Você está na página 1de 4

ARGAMASSA 1

Argamassa

Fonte: Materiais de Construção - Paulo Henrique Laporte Ambrozewicz - 1 ed

1.1 Definições

A Norma Brasileira NBR 7200 abrange as argamassas destinadas a revestimentos definindo-se como mistura
de aglomerantes e agregados minerais com água, possuindo capacidade de endurecimento e aderência.

A argamassa é uma mistura de agregados e aglomerantes com água. Normalmente a argamassa utilizada
em obras é feita com areia natural lavada, misturando com cimento Portland e cal, ou com apenas um desses
elementos. Cimento e cal são os aglomerantes. O tipo de aglomerante é definido pelo responsável técnico da
obra, de acordo com a utilização da argamassa.

Além dos elementos citados anteriormente, existe também a argamassa composta por gesso. Os aditivos
também podem entrar na constituição da argamassa, conferindo a ela características especiais.

Os tipos de argamassa dependem do aglomerante utilizado. Assim, existe argamassa de cal, de cimento e
mista (cal e cimento), tanto para assentamento quanto para revestimento, além de argamassa de gesso.

Além de unir os tijolos e blocos, a argamassa sela as juntas e ajuda a distribuir as cargas que as construções
suportam. As argamassas podem ser usadas tanto para assentamento, como para revestimento.

É um componente destinado a unir os blocos entre si. A alvenaria fica monolítica (grande pedra), pois seus
esforços são transmitidos à argamassa. Este tipo de argamassa também é um agente de acomodação de
deformações.

Serve para revestir paredes e resiste a pequenas deformações. O acabamento fica plano, uniforme e com
aspecto agradável para os usuários. A areia de constituição normalmente é mais fina que na argamassa de
assentamento.

Dá-se o nome de pasta à mistura de um aglomerante mais água.

Quando se coloca água em excesso na pasta, temos um produto denominado nata. Misturando-se agregado
miúdo à pasta, obtemos uma argamassa.

Chama-se traço de argamassa (ou de concreto) à proporção dos componentes relativamente ao aglomerante.

Normalmente calcula-se o traço em peso, o qual dá origem ao traço em volume, que é o mais usado em
obras correntes.

Exemplo de traço de argamassa, em massas: 1:a.

Isto significa uma parte em massa do aglomerante para as partes de agregado miúdo. Para transformar este
traço em massa para traço de volume, basta dividir cada um dos termos pela respectiva massa unitária,
obtendo-se, desse modo, os dois termos em volume. Como, porém, por definição o traço deve ser definido
em função da quantidade de aglomerantes, basta multiplicar cada um dos membros da proporção pela massa
unitária do aglomerante.

1.2 Utilizações

As argamassas podem ser usadas como revestimento de pisos, tetos e paredes (emboço e reboco) ou no
assentamento de tijolos, blocos, azulejos e ladrilhos, reparos de obras de concreto, injeções etc.

1.3 Características

A argamassa é um material litoide artificial, obtido após o endurecimento de uma mistura em proporções
adequadas de agregado miúdo, aglomerante e água.
ARGAMASSA 2

A adição de areia se faz por vários motivos, como a diminuição da retração e o barateamento do produto.

No caso de argamassa de cal, a areia ainda tem a função de facilitar a passagem do ar para solidificação do
material.

As propriedades das argamassas estão diretamente ligadas a diversos fatores, tais como: qualidade e
quantidade do aglomerante, qualidade e quantidade de água.

Variando estas condições, teremos a qualificação do produto final, de acordo com as condições de
envolvimento dos grãos com a pasta.

1.4 Classificação

As argamassas podem ser classificadas de diversos modos:

1. quanto ao emprego:

 Comuns (para rejuntamento, revestimentos, pisos, injeções)


 Refratárias

2. quanto ao tipo de aglomerante:

 Aéreas (cal aérea, gesso)


 Hidráulicas (cal hidráulica, cimento)
 Mistas (cimento e cal aérea)

3. quanto ao número de elementos ativos:

 Simples (um aglomerante)


 Composta (mais de um aglomerante)

4. quanto à dosagem:

 Pobres ou magras (volume de pasta insuficiente para preencher os vazios)


 Cheias (quantidade suficiente de pasta)

5. quanto à consistência:

 Secas
 Plásticas
 Fluídas

1.5 Tipos de aplicação

Os tipos mais comuns de argamassa utilizados nos canteiros de obras são: argamassa de cal, argamassa de
cimento, argamassa mista e argamassa de gesso.

a) argamassa de cal

As argamassas de cal são geralmente utilizadas em alvenarias não estruturais. Este tipo de argamassa foi
muito empregado durante séculos, quando não se utilizava ainda o cimento Portland. É uma argamassa muito
elástica.

Não utilize a argamassa de cal logo após o preparo: neste momento, ainda existem partículas mal queimadas
de cal. Essas partículas continuam agindo com a água, queimando-se. Resultado: aparecem bolhas na
parede revestida.

b) argamassa de cimento
ARGAMASSA 3

As argamassas de cimento são utilizadas, por exemplo, para chapisco (devido à sua resistência de curto
prazo); nos revestimentos impermeáveis (tais como interior de caixas d'água e cisternas) e também em pisos
cimentados, pois resistem ao desgaste. Utilize esta argamassa no máximo 2 horas e 30 minutos após seu
preparo, pois possui cimento em sua composição.

c) argamassa mista

As argamassas mistas de cimento e cal são utilizadas, por exemplo, em alvenarias estruturais, nos
contrapisos, no assentamento cerâmico, em pisos ou paredes construídos pelo método convencional e
especialmente nos emboços de paredes e tetos.

d) argamassa de gesso

É obtida com a simples mistura de gesso com água, na devida proporção recomendada pelo fabricante. É
usada em revestimentos internos, nunca em externos. Utilize o gesso rapidamente, pois ele começa a
endurecer entre 6 e 8 minutos após ser misturado com água.

O endurecimento completo ocorre em cerca de 20 a 30 minutos. Para uso na construção civil, costuma-se
usar gesso aditivado, que tem tempo de pega retardado.

e) Graute

Os grautes são microconcretos e servem para preencher as cavidades dos blocos. Servem para solidarizar as
ferragens à alvenaria. Normalmente, os grautes são compostos de cimento, água e agregado miúdo (graute
fino) ou agregado miúdo e graúdo (graute grosso).

f) Argamassa de gesso projetada

As argamassas de gesso são materiais para execução de rebocos projetados mecanicamente. Elas
substituem, com uma única aplicação, os sistemas tradicionais de revestimento com chapisco, emboço e
reboco e chapisco e massa unida. É um material novo na construção civil brasileira. Seu consumo, entretanto,
vem aumentando com muita velocidade com o interesse dos construtores em conhecer e aplicar esta
tecnologia.

g) Argamassa industrializada

A argamassa industrializada é preparada na fábrica e já vem com os componentes previamente dosados,


necessitando apenas a adição de água na quantidade determinada pelo fabricante. É fornecida normalmente
em sacos e silos. É utilizada principalmente no assentamento de azulejos, pastilhas, pisos cerâmicos, bem
como em reboco e massa fina.

Alguns tipos de argamassa industrializada podem ser aplicadas pelo processo de projeção mecânica. Esta
nova tecnologia é utilizada no revestimento de paredes e possui inúmeras vantagens:

 Redução da mão de obra;


 Menos materiais empregados;
 Maior rendimento na aplicação;
 Falha zero na aplicação;
 Redução do cronograma de obra.

1.6 Preparo da argamassa

A argamassa pode ser preparada mecânica ou manualmente. Em qualquer um dos casos, é preciso que os
elementos sejam dosados na medida certa, para que o resultado esperado seja obtido. Para isso, você deve
se basear no traço, seguir as orientações do responsável técnico da obra e utilizar os equipamentos, que
servem para facilitar a sua vida.
ARGAMASSA 4

1.6.1 Traço

Traço é a indicação das proporções entre os constituintes da argamassa. Estas proporções tradicionalmente
são apresentadas em volume. O uso do traço em peso é mais correto para garantir a quantidade de consumo
e a qualidade das argamassas. Infelizmente, dentro da realidade brasileira, isto é impraticável no canteiro de
obras.

Exemplo:

Cal e areia traço 1:4 1 significa uma parte de cal

4 significa quatro partes de areia

1 significa uma parte de cimento

Argamassa mista (cimento e cal) traço 1:2:9 2 significa duas partes de cal

9 significa nove partes de areia

1.6.2 Dosagem

Para que a argamassa tenha propriedades desejadas, tanto no estado fresco quanto endurecido, é preciso
que ela seja preparada de acordo com o traço especificado. Para isso, se faz a dosagem. Dosar significa usar
um método para obter o traço pedido.

Para a dosagem no canteiro de obras são utilizadas padiolas. As padiolas são caixas usadas no transporte de
materiais e servem para medir a quantidade de componentes das argamassas. As dimensões das padiolas
são determinadas pelo traço estabelecido e pelo tipo de equipamento utilizado.

1.6.3 Mistura mecânica

Para fazer a mistura mecânica, utiliza-se a betoneira. Esse tipo de mistura, além de mais fácil, propicia uma
argamassa mais homogênea que a obtida pelo sistema manual. Depois de lançar todos os componentes
(inclusive a água) no tambor rotativo, deixe mistura de forma contínua durante um minuto e meio.

Para obter a argamassa no traço indicado, seus componentes precisam se colocados na betoneira com as
quantidades certas. Seguindo uma ordem correta, você terá bons resultados. Primeiro junte a cal com a areia.
Misture bem. Depois o cimento. Misture bem. E, por fim, coloque a água.

Sequência correta

1. Cal

2. Juntar areia

3. Juntar cimento

4. Juntar água

1.6.4 Armazenagem

Armazene todos os sacos de cimento, cal hidratada, gesso e argamassa industrializada no almoxarifado do
canteiro de obras.

As pilas devem ter no máximo 15 sacos, faixa vermelha; o ideal é que as pilhas tenham dez sacos, faixa
verde.

Distribua as pilhas dos sacos de tal maneira que primeiro sejam utilizados os sacos mais velhos.