Você está na página 1de 13

Nome:

Angélica Francisco Jossias

Tema:

Importância do estudo da Microeconomia na realidade moçambicana

ISCED
Curso de AGE
Abril de 2020
Nome:
Angélica Francisco Jossias

Tema:

Importância do estudo da Microeconomia na realidade moçambicana

Trabalho de microeconomia a ser


entregue no ao Docente da cadeira
para efeito de avaliação.

Docente: Victor Nuvunga

ISCED
Curso de AGE
Abril de 2020
Índice

Introdução ............................................................................................................................................. 4

Objectivos ............................................................................................................................................. 5

Revisão teórica...................................................................................................................................... 6

Breve contexto sobre a microeconomia ................................................................................................ 7

Importância do estudo da microeconomia na realidade moçambicana ................................................ 8

Impacto da microeconomia no desenvolvimento do país ..................................................................... 9

Conclusão............................................................................................................................................ 11

Agradecimentos…………………………………………………………………………….………..12

Referências bibliográficas…………………………………………………………………………...13
Introdução

A palavra microeconomia é um dos ramos da economia que trata das escolhas dos indivíduos quanto
à afectação dos recursos escassos que têm disponíveis, a afectação das coisas. Assim, ela estuda os
fundamentos das escolhas económicas de cada indivíduo e a sua evolução com a alteração dos
preços das coisas. Esta área é em alguns indivíduos considerada como uma área de poupança uma
vez que tem como finalidade gerir os recursos disponíveis por um indivíduo, agregado ou
organização por um tempo considerável.

O presente trabalho sobre microeconomia visa explicar a importância da microeconomia para o


desenvolvimento de Moçambique, onde em primeiro lugar faz-se a breve abordagem desta área, as
teorias a ter em conta na análise da importância desta parte da economia, e por último o impacto
desta no desenvolvimento do nosso país.

É um trabalho de intensa investigação nos sites da internet assim como nas bibliotecas virtuais
disponíveis nos blogues da internet de como monstra a referencia bibliografia.
1. Objectivos

1.1.Objectivo geral:
 Compreender a importância da microeconomia para o desenvolvimento do país.
1.2.Objectivos específicos:
 Explicar a importância da microeconomia para desenvolvimento de Moçambique;
 Mencionar as teorias que influenciam na tomada de decisão nos Moçambicanos;
 Explicar o impacto da microeconomia no desenvolvimento de Moçambique.
2. Revisão teórica

Neste capítulo encontramos desenvolvidos temas com conteúdos relacionados ao tema em estudo
para que com os mesmos tenham alicerces que ajudassem na pesquisa do campo. Neste caso
encontramos temas como: conceitualização de microeconomia, importância da microeconomia assim
como o seu impacto no desenvolvimento do país. GERHARDT & SILVEIRA (2009:66), afirmam
que a fundamentação tórica visa expor resumidamente às principais ideias já discutidas por autores
que trataram dos conteúdos, levantando críticas e dúvidas, quando for o caso, destacando e
resumindo as ideias já formuladas por outras pessoas, comparando-as com outros autores,
descrevendo a evolução de conhecimentos sobre o tema, mostrando as contradições e semelhanças o
que contribui para o avanço da pesquisa.

Segundo Carl Engel (1872), fundador da corrente de pensamento económico “a microeconomia é o


estudo do comportamento individual, dos consumidores e das empresas, em uma economia,
especificamente sobre as escolhas que cada um deve tomar, visionando obter uma máxima utilidade,
diante das situações de recursos escassos”.

Leon Walras (1883) Afirma Que “Microeconomia Também Conhecida Como Teoria Dos Preços É
o estudo do comportamento económico individual e particular, ignorando o conjunto geral da
economia, mas focando apenas nos mercados específicos e nas acções de produtores e
consumidores”

A enciclopédia livre diz que “A Microeconomia é definida como um problema de alocação de


recursos escassos em relação a uma série possível de fins”. E também acrescenta que
“a microeconomia estuda as interacções que ocorrem nos mercados em função da informação
existente e da regulação estatal”.
3. Breve contexto sobre a microeconomia

A microeconomia é considerada um dos temas mais importantes e estudados dentro das ciências
económicas. Podemos dizer que a microeconomia é o estudo do comportamento económico
individual e particular de cada agente dentro de uma economia. Esse tema ignora todos os agentes
externos que formam o conjunto geral da economia, focando apenas em mercados específicos e
estudando as acções de produtores e consumidores. Entender melhor a microeconomia, Estudar os
fenómenos microeconómicos é, por exemplo, observar o comportamento das acções de
consumidores individuais ou de empresas.

O seu objectivo é analisar como se dá o processo de tomada de decisão de cada indivíduo. Um dos
temas mais estudados dentro desse contexto é o princípio da “oferta e demanda” do qual funciona
como guia para o bom funcionamento de um mercado. É dentro do estudo microeconómico onde
também temos a análise por parte das empresas para determinar um preço justo e competitivo para
os seus bens e serviços, tudo isso, claro, baseado nas necessidades do seu consumidor. Quando
estudamos os hábitos de compras dos consumidores, existe o conceito chamado de utilidade, da qual
é uma ideia económica que se refere à satisfação percebida pelo consumidor ao usufruir de um bem
ou serviço. Como esse sentimento é muito difícil de quantificar exactamente, pois se trata de um
tema bastante subjectivo, aproximações razoáveis tornam.

É do nosso conhecimento que a microeconomia estuda os fundamentos das escolhas económicas de


cada indivíduo e a sua evolução com a alteração dos preços das coisas. Além de considerar os
indivíduos, a microeconomia pode ainda considerar um certo nível de agregação, lidar-se com o
comportamento e decisões de pequenas unidades produtivas, das pessoas e famílias, definido de
forma restrita como sendo a optimização das escolhas, feita por cada indivíduo, para alcançar seus
objectivos, supostamente muito claros e indubitáveis para cada um.

A microeconomia quando bem aplicada pode ser de extrema importância para o desenvolvimento de
uma zona numa medida em que influencia directamente o desenvolvimento do individuo.

Como impacto da microeconomia pode-se destacar aqui o enriquecimento da população o que pode
culminar na melhoria das condições de vida da população e no desenvolvimento do país.

3.1. Importância do estudo da microeconomia na realidade moçambicana


Como já vimos anteriormente que a microeconomia trata das escolhas dos indivíduos quanto à
afectação dos recursos escassos que têm disponíveis, a afectação das coisas é claro que nalguns
casos as pessoas devem saber o que comprar, onde comprar e para que comprar. Para tal elas
necessitam do estudo da microeconomia. Antes de abordar sobre a importância do estudo da
microeconomia no contexto moçambicano é necessário ter em conta três teorias tidas teorias que
mais influenciam na tomada de decisões. Estas teorias são:

 Teoria do Consumidor: Estuda as preferências do consumidor analisando o seu


comportamento, as suas escolhas, as restrições quanto a valores e a demanda de mercado. A
partir dessa teoria se determina a curva de demanda.
 Teoria da Firma: Estuda a estrutura económica de organizações cujo objectivo é maximizar
lucros. Organizações que para isso compram factores de produção e vendem o produto desses
factores de produção para os consumidores. Estuda estruturas de mercado tanto competitivas
quanto monopolísticas. A partir dessa teoria se determina a curva de oferta.
 Teoria da Produção: Estuda o processo de transformação de factores adquiridos pela empresa
em produtos finais para a venda no mercado. Estuda as relações entre as variações dos factores
de produção e suas consequências no produto final. Determina as curvas de custo, que são
utilizadas pelas firmas para determinar o volume óptimo de oferta.
Nesta vertente, podemos dizer que a microeconomia analisa a formação de preços em vários
mercados moçambicanos, isto é, a empresa e o consumidor se interagem e decidem o preço e a
quantidade de um produto ou serviço; estuda o funcionamento da oferta e da demanda (procura) na
formação do preço. Também preocupa-se em explicar como é fixado o preço de acordo com os seus
factores de produção.

