Você está na página 1de 36

PILATES PARA

ESTUDANTES DE
FISIOTERAPIA
GUIA PRÁTICO PARA ALUNOS QUE
AINDA NÃO CONHECEM
O MÉTODO.
sobre a autora NATHALIA STEVÃO CORREA

Nathalia é fisioterapeuta, recém-formada ao final de 2015. Suspensus – Pilates em Suspensão – Voll Pilates Group – 2015:
Columpio, Lira, PowerBalance, PowerCord, Columpio Wall (todos os níveis – básico / intermediário / avançado). Curso de
Bandagem Funcional – 2015. Curso de Bandagem Funcional nas Principais Lesões do Futebol – Metrocamp – 2015. 2 Encontro
Brasileiro de Pilates – Voll Pilates Group – 2015: A Coluna Saudável; A Flexibilidade e Mobilidade Cervical e a Cintura Escapular;
Equilíbrio, Mobilidade e Estabilidade Através de Exercícios Rotacionais com o Magic Circle; Circuito de Pilates e Mais para Pós-
reabilitação Lombo-sacra. II Jornada Sul-Americana de Pilates – Voll Pilates Group – 2015: Treino Avançado em Mat Pilates
utilizando Faixa Elástica e Body Bar; Pilates Aplicado a Hérnia Discal Lombar; Pilates na Reabilitação de Artrose de Quadril e
Joelho; Mat Pilates com Bola e Elástico; Pilates e Controle Motor; Mat Pilates Clássico. Meeting Pilates e Treinamento Funcional
– Voll Pilates Group – 2015: Aplicabilidade da Resistência Elástica Thera-Band no Pilates; Autoliberação Miofascial em Pré-
Pilates; Elastic Band (Exercícios Terapêuticos e Desportivos com Resistências Elásticas); Reabilitação Funcional da Coluna
Vertebral; Mat Pilates e Step Chair; Evolução Funcional do Movimento e Prevenção de Lesões; Stability Ball e Step Chair; Pilates
para Populações Especiais: Gestantes. Curso de Pilates Completo – Solo, Bola e Aparelhos – Espaço Vida Pilates – 2014
Minicurso de Abordagem Fisioterapêutica nas Disfunções Sexuais Femininas - Faculdade Metrocamp – 2014. Minicurso de
Hidroterapia Aplicada a Coluna Lombar – Faculdade Metrocamp – 2014. Curso de Massagem Estética Modeladora – SENAC –
2014. Drenagem Linfática Manual – Centro de treinamento Ovalle Treinamentos- 2013. Curso de RCP e DEA PADRÂO – Centro de
treinamento Ovalle Treinamentos - 2012.
Sou recém-formada em Fisioterapia e escrevi este e-book para ajudar
estudantes que, assim como eu, buscam cada vez mais por conhecimento.
Este livro digital vai abrir a sua mente para enxergar os infinitos recursos que o Pilates oferece ao
estudante e profissional da Fisioterapia na prevenção, tratamento e manutenção da saúde de seus
pacientes.
Se você entende que quanto mais ferramentas você tem na mão, maior é a chance de sucesso (seu e
do paciente), este material é para você! Leia e se surpreenda!
Com carinho,
Nathalia Stevão Correa
1. Introdução
E então acordamos e nos deparamos com uma situação: estamos na faculdade. Foram dias e noites de
muito estudo até este momento. Dúvidas do tipo “o que seremos quando crescer?”, “será que é a
escolha certa?”, “o que meus pais vão pensar se eu escolher essa profissão?”, “será que consigo?”,
passaram inúmeras vezes por nossas cabeças. Até que um dia, nos vemos ali, na faculdade de
Fisioterapia. Faculdade essa da qual entramos pensando ser uma profissão que vai apenas reabilitar as
pessoas.
Durante o passar dos semestres, nos deparando com disciplinas que realmente nos mostram o que é a
Fisioterapia. Anatomia, Cinesiologia, Cinesioterapia, Neurologia, Ortopedia, Fisiologia, Patologia, entre
outras que são apenas algumas das disciplinas que nos deixam assustados, questionando se é isso
mesmo que queremos fazer. Disciplinas estas que nos fazem perder noites de sono e requerem muita
dedicação para aprender cada detalhe do que nos foi apresentado. É neste momento que começamos
a ter cada vez mais vontade de aprender e crescer com tudo aquilo que nos foi apresentado.
Dentro de cada disciplina uma informação nova é passada para nós. A cada aula, aprendemos a olhar
mais ao nosso redor e avaliar melhor nossos pacientes, de maneira que cada caso seja um caso, cada
paciente com seu tratamento específico, independente se a patologia dele é igual a do outro, visando
uma melhor qualidade de vida para ele. Aprendemos como tratar todo tipo de patologia dentro de cada
área da fisioterapia.

E então vem o primeiro pensamento sobre aquele paciente: “o que é qualidade de vida para ele?”.
Sabemos que cada caso é um caso, mas que, de maneira geral, qualidade de vida para nossos pacientes
é analgesia, ganhar flexibilidade, ganhar força muscular, ganhar propriocepção, evitar contraturas e
deformidades, e mais inúmeras coisas que podemos citar.

O que é qualidade
de vida para você?
É nessa hora que, na faculdade, ouvimos falar de um tal de Pilates.

Que o Pilates ajuda a ter consciência corporal, ganho de


flexibilidade e ganho de força muscular.
Então começamos a observar que nas redes sociais todas as pessoas falam do Pilates. Até vem
os fotos de vários artistas famosos e pessoas comuns que praticam o método. Ouvimos e
vemos muito por aí as pessoas dizendo que o Pilates é apenas um alongamento que é feito
e que está na moda. Concordo, o Pilates está bem em alta no mercado de trabalho
para fisioterapeutas, o que gera para nós, fisioterapeutas, um retorno
satisfatório.
Mas, o que as pessoas não sabem é o que realmente é o Pilates.
O Método Pilates
O método Pilates foi desenvolvido pelo alemão Joseph Hubertus Pilates. Criado em 1920, aborda um
controle consciente de toda musculatura envolvida no movimento. São exercícios terapêuticos que
trabalham a contração isométrica da musculatura do assoalho pélvico, junto com o músculo transverso
do abdômen e multífidos associados com a respiração. Utiliza princípios importantes das forças que
atuam em cada um dos ossos do esqueleto.
O método caracteriza-se por movimentos projetados de forma que os executantes mantenham a coluna
vertebral em posição neutra, quando no solo, e que realize movimentos de flexão, extensão, rotação e
inclinação da coluna de maneira correta, tanto no solo quanto nos aparelhos. Com isso, o recrutamento
muscular que não for auxiliar a realizar aquele movimento será mínimo, o que previne a fadiga
precoce e, com isso, gera uma melhora na flexibilidade geral do corpo, força muscular,
coordenação da respiração com o movimento, melhora a postura, entre outros fatores.
São exercícios de baixo impacto, baseados em seis princípios indispensáveis para a prática. São eles:
concentração, fluidez do movimento, controle, precisão, utilização do centro de força e
respiração.
Um pouco de teoria...
Joseph Pilates sofria, desde a infância, de diversas enfermidades e fraqueza muscular. Por isso, ele estudou
e procurou diferentes exercícios daqueles conhecidos em sua época. Durante a I Guerra Mundial, utilizou
seus conhecimentos do método Pilates com lesionados de guerra para trata-los e assim reabilita-los.
Porém, somente na década de 80 esse método foi popularmente conhecido, e seus praticantes
eram quase exclusivamente dançarinos e atletas. Nos últimos anos, está sendo muito
utilizado como exercício físico e como ferramenta de reabilitação.
Recentemente, o Pilates vem sendo usado na reabilitação de pacientes e atletas, no tratamento de
desordens neurológicas, dor crônica, problemas ortopédicos e lombalgia, por ser um método
recomendado para o ganho de flexibilidade, consciência corporal e qualidade de vida.
O método Pilates tem sido bastante utilizado por fisioterapeutas com finalidade de reabilitação
na estabilização lombo-pélvica, na restauração de funções de articulações e no tratamento da
lombalgia (e de outras patologias).
De maneira geral, vemos que o método Pilates é um primeiro recurso para tratamento de patologias. Se
pararmos para pensar, um fisioterapeuta que tem um curso de Pilates e que se aprofunda cada vez
mais no assunto consegue um espaço no mercado de trabalho onde várias portas serão abertas
para ele.
O método, além de ser uma forma de tratamento, é também uma maneira de melhorar a qualidade de
vida de pessoas que não necessariamente possuem uma patologia que precisa de tratamento.

Vivemos em uma sociedade estressante, onde temos uma rotina a ser seguida. As pessoas acordam e
vão trabalhar. Muitas vezes passam horas e horas sentadas no local de trabalho, ficam presas no
trânsito, comem mal – e às vezes nem comem por falta de tempo. Quando estão voltando para casa ou
indo busca os filhos na escola, mais trânsito pela frente. Ao chegar em casa, muitos ainda possuem o
trabalho doméstico para fazer, o que acaba por fazer com que a pessoa vá dormir tarde e descanse
pouco, gerando ainda mais estresse para aquele indivíduo e, com isso, uma queda na qualidade de
vida.
O MÉTODO PILATES PARA ESSE INDIVÍDUO IRÁ
MELHORAR A QUALIDADE DE VIDA REDUZINDO A FADIGA,
DIMINUINDO O ESTRESSE, MELHORANDO O RETORNO
VENOSO E TAMBÉM AJUDANDO NO RELAXAMENTO MUSCULAR.
SÃO DIVERSOS OS BENEFÍCIOS DO MÉTODO PARA SEUS PRATICANTES.
E PARA FISIOTERAPEUTAS QUE ESTÃO PRINCIPALMENTE NO ESTÁGIO
DA FACULDADE, TAMBÉM É UM ÓTIMO RECURSO COMO FORMA DE
TRATAMENTO PARA SEUS PACIENTES.

No estágio, o método Pilates é bem visto pela maioria dos professores e


supervisores, afinal ele é um método que não existe contraindicação (lógico que
sempre levando em conta cada caso e a patologia do paciente), e atualmente
está em alta no mercado.
2. Princípios que norteiam o método pilates
Quando Joseph Pilates criou o método, ele baseou todos os exercícios em 6 princípios fundamentais
para a prática correta. São eles: concentração, centralização, fluidez, respiração, precisão e
controle.
Todos os exercícios devem ser executados com muita concentração, pois os seus pensamentos devem
estar voltados para qual músculo deve ser ativado naquela situação. Joseph Pilates chamou de Power
House um centro de força que existe no corpo humano, e é dele que se originam os movimentos do
nosso corpo.
Fluidez, beleza e harmonia são necessários para realizar todos os exercícios, pois deve-se evitar
movimentos mecânicos. Assim, a respiração é essencial para manter o sangue bem oxigenado.

A precisão deve ser mantida para evitar o risco de lesão e, dessa maneira, os movimentos devem ser
completamente controlados pela mente – precisão está intrinsecamente relacionada ao controle.
3. O que é o Power House?
É um centro de força que existe no corpo humano que é responsável por originar todos os movimentos
do nosso corpo. Durante a prática dos exercícios do método, o Power House deve permanecer em
contração isométrica.
É composto pelos músculos abdominais (reto abdominal, oblíquos internos/externos e transverso
abdominal), Paravertebrais, Quadrado Lombar, extensores do quadril, flexores do quadril e músculos do
assoalho pélvico (principalmente o períneo).
4. Benefícios do método Pilates
O método Pilates trás diversos benefícios à saúde como:

Melhorar o Melhorar o Diminuir o


Aumentar a
condicionamento retorno venoso nível de estresse Prevenir lesões
flexibilidade
físico
e força muscular

Promove Melhora o
Aumenta a Aumento da
correções desempenho
coordenação autoestima do
posturais sexual
motora paciente
Além dos benefícios, o Pilates é muito utilizado para:

Patologias Manutenção Populações


na coluna da qualidade de Atletas Especiais:
vida do paciente Crianças, Gestantes
e Idosos

Patologias e lesões Pessoas


Melhora das AVDs (especialmente de sedentárias
desordem
musculoesquelética)
5. O que o pilates é de verdade?
Ouvimos muito hoje em dia pessoas que não conhecem o método dizerem que “Pilates é alongamento”
ou “Pilates é coisa de mulher”. Não, Pilates não é alongamento e também não é “coisa de mulher”.
O que é o Pilates, então? Pilates é um método realizado para tratamento de patologias, e é um
método que também visa qualidade de vida aos seus praticantes.
Pilates pode ser realizado por qualquer indivíduo: criança, jovem, adolescente, adulto, idoso, grávida.
Pilates pode ser realizado em qualquer situação que seu paciente se encontre:

Saudável: para a manutenção de saúde e qualidade de vida


Quadro patológico: a especialidade do Método Pilates é para a reabilitação, então, independentemente
da patologia do indivíduo, ele pode fazer Pilates
Com dor: reduz o quadro álgico
Sedentário: excelente atividade de baixo impacto
Atletas de baixo ou alto rendimento: vai aprimorar o gesto esportivo e prevenir lesões
Acima do peso: irá auxiliar na redução de gordura corporal
O Pilates pode ser realizado por todas as idades, incluindo mulheres grávidas, idosos, mulheres que
querem engravidar, pessoas saudáveis e pessoas com patologias.

Esse é o “grande barato” do Pilates: independentemente


quem seja o indivíduo ou em que condição ele se encontra,
o Pilates se encaixa para ele.
Qual técnica na fisioterapia promove isso hoje em dia?
Um grande diferencial é que você continua com seu paciente após a reabilitação, pois lembre-se: Pilates
também é para pessoas saudáveis – na manutenção da saúde e qualidade de vida.
Pilates é um método que vai trabalhar uma conexão entre o seu corpo e sua mente. Joseph Pilates
sempre dizia “É estar presente, concentrado e não distraído. É a mente que esculpe o corpo”. E através
disso vai trabalhar a flexibilidade, a força, o corpo, o bem-estar de todos aqueles que praticam o método.
6. Equipamentos do método pilates
O método Pilates utiliza alguns aparelhos para realizar os exercícios. São eles: Cadillac, Ladder Barrel,
Reformer e Step Chair os principais. Em cada aparelho conseguimos realizar exercícios específicos
dentro do tratamento do paciente.

O Cadillac é um dos equipamentos mais versáteis e efetivos que já foram desenvolvidos para o Método
Pilates. Com ele acrescentamos mais de 300 exercícios ao repertório de Pilates.
O Ladder Barrel promove exercícios para desenvolver a força dos músculos abdominais, o alongamento
e a flexibilidade.
O Reformer amplia as possibilidades de exercícios desafiando o corpo em diferentes planos de ação.
São mais de 300 exercícios aqui, em todos os níveis de intensidade e para as mais variadas patologias.
A Step Chair ajuda a reequilibrar os músculos promovendo o trabalho completo do corpo. Facilita
exercícios de alta performance para atletas, praticantes de atividades físicas e também para pacientes
em reabilitação. É utilizada principalmente em exercícios de perna e tronco, sendo versátil também para
o treino de outros grupos musculares.
Existem outros aparelhos, mas são menos utilizados e comuns de encontrarmos.

Eu utilizo e recomendo aparelhos de Pilates da Metalife, pois são de primeira linha. Não conheço muito
bem outras marcas, mas achei muito seguro os equipamentos que eu usei.
7. Mat pilates (Pilates de solo) x Pilates com aparelhos
O que é melhor: Mat Pilates ou Pilates com Aparelhos? Costumo dizer que depende. Depende de qual é
o seu objetivo diante de determinado paciente. Depende do tipo de paciente, de quanto ele tem de força
muscular, flexibilidade e consciência corporal.
De modo geral, o Mat Pilates, também conhecido como Pilates no solo, vai exigir mais do seu corpo e
costuma ser mais difícil, pois ele exige mais consciência corporal, mais flexibilidade, mais força muscular
para a execução dos exercícios, porque você não tem ajuda para vencer a gravidade (diferentemente dos
aparelhos que você tem a mola para te ajudar).
Já no Pilates com Aparelhos, ou Studio Pilates como também é conhecido, o praticante conta com a
ajuda de molas, que têm diferentes resistências e facilitam os movimentos. É o mais indicado para quem
esta começando.
Vale lembrar que as molas não somente ajudam, mas podem resistir o movimento e dificultar (e muito)
cada exercício.
Cada equipamento tem várias molas e diferentes encaixes, o que te dá a possibilidade de uma infinidade
de intensidades e vetores de força.
8. Principais patologias em que o Pilates é um excelente recurso
Durante a faculdade, aparecem para os estagiários muitas patologias como hérnia de disco, lesões
articulares, pós-operatório de LCA, osteoartrose, encurtamentos musculares, várias cirurgias com
próteses, lombalgia, lesões de manguito, cervicalgia, problemas respiratórios, entorses de tornozelo, entre
outras patologias.
Você pode achar exagero, mas te garanto que não: o Pilates é recomendado para todas, inclusive na
gestação e até para crianças que já possuem uma consciência corporal e também para idosos (inclusive
para idosos, na verdade!).
9. Como o Pilates me ajudou no estágio da faculdade?
Em tudo, desde o estágio na neurologia, que me ajudava a dar mais equilíbrio ao paciente até ao estágio
na ortopedia, que eu aplicava nos meus pacientes encurtados e com quadros álgicos.

Quando vamos preencher a ficha de um paciente, pensamos em quais são os objetivos para ele e qual
será a melhor conduta para aquele caso, certo?
Além disso, no estágio durante a faculdade somos muito cobrados quanto a recursos inovadores e que
tratem a patologia do paciente de maneira que ele queira continuar com a fisioterapia para seu
tratamento ter efeito.
O método Pilates entrou em todas as condutas que eu fiz durante o estágio. Seja para um paciente
da pneumo, da UBS, ortopedia ou um paciente de neurologia. Enfim, o Pilates veio me ajudar a estimular
o sistema vestibular do paciente dando mais equilíbrio para ele, ajudou com o ganho de força muscular,
ganho de flexibilidade, analgesia do paciente, ajudou também a ganhar propriocepção, tônus muscular,
reduzir impacto articular, corrigir posturas e melhorar a respiração dos meus pacientes.
10. Como me torno um instrutor de Pilates?
Para se tornar um instrutor de Pilates é necessário procurar uma formação completa do método que
inclui Solo, Bola e Aparelhos. Eu realizei o curso pela Espaço Vida Pilates e recomendo a formação deles.
Deixarei o site aqui que você pode encontrar todas as informações:
11. A patir de qual semestre posso fazer o curso de Pilates?
O recomendável é que você já tenha passado pelas disciplinas de anatomia, biomecânica, fisiologia e
cinesiologia.
Enquanto estiver na faculdade, você só pode dar aulas com a supervisão técnica de um profissional da
sua área já formado.
O curso ajuda muito quem está fazendo ou estará começando a fazer estágio, pois te oferece muitos
recursos para você trabalhar com alunos e pacientes.
12. O que se aprende no curso de Pilates?
No curso de Pilates aprendemos a demonstrar o uso correto de
cada aparelho e acessório, orientar e demonstrar a execução
correta de cada movimento, preparar o aluno (no caso você) para
a prática clínica e suas necessidades, ensina a elaborar suas
sessões, indicação e contra-indicação de exercícios, principais
patologias, casos clínicos.
Ah, também fornece apoio para a montagem de Studio de Pilates,
esclarece dúvidas sobre o método e sua regulamentação, fornece
o conteúdo prático e teórico do método, além de aprimorar seus
conhecimentos e conceitos na área da saúde.
Quando eu fiz o curso eu ganhei 2 livros, um teórico e outro
prático.
13. Começo a aplicar o que aprendi no curso imediatamente?
Costumo dizer a todos que me perguntam isso que, antes de aplicar o que aprendi, eu executo para saber
onde o exercício faz efeito, quais são os benefícios, para o que ele serve e quais as posições que facilitam
ou dificultam o movimento, porque antes de passar para meus pacientes tenho que saber realizar.
Então, sim, pode ser aplicado imediatamente em seus pacientes, mas antes, pratique um pouco
do Pilates. Você pode praticar na sua casa mesmo. No caso da Espaço Vida, onde realizei minha
formação, o próprio curso cedia estágio pós-curso, onde eu pude utilizar os aparelhos de um Studio e
praticar o que havia aprendido.
Sobre a prática: eu comecei a aplicar no primeiro dia pós-curso! Muita gente acha que Pilates só pode
ser praticado dentro de um Studio de Pilates ou Academia. Isso é puro engano. Pilates pode (e deve)
ser praticado em hospitais, clínicas de reabilitação, clubes, centros médicos, academias,
Studios, em domicílio, nas escolas, em hotéis, com pacientes particulares e etc.

Sim, uma das coisas que diferenciou o Pilates de outras técnicas é a versatilidade do Método, que
pode ser aplicado em qualquer indivíduo e em qualquer situação.
Informação importante: os primeiros aparelhos de Pilates foram criados dentro de Hospital. Os
pacientes faziam Pilates acamados. Isso mesmo, pacientes acamados podem fazer Pilates.
14. Conclusão
Espero que esse Guia tenha deixado mais claro para vocês, estudantes, o que é o método Pilates e
como ele pode te ajudar no estágio e também depois de formado.
Como sou uma recém-formada, vou me usar como exemplo: quando entrei na faculdade, já tinha uma
noção de qual área gostaria de seguir, mas, com o passar dos semestres, vi que precisava de algo
para inovar o meu tratamento para os pacientes. Eu senti que precisava agregar conhecimento extra.
Foi aí que surgiu a oportunidade de realizar um curso de Pilates e, através dele, “abrir” o
meu mundo e enxergar quantas possibilidades eu tinha a minha frente.
Quando realizei o curso, estava no quarto semestre da faculdade. Neste mesmo ano, fui convidada
para estagiar, fora do estágio da faculdade, em diversas clínicas e Studios que aplicavam o método
Pilates. Então, comecei a trabalhar e a ser remunerada pelo meu trabalho.
Isso me ajudou muito a adquirir experiência e conhecimento, aprendendo de fato na prática os
recursos do Pilates na fisioterapia.
Quando terminei a faculdade, já estava empregada e continuo trabalhando com o Pilates e sendo muito
bem remunerada pelo meu trabalho. O Pilates está em alta no mercado de trabalho e, com isso, está
sendo grande a procura por profissionais que saibam aplicar o método.

Espero poder ter te ajudado!


SOBRE A VOLL PILATES GROUP
A VOLL Pilates é um grupo de empresas focado na formação, na capacitação e na atualização de
profissionais através de cursos, eventos e workshops pelo Brasil e América Latina.
É formada pelas empresas Espaço Vida Pilates, Pilates Avançado e Suspensus – Pilates em
Suspensão. A Espaço Vida Pilates é a maior escola de formação do Brasil, com quase 15.000 alunos
formados em mais de 70 cidades.
A Pilates Avançado oferece 11 cursos de aperfeiçoamento – a única do segmento no país.
A Suspensus traz o Pilates por um outro ângulo, com o método que aperfeiçoou o Pilates em
Suspensão.
Mais detalhes podem ser obtidos pelo site: www.vollpilates.com.br