Você está na página 1de 54

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

INSTITUTO FEDERAL DO RIO GRANDE


DO SUL
CAMPUS IBIRUBÁ

MÁQUINAS TÉRMICAS II

MOTORES DE COMBUSTÃO INTERNA ALTERNATIVOS

Introdução, nomenclatura e classificações

DANIEL VIEIRA PINTO


INTRODUÇÃO

• Motores alternativos
• São motores de combustão interna (MCI’s) em que o trabalho é
obtido pelo movimento de vaivém de um ou mais êmbolos,
transformado em rotação contínua por um sistema biela-manivela

Movimento circular Movimento retilíneo

04/04/2018 MÁQUINAS TÉRMICAS II 2


NOMENCLATURA

04/04/2018 MÁQUINAS TÉRMICAS II 3


NOMENCLATURA

• Os componentes pertencem a um motor de ciclo Diesel e são:

04/04/2018 MÁQUINAS TÉRMICAS II 4


NOMENCLATURA

• Posição do êmbolo (pistão) e interior do cilindro:


• PMS: Ponto Morto Superior –
é a posição na qual o pistão
está o mais próxima possível
do cabeçote

• PMI: Ponto Morto Inferior –


é a posição na qual o pistão
está o mais afastado possível
do cabeçote
04/04/2018 MÁQUINAS TÉRMICAS II 5
NOMENCLATURA

• S: Curso do pistão – é a distância percorrida pelo pistão quando se desloca entre


PMS e PMI ou vice-versa
• V1: Volume total – é o volume compreendido entre a cabeça do pistão, no PMI, e
o cabeçote
• Vdu: Cilindrada unitária – volume deslocado útil
ou deslocamento volumétrico, é o volume
deslocado pelo pistão de um ponto morto a outro
• z: Número de cilindros do motor
• D: Diâmetro dos cilindros do motor
• Vd: Volume deslocado do motor, deslocamento
volumétrico do motor ou cilindrada total

04/04/2018 MÁQUINAS TÉRMICAS II 6


NOMENCLATURA

• Cilindrada unitária

• Deslocamento volumétrico “cilindrada”

04/04/2018 MÁQUINAS TÉRMICAS II 7


NOMENCLATURA

• rv: relação volumétrica ou taxa de compressão – é a relação entre o


volume total (V1) e o volume morto (V2), e representa em quantas
vezes V1 é reduzido.

04/04/2018 MÁQUINAS TÉRMICAS II 8


NOMENCLATURA

• Exemplos de identificação de motores a partir do volume deslocado


• FORD V8
• 272: motor de 272 pol³
• Galaxie, F-100, F-350 e F-600
• 292: motor de 292 pol³
• Maverick
• GM
• BF 261: motor de 261 pol³
• Linha Chevrolet Brasil
• GM 250: motor de 250 pol³
• Opala, C-20 e A-20
04/04/2018 MÁQUINAS TÉRMICAS II 9
NOMENCLATURA

• Exemplos de identificação de motores a partir do volume deslocado


• VOLVO
• D 10: motor de 10 litros ou 10000 cm³
• caminhões N10 e NL10)
• D 12: motor de 12 litros ou 12000 cm³
• caminhões NL12, FH12 e NH12
• PERKINS
• D 4.236: motor de 4 cilindros com 236 pol³
• Utilitário GM D-20 e trator Massey Fergusson 290
• D 6.358: motor de 6 cilindros com 358 pol³
• Caminhões GM D-60 e Ford F7000
04/04/2018 MÁQUINAS TÉRMICAS II 10
NOMENCLATURA

• Exemplos de identificação de motores a partir do volume deslocado


• SCÂNIA
• DS 11, DN 11: motor de 11 litros ou 11000 cm³
• caminhões 110, 111, 112, 113, 114
• DS 14 (V8) : motor de 14 litros ou 14000 cm³
• caminhões 140, 141, 142, 143

04/04/2018 MÁQUINAS TÉRMICAS II 11


NOMENCLATURA

• Nomenclatura cinemática
• V.E.: válvula de escapamento
• V.A.: válvula de admissão
• r: raio da manivela
• n: frequência da árvore de manivelas
• ω: velocidade angular da árvore de manivelas
• Vp: velocidade média do pistão
• L: comprimento da biela.
• x: distância para o pistão atingir o PMS.
• α = ângulo formado entre a manivela e um eixo vertical de referência

04/04/2018 MÁQUINAS TÉRMICAS II 12


NOMENCLATURA

• α = 0°, quando o pistão está no PMS


• α = 180°, quando o pistão está no PMI.

04/04/2018 MÁQUINAS TÉRMICAS II 13


CLASSIFICAÇÕES

• Tipo de ignição
• MIF – Motores de ignição por faísca
(por centelha – Otto)
• MIE – Motores de ignição espontânea
(por compressão – Diesel)

04/04/2018 MÁQUINAS TÉRMICAS II 14


CLASSIFICAÇÕES

• MIF – Motores de ignição por faísca (por centelha – Otto)


• A mistura combustível-ar é admitida,
previamente dosada ou formada no
interior dos cilindros (no caso de
injeção direta - GDI gasoline direct
injection )
• Inflama-se por uma faísca (centelha
que ocorre entre os eletrodos de um
ignitor (vela)

04/04/2018 MÁQUINAS TÉRMICAS II 15


CLASSIFICAÇÕES

• MIE – Motores de ignição espontânea (por compressão – Diesel)


• O pistão comprime somente ar, até que o mesmo atinja uma
temperatura suficientemente elevada
• Pouco antes do PMS, injeta-se o combustível que reage
espontaneamente com o oxigênio presente no ar quente, sem a
necessidade de uma faísca.

• A temperatura do ar na
compressão deve ser maior do
que a temperatura de autoignição
do combustível (TAI)
04/04/2018 MÁQUINAS TÉRMICAS II 16
CLASSIFICAÇÕES

• Temperatura de autoignição

• Relação de compressão

• Com avanços na eletrônica presente nos motores vem


ocorrendo alterações significativas dos valores de relação de
compressão (taxa de compressão)
04/04/2018 MÁQUINAS TÉRMICAS II 17
CLASSIFICAÇÕES

• Número de tempos do ciclo


• Quatro tempos (4T)
• Dois tempos (2T)

04/04/2018 MÁQUINAS TÉRMICAS II 18


CLASSIFICAÇÕES

• Quatro tempos (4T)


• O pistão percorre quatro cursos correspondendo a duas voltas

04/04/2018 MÁQUINAS TÉRMICAS II 19


CLASSIFICAÇÕES

• Quatro tempos (4T)


• Admissão
• Do PMS ao PMI com a válvula de admissão (V.A.) aberta
• Fluxo de ar ou mistura combustível-ar para dentro do
cilindro
• Compressão
• Do PMI ao PMS com as válvulas fechadas
• Compressão do ar ou da mistura comustível-ar
• Para MIE’s a compressão deve ser suficientemente elevada
para que a temperatura ultrapasse a TAI do combustível
04/04/2018 MÁQUINAS TÉRMICAS II 20
CLASSIFICAÇÕES

• Quatro tempos (4T)


• Expansão (combustão + expansão)
• Nas proximidade do PMS
• MIF’s uma centelha, emitida pela vela, ocorre iniciando
a combustão da mistura
• MIEs’s ocorre a injeção de combustível vaporizado no
ar quente, iniciando-se a combustão
• Ocorre um grande aumento de pressão que “empurra o
pistão do PMS ao PMI, realizando trabalho útil

04/04/2018 MÁQUINAS TÉRMICAS II 21


CLASSIFICAÇÕES

• Quatro tempos (4T)


• Escape (exaustão)
• Com a válvula de escape aberta, o pistão desloca-se do
PMI ao PMS, expulsando os gases queimados do cilindro,
para reiniciar o ciclo pelo tempo de admissão

04/04/2018 MÁQUINAS TÉRMICAS II 22


CLASSIFICAÇÕES

• Quatro tempos (4T)


• Exemplo para um motor de 4 cilindros

04/04/2018 MÁQUINAS TÉRMICAS II 23


CLASSIFICAÇÕES

• Dois tempos (2T)


• O ciclo completa-se em apenas dois cursos do pistão

04/04/2018 MÁQUINAS TÉRMICAS II 24


CLASSIFICAÇÕES

• Dois tempos (2T)


• 1º Tempo
• Supondo que o pistão esteja no PMS e a mistura comprimida
• A combustão inicia-se e o pistão é impelido para o PMI
• Durante este deslocamento o pistão comprime o conteúdo do
cárter (parte inferior)
• Quando o pistão descobre a janela de escape (B), os gases
queimados escapam naturalmente para o ambiente.
• Quando o pistão descobre a janela de admissão (C) o cilindro é
preenchido pelo conteúdo que estava no cárter
04/04/2018 MÁQUINAS TÉRMICAS II 25
CLASSIFICAÇÕES

• Dois tempos (2T)


• 2º Tempo
• O pistão desloca-se do PMI ao PMS
• Neste deslocamento, fecha a janela de admissão (C), fecha a
janela de escapamento (B) e abre a passagem (A)
• Em virtude da sucção o cárter é preenchido com mistura nova
• Ao mesmo tempo, a parte superior do pistão comprime a mistura
anteriormente admitida
• Ao se aproximar do PMS, salta a faísca, e a pressão gerada pela
combustão impele o pistão para o PMI reiniciando o ciclo
04/04/2018 MÁQUINAS TÉRMICAS II 26
CLASSIFICAÇÕES

• Dois tempos (2T)

04/04/2018 MÁQUINAS TÉRMICAS II 27


CLASSIFICAÇÕES

• Diferenças fundamentais entre motores de ciclo Otto e ciclo Diesel


• Características mecânicas
• Maior robustez no motor diesel decorrente da necessidade de
taxa de compressão mais elevada
• Introdução do combustível
• Motores Otto geralmente é admitida a mistura combustível-ar
• Com exceção dos motores de ignição por centelha de
injeção direta (GDI)
• Motores Diesel MIE é admitido apenas ar e o combustível é
injetado, a alta pressão, no ar a alta temperatura
04/04/2018 MÁQUINAS TÉRMICAS II 28
CLASSIFICAÇÕES

• Diferenças fundamentais entre motores de ciclo Otto e ciclo Diesel


• Ignição
• MIF – provocada por centelha, necessitando de um sistema
elétrico para produzi-la
• MIE – ocorre por autoignição, pelo contato do combustível com
o ar quente – TAI
• Taxa de compressão
• MIF – será relativamente baixa para não provocar autoignição, já
que, a ignição será iniciada pela centelha no momento adequado
• MIE – deve ser suficientemente elevada, para ultrapassar a TAI
04/04/2018 MÁQUINAS TÉRMICAS II 29
OUTRAS CLASSIFICAÇÕES

• Quanto ao sistema de alimentação de combustível


• MIF
• Carburador
• Sistema de injeção eletrônica
• Injeção no coletor de admissão
• Injeção direta (no cilindro)

04/04/2018 MÁQUINAS TÉRMICAS II 30


OUTRAS CLASSIFICAÇÕES

• Quanto ao sistema de alimentação de combustível


• Carburador

• Ainda utilizado em
aplicações de baixa
potência
• Alto índice de
emissão de
poluentes

04/04/2018 MÁQUINAS TÉRMICAS II 31


OUTRAS CLASSIFICAÇÕES

• Quanto ao sistema de alimentação de combustível


• Injeção eletrônica
• No coletor de admissão (Port Fuel Injection – PFI)
• Injeção direta (Gasoline Direct Injection – GDI)

04/04/2018 MÁQUINAS TÉRMICAS II 32


OUTRAS CLASSIFICAÇÕES

• Quanto ao sistema de alimentação de combustível


• MIE
• Injeção mecânica
• Direta
• Pré-câmara
• Sistema de injeção eletrônica
• Injeção tipo bomba-bico
• Common rail

04/04/2018 MÁQUINAS TÉRMICAS II 33


OUTRAS CLASSIFICAÇÕES

• Quanto ao sistema de alimentação de combustível


• MIE injeção mecânica de combustível

04/04/2018 MÁQUINAS TÉRMICAS II 34


OUTRAS CLASSIFICAÇÕES

• Quanto ao sistema de alimentação de combustível


• MIE unidade injetora tipo bomba-bico

04/04/2018 MÁQUINAS TÉRMICAS II 35


OUTRAS CLASSIFICAÇÕES

• Quanto ao sistema de alimentação de combustível


• MIE sistema Common-rail

04/04/2018 MÁQUINAS TÉRMICAS II 36


OUTRAS CLASSIFICAÇÕES
• Quanto à disposição dos órgãos internos
Em V
Opostos (boxer)

Em Linha

Opostos (boxer)
Radial

Motores aeronáuticos
04/04/2018 MÁQUINAS TÉRMICAS II 37
OUTRAS CLASSIFICAÇÕES
• Quanto à disposição dos órgãos internos

Em V
Em Linha
04/04/2018 MÁQUINAS TÉRMICAS II 38
OUTRAS CLASSIFICAÇÕES
• Quanto ao sistema de arrefecimento
• Aquecimento em MCI’s
• Atrito
• Fluxo de gases quentes
• Trabalho de compressão
• Necessidade de arrefecimento que pode ser:
• Arrefecimento a ar
• Arrefecimento a água (arrefecimento líquido)

04/04/2018 MÁQUINAS TÉRMICAS II 39


OUTRAS CLASSIFICAÇÕES
• Quanto ao sistema de arrefecimento
• Arrefecimento a água • Menor ruído do motor
• Temperatura mais baixa • Mais complexo
• Mais eficiente

04/04/2018 MÁQUINAS TÉRMICAS II 40


OUTRAS CLASSIFICAÇÕES
• Quanto ao sistema de arrefecimento

• Arrefecimento a ar
• Mais simples
• Menos eficiente
• Temperaturas mais altas e
não homogêneas

04/04/2018 MÁQUINAS TÉRMICAS II 41


OUTRAS CLASSIFICAÇÕES

• Quanto às válvulas
• A abertura e o fechamento das válvulas são usualmente realizados
pelo eixo comando de válvulas
• Podem ser:
• Tucho, haste e balancins
• Comando girando diretamente sobre as válvulas

04/04/2018 MÁQUINAS TÉRMICAS II 42


OUTRAS CLASSIFICAÇÕES

• Quanto às válvulas
• Tucho, haste e balancins
• Sistema complexo
• Permite folgas em
diversas articulações

04/04/2018 MÁQUINAS TÉRMICAS II 43


OUTRAS CLASSIFICAÇÕES

• Quanto às válvulas
• Comando girando diretamente sobre as válvulas
• Comando único
• Duplo comando
• Também podem haver
duas, três, quatro ou
cinco válvulas por
cilindro

04/04/2018 MÁQUINAS TÉRMICAS II 44


OUTRAS CLASSIFICAÇÕES

• Quanto à alimentação de ar
• O desempenho de um MCI está relacionado não só ao seu volume
interno, mas também ao nível de preenchimento deste volume com
ar
• Quanto mais ar for admitido, mais combustível poderá ser
adicionado para a combustão
• O fluxo de ar para o interior do cilindro se dá por diferença de
pressão
• Motores naturalmente aspirados
• Motores sobrealimentados
04/04/2018 MÁQUINAS TÉRMICAS II 45
OUTRAS CLASSIFICAÇÕES