Desta feita podemos afirmar que a microeconomia faz o estudo do impacto dos fenómenos
económicos que representam o bem-estar das famílias moçambicanas usando práticas cujo objectivo
final é contribuir para o bem-estar do Homem, enquanto ser social, através da construção de
soluções que conduzam à satisfação das suas necessidades, ao crescimento e, consequentemente, ao
desenvolvimento nas suas vertentes económica, social e humana, através de uma maior equidade na
distribuição dos bens e recursos.

Estuda, analisa, interpreta e acompanha os fenómenos económicos à escala segmentada dos


mercados e sectores, em matérias como os preços utilizados, as estratégias seguidas, as tecnologias
disponíveis, os requisitos da mão-de-obra ou os sistemas de produção dos agentes económicos
integrados nesses mercados.

Podemos afirmar ainda que a produtividade e, consequentemente, o crescimento económico do país,


dependem de factores de natureza endógena e exógena da sociedade e que são estes factores de
natureza microeconómica que mais influenciam o crescimento económico de Moçambique. A
capacidade de crescimento dessa economia é, por consequência, em função da capacidade de
produção e crescimento das empresas.

O aumento da produtividade traduz-se em maior volume de vendas o que significará maiores lucros.
Estes lucros ou são distribuídos pelos trabalhadores ou accionistas ou são reinvestidos. Se
distribuídos produzem maiores salários ou rendimentos, se reinvestidos permitem efectuar mais
compras a fornecedores e aumentar também o volume de negócios destes últimos e, provavelmente,
dos seus resultados. Se alternativamente, forem investidos internamente, aumentam a capacidade
produtiva e de crescimento das vendas, o que pode criar a necessidade de mais trabalhadores, o que
melhora os níveis de emprego, o que leva também ao crescimento económico do país.

3.2. Impacto da microeconomia no desenvolvimento do país

A microeconomia como sendo uma área social que visa proporcionar o bem-estar individual assim
como de pequenos agregados aplica-se também em algumas áreas de desenvolvimento do pai como
por exemplo a agricultura, saúde, cultura e outras áreas pois elas necessitam de proporcionar o bom
funcionamento da área assim como dos indivíduos nela envolvidos. Vamos ver como é que esta área
é aplicada em cada uma dessas áreas:

Na Área agrícola, a microeconomia faz o estudo das forças económicas que afectam o sector
agrícola e o impacto do sector no resto da economia. É uma área da economia que, graças à
necessidade de se aplicar a teoria microeconómica a situações complexas do mundo real, tem
contribuído com avanços importantes de aplicação mais geral; o papel do risco e da incerteza, o
comportamento das famílias e as ligações entre direito de propriedade e incentivos.
Na área financeira a microeconomia está preocupada com a alocação dos recursos financeiros em
um ambiente de risco (ou incerteza). Assim, seu foco está na operação dos mercados financeiros, na
avaliação de preços de activos financeiros, e na estrutura financeira das empresas.

Na área industrial a microeconomia também conhecida como organização industrial, estuda o


comportamento estratégico das firmas, a estrutura dos mercados e suas interacções. As estruturas
comuns do mercado incluem competição perfeita, competição monopolística, várias formas
de oligopólio e monopólio.

Na área da informação, a microeconomia examina como a informação afecta o processo decisório


económico. Um importante foco da disciplina é o conceito de assimetria de informação, onde um
participante possui mais ou melhor informação que a outra. A existência da assimetria de informação
abre espaço para o surgimento de problemas como risco moral e selecção adversa estudada na teoria
dos contratos. A economia da informação tem relevância em muitas áreas
como finanças, seguros, direito, e processo decisório em condições de risco e incerteza.

