Você está na página 1de 1

6º Encontro Senac de Conhecimento Integrado:

criatividade e colaboração
Ascenda esta ideia: Destinação correta das bitucas de cigarro

Jéssica Fernandes; Senac – Campus Santo André – SP e-mail: jezz.fs@gmail.com


Krétha Secco, Senac – Campus Santo André - SP e-mail: Kretha.Secco@gmail.com
Viviane Silva, Senac – Campus Santo André - SP : e-mail: vsilva05@ig.com.br

Palavras – chave: Resíduos sólidos, gestão, bitucas de cigarro

INTRODUÇÃO
O mercado de cigarros produz no mundo cerca de 5,5 trilhões de unidades por ano. O maior mercado é a China, que corresponde a 40%

do volume vendido, e o Brasil, é o maior mercado latino-americano, conforme últimos dados consolidados (SOUZA CRUZ, 2016).

No mundo, há cerca de 967 milhões de fumantes. A média de consumo por fumante é de 7,7 cigarros por dia. Isso equivale a 7,5 bilhões de

bitucas descartadas todos os dias em todo o planeta (GOULART, 2014). No Brasil, os dados mais atualizados referenciam uma população de

10,8% de fumantes, isso representa um contingente de 20 milhões de fumantes (MINISTÉRIO DA SAÚDE, BRASIL 2014).

METODOLOGIAS E RESULTADOS

A pesquisa foi realizada através de levantamento bibliográfico. Coletou-se dados em nível mundial e nacional referente ao
consumo de cigarros e reciclagem de seus micro resíduos.

No PNRS, não há uma legislação que aborde uma gestão específica para bitucas de cigarros, neste caso, o microresíduo,
apesar de tóxico, é considerado rejeito. Há um esforço de ONGs e empreendedores sustentáveis, empresas de reciclagem
para que seja aplicada a lei de responsabilidade compartilhada entre industria e consumidores.

Com regulamentação da Lei 12.546, que proíbe o ato defumar em locais de uso coletivo, públicos ou privados, houve o
aumento de bitucas em vias públicas, principalmente em frente a bares e restaurantes, dificultando a coleta e destinação
correta destes micro resíduos.

A deseducação ambiental da população foi apontada como a maior dificuldade no processo de reciclagem e gestão destes
resíduos, pois o descarte correto deste micro resíduo é peça chave para o bom andamento do programa.

Observou-se também, que novas possibilidades de reciclagem de bitucas tem surgido, demonstrando ser um mercado em
potencial. Atualmente o maior problema neste processo de reciclagem é a coleta, pois o descarte é feito de forma incorreta
pelos usuários) e a ciência da responsabilidade compartilhada destes resíduos.

CONCLUSÕES

Verificou-se a necessidade e o potencial de processos alternativos de gestão de bitucas, bem como uma alta demanda de
conscientização e educação ambiental da população.

O envolvimento dos stakeholders desta cadeia (poder público, consumidores, indústria fumageira e empresas de reciclagem)
é imprescindível neste processo de educação e gestão ambiental.

Algumas iniciativas simples, como inclusão de bituqueiras em bares, praças e prédios, ou o uso das bituqueiras individuais
(de bolso), são formas de incentivo ao correto descarte destes micro resíduos.

DESENVOLVIMENTO
Poucas referências bibliográficas sobre o assunto foram encontrados. Há um vasto campo para desenvolvimento e pesquisas
As bitucas de cigarro são considerados um micro resíduo tóxico e poluente. Esse microrresíduo contribui para a obstrução do sistema de de novas tecnologias para reciclagem, logística reversa e educação ambiental.
escoamento superficial de vias e para a contaminação dos corpos hídricos, do solo e dos lençóis freáticos. Fatores que se agravam ainda mais

pelo fato de que o filtro é composto por 95% de acetato de celulose – material cuja decomposição é muito lenta – pode chegar até cinco anos

para se decompor (ECYCLE, 2016).


REFERÊNCIAS
Lei da Política Nacional de Resíduos Sólidos (Lei n. 12.305, 2010), não leva em conta seu caráter tóxico e não exige das empresas

tabagistas, responsabilidade pelos danos ambientais causados com o descarte incorreto das bitucas. Por isso, faz-se necessária a sistematização
BELLO, Adriana. Bitucas de cigarro, riscos ambientais, descarte correto e reciclagem.
e difusão das informações e educação ambiental. Faculdade de Ciências da Educação e Saúde - FACES Curso de Licenciatura em Ciências Biológicas - UniCEUB.

Estão sendo estudadas várias opções sustentáveis para gerenciar e destinar as guimbas de cigarro: hidrossemeadura (HORI, 2011; MATTIAZZI, Júlia. Produção de papel artesanal com a incorporação de bitucas de cigarro: uma alternativa sustentável.

TONON et al.,2012); produção de roupas (CICLOVIVO, 2010); geração de energia (WINCK, 2011); produção de papel artesanal (KRANZ, 2004; 10° Simpósio Internacional de Qualidade Ambiental.

ONGARATTO, 2006).
MARCHI, Janaina. Bitucas de cigarro: Como descartá-las corretamente?.
5º Fórum Internacional Ecoinovar 1ª Conferência Internacional de Sustentabilidade e Inovação Santa Maria/RS – 9 a 12 de

OBJETIVOS Agosto de 2016.

Aplicar um programa de gestão ambiental, utilizando o Programa Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), assim como a conscientização TEIXEIRA, Maria. Caracterização do efluente da produção de polpa celulósica por bitucas de cigarro e proposta de
tratamento. Tese de doutorado em tecnologias química e biológica - Universidade De Brasília Instituto de Química Programa
ambiental da população para o descarte correto e as possibilidades de reciclagem do micro resíduo.
de Pós- Graduação em Tecnologias Química e biológica - Brasília/DF: 11 de Novembro de 2016