Você está na página 1de 11

INSTITUTO SUPERIOR DE CIÊNCIAS E EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA

DEPARTAMENTO DE ECONOMIA E GESTÃO

CURSO DE LICENCIATURA EM GESTÃO DE RECURSO HUMANOS

O Terceiro sector na assistência às demandas social em Moçambique

Isabel Benjamim Ernesto

Maxixe, Junho de 2019


INSTITUTO SUPERIOR DE CIÊNCIAS E EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA
DEPARTAMENTO DE ECONOMIA E GESTÃO

CURSO DE LICENCIATURA EM GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS

O Terceiro sector na assistência às demandas social em Moçambique

Trabalho de Campo a ser submetido


na Coordenação do Curso de
Licenciatura em Gestão de Recursos
Humanos do ISCED

Isabel Benjamim Ernesto

Maxixe, Junho de 2020


Índice
1. Introdução ...............................................................................................................................4

Apresentação dos Objectivos ...................................................................................................4

1.1.1. Objectivo Geral: .........................................................................................................4

1.1.2. Objectivos Específicos: ..............................................................................................4

1.2. Problematização................................................................................................................4

1.2.1. Pergunta de partida: ....................................................................................................4

1.3. Justificativa .......................................................................................................................5

1.4. Metodologia......................................................................................................................5

1.4.1. Método .......................................................................................................................5

1.4.2. Método de Procedimento ............................................................................................6

1.5. REFERENCIAL TEÓRICO..............................................................................................7

1.5.1. O TERCEIRO SECTOR NA ASSISTÊNCIA ÀS DEMANDAS SOCIAL EM


MOÇAMBIQUE ..................................................................................................................7

1.6. Conceito de Terceiro Sector ..............................................................................................7

1.7. Surgimento do termo Terceiro Setor .................................................................................7

1.8. Organizações Não-Governamentais ..................................................................................8

1.9. Importância do Terceiro Setor em Moçambique ................................................................8

2. Conclusão ............................................................................................................................. 10

3. Referências bibliográficas ..................................................................................................... 11


1. Introdução
O presente trabalho, com o título “O Terceiro sector na assistência às demandas social em
Moçambique”, surge no âmbito de pesquisas científicas, visando introduzir no ceio do estudante,
um conhecimento referente à temática.
O Terceiro Setor é a nova esfera pública. De iniciativa privada e em busca do interesse e
benefício comum, o Terceiro Setor nasce a partir da carência do Estado e Mercado em atender as
necessidades da população, que crescem juntamente com a urbanização. É a forma mais
autêntica de manifestação de cidadania e participação social, além de ser hoje uma importante
forma de participação econômica para o país

1.1. Apresentação dos Objectivos


O presente trabalho contém como objectivos:

1.1.1. Objectivo Geral:


 Analisar o papel do Terceiro sector na assistência às demandas social em Moçambique;

1.1.2. Objectivos Específicos:


 Definir o terceiro sector;
 Identificar as demandas da sociedade moçambicana;
 Descrever as práticas do terceiro sector;

1.2. Problematização
Na sua história, Moçambique foi um país que sofreu com a colonização e com as diversas
guerras que se verificaram, em consequência disso, é um país ainda em via de desenvolvimento.
Tal como muitos países africanos, Moçambique tem lutado contra diversas situações de ordem
económica, nomeadamente a fome, a pobreza absoluta, etc. Nos últimos tempos, o país tem
vindo a ser devastado por diversas calamidades naturais, o que aumenta a necessidade das
comunidades em serviços básicos, demanda essa que o Governo não consegue suprir na sua
totalidade. O terceiro sector desempenha um papel muito importante na satisfação dessas
necessidades, facto este que leva a problemática da nossa pesquisa, surgindo assim a seguinte
pergunta de partida.

1.2.1. Pergunta de partida:


 Qual é o principal papel do terceiro sector?

4
1.3. Justificativa
A escolha deste tema deveu-se a extrema importância da temática para a sociedade
moçambicana, tendo o intuito de ajudar a perceber melhor o papel do terceiro sector em
Moçambique. Deu-se também pela necessidade de destacar e encorajar a acção social, uma vez
que o nosso país e o mundo atravessam momentos conturbados, aliada a cativação que nos é
transmitida pelo tema, visto que trata de assuntos de ordem social de extrema importância e que
merecem uma maior atenção.

1.4. Metodologia
Segundo Rodrigues (2007:2), metodologia é um conjunto de abordagens, técnicas e processos
utilizados pela ciência para formular e resolver problemas de aquisição objectiva do
conhecimento, de uma maneira sistemática.

Para Silvestre e Araújo (2012), metodologia é a explicação minuciosa, detalhada, rigorosa e


exacta de toda acção desenvolvida no método (caminho) do trabalho de pesquisa. Já Sousa e
Baptista (2011), definem metodologia como um conjunto concentrado de operações que são
realizadas para atingir um ou mais objectivos.

De acordo com Turra apud Haydit (2002:143), metodologias são procedimentos ou estratégias
de ensino em todas as acções, processos ou comportamentos planejados pelo professor ou
investigador que lhe permite modificar a sua conduta, em função dos objectivos previstos.

Em suma, metodologias são as técnicas e procedimentos usados para o alcance de um


determinado objectivo.

1.4.1. Método
Segundo Gil (2008), pode se definir o método como caminho para se chegar a determinado fim,
e “Marconi e Lakatos (2011), afirma que método é um caminho científico.

Segundo Gil (2008), Método científico é a organização interna do processo investigativo. São o
conjunto das actividades sistemáticas e racionais que, com maior segurança e economia, permite
alcançar o objectivo - conhecimentos válidos e verdadeiros, traçando o caminho a ser seguido,
detectando erros e auxiliando as decisões do cientista.
Método pode ser entendido como sendo o caminho ou procedimento usado para o alcance de
certo objectivo.

5
1.4.2. Método de Procedimento
Para o presente trabalho recorreu-se ao método bibliográfico como principal método de
procedimento.

A pesquisa bibliográfica segundo Gil (2002:44), é desenvolvida com base em material já


elaborado, constituindo principalmente livros, artigos científicos, […]. Os livros constituem
fontes bibliográficas por excelência. Em função da sua forma de utilização podem ser
classificados como de leitura corrente ou de referência. Importa referir que para o nosso estudo
foram da última classificação.
Ainda para Gil (2002:46), a pesquisa bibliográfica tem carácter de elaborar fundamentos que
imprimam a coerência e a estruturação da dissertação com a pesquisa de campo, a partir de
leituras de matérias já publicadas, livros, periódicos, revistas, jornais, artigos, estatísticas e
publicações da internet, de autores contemporâneos, com posterior organização dos textos em
forma de resumos, citações e interpretações.

A pesquisa bibliográfica possibilitou a aquisição do conteúdo necessário para a produção do


trabalho.

6
1.5. REFERENCIAL TEÓRICO
1.5.1. O TERCEIRO SECTOR NA ASSISTÊNCIA ÀS DEMANDAS SOCIAL EM
MOÇAMBIQUE
1.6. Conceito de Terceiro Sector
Para Rothgiesser (2002) o terceiro setor seriam “iniciativas privadas que não visam lucros,
iniciativas na esfera pública que não são feitas pelo Estado. São cidadãos participando de modo
espontâneo e voluntário em ações que visam ao interesse comum.”

O termo Terceiro Setor refere-se ao conjunto de organizações e iniciativas da sociedade civil


que, não pertencendo ao Estado, produzem bens e serviços e que, sendo privadas, não têm fins
lucrativos (FERREIRA, 2009 apud VIREIRA, 2015: 14).
Terceiro Sector, “consiste no conjunto de actividades de organizações da sociedade civil, criadas
pela iniciativa de cidadãos que têm como objectivo prestar serviços públicos, seja na saúde, na
educação, na cultura, nos direitos humanos, na habitação, na protecção do ambiente, no
desenvolvimento local, ou no desenvolvimento pessoal.” (SALVATORE apud VILTOLINI,
2003: 27).

Segundo Amado, (2007: 52), o Terceiro Sector define-se em oposição, por um lado, ao sector
lucrativo (...) guia-se primordialmente pelo princípio de reciprocidade, ou seja, a ideia de que a
cooperação e a entreajuda são formas válidas de mobilização e organização de recursos
monetários ou não monetários para a produção material de bens e serviços.

Com tudo, pode se definir o terceiro sector como sendo o conjunto de associações e entidades
sem fins lucrativos que trabalham em prol do desenvolvimento e bem-estar social.

1.7. Surgimento do termo Terceiro Setor


A expressão “Terceiro Setor” começou a ser usada nos anos 70 nos EUA para identificar um
setor da sociedade no qual atuam organizações sem fins lucrativos, voltadas para a produção ou a
distribuição de bens e serviços públicos (SMITH, 1991).

Em 1972, Amitai Etzioni publicou o artigo “The Untapped Potential of the ‘Third Sector’”, na
revista Business and Society Review, no qual defendia uma mudança de orientação da política
social do governo Nixon que, em sua opinião, ao invés de privilegiar o setor lucrativo na
provisão de serviços sociais, deveria incentivar a criação e o fomento de organizações privadas
sem fins lucrativos que assim o fizessem (ETZIONI, 1972: 39-44).

7
Outras obras também deram ênfase à expressão “Terceiro Setor”, dentre as quais os livros:

The Third Sector: new tactics for a responsive society, de Theodore Levitt (1973); Giving in
America: toward a stronger voluntary sector, da Comission on Private Philanthropy and Public
Needs (1975); The Endangered Sector (1979); e The Third Sector: keystone of a caring society
(1980), de Waldemar Nielsen.

Sem unanimidade entre os autores, o termo “Terceiro Setor” passou a ser menos usado nos anos
80 (SMITH, 1991) para definir o tipo de atividade de natureza não-governamental e não
mercantil.

1.8. Organizações Não-Governamentais


O termo Organizações Não-Governamentais (ONGs) merece destaque dentre os vários que se
utilizam como equivalentes, ou como quase-sinônimos, de “Terceiro Setor”.

ONG é termo muito frequente, nos países em desenvolvimento, quase sempre para designar
organizações que se dedicam a promover o desenvolvimento econômico e social, tipicamente no
nível comunitário e de base (GARDNER e LEWIS, 1996).

Em Moçambique, o termo mais comum para indicar organizações do terceiro sector é ONGs.

1.9. Importância do Terceiro Setor em Moçambique


O terceiro setor surgiu a partir de uma carência do Estado em oferecer serviços de utilização
comum à sociedade como saúde, educação, cultura, etc.

Drucker (1999) afirma que as instituições sem fins lucrativos existem por causa de sua missão.

Elas existem para fazer a diferença na sociedade e na vida dos indivíduos.

As organizações sem fins lucrativos existem em todo o lugar graças a uma tendência do homem
em reunir pessoas para proporcionar serviços de bem-estar e melhorias para si próprias e para os
outros. As pessoas caminham para um desejo cada vez mais profundo de alcançar um ambiente
saudável, humanitário, de bem-estar, educação e cultura para melhorar o mundo em que vivem e,
depositam nas organizações do terceiro setor suas esperanças, seu tempo e outros recursos que as
ajudem a atingir suas missões.

8
O poder de influência do Terceiro Setor é importante, inclusive porque parte das mudanças e
inovações sociais mais significativas dos últimos tempos foram obtidas graças à criação e
militância de suas organizações.

Moçambique, por ser um país ainda em via de desenvolvimento, enfrenta diversos problemas no
fornecimento de serviços básicos tais como a educação e saúde. No sector da educação, a
crescente onde de violência que ser regista em certas zonas do país, aliada aos desastres e
calamidades naturais tem destruído diversas infraestruturas educacionais, tornando assim, mais
difícil o acesso à educação em certas zonas do país, os mesmos factores destroem e devastação
do solo e grandes plantações que constituem a base de sobrevivência de diversos cidadãos,
ameaçando assim a segurança alimentar nacional. Tem se assistido a invasão e destruição de
infraestruturas hospitalares por grupos terroristas, deixando a sociedade sem alguns serviços
básicos de saúde.

Com isso, o terceiro sector em Moçambique tem uma maior responsabilidade e importância na
mitigação dos efeitos dos problemas acima referidos. Como proposta de solução dos mesmos,
devia se fazer um trabalho de desencorajamento de actos de vandalismo e terrorismo junto a
população, a criação de novos centros de saúde e escolas também se mostra de suma
importância.

9
2. Conclusão
Findo o trabalho, depreende-se que os objectivos previamente estabelecidos foram alcançados.
Conclui-se ainda que o terceiro sector é o conjunto de associações e entidades sem fins lucrativos
que trabalham em prol do desenvolvimento e bem-estar social.
Em Moçambique, o terceiro sector desempenha um papel preponderante na satisfação das
demandas sociais. Com isto, chega-se a conclusão de que o terceiro sector tem a missão de
proporcionar o bem-estar ao cidadão sem fins lucrativos.

10
3. Referências bibliográficas
a. AMADO, M. Qualificar o Terceiro Sector: Uma perspectiva de formação. Vez e Voz -
Inovação e Qualidade no Terceiro Sector, nº 1, Série II, Ano XV, Dezembro. 2007.
b. DRUCKER, Peter F. Administração de organizações sem fins lucrativos: Princípios e
práticas. 5ª Ed. São Paulo: Pioneira, 1999.
c. ETZIONI, Amitai. The Untapped Potential of the “Third Sector”. Business and Society
Review, No. 1 Spring 1972.
d. GARDNER, Katy e LEWIS, David. Anthropology, Development and the Post-Modern
Challenge. London: Pluto Press, 1996.
e. RODRIGUES, Costa William. Métodologia Científica, Paradambi, 2007.
f. ROTHGIESSER, Tanya L. Sociedade Civil Brasileira e o Terceiro Setor -2002.
Disponível em: http://www.terceirosetor.adm.br/ Acesso em: 10 de Junho de 2020.
g. SALVATORE, V. A Racionalidade do 3º setor. In VOLTOLINI,R., Terceiro Setor,
Planejamento e Gestão. São Paulo: Senac. 2004.
h. SMITH, David Horton. Four Sectors or Five? Retaining the Member-Benefit Sector.
Nonprofit and Voluntary Sector Quarterly. V. 20 N. 2, Summer 1991.
i. VIEIRA, Tracey. Os Papéis das Organizações do Terceiro Setor na resposta aos
Problemas Sociais: Dissertação de Mestrado em Intervenção Social, Inovação e
Empreendedorismo apresentada à Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra.
2015.

11