Você está na página 1de 7

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Amapá

Colegiado de Informática
Fundamentos Sócio-Histórico da Educação
Professora Maria Antônia Andrade
Acadêmico: Jeancarlo Pontes Carvalho
Data: 24 de março de 2019.

ATIVIDADE DE ANÁLISE DO FILME "O NOME DA ROSA"

1 -Elabore uma ficha técnica contendo:

1. Enredo do filme;
Resposta:
De acordo com a sinopse do filme, a história passa em um monastério por volta do
século XIV em uma região europeia que hoje é conhecida como Itália, e que conta a história de
um monge franciscano que investiga uma série de assassinatos que acontece em um mosteiro,
causando uma série de conflitos religiosos, com presença da Santa Inquisição Católica que
impondo os dogmas religiosos cansam uma conturbada relação entre franciscanos e
dominicanos.
Há assassinatos, insanidades, crenças e descrenças, investigações em busca de quem
cometeu os supostos crimes que se faz presentes na trama, pecados naquilo que concebe os
valores católicos, os conflitos e medos na fé, cóleras humanas, aflições, o pilares do
conhecimento por meio de livros proibidos da filosofia grega, crise nas mentalidades europeias
entre outros.
O Filme O Nome da Rosa é uma bela discursão sobre os valores tanto da questão
religiosas, das relações humanas, as atitudes para com o próprio Homem, a questão das relações
sexuais como o assunto proibido nos dogmas católicos, como também, a busca do
conhecimento como por exemplo a filosofia, a leitura em si e principalmente o desejo em buscar
as questões humanas que tanto aflita o Homem,.
2. Ideia central.
Resposta:
O Filme O Nome da Rosa apresenta além de vários assuntos que se tornam irrelevante,
todavia, cruciais para o desenvolvimento da trama, contudo, três pilares são fundamentais, para
o desenrolar da história, que são A Fé (os dogmas das igreja católica , O Riso (como
comportamento humano) e O Livro (como objeto do conhecimento), por tanto, toda a produção
se desenrola na busca sobre o comportamento do Homem entrelaçados sob a tutela de princípios
de como o próprio Ser Humano pode se conduzir quando se faz inerentes aos desejos e vontades
que são naturais da espécie humana.

Conteúdo:

1. História Medieval
Resposta:
A trama tem como pano de fundo o Período Medieval Europeu, momenta da história da
humanidade está, que tem os elementos históricos tais como:
_ Um período da história da humanidade que aconteceu na Europa entre os séculos V e
XV; _ Inicia-se com a Queda do Império Romano do Ocidente e termina durante a transição
para a Idade Moderna; _ Conhecida como uma época, embora com conflitos entre estudiosos,
como Período da Idade das Trevas; _ O maior poder da Igreja Católica; _ Um sistema
Econômico conhecido como Feudalismo; _ Surgimento do Estados como os reinos de França,
Inglaterra e Espanha por exemplo que consolidam o poder e definem centros de poder
duradouros.
Foi um período de perseguição, penúria na liberdade filosófica e que durou longo dez
séculos na Europa

2. Filosofia: Platão / Santo Agostinho; Aristóteles / São Tomás de Aquino.


Resposta:
Os filósofos Gregos Platão e Aristóteles produziram diversas obras que foram relevantes
para inúmeras sociedades de vários períodos históricos da humanidade, influenciando nas
mentalidades intelectuais até hoje. Nas obras produzidos estes dois filósofos, há produções que
destacam as relações sociais, políticas, comportamentais, leis, até mesmo religiosos entre
outros. Nisto, inúmeros pensadores, estudiosos, pesquisadores e entre eles também religiosos
se dispuseram em estudar as obras de Platão e Aristóteles e partir do que foi produzido, criar,
elaborar, desenvolver e até mesmo sugerir, impor e especular entre tantos outros diversos
conceitos, teorias, dogmas e ou verdades sobre e para o Homem.
Para tanto, temos como exemplo o Santo Agostinho que é uma das mais importantes
personagens da história, principalmente em meios acadêmicos e religiosos. Foi um grande
retórico, filósofo e principalmente um dos maiores santos da Igreja. Sua obra, e que por isso
acabou exercendo uma vasta e profunda influência em toda a cultura ocidental. Ele buscou em
ideias da filosofia grega com influencias platônicas a Razão para o qual o implementou a fé do
cristianismo, onde constituiu a primeira grande síntese (união) entre o pensamento cristão e a
filosofia grega. Apesar de que para muitos, não tenha construído um sistema filosófico
completo.
Para São Tomás de Aquino considerado o príncipe da Escolástica, Doutor da igreja
católica, defendia o método dialético, onde pretendia unir a fé à razão em prol do crescimento
humano. formulou um amplo sistema filosófico que conciliava a fé cristã com o pensamentos
e idealismos gregos de Aristóteles e de Platão. Porém, Santo Agostinho consolidou os estudos
principalmente nas obras aristotélicas, que por sinal, tinham desaparecidos das bibliotecas
europeias.
As ideias contidas nas obras Aristotélicas, segundo Agostinho respondiam melhor aos
novos tempos do que o neoplatonismo, já que a Europa, estava “bebendo” dos avanços
tecnológicos que começavam a influir na vida dos europeus que estavam se organizavam em
corporações (guildas) nos centros urbanos.

