Você está na página 1de 23

Contabilidade Atuarial I

Aula 2
NORMAS GERAIS
OBJETIVO
• Padronização
dos registros
das operações;
Normas Normas,
• Elaboração e
critérios e
Critérios
apresentação
procedimentos das
Procedimentos

Demonstrações
Financeiras
ASPECTOS
GERAIS • Todo e qualquer
recurso
hospitalar ou
Normas odontológico de
propriedade da
Critérios
REDE operadora,
HOSPITALAR OU compreendendo
Procedimentos
ODONTOLÓGICA todos os
profissionais
médicos ou
odontólogos,
assalariados ou
cooperados.
ASPECTOS
GERAIS

Normas REDE • Clínicas;


Critérios ASSISTENCIAL • Laboratórios;
Procedimentos NÃO • Serviços de
HOSPITALAR OU
NÃO Diagnósticos;
ODONTOLÓGICA • Outros
ASPECTOS
GERAIS
• Todas as
Normas despesas
Critérios incorridas
EVENTOS com o
Procedimentos

beneficiário
do plano
de saúde
CODIFICAÇÃO
DO PLANO DE
CONTAS
PRIMEIRO
Normas

CÓDIGO
Critérios
Procedimentos

5 PRIMEIROS DÍGITOS
• 1º DÍGITO: CLASSE
• 2º DÍGITO: GRUPO
• 3º DÍGITO: SUBGRUPO
• 4º DÍGITO: CONTA
• 5º DÍGITO: SUBCONTA
CODIFICAÇÃO
DO PLANO DE
CONTAS
CODIFICAÇÃO DO PLANO DE CONTAS
CODIFICAÇÃO
DO PLANO DE
CONTAS
SEGUNDO
Normas

CÓDIGO
Critérios
Procedimentos

6º DÍGITO – USADO PARA SEGREGAR AS


OPERAÇÕES PELA MODALIDADE DE
CONTRATO:
• ALGARISMO 1 (UM): Preço Pré-estabelecido
• ALGARISMO 2 (DOIS): Preço Pós-estabelecido
• ALGARISMO 9 (NOVE): Não produtos
CODIFICAÇÃO
DO PLANO DE
CONTAS
SEGUNDO
Normas

CÓDIGO
Critérios
Procedimentos

7º DÍGITO
• ALGARISMO 0 (zero) – operadoras/seguradoras em geral;
• ALGARISMO 1 (um) – atos cooperativos principais
• ALGARISMO 2 (dois) – atos cooperativos auxiliares.
• ALGARISMO 7 (sete) – atos não cooperativos.
CODIFICAÇÃO
DO PLANO DE
CONTAS
SEGUNDO
Normas

CÓDIGO
Critérios
Procedimentos

8º e 9º DÍGITO
• Codificação prevista pela ANS
CODIFICAÇÃO
DO PLANO DE
CONTAS
TERCEIRO
Normas

CÓDIGO
Critérios
Procedimentos

Abertura de subcontas a
critério da operadora de
saúde.
CODIFICAÇÃO
DO PLANO DE
EXEMPLO DA ESTRUTURA

CONTAS
CODIFICAÇÃO
DO PLANO DE
CONTAS
6 CLASSES DE CONTAS
Normas
Critérios
Procedimentos

6 – IMPOSTOS E
7 – CONTAS
1 - ATIVO 2 – PASSIVO 3 – RECEITA 4 – DESPESA PARTICIPAÇÕES
TRANSITÓRIAS
SOBRE LUCRO
ESCRITURAÇÃO

O simples registro contábil não


constitui
Normas elemento suficientemente
comprobatório,
Critérios devendo a
escrituração
Procedimentos ser fundamentada em
documentação hábil para a perfeita
viabilidade dos fatos administrativos.
ESCRITURAÇÃO
A escrituração deve obedecer:

NBC TG LEI CPC


ESTRUTURA 6.404/1976
CONCEITUA (LEI DAS *com
DO CFC; SAs) exceções
ESCRITURAÇÃO

Não deve adotar os seguintes CPCs:


• CPC 11 – Contratos de Seguros
• CPC 29 – Ativos biológicos
• CPC 34 – Exploração e Avaliação de recursos
minerais
• CPC 35 - Demonstrações Separadas:
• CPC 44 – Demonstrações Combinadas;
• CPC 47 – Receitas;
• CPC 48 – Instrumentos Financeiros;
• CPC PME – Contabilidade para Pequenas e
Médias empresas.
ESCRITURAÇÃO

Os controles analíticos e as conciliações


contábeis devem ficar à disposição da ANS por
prazo não inferior a 5 (cinco) anos.
ESCRITURAÇÃO

A escrituração contábil, com atraso superior a


30(trinta) dias, não justificada, sujeita a entidade
as penalidades previstas.
ESCRITURAÇÃO

O profissional de contabilidade responsável pela


escrituração, deverá adotar as características
qualitativas da informação contábil.
ESCRITURAÇÃO

Características Fundamentais: Relevancia e a


Representação Fidedigna

Características de Melhoria: Comparabilidade,


Verificabilidade, Tempestividade,
Compreensibilidade
EXERCÍCIO
SOCIAL
Coincidirá com o ano civil, ou seja, término em
31/12 de cada exercício.