• Quanto à alimentação de ar
• Motores naturalmente aspirados
• A diferença de pressão ocorre pelo aumento do volume interno
do cilindro durante o deslocamento do pistão (PMS para PMI)
com a válvula de admissão aberta
• Não á dispositivos que elevem a pressão acima da pressão
atmosférica
• A diferença de pressão será no máximo a pressão
atmosférica

04/04/2018 MÁQUINAS TÉRMICAS II 46


OUTRAS CLASSIFICAÇÕES

• Quanto à alimentação de ar
• Motores sobrealimentados
• Motores dotados de dispositivos que elevam a pressão de
enchimento dos cilindros acima da pressão atmosférica
• Turbocompressor
• Compressor mecânico

04/04/2018 MÁQUINAS TÉRMICAS II 47


OUTRAS CLASSIFICAÇÕES

• Quanto à alimentação de ar
• Turbocompressor
• Compressor acionado por
uma turbina que reaproveita
energia contida nos gases
de escapamento

04/04/2018 MÁQUINAS TÉRMICAS II 48


OUTRAS CLASSIFICAÇÕES

• Quanto à alimentação de ar
• Compressor mecânico
• Acionamento por conexão com o virabrequim

04/04/2018 MÁQUINAS TÉRMICAS II 49


OUTRAS CLASSIFICAÇÕES

• Quanto à alimentação de ar
• Compressão do ar implica em aumento da temperatura
• Redução da massa
específica do ar
• A fim de se minimizar esse
efeito de redução de
densidade, foram
concebidos resfriadores que
reduzem a temperatura após
a saída do compressor
04/04/2018 MÁQUINAS TÉRMICAS II 50
OUTRAS CLASSIFICAÇÕES

• Quanto à relação entre diâmetro e curso do pistão


• Motor quadrado: diâmetro do pistão igual ao curso (D=s)
• Motor subquadrado: diâmetro do pistão é menor que o curso (D<s)
• Geralmente estes motores apresentam bom torque e potência
em baixas rotações
• Motor superquadrado: diâmetro do pistão é maior que o curso
(D>s)
• Geralmente estes motores são utilizados em veículos
esportivos e apresentam bom torque e potência em altas
rotações
04/04/2018 MÁQUINAS TÉRMICAS II 51
OUTRAS CLASSIFICAÇÕES

• Quanto à relação entre diâmetro e curso do pistão

04/04/2018 MÁQUINAS TÉRMICAS II 52


ATIVIDADE

1) Um motor alternativo tem 4 cilindros de diametro 8,2 cm e curso 7,8


cm e uma taxa de compressão 8,5. Pede-se:
a) A cilindrada ou deslocamento volumétrico do motor em cm3;
b) O volume total de um cilindro;
c) O volume da câmara de compressão (V2).
Respostas: a) 1.648 cm3; b) 467 cm3; c) 55 cm3.

2) Um motor de 6 cilindros tem uma cilindrada de 5,2 L. O diâmetro dos


cilindros e 10,2 cm e o volume morto e 54,2 cm3. Pede-se:
a) O curso;
b) A taxa de compressão;
c) O volume total de um cilindro.
Respostas: a) 10,6 cm; b) 17:1; c) 920,8 cm3.

04/04/2018 MÁQUINAS TÉRMICAS II 53


REFERÊNCIAS
BRUNETTI, Franco. Motores de combustão interna: V. 1. 1. ed. São Paulo, SP:
Edgard Blücher, 2012. 553 p.

GOOGLE SITES. Mecanismos de transformación del movimiento: de circular a


rectilíneo alternativo, 2018. Disponivel em:
<https://sites.google.com/site/zmtecnojrjoperadoresmecanicos/>. Acesso em: 2 Abril
2018.

54