Você está na página 1de 3

ESCOLA SECUNDÁRIA DE ALBUFEIRA

TEXTO DE APOIO 11º ANO Leitura: OS MAIAS ( Contextualização)


Professora Fernanada Lamy

O REALISMO EM PORTUGAL

( resumo esquemático das ideias fundamentais)

╚ Conjunto de ideias que surgem a partir do fim da década de 60, acentuando-se na década seguinte
e constituindo escola.

╚ Surge como oposição ao Romantismo.

1 – A ÉPOCA

1.1 – Até à década de 70

╚ Regeneração e seus derivados em todos os níveis → comunicação com o exterior intensa


↓ ↓
instituições parlamentares ideologia oficial
regulares de progresso

1.2 – Os problemas

╚ Estagnação dos melhoramentos;

╚ Prosperidade passageira da burguesia rural ►emigração;

╚ Dificuldades na agricultura;

╚ Pouco desenvolvimento industrial;

╚ Constituição de uma hierarquia conservadora;

╚ Falta de → dinamismo económico;


→ expansão da produção nacional;

╚ Dependência do exterior.

1.3 – O ambiente europeu

╚ Mais desenvolvido do que o português;

╚ Vivem-se tempos conturbados e revolucionários


↓ ↓ ↓
França Itália Espanha

╚ Crença optimista na humanidade;

╚ Atitude crítica e negativa em relação à religião;

╚ Surto das ciências genéticas, químicas e mecânicas, da geologia, filologia, sociologia, antropologia;
├ importância do Darwinismo, de Mendel e Taine
1
╚ Historicismo → ideia dominante em todo o século;

╚ Novas ideias literárias e culturais;

╚ Crescimento do gosto pelo oculto, os poderes da mente e psicologia;


├ influência decisiva de Freud
╚ Humanitarismo/Socialismo utópico e Positivismo;
↓ ↓
Proudhon Auguste Comte

╚ Naturalismo de Zola.

1.4 – O ambiente português

╚ Luta contra o Romantismo enquanto escola mas sensibilidade romântica ainda existente;
├ Ultra-Romantismo

╚ Idealismo, visão simbólica da História e do mito nacionalista;

╚ Tentativa de acompanhamento do ambiente europeu ►renovação literária e ideológica;

╚ Superficialismo,marasmo e pessimismo acentuados à medida que se caminha para o fim do século.

2 – A GERAÇÃO DE 70

╚ Geração de jovens estudantes e intelectuais de Coimbra que, nas décadas de 60 e 70,


“sobressaltaram” o país com as suas ideias revolucionárias.

2.1 – A questão Coimbrã

╚ Questão/polémica que opôs o grupo de estudantes de Coimbra ( Ramalho Ortigão, Eça de Queirós e
Antero de Quental como líderes), defensores das novas ideias, aos defensores da tradicional e con-
servadora literatura portuguesa, radicados em Lisboa ( liderados por António Feliciano de Castilho);

╚ Ficou também conhecida como a polémica do”Bom Senso e Bom Gosto”, artigo escrito por Antero,
como resposta às alusões negativas de Castilho sobre os jovens de Coimbra;

2.2 – O Cenáculo e as Conferências do Casino


↓ ↓
grupo formado em encontros promovidos pelo Cenáculo
Lisboa pela geração para reformar a sociedade portuguesa
Coimbrã

BIBLIOGRAFIA

• Manuais Dimensão Comunicativa, 11º ano, Português B, Porto Editora e Plural, 11º ano, Português B, Lisboa Editora;

• “Introdução” a OS MAIAS, de Ester de Lemos, Editora Ulisseia;

• História da Literatura, de António José Saraiva e Óscar Lopes, Capítulos VII e X;

2
• Dicionário de Literatura, direcção de Jacinto do Prado Coelho, artigos “Os Maias”, “Naturalismo”, “Realismo” e “José
Maria Eça de Queirós”.