Você está na página 1de 164

Polícia Militar de Pernambuco – PM/PE

Soldado PM

Língua Portuguesa
Leitura e Interpretação de textos. .......................................................................................................... 1
Aspectos semânticos do vocabulário da língua (noções de polissemia, sinonímia e antonímia)..................... 3
Relações coesivas e semânticas (de causalidade, temporalidade, finalidade, condicionalidade, finalidade,
comparação, oposição, adição, conclusão, explicação, etc.) entre orações, períodos ou parágrafos, indicados
pelos vários tipos de expressões conectivas ou sequenciadores (conjunções, preposições, advérbios,
etc.) ......................................................................................................................................................................................... 4
Expressão escrita: divisão silábica, ortografia e acentuação (v. Reforma Ortográfica vigente). .................... 11
Traços semânticos de radicais, prefixos e sufixos. .................................................................................................... 19
Pronomes de tratamento................................................................................................................................................. 22
Normas da flexão dos verbos regulares e irregulares. ............................................................................................. 28
Formação de Palavras: Derivação, Composição, Hibridismo, etc. ......................................................................... 32
Efeitos de sentido decorrentes do emprego expressivo dos sinais de Pontuação. ............................................ 32
Padrões de concordância verbal e nominal. ............................................................................................................... 35
Padrões de regência verbal e nominal. ........................................................................................................................ 40
Emprego do sinal indicador de crase. .......................................................................................................................... 45
Questões notacionais da língua: Por que, por quê, porque ou porquê; Mal ou mau; Mais ou mas; Meio ou
meia; Onde ou aonde; Estar ou está. ............................................................................................................................. 49
Figuras de linguagem. ...................................................................................................................................................... 49

Matemática
Funções.................................................................................................................................................................................. 1
Progressão Aritmética...................................................................................................................................................... 10
Progressão Geométrica. ................................................................................................................................................... 10
Juros simples e compostos .............................................................................................................................................. 13
Análise combinatória ....................................................................................................................................................... 17
Probabilidade ..................................................................................................................................................................... 20

Geografia
Formação territorial de Pernambuco. 1.1 Processos de formação.......................................................................... 1
1.2 Mesorregiões. ................................................................................................................................................................ 1
1.3 Microrregiões. ............................................................................................................................................................... 3
1.4 Regiões de Desenvolvimento – RD. .......................................................................................................................... 5
2. Aspectos físicos. 2.1 Clima. ........................................................................................................................................... 7
2.2 Vegetação. ...................................................................................................................................................................... 7
2.3 Relevo. ............................................................................................................................................................................. 7
2.4 Hidrografia. .................................................................................................................................................................... 8
3. Aspectos Humanos e indicadores sociais. 3.1 População. ..................................................................................... 8
3.2 Economia. ....................................................................................................................................................................... 8
3.3 O espaço rural de Pernambuco. .............................................................................................................................. 10

Apostila Digital Licenciada para Renê da Silva Pereira - aspirantepm2009@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
3.4 Urbanização em Pernambuco. ................................................................................................................................. 11
3.5 Movimentos culturais em Pernambuco................................................................................................................. 12
4. A questão Ambiental em Pernambuco. ................................................................................................................... 12

História
Ocupação pré-colonial do atual Estado de Pernambuco: Ocupação Pré-Histórica de Pernambuco; .............. 1
Características socioculturais das populações indígenas que habitavam o território do atual estado de
Pernambuco, antes dos primeiros contatos euro-americanos. ................................................................................ 2
A Capitânia de Pernambuco: a “Guerra dos Bárbaros”; a lavoura açucareira e mão de obra escrava; a Guerra
dos Mascates; as instituições eclesiásticas e a sociedade colonial; Insurreição Pernambucana. ..................... 3
A Província de Pernambuco no I e II Reinado: Pernambuco no contexto da Independência do Brasil;
Movimentos Liberais: Confederação do Equador e Revolução Praieira; O tráfico transatlântico de escravos
para terras pernambucanas; Cotidiano e formas de resistência escrava em Pernambuco; Crise da Lavoura
canavieira; A participação dos políticos pernambucanos no processo de emancipação/abolição da
escravatura.. ......................................................................................................................................................................... 7
Pernambuco Republicano: Voto de Cabresto e Política dos governadores; Pernambuco sob a interventoria
de Agamenon Magalhães; ................................................................................................................................................ 11
Movimentos sociais e repressão durante a Ditadura Civil-Militar (1964-1985) em Pernambuco; .............. 17
Herança afro-descente em Pernambuco; .................................................................................................................... 20
Processo político em Pernambuco (2001-2015). ...................................................................................................... 23

Conhecimentos de Direitos e Garantias Fundamentais


Dos direitos e deveres individuais e coletivos; ............................................................................................................ 1
Dos Direitos Sociais; ......................................................................................................................................................... 20
Da Nacionalidade; ............................................................................................................................................................. 28
Dos Direitos políticos; ...................................................................................................................................................... 31
Dos Partidos Políticos ...................................................................................................................................................... 35

Apostila Digital Licenciada para Renê da Silva Pereira - aspirantepm2009@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
A apostila OPÇÃO não está vinculada a empresa organizadora do concurso público a que se destina,
assim como sua aquisição não garante a inscrição do candidato ou mesmo o seu ingresso na carreira
pública.

O conteúdo dessa apostila almeja abordar os tópicos do edital de forma prática e esquematizada,
porém, isso não impede que se utilize o manuseio de livros, sites, jornais, revistas, entre outros meios
que ampliem os conhecimentos do candidato, visando sua melhor preparação.

Atualizações legislativas, que não tenham sido colocadas à disposição até a data da elaboração da
apostila, poderão ser encontradas gratuitamente no site das apostilas opção, ou nos sites
governamentais.

Informamos que não são de nossa responsabilidade as alterações e retificações nos editais dos
concursos, assim como a distribuição gratuita do material retificado, na versão impressa, tendo em vista
que nossas apostilas são elaboradas de acordo com o edital inicial. Porém, quando isso ocorrer, inserimos
em nosso site, www.apostilasopcao.com.br, no link “erratas”, a matéria retificada, e disponibilizamos
gratuitamente o conteúdo na versão digital para nossos clientes.

Caso haja dúvidas quanto ao conteúdo desta apostila, o adquirente deve acessar o site
www.apostilasopcao.com.br, e enviar sua dúvida, que será respondida o mais breve possível, assim como
para consultar alterações legislativas e possíveis erratas.

Também ficam à disposição do adquirente o telefone (11) 2856-6066, dentro do horário comercial,
para eventuais consultas.

Eventuais reclamações deverão ser encaminhadas por escrito, respeitando os prazos instituídos no
Código de Defesa do Consumidor.

É proibida a reprodução total ou parcial desta apostila, de acordo com o Artigo 184 do Código
Penal.

Apostilas Opção, a opção certa para a sua realização.

Apostila Digital Licenciada para Renê da Silva Pereira - aspirantepm2009@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
Apostila Digital Licenciada para Renê da Silva Pereira - aspirantepm2009@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
05) Voltar ao texto tantas quantas vezes precisar;
06) Não permitir que prevaleçam suas ideias sobre as do
autor;
07) Fragmentar o texto (parágrafos, partes) para melhor
compreensão;
08) Verificar, com atenção e cuidado, o enunciado de cada
questão;
09) O autor defende ideias e você deve percebê-las;

Leitura e Interpretação de textos Fonte: http://portuguesemfoco.com/09-dicas-para-melhorar-a-


interpretacao-de-textos-em-provas/

Não saber interpretar corretamente um texto pode gerar


inúmeros problemas, afetando não só o desenvolvimento
A leitura é o meio mais importante para chegarmos ao profissional, mas também o desenvolvimento pessoal. O mundo
conhecimento, portanto, precisamos aprender a ler e não moderno cobra de nós inúmeras competências, uma delas é a
apenas “passar os olhos sobre algum texto”. Ler, na verdade, proficiência na língua, e isso não se refere apenas a uma boa
é dar sentido à vida e ao mundo, é dominar a riqueza de comunicação verbal, mas também à capacidade de entender
qualquer texto, seja literário, informativo, persuasivo, narrativo, aquilo que está sendo lido. O analfabetismo funcional está
possibilidades que se misturam e as tornam infinitas. É preciso, relacionado com a dificuldade de decifrar as entrelinhas do
para uma boa leitura, exercitar-se na arte de pensar, de captar código, pois a leitura mecânica é bem diferente da leitura
ideias, de investigar as palavras… Para isso, devemos entender, interpretativa, aquela que fazemos ao estabelecer analogias e
primeiro, algumas definições importantes: criar inferências. Para que você não sofra mais com a análise de
textos, elaboramos algumas dicas para você seguir e tirar suas
Texto dúvidas.

O texto (do latim textum: tecido) é uma unidade básica de Uma interpretação de texto competente depende de
organização e transmissão de ideias, conceitos e informações de inúmeros fatores, mas nem por isso deixaremos de contemplar
modo geral. Em sentido amplo, uma escultura, um quadro, um alguns que se fazem essenciais para esse exercício. Muitas vezes,
símbolo, um sinal de trânsito, uma foto, um filme, uma novela de apressados, descuidamo-nos das minúcias presentes em um
televisão também são formas textuais. texto, achamos que apenas uma leitura já se faz suficiente, o que
não é verdade. Interpretar demanda paciência e, por isso, sempre
Interlocutor releia, pois uma segunda leitura pode apresentar aspectos
surpreendentes que não foram observados anteriormente.
É a pessoa a quem o texto se dirige. Para auxiliar na busca de sentidos do texto, você pode também
retirar dele os tópicos frasais presentes em cada parágrafo,
Texto-modelo isso certamente auxiliará na apreensão do conteúdo exposto.
Lembre-se de que os parágrafos não estão organizados, pelo
“Não é preciso muito para sentir ciúme. Bastam três – você, menos em um bom texto, de maneira aleatória, se estão no lugar
uma pessoa amada e uma intrusa. Por isso todo mundo sente. que estão, é porque ali se fazem necessários, estabelecendo
Se sua amiga disser que não, está mentindo ou se enganando. uma relação hierárquica do pensamento defendido, retomando
Quem agüenta ver o namorado conversando todo animado com ideias supracitadas ou apresentando novos conceitos.
outra menina sem sentir uma pontinha de não-sei-o-quê? (…)
É normal você querer o máximo de atenção do seu namorado, Para finalizar, concentre-se nas ideias que de fato foram
das suas amigas, dos seus pais. Eles são a parte mais importante explicitadas pelo autor: os textos argumentativos não costumam
da sua vida.” conceder espaço para divagações ou hipóteses, supostamente
contidas nas entrelinhas. Devemos nos ater às ideias do autor,
(Revista Capricho) isso não quer dizer que você precise ficar preso na superfície
do texto, mas é fundamental que não criemos, à revelia do
Modelo de Perguntas autor, suposições vagas e inespecíficas. Quem lê com cuidado
certamente incorre menos no risco de tornar-se um analfabeto
1) Considerando o texto-modelo, é possível identificar quem funcional e ler com atenção é um exercício que deve ser
é o seu interlocutor preferencial? praticado à exaustão, assim como uma técnica, que fará de nós
leitores proficientes e sagazes. Agora que você já conhece nossas
Um leitor jovem. dicas, desejamos a você uma boa leitura e bons estudos!

2) Quais são as informações (explícitas ou não) que permitem Fonte: http://portugues.uol.com.br/redacao/dicas-para-uma-boa-


a você identificar o interlocutor preferencial do texto? interpretacao-texto.html

Do contexto podemos extrair indícios do interlocutor Questões


preferencial do texto: uma jovem adolescente, que pode ser
acometida pelo ciúme. Observa-se ainda , que a revista Capricho ( Agente Estadual de Trânsito – DETRAN - SP – Vunesp)
tem como público-alvo preferencial: meninas adolescentes. O uso da bicicleta no Brasil
A linguagem informal típica dos adolescentes. A utilização da bicicleta como meio de locomoção no Brasil
ainda conta com poucos adeptos, em comparação com países
09 DICAS PARA MELHORAR A INTERPRETAÇÃO DE TEXTOS como Holanda e Inglaterra, por exemplo, nos quais a bicicleta
é um dos principais veículos nas ruas. Apesar disso, cada vez
01) Ler todo o texto, procurando ter uma visão geral do mais pessoas começam a acreditar que a bicicleta é, numa
assunto; comparação entre todos os meios de transporte, um dos que
02) Se encontrar palavras desconhecidas, não interrompa a oferecem mais vantagens.
leitura; A bicicleta já pode ser comparada a carros, motocicletas
03) Ler, ler bem, ler profundamente, ou seja, ler o texto pelo e a outros veículos que, por lei, devem andar na via e jamais
menos duas vezes; na calçada. Bicicletas, triciclos e outras variações são todos
04) Inferir; considerados veículos, com direito de circulação pelas ruas e
prioridade sobre os automotores.

Língua Portuguesa 1
Apostila Digital Licenciada para Renê da Silva Pereira - aspirantepm2009@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
Alguns dos motivos pelos quais as pessoas aderem à bicicleta Afogado no Trânsito
no dia a dia são: a valorização da sustentabilidade, pois as bikes
não emitem gases nocivos ao ambiente, não consomem petróleo
e produzem muito menos sucata de metais, plásticos e borracha;
a diminuição dos congestionamentos por excesso de veículos
motorizados, que atingem principalmente as grandes cidades; o
favorecimento da saúde, pois pedalar é um exercício físico muito
bom; e a economia no combustível, na manutenção, no seguro e,
claro, nos impostos.
No Brasil, está sendo implantado o sistema de
compartilhamento de bicicletas. Em Porto Alegre, por exemplo,
o BikePOA é um projeto de sustentabilidade da Prefeitura, em
parceria com o sistema de Bicicletas SAMBA, com quase um
ano de operação. Depois de Rio de Janeiro, São Paulo, Santos,
Sorocaba e outras cidades espalhadas pelo país aderirem a
esse sistema, mais duas capitais já estão com o projeto pronto
em 2013: Recife e Goiânia. A ideia do compartilhamento é (http://iiiconcursodecartumuniversitario.blogspot.com.br)
semelhante em todas as cidades. Em Porto Alegre, os usuários
devem fazer um cadastro pelo site. O valor do passe mensal é Considerando a relação entre o título e a imagem, é correto
R$ 10 e o do passe diário, R$ 5, podendo-se utilizar o sistema concluir que um dos temas diretamente explorados no cartum é
durante todo o dia, das 6h às 22h, nas duas modalidades. Em (A) o aumento da circulação de ciclistas nas vias públicas.
todas as cidades que já aderiram ao projeto, as bicicletas estão (B) a má qualidade da pavimentação em algumas ruas.
espalhadas em pontos estratégicos. (C) a arbitrariedade na definição dos valores das multas.
A cultura do uso da bicicleta como meio de locomoção (D) o número excessivo de automóveis nas ruas.
não está consolidada em nossa sociedade. Muitos ainda não (E) o uso de novas tecnologias no transporte público.
sabem que a bicicleta já é considerada um meio de transporte,
ou desconhecem as leis que abrangem a bike. Na confusão de 04. Considere o cartum de Douglas Vieira.
um trânsito caótico numa cidade grande, carros, motocicletas,
ônibus e, agora, bicicletas, misturam-se, causando, muitas vezes, Televisão
discussões e acidentes que poderiam ser evitados.
Ainda são comuns os acidentes que atingem ciclistas. A
verdade é que, quando expostos nas vias públicas, eles estão
totalmente vulneráveis em cima de suas bicicletas. Por isso
é tão importante usar capacete e outros itens de segurança. A
maior parte dos motoristas de carros, ônibus, motocicletas e
caminhões desconhece as leis que abrangem os direitos dos
ciclistas. Mas muitos ciclistas também ignoram seus direitos
e deveres. Alguém que resolve integrar a bike ao seu estilo de
vida e usá-la como meio de locomoção precisa compreender
que deverá gastar com alguns apetrechos necessários para
poder trafegar. De acordo com o Código de Trânsito Brasileiro,
as bicicletas devem, obrigatoriamente, ser equipadas com (http://iiiconcursodecartumuniversitario.blogspot.com.br.
campainha, sinalização noturna dianteira, traseira, lateral e nos Adaptado)
pedais, além de espelho retrovisor do lado esquerdo.
É correto concluir que, de acordo com o cartum,
(Bárbara Moreira, http://www.eusoufamecos.net. Adaptado)
(A) os tipos de entretenimento disponibilizados pelo livro ou
pela TV são equivalentes.
01. De acordo com o texto, o uso da bicicleta como meio de (B) o livro, em comparação com a TV, leva a uma imaginação
locomoção nas metrópoles brasileiras mais ativa.
(A) decresce em comparação com Holanda e Inglaterra (C) o indivíduo que prefere ler a assistir televisão é alguém
devido à falta de regulamentação. que não sabe se distrair.
(B) vem se intensificando paulatinamente e tem sido (D) a leitura de um bom livro é tão instrutiva quanto assistir
incentivado em várias cidades. a um programa de televisão.
(C) tornou-se, rapidamente, um hábito cultivado pela (E) a televisão e o livro estimulam a imaginação de modo
maioria dos moradores. idêntico, embora ler seja mais prazeroso.
(D) é uma alternativa dispendiosa em comparação com os
demais meios de transporte. (Oficial Estadual de Trânsito - DETRAN-SP - Vunesp) Leia
(E) tem sido rejeitado por consistir em uma atividade o texto para responder às questões:
arriscada e pouco salutar.
Propensão à ira de trânsito
02. A partir da leitura, é correto concluir que um dos
objetivos centrais do texto é Dirigir um carro é estressante, além de inerentemente
(A) informar o leitor sobre alguns direitos e deveres do perigoso. Mesmo que o indivíduo seja o motorista mais seguro
ciclista. do mundo, existem muitas variáveis de risco no trânsito, como
(B) convencer o leitor de que circular em uma bicicleta é clima, acidentes de trânsito e obras nas ruas.
mais seguro do que dirigir um carro. E com relação a todas as outras pessoas nas ruas? Algumas
(C) mostrar que não há legislação acerca do uso da bicicleta não são apenas maus motoristas, sem condições de dirigir, mas
no Brasil. também se engajam num comportamento de risco – algumas até
(D) explicar de que maneira o uso da bicicleta como meio de agem especificamente para irritar o outro motorista ou impedir
locomoção se consolidou no Brasil. que este chegue onde precisa.
(E) defender que, quando circular na calçada, o ciclista deve Essa é a evolução de pensamento que alguém poderá
dar prioridade ao pedestre. ter antes de passar para a ira de trânsito de fato, levando um
motorista a tomar decisões irracionais.
03. (Agente Estadual de Trânsito – DETRAN - SP –
Vunesp) Considere o cartum de Evandro Alves.

Língua Portuguesa 2
Apostila Digital Licenciada para Renê da Silva Pereira - aspirantepm2009@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
Dirigir pode ser uma experiência arriscada e emocionante. (E) o comportamento dos pais ao dirigirem com ira contradiz
Para muitos de nós, os carros são a extensão de nossa o aprendizado das crianças em relação às regras de civilidade.
personalidade e podem ser o bem mais valioso que possuímos.
Dirigir pode ser a expressão de liberdade para alguns, mas Respostas
também é uma atividade que tende a aumentar os níveis de Aspectos semânticos do
estresse, mesmo que não tenhamos consciência disso no 1. (B)vocabulário
/ 2. (A) / 3. (D)da
/ 4.língua
(B) / 5.(noções
(D) / 6. (B) / 7. (E)
momento. de polissemia, sinonímia e
Dirigir é também uma atividade comunitária. Uma vez que antonímia)
entra no trânsito, você se junta a uma comunidade de outros
motoristas, todos com seus objetivos, medos e habilidades ao Na língua portuguesa, uma PALAVRA (do latim parabola, que
volante. Os psicólogos Leon James e Diane Nahl dizem que um por sua vez deriva do grego parabolé) pode ser definida como
dos fatores da ira de trânsito é a tendência de nos concentrarmos sendo um conjunto de letras ou sons de uma língua, juntamente
em nós mesmos, descartando o aspecto comunitário do ato de com a ideia associada a este conjunto.
dirigir.
Como perito do Congresso em Psicologia do Trânsito, o Sinônimos: são palavras de sentido igual ou aproximado.
Dr. James acredita que a causa principal da ira de trânsito não Exemplo:
são os congestionamentos ou mais motoristas nas ruas, e sim - Alfabeto, abecedário.
como nossa cultura visualiza a direção agressiva. As crianças - Brado, grito, clamor.
aprendem que as regras normais em relação ao comportamento - Extinguir, apagar, abolir, suprimir.
e à civilidade não se aplicam quando dirigimos um carro. Elas - Justo, certo, exato, reto, íntegro, imparcial.
podem ver seus pais envolvidos em comportamentos de disputa
ao volante, mudando de faixa continuamente ou dirigindo em Na maioria das vezes não é indiferente usar um sinônimo
alta velocidade, sempre com pressa para chegar ao destino. pelo outro. Embora irmanados pelo sentido comum, os
Para complicar as coisas, por vários anos psicólogos sinônimos diferenciam-se, entretanto, uns dos outros, por
sugeriam que o melhor meio para aliviar a raiva era descarregar matizes de significação e certas propriedades que o escritor não
a frustração. Estudos mostram, no entanto, que a descarga de pode desconhecer. Com efeito, estes têm sentido mais amplo,
frustrações não ajuda a aliviar a raiva. Em uma situação de ira aqueles, mais restrito (animal e quadrúpede); uns são próprios
de trânsito, a descarga de frustrações pode transformar um da fala corrente, desataviada, vulgar, outros, ao invés, pertencem
incidente em uma violenta briga. à esfera da linguagem culta, literária, científica ou poética
Com isso em mente, não é surpresa que brigas violentas (orador e tribuno, oculista e oftalmologista, cinzento e cinéreo).
aconteçam algumas vezes. A maioria das pessoas está A contribuição Greco-latina é responsável pela existência,
predisposta a apresentar um comportamento irracional quando em nossa língua, de numerosos pares de sinônimos. Exemplos:
dirige. Dr. James vai ainda além e afirma que a maior parte das - Adversário e antagonista.
pessoas fica emocionalmente incapacitada quando dirige. O que - Translúcido e diáfano.
deve ser feito, dizem os psicólogos, é estar ciente de seu estado - Semicírculo e hemiciclo.
emocional e fazer as escolhas corretas, mesmo quando estiver - Contraveneno e antídoto.
tentado a agir só com a emoção. - Moral e ética.
- Colóquio e diálogo.
(Jonathan Strickland. Disponível em: http://carros.hsw.uol.com.br/ - Transformação e metamorfose.
furia-no-transito1 .htm. Acesso em: 01.08.2013. Adaptado) - Oposição e antítese.
05. Tomando por base as informações contidas no texto, é O fato linguístico de existirem sinônimos chama-se sinonímia,
correto afirmar que palavra que também designa o emprego de sinônimos.
(A) os comportamentos de disputa ao volante acontecem à
medida que os motoristas se envolvem em decisões conscientes. Antônimos: são palavras de significação oposta. Exemplos:
(B) segundo psicólogos, as brigas no trânsito são causadas - Ordem e anarquia.
pela constante preocupação dos motoristas com o aspecto - Soberba e humildade.
comunitário do ato de dirigir. - Louvar e censurar.
(C) para Dr. James, o grande número de carros nas ruas é - Mal e bem.
o principal motivo que provoca, nos motoristas, uma direção
agressiva. A antonímia pode originar-se de um prefixo de sentido
(D) o ato de dirigir um carro envolve uma série de oposto ou negativo. Exemplos: Bendizer/maldizer, simpático/
experiências e atividades não só individuais como também antipático, progredir/regredir, concórdia/discórdia, explícito/
sociais. implícito, ativo/inativo, esperar/desesperar, comunista/
(E) dirigir mal pode estar associado à falta de controle das anticomunista, simétrico/assimétrico, pré-nupcial/pós-nupcial.
emoções positivas por parte dos motoristas.
Polissemia: Uma palavra pode ter mais de uma significação.
06. A ira de trânsito A esse fato linguístico dá-se o nome de polissemia. Exemplos:
(A) aprimora uma atitude de reconhecimento de regras. - Mangueira: tubo de borracha ou plástico para regar as
(B) implica tomada de decisões sem racionalidade. plantas ou apagar incêndios; árvore frutífera; grande curral de
(C) conduz a um comportamento coerente. gado.
(D) resulta do comportamento essencialmente comunitário
dos motoristas. - Pena: pluma, peça de metal para escrever; punição; dó.
(E) decorre de imperícia na condução de um veículo.
- Velar: cobrir com véu, ocultar, vigiar, cuidar, relativo ao véu
07. De acordo com o perito Dr. James, do palato.
(A) os congestionamentos representam o principal fator
para a ira no trânsito. Podemos citar ainda, como exemplos de palavras
(B) a cultura dos motoristas é fator determinante para o polissêmicas, o verbo dar e os substantivos linha e ponto, que
aumento de suas frustrações. têm dezenas de acepções.
(C) o motorista, ao dirigir, deve ser individualista em suas
ações, a fim de expressar sua liberdade e garantir que outros Fonte:
motoristas não o irritem. http://www.tecnolegis.com/estudo-dirigido/oficial-de-justica-tjm-sp/
(D) a principal causa da direção agressiva é o lingua-portuguesa-sentido-proprio-e-figurado-das-palavras.html
desconhecimento das regras de trânsito.

