HELITON SANTOS DE OLIVEIRA OAB/RO 5792 Advocacia & Consultoria

ILMO. SR. DIRETOR DO DEPARTAMENTO DE ESTADUAL DE TRÂNSITO DO ESTADO DE RONDÔNIA

Ref. Multa de Trânsito nº 135693

EVERTON DE MATOS DA SILVA, brasileiro, solteiro, gerente de empresa, portador do RG nº 760595 SSP/RO e CPF nº 838.200.002-91, residente e domiciliado Rua Carlos Gardel, nº 3820, Bairro Tancredo Neves, Cidade de Porto Velho, Estado de Rondônia, por meio do seu advogado (procuração em anexo) que esta subscreve, por intermédio seu advogado infra-assinado, com escritório situado nesta cidade, á Rua Benedito Inocêncio, nº 5894, Bairro Três Marias, Porto Velho-RO, onde recebe intimações e avisos, vem à presença de Vossa Senhoria interpor:

RECURSO À JARI,
com fulcro no art. 5º, incisos XXXIV - alínea a e LV da CF/88, art. 282 § 4º, e 286, do CTB e demais normas legais aplicáveis Requer-se a remessa do processo a uma das JARIs anexas a este órgão de trânsito, dentro do prazo previsto no art. 285, § 2º do CTB, para apreciação e julgamento. DOS FATOS 01. No dia 15/09/2013 por volta das 03h08min do corrente ano, na Av. Mamoré, nº2560, Bairro JKII, Porto Velho, Estado de Rondônia, foi abordados por policias da CIRETRAN para realizar exame de alcoolemia. O recorrente realizou o teste com a aparelho, sendo constatado no ato que fora constatado a presença de 0,08 m/l de alcool no sangue.
Rua Benedito Inocêncio, nº 5894, Bairro Três Marias, Porto Velho-RO (069) 9211-8898 / (069) 8111-4419 / (069) 3226-1664

281 estabelece que a autoridade "julgará" a consistência do auto de infração. o Recorrente interpõe o presente recurso com os fundamentos que serão a seguir esposados. Não aceita a "Defesa Prévia". os milicianos procederam de praxe a autuação do condutor aplicando a multa. O recorrente pediu para que realizasse novamente o teste do bafômetro. Entretanto. Ela foi criada pela Resolução 568/80 do Contran e permanece existindo por não conflitar com o CTB. os policiais negaram a realização de novo exame e mantiveram a multa administrativa aplicada.HELITON SANTOS DE OLIVEIRA OAB/RO 5792 Advocacia & Consultoria Logo. nº 5894. Bairro Três Marias. Irresignado. haverá a "Imposição da PenalIdade". em princípio. e aí encontra-se escondida a "Defesa Prévia" que alguns estados não enxergam. § único do CTB. conforme dispõe o Art. Não pode. É uma autuação em discussão. A primeira possibilidade é a da "Defesa Prévia". pois nessa fase ainda não houve aplicação de penalidade. conforme consta do auto infracional em anexo. Ademais. cometido uma infração de trânsito. Essa préinstância é apresentada à autoridade de trânsito (diretor do órgão executivo) responsável pela aplicação da penalidade. DO DIREITO DO EFEITO SUSPENSIVO DA DEFESA PRÉVIA 02. o cidadão dispõe de alguns remédios administrativos para exercer sua defesa contra a aplicação das penalidades previstas. transferência. O recorrente comunicou os milicianos que naquela noite. nem retido o documento de habilitação. etc. portanto. verbo que implica em contraditório. o próprio Código em seu Art. antes de sair de casa havia escovados os dentes e utilizado enxaguante bucal. Rua Benedito Inocêncio. pois ninguém deve julgar sem ouvir as partes. Porto Velho-RO (069) 9211-8898 / (069) 8111-4419 / (069) 3226-1664 . ou não feita. para que fosse constatado que o álcool encontrado no aparelho não era advindo de bebida alcoólica. ser cobrada a multa para fins de licenciamento. 314. A "Defesa Prévia" naturalmente possui caráter suspensivo. Após a lavratura do auto de infração pelo agente. por ter.

Da mesma forma.) mesmo quando o recurso está na JARI e o usuário optou por recorrer sem pagar.HELITON SANTOS DE OLIVEIRA OAB/RO 5792 Advocacia & Consultoria Dessa imposição. e que darão a CNH apenas aos que não cometerem infrações graves e gravíssimas. a pontuação não pode trazer seus efeitos. "poderá" ser concedido o efeito suspensivo. ou sem pagar.R. o cidadão poderá recorrer à J. mas uma retenção de carteira julgada indevida. nº 5894. requer-se a aplicabilidade do efeito suspensivo na multa a aplicada em desfavor do recorrente. Da mesma forma. e se passado mais de um ano da autuação. Nessa fase o Código estabelece que se o recurso não for julgado em 30 dias. Não é necessário dizer que nesse caso o verbo "poderá" assume a condição de "deverá". porque dinheiro ainda se desenvolve. sem pagar.A. à sua escolha. Ora. no período de um ano. Muitos recursos são frutos de muitas autuações. transferência. o efeito suspensivo é quase que natural. Porto Velho-RO (069) 9211-8898 / (069) 8111-4419 / (069) 3226-1664 . etc. Assim também ocorrerá com as Permissões para Dirigir. é a própria Lei. quando bem aproveitados os prazos recursais.R. Na prática significa que se a pessoa optou por recorrer à J. Portanto. (Junta Administrativa de Recursos de Infrações). Lembramos isso porque alguns órgãos de trânsito têm cobrado a multa (licenciamento.I. Não devemos esquecer que a demora dos julgamentos (e tais consequências) é fruto de muitos recursos. Para tal poderá. senão necessário. Bairro Três Marias. não pode a autoridade exigir o pagamento antes do julgamento. não poderá ter cobrada a multa enquanto pendente o julgamento. com validade de um ano. Rua Benedito Inocêncio. a expectativa de arrecadação da multa poderá ser frustrada por até dois licenciamento (dois anos). Não são fórmulas mágicas de burlar a lei. essa pontuação cai fora da somatória. portanto tais consequências eram (e foram) plenamente previsíveis. recorrer pagando a multa por 80% de seu valor. Como os julgamentos (Defesa Prévia e JARI) estão demorados em virtude do volume.A.I. Se recorrer é um direito. no caso de suspensão do direito de dirigir. ou reincidentes em médias. conforme determina o Código de Trânsito Brasileiro. se o legislador deu as opções ao recorrente.

nos parece uma regra excessiva. nº 5894. por exemplo). Romênia e Eslováquia. desequilibrada e desarrazoada. explica o ministro das Cidades. Já para o exame de sangue. normalmente apoia tudo quanto é tipo de endurecimento das normas. tanto quanto nossos ancestrais das cavernas. Há duas formas de a lei penal não produzir eficácia preventiva: quando ela não é aplicada.08. Porto Velho-RO (069) 9211-8898 / (069) 8111-4419 / (069) 3226-1664 .HELITON SANTOS DE OLIVEIRA OAB/RO 5792 Advocacia & Consultoria DA ABSOLVIÇÃO POR NÃO CONSTITUIR O FATO INFRANÇÃO ADMINISTRATIVA 03. p. Nem mesmo o uso de enxaguantes bucais com algum teor alcoólico escapa das novas regras.10 mg/l (miligramas de álcool por litro de ar expelido) para 0. “A lei não dá margem. No caso do bafômetro a tolerância cai de 0. Nepal. reduz a tolerância para autuação por embriaguez ao volante. Etiópia. O teste do bafômetro ao apontar concentração igual ou superior a 0. Por força da Resolução 432/13 do Conselho Nacional de Trânsito (Contran). ou quando ela é exageradamente desproporcional. sete pontos no prontuário etc.34 mg/l ou do exame de sangue apresente resultado igual ou superior a 6 decigramas. Paulo de 25. Qualquer concentração estará sujeita a penalidade. Dentre os 82 países pesquisados pela International Center for Alcohol Policies (EUA) (Folha de S. o ato de dirigir passa a ser considerado crime e o motorista também será preso . por força do populismo penal. O Brasil.40 de multa. A criminologia midiática.760/12 (nova Lei Seca) . se tornou uma dos 12 países do mundo mais rigorosos em matéria de embriaguez ao volante.915. com a política da “tolerância zero” de álcool no sangue. Croácia. C3). apreensão do veículo. A Resolução 432/13 do Contran (Conselho Nacional de Trânsito). Panamá. Aguinaldo Ribeiro. 11 deles adotavam o tolerância zero de forma absoluta: Armênia. que pintando o animal na parede já se tem a Rua Benedito Inocêncio. exames laboratoriais. porque ela acredita. A esse rol agora temos que acrescentar o Brasil. República Tcheca.05 mg/l. o caso teria que ser analisado individualmente. no entanto.06. Azerbaijão. qualquer concentração de álcool permite a autuação. Bairro Três Marias. um ano sem carteira. 12º país a se incorporar ao restrito grupo da tolerância zero. vídeos ou testemunhos. um bombom com licor poderia significar para o motorista R$ 1. mas o condutor seria pego pelo bafômetro". garantindo dessa forma a impunidade do infrator (caso Edmundo. Hungria. No caso do enxaguante. Ficar sem habilitação durante um ano em virtude de um bombom com licor e um EXAGUANTE BUCAL QUE O RECORRENTE UTILIZOU NO DIA. que regulamentou a Lei 12. Colômbia. A embriaguez pode ser comprovada pelo teste do bafômetro.

34 mg e 1.760. p. de 2012)”. Em seguida passaram pelo etilômetro (bafômetro). respectivamente. POR UM ANO. Rua Benedito Inocêncio. como se vê. menos crimes. Resultado: 0. o legislador brasileiro aprovou 86 leis penais e nenhum crime diminuiu (muito menos as mortes no trânsito). Havia uma alcoolização absolutamente insignificante inclusive para fins administrativos (sancionatórios). Nada. COM SEGURANÇA. nº 5894. A resolução citada. Com a nova resolução tudo se alterou. A tolerância zero passou a ser absoluta em relação ao exame de sangue e relativa no que diz respeito ao etilômetro. DIRIGE NORMALMENTE. 165“(redação dada pela Lei 12. tem fundamento no disposto no artigo 276 do Código de Trânsito Brasileiro (CTB): “Qualquer concentração de álcool por litro de sangue ou por litro de ar alveolar sujeita o condutor às penalidades previstas no art. 0. Os critérios puramente quantitativos. Crença infundada.05 mg/L de ar alveolar expirado. MAS É JUSTO CASSAR A HABILITAÇÃO. outra usou um enxaguante bucal e a terceira bebeu 200 ml de cerveja (menos de meio copo de cerveja). Dura lex sed lex.760. A primeira situação teria sido enquadrada na infração administrativa e as duas últimas no crime do artigo 306. A tolerância. antes. com autorização da Polícia Militar. O parágrafo único do artigo 276 diz: “O Contran disciplinará as margens de tolerância quando a infração for apurada por meio de aparelho de medição.05 mg/L). A tolerância é praticamente zero (0. De 1990 a 2012. visto que ele exige o mínimo de 0.01. Paulo (31.13. COM BAIXÍSSIMA INGESTÃO DE SUBSTÂNCIA PSICOATIVA (BOMBOM COM LICOR OU ENXAGUANTE BUCAL). correspondente a dois decigramas de álcool por litro de sangue. escapa do novo regramento jurídico. (Redação dada pela Lei nº 12. praticamente nada. Ela acha que quanto mais dureza.1 miligrama de álcool por litro de ar alveolar. Porto Velho-RO (069) 9211-8898 / (069) 8111-4419 / (069) 3226-1664 .HELITON SANTOS DE OLIVEIRA OAB/RO 5792 Advocacia & Consultoria posse dele (que basta a edição de nova lei e tudo vai ser resolvido). A reportagem da Folha de S. C9). disse o militar (com outras palavras) que acompanhava o teste.08 mg. Isso foi feito na Resolução 133/2012. observada a legislação metrológica”. equivalia a 0. criam situações de muita injustiça e de desequilíbrio. fez o seguinte teste: uma pessoa comeu um bombom com licor. de qualquer modo.31 mg. de 2012). DE QUEM. Bairro Três Marias.

livrando o sujeito de qualquer tipo de sanção? Ou. o bombom com licor não vai dar multa ( O Estado de S. alguns minutos depois? No caso da reportagem da Folha de S. o auto preliminar de embriaguez alcoólica e toxicológica. Bairro Três Marias. EVERTON.02. não seria o caso de se fazer um segundo teste do etilômetro. nenhum deles notou sinal visível de embriaguez ou fez qualquer relato nesse sentido. p.. PLENO DO OBSTAR O DIREITO DE CONTRAPROVA AFRONTA O CONTRADITÓRIO E A AMPLA DEFESA CONSTITUCIONALMENTE GARANTIDOS. Ademais. SENDO QUE A VIOLAÇÃO DOS MESMOS ACABAM ACARRETANDO O CERCEAMENTO DO DIREITO DE DEFESA DO RECORRENTE.HELITON SANTOS DE OLIVEIRA OAB/RO 5792 Advocacia & Consultoria COM DOMÍNIO DA DIREÇÃO. DEVE SER RECONSIDERADA A APLICABILIDADE DA MULTA EM DESFAVOR DO SR. SEM AFETAR. Não soprando..08 mgl apenas. C1). No caso. os agentes da EPTC que abordaram o acusado em virtude da Operação “Lei Seca”. valor este resultante da utilização de Enxaguante Bucal. POIS A UTILIZAÇÃO DE SUBSTÂNCIA PSICOATIVA DIVERGENTE DO ÁLCOOL NÃO TEM O CONDÃO DE CARACTERIZAR A MULTA ADMINISTRATIVA PREVISTA NA NORMA VIGENTE. realizado no mesmo dia do fato foi extremamente confuso e não conclusivo. uma legislação tão rigorosa como a que temos agora acaba desestimulando até mesmo a colaboração do motorista. Rua Benedito Inocêncio. TENDO EM VISTA QUE O RECORRENTE SE ENCONTRAVA EM PLENAS CONDIÇÕES DE CONDUZIR O VEÍCULO NAQUELE MOMENTO SEM APARENTAR QUALQUER SINAL VISÍVEL DE EMBRIAGUEZ. MUITO MENOS O PRINCÍPIO DA CONDUÇÃO SEGURA? Não seria o caso de se aplicar o princípio da insignificância. pelo menos. nº 5894. ao realizar o teste do etilômetro apresentou índice de 0. o Recorrente teve constatado no etilômetro cerca de 0. que implicam uma valoração subjetiva fluida e lotérica. TENDO A MESMA SIDO NEGADA PRONTAMENTE. pode ser que sim. Para ele. Outrossim. Por fim. 15 minutos depois nada mais foi constatado! Daí o novo posicionamento do capitão da PM Sérgio Marques: “O motorista tem o direito de aguardar 15 minutos antes de fazer o teste” (a contraprova). pode ser que não. com certeza vai haver punição e até mesmo injustiça.) o periciado não apresentava sinais clínicos de estado de embriaguez no momento do exame. Porto Velho-RO (069) 9211-8898 / (069) 8111-4419 / (069) 3226-1664 . que certamente vai raciocinar da seguinte maneira: é melhor não fazer nenhum tipo de teste e deixar que tudo seja julgado pelos “sinais indicadores da embriaguez”. Soprando o etilômetro. LOGO. pois nele constou: "(. A CONTRAPROVA ERA DIREITO RECORRENTE. O NÍVEL DE SEGURANÇA VIÁRIA. Paulo.13. Paulo de 04.08 mgl” . COM UMA CONDUÇÃO ANORMAL.

mostrando que: "O princípio do contraditório. mas.. de manifestação e o direito em ver seus argumentos devidamente apreciados.notificação dos atos processuais à parte interessada. é decorrente da bilateralidade do processo: quando uma das partes alega alguma coisa.. que nos diz: "Art.direito de assistir à inquirição de testemunhas. somada a prova testemunhal. Ele supõe o conhecimento dos atos processuais pelo acusado e o seu direito de resposta ou de reação. que é inerente ao direito de defesa.possibilidade de exame das provas constantes do processo. em processo judicial ou administrativo. Insere-se nesta tutela. os direitos de informação. dando-se-lhe oportunidade de resposta. 5º Todos são iguais perante a lei. assim como visto na doutrina alemã a pretensão à tutela jurídica ( Anspruch auf rechtliches Gehör). sem distinção de qualquer natureza. nos termos seguintes:(. a qual nada mencionou acerca de supostos sinais de embriaguez. e aos acusados em geral são assegurados o contraditório e ampla defesa.. O contraditório e a ampla defesa em nosso ordenamento jurídico trata-se de uma cláusula pétrea. DA PREVISÃO CONSTITUCIONAL E NAS LEI ESPECIAIS DO DIREITO A DEFESA NO AMBITO ADIMINISTRATIVO 04. 5º. 367). Maria Sylvia Zanella.. à igualdade. São Paulo. há de ser ouvida também a outra. considerando a deficiência da prova técnica. a melhor solução para o feito desconsiderar a multa administrativa. p. 2. garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida. Bairro Três Marias. Exige: 1. 3. Como bem esclarece Gilmar Ferreira Mendes.aos litigantes. nº 5894. o contraditório e a ampla defesa não se constituem em meras manifestações das partes em processos judiciais e administrativos. Porto Velho-RO (069) 9211-8898 / (069) 8111-4419 / (069) 3226-1664 .) LV . 2007.)" Maria Sylvia Zanella Di Pietro esclarece em breves linhas sobre tais princípios. 20ª edição. à liberdade.direito de apresentar defesa escrita"(DI PIETRO. Atlas. Rua Benedito Inocêncio. LV da CRFB/88[1].(.HELITON SANTOS DE OLIVEIRA OAB/RO 5792 Advocacia & Consultoria Logo. 4. com os meios e recursos a ela inerentes. o laudo preliminar absolutamente confuso e inconclusivo e a violação do direito constitucional de ampla defesa e contraditório (CONTRAPROVA). à segurança e à propriedade. Direito Administrativo. disposta no art. e principalmente uma pretensão à tutela jurídica.

Durante o processo. quais sejam: o acesso à justiça. à segurança e a propriedade. toda pessoa tem direito. o contraditório e a plenitude de defesa. Toda pessoa acusada de um delito tem direito a que se presuma sua inocência. nos termos seguintes:”. ao desfazimento dos atos eivados de ilegalidade dá-se o nome de invalidação ou anulação. onde: “Toda pessoa acusada de delito tem o direito a que se presuma sua inocência enquanto não se comprove legalmente sua culpa. Demais disso. trazemos à tona se haveria de fato um processo administrativo fiscal... toda pessoa tem direito. ou apenas um mero procedimento. à liberdade. Caso tratar-se de mero procedimento fica afastada por simples dedução a observância do devido processo legal...] g) direito de não ser obrigada a depor contra si mesma.] direito de não ser obrigado a depor contra si mesma. sem distinção de qualquer natureza. Porto Velho-RO (069) 9211-8898 / (069) 8111-4419 / (069) 3226-1664 que a Convenção .. à igualdade. em se falando de devido processo legal. garantido-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade dos direitos à vida. às seguintes garantias mínimas: [. nº (com destaque para a alínea “g”). Ora.] 2. resta consignado ainda que: “Todos são iguais perante a lei. Além disso. enquanto não for legalmente comprovada sua culpa. Esta nada mais é que a restauração da ordem jurídica. nº 5894. às seguintes garantias mínimas [. Bairro Três Marias. relembrar o que diz os termos do artigo 8º. A lei é clara. tendo em mira o princípio da legalidade e a indisponibilidade Rua Benedito Inocêncio. in verbis. É válido. nem a declarar-se culpada”. dispõe: Art.HELITON SANTOS DE OLIVEIRA OAB/RO 5792 Advocacia & Consultoria José Afonso da Silva em brilhantes linhas nos ensina que o devido processo legal está baseado em três princípios. em plena igualdade. nem a confessar-se culpada. 5º. com respeito. importante salientar Americana sobre Direitos Humanos (1969). Durante o processo. em plena igualdade. [.. da Convenção Americana sobre Direitos Humanos (1969). na Constituição Federal do Brasil em seu Art. 8º Garantias judiciais. também conhecida por “Pacto de São José da Costa Rica”.

“A invalidação ou anulação é. Agora que Vossa Senhoria conhece a realidade dos fatos e. é um dos pilares do Direito e está intimamente ligada ao princípio da legalidade. incidindo apenas sobre o ato. 77). a de não punir um inocente que provou com provas concretas que não estava embriagado e dirigindo veículo automotor. que pode ser conceituada como a eliminação de um ato administrativo. nº 5894. Rua Benedito Inocêncio. quando eivados dos vícios que os tornem ilegais. ao contrário. nesse lanço. se imagine no no lugar do Recorrente. fica-se a favor do réu . como Julgador. pois. como cidadão recorrendo desta punição injusta e eu. Já a Súmula 473 do STF prescreve: “A Administração pode anular seus próprios atos. (Limites à invalidação dos atos administrativos. (grifos nossos). 2001. e ressalvada. Conveniente. Max Limonad: São Paulo. a expressão latina “ In dubio pro reo” que significa literalmente na dúvida. darmos a palavra à insigne professora da Universidade de Fortaleza. Ed. para que reforce nosso pensamento: “O desfazimento dos atos viciados pela própria Administração ocorre mediante a invalidação. Qual atitude você acha que eu tomaria como Julgador? Com certeza. Destarte. Nesse passo. na hipótese de este não ter ainda gerado efeitos. é a falta elementos de convicção que demonstrem ligação do acusado com o fato delituoso é que geram. Portanto na dúvida não é a causa/motivo de se absolver o réu (nesse caso o ‘suposto’ infrator de trânsito) mas. por outro ato ou por decisão judicial. tem provas suficientes do não cometimento da presente infração de trânsito. ou sobre o ato e seus efeitos” . em todos os casos. Porto Velho-RO (069) 9211-8898 / (069) 8111-4419 / (069) 3226-1664 . no julgador. respeitados os direitos adquiridos. solicito que Vossa Senhoria. a apreciação judicial”. CLARISSA SAMPAIO SILVA (27). em virtude de violação à ordem jurídica. feita por meio de um ato administrativo que desfaz o outro (tal técnica foi elaborada pelo Conselho de Estado Francês no início do século XX). a da Justiça.HELITON SANTOS DE OLIVEIRA OAB/RO 5792 Advocacia & Consultoria do interesse público. o mais justo a ser feito é não deixar prosperar a presente multa administrativa. porque deles não se originam direitos. com a desconstituição dos efeitos por ele produzidos. a dúvida acerca do nexum entre materialidade e autoria. ou revogá-los. p. a da legalidade. por motivo de conveniência e oportunidade. Bairro Três Marias. (grifo nosso).

conforme as exigências do INMETRO. também pelo INMETRO. atendendo a legislação metrológica em vigor e aos requisitos estabelecidos nesta Resolução. sistema de medição ou transdutor de medição”).HELITON SANTOS DE OLIVEIRA OAB/RO 5792 Advocacia & Consultoria DA DESCONSIDERAÇÀO DO TESTE DE ALCOOLEMIA E ANULAÇÃO DO AUTO DE INFRAÇÃO 05. além da calibração inicial (que segundo o vocabulário do INMETRO é o “conjunto de operações que estabelece. em condições específicas. sem prejuízo de eventual inspeção. São eles: Art. certo é que o aparelho de bafômetro. como apontado pelo Ministério Público em contrarrazões. o próprio Ministério Público assim descreveu o conceito de verificação. a correspondência entre o estímulo e a resposta de um instrumento de medir. tecnicamente. compreendendo o exame. também a sua verificação anual periódica. IV . obrigatoriamente. Normalização e Qualidade Industrial – INMETRO. O artigo 6º da Resolução 206/2006 do CONTRAN estabelece quatro requisitos necessários para que o aparelho de verificação seja considerado em condições de uso. Aliás. III . a verificação. Assim.RBMLQ. conforme determina a legislação metrológica vigente. caso exigida pela legislação metrológica. Porto Velho-RO (069) 9211-8898 / (069) 8111-4419 / (069) 3226-1664 . 6º. O medidor de alcoolemia – etilômetro – deve observar os seguintes requisitos: I – ter seu modelo aprovado pelo Instituto Nacional de Metrologia. por sua vez.ser aprovado em inspeção em serviço ou eventual.” Assim. aqui. nº 5894. A calibragem tem por finalidade estabelecer. Bairro Três Marias. II – ser aprovado na verificação metrológica inicial realizada pelo INMETRO ou órgão da Rede Brasileira de Metrologia Legal e Qualidade . a marcação ou a selagem e (ou) a emissão de um certificado e que constate que o instrumento de medir ou medida materializada satisfaz às exigências regulamentares . Rua Benedito Inocêncio. citando o vocabulário de metrologia legal do INMETRO: “Conjunto de operações. a validade da prova produzida pelo aparelho de etilômetro depende. os padrões de funcionamento do aparelho. ser submetido a uma verificação periódica anual. além de ter seu modelo aprovado pelo INMETRO e de passar por uma calibração inicial (incisos I e II). se destina a conferir se o aparelho está devidamente calibrado e em normais condições de funcionamento. Independe. deve. considerado o disposto na Resolução transcrita. a diferença conceitual entre calibragem e verificação.ser aprovado na verificação periódica anual realizada pelo INMETRO ou RBMLQ.

aferido e apto para uso. por isso para que seja considerada válida tal aferição por etilômetro necessária a apresentação no presente processo de documento que comprove que o aparelho de bafômetro verificado no interregno de tempo entre a sua última calibragem e a data do fato esteja dentro do período de validade como determina a lei. de acordo com Código de Transito Brasileiro. em condições de uso. para que essa Egrégia Junta Administrativa de Recursos de Infrações receba o presente recurso com efeito suspensivo. Por todo exposto. requer seja apresentado os documentos que comprovem inclusive os laudos técnicos dos testes previstos. e ao final o acolhimento das preliminares nesta peças aventadas. nos arquivos do órgão ou entidade executivo de trânsito responsável pelo registro do veículo até que a presente demanda seja julgada. d) Comprovado o não cumprimento do aparelho de bafômetro. com a Rua Benedito Inocêncio. e exatamente em razão dessa diferença devem ser observadas cumulativamente. que seja acolhida a presente defesa em desfavor da notificação da autuação de infração de trânsito. são. sob pena de nulidade do exame feito. bem como os doutrinadores supra citados. requer seja DESCONSIDERADO o teste realizado. gerando a correta e legal anulação do Auto de Infração ora recorrido. requer: a) Que seja acolhida a preliminar suscitada. conforme prevê também a nossa Constituição Federal. uma independentemente da outra. utilizado para realização do teste de alcoolemia que constatou a suposta “embriaguez” do Requerente. juntamente com as documentações anexas. e. já que não há provas concretas de que o Requerente estava sob efeito de álcool. para julgar inconsistente o AIT. o exame foi realizado dia 15/09/2013. em seu artigo 5º. jurisprudências de nosso Egrégio Tribunal de Justiça. inclusive porque a verificação se presta a garantir que o aparelho utilizado esteja calibrado. inclusive para fins de licenciamento e transferência. Bairro Três Marias. na forma das razões apresentadas. pois. DO PEDIDO 06. coisas diferentes. com o seu regular processamento. não estava devidamente calibrado. Porto Velho-RO (069) 9211-8898 / (069) 8111-4419 / (069) 3226-1664 .HELITON SANTOS DE OLIVEIRA OAB/RO 5792 Advocacia & Consultoria Em síntese. Retornando ao caso concreto. b) Conforme dispõe o CTB. por óbvio. para se abster de lançar qualquer restrição. e) Caso não seja esse entendimento desta JARI. apreciação. com a finalidade de comprovar que o aparelho de bafômetro. que seja mantida a CNH do Recorrente até que se esgotem todas as possibilidades do mesmo exercer seu amplo direito de defesa. c) No mérito. nº 5894. acarretando assim a irregularidade do Auto de Infração.

gerando assim a ANULAÇÃO E ARQUIVAMENTO do mesmo. 03 de outubro de 2013. g) Requer a imediata exclusão dos pontos registrados no prontuário do Requerente com a intimação via postal do resultado da decisão. para requerer o que entender de direito.HELITON SANTOS DE OLIVEIRA OAB/RO 5792 Advocacia & Consultoria conseqüentemente determinação de cancelamento da penalidade e. para que. nos termos da fundamentação retro. f) Requer também que seja respeitada a Constituição Federal e o Pacto de São José da Costa Rica. nº 5894. i) Por fim requer seja o presente recurso julgado TOTALMENTE PROCEDENTE. Bairro Três Marias. via Poder Judiciário. onde Vossa Senhoria apresente uma decisão legalmente fundamentada. no caso de não acolhimento do pedido mencionado na alínea “A”. Porto Velho-RO (069) 9211-8898 / (069) 8111-4419 / (069) 3226-1664 . HELITON SANTOS DE OLIVEIRA OAB/RO-5792 Rua Benedito Inocêncio. declarando o auto de infração objeto da lide INSUBSISTENTE. Porto Velho. por medida da mais lídima e salutar JUSTIÇA! Nestes Termos. h) Protesta provar o alegado por todos os meios de provas em direito admitidos. pede deferimento. posterior arquivamento do mesmo. esta servir de subsídios para uma ‘possível’ correção da ilegalidade e dos atos de quem administrativamente tem obrigação de corrigi-los (SÚMULA 473 STF).