Bases químicas da contração muscular Ciclo das pontes cruzadas (ATPase actina-miosina

)

Neste estado, sem a presença do Ca 2+, o filamento fino de actina (A) e o filamento grosso de miosina (M) ficam separados (detached), mesmo com a hidrólise do ATP (adenosine triphosphate) em ADP+Pi (adenosine diphosphate + inorganic phosphate). O aumento de concentração de Ca 2+ interno no sarcoplasma faz com que as cabeças de miosina se conectem ao filamento de actina (strong binding) que então libera o Pi que desenvolve força, fazendo as cabeças de miosina rotacionarem. O ADP também vai sendo liberado e quando se dissocia totalmente de A-M aumenta a afinidade da miosina com a actina (rigor link). Nesse estado ocorre uma grande força e um encurtamento de aprox. 5nm em cada metade de sarcômero (entre duas linhas-Z), devido o deslizamento da miosina em relação à actina. Porém, na concentração normal do ATP interno: [ATP]i, A-M se ligam ao ATP e essa energia induz a separação entre actina e miosina. Neste estado, a conexão entre a actina e miosina está fraca (weak binding) e a hidrólise do ATP em ADP+Pi embora libere energia, ela não é utilizada e faz o ciclo voltar ao estado de repouso (detached) e nele ficar se não houver [ Ca 2+]i suficiente para gatilhar um novo ciclo. Esse ciclo pode continuar até que [ Ca2+]i decline ==> fica no estado ou o ATP se esgote ==> fica no estado

1

2

3

4

1

(detached)

3

(rigor link)

Outra forma de representar o modelo químico dos passos no ciclo de ponte cruzada é o apresentado na Figura 17 do livro do Bers. à página 26: .

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful