Você está na página 1de 4

2ª FASE DIREITO DO TRABALHO

PROFESSORA: MARIA INÊS GERARDO

ESTRUTURA BÁSICA DA CONTESTAÇÃO

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DO TRABALHO DA ... VARA DO


TRABALHO DE ...

NOTA: Indicar o local em que a Ação Trabalhista foi


distribuída, se a questão não informar usar reticências.

Processo nº: ....

NOME DO RECLAMADO, já devidamente qualificado nos autos da Ação


Trabalhista acima identificada, ajuizada por NOME DO RECLAMANTE, vem perante V.
Exª, por seu advogado regularmente constituído, com endereço sito na Rua ..., Cidade...
CEP: ...., oferecer sua

CONTESTAÇÃO

com fundamento no art. 847 da CLT c/c art. 335 do CPC de 2015, pelos fatos e fundamentos
adiante aduzidos:

NOTA: Antes de contestar o mérito, compete ao Réu alegar as


defesas indiretas, que são as preliminares que estão
discriminadas no art. 337 do CPC de 2015. Não se aplica ao
Processo do Trabalho a perempção do art. 486, §3, do CPC de
2015, mas a prevista nos arts. 731 e 732, CLT.

DA PRELIMINAR DE PEREMPÇÃO TRABALHISTA


(Referente Contestação do 27º exame do RJ)

A Reclamante deu causa a dois arquivamentos anteriores, razão pela qual fica
impedida de ajuizar a presente ação trabalhista pelo prazo de seis meses, na forma do
artigo 731 e 732, ambos da CLT.

Portanto, requer a extinção do processo sem resolução do mérito, em virtude da


ocorrência da perempção trabalhista, nos termos do art. 485, V do CPC de 2015 c/c art.
769, CLT.

DA PRELIMINAR DE INÉPCIA DA PETIÇÃO INICIAL


(Referente à Contestação do 15º exame do RJ)

O pedido de horas extras é inepto, pois não há causa de pedir - art. 330, §1º, I, do
CPC de 2015. Isso porque, a inicial não indica os dias trabalhados nem o horário de trabalho
dos Autores, ensejando o indeferimento da petição inicial, na forma do art. 330, I do CPC.
Em consequência, o processo deve ser extinto sem resolução do mérito em relação
ao pedido de horas extras, nos termos do art. 485, I do CPC de 2015 c/c art. 769, CLT.
Na hipótese de serem ultrapassadas as preliminares acima aduzidas, no mérito,
melhor sorte não assiste aos Reclamantes.

NOTA: Tecnicamente ao arguir a inépcia da petição inicial, deverá


também contestar no mérito o pedido considerado inepto, em
observância do princípio da eventualidade e concentração, pois toda
matéria de defesa deve ser alegada na contestação.

NOTA: A prescrição deve ser suscitada após as preliminares, pois é


prejudicial de mérito.

➢ O acolhimento da preliminar implica na extinção do processo SEM


resolução do mérito (art. 485, II, do CPC de 2015 c/c art. 769,
CLT).
➢ O acolhimento da prescrição implica na extinção do processo COM
resolução do mérito (art. 487, II, CPC c/c art. 769, CLT).

DA PRESCRIÇÃO BIENAL
Extinto o contrato em ... e ajuizada a presente ação em..., foi ultrapassado o prazo
de 2 (dois) anos da extinção do contrato de trabalho, nos termos do artigo 7º, XXIX da
CRFB/88.
Portanto, requer a extinção do processo com resolução do mérito, nos termos do art.
487, II, do CPC c/c art. 769, CLT.

DA PRESCRIÇÃO QUINQUENAL
Requer o pronunciamento da prescrição relativamente às parcelas anteriores a (...),
ou seja, os cinco anos anteriores à data da propositura da ação, nos termos do artigo 7º,
XXIX da CRFB/88 c/c Súmula nº 308, I, TST e a extinção do processo com resolução do
mérito, quanto às referidas parcelas, nos termos do art. 487, II, do CPC de 2015 c/c art.
769, CLT.

DA PRESCRIÇÃO
(modelo genérico)
Requer, por cautela, o pronunciamento da prescrição nos termos do artigo 7º, XXIX
da CRFB/88, no que couber.

NOTA: Se a prova indicar a data de admissão, extinção do


contrato de trabalho e ajuizamento da ação terá que analisar
a prescrição no caso concreto, verificando se há prescrição
bienal e / ou quinquenal.
(DESENVOLVER OS TÓPICOS DE ACORDO COM OS DADOS DA
PROVA)
(Seguem alguns exemplos de provas anteriores)

DO ADICIONAL POR TEMPO DE SERVIÇO E MULTA POR ATRASO SALARIAL


(Referente à Contestação do 15º exame do RJ)

O pedido de pagamento do adicional por tempo de serviço e da multa por atraso no


pagamento dos salários, com fundamento em norma coletiva dos bancários, não prospera,
porque sendo a Ré uma empresa de fundições e montagem e não um banco, os seus
empregados não são bancários, não podendo exigir os benefícios estabelecidos em norma
coletiva de outra categoria profissional.

Ademais, a Ré, por não exercer a atividade bancária, não pode ser compelida a
cumprir norma coletiva da qual não foi representada por sindicato de sua categoria
econômica. Neste sentido confira-se o entendimento contido na Súmula nº 374 do C. TST.

DAS DIFERENÇAS SALARIAIS


(Referente à Contestação do 15º exame do RJ)

O pedido de diferenças salariais em virtude da redução salarial proveniente do


acordo coletivo celebrado com a Ré deve ser julgado improcedente, porque o próprio Autor,
em sua petição inicial informa que a redução salarial foi proveniente do acordo coletivo
firmado pela Ré, conforme prevê o art. 7º, VI, da CRFB/88.
Portanto, não há que se falar em desrespeito ao princípio da irredutibilidade salarial,
pois o art. 7º VI da CRFB/88 autoriza a redução salarial mediante acordo coletivo ou
convenção coletiva.

DAS HORAS EXTRAS


(Referente à Contestação do 15º exame do RJ)

Caso superada a preliminar suscitada, o pedido de horas extras deve ser julgado
improcedente, pois nunca houve prestação de serviço em horário extraordinário, já que não
foi ultrapassado o limite diário de 8 horas, nem o semanal de 44 horas, limites estabelecidos
no art. 7º, XIII da CRFB/88.

DAS FÉRIAS E GRATIFICAÇÃO NATALINA


(Referente à Contestação do 15º exame do RJ)

O pedido de férias e décimo terceiro salário postulado pelo 1º Autor, relativamente


aos dois anos que ocupou o cargo de Diretor Administrativo, deve ser julgado improcedente,
porque nesse período o contrato de trabalho estava suspenso, conforme entendimento
consagrado na Súmula nº 269 do C. TST, não produzindo, o contrato de trabalho, qualquer
efeito, não sendo devido o pagamento de férias e natalinas do respectivo período.

DA EQUIPARAÇÃO SALARIAL
(Referente à Contestação do 15º exame do RJ)

O pedido de diferenças salariais com fundamento em equiparação salarial


improspera, pois a equiparação salarial exige a observância dos requisitos previstos no art.
461 da CLT, que não foi observado no caso presente.
Isso porque, o 2º Autor alega ter exercido função análoga ao dos modelos indicados,
fato que não autoriza a pretendida equiparação salarial, pois esta exige que a função
exercida seja idêntica, o que não ocorreu.
Portanto, por não atendidos os requisitos do art. 461 da CLT, improcede o pedido.

(MODELO PARA CONTESTAR PEDIDO DE HORÁRIOS ADVOCATÍCIOS, QUANDO O


ADVOGADO NÃO FOR DO SINDICATO)

DOS HONORÁRIOS ADVOCATÍCIOS

Indevidos os honorários advocatícios, uma vez que não estão presentes os requisitos
previstos no art. 14, §1º, da Lei nº 5.584/70, quais sejam, a gratuidade de justiça e a tutela
sindical, conforme entendimento consubstanciado nas Súmulas nºs. 219, inciso I e 329, do
C. TST e OJ nº 305, da SDI-I, TST.
Improcede o pedido.

(Modelo padrão para todas as contestações)

DA COMPENSAÇÃO/DEDUÇÃO
Por cautela, requer a compensação / dedução dos valores pagos ao Reclamante,
para evitar o enriquecimento sem causa.

REQUERIMENTOS FINAIS
(Modelo para os casos de existência de preliminar)

Por fim requer a V. Exa. seja acolhida a preliminar acima aduzida extinguindo-se o
processo sem resolução do mérito, ou se assim não entender, seja pronunciada a
prescrição e os pedidos julgados improcedentes, pelas razões acima apresentadas.

REQUERIMENTOS FINAIS
(Modelo para os casos em que não existir preliminar)

Por fim requer a V. Exa. seja pronunciada a prescrição e os pedidos julgados


improcedentes, pelas razões acima apresentadas.

Requer a produção de todos os meios de prova em direito admitidos, notadamente


documental, pericial, testemunhal e depoimento pessoal do Reclamante sob pena de
confesso.

Termos em que,
Pede deferimento.

Município,.... Data ...

ADVOGADO...
OAB...