Você está na página 1de 75

PLANEJAMENTO E

CONTROLE
ORÇAMENTÁRIO

Todos os direitos reservados. 0800 709 8100


totvs.com
1. INTRODUÇÃO..................................................................................................... 5

2. CARACTERÍSTICAS DO PCO................................................................................. 6

3. PRINCIPAIS FUNCIONALIDADES ........................................................................... 7

4. REQUISITOS FUNDAMENTAIS .............................................................................. 9

5. FLUXO OPERACIONAL ....................................................................................... 12

6. PARAMETRIZAÇÃO ........................................................................................... 13

7. CADASTROS ..................................................................................................... 15
7.1. Plano de Contas Orçamentário ............................................................................. 15
7.2. Operações ..................................................................................................................... 17
7.3. Classes............................................................................................................................. 17
7.4. Tipos de Saldos ........................................................................................................... 19
7.5. Centro de Custos ........................................................................................................ 21
7.6. Máscaras Contábeis................................................................................................... 21
7.7. Totalizadores ................................................................................................................ 22
7.8. Contingência ................................................................................................................ 23
7.9. Grupo de Aprovadores............................................................................................. 24
7.10. Limites de Aprovação................................................................................................ 25
7.11. Planilhas ......................................................................................................................... 25
7.12. Planejamento de Receitas ....................................................................................... 26
7.13. Planejamento de Despesas..................................................................................... 28
7.14. Planejamento de Movimentos não Operacionais .......................................... 29
7.15. Planejamento de Folha de Pagamento .............................................................. 30
7.16. Orçamentos .................................................................................................................. 31
7.17. Manutenção de Orçamentos ................................................................................. 32
7.18. Total por Classe........................................................................................................... 32
7.19. Acumulado por Classe.............................................................................................. 33
7.20. Acumulado por Centro de Custo.......................................................................... 33
7.21. Criando uma Planilha Orçamentária ................................................................... 34

Página 2 Planejamento e Controle Orçamentário


7.22. Alterando uma Planilha Orçamentária ...............................................................35
7.23. Revisões..........................................................................................................................38
7.24. Versões ...........................................................................................................................38
7.25. Simulações ....................................................................................................................39
7.26. Processo de Simulação.............................................................................................39
7.27. Visão Gerencial ............................................................................................................41

8. MOVIMENTOS ..................................................................................................42
8.1. Lançamentos ................................................................................................................42
8.2. Operações .....................................................................................................................42
8.3. Rastreamento de Lançamentos.............................................................................43
8.4. Atualização de Cubos................................................................................................43
8.5. Cubos Gerenciais ........................................................................................................44
8.6. Tipo de Atualização ...................................................................................................45
8.7. Configurações de Cubos..........................................................................................46
8.8. Tipos de Bloqueio.......................................................................................................46
8.9. Lançamentos ................................................................................................................49
8.10. Configuração de Pontos de Lançamento ..........................................................51
8.11. Bloqueios .......................................................................................................................54
8.12. Pontos de Bloqueio....................................................................................................56
8.13. Visões ..............................................................................................................................56
8.14. Usuários – Diretivas de Acessos............................................................................58
8.15. Entidades .......................................................................................................................60
8.16. Configuração de Cubos............................................................................................61
8.17. Visão Gerencial ............................................................................................................62
8.18. Planejamento ...............................................................................................................62
8.19. Receitas Relacionadas...............................................................................................63
8.20. Tipos de Movimento .................................................................................................63
8.21. Custos Relacionados..................................................................................................64
8.22. Cadastro de Despesas...............................................................................................64
8.23. Cadastros de Movimentos não Operacionais..................................................65
8.24. Cadastro de Verbas....................................................................................................65
8.25. Cadastro de Roteiro de Verbas .............................................................................66

9. CONSULTAS .....................................................................................................67

Planejamento e Controle Orçamentário Página 3


9.1. Cubos ..............................................................................................................................67
9.2. Visões ..............................................................................................................................68

10. RELATÓRIOS.....................................................................................................71
10.1. Cadastros .......................................................................................................................71
10.2. Planilhas .........................................................................................................................71
10.3. Movimentos..................................................................................................................72
10.4. Cubos ..............................................................................................................................72
10.5. Cubos Comparativos .................................................................................................73
10.6. Visões ..............................................................................................................................73
10.7. Miscelâneas...................................................................................................................74
10.8. Lançamentos ................................................................................................................74

Página 4 Planejamento e Controle Orçamentário


1. INTRODUÇÃO

Muitas organizações estão distribuídas, geograficamente, em escritórios, plantas de


produção, lojas e outras unidades que podem estar em cidades e países diferentes.
Hoje, as empresas estão interligadas por redes, como e-mail, Internet, fax, entre etc.
Porém, o processo orçamentário ainda é deficiente se considerarmos as necessidades
de preparação de orçamentos e relatórios gerenciais, por exemplo. Além do aspecto
físico existe o aspecto de controle. Quando são utilizados softwares de planilhas, por
exemplo, o orçamento fica fora de sintonia com o resto da organização, exigindo uma
demanda maior para a execução dos processos e, muitas vezes, com números que não
oferecem confiança.
O sistema SIGAPCO é um módulo colaborativo no qual todos os usuários envolvidos
têm acesso às informações do processo orçamentário. A integração com os outros
componentes da aplicação PROTHEUS (Compras, Vendas, Financeiro, Estoques e
Custos, etc.) promove o controle integrado do processo orçamentário, oferecendo
dados gerenciais precisos sobre o orçamento e a gestão da organização.

Planejamento e Controle Orçamentário Página 5


2. CARACTERÍSTICAS DO PCO

A empresa pode controlar seu orçamento desde as previsões iniciais, as revisões, até a
realização dos valores pelos lançamentos;
A área responsável pela administração dos orçamentos pode visualizar/consultar, de
forma integrada, a situação atual do orçamento durante a fase de planejamento;
Os orçamentos são incluídos e alimentados de forma descentralizada. Assim, cada
responsável faz a digitação da sua parte diretamente no sistema;
Possui um método de inclusão de dados de fácil manuseio, possibilitando a cópia de
valores, a distribuição de valores automática e o reajuste de forma rápida e eficiente;
Possui rigoroso controle dos usuários, visto que os acessos às contas e níveis podem
ser definidos;
Conta com um eficiente controle de revisões, que permite rastrear as informações
desde a sua criação;
A área de simulações orçamentárias permite ao elaborador prever eventuais
problemas, auxiliando na tomada de decisão;
Permite o controle de todos os quadros orçamentários por meio de visões, contas,
classes e operações;
Disponibiliza o controle orçamentário por quantidades e valor;
Permite o bloqueio de processos efetuados em outros módulos quando o orçamento
não possuir saldo suficiente para aquele movimento;
Está totalmente integrado aos módulos da versão P10, e pode se desvincular da
Contabilidade Gerencial/Fiscal.

Página 6 Planejamento e Controle Orçamentário


3. PRINCIPAIS FUNCIONALIDADES

Podemos dividir o processo orçamentário de acordo com suas principais


funcionalidades:

Definição de Contas, Classes e Operações

O detalhamento de um plano de contas orçamentárias (que podem ser compatíveis


com contas contábeis ou centros de custo, por exemplo), das classes orçamentárias e
de operações, corretos e de acordo com as expectativas da empresa é essencial para a
eficácia do controle orçamentário.

Definição de Usuários

A definição dos usuários, bem como sua posição na estrutura do orçamento, permite
um controle de segurança efetivo em todo o processo.

Planejamento Orçamentário

A preparação do orçamento exige um alto grau de conhecimento da empresa sobre os


dados gerenciais e das expectativas de resultados.

Relatórios de Acompanhamento

Os totalizadores necessários, bem como as visões gerenciais, permitem o controle


efetivo do resultado orçamentário e podem ser totalmente configurados de acordo
com as necessidades da empresa.

Para uso do módulo Planejamento e Controle Orçamentário é de


extrema importância a utilização do TOPCONNECT e do banco de dados
relacional.

Visão Geral do Processo Orçamentário

O módulo SIGAPCO pode ser utilizado para o orçamento da empresa ou para outras
aplicações financeiras, tais como:

Detalhamento do Orçamento

O orçamento financeiro é a principal aplicação do sistema SIGAPCO e o mais idealizado


pela maioria das empresas quando se trata de orçamentos. O orçamento financeiro

Planejamento e Controle Orçamentário Página 7


envolve a preparação de números detalhados pelas contas orçamentárias
(normalmente estruturado pelo centro de custo ou pelo plano de contas contábeis) os
quais são componentes funcionais da organização. Os valores têm de ser informados
ou calculados para cada conta do plano de contas orçamentárias. Uma companhia
simples pode ter um plano de contas complexo com centenas ou milhares de contas a
serem orçadas. Os valores orçados também devem ser informados ou calculados para
um dado período de tempo. Em algumas empresas, apenas um orçamento financeiro
pode ser suficiente para sua gestão. Entretanto, empresas que possuem muitas linhas
de produtos ou serviços ou mesmo com um grau de complexidade maior querem
prever o detalhamento de vendas, custos, contratações, etc., exigindo assim um
orçamento mais arrojado com combinações entre valores, quantidades, contratações,
etc.

Controle de Versão, Simulação e Acompanhamento

Em qualquer tipo de orçamento a ser implantado é necessário fazer previsões,


alterações, armazenar históricos, simulações e efetuar o acompanhamento do
orçamento. Durante seu ciclo de vida, as simulações são necessárias para produzir
novas estimativas e previsões sem que o orçamento seja alterado, considerando-se os
dados reais do orçamento até o momento (“year to date” e “rest-of-year”).
Estas atualizações podem ser registradas por um controle de versão eficiente do
orçamento, no qual o usuário terá todo o histórico para consulta e extração de valores.
Os relatórios de acompanhamento do SIGAPCO, com totalizadores customizados ou
mesmo sobre visões do orçamento, permitem reportar os dados reais orçados e
empenhados.

Página 8 Planejamento e Controle Orçamentário


4. REQUISITOS FUNDAMENTAIS

Existem algumas informações que necessitam ser claramente definidas e entendidas ao


iniciar o planejamento orçamentário:

Definir Plano de Contas Orçamentário

Para se dar início a utilização do módulo SIGAPCO, é necessário definir o plano de


contas orçamentário utilizado para elaboração das planilhas orçamentárias.
Normalmente, as empresas utilizam o próprio plano de contas contábil ou a tabela de
centros de custos como base para este cadastro.

Definir Classes Orçamentárias

As características das classes devem ser definidas antes da elaboração das planilhas,
pois a classe é um item orçamentário obrigatório na planilha.

Definir Operações Orçamentárias

Neste cadastro podem ser definidas as operações, utilizadas como subdivisão da classe
nos itens orçamentários.
Exemplo:

Classe Operação

Compra de Produtos Compra de Produtos Nacionais

Compra de Produtos Importados

Cadastrar Tipos de Saldos

O cadastro de tipos de saldos é utilizado no processo de atualizações e


reprocessamentos dos cubos gerenciais. É também responsável por identificar os
movimentos orçamentários contabilizados.

Cadastrar Entidades Contábeis/Máscaras de Entidade Contábil

Quando a empresa utiliza o sistema PROTHEUS de maneira integrada, estes cadastros


normalmente já existem em função do módulo Contabilidade Gerencial. Se não houver
integração, neste momento devem ser definidas as entidades contábeis e suas
máscaras.

Elaborar Planilha Orçamentária

Planejamento e Controle Orçamentário Página 9


Após o preenchimento dos cadastros, a planilha orçamentária pode ser criada
definindo-se suas contas orçamentárias, informando a periodicidade e seus valores,
além da classe/operação e entidades contábeis.

Revisões da Planilha Orçamentária

A planilha orçamentária pode ser modificada normalmente condicionada à mudanças


de situação, reajustes/cortes determinados por ordens superiores. As revisões
preservam a versão atual da planilha criando uma cópia, na qual os usuários efetuam
os ajustes necessários para atendimento das solicitações.

Simulações da Planilha Orçamentária

A planilha orçamentária pode ser copiada para uma módulo de simulação, no qual os
itens orçamentários podem sofrer modificações para experimento de uma nova
situação ou para simular o impacto ocorrido em função de determinados
reajustes/cortes nos valores informados.

Movimentação - Lançamentos

Normalmente, os lançamentos são gerados pelo processo de contabilização


orçamentária, e suas origens são definidas no cadastro de lançamentos por processo,
que utilizamos para cadastrar as funções do sistema (integração com ERP) e detalhar as
operações, tais como inclusão, alteração e exclusão, para que, automaticamente,
atualizem a tabela de movimento. Contudo, os movimentos podem também ser
incluídos manualmente.

Bloqueios

Os bloqueios são gerados por meio do processo de contabilização orçamentária e suas


origens são definidas no cadastro de pontos de bloqueio, que utilizamos para cadastrar
As funções do sistema (integração com ERP) e detalhar as operações, tais como
inclusão, alteração e exclusão, para que, automaticamente, atualizem os movimentos
de bloqueio além do relacionamento com o cadastro dos tipos de bloqueio.

Acompanhamento e Controle

O acompanhamento e controle do orçamento podem ser realizados mediante


consultas aos cubos gerenciais em tela e relatórios comparativos entre orçado e
realizado e também consulta de visão gerencial (orçado).

Consultas - Visão Gerencial

Página 10 Planejamento e Controle Orçamentário


Possibilita efetuar consultas e/ou visões gerenciais orçamentárias, gerando
consolidação de planilhas, demonstrativos de resultados, etc. de acordo com as
definições e parâmetros estabelecidos.

Relatórios

Os diversos relatórios do sistema possibilitam um acompanhamento amplo da posição


orçamentária da organização bem como de todos os seus projetos em andamento.

Planejamento e Controle Orçamentário Página 11


5. FLUXO OPERACIONAL

A seguir, é apresentada uma sugestão de fluxo de operação do Módulo Planejamento e


Controle Orçamentário, que deve ser utilizado pelo usuário como um apoio quanto à
forma de implantação e operação do sistema.

Página 12 Planejamento e Controle Orçamentário


6. PARAMETRIZAÇÃO

O módulo Planejamento e Controle Orçamentário utiliza vários parâmetros, sendo que


alguns deles são comuns a outros módulos do sistema. Caso estes sejam alterados, a
configuração irá afetar os demais módulos do sistema. Alguns destes parâmetros são
apenas configurações genéricas como de periféricos, nomenclaturas de moedas, etc.
Os parâmetros específicos do módulo - SIGAPCO são:

Parâmetro Descrição

MV_PCOINTE Indica se a integração dos processos do módulo Planejamento e


Controle Orçamentário com os processos de Lançamentos/Bloqueios
está ativa ou não.
O conteúdo "1" significa que está ativo e o conteúdo "2", que não
está.

MV_PCOCUBO Modo de exibição na manutenção cubos gerencial (0-Pergunta


sempre 1-Clássica 2-Arvore)

MV_PCOMASC Definição da mascara para conta orçamentária para consultas e


relatórios

MV_PCONVCB Verifica o nível de tipo de saldo ao final da estrutura ou em qualquer


nível. 0=Não Verifica; 1=Ultimo nível; 2=Qualquer nível.

MV_PCOOUTB Indica o tempo em segundos que a tela de bloqueio de lançamento


deverá permanecer aberta. O valor padrão, zero, indica que não deve
usar o timer.

MV_PCORBLQ Indica se o inicio de uma revisão será obrigatória para ser realizada
alguma alteração na planilha

MV_PCOSINC Permite que o Plano de Contas Orçamentário trabalhe sincronizado


com o plano de contas contábil ou plano de contas de centro de custo

MV_PCOVACE Verifica acessos dos usuários quanto à carga dos itens de visão
orçamentária gerencial (.T. Verifica acesso - .F. Não verifica acesso)

MV_PCOVISL Indica se na visualização de lançamentos serão visualizados somente


as linhas modificadas (1) ou se serão visualizadas todas as linhas.

MV_PCOPNJ1 Controle de dizimas em quantidades do Planejamento Orçamentário.


1 = Arredonda quantidades; 2= Controle de sobras das quantidades

MV_PCOVSAL Grupo de verbas salário utilizado para o planejamento de folha de


pagamento.

MV_PCOSDCT Ativar controle de saldo de Contingência.

MV_PCOCTGP Habilita a utilização de senha no processo de contingência do PCO.

MV_PCOEMCT Habilita o envio dos dados da contingência por email.

Planejamento e Controle Orçamentário Página 13


MV_PCOWFCT Ativar aprovação de saldo de Contingência através de WorkFlow.

MV_PCOVENC Numero de dias para vencimento da solicitação de contingência.

Página 14 Planejamento e Controle Orçamentário


7. CADASTROS

7.1. Plano de Contas Orçamentário

A conta orçamentária é o principal item da estrutura organizacional para elaboração


das planilhas orçamentárias da empresa e é a base/guia para o detalhamento dos itens
que se quer orçar. O detalhamento e o conhecimento dos objetivos do planejamento e
controle orçamentário da empresa são essenciais para cadastrar um plano de contas
orçamentário.
O plano de contas orçamentário pode trabalhar em sincronismo com os planos de
contas Contábil Fiscal/ Gerencial e Financeiro ou ainda com o plano de contas por
centros de custos. Este recurso facilita o cadastramento de contas em empresas onde o
orçamento se efetuará utilizando estas estruturas. Contudo, o plano de contas
orçamentário da empresa também pode ter uma estrutura especifica.
Esta rotina também pode ser utilizada na manutenção no plano de contas
orçamentário que será utilizado para criar tanto as planilhas orçamentárias como para
acompanhar a execução do orçamento estratégico. Os orçamentos previstos e os
acompanhados se baseiam neste plano de contas.

Parâmetro MV_PCOSINC

Quando habilitado com a opção 2 ou 3, a opção “Incluir” é substituída


pela opção “Sincronizar”.

1 - Para utilizar o plano de contas orçamentário com estrutura própria e


independente de outros planos.

2 - Para utilizar o plano de contas orçamentário sincronizado ou plano


de contas contábil.

3 - Para utilizar o plano de contas orçamentário sincronizado com o


plano de contas por centro de custo.

As contas orçamentárias podem ser tratadas como se fossem os próprios


centros de custos através da configuração dos lançamentos.

Planejamento e Controle Orçamentário Página 15


A tabela a seguir apresenta exemplos de contas considerando os principais campos:

Código Descrição Tipo

0000010 Matriz Sintética

0000011 Administração Analítica

0000012 Vendas Analítica

0000013 Produção Analítica

Pelo fato de o cadastro de contas ser um cadastro utilizado como base


em todo o processo orçamentário, é importante observarmos algumas
regras de utilização.

1. Uma conta que possui algum orçamento previsto não poderá ser
excluída.

2. Uma conta que possui movimento de lançamento poderá ser excluída.

Os principais campos da rotina são:


Tipo – Tipo da conta, se analítica ou Sintética.
Código – Código da Conta Orçamentária. Pode ser utilizado um código estruturado
(normalmente utilizado) ou simplesmente um código seqüencial que identifica a conta.
CO Superior – Código da Conta Orçamentária Superior ao qual a conta esta vinculada.
Será utilizado no conceito de conta Analítica ou Sintética.
Mascara – Código da Máscara da Conta especifica utilizado na visualização do código
da Conta em Relatórios e consultas. Caso não seja informada o sistema assume a
mascara do parâmetro MV_PCOMASC como a padrão.
Bloqueado? – Indica se a conta esta livre para utilização em Orçamentos e Movimentos.
Caso esteja Bloqueada quando o usuário tentar utilizar a conta em orçamentos ou
lançamentos o sistema não ira permitir e exibira uma mensagem de aviso.
Inicio da Vigência - Informe neste campo a Data Inicio da vigência de utilização da
Conta. Caso a conta tente sem utilizada antes desta data na planilha orçamentária, não
será permitido.
Condição Normal - Condição normal da Conta (Receita ou Despesa) utilizado (apenas
como informação) para a apuração de resultados dos orçamentos.
AK5 – Contas Orçamentárias - Tabela utilizada no acompanhamento e na digitação da
planilha orçamentária.

Página 16 Planejamento e Controle Orçamentário


7.2. Operações

Esta rotina permite o cadastramento e a manutenção das operações que podem ser
utilizadas na digitação e acompanhamento da planilha orçamentária. Este cadastro é
alternativo (não obrigatório) e sua finalidade é permitir agrupar ou separar informações
dentro da planilha orçamentária, além das classes orçamentárias.
As operações podem ser utilizadas na planilha orçamentária, por exemplo, quando
temos a necessidade de controlar operações de Compras Nacionais, Compras
Importadas ou Produção Própria. A operação, portanto, é um refinamento do
orçamento, que está baseado em quantidades e valores a serem acompanhados
durante a execução orçamentária.
A tabela a seguir apresenta alguns exemplos de operações:

Código Descrição

IMPORT Operação Importação

PRODC Operação Produção

VENDA Operação Vendas

7.3. Classes

A classe orçamentária permite organizar o orçamento segundo critérios que permitem


compreender os tipos de valores que estão sendo apresentados. Propiciando
informações para a administração, gerência e a tomada de decisões.
Dentro de um orçamento podemos utilizar a classe para classificar estes valores,
permitindo ao sistema distinguir "quantidades de valores" ou "quantidades de
contratações de valores" a serem acordadas, por exemplo.
A classe é uma informação obrigatória que deve ser incluída na elaboração do
orçamento junto da conta orçamentária e serve para identificar os valores que estão
registrados em uma determinada linha do orçamento. É nela também que
determinamos o formato dos valores a serem apresentados nos lançamentos
realizados.

A elaboração do orçamento, feita através da rotina "Orçamentos", exige


que seja cadastrada uma classe orçamentária.

Os principais campos da rotina são:


Código – Código chave da classe que será utilizado nas consultas, referencias e
relatórios. Não possui tratamento de níveis analítico e sintético.

Planejamento e Controle Orçamentário Página 17


Descrição – Descrição obrigatória da Classe.
MEMO – Utilize este espaço para incluir informações mais detalhadas sobre o uso desta
classe no orçamento.
A pasta Identificador de Classes permite relacionar uma classe a qualquer entidade do
sistema. Assim, além de permitir identificar as informações de quantidade ou valor,
podemos também identificar o item exato ao qual uma linha do orçamento se
referencia. Desta forma, o identificador refina as informações contidas na classe
orçamentária de uma planilha.
Neste cadastro, podemos definir como obrigatória a digitação da pasta Identificador da
Classe.

Aplicação Prática
A seguir, um exemplo prático de uma classe orçamentária criada com identificador
obrigatório, relacionado ao cadastro de produtos, tabela "SB1 - Cadastro de Produtos":

Código da Nome Identificador Alias


Classe Obrigatório?

000001 Aquisição de Sim SB1 (Cadastro de Produtos)


Hardware em Valores

A inclusão desta classe implica que sempre que um determinado setor da empresa
estiver elaborando um orçamento de aquisição de hardware em valores, será
obrigatório identificar o equipamento no cadastro de produtos. Somente se pode orçar
um hardware cadastrado previamente no SB1 (Cadastro de Produtos).
Neste caso, a classe conduz à elaboração de um orçamento organizado e com regras
definidas, para que todo o ciclo do orçamento, elaboração, aprovação e
acompanhamento, sejam coerentes e bem definidos.
Entidade – Código ao qual esta classe esta vinculada no sistema. Neste caso uma
entidade corresponde a um cadastro que faz parte das tabelas do sistema (Por
exemplo, Cadastro de Produtos – Entidade: SB1, Cadastro de Funções – Entidade: SRJ)
Índice – Corresponde ao índice da entidade selecionada que o sistema deve utilizar
para a localização do código do identificador da classe no seu cadastro. Geralmente
(por padronização de mercado) o índice 1 é o índice chave da tabela. (Por exemplo:
Para o cadastro de Produtos (SB1) temos o índice 1 como chave para localização do
código no cadastro.
Texto do Identificador – O texto do identificador será utilizado nos relatórios e
consultas em tela para exibição do identificador. Neste campo deverá ser preenchida
uma sintaxe em ADVPL que retorne o texto a ser exibido. (Por exemplo, para o cadastro
de produtos podemos definir o texto do identificado com a descrição do produto
(B1_DESC). O campo ficaria preenchido com a sintaxe ADVPL: SB1->B1_DESC.
Obrigatório?- Indica se a o detalhamento do identificador é obrigatório na
utilização desta Classe. Através desta configuração, o gestor do orçamento pode

Página 18 Planejamento e Controle Orçamentário


definir quais classes exigem um maior nível de detalhe. (Por exemplo: Para a classe de
aquisição de novas contratações, durante o preenchimento do orçamento a indicação
de qual função ou cargo que será contratada é obrigatória).
Texto da UM – O texto da Unidade de Medida identificador será utilizado nos relatórios
e consultas em tela para exibição da UM orçada do identificador (Valor ou quantidade).
Neste campo deverá ser preenchida uma sintaxe em ADVPL que retorne o texto a ser
exibido. (Por exemplo: para o cadastro de produtos podemos definir o texto com a
descrição do produto (B1_UM) com a seguinte sintaxe ADVPL: SB1->B1_UM.
Decimais - Informa o número de casas decimais permitidos para esta classe. O limite
padrão de casas decimais é 9, que poderá ser aumentado pelo ”Administrador” do
sistema via configuração.
Símbolo - Informe um símbolo que será visualizado na frente do Valor a ser visualizado
em relatórios e consultas do sistema. Por exemplo: $ - símbolo que representa valores
em dinheiro ou, % - símbolo que representa valores em percentual.
Formato – Selecione um dos formatos de apresentação pré-formatados para a exibição
e edição dos valores da classe. As regras de Símbolo e Decimais informadas são
obedecidas em conjunto com o Formato informado.
Picture Customizada – Neste campo poderá ser informado um Picture Customizada,
padrão ADVPL, que o sistema irá utilizar na formatação dos valores. Caso um Picture
Customizada seja informado, as informações dos campos Formato, Símbolo e decimal,
serão desprezados.
Operação Obrigatória? – Através da configuração deste campo o gestor do orçamento
pode definir que a informação da operação é obrigatória na utilização desta classe,
possibilitando maior nível de detalhamento do orçamento.
Operação Padrão – A partir deste campo o gestor pode definir uma operação que será
sugerida para esta classe. Por exemplo: Classe “Aquisição de Hardware”, sempre será
sugerida a operação de Compra de produtos Nacionais de informática.

7.4. Tipos de Saldos

Podemos entender como saldo, toda e qualquer diferença de valores entre crédito e
débito, em relação aos saldos iniciais de uma determinada conta orçamentária, em um
determinado período.
A classificação dos tipos de saldos é de extrema importância, já que identifica os
movimentos orçamentários contabilizados dentro do contexto definido pelo gestor do
orçamento. Este cadastro é utilizado para efetuar a criação e a manutenção dos tipos
de saldos utilizados durante o acompanhamento do ciclo orçamentário.
No planejamento e controle orçamentário podem ser utilizados quantos tipos de
saldos forem necessários para o acompanhamento do orçamento.
A seguir, os de tipos de saldos normalmente cadastrados e o possível significado:

Código Descrição

Planejamento e Controle Orçamentário Página 19


CT Contingência

OR Orçado

PR Previsto

EM Empenhado

RZ Realizado

Contingência

Tipo de saldo que demonstra os valores gerados a partir de necessidade emergencial,


para permitir inclusão de valores não previstos no orçamento.

Orçado

Tipo de saldo que demonstra os valores orçados para determinada operação, atividade
ou tarefa, servindo para delinear um cenário da situação futura, ou seja, é a base para
efetuar a comparação com os valores realizados.

Previsto

Tipo de saldo que pode determinar o valor de possíveis recebimentos/entradas para


atender um tipo de operação, atividade ou tarefa. Ainda não é um saldo
comprometido. Podemos fazer referencia as Solicitações de Compras, por exemplo.

Empenhado

Tipo de saldo que pode determinar o valor necessário para efetuar um tipo de
operação, atividade ou tarefa, e que após a execução da mesma é transformado em
valor "Realizado". Assim, o saldo empenhado é um saldo comprometido para
determinada ação que se executará, e assim, apesar de estar "reservado" ainda não
pode ser configurado como realizado.
Pode-se dizer que um saldo empenhado está entre o saldo previsto e o saldo realizado.
Como exemplo de saldo empenhado, fazemos referência ao Pedido de compras, no
qual são requisitados os materiais a serem comprados.

Saldo Realizado

Demonstra as operações de crédito e débito que ocorreram no sistema e que


reproduzem fielmente os lançamentos efetuados pela empresa.
AL2 – Tipos de Saldos – Os tipos de saldo são utilizados nos processos de atualização e
re-processamentos das composições do saldo gerencial.

Página 20 Planejamento e Controle Orçamentário


7.5. Centro de Custos

O módulo Contabilidade Gerencial permite controlar até três níveis de custo, sendo
estes pré-configurados de acordo com a necessidade da empresa.
De forma hierárquica temos:

Nível Entidade Contábil

2 Centro de Custo

3 Item Contábil

4 Classe de Valor

O nível 1 se refere à Conta Contábil

7.6. Máscaras Contábeis

A máscara contábil nada mais é que um pré-formato de Entidades Contábeis que serão
impressas nos relatórios ou visualizadas nas consultas.
A partir de uma máscara configurada, os módulos Contabilidade Gerencial e PCO
permitem que sejam extraídas informações a partir de trechos dos códigos dessas
entidades.

Se nenhuma máscara for cadastrada, o sistema adotará os parâmetros:


"MV_MASCARA" (Máscara da conta contábil) e "MV_MASCCUS"
(Máscara do Centro de Custo) para formatar essas duas entidades
contábeis. As demais entidades não possuem parâmetro para pré-
formatação e caso não tenham uma máscara cadastrada, serão
impressos sem formatação.

• Deve-se associar a máscara contábil a um livro contábil (e este a uma


entidade), para que os códigos sejam exibidos pré-formatados.

• Caso a máscara contábil seja utilizada para várias entidades contábeis,


identifique-a como "Outros" na tela "Utilizada em".

Planejamento e Controle Orçamentário Página 21


7.7. Totalizadores

Através da rotina "Cadastro de Totalizadores" o usuário poderá cadastrar os


totalizadores e acumuladores para os campos padrões existentes nos itens da planilha
ou da visão orçamentária.
Os campos padrão já existentes são os seguintes:
Classe Orçamentária
Centro de Custo
Item Contábil
Classe de Valor
Operação
Se for necessário, também podemos criar um totalizador para um campo de usuário.
Para tanto selecione a opção "Outro" no "Assistente de Inclusão" e identifique o campo
de usuário desejado do item da planilha ou da visão orçamentária.

Exercício 01
Vamos efetuar a configuração dos totalizadores. Para isso, acesse:
Atualizações > Cadastros > Totalizadores

1) Especifique em qual tipo de cadastro de totalizador ou acumulador deseja


efetuar a manutenção:
Totais da planilha orçamentária (tabela AKK)
Totais da visão orçamentária (tabela AKQ)
2) Para cadastrar um novo totalizador e acumulador selecione a opção "Incluir".
3) Ao iniciar o "Assistente de Inclusão", selecione um campo padrão para gerar o
totalizador e o acumulador. A opção "Outro" somente deve ser utilizada caso se
queira um campo totalizador que não seja sugerido pelo sistema, ou no caso de
se tratar de um campo customizado pelo usuário.
4) Após selecionar o campo para totalização, o sistema exibe as perguntas
conforme a seguir, para que se informa o título referente às pastas do
totalizador e do acumulador. Estas pastas serão criadas no cadastro dos itens da
planilha e na visão orçamentária.

Total Por? Total por Classe


Acumulado por? Acumulado por Classe

Página 22 Planejamento e Controle Orçamentário


5) Após informar os títulos das pastas, o sistema exibe uma tela com as perguntas a
seguir, para os campos do sistema que compõe o totalizador e o acumulador.

Entidade AK6

Ordem Pesquisa? 1

Campo Origem? AK6->AK6_CODIGO

Descrição? AK6->AK6_DESCRI

Campo Destino? AK->AK_CLASSE

Somente será necessário preencher manualmente estes campos se no "Assistente de


Inclusão" a opção utilizada for "Outro". Para os totalizadores padrões, estas
informações de origem e destino serão preenchidas automaticamente pelo sistema.
Ao confirmar a operação no botão "Finalizar" o sistema criará automaticamente o
Bloco ADVPL do campo selecionado para o totalizador e o acumulador e que será
visualizado na planilha e na visão orçamentária. Após confirmar o cadastro dos
totalizadores, serão criadas duas pastas nos cadastros da planilha ou da visão
orçamentária com os títulos informados no item 5.

7.8. Contingência

A Ferramenta de contingência facilita o tratamento das exceções orçamentárias que


podem ocorrer. É utilizado como um complemento da ferramenta de bloqueio
orçamentário e permite que o usuário, durante um processo de bloqueio, solicite um
ajuste orçamentário.
Uma vez ativada a ferramenta de contingência, com o parâmetro “MV_PCOSDCT”
durante o processo de bloqueio será apresentada uma tela, por meio da qual o usuário,
utilizando o botão Contingência, poderá acessar a ferramenta de contingência para o
movimento bloqueado.

O botão permite ao usuário solicitar uma contingência orçamentária.

Ao solicitar a contingência, o ponto de lançamento “000356” item “02”


será executado e, se necessário, irá empenhar o saldo previsto. Este
lançamento de empenho fica relacionado à contingência solicitada e
será estornado caso a contingência seja reprovado ou utilizada pelo
usuário solicitante.

O Processo de solicitação de contingência permite que o saldo existente e não


suficiente para o movimento seja empenhado. Desta forma o ponto de lançamento de

Planejamento e Controle Orçamentário Página 23


solicitação de contingência “000356”, pode ser configurado para empenhar o saldo
previsto.

A Rotina de Contingência só ira gerar movimentos de Contingência


(Ponto de lançamento “000356” item “01”) após a escolha manual, pelo
usuário, da contingência que deve suprir o saldo insuficiente. Neste
momento, o lançamento de empenho é estornado, liberando assim o
saldo Previsto.

O Processo de contingência ainda permite o chaveamento das contingências. Por


padrão, o sistema apresenta as contingências por usuário. Caso haja a necessidade de
liberar a utilização de contingências por uma chave especifica, pode-se utilizar o campo
“Chave Cntg”. Exemplo: “xFilial()”.

7.9. Grupo de Aprovadores

Esta rotina permite cadastrar grupos de aprovadores para um “tipo de bloqueio”. As


contingências serão aprovadas de acordo com a alçada de aprovadores configurada
para um determinado tipo de bloqueio. Todos os aprovadores devem ter seus limites
de aprovação configurados (Consultar cadastro de limites de aprovação).

1º Passo (Selecionar o tipo de Bloqueio)


O Cadastro de Grupo de aprovadores é relacionado ao cadastro de tipos de bloqueio e
para cada tipo de bloqueio deve-se configurar um Grupo de aprovadores.

2º Passo (Configurando aprovadores e níveis de aprovação)


Neste passo deve-se informar os usuários aprovadores e seus níveis de aprovação. O
conceito de nível separa a aprovação em etapas, onde as etapas sucessoras só serão
solicitadas quando todas as suas predecessoras estiverem aprovadas. Caso uma
predecessora seja reprovada a solicitação de contingência é cancela e todos os
possíveis movimentos são estornados.
Ainda no cadastro de Grupo de aprovadores o usuário deve definir o tipo de liberação
do usuário aprovador. Este campo controla qual o peso da aprovação do usuário
dentro de um nível.
Caso preencha o campo com “Usuário” a aprovação será apenas do usuário, sendo
necessária a aprovação de todos os usuários do nível para que as aprovações dos níveis
sucessores sejam solicitadas.
Caso preencha o campo com “Nível” a aprovação do usuário libera todo o nível e a
aprovação do nível sucessor e solicitado.

Página 24 Planejamento e Controle Orçamentário


7.10. Limites de Aprovação

Esta rotina permite definir as faixas de aprovação de cada usuário cadastrado, limitado
por conta, classe, operação, moeda, percentual ou valor limite permitido. Para utilizar o
recurso de respostas por Workflow, todos os usuários devem ter o campo e-mail
preenchidos com um e-mail válido no cadastro de usuários do módulo Configurador.
1º Passo (Selecionar o tipo de Bloqueio)
Neste passo, deve-se definir quais as entidades que poderão sofrer aprovações pelo
usuário informado.

2º Passo (Definir limites de aprovação)


Neste passo deve-se definir qual o limite de aprovação do usuário aprovador.
Por Percentual, o usuário poderá aprovar contingências que excedam os percentuais
mínimos e máximos informados.
Por Valor, o usuário poderá aprovar valores de contingência de acordo com o mínimo e
o Maximo informado.

7.11. Planilhas

Planejamento

A construção de um planejamento orçamentário poderá utilizar como partida em sua


construção, visando o planejamento do próximo período, os resultados de um período
anterior. Normalmente utiliza-se o resultado de um ano em que se obteve um
resultado expressivo em vendas e a ele atribuir a meta para o próximo período.
É importante salientar que qualquer planejamento requer uma análise regular para
visualização dos resultados para, durante o exercício, poder fazer ajustes de correção
de rota visando alcançar a meta prevista.
Na elaboração do planejamento do período desejado (futuro) é de grande valor utilizar
uma ferramenta de gestão que facilite o registro das informações bem como a
localização delas. Nesse sentido o módulo Planejamento e Controle Orçamentário têm
as informações dispostas em formato de árvore com amplo nível de detalhe.
O planejamento pode ser efetuado para receitas, despesas, movimentos não
operacionais e folha de pagamento e serão visualizados em uma planilha orçamentária
(saldo orçado).
Utilizando esta ferramenta o gestor do planejamento tem à sua disposição os meios
para definir, por exemplo, o período para o qual deseja efetuar o planejamento, incluir
e alterar as informações iniciais se assim o desejar, fazer consultas, acompanhar os
resultados e efetuar os ajustes que levarão à atingir as metas definidas.
O planejamento será dividido em:

Planejamento e Controle Orçamentário Página 25


Receitas
Despesas
Não operacionais
Folha de pagamento
O objetivo das planilhas de planejamento é unificar os planejamentos de receita, de
despesa, movimento não operacional e folha de pagamento de um determinado
período a ser planejado de uma empresa ou ainda de um determinado grupo de
empresas.
Na planilha de planejamento incluem-se os itens agregadores e valores previstos
considerando um determinado período, que pode ser configurado na inclusão da
planilha. Uma vez criada é necessário acompanhar os resultados efetuando a
manutenção e ajustes.

7.12. Planejamento de Receitas

Utilizando o recurso de planejamento de receitas, o gestor inclui a projeção de receitas


definidas para o período, considerando os produtos que farão parte deste
planejamento, normalmente os que trazem melhor resultado para empresa, os
considerados carro chefe ou ainda podem ser os novos produtos que a empresa
colocará no mercado e ainda outras receitas relevantes.
A receita relacionada deve ser efetuada por produto, freqüência e percentual sobre
uma receita principal. Incluem-se também os custos provenientes de receitas e todos
os movimentos (impostos, fretes, etc.) sejam de compra ou de venda.

Exemplo
Consideramos uma indústria automobilística que planeja suas vendas para o
próximo ano. Serão utilizados como dados iniciais de partida os valores
realizados em um período anterior (definido pelo gestor). Além disso, a empresa
deve selecionar os produtos com melhor retorno financeiro para a empresa.
1º Passo (Receita Principal)
Para a construção do planejamento de receita o sistema irá partir das principais vendas
da empresa, neste casso a venda de automóveis. Estas serão chamadas de vendas
principais. As vendas principais estão relacionadas ao cadastro de produtos do ERP.
Após a escolha do produto, o usuário deve informar os valores planejados para o
mesmo, através da opção “Gerar Receitas”.
Após a configuração da Regra de distribuição utilizada, o usuário deve informar o valor
total a ser distribuído e sua distribuição entre os meses. Estes valores serão rateados de
acordo com a configuração da Regra de Distribuição informada (Consultar o Cadastro
de Regra de Distribuição).

2º Passo (Receitas Relacionadas)

Página 26 Planejamento e Controle Orçamentário


Partindo destas vendas principais podem ser configuradas receitas relacionadas.
Venda de serviços – mão de obra resultante de instalações diversas e/ou manutenções.
Venda de opcionais - opcionais que o cliente solicita à empresa para instalação em
automóvel adquirido (Ex. direção hidráulica, ar condicionado, aparelho de DVD,
bagageiro, rodas especiais, etc.).
O gestor irá relacionar a Receita Principal com a venda de outros produtos. Seguindo o
nosso exemplo podemos montar o seguinte relacionamento:
Revisão de 6 Meses (deve ser um produto). Para esta venda será criado o seguinte
relacionamento:
Relação : 90 % (quantidade de carros vendidos que irão gerar a receita relacionada).
Período : 6 Meses (Prazo para inicio da geração da receita relacionada).
Duração : 1 Mês ( Tempo de duração que a receita relacionada será gerada).
Para gerar receitas relacionadas, clique no com o botão direito sobre o produto
principal.

3º Passo (Movimentos Relacionados)


Utilizado para Movimentos gerados com a compra ou venda do produto e/ou seus
equipamentos, necessários para a venda do Produto. Partindo das vendas de produtos,
seja ela principal ou relacionada, o gestor pode planejar os impostos ou taxas que são
gerados com a venda dos produtos.
Partindo das vendas principais e relacionadas, podemos destacar:
Pagamento de ICMS é igual a 12% do valor total de receita.
Obs.: Deve-se criar um relacionamento por percentual.
Frete é R$ 50,00 por cada carro entregue.

Para gerar Movimentos relacionados, clique no com o botão direito sobre o produto
principal ou relacionado.

4º Passo (Custo Relacionado)


Custo de venda - Custos gerados para que a empresa tenha o produto disponível para
venda.

Nesta etapa serão geradas informações de custo do produto contidas no


ERP.

Planejamento e Controle Orçamentário Página 27


Ao acessar Custo Relacionado o Sistema gerará os custos de todos os
produtos da estrutura, principais e relacionados

5º Passo (Alteração da Distribuição)


A Ferramenta “Alteração da Distribuição” permite que o usuário altere qualquer
parâmetro informado para uma nova visão do planejamento orçamentário. Os dados
que são resultado de outros valores como Receita Relacionada, Movimento relacionado
e Custos Relacionados são recalculados.
Em cinco etapas o Planejamento pode ser alterado, apresentado assim uma nova visão
de planejamento.

6º Passo (Reajuste de Receita/Custo)


Está ferramenta permite que os valores planejados sejam Reajustados.

7.13. Planejamento de Despesas

A geração de despesas refere-se ao planejamento de gastos da empresa. Observe que


a estrutura será apresentada em formato árvore e dividida em:
Distribuição de entidades - Nesta parte visualize os dados da planilha selecionada.
Distribuição de valores - A visualização dos valores ocorre a medida que os
lançamentos forem acontecendo.

Exemplo
Neste exemplo consideramos uma indústria automobilística que planeja suas
despesas para o próximo ano.
1º Passo (Selecionar Despesas Diretas)
Serão utilizados como dados iniciais de partida as despesas realizados em um período
anterior (definido pelo gestor).

2º Passo (Gerar Despesas Diretas)


Neste passo o usuário deve selecionar a regra de distribuição a ser aplicada para a
despesa selecionada bem como os seus valores a serem planejados.

Página 28 Planejamento e Controle Orçamentário


Ao utilizar fórmulas, o Sistema desconsidera as regras de cálculo de
planejamentos anteriores, passando a adotar diretamente os valores
calculados na fórmula que pode ser um programa desenvolvido em
AdvPl.

Em cinco etapas o Planejamento pode ser alterado, apresentado assim uma nova visão
de planejamento.

3º Passo (Reajuste de valor)


Esta ferramenta permite que os valores planejados sejam Reajustados.

7.14. Planejamento de Movimentos não Operacionais

Utilizando o recurso de planejamento de movimentos não operacionais, o gestor inclui


nesta rotina a projeção de movimentos não operacionais definidos para o período,
considerando os itens que farão parte deste planejamento.

Exemplo
Neste exemplo consideramos uma indústria automobilística que planeja seus
registros de Mov. Não Operacional para o próximo ano. Podemos citar:
Compra/Venda de Imóvel.
Juros sobre capital próprio, etc.
1º Passo (Selecionar Despesas Diretas)
Serão utilizados como dados iniciais de partida as despesas realizados em um período
anterior (definido pelo gestor).

2º Passo (Gerar Movimentos não operacionais)


Neste passo, o usuário deve selecionar a regra de distribuição a ser aplicada para o
movimento selecionado bem como os seus valores a serem planejados.

Ao utilizar fórmulas, o Sistema desconsidera as regras de cálculo de


planejamentos anteriores, passando a adotar diretamente os valores
calculados na fórmula que pode ser um programa desenvolvido em
AdvPl.

Planejamento e Controle Orçamentário Página 29


Em cinco etapas o Planejamento pode ser alterado, apresentado assim uma nova visão
de planejamento.

3º Passo (Reajuste de valor)


Esta ferramenta permite que os valores planejados sejam Reajustados.

7.15. Planejamento de Folha de Pagamento

Utilizando o recurso de planejamento de folha de pagamento, o gestor inclui nesta


rotina a projeção de folha de pagamento definidos para o período, considerando os
itens que farão parte deste planejamento.

Para utilização de dados para planejamento da folha de pagamento,


configure o parâmetro MV_PCOPLFP

Exemplo:
Consideramos uma indústria automobilística que planeja sua folha de pagamento
para o próximo ano. Serão utilizados como dados iniciais de partida, o numero de
funcionários atuais ou Previstos ou aprovados no Modulo de Cargos e Salários.
1º Passo (Verba Salário)
Para a geração da verba salário o Sistema utiliza as informações do ERP, contidas no
Modulo “Cargos e Salários”. Consultar documentação da Rotina “Quadro de
Funcionários” do modulo CSA.
Para gerar as informações do CSA no planejamento orçamentário, o usuário seleciona o
centro de custo a ser planejado e suas funções e o sistema importa as informações.

O parâmetro MV_PCOVSAL deve ser configurado com o código da verba


salário no cadastro de verbas do PCO. O Campo “Regra de Pad.” Do
cadastro da verba informada tem que conter a regra de distribuição a ser
aplicada.

2º Passo (Verbas Relacionadas)


Partindo da verba salário serão criadas verbas relacionadas, para contemplar no
planejamento os gastos com Impostos, Extras, etc.
Exemplo

Página 30 Planejamento e Controle Orçamentário


Verba Hora Extra = 50 % da Verba Salário.
Verba IRRF = 27 % da soma das verbas Salário e Hora Extra.

Caso seja necessária a alteração no número de funcionários, o sistema


automaticamente recalcula todos os relacionamentos informados.

3º Passo (Reajuste de Valor)


O planejamento orçamentário parte de um valor previsto de folha de pagamento. No
entanto, esse valor poderá ser reajustado durante o exercício, em virtude de um
reajuste de salários, por exemplo.

7.16. Orçamentos

O objetivo das planilhas orçamentárias é unificar os planos de orçamentos de um


determinado período a ser planejado em uma empresa ou de um determinado grupo
de empresas.
Uma planilha orçamentária pode conter, por exemplo, o orçamento inteiro de uma
empresa em uma única planilha. Ou pode ter o plano de orçamento dividido em várias
planilhas, sendo elas: de vendas, de produção, do caixa, etc.
Uma planilha orçamentária é composta por contas orçamentárias (veja “Plano de
contas orçamentário”) e valores previstos para um determinado período, que pode ser
configurado na inclusão da planilha. Através desta rotina é feita a manutenção das
planilhas orçamentárias.
Visando a elaboração e manutenção do orçamento, este processo conta com agilidade
e simplicidade, tornando fácil a visualização das informações do orçamento. A planilha
orçamentária define as contas orçamentárias que farão parte dela e também a
periodicidade e os valores a serem digitados, além da classe/operação e das entidades
contábeis. O criador da planilha recebe automaticamente o status de administrador.
Para facilitar o preenchimento dos itens da planilha orçamentária, estão disponíveis os
recursos de digitação de fórmulas, rateios de valores nos períodos da planilha e
recálculo das fórmulas. O recurso de pesquisa também está disponível para consultar o
posicionamento do item na planilha.

Quando um usuário inclui uma nova planilha, o sistema faz o seu


relacionamento no primeiro nível, tornando-o o administrador da
planilha com todos os direitos de acesso

Planejamento e Controle Orçamentário Página 31


7.17. Manutenção de Orçamentos

Ao acessar a janela de manutenção do orçamento visualiza-se uma tela subdividida em


três partes, para melhor visualizar as informações.

Parte Superior Esquerda

Apresenta as contas em estrutura de níveis, como determinado na criação da planilha


orçamentária. A própria planilha é sempre a conta de nível 1 (hum), e conterá em
outros níveis todas as outras contas definidas no plano de contas orçamentário.
O sinal “+” (conta Ativo) indica que esta conta possui outras contas inferiores
relacionadas a ela e que serão visualizadas abaixo da sua estrutura. Com um duplo
clique do mouse sobre o sinal, o sistema expande a estrutura exibindo as demais
contas.
O sinal “-” (conta Passivo) indica que a visualização das suas contas inferiores está
totalmente expandida e, quando em branco, (conta Fornecedores Nacionais), significa
que a conta não tem sub-nível.

Parte Superior Direita

Apresenta as informações dos principais campos, de acordo com a conta posicionada


na parte esquerda da tela.

Parte Inferior da Tela

A pasta Item apresenta os campos orçamentários, tais como: Classe Valor, Classe
Orçamentária, Centro de Custo, operação e períodos a serem orçados; permitindo sua
edição (digitação/alteração/exclusão).
Na pasta Totalizadoras, o sistema disponibiliza totalizadores que possibilitam consultar
os saldos da conta posicionada sob diferentes prismas.

7.18. Total por Classe

Esta consulta apresenta os valores totais da planilha orçamentária detalhados pela


classe orçamentária nos períodos do orçamento. Posicionada a conta desejada, na
parte superior esquerda da tela, os valores referentes a ela são atualizados pelo
método "Bottom-Up" fornecendo assim, uma visão totalizadora deste orçamento.

Página 32 Planejamento e Controle Orçamentário


O sistema de totalização bottom-up consiste na totalização dos itens
considerando um nível e seus superiores. Assim, uma totalização
bottom-up exibe o somatório do item posicionado e de todos os
superiores a este.

7.19. Acumulado por Classe

Esta consulta apresenta os valores totais da planilha orçamentária detalhados por


classe orçamentária, acumulando-os período a período do orçamento.

Totais por Centro de Custo

Esta consulta apresenta os valores totais da planilha orçamentária, detalhados por


centro de custos nos períodos definidos na criação da planilha. Os centros de custos
em questão são os existentes na tabela CTT.
A tabela a seguir mostra um exemplo de consulta do tipo “Totais por Centro de Custo”:

Código Janeiro Fevereiro Março

1.1.2.10 100 200 500

1.1.2.11 150 300 450

1.1.2.12 50 100 150

1.1.2.13 40 60 80

7.20. Acumulado por Centro de Custo

Nesta consulta são apresentados os valores totais da planilha orçamentária detalhados


por centro de custo e acumulando-os período a período do orçamento.
Considerando os códigos do exemplo anterior e os seguintes valores digitados:

Código Janeiro Fevereiro Março

1.1.2.10 100 300 800

1.1.2.11 150 450 900

1.1.2.12 50 150 300

1.1.2.13 40 100 180

Modos de visualização da planilha orçamentária

Planejamento e Controle Orçamentário Página 33


Cada usuário poderá optar pelo método de visualização da planilha orçamentária que é
definido pelo parâmetro (acesso pela tecla F12) - Tipos de Exibição.
Completa - O sistema exibe a planilha orçamentária, permitindo ao usuário navegar
pelas contas orçamentárias para as quais ele tem acesso. Na parte inferior da tela estão
os detalhes da conta selecionada e o orçamento para um determinado período.
Filtro/C.O. - O sistema exibe a tela de "Contas Orçamentárias (C.O.)", onde o usuário
poderá se posicionar na C.O. desejada. Ao clicar no botão "Selecionar" o sistema abrirá
a planilha orçamentária. A seleção da conta respeita a hierarquia da mesma, sendo
possível após a seleção, exibir todas as contas analíticas da conta sintética selecionada.
Filtro/Usuário - O sistema exibe a tela de "Usuários x Contas Orçamentárias" onde é
possível selecionar o usuário desejado. Ao clicar no botão "Selecionar" o sistema abrirá
a planilha orçamentária.
Espec. Campos - O sistema exibe a tela de parâmetros para configuração da interface.

Somente o administrador visualizará, na tela de parâmetros, as opções a


seguir, quando o "Tipo de Exibição" selecionado for a "4 – Especifica
Campos".

"Administrador - Salvar Configurações" (o sistema salva a configuração


efetuada nos parâmetros).

"Administrador - Bloquear" (ao ativar esta opção de configuração, o


sistema não permitirá a alteração dos parâmetros a partir do próximo
acesso).

"Administrador - Desbloquear" (ao ativar esta opção de configuração, o


sistema desbloqueará os parâmetros a partir do próximo acesso).

7.21. Criando uma Planilha Orçamentária

A preparação e execução do processo de Controle Orçamentário são processos


bastante complexos. Por este motivo, é necessário termos um sistema que centralize
todas as informações referenciadas a um determinado orçamento. Geralmente, os
orçamentos que serão compostos e divididos em contas, classes, operações, centros de
custos, etc. são confeccionados em planilhas, que podem ser criadas unificadamente ou
separadamente. Portanto, estas planilhas orçamentárias têm como objetivo unificar os
planos de orçamentos de um determinado período a ser planejado de uma empresa ou
de um determinado grupo de empresas.
Uma planilha orçamentária, por exemplo, pode conter o orçamento inteiro de uma
empresa na mesma Planilha. Ou mesmo, podemos ter o plano de orçamento de uma
empresa dividido em várias planilhas orçamentárias: planilha orçamentária de vendas,
planilha orçamentária de produção, planilha orçamentária de caixa, etc.

Página 34 Planejamento e Controle Orçamentário


Quando selecionamos a opção Incluir de uma planilha orçamentária, primeiramente
teremos o preenchimento do cadastro da Planilha orçamentária com as seguintes
informações:
Código: Código único atribuído a planilha orçamentária que será utilizado em consultas
e Relatórios do sistema.
Descrição: Breve descrição da Planilha orçamentária que será utilizado em consultas e
relatórios do sistema.
Nível Max. : Nível máximo de abertura da planilha quando a mesma estiver sendo
alterada ou visualizada. Esta opção permite que a visualização inicial da planilha
contenha poucos níveis abertos, melhorando assim a carga da planilha pelo sistema e
melhorando o desempenho de processamento.
Tipos de Períodos: Tipo de período que será utilizado para o orçamento dos valores da
planilha orçamentária. O tipo escolhido na gravação da planilha não poderá ser
alterado posteriormente.
Inicio dos Períodos: Data inicial a ser considera nos orçamentos dos períodos da
planilha.
Fim dos Períodos: Data final a ser considera nos orçamentos dos períodos da planilha.
Controle de Usuários: Indica se a planilha orçamentária ira utilizar o controle de
usuários para segurança no acesso as informações. Quando um determinado usuário
cria a planilha no sistema, este usuário passa a ser o Administrador dela com absolutos
acessos de criação, alteração e exclusão e direitos de conceder permissões de acesso a
outros usuários quando o controle de usuários estiver ativo.

7.22. Alterando uma Planilha Orçamentária

Quando selecionamos a opção de alteração da planilha orçamentária, o modo de


alteração da planilha se baseia no modo selecionado na configuração Tipo de exibição
(Acessado pelo F 12) que o usuário escolheu.
Dentro da alteração de planilhas temos uma variedade de opções a serem exploradas.

Observe o botão "Estrutura do Orçamento". Este botão, disponibilizado na barra


de ferramentas superior da janela, possibilita visualizar, incluir, alterar ou excluir uma
conta orçamentária na estrutura posicionada.

Incluindo uma Nova Conta na Planilha Orçamentária

Quando a planilha orçamentária é criada, inicialmente ela não possui nenhuma conta
orçamentária atribuída e, portanto, o orçamento não pode ser detalhado. Para o
detalhamento de um orçamento, é necessário termos pelo menos uma conta analítica
cadastrada em sua estrutura.
Para a inclusão de novas Contas na Planilha é necessário utilizar a opção “Estrutura-
>Incluir C.O.”. Esta opção permite ao usuário selecionar dentro do Plano de Contas
Orçamentário, uma conta a ser incluída na planilha orçamentária. Durante a seleção de

Planejamento e Controle Orçamentário Página 35


contas, a hierarquia Sintética / Analítica definidas pelas Contas deverá ser respeitada
dentro do orçamento, caso contrário o sistema não aceitará a inclusão da Conta.

Alterando uma Conta Orçamentária

Para atualização de uma Conta Orçamentária, basta posicionar na Conta Orçamentária


a ser alterada e selecionar a opção “Estrutura->Alterar C.O.” para proceder com a
atualização de seus dados.

Excluindo uma Conta Orçamentária

Para efetuar a exclusão de uma Conta Orçamentária, basta posicionar na Conta


Orçamentária a ser excluída e selecionar a opção “Estrutura->Excluir C.O.” para
proceder com a exclusão da Conta. Quando excluímos a Conta dentro da Planilha,
estaremos excluindo a Conta apenas da Planilha selecionada e seus itens com valores
orçados. O Cadastro da Conta permanecera intacto.

Filtrando a Visualização de Contas

Através da opção “Filtro” (Quando disponível nos modos de exibição) será possível
definir um filtro de usuário para visualização de determinadas contas. Este filtro é
apenas um filtro momentâneo e não fica gravado na configuração da visualização.
Pesquisando textos: através da opção será possível pesquisar a textos dentro da
planilha orçamentária. O sistema irá pesquisar o texto dentro da planilha aberta
atualmente e seus níveis em detalhes, posicionando o cursor no texto pesquisado
quando encontrado.

Editando os Valores Orçados na Planilha Orçamentária

Para efetuar a edição dos valores orçados nos períodos, no modo “Alteração” da
planilha orçamentária deve-se utilizar o botão na barra de ferramentas dos itens da
planilha orçamentária. Ao pressionar o botão Editar, o Browser de itens da Planilha fica
disponível para alteração e o botão ficará disponível para a confirmação dos itens
alterados. Toda alteração efetuada só é gravada definitivamente ao se pressionar o
botão “Gravar”. Para edição serão disponibilizados os campos CC, Item CONTÁBIL,
Classe de valor, Conta Orçamentária, etc. de acordo com a configuração da tela
utilizada definida pelo usuário ou pelo administrador do sistema. Porém temos um
campo que possui tratamento especial e o seu preenchimento é obrigatório: A classe
orçamentária. Através da classe orçamentária é possível definir que tipos de valores
estão sendo orçados. A classe pode possuir, de acordo com o seu cadastro, um
identificador obrigatório. Para este tipo de classe, além do preenchimento da classe
propriamente dita, o usuário precisará preencher o seu Identificador (seja ele um
produto, uma função, um grupo de produtos, etc.) que deverá ser preenchido
pressionando-se a tecla <enter> no campo.

Página 36 Planejamento e Controle Orçamentário


Incluindo Formulas na Planilha Orçamentária

Através da opção de vínculo de fórmula é possível, dentro da planilha orçamentária,


cada período de cada item da planilha orçamentária ter uma referência a uma fórmula
do tipo:
Cálculos simples e funções: O campo fórmula é interpretado por comandos ADVPL.
Portanto, sintaxe ADVPL é válida como Funções ADVPL, Funções de Usuário, Cálculos,
etc.

Funções Reservadas Internas do SIGAPCO

São funções reservadas e especificas do módulo que poderão ser utilizadas como, por
exemplo, a função de vínculo da célula com uma célula de uma planilha do Microsoft
Excel: PCOSETLINK("PlnExcel.XLS","A22").
Para mais detalhes, explorar o item ”Vinculando células da planilha orçamentária a
células da planilha do Microsoft Excel”. Estas funções poderão ser verificadas no HELP
On-line da aplicação.

Edição ou Visualização das Fórmulas

O usuário deverá posicionar o cursor sobre a célula desejada (deverá ser uma célula de
valor de um determinado período e de um determinado item) e pressionar o botão
“Editar - Fórmula” Para visualização da fórmula da célula. A edição do campo Fórmula é
acionada para edição ou visualização da fórmula de referência. Uma vez definida a
fórmula para uma célula, o valor do período atribuído passa a ser calculado pela
fórmula e não será mais informado pelo usuário na planilha.

Anexando Documentos Externos a Planilha Orçamentária:

Através da opção “Docum.” na barra de ferramentas o usuário poderá anexar


documentos externos à uma planilha orçamentária. Este processo utiliza o Banco de
Conhecimentos do Protheus para controle e armazenamento dos documentos bem
como sua manutenção e visualização.

Ferramentas de Atualização

Através da opção “Ferramentas” o sistema disponibiliza algumas ferramentas de


manutenção da planilha:
Rateio de Valores nos Períodos: esta ferramenta permite ao usuário ratear um
determinado valor nos períodos dos itens da planilha orçamentária, por exemplo:
Ratear 80.000 nos seis primeiros meses em uma determinada conta e CC. Será exibido
um WIZARD que auxiliará o usuário na tarefa de rateio. Neste wizard deverá ser
definida a forma de rateio e o período que será rateado o valor. Antes de confirmar o
wizard exibe como foram feitos os rateios nos períodos.

Planejamento e Controle Orçamentário Página 37


Reajustar Valores Orçados: Esta ferramenta permite ao usuário reajustar os valores de
um determinado período dos itens da planilha orçamentária. Este reajuste pode ser
feito utilizando diversas opções. Inclusive, filtrando as contas que se deseja reajustar.
Por exemplo: Aumentar os valores orçados em 10% para todas as contas da planilha.
Copiar planilha / Contas: Esta função permite ao usuário copiar de outras planilhas
orçamentárias (Versão de anos anteriores, por exemplo) valores para a planilha atual.
Para esta ferramenta o sistema disponibiliza um Wizard que guia o usuário nas opções
facilitando o seu entendimento.

7.23. Revisões

Revisão de Planilha

Através desta rotina pode-se efetuar a revisão das planilhas orçamentárias e manter um
histórico das versões anteriores registradas para consulta e comparação das
manutenções feitas, seja na fase de elaboração como na fase de execução do exercício.
Cada revisão efetuada numa planilha recebe um novo código de versão. Assim o
sistema suporta várias versões de uma mesma planilha, sendo a última versão
finalizada, considerada como planilha atual.
O processo de controle de revisão da planilha se baseia em três fases:
Fase 1 – Inicio da revisão: A planilha é reservada para revisão, e uma nova versão da
planilha é criada. Neste momento o sistema retorna para a janela de manutenção de
revisões, alterando o status da planilha para amarelo, "Planilha em Revisão".
Fase 2 - Elaboração da Revisão: O usuário faz as alterações que deseja na Planilha.
Fase 3 - Finalização da Revisão: A nova versão da planilha passa a ser a versão atual e é
considerada no exercício do orçamento, retornando o status da planilha para verde
"Planilha Livre para Revisão".

Enquanto não for finalizada, a versão não é considerada como versão


atual.

7.24. Versões

As versões de revisão são criadas e controladas pelo administrador do orçamento.


Exemplos de versão podem ser chamados de "Orçamento Original", "Orçamento
Aprovado", ou "Previsão para um Período".
Há dois tipos de versões:
Versões Normais: São revisões efetuadas na planilha corrente, disponíveis por um
período de tempo determinado pelo administrador do orçamento. O usuário faz

Página 38 Planejamento e Controle Orçamentário


os ajustes solicitados e o administrador finaliza a revisão oficializando-a como a atual
Versões de Simulação: Estas versões contêm todos os dados da planilha corrente e o
usuário, na rotina específica de simulação pode alterar valores, simular reajustes, cortes,
etc.. Uma simulação não exige a obrigatoriedade de efetivação.
Para efetivar uma revisão e gravar os lançamentos na tabela AKD é necessário ativar o
processo 000252, item 0004, e configurá-lo.

7.25. Simulações

Através desta rotina, o usuário pode simular a alteração de uma planilha orçamentária
com a finalidade de analisar os resultados decorrentes desta alteração sem, no entanto,
gravar oficialmente a revisão, ou seja, sem efetivamente alterar/revisar a planilha. No
entanto, se após a avaliação da simulação o usuário desejar efetivar as alterações
simuladas, poderá gravar a revisão, tornando-a uma versão original da planilha.
O sistema permite ainda, criar versões de simulações para a planilha em operação, para
que o usuário possa tomar decisões baseadas na comparação dos resultados
apresentados pelas diferentes simulações efetuadas.
Apesar da estrutura da planilha original ser transferida para a planilha da rotina de
simulação, manter versões desta simulação não interfere nas operações em
andamento.
A simulação é uma ferramenta do sistema que age de forma completamente
independente e, desta forma, a não ser que o usuário transforme uma determinada
simulação em revisão, o sistema não considerará nenhum dado das simulações na
planilha orçamentária.
Esta opção permite comparar versões da simulação com a planilha real/atual (em
operação no sistema) e, caso esta atenda melhor as expectativas, podem-se transferir
os dados simulados para uma nova revisão da planilha corrente. Para mais informações
consulte os tópico "Para comparar simulações" e "Para gravar uma simulação como
revisão".

7.26. Processo de Simulação

A simulação de uma planilha orçamentária está dividida em três processos internos que
devem ser seguidos:
1) Criação da simulação: inicia o processo em uma determinada planilha
orçamentária. No momento de criar uma simulação o usuário poderá utilizar
qualquer versão da planilha para criação da simulação, reservando o código da
versão para atualização dos valores da planilha.
2) Atualização dos valores: responsável pela atualização dos valores da planilha
orçamentária no módulo simulado. Uma planilha poderá ter quantas versões
simuladas forem necessárias e ao mesmo tempo sem nenhuma restrição.
3) Efetivação da simulação: é o processo final da simulação e o processo responsável
pela aceitação dos valores simulados e atualizados dos saldos previstos.

Planejamento e Controle Orçamentário Página 39


Eventualmente poderão ser desenvolvidos Workflows ou rotinas para finalização
de uma simulação de acordo com a necessidade do cliente utilizando as
ferramentas de customização disponíveis.

Para comparar simulações


O sistema permite simulações ou revisões efetuadas através da opção "Comparação".
Esta opção compara duas simulações e as apresenta indicando o número de cada
versão, destacando suas diferenças.
As figuras a seguir apresentam um exemplo de comparação de versões, cuja diferença
entre elas é a modificação dos valores orçados:

Neste caso o sistema indica a diferença entre elas, com o sinal e a palavra,
”MODIFICADO", depois da conta que foi alterada na versão S001.

Lembre-se de que a simulação é uma ferramenta que age de forma


independente e, por isso, a não ser que o usuário transforme uma
determinada simulação em revisão, o sistema não considerará nenhum
dado das simulações para a planilha orçamentária. Para saber mais
sobre como transformar uma simulação em uma revisão consulte o
tópico "Para gravar uma simulação como revisão

Para Gravar uma Simulação como Revisão

Quando uma simulação atende melhor as necessidades desejadas, podemos transferir


os dados simulados para uma nova revisão da planilha corrente. Quando uma revisão é
oficialmente gravada o sistema passa a considerar os dados dela para a planilha
orçamentária.
Para efetivar uma simulação e gravar os lançamentos na tabela AKD é necessário ativar
o processo 000252, item 0003, e configurá-lo.

Página 40 Planejamento e Controle Orçamentário


7.27. Visão Gerencial

Esta rotina proporciona ao administrador de projetos uma visão gerencial do


planejamento orçamentário através de consultas elaboradas com base nas planilhas
orçadas, seja para consolidação, demonstrativos de resultados, ou mesmo para
representar um resumo do orçamento.
Após definir os filtros, na rotina de "Visões - Configurações" e parâmetros da consulta
na rotina de "Visões - Parâmetros", as diversas visões gerenciais definidas podem ser
executadas com os recursos de impressão de relatórios e totalizações disponíveis.
As visões são montadas de maneira On-line através de filtros de processamento,
permitindo ao usuário visualizar as contas orçamentárias gerenciais e seus respectivos
itens orçados de acordo com o filtro de cada conta orçamentária gerencial.
Pode-se utilizar o botão "Editar" na barra de ferramentas, para editar os itens orçados
modificando o valor orçado na planilha orçamentária através da visão gerencial.
Pode-se utilizar o botão "Pesquisar" na barra de ferramentas, para efetuar pesquisas na
estrutura de contas gerenciais.
Pode-se utilizar o botão "Filtro" na barra de ferramentas, para filtrar as contas
gerenciais exibidas na consulta.

Somente serão executadas consultas com configuração padrão (incluídas


automaticamente pelo sistema), cujo filtro refere-se a planilhas com o
mesmo tipo e período informado.

Apenas as visões que possuem o campo Planilha especificado na


parametrização de campos podem ser utilizadas na visão gerencial. As
outras configurações estão reservadas para outros fins dentro do sistema
de Planejamento e Controle Orçamentário (cópia de registros de
planilhas, visões baseadas em cubos, etc.)

Planejamento e Controle Orçamentário Página 41


8. MOVIMENTOS

8.1. Lançamentos

Esta rotina apresenta os lançamentos efetuados no sistema, sejam eles incluídos


manualmente ou gerados automaticamente, originados dos processos de
contabilização orçamentária.
Para que o sistema gere lançamentos automaticamente, o processo que dá origem ao
lançamento deve ser previamente configurado nas rotinas de "Lançamentos - Por
processos", ou "Pontos de lançamentos".
Assim, podem-se configurar operações como: inclusões, alterações e exclusões, para
que gerem automaticamente, lançamentos nesta rotina.
O quadro a seguir apresenta as principais origens dos processos configurados para
gerar lançamentos:

Planejamento e Controle Orçamentário

Vendas

Compras/Suprimentos

Recursos Humanos

Financeiro

Gestão de Projetos

Produção

Através dos lançamentos temos a atualização dos saldos dos cubos do PCO de acordo
com as configurações e entidades relacionadas.
O sistema permite também que os lançamentos/bloqueios gerados automaticamente
sejam alterados/estornados através desta rotina.

8.2. Operações

O sistema dispõe de dois métodos que podem ser utilizados para a operação de
cancelamento de um lançamento.
Estorno: Esta operação não apaga o registro original do lançamento da base de dados,
com isso, mantém-se um histórico dos registros cancelados. Estes estornos podem ser
visualizados também nos relatórios e no próprio Browser de consulta com a legenda na
cor indicativa.
Exclusão: Esta operação apaga fisicamente o registro de lançamento da base de dados,
não mantendo nenhum histórico para registros cancelados, exceto quando se utiliza
”Audit-Trail”, onde podemos ter um histórico das operações efetuadas em todos os
registros do sistema.

Página 42 Planejamento e Controle Orçamentário


8.3. Rastreamento de Lançamentos

Quando um registro de lançamento é gerado por ponto de lançamento, dentro do


PCO, temos a chave do registro de origem gravada no lançamento (em algumas
operações esta chave não é gravada, se o registro não tem chave definida). Esta chave
é utilizada internamente nos pontos de lançamento para rastreabilidade e durante uma
manutenção/atualização dos registros de um processo.
Pode-se visualizar também, para os lançamentos que tem chave de origem gravada, o
processo que deu origem a este lançamento. Para esta finalidade está disponível, o
botão "Origem", na barra de ferramentas da tela de
visualização/Alteração/Exclusão/Estorno de Lançamentos.

8.4. Atualização de Cubos

A atualização dos saldos e cubos que podem ser definidos na rotina cubos do PCO,
sempre utiliza a tabela de lançamentos e a data do lançamento em questão para
efetuar o processamento das dimensões do cubo. A tabela de lançamentos (AKD),
portanto, é a tabela base para a atualização de cubos, e todas as dimensões que são
utilizadas na atualização dos cubos devem estar gravadas na mesma.
Esta funcionalidade permite criar novos campos e tabelas vinculadas a estes campos.
Podemos, portanto, criar novas dimensões que serão utilizadas nos saldos de
acompanhamento previsto, empenhado, realizado, etc. e também nos pontos de
bloqueios a serem efetuados no sistema.

Aplicação Prática
Uma empresa pretende acompanhar, e gerenciar, seus lançamentos orçamentários por
conta e operação, e sendo assim, cria um cubo que apresente os valores orçados desta
forma.
O resultado seria apresentado como a seguir:

Contas Operações 1º Trimestre 2º Trimestre 3º Trimestre


Orçamentárias Valor Previsto Valor Previsto Valor Previsto

Matriz

Receita Líquida

Faturamento/Vendas Mercado 10000 12000 14400


Nacional

Mercado 25000 30000 38000


Internacional

Aplicações Bancos 4000 4800 5760

Fundos 5500 6600 7920


Investimentos

Planejamento e Controle Orçamentário Página 43


Custo dos Serviços
Prestados

Materiais Mercadoria 2000 2400 2880


Nacional

Mercadoria 3000 3600 4320


Internacional

Materiais para Infra- Mercadoria 400 480 576


estrutura Nacional

Mercadoria 2300 2760 3312


Internacional

Material de Mercadoria 4000 4800 5760


Manutenção de Nacional
Sistemas

8.5. Cubos Gerenciais

O cubo gerencial é uma ferramenta disponibilizada pelo sistema para facilitar o


processo de acompanhamento de lançamentos orçamentários.
Um cubo determina a forma de acúmulo dos valores lançados nas movimentações
orçamentárias e serve para acompanhamento e comparação.
Um cubo é formado por seu cadastro (cabeçalho) e a dimensão definida (estrutura).
O módulo SIGAPCO disponibiliza a utilização dos cubos para que o usuário possa
registrar a forma de acompanhamento de saldos orçamentários que deseja utilizar com
freqüência.
A interface de criação de cubos gerenciais foi modificada para facilitar o cadastro e
manutenção de cubos, configurações de cubos e tipos de bloqueios. A ferramenta
disponibilizada pelo sistema facilita o processo de criação ao juntar as três rotinas
numa só.

Exercício 02
Vamos efetuar a configuração de um Cubo Gerencial. Para isso, acesse:
Atualizações > Cubo > Cubos Gerenciais

Será exibida uma tela na qual serão visualizados os cubos existentes para
manutenção ou criação de um novo.
1) Clique com o botão direito do mouse em cima do cubo desejado ou clique no
botão no rodapé da página e selecione a ação a ser executada;

Página 44 Planejamento e Controle Orçamentário


Será exibido um wizard de inclusão;
2) Preencha os campos de identificação do cabeçalho do cubo gerencial e
atente-se aos campos em destaque;
3) Confira as informações e confirme..

8.6. Tipo de Atualização

Este recurso melhora o desempenho quando o servidor não tem capacidade disponível
para fazer o processamento de saldos de forma on-line ou quando sua capacidade
permite fazer o processamento em paralelo.
Esta configuração permite determinar como se fará a atualização dos saldos dos cubos.
Opções: 1 = On-line; 2 = Via JOB; 3 = Off-line

Para o tipo 2 "Via JOB" o sistema criará um JOB para cada cubo que lê a
fila de atualizações (Tabela ALA) e atualiza os saldos de acordo com o
campo “Status Cubo”.

Exercício 03
Vamos efetuar a inclusão de entidades, que irão compor a dimensão definida para o
cubo, de acordo com o exemplo proposto. Para facilitar o cadastramento de novos
cubos, foi disponibilizado um Wizard, que pode ser acessado através do botão "Pré-
Selec" na barra de ferramentas e que permite criar dimensões dentro dos padrões
do sistema.
A utilização deste Wizard preenche todos os campos do cubo com configurações
pré-selecionadas, restando ao usuário apenas efetivar a gravação dos dados pré-
selecionados.

Ao clicar no botão será exibida uma tela para que sejam selecionados os níveis
da dimensão proposta.
Ao confirmamos a inclusão do cubo, o sistema retorna para a tela principal para que
possamos incluir as configurações e tipos de bloqueio;

Planejamento e Controle Orçamentário Página 45


8.7. Configurações de Cubos

Caracteriza um cubo gerencial para que este atenda necessidades específicas de


gerenciamento dos lançamentos orçamentários.
Definem, através de filtros, quais informações o sistema deve considerar para realizar o
acúmulo dos valores lançados nas movimentações orçamentárias contempladas pelo
cubo.
Uma configuração de cubo, assim como um cubo, se compõe do cadastro e de sua
estrutura, composta ou não de todos os níveis do cubo.
As configurações de cubos podem ser utilizadas em todos os relatórios e consultas que
utilizam os cubos como base de processamento de informações.

As configurações de cubos podem ser alteradas ou excluídas a qualquer


momento, sem nenhuma necessidade de processamento, através das
opções "Excluir/ Alterar" (para exclusão, a configuração não poderá estar
sendo usada nas configurações de bloqueios do PCO).

Exercício 04
O procedimento para inclusão de uma configuração segue o mesmo da inclusão de
um cubo.
1) Clique com o botão direito do mouse na opção configurações e selecione a
opção desejada;
Um novo wizard será exibido, desta vez para possibilitar a inclusão da configuração;
2) Preencha os campos de identificação do cabeçalho da configuração;
Neste passo incluiremos a estrutura da configuração a partir da dimensão do cubo.
O campo “Nível” dispõe de um F3 para pesquisar a estrutura do cubo gerencial. O
campo em destaque possibilita realizar uma consulta ao cadastro do nível
posicionado.
3) Pesquise o saldo tipo “RZ”;

8.8. Tipos de Bloqueio

Definem o tipo de apuração que o sistema deve considerar no bloqueio, nas regras do
valor orçado e do valor realizado (configurações de cubo gerencial) que servem

Página 46 Planejamento e Controle Orçamentário


de base para a comparação e bloqueio, quando o valor realizado superar o valor
orçado (ou outro qualquer que se deseje comparar).
Os bloqueios ocorrem nos processos que originam a contabilização orçamentária e são
definidos através do cadastro de "Pontos de Bloqueio", aonde informamos as funções e
detalham-se as operações, tais como: inclusão, alteração e exclusão, cadastrando as
expressões que definem os movimentos de bloqueio.
Ao efetuar determinada verificação em um ponto de bloqueio, internamente o sistema
compara as informações de um cubo com duas configurações diferentes. O exemplo a
seguir ilustra esta comparação:

O procedimento para inclusão de um tipo de bloqueio segue o mesmo da inclusão dos


itens anteriores. Clique com o botão direito do mouse em cima da opção Tipos de
Bloqueios e selecione a opção desejada;
Um novo wizard será exibido, desta vez para possibilitar a inclusão do tipo de bloqueio;
Preencha os campos de identificação do Tipo de Bloqueio. Atenção aos campos “Conf
Prev”, “Conf Real”, “Tp. Apuração” e “Consid. Saldo”;
Conf Prev e Conf Real: As configurações informadas nestes campos devem ter a mesma
estrutura, pois isto implicará na informação que será indicada no campo “Nível Comp.”.
Tp. Apuração: Define o período a ser considerado no acúmulo de valores para
comparação.
Consid. Saldo: Define se o valor considerado o será do período apenas ou o acumulado
dos períodos anteriores.
Nas telas a seguir veremos o processo concluído, com as três rotinas executadas: Cubo,
configuração de Cubo e Tipo de Bloqueio;
Posicionado no Cubo gerencial, temos na parte direita da tela as informações
pertinentes ao item posicionado.

Planejamento e Controle Orçamentário Página 47


Posicionado na Configuração de Cubo, temos na parte direita da tela as informações
do cadastro e da estrutura criada para a configuração, assim como o filtro definido.

Posicionado no Tipo de Bloqueio, temos na parte direita da tela o cadastro do


bloqueio, e na parte inferior direita todos os processos que estão utilizando este
cadastro.

Página 48 Planejamento e Controle Orçamentário


8.9. Lançamentos

Lançamentos Por Processos

Utiliza-se esta rotina para definir, e configurar, quais processos efetuados deve ser
automaticamente registrados como lançamento orçamentário pelo sistema. Podem-se
configurar operações tais como: inclusões, alterações e exclusões, para que gerem
lançamentos automaticamente.
Os lançamentos gerados são utilizados posteriormente em outras rotinas do sistema,
tais como a rotina de Lançamentos, que apresenta a lista de todos os movimentos
configurados através desta rotina.
O quadro a seguir apresenta as principais origens dos processos configurados para
gerar lançamentos:

Planejamento e Controle Orçamentário

Vendas

Compras/Suprimentos

Recursos Humanos

Financeiro

Gestão de Projetos

Produção

Configuração dos Lançamentos por Processos

Os pontos de lançamento são responsáveis pela integração com o PCO. Todos os


processos integrados ao PCO estão especificados no cadastro de lançamentos por
processo.
Trata-se de um cadastro alimentado automaticamente pelo sistema com os processos
que podem ser integrados e contém também as configurações de integração. Estes
processos têm uma numeração exclusiva que é preenchida automaticamente pelo
sistema ao ser carregado, e está sujeita a alteração em atualizações (por exemplo:
durante a atualização de repositório). A numeração utilizada para os processos
específicos do cliente sempre deverá ser maior que 900000. A numeração até 900000
está reservada para os processos padrões do sistema.
Para incluir processos específicos do cliente será necessário incluir funções específicas
nos programas para gravar as integrações e a geração dos lançamentos ou de
bloqueios.

Funções para Processos Específicos

Planejamento e Controle Orçamentário Página 49


Quando o cliente necessitar ou tiver, por exemplo, uma rotina de gravação de títulos a
pagar específica, e esta rotina precisa alimentar os saldos do sistema Planejamento e
Controle Orçamentário (PCO), este processo deverá ser cadastrado e configurado nos
processos do PCO. Porém o programa específico também deverá estar preparado com
as funções de integração com os lançamentos do PCO.
Estas funções executam a chamada da gravação dos lançamentos permitindo assim
que o cliente faça integrações de rotinas específicas do controle orçamentário.
A seguir temos a sintaxe das funções:

PcoIniLan([Código do Processo])
Função responsável pela chamada da gravação dos lançamentos do orçamento. Deverá
sempre ser chamada antes da gravação do processo e antes da Transação (Begin
Transaction).

PcoDetLan([Código do Processo],[Item do Processo],[Nome do Programa],


[Exclusão])
Função responsável pela chamada do ponto de lançamento durante a gravação. Esta
função executa a macro execução do ponto de lançamento no registro de origem,
gerando assim o lançamento do controle orçamentário. Tratando-se de exclusão, o
parâmetro |Exclusão deverá ser preenchido com (.T.) e a função deverá ser chamada
antes da exclusão (dbDelete()) do registro origem.

PcoFinLan([Código do Processo])
Função responsável pela finalização da gravação dos lançamentos do orçamento.
Deverá sempre ser chamada após a gravação do processo e após a Transação (End
Transaction).

Utilização das Funções

A seguir, um exemplo da utilização das funções dentro da rotina MATA110

//ÚÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄ
//Inicializa a gravacao dos lancamentos do SIGAPCO
//ÀÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄ
PcoIniLan("000051")
Begin Transaction


End Transaction
//ÚÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄ

Página 50 Planejamento e Controle Orçamentário


// Finaliza a gravacao dos lancamentos do SIGAPCO
//ÀÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄ
PcoFinLan("000051")
Após a gravação do Item na alteração ou inclusão :

//ÚÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄ
// Grava os lancamentos nas contas orçamentárias SIGAPCO
//ÀÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄÄ
PcoDetLan("000051","01","MATA110")

8.10. Configuração de Pontos de Lançamento

Um determinado processo poderá conter mais de um item para configuração. Para


cada item do processo, podemos ter operações distintas e referenciadas a diferentes
tabelas da aplicação. Estas informações serão utilizadas posteriormente na gravação do
lançamento para gravar a chave do lançamento de origem.

Configuração On-line dos Pontos de Lançamento

A funcionalidade desta ferramenta pode ser ativada ou desativada por ponto de


lançamento (campo ”Cfg. On-Line”). Trata-se de um assistente que será exibido ao
executar o ponto de lançamento diretamente no processo de gravação, facilitando
assim visualizar, durante a gravação, quais campos, tabelas e variáveis estão disponíveis
no momento.
Recomendamos muita atenção ao utilizar a configuração on-line, pois, esta deve ser
utilizada apenas pelo Administrador na configuração do sistema, e desligada após
efetuá-la. Esta ferramenta exibe uma tela durante a transação de gravação do processo,
e pode haver problemas de LOCK de registros quando o sistema está em produção.

Visualização dos Lançamentos

Por meio desta opção pode-se definir se a visualização dos lançamentos será utilizada
ao executar o ponto de lançamento. Se esta opção está configurada como "Não"
visualizar os lançamentos, estes só aparecerão caso algum campo obrigatório estiver
em branco (seja por falta de configuração ou pela inexistência do campo na origem do
lançamento). Nesta situação a visualização dos lançamentos ocorrerá obrigatoriamente
para preenchimentos dos campos.

Configuração de Campos do Lançamento por Processo

Planejamento e Controle Orçamentário Página 51


Esta opção permite configurar os campos dos lançamentos que poderão ser alterados
durante os lançamentos na execução do ponto. Utilizando a opção "Campos" na barra
de ferramentas, uma lista de campos será exibida para configurar aqueles que serão
editáveis ou aqueles que somente serão visualizados.
Esta configuração é executada por processo e será considerada no ponto de
lançamento e ponto de bloqueio na exibição da tela de lançamentos, quando seja
necessário ou quando estiver configurada.

Pontos de Lançamento

Utiliza-se esta rotina para configurar quais pontos específicos de um processo efetuado
devem gerar automaticamente movimentos de contabilização orçamentária.
Esta rotina serve para detalhar os processos registrados no cadastro de "Lançamentos
por processos", definindo qual ponto específico da operação irá gerar um lançamento
automaticamente.
Exemplo:
Como detalhamento de processo, podemos citar:

Processo Detalhamento

Contas a Receber Inclusão de Títulos a Receber

Cancelamento de Títulos a Receber

Contas a Pagar Inclusão de Títulos a pagar

Rateios de Movimentos Bancários a Receber

Os lançamentos gerados podem ser visualizados na rotina de Lançamentos, que


apresenta todas as movimentações de contabilização dos orçamentos.
Os lançamentos gerados automaticamente por pontos de lançamento podem assumir
duas situações:
1) Lançamento Aprovado
2) Lançamento Inválido
Ter um lançamento inválido significa que alguma informação obrigatória não foi
informada no lançamento. Por este motivo ele se encontra inválido e aguardando uma
classificação para aprovar o lançamento.

É importante dizer que um lançamento inválido não é processado no


saldo dos cubos, o que pode afetar a integridade do Sistema quando
trabalhamos com pontos de bloqueio.

Configuração de Lançamentos

Página 52 Planejamento e Controle Orçamentário


O fluxo a seguir dá uma idéia do funcionamento dos pontos de lançamentos no
Planejamento e Controle Orçamentário (PCO) referente ao sistema de compras:

Configuração do Ponto de Lançamento

A configuração de um ponto de lançamento poderá dividir-se em vários itens de


configuração, um registro do processo poderá gerar vários lançamentos, se a
configuração de lançamentos tiver mais de um item. Por isso, ao utilizar a opção
”Lançamentos", é utilizado um browser para configurar vários itens em um mesmo
ponto de lançamento.
Um item de ponto de lançamento possui os mesmos campos do próprio lançamento
conforme ilustrado a seguir:

Planejamento e Controle Orçamentário Página 53


Os campos apresentados nos pontos de lançamentos respondem pela criação do
vínculo entre cada campo do processo e o campo do lançamento. Ao executar um
ponto de lançamento no Sistema, em seu devido processo, todos os campos
especificados no ponto de lançamento serão macros executados pelo servidor de
aplicação do sistema, para preenchimento e gravação dos campos do lançamento. Esse
macro execução é feito em tempo real de gravação dos processos, para obter os
lançamentos do orçamento.

8.11. Bloqueios

Bloqueios por Processos

Todos os processos que podem ser integrados ao Planejamento e Controle


Orçamentário (PCO) estão especificados no cadastro de bloqueios por processo, que é
alimentado automaticamente pelo sistema com os processos que podem ser
integrados, bem como suas configurações de integração.
Os processos possuem uma numeração exclusiva que é preenchida automaticamente
pelo sistema durante a sua carga e pode haver alterações durante uma atualização, por
exemplo, de repositório. Novos processos podem ficar disponíveis para configuração e
utilização. A numeração abaixo de 900000 está reservada para os processos padrão do
sistema.
A inclusão de processos específicos do cliente pode ser efetuada cadastrando-os na
lista de processos do PCO. Com esta finalidade também será necessário incluir funções
específicas nos programas para gravar as integrações e gerar os lançamentos ou os
bloqueios. A numeração disponível para utilização deverá ser superior a 900000.
Os processos cadastrados e configurados nesta rotina serão utilizados para
configuração dos Pontos de Bloqueio.

Exemplo:
Um exemplo de bloqueio por processo pode ser o bloqueio de itens de pedido
de compras, quando o valor da compra for maior que o valor orçado.

Página 54 Planejamento e Controle Orçamentário


Recursos Disponíveis nos Bloqueios por Processos

No bloqueio por processos o sistema tem como padrão a validação linha a linha,
entretanto o bloqueio também pode efetuar-se ao final da digitação da grade, tendo
como principal vantagem o desempenho na digitação.

O bloqueio por processos vale somente para os processos cujas interfaces


possuam grade de digitação.

A configuração dos campos está descrita a continuação:

Interface em Grade

1- Sim, a interface possui grade de digitação.

2- Não, a interface não possui grade de digitação.

Tipo de Validação do Bloqueio?

1- Validação de bloqueio por linha, efetuado a cada linha digitada


(padrão do sistema).

2- Validação de bloqueio por grade, efetuado após a digitação de toda a


grade.

Planejamento e Controle Orçamentário Página 55


3- Não se aplica, quando a interface não possui grade de digitação.

8.12. Pontos de Bloqueio

Os pontos de bloqueio são responsáveis pela integração dos processos do Sistema


Protheus com o Sistema de Planejamento e Controle Orçamentário (PCO).
Qualquer verificação orçamentária se baseia nas regras cadastradas nos pontos de
bloqueio, efetuados nos processos de compras, estoque, faturamento, financeiro, etc..
E, por meio deles, é que se faz o controle efetivo dos saldos previstos, orçados,
empenhados, realizados, etc.
A quantidade de saldos que podem ser controlados pelo sistema também está
configurada nos pontos de bloqueio.
Nos Pontos de Bloqueio podemos visualizar e efetuar manutenção em todos os pontos
de integração disponíveis para o sistema PCO através de um browser por processos e
pontos de lançamentos. Estes pontos de lançamento possuem uma numeração
exclusiva que é preenchida automaticamente pelo sistema e sujeita a alterações em
atualizações (em uma atualização de repositório, novos pontos de lançamentos que
antes não estavam disponíveis, ficam disponíveis para configuração e utilização).
No PCO, qualquer integração a partir de pontos de bloqueio sempre será efetuada em
modo on-line. Não existe para o sistema de controle orçamentário a opção de controle
de lançamentos off-line, uma vez que estes valores devem ser acompanhados on-line
para gerenciar corretamente o orçamento.

Para cadastramento completo do bloqueio, utilize a rotina de "Bloqueios


por processo".

8.13. Visões

Parâmetros - Visões

Esta rotina proporciona configurar os parâmetros para a visão de forma que a consulta
apresente especificamente os itens que se quer filtrar. Pode-se criar uma grande
variedade de visões gerenciais para as planilhas orçamentárias digitadas, somente
definindo filtros, parâmetros ou aplicando fórmulas.
Esta rotina permite criar parâmetros específicos que podem posteriormente ser
utilizados com a mesma estrutura de visão, considerando, porém, os pontos de entrada
disponibilizados.

Página 56 Planejamento e Controle Orçamentário


Cadastrando Parametrização

Na instalação do sistema já são criadas como padrão duas parametrizações que


também servem como exemplo na criação de outras. Os códigos 001 e 002 são
padrões e não podem ser alterados ou excluídos. Na criação de novas parametrizações
o usuário poderá utilizar codificação 003 ou superior.

Visões Baseadas em Cubos

As visões orçamentárias podem se basear em itens de orçamento e também podem ter


a sua funcionalidade ampliada quando a visão está baseada em um cubo gerencial.
Quando dizemos que uma visão está baseada em cubo gerencial, significa que a sua
estrutura de campos é parcialmente ou totalmente compatível com a estrutura de
campos definidas no cubo gerencial.
Desta maneira temos um cubo gerencial responsável pela criação dos saldos (previstos,
empenhados, realizados, etc.) de uma determinada visão.
Para que o cubo seja utilizado desta forma, é necessário que os campos definidos na
parametrização sejam compatíveis com todos os campos do cubo ou com todos até o
nível que a parametrização atinge no cubo.
Para relacionar um cubo, durante o cadastramento de uma visão, o código do cubo
deverá ser mencionado no campo relacionado.

Aplicação Prática
Podemos criar visões departamentais, consolidando as contas pertencentes a um
determinado centro de custo, ou consolidar várias planilhas em uma única visão.

Somente serão executadas consultas com configuração padrão (incluídas


automaticamente pelo sistema), cujo filtro refere-se às planilhas com o
mesmo tipo e período informado.

Parâmetros - Visões

Esta rotina é utilizada para definir as planilhas e os filtros exibidos nas consultas de
visão gerencial e o tipo de operação (soma ou subtração) a ser aplicado aos valores
orçados.

Uma configuração sempre deve ser referenciada a uma parametrização

Planejamento e Controle Orçamentário Página 57


É neste processo que acontece o cadastramento e criação das contas orçamentárias
gerenciais e o conteúdo de cada conta será definido.
A estrutura de contas orçamentárias gerenciais poderá conter contas analíticas ou
sintéticas assim como um plano de contas padrão.
Ao definir uma conta gerencial analítica, esta será a conta responsável pela totalização
de outras contas, centros de custos ou para as parametrizações que foram
determinadas na parametrização da configuração.
Desta forma podemos criar com muita flexibilidade uma DRE, um novo plano de contas
retirando algumas contas que não se quer exibir, etc.
O cadastramento de uma visão é muito similar à inclusão de uma planilha
orçamentária, porém as contas que serão cadastradas na visão gerencial são contas
que não existem no plano de contas e serão pertinentes apenas a esta visão gerencial.
Ao criar uma nova visão, uma tela com um modelo de árvore é exibido para
cadastramento e manutenção das contas orçamentárias gerenciais da visão. Utilize a
opção "Estrutura" na barra de ferramentas para cadastrar as contas orçamentárias e sua
devida hierarquia sintética/ analítica.

Aplicação Prática
Podemos criar visões departamentais, consolidando as contas pertencentes a um
determinado centro de custo, ou consolidar várias planilhas em uma única visão.

Somente serão executadas consultas com configuração padrão (incluídas


automaticamente pelo sistema), cujo filtro refere-se às planilhas com o
mesmo tipo e período informado.

8.14. Usuários – Diretivas de Acessos

Usuários x Planilhas

Esta rotina é utilizada para relacionar planilhas com usuários. Através dela podem-se
configurar os direitos de cada usuário para cada planilha. Quando uma planilha é
criada, o usuário responsável pela sua criação é automaticamente inserido no primeiro
nível da planilha e a ele são conferidos todos os direitos de administrador desta
planilha.
O nível um de uma planilha é o nível superior, sendo os níveis subseqüentes mais
inferiores quanto maior o número do nível. Assim, em uma planilha de cinco níveis, o
nível um é o nível superior e o nível cinco é o nível mais inferior da planilha.
Os direitos de usuários são considerados pelo sistema "Top-Down", o que equivale
dizer que quando um usuário é relacionado a um determinado nível da planilha
orçamentária, ele pode realizar as operações a ele conferidas neste nível e em

Página 58 Planejamento e Controle Orçamentário


todos os níveis inferiores. Desta forma o usuário administrador, relacionado ao nível
um da planilha tem acesso a todos os níveis da planilha.

Exemplo:
Um usuário relacionado ao nível três de uma planilha orçamentária, que tem sete
níveis, efetuará operações a ele conferidas nos níveis: três, quatro, cinco, seis e
sete.

Usuários x Centros de Custo

Esta rotina é utilizada para efetuar o relacionamento entre faixas de centros de custo e
usuários. Através dela é possível configurar os direitos de acesso de cada usuário para
uma faixa de centros de custos, independente da conta orçamentária da planilha.
Para utilizar a opção de controle de usuários, é necessário que a planilha a ser
controlada esteja com a opção "Controle de Usuários" habilitada em seu cadastro. Caso
contrário, esta planilha estará disponível a todos os usuários do sistema sem nenhuma
restrição.
Para visualizar os direitos de um usuário em uma faixa de centros de custo, posicione
no usuário vinculado e selecione a opção "Visualizar".
Para Alterar ou Excluir direitos, utilize a mesma seqüência de operação.

As regras de usuários se aplicam à planilha orçamentária e aos relatórios


relacionados com a planilha. Porém este controle não é efetivo sobre os
cubos e seus relatórios e consultas, uma vez que o cubo pode ser
totalmente configurado de acordo com as necessidades da empresa, não
permitindo assim a disponibilidade de um controle de usuários padrão
do sistema pelo conteúdo de um cubo e seus detalhes.

Usuários x Item Contábil

Utiliza-se esta rotina para efetuar o relacionamento entre faixas de itens contábeis e
usuários. Através dela podem-se configurar os direitos de acesso de cada usuário para
uma faixa de itens contábeis, independente da conta orçamentária da planilha.
Para utilizar a opção de controle de usuários, é necessário que a planilha que se quer
controlar esteja com a opção "Controle de Usuários" habilitada em seu cadastro. Caso
contrário, esta planilha estará disponível a todos os usuários do sistema sem nenhuma
restrição.
Para visualizar os direitos de um usuário a uma faixa de Itens Contábeis, posicione o
cursor no usuário vinculado e selecione a opção "Visualizar". Para alterar ou excluir
direitos, utilize a mesma seqüência de operação.

Planejamento e Controle Orçamentário Página 59


As regras configuradas se aplicam à planilha orçamentária e aos
relatórios relacionados com a planilha. Porém este controle não é efetivo
sobre os cubos e seus relatórios e consultas, uma vez que o cubo pode
ser totalmente configurado de acordo com as necessidades da empresa,
não permitindo assim a disponibilidade de um controle de usuários
padrão do sistema pelo conteúdo de um cubo e seus detalhes.

Usuários x Classe de Valor

Utiliza-se esta rotina para efetuar o relacionamento entre faixas de classe de valor e
usuários. Através dela podemos configurar os direitos de acesso de cada usuário para
uma faixa de classe de valor, independente da conta orçamentária da planilha.
Para utilizar a opção de controle de usuários, é necessário que a planilha que se quer
controlar esteja com a opção "Controle de Usuários" habilitada em seu cadastro. Caso
contrário, esta planilha estará disponível a todos os usuários do sistema sem nenhuma
restrição.
Para visualizar os direitos de um usuário a uma faixa de Classes de Valor, posicione o
cursor no usuário vinculado e selecione a opção "Visualizar". Para alterar ou excluir
direitos, utilize a mesma seqüência de operação.

As regras configuradas se aplicam à planilha orçamentária e aos


relatórios relacionados com a planilha. Porém este controle não é efetivo
sobre os cubos e seus relatórios e consultas, uma vez que o cubo pode
ser totalmente configurado de acordo com as necessidades da empresa,
não permitindo assim a disponibilidade de um controle de usuários
padrão do sistema pelo conteúdo de um cubo e seus detalhes.

8.15. Entidades

Denomina-se entidade qualquer tabela do Sistema PROTHEUS. Como por exemplo, a


tabela: AKF - Operações Orçamentárias; AKN - Visão Gerencial Orçamentária; AL3 -
Configuração do Cubo, etc.
Na planilha orçamentária, podem utilizar-se diferentes tabelas e estas podem conter
informações gerenciais sigilosas. O objetivo desta rotina é permitir ao administrador,
restringir o acesso de usuários a determinadas entidades do sistema na digitação dos
itens orçamentários.
Para habilitar a rotina de restrição de acesso, o administrador deve primeiramente
configurar, pela rotina Usuários/Planilha, a restrição de acesso para cada usuário da
planilha.

Página 60 Planejamento e Controle Orçamentário


Exemplo:
Se o administrador quiser restringir o acesso à digitação de operações
orçamentárias, deve efetuar o cadastro da entidade "AKF - Operações
Orçamentárias" e incluir neste, apenas os usuários que terão acesso a tal
entidade.
Os principais campos da rotina são:
Entidade - (tabela do sistema) Entidade que sofrerá restrição de acesso por usuários na
faixa informada.
Cons. Padrão - Consulta padrão da entidade para acesso pelo botão pesquisa ao
informar a faixa inicial e final da entidade (tabela do sistema).
Campo It. Orc. - Indicar o campo que sofrerá restrição de acesso na grade de itens
orçamentários (será validado).
Campo Mv. Orç. - Campo informativo indicando o campo de referencia da tabela de
movimentos com relação ao item com restrição de acesso na grade de itens
orçamentários.

8.16. Configuração de Cubos

O objetivo desta rotina é permitir ao administrador do controle orçamentário, restringir


o acesso de usuários a determinadas configurações de cubos em consultas e relatórios.
Se o administrador quiser que o usuário final somente tenha acesso à determinada
conta orçamentária em consultas e relatórios, basta cadastrar a restrição de acesso, por
configuração de cubo, para este usuário, definindo-o com direito somente à
visualização.

Com exceção do usuário "Administrador" (que possui direito de acesso e


controle total), todos os demais usuários devem ser cadastrados com as
respectivas configurações e seus direitos (visualização ou alteração). Esse
controle de acesso utiliza-se da estrutura Entidades.

Exercícios:
Vamos configurar cubos:
No menu principal acesse a opção Usuários / Configuração de Cubos;
Informe na grade: o usuário, a faixa de "cubo + configuração" inicial e final e o direito
correspondente;
Para que a restrição seja efetivamente controlada no cadastro da "Entidade x Usuário"
o campo "Ativo" deve estar ativado;

Planejamento e Controle Orçamentário Página 61


Os campos "Faixa Inicio" e "Faixa Final" permitem definir o intervalo de registros que
serão afetados pela restrição. Para preenchimento pode-se utilizar a consulta padrão
da entidade acessada pelo botão pesquisa na barra de ferramentas.
Ao confirmar a consulta ou a emissão do relatório, a tela de parametrização do cubo
que se processará, será preenchida com os valores definidos na configuração e o
usuário não poderá alterá-los (quando se trate de direito de visualização padrão).

8.17. Visão Gerencial

O objetivo desta rotina é permitir ao administrador do controle orçamentário, restringir


o acesso de usuários a determinadas configurações de visões gerenciais tanto em
consultas como em relatórios.
Se o administrador quiser que o usuário final somente tenha acesso à determinada
visão gerencial em consultas e relatórios, basta cadastrar a restrição de acesso, por
visão gerencial, para este usuário, definindo-o com direito somente à visualização.

Com exceção do usuário "Administrador" (que possui direito de acesso e


controle total) todos os demais usuários dever ser cadastrados com as
respectivas configurações e seus direitos (visualização ou alteração). Esse
controle de acesso utiliza-se da estrutura Entidades.

Exercícios
Para restringir o acesso de usuários à visão gerencial:
Acesse no menu principal a opção Usuários/ Visão Gerencial.
Informe na grade: o usuário, a faixa de visão gerencial (inicial e final) e o direito
correspondente.
Para que a restrição seja efetivamente controlada no cadastro da "Entidade x Usuário"
o campo "Ativo" deve estar ativado.
Os campos os campos "Faixa Inicio" e "Faixa Final" permitem definir o intervalo de
registros que serão afetados pela restrição. Para preenchimento pode utilizar-se a
consulta padrão da entidade acessada pelo botão pesquisa na barra de ferramentas.
Ao confirmar a consulta ou a emissão do relatório, serão verificadas as restrições e caso
o usuário não tenha acesso, será emitido um aviso e não será permitido a este usuário
concluir a consulta ou a impressão do relatório.

8.18. Planejamento

Regra de Distribuição

Página 62 Planejamento e Controle Orçamentário


O objetivo desta rotina é cadastrar as regras para distribuição do planejamento,
definindo as entidades orçamentárias utilizadas e opcionalmente os percentuais para
distribuição.

A rotina possibilita a gravação dos dados com ou sem percentual de


distribuição. Para os casos em que a gravação é efetuada sem percentual
apenas a combinação é utilizada, sendo necessária a manutenção
manual na tela de planejamento para entrada dos valores/quantidades.

O tipo de distribuição só pode ser determinado no momento da inclusão,


não podendo ser alterado após sua gravação.

O tipo de distribuição alterado pela tecla F12 não terá efeito nos casos
de alteração no cadastro de regra de distribuição.

8.19. Receitas Relacionadas

O objetivo deste cadastro é registrar as relações existentes entre as receitas


provenientes dos produtos principais e as receitas de outros produtos. Esta relação
determina que a venda de um produto relacionado, será efetuada a partir da venda de
um produto principal durante o período do planejamento.

. O cadastro de receitas relacionadas determinará a forma como a rotina


de planejamento orçamentário gera os dados do planejamento para
receitas relacionadas.

Observe as particularidades dos campos:


O campo "Período?:" Indica o número do período em que será gerada a receita
relacionada, a partir da geração da receita principal.
O campo "Nr. Períodos:" Indica a quantidade de períodos que a receita relacionada
será gerada.Se preenchido com 99, a receita relacionada será gerada para todo o
período do planejamento.

8.20. Tipos de Movimento

Os tipos de movimentos determinam os movimentos que serão utilizados no processo


de movimentos Relacionados.

Movimentos Relacionados

Planejamento e Controle Orçamentário Página 63


O objetivo desta rotina é definir as regras utilizadas na geração dos movimentos do
planejamento relacionados a receita (deduções de vendas, comissões, taxas, entre
outras). Neste cadastro podem ser informadas as entidades e critérios para a geração
dos valores de movimentação, relacionados a receitas diretas e /ou receitas
relacionadas do planejamento orçamentário.

O cadastro de receitas relacionadas determinará a forma como a rotina


de planejamento orçamentário gera os dados do planejamento para
receitas relacionadas.

Observe as particularidades dos campos:


O campo "Percentual:" indica o percentual do valor de receita que será gerado para o
tipo de movimento informado.
O campo "Vlr. Unitário” indica o percentual do valor de receita que será gerado para o
tipo de movimento informado.

8.21. Custos Relacionados

O objetivo desta rotina é cadastrar as entidades orçamentárias de receitas,


determinando as respectivas entidades orçamentárias para planejamento de custos
diretos para que os custos sejam gerados automaticamente a partir do planejamento
da receita.
Neste cadastro deve ser determinado também os percentuais de origem do
planejamento de receitas e percentuais de destino para as combinações de entidades
orçamentárias de custo direto.

8.22. Cadastro de Despesas

O objetivo deste cadastro é informar os tipos de despesas utilizados no processo de


planejamento orçamentário. Este cadastro possibilita organizar as despesas
operacionais, que deverão ser relacionadas ao cadastro de regras de distribuição. Neste
cadastro, é possível associar a despesa às fórmulas.
Observe as particularidades dos campos:
O campo "Tipo Fórmula” – Determina em qual momento a fórmula será utilizada para
calcular o valor de planejamento.
Vigência: será considerada a vigência total da planilha de planejamento para
atualização dos valores de planejamento.
Período: será considerado cada período informado na planilha para gravação dos
valores planejados.

Página 64 Planejamento e Controle Orçamentário


Este cadastro permite a utilização da ferramenta de formula para
automatizar o planejamento orçamentário.

8.23. Cadastros de Movimentos não Operacionais

Este cadastro será utilizado no planejamento orçamentário e determina as regras para


efetuar o cálculo do planejamento orçamentário do movimento não operacional
cadastrado.
Observe as particularidades dos campos:
O campo "Tipo Fórmula” – Determina em qual momento a fórmula será utilizada para
calcular o valor de planejamento.
Vigência: será considerada a vigência total da planilha de planejamento para
atualização dos valores de planejamento.
Período: será considerado cada período informado na planilha para gravação dos
valores planejados.

Este cadastro permite a utilização da ferramenta de formula para


automatizar o planejamento orçamentário.

Neste cadastro deve-se informar todos os movimentos não operacionais que deverão
fazer parte do planejamento da Empresa. Pode ser utilizado, por exemplo, para
organizar as adições de bens ao ativo imobilizado ou o crédito de juros sobre o capital
próprio.

8.24. Cadastro de Verbas

Neste cadastro, deverão ser incluídas todas as verbas ou grupos de verbas necessários
para o planejamento das despesas e custos com pessoal. Para cada verba cadastrada,
será necessário indicar se ela depende de outra verba ou de um conjunto de verbas.

Exercícios:
Para adicionar uma verba click com o botão direito sobre a Janela Grupo de Verbas.
Deve se definir uma formula ou um percentual médio que é pago em relação com a
base de calculo (Total das verbas de composição). Por exemplo, a verba INSS depende
das verbas salário. Portanto, no cadastro da verba INSS, a janela composição de verbas
deverá ser preenchida com o código da verba salário.

Planejamento e Controle Orçamentário Página 65


Observe as particularidades dos campos:
O campo "Tipo de planejamento” - Determina a forma como serão calculados os
valores no processo de planejamento orçamentário do grupo de verbas, sendo:
Quantidade: para o cálculo, leva em consideração as quantidades de planejamento dos
grupos de verbas existentes em sua composição multiplicada pelo valor unitário e
percentual do cadastro.
Valor: para o cálculo, leva em consideração os valores de planejamento dos grupos de
verbas existentes em sua composição multiplicada pelo percentual informado no
cadastro.
O campo "Valor Unitário” – Utilizado quando o campo tipo de planejamento é
informado como quantidade para determinar os valores de planejamento de folha de
pagamento.
O campo "Tipo Fórmula” – Determina em qual momento a fórmula será utilizada para
calcular o valor de planejamento.
Vigência: será considerada a vigência total da planilha de planejamento para
atualização dos valores de planejamento.
Período: será considerado cada período informado na planilha para gravação dos
valores planejados.

Este cadastro permite a utilização da ferramenta de formula para


automatizar o planejamento orçamentário.

8.25. Cadastro de Roteiro de Verbas

O objetivo é cadastrar a seqüência de cálculo de planejamento orçamentário dos


grupos de verbas da folha de pagamento.

Atenção a verba salário não pode fazer parte do roteiro de verba.

Este cadastro deve ser utilizado obrigatoriamente em conjunto com o


cadastro de grupos de verbas e composição.

Página 66 Planejamento e Controle Orçamentário


9. CONSULTAS

9.1. Cubos

Saldos Mensais

Esta consulta apresenta todos os valores a crédito e a débito acumulados pelos


lançamentos efetuados para o cubo informado, de acordo com a chave e a moeda que
compõem o saldo final no último dia do mês.

Movimentos Diários

Esta consulta apresenta os valores a crédito e a débito acumulados pelos lançamentos


efetuados para o cubo, de acordo com a chave e a moeda que compõem o saldo final
na data informada.

Saldos Mensais

Esta consulta exibe um demonstrativo de saldos, para uma data específica informada e
para o cubo selecionado, de acordo com a configuração do cubo. Os saldos são
exibidos graficamente em uma planilha de valores que facilitam a interpretação dos
resultados.
O funcionamento da consulta baseia-se no método Drill-Down de navegação entre os
níveis do cubo selecionado. Saiba como funciona a opção Drill-Down no exemplo a
seguir:
Tomando-se como base o cubo com a seguinte configuração de níveis:

1º Nível Conta Orçamentária

2º Nível Classe Orçamentária

3º Nível Operação

4º Nível Tipo de Saldo

Baseando-se no método Drill-Down de consultas, ao selecionar um cubo com a


configuração de cubos adequada, é exibido o resultado do primeiro nível do cubo. Em
nosso exemplo, corresponde aos valores de saldos na data por "Conta Orçamentária".
Para utilizar o método Drill-Down na exibição do próximo nível - quando o cubo
selecionado possui mais de um nível. - é necessário posicionar o cursor sobre a
consulta, com a planilha de valores que se deseja detalhar e pulsar o botão Drill-Down.
Assim, o sistema apresentará os valores do próximo nível, de acordo com a tabela
exemplo, "Classe Orçamentária".

Planejamento e Controle Orçamentário Página 67


Pode utilizar-se a opção "E-mail", acionada pelo botão, na barra de ferramentas, para
enviar os dados da consulta e o gráfico via correio eletrônico.

Demonstrativo de Saldos por Período

Esta consulta apresenta um demonstrativo de saldos para um cubo selecionado


referente à periodicidade informada (intervalos semanais, quinzenais, mensais,
bimestrais ou anuais) de acordo com as configurações do cubo. Os saldos são exibidos
graficamente em uma planilha de valores que facilitam a interpretação de resultados.
O funcionamento da consulta se baseia no método Drill-Down de navegação entre os
níveis do cubo selecionado. Saiba como funciona a opção Drill-Down com o exemplo a
seguir:
Tomando-se como base o cubo com a seguinte configuração de níveis:

1º Nível Conta Orçamentária

2º Nível Classe Orçamentária

3º Nível Operação

4º Nível Tipo de Saldo

Baseando-se no método Drill-Down de consultas, ao selecionar um cubo com a


configuração de cubos adequada, é exibido o resultado do primeiro nível do cubo, no
nosso exemplo, os valores de saldos na data por "Conta Orçamentária".
Para utilizar o método Drill-Down para exibição do próximo nível (quando o cubo
selecionado possui mais de um nível), é necessário posicionar o cursor sobre a
consulta, com a planilha de valores que se deseja detalhar e pulsar o botão Drill-Down.
Assim, o sistema apresentará os valores do próximo nível, de acordo com a tabela
exemplo, "Classe Orçamentária".
Pode utilizar-se a opção "E-mail" para enviar os dados da consulta e o gráfico via
correio eletrônico.

9.2. Visões

Visões Gerais Por Cubo – Saldo na Data e por Período

Esta consulta mostra um demonstrativo dos saldos para os períodos informados, que
permitem visualizar o cubo selecionado numa visão gerencial, de acordo com a
configuração definida para este. Os saldos são exibidos em uma planilha de valores, na
qual também estão as contas orçamentárias gerenciais configuradas na visão gerencial
e os saldos nos respectivos períodos. Também exibe o gráfico para facilitar a
interpretação dos resultados.
Os dados da consulta e o gráfico podem ser enviados por correio eletrônico, utilizando
o botão "E-mail".

Página 68 Planejamento e Controle Orçamentário


Projeções por Período

Esta consulta apresenta um demonstrativo dos saldos com as projeções para os


períodos informados, permitindo visualizar o cubo selecionado por visão gerencial, de
acordo com a configuração definida para este.
Para projetar saldos da Série-2, a data de referência é de grande importância, pois a
partir desta se projetam os períodos subseqüentes
A apresentação dos saldos será exibida numa planilha de valores, na qual também
serão visualizadas as contas orçamentárias gerenciais configuradas na visão gerencial
com os saldos nos respectivos períodos.
Esta consulta exibe um gráfico que permite interpretar os resultados.

Construção de Fórmulas

As fórmulas podem ser expressões ADVPL que retornam algum valor ou colunas
existentes na própria consulta. Podem-se criar colunas definidas pelo construtor de
fórmulas e salvar as configurações para posterior recuperação, obtendo assim uma
maior flexibilidade na consulta.

Exercícios:
Para consultar as projeções por período:
Acesse no menu a opção Projeções por Período.
Selecione na grade a visão gerencial desejada. Clique no botão "Consultar"
O sistema exibe a tela de parâmetros.
Observe os parâmetros a seguir:
Totaliza linha? - Ao informar com "Sim" acrescenta duas novas colunas no final da
grade com o total da Série 1 e total da Série 2.
Percentual referente total? - Ao informar com "Sim" acrescenta uma nova coluna para
cada período, com valor em percentual relativo ao total da série (funciona em conjunto
com o parâmetro "Totaliza linha?").
Cenário/Projeção?
Apresenta as opções:
Nenhum - A consulta apresenta os valores agrupados normalmente, não executa
qualquer tratamento com relação à data de referência.
Manter tendência - A consulta projeta os saldos a partir da data de referência para a
série 2 da seguinte forma:
- Soma as séries 1 e 2 até o período da "Data de Referência".
- Divide a soma da serie 2 pela soma da série 1, armazenando o resultado em um
coeficiente.

Planejamento e Controle Orçamentário Página 69


- Multiplica os valores da série 2 a partir do período seguinte à data de referência pelo
coeficiente.
Recuperar Orçamento até final do período - Serão projetados os saldos a partir da data
de referência para a série 2 de forma que a soma de seus valores, ao final do período,
seja igual à soma da série 1; para tanto o calculo será efetuado da seguinte forma (Veja
planilha explicativa):
- Deve-se somar as séries 1 e 2 até o período definido como "Data de referência"
- Encontrar a diferença entre as somas (DIF=SOMA_SERIE 2 - SOMA_SERIE 1).
- Somar os valores da serie 1 a partir da "Data de referência" até o final do período
(SOMA-S1)
- Calcular o coeficiente (COEF) aplicando a diferença (DIF) dividindo pela soma da série
1 (SOMA-S1)
- Calcular os novos valores para a série 2 referente aos períodos seguintes à data de
referência, diminuindo do valor da série 1 o coeficiente calculado no item anterior.
Ajustar ao orçamento a partir da data de referência - Aqui, serão visualizados os valores
apurados até o período da data de referência e para os posteriores, igualará os valores
da série 2 de acordo com a série 1.
Configure os demais parâmetros de acordo com a necessidade da consulta.
Confira os dados e clique no botão "OK".
O sistema exibe o resultado da consulta na qual pode ser modificada a ordem de
apresentação das colunas, marcar ou desmarcá-las.
O botão "Fórmulas" na barra de ferramentas permite construir fórmulas conforme a
necessidade.
Na opção de construção de fórmulas será solicitado o título da coluna, tipo e picture
para exibir a coluna desejada na consulta

Página 70 Planejamento e Controle Orçamentário


10. RELATÓRIOS

10.1. Cadastros

Relatório Contas Orçamentárias

Este relatório apresenta uma listagem contendo todas as contas que formam o plano
de contas orçamentário.

Relatório de Classes

Esse relatório apresenta uma listagem com todas as informações do cadastro de classes
orçamentárias que são utilizadas nos itens da planilha.

Relatório de Operações

Esse relatório apresenta uma listagem com todas as informações do cadastro de


operações orçamentárias que são utilizadas nos itens da planilha.

Relatório Centro de Custo

Esta rotina emite uma relação do plano de centro de custo da empresa por ordem de
código e/ou por ordem de descrição.

10.2. Planilhas

Relatório Planilha Resumida

Esse relatório apresenta as contas orçamentárias definidas na planilha de forma


estrutural (de acordo com o nível), ou seja, apresenta todo o roteiro de navegação
entre os itens orçamentários.

Relatório Planilha Detalhada

Esse relatório apresenta as contas orçamentárias definidas na planilha de forma


estrutural (de acordo com o nível), e todos os itens correspondentes a esta respectiva
conta. Este relatório pode ser utilizado, por exemplos para conferência da digitação dos
itens orçados.

Relatório de Totalizadores

Planejamento e Controle Orçamentário Página 71


Esse relatório apresenta todos os totalizadores, visualizados também através da visão
gerencial, porém na forma de listagem/relatório. O usuário pode selecionar o
totalizador a ser impresso.

Relatório Comparação de Versões

Esse relatório exibe as diferenças encontradas entre duas versões selecionadas de uma
planilha orçamentária. Este relatório pode ser utilizado para comparar, por exemplo,
uma versão simulada com a planilha corrente.

10.3. Movimentos

Lançamentos

Este relatório irá imprimir a Relação de Movimentos de acordo com os parâmetros


solicitados pelo usuário.

10.4. Cubos

Relatório Movimentos

Esse relatório exibe os movimentos de origem dos saldos gerenciais, detalhando a


composição dos saldos de acordo com definição e configuração do cubo gerencial e
parametrização de relatório.

Relatório Demonstrativo de Saldos

Esse relatório exibe uma posição resumida, fornecendo os saldos finais de cada nível
do cubo gerencial, conforme sua definição e de acordo com a parametrização do
relatório.

Relatório Balancete

Esse relatório exibe os saldos anterior, total de movimentos a crédito e a débito, saldo
final de cada nível do cubo gerencial, conforme sua definição/configuração e
parametrização.

Relatório Demonstrativo de Período

Esse relatório exibe os saldos anterior, total de movimentos a crédito e a débito, e


saldo final de cada nível do cubo gerencial para os períodos solicitados, conforme a
definição e configuração do cubo e a parametrização do relatório.

Página 72 Planejamento e Controle Orçamentário


10.5. Cubos Comparativos

Relatório Demonstrativo de Saldos

Esse relatório exibe uma posição resumida, fornecendo os saldos finais de cada nível
do cubo gerencial, e as diferenças constatadas entre configurações do cubo gerencial,
de acordo com a sua definição e parametrização do relatório.

Relatório Balancete

Esse relatório exibe os saldos anterior, total de movimentos a crédito e a débito, e


saldo final de cada nível do cubo gerencial, comparando-os com outras configurações,
conforme sua definição e parametrização do relatório.

Relatório Demonstrativo de Período

Esse relatório exibe os saldos anterior, total de movimentos a crédito e a débito, e


saldo final de cada nível do cubo gerencial para os períodos solicitados, comparando-
os com outras configurações, conforme a definição do cubo e a parametrização do
relatório.

Relatório Movimentos

Esse relatório exibe os movimentos de origem dos saldos gerenciais, detalhando a


composição dos saldos e comparando-os com outras configurações, demonstrando,
desta forma as diferenças de acordo com definição do cubo gerencial e parametrização
do relatório.

10.6. Visões

Relatório Estrutura Resumida

Esse relatório apresenta as contas orçamentárias gerenciais definidas na visão gerencial


de forma estrutural (de acordo com os níveis), disponibilizando todo o roteiro de
navegação entre os itens orçamentários da visão.

Relatório Estrutura Completa

Esse relatório apresenta as contas orçamentárias gerenciais definidas na visão gerencial


de forma estrutural (de acordo com os níveis) e todos os itens correspondentes à
respectiva conta. Os itens apresentados neste relatório se referem à planilhas e contas
consolidadas na visão gerencial.

Planejamento e Controle Orçamentário Página 73


Relatório de Totalizadores

Esse relatório apresenta todos os totalizadores, visualizados também através da visão


gerencial, porém na forma de listagem/relatório. O usuário pode selecionar o
totalizador a ser impresso.

Relatório Visão Gerencial X Cubo - Demonstrativo de Saldos

Esse relatório exibe uma posição resumida, fornecendo os saldos finais de cada conta
orçamentária gerencial na visão gerencial por cubo, conforme sua definição e de
acordo com a parametrização do relatório.

Relatório Balancete - Visão Gerencial por Cubo

Esse relatório exibe o saldo anterior, o total de movimentos a crédito e a débito, e o


saldo final de cada conta orçamentária gerencial configurada na visão gerencial por
cubo, conforme a definição/configuração e parametrização.

10.7. Miscelâneas

Reprocessamento - Cubos Gerenciais

Esta rotina tem como objetivo recalcular e analisar os saldos de um determinado


período, efetuando acompanhamento dia-a-dia, atualizando os dados até a data base
do sistema. Este recurso é utilizado no caso de haver necessidade de recalcular os
resultados por ocasião de entrada de movimentos retroativos no sistema.

10.8. Lançamentos

Esta rotina tem como objetivo recalcular ou recriar os saldos e lançamentos de um


determinado processo. Este recurso é utilizado no caso de haver necessidade de
recalcular os resultados por ocasião de entrada de movimentos retroativos no sistema.

Lançamentos dos Saldos Contábeis

Esta rotina tem como objetivo gerar as movimentações no PCO com base nos registros
contábeis diários por conta (CT7), por conta mais centro de custo (CT3), conta mais
Item Contábil, Conta mais Classe de Valor. Este recurso é utilizado quando se deseja
refletir os saldos contábeis de uma conta ou de um grupo de contas no PCO.

Exercício:
No módulo Planejamento e Controle Orçamentário, opção Atualizações /
Lançamentos / Por Processos, configurar o lançamento orçamentário 000255,

Página 74 Planejamento e Controle Orçamentário


seqüência 01 para: saldo por conta contábil mais centro de custo (será executado para
cada registro da tabela CT3), e a seqüência 02 para saldos por conta (será executado
para cada registro da tabela CT7).

Na seqüência 02, estará disponível a variável private”nTotCT7”, que


contém a diferença entre o saldo por conta contábil e os saldos para a
conta posicionada por centro de custo. Em caso de não existir contas
com saldo diferente por conta contábil e por conta contábil mais centro
de custo, esta variável deverá estar zerada.

Recomendamos verificar se os saldos da Contabilidade Gerencial estão consistentes


antes de executar esta rotina de lançamentos.

Planejamento e Controle Orçamentário Página 75