Você está na página 1de 4

Controlando pensamentos obsessivos

Falando de forma resumida obsessões são pensamentos indesejados,


repentinos e repetitivos. Em geral eles surgem como preocupações, medos,
pensamentos ruins ou negativos. Os temas mais comuns para as obsessões
são:

· Pessoas que se gosta irão se machucar ou morrer

· Risco de contrair alguma doença ou transmitir alguma enfermidade as


outras pessoas.

· Acreditar que terá má sorte ou muito azar

· Ter sido mal-educado ou grosseiro ou ter se portado mal com alguém


ou em algum lugar.

· Achar que as coisas estão erradas, desorganizadas ou fora do lugar.

· Imaginar que algo ruim irá acontecer um incêndio, doença ou morte


da própria pessoa ou um ente querido.

· Ideias de conteúdo religioso ou místico (o mundo vai acabar ou


cometi algum pecado)

Obsessões também podem surgir em forma de imagens, sons ou ideias:

· Imagens violentas, com conteúdo sexual ou agressivo.

· Músicas sons ou palavras intrusivas e repetitivas.

Estando claro o que são obsessões, vamos às dicas...

Você não está só

É possível que pense que apenas você tenha esse problema e por isso
mesmo se ache boba(o) ou “sem noção”.

A verdade é que todo mundo se preocupa às vezes em contrair algum tipo


de doença; achar que deixou a televisão ou o gás ligado; que alguém ficou
bravo ou magoado com você etc.

Menciono isso por que sei que muitas pessoas que sofrem com
pensamentos obsessivos e/ou TOC, não falam para ninguém sobre esse
problema e sequer pensam em pedir ajuda a um profissional por achar que
este irá considerá-la louca (o).

Seus pensamentos não se materializam

Não é por que você pensou em alguma coisa quer ela irá se tornar
realidade, nem você e nem ninguém possui esse poder.

Pensar que algo de ruim aconteceu aos seus filhos ou a sua mãe não
significa que eles ou ela realmente se machucaram.

Pare para refletir: Por que você acredita que somente coisas ruins vão
acontecer? Pensar em ganhar na loteria não faz com que você ganhe, então
por que pensar em algo ruim faria com que tal coisa acontecesse?

Aprenda a controlar a ansiedade

A ansiedade amplia as nossas preocupações e embaralha os nossos


pensamentos por isso é muito importante aprender a lidar com ela. No
artigo: Como controlar a ansiedade eu passo algumas dicas para lidar com
esse problema, entretanto existem muitos outros métodos para fazer isso,
descubra o que funciona melhor para você.

Se não conseguir controlar a ansiedade sozinho (a) procure por um


psicólogo ou por médico (preferivelmente um psiquiatra).

Não tente parar os pensamentos!

Se eu lhe dissesse: Não pense em um elefante! Você imediatamente irá


pensar em um elefante. Quanto mais nos esforçamos para evitar um
pensamento mais pensamos nele.

Para fugir de um pensamento ruim, muitas pessoas recorrem a alguma


atitude ou ação que lhes traga certo alívio. O grande problema é que esse
alívio é momentâneo e logo passa a se ter dois problemas: os pensamentos
obsessivos e os comportamentos compulsivos. A essa combinação damos o
nome de Transtorno Obsessivo compulsivo (TOC)

A única maneira de se livrar de um pensamento obsessivo é


desconstruindo-o, como pretendo descrever a seguir.
OBS: Se você já desenvolveu algum tipo de mania ou hábito compulsivo e
não sabe como se livrar dele leia o artigo: Como se livrar de vícios e
manias

Será que isso pode realmente acontecer?

Quando você tem repetidas vezes o mesmo pensamento, você deixa de se


perguntar se ele faz sentido e começa a acreditar neles cegamente. Isso
acontece com as obsessões.

Para que um fato acorra é necessário que exista uma séria de coisas e
situações que darão condições para que tal ocorrência seja possível, essas
condições vêm em sequência, sendo que a falha de um acontecimento
impede que o evento posterior a ele suceda, tornando assim impossível que
o fenômeno final ocorra. A isso damos o nome de cadeia de eventos.

Criando uma cadeia de eventos: Um paciente se preocupava em esquecer a


sua TV ligada, para ele se isso acontecesse a sua casa pegaria fogo. Ele
compreendeu que para isso acontecer precisaria que:

1. A TV ficasse ligada por muito tempo

2. A TV superaquecesse (esquentar bastante)

3. Os componentes eletrônicos superaquecidos perdessem a proteção


(derreteriam a parte isolante)

4. As partes condutoras deveriam se tocar

5. Ocorrer um curto-circuito

6. O curto-circuito gerar faíscas suficientes para inflamar algo

7. A chama gerada ser suficiente para inflamar outra coisa maior.

8. Daí então as chamas passariam para além da TV e iniciariam um


incêndio

Qual a probabilidade de cada uma dessas etapas ocorrer?

Os pensamentos obsessivos e o TOC nos levam a acreditar que coisas ruins


certamente irão acontecer. A realidade não é assim.
Observe cada uma das etapas da sua cadeia de eventos e pergunte a si
mesmo: qual a probabilidade disso acontecer?

Para cada evento atribua um número de 1 a 100 sendo que: 1 representa


quase impossível e 100 representa quase certo (nada é 100% garantido ou
totalmente impossível).

No exemplo dado acima ficou assim:

A TV ficar ligada por muito tempo (50)– apesar de verificar sempre antes
de sair se a tevê está desligada, por alguma distração ou por pressa é
possível se esquecer.

A TV superaquecer (20) – Os televisores são projetados para ficarem


ligados por muito tempo, e possuem dissipadores de calor interno. Eles são
protegidos contra superaquecimento, afinal eles são a principal forma de
distração em lares de todo o mundo, e as pessoas costumam deixá-los
ligados durante o período que estão acordadas.

Os componentes perdessem a proteção (20): Dentro dos aparelhos


eletrônicos existem fusíveis ou relês que se desarmam quando a
temperatura aumenta muito. A verdade é que apesar do paciente em
questão se preocupar com um incêndio iniciado por sua televisão, os
fabricantes de TV se preocupam mais ainda e fazem de tudo para evitá-los.

O mesmo processo deve ser feito com cada uma das etapas pensadas na
cadeia de eventos. O ideal é que você busque conhecer mais sobre o que
você ou o seu paciente teme. Se não conseguir fazer isso sozinho busque o
apoio de alguém de sua confiança ou de um profissional (psicólogo).

Os pensamentos obsessivos e o TOC são muito difíceis de trabalhar e


provavelmente irão te acompanhar pelo resto da sua vida, porém com o
tratamento adequado e as atitudes corretas você pode ter uma vida
perfeitamente normal.