Você está na página 1de 3

Endereço da página:

https://novaescola.org.br/conteudo/11202/blog-alfabetizacao-circuito-de-
aprendizagem-uma-maneira-diferente-de-organizar-a-aula

Publicado em NOVA ESCOLA 03 de Abril | 2018

Blog de Alfabetização

Circuito de aprendizagem: uma


forma diferente de organizar a
aula
Diferentes atividades deixam a aula mais dinâmica e animam a turma
Mara Mansani

Organizar a sala em pequenos grupos com diferentes atividades dá mais dinamismo à


rotina. Crédito: Getty Images

O dia a dia na Alfabetização é muito, muito corrido. Tenho a impressão de que o tempo voa! São tantas
coisas para planejar e realizar em sala de aula que o tempo fica curto. Para dar conta de alfabetizar a
todos, respeitando suas hipóteses, é preciso ter uma boa organização do trabalho pedagógico, levando
em conta as necessidades de cada um e os conteúdos que devem ser trabalhados no ano.

Além disso, há também o cuidado de integrar as diferentes modalidades organizativas (ou seja, o tipo
de atividade que vai ser feito durante as aulas): atividades permanentes, sequências didáticas, projetos
e atividades ocasionais, de forma que fique tudo amarrado, bem articulado, sem fragmentação da
aprendizagem e do conteúdo.

Na minha prática de sala de aula, costumo incluir uma forma de organização das atividades que
chamo de "circuito de aprendizagem". Funciona assim:

Eu monto, pela sala, pelo menos cinco "pontos de apoio", que são mesas e cadeiras para atender os
alunos. Eles ficam dispostos em formato circular, com o meio da sala livre e espaço entre as mesas,
para garantir a circulação tanto minha quanto dos alunos. Em cada ponto de apoio, deixo atividades
para os alunos fazerem. São basicamente propostas que implicam leitura, escrita e reflexão sobre o
uso da língua. Veja os exemplos:

Mesa 1 - Atividades:
A) Escrita do nome completo
B) Escrita do nome de algum amigo da turma

Mesa 2 - Atividades:

A) Leitura de texto de memória (parlenda conhecida). Circular na parlenda palavras ditadas pela
professora
B) Ordenar as tiras, as frases, versos, que compõem a parlenda de forma que ela possa ser lida

Mesa 3 - Atividades:

A) Escrita de lista de nomes de ingredientes para uma salada de frutas


B) Escrita de nomes de personagens de contos de fada e ou outros conhecidos pelos alunos

Mesa 4 - Atividades:

A) Leitura de texto: Lista de nomes de colegas da turma


B) Leitura de texto: Lista com nomes de produtos de higiene

Mesa 5 - Atividades:

A) Escrita de texto: Preencher as lacunas do texto de memória (cantiga)


B) Escrita de texto: Preencher as lacunas do texto de memória (ditado popular)

Exemplo de uma cantiga:

SE EU FOSSE UM __________

SOUBESSE _______________

EU TIRAVA A _____________

DO FUNDO DO ____________

Em grupos de 4 ou 5, os alunos devem passar em cada um dos pontos de apoio, no sentido horário, e
realizar as atividades pedidas de acordo com as minhas orientações. É nesses momentos de interação
entre mim e eles que eu faço as intervenções pedagógicas necessárias. As atividades são
disponibilizadas individualmente, mas elas são desenvolvidas em duplas ou trios, com alunos em
hipóteses de escrita próximas. Cada parada pode ter a duração de até 10 minutos, com variações de
acordo com o nível de aprendizagem da turma.

Sempre deixo duas propostas de atividades (A e B), porque se for preciso, já tenho outra atividade
pronta. Eu também vou passando pelo circuito, orientando cada grupo. Nos pontos de apoio, além das
atividades eu disponibilizo materiais como papeis, lápis, letras móveis, lista com nomes de referência,
alfabeto de mesa, para dar suporte aos alunos na realização das atividades.

Esse circuito pode ser feito pelo menos uma vez por mês. Dá uma canseira, mas o resultado é ótimo,
os alunos ficam muito empolgados. O processo é dinâmico, quase lúdico, mas está clara a
intencionalidade da aprendizagem dos alunos visando a alfabetização nas atividades.

Dá para fazer esse circuito também com outras temáticas e disciplinas. Em Matemática, há muitas
possibilidades usando diferentes campos de aprendizagem, como números, medidas, sistema
monetário. O circuito de Literatura então, nem sem fala. É muito, muito bacana, quase uma gincana de
leitura e interpretação. Também é possível explorar um mesmo texto ou enredo em diferentes
linguagens, em cada ponto de apoio: o texto em áudio, em vídeo, com fotografias, no livro, e assim por
diante.

Espero que tenham gostado dessa forma de organizar a aula! Isso tem potencial para organizar melhor
o nosso trabalho, vocês vão ver. Vocês fazem algo parecido com o "circuito de aprendizagem"? Como
são os resultados na aprendizagem dos seus alunos? Têm outras ideias para o circuito? Contem aqui
nos comentários!

Um grande abraço a todos e até a próxima semana!

Mara Mansani