Na área do trabalho a microeconomia procura entender o funcionamento do mercado e a sua


dinâmica relacionada ao trabalho. Os mercados de trabalho funcionam através das interacções entre
trabalhadores e empregadores. A economia do trabalho observa os ofertantes de força-de-trabalho
(trabalhadores), seus demandantes (empregadores) e tenta entender os padrões resultantes de salários
e outras rendas do trabalho, de emprego e desemprego. Usos práticos incluem a assistência na
formulação de políticas de pleno emprego.

Na área de direito a microeconomia ou a análise económica do direito, faz uma abordagem da


teoria do direito que aplica métodos da economia ao direito. Inclui o uso de conceito económicos
para explicar os efeitos de normas legais a fim de determinar quais normas são economicamente
eficientes e para prever quais normas o serão.

Na área gerencial, a microeconomia aplica análise microeconómica para especificar decisões nas
organizações. Ela se aproveita pesadamente de métodos quantitativos como pesquisa operacional e
programação e também de métodos estatísticos como a regressão ausentes a certeza e informação
perfeita. Um tema unificador é a tentativa de optimizar decisões de negócios, inclusive minimização
de custo por unidade e maximização de lucro, dados os objectivos da firma e limitações impostas
pela tecnologia e condições de mercado.
Conclusão

A microeconomia como sendo um ramo da economia que estuda o impacto dos fenómenos
económicos que representam o bem-estar das famílias usando práticas cujo objectivo final é
contribuir para o bem-estar do Homem, enquanto ser social, através da construção de soluções que
conduzam à satisfação das suas necessidades, ao crescimento e, consequentemente, ao
desenvolvimento nas suas vertentes económica, social e humana, através de uma maior equidade na
distribuição dos bens e recursos pode ter um impacto positivo no contexto moçambicano. Esta pode
melhorar a economia do país, a vida social e económica do país e consequentemente na melhoria das
conduções de vida dos moçambicanos.

Os aspectos acima mencionados foram abordados ao longo deste trabalho de campo que foi de
extrema importância para mim assim como todos estudantes que fazem o curso de gestão pois traz
conteúdos muito relevantes que aplicados partem do contexto pessoal e vão até ao contexto geral
visando poupar e distribuir de forma equitativa os poucos recursos existentes no país.
Agradecimentos

O meu primeiro agradecimento vai à ISCED ter me recebido e fornecido um ambiente inspirador na
realização deste curso num regime preferencial; aos docentes do curso de AGE reconheço o esforço,
muita paciência e sabedoria que souberam me proporcionar boas ferramentas e bons recursos para
evoluir mais no meu processo de Ensino e Aprendizagem;

Ao docente desta cadeira, enderece o meu especial agradecimento pela monitoria, acompanhamento
e paciência indispensável que tem demonstrado na minha aprendizagem. À minha família e amigos
deixo uma palavra de gratidão por todo carinho, inspiração e apoio que tem me dado para poder
continuar de forma incansável com a minha formação.

Por fim, a todos que directa ou indirectamente interferem nesta minha grande viagem deixo
lembranças de AGRADECIMENTOS.
Referências bibliográficas

1. Bradfield, James (2007). Introdução economia financial de mercados. Oxford University Press
US.
2. NA (2007). "Managerial economics". The New Encyclopædia Britannica.
3. MÁRIO de Carvalho (2011): Introdução à Microeconomia – Conceitos básicos, Angola.
4. MICAELA Pinho, (2018): Microeconomia – Teoria e Prática Simplificada, 4ª Edição,
Lisboa:144-332.
5. MONTEIRO José, ISCED: (s.d) Manual do curso de Licenciatura em Contabilidade e
Auditoria, pg 9.(s.l).
6. www.significados.com.br/microeconomia (acessado em 10.04.2020)
7. www.todamateria.com.br/macroeconomia. (acessado em 10.04.2020)