Você está na página 1de 14

Mn: BANJ

- Beneficiência
Os 4 princípios da Bioética - Autonomia
- Não Maleficiência
- Justiça

- Problem
- Roles

Método PRACTICE - Affect


- Communication
- Time
(Abordagem familiar) - Illness
- Coping
- Ecology (Suporte externo da família)

- Adaptation
- Partnership
Método APGAR - Growh
- Affection
- Resolve

- Normativas (esperadas)
ex: Casamentos, adolescência, ...
Tipos de crises familiares - Não normativas (inesperadas)
ex: Morte, divórcio, desemprego

TEMA: VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA 16 FLASHCARDS

Mn: MED VIT


- Magnitude
1. Critérios para inclusão de doenças às - Eventos Epidêmicos
- Disseminação
listas de notificação - Vulnerabilidade (controlável)
- Internacionais
- Transcendência

Mn: BESTEIRAS
- "Bichos Loucos"
- Endêmicas
- Síndromes Febris

2. Doenças de Notificação Compulsória


- Terrorismo
- "Exógenas" (intoxicações)
- Internacionais
- Riscos à saúde pública
- "Anticorpos" (vacinação)
- "Si..."

Mn: IMEDIATAS
- Internacionais

3. Doenças de Notificação Compulsória -


- "Mata todos"
- Eventos de risco
- Dç. Chagas aguda
- Internacionais antigas

Imediatas (24h) - "Anticorpos" (vacinação)


- Terrorismo
- Acidentes
- Síndromes Febris

Mn: Calendário Vacinal (exceto caXumba)

4. Doenças de Notificação Compulsória - Grupo


- Tuberculose
- Febre Amarela*
- Hep. virais
VACINAÇÃO - Sarampo*
- Difteria*
- Rubéola*
- Tétano*
- Varicela (grave/óbito)*
* = notif. imediata (24h) - Coqueluche*
- Evento adverso grave*
- Hemófilo B invasivo*
- Dç. Meningocócica* (e outras meningites)

Mn: Icterícia Febril

5. Doenças de Notificação Compulsória - Grupo - Dengue*


- Chickungunya
- Zika
SÍNDROMES FEBRIS - Leptospirose
- Hantavirose
- Malária*
- F. Hemorrágica/Reemergente
- F. Maculosa/Riquetsiose
* = notif. imediata (24h) - F. Nilo Ocidental
- F. Tifóide
Mn: CELHÃO
6. Doenças de Notificação Compulsória - Grupo - Chagas*
ENDÊMICAS - Esquistossomose
- Leishmaniose
- Hanseníase
- Acid. de trabalho*
* = notif. imediata (24h) - Óbito materno e infantil

7. Doenças de Notificação Compulsória - Grupo - Creutzfeldt-Jacob ("Vaca Louca")


- Peste ("Pulga Louca")
"BICHOS LOUCOS"
- Raiva*
- Acidente com animais
* = notif. imediata (24h) - Animais peçonhentos*

Mn: AB"TV" do terrorismo


8. Doenças de Notificação Compulsória - Grupo - Antrax*
TERRORISMO - Botulismo*
- Tularemia*
- Violência*

* = notif. imediata (24h) * Violência é notif. imediata se for sexual / tentativa de suicídio

9. Doenças de Notificação Compulsória - Grupo Mn: VIPS*


- Varíola*
INTERNACIONAIS - Influenza (H5N1)*
- Poliomielite*
- SARS*
* = notif. imediata (24h) Lembrar tb das internacionais antigas (CPF* = Cólera, Peste e Febre Amarela)

10. Doenças de Notificação Compulsória - Grupo Mn: MAG


INTOXICAÇÕES EXÓGENAS - Metais pesados
- Agrotóxicos
* = notif. imediata (24h) - Gases tóxicos

11. Doenças de Notificação Compulsória - Grupo - Sífilis


- SIDA / HIV
"SI..."
- "Sinistra" Cólera
- Sd. Corrimento Masc (sentinela)
* = notif. imediata (24h) - Sd. Neurológica Pós Febril (sentinela)