Língua Portuguesa 3
Apostila Digital Licenciada para Renê da Silva Pereira - aspirantepm2009@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
Questões a) censo - lasso - cumprimento - eminentes
b) senso - lasso - cumprimento - iminentes
01. Estava ....... a ....... da guerra, pois os homens ....... nos erros c) senso - laço - comprimento - iminentes
do passado. d) senso - laço - cumprimento - eminentes
a) eminente, deflagração, incidiram e) censo - lasso - comprimento - iminentes
b) iminente, deflagração, reincidiram
c) eminente, conflagração, reincidiram Respostas
d) preste, conflaglação, incidiram
e) prestes, flagração, recindiram 01.(B) / 02.(B) / 03.(A) / 04.(D) / 05.(B) / 06.(C) /
07.(B) / 08.(E) / 09.(A) / 10.(B)
02. “Durante a ........ solene era ........ o desinteresse do mestre
diante da ....... demonstrada pelo político”.
a) seção - fragrante - incipiência Relações coesivas e semânticas
b) sessão - flagrante - insipiência (de causalidade, temporalidade,
c) sessão - fragrante - incipiência finalidade, condicionalidade,
d) cessão - flagrante - incipiência
e) seção - flagrante - insipiência finalidade, comparação,
oposição, adição, conclusão,
03. Na .... plenária estudou-se a .... de direitos territoriais a ... . explicação, etc.) entre orações,
a) sessão - cessão - estrangeiros períodos ou parágrafos,
b) seção - cessão - estrangeiros indicados pelos vários tipos
c) secção - sessão - extrangeiros de expressões conectivas ou
d) sessão - seção - estrangeiros
sequenciadores (conjunções,
e) seção - sessão - estrangeiros
preposições, advérbios, etc.)
04. Há uma alternativa errada. Assinale-a:
a) A eminente autoridade acaba de concluir uma viagem política.
b) A catástrofe torna-se iminente. Coesão
c) Sua ascensão foi rápida.
d) Ascenderam o fogo rapidamente. Coesão é a conexão, ligação, harmonia entre os elementos de
e) Reacendeu o fogo do entusiasmo. um texto, como descreve Marina Cabral. Percebemos tal definição
quando lemos um texto e verificamos que as palavras, as frases
05. Há uma alternativa errada. Assinale-a: e os parágrafos estão entrelaçados, um dando continuidade ao
a) cozer = cozinhar; coser = costurar outro.
b) imigrar = sair do país; emigrar = entrar no país Os elementos de coesão determinam a transição de ideias
c) comprimento = medida; cumprimento = saudação entre as frases e os parágrafos.
d) consertar = arrumar; concertar = harmonizar
e) chácara = sítio; xácara = verso Observe a coesão presente no texto a seguir:

06. Assinale o item em que a palavra destacada está “Os sem-terra fizeram um protesto em Brasília contra a
incorretamente aplicada: política agrária do país, porque consideram injusta a atual
a) Trouxeram-me um ramalhete de flores fragrantes. distribuição de terras. Porém o ministro da Agricultura
b) A justiça infligiu a pena merecida aos desordeiros. considerou a manifestação um ato de rebeldia, uma vez que o
c) Promoveram uma festa beneficiente para a creche. projeto de Reforma Agrária pretende assentar milhares de sem-
d) Devemos ser fiéis ao cumprimento do dever. terra.”
e) A cessão de terras compete ao Estado.
JORDÃO, R., BELLEZI C. Linguagens. São Paulo: Escala Educacional,
07. O ...... do prefeito foi ..... ontem. 2007, p. 566
a) mandado - caçado
b) mandato - cassado As palavras destacadas têm o papel de ligar as partes do
c) mandato - caçado texto, podemos dizer que elas são responsáveis pela coesão do
d) mandado - casçado texto.
e) mandado - cassado Há vários recursos que respondem pela coesão do texto, os
principais são:
08. Marque a alternativa cujas palavras preenchem
corretamente as respectivas lacunas, na frase seguinte: - Palavras de transição: são palavras responsáveis pela
“Necessitando ...... o número do cartão do PIS, ...... a data de meu coesão do texto, estabelecem a interrelação entre os enunciados
nascimento.” (orações, frases, parágrafos), são preposições, conjunções,
a) ratificar, proscrevi alguns advérbios e locuções adverbiais.
b) prescrever, discriminei
c) descriminar, retifiquei Veja algumas palavras e expressões de transição e seus
d) proscrever, prescrevi respectivos sentidos:
e) retificar, ratifiquei
- inicialmente (começo, introdução)
09. “A ......... científica do povo levou-o a .... de feiticeiros os ..... - primeiramente (começo, introdução)
em astronomia.” - primeiramente (começo, introdução)
a) insipiência tachar expertos - antes de tudo (começo, introdução)
b) insipiência taxar expertos - desde já (começo, introdução)
c) incipiência taxar espertos - além disso (continuação)
d) incipiência tachar espertos - do mesmo modo (continuação)
e) insipiência taxar espertos - acresce que (continuação)
- ainda por cima (continuação)
10. Na oração: Em sua vida, nunca teve muito ......, - bem como (continuação)
apresentava-se sempre ...... no ..... de tarefas ...... . As palavras - outrossim (continuação)
adequadas para preenchimento das lacunas são: - enfim (conclusão)

Língua Portuguesa 4
Apostila Digital Licenciada para Renê da Silva Pereira - aspirantepm2009@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
- dessa forma (conclusão) O arquiteto Jaime Lerner cunhou esta frase premonitória: “O
- em suma (conclusão) carro é o cigarro do futuro.” Quem poderia imaginar a reversão
- nesse sentido (conclusão) cultural que se deu no consumo do tabaco?
- portanto (conclusão) Talvez o automóvel não seja descartável tão facilmente. Este
- afinal (conclusão) jornal, em uma série de reportagens, nestes dias, mostrou o
- logo após (tempo) privilégio que os governos dão ao uso do carro e o desprezo ao
- ocasionalmente (tempo) transporte coletivo. Surpreendentemente, houve entrevistado
- posteriormente (tempo) que opinou favoravelmente, valorizando Los Angeles – um caso
- atualmente (tempo) típico de cidade rodoviária e dispersa.
- enquanto isso (tempo) Ainda nestes dias, a ONU reafirmou o compromisso desta
- imediatamente (tempo) geração com o futuro da humanidade e contra o aquecimento
- não raro (tempo) global – para o qual a emissão de CO2 do rodoviarismo é agente
- concomitantemente (tempo) básico. (A USP acaba de divulgar estudo advertindo que a
- igualmente (semelhança, conformidade) poluição em São Paulo mata o dobro do que o trânsito.)
- segundo (semelhança, conformidade) O transporte também esteve no centro dos protestos de
- conforme (semelhança, conformidade) junho de 2013. Lembremos: ele está interrelacionado com a
- assim também (semelhança, conformidade) moradia, o emprego, o lazer. Como se vê, não faltam razões para
- de acordo com (semelhança, conformidade) o debate do tema.
- daí (causa e consequência)
- por isso (causa e consequência) “Como se vê, não faltam razões para o debate do tema.”
- de fato (causa e consequência)
- em virtude de (causa e consequência) Substituindo o termo destacado por uma oração
- assim (causa e consequência) desenvolvida, a forma correta e adequada seria:
- naturalmente (causa e consequência) (A) para que se debatesse o tema;
- então (exemplificação, esclarecimento) (B) para se debater o tema;
- por exemplo (exemplificação, esclarecimento) (C) para que se debata o tema;
- isto é (exemplificação, esclarecimento) (D) para debater-se o tema;
- a saber (exemplificação, esclarecimento) (E) para que o tema fosse debatido.
- em outras palavras (exemplificação, esclarecimento)
- ou seja (exemplificação, esclarecimento) 02. (TJ/RJ – Analista Judiciário – FGV/2014)
- quer dizer (exemplificação, esclarecimento) “A USP acaba de divulgar estudo advertindo que a poluição
- rigorosamente falando (exemplificação, esclarecimento). em São Paulo mata o dobro do que o trânsito”.
A oração em forma desenvolvida que substitui correta e
Ex.: A prática de atividade física é essencial ao nosso adequadamente o gerúndio “advertindo” é:
cotidiano. Assim sendo, quem a pratica possui uma melhor (A) com a advertência de;
qualidade de vida. (B) quando adverte;
(C) em que adverte;
- Coesão por referência: existem palavras que têm a função (D) no qual advertia;
de fazer referência, são elas: (E) para advertir.
- pronomes pessoais: eu, tu, ele, me, te, os...
- pronomes possessivos: meu, teu, seu, nosso... 03. (PC/RJ – Papilocopista – IBF/2014)
- pronomes demonstrativos: este, esse, aquele...
- pronomes indefinidos: algum, nenhum, todo... Texto III - Corrida contra o ebola
- pronomes relativos: que, o qual, onde...
- advérbios de lugar: aqui, aí, lá... Já faz seis meses que o atual surto de ebola na África
Ocidental despertou a atenção da comunidade internacional,
Ex.: Marcela obteve uma ótima colocação no concurso. Tal mas nada sugere que as medidas até agora adotadas para refrear
resultado demonstra que ela se esforçou bastante para alcançar o avanço da doença tenham sido eficazes.
o objetivo que tanto almejava. Ao contrário, quase metade das cerca de 4.000 contaminações
registradas neste ano ocorreram nas últimas três semanas,
- Coesão por substituição: substituição de um nome (pessoa, e as mais de 2.000 mortes atestam a força da enfermidade. A
objeto, lugar etc.), verbos, períodos ou trechos do texto por uma escalada levou o diretor do CDC (Centro de Controle e Prevenção
palavra ou expressão que tenha sentido próximo, evitando a de Doenças) dos EUA, Tom Frieden, a afirmar que a epidemia
repetição no corpo do texto. está fora de controle.
O vírus encontrou ambiente propício para se propagar.
Ex.: Porto Alegre pode ser substituída por “a capital gaúcha”; De um lado, as condições sanitárias e econômicas dos países
Castro Alves pode ser substituído por “O Poeta dos Escravos”; afetados são as piores possíveis. De outro, a Organização
João Paulo II: Sua Santidade; Mundial da Saúde foi incapaz de mobilizar com celeridade
Vênus: A Deusa da Beleza. um contingente expressivo de profissionais para atuar nessas
localidades afetadas.
Ex.: Castro Alves é autor de uma vastíssima obra literária. Verdade que uma parcela das debilidades da OMS se explica
Não é por acaso que o “Poeta dos Escravos” é considerado o mais por problemas financeiros. Só 20% dos recursos da entidade
importante da geração a qual representou. vêm de contribuições compulsórias dos países-membros – o
restante é formado por doações voluntárias.
Assim, a coesão confere textualidade aos enunciados A crise econômica mundial se fez sentir também nessa área,
agrupados em conjuntos. e a organização perdeu quase US$ 1 bilhão de seu orçamento
bianual, hoje de quase US$ 4 bilhões. Para comparação, o CDC
Fonte: http://brasilescola.uol.com.br/redacao/coesao.htm dos EUA contou, somente no ano de 2013, com cerca de US$ 6
bilhões.
Questões Os cortes obrigaram a OMS a fazer escolhas difíceis. A agência
passou a dar mais ênfase à luta contra enfermidades globais
01. (TJ/RJ – Analista Judiciário – FGV/2014) crônicas, como doenças coronárias e diabetes. O departamento
de respostas a epidemias e pandemias foi dissolvido e integrado
Texto 1 – Bem tratada, faz bem a outros. Muitos profissionais experimentados deixaram seus
Sérgio Magalhães, O Globo cargos.

Língua Portuguesa 5
Apostila Digital Licenciada para Renê da Silva Pereira - aspirantepm2009@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
Pesa contra o órgão da ONU, de todo modo, a demora para
reconhecer a gravidade da situação. Seus esforços iniciais foram
limitados e mal liderados.
O surto agora atingiu proporções tais que já não é mais
possível enfrentá-lo de Genebra, cidade suíça sede da OMS.
Tornou-se crucial estabelecer um comando central na África
Ocidental, com representantes dos países afetados.
Espera-se também maior comprometimento das potências
mundiais, sobretudo Estados Unidos, Inglaterra e França,
que possuem antigos laços com Libéria, Serra Leoa e Guiné,
respectivamente. Um enunciado possível em substituição à fala do terceiro
A comunidade internacional tem diante de si um desafio quadrinho, em conformidade com a norma- padrão da língua
enorme, mas é ainda maior a necessidade de agir com rapidez. portuguesa, é:
Nessa batalha global contra o ebola, todo tempo perdido conta (A) Se você ir pelos caminhos da verdade, leve um capacete.
a favor da doença. (B) Caso você vá pelos caminhos da verdade, lembra-se de
levar um capacete.
(Disponível em: http://www1.folha.uol.com.br/ (C) Se você se mantiver nos caminhos da verdade, leve um
opiniao/2014/09/1512104-editorial-corrida-contra-o-ebola.shtml: capacete.
Acesso em: 08/09/2014) (D) Caso você se mantém nos caminhos da verdade, lembre
de levar um capacete.
Assinale a opção em que se indica, INCORRETAMENTE, o (E) Ainda que você se mantêm nos caminhos da verdade,
referente do termo em destaque. leva um capacete.
(A) “quase US$ 1 bilhão de seu orçamento bianual” (5º§) –
organização Respostas
(B) “A agência passou a dar mais ênfase” (6º§) – OMS
(C) “Pesa contra o órgão da ONU”(7º§) – OMS 01. (C) - As orações subordinadas desenvolvidas possuem
(D) “Seus esforços iniciais foram limitados” (7º§) – gravidade conjunção e verbos conjugados em modos e tempos verbais.
da situação Na letra “a” o verbo está num tempo diferente da frase.
(E) “A comunidade tem diante de si” (10º§) – comunidade Na letra “b” o verbo está no infinitivo o que caracteriza como
internacional oração reduzida.
Na letra “c” a oração apresenta a conjunção “para que” que
04. (TJ/SP – Escrevente Técnico Judiciário – exprime finalidade e o verbo está conjugado no tempo correto
VUNESP-2014) da frase.
Na letra “d” não apresenta conjunção.
Leia o texto para responder a questão. Na letra “e” o verbo está no particípio caracterizando oração
As cotas raciais deram certo porque seus beneficiados são, reduzida.
sim, competentes. Merecem, sim, frequentar uma universidade Portanto, a resposta certa é a letra “c”.
pública e de qualidade. No vestibular, que é o princípio de
tudo, os cotistas estão só um pouco atrás. Segundo dados do 02. (C) - “A USP acaba de divulgar estudo advertindo que a
Sistema de Seleção Unificada, a nota de corte para os candidatos poluição em São Paulo mata o dobro do que o trânsito”.
convencionais a vagas de medicina nas federais foi de 787,56 Os verbos acabar e matar contidos na frase estão no
pontos. Para os cotistas, foi de 761,67 pontos. A diferença presente do indicativo. Logo, o verbo advertir ficará no presente
entre eles, portanto, ficou próxima de 3%. IstoÉ entrevistou do indicativo. EX: eu advirto, tu advertes, ele adverte.
educadores e todos disseram que essa distância é mais do que
razoável. Na verdade, é quase nada. Se em uma disciplina tão 03. (D) - Pesa contra o órgão da ONU, de todo modo, a
concorrida quanto medicina um coeficiente de apenas 3% demora para reconhecer a gravidade da situação. Seus esforços
separa os privilegiados, que estudaram em colégios privados, iniciais foram limitados e mal liderados.
dos negros e pobres, que frequentaram escolas públicas, então De quem foram os esforços? Da ONU, pois estes formam
é justo supor que a diferença mínima pode, perfeitamente, ser limitados e mal liderados.
igualada ou superada no decorrer dos cursos. Depende só da
disposição do aluno. Na Universidade Federal do Rio de Janeiro 04. (A) - “a nota de corte para os candidatos convencionais
(UFRJ), uma das mais conceituadas do País, os resultados do a vagas de medicina nas federais foi de 787,56 pontos. Para os
último vestibular surpreenderam. “A maior diferença entre cotistas, foi de 761,67 pontos”
as notas de ingresso de cotistas e não cotistas foi observada A DIFERENÇA ENTRE ELES é de 3%.
no curso de economia”, diz Ângela Rocha, pró-reitora da UFRJ. eles quem ? (os candidatos convencionais e os cotistas) que
“Mesmo assim, essa distância foi de 11%, o que, estatisticamente, estão postos em relação a diferença de NOTA .
não é significativo”.
(www.istoe.com.br) 05. (C)
(A) Se você ir (for) pelos caminhos da verdade, leve um
Para responder a questão, considere a passagem – A capacete.
diferença entre eles, portanto, ficou próxima de 3%. (B) Caso você vá pelos caminhos da verdade, lembra-se
O pronome eles tem como referente: (lembre-se) de levar um capacete.
(A) candidatos convencionais e cotistas. (C) Se você se mantiver nos caminhos da verdade, leve um
(B) beneficiados. capacete.
(C) dados do Sistema de Seleção Unificada. (D) Caso você se mantém (mantenha) nos caminhos da
(D) dados do Sistema de Seleção Unificada e pontos. verdade, lembre de levar um capacete.
(E) pontos. (D) Ainda que você se mantêm (mantenha) nos caminhos
da verdade, leva (leve) um capacete.
05. (TJ/SP – Escrevente Técnico Judiciário –
VUNESP-2014)
Leia os quadrinhos para responder a questão. Semântica

A semântica é o estudo do significado. Incide sobre a relação


entre significantes, tais como palavras, frases, sinais e símbolos,
e o que eles representam, a sua denotação. A semântica

Língua Portuguesa 6
Apostila Digital Licenciada para Renê da Silva Pereira - aspirantepm2009@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
linguística estuda o significado usado por seres humanos para abrange a comunicação linguística em toda sua totalidade.
se expressar através da linguagem. Outras formas de semântica Além disso, é acompanhada pelo tom de voz, algumas vezes
incluem a semântica nas linguagens de programação, lógica por mímicas, incluindo-se fisionomias. A língua escrita não é
formal, e semiótica. apenas a representação da língua falada, mas sim um sistema
Em sentido largo, pode-se entender semântica como um mais disciplinado e rígido, uma vez que não conta com o jogo
ramo dos estudos linguísticos que se ocupa dos significados fisionômico, as mímicas e o tom de voz do falante.
produzidos pelas diversas formas de uma língua. Dentro dessa No Brasil, por exemplo, todos falam a língua portuguesa,
definição ampla, pertence ao domínio da semântica tanto a mas existem usos diferentes da língua devido a diversos fatores.
preocupação com determinar o significado dos elementos Dentre eles, destacam-se:
constituintes das palavras (prefixo, radical, sufixo) como o das
palavras no seu todo e ainda o de frases inteiras. Fatores regionais: é possível notar a diferença do português
falado por um habitante da região nordeste e outro da região
Linguagem sudeste do Brasil. Dentro de uma mesma região, também há
variações no uso da língua. No estado do Rio Grande do Sul, por
É a capacidade que possuímos de expressar nossos exemplo, há diferenças entre a língua utilizada por um cidadão
pensamentos, ideias, opiniões e sentimentos. A Linguagem está que vive na capital e aquela utilizada por um cidadão do interior
relacionada a fenômenos comunicativos; onde há comunicação, do estado.
há linguagem. Podemos usar inúmeros tipos de linguagens
para estabelecermos atos de comunicação, tais como: sinais, Fatores culturais:  o grau de escolarização e a formação
símbolos, sons, gestos e regras com sinais convencionais cultural de um indivíduo também são fatores que colaboram
(linguagem escrita e linguagem mímica, por exemplo). Num para os diferentes usos da língua. Uma pessoa escolarizada
sentido mais genérico, a Linguagem pode ser classificada como utiliza a língua de uma maneira diferente da pessoa que não teve
qualquer sistema de sinais que se valem os indivíduos para acesso à escola.
comunicar-se.
Fatores contextuais: nosso modo de falar varia de acordo
Tipos de Linguagem com a situação em que nos encontramos: quando conversamos
com nossos amigos, não usamos os termos que usaríamos se
A linguagem pode ser: estivéssemos discursando em uma solenidade de formatura.

Verbal:  a Linguagem Verbal é aquela que faz uso Fatores profissionais:  o exercício de algumas atividades
das palavras para comunicar algo. requer o domínio de certas formas de língua chamadas línguas
técnicas. Abundantes em termos específicos, essas formas
Não Verbal:  é aquela que utiliza outros métodos de têm uso praticamente restrito ao intercâmbio técnico de
comunicação, que não são as palavras. Dentre elas estão engenheiros, químicos, profissionais da área de direito e da
a linguagem de sinais, as placas e sinais de trânsito, a informática, biólogos, médicos, linguistas e outros especialistas.
linguagem corporal, uma figura, a expressão facial, um
gesto, etc. Fatores naturais:  o uso da língua pelos falantes sofre
influência de fatores naturais, como idade e sexo. Uma criança
Língua não utiliza a língua da mesma maneira que um adulto, daí falar-
se em linguagem infantil e linguagem adulta.
A Língua é um instrumento de comunicação, sendo composta
por regras gramaticais que possibilitam que determinado grupo Fala
de falantes consiga produzir enunciados que lhes permitam
comunicar-se e compreender-se. Por exemplo: É a utilização oral da língua pelo indivíduo. É um ato
individual, pois cada indivíduo, para a manifestação da fala, pode
Falantes da língua portuguesa. escolher os elementos da língua que lhe convém, conforme seu
gosto e sua necessidade, de acordo com a situação, o contexto,
A língua possui um caráter social: pertence a todo um sua personalidade, o ambiente sociocultural em que vive,
conjunto de pessoas, as quais podem agir sobre ela. Cada etc. Desse modo, dentro da unidade da língua, há uma grande
membro da comunidade pode optar por esta ou aquela forma diversificação nos mais variados níveis da fala. Cada indivíduo,
de expressão. Por outro lado, não é possível criar uma língua além de conhecer o que fala, conhece também o que os outros
particular e exigir que outros falantes a compreendam. Dessa falam; é por isso que somos capazes de dialogar com pessoas
forma, cada indivíduo pode usar de maneira particular a língua dos mais variados graus de cultura, embora nem sempre a
comunitária, originando a fala. A fala está sempre condicionada linguagem delas seja exatamente como a nossa. 
pelas regras socialmente estabelecidas da língua, mas é
suficientemente ampla para permitir um exercício criativo da Níveis da fala
comunicação. Um indivíduo pode pronunciar um enunciado da
seguinte maneira: Devido ao caráter individual da fala, é possível observar
alguns níveis:
A família de Regina era paupérrima.
Outro, no entanto, pode optar por: Nível coloquial-popular: é a fala que a maioria das pessoas
A família de Regina era muito pobre. utiliza no seu dia a dia, principalmente em situações informais.
Esse nível da fala é mais espontâneo, ao utilizá-lo, não nos
As diferenças e semelhanças constatadas devem-se às preocupamos em saber se falamos de acordo ou não com as
diversas manifestações da fala de cada um. Note, além disso, que regras formais estabelecidas pela língua.
essas manifestações devem obedecer às regras gerais da língua
portuguesa, para não correrem o risco de produzir enunciados Nível formal-culto: é o nível da fala normalmente utilizado
incompreensíveis como: pelas pessoas em situações formais. Caracteriza-se por um
cuidado maior com o vocabulário e pela obediência às regras
Família a paupérrima de era Regina. gramaticais estabelecidas pela língua.

Língua Falada e Língua Escrita Signo


Não devemos confundir língua com escrita, pois são dois O  signo linguístico  é um elemento representativo que
meios de comunicação distintos. A escrita representa um estágio apresenta dois aspectos: o  significado  e o significante. Ao
posterior de uma língua. A língua falada é mais espontânea, escutar a palavra cachorro, reconhecemos a sequência de

Língua Portuguesa 7
Apostila Digital Licenciada para Renê da Silva Pereira - aspirantepm2009@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
sons que formam essa palavra. Esses sons se identificam com Nas férias passadas, viajamos a Roma. (destino)
a lembrança deles que está em nossa memória. Essa lembrança Candidatos, façam a prova a caneta. (instrumento)
constitui uma real imagem sonora, armazenada em nosso
cérebro que é o significante do signo  cachorro. Quando COM
escutamos essa palavra, logo pensamos em um animal irracional Os moradores perderam tudo o que tinham com as
de quatro patas, com pelos, olhos, orelhas, etc. Esse conceito que enchentes. (causa)
nos vem à mente é o significado do signo cachorro e também Amanhã sairei com amigos. (companhia)
se encontra armazenado em nossa memória. No próximo domingo, o Flamengo jogará com o Botafogo.
Ao empregar os signos que formam a nossa língua, (oposição)
devemos obedecer às regras gramaticais convencionadas pela A idosa bateu no ladrão com a bengala. (instrumento)
própria língua. Desse modo, por exemplo, é possível colocar A moça estava atrasada; caminhava com pressa. (modo)
o artigo indefinido  um diante do signocachorro, formando Com certeza, iremos ao teatro no feriado. (afirmação)
a sequência um cachorro, o mesmo não seria possível se No sistema capitalista, as pessoas somente sobrevivem com
quiséssemos colocar o artigouma diante do signo cachorro. A recursos. (condição)
sequência uma cachorro contraria uma regra de concordância
da língua portuguesa, o que faz com que essa sentença seja DE
rejeitada. Os signos que constituem a língua obedecem a padrões Saí de casa. (origem)
determinados de organização. O conhecimento de uma língua Falaram de você. (assunto)
engloba tanto a identificação de seus signos, como também o Veio de táxi. (meio)
uso adequado de suas regras combinatórias. A menina chorou de raiva. (causa)
Os siris andam de lado. (modo)
signo = significado (é o conceito, a ideia transmitida pelo Voltemos de noite. (tempo)
signo, a parte abstrata do signo) + significante (é a imagem Comprei um relógio de ouro. (matéria)
sonora, a forma, a parte concreta do signo, suas letras e seus Aquele livro é de Marcelo. (posse)
fonemas) Ontem, bebemos dois copos de vinho. (conteúdo)
Estou sob a mesa. (lugar)
Língua: conjunto de sinais baseado em palavras que O bicheiro caminhava de anel no dedo. (companhia)
obedecem às regras gramaticais.
Signo: elemento representativo que possui duas partes EM
indissolúveis:  significado e significante. Hoje à noite, estarei em casa. (lugar)
Fala: uso individual da língua, aberto à criatividade e ao Formou-se em Direito. (especialidade)
desenvolvimento da liberdade de expressão e compreensão. O relógio é feito em ouro. (matéria)
Tenho que apresentar o tema em quinze minutos. (tempo)
Fonte: http://www.soportugues.com.br/secoes/seman/seman6.
php PARA
O bombeiro veio para socorrê-lo. (finalidade)
Semântica Viajou para a Itália. (destino)
Para João, Flamengo é o melhor time do campeonato.
A semântica é o estudo do significado. Incide sobre a (conformidade)
relação entre significantes, tais como palavras, frases, sinais É proibida a venda de bebidas para menores de dezoito
e símbolos, e o que eles representam, a sua denotação. A anos. (restrição)
semântica linguística estuda o significado usado por seres
humanos para se expressar através da linguagem. Outras POR
formas de semântica incluem a semântica nas linguagens de Comprei o livro por cem reais. (preço)
programação, lógica formal, e semiótica. Distantes, os namorados falavam-se por internet. (meio)
Em sentido largo, pode-se entender semântica como um Viajamos por diversas cidades. (lugar)
ramo dos estudos linguísticos que se ocupa dos significados “Eu sei que vou te amar / por toda a minha vida” (tempo) –
produzidos pelas diversas formas de uma língua. Dentro dessa Vinícius de Moraes
definição ampla, pertence ao domínio da semântica tanto a
preocupação com determinar o significado dos elementos Conectores: são palavras ou expressões que servem para
constituintes das palavras (prefixo, radical, sufixo) como o das conectar (ligar, unir) vários segmentos
palavras no seu todo e ainda o de frases inteiras. Linguísticos, como exemplo: as frases no período, os
períodos no parágrafo e os parágrafos no texto.
Segundo o Professor Fabiano Sales, Preposição é uma
classe de palavras com o objetivo de ligar palavras e orações. Incluem-se no grupo de conectores as seguintes subclasses
Nessas ligações, as preposições podem, ou não, acrescentar gramaticais de palavras:
valor semântico ao período. - conjunções (e; pois...)
Preposições que são apenas uma exigência do termo - locuções conjuncionais (além disso; no entanto...)
antecedente, isto é, que não acrescentam qualquer valor - advérbios (depois; finalmente...)
semântico, são chamadas de relacionais. As preposições - locuções adverbiais (em seguida; por último...)
relacionais introduzem o objeto indireto ou o complemento - algumas orações reduzidas – orações sem conjunção e
nominal. com o verbo numa forma nominal – gerúndio, infinitivo ou
particípio – (concluindo; para terminar; feito isto).
Exemplos:
Necessito de chocolate. (de chocolate = objeto indireto) Funções:
Ele é essencial para o grupo. (para o grupo = complemento
nominal) Adicionar / Enumerar: e; além disso; não só...mas
também; depois; finalmente; seguidamente; em primeiro lugar;
Preposições essenciais: a, ante, após, até, com, contra, de, em seguida; por um lado...por outro; adicionalmente; ainda;
desde, em, entre, para, per, perante, por, sem, sob, sobre, trás. do mesmo modo; pela mesma razão; igualmente; também; de
novo;...
A
A persistirem os sintomas, o médico deve ser consultado. Sintetizar / Concluir: logo; pois; assim; por isso; por
(condição) conseguinte; portanto; enfim; em conclusão; concluindo; em
O filho puxou ao pai. (conformidade, semelhança) suma;...

Língua Portuguesa 8
Apostila Digital Licenciada para Renê da Silva Pereira - aspirantepm2009@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
Particularizar: especificamente; nomeadamente; por (C) “Preparamo-nos para os festejos natalinos”;
exemplo; em particular;... (D) “Após o terremoto, várias crianças morreram de
desnutrição”;
Explicar / Exemplificar: pois; porque; porquanto; por
causa de; uma vez que; especificamente; nomeadamente; isto é; 02. Assinale a assertiva em que a preposição COM exprime
ou seja; quer dizer; por exemplo; em particular; como se pode a mesma ideia que possui em “Surge a lua cheia para chorar
ver; é o caso de; é o que se passa com;... com os poetas”.
(A) O menino machucou-se com a faca.
Inferir: assim; consequentemente; daí; então; logo; pois; (B) Ela se afastou com um súbito choro.
deste modo; portanto; em consequência; por conseguinte; por (C) Tinha empobrecido com as secas.
esta razão; por isso;... (D) Deve-se rir com alguém, não de alguém.
(E) Ele se confundiu com a minha resposta.
Substituir / Reformular: mais corretamente; mais
precisamente; ou melhor; quer dizer; dito de outro modo; por 03. (UFRN – ADMINISTRADOR – COMPERVE/2015)
outras palavras;... Considere o trecho:

Contrariar / Opor / Restringir: porém; contrariamente; “O desenvolvimento do cérebro é de natureza biológica e


em vez de; pelo contrário; por oposição; ainda assim; mesmo cultural. O cérebro se forma, se desenvolve e amadurece com
assim; apesar de; contudo; no entanto; por outro lado;... base na genética da espécie e pelas experiências de vida de
cada um.”
Fim: para; para que; com o intuito de; a fim de; com o Fonte: www.cartanaescola.com.br
objetivo de;... Há, entre os dois períodos, uma relação semântica de:
(A) condição, que poderia ser explicitada pelo conector
Dúvida: talvez; é provável; é possível; provavelmente; desde que.
porventura;... (B) explicação, que poderia ser explicitada pelo conector
porque.
Certeza: é evidente que; certamente; decerto; com toda a (C) oposição, que poderia ser explicitada pelo conector
certeza; naturalmente; evidentemente;... entretanto.
(D) concessão, que poderia ser explicitada pelo conector
Hipótese / Condição: se; a menos que; supondo que; ainda que.
admitindo que; salvo se; exceto;...
04. (BANPARÁ – TÉCNICO BANCÁRIO – PAC/2014 -
Chamar a atenção: note-se que; atente-se em; repare-se; Adaptada)
veja-se; constate-se;...
Cérebro de adolescente
Enfatizar: efetivamente; com efeito; na verdade; como Quando o adolescente sai escondido para uma festa ou
vimos;... responde a uma pergunta inocente dos pais com uma explosão
emocional, a culpa não é só dos hormônios. Descobertas
Opinar: a meu ver; estou em crer que; em nosso entender; científicas recente provam que não apenas o corpo, mas também
parece-me que;... a mente passa por grandes mudanças na adolescência. Do sexo
sem preservativo à imprudência na direção, os adolescentes
Reafirmar / Resumir: por outras palavras; ou melhor; ou assume comportamentos irresponsáveis em parte porque as
seja; em resumo; em suma;... estruturas mentais que inibem resposta intempestivas ainda não
se consolidaram. As alterações mais importantes por que passa
Semelhança: do mesmo modo; tal como; assim como; pela o cérebro nos últimos anos da adolescência têm lugar no córtex
mesma razão;... pré-frontal, área que é responsável pelo planejamento de longo
prazo e pelo controle das emoções. “Antes dessas mudanças, o
Organizadores do discurso: são as expressões que, mais adolescente nem sempre está pronto para processar todas as
do que conectar ideias, contribuem para a organização dos informações que precisa considerar quando toma uma decisão”,
planos textuais. explica o neurologista americano Paul Thompson, do Laboratório
de Neuromapeamento da Universidade da Califórnia.
Organizar no espaço: à direita; atrás; sobre; sob; de um Thompson faz parte de uma equipe de cientistas que vem
lado; no meio; naquele lugar;... mapeando o cérebro de cerca de 1000 adolescentes com técnicas
avançadas de tomografia. As descobertas são surpreendentes,
Organizar no tempo: depois; então; após; de seguida; especialmente se considerarmos que até há alguns anos era
seguidamente; dias mais tarde; agora; já; antes; até que; consenso científico que o cérebro completava seu crescimento
quando;... na infância e não se alterava mais. Hoje se sabe que várias
estruturas cerebrais seguem evoluindo durante a adolescência,
Organizar o plano textual: embora nem todas cresçam. A idade em que essas mudanças se
processam varia. O cérebro das meninas desenvolve-se cerca
- Abrir uma série: por um lado; de um lado; primeiramente; de dois anos mais cedo, mas homens e mulheres costumam
em primeiro lugar; para começar; começando;... emparelhar lá pelos 20 anos. De forma geral, no início da
adolescência ainda está em processo uma mudança que começa
- Acentuar a continuidade: por outro lado; de outro lado; entre 7 e 11 anos. É quando crescem certas regiões cerebrais
ligadas à linguagem, como a área de Broca, uma pequena
seguidamente; em segundo lugar;...
estrutura dentro do córtex pré-frontal. O processo costuma
chegar ao fim antes dos 15 anos. No período de desenvolvimento,
- Encerrar: por último; concluindo; para terminar;
notam-se grandes progressos no uso da escrita – é a idade ideal
em conclusão; em último lugar; em síntese; finalizando;
para aprender novas línguas. A mudança maior começa pelos
recapitulando;... 18 anos e pode avançar até os 25. Quando o córtex pré-frontal
amadurece, consolidando o senso de responsabilidade que falta
Questões a tanto adolescentes. “O córtex funciona como o presidente
de uma grande empresa, centralizando as decisões. É por isso
01. A preposição DE traduz FINALIDADE no verso: que às vezes o cérebro adolescente parece uma empresa sem
(A) “Andar e pilotar um pássaro de aço”; presidente”, brinca Thompson.
(B) “Todos os turistas são de Belo Horizonte”;

Língua Portuguesa 9
Apostila Digital Licenciada para Renê da Silva Pereira - aspirantepm2009@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
A ciência ainda não entendeu completamente essas abuso ou ironia. Não ao mercado persa de favores e cargos em
alterações. O detalhe misterioso é que nem sempre o que transformam nossa política, não aos corruptos às vezes
desenvolvimento cerebral se dá por crescimento, como acontece condenados ocupando altos cargos, não ao absurdo número de
com todos os outros órgãos de nosso corpo. Na verdade, muitas partidos confusos.
sinapses – ligações entre os neurônios – são simplesmente As reclamações da multidão nas ruas são tão variadas
cortadas durante a adolescência. Supõe-se que esse processo quanto nossas mazelas: por onde começar? Talvez pelo prático,
obedeça a uma certa economia de conexões: aquelas sinapses e imediato, sem planos mirabolantes. Algo há de se poder fazer:
que não são usadas simplesmente se perdem. Quem toca um não creio que políticos e governo tenham sido apanhados
instrumento musical desde a infância vai desenvolver certas desprevenidos, por mais que estivessem alienados em torres de
conexões neurais que se perderão em quem nunca chegou marfim.
perto de uma partitura. De qualquer modo, a notícia de que o Infelizmente todo movimento de massas provoca e abriga
cérebro adolescente ainda não está “pronto” é alentadora. “Isso sem querer grupos violentos e anárquicos: que isso não nos
significa que temos mais tempo de aprendizado do que antes prejudique nem invalide nossas reivindicações.
pensávamos”, diz Thompson. Não sei como isso vai acabar: espero que transformando o
Brasil num lugar melhor para viver. Quase com atraso, a voz das
A noção semântica que a preposição de opera no título desse ruas quer lisura, ética, ações, cumprimento de deveres, realização
texto é a mesma a que ocorre em: dos mais básicos conceitos de decência e responsabilidade
(A) cadeira de ferro cívica, que andavam trocados por ganância monetária ou ânsia
(B) cintura de ovo eleitoreira.
(C) pijama de Carlos Que sobrevenham ordem e paz. Que depois desse chamado
(D) caiu de joelhos à consciência de quem lidera e governa não se absolvam os
(E) burro de carga mensaleiros, não se deixem pessoas medíocres ou de ética
duvidosa em altos cargos, acabem as gigantescas negociatas
05. (PREFEITURA DE CAMAÇARI/BA– FISIOTERAPEUTA meio secretas, e se apliquem decentemente somas que poderão
– AOCP/2014) salvar vidas, educar jovens, abrir horizontes.
Sou totalmente contrária a qualquer violência, mas este
Falência múltipla povo chegou ao extremo de sua tolerância, percebeu que tem
Lya Luft poder, não quer mais ser enganado e explorado: que não se
destrua nada, mas se abram horizontes reais de melhoria e
Um jornalista comentou recentemente num programa de contentamento.
televisão que pediu a um médico seu amigo um diagnóstico do
que está ocorrendo no Brasil: infecção, virose? A resposta foi http://veja.abril.com.br/blog/ricardo-setti/tag/lya-luft/
perfeita: “Falência múltipla dos órgãos”.
Em “...que isso não nos prejudique nem invalide nossas
Nada mais acertado. Há quase dez anos realizo aqui na coluna reivindicações”, as expressões destacadas estabelecem relação
minhas passeatas: estas páginas são minha avenida, as palavras semântica de:
são cartazes. Falo em relações humanas e seus dramas, porém (A) contraste.
mais frequentemente nas coisas inaceitáveis na nossa vida (B) negação.
pública. Esgotei a paciência dos leitores reclamando da péssima (C) adição.
educação — milhares de alunos sem escola ou abrigados em (D) alternância.
galpões e salinhas de fundo de igrejas, para chegarem aos 9, 10 (E) explicação.
anos sem saber ler nem escrever.
Professores desesperados tentando ensinar sem material 06. (PC / PI – ESCRIVÃO DE POLÍCIA CIVIL – UESPI/2014)
básico, sem estrutura, salários vergonhosos, estímulo nenhum.
Universidades cujo nível é seguidamente baixado: em lugar de A violência não é uma fantasia
darem boas escolas a todas as crianças e jovens para que possam
entrar em excelentes universidades por mérito e esforço, A violência nasce conosco. Faz parte da nossa bagagem
oferecem-lhes favorecimentos prejudiciais. psíquica, do nosso DNA, assim como a capacidade de cuidar, de
ser solidário e pacífico. Somos esse novelo de dons. O equilíbrio
Tenho clamado contra o horror da saúde pública, mulheres ou desequilíbrio depende do ambiente familiar, educação,
parindo e velhos morrendo em colchonetes no corredor, exemplos, tendência pessoal, circunstâncias concretas, algumas
consultas para doenças graves marcadas para vários meses escolhas individuais. Vivemos numa época violenta. Temos
depois, médicos exaustos trabalhando além dos seus limites, medo de sair às ruas, temos medo de sair à noite, temos medo
tentando salvar vidas e confortar os pacientes, sem condições de ficar em casa sem grades, alarmes e câmeras, ou bons e
mínimas de higiene, sem aparelhamento e com salário treinados porteiros. As notícias da imprensa nos dão medo em
humilhante. geral. Não são medos fantasiosos: são reais. E, se não tivermos
Em lugar de importarmos não sei quantos mil médicos nenhum medo, estaremos sendo perigosamente alienados. A
estrangeiros, quem sabe vamos ser sensatos e oferecer condições segurança, como tantas coisas, parece ter fugido ao controle de
e salários decentes aos médicos brasileiros que querem cuidar instituições e autoridades.
de nós? Nestes dias começamos a ter medo também dentro dos
Tenho reclamado das condições de transporte, como no shoppings, onde, aliás, há mais tempo aqui e ali vêm ocorrendo
recente artigo “Três senhoras sentadas”: transporte caro para furtos, às vezes assaltos, raramente noticiados. O que preocupa
o calamitoso serviço oferecido. “Nos tratam como animais”, são movimentos adolescentes que reivindicam acesso aos
reclamou um usuário já idoso. A segurança inexiste, somos shoppings para seus grupos em geral organizados na internet.
mortos ao acaso em nossas ruas, e se procuramos não sair de (...)
casa à noite somos fuzilados por um bando na frente de casa às
10 da manhã. (Revista Veja. Editora ABRIL. Edição 2358 - ano 47 - nº 5. 29 de
E, quando nossa tolerância ou resignação chegou ao limite, janeiro de 2014. Por Lya Luft - p. 20)
brota essa onda humana de busca de dignidade para todos. Não
se trata apenas de centavos em passagens, mas de respeito. se não tivermos nenhum medo, estaremos sendo
As vozes dizem NÃO: não aos ônibus sujos e estragados, perigosamente alienados.
impontuais, motoristas sobrecarregados; não às escolas
fechadas ou em ruínas; não aos professores e médicos A relação sintático-semântica que se verifica entre as orações
impotentes, estradas intransitáveis, medo dentro e fora de casa. principal e subordinada desse excerto é de:
Não a um ensino em que a palavra “excelência” chega a parecer (A) causa

Língua Portuguesa 10
Apostila Digital Licenciada para Renê da Silva Pereira - aspirantepm2009@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
(B) condição - Não se separam os ditongos e tritongos. Exemplos: foi-ce,
(C) conformidade a-ve-ri-guou;
(D) consequência - Não se separam os dígrafos ch, lh, nh, gu, qu. Exemplos: cha-
(E) explicação ve, ba-ra-lho, ba-nha, fre-guês, quei-xa;
- Não se separam os encontros consonantais que iniciam
Respostas sílaba. Exemplos: psi-có-lo-go, re-fres-co;
- Separam-se as vogais dos hiatos. Exemplos: ca-a-tin-ga, fi-
01. Resposta C el, sa-ú-de;
A) A preposição “DE” indica matéria. - Separam-se as letras dos dígrafos rr, ss, sc, sç xc. Exemplos:
B) A preposição “DE” indica origem. car-ro, pas-sa-re-la, des-cer, nas-ço, ex-ce-len-te;
C) Alternativa Correta: Preparamo-nos com a finalidade de - Separam-se os encontros consonantais das sílabas internas,
aproveitar as comemorações natalinas. excetuando-se aqueles em que a segunda consoante é l ou r.
D) A preposição “DE” indica causa. Exemplos: ap-to, bis-ne-to, con-vic-ção, a-brir, a-pli-car.

02. Resposta D Acento Tônico


Na frase citada no enunciado do exercício a preposição “com”
indica companhia, o mesmo ocorre na alternativa “D”: Deve-se Na emissão de uma palavra de duas ou mais sílabas, percebe-
rir na companhia de alguém. se que há uma sílaba de maior intensidade sonora do que as
demais.
03. Resposta B calor - a sílaba lor é a de maior intensidade.
A segunda oração estabelece uma relação de explicação com faceiro - a sílaba cei é a de maior intensidade.
relação a oração anterior, esclarecendo os motivos de se ter sólido - a sílaba só é a de maior intensidade.
afirmado que o cérebro é de natureza biológica e cultural. Obs.: a presença da sílaba de maior intensidade nas palavras,
em meio à sílabas de menor intensidade, é um dos elementos
04. Alternativa C que dão melodia à frase.
A preposição “DE” presente no título do texto estabelece  
uma relação de posse, o mesmo ocorre na alternativa “C”. Classificação da sílaba quanto à intensidade

05. Resposta C -Tônica: é a sílaba pronunciada com maior intensidade.


Os vocábulos “não” e “nem” possuem valor negativo, ao serem - Átona:  é a sílaba pronunciada com menor intensidade.
colocados na mesma sentença, eles assumem semanticamente - Subtônica: é a sílaba de intensidade intermediária. Ocorre,
o sentido de adição, assim, não pode acontecer alguma coisa e principalmente, nas palavras derivadas, correspondendo à
nem outra. tônica da palavra primitiva. 

06. Resposta B Classificação das palavras quanto à posição da sílaba


A conjunção “SE” que inicia a sentença tem a função de tônica
estabelecer a ideia de condição.
De acordo com a posição da sílaba tônica, os vocábulos
da língua portuguesa que contêm  duas ou mais sílabas são
classificados em:
Expressão escrita: divisão - Oxítonos: são aqueles cuja sílaba tônica é a última. Exemplos:
avó, urubu, parabéns
silábica, ortografia e acentuação - Paroxítonos: são aqueles cuja sílaba tônica é a penúltima.
(v. Reforma Ortográfica vigente) Exemplos: dócil, suavemente, banana
- Proparoxítonos: são aqueles cuja sílaba tônica é a
antepenúltima. Exemplos: máximo, parábola, íntimo

Sílaba Saiba que:


- São palavras oxítonas, entre outras: cateter, mister, Nobel,
A palavra amor está dividida em grupos de fonemas novel, ruim, sutil, transistor, ureter.
pronunciados separadamente: a - mor. A cada um desses grupos - São palavras paroxítonas, entre outras: avaro, aziago,
pronunciados numa só emissão de voz dá-se o nome de sílaba. boêmia, caracteres, cartomancia, celtibero, circuito, decano,
Em nossa língua, o núcleo da sílaba é sempre uma vogal: não filantropo, fluido, fortuito, gratuito, Hungria, ibero, impudico,
existe sílaba sem vogal e nunca há mais do que uma vogal em  inaudito, intuito, maquinaria, meteorito, misantropo, necropsia
cada sílaba. Dessa forma, para sabermos o número de sílabas (alguns dicionários admitem também necrópsia), Normandia,
de uma palavra, devemos perceber quantas vogais tem essa pegada, policromo, pudico, quiromancia, rubrica, subido (a).
palavra. Atenção: as letras i e u (mais raramente com as letras e - São palavras proparoxítonas, entre outras: aerólito, bávaro,
e o) podem representar semivogais. bímano, crisântemo, ímprobo, ínterim, lêvedo, ômega, pântano,
  trânsfuga.
Classificação das palavras quanto ao número de sílabas - As seguintes palavras, entre outras, admitem dupla
tonicidade: acróbata/acrobata, hieróglifo/hieroglifo, Oceânia/
- Monossílabas: possuem apenas uma sílaba. Exemplos: mãe, Oceania, ortoépia/ortoepia, projétil/projetil, réptil/reptil,
flor, lá, meu; zângão/zangão.
- Dissílabas: possuem duas sílabas. Exemplos: ca-fé, i-ra, a-í,
trans-por; Questões:
- Trissílabas: possuem três sílabas. Exemplos: ci-ne-ma, pró-
xi-mo, pers-pi-caz, O-da-ir; 01-Assinale o item em que a divisão silábica é incorreta:
- Polissílabas: possuem quatro ou mais sílabas. Exemplos: A) gra-tui-to;
a-ve-ni-da, li-te-ra-tu-ra, a-mi-ga-vel-men-te, o-tor-ri-no-la-rin- B) ad-vo-ga-do;
go-lo-gis-ta. C) tran-si-tó-ri-o;
  D) psi-co-lo-gi-a;
Divisão Silábica E) in-ter-stí-cio.

Na divisão silábica das palavras, cumpre observar as 02-Assinale o item em que a separação silábica é incorreta:
seguintes normas: A) psi-có-ti-co;

Língua Portuguesa 11
Apostila Digital Licenciada para Renê da Silva Pereira - aspirantepm2009@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
B) per-mis-si-vi-da-de; Ortografia
C) as-sem-ble-ia;
D) ob-ten-ção; A ortografia se caracteriza por estabelecer padrões para a
E) fa-mí-li-a. forma escrita das palavras. Essa escrita está relacionada tanto
a critérios etimológicos (ligados à origem das palavras) quanto
03-Assinale o item em que todos os vocábulos têm as sílabas fonológicos (ligados aos fonemas representados). É importante
corretamente separadas: compreender que a ortografia é fruto de uma convenção. A
A) al-dei-a, caa-tin-ga , tran-si-ção; forma de grafar as palavras é produto de acordos ortográficos
B) pro-sse-gui-a, cus-tó-dia, trans-ver-sal; que envolvem os diversos países em que a língua portuguesa é
C) a-bsur-do, pra-ia, in-cons-ci-ên-cia; oficial. A melhor maneira de treinar a ortografia é ler, escrever e
D) o-ccip-tal, gra-tui-to, ab-di-car; consultar o dicionário sempre que houver dúvida.
E) mis-té-ri-o, ap-ti-dão, sus-ce-tí-vel.
O Alfabeto
04-Assinale o item em que todas as sílabas estão
corretamente separadas: O alfabeto da língua portuguesa é formado por 26 letras. Cada
A) a-p-ti-dão; letra apresenta uma forma minúscula e outra maiúscula. Veja:
B) so-li-tá-rio;
C) col-me-i-a; a A (á) b B (bê)
D) ar-mis-tí-ci-o;
E) trans-a-tlân-ti-co. c C (cê) d D (dê)

05- Assinale o item em que a divisão silábica está errada: e E (é) f F (efe)
A) tran-sa-tlân-ti-co / de-sin-fe-tar;
B) subs-ta-be-le-cer / de-su-ma-no; g G (gê ou guê) h H (agá)
C) cis-an-di-no / sub-es-ti-mar;
D) ab-di-ca-ção / a-bla-ti-vo; i I (i) j J (jota)
E) fri-is-si-mo / ma-ci-is-si-mo.
k K (cá) l L (ele)
06- Existe erro de divisão silábica no item:
A) mei-a / pa-ra-noi-a / ba-lai-o; m M (eme) n N (ene)
B) oc-ci-pi-tal / ex-ces-so / pneu-má-ti-co;
C) subs-tân-cia / pers-pec-ti-va / felds-pa-to; o O (ó) p P (pê)
D) su-bli-nhar / su-blin-gual / a-brup-to;
E) tran-sa-tlân-ti-co / trans-cen-der / tran-so-ce-â-ni-co. q Q (quê) r R (erre)

07- A única alternativa correta quanto à divisão silábica é: s S (esse) t T (tê)


A) ma-qui-na-ri-a / for-tui-to;
B) tun-gs-tê-nio / ri-tmo; ; u U (u) v V (vê)
C) an-do-rin-ha / sub-o-fi-ci-al;
D) bo-ê-mi-a / ab-scis-sa; w W (dáblio) x X (xis)
E) coe-são / si-len-cio-so.
y Y (ípsilon) z Z (zê)
08- Indique a alternativa em que as palavras “sussurro”,
”iguaizinhos” e “gnomo”, estão corretamente divididas em Observação: emprega-se também o ç, que representa o
sílabas: fonema /s/ diante das letras: a, o, e u em determinadas palavras.
A) sus - su - rro, igu - ai - zi - nhos, g - no - mo;
B) su - ssu - rro, i - guai - zi - nhos, gno - mo; Emprego das letras K, W e Y
C) sus - su - rro, i - guai - zi - nhos, gno - mo;
D) su - ssur - ro, i - gu - ai - zi - nhos, gn - omo; Utilizam-se nos seguintes casos:
E) sus - sur - ro, i - guai - zi - nhos, gno - mo. a) Em antropônimos originários de outras línguas e seus
derivados.
09- Na expressão “A icterícia nada tem a ver com Exemplos: Kant, kantismo; Darwin, darwinismo; Taylor,
hemodiálise ou disenteria”, as palavras grifadas apresentam-se taylorista.
corretamente divididas em sílabas na alternativa:
A) i-cte-rí-cia, he-mo-di-á-li-se, di-sen-te-ria; b) Em topônimos originários de outras línguas e seus
B) ic-te-rí-ci-a, he-mo-diá-li-se, dis-en-te-ria; derivados.
C) i-c-te-rí-cia, he-mo-di-á-li-se, di-sen-te-ria; Exemplos: Kuwait, kuwaitiano.
D) ic-te-rí-cia, he-mo-di-á-li-se, di-sen-te-ri-a;
E) ic-te-rí-cia, he-mo-di-á-li-se, di-sen-te-ria. c) Em siglas, símbolos, e mesmo em palavras adotadas como
unidades de medida de curso internacional.
Exemplos: K (Potássio), W (West), kg (quilograma), km
10- Assinale a única opção em que há, um vocábulo cuja (quilômetro), Watt.
separação silábica não esta feita de acordo com a norma
ortográfica vigente: Emprego de X e Ch
A) es-cor-re-gou / in-crí-veis;
B) in-fân-cia / cres-ci-a; Emprega-se o X:
C) i-dei-a / lé-guas;
D) des-o-be-de-ceu / cons-tru-í-da; 1) Após um ditongo.
E) vo-ou / sor-ri-em. Exemplos: caixa, frouxo, peixe
Exceção: recauchutar e seus derivados
Respostas
2) Após a sílaba inicial “en”.
01-E / 02-C / 03-E / 04-D / 05-C / 06-D / 07-A / 08-E / Exemplos: enxame, enxada, enxaqueca
09-D / 10-D Exceção: palavras iniciadas por “ch” que recebem o prefixo
“en-”

Língua Portuguesa 12
Apostila Digital Licenciada para Renê da Silva Pereira - aspirantepm2009@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
Exemplos: encharcar (de charco), enchiqueirar (de chiqueiro), Exemplos:
encher e seus derivados (enchente, enchimento, preencher...) análise- analisar catálise- catalisador
casa- casinha, casebre liso- alisar
3) Após a sílaba inicial “me-”.
Exemplos: mexer, mexerica, mexicano, mexilhão 2) Nos sufixos -ês e -esa, ao indicarem nacionalidade, título
Exceção: mecha ou origem
Exemplos:
4) Em vocábulos de origem indígena ou africana e nas palavras burguês- burguesa inglês- inglesa
inglesas aportuguesadas. chinês- chinesa milanês- milanesa
Exemplos: abacaxi, xavante, orixá, xará, xerife, xampu
3) Nos sufixos formadores de adjetivos -ense, -oso e -osa
5) Nas seguintes palavras: Exemplos:
bexiga, bruxa, coaxar, faxina, graxa, lagartixa, lixa, lixo, puxar, catarinense gostoso- gostosa amoroso- amorosa
rixa, oxalá, praxe, roxo, vexame, xadrez, xarope, xaxim, xícara, xale, palmeirense gasoso- gasosa teimoso- teimosa
xingar, etc.
4) Nos sufixos gregos -ese, -isa, -osa
Emprega-se o dígrafo Ch: Exemplos:
1) Nos seguintes vocábulos: catequese, diocese, poetisa, profetisa, sacerdotisa, glicose,
bochecha, bucha, cachimbo, chalé, charque, chimarrão, metamorfose, virose
chuchu, chute, cochilo, debochar, fachada, fantoche, ficha, flecha,
mochila, pechincha, salsicha, tchau, etc. 5) Após ditongos
Exemplos:
Para representar o fonema /j/ na forma escrita, a grafia coisa, pouso, lousa, náusea
considerada correta é aquela que ocorre de acordo com a origem
da palavra. Veja os exemplos: 6) Nas formas dos verbos pôr e querer, bem como em seus
gesso: Origina-se do grego gypsos derivados
jipe: Origina-se do inglês jeep. Exemplos:
pus, pôs, pusemos, puseram, pusera, pusesse, puséssemos
Emprega-se o G: quis, quisemos, quiseram, quiser, quisera, quiséssemos
repus, repusera, repusesse, repuséssemos
1) Nos substantivos terminados em -agem, -igem, -ugem
Exemplos: barragem, miragem, viagem, origem, ferrugem 7) Nos seguintes nomes próprios personativos:
Exceção: pajem Baltasar, Heloísa, Inês, Isabel, Luís, Luísa, Resende, Sousa,
Teresa, Teresinha, Tomás
2) Nas palavras terminadas em -ágio, -égio, -ígio, -ógio, -úgio
Exemplos: estágio, privilégio, prestígio, relógio, refúgio 8) Nos seguintes vocábulos:
abuso, asilo, através, aviso, besouro, brasa, cortesia,
3) Nas palavras derivadas de outras que se grafam com g decisão,despesa, empresa, freguesia, fusível, maisena, mesada,
Exemplos: engessar (de gesso), massagista (de massagem), paisagem, paraíso, pêsames, presépio, presídio, querosene,
vertiginoso (de vertigem) raposa, surpresa, tesoura, usura, vaso, vigésimo, visita, etc.

4) Nos seguintes vocábulos: Emprega-se o Z:


algema, auge, bege, estrangeiro, geada, gengiva, gibi, gilete,
hegemonia, herege, megera, monge, rabugento, vagem. 1) Nas palavras derivadas de outras que já apresentam z no
radical
Emprega-se o J: Exemplos:
deslize- deslizar razão- razoável vazio- esvaziar
1) Nas formas dos verbos terminados em -jar ou -jear raiz- enraizar cruz-cruzeiro
Exemplos:
arranjar: arranjo, arranje, arranjem 2) Nos sufixos -ez, -eza, ao formarem substantivos abstratos a
despejar: despejo, despeje, despejem partir de adjetivos
gorjear: gorjeie, gorjeiam, gorjeando Exemplos:
enferrujar: enferruje, enferrujem inválido- invalidez limpo-limpeza macio- maciez
viajar: viajo, viaje, viajem rígido- rigidez
frio- frieza nobre- nobreza pobre-pobreza surdo-
2) Nas palavras de origem tupi, africana, árabe ou exótica surdez
Exemplos: biju, jiboia, canjica, pajé, jerico, manjericão, Moji
3) Nos sufixos -izar, ao formar verbos e -ização, ao formar
3) Nas palavras derivadas de outras que já apresentam j substantivos
Exemplos: Exemplos:
laranja- laranjeira loja- lojista lisonja - civilizar- civilização hospitalizar- hospitalização
lisonjeador nojo- nojeira colonizar- colonização realizar- realização
cereja- cerejeira varejo- varejista rijo- enrijecer
jeito- ajeitar 4) Nos derivados em -zal, -zeiro, -zinho, -zinha, -zito, -zita
Exemplos:
4) Nos seguintes vocábulos: cafezal, cafezeiro, cafezinho, arvorezinha, cãozito, avezita
berinjela, cafajeste, jeca, jegue, majestade, jeito, jejum, laje,
traje, pegajento 5) Nos seguintes vocábulos:
azar, azeite, azedo, amizade, buzina, bazar, catequizar, chafariz,
Emprego das Letras S e Z cicatriz, coalizão, cuscuz, proeza, vizinho, xadrez, verniz, etc.

Emprega-se o S: 6) Nos vocábulos homófonos, estabelecendo distinção no


contraste entre o S e o Z
1) Nas palavras derivadas de outras que já apresentam s no Exemplos:
radical cozer (cozinhar) e coser (costurar)

Língua Portuguesa 13
Apostila Digital Licenciada para Renê da Silva Pereira - aspirantepm2009@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
prezar( ter em consideração) e presar (prender) /cs/ - axila, nexo
traz (forma do verbo trazer) e trás (parte posterior)
/z/ - exame, exílio
Observação: em muitas palavras, a letra X soa como Z. Veja os
exemplos: /ss/ - máximo, próximo
exame exato exausto exemplo existir exótico
inexorável /s/ - texto, extenso

Emprego de S, Ç, X e dos Dígrafos Sc, Sç, Ss, Xc, Xs 2) Não soa nos grupos internos -xce- e -xci-
Exemplos: excelente, excitar
Existem diversas formas para a representação do fonema /S/.
Observe: Emprego das letras E e I

Emprega-se o S: Na língua falada, a distinção entre as vogais átonas /e/ e /i /


pode não ser nítida. Observe:
Nos substantivos derivados de verbos terminados em
“andir”,”ender”, “verter” e “pelir” Emprega-se o E:
Exemplos:
expandir- expansão pretender- pretensão verter- 1) Em sílabas finais dos verbos terminados em -oar, -uar
versão expelir- expulsão Exemplos:
estender- extensão suspender- suspensão magoar - magoe, magoes
converter - conversão repelir- repulsão continuar- continue, continues

Emprega-se Ç: 2) Em palavras formadas com o prefixo ante- (antes, anterior)


Exemplos: antebraço, antecipar
Nos substantivos derivados dos verbos “ter” e “torcer”
Exemplos: 3) Nos seguintes vocábulos:
ater- atenção torcer- torção cadeado, confete, disenteria, empecilho, irrequieto, mexerico,
deter- detenção distorcer-distorção orquídea, etc.
manter- manutenção contorcer- contorção
Emprega-se o I :
Emprega-se o X:
1) Em sílabas finais dos verbos terminados em -air, -oer, -uir
Em alguns casos, a letra X soa como Ss Exemplos:
Exemplos: cair- cai
auxílio, expectativa, experto, extroversão, sexta, sintaxe, texto, doer- dói
trouxe influir- influi

Emprega-se Sc: 2) Em palavras formadas com o prefixo anti- (contra)


Exemplos:
Nos termos eruditos Anticristo, antitetânico
Exemplos:
acréscimo, ascensorista, consciência, descender, discente, 3) Nos seguintes vocábulos:
fascículo, fascínio, imprescindível, miscigenação, miscível, aborígine, artimanha, chefiar, digladiar, penicilina, privilégio,
plebiscito, rescisão, seiscentos, transcender, etc. etc.

