Você está na página 1de 72

Esta documentação é de nossa propriedade intelectual.

Sem a nossa autorização por escrito, não poderá de


maneira nenhuma ser copiada, nem usada para fabricação
ou para dar conhecimentos a terceiros.

MANUAL DE TREINAMENTO &


DESENVOLVIMENTO

Treinamento
em Relés,
Chaves e
Contatores
ELEVADORES ATLAS SCHINDLER

F.0080 – Rev. 1 (CAPA) TREINAMENTO EM RELÉS, CHAVES E CONTATORES REVISÃO: PÁG:


DESENVOLVIMENTO DE RECURSOS HUMANOS S00 1/1
Esta documentação é de nossa propriedade intelectual.
Sem a nossa autorização por escrito, não poderá de
maneira nenhuma ser copiada, nem usada para fabricação
ou para dar conhecimentos a terceiros.

ÍNDICE
Gerenciador de Segurança 1
Qualidade 3
Objetivo Principal 5
Relés SR 5
Relé ES 16
Relé RA/RAW 25
Contator 6B3A e Relés CR9A e CR5 28
Relé de Temperatura 38
Relé Térmico 44
Chave 25AA 45
Relé VR 49
Chave 5 51
Chave 7 54
Chave 10 57
Chave 11 59
Contatores 63

F.0080 – Rev. 1 (Intermediário) NÚMERO: MATERIAL DE REVISÃO: PÁG:


TREINAMENTO S00 1/70
Esta documentação é de nossa propriedade intelectual.
Sem a nossa autorização por escrito, não poderá de
maneira nenhuma ser copiada, nem usada para fabricação
ou para dar conhecimentos a terceiros.

GERENCIADOR DE SEGURANÇA

Ícone Item Obrigatoriedade do uso Código de Estoque

Capacete Em todo e qualquer serviço nos edifícios. 91C1PE0100

No manuseio de materiais de grande porte onde haja o risco de 76502AP001 (G)


Luvas de Raspa
prensagens e/ou cortes. 93M1RA0123 (P)

93M1AR0100 (P)
Uso obrigatório no manuseio de materiais de pequeno porte e/ou
Luvas de Aramida 93M1AR0101 (M)
utilização de ferramentas manuais.
93M1AR0102 (G)

Luvas de Malha Nitrilica Em todas as atividades onde haja manuseio de produtos químicos. 93M1NI0300

Calçado de Segurança/ Botina 76502BA037


Uso obrigatório em todas as atividades laborais.
de Eletricista (até 44)

76501AV001 até 5
Uniforme Em todas as atividades.
76501AD001 até 5

Protetor Auricular Nos serviços com exposição a ruídos que geram desconforto acústico. 91A1ESI01200

EPI obrigatório em todas as atividades da montagem dentro dos


Óculos de Segurança 91V1PC0201
prédios.

Máscara contra Poeira Em serviços onde haja a exposição a partículas de poeira. 91R1DE0200

Creme Protetor Em todas as atividades laborais. 76520XATAA

76503AK001 (M)
Conjunto Cinto de Segurança / Ancorados na corda da vida - Trabalhos em alturas superiores a 2
95T1NY0000(G)
Trava-quedas metros e/ou que haja riscos de queda de nível diferente.
95T2AI0100 (TQ)

Utilização correta de Utilizar a ferramenta adequada à atividade e que esteja em bom


----
Ferramentas estado de conservação.

Providenciar iluminação adequada e suficiente à atividade a ser


Iluminação Adequada ----
desenvolvida.

F.0080 – Rev. 1 (Intermediário) NÚMERO: MATERIAL DE REVISÃO: PÁG:


TREINAMENTO S00 1/70
Esta documentação é de nossa propriedade intelectual.
Sem a nossa autorização por escrito, não poderá de
maneira nenhuma ser copiada, nem usada para fabricação
ou para dar conhecimentos a terceiros.

Ícone Item Obrigatoriedade do uso Código de Estoque

No acesso ao poço e em andaimes atravessados à caixa utilizar


Escada Portátil ----
sempre a escada portátil de boa qualidade, em perfeito estado.

O transporte manual e o manuseio de cargas superiores a 13 Kg


Operação com Carga ----
devem ser efetuados por mais de um colaborador.

Atenção para áreas que possam propiciar prensagens de partes do


Área de Prensagem: ----
corpo.

Risco de Choque Elétrico ATENÇÃO!!! ----

Seguir rigorosamente os procedimentos e instruções de segurança


Normas de Segurança ----
recomendadas a essa atividade.

Risco de Acidente Grave ATENÇÃO!!! ----

É necessária a execução de bloqueio elétrico para realizar os procedimento contidos nesse


manual, portanto, é preciso seguir as instruções do Procedimento de Bloqueio Elétrico
n°001413.

F.0080 – Rev. 1 (Intermediário) NÚMERO: MATERIAL DE REVISÃO: PÁG:


TREINAMENTO S00 2/70
Esta documentação é de nossa propriedade intelectual.
Sem a nossa autorização por escrito, não poderá de
maneira nenhuma ser copiada, nem usada para fabricação
ou para dar conhecimentos a terceiros.

QUALIDADE

No trato com o cliente, o técnico deve sempre estar atento ao tópico QUALIDADE. A
percepção do cliente a respeito da qualidade é baseada tanto em custos e no bom
funcionamento do equipamento quanto no ATENDIMENTO e SERVIÇO. A Política da
Qualidade Schindler busca:

• Fornecer aos nossos clientes produtos e serviços que estejam de acordo com
requisitos claramente estabelecidos. Estes requisitos devem ser orientados ao futuro
e à performance reconhecida como a melhor do mercado, de forma a garantir a
satisfação dos usuários a longo prazo.

• Continuamente, melhorar os processos de negócio e o desempenho operacional, de


forma a melhor atender às expectativas dos clientes, através da prestação de
serviços 24 horas por dia, mundialmente.

• Implementar processos de negócio e dar treinamento aos nossos colaboradores para


prevenir desvios dos padrões, através de ênfase na prevenção de defeitos.

• Cada colaborador da Atlas Schindler adotará o padrão de desempenho de fazer


certo da primeira vez sempre.

Um bom ATENDIMENTO e um bom RELACIONAMENTO são tão importantes na avaliação


de um cliente, quanto um serviço de manutenção executado de forma CORRETA.

A falta de qualidade, ou seja, a não-conformidade aos requisitos de bom funcionamento do


equipamento acarreta custos para a empresa. Esses custos são fatalmente repassados ao
consumidor final que, devido a isso, se torna mais exigente e crítico quanto à qualidade.
Podemos ver assim um círculo vicioso que pode ser quebrado com a simples boa execução
do serviço de instalação e manutenção do equipamento.

Custo Visível

Custo Real

O CUSTO REAL da falta de qualidade vai além do que pode ser facilmente mensurado.
Além de reclamações, retrabalhos e queixas, ele pode ser verificado em: multas, perdas de
clientes, perda da credibilidade, qualidade de fornecedores, excesso de chamados,
notificações de engenharia, disputa de contratos, custos de expedição e necessidades de
F.0080 – Rev. 1 (Intermediário) NÚMERO: MATERIAL DE REVISÃO: PÁG:
TREINAMENTO S00 3/70
Esta documentação é de nossa propriedade intelectual.
Sem a nossa autorização por escrito, não poderá de
maneira nenhuma ser copiada, nem usada para fabricação
ou para dar conhecimentos a terceiros.

concessões excessivas para novos clientes, entre outros. A redução desse custo está nas
mãos de cada colaborador, e deve ser de consciência coletiva.

Nossos deveres perante o cliente para melhorar a qualidade são:

• COMPREENDER suas necessidades;

• IDENTIFICAR as melhorias necessárias;

• CONTROLAR as ações necessárias e;

• EXECUTAR essas ações.

A melhoria da QUALIDADE melhora também a CONFIABILIDADE do cliente no serviço


prestado. A CONFIABILIDADE é o resultado final do serviço bem executado ao longo do
tempo, e a meta que deve nortear os serviços executados. A confiabilidade vem com a boa
avaliação pelo cliente do tripé da qualidade:

• EFICÁCIA do serviço executado;

• PREÇO adequado;

• PRAZO curto para a solução do problema.

Qualidade

Eficácia Prazo

Preço

Neste treinamento serão abordados tópicos necessários para a boa execução dos serviços
e, conseqüentemente, aumentar a percepção da qualidade pelo cliente.

F.0080 – Rev. 1 (Intermediário) NÚMERO: MATERIAL DE REVISÃO: PÁG:


TREINAMENTO S00 4/70
Esta documentação é de nossa propriedade intelectual.
Sem a nossa autorização por escrito, não poderá de
maneira nenhuma ser copiada, nem usada para fabricação
ou para dar conhecimentos a terceiros.

OBJETIVO PRINCIPAL

Apresentar os procedimentos para a montagem, regulagem, manutenção e


substituição de componentes para contatores, chaves e relés, abrangendo as tecnologias
dos equipamentos Atlas e Schindler.

Este treinamento é composto por:


 Relés SR, ES e RA/RAW;
 Contatores;
 Chaves.

Relé SR
Localiza-se na parte superior do painel, podendo possuir até 9 contatos, divididos em 3
colunas com no máximo 3 contatos cada. A capacidade de cada contato em regime normal
é de 20W indutivos e conduz até 5 A.
Todos os contatos inferiores (coluna esquerda, central e direita) por construção são sempre
normalmente abertos, variando apenas os restantes (N.F. / N.A.).

F.0080 – Rev. 1 (Intermediário) NÚMERO: MATERIAL DE REVISÃO: PÁG:


TREINAMENTO S00 5/70
Esta documentação é de nossa propriedade intelectual.
Sem a nossa autorização por escrito, não poderá de
maneira nenhuma ser copiada, nem usada para fabricação
ou para dar conhecimentos a terceiros.

Nomenclatura / Funções dos componentes:

1 2 3 4 5 7
6
8

21

10
11
20

19

12

18 13
17 16 15 14
1 – Terminal para bobina: facilitar ligação da bobina
2 – Separador: isolar lâminas dos contatos
3 – Parafuso das combinações: fixar as combinações na base
4 – Calço: permitir aperto adequado às combinações
5 – Mola operadora do contato: dar pressão no contato
6 – Barra limite: limitar percurso da lâmina
7 – Contato: fechar ou interromper circuito elétrico
8 – Botão separador: abrir ou fechar contato
9 – Separador magnético (cobre): evitar imantação
10 - Pastilha de latão: suavizar impactos
11 – Parafuso de fixação da bobina: fixar bobina
12 – Parafuso de ajuste: ajustar o entreferro
13 – Contraporca: manter o entreferro regulado
14 – Bobina: ligar o relé e produzir fluxo magnético
15 – Núcleo: concentrar o fluxo magnético
16 – Separador magnético (cobre) Relé comum: evitar imantação
17 – Armadura (parte móvel): empurrar botão separador
18 – Arruela de ajuste: ajustar a folga da armadura na base
19 – Base do relé (parte fixa): conter os componentes e fixar o relé no suporte
20 – Eixo: apoiar e guiar a armadura na base
21 – Molas de contato fixo: dar pressão no contato

F.0080 – Rev. 1 (Intermediário) NÚMERO: MATERIAL DE REVISÃO: PÁG:


TREINAMENTO S00 6/70
Esta documentação é de nossa propriedade intelectual.
Sem a nossa autorização por escrito, não poderá de
maneira nenhuma ser copiada, nem usada para fabricação
ou para dar conhecimentos a terceiros.

Coluna + -
BE BC BD
3ª 2ª 1ª 13 23 33
BD BC BE 12 22 32
33 23 13 11 21 31

Linha 2ª 32 22 12
1ª 31 21 11

Visto por trás


Visto pela Frente

Cada contato é formado por duas lâminas:


I = Inferior e S = Superior

Visto por Trás

Combinações do Relé:

Para que possamos requisitar um relé devemos ter conhecimento da quantidade de


contatos (n.a e n.f.). Iniciando-se da coluna da esquerda para a direita (por trás). Contar os
contatos n.a e n.f. de cada coluna, identificando a combinação correspondente do relé.
Exemplo: Combinação Nº 5
Combinação Quantidade de Contatos
Nº N.A. N.F
2 2 0
3 3 0
4 1 1
5 2 1
6 1 2
7 Terminal da Bobina

F.0080 – Rev. 1 (Intermediário) NÚMERO: MATERIAL DE REVISÃO: PÁG:


TREINAMENTO S00 7/70
Esta documentação é de nossa propriedade intelectual.
Sem a nossa autorização por escrito, não poderá de
maneira nenhuma ser copiada, nem usada para fabricação
ou para dar conhecimentos a terceiros.

Identificação / Aplicações / Tipos de Bobinas

Identificação do Relé
Os relés deverão ser pedidos pelos códigos de conjunto DD1805G .
• algarismo da milhar indica:
Série 1000 para relés de armaduras normais
Série 2000 para relés de armaduras tipo STL (de tempo)
• algarismo da centena indica:
Combinação da coluna esquerda (relé visto por trás).
• algarismo da dezena indica:
Combinação da coluna central (relé visto por trás).
• algarismo da unidade indica:
Combinação da coluna direita (relé visto por trás).
Exemplo:
DD1805G 1 3 6 5 (Relé visto por trás)

Combinação da direita com 2 N.A. e 1 N.F.


Combinação central com 1 N.A. e 2 N.F.
Combinação da esquerda com 3 N.A.
Armadura Normal (A armadura STL recebe número
2)
Armaduras:

Para relé de e do tipo


Para relé normal, existem STL, existe apenas um
dois separadores separador magnético
magnéticos.

Simbologia dos Contatos:

Os contatos desenhados no circuito elétrico são representados com o relé


desligado. Há duas disposições para os contatos:

Lâmina superior
NORMALMENTE
NORMALMENTE FECHADO - nf
ABERTO - na 32
45 22
12

O lado que estiver com o número do


contato representa a lâmina mais
próxima da base (inferior)

Observação: Nos desenhos elétricos novos (emitidos por computador), na simbologia


do contato não aparece os traços maiores, à direita do contato e, em alguns casos, os
traços menores junto aos números.

F.0080 – Rev. 1 (Intermediário) NÚMERO: MATERIAL DE REVISÃO: PÁG:


TREINAMENTO S00 8/70
Esta documentação é de nossa propriedade intelectual.
Sem a nossa autorização por escrito, não poderá de
maneira nenhuma ser copiada, nem usada para fabricação
ou para dar conhecimentos a terceiros.

Identificação das Bobinas:


1. Bobina Normal – com um enrolamento

+ (E) - (D)
19
39

D=Direito (-)
E=Esquerdo (+)

Visto por trás

2. Bobina com dois enrolamentos

D=Direito (-)
E=Esquerdo (+)
C=Central

Visto por trás

Principal - (D)
+ (E) C
19 + (E) Esquema de
39 19 29 ligação
C interna da
Esquema de Massa
29 ligação interna da bobina do
Neutralização - (D) relé IM
bobina de
chamada 39

D=Direito (-)
E=Esquerdo (+)
C=Central
+ (E) Principal
- (D) Visto por trás
19
39
C Esquema de ligação interna
29 da bobina
Secundária

F.0080 – Rev. 1 (Intermediário) NÚMERO: MATERIAL DE REVISÃO: PÁG:


TREINAMENTO S00 9/70
Esta documentação é de nossa propriedade intelectual.
Sem a nossa autorização por escrito, não poderá de
maneira nenhuma ser copiada, nem usada para fabricação
ou para dar conhecimentos a terceiros.

3. Bobina Lenta :

A função do
anel de cobre
é permitir a
circulação da
corrente
indutiva
existente no
Visto por trás núcleo,
retardando a
+ (E) - (D) queda do relé
19
L 39
Características de Bobinas : Tipo do relé, código da bobina e tensão de alimentação:

O Código da bobina vem impresso na lateral para facilitar a identificação.

F.0080 – Rev. 1 (Intermediário) NÚMERO: MATERIAL DE REVISÃO: PÁG:


TREINAMENTO S00 10/70
Esta documentação é de nossa propriedade intelectual.
Sem a nossa autorização por escrito, não poderá de
maneira nenhuma ser copiada, nem usada para fabricação
ou para dar conhecimentos a terceiros.

Manutenção

Elevador LIGADO DESLIGADO

1. Folga da armadura (parte móvel)


Movimentar lateralmente a armadura (parte móvel) para verificar se
a mesma encosta nas laterais conforme desenho. Caso ocorra,
trocar o relé.

2. Contatos:
Verificar nos contatos:
Desgaste- conforme os desenhos ao lado
Platinado com furo
Sujeira – Limpar com lima de platinado

Platinado gasto

Acúmulo de material em
uma das lâminas
3 – Fixação das combinações:
Movimentar lateralmente as colunas de contatos, observando se
estão devidamente fixadas na base do relé.
Caso as colunas não estiverem fixas, utilizar o dispositivo
posicionador de combinações e apertar os parafusos das
combinações utilizando a chave “Z”.

4 – Separador magnético:
Verificar a existência do Separador Magnético na armadura (parte
móvel)

5 – Fixação dos botões separadores:


Verficar se os botões separadores estão presentes e devidamente
fixados. Não devem apresentar trincas, quebras, desgaste ou
chamuscado.
Os botões deverão estar conforme desenho ao lado, não devendo
apresentar “flutuação”.

6 – Fixação da pastilha de latão:


Verificar presença da pastilha de latão e se há desgaste (formação
de cava) que possa permitir que a armadura enrosque na base do
relé, atrasando ao ligar.

Observação: Substituir a pastilha de latão quando apresentar alguma irregularidade.


F.0080 – Rev. 1 (Intermediário) NÚMERO: MATERIAL DE REVISÃO: PÁG:
TREINAMENTO S00 11/70
Esta documentação é de nossa propriedade intelectual.
Sem a nossa autorização por escrito, não poderá de
maneira nenhuma ser copiada, nem usada para fabricação
ou para dar conhecimentos a terceiros.

Relé LIGADO DESLIGADO

7 – Percurso da armadura:
Com o relé ligado, medir o percurso da armadura utilizando o calibre TE0115X001. O
percurso da armadura para relé normal deve ser de 3,1 a 3,3 mm. Para relé STL, a
armadura deve encostar na base conforme desenhos abaixo.

3,1 a 3,3 mm

RELÉ RELÉ
NORMAL STL

Regulagens e Substituições do Relé SR


I – Regulagem do percurso da armadura

Para esta regulagem, serão necessárias as seguintes ferramentas:


• Chave de fenda 3/16”
• Chave Q11 – Menor TD0031G002
• Chave Q11 – Maior TD0031G001
• Calibre TE0115X001

Observação: O jogo de chaves Q11 (maior e menor) foi desenvolvido para distanciar a
mão do operador dos componentes do painel. As chaves convencionais como alicate
universal e chave inglesa não oferecem a mesma segurança.

Relé LIGADO DESLIGADO

1. Soltar a contraporca A, utilizando a chave Q11 maior;


2. Soltar o parafuso de fixação da bobina (B), utilizando a
chave de fenda 3/16”. Como sugestão segurar a bobina;
3. Com a chave Q11 menor, girar o parafuso de ajuste do C
entreferro (C) no sentido horário para diminuir o percurso da B
armadura e no sentido anti-horário, para aumentar o
percurso da armadura;
4. Após a constatação do correto percurso da armadura
(utilizando o calibre TE0115X001, no degrau de 3,1 e 3,3
mm), apertar a contraporca (A) cuidando para que o A
parafuso (C) não altere sua posição alterando o percurso da
armadura. Em seguida apertar o parafuso de fixação da
bobina (B)

F.0080 – Rev. 1 (Intermediário) NÚMERO: MATERIAL DE REVISÃO: PÁG:


TREINAMENTO S00 12/70
Esta documentação é de nossa propriedade intelectual.
Sem a nossa autorização por escrito, não poderá de
maneira nenhuma ser copiada, nem usada para fabricação
ou para dar conhecimentos a terceiros.

II – Distância dos Contatos

Painel LIGADO DESLIGADO

Conforme projeto, a distância entre contatos é de


1,30 mm (referência). Sempre que estabelecer o
contato, verificar a pressão identificando se houve, 1,30 mm
o percurso adicional.

III – Substituição da Pastilha de Latão

Remoção do rebite / Pastilha de Latão


1. Posicionar a cabina no extremo superior e desligar a chave geral;
2. Cortar a cabeça do rebite com alicate especial (TE0048X001). A ponta deste alicate foi
modificada para esta operação;
3. Fixar o dispositivo fixador TE0023G001 no relé e calçar a armadura com o calço
TE0023X005 com o furo maior sobre a projeção do rebite;
4. Rosquear o parafuso extrator TE0023X004 com uma chave allen 5/32”, comprimindo o
resto do rebite e a pastilha de latão para baixo;
5. Retirar o parafuso extrator.
Corte do rebite com
alicate especial

Parafuso extrator e a
Calço chave allen

Fixação do Rebite Especial


1. Posicionar o dispositivo fixador TE0023G001, agora com o parafuso rebitador
TE0023X003;
2. Encaixar o rebite especial TE0022X001 no furo da armadura, com a cabeça para baixo;
3. Rosquear o parafuso rebitador, fixando e comprimindo-o contra a base do relé.

Dispo-
sitivo
Fixador
Rebite especial Parafuso rebitador

F.0080 – Rev. 1 (Intermediário) NÚMERO: MATERIAL DE REVISÃO: PÁG:


TREINAMENTO S00 13/70
Esta documentação é de nossa propriedade intelectual.
Sem a nossa autorização por escrito, não poderá de
maneira nenhuma ser copiada, nem usada para fabricação
ou para dar conhecimentos a terceiros.

IV – Substituição do Relé
 FIQUE ATENTO !!!
 Posicionar o ferro de solda sempre por baixo da lâmina.
 Cuidado para não queimar a fiação;
 Utilizar óculos para evitar acidentes com os respingos de solda;
 Cuidado para não deixar cair respingos de solda entre as combinações dos relés abaixo.
Recomenda-se a colocação de um papel sob o relé que está sendo substituído;
 Iniciar a soldagem pela coluna da esquerda e lâmina superior, depois, da direita e lâmina
superior, finalmente, coluna central.
1. Certificar-se que o novo relé tem a mesma codificação do que será substituído.
2. Marcar no novo relé a identificação do mesmo (mantendo a cor original);
3. Posicionar a cabina no extremo superior, desligar a chave geral e retirar a tampa de trás
do painel;
4. Certificar-se do valor da tensão ao ligar o ferro de solda;
5. Selecionar as ferramentas necessárias;
6. Soltar os fios de ligação identificando-os um a um com fita crepe: Ex. E, D, 11I, 11S, 12I,
...
7. Retirar a bobina antes de soltar a base;
8. Quando possível, utilizar bobina do relé velho e fixar na nova base;
9. Quando necessário, distanciar as lâminas dos contatos, isto é, lado oposto ao contato
onde ocorrerá a soldagem da fiação, obtendo maior espaço;
10. Fixar o relé novo no suporte;
11. Posicionar os fios nos terminais (um a um) e soldá-los;
12. Acertar o posicionamento da fiação, chicote e fazer a amarração;
13. Ligar a chave geral. Bloquear o funcionamento do elevador;
14. Energizar o relé e regular o percurso da armadura e contatos.
V – Substituição da Bobina
1. Certificar-se que a nova bobina tenha a mesma codificação da que será substituída;
2. Posicionar a cabina no extremo superior e desligar a chave geral;
3. Soltar os terminais da bobina;
4. Retirar a bobina. Caso não haja espaço suficiente para sua saída, afrouxar a fixação da
base do relé;
5. Colocar a nova bobina e fixá-la através do parafuso;
6. Energizar o circuito de alimentação da bobina;
7. Verificar a regulagem da armadura quanto ao percurso e abertura dos contatos.

F.0080 – Rev. 1 (Intermediário) NÚMERO: MATERIAL DE REVISÃO: PÁG:


TREINAMENTO S00 14/70
Esta documentação é de nossa propriedade intelectual.
Sem a nossa autorização por escrito, não poderá de
maneira nenhuma ser copiada, nem usada para fabricação
ou para dar conhecimentos a terceiros.

Ferramentas / Dispositivos
TE0115X001 TD0169X001

TD0031G001 = 19 mm
TD0031G002 = 13 mm
Chave Dupla
TE0028X001

LIMA
LMP02420D2

TE0043 TE0034
Posicionador de Chave Z
Combinações

F.0080 – Rev. 1 (Intermediário) NÚMERO: MATERIAL DE REVISÃO: PÁG:


TREINAMENTO S00 15/70
Esta documentação é de nossa propriedade intelectual.
Sem a nossa autorização por escrito, não poderá de
maneira nenhuma ser copiada, nem usada para fabricação
ou para dar conhecimentos a terceiros.

Relé ES
O relé tipo ES pode possuir até 8 contatos, divididos em 2 colunas com no máximo 4
contatos cada. A capacidade de seus contatos é de 50W indutivos e conduz até 5 A (CC) e
10 A (CA).
NOMENCLATURA / FUNÇÂO DOS COMPONENTES

2
1
3
4

5 19

18

17
16 9
15
14
12
13 10
11
1. Pino das combinações: permitir fixação da combinação à base
2. Mola fixa: dar pressão no contato
3. Mola operadora : dar pressão no contato
4. Parafuso do separador : fixar o separador à base
5. Separador: separar lâminas de contato, stop das molas fixas e travar a bobina
6. Distanciador dos contatos : movimentar as lâminas dos contatos
7. Chapa de identificação : identificar o relé
8. Contraporca : manter regulado percurso da armadura
9. Parafuso da armadura: regular percurso da armadura
10. Separador magnético: evitar a imantação do relé
11. Armadura: empurrar distanciador operador
12. Núcleo: concentrar fluxo magnético
13. Base: Conter componentes, permitir fixação do relé ao suporte
14. Bobina: ligar relé e produzir fluxo magnético
15. Dobradiça: fixar armadura à base
16. Rebite: fixar dobradiça na base e na armadura
17. Terminal: facilitar a ligação da bobina
18. Isolador: isolar lâminas de contatos
19. Contato: fechar ou interromper circuito elétrico

F.0080 – Rev. 1 (Intermediário) NÚMERO: MATERIAL DE REVISÃO: PÁG:


TREINAMENTO S00 16/70
Esta documentação é de nossa propriedade intelectual.
Sem a nossa autorização por escrito, não poderá de
maneira nenhuma ser copiada, nem usada para fabricação
ou para dar conhecimentos a terceiros.

Identificação / Numeração de contatos e Combinações do Relé:

Visto pela Visto por


Frente Trás
Coluna
Superior BD
BD 21 22 2324 242322 21 -
-

Coluna
BC Inferior
14 13 12 11
1112 1314
BE BE BC
+ + -
A numeração dos contatos é feita sempre iniciando-se pela coluna
inferior e pelo contato mais próximo da base do relé.
Simbologia dos contatos

O lado que estiver com o número do contato


representa a lâmina mais próxima da base (inferior)

NORMALMENTE NORMALMENTE
ABERTO - na FECHADO - nf
32
45 22
12

Lâmina superior Lâmina Lâmina


Lâmina inferior
superior inferior

Para conhecer a combinação, deve-se contar a quantidade de contatos n.a. e n.f. para
poder formar o número da combinação, posicionando primeiramente o número
correspondente a quantidade de contatos n.a. e em seguida a quantidade de contatos n.f.
(conforme desenhos a seguir):
3 contatos n.a. 8 contatos n.a.
5 contatos n.f. 0 contatos n.f.
Combinação 35 Combinação 80

NA NA NF NF NA NA NA NA

NA NF NF NF NA NA NA NA

Pode-se ter 24 tipos de combinações diferentes (relés normais).


A identificação é feita através do código da armadura DC1731 e em seguida o grupo que corresponde
à combinação do relé:
Exemplo 1:
DC1731 G080
Desenho da Relé com 8 n.a.
Armadura e nenhum contato n.f.
Exemplo 2:
DC1731 G051
Desenho da Relé com 5 n.a.
Armadura e 1 contato n.f.

F.0080 – Rev. 1 (Intermediário) NÚMERO: MATERIAL DE REVISÃO: PÁG:


TREINAMENTO S00 17/70
Esta documentação é de nossa propriedade intelectual.
Sem a nossa autorização por escrito, não poderá de
maneira nenhuma ser copiada, nem usada para fabricação
ou para dar conhecimentos a terceiros.

Exemplo 3:
DC1731 G13M
Desenho da Relé com 1 n.a.
Armadura e 3 contato n.f.
(M – relé especial para chave memória)
Exemplo 4:
DC1731 G111
Desenho da Relé com 1 n.a.
Armadura e 1 contato n.f.
(1 - Sem Separador Magnético –Relé SCT)

Identificação das Bobinas:

Bobina Normal

Terminal superior Enrolamento Principal Terminal


BD
BD

Núcleo

Base
BE

Terminal inferior BE
ligação interna da
VISTO POR TRÁS bobina
BE BD
Bobina de chamada
Possui dois enrolamentos

BD BD

BC
BC
BE BE

BE BD

BC
VISTO POR TRÁS
ENROLAMENTO DE NEUTRALIZAÇÃO

F.0080 – Rev. 1 (Intermediário) NÚMERO: MATERIAL DE REVISÃO: PÁG:


TREINAMENTO S00 18/70
Esta documentação é de nossa propriedade intelectual.
Sem a nossa autorização por escrito, não poderá de
maneira nenhuma ser copiada, nem usada para fabricação
ou para dar conhecimentos a terceiros.

Identificação das Bobinas – continuação:

Bobina para Relé IM


Possui dois enrolamentos

BD
BD BC

BC

BE
BD BE
BE

BC

Bobina para Relé Lento

Terminal
Enrolamento Anel de Cobre
Principal BD
BD

Núcleo

Base

BE
BE
BD BE
Visto por Trás
LIGAÇÃO INTERNA DA
BOBINA
FUNÇÃO DO ANEL DE COBRE:

Permitir a circulação da corrente indutiva existente no núcleo, retardando a queda


do relé

F.0080 – Rev. 1 (Intermediário) NÚMERO: MATERIAL DE REVISÃO: PÁG:


TREINAMENTO S00 19/70
Esta documentação é de nossa propriedade intelectual.
Sem a nossa autorização por escrito, não poderá de
maneira nenhuma ser copiada, nem usada para fabricação
ou para dar conhecimentos a terceiros.

TIPOS DE BOBINAS - CARACTERISTICAS E EQUIVALÊNCIA

Ante-
Código Atual Penúltimo Tensão (V) Aplicação Relés
Penúltimo
DC3303G001 DD2791G001 DD2440G001 24 Chave memória – RTT70/botão eletrônico IC
DC3303G002 DD2792G002 DD2440G002 62,5 Normal (relé em série) 81/81S/81D
DC3303G003 DD2791G003 DD2440G003 125 Normal 00/32/29
DC3303G004 - DD2440G004 125 Relé de tempo eletrônico – RTE 70T
DC3303G011 DD2791G011 DD2440G011 62,5 Pequeno tempo (relés em série) 41/41A
DC3303G012 DD2791G012 DD2440G012 125 Normal de pequeno tempo 39/39 A/39B
DC3303G016 - DD2440G016 125 Andar (com neutralização) 100/200
DC3303G022 - DD2440G022 125 Indicador de massa IM
DC1891G001 - DD2440G024 93 Falta de fase FF

Regulagens
I – Regulagem do percurso da armadura

Para esta regulagem, serão necessárias as seguintes ferramentas:


• Chave de fenda 3/16”
• Chave fixa 5/16”
• Calibre TE0115X001

1. Soltar a contraporca, utilizando a


chave fixa 5/16”
2. Com a chave de fenda 3/16”,
apertar ou soltar o parafuso da
armadura para ajustar o percurso
3. Conferir o percurso utilizando o
calibre. Após o ajuste, apertar a 2,9 a 3,5 mm
contraporca com cuidado para não
alterar a regulagem.
No relé normal e de tempo, a armadura
encosta na base, quando ligado.

II – Distância dos contatos

Painel LIGADO DESLIGADO

Conforme projeto, a distância entre


contatos é de 0,75 a 1,25 mm
(referência).
Sempre que estabelecer o contato,
0,75 a 1,25 mm
verificar a pressão, identificando se
houver o percurso adicional.
Todos os contatos (n.f.) devem abrir
antes que os (n.a.) se fechem.

F.0080 – Rev. 1 (Intermediário) NÚMERO: MATERIAL DE REVISÃO: PÁG:


TREINAMENTO S00 20/70
Esta documentação é de nossa propriedade intelectual.
Sem a nossa autorização por escrito, não poderá de
maneira nenhuma ser copiada, nem usada para fabricação
ou para dar conhecimentos a terceiros.

Manutenção:

Elevador LIGADO DESLIGADO

1. Separador:
Verificar:
 Trincas;
 Quebras
 Chamuscado

2. Distanciadores operadores:
Verificar:
 Desgastes;
 Trincas;
 Quebras;
 Chamuscado.
3. Separador Magnético:
Verificar se está devidamente fixado na
armadura. Na falta do separador magnético,
deve-se substituir o relé.
Obs. existem dois tipos de separadores
magnéticos para o relé ES conforme a tabela.
Espessura Tipo do Relé
0,4 Normal
0,7 Tempo
O relé com a função SCT não tem separador
magnético. Separador
Magnético

4. Dobradiça
Verificar o estado da dobradiça. Se houver trincas e/ou quebras, o
relé deverá ser trocado.
Obs. a dobradiça somente deverá ser ajustada quando houver a
flutuação da armadura.
Dobradiça

5. Contatos
Verificar nos contatos:
Platinado com furo
Desgaste: conforme desenhos ao lado

Sujeira: Limpar com lima de platinado Platinado gasto

Acúmulo de material em uma das lâminas

F.0080 – Rev. 1 (Intermediário) NÚMERO: MATERIAL DE REVISÃO: PÁG:


TREINAMENTO S00 21/70
Esta documentação é de nossa propriedade intelectual.
Sem a nossa autorização por escrito, não poderá de
maneira nenhuma ser copiada, nem usada para fabricação
ou para dar conhecimentos a terceiros.

6. Percurso da Armadura
Verificar se o percurso da
armadura está de 2,9 a
3,5 mm.
2,9 a 3,5 mm

Obs.Utilizar o calibre
TE0115X001

Os relés ES (principalmente os que possuem oito contatos) ao serem energizados,


eventualmente apresentam dificuldades em atrair totalmente sua armadura, ficando ligados
pela metade (em relação ao percurso da armadura) prejudicando seu funcionamento.
Para corrigir esse problema, deve-se adaptar o calço DK106 como descrito a seguir:
1. Soltar a contraporca e retirar a chapa de
identificação do relé. Em seguida, afrouxar o
parafuso separador do distanciador dos
contatos.

2. Introduzir o calço DK 106 (lado com rasgo) entre o


distanciador dos contatos e o núcleo da bobina, até
que o fim do rasgo encoste no parafuso.
3. Reapertar o parafuso separador do
distanciador dos contatos. Em seguida, curvar o
calço DK 106 formando um ângulo de 90º.
Colocar a chapa de identificação e rosquear a
contraporca.

Obs. Conferir o percurso da armadura ,


utilizando o calibre TE0115X001.

Substituição do Relé:
 FIQUE ATENTO !!!
 Iniciar a soldagem pela coluna superior, da esquerda para a direita e depois da coluna
inferior, também da esquerda para a direita;
 Posicionar o ferro de solda sempre por baixo da lâmina.
 Cuidado para não queimar a fiação.
 Colocar anteparo protegendo a fiação ;
 Utilizar óculos para evitar acidentes com os respingos de solda;
 Cuidado para não deixar cair respingos de solda entre as combinações dos relés abaixo.
Recomenda-se a colocação de um papel sob o relé que está sendo substituído;

F.0080 – Rev. 1 (Intermediário) NÚMERO: MATERIAL DE REVISÃO: PÁG:


TREINAMENTO S00 22/70
Esta documentação é de nossa propriedade intelectual.
Sem a nossa autorização por escrito, não poderá de
maneira nenhuma ser copiada, nem usada para fabricação
ou para dar conhecimentos a terceiros.

1. Certificar-se que o novo relé tem a mesma combinação de contatos do que será
substituído.
2. Marcar, na chapa de identificação no novo relé, a identificação do mesmo. Quando
possível utilizar a chapa do relé antigo. Quando remarcar, utilizar a mesma cor do relé
antigo;
3. Posicionar a cabina no extremo superior, desligar a chave geral e retirar a tampa de trás
do painel;
4. Certificar-se do valor da tensão ao ligar o ferro de solda;
5. Selecionar as ferramentas necessárias;
6. Soltar os fios de ligação identificando-os um a um com fita crepe: Ex. E, D, 11I, 11S, 12I,
...
7. Soltar e sacar o relé a ser substituído;
8. Distanciar as lâminas dos contatos (mola fixa), para obter maior espaço e facilitar as
ligações ou aliviar a fixação dos relés ao redor;
9. Fixar o relé novo no suporte;
10. Posicionar os fios nos terminais (um a um) e soldá-los;
11. Acertar o posicionamento da fiação, chicote e fazer a amarração;
12. Ligar a chave geral. Bloquear o funcionamento do elevador;
13. Energizar o relé e regular o percurso da armadura e contatos;
14. Verificar o funcionamento do relé antes de liberar o elevador.

Substituição da Bobina

1. Certificar-se que a nova bobina tenha a mesma codificação da que será substituída;
2. Posicionar a cabina no extremo superior e desligar a chave geral;
3. Certificar-se do valor da tensão ao ligar o ferro de solda;
4. Retirar a tampa de trás do painel e soltar os terminais da bobina (retirar a solda);
5. Soltar a contraporca e o parafuso da armadura, removendo a chapa de identificação;
6. Remover os distanciadores operadores, soltar o parafuso do separador e removê-lo;
7. Caso não haja espaço suficiente para retirar a bobina, afrouxar a base dos relés ao lado.
Obs. no final da operação, não esquecer de voltar a posição original;
8. Afastar a armadura para remover a bobina, tomando muito cuidado para não danificar a
dobradiça;
9. Colocar a bobina nova e soldar;
10. Fixar o distanciador dos contatos, apertando o parafuso separador. É importante o
devido posicionamento das molas fixas (lâminas de contato);
11. Posicionar a chapa de identificação, utilizando o parafuso da armadura e contraporca;
12. Fixar os distanciadores operadores dos contatos, observando o devido posicionamento
das lâminas de contato (mola fixa);
13. Regular o percurso da armadura, verificar o funcionamento do relé antes de liberar o
elevador.

F.0080 – Rev. 1 (Intermediário) NÚMERO: MATERIAL DE REVISÃO: PÁG:


TREINAMENTO S00 23/70
Esta documentação é de nossa propriedade intelectual.
Sem a nossa autorização por escrito, não poderá de
maneira nenhuma ser copiada, nem usada para fabricação
ou para dar conhecimentos a terceiros.

Ferramentas Utilizadas
TE0115X001

LIMA
LMP02420D2

F.0080 – Rev. 1 (Intermediário) NÚMERO: MATERIAL DE REVISÃO: PÁG:


TREINAMENTO S00 24/70
Esta documentação é de nossa propriedade intelectual.
Sem a nossa autorização por escrito, não poderá de
maneira nenhuma ser copiada, nem usada para fabricação
ou para dar conhecimentos a terceiros.

Relé RA e RAW
O relé tipo RA possui cinco contatos, distribuídos por dez palhetas, onde as combinações
dos contatos (N.A. e N.F.) podem ser configuradas conforme a necessidade e aplicação.
8
6 10
12

4
Relé RA com
Palhetas configuração
Fixas
R3A2

Palhetas
Móveis

3 11

5 9
7
1 2
Placas de
Identificação
Identificação do Relé:
Repouso Aberto
Denominação Significado
(nf) (na)
R0A5 0 5 Que tem todas as palhetas abertas
R1A4 1 4 Que tem a palheta do meio fechada
R2A3 2 3 Que tem as duas palhetas extremas fechadas
R3A2 3 2 Que tem as três palhetas do meio fechadas
R4A1 4 1 Que tem a palheta do meio aberta
R5A0 5 0 Que tem todas as palhetas fechadas
O relé tipo RAW, normalmente utilizado para acionamento de portas, tem praticamente a mesma
característica do RA e tem sempre a configuração R2A3. A diferença diz respeito ao acionamento dos
contatos das lâminas, onde o acionador possui um rebaixo que permite um acionamento oposto ao
que ocorre com o relé RA, ou seja, os contatos N.F. (em repouso) abrem-se antes do fechamento dos
contatos abertos (N.A.), apenas usado para abertura e fechamento das portas (URTA e URTF).

1 - Acionador do relé RA
1 2
2 – Acionador do relé RAW (parte central rebaixada)

Nomenclatura

F.0080 – Rev. 1 (Intermediário) NÚMERO: MATERIAL DE REVISÃO: PÁG:


TREINAMENTO S00 25/70
Esta documentação é de nossa propriedade intelectual.
Sem a nossa autorização por escrito, não poderá de
maneira nenhuma ser copiada, nem usada para fabricação
ou para dar conhecimentos a terceiros.

Núcleo magnético com


Carcaça arruelas e porcas de
(Base) Suporte fixação
da
Bobina Palhetas
Bobina
Fixas,
Arruelas e Armadura e
parafusos parafuso de
fixação

Separa- Palhetas
Placa de dor móveis, arruelas e
Identificação e parafusos
parafusos de fixação
Acionador

Manutenção

Elevador LIGADO DESLIGADO

1. Fixação dos terminais :


Verificar:
 fixação entre a fiação da bobina
e os terminais;
 Ficação entre a fiação dos
contatos e os terminais.

2. Acionamento da Armadura e movimento do acionador:


Certificar-se que, ao acionar a armadura do relé, os contatos sejam abertos ou fechados,
conforme a disposição das palhetas.

3. Palhetas:
As palhetas devem estar retas para
possibilitar o ajuste do percurso.
Caso não estejam, retirar as
palhetas do relé e deixá-las retas.

F.0080 – Rev. 1 (Intermediário) NÚMERO: MATERIAL DE REVISÃO: PÁG:


TREINAMENTO S00 26/70
Esta documentação é de nossa propriedade intelectual.
Sem a nossa autorização por escrito, não poderá de
maneira nenhuma ser copiada, nem usada para fabricação
ou para dar conhecimentos a terceiros.

4. Alinhamento dos contatos (platinados)

Promover o alinhamento dos contatos das


Correto Errado
palhetas, conforme a figura ao lado.
Se houver um desalinhamento muito forte,
ajustar através dos parafusos de fixação.
Se as palhetas apresentarem trincas ou
quebras, deverão ser substituídas.
Se o platinado apresentar furos, desgaste
excessivo ou queda do platinado deve-se
substituir a palheta.

Contato Fechado 5. Percurso Adici-


onal

Ao acionar a arma-
Abertura dura, constatar que
de 2,0 mm após o fechamento
dos contatos, deve
existir um percurso
adicional de aproxima-
damente 2,0 mm.
Utilizar o calibre
TE0115X001.

Contato Aberto

Para ajustar o percurso das palhetas,


entorte ou retifique as lâminas na
região do acionador do relé, e
verificando a abertura obtida nos
contatos.
Se for necessário efetuar um pequeno
ajuste fino no percurso de
movimentação do relé, deve-se forçar o
conjunto armadura+acionador.

Subsitituição do Relé:

1. Certificar-se que o novo relé tem a mesma combinação de contatos do que será
substituído, conforme tabela apresentada de combinações;
2. Marcar, na placa de identificação do novo relé, a identificação do mesmo. Quando
possível, utilizar a chapa do relé antigo;
3. Posicionar a cabina no extremo superior e desligar a chave-geral;
4. Selecionar as ferramentas necessárias;
5. Soltar os fios de ligação, identificando-os um a um com fita crepe. Ex. 1, 2, 3, 4, etc.
6. Soltar o relé do armário, através das porcas do núcleo magnético;
7. Fixar o relé novo no suporte;
8. Posicionar os fios nos terminais (um a um) e apertar os parafusos dos terminais;
9. Acertar o posicionamento da fiação e fazer a amarração;
10. Ligar a chave geral. Bloquear o funcionamento do elevador;
F.0080 – Rev. 1 (Intermediário) NÚMERO: MATERIAL DE REVISÃO: PÁG:
TREINAMENTO S00 27/70
Esta documentação é de nossa propriedade intelectual.
Sem a nossa autorização por escrito, não poderá de
maneira nenhuma ser copiada, nem usada para fabricação
ou para dar conhecimentos a terceiros.

11. Energizar o relé e regular o percuro da armadura e contatos;


12. Verificar o funcionamento do relé antes de liberar o elevador.

Substituição da Bobina:

1. Certificar-se que a nova bobina tenha a mesma codificação da que será substituída;
2. Posicionar a cabina no extremo superior e desligar a chave geral;
3. Soltar os cabos da bobina nos terminais do relé;
4. Soltar as contraporcas inferiores do núcleo magnético e o parafuso da armadura,
removendo a armadura;
5. Remover o núcleo magnético por cima;
6. Retirar a bobina antiga e colocar a nova, reposicionando o núcleo em seguida;
7. Recolocar a armadura e reapertar as porcas de fixação do núcleo;
8. Ligar os cabos da nova bobina nos terminais do relé;
Confirmar a combinação do relé, bem como o percurso dos contatos, verificando o
funcionamento do relé antes de liberar o elevador.

Contator 6B3A e Relés CR9A e CR5


O que são?
Contator 6B3A CR9A CR 5
Contator de corrente É aplicado em circuitos com
contínua, com contatos capacidade de conduzir no
É aplicado em circuitos com
principais de cobre e carvão, máximo 10 A para corrente
capacidade de conduzir no
com ou sem apaga faísca e contínua e 25 A para
máximo 10 A para corrente
contatos auxiliares de prata. corrente alternada. A bobina
contínua e 25 A para
Os contatos principais é alimentada por corrente
corrente alternada. A bobina
podem conduzir até 50A contínua, sendo as tensões
é alimentada por corrente
(CC) e seus contatos mais utilizadas de 48 e 125
contínua, sendo as tensões
auxiliares 10A para CC e Vcc.
mais utilizadas de 48 e 125
25A para CA. Pode possuir até 5 contatos,
Vcc.
Pode apresentar dois sendo 3 normalmente
Pode possuir até 9 contatos,
contatos principais duplos abertos na parte superior e 2
sendo 5 na parte superior e
em cima ou até 3 simples, na parte inferior (abertos ou
4 na parte inferior.
mas sempre normalmente fechados).
Por característica
abertos. Substitui o CR9A nas
construtiva, os contatos
Poderá ainda ter até 4 aplicações em que se
superiores são normalmente
contatos auxiliares, sendo 2 utilizam no máximo 5
abertos e os inferiores
em cima sempre contatos, proporcionando
podem ser abertos ou
normalmente abertos e 2 vantagens econômicas, além
fechados.
embaixo podendo ser de redução no espaço do
abertos ou fechados. painel.

F.0080 – Rev. 1 (Intermediário) NÚMERO: MATERIAL DE REVISÃO: PÁG:


TREINAMENTO S00 28/70
Esta documentação é de nossa propriedade intelectual.
Sem a nossa autorização por escrito, não poderá de
maneira nenhuma ser copiada, nem usada para fabricação
ou para dar conhecimentos a terceiros.

Componentes do Contator 6B3A:

1 2
3
17

16

15
5

14
6

13

12

9
11
10

14 – Interloque
1 – Chifre apaga faísca
15 – Núcleo
2 - Bobina apaga faísca
16 – Bobina
3 – Protetor de faísca
17 - Pedra 2 1
4 – Contato móvel principal C B A
5 – Contato fixo principal (carvão)
6 – Separador magnético
7 – Conjunto armadura
Identificação dos
8 – Cabeça do núcleo Contatos (visto pela
9 – Mola frente)
10 – Parafuso de regulagem
11 – Contato móvel auxiliar
12 – Contato fixo auxiliar
13 - Isolador
12 11

F.0080 – Rev. 1 (Intermediário) NÚMERO: MATERIAL DE REVISÃO: PÁG:


TREINAMENTO S00 29/70
Esta documentação é de nossa propriedade intelectual.
Sem a nossa autorização por escrito, não poderá de
maneira nenhuma ser copiada, nem usada para fabricação
ou para dar conhecimentos a terceiros.

Componentes do Relé CR9A:


1
2 3 4

17 7

16 9

15

14

10
13

11
12

14 – Isolador
1 – Interloque
15 – Tirante de regulagem
2- Bobina
16 – Base
3 – Núcleo 5
17 - Rebite 4 3 2 1
4 – Contato fixo
5 – Contato móvel
6 – Separador magnético
7 – Cabeça do núcleo Identificação dos Contatos
8 – Armadura
9 – Porta-contatos (conj. armadura) (visto pela frente)
10 – Mola
11 – Parafuso de regulagem
12 – Contato fixo
13 - Pedra 15 14 12 11

F.0080 – Rev. 1 (Intermediário) NÚMERO: MATERIAL DE REVISÃO: PÁG:


TREINAMENTO S00 30/70
Esta documentação é de nossa propriedade intelectual.
Sem a nossa autorização por escrito, não poderá de
maneira nenhuma ser copiada, nem usada para fabricação
ou para dar conhecimentos a terceiros.

Componentes do Relé CR5:

13

1
2

3
12

11
4

10

8
5
6
7
1 – Cabeça de núcleo
2 – Contato fixo
3 – Contato móvel
3 2 1
4 – Porta-contatos (conj.armadura)
5 – Parafuso de regulagem
6 – Mola
7 – Tirante de regulagem
8 – Isolador Identificação dos Contatos
(visto pela frente)
9 – Armadura
10 – Rebite
11 – Base
12 – Bobina
13 - Pedra 13 11

F.0080 – Rev. 1 (Intermediário) NÚMERO: MATERIAL DE REVISÃO: PÁG:


TREINAMENTO S00 31/70
Esta documentação é de nossa propriedade intelectual.
Sem a nossa autorização por escrito, não poderá de
maneira nenhuma ser copiada, nem usada para fabricação
ou para dar conhecimentos a terceiros.

Manutenção

Elevador LIGADO DESLIGADO

1º. Alinhamento dos contatos auxiliares:

Verificar o perfeito alinhamento entre os contato fixos e móveis fazendo o movimento de


ligar.
Caso houver desalinhamento, observar:
Fixação da armadura;
Contatos fixos entortados ou mal fixados.
Obs. Durante o movimento manual do conjunto armadura (porta contatos), analisar se o
mesmo está bem encaixado e não está prendendo no apoio da base. Caso houver rebarbas,
eliminar.

Contato
Fixo

Contato
Móvel

2º. Contatos auxiliares:

Verificar se não há possibilidade dos contatos móveis enroscarem-se devido ao desgaste ou


rebarbas no eixo.
Verificar a limpeza e fixação dos contatos (contato V).

Fazer o movimento manualmente no Verificar se não há desgaste irregular dos


próprio contato auxiliar contatos fixos e móveis. Se necessário,
corrigir utilizando lima de platinado

F.0080 – Rev. 1 (Intermediário) NÚMERO: MATERIAL DE REVISÃO: PÁG:


TREINAMENTO S00 32/70
Esta documentação é de nossa propriedade intelectual.
Sem a nossa autorização por escrito, não poderá de
maneira nenhuma ser copiada, nem usada para fabricação
ou para dar conhecimentos a terceiros.

3º. Verificação da Mola:

Verificar a existência da mola e se a mesma não está


danificada ou oxidada

Observação: A mola YE2081 usada nos relés CR9A e CR5 é mais forte que a mola
DE8781 do contator 6B3A.
A aplicação incorreta da mola pode provocar:
1. Redução da pressão dos contatos
2. Aquecimento e dificuldades para ligar e desligar o contator

4º. Parafuso Limitador (fixado na base da armadura):

Verificar se há desgaste na cabeça do parafuso limitador (de ajuste).

Inicialmente as armaduras não possuíam parafuso limitador. Posteriormente foi


acrescentado um parafuso sem cabeça. Mas , devido ao seu desgaste acentuado, foi
trocado por um parafuso com cabeça (IT 148)

Girando o parafuso limitador no sentido horário, o percurso aumenta.


Girando no sentido anti-horário, o percurso diminui.

F.0080 – Rev. 1 (Intermediário) NÚMERO: MATERIAL DE REVISÃO: PÁG:


TREINAMENTO S00 33/70
Esta documentação é de nossa propriedade intelectual.
Sem a nossa autorização por escrito, não poderá de
maneira nenhuma ser copiada, nem usada para fabricação
ou para dar conhecimentos a terceiros.

5º. Interloque mecânico:

Verificar no interloque:
♦ Livre movimento
♦ Correta Instalação
♦ Bloqueio de uma das chaves

Interloque

CR5 / CR9A 6B3A

6º. Separador Magnético:

Ao desmontar o conjunto armadura,


observar o estado, limpeza e fixação do
separador magnético.
Caso necessário, o mesmo deverá ser
substituído.
Obs. também observar o estado do
amortecedor de espuma.
Separador Magnético

7º. Fixação dos componentes:

Verificar fixação, posicionamento e reaperto dos componentes:


♦ Base
♦ Bobina
♦ Cantos fixos
♦ Pedra
♦ Cabeça do Núcleo
♦ Terminais da bobina

F.0080 – Rev. 1 (Intermediário) NÚMERO: MATERIAL DE REVISÃO: PÁG:


TREINAMENTO S00 34/70
Esta documentação é de nossa propriedade intelectual.
Sem a nossa autorização por escrito, não poderá de
maneira nenhuma ser copiada, nem usada para fabricação
ou para dar conhecimentos a terceiros.

Específico para Contator 6B3A


8º. Abertura dos contatos principais:

Ajuste:
A abertura dos contatos principais deve ser 9 a 12 mm
de 9 a 12 mm.
Medir no meio do contato conforme
desenho ao lado.
Observação: Utilizar o calibre TD0169X001

Importante:
Todos os contatos principais devem
encostar simultaneamente (lâmina/carvão).
As lâminas não devem conter rebarbas.
Apenas utilizar duas faces do contato de
carvão (faces opostas).

CORRETO ERRADO

9º. Abertura dos contatos auxiliares:

A abertura dos contatos auxiliares “NA” e


“NF” deve ser de 1 a 3 mm. 1 a 3 mm
O ajuste de abertura dos contatos é feito
através do parafuso limitador da armadura.
Verifique se estão em esquadro, corrigindo
se necessário.

Observação: Utilizar o calibre


TE0115X001

F.0080 – Rev. 1 (Intermediário) NÚMERO: MATERIAL DE REVISÃO: PÁG:


TREINAMENTO S00 35/70
Esta documentação é de nossa propriedade intelectual.
Sem a nossa autorização por escrito, não poderá de
maneira nenhuma ser copiada, nem usada para fabricação
ou para dar conhecimentos a terceiros.

10º. Contatos principais e auxiliares (percurso adicional):

Verificar o percurso adicional dos contatos.

N.F.

N.A.

Contatos Auxiliares Contato Principal

Observação: Movimentar manualmente a armadura até que os contatos N.A. se


fechem. Continuando, ainda deverá existir um deslocamento da armadura (chamado de
PERCURSO ADICIONAL). Repetir o processo para os contatos N.F.. Isto garante a
pressão dos contatos.
Caso não seja conseguido o percurso adicional, verificar o desgaste dos contatos fixos e
móveis e/ou parafuso limitador. Se necessário, virar os contatos de carvão. Se os
mesmos já foram virados, substituí-los.
Protetor apaga faísca

11º. Protetor Apaga Faísca:


O protetor apaga faísca não deverá estar quebrado
e/ou mal posicionado.

12º. Tranças:
Verificar o estado e sua fixação.
Observação: Não deverão apresentar rompimentos ou
oxidação.

Ao substituir tranças, verifique o comprimento das


tranças 150 mm e 156 mm, quando usa uma.
Fixação
Tranças

Específico para o Relé CR9A e CR5


13º Abertura dos contatos:
Verificar abertura dos contatos inferiores e superiores.
O ajuste da abertura dos contatos é feito através do parafuso limitador da armadura.
F.0080 – Rev. 1 (Intermediário) NÚMERO: MATERIAL DE REVISÃO: PÁG:
TREINAMENTO S00 36/70
Esta documentação é de nossa propriedade intelectual.
Sem a nossa autorização por escrito, não poderá de
maneira nenhuma ser copiada, nem usada para fabricação
ou para dar conhecimentos a terceiros.

Observação:
Observação: Utilizar o calibre TE0115X001 e TD0169X001.
6 a 7 mm

1 a 3 mm

Superiores: 6 a 7 mm Inferiores: 1 a 3 mm

14º. Contatos (Percurso Adicional):

Verificar o percurso adicional dos contatos auxiliares, conforme o procedimento do


contator 6B3A.

N.F.

N.A.

Contatos Auxiliares

Específico para o Contator 6B3A


Substituição do contato principal fixo:

1. Paralisar e desligar a chave geral do elevador;


2. Separar as ferramentas necessárias para a substituição (Chave de fenda 3/16”
“cotoco” e inglesa 6”);
3. Soltar a mola e retirar o conjunto armadura
4. Soltar o parafuso de fixação do contato e retirar o bloco de carvão;
5. Colocar o bloco novo e não apertar totalmente o parafuso de fixação;
6. Recolocar a armadura, assentar os contatos e verificar se todos os contatos encostam
simultaneamente;
7. Retirar a armadura e dar aperto nos parafusos de fixação;
F.0080 – Rev. 1 (Intermediário) NÚMERO: MATERIAL DE REVISÃO: PÁG:
TREINAMENTO S00 37/70
Esta documentação é de nossa propriedade intelectual.
Sem a nossa autorização por escrito, não poderá de
maneira nenhuma ser copiada, nem usada para fabricação
ou para dar conhecimentos a terceiros.

8. Recolocar o conjunto armadura e mola;


9. Liberar o elevador e verificar o funcionamento.

Relé de Temperatura
O relé de temperatura (RTA) é uma segurança térmica dos motores de Corrente
Alternada. É constituído por lâminas bimetálicas, que ao sofrer aquecimento proveniente
das resistências, em caso de sobrecarga do motor, curvam-se para cima, provocando o
desarme através do conjunto manípulo.
Ao desarmar, o contato RT que está em série com o circuito de segurança, abre-se,
impedindo ou interrompendo a manobra do elevador.

Manutenção

Elevador LIGADO DESLIGADO

Contato
manípulo Móvel
base Contato
1º. Contatos:
Carvão
Acionar manualmente o manípulo, verificando se o
contato abre.
Verificar o estado dos contatos (móvel e carvão):
desgaste, existência de trincas e limpar sujeiras
caso existir.
Verificar na pedra: trincas, chamuscado ou outra
situação que possa interferir em seu perfeito
funcionamento.

2º. Resistências:
Verificar se as resistências não
Resistências estão encostadas nas lâminas
Bimetálicos bimetálicas.
Não deverão apresentar vestígios
de oxidação e trincas. Fazer
reaperto dos parafusos de fixação.

Parafusos
de Fixação Manípulo

F.0080 – Rev. 1 (Intermediário) NÚMERO: MATERIAL DE REVISÃO: PÁG:


TREINAMENTO S00 38/70
Esta documentação é de nossa propriedade intelectual.
Sem a nossa autorização por escrito, não poderá de
maneira nenhuma ser copiada, nem usada para fabricação
ou para dar conhecimentos a terceiros.

Observação: O relé RTA deve ser substituído por um equivalente sempre que ocorrer
problemas com qualquer um dos componentes (IT 650). A base do relé não deve
apresentar trincas

O braço de ajustagem
não deve ser
movimentado
aleatóriamente, pois
para cada tipo de motor
é especificado uma
resistência e uma
posição do braço de
ajustagem. Durante a
manutenção preventiva
deve-se apenas conferir
a posição do braço de
ajustagem com a tabela
de especificação

Braço de Ajustagem

Utilizando a tabela de especificação:


Notar que a primeira coluna da esquerda para a direita identifica o equipamento, a
segunda coluna a potência, a terceira a velocidade/polos e em seguida, 3 grupos de
tensão com 3 colunas cada.
O primeiro para tensão de 208 V, o segundo para 380 V e o terceiro para 440V.
Cada coluna do grupo tem os títulos 80/100/120, que são as três posições possíveis do
braço de ajustagem do relé.
Nestas três colunas são especificadas também as resistências usadas de acordo com o
tipo de motor, na coluna correspondente à posição adequada do braço de ajustagem.

Exemplo: Máquina 365, 208V, 10CV e 2 velocidades.


O tipo de motor é o A335: a resistência deve ser de 32 A e o braço de ajustagem
deve ficar em 80%.

F.0080 – Rev. 1 (Intermediário) NÚMERO: MATERIAL DE REVISÃO: PÁG:


TREINAMENTO S00 39/70
Esta documentação é de nossa propriedade intelectual.
Sem a nossa autorização por escrito, não poderá de
maneira nenhuma ser copiada, nem usada para fabricação
ou para dar conhecimentos a terceiros.

CE 125 208V 380V 440V


Tipo do Veloc.
CV 80% 100% 120% 80% 100% 120% 80% 100% 120%
Motor Polos
A328C 2,5 8 9 6,7 4,7

CE 125 208V 380V 440V


Tipo do Veloc.
CV 80% 100% 120% 80% 100% 120% 80% 100% 120%
Motor Polos
A328A 4,9 4/8 20 9 9

360 / 365 208V 380V 440V


Tipo do Veloc.
CV 80% 100% 120% 80% 100% 120% 80% 100% 120%
Motor Polos
A253 3 1 9 4,7 4,7

A253 5 1 20 9 9

A253 7 1 20 13 9

A254 10 1 32 20 20

A334 7 2(4/16) 20 13 9

A335 10 2(4/16) 32 20 13

A336 15 2(4/16) 48 20 20

A337 15 1 48 20 20

F.0080 – Rev. 1 (Intermediário) NÚMERO: MATERIAL DE REVISÃO: PÁG:


TREINAMENTO S00 40/70
Esta documentação é de nossa propriedade intelectual.
Sem a nossa autorização por escrito, não poderá de
maneira nenhuma ser copiada, nem usada para fabricação
ou para dar conhecimentos a terceiros.

257 208V 380V 440V


Tipo do Veloc.
CV 80% 100% 120% 80% 100% 120% 80% 100% 120%
Motor Polos
A323 3 1 13

A323 5 1 20 9 9

A383 7,5 1 20 13 13

A383 10 1 32 20 20

A384 15 1 48 32 20

A385 10 2(4/16) 32

A385 10 2(4/24) 32 20 20

A446 15 2(6/16) 48

A447 15 2(6/24) 48 32 20

A384 15 1 20

F.0080 – Rev. 1 (Intermediário) NÚMERO: MATERIAL DE REVISÃO: PÁG:


TREINAMENTO S00 41/70
Esta documentação é de nossa propriedade intelectual.
Sem a nossa autorização por escrito, não poderá de
maneira nenhuma ser copiada, nem usada para fabricação
ou para dar conhecimentos a terceiros.

147 e 247 208V 380V 440V


Tipo do Veloc.
CV 80% 100% 120% 80% 100% 120% 80% 100% 120%
Motor Polos
A320 5 1 20 9 9

A320 7,5 1 20 13 13

A320 10 1 32 20 20

A445 15 1 48 32 20

A445 20 1 * 4,7 48 32

A445 25 1 * 6,7 48 32

A445 30 1 * 9,0 48 48

A445 40 1 (4) 48

A445 10 2(6/16) 32 20 20

A445 15 2(6/16) 48 32 20

A445 20 2(6/16) * 6,7 48

A445 25 2(6/16) * 6,7 48

A445 10 2(6/24) 32 20 20

A445 15 2(6/24) 48 32 20

A445 20 2(6/24) * 6,7 48 32

A445 25 2(6/24) * 6,7 48 32

A445 30 2(6/24) * 9,0 48


A445
20 2(6/24) 32
(**)
(*) Com transformador de corrente
(**) Com 480V

F.0080 – Rev. 1 (Intermediário) NÚMERO: MATERIAL DE REVISÃO: PÁG:


TREINAMENTO S00 42/70
Esta documentação é de nossa propriedade intelectual.
Sem a nossa autorização por escrito, não poderá de
maneira nenhuma ser copiada, nem usada para fabricação
ou para dar conhecimentos a terceiros.

Relé de Temperatura – RTA


Motores Aplicados em MG’s
Ligação Estrela
208V 380V 440V
Tipo do Potência
80% 100% 120% 80% 100% 120% 80% 100% 120%
MG CV
21 A 16 20 20

32 20

44 A 24 75 32 32

45 24 75 32 32

63 A 30 * 6,7 48 48

70 A 50 *9 * 6,7 * 6,7

70 B 30 * 6,7 48 32

113 A 55 * 13 * 6,7 * 6,7

113 45 *9 * 6,7 * 6,7

117 A 65 * 13 *9 * 6,7

117 50 * 13 * 6,7 * 6,7

144 A 100 * 20 * 13 *9

F.0080 – Rev. 1 (Intermediário) NÚMERO: MATERIAL DE REVISÃO: PÁG:


TREINAMENTO S00 43/70
Esta documentação é de nossa propriedade intelectual.
Sem a nossa autorização por escrito, não poderá de
maneira nenhuma ser copiada, nem usada para fabricação
ou para dar conhecimentos a terceiros.

Ligação Estrela / Triângulo


208V 380V 440V
Tipo do Potência
80% 100% 120% 80% 100% 120% 80% 100% 120%
MG CV
21 A 16

32 20

44 A 24

45 24 48 20 20

63 A 30

70 A 50

70 B 30 48 32 20

113 A 55

113 45 * 6,7 48 48

117 A 65

117 50 * 6,7 48 48

144 A 100 * 13 * 6,7 * 6,7


(*) Com transformador de corrente

Relé Térmico
O relé térmico possui bimetálicos ligados em série com circuito do motor de tração, os
quais são sensíveis à temperatura.
O aquecimento é proporcional ao aumento de corrente circulante, provocando a dilatação
do bimetal, que por sua vez, aciona mecanicamente o contato 95/96 (n.f.) desernegizando
o circuito de segurança geral ou cortando a alimentação do comando.
Possui também uma chave de ajuste da corrente de atuação e um botão Test (dos
contatos bimetálicos).

Observação: O relé térmico não protege o motor contra aquecimento excessivo, mas
tão somente contra excesso prolongado de corrente.

F.0080 – Rev. 1 (Intermediário) NÚMERO: MATERIAL DE REVISÃO: PÁG:


TREINAMENTO S00 44/70
Esta documentação é de nossa propriedade intelectual.
Sem a nossa autorização por escrito, não poderá de
maneira nenhuma ser copiada, nem usada para fabricação
ou para dar conhecimentos a terceiros.

Relé térmico uFT.

Manutenção

Elevador LIGADO DESLIGADO

1. Verificar a fixação nos terminais do relé, garantindo que estejam


bem presos e evitando mau-contato. Realizar reapertos, quando
necessário;
2. Efetuar a limpeza dos relés, retirando excesso de poeira;
Caso seja detectado algum problema de operação, solicite apoio ao posto para eventual
reposição do relé.

Chave 25AA
Utilizado para alimentar as máquinas I-47 de corrente alternada, com potência maior ou
igual a 20CV. Substitui o contator 6B3A por ser mais robusta, ou seja, apresenta maior
capacidade de condução de corrente elétrica.
Possui dois contatos principais sempre N.A. (localizados na parte superior), a capacidade
de condução destes contatos é de no máximo 95 A (CA).
Pode possuir até 4 contatos auxiliares (localizados na parte inferior) que podem ser N.A.
ou N.F. dependendo do grupo do contator.

F.0080 – Rev. 1 (Intermediário) NÚMERO: MATERIAL DE REVISÃO: PÁG:


TREINAMENTO S00 45/70
Esta documentação é de nossa propriedade intelectual.
Sem a nossa autorização por escrito, não poderá de
maneira nenhuma ser copiada, nem usada para fabricação
ou para dar conhecimentos a terceiros.

Legenda:
2
1 – Bobina
2 – Tirante de regulagem
3
3 – Protetor apaga faísca
4 – Contato principal
4
1 5 – Mola do contato principal
2
6 – Conjunto induzido
6 7 – Trança

7 8 – Base
8 9 – Eixo
9 10 – Contato auxiliar
10

Identificação dos Contatos:


Representação Esquemática antiga
Visto por Trás Visto pela Frente

A B B A

1 2 3 4 4 3 2 1

esquerda direita esquerda direita

F.0080 – Rev. 1 (Intermediário) NÚMERO: MATERIAL DE REVISÃO: PÁG:


TREINAMENTO S00 46/70
Esta documentação é de nossa propriedade intelectual.
Sem a nossa autorização por escrito, não poderá de
maneira nenhuma ser copiada, nem usada para fabricação
ou para dar conhecimentos a terceiros.

Representação Esquemática Atual


Visto por Trás Visto pela Frente

A C C A

2 1 11 12 12 11 1 2

esquerda direita esquerda direita

Regulagem da Chave 25AA


Pontos de Regulagem:
Calços

Tirante de
regulagem

Curso Adicional 0,5 a 4,8 mm

Mola de Contato

Separador

Curso Adicional 1,5 a 2,5 mm

F.0080 – Rev. 1 (Intermediário) NÚMERO: MATERIAL DE REVISÃO: PÁG:


TREINAMENTO S00 47/70
Esta documentação é de nossa propriedade intelectual.
Sem a nossa autorização por escrito, não poderá de
maneira nenhuma ser copiada, nem usada para fabricação
ou para dar conhecimentos a terceiros.

Regulagem dos contatos principais:

Com a chave na Posição Ligada, verificar o


percurso adicional conforme as medidas ao
Folga Máx= 4,8mm lado.
Folga Mín= 0,5 mm
Percurso Adicional

19 mm
Abertura (+/- 1mm)
Com a chave na Posição Desligada:

1. Regular o percurso da armadura através do tirante de


regulagem. Rosquear ou desroquear até obter a
medida da figura ao lado;
2. Caso não conseguir regular, pode ser colocado calços
na base de suporte dos contatos fixos, para ajustar a
abertura
3. A pressão dos contatos é regulada através da mola do
contato; soltando as porcas, alivia pressão e vice-
versa.

Regulagem dos contatos auxiliares:

Com a chave na Posição Ligada, a abertura e


o percurso adicional são regulados através dos
separadores na base dos contatos fixos.

F.0080 – Rev. 1 (Intermediário) NÚMERO: MATERIAL DE REVISÃO: PÁG:


TREINAMENTO S00 48/70
Esta documentação é de nossa propriedade intelectual.
Sem a nossa autorização por escrito, não poderá de
maneira nenhuma ser copiada, nem usada para fabricação
ou para dar conhecimentos a terceiros.

Com a chave desligada, atentar para a


abertura do contato N.A., conforme a
medida ao lado

Relé VR
O relé VR é normalmente utilizado em circuitos de segurança, como por exemplo FPR,
SVS, SVD, 10 AUX, FR, etc.. Possui dois contatos, um superior N.F. apenas com função
mecânica (apoio/armadura) e outro inferior N.A. com função elétrica
Vista em Perspectiva e Componentes:

1. Mola
2. Conjunto contato N.F.
3. Trança
4. Conjunto Armadura
5. Conjunto contato N.A.
6. Conjunto Bobina
7. Conjunto Base

Identificação dos contatos: Identificação da Armadura:


11
O relé “VR” utiliza armadura DC1485, seu grupo varia de
BE + - BD acordo com sua aplicação, normalmente alternando-se
apenas as medidas da pedra de fixação:
Bobina - Simbologia

1
O relé “VR” utiliza bobina DE 3734 com o grupo variando
de acordo com a tabela a seguir.

F.0080 – Rev. 1 (Intermediário) NÚMERO: MATERIAL DE REVISÃO: PÁG:


TREINAMENTO S00 49/70
Esta documentação é de nossa propriedade intelectual.
Sem a nossa autorização por escrito, não poderá de
maneira nenhuma ser copiada, nem usada para fabricação
ou para dar conhecimentos a terceiros.

Grupo Aplicação
 G001 Motores: C116 (I-47)/ C170 E C171 (365) – 125 V
 G002 Motores: C201 (I E II-47) / C202 (257) – 125 V
 G003 Máquinas: SE-3 A, SE-5 A, SE-11, SE-12 e REL-3
 G004 Máquina: SE-20
 G005 Motores: C171 (365) / C202 (257) – 50 V
 G006 Motor: C170 (365) – 50 V
 G008 Relé 10 aux – Partida
 G011 Sistema: REL-4-DM
 G012 Máquina: SE-340
 Rel 1 e 2 Relé 10 aux – partida

 Liga quando o gerador atingir 80% da rotação nominal (10 AUX)


 Liga com 80% da velocidade nominal, indicando que a viagem é longa (FR)
 Liga quando há excitação no campo do motor de tração (FPR)
 Quando desligado, indica excesso de velocidade nos extremos (SVS e SVD)

Regulagem do Relé VR
Entre o Contato e o Entreferro:

Contra-porca

B Para Relés FPR e 10AUX
⊕ O contato n.f. não tem
função elétrica; apenas A – Soltar a contra-porca do contato fixo
apoio para armadura; N.A. e girar no sentido horário, diminuindo o
* - A face do núcleo da entreferro e vice-versa;
bobina deve ficar paralelo
com a face da armadura
B – Regular a abertura do contato N.F. –
Relé Ligado soltar a contraporca e girar, aumentando ou
1,9 mm (entreferro) * diminuindo a abertura.
n.a.
A
Contra-porca

Relé Ligado ⊕ Relé Desligado ⊕

F.0080 – Rev. 1 (Intermediário) NÚMERO: MATERIAL DE REVISÃO: PÁG:


TREINAMENTO S00 50/70
Esta documentação é de nossa propriedade intelectual.
Sem a nossa autorização por escrito, não poderá de
maneira nenhuma ser copiada, nem usada para fabricação
ou para dar conhecimentos a terceiros.

Para relés SVS / SVD

C – Regular a abertura do contato N.F. –


C

soltar a contra-porca e girar aumentando ou


diminuindo a abertura;
contra-porca
D – Regular a abertura do contato N.A. –
soltar a contra-porca N.F. e ajustar a
abertura

1,1 mm (entreferro) * D
⊕: O contato n.f. não tem função elétrica;
apenas apoio para armadura;
0,6 mm

Chave 5
Esta chave é utilizada para ligar as três fases do motor do grupo MG, em elevadores de
corrente contínua.
Possui 3 pares de contatos metálicos principais, normalmente abertos, cuja área de
contato depende do grupo a que a chave pertencer (tipo de MG).
Além dos contatos principais, possui ainda os contatos auxiliares, utilizados em diversos
pontos dos circuitos onde a corrente não ultrapassa 10 A (CC).
Tais contatos poderão ser abertos ou fechados (máximo de 2 N.A. e 2 N.F.).

Legenda:
1. Suporte para contato fixo
2. Conjunto apaga faísca
3. Chifre extintor de arco
4. Contato fixo principal
5. Contato móvel principal
6. Câmara apaga faísca
7. Trança condutora
8. Mola
9. Bobina
10. Conjunto núcleo-bobina
11. Contato móvel auxiliar
12. Conjunto induzido
13. Barra de terminais
14. Retificador de silício

A chave 5 quando aplicada com MG’s tipo 21/32/45/70/113/115/117 utiliza uma bobina de
alimentação de 125 Vcc . Quando aplicada nos MG’s tipo 143/144, possui três bobinas
ligadas em série.
F.0080 – Rev. 1 (Intermediário) NÚMERO: MATERIAL DE REVISÃO: PÁG:
TREINAMENTO S00 51/70
Esta documentação é de nossa propriedade intelectual.
Sem a nossa autorização por escrito, não poderá de
maneira nenhuma ser copiada, nem usada para fabricação
ou para dar conhecimentos a terceiros.

Toda aplicação, em função da tensão (208/380/440 V) e da potência do motor CA do


gerador que ultrapassar 75 A por fase; utiliza transformador para abaixar a corrente que
irá circular pela resistência do relé RTA.

C B A A B C

Bobina Bobina

2 12 11 1 1 11 12 2

(VISTA PELA FRENTE) (VISTA POR TRÁS)

Chave 5 com trafo de corrente Chave 5 sem trafo de corrente Representação Esquemática (Antiga)
Visto por Trás
A B C

5 Para MG’s  143 / 144  Chave


Blindada DA0 171

Visto pela Frente Visto por Trás

F.0080 – Rev. 1 (Intermediário) NÚMERO: MATERIAL DE REVISÃO: PÁG:


TREINAMENTO S00 52/70
Esta documentação é de nossa propriedade intelectual.
Sem a nossa autorização por escrito, não poderá de
maneira nenhuma ser copiada, nem usada para fabricação
ou para dar conhecimentos a terceiros.

Regulagem da Chave 5
Contatos Principais:

Para MG’s 21,45, 70 – DB745 113/115/117 – DB740

Para MG’s 143 / 144 – DA 171

Regular o percurso da armadura, através do


parafuso de regulagem. Parafusar ou
desparafusar até obter as medidas da figura.

Detalhe do Parafuso de
Regulagem

F.0080 – Rev. 1 (Intermediário) NÚMERO: MATERIAL DE REVISÃO: PÁG:


TREINAMENTO S00 53/70
Esta documentação é de nossa propriedade intelectual.
Sem a nossa autorização por escrito, não poderá de
maneira nenhuma ser copiada, nem usada para fabricação
ou para dar conhecimentos a terceiros.

Contatos Auxiliares:
Chave Desligada Chave na Posição Ligada

2,5 ±0,5 mm N.F.


4,5 ±1 mm N.A.

Abertura padrão para todos os contatos auxiliares, Esta regulagem é válida somente para o contato N.F.
exceto o contato que liga a chave que liga a chave

Chave 7
É uma chave de segurança, utilizada na alimentação do motor de tração quando ligada, e
para efetuar a frenagem dinâmica, quando desligada (com carro em movimento).
Possui duas bobinas, uma superior para ligar a chave e seu contato principal (N.A.) e
outra inferior para reforçar a pressão do contato N.F., sendo alimentada pela corrente
proveniente da armadura do motor durante a frenagem dinâmica.
Possui dois contatos principais de cobre (1 N.A. e 1 N.F.) e quatro contatos auxiliares (2
N.A. + 2 N.F.).
A chave 7 é montada na parte inferior do painel de comando e é utilizada em sistema
Rototrol.

Legenda:

1 – Contatos auxiliares
2 – Bobina
3 – Contatos principais
4 – Base para induzido
5 – Chifre
6 – Trança
7 – Mola do contato
8 – Conjunto induzido

F.0080 – Rev. 1 (Intermediário) NÚMERO: MATERIAL DE REVISÃO: PÁG:


TREINAMENTO S00 54/70
Esta documentação é de nossa propriedade intelectual.
Sem a nossa autorização por escrito, não poderá de
maneira nenhuma ser copiada, nem usada para fabricação
ou para dar conhecimentos a terceiros.

Identificação dos Contatos:

Representação Esquemática:
Visto por Trás Visto pela Frente
Contato principal
superior
A
A
1 2
2 1

Contatos auxiliares
superiores

Contatos auxiliares
inferiores
11 12
12 11
B
B
Contato principal
inferior
esquerda direita
identificação esquerda direita
identificação

Regulagem da Chave 7
Com a Chave na Posição
• - Calço de ajuste da abertura do contato Ligada
 - Entreferro de 0,8±0,1 mm

Calço de ajuste do
entreferro (0,8±0,1) e
pressão dos contatos
principais

Calços

15±1mm

F.0080 – Rev. 1 (Intermediário) NÚMERO: MATERIAL DE REVISÃO: PÁG:


TREINAMENTO S00 55/70
Esta documentação é de nossa propriedade intelectual.
Sem a nossa autorização por escrito, não poderá de
maneira nenhuma ser copiada, nem usada para fabricação
ou para dar conhecimentos a terceiros.

Com a Chave Desligada

15±1 mm

A regulagem da abertura dos


contatos é feita através dos
calços do núcleo (entreferro)
e do calço no suporte do
contato fixo (inferior).

Calços

Calço

Regulagem dos contatos Auxiliares:


Contatos auxiliares superiores:
De 12 a
14 mm Regular a
Percurso abertura dos
de 2 a 3 mm
Adicional contatos através
dos calços entre a
pedra e a lâmina
do contato fixo.
Calço

Com a Chave na
posição Ligada Com a Chave Totalmente Desligada

Contatos auxiliares inferiores:

Com chave desligada Com Chave na Posição


Ligada

Calço

Percurso Entre 1 e
Adicional 1,5 mm

Entre 12
e 14 mm

F.0080 – Rev. 1 (Intermediário) NÚMERO: MATERIAL DE REVISÃO: PÁG:


TREINAMENTO S00 56/70
Esta documentação é de nossa propriedade intelectual.
Sem a nossa autorização por escrito, não poderá de
maneira nenhuma ser copiada, nem usada para fabricação
ou para dar conhecimentos a terceiros.

Chave 10
É uma chave que substitui a chave 11 e as resistências de partida. Sua função é alterar
as ligações dos enrolamentos do motor de CA do conjunto motogerador de estrela (Y)
para triângulo (∆), após atingir 80% da rotação nominal, visando reduzir a corrente de
partida.
É utilizada em elevadores com conjuntos motogeradores 32 / 45 / 70 / 113 / 115 / 117.
A função do relé 10 auxiliar é ligar a chave, após o tempo do relé 11T.
A chave 10 possui 5 contatos principais, sendo:
♦ 3 superiores, sempre N.A. e 2 inferiores, sempre N.F.;
Possui 4 contatos auxiliares, sendo:
♦ 2 sempre N.A. na parte superior e 2 sempre N.F. na parte inferior.
A corrente que circula pelos contatos principais é alternada (CA), pois esses contatos
estão no circuito do enrolamento da bobina do motor CA do gerador.
A bobina é alimentada por corrente contínua (CC), sendo a sua tensão nominal de 125 V.
O sistema de partida estrela/triângulo apresenta as seguintes vantagens em relação à
partida com resistências:
♦ É mais eficiente;
♦ Elimina as resistências de partida tipo grelha;
♦ Diminui a corrente de partida;
♦ Reduz riscos / danos materiais (resistência);
♦ Maior vida útil do motor CA do gerador;
♦ Reduz consideravelmente o tempo de partida.

Legenda:

1. Contato principal
2. Contato auxiliar
3. Bobina
4. Conjunto induzido
5. Trança
6. Relé 10 auxiliar

F.0080 – Rev. 1 (Intermediário) NÚMERO: MATERIAL DE REVISÃO: PÁG:


TREINAMENTO S00 57/70
Esta documentação é de nossa propriedade intelectual.
Sem a nossa autorização por escrito, não poderá de
maneira nenhuma ser copiada, nem usada para fabricação
ou para dar conhecimentos a terceiros.

Identificação dos contatos:


Visto por Trás Visto pela Frente

A B C Contato principais C B A
superiores A/B/C (na)

1 2 Contatos auxiliares 2 1
superiores 1 / 2 (na)

Contatos auxiliares inferiores


12 11
11 11 / 12 (nf) 12

D E E D
Contato principal inferior
D/E (nf)
esquerda direita esquerda direita
identificação identificação

Regulagem da Chave 10
Regulagem dos contatos principais:
calços
Chave na posição
Ligada

 - Mola superior é a mais


forte que a inferior

De 13 a 16 mm

Parafuso de regulagem

Chave Desligada:
Calços
A abertura dos contatos principais é feita no
parafuso de regulagem da armadura.
De 14 a
Girando-se no sentido horário, diminui a 16 mm
distância e vice-versa.
Parafuso de
Caso não conseguir regular, podem ser regulagem
colocados calços na base de suporte dos
contato fixos.

F.0080 – Rev. 1 (Intermediário) NÚMERO: MATERIAL DE REVISÃO: PÁG:


TREINAMENTO S00 58/70
Esta documentação é de nossa propriedade intelectual.
Sem a nossa autorização por escrito, não poderá de
maneira nenhuma ser copiada, nem usada para fabricação
ou para dar conhecimentos a terceiros.

Regulagem dos contatos auxiliares:


Chave na posição Ligada Chave Desligada

Separador

De 2,5
a 3,5
mm

De 2,5 a
3,5 mm
Separador

Regular a abertura dos contatos colocando ou


retirando separadores na base dos contatos fixos até
obter as medidas da figura acima.

Chave 11
É uma chave alimentada por CC, usada exclusivamente para curto-circuitar as
resistências de partida do grupo MG.
Montada na parte inferior do painel de comando.
Possui dois pares de contatos principais (N.A.) de cobre trefilado, que são usados nas
ligações de resistência de partida do MG, as quais permitem que o motor atinja a rotação
nominal.
Além destes, existem os contatos auxiliares de prata, que poderão ser usados em
diversos pontos do circuito, onde a corrente não ultrapasse 10 A.
Estes contatos podem se apresentar:
♦ 2 N.A. ou 2 N.A. + 2 N.F. ou ainda 4 N.A., conforme o grupo que a chave pertencer
(isto é, conforme o MG utilizado pelo sistema).

F.0080 – Rev. 1 (Intermediário) NÚMERO: MATERIAL DE REVISÃO: PÁG:


TREINAMENTO S00 59/70
Esta documentação é de nossa propriedade intelectual.
Sem a nossa autorização por escrito, não poderá de
maneira nenhuma ser copiada, nem usada para fabricação
ou para dar conhecimentos a terceiros.

Legenda:

1. Contato móvel auxiliar


2. Contato fixo auxiliar
3. Trança
4. Conjunto induzido
5. Mola helicoidal
6. Contato móvel principal
7. Suporte do contato fixo principal
8. Bobina
9. Conjunto núcleo

Identificação dos Contatos: Representação Esquemática


Visto por Trás Visto pela Frente

A B B A

1 11 2 2 11 1

esquerda direita esquerda direita

Representação Esquemática (Antiga) - Visto por Trás

11
T4 T6
11
T4 T6
A B

A B
BE BD
T3

fecho com
BE BD Fio 4

IE ID 2E 2D
1 2

F.0080 – Rev. 1 (Intermediário) NÚMERO: MATERIAL DE REVISÃO: PÁG:


TREINAMENTO S00 60/70
Esta documentação é de nossa propriedade intelectual.
Sem a nossa autorização por escrito, não poderá de
maneira nenhuma ser copiada, nem usada para fabricação
ou para dar conhecimentos a terceiros.

Representação Esquemática com 4 Contatos Auxiliares:


Visto por Trás Visto pela Frente

A B B A

11 1 2 12 12 2 1 11

esquerda direita esquerda direita

Regulagem da Chave 11
Pontos de Ajuste:

Calço

Calço de ajuste

Parafuso de regulagem

Entreferro de 0,6 a 0,8 mm

F.0080 – Rev. 1 (Intermediário) NÚMERO: MATERIAL DE REVISÃO: PÁG:


TREINAMENTO S00 61/70
Esta documentação é de nossa propriedade intelectual.
Sem a nossa autorização por escrito, não poderá de
maneira nenhuma ser copiada, nem usada para fabricação
ou para dar conhecimentos a terceiros.

Regulagem dos contatos principais:


Regular o percurso da armadura, através do parafuso
Entre 14 e 16 mm de regulagem, até obter as medidas da figura ao lado.

Caso não conseguir, pode ser colocado calços na


base dos contatos fixos

Regulagem dos contatos auxiliares:


Para obter a pressão ideal chave desligada chave na posição
dos contatos auxiliares, ligada
pode-se colocar ou retirar
calços de ajuste sob o
núcleo até deixar o
entreferro entre 0,6 e 0,8
mm.
A abertura padrão dos
contatos auxiliares está
entre 3,5 e 5,5 mm. Entre 3,5 e 5,5 mm N.A. Entre 3,5 e 5,5 mm N.F.

F.0080 – Rev. 1 (Intermediário) NÚMERO: MATERIAL DE REVISÃO: PÁG:


TREINAMENTO S00 62/70
Esta documentação é de nossa propriedade intelectual.
Sem a nossa autorização por escrito, não poderá de
maneira nenhuma ser copiada, nem usada para fabricação
ou para dar conhecimentos a terceiros.

Contatores
Substituem os relés, chaves e contatores convencionais, apresentando vantagens
técnicas e operacionais tais como :
• Facilidade de Manutenção;
• Admite o acoplamento de contatos auxiliares.
Atualmente são aplicados nos Comandos com Controle Alpha 30/40CV – 220V,
elevadores Hidráulicos, ômega Excel, Thames Valley, Miconic E, LX, SX, e em algumas
obras em substituição às chaves 5 e 11.
Os contatores são divididos em séries, sendo que os utilizados são os da série “D” e série
“F”. A faixa de aplicação da série “D” é de 9 a 80 A e os da série “F” de 115 a 780 A
(corrente de emprego).

A tensão de alimentação da bobina pode ser em corrente contínua ou corrente alternada


e em diversos níveis de tensão, dependendo da especificação da bobina.
Os contatores da série “D” possuem referências distintas para C.A. e C.C.
LC1-D  Contatores com bobina C.A.
LP1-D  Contatores com bobina C.C.
Os contatores da série “F” possuem apenas a referência LC1-F e as bobinas são
especificadas separadamente.

Perspectiva do Contatores

1. Base de fixação
2. Terminais de ligação dos contatos
principais
3. Tampa
4. Barra de engate para bloco auxiliar
5. Cabeçote do contator
6. Conjunto bobina
7. Terminais de ligação da bobina
8. Terminais de ligação dos contatos
auxiliares

Identificação dos contatos e bobinas:

Os terminais de bobina são identificados por A1 e A2.


Contatos principais são na maioria dos casos normalmente abertos.
Os contatos auxiliares são identificados da seguinte forma:

F.0080 – Rev. 1 (Intermediário) NÚMERO: MATERIAL DE REVISÃO: PÁG:


TREINAMENTO S00 63/70
Esta documentação é de nossa propriedade intelectual.
Sem a nossa autorização por escrito, não poderá de
maneira nenhuma ser copiada, nem usada para fabricação
ou para dar conhecimentos a terceiros.

 N.C. Normalmente fechado (normally closed);


 N.O. Normalmente aberto (normally opened).

Obs. A numeração do contato está gravada no próprio corpo do contator.

Blocos Aditivos são blocos de contatos auxiliares montados por simples encaixe,
acionados mecanicamente e solidariamente com os contatos principais. Pode ser
acoplado apenas um bloco aditivo em cada contator da série “D” e da série “F” (antigo)
FF 43 e FG 43, nos novos contatores da série “F” é possível o acoplamento de dois
blocos aditivos.
Os blocos aditivos não possuem peças sobressalentes, são descartáveis.

Observação:
Sempre que o bloco aditivo possuir contatos disponíveis (sem utilizar), os parafusos de fixação dos
terminais devem permanecer apertados.
Caso haja necessidade de retirar o contato fixo “n.a.” ou “n.o” (normalmente aberto), soltar
totalmente o parafuso de fixação e puxar o suporte do contato, o mesmo deverá ser recolocado
sem que o pulsador (parte móvel cor laranja) seja pressionado.
Quando for retirado o suporte do contato fixo “n.f.” ou “n.c.” (normalmente fechado), o mesmo
deverá ser recolocado pressionando o pulsador de 4 a 5mm, para evitar o desalojamento do
contato e consequentemente travamento do bloco.

Substituição dos Contatos

Elevador LIGADO DESLIGADO

CONTATORES SÉRIE “D” LP-1 e LC1-D:


SUBSTITUIÇÃO DOS CONTATOS PRINCIPAIS:

1- Soltar os dois parafusos “F/G” , desconectando a base do cabeçote.

F.0080 – Rev. 1 (Intermediário) NÚMERO: MATERIAL DE REVISÃO: PÁG:


TREINAMENTO S00 64/70
Esta documentação é de nossa propriedade intelectual.
Sem a nossa autorização por escrito, não poderá de
maneira nenhuma ser copiada, nem usada para fabricação
ou para dar conhecimentos a terceiros.

FIGURA 1

2- Retirar a tampa “H” do cabeçote através dos dois parafusos phillips “D/E”, conforme abaixo:

PARA CONTATORES LC1-D40 a D80 (BOBINA C.A.):


LC1-D403/D503/D633.......acesso a cabeça do parafuso, interno.
LC1-D803..........................acesso frontal.

PARA CONTATORES LP1-D40 a D80 (BOBINA C.C.):


Antes de tirar a tampa do cabeçote (acesso interno), é necessário soltar a base de baquelite
através do parafuso allen (2,95mm), localizado na parte traseira do cabeçote, soltando inclusive a
peça metálica.

3- Retirar a barra de engate “I”.


OBS.: Utilizar chave de fenda 1/8” para pressionar as presillhas “J” aos poucos e dos dois lados
(janela), de maneira que a barra de engate se solte.
Cuidado para não forçar o suporte de contato móvel / baquelite preto (janela) para não quebrá-la.

4- Retirar as 3 molas “L” , dos contatos principais.


OBS.: Colocar peças retiradas sobre a mesa na seqüência para facilitar a montagem.

5- Retirar as 3 guias de mola “M” , virar o cabeçote para baixo.

6- Retirar os contatos principais móveis “N”.

F.0080 – Rev. 1 (Intermediário) NÚMERO: MATERIAL DE REVISÃO: PÁG:


TREINAMENTO S00 65/70
Esta documentação é de nossa propriedade intelectual.
Sem a nossa autorização por escrito, não poderá de
maneira nenhuma ser copiada, nem usada para fabricação
ou para dar conhecimentos a terceiros.

7- Soltar as 2 travas “O” do pino do núcleo eletromagnético “R”, lado posterior do cabeçote.
OBS.: Nesta operação o porta-contatos “P” se soltará.

8- Retirar o pino “Q”, que prende o porta contatos ao núcleo eletromagnético “R” para contator
LC1, ou peça de baquelite, para o contator LP1.

9- Recolocar o núcleo ou a peça de baquelite ao porta-contatos “novo”, introduzindo o pino “Q” na


furação.
F.0080 – Rev. 1 (Intermediário) NÚMERO: MATERIAL DE REVISÃO: PÁG:
TREINAMENTO S00 66/70
Esta documentação é de nossa propriedade intelectual.
Sem a nossa autorização por escrito, não poderá de
maneira nenhuma ser copiada, nem usada para fabricação
ou para dar conhecimentos a terceiros.

10- Retirar os pólos principais fixos “S” , conforme tabela abaixo:

CONTATORES Retirar os 6 parafusos de fixação


dos cabos com os estribos.
LC1/LP1-D40
Acesso aos parafusos (A, B e C)
CONTATORES
localizados na parte traseira do
LC1/LP1-D50 a 80
cabeçote.
OBS.: Para retirar os contatos puxá-los com alicate de bico.

11- Montar os pólos principais fixos “novos”, encaixando-os nas guias e empurrando-os até os
encostos laterais.

12- Introduzir o conjunto porta-contatos “P” no cabeçote “T” do contator.

13- Recolocar as travas “O”, travando o porta-contatos.


OBS.: Verificar o posicionamento do pino “Q”.

14- Montar os contatos principais móveis, nos orifícios “U” correspondentes.

15- Colocar os guias de molas.

16- Encaixar as molas em seus respectivos guias.

17- Inserir a barra de engate no porta-contatos, conforme abaixo:


- encaixe a barra de engate no porta-contatos sem pressionar.
- coloque a tampa do cabeçote, para que sirva de guia, pressione ou bata levemente nas laterais
da barra de engate até que se perceba o encaixe.
Retire a tampa para verificar o perfeito encaixe.

18- Fixar a tampa do cabeçote.

19- Na base do contator, retirar o conjunto porta-bobina, trocar os amortecedores “V” localizados
no núcleo eletromagnético fixo.
OBS.: Somente para contatores LC1-D (bobina C.A.).

20- Recolocar o porta-bobina verificando seu correto posicionamento e fixar o cabeçote na base.
OBS.: Verificar o posicionamento da mola “X” .

21- Testar manualmente o contator, pressionando a barra de engate para baixo, certificando-se
que a mola retorna para a posição inicial.

SUBSTITUIÇÃO DA BOBINA:

1- Soltar os dois parafusos “F/G” que prendem o cabeçote à base do contator.

2- Retirar o cabeçote “T” .

3- Retirar a bobina localizada na base do contator.


OBS.: Para os contatores LP1 – D40 a LP1 – D80, é necessário soltar o parafuso allen (2,95mm)
que prende a bobina a uma placa metálica. Ao colocar a bobina nova recoloque essa peça.

F.0080 – Rev. 1 (Intermediário) NÚMERO: MATERIAL DE REVISÃO: PÁG:


TREINAMENTO S00 67/70
Esta documentação é de nossa propriedade intelectual.
Sem a nossa autorização por escrito, não poderá de
maneira nenhuma ser copiada, nem usada para fabricação
ou para dar conhecimentos a terceiros.

4- Colocar a bobina nova na fase do contator.

5- Montar o cabeçote à base do contator.


OBS.: Verificar se a tensão e a freqüência das bobinas estão compatíveis.

CONTATORES SÉRIE “F”:


SUBSTITUIÇÃO DOS CONTATOS PRINCIPAIS:
1- Seqüência para retirar os contatos a serem substituídos.

2- Seqüência para colocar os contatos novos.

F.0080 – Rev. 1 (Intermediário) NÚMERO: MATERIAL DE REVISÃO: PÁG:


TREINAMENTO S00 68/70
Esta documentação é de nossa propriedade intelectual.
Sem a nossa autorização por escrito, não poderá de
maneira nenhuma ser copiada, nem usada para fabricação
ou para dar conhecimentos a terceiros.

SUBSTITUIÇÃO DA BOBINA:

1- Seqüência para substituição da bobina.

PEÇAS SOBRESSALENTES:

PARA CONTATORES SÉRIE “D” – LC1-D / LP1-D:

JOGO DE CONTATOS (KITS):

OBS: Estes componentes não são fornecidos separadamente.

F.0080 – Rev. 1 (Intermediário) NÚMERO: MATERIAL DE REVISÃO: PÁG:


TREINAMENTO S00 69/70
Esta documentação é de nossa propriedade intelectual.
Sem a nossa autorização por escrito, não poderá de
maneira nenhuma ser copiada, nem usada para fabricação
ou para dar conhecimentos a terceiros.

PARA CONTATORES SÉRIE “F”:

JOGO DE CONTATOS (KITS):


O pólo é composto de:

Exemplos de Contatores (velocidade e direção):

Manutenção

Elevador LIGADO DESLIGADO

1. Verificar a fixação nos terminais do relé, garantindo que estejam bem presos e
evitando mau contato. Realizar reapertos, quando necessário;
2. Efetuar a limpeza dos relés, retirando excesso de poeira;
3. Caso seja detectado algum problema de operação, solicite apoio ao posto para
eventual reposição do relé.

F.0080 – Rev. 1 (Intermediário) NÚMERO: MATERIAL DE REVISÃO: PÁG:


TREINAMENTO S00 70/70