Questões para análise do filme:

02_ Podemos atribuir à rosa um referencial para o conhecimento da Idade Média


(representado no filme através da literatura contida na biblioteca do mosteiro beneditino),
logo subentendemos que O Nome da Rosa é, na verdade, uma alusão ao saber, inacessível
e mortal. Em contrapartida, as palavras finais do narrador da história fazem surgir um
outro ponto para a atribuição do título do filme. Elas nos remetem à camponesa que teve
relações sexuais com o noviço Adso de Melk, despertando nele o amor, cujo nome não é
revelado nem mesmo no fim da história. Na sua opinião, qual das explicações parece fazer
mais sentido? Por que o título: O nome da rosa?
Resposta:
A palavra Rosa significa mudanças ou revolução de uma era, podendo ser nas
mentalidades, em paradigmas de valores e costumes, uma forma distinta sobre os
comportamentos da sociedade enfim, uma nova realidade que significa o desprendimento de
algo que normalmente sufoca o Homem no que tange a necessidade de expor ideias, reflexões,
ações, posicionamentos e acima de tudo a liberdade de pensamento.
No final do filme, há uma rebelião, um enfretamento contra a igreja, a personagem que
até significa um poder opressor, morre em um acidente em uma carroagem simbolizando a
morte de era, de um poder imposto pela igreja católica. O povoado que mora entorno do
monastério provoca uma retaliação aos outros religiosos, é criado um caos, onde não se tem
mais o controle religioso, os padres e monges não conseguem controlar a confusão que ocorrerá
no momento mais significativo do poder da igreja a sociedade da época, que é a punição aos
supostos hereges e blasfemadores.
Com o caos implantando, a igreja não dominadora da situação, a população tomando
conta da situação, onde queimara, destruíram e perseguiam os símbolos da igreja católica,
traduz o entendimento do surgimento de uma nova era, um novo momento, onde, se faz
necessário ter uma nova liderança, ou seja uma nova mentalidade para devido controle social.
Ou seja, aquilo que se traduz da simbologia da Rosa, para o qual se faz a leitura da natureza,
onde sempre a cada primavera a vida retorna, proporcionando uma nova vida e nascimento de
uma nova esperança ao Homem.

03_ O filme retrata muitos pontos de grande valia, dentre os quais podemos destacar a
considerável influência da Igreja sobre todos os assuntos da humanidade (os de cunho
religioso e espiritual bem como social, econômico e político da época medieval). Era dentro
dela que estava toda a fonte de conhecimento e este não podia, de forma alguma, ser
distribuído à sociedade de forma homogênea - a Igreja correria o risco de perder boa
parte da sua influência ideológica e de seu poder de controle. Através desse pensamento,
justifique o artifício de envenenamento das pontas das páginas de livros da biblioteca.

Resposta:
Durante o período medieval, a igreja exercício um grande poder em toda a sociedade,
alienava o povo com os valores, dogmas e a fé religiosa. Controlava quase todos os setores
sociais, exercendo inclusive uma grande influencia no mercado, nos governos e outros setores
dominantes. Para tanto, era necessário que a grande maioria não conhecesse as “verdades”
históricas, sociais, econômicas e principalmente a questão da fé entre outros. E um dos meios
que se conseguir o desprendimento da alienação religiosa era por meio do conhecimento que se
fazia pelo saber de escrever e ler.
Escrever e Ler gerariam risco à igreja se todo a sociedade, principalmente que população
pobre, soubesse exercer esta prática. Em diversos livros, haviam sabedorias, conhecimento,
realidades, respostas e “verdades” para que o Homem neste caso os europeus pudessem tirar as
próprias indubitáveis questões sobre diversas coisas que geravam ao homem ao pensamento de
encontrar repostas.
O livro era, portanto, o principal meio para a razão, para o conhecimento e encontrar
respostas para coisas que hoje são simples, no entanto, na época desafiantes ao Ser Humano.
Sendo o livro o maior acesso, foi, portanto, assim como hoje, uma ferramenta crucial para elevar
o Homem às certezas e a libertação daqueles que o manipulam. sendo assim, uma das maiores
ameaças ao poder da igreja, algo que pudesse abalar os pilares da religião cristã sob a tutela dos
lideres católicos.
Uma forma de diminuir o perigo à igreja, foi envenenar as “orelhas” dos livros, sendo
uma “arma” eficaz para evitar o acesso e o partilhamento do conhecimento que estava em cada
página dos livros. Gerando em muitos dos casos, medos aos desprovidos da razão e não
entendimento daquilo que a ciência ao invés da religião poderia explicar.
E o filme conseguiu retratar esta situação ao demonstrar de forma clara exemplificando
em algumas personagens as manchas nas mãos e língua daqueles que manipularam os livros
que estavam na biblioteca do monastério dando bastante dramaticidade ao presente assunto.

04_ Tudo o que ia de encontro aos dogmas religiosos eram considerados heresias pela
Igreja e no filme há claros exemplos relatados. O riso era tido como uma zombaria ao
divino. “Mais amargo que a morte é a mulher”, frase dita por um dos personagens do
filme que coloca a mulher num patamar pecaminoso. Símbolos de bruxaria, como o gato
preto e a galinha preta, eram também tidos como prática de heresias. O aparecimento do
Anticristo (presença do demônio no mosteiro beneditino) foi o acontecimento marcante
que suscitou a ida do monge William de Baskerville em seu trabalho de investigação. As
mortes ocorridas no mosteiro seriam motivo suficiente para que o Papa declarasse o
monastério como herege. Contestar o veredito de um Inquisidor era também considerado
heresia. Dentro desse quadro, qual o destino final do mosteiro?
Resposta:
No final do filme, devido a tentativa de esconder um livro, ou melhor, o insano
desespero de ocultar uma obra onde muitos representantes da igreja católica temiam a
possibilidade do que estava escrito poderia “iluminar” o entendimento sobre o existencialismo
humano, as ações humanas, os valores da vida, assim como também, compreender as
manipulações em nome da fé, ocasionou na completa destruição do monastério.
A destruição por completo do monastério simbolizou dois momentos, embora sejam
distintos, são bastantes inerentes, o primeiro temos a simbolização por meio da destruição do
monastério como a queda do poder da igreja católica, onde não onde há uma contra-posição
dos camponeses, se na possibilidade de ocorrer atitudes que gerariam desordem contra a igreja,
onde não mais aceitariam a imposição dos religiosos. O segundo é o entendimento em relação,
onde, de acordo com o entendimento dos representantes da igreja católica, que, aqueles que não
seguem os dogmas, caindo, portanto, na heresia, sentem a “mão de deus”, sendo neste sentido,
castigado. Ou seja, vivendo aos desmandos e pecados (na visão cristã), a destruição é o futuro
aguardado.
Qualquer atitude do Homem que vai de encontro aos valores e imposições religiosos
são punidos, não importando, até mesmo para aqueles que vivem sob a tutela da igreja, neste
sentido, como foi apresentado no filme, a forma de punição se dava por meio dos representantes
da Santa Inquisição, que nas ações para o qual se entedia, o castigo e por seguinte a morte eram
os caminhos para se manter a “vontade de deus”.

05_ No filme, os camponeses são miseráveis, tratados com ríspida arrogância e desdém
pelos monges do mosteiro. Alguns realizavam atividades primárias de subsistência. Não
há nenhuma fé clara, nenhuma caridade. Assim, os camponeses medievais viviam de
sobras, moravam em casas de madeira de um só cômodo, com telhado de palha e chão
batido, vestiam roupas artesanais, e em sua maioria eram analfabetos. Como podemos
caracterizar os camponeses atuais? Com quais tipos de problemas hoje eles se deparam?
Reposta:
Fazendo uma analogia ao momento atual, temos duas exemplificações sobre a leitura de
uma sociedade do século XXI que ainda vivem sobre a imposição, ao mando e desmando das
igrejas que se dizem representantes da fé cristã, quer dizer, antes, no período medieval europeu
era somente a igreja católica, agora, inúmeras ramificações do cristianismo, que por sinal,
questão está, que proporciona um entendimento da contemporaneidade ainda bastante
complexas.
Tinha-se antes a igreja católica que conseguia deter um poder opressor sobre a grande
parte da sociedade europeia, principalmente as dos camponeses, que sofriam constantemente às
imposições dos dogmas religiosos. Nisto, estes camponeses, tinham a sua vida controlada pelos
representantes religiosos, que ditavam as ordens sociais.
Os camponeses que eram a grande maioria da sociedade europeia, viviam numa vida
social, de grande pobreza ou de uma vida econômica baseada somente as questões econômicas
da terra, ou seja. Sistema Feudalista. Quer dizer, não detinham o poder econômico para o
controle econômicos para, como exemplo determinar as normas nas questões sociais de grupos
econômicos.
O que hoje, se fizermos uma comparação, não é muito diferente. Contudo, temos
diversos setores sociais, que são divididos, por classes econômicas, A, B, C e de grupos que
vivem na linha da Abaixo da Linha da Pobre e ou na Linha da Pobreza Extrema. Grupos e classe
sociais esta que ficam às margens da sociedade, alienadas e constantemente “vitimas” das
cobiças de diversos setores sociais, como por exemplo, os grupos religiosos liderados por
psseudos-representante da fé.
Ao analisarmos o passado, levando como referência o próprio filme O Nome da Rosa
ao contexto do presente, ainda se continua uma imposição por parte de um lado religioso e do
outros, aqueles que sofrem ao descaso “divino”.

06_ Quais são as conclusões finais do grupo após a análise do filme?