você poderá experimentar um outro e ainda pior. Nessas horas, confie em Deus, mas não perca o seu lado humano. Você não está proibido de ter medo, apenas saiba que esse seu medo é uma sinalização clara de que você precisa mais e mais de Deus.

Os seus sentimentos foram todos dados por Deus. Não se sinta culpado por eles. Seja você. Sendo você mesmo, descobrirá que a sua melhor companhia não é outro a não ser Deus.

Deus não deseja que sejamos super-humanos ou super-crentes. Deus também não espera que não pequemos de jeito nenhum até o dia de nossa morte: seria muita ingenuidade pensar que isso poderia acontecer. O que Deus quer é que a sua humanidade, o seu lado humano, frágil e dependente, sejam um motivo a mais para que você esteja cada vez mais próximo, cada vez mais sedento, e cada vez mais ligado com o Senhor. Por saber que sou pecador é que sinto mais necessidade de estar com o meu Salvador!

Não se esqueça, que até Jesus demonstrou medo e stresse no Jardim do Getsêmani em face da morte que sofreria a algumas horas daquele momento (cf. Mt 26:36~46). O problema não é ter medo, mas é deixar o medo dominá-lo.

Conclusão: erguendo um altar de gratidão.

"Naquele dia Esaú voltou para Seir. Jacó, todavia, foi para Sucote, onde construiu uma casa para si e abrigos para o seu gado. Foi por isso que o lugar recebeu o nome de Sucote. Tendo voltado de Padã-Arã, Jacó chegou a salvo à cidade de Siquém, em Canaã, e acampou próximo da cidade. Por cem peças de prata comprou dos filhos de

Série Gênesis – Passos tortos pelo Caminho reto – Mensagem 32

Hamor, pai de Siquém, a parte do campo onde tinha armado acampamento. Ali edificou um altar e lhe chamou El Elohe Israel." (vss. 16~20)

Ótimo. Tudo acabou bem! Esaú voltou com a sua tropa para a sua casa e Jacó continuou a sua jornada. Estabelecendo-se em Siquém, Jacó ergueu um altar, da mesma maneira que seu avô e pai faziam, para agradecer a Deus por tudo o que havia acontecido. Era o reconhecimento e a proclamação da fidelidade de Deus. Chamou o altar de "El Elohe Isarel", ou seja, Deus, o meu Deus de Israel. Não que Deus fosse uma posse de Jacó, mas sim que Deus tinha um relacionamento estreito e intimo com ele.

É assim que se desfecha um problema: gratidão. Meu irmãos, somos muito pequenos comparados com os nossos desafios de todos os dias. Porém, é Deus quem nos auxilia em todos os momentos. O Espírito Santo, o Consolador, é aquele que não nos deixa órfãos, mas está continuamente conosco para nos levar a um bom fim. Quando sabemos disso, a gratidão se torna algo natural em nossas vidas!

Aquele era um momento de adoração. E mais uma vez, adoração é a resposta movida pelo Espírito Santo que damos à tudo aquilo que Deus é que faz! Ele realmente é o "nosso Deus"!

Dizia o apóstolo Paulo: "Em tudo dai graças, porque esta é a vontade de Deus em Cristo Jesus para convosco" (1Te 5:18). Sim! Precisamos de pessoas mais gratas. Quando aprendemos a agradecer de coração pelas maravilhas obras de Deus em nossas vidas, teremos menos tempo de reclamar e murmurar da situação. As coisas estão difíceis na sua vida? Seja grato por antecipação, porque você sabe e crê que Deus realmente faz tudo de maneira sempre boa, perfeita e agradável. Tudo o que Deus faz é para a Sua glória, e se é para a Sua glória, não há como não ser bom também para nós!

Porém, os problemas de Jacó ainda não haviam terminado: Lembre-se bem, depois de um vem um outro. A vida é uma montanha-russa. Muitas vezes um problema nos dá um impulso para subirmos em um outro maior. O próximo capítulo nos contará a história de Diná, sua única filha, que acabou sendo o motivo para um genocídio.

Interesses relacionados