PLANO DE ENSINO

DISCIPLINA: Psicologia Aplicada ao Direito PROFESSORES AUTORES: Luciene Lessa Moreira Túlio Louchard Picinini

CARGA HORÁRIA: 105 h ANO LETIVO: 2013

APRESENTAÇÃO A Disciplina Psicologia Aplicada ao Direito busca desenvolver conhecimentos básicos sobre Psicologia, a fim de que o profissional da àrea do Direito possa reconhecer as situações em que esta possa atuar de forma a promover a Justiça e os valores humanos. Objetiva ainda, a reflexão sobre os conteúdos psicológicos que buscam a formação do pensamento crítico do aluno acrescentando ao saber técnico jurídico elementos para sua humanização e contextualização sócio-histórica, de tal forma que o aluno seja, ele também, ator de mudanças nos contextos sociais em que virá a atuar. Para isso, a disciplina propõe a discussões sobre os diversos tipos conhecimentos na esfera cultural, social, emocional, familiar e jurídica, seus usos e consequências, a partir da problematização do saber psicológico científico. A disciplina apresentará o histórico da psicologia de forma contextualizada, suas relações históricas, sociais e contemporâneas com o Direito e com a organização social, abordando temas relativos ao poder, violências, comportamentos, exclusão/inclusão social, minorias, justiça e subjetividade.

OBJETIVOS GERAIS  Iniciar o aluno nas discussões sobre psicologia jurídica.  Fundamentar uma visão da psicologia a partir de suas contribuições ao Direito.  Fornecer ao aluno a fundamentação filosófica, jurídica, histórica e política dos Direitos Humanos na atuação do psicólogo junto ao Poder Judiciário.  Demonstrar como essa fundamentação pode ser utilizada na proteção dos Direitos dos cidadãos na atualidade, no sentido da promoção da emancipação.  Desenvolver um estudo crítico sobre a atuação do psicólogo junto ao Poder Judiciário.  Desenvolver a análise crítica da contribuição da metodologia científica no estudo do ser humano em sua totalidade.

enquanto operador do Direito. vale-se de conceitos e hipóteses elaboradas pela Psicologia que questionam o ideal moderno de Direito. a análise da psicologia como ciência nas atuações comportamentais. sociais.atendeu às necessidades modernas de normalização. teoricamente. para a promoção dos Direitos Humanos. a partir da Teoria Crítica. Analise do sistema Prisional brasileiro e seus atores. Noções de correntes psicológicas que abordam o ser humano. fundar-se em ideais de liberdade e igualdade.culturais e jurídicas. Psicologia: Ciência e Bom Senso.  Apresentar aos alunos os conteúdos cotidianos da prática da psicologia jurídica e como dela se vale. Em sequencia. Módulo II – Contribuições clássicas da Psicologia Científica ao Direito Neste módulo serão estudadas as contribuições que deram início às relações entre Direto e Psicologia. principalmente o Direito Civil e o Direito Penal. sociais. legitimando um discurso excludente e de manutenção de desigualdades. que a despeito de. as contribuições da Psicologia Científica à Teoria Geral do Direito. tornando-os aptos a atuar nesta área de forma a promover o respeito pelos Direitos Humanos. propõe-se pensar o direito contemporâneo e saídas para a construção da autonomia dos sujeitos. uniformização e controle das subjetividades. que viabilizou o controle da família e dos sujeitos ditos “perigosos”. à Cidadania e à Democracia. EMENTA Tem como finalidade apresentar aspectos gerais da psicologia e suas contribuições ao Direito enquanto ferramenta de pacificação social. A partir desta crítica serão apresentadas as novas formas de atuação da Psicologia como instrumento de promoção da inclusão e da subjetividade.  Propiciar ao aluno contato com a realidade do Judiciário brasileiro e a atualização da psicologia como instrumento para promoção da justiça.OBJETIVOS ESPECÍFICOS  Apresentar ao aluno os ramos do Direito e sua ligação com a psicologia jurídica. culturais. CONTEÚDO PROGRAMÁTICO Módulo I – A psicologia Científica e suas contribuições à Teoria Geral do Direito Contemporâneo: Este módulo pretende discutir. promoção da justiça e efetividade dos Direitos Humanos. a partir da superada ideia de “normalidade”. . Para tanto. na prática – a partir da perspectiva positivista . Introdução à Psicologia Jurídica.  Propiciar ao aluno. Discussão sobre os principais delitos e suas conotações Jurídicas.

-Correntes teóricas da Psicologia. sociais. . -Direito é violência segundo Sigmund Freud. -Conhecimento científico e ideologia. Propiciar ao aluno a análise da psicologia como ciência nas atuações comportamentais. liberdade e igualdade dos sujeitos. com base na garantia dos Direitos Humanos. Objetivos específicos Iniciar o aluno das discussões sobre psicologia jurídica. -Origens históricas da relação Psicologia e Direito. promoção e proteção da justiça. 3 Direito é violência? Fornecer ao aluno fundamentação filosófica e histórica sobre Direitos Humanos e atuação do Psicólogo no Poder Judiciário. como ela se forma quais suas relações com o Direito. O presente módulo apresenta algumas questões em a Psicologia ultrapassa a esfera judicial para atuar como instrumento de produção. culturais e jurídicas. História da Psicologia. Módulos Unidades Tópicos -Psicologia e senso comum. -A Psicologia moderna e sua participação no projeto de controle e uniformização dos sujeitos. -A Psicologia na contemporaneidade: autonomia. -Psicologia Científica e Modernidade. 1 O que é psicologia Científica? 2 I A psicologia Científica e suas contribuições à Teoria Geral do Direito Contemporâneo A psicologia Científica e o Direito Fundamentar uma visão da psicologia a partir de suas contribuições ao direito. Demonstrar como a Psicologia contribui na promoção da emancipação dos cidadãos. -Porque algumas pessoas são incapazes de violência? O humano pode existir sem violência? -Direito e autonomia. -O ódio e o sentimento de preservação existentes em nós e qual sua relação com o Direito. -O campo da Psicologia e a Psicologia Aplicada ao Direito.Módulo III – Psicologia e Direito – Temas contemporâneos: Para além das formas clássicas da parceria Psicologia e Direito. -O que é uma comunidade. a contemporaneidade tem convocado a atuação dos psicólogos para a construção de uma sociedade mais justa.

Direito e Psicologia. tutela e curatela. -Medida de segurança: incidente de sanidade mental e cessação de periculosidade. Apresentar ao aluno as origens das relações entre as ciências jurídica e psicológica e seus usos na modernidade e as possibilidades de superação dessa modelo por outro que busque a emancipação dos cidadãos e a afirmação dos direitos humanos. -O Direito e a Subjetividade e produção/reprodução as Direito subjetividades e suas formas de controle. modelos hospitalar e ambulatorial. 3 Psicologia e Direito Penal Apresentar ao aluno as relações entre o ramo Penal do Direito e sua ligação com a psicologia jurídica. Apresentar ao aluno as relações entre o ramo Cível do Direito e sua ligação com a psicologia jurídica. Modernidade. -Alienação Parental. .II Contribuições clássicas da Psicologia Científica ao Direito -O Direito como aparelho ideológico e repressivo do Estado: contribuições de 1 Althusser e Foucault. -Subjetividade e privação da liberdade. -A capacidade como elemento essencial aos atos da vida civil e o saber Psicológico. Direito Civil -O que é afeto e como ele está presente na família? Novas formas de organização familiar. -Guarda e adoção. O exame criminológico. -Interdição. -A Psicologia e o adolescente em conflito com a lei. -A família sócio-afetiva do Direito Constitucional. contribuições da Psicologia e psicologia. -Psicologia e o sistema prisional: do processo a execução da pena. Psicologia e Direito de Família. -Imputabilidade Penal. -Ideologia. seus desdobramentos na Direito 2 Civil. -Casamento e divórcio.