12. Doenças de Notificação Compulsória - Grupo


OUTRAS
- Situações de Risco à Saúde Pública
* = notif. imediata (24h)

TEMA: INDICADORES DE SAÚDE 38 FLASHCARDS

P=IxD
1. Fórmula da Prevalência
Prevalência = Incidência x Duração

nº casos novos
2. Coeficiente de Incidência ---------------------
pop. exposta
nº casos novos + velhos
3. Coeficiente de Prevalência ---------------------
pop. exposta

Aumenta a morbidade:
- Aumento da incidência
- Imigração
4. O que pode alterar a Morbidade? Diminui a morbidade
- Mortalidade
- Emigração (=defecção)
- Cura

nº óbitos
---------------------
5. Coeficiente de Mortalidade Geral pop. exposta

Mn: ASPONE (não serve para comparar regiões)

nº óbitos por faixa etária


6. Índice de Mortalidade Proporcional
---------------------
por Idade
nº total de óbitos

7. Coeficiente de Mortalidade Específica nº óbitos por causa específica


---------------------
por Causas pop. exposta

nº óbitos por dç.


8. Coeficiente de Letalidade ---------------------
nº acometidos pela dç.

Mn: CONERDI
1º Circulatórias

9. Mortalidade Proporcional por Causas 2º Outras


3º Neoplasias
4º Causas externas
(Geral) 5º Respiratórias
6º Desconhecidas
7º Infecciosas

Mn: Homens querem "Circular, sexo e carinho"

10. Causas de Mortalidade Proporcional Homens:


- Circulatórias
por Gênero (HOMENS) - Causas externas
- Câncer

Mnemônico: Mulheres querem "Circular, carinho, respeito e sexo"

11. Causas de Mortalidade Proporcional Mulheres:


- Circulatórias
por Gênero (MULHERES) - Câncer
- Respiratórias
- Causas externas

12. Principal causa de mortalidade entre 1


Causas Externas
- 40 anos
13. Neoplasias mais comuns (especificada por Homens:
1º Próstata
2º Pulmão
gênero) 3º Colorretal

Mulheres:
1º Mama
2º Colo do útero
*Excetuando-se o câncer de pele não-melanoma 3º Colorretal

14. Neoplasias mais mortais (especificada por Homens:


1º Pulmão
2º Próstata
gênero) 3º Estômago

Mulheres:
1º Mama
2º Pulmão
*Excetuando-se o câncer de pele não-melanoma 3º Colorretal

15. Principais Coeficientes de Mortalidade Por causa: Materna


Específica Por idade: Infantil

nº óbitos por causas maternas


---------------------

16. Coeficiente de Mortalidade Materna nº nascidos vivos

*Notif. compulsória
** Até 1 ano = mortalidade tardia

Direta ("evitáveis")
17. Tipos de morte materna
Indiretas ("inevitáveis")

1º DHEG
18. Principais causas de morte materna 2º Hemorragia
3º Infecção

nº nascidos vivos
---------------------
19. Taxa de Fecundidade pop. feminina

Obs. Determinadas população residente e faixa etária

- Fetal (ø)
- Neonatal (< 28 dias)

20. Principais Coeficientes de Mortalidade - Perinatal (ø até <7 dias)


- Pós neonatal (28d. a 1a.)
- Neonatal precoce (<7 dias)
Infantil - Infantil (< 1 ano)
- Neonatal tardia (7 a 28 dias)
- Infância (< 5 anos)

1º Perinatais
2º Malformações congênitas
21. Principais causas de morte infantil 3º Doenças do aparelho respiratório
4º Doenças infectoparasitárias

nº total de nascidos vivos


22. Taxa Bruta de Natalidade ---------------------
pop. total
nº nascidos mortos (> 22 sem.)
23. Coeficiente de Mortalidade Fetal ---------------------
nº nascidos vivos + mortos

nº nascidos mortos (> 22 sem.) + óbitos < 7 dias


24. Coeficiente de Mortalidade Perinatal ---------------------
nº nascidos vivos + mortos

nº óbitos < 7 dias


25. Coeficiente de Mortalidade Neonatal
---------------------
Precoce
nº nascidos vivos

nº óbitos de 7 a 27 dias
26. Coeficiente de Mortalidade Neonatal
---------------------
Tardia
nº nascidos vivos

nº óbitos < 28 dias


27. Coeficiente de Mortalidade Neonatal
---------------------
Geral
nº nascidos vivos

nº óbitos 28 dias a 1 ano


28. Coeficiente de Mortalidade Pós
---------------------
Neonatal
nº nascidos vivos

nº óbtios < 1 ano


29. Coeficiente de Mortalidade Infantil ---------------------
nº nascidos vivos

nº óbitos < 1 ano


30. Índice de Mortalidade Infantil ---------------------
nº total de óbitos

nº óbitos < 5 anos


31. Coeficiente de Mortalidade na Infância ---------------------
nº nascidos vivos

idosos > 60 anos


32. Índice de Envelhecimento ---------------------
jovens < 15 anos
pop. 0-14a. + pop. > 60a.
33. Razão de Dependência ---------------------
pop. 15-59 anos

nº óbitos > 50 anos


34. Índice de Swaroop-Uemura (ISU) ---------------------
nº total de óbitos

Nível I: ISU > 75% (Brasil)


Nível II: ISU 50-74%
35. Classificação de Swaroop-Uemura Nível III: ISU 25-49%
Nível IV: ISU < 25%

Mn: "Não Lembro Um Jeito"


- Muito baixo (N)
36. Curva de Nelson-Moraes - Baixo (L)
- Moderado / Regular (U)
- Alto (J)

Mudança da estrutura etária da população (diminuição da base e


alargamento do ápice) devido:
- Queda da fecundidade
37. Processo de Transição Demográfica - Queda mortalidade geral
- Aumento do índice do envelhecimento
- Aumento da esperança de vida

Mudança nos padrões de mortalidade, morbidade e invalidez.


São três regras básicas:
38. Processo de Transição Epidemiológica - Aumento dç. não-transmissíveis
- Aumento da morbidade
- Aumento da morbimortalidade no idoso

TEMA: ESTUDOS EPIDEMIOLÓGICOS E


24 FLASHCARDS
ANÁLISE DE DADOS

Objetivos do estudo
- Descritivo
- Analítico

1. Classificação dos estudos


Posição do observador
- Intervenção
- Observacional

epidemiológicos
Tipos de dados analisados
- Individuado
- Agregado
Dimensão temporal
- Transversal
- Longitudinal (prosp/retrosp)

Agregado, observacional, transversal = ECOLÓGICO


Agregado, observacional, longitudinal = COORTE
2. Tipos de estudos epidemiológicos Individual, observacional, longitudinal = CASO-CONTROLE
Individual, intervenção, longitudinal = ENSAIO CLÍNICO

Mn: "Foto de um lugar e de uma população"

Vantagens

3. Características dos estudos - Fácil execução


- Baixo custo
- Gera hipóteses

ECOLÓGICOS Desvantagens
- Gera suspeita mas não confirma
- Vulnerável à erros (falácia ecológica)
- Baixo poder analítico
Mn: "Coooooooorte" (igual ao Goooooogle)

4. Características dos estudos de COORTE Vantagens


- ↓ risco conclusões falsas
- Define risco e confirma suspeitas
- FATOR DE RISCO pode ser RARO

Desvantagens
- Caro, longo e vulnerável à perdas
Fatores de risco → Doença - Difícil de ser reproduzido
- Ruim para dç. raras

Vantagens
5. Características dos estudos de CASO- - Fácil de executar/ reproduzir
- Rápido e barato

CONTROLE - DOENÇA pode ser RARA


- Permite analisar vários fatores de risco

Desvantagens
- Vulnerável à erros

Doença → Fatores de risco - Não define risco, somente o estima


- Ruim para fator de risco raro

Vantagens
- Possibilidade evitar/ controlar erros sistemáticos

5. Características dos estudos de ENSAIO - Comparabilidade quanto ao prognóstico


- Melhor de todos para testar medicamento

CLÍNICO Desvantagens
- Problemas sociais, legais e éticos
- Complexo, caro e demorados (ruim p/ dç. raras)

6. Qual o método de estudo que confere


a melhor evidência de eficácia de um Ensaio clínico randomizado duplo-cego
determinado tratamento?

-Efeito Hawthorne (paciente altera comportamento por saber


7. Quais são os tipos de efeitos de que está sendo seguido)

intervenção não-específicos? - Efeito Placebo (paciente melhora por intervenção sem um


mecanismo de ação efetivo)

EfIcácia = Condições ideais (validade Interna)


8. Defina EFICÁCIA x EFETIVIDADE x
EfEtividade = Condições reais (validade Externa)
EFICIÊNCIA Eficiência = Custo-benefício

DOENÇA + DOENÇA - TOTAL


TESTE + A B A + B
9. Tabela 2x2 - Testes Diagnósticos TESTE - C D C + D
TOTAL A + C B + D A + B + C + D

• RR = Ie / Ine
• RAF = Ie - Ine
10. Medidas de Associação do estudo de • RAP = RAF/Ie

Coorte Mnemônico:
RAF = Rá, ié ié
RAP = O papa ñ é pop, é rap

11. Medidas de Associação do estudo de Mn: fórmula do peixinho


Caso Controle OR = a×d / b×c

• RR = Ie / Ine
• RP = Pe / Pne
12. Medidas de Associação do estudo de • OR = a×c / b×d
• RRA = Ic - Ie
Ensaio Clínico • RRR = 1 - RR
• NNT = 1 / RAR
- RR, OR, RP = 1: Não há relação de associação entre
13. Interpretação dos resultados dos o efeito e o fator de risco
estudos - RR, OR, RP > 1: Provável fator de risco
- RR, OR, RP < 1: Provável fator protetor

Qual a chance de associação e um desfecho se deva ao acaso.


ERROS
- Erro aleatório (acaso)

14. Medidas de significância estatística


- Erros sistemáticos (vieses)
VIESES
- Viés de seleção (grupos iguais em relação às variáveis)
- Viés de aferição (variáveis medidas diferentes)
- Confundimento (terceira variável confundidora)

----PO(+)--PO(-)----
T(+)--a-----b---a+b → VPP
15. Tabela 2x2 - Propriedade Testes T(-)--c-----d---c+d → VPN
-----a+c---d+b---n--
Diagnósticos ------↓-----↓--------
------S------E--------

Acurácia é a proporção de acertos de determinado


teste
16. Acurácia
Acurácia = (a+d)/(a+b+c+d)

Sensibilidade é a capac. de um teste identificar VP entre pctes


verdadeiramente doentes................. - Tem menos FN
- Se neg., exclui dç
17. Sensibilidade Sensibilidade = VP (a) - Usa p/ triagem
----------------
VP (a) + FN (c)

Especificidade é a capac. de um teste identificar VN entre pctes verdadeiramente não doentes.....- Tem menos FP

18. Especificidade
- Se pos., fecha dx.
Especificidade = VN (d) - Usa p/ confirmação
----------------
VN (d) + FP (b)

VPP é a proporção de pctes verdadeiramente doentes com teste positivo

VPP = a/(a+b)
19. Valor Predititvo Positivo
Mnemônico: Chance do exame das prostitutas vir positivo para HIV e estar
correto

VPN é a proporção de pctes verdadeiramente não-doentes com teste negativo

20. Valor Preditivo Negativo VPN = d/(c+d)

Mnemônico: Chance do exame das freiras vir negativo para HIV e estar correto

Quanto ↑ prevalência Quanto ↓ prevalência


21. Prevalência x Valor Preditivo - ↑ VPP - ↓ VPP
- ↓ VPN - ↑ VPN

Mn: PERFECCTA
• Plausabilidade

22. Critérios de Casualidade de Bradford • Evidência


• Resposta-Dose
• Força

& Hill
• Especificidade
• Coerência
• Consistência
• Temporalidade
Mn: SERV
Fase I: Segurança (efeitos colaterais)
23. Fases do Ensaio Clínico Fase II: Efeito (dose/ eficácia)
Fase III: Randomizado (publicação)
Fase IV: Vigilância

I. ECR ou RV de alta qualidade


II. ECR ou RS de menor qualidade / Coorte
24. Níveis de Evidência Científica III. Caso-controle/ desfecho de subst. não validada
IV. Não controlado/ potencial viés
V. Fórum/ opinião do especialista

O SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE 14 FLASHCARDS

Éticos* (Mn: aEIoU)


- Equidade
- Integralidade
- Universidalidade

1. Os Princípios do SUS
Operativos* (Mn: PaRe Hi DeCoRe)
- Participação Social
- Regionalização
- Hierarquização
- Descentralização
- Complementariedade
- Resolubilidade

- Lei 8080 (Lei Orgânica)


- LEI 8142
- NOB 91 (Lei sem noção)

2. Evolução Normativa do SUS


- NOB 93 (NOB 93partite)
- NOB 96 (NOB PG)
- NOAS 2001/02 (ROAS)
- Pacto pela saúde - 2002
- Pacto pela vida - 2008/11

Lei 8080: Lei Orgânica da Saúde (formaliza o funcionamento do SUS)


- Direção nacional: Define (políticas, normas, ...)

3. Lei 8080 e seu significado - Estadual: Coordena


- Municipal: Executa
* Direção nacional pode executar (vigilância de portos, aeroportos e fronteiras)
** Medicina privada pode atuar de forma livre e complementar

Mn: Lei 814$


- Transferência de recursos de forma regular e automática
- Formação dos conselhos (mensal) e conferências de saúde (4/4 anos)
4. Lei 8142 e seu significado
* Conselhos: 50% = usuários; 50% = (25%) profissionais, (12.5%) prestadores e
(12.5%) governo

5. NOB 91 e seu significado Lei sem noção

Mn: NOB 93partite


- Criam-se as comissões intergestores
6. NOB. 93 e seu significado - Bipartite: Estados e municípios
- Tripartite: NAs + MS
- Municipalização

Mn: NOB PG (PAB + Gestão)


7. NOB 96 e seu significado - Gestão plena municipal municipal
- PAB
Mn: "RO-AS"
- Regionalização Organizada (saúde + próxima de
8. NOAS 2001 / 2002 e seu significado casa)
- PAB ampliada

Mn: "Mulher velha gestante com filho na emergência"

9. Pacto pela Saúde Pacto pela saúde: - Saúde da mulher - Saúde do idoso
- Saúde da gestante - Saúde da criança
- Assist. emergência

Mn: PRIORIDADES ou "Promover violência contra mulheres e crianças + Homem faz oral ralador no idoso + Dar atenção
básica aos deficientes físicos e mentais + endêmicas e só mama e colo"

10. Pacto pela vida 2008 e 2011


P. Promoção D. Deficiência física
R. Risco de violência A. Atenção básica
I. Infantil / materna D. Distúrbios mentais
O. "Omem" / Oral E. Endemias
R. "Ralador" (trabalhador) S. Só mama e colo
I. Idoso

Mn: PLInCípios PLIncIpais + FCC

11. Princípios da Atenção Básica


P. Primeiro Contato F. Família (enfoque familiar)
L. Longitudinalidade C. Comunidade (orientação)
I. Integralidade C. Competência cultural
C. Coordenação

Mn: PRIMÁREA
P. PLInCípios PLInCipais

12. Principais características cobradas R. Reabilitação


I. Integral dedicação
M. Multidisciplinariedade

sobre a Atenção Primária


A. Acolhimento Autonomia
R. Reorientação
E. ↑ complexidade/↓ densidade
A. Adscrição clientela/territorialização

13. O NASF... NÃO É PORTA DE ENTRADA

EC 29 de 2000 / Lei Complementar 141 de 20012


- União: 15% (EC 86 de 2015) → Até 2019, forma progressiva
14. Financiamento do SUS - Estados: 12%
- Municípios: 15%

PROCESSO EPIDÊMICO 7 FLASHCARDS

- Dentro do esperado: Endemia


1. Variação da incidência - Acima do esperado: Epidemia
- Abaixo do esperado: Decréscimo endêmico

- Fonte pontual
2. As fontes do processo epidêmico - Fonte persistente
podem ser... - Casos secundários
- Incidência explosiva
Frequência constante, com variações cíclicas ou sazonais, dentro do
3. Endemia significa... esperado (limiar epidêmico)

Frequência crescente, que ultrapassa o


4. Epidemia significa...
limiar epidêmico

5. Surto significa... Casos com relação entre si ou em área geográfica pequena

Atinge vários países; atinge mais de um


6. Pandemia significa...
continente com epidemia

- Explosiva/ maciça = fonte comum (ar, água, alimentos,


...)
7. Velocidade pode ser... - Progressiva/ propagada = transmissão pessoa-pessoa
ou vetor-pessoa (via respiratória, sexual, mosquito, ...)

SAÚDE DO TRABALHADOR 22 FLASHCARDS

Lesão, doença ou morte que gere redução


1. Acidente do trabalho significa... temporária ou permanente do trabalho, devendo
haver nexo causal entre o trabalho e o acidente.

- Se trabalhador formal
- Deve ser feita a notificação compulsória
2. Quando abrir a CAT? - Abrir a CAT no 1º dia útil após o acidente (pode
ser feita por qualquer pessoa)

- Schilling I: o trabalha é a causa da doença (ex: Pneumoconiose)


- Schilling II: Trabalho é fator de risco para doença (ex: HAS,
3. Classificação de Schilling DAC, neoplasias)
- Schilling III: Trabalho é um agravante da doença (ex: dermatite
de contato, asma, doenças mentais)

Deposição de partículas no parênquima


4. Pneumoconiose é a ...
pulmonar gerando FIBROSE
Silicose = por jateamento de areia, pedreira, mineração
- fibrose com padrão nodular
5. Formas da Pneumoconiose... Asbestose = por manut. de caixas d'água, telha, cimento
- fibrose com padrão difuso

Assintomático e progressivo, gerando...


6. Quadro clínico da Pneumoconiose
Fibrose

7. Diagnóstico da Pneumoconiose História ocupacional + Rx Tórax

Não existe! Deve ser feita prevenção (uso


8. Tratamento da Pneumoconiose
de EPI)

9. Pneumoconiose predispõem...
Tuberculose nos pacientes Silicóticos

Mesotelioma/ Câncer de Pulmão nos pacientes com asbestose

- Perda lenta, irreversível, bilateral e progressiva


10. Características da PAIR (Perda Auditiva - Perda é SEMPRE neurossensorial
- Perda audit. pode ser piorada pela DM ou medicações ototóxicas
Induzida por Ruídos)... - Perda nas freq. de 3, 4 e 6 KHz, com padrão em GOTA na
audiometria

11. Características da LER / DORT (Lesão por - Gerado por movimentos repetidos e monótonos
- Ritmo intenso de trabalho/ pressão por produção
Esforço Repetititvo / Distúrbio - Vibração e frio intenso também relacionam-se com
Osteomuscular Relacionado ao Trabalho)... o surgimento da LER/ DORT

Inseticidas
- Organoclorados - Piretróides

12. Materiais que causam intoxicação - Organofosforados/ Carbamatos - Paraquat

Outros
exógenas - Saturnismo (Chumbo) - Hidrargenismo (Mercúrio)
- Benzenismo (Benzeno) - Cromo
- Arsênico - Cádmio

- Ação no SNC
13. Características dos Organoclorados - Acumulam-se no meio ambiente (mas
quase não são mais usados)

