Você está na página 1de 43

SCANIA ACADEMY

MWTB – SBR SCHOOL


10/28/2014
DC9 60A (EMS)
1 Bomba de alimentação (4,5 – 7 Bar)
5
2 Bomba manual 1
4 2
3 Filtro de combustível 3
4 Régua de combustível
5 Válvula de descarga de pressão
SCANIA ACADEMY
MWTB – SBR SCHOOL
10/28/2014
Conectada a outros sistemas EDC no veículo através dos conectores A e B.

• Fabricado pela Motorola;


• Projetado para ser montado sobre
suportes de borracha no motor sem
necessitar refrigeração;
• Programa do S6 100% criado e
controlado pela Scania;
• A unidade de comando recebe sinais dos
sensores, interruptores e outros sistemas eletrônicos.
• As falhas no sistema são exibidas por meio de códigos de piscadas no painel.
Se o sistema estiver funcionando corretamente, a luz ficará acesa por 4
segundos.
• A comunicação via CAN, pelos Conector B1 - pinos 9 e 10, com resistência
de 120 Ω. Medindo direto no C56 a resistência será de 60 Ω.
SCANIA ACADEMY
MWTB – SBR SCHOOL
10/28/2014
1. Conector
2. Travamento secundário
3. Terminal do cabo 0,5 - 1,0 mm2 chapeado de ouro (CAN)
ou 0,5 - 1,0 mm2 estanho ou 1,5 - 2,5 mm2 estanho
4. Vedação 1,2 - 2,1 mm (vermelho) ou 1,9 - 3,0 mm (cinza)
dependendo da área do cabo.
5. Cabo
6. Bujão

Descrição da montagem do conector

A. Crave no extremo descascado e no fundo da vedação.


B. O extremo traseiro da vedação deve ser nivelado com a carcaça quando for instalado.
C. O extremo dianteiro da vedação deve ser nivelado com a extremidade do isolamento.
SCANIA ACADEMY
MWTB – SBR SCHOOL
10/28/2014
A unidade é conectada a outros componentes e sistemas através dos
conectores A (branco) e B (preto).
SCANIA ACADEMY
MWTB – SBR SCHOOL
10/28/2014
Pino Descrição
1 Alimentação de tensão, +24 V para unidades de injeção - cilindro 4.
2 Alimentação de tensão, +24 V para unidades de injeção - cilindro 5.
Conector A1

3 Não é usado.
4 Alimentação de tensão, +24 V para unidades de injeção - cilindro 6.
5 Não é usado.
6 Massa para unidades de injeção - cilindro 4.
7 Massa para unidades de injeção - cilindro 5.
8 Não é usado.
9 Massa para unidades de injeção - cilindro 6.
10 Não é usado.
1 Não é usado.
2 Não é usado.
3 Não é usado.
Conector A2

4 Não é usado.
5 AUX_AN_0, Admissão analógica adcional (Massa)
6 Não é usado.
7 AUX_AN_1, Admissão analógica adcional (+5 V)
8 AUX_AN, Admissão analógica adcional (Sinal)
9 Não é usado.
10 Não é usado.

SCANIA ACADEMY
MWTB – SBR SCHOOL
10/28/2014
Pino Descrição

Conector A3
1-2 Não é usado.
Conector A4
1-2 Não é usado.
Conector A5
1 Sinal de entrada proveniente do sensor de rotações do motor 1
2 Ligação à massa do sensor de rotações do motor 1
Conector A6
1 Sinal de entrada proveniente do sensor de rotações do motor 2.
2 Ligação à massa do sensor de rotações do motor 2.
Conector A7
1 Sinal de entrada proveniente do sensor de temperatura do líquido de arrefecimento.
2 Ligação à massa do sensor de temperatura do líquido de arrefecimento.
Conector A8
1-2 Não é usado.

SCANIA ACADEMY
MWTB – SBR SCHOOL
10/28/2014
Pino Descrição
Sinal de entrada proveniente do sensor de temperatura do óleo.
1
A unidade de comando detecta o nível de tensão entre os pinos 1 e 4.
Conector A9

2 Alimentação de tensão, +5 V ao sensor de pressão do óleo.


Sinal de entrada proveniente do sensor de pressão do óleo.
3
A unidade de comando detecta o nível de tensão entre os pinos 3 e 4.
4 Ligação à massa do sensor de pressão do óleo.
5 Não é usado.
1 Alimentação de tensão, +5 V ao sensor de pressão do ar de admissão.
Conector A10

Sinal de entrada proveniente do sensor de pressão do ar de admissão.


2
A unidade de comando detecta o nível de tensão entre os pinos 2 e 3.
3 Ligação à massa do sensor de pressão do ar de admissão.
Sinal de entrada proveniente do sensor de temperatura do ar de admissão.
4
A unidade de comando detecta o nível de tensão entre os pinos 3 e 4.
5 Não é usado.

SCANIA ACADEMY
MWTB – SBR SCHOOL
10/28/2014
Pino Descrição
1 Alimentação de tensão, +24 V à unidade de comando.
Conector B1 2 Ligação à massa da unidade de comando ao chassi.
3 Sinal de entrada +24 V proveniente do bloqueio de partida (chave na posição de condução).
4 Não é usado.
5 Não é usado.
6 Alimentação de tensão, +24 V à unidade de comando.
7 Ligação à massa da unidade de comando ao chassi.
8 Não é usado.
9 Comunicação CAN, cabo H
10 Comunicação CAN, cabo L
Pino Descrição
1 Ligação à massa para a válvula solenóide (V14). Cilindro 1.
2 Ligação à massa para a válvula solenóide (V26). Cilindro 4.
Conector B2

3 Não é usado.
4 Ligação à massa para a válvula solenóide (V15). Cilindro 3.
5 Não é usado.
6 Alimentação de tensão, +24V para válvula solenóide (V14). Cilindro 1.
7 Alimentação de tensão, +24V para válvula solenóide (V26). Cilindro 4.
8 Não é usado.
9 Alimentação de tensão, +24V para válvula solenóide (V15). Cilindro 3.
10 Não é usado.
Conector B3 até B10
1 - 2 Não são usados.
SCANIA ACADEMY
MWTB – SBR SCHOOL
10/28/2014
1- Dois sensores de rotação do motor.

2- Sensor de pressão e temperatura do ar


de admissão.

3- Sensor de temperatura do líquido de


arrefecimento.

4- Sensor de pressão de óleo.

5- Válvulas solenóides das unidades


injetoras.

6- Coordenador.

7- Unidade de comando do Opticruise

8- Unidade de comando do Retarder

9- Unidade de comando para ABS/TC e


EBS
COO – Coordenador que se comunica com outros componentes e também com o S6.
SCANIA ACADEMY
MWTB – SBR SCHOOL
10/28/2014
• Microprocessador com aproximadamente 60 entradas e 8 saídas analógicas;
• Possui uma interface eletrônica com o S6;

Funções do coordenador:
• Monitor de pressão de óleo;
• Indicador de pressão de óleo;
• Monitor de temperatura de água;
• Indicador de temperatura de água;
• Tacômetro;
• Sinal de funcionamento do motor;
• Aviso – Malfuncionamento do pedal do acelerador;
• Diagnósticos através do código de piscadas;

SCANIA ACADEMY
MWTB – SBR SCHOOL
10/28/2014
Motor DC
1 Válvulas solenóide da unidade de injeção 4 Unidade de comando do EMS S6
2 Sensor de temperatura do líquido de 5 Sensor de temperatura e pressão do ar de
arrefecimento admissão
3 Sensor de rotações do motor 6 Sensor de pressão do óleo
SCANIA ACADEMY
MWTB – SBR SCHOOL
10/28/2014
Sensores de Rotação (Tipo Indutivo) Resistência entre os pinos 1 e 2 é de
T28 e T29 485 595 ohms.
Verificação e ajuste
• Distância entre o volante e o sensor:
0,5 - 1,5 mm.

•T28 - sensor de rotação 1:


Detecta os furos no volante a medida que este gira.

•T29 - sensor de rotação 2:


Detecta os furos no volante a medida que este gira.
T29 T28
SCANIA ACADEMY
MWTB – SBR SCHOOL
10/28/2014
Sensor de Temperatura e Pressão do Ar de Admissão – T26

A linha tracejada se refere ao motor DI

Tensão +5 V = pino 1
Massa = pino 3
Sinal Pressão = pino 2
Sinal Temp. = pino 4

• Sensores de temperatura e pressão são integrados em um só componente.


• O sinal do sensor é usado para fazer ajustes precisos na quantidade de combustível nos
injetores.
Pressão Alta = Tensão Aumenta Temperatura Alta = Resistência Abaixa
Pressão Baixa = Tensão Abaixa Temperatura Baixa = Resistência Aumenta
SCANIA ACADEMY
MWTB – SBR SCHOOL
10/28/2014
Sensor de temperatura do líquido de arrefecimento
Resistência entre os pinos 1 e 2:
20°C 11,8 14,9 kohms
+/0 °C 4,5 6,3 kohms
+20°C 2,2 2,6 kohms
+40°C 1,0 1,3 kohms
+60°C 560 680 ohms
+80°C 310 390 ohms
+100°C 180 230 ohms
T27
A rotação do motor é limitada a 1000 rpm e a marcha lenta é elevada a 600 rpm.
O tempo do limite varia de acordo com a temperatura do líquido de arrefecimento:
A marcha lenta volta ao normal entre 20 - 60 °C
Abaixo de +10 °C 30 segundos.
Acima de +20 °C 3 segundos.
SCANIA ACADEMY
MWTB – SBR SCHOOL
10/28/2014
Em alguns motores a potência é limitada quando a temperatura ultrapassa 104 °C.
Consulte o diagrama. A potência é limitada para evitar que o motor superaqueça e gera ao
mesmo tempo, um código de falha.

A unidade lê a tensão proveniente do sensor, se estiver fora de uma determinada faixa, a


unidade operará de acordo com um valor de temperatura pré-programado.

O motor terá então características de partida a frio mais fracas e emitirá mais fumaça
branca no frio.
Tensão interpretada pela Unidade Eletrônica:

4,9 V, aproximadamente -40 graus Celsius


4,7 V, aproximadamente -20 graus Celsius
4,6 V, aproximadamente -10 graus Celsius
4,1 V, aproximadamente +10 graus Celsius
3,5 V, aproximadamente +30 graus Celsius
2,7 V, aproximadamente +50 graus Celsius
1,9 V, aproximadamente +70 graus Celsius
1,3 V, aproximadamente +90 graus Celsius
0,89 V, aproximadamente +110 graus Celsius
0,44 V, aproximadamente +150 graus Celsius

SCANIA ACADEMY
MWTB – SBR SCHOOL
10/28/2014
0,147 - 0,5 V, aprox. 0 bar
1,0 V, aprox. 1,0 bar Tensão +5 V = pino 2
Massa = pino 4
1,5 V, aprox. 2,0 bar
Sinal = pino 3
2,0 V, aprox. 3,0 bar
2,5 V, aprox. 4,0 bar
3,0 V, aprox. 5,0 bar
3,5 V, aprox. 6,0 bar
T29
4,0 V, aprox. 7,0 bar
4,5 - 4,79 V, aprox. 8,0 bar

SCANIA ACADEMY
MWTB – SBR SCHOOL
10/28/2014
A unidade do EDC lê a tensão do sensor, se estiver fora de uma determinada faixa, no
painel de instrumentos mostrará 2,5 bar, independentemente da rotação do motor, e um
código de falha será gerado ao mesmo tempo.

A unidade do EDC espera uma determinada pressão do óleo dependendo das rotações
do motor.

Abaixo de 1000 rpm, a pressão do óleo deve estar em um determinado nível. Acima de
1000 rpm, a pressão do óleo deve estar em um nível mais alto para fornecer pressão de
óleo suficiente para o arrefecimento do pistão, etc.

Se a pressão do óleo estiver abaixo do valor permitido, a lâmpada de pressão do óleo se


acenderá.

Portanto, a lâmpada de pressão do óleo se acende em níveis de pressão diferentes,


dependendo das rotações do motor.

SCANIA ACADEMY
MWTB – SBR SCHOOL
10/28/2014
Consiste nos três componentes.
• Um potenciômetro (D35).
• Um interruptor de ativação (B25).
• Um interruptor de kickdown (B26).

Obs.: Regulagens manuais podem gerar


códigos de falhas

Caminhão Ônibus
SCANIA ACADEMY
MWTB – SBR SCHOOL
10/28/2014
Pinos da ECU:
E30 28 = + 5 V
E30 24 = Massa
E30 54 = Sinal de retorno
E30 30 = O acelerador está totalmente solto ou pressionado.
Aceleração total = 2,7 V
Valor acima de 2,7 V não resulta em potência do motor mais alta.
Marcha Lenta = 0,4 V
Pedal liberado (B25 aberto), a ECU interpreta como marcha lenta.
Pedal ativado (B25 fechado) a ECU interpreta como acelerando.
O (B26) de kickdown é ativado quando o pedal atingir o fim de curso.
Obs.:
O sistema EDC não utiliza o sinal do interruptor de kickdown, porém este pode
ser utilizado por outros sistemas - por exemplo, Opticruise.
SCANIA ACADEMY
MWTB – SBR SCHOOL
10/28/2014
E30
B25

A
!
E30

SCANIA ACADEMY
MWTB – SBR SCHOOL
10/28/2014
E30
B25

A
!
E30

SCANIA ACADEMY
MWTB – SBR SCHOOL
10/28/2014
T27 T26

Juntos, o sensor de temperatura do líquido de


arrefecimento (T27) e o sensor de pressão e
temperatura do ar de admissão (T26),
formam um grupo de sensores.

Isso significa que o fornecimento de tensão da unidade de comando é


comum a ambos sensores. Por exemplo, se entrar em curto, um sensor
também poderá afetar o outro.

O grupo de sensores inclui:


• Sensor de temperatura do líquido de arrefecimento, T27
• Sensor de pressão do ar de admissão, T26
• Sensor de temperatura do ar de admissão.
SCANIA ACADEMY
MWTB – SBR SCHOOL
10/28/2014
Instalação consiste em apenas um chicote para o motor e instrumentos

SCANIA ACADEMY
MWTB – SBR SCHOOL
10/28/2014
SCANIA ACADEMY
MWTB – SBR SCHOOL
10/28/2014
Comparação entre os sistemas elétricos
Caixa de distribuição (MSB)
• Colocada próximo ao motor ( chicote de 2,5 metros);
• Inclui relês, fusíveis e componentes para fornecimento de
energia para o sistema;
• Conexão para o diagnóstico CAN;

Caixa de Conexão do Coordenador (CBC)


•Montada próximo ao coordenador (chicote de 1 metro);
• Inclui o cabo analógico CAN de entrada e saída, entrada do
pedal do acelerador, saída para instrumentos;
• Conexões para funções extras;

SCANIA ACADEMY
MWTB – SBR SCHOOL
10/28/2014
Vantagens do Sistema S6:

• Redução da quantidade de hardwares;


• Complexidade do componente;
• Facilidade para estender e integrar outros sistemas;
• Novas funções lógicas;
• Facilidade na identificação de problemas;
• Maior número de funções de monitoramento.

SCANIA ACADEMY
MWTB – SBR SCHOOL
10/28/2014
Gerado se a unidade de comando do EMS descobrir uma falha ou alguma coisa
que ela interpreta como anormal.

No EMS S6, um código de piscadas é o equivalente a vários códigos de falha


diferentes e são indicados por lâmpadas no painel.

Instruções e a lista dos códigos de falha estão disponíveis no manual do operador.

Quando o S6 ou o coordenador detecta alguma falha no sistema, irá acionar uma


lâmpada no painel.

As falhas ficam armazenadas na memória de códigos de falha e também na


unidade de comando EMS (40 códigos).

SCANIA ACADEMY
MWTB – SBR SCHOOL
10/28/2014
Para efetuar a leitura dos códigos de piscadas, deve-se mudar a posição do interruptor de
diagnóstico (3) para S6 ou COO.

Se ocorrer uma falha que for detectada pelo coordenador, esta falha também será acusada
no S6.
Lâmpada de
diagnóstico do COO
Lâmpada de diagnóstico
do EMS
Interruptor de
diagnóstico

SCANIA ACADEMY
MWTB – SBR SCHOOL
10/28/2014
Piscados pela lâmpada de diagnóstico e arranjados da seguinte maneira:

• Clarões longos – um segundo - aparecem primeiro, representam as dezenas.


• Clarões mais curtos - 0,3 segundos - representam as unidades.
• Clarões longos – 4 segundos – não há códigos de piscadas armazenados.

Exemplo:
Código de piscadas 25

Fallha apresentada

Sensor do pedal do acelerador / interruptor de marcha lenta Sensor do acelerador /


interruptor de kick down.

SCANIA ACADEMY
MWTB – SBR SCHOOL
10/28/2014
Usando o interruptor de diagnóstico

1 Ligar e desligar o motor uma vez para efetuar um teste de corte de alimentação.
Espere até a luz-piloto do EMS se apagar.

2 Pressionar e manter pressionado o interruptor de diagnóstico, virar a chave de partida


na posição de condução.
Manter o interruptor pressionado de 3 a 10 segundos. Assim os códigos de falha passivos
são apagados. Os códigos de falha que estão ativos serão apresentados novamente
depois que o motor for ligado de novo.

3 Ligar o motor e verificar se a lâmpada de diagnóstico se apaga.

4 Pressionar o interruptor de diagnóstico. A memória de códigos de falha deve estar


vazia; só será possível ver um clarão longo.

SCANIA ACADEMY
MWTB – SBR SCHOOL
10/28/2014
A memória da unidade de comando tem espaço para armazenar até 40 códigos de falha.

Os códigos de falha são armazenados em dois locais diferentes na unidade de comando.

Quando usado para apagar, o interruptor de diagnóstico apaga os códigos de falha que
são iluminados na lâmpada de diagnóstico.

Os códigos permanecerão, no entanto, em uma outra memória que só é acessível com


uma ECOM.

Ambas as memórias de códigos de falha são apagadas ao mesmo tempo com a ECOM.

Como apagar códigos de falha durante a revisão de entrega.


Os códigos de falha devem ser apagados com a ECOM durante a revisão de entrega para
que ambas as memórias estejam vazias na entrega do motor ao cliente.

SCANIA ACADEMY
MWTB – SBR SCHOOL
10/28/2014
O sistema de aviso pode gerar aproximadamente 125 códigos de falha diferentes.
Um código intermitente no EDC S6 corresponde a vários códigos de falha diferentes.
Cód. de Cód. de
Descrição
piscadas Falha
0 Não foi encontrada uma falha.
Sobrevelocidade. Um ou ambos os sensores de rotações do motor
11 1000 - 1001
está indicando rotações mais altas que 3000 rpm.
12 1100 - 1107 Sensor de rotações do motor 1 com falha ou sinal incorreto.
13 1200 - 1207 Sensor de rotações do motor 2 com falha ou sinal incorreto.
14 2000 - 2002 Sensor de temperatura do líquido de arrefecim. com falha ou sinal incorreto.
15 2100 - 2102 Sensor de temperatura do ar de admissão com falha ou sinal incorreto
16 2200 - 2203 Sensor de pressão do ar de admissão com falha ou sinal incorreto
17 2300 - 2302 Sensor de temperatura do óleo com falha ou sinal incorreto.
18 2400 - 2403 Sensor de pressão do óleo com falha ou sinal incorreto.
23 FFFE Código de falha interno no coordenador.
Sensor do pedal do acelerador / Sensor do freio. Se o acelerador e o freio
24 3003
foram operados simultaneamente.
SCANIA ACADEMY
MWTB – SBR SCHOOL
10/28/2014
Cód. de Cód. de
Descrição
piscadas Falha
25 3106 Sensor do pedal do acelerador / interruptor de marcha lenta
Sensor do acelerador / interruptor de kickdown
33 3200 - 3205 Tensão da bateria incorreta ou falta de sinal.
Interruptor de corte de emergência ativado de acôrdo com a mensagem
37 FFFD
CAN do coordenador.
43 4000 Circuito de CAN com falha na unidade de comando.
A verificação entre a unidade de comando do EDC e o coordenador
47 FFFC
não foi aprovada
48 3300 - 3301 O Coordenador não está enviando mensagem CAN.
49 3403 Versão CAN incorreta na unidade de comando ou coordenador.
51 C000 - C006 PDE no cilindro 1: válvula solenóide funcionando incorretamente.
52 C100 - C106 PDE no cilindro 2: válvula solenóide funcionando incorretamente.
53 C200 - C206 PDE no cilindro 3: válvula solenóide funcionando incorretamente.
54 C300 - C306 PDE no cilindro 4: válvula solenóide funcionando incorretamente.
55 C400 - C406 PDE no cilindro 5: válvula solenóide funcionando incorretamente.
SCANIA ACADEMY
MWTB – SBR SCHOOL
10/28/2014
Cód. de Cód. de
Descrição
piscadas Falha
61 4100 Desligamento incorreto da unidade de comando.
83 4102 Falha no circuito da memória na unidade de comando.
A transferência de dados para a memória da unidade de comando
84 4101
foi interrompida.
86 4300 - 4303 Falha interna na unidade de comando: falha no controle do hardware.
87 4200 - 4202 Falha na RAM da unidade de comando.
88 4400 - 4407 Falha interna na unidade de comando: falha na memória.
89 E300 O programa na unidade de comando foi alterado de uma maneira proibida.
96 E200 Limite de alarme para alta temperatura do líquido de arrefecimento.
97 E100 - E101 Falha interna na unidade de comando.
2600 - 2601 Tensão tem sido < 4,8V e > 5,2 V para um dos sensores no grupo de sensor 1
98
2700 - 2701 Tensão tem sido < 4,8V e > 5,2 V para um dos sensores no grupo de sensor 2
99 E002 - E006 Falha interna no hardware no processador (TPU).

SCANIA ACADEMY
MWTB – SBR SCHOOL
10/28/2014
Sistemas de Aviso
Medidas tomadas pela unidade de comando na ocorrência de
alguma falha no sistema EMS

 A luz-piloto do EMS se acende. Ela se apagará, muitas vezes, automaticamente quando


a falha desaparecer.

 O torque é limitado.

 A unidade de injeção com defeito, o cilindro é desligado.

 O motor funciona a uma rotação um pouco mais alta que o normal quando está na
marcha lenta.

 O motor é desligado.

 O motor será forçado a funcionar na marcha lenta.

As medidas acima previnem para que a falha não cause danos graves e, na pior das
hipóteses, uma atuação descontrolada da borboleta.
SCANIA ACADEMY
MWTB – SBR SCHOOL
10/28/2014
1 Desligue a ignição.

2 Pressione o interruptor de diagnóstico enquanto liga a ignição.

3 Mantenha o interruptor pressionado por 3 a 10 segundos.

4 Isso apaga os códigos de falha passivos. Os códigos ativos


devem ser retificados para torná-los passivos. Eles podem a seguir
ser apagados.

SCANIA ACADEMY
MWTB – SBR SCHOOL
10/28/2014
Código Descrição da falha Causa Ação Anotações
Sinal incorreto O código de piscadas é Verifique o Veja também os
proveniente do ajuste registrado quando a tensão potenciômetro de códigos de falha
11¹ exato do sinal de do ajuste exato do sinal de ajuste exato, os para a unidade de
velocidade nominal velocidade nominal está conectores e os comando do
fora da faixa de ajuste. cabos. EMS.
Sinais incorretos O código de piscadas é Verifique o sensor Veja também os
provenientes do registrado quando a tensão do pedal do códigos de falha
11 ² sensor do pedal do do sensor do pedal do acelerador, os da unidade de
acelerador. acelerador está fora da conectores e os comando do
faixa de ajuste. cabos. EMS.
Conexão com falha Há um valor de resistência Verifique a
12¹ entre os pinos 29 e 48. incorreto entre os pinos 29 conexão entre os
e 48. pinos 29 e 48.
Sinais incorretos O código de piscadas é Verifique os Se houver
provenientes dos registrado quando a tensão interruptores do códigos de falha,
12² interruptores do dos interruptores do controle de o controle de
controle de cruzeiro. controle de cruzeiro não cruzeiro, cruzeiro não
está dentre a faixa correta. conectores e cabos. operará.
¹ Motor com velocidade única (Single Speed) ² Motor com velocidade variável ( All Speed)
SCANIA ACADEMY
MWTB – SBR SCHOOL
10/28/2014
Código Descrição da falha Causa Ação Anotações
Não há comunicação O código de piscadas é Verifique os cabos Se esta falha
com o motor. registrado quando a e conectores de aparecer, a lâmpada de
13 comunicação do EMS (S6) CAN. diagnóstico do EMS (S6)
é cortada. diagnóstico do EMS
também se acenderá.
Curto-circuito no O código de piscadas é Verifique o painel
circuito do sinal do registrado quando há um de instrumentos, os
tacômetro. curto-circuito entre o sinal conectores e os
14 de saída e massa ou cabos.
fornecimento. O código de
piscadas é registrado após
10 segundos.
Sensor de pressão O sinal proveniente do Substitua o Veja também os códigos
atmosférica com sensor integrado está fora coordenador. de falha para a unidade
defeito. da faixa. de comando do EMS.
O sinal não é sempre
15
necessário.
Verifique com o
departamento de
serviço Scania.
SCANIA ACADEMY
MWTB – SBR SCHOOL
10/28/2014
Código Descrição da falha Causa Ação Anotações
Conexão com falha ao O pino 52 não está conectado Verifique o pino 52, Veja também os
pino 52. à U31. O código de piscadas os conectores e códigos de falha
16¹
é registrado após 5 minutos. os cabos. para a unidade de
comando do EMS.
Os sinais provenientes O código de piscadas é Verifique os Veja também os
dos interruptores do registrado após 5 minutos. interruptores do códigos de falha
16² pedal de freio não pedal de freio, para a unidade de
concordam um com o conectores e cabos. comando do
outro. EMS.
Curto-circuito no O código de piscadas é Verifique o painel Se houver uma
circuito do sinal do registrado quando há um curto- de instrumentos, os falha, o indicador
17 indicador de circuito entre o sinal de saída e conectores e os exibirá uma
temperatura do motor. fornecimento. O código de piscadas cabos. temperatura
é registrado após 10 segundos. baixa.
Curto-circuito no O código de piscadas é Verifique o painel Se houver uma
circuito do sinal do registrado quando há um de instrumentos, os falha, o indicador
indicador de pressão curto-circuito entre o sinal de conectores e os exibirá uma
18
de óleo. saída e fornecimento. O código de cabos. pressão alta.
piscadas é registrado após
10 segundos.
¹ Motor com velocidade única (Single Speed) ² Motor com velocidade variável ( All Speed)
SCANIA ACADEMY
MWTB – SBR SCHOOL
10/28/2014
Código Descrição da falha Causa Ação Anotações
Curto-circuito no O código de piscadas é Verifique o painel Se houver uma
circuito do sinal da registrado quando há um de instrumentos, falha, a lâmpada
lâmpada da pressão curto-circuito entre o sinal de os conectores não se acenderá.
19
de óleo. saída e fornecimento. O código e oscabos.
de piscadas é registrado após
10 segundos.
Diversas versões de O EMS não tem a mesma versão Substitua o
protocolo de de protocolo de comunicação coordenador por
21
comunicação entre o que o coordenador. uma unidade
coordenador e o EMS. equivalente.
A tensão de A tensão de alimentação está Verifique o Alguns sinais de
alimentação está mais alta que 35 volts por alternador. entrada e saída ficarão
23
muito alta. mais que 2 segundos. inativos. O coordenador
poderá sofrer danos.
A tensão de A tensão de alimentação está Verifique a bateria Alguns sinais de
24 alimentação está muito mais baixa que 18 volts por e o alternador. entrada e saída
baixa. mais que 2 segundos. ficarão inativos.
¹ Motor com velocidade única (Single Speed) ² Motor com velocidade variável ( All Speed)

SCANIA ACADEMY
MWTB – SBR SCHOOL
10/28/2014
Teste de corte de alimentação
Efetuado toda vez que o motor é desligado pela unidade de comando do EMS .

 A luz-piloto fica acesa durante o teste.

 Após a verificação

 A unidade de comando é desligada e a luz se apaga

 Se a unidade de comando descobrir uma falha durante o teste de corte de


alimentação, a luz piloto se acenderá da próxima vez que o motor for ligado,
mesmo se a falha não estiver mais presente.

 A unidade de comando deve efetuar um teste de corte de alimentação sem


falhas antes de a luz-piloto se apagar.
SCANIA ACADEMY
MWTB – SBR SCHOOL
10/28/2014
Interação com outros Sistemas
Comunicação CAN - Rede de Controle de Área

 Usuários Finais – Só podem se conectar à rede CAN após cumprirem com o


STD1939, isso é essencial para segurança e confiabilidade do sistema.

 Para localizar a causa de possíveis funcionamentos incorretos use SDP3


(ECOM) e os códigos de piscadas.

 CAN é utilizada para reduzir o número de cabos (circuito com dois cabos H –
high e L – low) , onde são conectados vários sistemas diferentes formando a
rede.

 A comunicação CAN é utilizada, por exemplo, entre o EMS e o coordenador.

 Por receber várias mensagens CAN – que são enviadas pelo circuito de
comunicação – a unidade de comando capta de forma contínua tudo o que está
acontecendo.

SCANIA ACADEMY
MWTB – SBR SCHOOL
10/28/2014