Propiciar ao aluno contato com a realidade do Judiciário brasileiro e a atuação da psicologia como instrumento para a promoção da justiça. 2004. ALTOÉ. mediação e justiça restaurativa. de. 2004 BOCK. 2004. Eduardo Ponte (orgs. Cidadania e Democracia. Direito – Temas Psicologia e -Violência sexual. Sujeito do direito. Psicologias: Uma introdução ao estudo de psicologia. 2 mulher. FIGUEIREDO. Sônia. contemporâneos: violência na -Violência quanto à contemporanei orientação sexual. 5 . e como dela se valer. -Psicologia e grupos sociais: exercícios políticos subjetivos de inclusão e cidadania. Psicologia uma (nova) introdução: Uma nova visão da psicologia como ciência. Psicologia e homossexuais. SIGNORI. Rio de Janeiro: Revinter. Ana M. 2008. negros. 2001. tornando-os aptos a atuar nesta área de forma a promover o respeito pelos Direitos Humanos. conciliação.1 Psicologia Política -A Psicologia e a produção legislativa. Hebe. e SANTI. sujeito do desejo: direito e psicanálise. . 1986. Crítica da violência – Crítica do Poder. Walter. São Paulo: EDUC. para a promoção dos Direitos Humanos. de gênero. Pedro Luiz R. Ana Mercês Bahia. São Paulo: Saraiva. para além do contexto judicial. São Paulo: Moderna. -Violência e grupos vulneráveis: criança. Psicologia Jurídica no Brasil.Violência étnica. Filosofando: introdução à filosofia. Maria Helena A. -A psicologia e a reinterpretação dos Direitos a partir das subjetividades. Rio de Janeiro: NAU Ed. Luís Cláudio M. Bahia et al. Psicologia jurídica no Brasil.). 2004. idoso. São Paulo: Cultrix. e MARTINS. Apresentar aos alunos os conteúdos cotidianos da prática da psicologia jurídica. São Paulo: Saraiva. III 3 Psicologia e Resolução extra Judicial de Conflitos BIBLIOGRAFIA BÁSICA -Psicologia e pacificação social: arbitragem. para a promoção dos Direitos Humanos. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR ARANHA. 2003 BENJAMIN. GONÇALVES. Psicologias: uma introdução ao estudo de psicologia. Hebe Signorini e BRANDÃO. Maria Helena P. Apresentar aos alunos os conteúdos cotidianos da prática da psicologia jurídica e como dela se valer. BOCK. dade: -Violência social. Rio de Janeiro: Naud Editora.

GUERRA.. M. A sua interação com os demais (alunos. através da qual. São Paulo.BIBLIOGRAFIA RECOMENDADA GONCALVES. 2011. Saraiva. tanto no ambiente virtual quanto nos encontros presenciais. O poder familiar. tutores e docentes) se dará por meio de um ambiente virtual de aprendizagem e de uma comunidade de aprendizagem em rede apoiada na Internet. SILVA. poderá acessar o conteúdo da disciplina e realizar as atividades acadêmicas. Castor M. A disciplina focará especialmente o desenvolvimento de habilidades e competências para a aprendizagem colaborativa e o exercício da autonomia. 1ª prova . Psicologia jurídica no processo civil brasileiro: a interface da psicologia com direitos nas questões de família e infância. METODOLOGIA O curso deverá desenvolver-se numa perspectiva metodológica centrada no aluno. RS: Editora Unisinos.Atividades avaliativas no ambiente virtual de aprendizagem (AVA) . Violência de Pais contra Filhos: procuram-se vítimas. São Paulo: Casa do Psicólogo. A Justiça perante uma crítica ética da violência. São Paulo: Cortez. Bartolomé. SISTEMA DE AVALIAÇÃO Ao longo do curso serão atribuídos 100 pontos assim distribuídos: 65 pontos em atividades presenciais. V. 2003.25 pontos 2ª prova ( Prova Integrada) – 10 pontos 3ª prova (Prova Final) – 30 pontos 35 pontos . Denise Maria Perssini. 2009. Carlos Alberto. RUIZ. 1985. In Justiça e Memória São Leopoldo.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful