Você está na página 1de 9

ARTIGOS DE REVISÃO

Área de Saúde Integral Comunitária El Socorro. Missão Barrio Adentro

Terapia de ozono em estomatologia


ozonoterapia em estomatologia
MsC. Bernardo Ricardo Pérez Barrero, 1 MsC. Gertrudis Rodríguez Mediaceja,2 Dra. María
Rosa Paneque Gamboa3 e Al. Adelaida Pérez Castro4

RESUMO

A ozonioterapia consiste no uso de um gás natural altamente instável, que libera os radicais
livres O + e as moléculas de O 2 , altamente eficazes em múltiplas doenças humanas. Como
bactérias anaeróbicas, protozoários e fungos sobrevivem em uma atmosfera rica em oxigênio,
todas as doenças causadas por esses agentes são potencialmente tratáveis com ozônio. Este
artigo apresenta as mais atuais sobre as propriedades e o uso da ozonioterapia, para
profissionais que cuidam de pacientes com condições estomatológicas.

Descritores: OZONO / uso terapêutico; ODONTOPATIAS /


terapia; ODONTOLOGIA; ESTOMATITE HERPÉTICA / terapia; PULPITE / terapia; ALVEOLO
SECO / terapia; ESTOMATITE SUBPROTÉTICA / terapia; HALITOSE / terapia

Limites: HUMANO

RESUMO

A ozonoterapia é um gás natural altamente instável que libera os radicais livres O + e O2, de
grande eficácia em múltiplos transtornos humanos. Como as bactérias anaeróbias, os
protozoários e os fungos se dissipam em uma atmosfera rica em oxigênio, todas as doenças
causadas por esses agentes são potencialmente tratadas com ozônio. Neste artigo são
expostos os tópicos mais atuais sobre as propriedades e uso da ozonoterapia, para
profissionais que atendem pacientes com distúrbios estomatológicos.

Títulos de assunto: OZONO / uso terapêutico; DOENÇAS DO DENTE /


terapia; ODONTOLOGIA; ESTOMATITE HERPTICA / terapia; PULPITE / terapia; SOQUETE
SECO / terapia; ESTOMATITE DENTURA / terapia; HALITOSE / terapia

Limites: HUMANO

1
Em 1783, von Marum descreveu um "cheiro especial" no caso de oxigênio que se origina
de choque elétrico, mas l uma história de terapia de ozônio começou na Alemanha pelo
precursor do uso de ozônio, Werner von Siemens, que em 1857 construiu o primeiro tubo de
indução para a destruição de microorganismos. Na segunda década do século XX, outro
químico alemão, Justus Baron von Liebig, foi o primeiro a estudar as aplicações do ozônio para
uso humano. Então, foram os russos que aceleraram a pesquisa desse novo medicamento e
transferiram o conhecimento para os países aliados. Embora também tenha se expandido no
2
resto do mundo, especialmente após a Segunda Guerra Mundial.

A ozonioterapia é a aplicação do ozônio ao organismo humano, com técnicas especiais e


fins terapêuticos. Seu início data da Primeira Guerra Mundial, para desinfecção de feridas. Nos
últimos 20 anos, outras importantes propriedades e aplicações terapêuticas foram
descobertas.
Ozono (O 3 ), que é uma variedade triatômica especial de oxigénio, a qual é formada
naturalmente nas camadas superiores da atmosfera e que foi descoberto em 1840. Ela foi
inicialmente utilizado como um germicida, porque do seu elevado potencial. Para sua aplicação
na medicina (ozonoterapia) é produzido a partir de oxigênio medicinal, por meio de geradores
3
especialmente projetados.

Como a meia-vida do ozônio é de 30 a 45 minutos por 20 ºC (68 ºF ), e que sua


concentração cai para 16% do seu valor inicial em duas horas, deve ser gerada para uso
imediato no local do tratamento.

O ozônio medicinal tem sido usado efetivamente em várias doenças humanas. Como
bactérias anaeróbicas, protozoários e fungos sobrevivem em uma atmosfera rica em oxigênio,
4-6
todas as doenças causadas por esses agentes são potencialmente tratáveis com ozônio. A
FDA (Food and Drug Administration) estabeleceu um nível máximo tolerável de 0,05 ppm de
7
ozônio, emitido por qualquer dispositivo fabricado para uso médico.

Propriedades da terapia de ozônio

Oxigenante

Aumenta a capacidade do sangue de absorver e transportar mais oxigênio para todo o


corpo, melhorando a circulação e as funções celulares em geral. Também estimula as enzimas
envolvidas no metabolismo e a sua glicólise (uso de açúcares), que é a fonte de energia
3
fundamental para todas as células, melhorando assim as suas funções gerais.

O aumento do fornecimento de oxigénio para os tecidos é dada porque os metabolitos de


ozono produzidos por interacção com as membranas das células, são capazes de penetrar e
não estimulam vários processos bioquímicos básicos, tais como o aumento da produção de
2,3 -difosfoglicerato (2, 3-DPG), que facilita a liberação de oxigênio da oxihemoglobina no nível
tecidual e diminui o ácido úrico (AU), o que leva a uma diminuição no nível de oxidantes
circulantes. Tudo isso possibilita uma notável melhoria do estado das células.

O efeito do aumento da transferência de oxigénio para os tecidos durante a passagem dos


glóbulos vermelhos através dos microvasos capilares pode ser verificado pela redução
evidente na pressão parcial de oxigénio no sangue venoso (PO 2 veia). O aumento de 2,3 DPG
facilita a transferência de oxigênio preso na oxihemoglobina nos glóbulos vermelhos. Assim,
quando passam através dos microvasos capilares dos tecidos, da artéria para a secção
venosa, são capazes de transferir mais oxigénio para o tecido circundante. Isso pode ser
comprovado pela diminuição da PO 2 venosa, que é melhor drenada do oxigênio transportado,
8
aumentando assim sua eficiência.

Revitalizante

Possivelmente, relacionado ao efeito anterior, demonstrou capacidade de promover a


3
recuperação funcional de numerosos pacientes acometidos por doenças degenerativas.

A influência de metabolitos de ozono especiais (ozono) em alguns processos enzimáticos


básicas, também envolve a estimulação da glicólise, que é a fonte de energia na forma
de trifosfato de adenosina (ATP) mais importante para as células aeróbicas. Neste caso, tal
estimulação é conseguido através de um tipo de reacções em cadeia, isto é, a activação da
oxidação de glicose-6-fosfato desidrogenase por glicose-6-fosfato.

De fato, o aumento da disponibilidade de ATP permite que as células restaurem ou


melhorem as funções básicas já perdidas ou deprimidas. Como é sabido, a atividade fagocítica
de certas células especializadas consiste em sua capacidade de aprisionar e inativar
microrganismos externos invasores e substâncias estranhas, para evitar os danos que
poderiam causar nas células normais. Esta é uma parte muito importante das defesas do
organismo contra doenças e deterioração geral.

Antioxidante (limpador de radicais livres)


É a única maneira, a presente conhecido, que é capaz de estimular a todos os antioxidantes
enzimas celulares que são responsáveis pela eliminação de radicais livres e outros oxidantes
nocivos corpo (glutationa peroxidase, catalase, superóxido dismutase e a outra para garantir o
funcionamento do anterior). Esse é o meio mais natural e eficaz de se conseguir isso, já que as
enzimas são muito mais eficientes do que qualquer outra vitamina ou substância para essa
finalidade. Portanto, também retarda os processos de envelhecimento celular.

A estimulação das defesas enzimáticas (agente anti-radicalar, antidegenerativas, anti-


envelhecimento) ozono é dada pela capacidade de metabolitos de ozono para estimular
processos relacionados enzima de oxidação-redução, que é muito importante para aumentar a
capacidade de protecção de células contra oxidantes agressivos e radicais livres. Os
metabólitos do ozônio interagem com os principais processos enzimáticos concatenados do
sistema celular defensivo e o estimulam significativamente. O último elo na cadeia defensiva
contra oxidantes é o sistema Redox da glutationa, que é ativado pelos metabólitos do ozônio.

Pelo o início da terapia de ozono tratamento, os peróxidos de lípidos no sangue (LPO)


aumentou ligeiramente até ao quinto dia, após o que, devido à activação de glutationa
peroxidase (GPx), que inactiva, parar de aumentar e começar a diminuir de novo. Glutationa
reductase (GRD) também é estimulado como necessidade de reabastecer o tanque de
glutationa reduzida, necessária para a atividade aumentada da GPx , enquanto a glutationa
reduzida é praticamente constante, corroborando o equilíbrio alcançado.

Outras enzimas do sistema defensivo básico, como a superóxido dismutase, catalase,


glicose-6-fosfato desidrogenase, entre outras, também são estimuladas. Eles são responsáveis
pela metabolização (inativação) de ânions superóxido, peróxido de hidrogênio e peróxidos
lipídicos, bem como pela substituição de equivalentes reduzidos e outros. Desta forma, a
capacidade geral das células de se defenderem contra radicais e oxidantes é significativamente
aumentada, e também a sua capacidade de lutar contra processos de envelhecimento e
8
algumas doenças.

Imunomodulador

Dependendo da forma de dosagem e de aplicação, que é capaz de estimular tanto celular e


humoral, em doentes imunocomprometidos ou modular as reacções imunes que produzem as
3
chamadas exacerbada doenças auto-imunes defesas imunitárias.

A activação do sistema imunitário, s egundo vários estudos in vitro e in vivo demonstraram a


capacidade de metabolitos de ozono ozono e para melhorar as funções tanto celular sistemas
imunitários, humoral. Foi demonstrado o efeito do aumento da proliferao e actividade de
linfócitos e macrófagos, e aumenta as interleucinas, citoquinas e as imunoglobulinas sob o
8
efeito de metabolitos de ozono.

Regenerativo

É capaz de promover a regeneração de diferentes tipos de tecidos, razão pela qual é muito
útil na cicatrização de lesões de difícil cicatrização, em ulcerações de vários tipos, em tecidos
3
articulares, em medicina estética, entre outras.

A capacidade da terapia de ozono e dos metabolitos de ozono especiais para estimular os


processos reparativos dos tecidos foi demonstrada, por exemplo, em estudos controlados com
feridas experimentais. Além de seu efeito antiinflamatório e desinfetante, são capazes de
promover a formação de neovasos e fibroblastos nas lesões dérmicas, o que garante e acelera
a cicatrização.

Estimulação da circulação sanguínea

As membranas celulares são constituídas, entre outras, também por estruturas lipídicas. As
interações dos derivados do ozônio (ozonioterapia) com as membranas celulares, quebram as
forças excessivas de atração e ligações, melhorando assim seu relaxamento, flexibilidade,
permeabilidade e deformabilidade.
No sangue, isso também melhora a flexibilidade, deformabilidade e permeabilidade dos
glóbulos vermelhos, bem como a sua agregação nos chamados agregados em "pilhas de
moedas". Desta forma, uma melhor circulação é conseguida através dos vasos sanguíneos
mais finos (microcapilares), e melhor capacidade de absorver oxigênio nos pulmões e liberá-lo
ao nível dos tecidos para outras células do corpo circundante.

Após a terapia com ozônio, o sangue melhora sua capacidade de circular pelos
microcapilares mais estreitos e pela microcirculação. Além disso, os eritrócitos desagregados e
amolecidos são mais capazes de absorver e transferir oxigênio, entre outros fatores, pela maior
8
superfície de contato livre e deformação.

Anti-alérgico e anti-inflamatório

Na aplicação local, tem esses efeitos, neutralizando mediadores neuroquímicos da


sensação dolorosa e facilitando a metabolização e eliminação de mediadores inflamatórios,
como histamina, quinina, entre outros.

Germicida

Inativa ou elimina todos os tipos de microorganismos patogênicos, como bactérias, fungos e


3
vírus.

A atividade germicida geral (antifúngica, antibacteriana, antiviral) é uma das propriedades


mais típicas e notáveis da terapia de ozônio e metabólitos especiais do ozônio. Houve muitos
ensaios clínicos, in vitro e in vivo durante vários anos, nos quais o seu efeito germicida foi
demonstrado em geral. Segue abaixo um resumo dos microrganismos considerados sensíveis,
de acordo com os resultados mais importantes dos testes clínicos e in vitro ( tabelas 1 e 2 )

Tabela 1. Ensaios clínicos (microorganismos considerados sensíveis)

Ensaios clínicos
Gengivoestomatite Cogumelos

- Herpes simplex - Candida albicans

- Staphylococcus aureus - células levaduriformes

- Streptococcus hemoliticus

- Candida albicans

- Fuso spirilus
Associações Bactérias

- Candida albicans + E. coli - E. Coli

- Candida albicans + Klebsiella - Staphylococcus aureus

- Candida albicans + Proteus

Tabela 2. Teste in vitro (microrganismos considerados sensíveis)

Os ensaios in vitro
Isolamentos clínicos
- Helicobacter pylori

- Staphylococcus aureus

- Streptococcus pyogenes

- Pseudomonas aeruginosa

- Escherichia coli

Linhas (em ordem de sensibilidade)

- Staphylococcus aureus ATCC 29213

- Escherichia coli ATCC 25922

- Pseudomonas aeruginosa ATCC 27853

Concentrações inibitórias mínimas de bactérias


Dentro dos limites: 0,3 - 4,8 mg / mL

- Staphylococcus

- Streptococcus

- Pseudomonas

- Escherichia coli

Concentrações inibitórias mínimas (fungos)

- Microsporum canis 0,31 mg / mL

- Trichophyton mentagrophytes 0,63 mg / mL

- Trichophyton rubrum 2,5 mg / ml

A ozonioterapia também leva a uma melhoria geral significativa de muitos processos


fisiológicos do organismo, melhora a qualidade de vida e a capacidade de trabalho,
especialmente nos casos em que esses efeitos começam a ser notados. Também compensa e
atrasa a deterioração que está ocorrendo no corpo com o envelhecimento. Suas ações também
são duradouras.

cura de ozônio porque equilibra o metabolismo integralmente por um lado, melhora a


circulação sanguínea nos tecidos afetados e em segundo lugar, o transporte de oxigênio, assim
também o fornecimento de energia para as áreas inflamadas. Da mesma forma, o sistema
imunológico é influenciado ou estimulado positivamente.

Para isso, seu efeito vacinal é adicionado, pois fragmentos de vírus, parcialmente
destruídos, podem funcionar como estímulo na produção de anticorpos. Além disso, como o
ozônio induz uma maior "agressividade" dos leucócitos, faz com que os vírus sejam atacados
mais rapidamente e com maior força. Também age como um antitóxico, sem destruir os
tecidos. E, finalmente, como não pode ser inativado por sistemas enzimáticos, atua em
qualquer tipo de agente agressor. Também é usado como um poderoso imunoestimulante,
8
analgésico e antiinflamatório.

A ozonioterapia não é uma medicina alternativa, mas natural. Também não causa
consequências colaterais com outros tratamentos, porque não compete, mas complementa
qualquer outra aplicação médica. As sessões terapêuticas são rápidas, eficazes e econômicas,
que variam em quantidade e duração, dependendo da condição em questão. As aplicações
não têm efeitos adversos.

Modos de administração

A principal forma de aplicação do ozônio em estomatologia é tópica, no carinho específico,


embora também seja usada com enxágüe, aerossóis, cremes e vernizes para
cavidades . Esses produtos, quando em contato com o corpo, transmitem o ozônio ao
9
organismo, para o qual a água e o óleo ozonizado são utilizados como veículos fundamentais.
a 12

O óleo ozonizado, proveniente de óleos de origem vegetal como os óleos de oliva e


girassol, é utilizado como meio adequado no tratamento com ozônio. Em Cuba, o óleo de
girassol é utilizado mais (oleozón), bem como as suas vantagens económicas, passou com
sucesso testes pré-clínicos de irritabilidade e testes de mutagenicidade e teratogenicidade,
embora tenha sido mostrado para ter um efeito germicida superior a de azeitona, obtendo
13
ozonides e peróxidos com grande poder destrutivo de germes.

As duas substâncias mais simples e disponíveis para equilibrar o equilíbrio do oxigênio


orgânico são o ozônio (O 3 ) e o peróxido de hidrogênio (H 2 0 2 ). Ambas as moléculas são
altamente tóxicas quando estão concentradas, o que reduziu o valor como germicida, exceto
como antisséptico nas condições da pele; mas quando eles são diluídos para níveis
14
terapêuticos, eles se tornam altamente benéficos.

O ozônio é um gás instável, que se decompõe facilmente a uma velocidade que depende da
temperatura e, portanto, não deixa resíduos tóxicos, já que dentro do organismo é
transformado em oxigênio.

Indicações

- gengivoestomatite herpética aguda (GEHA)

- gengivite aguda necrosante (GUNA)

- Tordo

- gengivite crónica

- úlceras traumáticas

- Pulpite

- Em canais radiculares infectados

- alveolite

- estomatite subprotética

- Recromías

- Desinfecção de bolsas periodontais

- Tratamento da halitose

- No período pré-operatório periodontal

12 a 14
- extrações traumáticas.

Contra-indicações
- Em casos de intoxicação alcoólica aguda

- infarto cardíaco

- Alergias ao ozono

- Gravidez

- Distúrbios sérios da tireoide

8
- Deficiência de glucose-6-fosfato desidrogenase (favismo).

- Estas contra-indicações são devidas ao pequeno aumento da pressão arterial.

Antecedentes e atualização de aplicações de ozônio em estomatologia

Foi a EA Fisco, dentista alemã, que usou pela primeira vez água ozonizada com funções
14 a 16
desinfetantes.

5
Segundo o Dr. Fritz Kramer, de ozônio como a água ozonizada, bochechos ou irrigador ou
como sprays que podem ser utilizados nas seguintes maneiras:

- Como um desinfetante de superfície poderoso.

- Por sua capacidade de conter hemorragias.

- Na limpeza de feridas de ossos e tecidos moles.

- Reforçar o suprimento de oxigênio na área de uma ferida cirúrgica para melhorar a


cicatrização.

- Como anti-séptico, para tratar periodontose, estomatite, canais endodônticos, alveolite e na


preparação de cirurgia oral

Alguns autores mostraram que a atividade antimicrobiana da água ozonizada em


suspensões bacterianas e materiais contaminados é significativa e depende principalmente da
concentração e do tempo de exposição. Na flora oral, um enxágüe teve pouco efeito, mas
várias lavagens sucessivas levaram a uma redução substancial no número de colônias
bacterianas.

papilas penetração e sacos de anti-sépticos de lavagens é muito baixo (4%), apesar de que,
os autores demonstraram actividade antimicrobiana água ozonizada significativa. Logicamente,
a penetração de 97% obtida por ação subgengival (segundo o professor TF Flemming, da
Universidade de Würzburg, Alemanha) aumentou os efeitos do produto estudado.

Em Espanha, o ozono tem sido útil para o branqueamento dos dentes, tirando partido do
seu elevado poder oxidante (tal como nos tratamentos actuais para o branqueamento com
peróxido de hidrogénio e géis de carbamida). Além disso, o grande poder desodorizante do
ozônio, através de sua eficácia na lise de bactérias e processos pútridos, tem sido útil no
combate à halitose e ao fetoéxore. Clinicamente, o ozono é aplicado em:

- Branqueamento dentário devido ao grande poder oxidante.

- Desinfecção de superfícies e materiais devido ao seu grande poder viricida e bactericida:


limpeza de superfícies, imersão do material em tanques ozonizados.

- Irrigação em periodontia , cirurgia oral e implantodontia.

- Adstringente em cirurgia oral.


- Oral mouthwash para o tratamento da halitose e intervenções preparatórias para curas,
cirurgia oral e implantologia.

- Desinfecção de papilas e bolsas periodontais na higiene dental.

- Manutenção periodontal por aplicação direta de gás ou diluição líquida utilizando cuvetes
de irrigação periodontal (CIQ).

- Desodorização do ambiente dos quartos da clínica, evitando o típico "cheiro da clínica"


14
que incomoda os visitantes.

Segundo o instituto que pesquisa e aplica o ozônio medicinal em Cuba, as propriedades


terapêuticas mais importantes no campo da medicina humana, reconhecidas pela
ozonioterapia, são:

- Lesões ou doenças infecciosas, devido ao seu alto poder germicida (bactericida, viricida,
fungicida e antiparasitária).

- Pacientes com lesões e oxigenação deficiente ou insuficiente dos tecidos. O ozônio


produz uma melhoria nas propriedades reológicas, isto é, melhora o fluxo de sangue através do
coração, os vasos sanguíneos para os menores capilares. Aumenta a capacidade de absorção
de oxigênio, pelos glóbulos vermelhos, melhora a transferência de oxigênio para os tecidos e
estimula favoravelmente os vários ciclos onde o oxigênio é metabolizado.

- Estresse oxidativo biológico, por modulá-lo ativando sistemas de defesa antioxidante.

- P ROPRIEDADES imunomodulação e inmunorrestauración, que contribuem para o


fortalecimento do sistema imunológico.

- Efeitos moduladores da resposta biológica, moderando os mecanismos de resposta da


auto-regulação biológica, para evitar reações fortes em mais (excitatórias) ou menos
11
(inibitórias).

CONCLUSÕES

A ozonioterapia é extremamente útil contra muitas condições estomatológicas, viável,


econômica e fácil de assimilar. Não deve ser considerado como uma medicina alternativa, mas
natural, com a qual são obtidos resultados iguais ou melhores do que aqueles obtidos com
tratamentos convencionais. É uma ferramenta disponível para qualquer profissional e pode ser
usada todos os dias, para os grandes benefícios de saúde que proporciona.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

1. Terapia de ozono em Espanha < http://www.pressingdental.org. com / index.php /


mod.eventos / mem.homeAgenda / idmenu.14 /
chk.0b055f29b67e9755a54b35035bec1319.html > [Acessado em: 23 Novembro , 2008],.

2. O que é a terapia de ozônio? Promedical Geradores de ozônio para uso em


medicina. 2002. < http://www.prodmedica.com/ contacto.html > [consulta: 3 de janeiro
de 2009].

3. Hope S. Ozone Therapy (2000). < http: // www . juanborzi. com.ar > [consulta: 3 de
janeiro de 2009 ].

4. Gorbunov SN. O uso de ozônio no tratamento de crianças sofreu devido a diferentes


catástrofes. Stamford , CT : International Ozone Association, 1993: 31-3.

5. Kramer F. Ozone na prática odontológica. Aplicações médicas do ozônio. Norwalk , CT :


International Ozone Association, 1983: 258-65.
6. Menéndez S. Ozomed / ozonoterapia. Havana : Centro Nacional de Pesquisa
Científica, 1993.

7. Bochecha CC. Descolorações dentárias e orais associadas à minociclina e outros


análogos da tetraciclina. J Esthet Dent 1999; 11 (1) : 43-8.

8. Terapia de ozono e produtos naturais ozonizados. Naturozone


2003. < http://www.naturozone.com/ spanish / index.html > [consulta: 10 de fevereiro
de 2009].

9. Diz GE. Novos tratamentos com "gás azul". Jornal dos trabalhadores. Havana, 8 de
fevereiro de 1999: 8.

10. Cruz GD, Menéndez CS. Aplicação da ozonioterapia no tratamento da alveolite. Rev
Cubana Estomatol 1997; 34 (1): 21-4.

11. Machiavelli Peláez RH. Métodos ou procedimentos terapêuticos. Outras possibilidades


médicas < Http://www.salud-sin-dolor.com/tofm30 / index.html > [ consulta: 14 de
dezembro de 2008].

12. Aplicações de óleo ozonizado na hiperestesia dentinária. Rev CNIC 1995; 26: 28-30.

13. Conterás R, Gómez M, Méndez CS. Efeito da substituição de óleo de girassol por óleo de
girassol sobre a atividade microbiana do óleo ozonizado. Rev CNIC 1989; 20: 121-3.

14. Arano JM. Proposta experimental para manutenção em periodontia por


oxigenoterapia. < Http: //www.odontologia-online.com > [Acessado em: 28 de setembro de
2008].

15. Ilzarbe LM. Novo método para o clareamento de dentes vitais por meio de gases naturais
hiperoxidantes. < http: // www.electrozono.com/formulario-blanqueamiento.asp > [consulta:
28 de setembro de 2008].

16. Ilizarbe LM. Generalidades Aplicações em medicina e


odontologia. < http://www.icqmed.com/ilz.htm > [ consulta: 28 de setembro de 2008].

MsC. Bernardo Ricardo Pérez Barrero. Área de Saúde Integral Comunitária El Socorro. Missão Barrio
Adentro, Venezuela

MsC. Bernardo Ricardo Pérez Barrero

1
Especialista em Second Period em Periodontia. Mestre em Cuidados Comunitários em Saúde
Bucal. Instrutor da
Comunidade Área de Saúde El Socorro. Missão Barrio Adentro, República Bolivariana da
Venezuela
2
Especialista I em Estomatologia Geral Compreensiva. Mestre em Cuidados Comunitários em
Saúde Bucal. Professora
ProvincialProfessora AuxiliarEstomatologista Provincial, Santiago de Cuba, Cuba
3
Especialista I Licenciatura em Estomatologia Geral Geral. Professora Assistente
Universidade Policlínico No.3 "René Vallejo Ortiz", Granma, Cuba
4
Quarto ano Estudante de Odontologia
Instituto Superior de Ciências Médicas, Santiago de Cuba, Cuba

Recebido: 3 de novembro de 2008


Aprovado: 12 de dezembro de 2008