Você está na página 1de 8

04/11/12

Cálculo de momentos de inércia

Cálculo de momentos de inércia

de momentos de inércia Cálculo de momentos de inércia Sólido rígido ATENÇÃO: Página do Prof: Everton

ATENÇÃO: Página do Prof: Everton G. de Santana

Nesta página eu apenas traduzi podendo ter introduzido, retirado ou não alguns tópicos, inclusive nas simulações. A página original, que considero muito boa é:

Autor: (C) Ángel Franco García

Dinâmica de rotação

Dinâmica de rotação Equação da dinâmica de rotação Momentos de inércia Dinâmica de rotação e balanço

Momentos de inércia

Momento de inércia de uma distribuição de massas pontuais

Temos que calcular a quantidade

de massas pontuais Temos que calcular a quantidade onde x i é a distância da partícula

onde x i é a distância da partícula de massa m i ao eixo de rotação.

Uma varinha delgada de 1 m de comprimento tem uma massa desprezível. São colocados 5 massas de 1 kg cada uma, situadas a 0.0, 0.25, 0.50, 0.75, e 1.0 m de um dos extremos. Calcular o momento de inércia do sistema relativo a um eixo perpendicular a varinha que passa através de

Um extremoa um eixo perpendicular a varinha que passa através de Da segunda massa Do centro de

Da segunda massaperpendicular a varinha que passa através de Um extremo Do centro de massa O momento de

Do centro de massaa varinha que passa através de Um extremo Da segunda massa O momento de inércia relativo

O momento de inércia relativo a um eixo perpendicular a varinha e que passa pela primeira partícula é

a varinha e que passa pela primeira partícula é

04/11/12

Cálculo de momentos de inércia

04/11/12 Cálculo de momentos de inércia I A =1·0 2 +1·0.25 2 +1·0.5 2 +1·0.75 2
04/11/12 Cálculo de momentos de inércia I A =1·0 2 +1·0.25 2 +1·0.5 2 +1·0.75 2

I A =1·0 2 +1·0.25 2 +1·0.5 2 +1·0.75 2 +1·1 2 =1.875

kgm 2

O momento de inércia relativo a um eixo

perpendicular a varinha e que passa pela segunda partícula é

I B =1·0.25 2 +1·0 2 +1·0.25 2 +1·0.5 2 +1·0.75 2 =0.9375

kgm 2

O momento de inércia relativo a um eixo

perpendicular a varinha e que passa pela terceira partícula (centro de massas) é

e que passa pela terceira partícula (centro de massas) é I C =1·0.5 2 +1·0.25 2

I C =1·0.5 2 +1·0.25 2 +1·0 2 +1·0.25 2 +1·0.5 2 =0.625

kgm 2

Em vez de calcular de forma direta os momentos de inércia, podemos calcular de forma indireta empregando o teorema de Steiner. Conhecido I C podemos calcular I A e I B , sabendo as distâncias entre os eixos paralelos AC=0.5 m e BC=0.25 m.

A fórmula que temos que aplicar é

I=I C +Md 2

I C é o momento de inércia do sistema relativo a um eixo que passa pelo C é o momento de inércia do sistema relativo a um eixo que passa pelo centro de massa

I é o momento de inércia relativo a um eixo paralelo ao anterior é o momento de inércia relativo a um eixo paralelo ao anterior

M é a massa total do sistema é a massa total do sistema

d é a distância entre os dois eixos paralelos. é a distância entre os dois eixos paralelos.

I A =I C +5·0.5 2 =0.625+1.25=1.875 kgm 2 .

I B =I C +5·0.25 2 =0.625+0.3125=0.9375 kgm 2 .

Momento de inércia de uma distribuição contínua de massa

Passamos de uma distribuição de massas pontuais a uma distribuição contínua de massa. A fórmula que temos que aplicar é

contínua de massa. A fórmula que temos que aplicar é dm é um elemento de massa

dm é um elemento de massa situado a uma distância x do eixo de rotação

04/11/12

Cálculo de momentos de inércia

Resolveremos vários exemplos divididos em duas categorias

Aplicação direta do conceito de momento de inérciaResolveremos vários exemplos divididos em duas categorias Partindo do momento de inércia de um corpo conhecido

Partindo do momento de inércia de um corpo conhecidoAplicação direta do conceito de momento de inércia Momento de inércia de uma varinha Vamos calcular

Momento de inércia de uma varinha

de um corpo conhecido Momento de inércia de uma varinha Vamos calcular o momento de inércia

Vamos calcular o momento de inércia de uma varinha de massa Me comprimento L relativo a um eixo perpendicular a varinha que passa pelo centro de massas.

A

massa dm do elemento de comprimento da varinha compreendido entre x e x+dx

é

comprimento da varinha compreendido entre x e x+dx é O momento de inércia da varinha é

O momento de inércia da varinha é

entre x e x+dx é O momento de inércia da varinha é Aplicando o teorema de

Aplicando o teorema de Steiner, podemos calcular o momento de inércia da varinha relativo a um eixo perpendicular a mesma que passa por um de seus extremos.

perpendicular a mesma que passa por um de seus extremos. Momento de inércia de um disco

Momento de inércia de um disco

Vamos calcular o momento de inércia de um disco de massa M e raio R relativo a um eixo perpendicular ao plano do disco e que passa por seu centro.

perpendicular ao plano do disco e que passa por seu centro.

04/11/12

Cálculo de momentos de inércia

04/11/12 Cálculo de momentos de inércia Tomamos um elemento de massa que dista x do eixo

Tomamos um elemento de massa que dista x do eixo de rotação. O elemento é um anel de raio x e de largura dx. Se recortamos o anel e o estendemos, é convertido em um retângulo de comprimento 2px e largura dx, cuja massa é

de comprimento 2 p x e largura dx , cuja massa é O momento de inércia

O momento de inércia do disco é

dx , cuja massa é O momento de inércia do disco é Momento de inércia de

Momento de inércia de um cilindro

Vamos calcular o momento de inércia de um cilindro de massa M, raio R e comprimento L relativo a seu eixo.

massa M , raio R e comprimento L relativo a seu eixo. Tomamos um elemento de

Tomamos um elemento de massa que dista x do eixo de rotação. O elemento é uma camada cilíndrica cujo raio interno é x, externo x+dx, e de comprimento L, tal como é mostrada na figura. A massa dm que contém esta camada é

mostrada na figura. A massa dm que contém esta camada é O momento de inércia do

O momento de inércia do cilindro é

contém esta camada é O momento de inércia do cilindro é Momento de inércia de uma

Momento de inércia de uma placa retangular

04/11/12

Cálculo de momentos de inércia

04/11/12 Cálculo de momentos de inércia Vamos calcular o momento de inércia de uma placa retangular

Vamos calcular o momento de inércia de uma placa retangular delgada de massa M de lados a e b relativo ao eixo que passa pela placa.

Tomamos um elemento de massa que dista x do eixo de rotação. O elemento é um retângulo de comprimento a de largura dx. A massa deste retângulo é

O momento de inércia da placa retangular é

retângulo é O momento de inércia da placa retangular é Momento de inércia de um disco

Momento de inércia de um disco

da placa retangular é Momento de inércia de um disco Vamos calcular o momento de inércia

Vamos calcular o momento de inércia de um disco de massa M e raio R, relativo a um de seus diâmetros.

Tomamos um elemento de massa que dista x do eixo de rotação. O elemento é um retângulo de comprimento 2y de largura dx. A massa deste retângulo é

O momento de inércia do disco é

massa deste retângulo é O momento de inércia do disco é Fazendo a mudança de variável

Fazendo a mudança de variável

x=R·cosθ

y=R·senθ

Chegamos a integral

de variável x=R ·cos θ y=R ·sen θ Chegamos a integral

04/11/12

Cálculo de momentos de inércia

Momento de inércia de uma esfera

Vamos calcular o momento de inércia de uma esfera de massa M e raio R relativo a um de seus diâmetros

de massa M e raio R relativo a um de seus diâmetros Dividimos a esfera em
momento de inércia de cada um dos discos elementares é A massa de cada um dos

A massa de cada um dos discos é

dos discos elementares é A massa de cada um dos discos é O momento de inércia

O momento de inércia da esfera, é a soma dos momentos de inércia de todos os

discos elementares.

dos momentos de inércia de todos os discos elementares. Para resolver a integral temos que relacionar

Para resolver a integral temos que relacionar a variável x com a z. Como vemos na figura x 2 +z 2 =R 2

x com a z . Como vemos na figura x 2 +z 2 =R 2 Momento

Momento de inércia de um cilindro

Vamos calcular o momento de inércia de um cilindro de massa M, raio R e comprimento L, relativo a um eixo perpendicular a sua geratriz e que passa por seu centro.

perpendicular a sua geratriz e que passa por seu centro.

04/11/12

Cálculo de momentos de inércia

04/11/12 Cálculo de momentos de inércia Dividimos o cilindro em discos de raio R e espessura
de cada um dos discos relativo a um de seus diâmetros é Aplicando o teorema de

Aplicando o teorema de Steiner, calculamos o momento de inércia deste disco, relativo a um eixo paralelo situado a uma distância x.

relativo a um eixo paralelo situado a uma distância x . O momento de inércia do

O momento de inércia do cilindro é

a uma distância x . O momento de inércia do cilindro é Momento de inércia de

Momento de inércia de um paralelepípedo

Vamos calcular o momento de inércia de um paralelepípedo de massa M e de lados a, b e c relativo a um eixo perpendicular a uma de suas faces.

e c relativo a um eixo perpendicular a uma de suas faces. Dividimos o paralelepípedo em

Dividimos o paralelepípedo em placas retangulares de lados a e b e de espessura dx.

O momento de inércia de cada uma das placas relativo seu eixo de simetria é

04/11/12 Cálculo de momentos de inércia Aplicando o teorema de Steiner, calculamos o momento de inércia

Aplicando o teorema de Steiner, calculamos o momento de inércia desta placa relativo a um eixo paralelo situado a uma distância x é

relativo a um eixo paralelo situado a uma distância x é O momento de inércia do

O momento de inércia do sólido em forma de paralelepípedo é

de inércia do sólido em forma de paralelepípedo é