Emprega-se Sç: Emprego das letras O e U

Na conjugação de alguns verbos Emprega-se o O/U:


Exemplos:
nascer- nasço, nasça A oposição o/u é responsável pela diferença de significado de
crescer- cresço, cresça algumas palavras. Veja os exemplos:
descer- desço, desça comprimento (extensão) e cumprimento (saudação,
realização)
Emprega-se Ss: soar (emitir som) e suar (transpirar)

Nos substantivos derivados de verbos terminados em “gredir”, Grafam-se com a letra O: bolacha, bússola, costume,
“mitir”, “ceder” e “cutir” moleque.
Exemplos:
agredir- agressão demitir- demissão ceder- cessão Grafam-se com a letra U: camundongo, jabuti, Manuel, tábua
discutir- discussão
progredir- progressão t r a n s m i t i r - t r a n s m i s s ã o Emprego da letra H
exceder- excesso repercutir- repercussão
Esta letra, em início ou fim de palavras, não tem valor fonético.
Emprega-se o Xc e o Xs: Conservou-se apenas como símbolo, por força da etimologia e
da tradição escrita. A palavra hoje, por exemplo, grafa-se desta
Em dígrafos que soam como Ss forma devido a sua origem na forma latina hodie.
Exemplos:
exceção, excêntrico, excedente, excepcional, exsudar Emprega-se o H:

Observações sobre o uso da letra X 1) Inicial, quando etimológico


Exemplos: hábito, hesitar, homologar, Horácio
1) O X pode representar os seguintes fonemas:
/ch/ - xarope, vexame 2) Medial, como integrante dos dígrafos ch, lh, nh
Exemplos: flecha, telha, companhia

Língua Portuguesa 14
Apostila Digital Licenciada para Renê da Silva Pereira - aspirantepm2009@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
3) Final e inicial, em certas interjeições Observação: esses nomes escrevem-se com inicial minúscula
Exemplos: ah!, ih!, eh!, oh!, hem?, hum!, etc. quando são empregados em sentido geral ou indeterminado.
Exemplo:
4) Em compostos unidos por hífen, no início do segundo Todos amam sua pátria.
elemento, se etimológico
Exemplos: anti-higiênico, pré-histórico, super-homem, etc. Emprego FACULTATIVO de letra maiúscula:

Observações: a) Nos nomes de logradouros públicos, templos e edifícios.


Exemplos:
1) No substantivo Bahia, o “h” sobrevive por tradição. Note que Rua da Liberdade ou rua da Liberdade
nos substantivos derivados como baiano, baianada ou baianinha Igreja do Rosário ou igreja do Rosário
ele não é utilizado. Edifício Azevedo ou edifício Azevedo

2) Os vocábulos erva, Espanha e inverno não possuem a 2) Utiliza-se inicial minúscula:


letra “h” na sua composição. No entanto, seus derivados eruditos a) Em todos os vocábulos da língua, nos usos correntes.
sempre são grafados com h. Veja: Exemplos:
herbívoro, hispânico, hibernal. carro, flor, boneca, menino, porta, etc.

Emprego das Iniciais Maiúsculas e Minúsculas b) Nos nomes de meses, estações do ano e dias da semana.
Exemplos:
1) Utiliza-se inicial maiúscula: janeiro, julho, dezembro, etc.
a) No começo de um período, verso ou citação direta. segunda, sexta, domingo, etc.
Exemplos: primavera, verão, outono, inverno
Disse o Padre Antonio Vieira: “Estar com Cristo em qualquer
lugar, ainda que seja no inferno, é estar no Paraíso.” c) Nos pontos cardeais.
Exemplos:
“Auriverde pendão de minha terra, Percorri o país de norte a sul e de leste a oeste.
Que a brisa do Brasil beija e balança, Estes são os pontos colaterais: nordeste, noroeste, sudeste,
Estandarte que à luz do sol encerra sudoeste.
As promessas divinas da Esperança…”
(Castro Alves) Observação: quando empregados em sua forma absoluta, os
pontos cardeais são grafados com letra maiúscula.
Observações: Exemplos:
- No início dos versos que não abrem período, é facultativo o Nordeste (região do Brasil)
uso da letra maiúscula. Ocidente (europeu)
Oriente (asiático)
Por Exemplo:
“Aqui, sim, no meu cantinho, Lembre-se:
vendo rir-me o candeeiro, Depois de dois-pontos, não se tratando de citação direta, usa-
gozo o bem de estar sozinho se letra minúscula.
e esquecer o mundo inteiro.”
Exemplo:
- Depois de dois pontos, não se tratando de citação direta, usa- “Chegam os magos do Oriente, com suas dádivas: ouro,
se letra minúscula. incenso, mirra.” (Manuel Bandeira)
Por Exemplo:
“Chegam os magos do Oriente, com suas dádivas: ouro, Emprego FACULTATIVO de letra minúscula:
incenso, mirra.” (Manuel Bandeira)
a) Nos vocábulos que compõem uma citação bibliográfica.
b) Nos antropônimos, reais ou fictícios. Exemplos:
Exemplos: Crime e Castigo ou Crime e castigo
Pedro Silva, Cinderela, D. Quixote. Grande Sertão: Veredas ou Grande sertão: veredas
Em Busca do Tempo Perdido ou Em busca do tempo perdido
c) Nos topônimos, reais ou fictícios.
Exemplos: b) Nas formas de tratamento e reverência, bem como em
Rio de Janeiro, Rússia, Macondo. nomes sagrados e que designam crenças religiosas.
Exemplos:
d) Nos nomes mitológicos. Governador Mário Covas ou governador Mário Covas
Exemplos: Papa João Paulo II ou papa João Paulo II
Dionísio, Netuno. Excelentíssimo Senhor Reitor ou excelentíssimo senhor reitor
Santa Maria ou santa Maria.
e) Nos nomes de festas e festividades.
Exemplos: c) Nos nomes que designam domínios de saber, cursos e
Natal, Páscoa, Ramadã. disciplinas.

f) Em siglas, símbolos ou abreviaturas internacionais. Exemplos:


Exemplos: Português ou português
ONU, Sr., V. Ex.ª. Línguas e Literaturas Modernas ou línguas e literaturas
modernas
g) Nos nomes que designam altos conceitos religiosos, História do Brasil ou história do Brasil
políticos ou nacionalistas. Arquitetura ou arquitetura
Exemplos:
Igreja (Católica, Apostólica, Romana), Estado, Nação, Pátria, Fonte: http://www.soportugues.com.br/secoes/fono/
União, etc. fono24.php

Língua Portuguesa 15
Apostila Digital Licenciada para Renê da Silva Pereira - aspirantepm2009@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
Questões D) A dois meses fomos na casa de sua mãe.
E) Há tempos atrás éramos muito felizes.
01. (Escrevente TJ SP – Vunesp) Assinale a alternativa que
preenche, correta e respectivamente, as lacunas do trecho a 09. Marque a alternativa em que a palavra NÃO está
seguir, de acordo com a norma-padrão. corretamente empregada de acordo com sua ortografia.
Além disso, ___certamente ____entre nós ____do fenômeno da A) Serei eu um ____________ colega? (mal)
corrupção e das fraudes. B) Sei ____________ você guardou meus presentes. (onde)
(A) a … concenso … acerca C) Os alunos estão de ____________ com o diretor. (mal)
(B) há … consenso … acerca D) ____________ vocês estão indo com tanta pressa? (aonde)
(C) a … concenso … a cerca E) Jonas ____________ sempre seus livros sempre encapados.
(D) a … consenso … há cerca (traz)
(E) há … consenço … a cerca
10. Assinale a alternativa cuja frase esteja incorreta:
02. (Escrevente TJ SP – Vunesp). Assinale a alternativa A) Porque essa cara?
cujas palavras se apresentam flexionadas de acordo com a B) Não vou porque não quero.
norma-padrão. C) Mas por quê?
(A) Os tabeliãos devem preparar o documento. D) Você saiu por quê?
(B) Esses cidadões tinham autorização para portar fuzis.
(C) Para autenticar as certidãos, procure o cartório local. Respostas
(D) Ao descer e subir escadas, segure-se nos corrimãos.
(E) Cuidado com os degrais, que são perigosos! 1-B / 2-D / 3-C / 4-C / 5-B / 6-D / 7-A / 8-D / 9-A /
10-A
03. (Agente de Vigilância e Recepção – VUNESP).
Suponha-se que o cartaz a seguir seja utilizado para informar os Comentários
usuários sobre o festival Sounderground. 1-) Além disso, há (existe) certamente consenso entre nós
acerca (de + o) (sobre o ) do fenômeno da corrupção e das
Prezado Usuário fraudes.
________ de oferecer lazer e cultura aos passageiros do metrô,
________ desta segunda-feira (25/02), ________ 17h30, começa o 2-)
Sounderground, festival internacional que prestigia os músicos (A) Os tabeliãos devem preparar o documento. = tabeliães
que tocam em estações do metrô. (B) Esses cidadões tinham autorização para portar fuzis. =
Confira o dia e a estação em que os artistas se apresentarão cidadãos
e divirta-se! (C) Para autenticar as certidãos, procure o cartório local. =
certidões
Para que o texto atenda à norma-padrão, devem-se preencher (E) Cuidado com os degrais, que são perigosos = degraus
as lacunas, correta e respectivamente, com as expressões
A) A fim ...a partir ... as 3-) Prezado Usuário: A fim de oferecer lazer e cultura aos
B) A fim ...à partir ... às passageiros do metrô, a partir desta segunda-feira (25/02),
C) A fim ...a partir ... às às 17h30, começa o Sounderground, festival internacional que
D) Afim ...a partir ... às prestigia os músicos que tocam em estações do metrô.
E) Afim ...à partir ... as Confira o dia e a estação em que os artistas se apresentarão
e divirta-se!
04. Assinale a alternativa que não apresenta erro de Afim = afinidade; a partir: sempre separado; antes de horas:
ortografia: há crase
A) Ela interrompeu a reunião derrepente.
B) O governador poderá ter seu mandato caçado. 4-)
C) Os espectadores aplaudiram o ministro. A) Ela interrompeu a reunião derrepente. =de repente
D) Saiu com descrição da sala. B) O governador poderá ter seu mandato caçado. = cassado
D) Saiu com descrição da sala. = discrição
05.Em qual das alternativas a frase está corretamente
escrita? 5-)
A) O mindingo não depositou na cardeneta de poupansa. A) O mindingo não depositou na cardeneta de poupansa.
B) O mendigo não depositou na caderneta de poupança. = mendigo/caderneta/poupança
C) O mindigo não depozitou na cardeneta de poupanssa. C) O mindigo não depozitou na cardeneta de poupanssa.
D) O mendingo não depozitou na carderneta de poupansa. = mendigo/caderneta/poupança
D) O mendingo não depozitou na carderneta de poupansa.
06. Qual das alternativas abaixo apresenta pelo menos =mendigo/depositou/caderneta/poupança
uma palavra que deveria ser grafada com S no lugar do X?
A) Exumar – Exultar. 6-) Espontâneo – Estrepitar
B) Exteriorizar – Êxtase.
C) Expectador – Excursão. 7-)
D) Expontâneo – Extrepitar. B) Ra-dio-gra-far = Ra - di - o - gra - far
C) Tin-ho-rão. = ti - nho - rão
07. Está separada corretamente: D) So-bre-ssa-len-te. = so - bres - sa - len - te
A) Sus-sur-rar. E) Li-gni-ta. = lig - ni - ta
B) Ra-dio-gra-far.
C) Tin-ho-rão. 8-) Há dois meses fomos na casa de sua mãe. (= há no
D) So-bre-ssa-len-te. sentido de tempo passado)
E) Li-gni-ta.
9-) Serei eu um mau colega? (mal) - mau=adjetivo
08. Assinale a alternativa incorreta quanto ao uso de “a” e
“há”: 10-) Por que essa cara? = é uma pergunta e o pronome está
A) Daqui a dois meses iremos à Europa. longe do ponto de interrogação.
B) Isto foi há muito tempo.
C) Há meses que não a vejo.

Língua Portuguesa 16
Apostila Digital Licenciada para Renê da Silva Pereira - aspirantepm2009@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
Acentuação Ex.: coração – melão – órgão – ímã 

A acentuação é um dos requisitos que perfazem as regras Regras fundamentais: 


estabelecidas pela Gramática Normativa. Esta se compõe de
algumas particularidades, às quais devemos estar atentos, Palavras oxítonas:
procurando estabelecer uma relação de familiaridade e, Acentuam-se todas as oxítonas terminadas em: “a”, “e”, “o”,
consequentemente, colocando-as em prática na linguagem “em”, seguidas ou não do plural(s):
escrita. Pará – café(s) – cipó(s) – armazém(s) 

À medida que desenvolvemos o hábito da leitura e a Essa regra também é aplicada aos seguintes casos:
prática de redigir, automaticamente aprimoramos essas
competências, e tão logo nos adequamos à forma padrão. Monossílabos tônicos terminados em “a”, “e”, “o”, seguidos
ou não de “s”. 
Regras básicas – Acentuação tônica  Ex.: pá – pé – dó –  há 

A acentuação tônica implica na intensidade com que são Formas verbais terminadas em “a”, “e”, “o” tônicos, seguidas
pronunciadas as sílabas das palavras. Aquela que se dá de de lo, la, los, las.
forma mais acentuada, conceitua-se como sílaba tônica. As respeitá-lo – percebê-lo – compô-lo 
demais, como são pronunciadas com menos intensidade, são
denominadas de átonas.  Paroxítonas: 
Acentuam-se as palavras paroxítonas terminadas em: 
De acordo com a tonicidade, as palavras são classificadas - i, is 
como: táxi – lápis – júri 
- us, um, uns 
Oxítonas – São aquelas cuja sílaba tônica recai sobre a vírus – álbuns – fórum 
última sílaba.  - l, n, r, x, ps 
Ex.: café – coração – cajá – atum – caju – papel  automóvel – elétron - cadáver – tórax – fórceps 
- ã, ãs, ão, ãos 
Paroxítonas – São aquelas em que a sílaba tônica se ímã – ímãs – órfão – órgãos 
evidencia na penúltima sílaba. 
Ex.: útil – tórax – táxi – leque – retrato – passível  - Dica: Memorize a palavra LINURXÃO. Para quê? Repare que
essa palavra apresenta as terminações das paroxítonas que são
Proparoxítonas - São aquelas em que a sílaba tônica se acentuadas: L, I N, U (aqui inclua UM =fórum), R, X, Ã, ÃO. Assim
evidencia na antepenúltima sílaba. ficará mais fácil a memorização!
Ex.: lâmpada –  câmara –  tímpano – médico – ônibus
-ditongo oral, crescente ou decrescente, seguido ou não de “s”. 
Como podemos observar, mediante todos os exemplos
mencionados, os vocábulos possuem mais de uma sílaba, mas água – pônei – mágoa – jóquei 
em nossa língua existem aqueles com uma sílaba somente:
são os chamados monossílabos, que, quando pronunciados, Regras especiais: 
apresentam certa diferenciação quanto à intensidade.
Os ditongos de pronúncia aberta “ei”, “oi” ( ditongos abertos),
Tal diferenciação só é percebida quando os pronunciamos que antes eram acentuados, perderam o acento de acordo com
em uma dada sequência de palavras. Assim como podemos a nova regra, mas desde que estejam em palavras paroxítonas.
observar no exemplo a seguir:
Cuidado: Se os ditongos abertos estiverem em uma
“Sei que não vai dar em nada, palavra oxítona (herói) ou monossílaba (céu) ainda são
Seus segredos sei de cor”.  acentuados.  Ex.:
Antes Agora
Os monossílabos em destaque classificam-se como tônicos;
assembléia assembleia
os demais, como átonos (que, em, de).
idéia ideia
geléia geleia
Os acentos 
jibóia jiboia
apóia (verbo apoiar) apoia
acento agudo (´) – Colocado sobre as letras “a”, “i”, “u” e
paranóico paranoico
sobre o “e” do grupo “em” - indica que estas letras representam
 
as vogais tônicas de palavras como Amapá, caí, público, parabéns.
Quando a vogal do hiato for “i” ou “u” tônicos, acompanhados
Sobre as letras “e” e “o” indica, além da tonicidade, timbre aberto. 
ou não de “s”, haverá acento: 
Ex.: herói – médico – céu  (ditongos abertos)
Ex.: saída – faísca – baú – país – Luís 
acento circunflexo (^) – colocado sobre as letras “a”, “e” e
Observação importante:
“o” indica, além da tonicidade, timbre fechado: 
Não serão mais acentuados “i” e “u” tônicos, formando hiato
Ex.: tâmara – Atlântico – pêssego – supôs 
quando vierem depois de ditongo: Ex.:
acento grave (`) – indica a fusão da preposição “a” com
Antes Agora
artigos e pronomes. 
bocaiúva bocaiuva
Ex.: à – às – àquelas – àqueles 
feiúra feiura
Sauípe Sauipe
trema (¨) – De acordo com a nova regra, foi totalmente
abolido das palavras. Há uma exceção: é utilizado em palavras
O acento pertencente aos encontros “oo” e “ee” foi
derivadas de nomes próprios estrangeiros. 
abolido. Ex.:
Ex.: mülleriano (de Müller) 
 
Antes Agora
til (~) – indica que as letras “a” e “o” representam vogais
crêem creem
nasais. 

Língua Portuguesa 17
Apostila Digital Licenciada para Renê da Silva Pereira - aspirantepm2009@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
lêem leem Faço isso por você.
vôo voo Posso pôr (colocar) meus livros aqui?
enjôo enjoo
Questões
- Agora memorize a palavra CREDELEVÊ. São os verbos que,
no plural, dobram o “e”, mas que não recebem mais acento 01. “Cadáver” é paroxítona, pois:
como antes: CRER, DAR, LER e VER. A) Tem a última sílaba como tônica.
B) Tem a penúltima sílaba como tônica.
Repare: C) Tem a antepenúltima sílaba como tônica.
1-) O menino crê em você D) Não tem sílaba tônica.
Os meninos creem em você.
2-) Elza lê bem! 02. Assinale a alternativa correta.
Todas leem bem! A palavra faliu contém um:
3-) Espero que ele dê o recado à sala. A) hiato
Esperamos que os dados deem efeito! B) dígrafo
4-) Rubens vê tudo! C) ditongo decrescente
Eles veem tudo! D) ditongo crescente

- Cuidado! Há o verbo vir: 03. Em “O resultado da experiência foi, literalmente,


Ele vem à tarde! aterrador.” a palavra destacada encontra-se acentuada pelo
Eles vêm à tarde! mesmo motivo que:
Não se acentuam o “i” e o “u” que formam hiato quando A) túnel
seguidos, na mesma sílaba, de l, m, n, r ou z:  B) voluntário
C) até
Ra-ul, ru-im, con-tri-bu-in-te, sa-ir, ju-iz  D) insólito
E) rótulos
Não se acentuam as letras “i” e “u” dos hiatos se estiverem
seguidas do dígrafo nh:  04. Assinale a alternativa correta.
ra-i-nha, ven-to-i-nha.  A) “Contrário” e “prévias” são acentuadas por serem
paroxítonas terminadas em ditongo.
Não se acentuam as letras “i” e “u” dos hiatos se vierem B) Em “interruptor” e “testaria” temos, respectivamente,
precedidas de vogal idêntica:  encontro consonantal e hiato.
xi-i-ta, pa-ra-cu-u-ba  C) Em “erros derivam do mesmo recurso mental” as palavras
grifadas são paroxítonas.
As formas verbais que possuíam o acento tônico na raiz, com D) Nas palavras “seguida”, “aquele” e “quando” as partes
“u” tônico precedido de “g” ou “q” e seguido de “e” ou “i” não destacadas são dígrafos.
serão mais acentuadas.  Ex.: E) A divisão silábica está correta em “co-gni-ti-va”, “p-si-có-
lo-ga” e “a-ci-o-na”.
Antes Depois
apazigúe (apaziguar) apazigue 05. Todas as palavras abaixo são hiatos, EXCETO:
averigúe (averiguar) averigue A) saúde
argúi (arguir) argui B) cooperar
C) ruim
Acentuam-se os verbos pertencentes à terceira pessoa do D) creem
plural de: E) pouco

ele tem – eles têm 06. “O episódio aconteceu em plena via pública de Assis.
ele vem – eles vêm (verbo vir) Dez mulheres começaram a cantar músicas pela paz mundial.
A partir daquele momento outras pessoas que passavam por
A regra prevalece também para os verbos conter, obter, reter, ali decidiram integrar ao grupo. Rapidamente, uma multidão
deter, abster.  aderiu à ideia. Assim começou a formação do maior coral
ele contém – eles contêm popular de Assis”. O vocábulo sublinhado tem sua acentuação
ele obtém – eles obtêm gráfica justificada pelo mesmo motivo das palavras:
ele retém – eles retêm A) eminência, ímpio, vácuo, espécie, sério
ele convém – eles convêm  B) aluá, cárie, pátio, aéreo, ínvio
C) chinês, varíola, rubéola, período, prêmio
Não se acentuam mais as palavras homógrafas que antes D) sábio, sábia, sabiá, curió, sério
eram acentuadas para diferenciá-las de outras semelhantes
(regra do acento diferencial). Apenas em algumas exceções, 07. Assinale a opção CORRETA em que todas as palavras
como:  estão acentuadas na mesma posição silábica.
A) Nazaré - além - até - está - também.
A forma verbal pôde  (terceira pessoa do singular do B) Água - início - além - oásis - religião.
pretérito perfeito do modo indicativo) ainda continua C) Município - início - água - século - oásis
sendo acentuada para diferenciar-se de  pode  (terceira D) Século - símbolo - água - histórias - missionário
pessoa do singular do presente do indicativo).  Ex: E) Missionário - símbolo - histórias - século – município

Ela pode fazer isso agora. 08. Considerando as palavras: também / revólver /
Elvis não pôde participar porque sua mão não deixou... lâmpada / lápis. Assinale a única alternativa cuja justificativa
de acentuação gráfica não se refere a uma delas:
O mesmo ocorreu com o verbo  pôr para diferenciar da A) palavra paroxítona terminada em - is
preposição por.  B) palavra proparoxítona terminada em - em
C) palavra paroxítona terminada em - r
- Quando, na frase, der para substituir o “por” por “colocar”, D) palavra proparoxítona - todas devem ser acentuadas
então estaremos trabalhando com um verbo, portanto: “pôr”;
nos outros casos, “por” preposição. Ex:

Língua Portuguesa 18
Apostila Digital Licenciada para Renê da Silva Pereira - aspirantepm2009@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
09. Assinale a alternativa incorreta: 9-) As alternativas A, B e C contêm afirmativas corretas. Na
A) Os vocábulos sábio, régua e decência são paroxítonos D, há erro, pois véu é monossílabo acentuado por terminar em
terminadas em ditongos crescentes. ditongo aberto.
B) O vocábulo armazém é acentuado por ser um oxítono
terminado em em. 10-) Qui – lo – Quanto ao fonema, não ouço o som do U : /
C) Os vocábulos baú e cafeína são hiatos. kilo/. Duas letras, um fonema: dígrafo
D) O vocábulo véu é acentuado por ser um oxítono terminado
em u.

10. Em quilo, há:


A) Ditongo aberto; Traços semânticos de radicais,
B) Tritongo; prefixos e sufixos
C) Hiato;
D) Dígrafo;
E) Ditongo fechado.

Respostas Observe as seguintes palavras:


1-B / 2-C / 3-B / 4-A / 5-E / 6-A / 7-A / 8-B / 9-D / 10-D escol-a
escol-ar
Comentários escol-arização
escol-arizar
1-) Separando as sílabas: Ca – dá – ver: a penúltima sílaba sub-escol-arização
é a tônica (mais forte; nesse caso, acentuada). Penúltima sílaba
tônica = paroxítona Percebemos que há um elemento comum a todas elas: a
forma escol-. Além disso, em todas há elementos destacáveis,
2-) fa - liu - temos aqui duas vogais na mesma sílaba, responsáveis por algum detalhe de significação. Compare, por
portanto: ditongo. É decrescente porque apresenta uma exemplo, escola e escolar: partindo de escola, formou-se escolar
semivogal e uma vogal. Na classificação, ambas são semivogais, pelo acréscimo do elemento destacável: ar.
mas quando juntas, a que “aparecer” mais na pronúncia será
considerada “vogal”. Por meio desse trabalho de comparação entre as diversas
palavras que selecionamos, podemos depreender a existência
3-) ex – pe - ri – ên - cia : paroxítona terminada em ditongo de diferentes elementos formadores. Cada um desses elementos
crescente (semivogal + vogal) formadores é uma unidade mínima de significação, um elemento
a-) Tú –nel: paroxítona terminada em L significativo indecomponível, a que damos o nome de morfema.
b-) vo – lun - tá – rio : paroxítona terminada em ditongo
crescente Classificação dos morfemas:
c-) A - té – oxítona
d-) in – só – li – to : proparoxítona Radical
e-) ró – tu los – proparoxítona
Há um morfema comum a todas as palavras que estamos
4-) analisando: escol-.
a-) correta É esse morfema comum – o radical – que faz com que as
b-) inteRRuptor: não é encontro consonantal, mas sim consideremos palavras de uma mesma família de significação –
DÍGRAFO os cognatos. O radical é a parte da palavra responsável por sua
c-) todas são, exceto MENTAL, que é oxítona significação principal.
d-) são dígrafos, exceto QUANDO, que “ouço” o som do U,
portanto não é caso de dígrafo Afixos
e-) cog – ni - ti – va / psi – có- lo- ga
Como vimos, o acréscimo do morfema – ar - cria uma
5-) sa - ú - de / co - o - pe – rar / ru – im / crê - em nova palavra a partir de escola. De maneira semelhante,
/ pou - co (ditongo) o acréscimo dos morfemas sub e arização à forma escol
criou  subescolarização. Esses morfemas recebem o nome de
6-) e - pi - só - dio - paroxítona terminada em ditongo afixos.
Quando são colocados antes do radical, como acontece
a-) ok com sub, os afixos recebem o nome de prefixos. Quando, como
b-) a – lu –á :oxítona, então descarte esse item arização, surgem depois do radical os afixos são chamados
c-) chi – nês : oxítona, idem de sufixos.
d-) sa – bi – á : idem Prefixos e sufixos, além de operar mudança de classe
gramatical, são capazes de introduzir modificações de
7-) significado no radical a que são acrescentados.
a-) oxítona – TODAS
b-) paroxítona – paroxítona – oxítona – paroxítona – não Desinências
acentuada
c-) paroxítona – idem – idem – proparoxítona – paroxítona Quando se conjuga o verbo amar, obtêm-se formas como
d-) proparoxítona – idem – paroxítona – idem – idem amava, amavas, amava, amávamos, amáveis, amavam. Essas
e-) paroxítona – proparoxítona – paroxítona – proparoxítona modificações ocorrem à medida que o verbo vai sendo flexionado
– paroxítona em número (singular e plural) e pessoa (primeira, segunda ou
terceira). Também ocorrem se modificarmos o tempo e o modo
8-) tam – bém: oxítona / re – vól – ver: paroxítona / lâm – pa do verbo (amava, amara, amasse, por exemplo).
– da: proparoxítona / lá – pis :paroxítona Podemos concluir, assim, que existem morfemas que indicam
a-) é a regra do LÁPIS as flexões das palavras. Esses morfemas sempre surgem no fim
b-) todas as proparoxítonas são acentuadas, independente das palavras variáveis e recebem o nome de desinências. Há
de sua terminação desinências nominais e desinências verbais.
c-) regra para REVÓLVER
d-) ok

Língua Portuguesa 19
Apostila Digital Licenciada para Renê da Silva Pereira - aspirantepm2009@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
Desinências nominais: indicam o gênero e o número dos exemplo de vogal de ligação na palavra escolaridade: o - i - entre
nomes. Para a indicação de gênero, o português costuma opor as os sufixos -ar- e -dade facilita a emissão vocal da palavra. Outros
desinências -o/-a: garoto/garota; menino/menina. exemplos: gasômetro, alvinegro, tecnocracia, paulada, cafeteira,
Para a indicação de número, costuma-se utilizar o chaleira, tricota.
morfema –s,  que indica o plural em oposição à ausência de
morfema, que indica o singular: garoto/garotos; garota/garotas; Processos de formação de palavras:
menino/meninos; menina/meninas.
No caso dos nomes terminados em –r e –z, a desinência de 1-) Composição
plural assume a forma -es: Haverá composição quando se juntarem dois ou mais
mar/mares; radicais para formar nova palavra. Há dois tipos de composição;
revólver/revólveres; justaposição e aglutinação.
cruz/cruzes.
1.1-) Justaposição: ocorre quando os elementos que
Desinências verbais: em nossa língua, as desinências formam o composto são postos lado a lado, ou seja, justapostos:
verbais pertencem a dois tipos distintos. Há aqueles que indicam Corre-corre, guarda-roupa, segunda-feira, girassol.
o modo e o tempo (desinências modo-temporais) e aquelas que 1.2-) Aglutinação:  ocorre quando os elementos que
indicam o número e a pessoa dos verbos (desinência número- formam o composto se aglutinam e pelo menos um deles perde
pessoais): sua integridade sonora: Aguardente (água + ardente), planalto
  (plano + alto), pernalta (perna + alta), vinagre (vinho + acre)
  cant-á-va-mos
cant-á-sse-is Derivação por acréscimo de afixos 

cant: radical É o processo pelo qual se obtêm palavras novas (derivadas)


cant: radical pela anexação de afixos à palavra primitiva. A derivação pode
ser: prefixal, sufixal e parassintética.
-á-: vogal temática
-á-: vogal temática 1-) Prefixal (ou prefixação): a palavra nova é obtida por
acréscimo de prefixo.
-va-: desinência modo-temporal(caracteriza o pretérito In------ --feliz        des----------leal
imperfeito do indicativo) Prefixo radical  prefixo radical
-sse-: desinência modo-temporal (caracteriza o pretérito
imperfeito do subjuntivo) 2-) Sufixal (ou sufixação): a palavra nova é obtida por
-mos: desinência número-pessoal (caracteriza a primeira acréscimo de sufixo.
pessoa do plural) Feliz---- mente    leal------dade
-is: desinência número-pessoal (caracteriza a segunda Radical sufixo   radical sufixo
pessoa do plural)
3-) Parassintética: a palavra nova é obtida pelo acréscimo
Vogal temática simultâneo de prefixo e sufixo (não posso retirar o prefixo nem o
sufixo que estão ligados ao radical, pois a palavra não “existiria”).
Observe que, entre o radical cant- e as desinências verbais, Por parassíntese formam-se principalmente verbos.
surge sempre o morfema –a. En-- -----trist- ----ecer
Prefixo radical  sufixo
Esse morfema, que liga o radical às desinências, é chamado
de vogal temática. Sua função é ligar-se ao radical, constituindo en----- ---tard--- --ecer 
o chamado tema. É ao tema (radical + vogal temática) que se prefixo radical sufixo
acrescentam as desinências. Tanto os verbos como os nomes
apresentam vogais temáticas. Outros tipos de derivação

Vogais temáticas nominais: São -a, -e, e -o, quando átonas Há dois casos em que a palavra derivada é formada sem que
finais, como em mesa, artista, busca, perda, escola, triste, base, haja a presença de afixos. São eles: a derivação regressiva e a
combate. Nesses casos, não poderíamos pensar que essas derivação imprópria.
terminações são desinências indicadoras de gênero, pois a mesa,
escola, por exemplo, não sofrem esse tipo de flexão. É a essas 1-) Derivação regressiva: a palavra nova é obtida por
vogais temáticas que se liga a desinência indicadora de plural: redução da palavra primitiva. Ocorre, sobretudo, na formação
mesa-s, escola-s, perda-s. Os nomes terminados em vogais de substantivos derivados de verbos. Exemplo: A pesca está
tônicas (sofá, café, cipó, caqui, por exemplo) não apresentam proibida. (pescar). Proibida a caça. (caçar)
vogal temática.
2-) Derivação imprópria:  a palavra nova (derivada)
Vogais temáticas verbais: São -a, -e e -i, que caracterizam é obtida pela mudança de categoria gramatical da palavra
três grupos de verbos a que se dá o nome de conjugações. primitiva. Não ocorre, pois, alteração na forma, mas tão somente
Assim, os verbos cuja vogal temática é -a pertencem à primeira na classe gramatical.
conjugação; aqueles cuja vogal temática é -e pertencem à Não entendi o porquê da briga. (o substantivo porquê deriva
segunda conjugação e os que têm vogal temática -i pertencem à da conjunção porque)
terceira conjugação. Seu olhar me fascina! (o verbo olhar tornou-se, aqui,
  substantivo)
primeira conjug. segunda conjug. terceira conjug.
govern-a-va estabelec-e-sse defin-i-ra Outros processos de formação de palavras:
atac-a-va cr-e-ra imped-i-sse
realiz-a-sse mex-e-rá g-i-mos - Hibridismo: é a palavra formada com elementos oriundos
de línguas diferentes.
Vogal ou consoante de ligação  automóvel (auto: grego; móvel: latim)
sociologia (socio: latim; logia: grego)
As vogais ou consoantes de ligação são morfemas que sambódromo (samba: dialeto africano; dromo: grego)
surgem por motivos eufônicos, ou seja, para facilitar ou mesmo Fonte: http://www.brasilescola.com/gramatica/estrutura-
possibilitar a leitura de uma determinada palavra. Temos um e-formacao-de-palavras-i.htm

Língua Portuguesa 20
Apostila Digital Licenciada para Renê da Silva Pereira - aspirantepm2009@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
- Abreviação vocabular, cujo traço peculiar manifesta- 07. Assinale a letra em que as palavras são formadas por
se por meio da eliminação de um segmento de uma palavra derivação regressiva, derivação parassintética e composição por
no intuito de se obter uma forma mais reduzida, geralmente aglutinação, respectivamente.
aquelas mais longas. Vejamos alguns exemplos:  a) neurose, infelizmente, pseudônimo;
b) ajuste, aguardente, arco-íris;
metropolitano – metrô c) amostra, alinhar, girassol;
extraordinário – extra d) corte, emudecer, outrora;
otorrinolaringologista – otorrino e) pesca, deslealdade, vinagre.
telefone – fone
pneumático – pneu 08. Na frase “Ele tem um quê especial como gestor”, o
processo de formação da palavra destacada chama-se:
- Onomatopeia: Consiste em criar palavras, tentando A)composição
imitar sons da natureza ou sons repetidos. Por exemplo: zum- B)justaposição
zum, cri-cri, tique-taque, pingue-pongue, blá-blá-blá. C)aglutinação
  D)derivação imprópria
- Siglas: As siglas são formadas pela combinação das
letras iniciais de uma sequência de palavras que constitui um 09. Brasília comemorou seu aniversário com uma superfesta.
nome. Por exemplo:IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e A cinquentona planejada por Lúcio Costa é hoje uma metrópole
Estatística); IPTU (Imposto Predial, Territorial e Urbano). que oferece alta qualidade de vida.

As siglas escrevem-se com todas as letras maiúsculas, a não (Fonte: O Globo, 21/04/2010, com adaptações)
ser que haja mais de três letras e  a sigla seja pronunciável sílaba
por sílaba. Por exemplo: Unicamp, Petrobras.  Na notícia do jornal, as palavras “superfesta” e “cinquentona”
  exemplificam, respectivamente, casos de formação de palavras
Questões por
A)hibridismo e neologismo.
01. Assinale a opção em que todas as palavras se formam B)justaposição e aglutinação.
pelo mesmo processo: C)composição e derivação.
A) ajoelhar / antebraço / assinatura D)prefixação e sufixação.
B) atraso / embarque / pesca E)conversão e regressão.
C) o jota / o sim / o tropeço
D) entrega / estupidez / sobreviver 10.Quero acordar sem tristeza.
E) antepor / exportação / sanguessuga O sufixo eza, usado na palavra em destaque na oração acima
completará corretamente a grafia de:
02. A palavra “aguardente” formou-se por: A)limp...
A) hibridismo B)baron...
B) aglutinação C)desp...
C) justaposição D)nenhuma das alternativas anteriores
D) parassíntese
E) derivação regressiva Respostas

03. Que item contém somente palavras formadas por 1. (B) / 2. (B) / 3. (B) / 4. (C) / 5. (B) / 6. (D) / 7. (D) /
justaposição? 8. (D) / 9. (D) / 10. (A)
A) desagradável - complemente
B) vaga-lume - pé-de-cabra
C) encruzilhada - estremeceu Comentários
D) supersticiosa - valiosas 1-) atraso / embarque / pesca = formadas pelo processo de
E) desatarraxou - estremeceu derivação regressiva

04. “Sarampo” é: 2-) água + ardente = aguardente ( aglutinação)


A) forma primitiva
B) formado por derivação parassintética 3-) vaga-lume - pé-de-cabra = não houve alteração em
C) formado por derivação regressiva nenhuma delas (nem acréscimo, nem redução, estão apenas
D) formado por derivação imprópria “postas” uma ao lado da outra, justaposição).
E) formado por onomatopeia
4-) formado por derivação regressiva = a palavra primitiva
05.As palavras são formadas através de derivação é sarampão!
parassintética em
A)infelizmente, desleal, boteco, barraco. 5-) ajoelhar, anoitecer, entristecer, entardecer =
B)ajoelhar, anoitecer, entristecer, entardecer. nenhuma delas pode ter o prefixo ou o sufixo retirados, pois elas
C)caça, pesca, choro, combate. só têm significado com ambos, juntos, ligados a elas.
D)ajoelhar, pesca, choro, entristecer. (Tardecer? Noitecer? Tristecer? Entarde?)

06.(Escrevente TJ SP –Vunesp/2011) Leia o trecho. 6-) infelizmente = derivação prefixal e sufixal – existe infeliz
Estudo da ONG Instituto Pólis mostra que, infelizmente, sem e felizmente, portanto não é caso de derivação parassintética.
o tratamento e a destinação corretos,… O outro vocábulo que também apresenta tal formação é
ilegalidade (ilegal e legalidade).
Assinale a alternativa que contém uma palavra formada pelo
mesmo processo do termo destacado. 7-) corte, emudecer, outrora
(A) infiel. Cortar / emudecer (não posso retirar nem o prefixo Nemo
(B) democracia. sufixo) / outra hora.
(C) lobisomem.
(D) ilegalidade. 8-) Ele tem um quê especial como gestor.
(E) cidadania. Dentre suas várias classificações (pronome, interjeição,
conjunção), nessa frase o “que” pertence à classe do substantivo,

Língua Portuguesa 21
Apostila Digital Licenciada para Renê da Silva Pereira - aspirantepm2009@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
pois vem precedido de um artigo. Quando alteramos a classe Vossa Excelência V. Ex.ª (s) altas autoridades e
gramatical de uma palavra sem realizar nenhuma mudança na oficiais-generais
palavra, dá-se o nome de derivação imprópria (não é a classe Vossa Magnificência V. Mag.ª (s) reitores de
gramatical “própria” dela. Outro exemplo: olhar é verbo, mas em universidades
“Seu olhar mexe comigo”, temos um substantivo)). Vossa Majestade V. M. reis e rainhas
Vossa Majestade Imperial V. M. I. Imperadores
9-) superfesta” e “cinquentona Vossa Santidade V. S. Papa
= super + festa (prefixação) / cinquenta + ona (sufixação) Vossa Senhoria V. S.ª (s) tratamento
cerimonioso
10-) A)limpeza... Vossa Onipotência V. O. Deus
B)baronesa...
C)despesa... Também são pronomes de tratamento o senhor, a
senhora e você, vocês. “O senhor” e “a senhora” são empregados
no tratamento cerimonioso; “você” e “vocês”, no tratamento
familiar. Você e vocês são largamente empregados no português
Pronomes de tratamento do Brasil; em algumas regiões, a forma  tu  é de uso frequente;
em outras, pouco empregada. Já a forma vós tem uso restrito à
linguagem litúrgica, ultraformal ou literária.

Pronome é a palavra que se usa em lugar do nome, ou a ele Observações:


se refere, ou ainda, que acompanha o nome qualificando-o de a) Vossa Excelência X Sua Excelência:  os pronomes de
alguma forma. tratamento que possuem “Vossa (s)”  são empregados em
A moça era mesmo bonita. Ela morava nos meus sonhos! relação à pessoa com quem falamos.
[substituição do nome] Espero que V. Ex.ª, Senhor Ministro, compareça a este
encontro.
A moça que morava nos meus sonhos era mesmo bonita! Emprega-se “Sua (s)” quando se fala a respeito da pessoa.
[referência ao nome] Todos os membros da C.P.I. afirmaram que Sua Excelência, o
Senhor Presidente da República, agiu com propriedade.
Essa moça morava nos meus sonhos!
[qualificação do nome] - Os pronomes de tratamento representam uma forma
indireta de nos dirigirmos aos nossos interlocutores. Ao
Grande parte dos pronomes não possuem significados tratarmos um deputado por Vossa Excelência, por exemplo,
fixos, isto é, essas palavras só adquirem significação dentro de estamos nos endereçando à excelência que esse deputado
um contexto, o qual nos permite recuperar a referência exata supostamente tem para poder ocupar o cargo que ocupa.
daquilo que está sendo colocado por meio dos pronomes no
ato da comunicação. Com exceção dos pronomes interrogativos b)  3ª pessoa:  embora os pronomes de tratamento dirijam-
e indefinidos, os demais pronomes têm por função principal se à  2ª pessoa, toda a concordância deve ser feita com a 3ª
apontar para as pessoas do discurso ou a elas se relacionar, pessoa. Assim, os verbos, os pronomes possessivos e os
indicando-lhes sua situação no tempo ou no espaço. Em virtude pronomes oblíquos empregados em relação a eles devem ficar
dessa característica, os pronomes apresentam uma forma na 3ª pessoa.
específica para cada pessoa do discurso. Basta que V. Ex.ª  cumpra  a terça parte das  suas  promessas,
para que seus eleitores lhe fiquem reconhecidos.
Minha carteira estava vazia quando eu fui assaltada.
[minha/eu: pronomes de 1ª pessoa = aquele que fala] c) Uniformidade de Tratamento:  quando escrevemos ou
nos dirigimos a alguém, não é permitido mudar, ao longo do
Tua carteira estava vazia quando tu foste assaltada? texto, a pessoa do tratamento escolhida inicialmente. Assim,
[tua/tu: pronomes de 2ª pessoa = aquele a quem se fala] por exemplo, se começamos a chamar alguém de “você”, não
poderemos usar “te” ou “teu”. O uso correto exigirá, ainda, verbo
A carteira dela estava vazia quando ela foi assaltada. na terceira pessoa.
[dela/ela: pronomes de 3ª pessoa = aquele de quem se fala] Quando você vier, eu te abraçarei e enrolar-me-ei nos teus
cabelos. (errado)
Em termos morfológicos, os pronomes são palavras Quando você vier, eu a abraçarei e enrolar-me-ei nos seus
variáveis  em gênero (masculino ou feminino) e em número cabelos. (correto)
(singular ou plural). Assim, espera-se que a referência através Quando tu vieres, eu te abraçarei e enrolar-me-ei nos teus
do pronome seja coerente em termos de gênero e número cabelos. (correto)
(fenômeno da concordância) com o seu objeto, mesmo quando
este se apresenta ausente no enunciado. Questões

Fala-se de Roberta. Ele  quer participar do desfile 01. (Prefeitura de Praia Grande/SP - Agente
da nossa escola neste ano. Administrativo - IBAM) Observe as sentenças abaixo.
[nossa: pronome que qualifica “escola” = concordância I. Esta é a professora de cuja aula todos os alunos gostam.
adequada] II. Aquela é a garota com cuja atitude discordei - tornamo-
[neste: pronome que determina “ano” = concordância nos inimigas desde aquele episódio.
adequada] III. A criança cuja a família não compareceu ficou inconsolável.
[ele: pronome que faz referência à “Roberta” = concordância
inadequada] O pronome ‘cuja’ foi empregado de acordo com a norma
culta da língua portuguesa em:
Existem seis tipos de pronomes:  pessoais, possessivos, (A) apenas uma das sentenças
demonstrativos, indefinidos, relativos e interrogativos. (B) apenas duas das sentenças.
(C) nenhuma das sentenças.
Pronomes de Tratamento (D) todas as sentenças.

Vossa Alteza V. A. príncipes, duques 02. (MPE/RS - Técnico Superior de Informática - MPE)
Vossa Eminência V. Ema.(s) cardeais Um estudo feito pela Universidade de Michigan constatou que
Vossa Reverendíssima V. Revma.(s) sacerdotes e bispos o que mais se faz no Facebook, depois de interagir com amigos,

Língua Portuguesa 22
Apostila Digital Licenciada para Renê da Silva Pereira - aspirantepm2009@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
é olhar os perfis de pessoas que acabamos de conhecer. Se você
gostar do perfil, adicionará aquela pessoa, e estará formado um
vínculo. No final, todo mundo vira amigo de todo mundo. Mas,
não é bem assim. As redes sociais têm o poder de transformar
os chamados elos latentes (pessoas que frequentam o mesmo
ambiente social, mas não são suas amigas) em elos fracos –
uma forma superficial de amizade. Pois é, por mais que existam
exceções _______qualquer regra, todos os estudos mostram que
amizades geradas com a ajuda da Internet são mais fracas, sim,
do que aquelas que nascem e se desenvolvem fora dela.

Isso não é inteiramente ruim. Os seus amigos do peito


geralmente são parecidos com você: pertencem ao mesmo
mundo e gostam das mesmas coisas. Os elos fracos, não. Eles
transitam por grupos diferentes do seu e, por isso, podem lhe
apresentar novas pessoas e ampliar seus horizontes – gerando Em relação à charge acima, assinale a afirmativa inadequada.
uma renovação de ideias que faz bem a todos os relacionamentos, (A) A fala do personagem é uma modificação intencional de
inclusive às amizades antigas. O problema é que a maioria das uma fala de Cristo.
redes na Internet é simétrica: se você quiser ter acesso às (B) As duas ocorrências do pronome “eles” referem-se a
informações de uma pessoa ou mesmo falar reservadamente com pessoas distintas.
ela, é obrigado a pedir a amizade dela. Como é meio grosseiro (C) A crítica da charge se dirige às autoridades políticas no
dizer “não” ________ alguém que você conhece, todo mundo acaba poder.
adicionando todo mundo. E isso vai levando ________ banalização (D) A posição dos braços do personagem na charge repete a
do conceito de amizade. de Cristo na cruz.
(E) Os elementos imagísticos da charge estão distribuídos de
É verdade. Mas, com a chegada de sítios como o Twitter, ficou forma equilibrada.
diferente. Esse tipo de sítio é uma rede social completamente
assimétrica. E isso faz com que as redes de “seguidores” e 04. (IFC - Auditor - IFC - Adaptado) Leia o poema, do
“seguidos” de alguém possam se comunicar de maneira muito escritor modernista, Oswald de Andrade: Pronominais
mais fluida. Ao estudar a sua própria rede no Twitter, o sociólogo
Nicholas Christakis, da Universidade de Harvard, percebeu Dê-me um cigarro
que seus amigos tinham começado a se comunicar entre si Diz a gramática Do professor e do aluno
independentemente da mediação dele. Pessoas cujo único ponto E do mulato sabido
em comum era o próprio Christakis acabaram ficando amigas. Mas o bom negro e o bom branco
No Twitter, eu posso me interessar pelo que você tem a dizer e Da Nação Brasileira
começar a te seguir. Nós não nos conhecemos. Dizem todos os dias
Deixa disso camarada
Mas você saberá quando eu o retuitar ou mencionar seu Me dá um cigarro.
nome no sítio, e poderá falar comigo. Meus seguidores também
podem se interessar pelos seus tuítes e começar a seguir você. Assinale a alternativa INCORRETA referente ao uso da
Em suma, nós continuaremos não nos conhecendo, mas as colocação pronominal:
pessoas que estão ________ nossa volta podem virar amigas entre (A) é aceitável utilizar a próclise na liberdade poética.
si. (B) mostra no poema os distintos usos do pronome.
Adaptado de: COSTA, C. C.. Disponível em: (C) o pronome antes do verbo não é aceitável
<http://super.abril.com.br/cotidiano/como-internet- gramaticalmente.
estamudando-amizade-619645.shtml>. (D) afirma que não há normas para o uso de pronomes.
(E) há transformação no uso do pronome.
Considere as seguintes afirmações sobre a relação que se
estabelece entre algumas palavras do texto e os elementos a que 05. (PM/BA - Soldado da Polícia Militar - FCC)
se referem.
I. No segmento que nascem (L. 12), a palavra que se refere a ... tudo sobrevive em Caymmi ... (3º parágrafo)
amizades (L. 11).
II. O segmento elos fracos (L. 15) retoma o segmento uma O pronome grifado acima
forma superficial de amizade (L. 09). (A) indica a presença de alguns temas, sobretudo ligados ás
III. Na frase Nós não nos conhecemos (L. 36), o pronome Nós festividades da Bahia, que despertavam a curiosidade de alguns
refere-se aos pronomes eu (L. 35) e você (linha 35). cantores nessa época.
(B) acentua a importância de Caymmi como um famoso
Quais estão corretas? compositor do rádio, o meio de divulgação mais conhecido no
(A) Apenas I. Rio de Janeiro.
(B) Apenas II. (C) demonstra as influências recebidas por Caymmi de
(C) Apenas III. cantores famosos no Rio de Janeiro, que garantiram o sucesso
(D) Apenas I e II. de suas músicas.
(E) I, II e III. (D) refere-se a presença dos diferentes elementos que
serviram de inspiração para outros compositores, que também
Quais estão corretas? faziam sucesso no rádio.
(A) Apenas I. (E) sintetiza a sequência, que vinha sido apresentada, dos
(B) Apenas II. temas referentes à Bahia abordados por Caymmi em suas
(C) Apenas III. músicas.
(D) Apenas I e II.
(E) I, II e III. 06. (PM/BA - Soldado da Polícia Militar - FCC)
A substituição do elemento destacado pelo pronome
03. (PC/MA - Farmacêutico Legista - FGV/2012) Observe correspondente, com os necessários ajustes, foi realizada
a charge a seguir. corretamente em:
(A) devoram alegremente a comida = devoram-a
alegremente

Língua Portuguesa 23
Apostila Digital Licenciada para Renê da Silva Pereira - aspirantepm2009@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
(B) fazer alguma coisa = fazê-la O Lixão se localiza no bairro do Jardim Gramacho, no
(C) metem o nariz = metem-lhe município de Duque de Caxias. O local recebe mais de 7 mil
(D) não compartilham [...] As nossas inibições = não lhes toneladas de lixo por dia. O bairro possui 20 mil habitantes que
compartilham vivem na miséria e mais de 50% da população tiram sua renda
(E) verbaliza um anseio = verbaliza-lo da reciclagem de lixo que catam no aterro.
As pessoas que vivem trabalhando com a reciclagem moram
07. (PC/MA - Delegado de Polícia - FGV - Adaptado) ao redor do aterro, em barracos de madeiras e papelão, em meio
a muita lama e lixo, muito lixo. [...]
Policial - mediador de conflitos Adentramos a favela e, tudo o que eu via, me impressionava
muito. Mesmo não sendo a rampa (nome dado à montanha de lixo
No momento em que começa a existir essa transformação que é localizada dentro do aterro), a quantidade de lixo diante
política e social, a compreensão da sociedade com um ambiente dos meus olhos era extremamente exagerada. Ficava difícil até
conflitivo, no qual os problemas da violência e da criminalidade ver o chão, forrado de lixo. Durante a nossa caminhada, João [um
são complexos, a polícia passa a ser demandada para garantir não dos catadores] me explicou como era a vida no Lixão. “Aqui nós
mais uma ordem pública determinada mas sim os direitos, como trabalhamos para duas empresas que são donas de todo esse
está colocado na constituição de 88. Nesse novo contexto, a ordem lixo. Não podemos trabalhar por conta própria. Enquanto eles
pública passa a ser definida também no cotidiano, exigindo uma se enriquecem com esse lixo que nós catamos e reciclamos, nós
atuação estatal mediadora dos conflitos e interesses difusos e, vivemos assim, nessa situação.”
muitas vezes, confusos. Por isso, a democracia exige justamente O cenário daquela comunidade era praticamente um cenário
uma função policial protetora de direitos dos cidadãos em um de guerra. Carros tombados, pessoas com semblantes muito
ambiente conflitivo. A ação da polícia ocorre em um ambiente sofridos e crianças carregando crianças. O cheiro era muito forte,
de incertezas, ou seja, o policial, quando sai para a rua, não sabe também devido à quantidade enorme de porcos que viviam no
o que vai encontrar diretamente; ele tem uma ação determinada meio do monte de lixo, porcos que dividiam o espaço onde as
fazer e entra num campo de conflitividade social. Isso exige não crianças da comunidade brincavam. Além disso, percebi que não
uma garantia da ordem pública, como na polícia tradicional, havia saneamento no local.
sustentada somente nas ações repressivas, pelas quais o ato Perguntei ao Sr. João se ele fazia ideia de quantas crianças
consiste em reprimir para resolver o problema. O campo de viviam lá e ele me respondeu: “Não tem como ter ideia disso.
garantia de direitos exige uma ação mais preventiva, porque não São realmente muitas crianças que vivem no meio desse lixo
tem um ponto determinado e certo para resolver. e cada vez mais aumenta o número delas.” [...]
Conversei com muitas pessoas e pude perceber que a
(Azor Lopes da Silva Junior) maioria não queria contar a sua história de vida. Percebi que
quase ninguém gostava de tocar no assunto de como foi parar
“No momento em que começa a existir essa transformação ali; era um assunto que incomodava a todos e espalhava certa
política e social, a compreensão da sociedade como um ambiente tristeza no ar, tristeza muito mais nítida do que a pobreza em
conflitivo, no qual os problemas da violência e da criminalidade que eles vivem.
são complexos(...)” O Lixão será desativado até o dia 03/06. Para mim, ficou
evidente que aquelas pessoas que vivem lá dependem daquele
A presença do pronome demonstrativo essa na primeira lixo para sobreviver, pois é de onde tiram o próprio sustento.
frase desse segmento mostra que Com todos os moradores que eu consegui conversar, perguntei o
(A) a transformação aludida está presente no momento em que eles iriam fazer e para onde pensarão ir depois que o Lixão
que o texto foi composto. fosse desativado. A resposta era sempre a mesma: “Não sabemos,
(B) esse segmento do texto não é o segmento inicial, já que se estamos esperando o governo decidir o que vai fazer com todo
refere a algo dito antes. mundo que mora aqui.” Alguns até disseram estar tristes devido
(C) a transformação política e social acontecerá em futuro ao fato de que o lixão iria fechar. [...]
próximo. No dia seguinte, voltando para São Paulo, vi algumas notícias
(D) o autor apresenta uma visão depreciativa sobre a em jornais de grande circulação em todo o país dizendo que o
transformação referida. fim do Lixão de Gramacho marca um novo começo, uma nova
(E) o autor do texto considera a transformação algo vida para os moradores de lá. Fiquei chocado! Como a imprensa,
conhecido de todos. que tem como principal missão reportar a verdade dos fatos
com espírito crítico, pode manipulá-los a ponto de “sugerir” que
08. (TJ/SP - Assistente Social - VUNESP) Assinale a o mal é um bem?
alternativa em que os pronomes estão empregados e colocados
na frase de acordo com a norma-padrão. (Fonte: www.historiasdasruas.com/2012 )

(A) Nos surpreende, a cada dia, constatar a invasão das “Histórias das Ruas foi até lá para conhecer um pouco dessa
milícias, que espalham-se pelas favelas, ditando-as suas leis. realidade”
(B) Depois de invadir vários territórios da cidade, as milícias
dominaram eles e ali instalaram-se. O pronome em destaque presente no trecho acima, foi usado
(C) Há candidatos que usam as gangues: as procuram em uma referência:
movidos pelo interesse em ter elas como aliadas. (A) Textual retomando uma ideia que já foi expressa.
(D) Quase nunca vê-se reação das comunidades diante do (B) Espacial apontando para uma realidade próxima ao
terror que as milícias as impõem. interlocutor.
(E) Milicianos instalam-se nas comunidades e impõem seu (C) Temporal uma vez que revela uma realidade futura.
poder; consolidam-no pela prática do terror. (D) Textual antecipando uma ideia que será expressa.

09. (PM/RJ - Oficial da Polícia Militar - Inglês - IBFC) 10. TRF/4ª REGIÃO - Analista Judiciário - Engenharia
Elétrica - FCC
Texto I Entre 1874 e 1876, apareceu numa revista alemã uma
A vida no lixão de Gramacho - RJ série de artigos sobre a pintura italiana. Eles vinham assinados
Considerado o maior aterro sanitário da América Latina, o por um desconhecido estudioso russo, Ivan Lermolieff, e
Lixão de Gramacho é conhecido pelos seus diversos catadores e fora um igualmente desconhecido Johannes Schwarze que
pelas histórias que ali com eles vivem. os traduzira para o alemão. Os artigos propunham um novo
Histórias das Ruas foi até lá para conhecer um pouco dessa método para a atribuição dos quadros antigos, que suscitou
realidade e poder trazer para vocês alguns fatos que não apenas entre os historiadores reações contrastantes e vivas discussões.
chocam mas incomodam até mesmo os mais desinteressados. Somente alguns anos depois, o autor tirou a dupla máscara

Língua Portuguesa 24
Apostila Digital Licenciada para Renê da Silva Pereira - aspirantepm2009@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
na qual se escondera. De fato, tratava-se do italiano Giovanni 2 Respeitar as palavras atrativas
Morelli. E do “método morelliano” os historiadores da arte falam Há palavras e expressões que exigem que o pronome seja
correntemente ainda hoje. colocado antes do verbo. Nasce, assim, o uso obrigatório da
Os museus, dizia Morelli, estão cheios de quadros atribuídos próclise graças às palavras atrativas (confira a lista de palavras
de maneira incorreta. Mas devolver cada quadro ao seu atrativas ao final do texto).
verdadeiro autor é difícil: muitíssimas vezes encontramo- nos Exemplos: Não se faz isso. Aqui se canta, lá se chora. Sei que
frente a obras não assinadas, talvez repintadas ou num mau se alcançará o resultado desejado.
estado de conservação. Nessas condições, é indispensável poder
distinguir os originais das cópias. Para tanto, porém, é preciso 3 Não colocar pronomes átonos após o particípio
não se basear, como normalmente se faz, em características O correto é analisar cada situação para observar o lugar
mais vistosas, portanto mais facilmente imitáveis, dos quadros. adequado, mas nunca após o particípio.
Pelo contrário, é necessário examinar os pormenores mais
negligenciáveis, e menos influenciados pelas características da Exemplos: Tínhamos nos referido ao caso certo. Havia-me
escola a que o pintor pertencia: os lóbulos das orelhas, as unhas, pedido algo impossível. Tinham se queixado ao guarda.
as formas dos dedos das mãos e dos pés. Com esse método,
Morelli propôs dezenas e dezenas de novas atribuições em 4 Não colocar pronomes átonos após verbos conjugados no
alguns dos principais museus da Europa. futuro do indicativo
Apesar dos resultados obtidos, o método de Morelli foi A depender do caso, caberá a mesóclise ou a próclise, mas
muito criticado, talvez também pela segurança quase arrogante nunca após o futuro do indicativo.
com que era proposto. Posteriormente foi julgado mecânico, Exemplos: Não se queixará novamente disso. Ver-se-á o
grosseiramente positivista, e caiu em descrédito. Por outro lado, valor novamente. Sabemos que se reverterá a situação.
é possível que muitos estudiosos que falavam dele com desdém Detalhe
continuassem a usá-lo tacitamente para as suas atribuições. Na língua portuguesa, a palavra “se” pode ser conjunção
O renovado interesse pelos trabalhos de Morelli é mérito de ou pronome átono e há situações em que ambos podem
E. Wind, que viu neles um exemplo típico da atitude moderna muito corretamente aparecer na mesma construção, cada um
em relação à obra de arte - atitude que o leva a apreciar os exercendo seu papel.
pormenores, de preferência à obra em seu conjunto. Em
Morelli existiria, segundo Wind, uma exacerbação do culto pela Exemplos: Ele não sabia se se queixava comigo ou com você.
imediaticidade do gênio, assimilado por ele na juventude, em Tudo ficará melhor se se dispuserem a ajudar. A mulher não
contato com os círculos românticos berlinenses. conseguiu pensar se se mantinha calada ou gritava.

(Adaptado de Carlo Ginzburg. Mitos, emblemas, sinais: morfologia Lista das palavras atrativas
e história. Trad. Federico Carotti. S.Paulo: Cia. das Letras, 1989, p.143-
5) a) palavras com sentido negativo: não, nunca, jamais,
ninguém, nada, nenhum, nem, etc. Exemplo: Nunca se meta em
A substituição do elemento destacado pelo pronome confusões.
correspondente, com os necessários ajustes, foi realizada de
modo INCORRETO em: b) advérbios (sem vírgula): aqui, ali, só, também, bem, mal,
(A) devolver cada quadro ao seu verdadeiro autor = hoje, amanhã, ontem, já, nunca, jamais, apenas, tão, talvez, etc.
devolver-lhe cada quadro Exemplo: Ontem a vi na aula. Com a vírgula, cessa a atração:
(B) distinguir os originais das cópias = distinguir-lhes das Ontem, vi-a na aula. Aqui, trabalha-se muito.
cópias c) pronomes indefinidos: todo, tudo, alguém, ninguém,
(C) que suscitou [...] Reações contrastantes = que as algum, etc. Exemplo: Tudo se tornou esclarecido para nós.
suscitou d) pronomes ou advérbios interrogativos (o uso destas
(D) propunham um novo método = propunham-no palavras no início da oração interrogativa atrai o pronome
(E) examinar os pormenores = examiná-los para antes do verbo): O que? Quem? Por que? Quando? Onde?
Como? Quanto? Exemplo: Quem a vestiu assim?
Respostas e) pronomes relativos: que, o qual, quem, cujo, onde,
01. Resposta A quanto, quando, como. Exemplo: Havia duas ideias que se
Não se usa artigo definido entre o pronome ora em discussão tornaram importantes.
(cujo) e o substantivo subsequente. Por isso o número III está f) conjunções subordinativas: que, uma vez que, já que,
incorreta. A número II está incorreta, pois discordar concorda embora, ainda que, desde que, posto que, caso, contanto que,
com a preposição “de”. conforme, quando, depois que, sempre que, para que, a fim de
que, à proporção que, à medida que, etc. Exemplo: Já era tarde
02. Resposta E quando se notou o problema.
Todas as alternativas estão corretas e descritas no texto, essa g) em + gerúndio: deve-se usar o pronome entre “em” e o
é a ideia principal do autor. gerúndio. Exemplo: Em se tratando de corrupção, o Brasil tem
experiência.
03. Resposta B
Mas que eles (sujeito 1) sabem o que fazem isso eles (sujeito 05. Resposta E
1) sabem “Tudo” significa: pronome indefinido. A totalidade, a
universalidade de coisas e pessoas: tudo passa na vida; mulheres
04. Resposta D e homens, crianças e velhos, tudo resvalou no sorvedouro da
Os pronomes são os átonos me, te, se, o, a, os, as, lhe, lhes, eternidade. Dentro do contexto, o autor utilizou este pronome
nos, vos. Eles sempre estão vinculados a um verbo e, de acordo para sintetizar o assunto que havia falado antes.
com a posição, recebem a seguinte classificação:
Próclise (antes do verbo): A pessoa não se feriu. 06. Resposta B
Ênclise (depois do verbo): A pessoa feriu-se. Fazer Alguma coisa = fazê-la (esta é a afirmativa correta,
Mesóclise (no meio do verbo): A pessoa ferir-se-á. porque se utiliza “la” após verbos terminados em “r, s ou z”;
1 Não iniciar período com pronome átono
Quando o verbo está abrindo um período, os pronomes 07. Resposta B
átonos não podem ser colocados antes do verbo. Com isso, a O pronome demonstrativo “essa” exerce função coesiva
próclise é proibida, será feito uso da mesóclise ou da ênclise. anafórica, visto que se refere a elementos ditos anteriormente
Exemplos: Diga-me toda a verdade. Recomenda-se cautela. à sua utilização.
Pedir-se-á silêncio.

Língua Portuguesa 25
Apostila Digital Licenciada para Renê da Silva Pereira - aspirantepm2009@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
08. Resposta E c) Desinência modo-temporal: é o elemento que designa o
Milicianos instalam-se nas comunidades e impõem seu tempo e o modo do verbo.
poder; consolidam-no pela prática do terror. Por exemplo:
Milicianos instalam-se nas comunidades e impõem seu falávamos ( indica o pretérito imperfeito do indicativo.)
poder; falasse ( indica o pretérito imperfeito do subjuntivo.)
d)  Desinência número-pessoal:  é o elemento que designa
Certos verbos da Língua Portuguesa expressam, na sua a pessoa do discurso ( 1ª, 2ª ou 3ª) e o número (singular ou
forma infinitiva, a ideia de ação reflexiva. Para indicar que o plural).
objeto da ação é a mesma pessoa que o sujeito que a pratica, é falamos (indica a 1ª pessoa do plural.)
obrigatória a concordância em pessoa entre o pronome reflexivo falavam (indica a 3ª pessoa do plural.)
e a pessoa à qual se refere.
O pronome “se” torna-se, portanto, parte integrante dos Observação:  o verbo pôr, assim como seus derivados
verbos reflexivos. (compor, repor, depor, etc.), pertencem à 2ª conjugação, pois a
...consolidam-no pela prática do terror. forma arcaica do verbo pôr era poer. A vogal “e”, apesar de haver
Em verbos terminados em -am, -em, -ão e -õe os pronomes desaparecido do infinitivo, revela-se em algumas formas do
se tornam no(s), na(s). verbo: põe, pões, põem, etc.

09. Resposta A Formas Rizotônicas e Arrizotônicas


ESSE: é retomando, ou seja, referindo-se ao passado
ESTE: é antecipando uma ideia que será expressa Ao combinarmos os conhecimentos sobre a estrutura dos
verbos com o conceito de acentuação tônica, percebemos com
10. Resposta B facilidade que nas formas rizotônicas, o acento tônico cai no
a) devolver cada quadro ao seu verdadeiro autor = devolver- radical do verbo: opino, aprendam,  nutro, por exemplo. Nas
lhe cada quadro CORRETO. Quando a substituição do termo formas arrizotônicas, o acento tônico não cai no radical, mas sim
sublinhado se adequar a forma “ A ELE” o pronome “lhe” estará na terminação verbal: opinei, aprenderão, nutriríamos.
correto.
b) distinguir os originais das cópias = distinguir-lhes das Classificação dos Verbos
cópias INCORRETO. O verbo exige como complemento um OD e
em todo verbo transitivo direto terminado em R, S e Z usa-se as Classificam-se em:
formas LO, LA, LOS, LAS. a) Regulares:  são aqueles que possuem as desinências
c) que suscitou [...] reações contrastantes = que as suscitou normais de sua conjugação e cuja flexão não provoca alterações
CORRETO. O verbo exige como complemento um OD no radical.
d) propunham um novo método = propunham-no CORRETO.
Verbo que exige um OD, na forma no, na, nos, nas Por exemplo: canto     cantei      cantarei     cantava      cantasse
e) examinar os pormenores = examiná-los CORRETO. O b) Irregulares:  são aqueles cuja flexão provoca alterações
verbo exige um OD e que o pronome seja empregado na forma no radical ou nas desinências.
LO, LA, LOS, LAS, devido a sua terminação. Por exemplo: faço     fiz      farei     fizesse
c) Defectivos: são aqueles que não apresentam conjugação
completa. Classificam-se em impessoais, unipessoais e pessoais.

- Impessoais: são os verbos que não têm sujeito.


Normas da flexão dos verbos Normalmente, são usados na terceira pessoa do singular. Os
regulares e irregulares principais verbos impessoais são:
a) haver, quando sinônimo de existir, acontecer, realizar-se
ou fazer (em orações temporais).
Havia poucos ingressos à venda. (Havia = Existiam)
Houve duas guerras mundiais. (Houve = Aconteceram)
Verbo  é a classe de palavras que se flexiona em pessoa, Haverá reuniões aqui. (Haverá = Realizar-se-ão)
número, tempo, modo e voz. Pode indicar, entre outros Deixei de fumar há muitos anos. (há = faz)
processos: ação (correr); estado (ficar); fenômeno (chover);
ocorrência (nascer); desejo (querer). b) fazer, ser e estar (quando indicam tempo)
O que caracteriza o verbo são as suas flexões, e não os seus Faz invernos rigorosos no Sul do Brasil.
possíveis significados. Observe que palavras como corrida, Era primavera quando a conheci.
chuva e nascimento têm conteúdo muito próximo ao de alguns Estava frio naquele dia.
verbos mencionados acima; não apresentam, porém, todas as
possibilidades de flexão que esses verbos possuem. c) Todos os verbos que indicam fenômenos da natureza
são impessoais: chover, ventar, nevar, gear, trovejar, amanhecer,
Estrutura das Formas Verbais escurecer, etc. Quando, porém, se constrói, “Amanheci mal-
humorado”, usa-se o verbo  “amanhecer”  em sentido figurado.
Do ponto de vista estrutural, uma forma verbal pode Qualquer verbo impessoal, empregado em sentido figurado,
apresentar os seguintes elementos: deixa de ser impessoal para ser pessoal.
Amanheci mal-humorado. (Sujeito desinencial: eu)
a)  Radical:  é a parte invariável, que expressa o significado Choveram candidatos ao cargo. (Sujeito: candidatos)
essencial do verbo. Por exemplo: Fiz quinze anos ontem. (Sujeito desinencial: eu)
fal-ei; fal-ava; fal-am. (radical fal-) d) São impessoais, ainda:
1. o verbo passar (seguido de preposição), indicando tempo.
b) Tema: é o radical seguido da vogal temática que indica a Ex.: Já passa das seis.
conjugação a que pertence o verbo. Por exemplo: fala-r 2. os verbos  bastar  e  chegar, seguidos da preposição  de,
indicando suficiência. Ex.: 
São três as conjugações: Basta de tolices. Chega de blasfêmias.
1ª - Vogal Temática - A - (falar) 3. os verbos  estar  e  ficar  em orações tais como  Está bem,
2ª - Vogal Temática - E - (vender) Está muito bem assim, Não fica bem, Fica mal,  sem referência
3ª - Vogal Temática - I - (partir) a sujeito expresso anteriormente. Podemos, ainda, nesse caso,
classificar o sujeito como  hipotético, tornando-se, tais verbos,
então, pessoais.

Língua Portuguesa 26
Apostila Digital Licenciada para Renê da Silva Pereira - aspirantepm2009@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
4. o verbo deu + para da língua popular, equivalente de “ser e) Anômalos: são aqueles que incluem mais de um radical
possível”. Por exemplo: em sua conjugação.
Não deu para chegar mais cedo. Por exemplo: 
Dá para me arrumar uns trocados?
Ir Pôr Ser Saber
- Unipessoais:  são aqueles que, tendo sujeito, conjugam-se
apenas nas terceiras pessoas, do singular e do plural. vou ponho sou sei
A fruta amadureceu. vais pus és sabes
As frutas amadureceram. ides pôs fui soube
fui punha foste saiba
Obs.: os verbos unipessoais podem ser usados como verbos foste seja
pessoais na linguagem figurada:
Teu irmão amadureceu bastante.
f) Auxiliares
Entre os unipessoais estão os verbos que significam vozes de
São aqueles que entram na formação dos tempos
animais; eis alguns:
compostos e das locuções verbais. O verbo principal, quando
bramar: tigre
acompanhado de verbo auxiliar, é expresso numa das formas
bramir: crocodilo
nominais: infinitivo, gerúndio ou particípio.
cacarejar: galinha
                        
coaxar: sapo
  Vou                       espantar           as          moscas.
cricrilar: grilo
(verbo auxiliar)       (verbo principal no infinitivo)
Os principais verbos unipessoais são:
Está                    chegando            a         hora     do    debate.
1. cumprir, importar, convir, doer, aprazer, parecer,
(verbo auxiliar)      (verbo principal no gerúndio)                 
ser (preciso, necessário, etc.).
                   
Cumpre  trabalharmos bastante. (Sujeito:  trabalharmos
Obs.: os verbos auxiliares mais usados são: ser, estar, ter e
bastante.)
haver.
Parece que vai chover. (Sujeito: que vai chover.)
É preciso que chova. (Sujeito: que chova.)
Conjugação dos Verbos Auxiliares
2. fazer e ir, em orações que dão ideia de tempo, seguidos da
conjunção que.
SER - Modo Indicativo
Faz  dez anos que deixei de fumar. (Sujeito:  que deixei de
Presente: eu sou, tu és, ele é, nós somos, vós sois, eles são.
fumar.)
Pretérito Imperfeito: eu era, tu eras, ele era, nós éramos,
Vai para (ou Vai em ou Vai por) dez anos que não vejo Cláudia.
vós éreis, eles eram.
(Sujeito: que não vejo Cláudia)
Pretérito Perfeito Simples: eu fui, tu foste, ele foi, nós
Obs.: todos os sujeitos apontados são oracionais.
fomos, vós fostes, eles foram.
Pretérito Perfeito Composto: tenho sido.
- Pessoais:  não apresentam algumas flexões por motivos
Mais-que-perfeito simples: eu fora, tu foras, ele fora, nós
morfológicos ou eufônicos. Por exemplo:
fôramos, vós fôreis, eles foram.
verbo falir. Este verbo teria como formas do presente do
Pretérito Mais-que-Perfeito Composto: tinha sido.
indicativo falo, fales, fale, idênticas às do verbo falar - o que
Futuro do Pretérito simples: eu seria, tu serias, ele seria,
provavelmente causaria problemas de interpretação em certos
nós seríamos, vós seríeis, eles seriam.
contextos.
Futuro do Pretérito Composto: terei sido.
verbo computar. Este verbo teria como formas do presente do
Futuro do Presente: eu serei, tu serás, ele será, nós seremos,
indicativo computo, computas, computa - formas de sonoridade
vós sereis, eles serão.
considerada ofensiva por alguns ouvidos gramaticais. Essas
Futuro do Pretérito Composto: Teria sido.
razões muitas vezes não impedem o uso efetivo de formas
verbais repudiadas por alguns gramáticos: exemplo disso é
SER - Modo Subjuntivo
o próprio verbo computar, que, com o desenvolvimento e a
popularização da informática, tem sido conjugado em todos os
Presente: que eu seja, que tu sejas, que ele seja, que nós
tempos, modos e pessoas.
sejamos, que vós sejais, que eles sejam.
Pretérito Imperfeito: se eu fosse, se tu fosses, se ele fosse,
d) Abundantes:  são aqueles que possuem mais de uma
se nós fôssemos, se vós fôsseis, se eles fossem.
forma com o mesmo valor. Geralmente, esse fenômeno costuma
Pretérito Mais-que-Perfeito Composto: tivesse sido.
ocorrer no particípio, em que, além das formas regulares
Futuro Simples: quando eu for, quando tu fores, quando ele
terminadas em -ado ou -ido, surgem as chamadas formas
for, quando nós formos, quando vós fordes, quando eles forem.
curtas (particípio irregular). Observe:
Futuro Composto: tiver sido.

Infinitivo Particípio regular Particípio irregular SER - Modo Imperativo

Imperativo Afirmativo: sê tu, seja ele, sejamos nós, sede


Anexar Anexado Anexo vós, sejam eles.
Dispersar Dispersado Disperso Imperativo Negativo: não sejas tu, não seja ele, não sejamos
nós, não sejais vós, não sejam eles.
Eleger Elegido Eleito Infinitivo Pessoal: por ser eu, por seres tu, por ser ele, por
Envolver Envolvido Envolto sermos nós, por serdes vós, por serem eles.
Imprimir Imprimido Impresso SER - Formas Nominais
Matar Matado Morto
Formas Nominais
Morrer Morrido Morto Infinitivo: ser
Pegar Pegado Pego Gerúndio: sendo
Particípio: sido
Soltar Soltado Solto

Língua Portuguesa 27
Apostila Digital Licenciada para Renê da Silva Pereira - aspirantepm2009@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
Infinitivo Pessoal : ser eu, seres tu, ser ele, sermos HAVER - Modo Subjuntivo e Imperativo
nós, serdes vós, serem eles.
Modo Subjuntivo
ESTAR - Modo Indicativo Presente: que eu haja, que tu hajas, que ele haja, que nós
hajamos, que vós hajais, que eles hajam.
Presente: eu estou, tu estás, ele está, nós estamos, vós estais, Pretérito Imperfeito: se eu houvesse, se tu houvesses, se
eles estão. ele houvesse, se nós houvéssemos, se vós houvésseis, se eles
Pretérito Imperfeito: eu estava, tu estavas, ele estava, nós houvessem.
estávamos, vós estáveis, eles estavam. Pretérito Mais-que-Perfeito Composto: tivesse havido.
Pretérito Perfeito Simples: eu estive, tu estiveste, ele Futuro Simples: quando eu houver, quando tu houveres,
esteve, nós estivemos, vós estivestes, eles estiveram. quando ele houver, quando nós houvermos, quando vós
Pretérito Perfeito Composto: tenho estado. houverdes, quando eles houverem.
Pretérito Mais-que-Perfeito Simples: eu estivera, tu Futuro Composto: tiver havido.
estiveras, ele estivera, nós estivéramos, vós estivéreis, eles
estiveram. Modo Imperativo
Pretérito Mais-que-perfeito Composto: tinha estado Imperativo Afirmativo: haja ele, hajamos nós, havei vós,
Futuro do Presente Simples: eu estarei, tu estarás, ele hajam eles.
estará, nós estaremos, vós estareis, eles estarão. Imperativo Negativo: não hajas tu, não haja ele, não
Futuro do Presente Composto: terei estado. hajamos nós, não hajais vós, não hajam eles.
Futuro do Pretérito Simples: eu estaria, tu estarias, ele Infinitivo Pessoal: por haver eu, por haveres tu, por haver
estaria, nós estaríamos, vós estaríeis, eles estariam. ele, por havermos nós, por haverdes vós, por haverem eles.
Futuro do Pretérito Composto: teria estado.
HAVER - Formas Nominais
ESTAR - Modo Subjuntivo e Imperativo
Infinitivo Impessoal: haver, haveres, haver, havermos,
Presente: que eu esteja, que tu estejas, que ele esteja, que haverdes, haverem.
nós estejamos, que vós estejais, que eles estejam. Infinitivo Pessoal: haver
Pretérito Imperfeito: se eu estivesse, se tu estivesses, se Gerúndio: havendo
ele estivesse, se nós estivéssemos, se vós estivésseis, se eles Particípio: havido
estivessem.
Pretérito Mais-que-Perfeito Composto: tivesse estado TER - Modo Indicativo
Futuro Simples: quando eu estiver, quando tu estiveres,
quando ele estiver, quando nós estivermos, quando vós Presente: eu tenho, tu tens, ele tem, nós temos, vós tendes,
estiverdes, quando eles estiverem. eles têm.
Futuro Composto: Tiver estado. Pretérito Imperfeito: eu tinha, tu tinhas, ele tinha, nós
tínhamos, vós tínheis, eles tinham.
Imperativo Afirmativo: está tu, esteja ele, estejamos nós, Pretérito Perfeito Simples: eu tive, tu tiveste, ele teve, nós
estai vós, estejam eles. tivemos, vós tivestes, eles tiveram.
Imperativo Negativo: não estejas tu, não esteja ele, não Pretérito Perfeito Composto: tenho tido.
estejamos nós, não estejais vós, não estejam eles. Pretérito Mais-que-Perfeito Simples: eu tivera, tu tiveras,
Infinitivo Pessoal: por estar eu, por estares tu, por estar ele, ele tivera, nós tivéramos, vós tivéreis, eles tiveram.
por estarmos nós, por estardes vós, por estarem eles. Pretérito Mais-que-Perfeito Composto: tinha tido.
Futuro do Presente Simples: eu terei, tu terás, ele terá, nós
Formas Nominais teremos, vós tereis, eles terão.
Infinitivo: estar Futuro do Presente: terei tido.
Gerúndio: estando Futuro do Pretérito Simples: eu teria, tu terias, ele teria,
Particípio: estado nós teríamos, vós teríeis, eles teriam.
Futuro do Pretérito composto: teria tido.
ESTAR - Formas Nominais
TER - Modo Subjuntivo e Imperativo
Infinitivo Impessoal: estar
Infinitivo Pessoal: estar, estares, estar, estarmos, estardes, Modo Subjuntivo
estarem. Presente: que eu tenha, que tu tenhas, que ele tenha, que
Gerúndio: estando nós tenhamos, que vós tenhais, que eles tenham.
Particípio: estado Pretérito Imperfeito: se eu tivesse, se tu tivesses, se ele
tivesse, se nós tivéssemos, se vós tivésseis, se eles tivessem.
HAVER - Modo Indicativo Pretérito Mais-que-Perfeito Composto: tivesse tido.
Futuro: quando eu tiver, quando tu tiveres, quando ele tiver,
Presente: eu hei, tu hás, ele há, nós havemos, vós haveis, eles quando nós tivermos, quando vós tiverdes, quando eles tiverem.
hão. Futuro Composto: tiver tido.
Pretérito Imperfeito: eu havia, tu havias, ele havia, nós
havíamos, vós havíeis, eles haviam. Modo Imperativo
Pretérito Perfeito Simples: eu houve, tu houveste, ele Imperativo Afirmativo: tem tu, tenha ele, tenhamos nós,
houve, nós houvemos, vós houvestes, eles houveram. tende vós, tenham eles.
Pretérito Perfeito Composto: tenho havido. Imperativo Negativo: não tenhas tu, não tenha ele, não
Pretérito Mais-que-Perfeito Simples: eu houvera, tu tenhamos nós, não tenhais vós, não tenham eles.
houveras, ele houvera, nós houvéramos, vós houvéreis, eles Infinitivo Pessoal: por ter eu, por teres tu, por ter ele, por
houveram. termos nós, por terdes vós, por terem eles.
Pretérito Mais-que-Prefeito Composto: tinha havido.
Futuro do Presente Simples: eu haverei, tu haverás, ele g) Pronominais: São aqueles verbos que se conjugam com
haverá, nós haveremos, vós havereis, eles haverão. os pronomes oblíquos átonos me, te, se, nos, vos, se, na mesma
Futuro do Presente Composto: terei havido. pessoa do sujeito, expressando reflexibilidade (pronominais
Futuro do Pretérito Simples: eu haveria, tu haverias, ele acidentais) ou apenas reforçando a ideia já implícita no próprio
haveria, nós haveríamos, vós haveríeis, eles haveriam. sentido do verbo (reflexivos essenciais). Veja:
Futuro do Pretérito Composto: teria havido.

Língua Portuguesa 28
Apostila Digital Licenciada para Renê da Silva Pereira - aspirantepm2009@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
- 1. Essenciais: são aqueles que sempre se conjugam com os 2ª pessoa do singular: Radical + ES Ex.: teres(tu)
pronomes oblíquos me, te, se, nos, vos, se. São poucos: abster-se, 1ª pessoa do plural: Radical + MOS Ex.:termos (nós)
ater-se, apiedar-se, atrever-se, dignar-se, arrepender-se, etc. Nos 2ª pessoa do plural: Radical + DES Ex.:terdes (vós)
verbos pronominais essenciais a reflexibilidade já está implícita 3ª pessoa do plural: Radical + EM Ex.:terem (eles)
no radical do verbo. Por exemplo:
Arrependi-me de ter estado lá. Por exemplo:
A ideia é de que a pessoa representada pelo sujeito (eu) tem Foste elogiado por teres alcançado uma boa colocação.
um sentimento (arrependimento) que recai sobre ela mesma,
pois não recebe ação transitiva nenhuma vinda do verbo; o - c) Gerúndio: o gerúndio pode funcionar como adjetivo ou
pronome oblíquo átono é apenas uma partícula integrante do advérbio. Por exemplo: 
verbo, já que, pelo uso, sempre é conjugada com o verbo. Diz- Saindo  de casa, encontrei alguns amigos. (função de
se que o pronome apenas serve de reforço da ideia reflexiva advérbio)
expressa pelo radical do próprio verbo.   Nas ruas, havia crianças vendendo doces. (função adjetivo)
Veja uma conjugação pronominal essencial (verbo e Na forma simples, o gerúndio expressa uma ação em curso;
respectivos pronomes):  na forma composta, uma ação concluída. Por exemplo:
Eu me arrependo  Trabalhando, aprenderás o valor do dinheiro.
Tu te arrependes  Tendo trabalhado, aprendeu o valor do dinheiro.
Ele se arrepende 
Nós nos arrependemos  - d) Particípio:  quando não é empregado na formação dos
Vós vos arrependeis  tempos compostos, o particípio indica geralmente o resultado
Eles se arrependem de uma ação terminada, flexionando-se em gênero, número e
grau. Por exemplo:
 - 2. Acidentais:  são aqueles verbos transitivos diretos em que Terminados os exames, os candidatos saíram.
a ação exercida pelo sujeito recai sobre o objeto representado por Quando o particípio exprime somente estado, sem nenhuma
pronome oblíquo da mesma pessoa do sujeito; assim, o sujeito relação temporal, assume verdadeiramente a função de adjetivo
faz uma ação que recai sobre ele mesmo. Em geral, os verbos (adjetivo verbal). Por exemplo:
transitivos diretos ou transitivos diretos e indiretos podem ser Ela foi a aluna escolhida para representar a escola.
conjugados com os pronomes mencionados, formando o que se
chama voz reflexiva. Por exemplo: Maria se penteava. Tempos Verbais
A reflexibilidade é acidental, pois a ação reflexiva pode
ser exercida também sobre outra pessoa. Por exemplo:  Maria Tomando-se como referência o momento em que se fala,
penteou-me. a ação expressa pelo verbo pode ocorrer em diversos tempos.
  Veja:
Observações:
1- Por fazerem parte integrante do verbo, os pronomes 1. Tempos do Indicativo
oblíquos átonos dos verbos pronominais não possuem função
sintática. - Presente  - Expressa um fato atual. Por exemplo:
2- Há verbos que também são acompanhados de pronomes Eu estudo neste colégio.
oblíquos átonos, mas que não são essencialmente pronominais, - Pretérito Imperfeito  - Expressa um fato ocorrido num
são os verbos reflexivos. Nos verbos reflexivos, os pronomes, momento anterior ao atual, mas que não foi completamente
apesar de se encontrarem na pessoa idêntica à do sujeito, terminado. Por exemplo: Ele  estudava  as lições quando foi
exercem funções sintáticas. interrompido.
Por exemplo: - Pretérito Perfeito (simples)  -  Expressa um fato ocorrido
Eu me feri. = Eu(sujeito) - 1ª pessoa do singular me (objeto num momento anterior ao atual e que foi totalmente terminado.
direto) - 1ª pessoa do singular Por exemplo: Ele estudou as lições ontem à noite.
- Pretérito Perfeito (composto) - Expressa um fato que teve
Modos Verbais início no passado e que pode se prolongar até o momento atual.
Por exemplo: Tenho estudado muito para os exames.
Dá-se o nome de modo às várias formas assumidas pelo - Pretérito-Mais-Que-Perfeito - Expressa um fato ocorrido
verbo na expressão de um fato. Em Português, existem três antes de outro fato já terminado. Por exemplo: Ele já  tinha
modos:  estudado  as lições quando os amigos chegaram. (forma
Indicativo - indica uma certeza, uma realidade. Por exemplo: composta) Ele já estudara as lições quando os amigos chegaram.
Eu sempre estudo. (forma simples)
Subjuntivo - indica uma dúvida, uma possibilidade. Por - Futuro do Presente (simples) - Enuncia um fato que deve
exemplo: Talvez eu estude amanhã. ocorrer num tempo vindouro com relação ao momento atual.
Imperativo  - indica uma ordem, um pedido. Por Por exemplo:  Ele estudará as lições amanhã.
exemplo: Estuda agora, menino. - Futuro do Presente (composto) - Enuncia um fato que deve
ocorrer posteriormente a um momento atual, mas já terminado
Formas Nominais antes de outro fato futuro. Por exemplo: Antes de bater o sinal,
Além desses três modos, o verbo apresenta ainda formas os alunos já terão terminado o teste.
que podem exercer funções de nomes (substantivo, adjetivo, - Futuro do Pretérito (simples) - Enuncia um fato que pode
advérbio), sendo por isso denominadas  formas nominais. ocorrer posteriormente a um determinado fato passado. Por
Observe:  exemplo: Se eu tivesse dinheiro, viajaria nas férias.
- a) Infinitivo Impessoal:  exprime a significação do verbo - Futuro do Pretérito (composto)  -  Enuncia um fato que
de modo vago e indefinido, podendo ter valor e função de poderia ter ocorrido posteriormente a um determinado fato
substantivo. Por exemplo: Viver é lutar. (= vida é luta) passado. Por exemplo:  Se eu tivesse ganho esse dinheiro, teria
É indispensável combater a corrupção. (= combate à) viajado nas férias.
O infinitivo impessoal pode apresentar-se no presente
(forma simples) ou no passado (forma composta). