P. 1
Questionário como instrumento de pesquisa

Questionário como instrumento de pesquisa

|Views: 18.003|Likes:
Publicado porWilson Numa

More info:

Categories:Types, Research
Published by: Wilson Numa on Sep 30, 2011
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

07/31/2013

pdf

text

original

1

INTRODUÇÃO
Apesar de nem todos os projectos de pesquisa utilizem o questionário como instrumento de recolha e avaliação de dados, este, é muito importante na pesquisa científica. Construir questionários não é, contudo, uma tarefa fácil, mas aplicar algum tempo e esforço na sua construção pode ser um factor favorável no “crescimento” de qualquer investigador. Não existe um método-padrão para se formular um questionário. Contudo, existem algumas recomendações, bem como factores a ter em conta comparativamente a essa importante tarefa num processo de pesquisa. O objectivo do nosso trabalho é desenvolver o tema questionário com os seus principais itens, os cuidados a serem tomados, dentro de uma sequência lógica, de modo a que este instrumento tenha eficácia para a finalidade a que se destina. Após esta introdução, este trabalho está estruturado do seguinte modo: na primeira parte fala da pesquisa define-se questionário sua utilidade e Importância. Dessa forma procuramos mostrar a importância, os diversos cuidados necessários para que o questionário seja bem construído e bem aplicado e assim ser reduzido o nível de erro. Na segunda parte, articularemos sobre o questionário como instrumento de pesquisa, comparação com outros instrumentos, vantagens desvantagens e limitações do questionário, os tipos de questionários, os tipos de questões, tipos de questionários e escalas para tratamento dos dados obtidos. Espera-se que este trabalho seja útil para futuras pesquisas.

2

PESQUISA
Pesquisa é um processo sistemático de construção

do conhecimento que tem como metas principais gerar novos conhecimentos e/ou corroborar ou refutar algum conhecimento pré-existente. É basicamente um processo de aprendizagem tanto do indivíduo que a realiza quanto da sociedade na qual esta se desenvolve. A pesquisa como atividade regular também pode ser definida como o conjunto de atividades orientadas e planejados pela busca de um conhecimento. Ao profissional da pesquisa (especialmente no campo académico), dá-se o nome de pesquisador. Sendo a pesquisa um processo de construção de conhecimento existem vários tipos de pesquisa como:
• • • • • •

Pesquisa bibliográfica; Pesquisa descritiva; Pesquisa laboratorial; Pesquisa empírica; Pesquisa de campo; Pesquisa académica.

Para se fazer uma pesquisa são necessários instrumentos apropriados que levaram o pesquisador a encontro do resultado desejado. Sendo que esses instrumentos são: • Entrevista: A entrevista é um instrumento de recolha de

informações que consiste em conversas orais, individuais ou de grupos, com várias pessoas seleccionadas cuidadosamente, cujo grau de pertinência, validade e fiabilidade é analisado na perspectiva dos objectivos da recolha de informações. • Observação: A observação participante é um instrumento de

investigação social em que o observador partilha, na medida em que as

3 circunstâncias o permitam, as actividades, as ocasiões, os interesses e os afectos de um grupo de pessoas ou de uma comunidade. • Questionário: é um instrumento de colecta de informação,

utilizado numa Sondagem ou Inquérito. Para esse trabalho abordaremos apenas sobre o questionário como instrumento de pesquisa.

4

QUESTIONÁRIO Definição Questionário pode ser definido como uma técnica de investigação social composta por um conjunto de questões que são submetidas a pessoas com o propósito de obter informações sobre conhecimentos, crenças, sentimentos, valores, interesses, expectativas, aspirações, temores, comportamento presente ou passado (António Carlos Gil, 2008), é um instrumento de colecta de informação, utilizado numa Sondagem ou Inquérito.

Utilidade E Importância Dos Questionários Um questionário é extremamente útil quando um investigador pretende recolher informação sobre um determinado tema. Deste modo, através da aplicação de um questionário a um público-alvo constituído. A importância dos questionários passa também pela facilidade com que se interroga um elevado número de pessoas, num espaço de tempo relativamente curto. Estes podem ser de natureza social, económica, familiar, profissional, relativos às suas opiniões, à atitude em relação a opções ou a questões humanas e sociais, às suas expectativas, ao seu nível de conhecimentos ou de consciência de um acontecimento ou de um problema.

5

QUESTIONÁRIO COMO INSTRUMENTO DE PESQUISA
Tecnicamente, questionário é uma técnica de investigação composta por um número grande ou pequeno de questões apresentadas por escrito que tem por objectivo propiciar determinado conhecimento ao pesquisador. Construir um questionário consiste basicamente em traduzir os objectivos da pesquisa em questões específicas. As respostas irão proporcionar dados ao pesquisador para descrever as características da população pesquisada (António Carlos Gil, 2008). O Questionário, numa pesquisa, é um instrumento ou programa de coleta de dados. Se sua confecção é feita pelo pesquisador, seu preenchimento é realizado pelo informante. A linguagem utilizada no questionário deve ser simples e direta para que o respondente compreenda com clareza o que está sendo perguntado. Não é recomendado o uso de gírias, a não ser que se faça necessário por necessidade de características de linguagem do grupo. Todo questionário a ser enviado deve passar por uma etapa de préteste, num universo reduzido, para que se possam corrigir eventuais erros de formulação.

Comparação Com Outros Instrumentos Diferencia-se da entrevista pois nesta última as perguntas e respostas são feitas de maneira oral. Diferencia-se de formulário, pois este pode ser qualquer impresso com campos próprios para anotação de dados, não importando por quem são preenchidos os dados. Já o teste, embora possa ser efetuado por intermédio de questionário, tem por objetivo incentivar determinadas reações através de perguntas. Diferencia-se também das enquetes pois estas tratam de reuinir testemunhos de pessoas sobre determinados assuntos.

6

Vantagens e Limitações do Questionário O questionário apresenta inúmeras vantagens. A relação que se segue indica algumas das vantagens que tem sobre a entrevista quando elas são comparadas (António Carlos Gil, 2008): a) Possibilita atingir grande número de pessoas, mesmo que estejam

dispersas numa área geográfica muito extensa, já que o questionário pode ser enviado por correio; b) Implica menores gastos com pessoas, posto que não exige

treinamento de pesquisadores; c) d) Garante anonimato nas respostas; Permite que as pessoas o respondam no momento em que

julgarem convincente; e) Não expõe os pesquisados à influência das opiniões e do aspecto

pessoal do entrevistado.

O questionário segundo (Gil, 2008, P.122) enquanto instrumento de pesquisa também apresenta limitações tais como: a) Exclui pessoas que não sabem ler ou escrever, o que, em certas

circunstâncias, traduz a graves deformações nos resultados da investigação; b) Impede auxílio ao informante quando este não entende

correctamente as instruções ou perguntas; c) Não oferece a garantia de que a maioria das pessoas devolvam-

no devidamente preenchido, o que pode implicar a significativa diminuição da representatividade da amostra; d) Envolve, geralmente, número relativamente pequeno de

perguntas, porque é sabido que questionários muito extensos apresentam alta probabilidade de não serem respondidos;

7 e) pesquisado. Proporciona resultados bastante críticos em relação à

subjectividade, pois os itens podem ter significado diferente para cada sujeito

Tipos De Questionários A aplicação de um questionário permite recolher uma amostra dos conhecimentos, atitudes, valores e comportamentos. Deste modo é importante ter em conta o que se quer e como se vai avaliar, devendo haver rigor na selecção do tipo de questionário a aplicar de modo a aumentar a credibilidade do mesmo. Existem três tipos de questionários: questionário aberto, fechado e misto.

Questionário aberto O questionário do tipo aberto é aquele que utiliza questões de resposta aberta. Este tipo de questionário proporciona respostas de maior profundidade, ou seja dá ao sujeito uma maior liberdade de resposta, podendo esta ser redigida pelo próprio. No entanto a interpretação e o resumo deste tipo de questionário é mais difícil dado que se pode obter um variado tipo de respostas, dependendo da pessoa que responde ao questionário.

Questionário fechado O questionário do tipo fechado tem na sua construção questões de resposta fechada, permitindo obter respostas que possibilitam a comparação com outros instrumentos de recolha de dados. Este tipo de questionário facilita o tratamento e análise da informação, exigindo menos tempo. Por outro lado a aplicação deste tipo de questionários pode não ser vantajoso, pois facilita a resposta para um sujeito que não saberia ou que poderia ter dificuldade

8 acrescida em responder a uma determinada questão. Os questionários fechados são bastante objectivos e requerem um menor esforço por parte dos sujeitos aos quais é aplicado.

Questionário misto O outro tipo de questionário que pode ser aplicado, tal como já fora dito, são os questionários de tipo misto, que tal como o nome indica são questionários que apresentam questões de diferentes tipos: resposta aberta e resposta fechada.

Tipos De Questões Existem dois tipos de questões: as questões de resposta aberta e as de resposta fechada.

Questões abertas As questões de resposta aberta permitem ao inquirido construir a resposta com as suas próprias palavras, permitindo deste modo a liberdade de expressão. Vantagens a) b) c) d) e) Preza o pensamento livre e a originalidade; Surgem respostas mais variadas; Respostas mais representativas e fiéis da opinião do inquirido; O inquirido concentra-se mais sobre a questão; Vantajoso para o investigador, pois permite-lhe recolher variada

informação sobre o tema em questão.

9 Desvantagens a) b) c) d) Dificuldade em organizar e categorizar as respostas; Requer mais tempo para responder às questões; Muitas vezes a caligrafia é ilegível; Em caso de baixo nível de instrução dos inquiridos, as respostas

podem não representar a opinião real do próprio.

Questões fechadas As questões de resposta fechada são aquelas nas quais o inquirido apenas selecciona a opção (de entre as apresentadas), que mais se adequa à sua opinião.

Vantagens a) b) respostas; c) d) Facilita a categorização das respostas para posterior análise; Permite contextualizar melhor a questão. Rapidez e facilidade de resposta; Maior uniformidade, rapidez e simplificação na análise das

Desvantagens a) Dificuldade em elaborar as respostas possíveis a uma

determinada questão; b) c) Não estimula a originalidade e a variedade de resposta; Não preza uma elevada concentração do inquirido sobre o

assunto em questão; d) O inquirido pode optar por uma resposta que se aproxima mais da

sua opinião não sendo esta uma representação fiel da realidade.

10

Questões mistas Também é usual aparecerem questões dos dois tipos no mesmo questionário, sendo este considerado misto. Ao administrar o questionário, o investigador selecciona o tipo de questão a apresentar de acordo com o fim para o qual a informação é usada, as características da população em estudo e o método escolhido para divulgar os resultados, tendo em conta as vantagens e desvantagens de cada tipo de respostas.

Conteúdo Das Questões Segundo (Gil, 2008, P. 124), As perguntas podem ser classificadas quanto ao seu conteúdo, da seguinte forma: a) b) Questões sobre fatos Questões sobre crenças

Referem-se a dados concretos e fáceis de precisar. Referem-se à experiências subjetivas das pessoas, ou seja, aquilo que elas acreditam que sejam fatos. c) Questões sobre sentimentos Referem-se sobre reações emocionais das pessoas diante de determinados fatos, fenómenos, instituições ou outras pessoas. d) Questões sobre padrões de ação Referem-se genericamente sobre os padrões éticos relativos ao que deve ser feito, podendo envolver também padrões práticos de comportamento (o que é feito). e) Questões dirigidas a comportamento presente ou passado Tratam dos comportamentos adotados no passado ou/e no presente pelas pessoas;

11 f) Questões referentes a razões conscientes de crenças,

sentimentos, orientações ou comportamentos Tem o objetivo de descobrir o porquê consciente de determinado comportamento ou fato.

Escolha das perguntas Segundo (Gil, 2008, P. 126), algumas regras devem ser obedecidas para a escolha das perguntas: a) pesquisado; b) Não incluir perguntas cujas respostas podem ser obtidas por Incluir apenas perguntas relacionadas com o problema

meios mais precisos; c) Considerar as implicações das perguntas sobre os procedimentos

de tabulação e análise; d) dificuldades; e) Evitar perguntas que penetrem na intimidade das pessoas. Incluir perguntas que podem ser respondidas sem maiores

Formulação das Questões Segundo (Gil, 2008, P.126), é necessário um cuidado especial na elaboração das perguntas. A seguir algumas dicas: a) b) interrogado; c) d) e) A pergunta deve possibilitar uma única interpretação; A pergunta não deve sugerir respostas; As perguntas devem tratar de uma única idéia. Formuladas de maneira clara, concreta e precisa; Considerar o sistema de referência e de informação do

12 Número de Questões Segundo (Gil, 2008, P.127), para se definir o número adequado de perguntas é necessário considerar o interesse do respondente pelo tema pesquisado. Alguns estudiosos sugerem como máximo o número de 30 perguntas.

Ordem das Questões Na elaboração da ordem das perguntas no questionário, deve ser evitada que a ordem das perguntas possa sugerir um contágio de respostas, ou seja, evitar que a resposta da pergunta anterior possa influir na resposta da pergunta posterior. Também é importante evitar a mudança brusca de tema nas perguntas.

Prevenção de Deformações Segundo (Gil, 2008, P.128), existem mecanismos de defesa social que os indivíduos lançam mão a fim de se protegerem quando se sentem ameaçados e que podem influir no momento de responder ao questionário. As deformações principais são:

a)

Defesa de fachada

Quando o respondente pensa estar correndo o risco de ser julgado, reage oferecendo respostas defensivas, estereotipadas ou socialmente desejáveis, escondendo suas percepções reais. Para reduzir este efeito, recomenda-se iniciar o questionário com perguntas com baixo risco de provocar esse tipo de resposta.

b)

Defesa contra pergunta personalizada

Perguntas que iniciam com "Na sua opinião..." ou "O que você pensa a respeito de ..." ou outra semelhante pode causar respostas de fuga. Evita-se

13 isto iniciando o questionário com este tipo de perguntas e utilizando maneiras indiretas para tratar de termos delicados.

c)

Deformação conservadora

São respostas conservadoras, resistentes à mudança. Previne-se essa deformidade moderando o tom das perguntas.

d)

Efeito das palavras estereotipadas

Ocorre quando usamos palavras tais como nazismo, homossexual e outras que provocam reações diversas nas pessoas. Previne-se não usandoas.

e)

Influência de personalidades de destaque

Quanto utilizamos nomes de pessoas de destaque nos questionários, podemos causar anomalias nas respostas como reação a esses nomes. Previne-se não utilizar referência a pessoas que possam causar antipatia, desprezo ou outra reação.

Construção De Alternativas A maioria dos questionários envolve questões fechadas. Muito da sua eficácia tem haver, portanto com as alternativas que são apresentadas em cada questão. Assim torna-se necessário a observância de uma serie de requisitos neste processo. Por isso é que se recomenda que a versão definitiva do questionário seja elaborada somente após o estudo exploratório envolvendo pessoas que poderiam integrar a amostra da pesquisa. Estas pessoa seria entrevistadas individualmente ou em grupo, com vista a obter conhecimentos acerca do seu universo de discurso. As alternativas seriam então redigidas levando-se em consideração suas falas que foram identificadas no estudo exploratório.

14 Alguns dos mais impotentes cuidados a serem tomados na construção das alternativas são apresentados a seguir.

Mútua exclusividade e exaustividade A construção de alternativas tem como finalidade classificar as pessoas em relação a determinado factor ou característica. Os objectivos da pesquisa ficarão prejudicados se as categorias se sobrepuserem ou se categorias significativas forem omitidas. Assim as categorias deverão ser exaustivas, ou seja, elaboradas de tal forma que todas as pessoas que compõem o universo da pesquisa sejam incluídas. Considera-se por exemplo a questão: Indique por favor a sua religião: ( ) Católica ( ) Protestante ( ) Espírita ( ) Outra religião ´ Estas alternativas são exaustivas, pois pessoas sem religião não teriam como responder a questão. Consideram-se ( ) Católica ( ) Protestante ( ) Metodista ( ) Presbiteriana ( ) Espírita ( ) Outra religião ( ) Sem Religiao As alternativas são exaustivas, mas nem todas são mutuamente exaustivas pois os metodistas e os presbiterianos poderiam ser incluídas também na categoria protestante. agora as alternativas para a mesma questão:

15 Número de alternativas Não é possível definir a quantidade ideal de alternativas. Há perguntas que conduzem naturalmente a duas alternativas como por exemplo as que se referem ao género (masculino e feminino). Perguntas do tipo “Vocé fuma” ou “Vocé já foi submetido a uma cirurgia?”igualmente conduzem a duas alternativas. Uma pergunta do tipo “ Qual a sua opinião acerca da pena de morte?” Também conduzem a duas respostas. No caso favorável e contrária. Mas isso não é recomendável pois existem muitas posições possíveis entre estas duas alternativas. Inserir uma alternativa do tipo “Não tenho Opinião” amplia possibilidades mas isso provavelmente será insuficiente. O mais recomendável seria indicar duas categorias extremas – totalmente favorável e totalmente contraria – ou outras categorias intermédias, ordenadas num continuo. Considera-se agora uma pergunta referente ao nível de escolaridade se que o tempo corresponde ao ensino fundamental é longo (nove anos) e que a maioria da população Brasileira não possui nível de escolaridade superior a este nível, seria mais conveniente inserir outras categorias. Por exemplo: ( ) fundamental incompleto ( ) fundamental completo ( ) Médio incompleto ( ) Médio completo ( ) superior incompleto ( ) superior completo Mesmo ampliando o numero de categorias, essa questão poderia ficar prejudicada se a pesquisa fosse realizada com seguimentos de população

16 muito carentes, em que seria possível encontra pessoas sem escolaridade formal. É possível mesmo que algumas pessoas não pudessem responder directamente ao questionário, por serem analfabetas.

Alternativas gerais e específicas Para muitos tipos de questão é possível utilizar alternativas gerais, que são úteis por permitirem – ainda que no nível apenas ordinal – a mensuração do fenómeno. Assim, numa pergunta relativa a frequência com que algo ocorre ou ocorreu, podem ser utilizadas as alternativas: ( ) Nunca ( ) Raramente ( ) As vezes ( ) Muitas vezes ( ) Sempre Perguntas que envolvem avaliação pode ter como alternativas: ( ) Muito bom ( ) Bom ( ) Regular ( ) Ruim ( ) Muito Ruim Há no entanto, questões cuja as alternativas não podem seguir uma formula geral. Seja por exemplo uma questão referente a preferência por género de filmes. Neste caso, as alternativas poderia ser: ( ) Drama ( ) Comedia ( ) Romance ( ) Suspense ( ) Policial ( ) Terror

17 ( ) Guerra ( ) outros Note-se que as alternativas só podem ser consideradas numa escalas nominal e que a questão exige uma categoria, outros pois há necessidade de limitar o numero de categorias. Em relação a essa categoria é necessário garantir que não ire conter um numero muito grande de respostas. Caso contrario será necessário ampliar o numero de categorias.

Número par ou ímpar de alternativas Muitas pessoas não se sentem á vontade para indicar posições extremas. Assim, numa questão em que apareçam três alternativas como: “sim, não e mais ou menos, não e as vezes” é provável que um grande enumero de respondentes optem pela alternativa central. Esta situação conduz a uma polémica: Deve-se evitar um numero impar de alternativas? Não há uma regra definitiva a respeito. O que mas ajuda nestes casos é o estudo exploratório, já que este permite verificar quão sensível pode ser uma questão. Quando se verifica que determinada questão trata de um assunto intimo que de alguma forma embaraçoso pode ser interessante adoptar um numero par de alternativas. Quando, porem, a pergunta se refere a um assunto “neutro”, é mais recomendável um numero par de alternativas.

Alternativas não sei Alguns pesquisadores evitam colocar alternativas “não sei” temendo a obtenção de respostas e evasivas. Trata-se de preocupação justificável, sobretudo quando o que se deseja é obter informações referentes a opiniões e atitudes. Mas em muitas vezes a inclusão destas alternativas é necessário. É o caso das perguntas que envolvem conhecimentos referentes ao assunto abordado. Por exemplo: Você tem conhecimento acerca da Política e de formação que é praticada em sua empresa?

18 ( ) Sim ( ) Não A política salarial de sua empresa ( ) Muito boa ( ) Boa ( ) regular ( ) má ( ) Muito má

Apresentação do questionário A apresentação material do questionário merece particular atenção, sobretudo porque as respostas devem ser dadas sem a presença do pesquisador. Como a apresentação material constitui na maioria dos caos o mais importante estilo para a obtenção de respostas, cuidados especiais deverão ser tomados em relação: a) Apresentação gráfica Estes cuidados envolvem o tipo de papel, os caracteres a diagramaçao, o espaçamento das questões, apresentação dos quadro a preencher, dos quadrinhos a assinalar. Este cuidados são importantes para facilitar não apenas o preenchimento, mas também as operações de codificação e tabulação
b) Instruções para o preenchimento

O questionário deve conter instruções acerca do correcto preenchimento das questões, preferencialmente com caracteres distintos. Quando se passa de uma parte a outra, não deve hesitar em imprimir formulas de transição c) Introdução do questionário O questionário deve conter uma introdução, seja de carta em separado ou de uma introdução apresentada em tipos de gráficos especiais. Essa

19 introdução deve conter informações acerca da entidade patrocinadora do estudo e das razoes que determinam sua realização. A introdução deverá servir ainda para explicar por que são importantes as respostas do consulado e para informar acerca do anonimato da pesquisa.

Pre-teste do questionário Depois de redigido o questionário mas antes de aplicado definitivamente deverá passar por um prova preliminar. A finalidade desta prova, geralmente designada como pré- teste é evidenciar possíveis falhas na redacção do questionário tais como: Complexidade das questões imprecisão das redacção, desnecessidade das questões constrangimento ao informante, exaustão, etc. O pré-teste é realizado mediante a aplicação de alguns questionários (de 10 a 20) a elementos que pertencem a população pesquisada . Para que o pré-teste seja eficaz é necessário que os elementos seleccionados sejam típicos em relação ao universo e que aceitem dedicar para responder ao questionário tempo que os respondentes definitivos. Isto porque depois de responderem ao questionários os respondentes deverão ser entrevistados a fim de se obter informações de dificuldades encontradas. O pré- teste de um instrumento de colecta de dados tem por objectivo assegurar-lhe a validade e precisão. Como é sabido no caso do questionário, a obtenção desses requisitos bastante critica. Todavia, o pré-teste deve assegurar que o questionário esteja bem elaborado sobretudo no referente a: a) b) c) d) e) Clareza e precisão dos termos Forma de questões Desmembramento das questões Ordem das questões Introdução do questionário

20

21

CONCLUSÕES
É muito importante sabermos tirar partido das inúmeras aplicações práticas de invenções, descobertas e instrumentos que hoje são postos ao nosso dispor. Como tal, a aplicação de inquéritos por questionários pode revelar-se como um instrumento muito útil na obtenção de dados acerca de conhecimentos nos mais variados ramo do saber. Ao longo de todo o trabalho tentamos dar a conhecer as diferentes etapas necessárias à execução de um questionário, bem como as vantagens e desvantagens da aplicação destes. A construção de um inquérito por questionário é uma tarefa difícil e por vezes morosa, pois devem ter-se em conta uma grande variedade de parâmetros, os quais implicam alguma destreza e experiência por parte de quem os formula. Este trabalho foi-nos útil na medida em que serviu para nos enriquecer numa área pouco dominada por nós. É um tema extenso sobre o qual muito mais poderia ser dito...

22

BIBLIOGRAFIA
Pesquisa. Consultado em 10 de Setembro de 2011. Disponível online em «http://pt.wikipedia.org/wiki/Pesquisa» Questionário. Consultado em 18 de Setembro de 2011. Disponível online em «http://pt.wikipedia.org/wiki/Question%C3%A1rio» Amaro, Póvoa, Macedo (2004). Metodologias de Investigação em Educação. Consultado em 15 de Setembro de 2011. Disponível online em «http://www.jcpaiva.net/getfile.php? cwd=ensino/cadeiras/metodol/20042005/894dc/f94c1&f=a9308» Bello, José Luiz de Paiva (2004). Metodologia Científica. Consultado em 21 de Setembro de 2011. Disponível online em «http://www.pedagogiaemfoco.pro.br/met06.htm»

23

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
Gil, António Carlos (2008) Métodos e técnicas de pesquisa social. 6ª Ed. Editora Atlas S.A. São Paulo. Brasil.

24

Índice
INTRODUÇÃO......................................................................................................1 PESQUISA............................................................................................................2 QUESTIONÁRIO..................................................................................................4 Definição ...........................................................................................................4 Utilidade E Importância Dos Questionários......................................................4 .............................................................................................................................4 QUESTIONÁRIO COMO INSTRUMENTO DE PESQUISA.................................5 Comparação Com Outros Instrumentos ..........................................................5 Vantagens e Limitações do Questionário ........................................................6 Tipos De Questionários.....................................................................................7 Questionário aberto .....................................................................................7 Questionário fechado....................................................................................7 Questionário misto.........................................................................................8 Tipos De Questões............................................................................................8 Questões abertas..........................................................................................8 Questões fechadas........................................................................................9 Questões mistas..........................................................................................10 Conteúdo Das Questões.................................................................................10 Escolha das perguntas....................................................................................11 Formulação das Questões..............................................................................11 Número de Questões......................................................................................12 Ordem das Questões......................................................................................12 Prevenção de Deformações............................................................................12 Construção De Alternativas............................................................................13 Mútua exclusividade e exaustividade..........................................................14 Número de alternativas...............................................................................15 Alternativas gerais e específicas.................................................................16 Número par ou ímpar de alternativas..........................................................17 Alternativas não sei.....................................................................................17 Apresentação do questionário.....................................................................18

25 Pre-teste do questionário................................................................................19 CONCLUSÕES...................................................................................................21 BIBLIOGRAFIA...................................................................................................22 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS...................................................................23 Índice...................................................................................................................24

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->