Você está na página 1de 52

FORMAS FARMACÊUTICAS

HOMEOPÁTICAS DE USO
INTERNO
FORMAS FARMACÊUTICAS HOMEOPÁTICAS DE USO INTERNO

•GOTAS
• DOSE ÚNICA LÍQUIDA
LÍQUIDAS
• LIQUÍDOS MULTIDOSE

*COMPRIMIDOS
*GLÓBULOS
SÓLIDAS *PÓS
*TABLETES
*DOSE ÚNICA SÓLIDA
PREPARAÇÕES EM
GOTAS
LÍQUIDO OU GOTAS
A forma farmacêutica líquida se destina aos medicamentos
homeopáticos ministrados em gotas.

O veículo utilizado nestas preparações é o álcool em suas


diversas graduações como veremos a seguir.
PREPARAÇÕES EM GOTAS

Solução oral a ser administrada sob a forma de gotas.


Ponto de partida. Insumo ativo na potência anterior à
desejada.
Insumo inerte. Etanol a 30% (v/v).

No caso de medicamentos nas potências até 3 CH ou 6 DH


inclusive, utilizar o mesmo teor alcoólico do ponto de partida.
PREPARAÇÕES EM GOTAS

Técnica.
Dinamizar o medicamento desejado em etanol a 30% (v/v), a
partir do insumo ativo na potência anterior à desejada.

No caso de medicamentos nas potências até 3 CH ou 6 DH


inclusive, utilizar no preparo e para a dispensação o mesmo
teor alcoólico do ponto de partida. Colocando observação
que “deverá ser administrado diluído em água na hora do uso”

Volume de preparação. De acordo com o desejado.


Preparações em gotas

• O frasco deve ter batoque e conta-gotas

• Geralmente o volume é padronizado em 15 ou 20 ml de


solução, porém em alguns casos pode variar.

• Prazo de validade 2 anos.


PREPARAÇÕES EM GOTAS

• Se a administração for feita em jejum, orientar o paciente


para que esta seja feita sempre antes da escovação dos
dentes.
• EXEMPLO:
Plumbum metallicum 30CH líquido.conteúdo 20mL. Tomar 10
gotas pela manhã em jejum.
PREPARAÇÕES EM GOTAS
•Prazo de validade:
•Agua purificada 7 dias
•Etanol a 5% 3 meses
•Etanol a 30% 2 anos
•Etanol a 70% 5 anos
•Informações sobre prazo de validade: farmacopeia
homeopática brasileira IV6
DOSE ÚNICA
LÍQUIDA
DOSE ÚNICA LÍQUIDA

Quantidade limitada de medicamento líquido a ser tomada de


uma só vez.
Ponto de partida. Matriz na potência desejada.
Insumo inerte. Água purificada ou etanol até 5% (v/v).
Técnica. Diluir o ponto de partida no insumo inerte na
proporção desejada.
•EXEMPLO: N° de gotas a ser Quantidade de água
diluído em mL que diluirá as
gotas.

-Plumbum metallicum 30CH....XX/30.Dose única.conteúdo


30mL.Tomar todo frasco em jejum.

-Preparar o Plumbum 30CH em etanol a 30%.Tranferir 20


gotas para um frasco de 30mL e acrescentar 30ml de água
purificada.Misturar e essa será a dose única
DOSE ÚNICA LÍQUIDA N°de gotas de
etanol a 96°
•EXEMPLO: N° de gotas de conservante Quantidade de
medicamento água em mL que
a ser diluído diluirá as gotas.

-Plumbum metallicum 30CH........X/V/20.Dose única


conteúdo: 20mL – Tomar o conteúdo do frasco à noite ao
deitar.
Preparar o medicamento na potência 30CH em etanol 30%.
Tranferir 10 gotas para um frasco de 20ml, acrescentar 5
gotas de etanol 96 e 20 ml de água
DOSE ÚNICA LÍQUIDA
•EXEMPLO:

.
-Plumbum metallicum 30CH DU conteúdo: 1mL – Tomar
todo o conteúdo do frasco de uma só vez.
Preparar o medicamento na potência 30CH em etanol 30%.
Transferir duas gotas do medicamento 30CH para um
flaconete e acrescentar um 1ml de etanol a 30%.Rotular
FORMAS FARMACÊUTICAS SÓLIDAS
FORMAS FARMACÊUTICAS SÓLIDAS

* Insumos inertes: Lactose, glóbulos, tabletes e comprimidos.


