Você está na página 1de 2

Nome(s):

Curso: Técnico Análises Clínicas

Período: Noite Mód.: 2º Turma: Regular Data:


Disciplina: Hematologia I Professor: Dreisson Aguilera

Situação Problema - Hematologia

Romilda, 29 anos, trabalhava em uma confecção de roupas femininas. Sempre muito ativa e saudável,
começara a trabalhar desde cedo. Nos últimos 3 meses começara a sentir-se indisposta, cansada aos
esforços e várias vezes ouviu de seus familiares que estava pálida, embora não percebesse. Em função do
cansaço crescente, Romilda resolveu procurar a UBSF de seu bairro, para consultar-se com a Dra. Vanda,
sua antiga conhecida dos tempos em que Romilda trabalhara como agente comunitária de saúde.
Dra. Vanda recebeu Romilda com bastante entusiasmo, pois não se viam há bastante tempo. Ouviu
atentamente suas queixas e procedeu ao exame físico, no que lhe chamou atenção: mucosas hipocoradas
++/4+, FC: 100bpm com taquisfigmia. O restante do exame físico estava normal. Em seguida, Dra. Vanda
indagou sobre os ciclos menstruais de Romilda, que referiu episódios de hipermenorréia há uns 5 meses,
porém pela falta de tempo devido ao seu ritmo de trabalho, não tivera tempo de procurar o ginecologista.
Solicitou alguns exames e pediu que Romilda retornasse com os resultados assim que estivessem prontos.
Não demorou para o retorno da paciente, tendo a Dra. Vanda analisado os exames laboratoriais: o hemograma
completo mostrou: 3.200.000 hemácias, 27% de hematócrito, 9.0 g/dl de hemoglobina; 6.000 leucócitos,
240.000 plaquetas, contagem total de reticulócitos: 2,6%, volume corpuscular médio: 78fl; hemoglobina
corpuscular média: 20pg e concentração de hemoglobina corpuscular média: 29%; RDW: 15%.
Além disso deu uma olhada nos exames de ferro, ferritina, saturação de transferrina, capacidade total de
combinação do ferro - TIBC e dosagem sérica de ácido fólico e vit B12. Dra. Vanda perguntou se Romilda
havia marcado consulta com o ginecologista, ao que a paciente respondeu que seria semana que vem. Em
seguida, a médica explicou lhe sua hipótese diagnóstica, tranquilizando-a que logo estaria pronta para outra.
Em outro ponto da cidade, Roberto, 18 anos, foi levado pela mãe, Maria Clara, à UPA, por apresentar aumento
súbito de volume e dor em joelho esquerdo, sendo recebidos pelo Dr. Túlio. Maria Clara explicou ao médico,
que Roberto apresentava quadros recidivantes de hemartrose desde a infância, salientando que o rapaz
sempre sangrara por períodos prolongados quando apresentava alguma ferida corto-contusa ou incisa. O
médico acalmou Maria Clara, dispensando toda a atenção ao caso de Roberto.

Trabalho em pequenos grupos (máximo de 5 alunos)


1 – Leitura interpretação e termos desconhecidos
2 – Formulação de hipóteses
3 – Eleger hipóteses e ideias mais relevantes discutidas no grupo
4 – Formulação de questões sobre o problema e as hipóteses levantadas
5 – Elaboração das metas de aprendizagem.
6 – Pesquisa das perguntas elaboradas e cumprimentos das metas estabelecidas (extra classe).
7 – Debate sobre os assuntos pesquisados e fechamento do problema
8 – Produto final do aprendizado (mapa mental, resumo, apresentação, etc.)
Trabalhando com as situações problemas: