Você está na página 1de 203

PODER JUDICIÁRIO

SUPERIOR TRIBUNAL DE JUSTIÇA

RECURSO ESPECIAL

REsp 1364668/MG (2013/0019738-2)


Volumes : 1 Autuado em 13/02/2013
Assunto : DIREITO CIVIL - Obrigações - Espécies de Contratos -
Locação de Imóvel - Despejo por Denúncia Vazia
RECORRENTE : DENÍLSON DE SOUZA CRESPO E OUTRO
ADVOGADO : SÍLVIO RODOLFO DE LANNA COSTA
RECORRIDO : VINÍCIUS BATISTA FERREIRA MACHADO
ADVOGADO : VINÍCIUS BATISTA FERREIRA MACHADO (EM
CAUSA PRÓPRIA)
Distribuição automática em 18/02/2013
RELATOR : MINISTRO RICARDO VILLAS BÔAS CUEVA -
TERCEIRA TURMA
Justiça gratuita
Índice
Nº Nº Qtd.
Descrição da Peça Folha Pág. Págs.
e-STJ PDF
Processo 201300197382 203
Capa 1 1
Índice 2 1
Volume 1 201
Íntegra do processo 1 3 184
Petição Inicial 3 5 3
Contrato de locação 9 11 2
1º termo aditivo (12 meses) 11 13 1
2º termo aditivo (12 meses) 12 14 1
Notificações e Termo de Entrega 13 15 5
Preparo do Recurso Especial (Custas e Porte de Remessa e Retorno) 18 20 1
Procuração do Recorrente 46 48 1
Procuração do Recorrente 48 50 1
Sentença 82 84 4
Petição de Apelação 89 91 15
Acórdão/Decisão Monocrática 122 124 2
Acórdão/Decisão Monocrática 127 129 4
Certidão de Publicação do Acórdão/Decisão Monocrática 132 134 1
Petição dos Embargos de Declaração 134 136 3
Acórdão/Decisão Monocrática dos Embargos de Declaração 140 142 3
Certidão de publicação do Acórdão/Decisão dos Embargos de Declaração 143 145 1
Petição de Recurso Especial 145 147 11
Decisão de admissibilidade do Recurso Especial 182 184 1
Certidão de publicação da Decisão de Admissibilidade do Recurso Especial 183 185 1
Certidão de Validação de Peças Indexadas 185 187 2
Certidão de Protocolo de Processo Eletrônico 187 189 1
Termo de Recebimento e Autuação 188 190 1
Termo de Distribuição e Encaminhamento 189 191 1
Certidão de Intimação 190 192 1
CERTIDÃO DE JULGAMENTO 191 193 1
EMENTA / ACORDÃO 192 194 1
RELATÓRIO E VOTO 193 195 6
Certidão de Publicação de Acórdão 199 201 1
Termo de Ciência 200 202 1
Certidão de Trânsito 201 203 1
Documento recebido eletronicamente da origem (e-STJ Fl.1)
Documento recebido eletronicamente da origem (e-STJ Fl.2)
(e-STJ Fl.3)

EXCELENTÍSSIMO JUIZ DE DIREITO. DA - ! VARA CÍVEL - DA


COMARCA DE BETIM/MG.
i

r-
ø1!3ø27_57..2tt
*-. -a . .

vrNicIus BATISTA FERREIRA MACHADÓ, brasileiro, divorciado,


advogado, filho de Moises Batista Machado e Vitória Ferreira Machado, C.I.
..M4799784 SSP/MG, CPF: 600.142.966-91, com escritório na Rua Professor Clóvis
Salgado, no 210, Centro de Betim/MG, CEP 32.600-102, onde recebe notificações e
intimações em geral, vem respeitosamente à presença de Vossa Excelência, em
causa própria., requerer a presente:

AÇÃO DE DESPEJO

DENÚNCIA VAZIA - PROPOSTA ATÉ 30 DIAS APÓS TÉRMINO DO CONTRATO COM


PRAZO IGUAL OU SUPERIOR A TRINTA MESES, com fundamento no caput do Art. 46
da Lei 8.245/91, em face de: .

Sr. DENILSON DE SOUZA CRESPO, brasileiro, casado, nascido aos


03/09/1972, filho de Valdir Crespo Noronha e Marlene de Souza Crespo,
portador da identidade MG - 6.225.612 SSP/MG, CPF: 785.436.626-53 Rua
Afro Domingos N.0 138, apto. 201, bairro Filadélfia, em Betim/MG, CEP:
32.670-050; e

Sra. ALYNE DE ARAÚJO SANTOS, brasileira, casada, nascida aos


19/04/1976, filha de Waldemiro Santos e Mirian Lara de Araújo Santos,
portadora da identidade MG - 8.901.115 SSP/MG, CPF: 029.625.266-24, Rua
Afro Domingos N.0 138, apto ; 201, bairro Filadélfia, em Betim/MG, CEP:
32.670-050, pelos motivos que passa a expor:

1.Prefacialmente, cumpre salientar que o Requerente é proprietário


do imóvel situado na Rua Afro Domingos N.0 138, apto. 201, bairro
Filadélfia, em Betim/MG, CEP: 32.670-050, confOrme demonstra a certidão
de registro anexa.

2. 0 Requerente celebrou contrato por escrito de locação do referido


imóvel com os Requeridos para o period° de_0.1/10/2008_prorrogado
!arribem por escrito até o dia 31/03/2011 copia anexa. Assim, o referido
Documento recebido eletronicamente da origem

contrato teve validade de 30 (trinta) meses, bem pomo o._v.alor. dos últimos.
.aluguéis R$ 750,00 com data de pagamento para até dia 10 (dez) do mês
seguinte.

3. No entanto, o Requerente pretende a retomada do imóvel, visto que


o prazo previsto na locação findou na data de 31/03/2011 (trinta meses) e,
que não há interesse por parte deste na renovação do referido contrato.

".----7
Documento recebido eletronicamente da origem (e-STJ Fl.4)
(e-STJ Fl.5)

4. 0 Requerente notificou extrajudicialmente os Requeridos que não


havia interesse na continuidade da locação. A Notificação foi por' escrito, por
telegrama e também por carta registrada com AR. Conforme se comprova
pelas cópias anexas.

Há de se ressaltar ainda que, não cabe ao Requerente se manifestar


quanto a utilização do imóvel, sendo que após o término do contrato é dever
do Requerido devolvê-lo nas condições em que o recebeu.

Neste sentido, dispõe o caput do art. 46., da Lei 8.245/91, in verbis:

"Art.46. Nas locações ajustadas por escrito e por prazó igual ou


superior a trinta meses, a resolução do contrato ocorrerá findo o prazo
estipulado, independente de notificação ou aviso."

Destarte, vem através desta, no prazo de 30 dias após o término do


contrato, propor a presente AÇÃO DE DESPEJO.

Pelo exposto. REQUER:

Sejam citados os Requeridos para que desocupe o imóvel e entregue as


chaves no prazo de 30 (trinta) dias.

Que seja determinado acompanhamento de Oficial de Justiça na entrega


das chaves a fim de vistoriar o imóvel e relacionar as condições que será
entregue, assegurando ao Requerente o direit6 de indenizações e reparos
que se fizerem necessários;

Que seja arbitrado o valor de aluguel no montante de Rt 1.200,00 para


cada mês ou fração de mês que os requeridos ocuparem o imóvel ;além do
prazo determinado no contrato, ou seja 31/03/2011;

Seja julgado procedente o pedido, determinando a desocupação do imóvel


e entrega as chaves, pelo prazo legal, sob pena de imediato despejo.

A condenação dos Requeridos no pagamento das custas e honorários


advocatícios no montante de 20% sobre o valor da causa.

Requer o direito de provar o alegado por todos os meios de prova


admitidos em direito, em especial a testemunhal e documental, inclusive o
depoimento pessoal dos Requeridos.

Requer o beneficio da Justiça Gratuita, por não poder no momento arcar


com as despesas processuais;

i) Dá-se-a-Gausa-o-valorde-R$-97000,01:r(NbWrnil reais).
Documento recebido eletronicamente da origem

-
Termos que --
Pede deferimento.
Betim, 15 de Abril de 2011.

-
Vinicius
-----/- .--,
BatistaFeZa Machad
OAB/MG 70.929
Documento recebido eletronicamente da origem (e-STJ Fl.6)
Documento recebido eletronicamente da origem (e-STJ Fl.7)
Documento recebido eletronicamente da origem (e-STJ Fl.8)
Documento recebido eletronicamente da origem (e-STJ Fl.9)
Documento recebido eletronicamente da origem (e-STJ Fl.10)
Documento recebido eletronicamente da origem (e-STJ Fl.11)
Documento recebido eletronicamente da origem (e-STJ Fl.12)
Documento recebido eletronicamente da origem (e-STJ Fl.13)
Documento recebido eletronicamente da origem (e-STJ Fl.14)
Documento recebido eletronicamente da origem (e-STJ Fl.15)
Documento recebido eletronicamente da origem (e-STJ Fl.16)
Documento recebido eletronicamente da origem (e-STJ Fl.17)
(e-STJ Fl.18)

CONCLUSÃO
Aos Z-4? de 04 de 20 (i
faço estes autos conclusos ao MM. Juiz de Di-
reito desta Comarca. Do que para nstar, lavrei
este. Eu, , Escrivão.

Autos 0027.11.011.302-7

Vistos, etc.

Defiro os benefícios da Justiça gratuita.

Proceda-se a citação do(s) locatário(s) e fiador(es), se


houver, para que no prazo de 15 (quinze) dias, apresentem
contestação, requerer, no prazo de defesa, autorização para o
pagamento do débito atualizado.

Ficam arbitrados os honorários advocaticios do locador


em 10% (dez por cento) sobre o montante devido. Expeça-se o
competente mandado.

Intime-
Betim de abril de 2011.

tiit B sta e Almeida


z de ireito

RECEBIMENTO
Aos OZ de 05 de 7'0 tl
recebi estes autos. Do que par constar, lavrei
este. Eu, , Escrivão.

CF,-R-TI-D3roi-- em..
Documento recebido eletronicamente da origem

Certifico qa4v rteiga data, ot.pedi o (s)


rrepdado rz) (1- :11.4. 0.0/....:-4-.P.,0
0-'..._

ff /.......
(..) r,f7k.ii$À) f. vo.:iiet (t ii:.
Retim,S3 61«....._.., (iv eeak_
Documento recebido eletronicamente da origem (e-STJ Fl.19)
Documento recebido eletronicamente da origem (e-STJ Fl.20)
Documento recebido eletronicamente da origem (e-STJ Fl.21)
Documento recebido eletronicamente da origem (e-STJ Fl.22)
Documento recebido eletronicamente da origem (e-STJ Fl.23)
Documento recebido eletronicamente da origem (e-STJ Fl.24)
Documento recebido eletronicamente da origem (e-STJ Fl.25)
Documento recebido eletronicamente da origem (e-STJ Fl.26)
Documento recebido eletronicamente da origem (e-STJ Fl.27)
Documento recebido eletronicamente da origem (e-STJ Fl.28)
Documento recebido eletronicamente da origem (e-STJ Fl.29)
Documento recebido eletronicamente da origem (e-STJ Fl.30)
Documento recebido eletronicamente da origem (e-STJ Fl.31)
Documento recebido eletronicamente da origem (e-STJ Fl.32)
Documento recebido eletronicamente da origem (e-STJ Fl.33)
Documento recebido eletronicamente da origem (e-STJ Fl.34)
Documento recebido eletronicamente da origem (e-STJ Fl.35)
Documento recebido eletronicamente da origem (e-STJ Fl.36)
Documento recebido eletronicamente da origem (e-STJ Fl.37)
Documento recebido eletronicamente da origem (e-STJ Fl.38)
Documento recebido eletronicamente da origem (e-STJ Fl.39)
Documento recebido eletronicamente da origem (e-STJ Fl.40)
Documento recebido eletronicamente da origem (e-STJ Fl.41)
Documento recebido eletronicamente da origem (e-STJ Fl.42)
Documento recebido eletronicamente da origem (e-STJ Fl.43)
Documento recebido eletronicamente da origem (e-STJ Fl.44)
Documento recebido eletronicamente da origem (e-STJ Fl.45)
(e-STJ Fl.46)

SILVIO LANNA
advocacia

PROCURACÃO

Por este instru'rnento particular* de procuração, Cierillson de Souza Crespo,


brasileiro, casado, ministro de cónfissão, religiosa. Portador do documento
de identidadd n° MG-6.225612, expedidõifiela S5PMG e inscrito no CPF sob
o n° 785.463.626-53, nome1-6"--e-C-6r-i- stitui,como seu"Procurador o advogado
Savio Rodolfo ide Lonna Costa, brásileiro,ZZasado, inscrito na OAB(MG) sob o
número 80.252, com 67-i-déreçoprofissiatial -elrua Santa Cruz, 253, centro,
CEP: 32510-026, em Betini(MG), aa'qual concede os poderes da cláusula ad t
judicia, mais ós espéciais pará transigir, desisfir, fázer oCordos, receber e dar
quitações, firmar coni¡ireimissós, prestçir dec1orações,4équerer os benefícios
da justiça gratuito sob as penas da lei;11:ibstab'elecéricom ou sem reservas,
enfim, pratico r todotõs atos ne6elidrios aoffiel,(C`urçlprimento do presente
mandato, o qiie dó por firmee valioso, esp(eciblménte para sua defesa nos
o
autos n° 011302M7.2011.8.13.0027,Açã6 06 Despejo movida por Vinicius
1

Batista Ferreircr-Mochodbc_ om treiririite,na Terceira Vara Cível da Comarca


de Betim(MG)..!

Betim MG),

Derglson de Souza Cres o


Documento recebido eletronicamente da origem

01Pab eornerdat tweak.. c14, !barb. habalWe anetacrbs waft.% 111TI IWY0111,1 0 &CMOS negocloyte admit-4dd
Ruo Santo Cruz. 253- centro - 32600-295 - Betim(MG) - tonefox: (31)3532-3141 - cel: (31)8894-1961
alviolonnagnerro.com.br silviolonnoeodv.00brng.org.br
Documento recebido eletronicamente da origem (e-STJ Fl.47)
(e-STJ Fl.48)

* SILVIO LANNA
advocacia

PROCURACÃO
.4=
-

Por este instrumento particular.(de`,proeuroçao-,7-Alyne de Araújo Santos, ..


brasileira, casada, titulai do documento -de-identidade n° MG-8.901.115, i
expedido pelo SSPMG Onscrita no CPriab-o-n° 029.625.266-24, nomeia e ilisim
constitui coma seu procuióadvogado Silvialtodolfq de Lonna -Costa!
brasileiro, casado,ips'Ento no 0Air(MG).,sób-o,número 80.252, com enderegd -:" !th-`)
profissional c5 ruo Santa Cruz-253, centra7CEP'.k32510-020, em Betim(MG), do .(frtri!
qual concedé os4podere7do Zibusula ad'Vexticia, mais os especiais para' ' II.
transigir, desistir, afazer ..eac'ordos,recebdr le dal- quitações,- firmar
compromissos!' prestd(decldrações;4 requerer os táenefícios dõ justiç'd '-'1i4j'
r
gratuita sob as penas da lei, substabetécer com AcK/sem reservas, enfirii,-
praticar todos os días necess6riósiao' fie( cuip(Drimento do presente, .n¡;!
mandato, o que dá por_firme. e valioso, espéciálmente para sua defesa nos - !t
autos n° 0113027-57.2011.8.13:0027,, Agejoi1W.,Désp;'ejo movida por Vinícius
Batista Ferreird-;MC7Flado, com trâmite naférceira rara Cível da Comarca
de Betim (MG),0

I - Betim(MG), _ _

__,, sg.,..,C
Alyne de Araújo Santos
Documento recebido eletronicamente da origem

1PM MIF

CieeX, eaewelaL beroirb. OA. etelfeee. Irabatra ; osiesserb e eereLeerk anemone* Memos neoecermeeeseeketdal
Ruo Santo Cruz. 253 - centro - 32600-295 - IletirnimG) - fonefox: (31)3532-3141 - cel: (31)8894-1961
dtvfolonnoeterro.com.br saviolonnotodv.00bmg.org.br
Documento recebido eletronicamente da origem (e-STJ Fl.49)
Documento recebido eletronicamente da origem (e-STJ Fl.50)
Documento recebido eletronicamente da origem (e-STJ Fl.51)
Documento recebido eletronicamente da origem (e-STJ Fl.52)
Documento recebido eletronicamente da origem (e-STJ Fl.53)
Documento recebido eletronicamente da origem (e-STJ Fl.54)
Documento recebido eletronicamente da origem (e-STJ Fl.55)
Documento recebido eletronicamente da origem (e-STJ Fl.56)
Documento recebido eletronicamente da origem (e-STJ Fl.57)
Documento recebido eletronicamente da origem (e-STJ Fl.58)
Documento recebido eletronicamente da origem (e-STJ Fl.59)
Documento recebido eletronicamente da origem (e-STJ Fl.60)
Documento recebido eletronicamente da origem (e-STJ Fl.61)
Documento recebido eletronicamente da origem (e-STJ Fl.62)
Documento recebido eletronicamente da origem (e-STJ Fl.63)
Documento recebido eletronicamente da origem (e-STJ Fl.64)
Documento recebido eletronicamente da origem (e-STJ Fl.65)
Documento recebido eletronicamente da origem (e-STJ Fl.66)
Documento recebido eletronicamente da origem (e-STJ Fl.67)
Documento recebido eletronicamente da origem (e-STJ Fl.68)
Documento recebido eletronicamente da origem (e-STJ Fl.69)
Documento recebido eletronicamente da origem (e-STJ Fl.70)
Documento recebido eletronicamente da origem (e-STJ Fl.71)
Documento recebido eletronicamente da origem (e-STJ Fl.72)
Documento recebido eletronicamente da origem (e-STJ Fl.73)
Documento recebido eletronicamente da origem (e-STJ Fl.74)
Documento recebido eletronicamente da origem (e-STJ Fl.75)
Documento recebido eletronicamente da origem (e-STJ Fl.76)
Documento recebido eletronicamente da origem (e-STJ Fl.77)
Documento recebido eletronicamente da origem (e-STJ Fl.78)
Documento recebido eletronicamente da origem (e-STJ Fl.79)
Documento recebido eletronicamente da origem (e-STJ Fl.80)
Documento recebido eletronicamente da origem (e-STJ Fl.81)
(e-STJ Fl.82)

A Poder Judiciário do Estado de Minas Gerais


Justiça de Primeira Instância
38 Vara Cível de Betim-MG

SENTENCA

Comarca : Betim- MG

Processo : 0027 11 011.302-7

Autor : Vinicitis B. Ferreira Machado

Réus : Denilson de Souza Crespo e outra

Ação : Despejo- denúncia vazia

Juiz : t lito Batista de Almeida

I Relatório

VINÍCIUS BATISTA FERREIRA MACHADO, qualificado nos autos


ajuizou AÇÃO DE DESPEJO FUNDADA EM DENÚNCIA VAZIA em face de DENILSON
DE SOUZA CRESPO e ALYNE DE ARAúJ0 SANTOS.

Alega o Autor que firmou contrato de locação com os Requeridos para o


período de 01.10.2008 prorrogado também por escrito até o prazo de 31.03.2011. Que
na iminência de vencer o contrato notificou os Requeridos para que estes tomassem
ciência de que não tinha mais interesse em dar continuidade ao contrato.

Ao final da narrativa requereu a procedência do pedido através da


expedição de mandado de despejo.

Com a inicial vieram os documentos de f.04/12.


Documento recebido eletronicamente da origem

A f. 13 foi determinada a citação dos Requeridos.

Os Requeridos apresentaram contestação. Na oportunidade informaram


que ajuizaram ação de consignação em pagamento. Que não concordam,om o pedido
inicial. Sustentam que o prazo de trinta meses se deu com som,/dos contratos
-

Autos:0027 11011.302-7 1
(e-STJ Fl.83)

Poder Judiciário do Estado de Minas Gerais


Justiça de Primeira Instância
38 Vara Cível de Betim-MG
firmados e por isso o pedido não pode proceder. No final requereram a improcedência do
pedido e a concessão da assistência judiciária gratuita.

Com a contestação vieram documentos.

Impugnação às f.40/41.

Não houve produção de outras provas.

Em alegações finais as partes ratificaram suas posições.

E O RELATÓRIO. DECIDO.

II - Fundamentação

Trata-se de pedido de despejo aos argumentos já expostos.

De acordo com os elementos contidos nos autos tem-se que de fato as


partes celebraram um contrato de locação por prazo determinado. Findo o prazo verifica-
se que de forma expressa o Autor demonstra o desinteresse na continuidade do contrato
através do ajuizamento da presente ação.

Pois bem, em que pese a argumentação expendida pelos Requeridos


acerca no que tange ao desrespeito ao comando do artigo 46 da Lei 8.245/91, tenho que
não merece acolhida, pois o artigo não diz que deve ser um único contrato de locação
por prazo igual ou superior a 30 meses, mas sim exige que o contrato seja por escrito e
por prazo igual ou superior a 30 meses.

Desta-feitarno-que-tange-ao-prazo-do-contrato-de-locação, tem-se que


Documento recebido eletronicamente da origem

restou demonstrado que houve .o preenchimento da exigência legal, assim como de


forma expressa conta o desinteresse do locador Autor em dar continuidade ao contrato
e, sobretudo restou demonstrado que os Requeridos não foram pegos de surpresa como

Autos:0027 11 011.302-7 2
.. (e-STJ Fl.84)

(4,

A Poder Judiciário do Estado de Minas Gerais


Justiça de Primeira Instância
3a Vara Cível de Betim-MG
sustentaram, eis que receberam notificação referente A intenção do locador em colocar
fim ao contrato de locação. (f.10/11)

Aliás, nesse mister vale destacar que ocorrendo o termo do contrato,


este, salvo acordo em contrário ou tolerância por parte do locador, é considerado findo
independente de notificação.

In casu, o termo do contrato constou de forma expressa conforme se


extrai do documento de f.09, razão pela qual não merece acolhida a resistência dos
Requeridos em desocupar o imóvel do Autor.

Outrossim, deve ser frisado que quando se trata de denúncia vazia


prescinde a presença de justificativa por parte do locador quando do desinteresse em
dar continuidade ao contrato.

Nessa toada, repito que o documento presente nos autos que comprova
o liame jurídico existente entre as partes envolvendo o imóvel objeto da demanda
ajuizada é o contrato cuja cópia encontra-se acostada A f.06/09 que teve seu termo aos
31.03.2011.

Por fim, diante das razões expendidas, julgo procedente em parte o


pedido iniciat.

Ill- Dispositivo

POSTO e por tudo mais que dos autos consta, ACOLHO 0


ISSO POSTO
PEDIDO INICIAL, pelo que, com fulcro no artigo 63,§1°, 'b', da Lei 8.245/91, fixo o prazo
Documento recebido eletronicamente da origem

de 15 dias, a partir da efetiva notificação, para a desocupação voluntária do imóvel,


motivopelf3W61,--éRfre-çãe-mandado para esse fim.

Fixo desde já, para fins de execução provisória, consoante artigo 64, da
Lei 8.245/91, caução no valor de R$4.500,00 (quatro mil e quinhentos reais) que deverá

Autos:0027 11 011.302-7
3
A
(e-STJ Fl.85)

Poder Judiciário do Estado de Minas Gerais


Justiça de Primeira Instância
38 Vara Cível de Betim-MG
ser atualizado até a data da prestação.

Outrossim, findo o referido prazo, contado da data da notificação,


determino o despejo do imóvel nos termos do artigo 65, da referida lei.

Com fulcro no artigo 269, I, do CPC, extingo o feito com resolução do


mérito.

Condeno os Réus ao pagamento das custas e honorários advocatícios,


que fixo em 10% (dez por cento) do valor da causa.

Suspendo, porém a cobrança das custas em relação A Requerida, eis


que defiro a assistência judiciária gratuita.

Publique-se, registre-se, intimem-se e cumpra-se.

Betim, 26 de outubro de 2011.

ELITO

..I
7
BATIST/ E ALMEIDA
/de Direito
Documento recebido eletronicamente da origem

Autos:0027 11 011.302-7 4
Documento recebido eletronicamente da origem (e-STJ Fl.86)
Documento recebido eletronicamente da origem (e-STJ Fl.87)
Documento recebido eletronicamente da origem (e-STJ Fl.88)
(e-STJ Fl.89)

SILVIO LANNA
advocacia

EXMO. SR. DR. JUIZ DE DIREITO DA TERCEIRA VARA CÍVEL DA COMARCA DE


BETIM(MG)

-n
O.

Autos n° 01 1 3027-57.2011.8.13.0027

Denason de ,Souza-Crespo-e-Alyne de .Araújo-Santos, brosileiros, casod&


respectivamehte ministro de confisião religiosd'e,do lai, inscrições no CPF númerfis
785.463.626-53 e 029.625.266-24, résidehtes em Bejim(aG)flem por seu procuradSr
constituído nós autos Da fAçãoçde_fiespeWirrovida '-por Vinícius Batista Ferrerfa
Machado, apresentar
.
RECURS01-)E-AP.E_LAÇÃO
I

r. Sentença 'proferido messe-Douto Juíz6osermos das razões e argumentos


que se seguem, requererido iéu pr?cessame4o.'deferimento de seu duplo efeito e
remesso ao Egrégio-Tribunal.dg
Justiçá\de Mina; Gérais.

I I
"-:A.;t:CÃO DE,CONSIGNACÃO
*0'
Reiterando informoção já lançada nos presentes autos, os apelantes
distribuíram eim,facedo Ação1;tóniignatóri0 de Aluguéis, autos re
0130948-29.2011:8:13:0027. com treitnité'ai Quarta Vorô Cível desta Comarca.
-
,pos sentença proferidá pelo MM Juiz em desfavor dos requerentes,
foi o feito subnielido ao crivo do- egrégio TJMG pela vio do agravo. Transcrevemos
resumo do piovimento jurisdicional::...Defiro o efeito: suspensivo, no tocante ao
indeferimento do consignação de prestações periódicas, e, ato continuo, autorizar
o depósito dos aluguéis, enquanto persistir a recusa do locador no seu
recebimento...".

Ternos então que ao apelantes continuarão no status em que sempre'


estiveram - absoluta adimpléncia com os alugueres.

--NEGESSÁRIAS-C-ONSIDERACõES-DOS-APECNNTES - EFEITO SUSPENSIVO


Documento recebido eletronicamente da origem

Esse douto Magistrado houve por bem sentendal de forma -diversa- às


pretensões dos requeridos, deferindo o despejo contra eles proposto. Como restou
evidente na fundomentação do decisum, o provimento amparou-se em seu
entendimento segundo o qual teria sido possível a apliccção da denúncia vazia e,
consequentemente. permilido o despejo imediatamente ao fim do contrato.

MOO commie,. tomb*. etwts.6). eabotaro - anew', Ceenittiti Centei0 &CMOS msgocbgeo es!ro*Icipi
Rua Santo Cruz. - centro 326011295 - Betim(mG) fonetox: 131)3532-3141 - cel: (31)8894-1961
silviolonnoeteffo.com.br siMotonnotrodv.00bmg.org.br
(e-STJ Fl.90)

SILVIO LANNA
advocacia

Como também restou claro no decorrer dos debates até aqui


ocorridos, o posicionamento dos apelantes é inteiramente diverso - de que não
seria aplicável o referido instituto - e, em consequência, impossibilitado a
retomada do bem (a não ser nos permissivos legais, que ora não se aplicam ao
presente).

Na aplicação da norma contido no art. 46 ou no art. 47 da lei n°


8.245/91 reside o disse nsso verificado entre ambos os posicionamentos jurídicos.

Em razão disto, temos que dois resultados poderão advir do trânsito


em julgado de decisão neste processo: ou os apelantes mantém-se no imóvel e o
contrato firmado entre eles permanece vigoroso ou eles serão despejados do bem
e o contrato rescindido. Não há meio termo.

Considerando entero-que:
,'"-discutem temos ocessórios ao instrumento contratual,
.i Aqui não, Se
1 como iniklimplemetito.-descuinprime'nto de cláusulas, perdas e
danos, móNa.pr.(ipria essênci-a----,..4 't
i
..------..#
qualquer benefício.
0..despejo que daqui-pode derivar não trará
iao .proprietbdo e apelodo,u;i-to vez que o imóvel não será:,
utilizado P-o-r-a,uso próprio ou eefoima e, ainda, que o mesmo tem

/I
recebido religibsbmAte os alttrgiis (inclusive com os aumentos
legois») i
i
-Y.....
,4 1 i
-o despejo trará grandes problemas para os apelantes, que se
no necessidade de outra residência em um
búspdreml

particularmente .difícir-. fir'yi de ano, além de serem


periodo-

o Lverão
obrigados o se adoptaFefrl a_oirtróendereço e imóvel;

montêm-se firmes os apelantes na confiança de que a norma


legal os protege, conforme argumenicido no curso do feito.
a ..- .40=

Resolvem requerer o deferimento por Vosso Excelência do efeito


suspensivo 6 presente irresignação.

Não obstonte a norma inserta no Lei do Inquilinato que considera


poder a apelação ser recebido somente no efeito devolutivo, outros amparos
normativos permilem com tranquilidade o deferimento do medida. Vejamos:

0 próprio_Esiatuto_processuel;-em-seu-art752075itibiii presente
Documento recebido eletronicamente da origem

recurso o duplo efeito, sendo que as exceções Idi listados não se aplicam ao
presente feito. _ --- .a. -... ...or mp.
..

0 mesmo Codex em seu art. 558 também admite o adoção do


necessário efeito suspensivo ao presente coso, uma vez que, deste despejo
poderá resultar lesão glove e de difícil reparação.

tilArtft. ',Oahe°
OtsV cornerciot tow** MOSPCOCI lOCCrefT*1 IVILMOI nopocindo weicfridd
Roo Santo Cruz. 253 - centro - 32600-295 - Betim(MG) fortefox: (31)3532-3141 - cal: (31)8894-1961
silviolonnoeterro.com.br savlolannogodv.00bmg.org.br
(e-STJ Fl.91)

SILVIO LAN NA
advocacia

Isto porque, mesmo firmes em suo inabalável confiança de que sua


tese jurídica é a mais justa, terão que se mudar repentinamente de um imóvel com
o qual já se acostumaram, em um endereço onde já estabeleceram seus hábitos.
Deixarão também o vizinhança com a qual já estobelec eram laços de amizade.
os apelantes e sua filha.

Serão forçados o buscar outro imóvel residencial em local não


pretendido e em condições talvez insatisfatórios paro eles, que sempre se sentiram
bem no imóvel até então locodo.

Necessitarão efetuar despesas imprevistos com mudança e outras,


que serão consideradas totalmente inúteis em caso de sua vitória na demanda.

Além dos matérias fálicas e do norma processual, os recorrentes


ainda amparam-se em diversos. -decisões proferidas pclarr possa egrégia Corte
Mineira, conforme alguns exemplos a 'eguir colocionti-cloS7-
7
AÇÃO DE DESPEJO - RECURSO DE APELAÇÃO - RECEBIMENTO EFEITO SUSPENSIVO -
EXCEPCIONALIDADE - AputikçAo DO ART. 558 DO-CP.C. POUSAEmbora a Lei 8.245/91
em seu ari. 58 regulamente- que òaço de despejO o recurso de apelação seja
recebido apenas no efeito devolu-fi;Of.pódse-o,julgador. em casos excepcionais, nos
termos do art. 558 do de ProcesseCivil. Acra não trazer grave prejuízo com
execução rov;s6ria da senten-a`x-em razão de.saliente questão verificada nos autos,
C.tikligos
receber o recurso atribuindo-lhe o &JO() efeilo(TJMG, Agravo de instrumento CV N°
1.0024.09.538319-6/001,-Dib1rcação 06/1,1/2011)) 1

AÇÃO DE DESPEJO - RECURSO DE APELAÇÃO - RECE8fMENTO - EFEITO SUSPENSIVO


EXCEPCIONALIDADE - APLICAÇÃO DO ART. 558 DO'rêPC. Em casos excepcionais, em
razão de saliente quesião verificada nos autos. 'para não trazer prejuízo à parte com a
execução provisório de sentenço-que determino o despejo, pode o julgador receber
o recurso nõ eleito suq:'ensivo,..noi'termos do art. 558 do CPC. (...) (TJMG. Proc. n°
0596166-20.2011.8.13.0000 -- PiAlicaçâo 16/11/2011)

AÇÃO DE DESPEJO. CONCESSÃO DE EFEI10 SUSPENSIVO. POSSIBILIDADE. APLICAÇÃO


DO ARTIGO 558 DO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL. REQUISITOS CARACTERIZADOS. Em
ação de despejo, embora o apelação interposta se sujeite, via de regra, apenas ao
efeito devolutivo, 6 possível, em determinadas situações excepcionais o concessão
de efeito suspensivo, desde que caracterizados os requisitos do artigo 558 do Código
de Processo Civil. (1.1mG, Proc. n. 4747503-43.2008.8.13.0145 - Relator Des. Tiago Pinto -
Publicação 09/09/2009);
Documento recebido eletronicamente da origem

"APELAÇÃO EM AÇÃO DE DESPEJO - CASO EXCEPCIONAL - INAPLICABIUDADE DA


NORMA LEGAL - POSSIBILIDADE DE CONCESSÃO DO EFElf0 SUSPENSIVO. A concessão
do duplo efeito à apelação interposta na ação de despejo tomo-se viável em casos
excepcionais. poro resguardo do interesse dos partes, em havendo controvérsia
relevante instaurada nos autos, e dos groves efeitos que poderão advir do execução
provisória da sentença. (IJMG, Proc. n. 3510823-31.2006.8.13.0145 - Relator Des. José
Amâncio Publicação: 28/03/2008). Com estas considerações, DOU PROVIMENTO AO

060045 comerclat banctAtt ce4t Mu**. tabarge0 01$00:00 <ColuOP10 een *Cowie blows - negociação eincgolcil
Roo Sonia C.ruz. 253 - centro - 32600-295 - Betim(MG) - tonetox: (31)3532-3141 ce1: (31)8894-1961
siMolonnoeterro.combr slMolonnottodv.00brng.org.br
-4 (e-STJ Fl.92)

SILVIO LANNA
advocacia

DE INSTRUMENTO, para que o recurso de apelação seja recebido também


no efeito
IAGRAVO suspensivo.

Da mesma forma, o colendo Superior Tribunal de Justiça também já


Se manifestou (grifos nossos):

Processo AgRg no MC t 7783 / SP - AGRAVO REGIMENTAL NA MEDIDA CAUTELAR


2011/0036279-0
Relator(o) Ministro SIDNEI BENETI (1137)
órgero Julgador T3 - TERCEIRA TURMA
Dato do Julgamento 12/04/2011
Dato do Publicação/Fonte DJe 17/05/2011
Ementa AGRAVO REGIMEN1AL NA MEDIDA CAUTELAR. RECURSO ESPECIAL. AGRAVO DE
INSTRUMENTO. LOCAÇÃO. AUTORIZAÇÃO DEDESPEJO. IRREPARABILIDADE, OU, AO
MENOS, A DIFICIL REPARAÇÃO, DO FATO DA bESOCUPAÇA05MEDIANTE 0 DESPEJO.
LIM1NAR DEFERIDA. EFEITO SUSPENS'IVO E(CEPCIONAeÁ0 RECURSO ESPECIAL.
CONCESSAO. ORDEM DE DESPEJO. SUSPENSÃO. PROVIMENTO.
o
I. Postas sob reserva para,ulterior julgamento os alegações do Medida Cautelar, o que
se forá após a manitestaçpo_dp parte contrária: tem-se que bem razoável considerar
algumas peculiaridades de-Zaso7-es-peciolmente: o) tratar-se de questão locaticia que
se mistura com promessa de com-p7tre_ver-kfasdo imóvel, em que passou, no alegação
da oro requerente, a 4:Asurnir,importância`a definição do negócio de compra e venda.
dadas alegações de problemas-de documentação: b) a locação Kr vir de tempo
considerável, iniciado no an'a de MO: c) o tratai-se de templo religioso, em que a
parte sustento o ineidência-do disposto no art./ 58 Cla Lei lie Locações, remetendo
interpretação do preCieluado no art. 9° da.eeriesma lei l&smo únicas hipóteses de
autorização de despejo; d) o c.tlegada,retilizaçâo der5OrOs de vulto por parte da
locatária, as quais indicariam desbordaiern. os relaçõeslurídicas entre os parles, o além
do simples contrato de locação; e) o irrepa.ratirrido'de, ou. ao menos. a difícil
reparação, do foto-da desocupação mediante 6 despejo.
Il. Agravo Regimental provido Para deferir 6 liminar, com fundamento no disposto no
o
art. 798 do Cód. de Pibc. Civil. e.coheder efeito suspensivo excepcional ao Recurso
de Apelação já interpostono,oligern, de modo que se suspende a ordem de despejo
oté o julgoenento do Recurso pelo Tribunal de origem.
Acórdão Vistos. relatodos e discutidos os outos em que são partes as acima indicadas,
prosseguindo no julgamento, após o volo-visto do Sr. Ministro Mossomi Uyedo dando
provimento ao agravo regimental e a retificação do volo do Sr. Ministro Relator,
acordam os Ministros da Terceira Turma do Superior Tribunal de Justiça, por
unanimidade, dar provimento ao agravo regimental para deferir o liminar. Os Srs.
Ministros Paulo de Torso Sonseverino. Vasco Dello Giustina (Desembargador convocado
do Ti/RS) e Mossa mi Uyeda votaram com o Sr. Ministro Relator. Não participou do
julgamento a Sra. Ministro Nancy Andrighi.
Documento recebido eletronicamente da origem

Processo AgRg no MC 17535 / RJ AGRAVO REGIMENTAL NA MEDIDA CAUTELAR


2010/0210877-7
Relator(a) Ministra NANCY ANDRIGHI (1118)
Oro() JulgadorT3 - TERCEIRA TURMA
Data do Julgamento 16/12/2010
Data do Publicação/Fonte Die 17/12/2010
Ementa PROCESSO CIVIL. AGRAVO REGIMENTAL EM MEDIDA CAUTELAR. ATRIBUIÇÃO DE

DWG cornercbt barcesio. eht Ilbugett Vacate* Of MOD*, wake" am @comic Marcos nsgodoce0 eroireldCI
Rua Santo Cruz. 253- centro - 32600-295- Betim(MG) - fonefax: (31)3532-314I - cel: 131)8894-1961
siMolonroceterro.com.br sitYlolonrsceadv.00bmg.org.br
(e-STJ Fl.93)

SILVIO LANNA
advocacia

EFEITO SUSPENSIVO A RECURSO ESPECIAL RETIDO POR FORÇA DO ART. 543. § 2°, DO
CPC. AÇÃO DE DESPEJO. DENÚNCIA VAZIA. LIMINAR PARA DESOCUPAÇÃO DO IMÓVEL.
PRESENÇA DOS REQUISITOS NECESSÁRIOS A CONCESSÃO DA MEDIDA LIMINAR.
1_ Se no exame perfunctório próprio dos provimentos cautelares restou suficientemente
demonstrada a possibilidade de êxito do recurso especial ao qual se pretende atribuir
efeito suspensivo, bem corno a existência de perigo de dano irreversível ou de difícil
reparação. nado impede o exercido do poder geral de cautela do Juiz, com a
consequente concessdo do liminar pleiteada.
A superação da premissa fótica adotado pelo Tribunal de origem, o fim de que fosse
eventualmente constatada a inexistência da notificação premonitória. somente seria
possivel se outros fotos alheios ao conjunto probatório reconhecido no acórdão
recorrido fossem levados em consideração. Súmula 7/STJ.
Em hipóteses excepcionais, é admitido o ojuizamento de medida cautelar originaria
poro atribuição de efeito suspensivo a recurso especial pendente de juízo de
admissibilidade_na_origem:_sendo,jpora tonto.,necessaria o demonstração do
periculum in mora. que se troduz,na.uTência ab-prestag6o jurisdicional, bem como, a
caracterização do fumus boni-júrif cOnsistente na pl-ausibilider& do direito alegado.
Precedentes),
/*'
N'"..............01' -
1/4:
A jurisprudência desta porte tenrpermitido o processamento do recurso quando a
r-
decisão impúgnada provém de cognição-lOmária ou nas hipóteses em que a demora .
no análise do recurso esPelial-puder cousor ò parte,iecorrente prejuízos de difícil
reparação. XGRAVO,REGIMENTAL-A-QUbE.NEGA PROVIMENTO.
Acórdão Vist'os, relatados e discutidos estes aútos, acordam os Ministros do TERCEIRA
TURMA do Superior - TribunartdeJustiça, n+64-cor4ormidade dos votos e dos notas,
toquigráficas' constantes :dal'auta>pór unanimidade, negar provimento ao agravo
regimental. rios termoisto voto.bo Sra..Minsitra Retatda. PartOparam do julgamento os
Exmos. Srs. Ministrát`Maisamr Uyeda, Sidnei Beneti., Po6lo dejTárso Sanseverino e Vasco
Della Giustiná. door: -- _.04 I

1 Firmes .na_convicçeioCios direitos que. possuem e confiantes no


elevado espírito delüstiça de Vossa Excelência. os apelantes requerem seja o
presente recurs1éTibido-em ombo-i:Oarefeitö's para, em seguida, ser remetido a
nosso Tribunal Estadual paraijpret-Gcão."-
IF
1

N tes-termos,
Pe zkjerimento.
Betimr - ezembro de 2.011.

Silvio Ro o e Lonna Costa


OAB(MG 0.252
Documento recebido eletronicamente da origem

MID Comerdol. boverb. d4. 'WPM,/ rotaNirm - onsiserb airftesict s econonto Intro% - regadoplo sonSicieibl
Ruo Santo Cruz. 253 - centro 32603-295 - Bettrn/MG) - fonefox: (31)3532-3141 - ce1: (31)8894-1961
Aviolonnoeterro.com.br siMotonnaeodv.00bmg.org.br
(e-STJ Fl.94)

SILVIO LANNA
advocacia

Apelante: DenOson de Souza Crespo e Alyne de Araújo Santos


Apelados: Vinícius Batista Ferreira Machado
Autos em 10 Instância: 0113027-57.2011.8.13.0027

Razões do Recurso

..."'"1
EGREGIA-.CORTE,
tibin6i JULGADORES

DO PREPARO
........... I
Tendo:iido,:deferida a assistência judiciário gratuita ao apelante en-il
Primeiro lnstônCia. fisf-A deixam-i----n os.mesmos Ciépróceder ao preparo.
_
.t.

.,..40000)---%-
.A TEMPESTIVIDADE

1 sentença a .ora combatidofoi


.."
Aoli
,.publicada em 17 de
/ r
novembro! i

próximo. Computado ,c5 prazo processatenios 4uesédtermo vem ocorrer em 21


de dezembro. Tempestivo,_portanto,,a./Sresenteiiiarlifesiação.
- %%ft
A
OS FATOSNTECEDENTES
, ./7 1

,....
Em sumo, os .apelantes contrataram aluguel residencial com o
apelado, nos-térmos de contioto-Presente nos presentes autos. Em março próximo
passado foramtos-inquilinos-surpreendidos-com-citação Para ação de despejo.

Ressalte-se: em nenhum momento, antes ou após a distribuição do


presente feito, os recorrentes estiveram inadimplentes. Ao contrário, pagaram
religiosamente os alugueres devidos, aí incluídos os reajustes legalmente
determinados.

Após interposto o feito o locador recusou-se terminántemente_o.


recebera-parcelcrlaMídiaa naquele mês, o que obrigou os ora apelantes
Documento recebido eletronicamente da origem

a interporem Ação de Consignação de Aluguéis pelos autosn° 030948-


-292011;M 3:0027. com tramiteWd Gtidria.Va-riiChfer da Comarcade-origem.

0 MM Juiz a quo, entretanto, prolatou sentença em desfavor dos


requerentes, tendo sido o feito submetido ao crivo desse egrégio TJMG pela via do
agravo.

then exPrenda exec.:gin. c14. Irboeuto. etteirdsV cosesiab eennewele ern 90:VOTIO *CMOS regecioctoseeetexe:ti
Ruo Santo C.ruz. 253- centro - 32600-295 - Eletirn(MG) - tonefac (31)3532-310 - cel: (31p3894-1961
silviolannoeterro.com.br sitviolonnceodv.00brrig.exg.br
(e-STJ Fl.95)

SiLV10 LANNA
advocacia

Transcrevemos resumo do provimento jurisdicional: "...Defiro o efeito


suspensivo, no tocante co indeferimento da consignação de prestações
periódicas, e, ato continuo, autorizar o depósito dos aluguéis, enquanto persistir a
recusa do locador no seu recebimento...".

Temos então que ao apelantes mantém-se no status em que sempre


estiveram - absoluta adimplência com os alugueres.

Amparou-se o requerente no comando inscrito no art. 46 da lei n°


8.245/91 para pretender o despejo dos locotório, sem ter apresentado qualquer
razão para o retomada, a não ser ausência de desejo de continuar a locação.

A verdade é que as partes firmaram em outubro de 2.008 um


contrato com prazo-de-sels-mesesrenovado3por-duasvezes, sucessivamente em
março de 2.0017 e em março.,déi. 2010, amfiás- pelo prazo de urn ano, tudo
conforme docionentos juntaciós (3b-s áutos, Restou-tfáról5, ortanto, que o curso
contratual lociaticio foi c`omposto,_p`or_ trIrcontratbs distintos que, só por
coincidência. somaram apiroximadome-Fle trinta meses.1
1
Aplicervel..dafa venta,-o co-mondo do art. 47 da norma locatícia, que
determina coM inolvidável clareza qUe-knordasos da espécie, a retomada do
imóvel pelo loCador-sdrilese,dará nas Condões estabelecidas pelo norma,
nenhuma delás aqui,,,,.-ar3ficóvel.'somente
,
'páró efeito de melhor clareza.

)i
.,
transcreve mo-Is: C..--.,.4.0,001
- ......, A
Art. 46. Nos loca-Oés ajustados pacescrilä e por'prazdi6ual ou superior a trinta
meses. a Iresoluçõe do contratolbcorrerá f findJ o prazo estipulado,
............f' /
independentemente de nolificaçáo ou civisc>./
(...)
Art. 47. Quando ajustada verbolmerite ou .por scrito e com prazo inferior a
trinta meses. findo oiaikb-estabelecid6gatocágeto prorroga - se automaticamente.
por prazo indeterminado, soentgpodendo ser retomado o imóvel:
(...) A 1

Ora;"-Excelências:-a-melhor hermenautica nos indica que a expressão


"...prazo igual ou superiár a trinta meses..." é indicativa de que o instrumento
contratual deverá ter sido constituido com vencimento no citado prazo.

Caso assim não fosse, incompreensível ou inútil resiaria o disposto no


art. 47, que trato de situação completamente diversa.

Os disposikos_legaisioram.introduzidos.no.normo-para-otenderem-o
Documento recebido eletronicamente da origem

objetivos diversos, estabelecendo condições e lapso temporal para desocupação


completamente díspares.

Assim, a chamada denúncia vazia, argumentada pelo locador ora


apelado e pelo Meritíssimo Julgador, não se aplica aos fatos inseridos no presente
feito.

Pine axnemial exneCee. 64 rbodeo. trotofro onstift 0,7004, ern scoroite frarça. negoetv003410
Rua Santo Cruz. 253- centro- 32400-295 - Betirn(mG) - fonefor: (31)3532-3141 - cel: (31)8894-1961
siMotonnoeterro.com.br stIviolannoeodv.00bmg.org.br
(e-STJ Fl.96)

SILVIO LANNA
advocacia

A DECISÃO ORA APELADA

Houve por bem o digno Magistrado em Primeira Instãncia sentenciar


desfavoravelmente aos recorrentes neste feito, conforme provimento de fls. 50/54.
Admitindo ele o abrangência da norma inserta no art. 46 da Lei de Locação,
desviou-se do notório acedo dos decisões de sua lavra, cometendo,
lamentavelmente, grave injustiça contro os recorrentes.

Desconsiderou que o contrato firmado pelos portes litigantes tornou-


se de prazo indeterminado, pelos prorrogações que sofreu. Assim, distanciou-se do
coso em que a norma admite a denúncia vazia, que o contrato de prazo
determinado de Irinto meses.

Data venio, se é indeterminado aPlica-se'o arte47. Se determinado,


vige o art. 46. As consequênCias' de os cas6s'r.slirgroves: importam no
despejo ou não dos ;nquilinós.
-

Veio mos. pelosexernplos a seguir tolaçionados, que essa egrégia 4

Corte tem se 'manifestado ;em-consonância com a'tese dos apelantes (grifos


nossos):

Número do processo: 1.014.S.695361-61-7/001(1)


Nürneração Único: 5361617-982009.8.13.0,145 { IV
Relator:Des.(o) JOSE FLAV,I015E ALMEIDA
Relator do Acórdão:D4-.(a) JOSÉ FLAVIO DE aMEIDA
Dota do Julgamento:17/11/2010
Data do Publicoçao:06/12/2010
/.
t,1
Inteiro Teor: EMENTA: DIREITO PROCESSUAL CIVILE .CIVIL. JUSTIÇA GRATUITA. AÇÃO DE
DESPEJ0.1.0(.4.AÇÃO RESIDENCIAL-PRAZO DETERMINADO. DENÚNCIA VAZIA.
DESOCUPAÇÃO;PRAZOHONORAkIOS-ÍDVOCATiCIOS. Se o objeto do recuso
abrange a discussOo sobro.direitó-da parte de litigar sob o pálio do justiça gratuita,
deve ser admitido poro que o Tribunal possa examinar a questão e decidi-lo. Nos
locações fresidenciais por PRAZO igual ou superior a 30 meses. não havendo
prorrogação, a desocupação do imóvel deve se dar ao fim do PRAZO estipulado.
.

independentemente de nolificaçõo ou aviso. A alegação de doença não possui


amparo legal para obstar a retomada de imóvel locado por PRAZO DETERMINADO.
valor dos honorários deve representar justa e condigna remuneração dos advogados,
sopesados a presteza do profissional, o lugar de prestação do serviço e a natureza e
importância do causa, bem como o trabalho realizado pelo advogado e o tempo
exigido para o serviço.
APELAÇÃO CIVEL N° 1.0145.09.536161-7/001 EM CONEXÃO COM APELAÇÃO N.
1.0145.10.003426-6/001 COMARCA DE JUIZ DE FORA - APELANTE(S): MURILO MENDES
-60BRINHO---AP1E(S)-ADESIV:-MARIA-SUEITN-AVARRO-CSOUZA - APELADO(A)(S): MARIA
Documento recebido eletronicamente da origem

SUELI NAVARRO E SOUZA. MURILO MENDES SOBRINHO - RELATOR: EXMO. SR. DES. JOSÈ
FLAVIO DE ALMEIDA
ACCIRDÃO Vistos etc., acordo, em Turma, a 12° CÂMARA C1VEL do Tribunal de Justiça
do Estado de Minas Geiais, sob a Presidéncia do Desembargador SALDANHA DA
FONSECA , incorporando neste o relatório de lis., no conformidade do ata dos
julgamentos e das notos taquigráficas, ô unanimidade de votos, EM REJEITAR
PRELIMINAR. VENCIDO 0 REVISOR. NEGAR PROVIMENTO AO RECURSO PRINCIPAL E
DAR PROVIMENTO AO ADESIVO, À UNANIMIDADE

0004) earerdel. barcarb.cht ~MIX Waxekta °nowt etedueetto oft *vow% from= nefrockM00editsadol
Ruo Santo Cruz. 253- centro - 32600-295 - Betirn(MG) - tonetax: (31)3532-3141 - cel: (31)8894-1961
siMotonnoeterro.com.br sevlotorincreodv.ocbmg.org.br
(e-STJ Fl.97)

SILVIO LANNA
advocacia

Belo Horizonte, 17 de novembro de 2010.


DES. JOSÉ Elk/10 DE ALMEIDA - Relator

0 contrato de locação de f. 08/11 fol cetebrado em 13/10/2006,


pelo PRAZO DETERMINADO de 30 meses, com término previsto para 12/04/2009.
A hipótese subsume-se ao disposto no art. 46, do Lei n° 8.245/9, tratando-se
de DENÚNCIA VAZIA, em que o resolução do contrato ocorre ao fim do PRAZO
estipulado. independentemente de notificação ou aviso PRAZO pora a desocupação
do imóvel. (...)

Número do processo: 1.0024.07.679002-1/001(1)


Númeração Única: 6790021-23.2007.8.13.0024
Relator:Des.(a) CABRAL DA SILVA
Relator do Acórdão:Des.(a) CABRAL DA SILVA
Data do Julgomento:06/04/2010
Doto da Publicação:07/05/2010
EMENTA: APELAÇÃO AÇÃO-00°. DE DESPEJO.
LOCAÇÃO RESIDENCIAL. PRAZO DETERMINADID. NOTIFICAÇÃO PRÉVIA.
DESNECESSIDADE. AJUIZAMENTO DA AÇÃO DE DESPEJO DENTRO DO TRINTiD10
LEGALTrotando-se de todbgão RESIDENCIAL por PRAZO DETERMINADO, sendo o ação
de despejo ajuizado dentrns--trinta dios após o --término do contrato, não
necessária a nolificação prévicî-Fbra-o ailocupação. posto que o controlo não terá
sido prorrogado.-- já que,ocorrida a oiSosição do locador 6 suo continuação, nos
termos do art. 46. do Lei 8.245/91-.-Recurso não provido.
APELAÇÃO CÍVEL N° - 1.002.4:07.679002-1/001 -`CitiMARCA DE BELO HORIZONfE -
APELANTE(S): MAN ANDRADE DE RESENIDE - APELADO(A)(S): I3JESSAR SERAFIM FERREIRA
- RELA1OR: EXMO. SR. CiES-t. ABRAL DA SILVA
ACÓRDÃO
Vistos etc., acorda. em Turma. a IV CAMARA CíVEL do,Tribunal de Justiça do Estado
de Minos Gerais, sob a Presidéncia do Desembiargbdor CABRAL DA SILVA .

incorporando neste o relatório de Ils., no conformidade da oto dos julgamentos e das


notas loquigráficas, 6 unanimidade de volos;EM NEGAR PROVIMENTO AO RECURSO.
Belo Horizonte. 06 de abril,.de 2010. '-
DES. CABRAL DA SILVA - Relotor.

Consto dos artigos 46, da Lei 8245/91, que dispõe sobre a locação RESIDENCIAL:
"Art. 46. Nas locações ajustadas por escrito e por PRAZO igual ou superior o trinta
meses, a resolução do contrato ocorrerá findo o PRAZO estipulado,
independentemente de notificação ou aviso.
I.--)
Assim. o controlo por PRAZO DETERMINADO cessa, de pleno direilo, findo
o PRAZO estipulado, independentemente de notificação ou aviso.
A respeito do oposição do locador, Luiz Fux, in "Locações - Processo e Procedimentos",
Editora Destaque, Rio de Janeiro, 2° edição, 1995. página 123. leciono:
"Essa oposição a que se refere o lei tanto pode ser consubstanciada numo
-nolificação-ou-na-propositurõlmeatilTac.) açc-kidETiespejo. Onde houver mais de
Documento recebido eletronicamente da origem

um juizo com competência concorrente, a petição inicial deverá ser distribuida antes
do trintídio. e onde houver uma só vara deverá ser despachada em igual PRAZO (art.
263,CPC)."
Portanto, tratando-se de locação RESIDENCIAL por PRAZO DETERMINADO, sendo a
ação de despejo ajuizado dentro dos trinta dias opôs o término do contrato, não é
necessária a notificação prévia para a desocupação, posto que o contrato não terá
sido prorrogado, já que ocorrido o oposição do locador 6 sua continuação.

Melt, ccreciol OA. benkee. **Wefts - Ce eometn: eararii &woe negoodoplio Aufwick
Roo Santa Cruz. 253 - centro - 32600-295 - Betirn(MG) - fonetax: (31)3532-3141 - cot: (31)8894-1961
savlolonnoitterro.contbr sitv1olonnogrodv.00bmg.org.br
(e-STJ Fl.98)

SILVIO LAN NA
advocacia

Não ha como atos tar a procedência da ação de despejo. pois, encerrado


I_
o PRAZO DETERMINADO no contrato, o locador tem direito a reaver o imóvel. (...)

Número do processo: 1.0024.08.284804-5/001(1)


Númeração Única: 2848045-78.2008.8.13.0024
Relator: Des.(a) OSMANDO ALMEIDA
Relator do Acórdão: Des.(a) OSMANDO ALMEIDA
Dota do Julgamento: 09/02/2010
Dota da Publicação: 15/03/2010
EMENTA: AÇÃO DE DESPEJO POR DENÚNCIA VAZIA - LOCAÇÃO
PRAZO INDETERMINADO - LEI N° 8.245/91, ART. 47, V - PROCEDENCIA DO PEDIDO DE
DESALIJO - HONORARIOS ADVOCAT1C1OS - REDUÇÃO.- Nos contratos de locação
com PRAZO inferior a trinta meses, a possibilidade de DENÚNCIA imolivada do
controto é o descrito no inciso V. do art. 47 do Lei 8.245/91, após a sua vigência
ininterrupta por cinco anos, como se verifica no coso em espécie. - Quanto à fixação
dos honorários advocoticios, trotando-se de causo em quvão ha condenação,
deve ser observada a regra contida n'o.§ 4° do art. 20 dopPC:bcorrendo excesso no
fixação dos honorários advocolicios, imj3bnde-trifilorar 6 referida verba a patamar
condizente, valendo-se dos critérios estabelecidos pelo § 3° do referido ai-ligo de lei.
APELAÇÃO CÍVEL N° 1:0024.08.284804-5/001- - --COMARCA DE BELO HORIZONTE -
APELANTE(S): GERALDA DOAOCORRO FRANÇA - APELADO(A)(S): V1TOR CASTILHO DE
OLIVEIRA E SILVA - RELATOR: tRMO:'SR.DES:--OSMANDO ALMEIDA
ACÓRDÃO
Vistas etc.. acordo. em Turma-o° CÂMARA ,CÍVEL do Tribunal de Justiça do Estado
de Minas Gerais, incorpOraio neste ,o relatório defls.. na conformidade do ata dos
julgamentos e das notaAlquigráfi\Cos, ô unanii.nidade de votos, EM REJEITAR
PRELIMINAR E DAR PARCIAL PROVIMENTÓ1
Belo Horizonte, 09 deliévereiro de 2010.
DES. OSMANDO ALMEIDA - Relator
NOTAS TAGUIGRAFICAS
0 SR. DES. OSMANDO ALMEIDA:
VOTO
Cuida-se de ..recurso .-de apelação interposto contra o r. sentença de Hs. 36/39,
proferida pelo MM. Juiz d'èDireita do 17° varo Cível do Capital, nos autos da 'ação de
despejo por DENÚNCIA Walk- proposta por VITOR CASTILHO DE OLIVEIRA E SILVA em
desfavor (de GERALDA DO SOCORRO FRANÇA. que julgou procedente o pedido
inicial, "poro declarar o resciseto do contrato de locação, e decretar o despejo do
imóvel, concedendo-lhe o PRAZO de 15 dias para desocupação voluntária, pena de
despejo compulsório após esse PRAZO". Condenou o ré ao pogamento das custos
processuais e dos honorários advocaticios, estes fixados em R$ 1.500,00.
(...)
Cuida-se de ação de despejo por DENÚNCIA VAZIA promovida por V1TOR CASTILHO
DE OLIVEIRA E SILVA em desfavor de GERALDA DO SOCORRO FRANCA.
Pretende o autor a retomada de imóvel alugado paro fim RESIDENC1AL.
Disse na iniciol que, segundo o controlo de locação. o locador do imóvel era o
espólio de Carmem Cndslina_Casfilho-de-Oliveiro-e-SilvarNo-entont 3070.172Wirri
Documento recebido eletronicamente da origem

.. 1.11110

propriedade do imóvel lhe transferido. conforme registro de matrícula acostado.


havendo sub-rogação de direitas, passando a ser o locador do bem objeto do lide.
Disse ainda, que o imóvel descrtio na inicial loi locado à ré mediante contrato escdto;
vencido o PRAZO contratual de doze meses, em 01/10/2004, o ajuste passou a vigorar
por PRAZO indeterminado. E inexislindo interesse em con finuar com a relação
locaticia, o locatário foi devidamente nolificuda o desocupar o bem, no PRAZO de 30
dias, sob peno de despejo. contudo. mesmo ciente não assinou a comunicação do 10
desocupação, pelo que fOrrnutou o demondonte o presente pedido de desalijo.

Mae =mad& barc &b. chi. ~Mo. toboNsto caselsofb comeodo imarovio Mamas ne004:3030 itonduadaf
Ruo Santo Cruz. 253 -centro - 32600-295 - Betim(MG) - tonefox: (31)3532-3141 - cel: (31)8894-1961
silviolonnogtterro.corn.br silviolonnoeadv.octbrng.org.br
(e-STJ Fl.99)

SILVIO LAN NA
advocacia

A d. sentença ora combatida, julgou procedente o pedido inicial, paro declarar a


rescisão do contraio de locoção e decretar o despejo do imóvel, concedendo o
demandada o PRAZO de 15 dias para desocupação voluntário, sob pena de despejo
compulsório. Condenou-a ainda ao pagamento dos custas processuais e dos
honorários advocaticios, estes lixados em R$ 1.500,00.
1...)
Constata-se no contrato de locação de fls. 08/09 que o tempo de vigência do pacto
era de 12 meses, com inicio em 01/10/2003 e termino em 01/10/2004, sendo, portanto.
por PRAZO Inferior a trinta meses.

Assim, nos contratos de locação com PRAZO inferior a trinta meses, a possibilidade
de DENÚNCIA imotivado do controlo 6 a descrita no inciso V. ou seja, após a vigência
ininterrupta do contrato de locação por cinco anos, como se verifica no caso em
espécie

Número do processo: 1.0145.08.436863-1/003(1) -


8
Númeração Onica: 4368631-87.2008.8.13.0.145
RelatorDes.(a) LUCIANO PINIO
o Relator do Acórdão:Des.(6) t UCIANO PINTO
Data do Julgamenlo:24/03/2011
Dota da Publicação:12/04/20A 1
!nick° Teor:
EMENTA: APELAÇÃO CíVEL - AÇÃO DE DESPEJO - ALEGADA INEXISTÉNCIA DE RELAÇÃO
LOCATíCIA ONUS DE PROVADO RÉU CONTRATO POR PRAZO DElERM1NADO -
NOTIFICAÇÃO DESNECESSIDADE -INDENIZAÇÃO POR BENFEITORIAS - ART. 35 DA LEI -
RENÚNCIA EXPRESSA NO CONTRATO - ÕLÁUSULA,VÁLiDA.I - Ccediço que incumbe ao
réu o Onus da orovo_cjimillio à existênci6 de fare modificativo ou extintivo
do direito do autor; eios termos do art. 333e11: do CPC, assim, se o requerido não se
desincumbiu do seu ônus de comprovara inexistênciçale'relação locaticia entre as
portes, tal tese, por óbvio, não pode ser acolhida:11 locações ajustadas por
escrito e por prazo igual ou superior -46a trinta MESES, o resolução
do CONTRATO ocorrerá findo o prazo estipulado. independentemente de notiticação
ou aviso. nos termos do t. 46 da Lei n° 8 245/91.111 - É válida a cláusula em que o
locatário renuncia expressamente ao direito de indenização pelos benfeilorias. Assim,
estando presente tal disposição contratual, o réu não pode reclamar mais qualquer
valor ou direito pelos benfeitorias que realizou no imóvel.
APELAÇÃO CÍVEL N° 1.0145.08.436863-1/003 - COMARCA DE JUIZ DE FORA -
APELANTE(S): JOÃO ALVES DO NASCIMENIO APELADO(A)(S): DARIO REZENDE
NOTAROBERTO - RELATOR: EXMO. SR. DES. LUCIANO PINTO
ACÓRDÃO
Vistos etc., acordo. em Turma, a 17° CÂMARA CíVEL do Tribunal de Justiça do Estado
de Minas Gerais, sob a Presidência do Desembargador EDUARDO MARINE DA CUNHA,
incorporando neste o relatório de fls., na conformidade da ata dos julgamentos e dos
notas laquigráficas, 6 unanimidade de votos, EM REJEITAR A PRELIMINAR E NEGAR
PROVIMENTO AO RECURSO.
Belo Horizonte,24_de_março.de-2014.
Documento recebido eletronicamente da origem

DES. LUCIANO PINTO - Relator


NOTAS TAQUIGRAFICAS
0 SR. DES. LUCIANO PINTO: .
VOTO
Adoto o relatório de 1. 322/323 e acrescento que o acórdão de 1. 325/340 negou
provimento ao agravo retido e acolheu o preliminar da sentença, suscitada de oficio,

Ovo.d& baroYo. 44, tezuet63. frabcfrirto cameo corrkftelo scow*, tncrças ropodocOo rozapaldot
Ruo Santo Cruz. 253 - centro - 32600-295 - Betim(MG) - foriefox: (31)3532-3141 - cel: (31)8894-1961
sitviolonno@terro.com.br silvlolonnoeodv.00bmg.org.br
(e-STJ Fl.100)

SILVIO LANNA
advocacia

para cassá-la. determinando que outro seja proferido. com o apreciação de toda
matéria controvertida nos autos.
Inconformado. o requerido interpôs recurso especial 6s f. 343/346. estando as
controrrazões acostadas as f. 350/355. o qual não foi admitido (f. 380).
Após. houve o retorno dos autos 6 1° instôncia.
Sobreveio sentença (I. 382/389) que julgou procedente o pedido inicial, para: a)
decretar o DESPEJO de João Alves do Noscimento, concedendo-lhe o prazo de 15
dias paro a desocupação voluntário do imóvel. sob pena de desocupação
compulsória: b) condenar o réu co pagamento dos custas e honorários advocalícios,
fixados em R$1.000,00, na forma do art. 20, §4°, do CPC, cujo exigibilidade ficará
suspensa devido 6 concessão dos benefícios da justiça gratuito.
A sentença, ainda. julgou improcedente o pedido de direito de relenção, bem como
o pedido indenizolódo, formulados pelo requerido.
Inconformado. o requerido manejou apelação as f. 390/396. arguindo a preliminar de
nulidade do sentença, per ausencia de relatório. _
No mérito. sustentou a inexisténcia de verdadeiro relação locatícia. ao fundamento
de que não pagou oluguel, nem .bs impostos locatíciosA" que, a seu aviso,
descaracteriza o instituto da locação.
Disse que notici há nos autos a devida notifícação premonitória.
Adiante, bateu-se pelo cabimento do direito de .retenção, ao argumento de que foi
anexado adendo ao CO4Tf4:fede_locação autorizando expressamente a realização
das reforms no imovei.
Acrescentou que em duos oportunidades o_putor.reconheceu o acordo firmado entre
as partes. bem como o realiração dos obras-neceskirias e úteis.
Ao final, requereu o procellèricia'ao recurso.' pda reformar a sentença e julgar
improcedentes os pedidos Jpiciais ot.1\coso não séja esse, o entendimento, que
o DESPEJO fique condicionado 6 prévio indenização d todas as benfeitorias
realizadas no imóvel. :";;0°
Contrarrazões as I. 398/406, pugnando pela manutenção dosentença.
n
o relatório. ,401
Conheço do recurso. presentes os pressupostos de suo admissibilidade.
PRELIMINAR DE NULIDADE DA SENTENÇA POR AUSÊNCIA DE RELATÓRIO
Vejo que não-assiste razão ao apelCinte.-
E cediço que o .relatárioé-um dos requisitos essenciais do sentença (art. 458. I. do
CPC) e a sua ausência acarreltia nulidade do ato sentenCial.
Nesse sentieló. veja-se lição de Humberto Theodoro Júnior:
"0 relatório é intróito da sentença no aual se faz o histórico de todo o relaçao
processual. Deve conter "os nomes dos partes. o suma do oedido e da resposta do
réu. bem corno o registro dos principais ocorrências hovidas no andamento do
processo" (art. 458, n° I). (...) 0 relatório, segundo Pontes de Miranda. *6 condição de
validade da sentença'. Svc, folio toma nula a decisào".
(Curso de Direito Processual Civil. 440 ed.. Rio de JoneiroeForense, 2006, vol. L p. 548).
No caso dos autos. observo que o sentença adotou o relatório anterior de 1.287/288.
o qual narrou lodo a relação processual. com o resumo dos principais atos do
processo.
Ora, o meu ver, serio exc_esso_de_forrndismo-exigir-o-elaboroção-de-navo-retcittifió
Documento recebido eletronicamente da origem

narrando os mesmos latos já descritos as f. 287/288. de modo que não há qualquer


motivo que impeça o juiz de adotar relatório anterior de sentença que foi cassada por
este Tribunal.
Assim, no há falar em ausência de relatório o ensejar a nulidade da sentença.
Com tais razões. rejeito a preliminar de nulidade da sentença.
MÉRITO
Vejo que não tem razão o apelante.

Mao carnal* beriatto. ckt lebuteetz. tratalksa away* ccent.euto fors se10 te$0,40$ '44d
moodoCCO gift
Rua Santo Cruz. 253 - centro - 32600-295 - Betim(MG) - fonefax: (31)3532-3141 - cel: (31)8894-1961
alviolonnoeterro.com.br sliviolonnoeodv.00bmg.org.br
(e-STJ Fl.101)

SILVIO LANNA
61:M3cm:is

o autor/apelado ajuizou a presente ação com o pretensão de despejar o


requerido/apelante de sua propriedade, em razôo do término da vigência
do CONTRATO de locação celebrado entre os portes.
0 requerido/apelante, em sua defesa, alegou o inexistência de relação tocatícia
entre as partes, ao argumento de que se trato de negócio jurídico simulado com o
intuito de mascarar o verdadeira relação jurídica existente entre as portes.
E cediço que incumbe ao réu o ônus da prova quanto à existência de folio
impeditivo, modificotivo ou extintivo do direito do autor, nos termos do art. 333. II, do
CPC.
Contudo, observo que o requerido/apelante não se desincumbiu do seu emus de
comprovar a inexistência de relação locaticia entre os partes, nos termos do ad. 333,
II, do CPC, se limitando o alegar que nunca pagou o aluguel do imóvel.
Cabe assinalar que a prova testemunhal colhido em audiência de instrução e
julgamento em nada corrobora a tese do apelante, uma vez que a testemunha
Uldimar Ferreiro Sousa.. em seu depoimento, disse_que "acha que os imóveis do autor,
localizado noi bairro Náutico. estovam-augados" (f..215).
Por sua vez. Ci testemunha Clqudio'llsii'Gp_mes, em seu Ciepoirytdo, disse apenas que
"foi fiador do; réu em um doi coritrolos- délocaçãd" (f. 2114 não havendo qualquer
menção sobre o suposta simuldçâo,..nos contra tos de locação alegada pelo
apelante. 4%..
Da mesma forma, a testemunha-Sebastiao Domingos-da Silva, em n seu depoimento.
disse que "o 10querid9.m01-01:70- bairtOR61.11iCO; que o réublugou do autor onde mora"
ff. 218). .

Por outro lado. vejo que o apelado comprovou i:Zkpropriedade do imóvel objeto do
lide (f. 08/10), bem como cireloçikrlocatícia. p'oi'm'eio da juntado dos contratos de P I

locação firmados entre as pohes (f. b5/07), nos qUois contio a assinatura do ora
apelante. ./1- :i J$
Assim, não tendo ,g--apelante se desincu,b1do .do se/ /ônus de comprovar a
inexistência de relação locotícia entre as-paries, Ial tese. por óbvio, não pode ser
acolhido. -,-;1
Ressalto que. o foto de o requerido/arielante.não7ter efetuado o pagamento dos
aluguéis do ifrióvel. porsi siti.-rie3o.fem o condão de deiconstiluir a relação tocaiícia,
mormente pcirqiie-se troto de direitC3-displinlçet dó autor/aPeladc.
Quanto ô ale6ação do Csibelante,deque .6 iridispenseivel suo notificação, vejo que
também não,possui razero.'
Da andlise dos autos, especificamente dos contratos de f. 05/07, observo que todos os
contratos de ilocação se destinam ao uso RESIDENCIAL foram firmados com prazo
determinado,'qual seja, trinta-MESES:
Dessa forma, os contratos de locação regem-se pelo disposto no art. 46. da Lei n°
8.245191. que kola da locação RESIDENCIAL in verbis:
'Art. 46. Nas locaçães ajustadas por escrito e por prazo igual ou superior a trinta MF.SES,
a resolução do CONTRATO ocorrerá find° o prazo estipulado, independentemente de
notificoção ou aviso."
Da leitura desse dispositivo. depreende-se que findo o prazo ajustado, ocorre
resolução cio CONTRATO, independente de notificação ou aviso.
Assim. in cosu, se mostra desnecessórica_o-notitic000-do-tocaterio7ora-apelmtCriFi
Documento recebido eletronicamente da origem

que no CONTRATO de locação firmado entre as partes restou pactuado prazo igual a
trinta MESES, cujo término se deu em 31 de dezembro de 2007.
Assinala-se que não há folar em prorrogação por prazo indeterminado, uma vez que
a presente ação foi manejada em prazo inferior a 30 dias, previsto no §1°. do art. 46,
da Lei n° 8.245/91. vez que o término do CONTRATO se deu no dia 31/12/2007 e a
presente ação foi distribuída no dia 25/01/2008.
Ademais, não há qualquer dispositivo legal que impeço o renovação da locação por
novo CONTRATO, também com piazo determinado, como ocorreu in casu. (...)

Okoher croncdc*t bereft,. cht. teboIrdsio assonefteavueerle den eeceovio Enxicas - negoclocOo rol*Akied
Rua Santo Cruz. 253 centro -32600-295 - - fonefox: (3113532-3141 - cel: (31)8844-1961
silviolannoeterro.com.br siMolannogodv.oabmg.org.br
(e-STJ Fl.102)

SILVIO LANNA
advocacia

Númeraçao Única: 0125566-98.2010.8.13.0024


RelatorDes.(o) MARCELO RODRIGUES
Relator do Acórdero:Des.(o) MARCELO RODRIGUES
Data do Julgamento:30/03/201 I
Data do PublicaçâoD6/0412011
Inteiro Teor:
APELAÇÃO - DESPEJO - PRELIMINAR DE NULIDADE AFASTADA -
CONTRATO DE LOCAÇÃO POR PRAZO DETERMINADO SUPERIOR A TRINTA MESES -
DENÚNCIA VAZIA - AÇÃO PROPOSTA NO PRAZO DE TRINTA DIAS - DESNECESSIDADE DE
MOTIVAÇÃO. Vigorando o CONTRATO de LOCAÇÃO RESIDENCIAL por prazo
determinado igual ou superior a trinta MESES, findo este prazo, pode o locador
requerer a devolução do imóvel sem motivação, nos termos do art. 46, do Lei 8.245,
de 1991.
APELAÇÃO CIV.ELNP _1.0024.10.012556-6/001 COMARCA BELO HORIZONTE ENYO
SANTOS APELANTE(S) MYR IAM AFONSINA JARDIM BORGES
APELADO(A)(S)
A C (5 R D ÃO Vislos etc:. acorda, em TOrrnara'rrr:C7MARA CÍVEL do Tribunal de
Justiça do Eitado de Minas Gerais,-' no conformidade da ata dos julgamentos,
unanimidade', em REjEITARAZ:RELIMINAR E NEGAR-PROVIMENTO AO RECURSO.
Belo Horizon/4. 30 de marçosie'201-1,
DES. MARCELO RODRIGUES,
Relator.
DES. MARCELO RODRIGUES IREtATOR)

No merito, não há razões porc).o reformada sentença.


Trato-se de aição*dece.oftipejo por clenCinaa vazio nos moldeOdefinidos no art. 46, do
Lei 8.245, de Í 99
Art. 46. Nos lorcaç6es ajustados por escrito- por prazo igu 1,ou superior a trinta MESES.'
o resolução do CONTRATO ocorrerá findo o prazo eilipuierd6, independentemente de
notificaçáo or() aviso. 10
§ 1° Findo o prazo a;ustado, se o-loçatário continuar na posse do imóvel alugado por
mais de trinia::dias-serri, oposiçãcid6etócador, bresuriiir - se - á prorrogada
LOCAÇÃO pcir prazo inciliterWadS: maniidos as derriois cláusulas e condições
do CONTRATO.
fr a prorrogação, o loccdor poderá denunciar o CONTRATO o qualquer
§ 2° Ocorrendo
tempo, concedido o prazo de trinta dias para desocupação.
O CONTRATO-foi firmado-pelas podes no dato cle- 04.01.2006, com prazo Inicial de
vigência para 18 e Janeiro de 2007 até 17 de Janeiro de 2010, totalizando 36 (trinta e
seis) MESES, f. 09/17-TJ.
A presente ação foi disfribuido exalomente no data de 18 de janeiro de 2010, ou seja,
sem que houvesse sequer prazo para indicar o &limo de prorrogação por pode do
locadora. (...)

Número do processo: 1.0707.09188339-7/001(1)


, -NúnIeração-Onico:i883397r68009:8713:0707
Documento recebido eletronicamente da origem

RelatorDes.(a) SEBASTIA0 PEREIRA DE SOUZA


Relator do Acárdao:Des.(a) SEBASTIA0 PEREIRA DE SOUZA
Data do Julgamento:04/02/2011
Data do Publicação: 25/02/2011
Inteiro Teor: EMENTA: AÇÃO DE DESPEJO POR DENÚNCIA VAZIA CONTRATO DE
LOCAÇÃO POR PRAZO DETERMINADO - REQUISITOS - AUSENCIA - HONORÁRIOS
ADVOCATÍCIOS - MANUTENÇÃO -RECURSO NÃO PROVIDO. Encontrando-se presentes

DOI** COWeeki boncáb. 0.1. 11,06b- 0311/111 cessuo013 corona%) rn ecorowdo erêves rigaztocao iercSocl6:4
Ruo Sonto Cruz. 253 - centro - 32600-295 - Be1im(MG) - tonetax: (31)3532-3141 ce1: (31)8894-1961
siMolonnoOterro.com.br siMotannoCodv.00bing.org.br
(e-STJ Fl.103)

SILVIO LAISINA
advocacia

os pressupostos autorizodores da DENÚNCIA VAZIA do locação não-residencial, quais


sejam: locação por tempo indeterminado. não interesse por porte do locador poro
continuar no relação locaticia, notificação prévio ao locatário e prazo de 30 dios
poro a entrego dos chaves do imóvel, pode o locador requerer a desocupação do
imóvel locado sem necessidade de motivo ou justificativa, agindo em exercício
regular do direito a ele conferido pelo ort. 57 da Lei 8.245191. Estando vigente
o CONTRATO de locação por prazo determinado firmado entre os partes, incabível a
sua resolução e determinação de despejo por DENÚNCIA VAZIA, jet que ausente um
dos requisitos necessários paro a sua concessão. Atento aos critérios dos §§ 3° e 4° do
art. 20 do Código de Processo Civil, tem-se como justa e razoável a quantia dos
honorários advocotícios de sucumbéncia. fixada pela MM ° Juízo paro os advogados
do ré, oro apelada, não havendo motivo paro sua redução. Negaram provimento ao
recurso.
APELAÇÃO CÍVEL N° 1.0707.09.188339-7/001 - COMARCA DE VARGINHA - APELANTE(S):
IMOBILIARIA SAMAR LTD& AP.ELADO(A)(S): ANDILA _COM REPRES LTDA - RELATOR:
EXMO. SR. DdS. SEBASTIÃO PEREIRA DE SOUZA
ACÓRDÃO 1

Vistos etc.. acordo, em Turma. 0 I CAMARA-CiVEL do Tribunal de Justiça do Estado


o de Minas Gerais, sob a Presidência do Desembargbdor BATISTA DE ABREU
incorporandó neste o relatório de fls., no-eonformidade do ato dos julgamentos e das.
notas taquigkilicas ò unaniiidade.de votos. EM NEGAR PROVIMENTO AO RECURSO.
Belo Horizonte. 04 de fevefeirbde201,1.
DES. SEBASTIÃO PEREIRA DE SOUZA - Relator
NOTAS 1AOUIGR4ICAS
0 SR. DES. SEBASTIÃO PEREIRkDE SOUZA: VOTO
' A
No caso em apreço verifico-se .Cts f. 08 que as psiites firmaraim CONTRATO de locação
com prazo de 36.MESES:'com início em;.101.10:2005 e término cm 30.09.2008. Vê-se,
ainda, que la locadora. oro apelantg.eel; 16.04,20091Adtificou a apelada paro
desocupar o:imóvel ern trinta dias ao-brgumento de que,j6 não linha mais interesse
no locação. (...)

o
CON CLUÍÃO.DOS APELANTES
o:

Isto posto, vem os Apelantes requerem seja reformada a decisão em


primeiro Grou é deferidas sua pretensão, quais seja, o -improcedência da ação de
despejo, nos termos dos argumentos expostos nos peças já protocoladas e no
presente recurso.

Nestes rmos,
Pede de zie ento.
Betim(MG) ezembro de 2.011.
Documento recebido eletronicamente da origem

Silvio Ro o Lonna Costa


OAB( ) 80.252

15

one* eorarciat barcerb.d4litubirla. asseacen =WW1) irn Mirada frximoi - fogccixeo perouchike
Ruo Santo Cruz. 253 - centro 32600-295 - Betim(MG) - tonetcyc (31)3532-3141 - cet: (31)8894-1961
siMolonnoeterro.com.br siniolonnoCadv.00bmg,org.br
Documento recebido eletronicamente da origem (e-STJ Fl.104)
Documento recebido eletronicamente da origem (e-STJ Fl.105)
Documento recebido eletronicamente da origem (e-STJ Fl.106)
Documento recebido eletronicamente da origem (e-STJ Fl.107)
Documento recebido eletronicamente da origem (e-STJ Fl.108)
Documento recebido eletronicamente da origem (e-STJ Fl.109)
Documento recebido eletronicamente da origem (e-STJ Fl.110)
Documento recebido eletronicamente da origem (e-STJ Fl.111)
Documento recebido eletronicamente da origem (e-STJ Fl.112)
Documento recebido eletronicamente da origem (e-STJ Fl.113)
Documento recebido eletronicamente da origem (e-STJ Fl.114)
Documento recebido eletronicamente da origem (e-STJ Fl.115)
Documento recebido eletronicamente da origem (e-STJ Fl.116)
Documento recebido eletronicamente da origem (e-STJ Fl.117)
Documento recebido eletronicamente da origem (e-STJ Fl.118)
Documento recebido eletronicamente da origem (e-STJ Fl.119)
Documento recebido eletronicamente da origem (e-STJ Fl.120)
Documento recebido eletronicamente da origem (e-STJ Fl.121)
(e-STJ Fl.122)

Cy , 'IS

\,
Z...._
v
TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE MINAS GERAIS
--

Apelas.ão Cível N° 1.0027.11.011302-7/001


126 CAMARA a/EL

APELAÇÃO CÍVEL: N° 1.0027.11.011302-7/001 BETIM 128 CÂMARA


CÍVEL - APELANTE(S): DENILSON DE SOUZA CRESPO E
OUTRO(A)(S), ALYNE DE ARAÚJO SANTOS - APELADO(A)(S):
VINICIUS BATISTA FERREIRA MACHADO

RELATÓRIO

Trata-se de apelação interposta por DENILSON DE


SOUZA CRESPO E OUTRA contra a r. sentença de fls. 50/53,
proferida pelo M.M. Juiz de Direito da 036 Vara Cível de Betim/MG,
nos autos da AÇÃO DE DESPEJO POR DENÚNCIA VAZIA ajuizada
por Vinicius batista ferreira machado, que julgou procedente o
pedido inicial e , com fundamento no art. 63, § 1°, "b", da Lei
8.245191, fixou o prazo de 15 dias, a partir da efetiva notificação,
para a desocupação voluntária do imóvel, fixando, desde então, para
fins de execução provisória, consoante o art. 64, da referida Lei,
caução no valor de R$4.500,00 que deverá ser atualizada a te a data
da prestação.

Findo o prazo, contado da notificação, determinou o


despejo do imóvel nos termos do art. 65 da Lei 8.245/91.

Custas e honorários advocaticios de 10% do valor


da causa pelos Apelantes, restando suspensa a exigibilidade por
estarem litigando sob o pálio da justiça gratuita.

Inconformados lembram os Apelantes estar em


curso uma ação de consignação em pagamento, onde lhes foi
deferida a possibilidade de efetuarem o depósito mensal dos
aluguéis enquanto perdurar a recusa do locador.
Documento recebido eletronicamente da origem

Entendem que na hipótese dos autos não poderia ter


sido aplicada a norma do art. 46 a Lei 8.245/91, Pelo fato do contrato
originário ter sido firmado pelo prazo de 06 meses, renovado por
duas vezes, sucessivamente em março de 2009 e em março de

F1.112
Número Verificador: 100271101130270012012114336
E
(e-STJ Fl.123)

r. .4

L';.:. TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE MINAS GERAIS


:.
._,.

Apelação Cível N°1.0027.11.011302-7/001


12° CÂMARA CiVEL

2.010, ambas por um ano, sendo aplicável, portanto, o comando do


art. 47 da norma locatícia.

Afirma que a melhor hermenêutica nos indica que a


expressão "...prazo igual ou superior a trinta meses ..." é indicativa
de que o instrumento contratual deve ter sido constituído com
vencimento no citado prazo, não podendo sere*, somados os
aditamentos, como procedeu o Magistrado "a quo".

A apelação foi recebida em ambos os efeitos, como


se verifica da decisão de fls. 74..

Contrarrazões às fls. 77/20.

Preparo 6 fl. 106.


E o relatório.

À douta revisão.

Belo Horizonte, 06 de março de 2012.

DES. NILO LACERDA


RELATOR

Este e UM documerho eletionii...9


assinado digitaimente conforme MP le 2.200-2/2001 de
24/08,2001 que Instituiu a infra-eshutura de Chaves Públicas
Brasileha - 1CP-Bosil, por

Signateu io: DES. Nit. 0 MV/0


L ACERDA
tv'; -.1e Sórie do certificado:
g.'w. ' rrlyjus.ht 472CF70BD3E5FBE3A3E23C3EA47A77F
Da ta e horn da assinalum: 07103/2072
10:42:22

Para confettncia do conteticin deste


Documento recebido eletronicamente da origem

' document°. acesse, na inteinet, o endetego hitplAwfw.tjmg.jus.br


;
( e digite o soguinte 070méto vedficador
100277101730270012012114336

F1.212
Número Verificador: 100271101130270012012114336
Documento recebido eletronicamente da origem (e-STJ Fl.124)
Documento recebido eletronicamente da origem (e-STJ Fl.125)
Documento recebido eletronicamente da origem (e-STJ Fl.126)
(e-STJ Fl.127)

ATRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE MINAS GERAIS

Apelação Cível N° 1.0027.11.011302-7/001

111111 11 111 1 1111 11 1 11 1111 111 1 11111 1 11 1 11 1111 11

EMENTA: AÇÃO DE DESPEJO DENÚNCIA VAZIA POSSIBILIDADE DE


CONTAGEM DO PRAZO DE TRINTA MESES COM UTILIZAÇÃO DE
RENOVAÇÕES SUCESSIVAS POR PRAZO DETERMINADO SENTENÇA
MANTIDA
- Em todas as locações residenciais por escrito, com prazo igual ou superior a
trinta mesas, admitindo-se para a contagem deste prazo a ocorrência de
renovações sucessivas por prazo determinado, fica evidenciada a possibilidade
da denúncia vazia, que 6 a faculdade de rescindir a locação sem a obrigação de
demonstrar a razão ou a necessidade da retomada do im6vel, diferente do que
ocorre quando o prazo 6 inferior a trinta meses, onde os locadores irão
subordinar-se is restrições do artigo 47, ou seja, denúncia justificada..
- Recurso Não Provido.
APELAÇÃO CÍVEL N° 1.0027.11.011302-7/001 - COMARCA DE BETIM -
APELANTE(S): DENILSON DE SOUZA CRESPO E OUTRO(A)(S), ALYNE DE
ARAC1,10 SANTOS - APELADO(A)(S): VINICIUS BATISTA FERREIRA MACHADO

ACÓRDÃO

Vistos etc., acorda, em Turma, a 12° CÂMARA CÍVEL


do Tribunal de Justiça do Estado de Minas Gerais, na conformidade da
ata dos julgamentos, à unanimidade, em NEGAR PROVIMENTO.

Belo Horizonte, 11 de abril de 2012.

DES. NILO LACERDA


RELATOR.
Documento recebido eletronicamente da origem

Fl. 1/5

Número Verificador: 100271101130270012012159159


(e-STJ Fl.128)

6 TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE MINAS GERAIS

Apelação Cível N° 1.0027.11.011302-7/001

DES. NILO LACERDA (RELATOR)

VOTO

Trata-se de apelação interposta por DENILSON DE


SOUZA CRESPO E OUTRA contra a r. sentença de fls. 50/53,
proferida pelo M.M. Juiz de Direito da 034 Vara Cível de Betim/MG, nos
autos da AÇÃO DE DESPEJO POR DENÚNCIA VAZIA ajuizada por
Vinícius Batista Ferreira Machado, que julgou procedente o pedido
inicial e , com fundamento no art. 63, § 1°, "b", da Lei 8.245/91, fixou o
prazo de 15 dias, a partir da efetiva notificação, para a desocupação
voluntária do imóvel, fixando, desde então, para fins de execução
provisória, consoante o art. 64, da referida Lei, caução no valor de
R$4.500,00 que deverá ser atualizada até a data da prestação.

Findo o prazo, contado da notificação, determinou o


despejo do imóvel nos termos do art. 65 da Lei 8.245/91.

Custas e honorários advocatícios de 10% do valor da


causa pelos Apelantes, restando suspensa a exigibilidade por estarem
litigando sob o pálio da justiça gratuita.

Inconformados lembram os Apelantes estar em curso


uma ação de consignação em pagamento, onde lhes foi deferida a
possibilidade de efetuarem o depósito mensal dos aluguéis enquanto
perdurar a recusa do locador.

Entendem que na hipótese dos autos não poderia ter


sido aplicada a norma do art. 46 a Lei 8.245/91, pelo fato do contrato
originário ter sido firmado pelo prazo de 06 meses, renovado por duas
vezes7sucessivamente-em -margo-de-2009-e-em-margo-de-2:010,
Documento recebido eletronicamente da origem

ambas por um ano, sendo aplicável, portanto, o comando do art. 47 da


norma locatícia.

Fl. 2/5

Número Verificador: 100271 101130270012012159159


(e-STJ Fl.129)

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE MINAS GERAIS

Apelação Cível N° 1.0027.11.011302-7/001


Afirma que a melhor hermenêutica nos indica que a
expressão "...prazo igual ou superior a trinta meses ..." é indicativa de
que o instrumento contratual deve ter sido constituído com vencimento
no citado prazo, não podendo serem somados os aditamentos, como
procedeu o Magistrado "a quo".

A apelação foi recebida em ambos os efeitos, como se


verifica da decisão de fls. 74.

Contrarrazões as fls. 77/20.

Preparo a fl. 106.

Em juízo de admissibilidade, conheço do recurso, visto


que próprio, tempestivo, preparado e corretamente processado.

A impugnação ofertada a justiça gratuita deferida aos


Apelantes não foi formulada pelo Apelado, na época e forma própria,
pelo que rejeito a manifestação contrária aduzida pelo Réu, mantendo
o deferimento concedido na instância primeva.

A controvérsia cinge-se na verificação se é possível ou


não a soma do contrato originário com os aditamentos sucessivos,
para o cômputo do prazo de trinta meses consignado no art. 46 da Lei
8.245/91, para a interposição da denúncia vazia.

A denúncia vazia é a faculdade de rescindir a locação


sem a obrigação de demonstrar a razão ou a necessidade da retomada
do imóvel. Quando não há possibilidade de renovação compulsória da
locação, o contrato submete-se aos princípios gerais da lei do
inquilinato, sujeitando-se a denúncia vazia. Assim, terminando o prazo
do contrato, cumpre ao locatário promover a ação de despejo nos 30
dias seguintes; caso contrário, terá que notificar previamente o locador.
Documento recebido eletronicamente da origem

A intenção do legislador foi dilatar o prazo inicial dos


contratos de locação residencial, ' concedendo ao locador a
possibilidade de reaver o imóvel sem ter que justificar sua motivação,

Fl. 3/5

Número Verificador: 100271101130270012012159159


(e-STJ Fl.130)

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE MINAS GERAIS

Apelação Cível N° 1.0027.11.011302-7/001


podendo ser esta qualquer que seja, do outro lado concede ao inquilino
uma maior estabilidade, podendo esse usufruir do imóvel por um
período de 2 anos e meio sem a ameaça da retomada do imóvel.

Consta do artigos 46, da Lei 8245/91, que dispõe sobre


a locação residencial:

"Art. 46. Nas locações ajustadas por escrito e por


prazo igual ou superior a trinta meses, a resolução do
contrato ocorrerá findo o prazo estipulado,
independentemente de notificação ou aviso."

Em todas as locações residenciais por escrito, com


prazo igual ou superior a trinta meses, admitindo-se para o cômputo
deste prazo a soma do contrato original com os aditivos sucessivos
firmados pelas partes, fica evidenciada a presença da denúncia vazia,
que é a faculdade de rescindir a locação sem a obrigação de
demonstrar a razão ou a necessidade da retomada do imóvel, diferente
do que ocorre quando o prazo é inferior a trinta meses, onde os
locadores irão subordinar-se às restrições do artigo 47, ou seja,
denúncia justificada.

Mediante tais considerações, NEGO PROVIMENTO À


APELAÇÃO, mantendo higida a r. sentença.

Custas recursais pelos Apelantes, restando suspensa a


exigibilidade por força do disposto no art. 12 da Lei 1.060/50.

DES. ALVIMAR DE AVILA (REVISOR) - De acordo com o(a)


Relator(a).

DES. SALDANHA DA FONSECA - De acordo com o(a) Relator(a).


Documento recebido eletronicamente da origem

SÚMULA: "NEGARAM PROVIMENTO"

Fl. 4/5

Número Verificador: 100271101130270012012159159


Documento recebido eletronicamente da origem (e-STJ Fl.131)
(e-STJ Fl.132)

APoder Judiciário do Estado de Minas Gerais

CARTÓRIO DA 12 CAMARA MEL - UNIDADE


RAJA GABAGLIA

CERTIDÃO

CERTIFICO que, para ciência das partes


interessadas, foi disponibilizado no "Diário
Judiciário Eletrônico" de 20/0412012 e publicado
em 23/04/2012, o dispositivo do acórdão retro. 0
referido é verdade e dou fé. Belo Horizonte, 23 de
abril de 2012. Eu, Grazziane Vargas L. de
Carvalho, Escrivão(ã) s .rt 'r. 126 Câmara
Cível - Unid abaglia, a

subscrevi
Documento recebido eletronicamente da origem

Documento emitido peto SIAP :


1111111111111111110111111111111011111111111
100200410017842740210004101617

Cód. 10.25.097-2
Documento recebido eletronicamente da origem (e-STJ Fl.133)
.0
(e-STJ Fl.134)

SiLVIO LANNA
advocecio

NA DÉCIMA
EXMO. SR. DR. DESEMBARGADOR NILO LACERDA, RELATOR NESTE FEITO,
SEGUNDA CÂMARA CIVEL DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE MINAS GERAIS
--.1.1=1
GTJMG/ palm
:,.
-11111111111111111111111111111111
9000280794201218

90 cINOL%

00.24 oil so2-4 loot 14id

Apelactio n° 0113027-571011:8:1 300277

Dennson de Souza Crap° e.-Alyne de, Araújo Santos, já e¡yolificados, apelantes,


vêm por seu prócuradó4Institirído noi :butositia A'çáo cié Despejo movido pelo
apelado Vinícius Batista Ferreira Machodó,-015resentar i
- 1
o0'. Cvd14*--,/

__..-EMBARGOStE DECL4RAAO,'
,--' i
base no1

Ao respeitável Acordao proferido por-esso_dputO Turma, fazendo-o com


inciso I do art. g35-6O-Códigcidel5rócesso-tivil, nos termos que se seguem:

Reprisamos excerto da respeitável decisão:


t===mm. ...j
"A controvérsia cinge-se no verificaçõo se é possível ou não o somo
do contrato originário com os aditamentos sucessivos, para o cômputo do prazo
de trinta meses consignado no art. 46 da Lei 8.245/91, parc a interposição da
denúncia vazio."
Este é realmente o cerne do questão trazido a rgsa egrégio Corte. Ai
dos
reside a divergência legal, verdadeira ontinomia verificada entre a inteligêncio
Documento recebido eletronicamente da origem

1001

Ao ver dos emborgantes. real iritenção* do -legitiadoe 00


ci
estabelecer tal contraste foi de inserir verdadeiro divisor de aguas nas questões
temporois envolvidas nas locações residenciais. Isto porque. (Agri venia, necessário
era que se garantissem os direitos de locadores e de locatários, muitas vezes
também antagônicos.

Mee cornmeal emote. de. ibutire.110000VO 023TIO10 COM010 OM KOMI° frenCet reoaralaaaa
Ruo Santo Cruz. 253 - centro - 32600-295 - Betinn(MG) fonefax: (31)3532-3141 - cel: (3118894-1461
shiolonnoeterra.combr silvtolonnoleodv.oabmg.org.br
(e-STJ Fl.135)

.)

.._BRAS. DE CORREIOS E IELE6RAFOS


Ag: 20383395 - AC BETIM
BETIM
-11G.
'
3402831633865i Ins Cul.: 0620144820013 .

ClIMPROVANTE 00 CULNIE

Cliente : TfilBUNAt. OE. JUSIICA DE MINAS

COFJ/CIT mamma
lnsc. Est ' 011302720110027

02/05/2012 Mora ....... : 15:43:59


Caixa ...... : 26799189 hatricuia.,.: '84192976
ncamento.: 043 Atendimento: 00035
lidade.: A Vista
-/
OTD. PRECO(R$)
CAO
PROTOCOL° F . 1 15104

r do Porte(R$)..: 12.40
Destino: 30380-457 (116)
eso real (F,6) 0,043
OBJETO :51625979029BR
AVISO OE RECEBIMENTO: 2,80

Valor Declarado nao solicitadotRO


No caso de objeto com valor. faca seguro,
declarando o valor do objeto.'

15,20
VALOR EM 01NHEIR011ili:
MOO
VALOR NECCB100(10)->

4.80
IROCO(R$1==..--.->

SERV. POSTAIS: DIREITOS E DEVERES-til 6538/78


Documento recebido eletronicamente da origem

, ....... --..4.''.-041anco
L.
Postal agora e adis. Mais Coroei
--1.-.41%Banco do Brasil. Alga sal conta e
Ovoce talabem!_ ......
..-...4% :
1-4.1
!COTE
(e-STJ Fl.136)
i

siLV10 LANNA
advocacia

Assim é que na hermenéutica da normo inscrito no art. 46, podemos


identificar como seus pilares os termos "...prozo igual ou superior o trinta meses..." e
"...prazo estipulado...". Indicam eles, a nosso ver, o necessidade de uma formal
estipulação e que o mesma possua o prazo di determinado.
,

Já no ai. 47, mesmo sistemática de abordagem identifica-os nos


termos ".prazo interior a trinto meses...". Considerando que aqui também o prazo
deve ser estipulado, temos que. findo o mesmo, "...a locação prorroga-se
automaticamente, por prazo indeterminado..."

A partir dos duas abordagens, percebemos que a correta e


específica determinação dos prazos envolvidos paro aplicação alternativa das
duas normas é rei:-;tiiiitõiálmorescindível-para que-possamos permitir sua vigência.

Em caso contrário: "-terícimos, lomentavelMente, um choque


interpretativo qt.te poderia ,-ieste ot-naquele.coso próduzir decisões semelhantes

t?.'.`...,.
ou diferenies, in}dependente.dos respectii6s-mérit9s.

Assim é,,que consideram os*embargantes ter sido proferido o


respeitável dedisurrem:seu-desfavor se7n-se atender suficientemente na análise
.

da dicotomia aCima absery-odo.


I'''...-
CoreceuTol sewver, de fundamegioção mois profunda. capaz de
I
Ig
its',
esclarecer suficienterit porquê qa`ópçãoldessa egrAia Corte pela adoção. d
o-obstante a hec4cssidade dereitipulação do prazo de' 1
dos ditames dd art. 4K._pbeó .
trinta meses contida nõ-Ort. 47. Istodolilíderaildotqup'oslinstrumentos controtuoisi
aqui sub limine foram constituídos corrvestipulaçöo)de prazos diversos.
1.,'"....°- --.4%",--- -0.--44#44.- /7" I
. Isto-pigtÓtrequerem (16.;,Vossas-Excelêncios declaração que possa
suprir a obscuridadéobservadq..noliermor dá norma processual.
Nes
\termos.
I

Pede deferimento
Betim, 2 oio de 2.012.

Silvio Rdciiro-dklanna Costa


OAB(MG) 80.252
Documento recebido eletronicamente da origem

. 2

Dr1211 cceyezioi boVerb. 04 "Weft imboheo - cesenceo weatftio ere memento Manes - negodoCeo seeprzleiel
Ruo Santo Cnrz. 253- centro - 32600-295- Betim(MG) - tonetax: (31)3532-3141 - cel: (31)8894-1961
silviolonnaeterro.com.br sOviolonnoOodv.oabmg.org.br
Documento recebido eletronicamente da origem (e-STJ Fl.137)
Documento recebido eletronicamente da origem (e-STJ Fl.138)
Documento recebido eletronicamente da origem (e-STJ Fl.139)
(e-STJ Fl.140)

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE MINAS GERAIS

Embargos de Declaração-Cv N° 1.0027.1 1.01 1302-7/002

11111 1 111 11 Ill 111 1 111 IN Ill 31 1010 MI

EMENTA: EMBARGOS DE DECLARAÇÃO - PROCESSUAL CIVIL -


OBSCURIDADE INEXISTENTE - REDISCUSSÃO - IMPROCEDÉNCIA
-Os embargos de declaração destinam-se a pedir ao juiz ou tribunal prolator da
decisão que afaste obscuridade, omissão ou elimine contradição existente no
julgado, conforme previsão do artigo 535 do CPC.
- Não sendo verificadas quaisquer das hipóteses previstas no aludido artigo,
não há como serem providos os embargos.
Embargos de Declaração rejeitados
EMBARGOS DE DECLARAÇÃO-CV N° 1.0027.11.011302-7/002 - COMARCA DE BETIM -
EMBARGANTE(S): DENILSON DE SOUZA CRESPO E OUTRO(A)(S), ALYNE DE ARAÚJO SANTOS -
EMBARGADO(A)(S): VINICIUS BATISTA FERREIRA MACHADO

ACÓRDÃO
Vistos etc., acorda, em Turma, a 12° CÂMARA CÍVEL do
Tribunal de Justiça do Estado de Minas Gerais, na conformidade da ata
dos julgamentos, A unanimidade, em REJEITAR OS EMBARGOS DE
DECLARAÇÃO.

Belo Horizonte, [DATA].

DES. NILO LACERDA


RELATOR.
Documento recebido eletronicamente da origem

- -

Fl. 1/3

Número Verificador: 100271101130270022012354911


(e-STJ Fl.141)

(TRIBUNAL
TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE MINAS GERAIS

Embargos de Declaração-Cy N° 1.0027.11.011302-7/002

DES. NILO LACERDA (RELATOR)

VOTO

Trata-se de Embargos de Declaração opostos por


DENiLSON DE SOUZA CRESPO E ALYNE DE ARAÚJO SANTOS contra
v. acórdão de fls. 91/95, proferido nos autos da AÇÃO DE DESPEJO,
ajuizada por VINÍCIUS BATISTA FERREIRA MACHADO, sob o
fundamento de ter ocorrido obscuridade no 1decisum.

Afirma o Embargante, em síntese, que o. v acórdão não


esclareceu o porquê da adoção dos ditames do art.46 da Lei 8.245/91 e
não o do art. 47 da mesma lei.

Sustenta que a correta e específica determinação dos


prazos envolvidos para a aplicação alternativa das duas normas é requisito
imprescindível para que se possa permitir a sua vigência.

Conheço do recurso, visto que presentes os pressupostos


para a sua admissibilidade.

Da detida análise das razões apresentadas pelo


Embargante, bem como do v. acórdão, não encontrei o vício suscitado.

Como se verifica, não há qualquer obscuridade a ser


sanada no acórdão em exame, visto que as questões suscitadas foram
devidamente examinadas e decididas. 0 que pretende o Embargante é
valer-se desta via processual com evidente caráter revisional, refletindo em
incompatibilidade com a própria natureza jurídica dos embargos de
declaração.

Ademais ao aplicar o art. 46 e não o art. 47 da Lei


9245/91, o acórdão embargado consignou expressamente que:

"Em todas as locações residenciais por escrito, com


prazo igual ou superior a trinta meses, admitindo-se para
Documento recebido eletronicamente da origem

o cômputo-deste-prazo-a-soma-do-contrato original com


os aditivos sucessivos firmados pelas partes, fica
evidenciada a-presença-da--denúncia- vazia, que é a
faculdade de rescindir a locação sem a obrigação de

Fl. 2/3

Número Verificador: 100271101130270022012354911


(e-STJ Fl.142)

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE MINAS GERAIS

Embargos de Declaração-Cv N°1.0027.11.011302-7/002


demonstrar a razão ou a necessidade da retomada do
imóvel, diferente do que ocorre quando o prazo é inferior
a trinta meses, onde os locadores irão subordinar-se Pás
restrições do artigo 47, ou seja, denúncia justificada". (fls.
94)

Assim, em se tratando de rediscussão de matéria, já


decidida no acórdão vergastado, não cabem embargos de declaração, em
detrimento da ausência das hipóteses legais, previstas no artigo 535 do
CPC, e em face da impropriedade desse instrumento recursal, para se
proceder a um novo julgamento da causa.

Mediante tais considerações, REJEITO OS EMBARGOS.

DES. ALVIMAR DE AVILA - De acordo com o(a) Relator(a).

DES. SALDANHA DA FONSECA - De acordo com o(a) Relator(a).

SÚMULA: "REJEITARAM OS EMBARGOS DE


DECLARAÇÃO"
Este é um documento eletrônico assinado digitalmente conforme MP
n° 2.200-2/2001 de 24/08/2001, que instituiu a Infra-estrutura de
Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil. por:

Signatário: Desembargador NILO NIVIO LACERDA


N° de Série do certificado:
7472CF708D3E5F8E3A3E23C3EA47A77F
www.timgjus.br Belo Horizonte. 20 de junho de 2012 às 17:14:56.

Julgamento concluído em: 20 de junho de 2012.


Para conferência do conteúdo deste documento, acesse, na
intemet. o endereço http://www.ljrng.jus.br e digite o seguinte
número verificador: 100271101130270022012354911
Documento recebido eletronicamente da origem

Fl. 3/3

Número Verikador: 100271101130270022012354911


(e-STJ Fl.143)

APoder Judiciário do Estado de Minas Gerais

CARTÓRIO DA 126 CÂMARA MEL - UNIDADE


RAJA GABAG LIA

CERTIDÃO

CERTIFICO que, para ciência das partes


interessadas, foi disponibilizado no "Diário
Judiciário Eletrônico" de 29/0612012 e publicado
em 02/67/2012, o dispositivo do acórdão retro. 0
referido é verdade e dou fé. Belo Horizonte, 02 de
julho de 2012. Eu, Grazziane Vargas L. de
Carvalho, Escrivão(ã) do Cartório da 123 Câmara
Cível - Unida Gat5aglia, a

subscrevi
Documento recebido eletronicamente da origem

Documento emitido pelo SIAP :


11111111111111111111111111111111111111111111
' 102200513017742760210004001627

Cód. 10.25.097-2
Documento recebido eletronicamente da origem (e-STJ Fl.144)
.
Ó o 7..\4:A--- (e-STJ Fl.145)

..-----''
SILVIO LANNA
etheracia

EXMO. SR. DR. DESEMBARGADOR VICE PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA


MINAS GERAIS - TJMG

L.M.11011Gimoio

niiIIIIIRITIIIIIIIMI 1
130.304828732 1214
- ---..

Recorrente: Denason de Souza Crespo e outra


Recorrido: Vinícius Batista Ferreira Machado V.,- le

......._
Apelação Cível n° 1.0027.11.011302:7/01 -a

%,. 1

I
A

I
t

Denílson de Souza Crespo e Alyne de:Araujo Santos. id qualificados nos autos em


referência, vêm por seu procurador constituído' apresentar Recurso Especial ao
/
cole ndo Superor
i Tribunoi deJustiço °I" ,......--F-
i.---""--
"#.... -
Requerem
mesmo nos te00rmos do norma.
1
.

.
-....,.........
..-`
sejam suos rozities recebidas I e duck, _;aguimento ao

14est. terMos
4

Pedethòerimento.
Betim(M .ulho de 2.012.

Silvio .'Rodol fo-.....


de anna
, Costa
OAB(MG) 80:1252
Documento recebido eletronicamente da origem

Web =medal bcno&b. OA. 1111Morka baba** assascdt e =meal) 4:max:awl* a Inman nooclooki coopicial
Rua Santo Cruz.-253 - centre) - 32600-295 - Betirn(mG) - fonefax: (31)=24141 cel: (31)8894-1961
siviolannoOterro.com.brstiviolonnaltadv.oabmg.org.br
(e-STJ Fl.146)

SILVIO LANNA
advocacia

RAZÕES DO RECURSO ESPECIAL

EXCELENTÍSSIMO SENHOR MINISTRO RELATOR,


COLENDA TURMA

I.
E lema das presentes razões comprovar que o respeitável Acórdão
proferido pela Décima-Segunda-Cômoro Cível-do-egrégio Tribunal de Justiça de
Minas Gerais áfrontou norma fedéia- I, negárido-lhe:vigêncio e retirando dos
recorrentes diréitos garantidos p'éldnoNo ofrontada.-Ojarnli
1
7 IN,

CONTRARIEDADE_E NEGATIVA-DE-VIGENCIA A' NORMA FEDERAL

i,P.,40e.".....-__ ---""N..1
Er? brevíssima resumo.,os recorrentes informam os fundamentos do
feito oro em análise:#--
1 0 -°.'- .-.:
Firmaram .coi itrorojde locoção com o recorrido. mantendo-se em
absoluto estodó desidimplência &mole todo o' sell curso/Tal avença foi iniciado
em outubro del2008,,seri6oéguido de'dóis ouirós contra&s. respectivamente em.
março de 20091e mi*rde 2010. 0 priméiroleve pkizo cie'r seis meses e os demais
prazo individual de um-ciAo.
1
Após o_.final-dóúltimo foram surpreendidos com exigência do locador
de que se retiogierní-do imóvel em lrintbdias,-vez que, segundo o mesmo.
aplicável seria o art:.46-dálei de Locagaó:
,--#'
Ocorre, entretanto, qi.-re o locação foi firmada por três instrumentos
distintos, sendoque_nenhum_deles_com_prozo de trintarineses. Assim sendo: ao ver
dos inquilinos, aplicável seriam os ditames do art. 47 do mesmo norma. Inviável,
porianto, a denúncia vazio que lhes foi imposta. ,-

0 Acórdão oro combatido, entretanto, considero que para


apuração do interstício de trinta meses consignado no lei possível seria a
cumulação de tantos quantos contratos firmados, sendo que sua soma deveria ser
superior aos trinta meses determinados. Poro o egrégio Turma, aplicável, portanto,
-o-artr46-in-cosv.
Documento recebido eletronicamente da origem

Os recorrentes não podem de nenhuma forma concordar com tat -


interpretação vez que, segundo seu entendimento. tal interpretação contrario o
espírito da norma e até mesmo retira inteiramente o razão de ser da divisão
estipulado pelo legislador. Se o prazo determinado pudesse ser obtido do forma
que imagino o Tribunal Estadual, uma só norma feria sido editada. -

-C

Olrebs oxrackit. bamtkix cM. trtuterb. liabohOo - aneemaia conitacvb ern moronic e tramps - neoeciacile eductudeki
Ruo Santo Cruz. 253 - centro - 32600-295 - Betirn(MG) - fonefax: (31)3532-3141 - cel: (31)8894-1961
silviolonnogiterro.com.br siviolonnoOodv.00bmg.org.br
(e-STJ Fl.147)

siLVIO LANNIk
advocacia

Assim sendo, aplicável, doto venio, poro os requerentes o comando


do art. 47 da norma loco fícia. A hermenêutico da previsão legal, doto venta,
determina com inolvidável clareza que duas situações há: contratos firmados com
menos ou com mais de trinta meses. Parece clam que o legislador do consignar
a
expressão "prazo" no singular, estaria se referindo a um só contrato.

Portanto, o inexistência de um instrumento com prazo maior que .os


trinta meses é que justificaria a aplicação do art. 46.

Art. 46. Nos locações ajustadas por escrito e por prazo iguoi ou superior a trinta
meses,

..
a resolução do contrato ocorrerá findo o prazo
independentemente de notificação ou aviso.
(.1 _.---
-- ,..- . ...`--- -.. .....00 .

Art. 47. Quando ajustado verbalmente ou por escrito5e-com prozo inferior a


,
estipulado.

trinta meses, findo o prazo estabélecido, álocaqtro--pc-rorro66 - se automoticomenle,


por prazo indeterminado, somente`podendo ser retomado o imóvel:
o
I-) ------ I

Casa assim não foss-e;Incompreensivel ou inútil restario o disposto no l' I


art. 47, que trata de7situação completar-Wente divrsa. Os dispositivos legais foram
, VI
introduzidos nó norma paratt tenderem a`Nobjétivos diversos, estabelecendo '
condições e lapso temporal pda desócupaçãoacor'hplelamente dfspares. i ill
)
.

- 1
Assim send ,o vêm os recorrentes/tra) zerà A
aprecioção dessa Colendcr I: e.
Turma suas razões rigitr'sentido de queo--(grégio Tribtilill Mineiro interpretou a
normal legal acima réferida de fatii-go contrário4 .seu espírito, claramente l'i
negando-lhe vigência.
f
o 1 CONTRARIEDADE COM RELAÇÃO A DECISÕES JÁ PROFERIDAS
I
'b....00-
Algm do acima exposto, ainda séntenciaram os
doutos
Desembargadores em dissonôncia o decisões anteriormente estabelecidos pela
.mesma Corte e que determinam que o prazo de trintaTrieses referido no art. 46 é
determinado e não pode ser resultante do soma de contraios cWintos. Vejamos
(grifos nossos):

Número do processo: 1.0145.09.536161-7/001(i)


Númeraçáo Única: 5361 617-98.2009.8.13.0i 45
RelatorDes.laj JOS6 FLAVIO DE ALMEIDA
Relator do Acárdão:Des.(a) JOSÉ Flikvi0 DE ALMEIDA
Documento recebido eletronicamente da origem

-D-EiRTTo7Tir gomento: I 7/11/2010


Data da Publicação:06/12/2010
Inteiro Teor: EMENTA: DIREITO PROCESSUAL CIVIL E CIVIL. JUSTIÇA GRATUITA. AÇÃO
DE
DESPEJO.LOCAÇÃO RESIDENCIAL. PRAZO DETERMINADO. DENÚNCIA VAZIA.
DESOCUPAÇÃO. PRAZO. HONORÁRIOS ADVOCATFCIOS. Se o objeto do recurso
abrange o discusser° sobre o direito do parte de litigar sob o pálio do justiço gratuita,
deve ser admitido poro que 0 Tribunal posso examinar a qudgão. decidi-la. Nas
locações residenciais por PRAZO igual ou superior a 30 meses, não havendo

Mee terree*O. beeetbio. 04. !bide* teeeekto enesseekr e ceredtert ion ecerolio e Marcos eegodoceo
Rua Santo Cruz. 253 - centre -32600-295 - Betim(MG) - fonefox: (31)35324141 cel: (31)8894-1961
siMolonnoeterro.com.br saviolonnotOodv.oabmg.org.tx
(e-STJ Fl.148)

sfuno LANNA edvocacie

prorrogação. o desocupaçâo do imóvel deve se dar ao fim do PRAZO


independentemente de notificaçáo ou aviso. A alegação de doença estipulado.
amparo legal paro obstor a retomada de imóvel locado por PRAZO não possui
valor dos honorários deve representar justa e condigna DETERMINADO. 0
remuneragdo pos advogados,
sopesados a presteza do profissional, o lugar de prestaçáo do serviço
importância da causa, bem e a natureza e
como o trabalho realizado pelo advogado e o tempo
exigido paro o serviço.
APELAÇÃO CIVEL N° 1.0145.09.536161-7/001 EM CONEXÃO
1.0145.10.003426-6/001
COM APELAÇÃO N.
- COMARCA DE JUIZ DE FORA - APELANTE(S): MURILO MENDES
SOBRINHO - APTE(S) ADESIV: MARIA SUELI NAVARRO E SOUZA
- APELADO(A)(S): MARIA
SUELI NAVARRO E SOUZA. MURILO MENDES SOBRINHO
- RELATOR: EXMO. SR. DES. JOSE
FLAVIO DE ALMEIDA
ACóRDÃO Vistos etc., acorda, em Turma. a 12° CAMARA CíVEL do
Tribunal de Justiça
do Estado de Minas Gerais, sob a Presidência do Desembargador SALDANHA DA
FONSECA . incorporando neste o relatório de fls.. na conformidade da ato dos
julgamentos e.. das notas toauiõráfitos, à inanimidcide de
votos. EM REJEITAR
PRELIMINAR. ;VENCIDO O REVISORerNEGAR PROVIMENTO AOActCURSO
PRINCIPAL E
DAR PROVIMENTO AO ADESIVO. AJUNANIMIDADE...00°`
Belo Horizonte. 17 de novembro c42010»
DES. JOSE FLAVIO DE ALMEIDA - Relator
all*P
0 contrato de locaçielof:7+,08/11 foi celebrado
em 13/10/2006,
pelo PRAZO DETERMINADO de 30 méat;-com-t6rmino previsto para 12/04/2009.
A hipótese subsúnWse-oo,Ddisposto no'ort. 46\da Lei n° 8.245/9, tratando-se
de DENUNCIA VAZIA. em ,.que resolução ctontrato ocorre ao fim cio PRAZO
estipulado, independentimenté de.nótificaçáo air aviso PRAZO para a
do imóvel. (...) desocupação

Número do processo: 1.0024.07.679002-1/001(1)


Númeração 6790021-23.2007.8:130024 -
Relafor:Des.(d) CABRAL DA SILVA
Relator do Acárdelo:Des.(6) CABRAL DA SILVA
Data do Julgciménto:06/04/2010
Data da Publicáçäo:07/03/2010
EMENTA: ..tor. APELAÇÃO CÍVEL. AÇÃO DE DESPEJO.
LOCAÇÃO RESIDENCIAL. PRAZO DETERMINADO.
NOTIFICAÇÃO PREVIA.
DESNECESSIDADE. AJUIZAMENTO DA AÇÃO DE DESPEJO DENTRO DO TRINTiD10
LEGAL.Tratondo-se de locação RESIDENCIAL-por PRAZO DETERMINADO. sendo
de despejo ajuizada dentro dos kink) dias opôs o término o ação
necessário a notificação prévia poro o desocupação, posto quedo contrato. não é
o contrato não terá
sido prorrogado. ¡I:5 que ocorrido a oposiçâo do locador 6 suo continuação,
nos
termos do art. 46, da Lei 8.245/91. Recurso não provido.
APELAÇÃO CÍVEL N° 1.0024.07.679002-1/001 - COMARCA DE BELO HORIZONTE
-
APELANTE(S): ZILAH ANDRADE DE RESENDE
- APELADO(A)(S): DJESSAR SERAFIM FERREIRA
- RELATOR: EXMO. SR. DES. CABRAL DA SILVA
ACÓRDÃO
Documento recebido eletronicamente da origem

--Vistos-etc:Tacorda. em !Liana, a 10° CÂMARA CÍVEL do Tribunal de Justiço do Estado


de Minas Gerais, sob a Presidência do Desembargador
CABRAL DA SILVA
incorporando neste o relatório de its., no conformidade da ata dos julgamentos
notas taquigráficas, à unanimidade de votos, EM NEGAR PROVIMENTO e dos
AO RECURSO.
Belo Horizonte, 06 de abril de 2010.
DES. CABRAL DA SILVA - Relator

Okseo eamersid. owletlo eht etwebio. eabeedue - mono* ecemArb ecrolla e troves negoetwee eateemielei
Ruo Santo Cruz, 253- centro - 32600-295- Bolin-1(AG) - tonefoc (31)3532-3141 cel: (31)8894-1961
dtviolonnoetterro.combr si11.4olonrxteodv.00bmgorg.br
(e-STJ Fl.149)

SLIM) LANNA
advocacia

Consta dos artigos 46. do Lei 8245191, que dispõe sobre o locaçaz RE.19ENCIAL:
"Art. 46. Nos locações ajustadas por escrito e por PRAZO igual ou superior a trinta
meses, a resolução do contrato ocorrerá findo o PRAZO esiipulado,
independentemente de notificação ou aviso.

Assim, o contrato por PRAZO DETERMINADO cessa, de pleno direito, findo


o PRAZO estipulado, independentemente de notilicação ou aviso.
A respeito da oposição do locador. Luiz Fux, in "Locações - Processo e Procedimentos",
Editora Destaque, Rio de Janeiro, 20 edição. 1995, página 123, leciona:
"Essa oposição o que se refere o lei tonto pode ser consubstanciado numa
notificação ou no proposilura imediata da ação de despejo. Onde houver mais de
um juízo com competência concorrente, o petição inicial deverá ser distribuída antes
do trinlídio, e onde houver uma só vara deverá ser despachada em igual PRAZO (art.
263.CPC)."
Portanto, tratando-se de locoção RESIDENCIAL par PRAZO DETERMINADO, sendo a
ação de despejo ajuizada dentro dos trinta dias após o término do contrato, não é
necessário a notificação prévio porá 6-desocupação. posto.quelo contrato não terá
sido prorrogado, já que ocorrida tkoposição.do.locadór ò suo -continuação.
Não há como afastar á procédência do ação de despejo, pois, encenado
o PRAZO DETERMINADO no controlo, o locador tem direito a reaver o imóvel. (...)

Número do processo: 1.0024.08:284804:57001(1)


Númeração única:_2848045-78.2008.8.1 30024
Relator: Des.(a) OSMANDOILMEIDA .,
Relator do Acórdão: Des.forOSMANDO ALMEIDAN. `,..
Data do Julgomento: 09/02/2916
Data da Publicação: 15/93/2010
EMENTA: AÇÃO :.---sDE DESPEJO PORZENuNCIA VAZIA -
)
LOCAÇÃO
,,,
-
A .

PRAZO INDETERMINADO - LEI N° 8.245/91,44T. 47, V - PRÓC.EDÉNCIA DO PEDIDO DE


DESALIJO - HONORÁRIOS ADVOCATiCIOS REDUÇÃ& Nibs contratos de locação
com PRAZO Inferior o trinta meses a possibilidade, de DENÚNCIA imotivado do
contrato é o descrita no inciso V, do art. 47 do Lei 8.245/91, opós a sua vigência
ininterrupta por-cinco anos, como se verifico no caso em espécie. - Quanto cti fixação
dos honorários advocaat:6, tralando-se de causo em que não há condenação,
deve ser observada
,4--.
a regro contida no § 4° do art. 20 do CPC. Ocorrendo excesso na
fixação dos honorários advocaticios, impende minorar o referida verbo a patamar
condizente, valendo-se dos critérios estabelecidos pelo § 3° do referido artigo de lei.
APELAÇÃO CÍVEL N° 1.0024.08.284804-5/001 - COMARCA DE BELO HORIZONTE -
APELANTE(S): GERALDA DO SOCORRO FRANÇA - APELADO(A)(S): VITOR CASTILHO DE
OLIVEIRA E SILVA - RELATOR: EXMO. SR. DES. OSMANDO ALMEIDA
ACÓRDÃO
Vistos etc., acorda. em Turma, a 9° CAMARA CÍVEL do Tribunal de Justiça do Estado
de Minas Gerais, incorporando neste o relatório de fls., na conformidade da ata dos
julgamentos e dos notos laquigráficas, á unanimidade de votos, EM REJEITAR
PRELIMINAR E DAR PARCIAL PROVIMENTO.
Belo Horizonte, 09 de fevereiro de 2010.
Documento recebido eletronicamente da origem

DES. OSMANDO ALMEIDA - Relator


NOTAS TAQUIGRÁFICAS
0 SR. DES. OSMANDO ALMEIDA:
VOTO
Cuido-se de recurso de apelação interposto contra a r. sentença de fls. 36/39.
proferido pelo MM. Juiz de Direito da 17° Vara Cível da Capital, nos autos da 'ação de 1
\
despejo por DENUNCIA VAZIA' proposta por VITOR CASTILHO DE OLIVEIRA E SILVA em

Clks000menkit barcteti ckt ttukSlo. tieberdsla - assesorb a:m.0ft em ecceorkl francs A1gedele6e
Ruo Sonia Cruz. 253 - centro -32600-295- Betim(MG) fonefox: (31)3532-3141 - col: (31)88941961
sitviolonnoetono.comtt stiviolannoeodv.00bmg.óra.br
I
(e-STJ Fl.150)

SILVIO LANNA
edvocacia

desfovor de GERALDA DO SOCORRO FRANÇA, que julgou procedente o pedido


inicial. "para declarar a rescisão do contrato de locaçOo. e decretar o despejo do
imóvel, concedendo-lhe o PRAZO de 15 dias para desocupaçõo voluntõria, peno de
despejo compulsório após esse PRAZO". Condenou a ré ao pagamento dos custas
processuais e dos honorários advocatícios, estes fixados em R$ 1.500,00.
f...)
Cuida-se de ação de despejo por DENÚNCIA VAZIA promovido por VITOR CASTILHO
DE OLIVEIRA E SILVA em destavor de GERALDA DO SOCORRO FRANÇA.
Pretende o autor a retomado de imóvel alugado poro fim RESIDENCIAL.
Disse na inicial que. segundo o contrato de locação. o locador do imóvel era o
espólio de Cormem Christina Castilho de Oliveira e Silvo. No entanto. em 30/01/2006 o
propriedade do imóvel lhe foi transferida, conforme registro de motrícula acostado.
havendo sub-rogação de direitos, passando o ser o locador do bem objeto do lide.
Disse ainda, que o imóvel descrito na Inicial foi locado a ré mediante contrato escrito;
vencido o PRAZO contratual de doze meses, em 01/10/2004, o ajuste passou a vigorar
por PRAZO indeierihinado. E inexistindo interesse em continuar com a relação
locaticia, o locatária foi devidamentesnotificada ã desocupa!A:bem, no PRAZO de 30
dias. sob peno de despejo..contLido, rriesmo ciente-nao asliridu a comunicaçõo da
desocupação. pelo que formulouó demandante o presente pedido de desalijo.
A d. sentença oro combolida, julgou procedente o pedido iniciol, poro declarar a
rescisão do contrato de loCaçáo e decretar o despejo do imóvel concedendo a ,
demandada o PRAZO de l 5ios_Iciaiirdesocupaçõo vótuntária, sob pena de despejo
compulsório. Condenou-a ainda -8b--ppgámento das custas processuais e dos
honorários advocaticios,éstes_fixados em R$ -1.506.00.
(...)
..--.,:".......... '''..,
Constata-se no contratõ de locação de fis. 08/09 que o tempo de vigência do pacto
\
ero de 12 meses, Com inicio.m 01/10/2603 e término em 011;16/2004. sendo, portanto,
por PRAZO inferior a trinicaneses.
1...)
_.
J,
Assim, nos contratos de locação com 'PRAZO inferior atririta meses, a ¡:lossibilidade
de DENÚNCIA imotivada do contrato e o descrito no-ir(cisö V. ou seja, após a vigência
i
ininterrupta do contrato de locação por cinco ários, como se verifico no caso em
espécie 1...). _-- ----. ......-----

Número do processo: 1.0145.0-8436863-1/003(1)


.e. . -
Númeraçáo Única: 4368631-87.2008.8.13.0145
Relator:Des.(a) LUCIANO PINTO
Relator do Acórdão:Des.(o) LUCIANO PINTO
Data do Julgomento:24/03/2011
Data cio Publicaçao:12/04/2011
Inteiro Teor:
EMENTA: APELAÇÃO CÍVEL - AÇÃO DE DESPEJO - ALEGADA INEXISTÉNCIA DE RELAÇÃO
LOCATÍCIA - ()NUS DE PROVA DO RÉU - CONTRATO POR PRAZO DETERMINADO -
NOTIFICAÇÃO - DESNECESSIDADE - INDENIZAÇÃO POR BENFEITORIAS - ART. 35 DA LEI -
RENÚNCIA EXPRESSA NO CONTRATO - CLAUSULA VÁLIDA.I - E cediço que incumbe ao
réu o Onus do prova quanto 6 existéncia de lato impeditivo, modificativo ou extintivo
Documento recebido eletronicamente da origem

do direito do autor, nos termos do art. 333. Il. do CPC. assim. sak. o rf.querido não se
desincumbiu do seu ônus de comprovar a inexistência de relação locatícia entre as
partes, tal tese. por óbvio, não pode ser acolhidoll - Nos locações ajustados por
escrito e por prazo igual ou superior a trinta MESES. a resolução
do CONTRATO ocorrerá findo o prazo estipulado, independentemente de nolificaçOo
ou aviso, nos termos do art. 46, da Lei n° 8.245/91:111 - E válida a cláusula em que o
locatário renuncio expresso mente ao direito de indenização pelas benfeitorias. Assim.

Mee* commie'. bomb* cet te3 uedebx eabeeeee ewe** cereurcelo we ecormelo e Mamas regodocao 'en/judicial
Ruo Santa Cruz. 253 - centro - 32600-295 - Betirn(MG) fonetax: (31)3532-3141 cel: (31)88911961
silvlotonnoetorro.com.br stviolannoeadv.oabmg.cfg.br

1
(e-STJ Fl.151)

SiLV10 LANNA
advocacia

estando presente id disposição contratual, o réu não pode reclamar mois quolquer
valor ou direito pelas benfeitorias que realizou no imóvel
APELAÇÃO C1VEL N° 1.0145.08.436863-1/003 - COMARCA DE JUIZ DE FORA -
APELANTE(S): JOÃO ALVES DO NASCIMENTO - APELADO(A)(S): DARIO REZENDE
NOTAROBERTO - RELATOR: EXMO. SR. DES. LUCIANO PINTO
ACÓRDÃO
Vistos etc., acorda, em Turma. o 17° CÂMARA CIVEL do Tribunal de Justiça do Es lodo
de Minas Gerais, sob a Presidência do Desembargador EDUARDO MARINE DA CUNHA
incorporando neste o relatório de fls.. na conformidade da Iota dos julgamentos e dos
notas taquigráficas, o unanimidade de votos. EM REJEITAR A PRELIMINAR E NEGAR
PROVIMENTO AO RECURSO.
Belo Horizonte, 24 de março de 2011.
DES. LUCIANO PINTO - Relator
NOTAS TAQUIGRAFICAS
0 SR. DES. LUCIANO PINTO:
VOTO
Adoto o relatório de f. 322/323 e---adrescento cl-ue o f. 325/340 negou
acórdão'-de

provimento ao agravo relido e aolheuó.prOminar-do senteriça, suscitada de oficio,


para cassá-la, determinando que outro seja proferida, com o apreciação de todo
matéria controvertida nos autos.
Inconformado. o requeridinterpós recurso especial às f. 343/346, estando as
contrarrazões acostadas ds f:350/355:-o.qual não foi admitido (f. 380).
Após, houve o retorno dos autos di li-instancrcr......,,
Sobrevêio sentença P.-382/389J que juldriu ,procedente o pedido inicial, para: a)
decretar o DESPEJO de João. Al\+-es-.do Nascimento,concedendo-lhe o prazo de 15
dias para á desocupação i/oluntária do imóvel sob pena de desocupação
compulsória; b) condenar ou ao pagámento dos custos ¿honorários advocalicios.
fixados em R$1.000.0e-ná forma do art: 20.41°, do CPcd, 'cuja exigibilidade ficar6
suspensa devido à concessão dos benefícios-da justiça gratuito.
A sentença, ainda, julgou improcedente o pedido de direitó de retenção, bem como
o pedido indenizatório, formulados pelo requerido. .d."
Inconformado. o requerido manejou apelação-às I. 390/396, arguindo o preliminar de
nulidade da sentença, por ousência-de relatório.
No mérilo, systentou a ihexistência de verdadeira relação locaticio. ao fundamento
de que nao pagou alugúsev'nem os impostos iocaticios, o que. a seu aviso,
descaracteriza o instituto do locação.
Disse que não há nos autos a devido nolif:cação premonitória.
Adiante, bateu-se pelo cabimento do direito de retenção. ao argumento de que foi
anexado adendo ao CONTRATO de locação autorizando expressamente a realização
dos reformas no imóvel.
Acrescentou que em duos oportunidades o autor reconheceu o acordo firmado entre
as partes. bem como o reolizaçeo das obras necessárias e úteis.
AO final, requereu a procedência do recurso, poro reformar a sentença e julgar
improcedentes os pedidos iniciais ou, coso não sela esse o entendimenlo, que
o DESPEJO fique condicionado à prévia indenização de todas os benleitorias
realizados no imóvel.
Documento recebido eletronicamente da origem

Contrarrazães às 1.398/406, pugnando pela manutenção da sentença.


E o relatório.
Conheço do recurso. presentes os pressupostos de suo admissibilidade.
PRELIMINAR DE NULIDADE DA SENTENÇA POR AUSENCIA DE RELATÓRIO
Vejo que não assiste razão clo apelante.
E cediço que o relatório é um dos requisitos essenciais da sentença (art. 458, I. do
CPC) e a suo ausência acarreta a nulidade do ato sentencial
Nesse sentido, vejo-se lição de Humberto Theodoro Júnior:

Otero =modal barc6b. CM. MIAMI 1/000WittOOndliCe0 Ctrdlike0 ern ecolonici Moves - enocicipesedt*ack
Ruo Santo Cruz. 253 - centro - 32600-295 - Betirn(MG) - tonefox: (3113532-3141 - col: (31)8894.1961
diviolonnoeterro.com.bc sav1otonnolgociv.00bmg4rg.br
(e-STJ Fl.152)

SILVIO LANNA
advocacia

'0 relatório é intróito do sentença no qua! se foz o histórico de todo a - relação


processual. Deve conter "os nomes dos partes. a sumo do pedido e do resposta do
réu. bem como o registro das principais ocorrêncios havidas no andamento do
processe (art. 458, n° I). (...) 0 relatório. segundo Pontes de Miranda, .4 condição de
validade da sentença'. Sua folio torna nulo a decisão".
(Curso de Direito Processual Civil, 44° ed., Rio de Janeiro. Forense, 2006, vol. I, p. 548).
No caso dos autos, observo que a sentença adotou o relatório anterior de f. 2871288.
o qual narrou toda a relação processual. com o resumo dos principais atos do
processo.
Ora, a meu ver. serio excesso de formalismo exigir o elaboração de novo relatório
narrando os mesmos fotos já descrilos 6s I. 287/288, de modo que não há qualquer
motivo que impeça o juiz de adotar relatório anterior de sentença que foi cassado por
este Tribunal.
Assim, não h6 folar em ausência de relatório a ensejar a nulidade da sentença.

mERITO-
Com tais rozóes, rejeito o preliminar de nulidade da sentença.

vejo que não tem razão o opelanie: \._


,..,..

0 autor/apelado ajuizou ..a piésente ação_com a rpreters3o f:i e despejar o


requerido/apelante de suo prOpriedade, em razão do término do vigência
do CONTRATO de locaçãà.celebrodo entre os portes.
0 requerido/apelante. erquo-defesa, ategou Ci inexistência de relação loca ticia
entre as portes. co argumento -de__CiTese,trata de negócio jurídico simulado com o

CPC.1
intuito de mascarar a verdadeiro reloaio jurídftsexistente entre as portes.

\
E cediço que incumbo--réu o emus 'do. pova quanto 6 existência de fato
impeditivo, modificativo ou-extint-rlo,do direito `do autor, nos termos do art. 333. II, do
.
Contudo. observo...:.que; .2 1 A
o,requerido/ope1ante não se desiracumbiu do seu emus de
comprovar a inexistên'Ci6 de relação locipticia4ntre os podes. nos termos do art. 333,
11, do CPC, se limitando o alegar que nuncal5agou o alugAt'do imóvel.
Cabe assinalar que a provo testemunhal colhida frin,audiência de instrução e
julgamento em nada corroboro a tese do apelante, uma vez. clue .43 testemunha
Uldimar Ferreiro Sousa, em seu depoimento, disse que "acha que os imóveis do autor.
localizado napalm, Náutico. estovam alOgOdos" (f. 215).
Por sua vez, a testemunhi3-Claudio.10ii Gomes, em seu depoirnento, disse apenas que
"foi fiador do réu em um do's'eonfratos de locação" (f. 216), não havendo qualquer
menção iabre a suposta simulação nos contratos de locação alegado pelo
apelante.
Da mesma formo, a testemunha Sebastião Domingos do Silva, em seu depoimento.
disse que "o requerido moro no bairro Náutico: que o réu alugou do autor onde mora"
(f. 218).
Por outro lado, vejo que o apelado comprovou a propriedade do imóvel objeto do
lide (f. 08/10). bem como a relação locotícia. por meio da juntado dos contratos de
locação firmados entre os partes (f. 05/07). nos quais consto o assinatura do ora
apelonle. I
Assim. não tendo o opelonte se desincumbido do seu ônus de comprovar o
inexistência de relação locatícia entre as partes. tot tese. por óbvio, não pode ser
Documento recebido eletronicamente da origem

acolhida.
Ressalto que o fato de o requerido/apelante não ter efetuado o pagamento dos
aluguéis do imóvel, por si s6, não tem o condão de desconstituir a relação localicia,
mormente porque se trata de direito disponível do autor/apelado.
Quanto á alegação do apelante de que é indispensável et sua notificação, vejo que
também não possui razão.

OW* amnia bemozób. dd. libutt.b. loborto ancascrio to waft.° 41i °cowl° thanpas negodwilotiocipdcbt
Ruo Santo Cruz. 253 - cenho - 32603-295 - Betim(mG) fonefox: (31)3532-3141 cel: (31)8894-1961
silvlolonnoeterro.com.br siMolonnoCoOv.00bmgorgbt
(e-STJ Fl.153)

SILVIO LANNA
advocacia

Da análise dos autos. especificamente dos contratos de f. 05/07, observo que todos os
contratos de locação se destinam ao uso RESIDENCIAL e foram firmados com prazo
determinado, qual seja, trinta MESES.
Dessa forma, os contratos de locação regem-se pelo disposto no art. 46. do Lei n°
8.245/91, que trata da locação RESIDENCIAL in verbis:
"Art. 46. Nos locações ajustados por escrito e por praio igual ou superior o trinta MESES.
o resolução do CONTRATO ocorrerá findo o prazo estipulado, independentemente de
notificação ou oviso."
Do leitura desse dispositivo, depreende-se que findo o prazo ajustado, ocorre di
resolução do CONTRATO, independente de notificação ou aviso.
Assim. in cosu. se mostra desnecessário a notificação do locatário. oro apelante, vez
que no CONTRATO de locação firmado entre as partes restou pactuado prazo igual a
trinta MESES, cujo término se deu em 31 de dezembro de 2007.
Assinalo-se que não h6 folar em prorrogoção par prazo indeterminado, uma vez que
o presente ação foi manejado em prazo inferior a 30 dios, previsto no §1°. do art. 46,
da Lei n° 8.245/91. vez que o término do CONTRATO se deu no dia 31/12/2007 e a
presente ação foi distribuída no dia 2901/2008. *_.-.
Ademais. não há qualquer dispositivo legót.que_impeço a renovação do locação por
novo CONTRATO. também com pram determinado, como ocorreu in cosu. (...)
b.,
Númeração Única: 0125566-98:20108.13.0024
RelatorDes.(a) MARCELO RODRIGUES...... 'ft......,...,
Relator do Acórdão:Des.0) MARCELO RODRIGUES
Data do Julgamento:30/03/2011 N\
Dato do Publicação:06/04/2611 ,
Inteiro Teor: r2; , .4001 A
APELAÇÃO - DESPEJO - PRELIMINAR) DE NULIDADE AFASTADA -
CONTRATO DE LOCAÇÃO POR PRAZO, SUP,ERIOR A TRINTA MESES -
DENÚNCIA VAZIA - AÇÃO PROPOSTA NÓ PRAZO DE TRINTX.DIAS - DESNECESSIDADE DE
MOTIVAÇÃO. Vigorando o CONTRATO de LOCAÇÃO RESIDENCIAL por prazo
determinado igual ou superior a trinta MESES;( findo este prazo. pode o locador
requerer a devolução do imóvel _sem motivaçtio, nos termos do art. 46, do Lei 8,245.
de 1991. '> -........... --
APELAÇÃO CÍVEL N° 1.0024.1001 556-61001 COMARCA BELO HORIZONTE ENV()
SANTOS APELANTE(S) MYRIAM AFONSINA JARD1M BORGES
APELADO(A)(S)
ACC:0RD AO Vistos etc., acordo, em Turma, a 11° CAMARA CÍVEL do Tribunal de
Justiça do Estado de Minas Gerais. no conformidade do ata dos julgamentos, di
unanimidade, em REJEITAR A PRELIMINAR E NEGAR PROVIMENTO AO RECURSO.
Belo Horizonte, 30 de março de 2011.
DES. MARCELO RODRIGUES,
Relator.
DES. MARCELO RODRIGUES (RELATOR)
(--)
No mérito, não h6 razões paro a reforma do sentença.
Documento recebido eletronicamente da origem

Trato-se de ação de despejo por denúncia vazia, nos moldes definidos no ort. 46, da
Lei 8.245, de 1991;
Art.46. Nas locações ojustodas por escrito e por prazo igual ou superior o trinta MESES,
a resolução do CONTRATO ocorrerá findo o prazo estipulado, independentemente de
notificação ou aviso.
§ 1° Findo o prazo ajustado, se o locatário continuar no posse do imóvel alugado por
mais de trinta dias sem oposição do locador, presumir - se - di prorrogado o

V
I
Woes canerclok bactOo, ct.l. t4:065.abeedite 02107210k1 eceru1s63 em ecceork Vanes osoodocao ftlecjiddal
Rua Santo Cn.a. 253 - centre -32603-295- Betim(mG) (coot= (31)3532-3141 - cel: (31)889411961
sfiviolonnoeterre.com.br seviolcnnoeadv.oabmg.ckg.br

I
(e-STJ Fl.154)

SÍLVIO LANNA
advocacia

LOCAÇÃO por prazo indelerminado, mantidos os demais cláusulas e condições


do CONTRATO.
§ 20 Ocorrendo o prorrogação, o locador poderá denunciar o CONTRATO a qualquer
tempo, concedido o prazo de trinta dias poro desocupação.
O CONTRATO fol firmado pelas partes na dato de 04.01.2006, com prazo inicial de
vigência para 18 e Janeiro de 2007 até 17 de Janeiro de 2010, totalizando 36 (trinta e
seis) MESES. I. 09/17-Ti.
A presente ação loi distribuído exotamente no dota de 18 de joeiro de 2010, ou seja
sem que houvesse sequer prazo para indicar o einimo de prorrogação por porte da
locadora. (...)

Número do processo: 1.0707.09.188339-7/001(1)


Númetação Única:1883397-68.2009.8.13.0707
Relotor:Des.(a) SEBASTIÃO PEREIRA DE SOUZA
Relator do Acórdão:Des.(a) SEBASTIÃO PEREIRA DE SOUZA -
Data do Julgomento:04/02/2011 -
Data do Publicação: 25/02/2011
Inteiro Teor: EMENTA: AÇÃO DE DESPE)OPOR DENUNCIA VAZIA - CONTRATO DE
LOCAÇÃO POR PRAZO DETERMINADO - REQUISITOS - AUSENCIA - HONORÁRIOS
ADVOCATICIOS - MANUTEK-40 -RECURSO NÃO PROVIDO. Encontrando-se presentes
os pressupostos autorizadorei.-da-DENONCIA VAZIA do locação não-residencial, quais
sejam: locação por tempo indit&minada,""nao interesse 'por porte do locador poro
continuar no relação locoticia. notificcao,pr&la ao locatário e prazo de 30 dias
para a entrego dos choves..81móyl. pode o locCidor requerer a desocupação do
imóvel locado sem necessidade cléN,motivo ou juilificativa, agindo em exercício
regular do direito ,o ele conferido pelo art. 57 do) Lei 8.245/91. Estando vigente
o CONTRATO de locoço,p'Sr prazo deterrninadolfirmodo enitre os partes, incabível o
suo resolução e determinação de despejcl,pdr DENCINCIAkAZI/,. 16 C:tte ausente um
dos requisitos necessários para a sua concessão. Menlo aSsiaritérios dos §§ 30 e 40 do
art. 20 do Código de Processo Civil, tem-se como,jueta,*e razoável a quantia dos
honorários odvocaticios de sucumbência, fixado péla MM° Juizo para os advogados
da ré, oro apelado. não havendo motivo_
poro suo redução. Negaram provimento ao
recurso.
APELAÇÃO CIVEL N° 1.070709488339-7/001 - COMARCA DE VARGINHA - APELANTE(S):
ImOBILIARIÁirSAMAR LTDA - APELADO(A)(S): ANDILA COM REPRES LTDA RELATOR:
EXMO. SR. DES. SEBASTIÃO PEREIRA DE SOUZA
ACÓRDÃO
Vistas etc.. acordo. em Turma. o 16° CÂMARA CIVEL do Tribunal de Justiça do Estado
de Minas Gerais, sob a Presidência do Desembargador BATISTA DE ABREU
incorporando neste o relatório de fls., no conformidade do ato dos julgamentos e dos
notas laquigróficas, à unanimidade de votos, EM NEGAR PROV1mENTO 60 RECURSO.
Belo Horizonte, 04 de fevereiro de 2011.
DES. SEBASTIÃO PEREIRA DE SOUZA- Relator
NOTAS TAQUIGRÁFICAS
0 SR. DES. SEBASTIÃO PEREIRA DE SOUZA: VOTO
Documento recebido eletronicamente da origem

No caso em apreço verifica-se às I. 08 que as portes firmaram CONTRATO de locação


com prazo de 36 MESES, com Inicio em 01.10.2005 e término em 30.09.2008. Vê-se,
ainda, que o locadora, ora apelante em 16.04.2009 notificou a apelado par()
desocupar o imóvel em trinta dias ao argumento de que j6 não tinha mais interesse
na locação. (...)

OtePocomareled. benetde.d4Mr** recooviro amok! ccoaohcalo rn economic *wan MOCCI3CO3 ervioxreti


Rua Santa Cruz. 253 - centro - 32600-295 - Betirn(MG) - tonefox: (31)3532-3141 cel: (31)8894-1961
silvlolonnoeteffo.com.br slMolonno.odv.00bnig.org.br
(e-STJ Fl.155)

SILVIO LANNA
advocacia

CONCLUSÃO DOS RECORRENTES

À vista do exposto, mantêm os recorrentes a firnie esperança de que


justiça lhes seja fella quando do apreciação do presente irresignoção por esse
Emérito Tribunal Superior. Aguardam e requerem, portanto, que seja dado
provimento ao Especial que oro lhes é submetido.

Nestes os,
Pede de i -nto.
Betim(MG), 'ulho de 2.012.

Silvio RNoc-il t Lonna Costa


.0AB(MG 0.252
!

D
Documento recebido eletronicamente da origem

11

OW* eorninkt bcrice*L. cht htohYo. frobahs3 - 01setsals eareLeedip o *WOW° trarCOs negodocOo ittiludclai
Ruo Santo Cruz. 253 - centro - 32600-295 - Betim(MG) - fonotox: (31)3532-3141 - cel: (31)8894-1961
stMolonno(Pterro.combr silviolonnoeadv.00brng!org.br

1
Documento recebido eletronicamente da origem (e-STJ Fl.156)
Documento recebido eletronicamente da origem (e-STJ Fl.157)
Documento recebido eletronicamente da origem (e-STJ Fl.158)
Documento recebido eletronicamente da origem (e-STJ Fl.159)
Documento recebido eletronicamente da origem (e-STJ Fl.160)
Documento recebido eletronicamente da origem (e-STJ Fl.161)
Documento recebido eletronicamente da origem (e-STJ Fl.162)
Documento recebido eletronicamente da origem (e-STJ Fl.163)
Documento recebido eletronicamente da origem (e-STJ Fl.164)
Documento recebido eletronicamente da origem (e-STJ Fl.165)
Documento recebido eletronicamente da origem (e-STJ Fl.166)
Documento recebido eletronicamente da origem (e-STJ Fl.167)
Documento recebido eletronicamente da origem (e-STJ Fl.168)
Documento recebido eletronicamente da origem (e-STJ Fl.169)
Documento recebido eletronicamente da origem (e-STJ Fl.170)
Documento recebido eletronicamente da origem (e-STJ Fl.171)
Documento recebido eletronicamente da origem (e-STJ Fl.172)
Documento recebido eletronicamente da origem (e-STJ Fl.173)
Documento recebido eletronicamente da origem (e-STJ Fl.174)
Documento recebido eletronicamente da origem (e-STJ Fl.175)
Documento recebido eletronicamente da origem (e-STJ Fl.176)
Documento recebido eletronicamente da origem (e-STJ Fl.177)
Documento recebido eletronicamente da origem (e-STJ Fl.178)
Documento recebido eletronicamente da origem (e-STJ Fl.179)
Documento recebido eletronicamente da origem (e-STJ Fl.180)
Documento recebido eletronicamente da origem (e-STJ Fl.181)
i

(e-STJ Fl.182) 1

4/...\ TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE MINAS GERAIS

Recurso Especial n' 1.0027.11.011302-7/003 em Apelação Cível


Comarca: BELO HORIZONTE

Recte(s): DENILSON DE SOUZA CRESPO E OUTRA


Recdo(s): VINICIUS BATISTA FERREIRA MACHADO

Cuida-se de recurso especial aviado por DENILSON DE SOUZA CRESPO E


OUTRA afirmando ofendido o disposto nos artigos 46 e 47 da Lei de Locação, pois,
para a apuração do interstício de trinta meses consignado na lei, para a interposição de
denúncia vazia, não é possível a cumulação de tantos quantos contratos firmados.

Diz que o entendimento é dissonante de decisões proferidas neste Tribunal.

0 recurso oferece condições de procedibilidade.

Cumpridos os requisitos extrínsecos de admissibilidade e tendo em vista que


não ha como solucionar a controvérsia sem.adentrar o mérito da invocação, hei por
bem submeter a matéria ao Tribunal de destino, a fim de que, na qualidade de guardião
da .lei federal, possa esclarecer. o.exato alcance.dos.dispositivos tidos por malferidos.
. - . . . .

7Admito,' Pois, .ci reCur66 especial. e detérmirio . sua remessa ao colendo


'
Superióe Tribunal de Justiçai, observadas as cautelas legais.

Belo. H6rizo'nte; 23 de outubro, 2Ó12.::


. .

* , - DES., MANOELIBRAVO SARAMAGO


TERCEIRO VICE-PRESIDENTE
¡u/
i :,,:i.....
! 1. :

1 .'Este é unyclocumeoto efetránlco assinado digilalmente conforme MP ri° 2.200-


212001 de 24/08/2001, que instituiu a lnfra-estrutura de Chaves Públicas
Brasileir1/4g.-..10R-siesitopor:

/'
1
1

00*
Nj ''' .
ç- ..*
.

' '
.Slgnatúrio: Desembargador MANUEL BRAVO SARAMAGO
.' 0 1.) . Nade Sésie do certificado: 4F60460E9048793882424180A7F16168
o : Data da:assinatura: BOO Honzonte.. 25 de outubro de,2012.6. 06:13:39.
,
eletrônico
www.tfing.jus.br 1
Paia coniferôncia,do:conteúdodeste. documento, acesso, na internei, o eticiereçà
http://www.ljrng.jus.bre digite O seguinte f/Li/7/0/P verificador:
Documento recebido eletronicamente da origem

10027.1101130270032012764245
:i
...'$. : :I ..:: I

Fl. 1/1
Número Verific8dor: 100271101130270032012764245
(e-STJ Fl.183)
i

Poder Judiciário do Estado de Minas Gerais


/

4° CARTÓRIO DE RECURSOS A OUTROS


TRIBUNAIS-UNID. R. GABAGLIA

CERTIDÃO

CERTIFICO que, para ciência das partes, foi


disponibilizada no "Diário do Judiciário
Eletrônico" de * 08/11/2012 e publicada em
09/11/2012, a súmula do despacho retro . 0
referido é verdade e dou fé. Belo Horizonte, 09 de
de 2012. Eu Fernando César Marçal,
Escrivão(ã) do 4° Cart' rio de Recursos a Outros
/novembro

1
Tribun -Unid. R. Gabaglia, a subscrevi,
Documento recebido eletronicamente da origem

Documento emitido pelo SIAP :


1131 111111111111111111011111011101
, 03250052018862500251008501926

Cód. 10.25.097-2
Documento recebido eletronicamente da origem (e-STJ Fl.184)
(e-STJ Fl.185)

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE


MINAS GERAIS

Registrado sob o Nº único 0113027-57.2011.8.13.0027


(10027110113027003)

CERTIDÃO DE VALIDAÇÃO DE PEÇAS INDEXADAS

Certifico que as peças eletrônicas indexadas


correspondem aos respectivos originais constantes dos autos
físicos, adquirindo suas páginas nova numeração eletrônica.
Foram validadas as seguintes peças constantes do índice:

- Petição Inicial fls. 3 à 5


- Preparo do Recurso Especial (Custas e fls. 18 à 18
Porte de Remessa e Retorno)
- Procuração do recorrente fls. 46 à 46
- Procuração do recorrente fls. 48 à 48
- Sentença fls. 82 à 85
- Petição de Apelação fls. 89 à 103
- Acórdão/Decisão Monocrática fls. 122 à 123
- Acórdão/Decisão Monocrática fls. 127 à 130
- Certidão de Publicação do Acórdão/Decisão fls. 132 à 132
Monocrática
- Petição dos Embargos de Declaração fls. 134 à 136
- Acórdão/Decisão Monocrática dos Embargos fls. 140 à 142
de Declaração
- Certidão de publicação do Acórdão/Decisão fls. 143 à 143
dos Embargos de Declaração
- Petição de Recurso Especial fls. 145 à 155
- Decisão de admissibilidade do Recurso fls. 182 à 182
Especial
- Certidão de publicação da Decisão de fls. 183 à 183
Admissibilidade do Recurso Especial

Belo Horizonte, 25 de janeiro de 2013.


Documento recebido eletronicamente da origem

__________________________________________
TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE MINAS GERAIS

(*) Documento assinado eletronicamente


(e-STJ Fl.186)

por (00449)/Denise Menezes Braga de Souza nos termos


do Art.1º §2º inciso III alínea "b" da Lei 11.419/2006
Documento recebido eletronicamente da origem
(e-STJ Fl.187)

Superior Tribunal de Justiça

REsp (201300197382)

CERTIDÃO

Certifico que o processo de número


10027110113027003 do TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO
ESTADO DE MINAS GERAIS foi protocolado sob o número
2013/0019738-2.

Brasília, 29 de janeiro de 2013

COORDENADORIA DE REGISTRO DE PROCESSOS


RECURSAIS
*Assinado por ÍTALO RUSSEL DE CARVALHO
CAVALCANTE
Documento eletrônico juntado ao processo em 29/01/2013 às 17:34:59 pelo usuário: ÍTALO RUSSEL DE CARVALHO CAVALCANTE

em 29 de janeiro de 2013 às 17:34:59

* Assinado eletronicamente nos termos do Art. 1º § 2º inciso III alínea "b" da Lei 11.419/2006
(e-STJ Fl.188)

Superior Tribunal de Justiça


Termo de Recebimento e Autuação
Recebidos os presentes autos, foram registrados e autuados no dia 13/02/2013
na forma abaixo:
RECURSO ESPECIAL Nº 1364668 (2013/0019738-2 Número Único: 0440-....)
Origem : TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE MINAS GERAIS
Localidade : BELO HORIZONTE / MG
Nº. na Origem : 10027110113027003 11302711 27110113027 10027110113027001
10027110113027002 10027110113027

Nºs. Conexos: :
Nº de Folhas : 187 Nº. de Volumes: 1 Nº de Apensos: 0
RECORRENTE DENÍLSON DE SOUZA CRESPO E OUTRO
ADVOGADO SÍLVIO RODOLFO DE LANNA COSTA
RECORRIDO VINÍCIUS BATISTA FERREIRA MACHADO
ADVOGADO VINÍCIUS BATISTA FERREIRA MACHADO (EM CAUSA PRÓPRIA)

CERTIDÃO

Certifico que, no Cadastro de Feitos deste Tribunal, foi verificada a existência de


processos relacionados ao RECURSO ESPECIAL Nº 1364668 (2013/0019738-2 Número
Único: 0440-....)
Processos com UF, Partes e Números de Origem comuns: Nada Consta
Documento eletrônico juntado ao processo em 18/02/2013 às 08:09:22 pelo usuário: ETEVALDO MOREIRA DA SILVA

Quantidade de Outros Processos com a Parte:


DENÍLSON DE SOUZA CRESPO - CPF/CNPJ: 785.463.626-53 0
VINÍCIUS BATISTA FERREIRA MACHADO 0

Quantidade de Outros Processos com o Número de Origem:


10027110113027003 0
11302711 0
27110113027 0
10027110113027001 0
10027110113027002 0
10027110113027 0

Brasília-DF, 18 de fevereiro de 2013.

COORDENADORIA DE CLASSIFICAÇÃO DE PROCESSOS RECURSAIS

INSPECIONADO: Nome da Parte Ocorrência


MAT.

18/02/2013 08:09:22 Fl. 1


(e-STJ Fl.189)

Superior Tribunal de Justiça Fls.

RECURSO ESPECIAL 1364668 / MG (2013/0019738-2)

TERMO DE DISTRIBUIÇÃO E ENCAMINHAMENTO

Distribuição

Em 18/02/2013 o presente feito foi classificado no assunto DIREITO CIVIL -


Obrigações - Espécies de Contratos - Locação de Imóvel - Despejo por Denúncia Vazia e
distribuído ao Exmo. Sr. Ministro RICARDO VILLAS BÔAS CUEVA, TERCEIRA TURMA.

Encaminhamento

Aos 18 de fevereiro de 2013 , vão


estes autos com conclusão ao Ministro Relator.

Coordenadoria de Classificação de Processos Recursais

Recebido no Gabinete do Ministro RICARDO VILLAS BÔAS CUEVA


em _______/________/20_____.
Documento eletrônico juntado ao processo em 18/02/2013 às 11:29:44 pelo usuário: ANTÔNIO CARLOS SOBRINHO DOS REIS
(e-STJ Fl.190)

Superior Tribunal de Justiça


Fls. ________
REsp 1364668/MG

CERTIDÃO

Certifico que, em cumprimento ao Mandado de Intimação nº.


000747-2017-CORD3T - Pauta , o(a) MINISTÉRIO PÚBLICO
FEDERAL foi intimado(a) da publicação do dia 26/10/2017, com ciente
em 26/10/2017, conforme Mandado arquivado nesta Coordenadoria em
27/10/2017.

Brasília-DF, 27 de outubro de 2017.


Documento eletrônico juntado ao processo em 27/10/2017 às 13:22:00 pelo usuário: LUCIANO ALVES DOS REIS

COORDENADORIA DA TERCEIRA TURMA


*Assinado por LUCIANO ALVES DOS REIS
em 27 de outubro de 2017 às 13:18:24
(e-STJ Fl.191)

Superior Tribunal de Justiça S.T.J


Fl.__________

CERTIDÃO DE JULGAMENTO
TERCEIRA TURMA

Número Registro: 2013/0019738-2 PROCESSO ELETRÔNICO REsp 1.364.668 / MG

Números Origem: 10027110113027 10027110113027001 10027110113027002


10027110113027003 11302711 27110113027
PAUTA: 07/11/2017 JULGADO: 07/11/2017

Relator
Exmo. Sr. Ministro RICARDO VILLAS BÔAS CUEVA
Presidente da Sessão
Exmo. Sr. Ministro MARCO AURÉLIO BELLIZZE
Subprocurador-Geral da República
Exmo. Sr. Dr. MÁRIO PIMENTEL ALBUQUERQUE
Secretária
Bela. MARIA AUXILIADORA RAMALHO DA ROCHA
AUTUAÇÃO
RECORRENTE : DENÍLSON DE SOUZA CRESPO E OUTRO
ADVOGADO : SÍLVIO RODOLFO DE LANNA COSTA - MG080252
RECORRIDO : VINÍCIUS BATISTA FERREIRA MACHADO
ADVOGADO : VINÍCIUS BATISTA FERREIRA MACHADO (EM CAUSA PRÓPRIA) -
MG070929
ASSUNTO: DIREITO CIVIL - Obrigações - Espécies de Contratos - Locação de Imóvel - Despejo
por Denúncia Vazia

CERTIDÃO
Certifico que a egrégia TERCEIRA TURMA, ao apreciar o processo em epígrafe na
sessão realizada nesta data, proferiu a seguinte decisão:
A Terceira Turma, por unanimidade, deu provimento ao recurso especial, nos
termos do voto do Sr. Ministro Relator.
Os Srs. Ministros Marco Aurélio Bellizze (Presidente), Moura Ribeiro, Nancy
Andrighi e Paulo de Tarso Sanseverino votaram com o Sr. Ministro Relator.

C542416155506<14443209@ 2013/0019738-2 - REsp 1364668

Documento eletrônico VDA17836995 assinado eletronicamente nos termos do Art.1º §2º inciso III da Lei 11.419/2006
Signatário(a): MARIA AUXILIADORA RAMALHO DA ROCHA, COORDENADORIA DA TERCEIRA TURMA Assinado em: 07/11/2017 19:17:22
Código de Controle do Documento: 17DC50B1-0BFB-412B-B8AE-580D5D8F5F96
(e-STJ Fl.192)

Superior Tribunal de Justiça


RECURSO ESPECIAL Nº 1.364.668 - MG (2013/0019738-2)

RELATOR : MINISTRO RICARDO VILLAS BÔAS CUEVA


RECORRENTE : DENÍLSON DE SOUZA CRESPO E OUTRO
ADVOGADO : SÍLVIO RODOLFO DE LANNA COSTA - MG080252
RECORRIDO : VINÍCIUS BATISTA FERREIRA MACHADO
ADVOGADO : VINÍCIUS BATISTA FERREIRA MACHADO (EM CAUSA PRÓPRIA)
- MG070929

EMENTA
RECURSO ESPECIAL. LOCAÇÃO. IMÓVEL URBANO RESIDENCIAL.
DENÚNCIA VAZIA. ART. 46 DA LEI Nº 8.245/1991. ACCESSIO TEMPORIS.
CONTAGEM DOS PRAZOS DE PRORROGAÇÕES. IMPOSSIBILIDADE.
ART. 47, V, DA LEI DO INQUILINATO. TEMPO DE PRORROGAÇÃO.
CÔMPUTO. CABIMENTO.
1. Recurso especial interposto contra acórdão publicado na vigência do
Código de Processo Civil de 1973 (Enunciados Administrativos nºs 2 e
3/STJ).
2. Ação de despejo proposta pelo locador objetivando a retomada do imóvel
com base em denúncia vazia do contrato (art. 46 da Lei nº 8.245/1991).
3. Acórdão recorrido que mantém a procedência do pedido para declarar
extinto o contrato de locação e determinar a imissão na posse do imóvel.
4. A controvérsia consiste em definir o cabimento da denúncia vazia
quando o prazo de 30 (trinta) meses, exigido pelo art. 46 da Lei nº
8.245/1991, é atingido com as sucessivas prorrogações do contrato de
locação de imóvel residencial urbano.
5. O art. 46 da Lei nº 8.245/1991 somente admite a denúncia vazia se um
único instrumento escrito de locação estipular o prazo igual ou superior a
30 (trinta) meses, não sendo possível contar as sucessivas prorrogações
dos períodos locatícios (accessio temporis).
6. Para contrato de locação inicial com duração inferior a 30 (trinta) meses,
o art. 47, V, da Lei nº 8.245/1991 somente autoriza a denúncia pelo
locador se a soma dos períodos de prorrogações ininterruptas ultrapassar o
lapso de 5 (cinco) anos.
7. Recurso especial provido.
ACÓRDÃO

Vistos e relatados estes autos, em que são partes as acima indicadas,


decide a Terceira Turma, por unanimidade, dar provimento ao recurso especial, nos
termos do voto do Sr. Ministro Relator. Os Srs. Ministros Marco Aurélio Bellizze
(Presidente), Moura Ribeiro, Nancy Andrighi e Paulo de Tarso Sanseverino votaram com
o Sr. Ministro Relator.
Brasília (DF), 07 de novembro de 2017(Data do Julgamento)

Ministro RICARDO VILLAS BÔAS CUEVA


Relator

VBC 02
REsp 1364668 C542416155506<14443209@ C320809818407<05@
2013/0019738-2 Documento Página 1

Documento eletrônico VDA17879270 assinado eletronicamente nos termos do Art.1º §2º inciso III da Lei 11.419/2006
Signatário(a): MINISTRO Ricardo Villas Bôas Cueva Assinado em: 16/11/2017 14:59:54
Publicação no DJe/STJ nº 2322 de 17/11/2017. Código de Controle do Documento: E6B98CF8-B6CB-4489-B435-A64CEE82D984
(e-STJ Fl.193)

Superior Tribunal de Justiça


RECURSO ESPECIAL Nº 1.364.668 - MG (2013/0019738-2)

RELATÓRIO

O EXMO. SR. MINISTRO RICARDO VILLAS BÔAS CUEVA (Relator):


Trata-se de recurso especial interposto por DENÍLSON DE SOUZA CRESPO E OUTRO,
com fundamento no art. 105, III, "a" e "c", da Constituição Federal, contra acórdão
proferido pelo Tribunal de Justiça do Estado de Minas Gerais assim ementado:

"AÇÃO DE DESPEJO - DENÚNCIA VAZIA - POSSIBILIDADE DE CONTAGEM


DO PRAZO DE TRINTA MESES COM A UTILIZAÇÃO DE RENOVAÇÕES
SUCESSIVAS POR PRAZO DETERMINADO - SENTENÇA MANTIDA
- Em todas as locações residenciais por escrito, com prazo igual ou superior a
trinta meses, admitindo-se para a contagem deste prazo a ocorrência de
renovações sucessivas por prazo determinado, fica evidenciada a
possibilidade da denúncia vazia, que é a faculdade de rescindir a locação sem
a obrigação de demonstrar a razão ou a necessidade da retomada do imóvel,
diferente do que ocorre quando o prazo é inferior a trinta meses, onde os
locadores irão subordinar-se às restrições do artigo 47, ou seja, denúncia
justificada.
- Recurso Não Provido" (fls. 127-130 e-STJ).

Os embargos de declaração opostos (fls. 134-136 e-STJ) foram rejeitados


(fls. 140-142 e-STJ).

Nas razões recursais (fls. 145-155 e-STJ), os recorrentes alegam violação


dos arts. 46 e 47 da Lei nº 8.245/1991, além de dissídio jurisprudencial.

Sustentam a impossibilidade de despejo por denúncia vazia, pois nenhum


dos contratos de locação foi celebrado por prazo superior a 30 (trinta) meses.

Asseveram que a locação, entretanto, "foi firmada por três instrumentos


distintos, sendo que nenhum deles com prazo de trinta meses" (fl. 146 e-STJ), não sendo
possível, no caso, a cumulação dos períodos de renovação contratual.

Sem as contrarrazões (fl. 180 e-STJ), e admitido o recurso na origem (fl.


182 e-STJ), os autos ascenderam a esta Corte Superior.

É o relatório.

VBC 02
REsp 1364668 C542416155506<14443209@ C32042523006501:@
2013/0019738-2 Documento Página 1

Documento eletrônico VDA17879269 assinado eletronicamente nos termos do Art.1º §2º inciso III da Lei 11.419/2006
Signatário(a): MINISTRO Ricardo Villas Bôas Cueva Assinado em: 16/11/2017 14:59:54
Código de Controle do Documento: B6FB5EEB-20D0-45E1-A8E4-E4EE8A9FD918
(e-STJ Fl.194)

Superior Tribunal de Justiça


RECURSO ESPECIAL Nº 1.364.668 - MG (2013/0019738-2)

VOTO

O EXMO. SR. MINISTRO RICARDO VILLAS BÔAS CUEVA (Relator):

A irresignação merece prosperar.

O acórdão impugnado pelo presente recurso foi publicado na vigência do


Código de Processo Civil de 1973 (Enunciados Administrativos nºs 2 e 3/STJ).

Nesta via especial, os recorrentes discutem a possibilidade de denúncia


vazia em contrato de locação de imóvel residencial urbano com suporte no art. 46 da Lei
nº 8.245/1991 (Lei de Locações ou do Inquilinato).

(i) Breve histórico da demanda

Na origem, VINÍCIUS BATISTA FERREIRA MACHADO propôs ação de


despejo contra DENILSON DE SOUZA CRESPO e ALYNE DE ARAÚJO SANTOS
postulando a desocupação do imóvel e a entrega das chaves (fls. 3-5 e-STJ).

Narra que celebrou contrato de locação para o período inicial de


1º/10/2008 a 31/3/2009 (duração de 6 meses - contrato de fls. 9-10 e-STJ), prorrogado
por escrito mediante dois aditivos contratuais até o dia 31/3/2011, totalizando 30
(trinta) meses. Após, notificou extrajudicialmente os requeridos para comunicar o
desinteresse na renovação.

O juízo de primeiro grau julgou procedente o pedido (fls. 82-85 e-STJ). No


julgamento da apelação (fls. 127-130 e-STJ), o Tribunal de origem negou provimento ao
recurso com base nos seguintes fundamentos:

"(...) A controvérsia cinge-se na verificação se é possível ou não a


soma do contrato originário com os aditamentos sucessivos, para o cômputo
do prazo de trinta meses consignado no art. 46 da Lei 8.245/91, para a
interposição da denúncia vazia.
A denúncia vazia é a faculdade de rescindir a locação sem a
obrigação de demonstrar a razão ou a necessidade da retomada do imóvel.
Quando não há possibilidade de renovação compulsória da locação, o contrato
submete-se aos princípios gerais da lei do inquilinato, sujeitando-se a
denúncia vazia. Assim, terminando o prazo do contrato, cumpre ao locatário
promover a ação de despejo nos 30 dias seguintes; caso contrário, terá que
notificar previamente o locador.
A intenção do legislador foi dilatar o prazo inicial dos contratos
de locação residencial, concedendo ao locador a possibilidade de reaver o
VBC 02
REsp 1364668 C542416155506<14443209@ C32042523006501:@
2013/0019738-2 Documento Página 2

Documento eletrônico VDA17879269 assinado eletronicamente nos termos do Art.1º §2º inciso III da Lei 11.419/2006
Signatário(a): MINISTRO Ricardo Villas Bôas Cueva Assinado em: 16/11/2017 14:59:54
Código de Controle do Documento: B6FB5EEB-20D0-45E1-A8E4-E4EE8A9FD918
(e-STJ Fl.195)

Superior Tribunal de Justiça


imóvel sem ter que justificar sua motivação, podendo ser esta qualquer que
seja, do outro lado concede ao inquilino uma maior estabilidade, podendo esse
usufruir do imóvel por um período de 2 anos e meio sem a ameaça da
retomada do imóvel. (...)
Em todas as locações residenciais por escrito, com prazo
igual ou superior a trinta meses, admitindo-se para o cômputo deste
prazo a soma do contrato original com os aditivos sucessivos
firmados pelas partes, fica evidenciada a presença da denúncia
vazia, que é a faculdade de rescindir a locação sem a obrigação de
demonstrar a razão ou a necessidade da retomada do imóvel, diferente do
que ocorre quando o prazo é inferior a trinta meses, onde os locadores irão
subordinar-se às restrições do artigo 47, ou seja, denúncia justificada" (fls.
129-130 e-STJ - grifou-se).

(ii) Cabimento da denúncia vazia

A controvérsia está em definir o cabimento da denúncia vazia quando o


prazo de 30 (trinta) meses, exigido pelo art. 46 da Lei nº 8.245/1991, é atingido com as
sucessivas prorrogações do contrato de locação de imóvel residencial urbano.

Por oportuno, convém transcrever o dispositivo em discussão:

"Art. 46. Nas locações ajustadas por escrito e por prazo igual ou superior a
trinta meses, a resolução do contrato ocorrerá findo o prazo estipulado,
independentemente de notificação ou aviso.
§ 1º Findo o prazo ajustado, se o locatário continuar na posse do imóvel
alugado por mais de trinta dias sem oposição do locador, presumir - se - á
prorrogada a locação por prazo indeterminado, mantidas as demais cláusulas
e condições do contrato.
§ 2º Ocorrendo a prorrogação, o locador poderá denunciar o contrato a
qualquer tempo, concedido o prazo de trinta dias para desocupação."

Chama-se de denúncia vazia a possibilidade de o locador solicitar a


retomada do imóvel sem a necessidade de apresentar justificativas. Em contrapartida, a
denúncia cheia exige que sejam indicadas as motivações expressas em lei. Ocorrendo
qualquer das duas situações, o contrato de locação será extinto.

O caput do art. 46 da Lei do Inquilinato assenta a hipótese em que se


operará a cessação do contrato, sem a exigência de notificação ou aviso. Ou seja,
encerra-se o negócio jurídico com o mero decurso do prazo. No entanto, se o locatário
prosseguir na posse do imóvel por período superior a 30 (trinta) dias, prorroga-se o
contrato por prazo indeterminado e a denúncia só poderá ser feita mediante notificação.

Cumpre destacar que inexiste discussão a respeito da necessidade, ou


não, da comunicação premonitória. De todo modo, os locatários - ora recorrentes -
VBC 02
REsp 1364668 C542416155506<14443209@ C32042523006501:@
2013/0019738-2 Documento Página 3

Documento eletrônico VDA17879269 assinado eletronicamente nos termos do Art.1º §2º inciso III da Lei 11.419/2006
Signatário(a): MINISTRO Ricardo Villas Bôas Cueva Assinado em: 16/11/2017 14:59:54
Código de Controle do Documento: B6FB5EEB-20D0-45E1-A8E4-E4EE8A9FD918
(e-STJ Fl.196)

Superior Tribunal de Justiça


foram devidamente informados sobre a intenção de não renovar o pacto (fls. 13-17
e-STJ).

Delimitada a discussão, observa-se que a posição do acórdão recorrido está


calcada no instituto da acessão de tempo, isto é, na somatória dos prazos dos diversos
contratos sucessivos. No caso, o período de 30 (trinta) meses foi obtido a partir da
seguinte conclusão: (i) contrato originário celebrado pelo tempo de 6 (seis) meses (fls.
9-10 e-STJ) e (ii) dois aditivos contratuais pelo prazo de 1 (um) ano cada (fls. 11-12
e-STJ).

Todavia, quando a Lei nº 8.245/1991 quis adotar a accessio temporis, fê-lo


expressamente, a exemplo do art. 51, II, segundo o qual o locatário de imóveis para fins
comerciais terá direito à renovação do instrumento de locação se demonstrar, dentre
outros requisitos, que o prazo mínimo do contrato a renovar ou a soma dos acordos
escritos seja superior a 5 (cinco) anos.

Nesse aspecto, a Terceira Turma decidiu que a "Lei 8.245/91 acolheu


expressamente a possibilidade de 'accessio temporis', ou seja, a soma dos períodos
ininterruptos dos contratos de locação para se alcançar o prazo mínimo de 5 (cinco) anos
exigido para o pedido de renovação" (REsp nº 1.323.410/MG, Rel. Ministra Nancy
Andrighi, Terceira Turma, julgado em 7/11/2013, DJe 20/11/2013).
Por sua vez, o art. 46, caput, traz a expressão "por prazo igual ou superior a
trinta meses", sem permitir explicitamente a contagem de múltiplos instrumentos
negociais, ainda que haja apenas a prorrogação dos períodos locatícios, sem a alteração
das condições originalmente pactuadas. Assim, a lei é clara quanto à
imprescindibilidade do requisito temporal em um único pacto, cujo objetivo é
garantir a estabilidade contratual em favor do locatário.

A doutrina caminha nessa linha de intelecção:

"(...) Não há se falar em soma de prazos contratuais para inserir


a locação na hipótese deste artigo. A concessão especial, ao locador, da
denúncia aqui prevista, pressupõe estrita observância das condições formal e
temporal indicada na lei". (CARNEIRO, Waldir de Arruda Miranda. Anotações
à lei do inquilinato. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2008, pág. 306)

"(...) Não se admite a soma de prazos contratuais para os fins


deste artigo. A lei é clara quando estabelece, como requisito, contrato escrito
por prazo igual ou superior a trinta meses, e seu objetivo é claro: em troca da
estabilidade contratual conferida ao locatário, pelo prazo de dois anos e meio,
VBC 02
REsp 1364668 C542416155506<14443209@ C32042523006501:@
2013/0019738-2 Documento Página 4

Documento eletrônico VDA17879269 assinado eletronicamente nos termos do Art.1º §2º inciso III da Lei 11.419/2006
Signatário(a): MINISTRO Ricardo Villas Bôas Cueva Assinado em: 16/11/2017 14:59:54
Código de Controle do Documento: B6FB5EEB-20D0-45E1-A8E4-E4EE8A9FD918
(e-STJ Fl.197)

Superior Tribunal de Justiça


através de um só ajuste, compensa-se o locador com o direito de retomar o
prédio ao fim daquele prazo. Assim, não pode aproveitar o locador a soma de
mais de um contrato, ainda que não tenha ocorrido hiato temporal entre eles,
porque ausente aquela compensação acima referida" (BARROS, Francisco
Carlos Rocha de. Comentários à lei do inquilinato. São Paulo: Saraiva, 1997,
pág. 232)

Essa impossibilidade de adotar a accessio temporis para o caso de denúncia


vazia fica mais evidente quando se analisa o art. 47, V, da Lei de Locações.

De acordo com o dispositivo, na hipótese em que o ajuste locatício for


verbal ou escrito, tendo o prazo inferior a 30 (trinta) meses, a denúncia pode ser
realizada pelo locador se a vigência ininterrupta ultrapassar o lapso de 5 (cinco) anos.

Eis a redação do referido artigo:

"Art. 47. Quando ajustada verbalmente ou por escrito e como prazo


inferior a trinta meses, findo o prazo estabelecido, a locação
prorroga - se automaticamente, por prazo indeterminado, somente
podendo ser retomado o imóvel:
I - Nos casos do art. 9º;
II - em decorrência de extinção do contrato de trabalho, se a ocupação do
imóvel pelo locatário relacionada com o seu emprego;
III - se for pedido para uso próprio, de seu cônjuge ou companheiro, ou para
uso residencial de ascendente ou descendente que não disponha, assim como
seu cônjuge ou companheiro, de imóvel residencial próprio;
IV - se for pedido para demolição e edificação licenciada ou para a realização
de obras aprovadas pelo Poder Público, que aumentem a área construída, em,
no mínimo, vinte por cento ou, se o imóvel for destinado a exploração de hotel
ou pensão, em cinqüenta por cento;
V - se a vigência ininterrupta da locação ultrapassar cinco anos".
(grifou-se)

Ora, o dispositivo acima deve ser utilizado nos casos em que, apesar de
haver diversos contratos, com sucessivas prorrogações, o prazo de nenhum deles,
considerado individualmente, for superior a 30 (trinta) meses. Em outras palavras,
essa situação permite que o locador denuncie o pacto se ocorrerem contínuas dilações,
cuja soma dos períodos for maior que 5 (cinco) anos.

Nesse contexto, fica evidente que o art. 46 da Lei do Inquilinato somente


admite a denúncia vazia se um único instrumento negocial estipular o prazo igual ou
superior a 30 (trinta) meses, sendo impertinente contar as sucessivas prorrogações.

Entretanto, se o locador opta por celebrar a locação por prazo inferior a 30


(trinta) meses, deve aguardar o prazo de 5 (cinco) anos para denunciar o contrato sem
VBC 02
REsp 1364668 C542416155506<14443209@ C32042523006501:@
2013/0019738-2 Documento Página 5

Documento eletrônico VDA17879269 assinado eletronicamente nos termos do Art.1º §2º inciso III da Lei 11.419/2006
Signatário(a): MINISTRO Ricardo Villas Bôas Cueva Assinado em: 16/11/2017 14:59:54
Código de Controle do Documento: B6FB5EEB-20D0-45E1-A8E4-E4EE8A9FD918
(e-STJ Fl.198)

Superior Tribunal de Justiça


apresentação de justificativa, conforme o art. 47 da Lei nº 8.245/1991.

Em resumo: o art. 46, ao contrário do decidido pelo Tribunal de origem,


não admite a accessio temporis, razão pela qual o pedido de denúncia vazia deve ser
julgado improcedente.

Sílvio de Salvo Venosa explica a aplicação dos arts. 46 e 47 da Lei


Locações:

"(...) Aplica-se o art. 47 sempre que a locação for verbal e quando


o contrato escrito inicial for inferior a trinta meses. Uma renovação contratual
após o decurso de um contrato inicial de vinte e quatro meses, por exemplo,
não faz com que a soma do contrato possibilite a denúncia vazia pelo art. 46".
(VENOSA, Sílvio de Salvo. Lei do inquilinato comentada. São Paulo: Atlas,
2015, págs. 236-267).

Por fim, a exposição de motivos da Lei nº de 8.245/1991 também encampa


a perspectiva adotada no presente voto:

"(...) Na proposta ora enviada a Vossa Excelência, garante-se


uma estabilidade maior ao locatário na ocupação do imóvel, que só
poderá ser retomado após um prazo mínimo de trinta meses,
garantidos ainda mais seis meses para desocupação, caso haja acordo
judicial ou extrajudicial. Ao mesmo tempo, garantiu-se, ao contrário da
legislação vigente, a possibilidade de não renovação automática do contrato.
Nos contratos residenciais fixados por prazo inferior a trinta
meses, a retomada do imóvel só poderá ser viabilizada em hipótese
especialíssimas, como para uso próprio, para ascendente ou descendente,
aplicando-se severas penalidades ao retomado insincero. Ainda nos
contratos com prazo inferior a trinta meses, facultou-se ao locador a
retomada ao término de cinco anos de utilização do imóvel pelo
locatário, assegurando-se, também por este mecanismo, a necessária
estabilidade do inquilino e de sua família" (SLAIBI FILHO, Nagib.
Comentários à nova lei do inquilinato. Rio de Janeiro: Forense, 1997, pág.
549).

(iii) Do dispositivo

Ante o exposto, dou provimento ao recurso especial para julgar


improcedente o pedido, nos termos do art. 487 do Código de Processo Civil de 2015.
Arcará o autor - ora recorrido - com o pagamento das despesas processuais
e honorários advocatícios, estes fixados em 10% (dez por cento) sobre o valor atualizado
da causa.
É o voto.

VBC 02
REsp 1364668 C542416155506<14443209@ C32042523006501:@
2013/0019738-2 Documento Página 6

Documento eletrônico VDA17879269 assinado eletronicamente nos termos do Art.1º §2º inciso III da Lei 11.419/2006
Signatário(a): MINISTRO Ricardo Villas Bôas Cueva Assinado em: 16/11/2017 14:59:54
Código de Controle do Documento: B6FB5EEB-20D0-45E1-A8E4-E4EE8A9FD918
(e-STJ Fl.199)

Superior Tribunal de Justiça

REsp 1364668/MG (2013/0019738-2)

PUBLICAÇÃO

Certifico que foi disponibilizado no Diário da Justiça


Eletrônico/STJ em 16/11/2017 o referido acórdão de fls. 192 e considerado
publicado em 17 de novembro de 2017, nos termos do artigo 4º, § 3º, da Lei
11.419/2006. Certifico, ainda, que o cabeçalho da decisão foi atualizado
quanto à autuação do processo, para fins de intimação.

______________________________________________
COORDENADORIA DA TERCEIRA TURMA

(*) Documento assinado eletronicamente


por LUCIANO ALVES DOS REIS nos termos
do Art. 1º § 2º inciso III alínea "b" da Lei 11.419/2006

Código de Controle do Documento: 2CC3B67C-3342-4F2D-B6F1-6BF638FA940E


(e-STJ Fl.200)

Superior Tribunal de Justiça

REsp 1364668

TERMO DE CIÊNCIA

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL intimado(a)


eletronicamente em 27/11/2017 do(a) Ementa / Acordão de fl.(s) 192
publicado(a) no DJe em 17/11/2017.

Brasília - DF, 27 de Novembro de 2017

SUPERIOR TRIBUNAL DE JUSTIÇA


Documento eletrônico juntado ao processo em 27/11/2017 às 02:15:02 pelo usuário: SISTEMA JUSTIÇA
(e-STJ Fl.201)

Superior Tribunal de Justiça


REsp 1364668/MG

CERTIDÃO DE TRÂNSITO E TERMO DE BAIXA

Certifico que o v. acórdão retro transitou em julgado no dia 12 de


dezembro de 2017.
Registro a baixa destes autos à(o) TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO
DE MINAS GERAIS .

Brasília - DF, 14 de dezembro de 2017

COORDENADORIA DA TERCEIRA TURMA

*Assinado por RONILSON DE SOUSA ROCHA


em 14 de dezembro de 2017 às 07:44:03
1 Volume(s)
0 Apenso(s)
Documento eletrônico juntado ao processo em 14/12/2017 às 07:44:03 pelo usuário: RONILSON DE SOUSA ROCHA

* Assinado eletronicamente nos termos do Art. 1º § 2º inciso III alínea "b" da Lei 11.419/2006