DOSE ÚNICA SÓLIDA

Quantidade limitada de medicamento na forma sólida a ser


tomada de uma só vez.
Ponto de partida. Insumo ativo na potência desejada.
Técnica. Impregnar a forma sólida com duas gotas do insumo
ativo ou de acordo com a prescrição.
DOSE ÚNICA SÓLIDA

Dispensação. Quando não indicado na prescrição, dispensar:


- comprimidos: um (1) comprimido;
- glóbulos: cinco (5) glóbulos;
- pó: 300 a 500 mg de lactose;
- tablete: um (1) tablete.
COMPRIMIDOS
INERTES
DO QUE SÃO
FEITOS
Comprimidos

*São formas farmacêuticas sólidas, cilíndricas com peso


compreendido entre 100 e 300mg.

•São obtidos por compressão da trituração do insumo


inerte.(Mistura de lactose e sacarose).

• Devem ser deglutidos e não podem ficar na cavidade oral.

• Para insumos ativos líquidos, podem ser preparados por


compressão ou por impregnação.
Comprimidos
* 1) Quando o insumo ativo for líquido:
Técnica.
Compressão
• Preparar o insumo ativo líquido, na potência desejada.
• Impregnar essa preparação na proporção de no mínimo 10% (v/p), em
lactose, com ou sem adição de adjuvantes.
• Levar à compressão direta com ou sem granulação prévia.
• Para granular, quando necessário, umedecer com quantidade suficiente
de solução alcoólica.
•Tamisar e secar em temperatura não superior a 50 °C.
Comprimidos
Impregnação
• Preparar o insumo ativo líquido, na potência desejada, em
etanol 77% (v/v) ou superior.
• Impregnar os comprimidos inertes com insumo ativo líquido na
proporção de no mínimo 10% (v/p).
• Se necessária, a secagem será executada separadamente,
medicamento a medicamento, em temperatura não superior a 50
°C.
GLÓBULOS
GLÓBULOS

Os glóbulos são constituídos de sacarose ou de mistura de


sacarose e lactose.
Apresentam-se sob a forma de pequenas esferas com
pesos de 30 mg (No 3), 50 mg (No 5) e 70 mg (No 7).
GLÓBULOS
Técnica.
Impregnação
• Preparar o insumo ativo líquido, na potência desejada, em
etanol igual ou superior a 77% (v/v).
• Impregnar os glóbulos inertes com o insumo ativo líquido na
proporção de, no mínimo, 5% (v/p).
• A secagem será executada separadamente, medicamento a
medicamento, em temperatura não superior a 50 °C.
MICROGLÓBULOS INERTES

*São pequenas esferas compostas por sacarose e amido


•São obtidas industrialmente.
• Apresentam peso mediano de 63mg para cada cada
100 microglóbulos.
• Devem ser armazenados em recipientes herméticos.
• São utilizados na preparação de medicamentos da
escala cinquenta milesimal.
TABLETES
INERTES
TABLETES INERTES
*São utilizados em homeopatia como pequenos cubos,
obtidos por moldagem da lactose em tableteiros próprios.
•Apresentam-se com peso entre 100 e 300mg.
• São brancos, inodoros e de sabor levemente adocicados
• São impregnados com dinamizações líquidas, para a
obtenção da forma farmacêutica sólida tabletes.
• Geralmente são menos utilizados do que os comprimidos.
•Tecnica de impregnação
FORMAS FARMACÊUTICAS
HOMEOPÁTICAS DE USO
EXTERNO
FORMAS FARMACÊUTICAS LÍQUIDAS

1 LINIMENTOS
São preparações farmacêuticas que contém em sua
composição insumo(s) ativo(s) dissolvido(s) em óleos,
podendo ser incorporadas em soluções alcoólicas ou
emulsões.
Insumo inerte. Soluções alcoólicas, óleos e bases
emulsionáveis.
FORMAS FARMACÊUTICAS LÍQUIDAS

1 LINIMENTOS
Técnica.
• Preparar o insumo ativo na potência desejada e incorporá-lo
ao insumo inerte na proporção de 10% (p/v) ou (v/v).
• Quando for mais de um insumo ativo, prepará-los,
separadamente, nas potências desejadas.
Misturá-los em partes iguais e homogeneizar. Incorporar esta
preparação ao insumo inerte na proporção de 10% (p/v) ou
(v/v).
PREPARAÇÕES NASAIS
São preparações destinadas à aplicação na mucosa nasal
sendo apresentadas sob formas líquidas ou semi-sólidas.
Insumo inerte. Água purificada, solução de cloreto de sódio
0,9% (p/v), soluções hidroglicerinadas e bases para
preparações semissólidas.
PREPARAÇÕES NASAIS
Técnica.
• Preparar o insumo ativo na potência desejada e
incorporá-lo ao insumo inerte na proporção de 1% a 5%
(p/v) ou (v/v). • Quando for mais de um insumo ativo,
prepará-los separadamente nas potências desejadas,
misturá-los em partes iguais e homogeneizar. Incorporar
esta preparação ao insumo inerte na proporção de 1% a
5% (p/v) ou (v/v). • Essa preparação deve apresentar pH
próximo ao fisiológico. Para tanto, é permitido o uso de
tampões preconizados pela literatura. É facultado o uso de
conservantes
PREPARAÇÕES OFTÁLMICAS

São preparações destinadas à aplicação na mucosa ocular


sendo apresentadas sob formas líquidas ou semissólidas.
Insumo inerte. Solução de cloreto de sódio 0,9% (p/v), água
purificada, derivados de celulose e bases para preparações
semissólidas.
PREPARAÇÕES OFTÁLMICAS

Técnica.
• Preparar o insumo ativo na potência desejada e incorporá-
lo ao insumo inerte na proporção de 0,5% a 1% (p/v) ou
(v/v).
• Quando for mais de um insumo ativo, prepará-los,
separadamente nas potências desejadas, misturá-los em
partes iguais e homogeneizar. Incorporar essa preparação
ao insumo inerte na proporção de 0,5% a 1% (p/v) ou (v/v).
• Essa preparação deverá apresentar pH próximo ao
fisiológico e atender aos requisitos de tonicidade e
esterilidade.
PREPARAÇÕES OFTÁLMICAS

Para tanto são indicados os isotonizantes, tampões e


conservantes preconizados pela literatura
• Na esterilização das preparações oftálmicas homeopáticas
não serão permitidos os seguintes métodos: calor úmido,
calor seco, radiação ionizante e por gás esterilizante.
• Além dessas especificações, as preparações oftálmicas
homeopáticas devem atender às exigências gerais para
preparações oftálmicas.
PREPARAÇÕES OTOLÓGICAS

São preparações destinadas à aplicação na cavidade


auricular, apresentadas sob formas líquidas ou
semissólidas. Insumo inerte. Soluções alcoólicas, água
purificada, óleos, solução de cloreto de sódio a 0,9% (p/v),
soluções hidroglicerinadas e bases para preparações
semissólidas
PREPARAÇÕES OTOLÓGICAS

Técnica. • Preparar o insumo ativo na potência desejada e


incorporá-lo ao insumo inerte na proporção de 10% (p/v) ou
(v/v). • Quando for mais de um insumo ativo, prepará-los,
separadamente, nas potências desejadas. Misturá-los em
partes iguais e homogeneizar. Incorporar esta preparação
ao insumo inerte na proporção de 10% (p/v) ou (v/v). É
facultado o uso de conservantes.
FORMAS FARMACÊUTICAS SÓLIDAS

APÓSITOS MEDICINAIS

São substratos adequados umedecidos com insumo(s)


ativo(s) na potência desejada. Substratos. Algodão
esterilizado ou gaze esterilizada. Técnica. • Preparar o
medicamento contendo um ou mais insumos ativos, nas
potências desejadas. • Umedecer o substrato com
quantidade suficiente de medicamento. • Caso seja
necessária a secagem do produto, esta deverá ser
realizada em estufa com temperatura não superior a 50 °C.
PÓS MEDICINAIS (TALCOS MEDICINAIS)

São preparações resultantes da incorporação de insumo ativo


na potência desejada, ao insumo inerte adequadamente
pulverizado. Insumo inerte. Amidos, carbonatos, estearatos,
óxidos, silicatos e outros.

1) Com um ou mais insumos ativos líquidos: Técnica.


• Preparar o insumo ativo na potência desejada e incorporá-lo
ao insumo inerte na proporção de 10% (v/p). • Quando for mais
de um insumo ativo, prepará-los, separadamente, misturá-los
em partes iguais e homogeneizar. • Impregnar o insumo ativo,
na proporção de 10% (v/p) ao insumo inerte, homogeneizar e
secar à temperatura não superior a 50 °C.
PÓS MEDICINAIS (TALCOS MEDICINAIS)

2) Com um ou mais insumos ativos sólidos: Técnica. •


Preparar, por trituração, o insumo ativo na potência desejada e
incorporá-lo ao insumo inerte na proporção de 10% (p/p). •
Quando for mais de um insumo ativo, prepará-los
separadamente, misturá-los em partes iguais e homogeneizar.
• Adicionar os insumos ativos na proporção de 10% (p/p) ao
insumo inerte e homogeneizar
3) Com insumos ativos líquidos e sólidos:

Técnica. • Os insumos ativos da fase sólida serão preparados


por trituração, separadamente, nas potências desejadas.
Farmacopeia Homeopática Brasileira, 3ª edição 86 • Misturar
os insumos ativos da fase sólida, em partes iguais e
suficientes, nas proporções da formulação e homogeneizar
para comporem essa fase. •
3) Com insumos ativos líquidos e sólidos:

• Os insumos ativos da fase líquida serão preparados


separadamente, nas potências desejadas. • Misturar os
insumos ativos da fase líquida, em partes iguais e suficientes,
nas proporções da formulação e homogeneizar para
comporem esta fase. • A soma dos insumos ativos deve
corresponder a 10% do produto final. • Calcular o peso total de
insumo inerte a ser adicionado (peso total da formulação,
menos o peso total dos insumos ativos sólidos). Incorporar a
fase líquida ao insumo inerte e homogeneizar. Em seguida,
incorporar a fase sólida e homogeneizar. • Secar à temperatura
não superior a 50 °C.
Supositórios Retais São preparações farmacêuticas com
formato adequado para administração retal. Insumo inerte.
Manteiga de cacau, polióis e outras bases para supositórios.
1) Com um ou mais insumos ativos líquidos: Técnica. •
Preparar o insumo ativo na potência desejada e incorporá-lo
ao insumo inerte na proporção de no mínimo 5% (v/p). •
Quando for mais de um insumo ativo, prepará-los
separadamente, misturá-los em partes iguais e
homogeneizar. • Incorporar, em temperatura não superior a
50 °C, o insumo ativo ao insumo inerte fundido, na
proporção de no mínimo 5% (v/p) e moldar adequadamente.
2) Com um ou mais insumos ativos sólidos: Técnica. •
Preparar, por trituração, o insumo ativo na potência desejada
e incorporá-lo ao insumo inerte na proporção de no mínimo
5% (p/p). • Quando for mais de um insumo ativo, prepará-los
separadamente, misturá-los em partes iguais e
homogeneizar. • Incorporar, em temperatura não superior a 50
°C, o insumo ativo ao insumo inerte fundido, na proporção de
no mínimo 5% (p/p) e moldar adequadamente.
3) Com insumos ativos líquidos e sólidos: Os insumos ativos
da fase sólida serão preparados por trituração,
separadamente, nas potências desejadas. • Misturar os
insumos ativos da fase sólida, em partes iguais e suficientes,
nas proporções da formulação e homogeneizar para
comporem essa fase. • Os insumos ativos da fase líquida
serão preparados separadamente, nas potências desejadas. •
Misturar os insumos ativos da fase líquida, em partes iguais e
suficientes, nas proporções da formulação e homogeneizar
para comporem essa fase. • A soma dos insumos ativos deve
corresponder a no mínimo 5% do produto final. • Incorporar,
em temperatura não superior a 50 °C, os insumos ativos ao
insumo inerte fundido, na proporção de no mínimo 5% (p/p) e
moldar adequadamente.
Supositórios Vaginais (Óvulos) São preparações farmacêuticas
com formato adequado para administração vaginal. Insumo
inerte. Gelatina glicerinada, manteiga de cacau, polióis e outras
bases para supositórios. 1) Com um ou mais insumo ativo
líquido: Técnica. • Preparar o insumo ativo na potência
desejada e incorporá-lo ao insumo inerte na proporção de no
mínimo 5% (v/p). • Quando for mais de um insumo ativo,
prepará-los separadamente, misturá-los em partes iguais e
homogeneizar. • Incorporar, em temperatura não superior a 50
°C, o insumo ativo ao insumo inerte fundido, na proporção de
no mínimo 5% (v/p) e moldar adequadamente.
2) Com um ou mais insumos ativos sólidos: Técnica. • Os
insumos ativos da fase sólida serão preparados por trituração,
separadamente, nas potências desejadas. • Misturar os
insumos ativos da fase sólida, em partes iguais e suficientes,
nas proporções da formulação e homogeneizar para comporem
essa fase. • Os insumos ativos da fase líquida serão
preparados separadamente, nas potências desejadas. •
Misturar os insumos ativos da fase líquida, em partes iguais e
suficientes, nas proporções da formulação e homogeneizar
para comporem essa fase. • A soma dos insumos ativos deve
corresponder a no mínimo 5% do produto final. • Incorporar, em
temperatura não superior a 50 °C, os insumos ativos ao insumo
inerte fundido, na proporção de no mínimo 5% (p/p) e moldar
adequadamente.
3) Com insumos ativos líquidos e sólidos:

• Os insumos ativos da fase sólida serão preparados por


trituração, separadamente, nas potências desejadas. •
Misturar os insumos ativos da fase sólida, em partes iguais
e suficientes, nas proporções da formulação e
homogeneizar para comporem essa fase. • Os insumos
ativos da fase líquida serão preparados separadamente,
nas potências desejadas. • Misturar os insumos ativos da
fase líquida, em partes iguais e suficientes, nas proporções
da formulação e homogeneizar para comporem essa fase. •
A soma dos insumos ativos deve corresponder a no mínimo
5% do produto final. • Incorporar, em temperatura não
superior a 50 °C, os insumos ativos ao insumo inerte
fundido, na proporção de no mínimo 5% (p/p) e moldar
adequadamente.
2.2.3 FORMAS FARMACÊUTICAS SEMISSÓLIDAS

CREMES São preparações emulsionadas constituídas por


uma fase aquosa, uma oleosa e um agente emulsivo. Insumo
inerte. Bases emulsionáveis ou auto-emulsionáveis.
1) Com um ou mais insumo ativo líquido: Técnica. • Preparar
o insumo ativo na potência desejada. • Quando for mais de um
insumo ativo, prepará-los, separadamente, misturá-los em
partes iguais e homogeneizar. • Incorporar, em temperatura
não superior a 50 °C, o insumo ativo, na proporção de 10%
(v/p), ao insumo inerte e homogeneizar.
2.2.3 FORMAS FARMACÊUTICAS SEMISSÓLIDAS
2) Com um ou mais insumos ativos sólidos: Técnica. •
Preparar, por trituração, o insumo ativo na potência desejada.
• Quando for mais de um insumo ativo, prepará-los,
separadamente, misturá-los em partes iguais e homogeneizar.
• Incorporar, em temperatura não superior a 50 °C, o insumo
ativo, na proporção de 10% (p/p), ao insumo inerte e
homogeneizar.
FORMAS FARMACÊUTICAS SEMISSÓLIDAS
3) Com insumos ativos líquidos e sólidos: Técnica.
Farmacopeia Homeopática Brasileira, 3ª edição 89 • Os
insumos ativos da fase sólida serão preparados por trituração,
separadamente, nas potências desejadas. • Misturar os
insumos ativos da fase sólida, em partes iguais e suficientes,
nas proporções da formulação e homogeneizar para
comporem essa fase. • Os insumos ativos da fase líquida
serão preparados separadamente, nas potências desejadas. •
Misturar os insumos ativos da fase líquida, em partes iguais e
suficientes, nas proporções da formulação e homogeneizar
para comporem essa fase. • A soma dos insumos ativos deve
corresponder a 10% do produto final. • Em temperatura não
superior a 50 °C, incorporar a fase líquida ao insumo inerte e
homogeneizar, depois incorporar a fase sólida e
homogeneizar.