14. Características dos Organofosforados/ - Geram sd. colinérgica (inibem a Acetilcolinesterase)


- Organofosforados geram inibição irreversível
Carbamatos - Antagonista: Atropina
Mn: PiretroiDEDOS
15. Características do Piretróides - Usados em detetização domicilar
- Causam irritação, alergia. neuropatia (em altas doses)

Mn: "Para quase todos os órgãos"


16. Características do Paraquat - Causam lesão hepática, renal e pp. fibrose
pulmonar (insuf. respiratórioa e morte)

Mn: "Dor Abd GIGA


Intoxicação por Chumbo
17. Características do Saturnismo - Pp. na fabricação de baterias, tintas, pinturas de pistola
- Pode causar: Dor abdominal, gota, HAS, anemia e linha
gengival

Mn: Para salvar a Petrobrás, só "benzeno"


- Intoxicação por benzeno
18. Características do Benzenismo - Pp. nas siderúrgicas/ petróleo
- Mielotóxico

- Intoxicação por Mercúrico


19. Características do Hidrargenismo - Pp. produção lãmpadas
- Acomete rim (Sd. nefrótica) e cabeça

20. Características da intoxicação por - Pp. Galvanoplastia/ curtumes


Cromo - Gera irritação, Ca. pulmão

Mn: Cádmio e Cálcio tem quase as mesmas letras. "Se o osso tá


21. Características da intoxicação por fraco, eu Cádmio"
Cádmio - Osteoporose (fratura...)

22. Características da intoxicação pelo - Queimadura e necrose


Arsênico - Odor de alho

DECLARAÇÃO DE ÓBITO 3 FLASHCARDS

- Declaração de óbito: Doc. que o médico preenche


1. Declaração de Óbito x Certidão de - Certidão de óbito: Doc. expedido pelo pelo
Óbito município (este é o doc. definitivo da morte, tb
necessário para enterro em cemitérios oficiais)
Se morte natural
- Com assistência médica: médico PSF, plantonista, particular, ambulatório, ..
- Sem assistência: SVO

2. Quem pode declarar o óbito?


- Sem SVO: médico público ou qualquer médico
- Sem médico: 2 testemunhas + responsável (cartório)

Se morte suspeita/ violenta


- IML
- Se não existir IML: médico "perito" eventual

A causa básica é definida como a doença ou evento que desencadeou a


cadeia de acontecimentos patológicos que conduziram diretamente até a
morte (preenchido na alínea 'd' do campo 49)
Profilaxia Raiva
* Para óbitos de RN consequentes à patologias maternas, a causa básica da
morte é a doença ocorrida na mãe

PROFILAXIAS ...

Profilaxia Tétano Mn: "10a, 5a, sempre, soro"

Mn:
Profilaxia Raiva
Animal Baixo / Ferida Baixo Risco =

• Contrato de Ações Públicas de Saúde (COAP)


• Portas de Entrada
Lei 7508/11 • Redes de Complexidade Crescente
• Mapa da Saúde

Rol de Procedimentos da Saúde Suplementar


• Nutrição: 6 consultas/ano
RN 211/10 ANS • Terapia Ocupacional: 6 consultas/ano
• Fonoaudiologia: 6 consultas/ano
• Psicoterapia/Psiquiatria: 12/ano

Sanitarista: campanhas (anos 20)


Assistencial Privatista: médico-assistencial (anos 70-
Modelos de Atenção 80)
Assistencial Alternativo: SUS (anos 90)

Promoção de Saúde
• Paz
• Educação
• Habitação

Carta de Ottawa • Alimentação


• Renda
• Ecossistema Estável
• Recursos Sustentáveis
• Justiça Social
• Equidade

Regra "NAC"
Natural ?
Assistida ?
Conhecida ?

Atestado de Óbito N+A+C+ (sim para todas)


Habitual ou Plantonista

N- (não natural)
IML ou Perito

A- (não assistida)
ou C- (assistida, não conhecida)