Você está na página 1de 5

RESENHA IBF

Nome: ALEXANDRE SILVA DUARTE - COD 351472

Curso: 2ª GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO

Disciplina: Marketing

A importância do Marketing

O marketing surgiu há mais de 2100 anos antes de Cristo, com os mercadores que
viajavam vendendo e comprando bens e/ou fazendo trocas. Com o crescimento das
cidades surgiram mercados onde as pessoas se encontravam para venderem e
comprarem produtos. Os artesões foram grandes homens de marketing, pois
trabalhavam visando públicos específicos ou diferenciados.

A Idade Média trouxe consigo uma demanda maior de bens. Com o crescimento do
comércio entre nações surgiram os segmentos nas indústrias organizadas semelhante aos
modelos que hoje conhecemos. A Revolução Industrial colaborou para a produção em
massa requerendo que se conquistassem novos mercados que pudessem absorver a
elevação da produção.

O marketing chegou ao Brasil em 1954, por meio da Escola de Administração de


Empresas da Fundação Getúlio Vargas, em São Paulo, onde se tornou conhecido no
mercado empresarial e era utilizado pelos empresários, nem sempre de maneira
adequada, como uma ferramenta de publicidade. Na década de 1980, as técnicas
empresariais eram voltadas apenas para os preços dos produtos. No entanto, os
varejistas começaram a compreender que vender com o menor preço era mais lucrativo
e passaram a investir em ações promocionais de vendas e publicidade. Com o passar dos
anos, as empresas compreenderam que os preços baixos já não eram o fator
determinante para a venda e que vender dependia de vários outros fatores.
É bastante comum, nos dias atuais, constatar concepções errôneas e/ou subutilizadas
sobre marketing. Muitos associam marketing à apenas, propaganda ou técnicas de
vendas. É bastante comum ouvir de pessoas leigas expressões ao visualizarem um
outdoor ou ao ouvir pelo alto-falante de um supermercado o anúncio de produtos em
promoção. As propagandas e as técnicas de vendas são meras partes de um grande
composto de marketing.

O termo Marketing origina-se do inglês, significa ação no mercado. Esta definição


sugere-nos um estado dinâmico, uma mobilização constante (tal conceito reflete bem as
diversas situações vividas pelos homens e mulheres de marketing). Existe uma corrente
de autores que atribuem um significado diferente, conotando-o a mercadologia, ou,
simplesmente, o estudo do mercado.

O marketing evoluiu conceitualmente de acordo com o aumento do seu grau de


importância para as empresas. Existem diversas definições a respeito, Sandhussen
(1998) cita o conceito clássico da AMA (American Marketing Association):

“é o processo de planejar a concepção, o preço, a promoção e a distribuição de


bens e serviços para criar trocas que satisfaçam os objetivos individuais e
organizacionais.”

Para Kotler (2000), o Marketing é um processo social por meio do qual, pessoas
e grupos de pessoas obtêm aquilo de que necessitam e o que desejam com a criação,
oferta e livre negociação de produtos e serviços de valor com os outros”

Na perspectiva de sistemas, marketing é visto como um dos quatro subsistemas


essenciais em uma organização. Contabilidade-finanças, gera e administra o capital e os
fundos oriundos das operações de uma empresa; produção, processa a matéria-prima e a
transforma em bens ou serviços que são entregues ao mercado; recursos humanos, trata
do capital intelectual e da motivação dos integrantes da empresa e marketing, determina
o que será entregue, ou seja a oferta; para quem, o mercado-alvo e; como, quais meios
que deverão ser utilizados.

Os principais elementos abordados e trabalhados pelo marketing são: Produto, Preço,


Promoção e Distribuição.
Marketing trabalha o elo final da corrente empresarial: o consumidor. Busca a
excelência na satisfação das necessidades dos clientes através de produtos ou serviços.
Cabe ao profissional de marketing fizer um bom trabalho de identificação dessas
necessidades, desenvolver produtos de valor superior, definir bem seus preços e
condições de pagamento, fizer uma boa distribuição e promoção, estes produtos serão
vendidos com muita facilidade.

A inteligência de Marketing é um processo analítico em constante mutação, que


transforma dados em informações e informações e conhecimento, possibilitando
modificar capacidades, desempenhos, habilidades e recursos num processo decisório
estratégicos. A criação de um sistema de informação de marketing (SIM), tem por
finalidade satisfazer necessidades dos “prospects”, ao passo de deter competitividade
mercadológica, proteger a saúde organizacional e descobrir novas oportunidades. Este
sistema é um conjunto de componentes inter-relacionados que possibilita aos gestores
de marketing, diagnósticos e compreensão de problemas , facilitando o processo
decisório. Tais componentes são desenvolvidos para coletar, organizar, armazenar e
processar dados.

Orientar a empresa significa fazer com que a organização - com sua cultura, seus
valores, seus processos e pessoas - se mova, de forma integrada e consistente, em uma
única direção, a direção do cliente. Trata-se, sem dúvida, de uma tarefa hercúlea. O
cliente, por sua vez, é o mais complexo ser do ambiente social e econômico, com suas
crenças e valores, necessidades e desejos, experiências e expectativas próprias e
individualizadas. O sistema de marketing , com a análise dos dados conquistados,
permite adentrar nesta complexidade de forma eficiente e eficaz.

É sabido que o mercado atual está bastante competitivo, pois, os consumidores estão
mais exigentes e vão em busca de empresas que melhor atendam suas necessidades de
consumo, desde a oferta de produtos de boa qualidade até os preços mais acessíveis.
Desta forma as empresas são obrigadas a se ajustarem ao mercado e atender os desejos
do seu público-alvo tendo, assim, a obrigação de criar estratégias que possam fazer com
que ela se destaque no mercado e possa competir com empresas de qualquer outro porte.
A fim de alcançar tal objetivo, é de suma importância conhecer o marketing e as
ferramentas que o abrangem para assim conseguir espaço no mercado e ganhar mais
visibilidade perante seus consumidores podendo tornar-se uma ameaça para a
concorrência, pois o marketing é uma ferramenta que além de auxiliar como um
instrumento para as ações estratégicas também pode fazer a diferença dentro da empresa
para que ela se mantenha viva e estável no mercado alcançando a maturidade.

O Plano de Marketing é um documento que resume o mercado com suas peculiaridades


e principais tendências, tais como moda, momentos e relevâncias. Informa com mais
precisão como a empresa deseja agir para alcançar seus objetivos juntamente com o
marketing. O plano (produto do planejamento) é um curso de ação, onde se estabelece
quem fará o que, onde, como e porque, para atingir os objetivos. Todo e qualquer plano
é retratado formalmente através de um documento. Um bom plano de marketing deve
orientar a empresa em seus negócios na maneira como seu produto ou serviço deverá ser
transmitido para o público de modo que gere lucros e crescimento satisfatórios.

Todo segmento de negócios, enquanto sistema, passa por um ciclo de sobrevivência. Ou


seja, começa como setor de rápida expansão, passando depois para uma fase de
amadurecimento, e posteriormente por efeito natural do processo entrópico, chega a
decadência. Mas se nenhum ramo de atividades pode ser considerado eterno, como
algumas empresas sobrevivem e prosperam ao longo do tempo, enquanto outras, que
muitas vezes tornam-se bastante poderosas e ricas, acabam por perder espaço no
mercado, deixam de crescer e chegam até a extinguir-se ? Estariam elas no ramo errado
de negócios, sendo natural sua extinção em função da dinâmica social acelerada
principalmente em função da tecnologia ? Para Levitt, que analisou diversas situações
em seu clássico artigo “Miopia em Marketing”(1960), nenhuma das indagações
anteriores seria verdadeira. O que pode levar essas organizações a enfrentarem esses
problemas é simplesmente a falta de visão de seus administradores.

Diante do exposto, é perceptível que muitas empresas não conseguem manter-se no


mercado por de planejamento, seja pela falta de diferencial em seu produto/serviço, seja
pela falta do bom e velho marketing.

1 KOTLER, Philip; AMSTRONG, Gary. Introdução ao marketing. Livros Tecnicos e Cientificos, 2000.

2 SANDHUSEN, Richard. Marketing Básico. São Paulo, Saraiva, 1998.


.