Você está na página 1de 9

Introdução

O presente trabalho tem por objectivo apresentar a classificação do clima proposto por
Thornthwaite. No que diz respeito a este grande glimatologista ele procura classificar o
clima no qual o factor mais importante é a evapotranspiração potencial e a sua
comparação com a precipitação que são típicas de uma determinada área. Com base
nesses dados, são calculados vários índices. Entretanto o objectivo do trabalho é de dar
a conhecer conteúdos ligados a classificação de clima segundo Thornthwaite, tendo em
conta que existem varias outras ideias doutros autores que classificam este clima mas
neste trabalho somente falamos especialmente.
Entretanto, tratando se de um trabalho de carácter cientifico esta estruturado em três
principais parte tais como: Introdução, Desenvolvimento e Conclusão. E,
desenvolvimento é o corpo do trabalho onde estão detalhados os tópicos fundamentais
do trabalho.

1
Classificação do clima segundo Thornthwaite

Charles Warren Thornthwaite 7 de Março de 1899 — 11 de Junho de 1963) foi um


professor de climatologia. Seus estudos levaram à criação da classificação do clima de
Thornthwaite onde os factores importantes para a caracterização do clima de uma região
foram ampliados com balanço de águas (precipitação e evaporação) entre as estações do
ano.

Latitude, altitude, circulação de massas de ar, pressão e correntes marítimas, tudo isso é
responsável pela variação climática na Terra. Os principais climas do mundo são
identificados quando uma dessas características prevalece sobre as outras, conferindo
maior relevância naquele ambiente.

Durante todo o ano os climas do mundo apresentam variações, alguns mudam conforme
as estações, enquanto outros apresentam grandes diferenças em um mesmo dia. Existem
dez principais tipos de clima no mundo, que são determinados principalmente pela
inclinação solar, ou seja, o modo como os raios incidem na superfície terrestre.

A classificação do clima de Thornthwaite é um sistema de classificação


climática criado por Charles Warren Thornthwaite, no qual o factor mais importante
é a evapotranspiração potencial e a sua comparação com a precipitação que são típicas
de uma determinada área. Com base nesses dados, são calculados vários índices.

O índice de humidade total (MI) é usado para classificar o clima numa escala de
humidade que vai do seco (MI entre -110 e -66) ao muito húmido (com MI superior a
100). Outro dos índices de Thornthwaite, o índice de eficiência térmica, é usado para
classificar os climas entre mega térmico e gelado. Ambos estes índices dividem os
climas em 9 classes climáticas diferentes.

Classificação do clima de Thornthwaite — criada por Charles Warren Thornthwaite, no


qual o factor mais importante é a evapotranspiração potencial e a sua comparação com a
precipitação.

2
 1.0 Evapotranspiração é a perda de água do solo por evaporação e a perda de
água da planta por transpiração. O nome provém desses dois processos, que são
simultâneos e precisam ser igualmente mensurados.

Para Thornthwaite a relação entre a precipitação e a evaporação depende de água no


solo, a que corresponde uma recarga ou uma utilização por fonte da vegetação, MANSO
(2010, p79).

Com introdução do factor evapotranspiração potencia (EP), que se obtêm através de


uma fórmula complexa, pode se calcular-se o índice de humidade (IH). Radiante a
expressão; IH=100 (S-D) /FR

Em que:

S é o excesso e D – a diferença da água no solo.

Este índice define os principais tipos de climáticos de acordo com os seus diferentes
valores:

 A – clima Per-Húmido;

 B – clima húmido;

 C – clima Sub- húmidos;

 D – clima semi-áridos;

 E – clima áridos.

1.2 A concentração anual dos principais tipos de climas

A concentração anual deste índice expressa através de várias letras:

 r – Húmido durante o ano;

 d – seco durante todo ano;

 s – verão mais seco do que o inverno;

 w – inverno mais seco do que o verão.

A eficiência térmica (ET) consiste na soma dos ETas positivos de cada mês. Este índice
permite subdividir os climas de acordo com os seus diferentes valores:

 A/ - Climas Megatérmicas;

3
 B/ - Climas Mesotérmicas;

 C/ - Climas Microtérmicas

 D/ - Climas de Tundras;

 c/ - Reques Geladas.

A concentração anual deste índice de eficácia térmica é dada pelo cálculo de


percentagem dos três meses mais quentes em relação ao total anual.

Das 120 combinações possíveis em Thornthwaite reteve apenas 32 tipos climáticos,


mas ultrapassou largamente a classificação de Koppen, alcançando assim, um maior
rigor na regionalização climática. Cada tipo climático é, patente, representando por um
conjunto de letras com um significado preciso. Contudo, tem sido feitas duras criticas a
este tipo de classificação.

1.3 Os principais tipos de clima

Numa mesma região climática é possível distinguir climas locais. É o caso de cidade de
Maputo e da vila de Namacha. Ambos possuem um clima tropical, mas Namacha esta
localizada numa zona montanhosa. Dai que se considere que Namacha tem um clima
tropical com altitude.

Também existem os microclimas, ou seja climas particulares de pequenas áreas.

Por exemplo os edifícios altos dificultam a circulação dos ventos e constituem barreiras
para os raios solares a atingirem o asfalto.

Estes factores e outros, como a escasseeis de vegetação e a poluição, alteram o clima


local e dão origem a microclimas.

Os climatologistas tem manifestando grandes dificuldades na elaboração de uma


classificação dos climas e na sua representação mais geral que abrangesse grandes
espaços da superfície terrestre, não se de tendo tempo nos pormenores e nas
particularidades existentes nos vários locais do globo.

O clima Equatorial ocorre em regiões localizadas próximas à linha do Equador. Ele é


predominantemente quente e húmido durante todo o ano, apresentando uma pequena
amplitude térmica anual, sua temperatura média é de 25°C e as chuvas são abundantes
com média acima de 2.000 mm anual.
4
O clima Tropical aparece entre os trópicos de Câncer e Capricórnio. Possui duas
estações bem definidas, inverno seco e verão chuvoso. Podendo ser ainda mais seco
(tropical seco) ou mais chuvoso (tropical húmido) em determinada regiões. É um clima
quente com variações de humidade e temperaturas médias de 20°C e precipitações de
1.000 a 2.000 mm.

Subtropical é um clima de médias latitudes onde começam a se delinear as quatro


estações. É caracterizado por apresentar uma grande amplitude térmica durante o ano,
pode ser quente ou frio, com estações mais definidas, em que o verão chega a médias
entre 20°C e 25°C e o inverno, mais rigoroso, com temperaturas de 0 a 10°C. Possui
precipitações médias de 1.000 mm a 1.500 mm distribuídas ao longo do ano.

Os climas Temperados apresentam as quatro estações bem definidas. No entanto,


existem diferenças entre os locais próximos e afastados do mar. Eles se dividem,
basicamente em: temperado mediterrâneo, temperado continental e temperado oceânico.

O Mediterrâneo se caracteriza por apresentar verões quentes com média de 25°C e


invernos brandos temperaturas entre 0 e 15°C. As chuvas acontecem no inverno e o
verão é quente e seco, com médias variando de 500 mm a 1.000 mm de chuva. Há
diferenças entre os locais próximos e os que estão longe do oceano.

Já o clima Desértico é muito quente durante o dia, com média de 30°C, e noites com
temperaturas frias, pois, a amplitude térmica (diferença entra a temperatura mínima e a
máxima) é bem alta, variando entre 15 e 20°C. As chuvas são raras e podem demorar
anos para acontecer. A humidade do ar é muito baixa, chegando a aproximadamente
15%.

O Semiárido é um clima de transição. Possui chuvas escassas e irregulares com média


de 300 mm ao ano. É quente durante todo o dia, com média de 25°C, e apresenta baixa
humidade do ar. Ocorre tanto nas regiões tropicais como nas zonas temperadas de
invernos frios.

5
O clima Continental Árido está presente em regiões temperadas, como: Ásia Central,
Patagónia e planalto oeste das Montanhas Rochosas (EUA). Apresenta clima seco, cuja
precipitação é muito escassa, abaixo dos 250 milímetros por ano, mas a temperatura
apresenta grande variação no decorrer do ano, pois, no verão a média é de 17°C e no
inverno atinge -20°C.

O Frio de Montanha ou de Altitude possui baixas temperaturas constantes durante


todo o ano, devido às grandes altitudes das montanhas, com médias anuais de 0°C e
números até abaixo de zero, com presença de neve frequente em maiores altitudes. As
precipitações anuais médias são de 1.500 mm.

O clima Polar é frio ao extremo, com temperaturas sempre abaixo de 0°C, e umidade
do ar muito alta, devido à constante presença de neve ao longo do ano, mas a
precipitação é bastante reduzido: cerca de 100 milímetros de neve acumulados ao ano.
Os invernos são extremamente rigorosos e os verões secos. Eles ocorrem em latitudes.

 A taxa de evapotranspiração é normalmente expressa em milímetros (mm) por


unidade de tempo. Essa taxa representa a quantidade de água perdida de um solo
cultivado em unidades de profundidade de água. A unidade de tempo pode ser
hora, dia, mês, década ou até mesmo um ciclo inteiro da cultura.

 Um exemplo de aplicação dessas unidades para um melhor entendimento: Como


um hectare tem uma superfície (área) de 10.000 m² e 1 mm é igual a 0,001 m, a
perda de 1 mm de água corresponde numa perda de 10 m3 de água por hectare.
Ou seja, 1 mm dia−1 é equivalente a 10 m3 ha−1 dia−1.

 Pode-se medir a evapotranspiração através de lisímetros ou estimá-la através de


equações.

 O solo armazena a água que chega através das chuvas. Esta água tem duas
maneiras de retornar à atmosfera. Uma é a evaporação directo do solo, a outra é
através das plantas.

6
 As plantas absorvem água e nutrientes através da raiz. Parte desta água é
utilizada em seus processos metabólicos, como a Fotossíntese, enquanto outra
parte somente percorre o xilema e evapora pela superfície das folhas. Nessas
superfícies existem estruturas microscópicas chamadas Estômatos, que são
formadas por algumas células vegetais: duas células-guarda e duas células
subsidiárias, que formam uma fenda chamado ostíolo. Nessa fenda, ocorrem as
trocas gasosas. É justamente por essa fenda que a água se perde em forma de
vapor. O processo da evapotranspiração é como a nossa transpiração, e podemos
comparar com uma roupa molhada que está secando no varal. Sabemos que se
no dia houver ventos, a roupa seca mais rápido. Isso ocorre também nas plantas.
Se houver mais vento, as plantas perdem água mais rápido. Mas as plantas
também transpiram para regular a sua temperatura, num processo que se
assemelha ao suor dos animais.

7
Conclusão

Para concluirmos, gostaríamos de salientar que para Charles Warren Thornthwaite o


factor mais importante é a evapotranspiração potencial e a sua comparação com a
precipitação. E apartir deste dois fenómenos pode conseguir classificar o clima.
Aprendemos com o trabalho que os climatologista tem manifestando grandes
dificuldades na elaboração de uma classificação dos climas e na sua representação mais
geral que abrangesse grandes espaços da superfície terrestre, não se de tendo tempo nos
pormenores e nas particularidades existentes nos vários locais do globo.

8
Bibliografia

http://www.wikipedia.com/wiki/ A classificação do clima de Thornthwaite acesso em


25/04/2017 as 10:50

MANSO, Francisco Jorge, e SOTARIA, Geraldo Cardoso, Geografia 11ª classe Pré-
universidade, Longman 1ª edição Maputo – Moçambique, 2010.

WILSON, Felisberto, G11 Geografia 11ª classe, texto editores, 1ª edição Maputo
Moçambique, 2010.

SERRANO, Maria, , A terra e a vida - ciências naturais 7º ano, Texto Editora Lisboa,
1993.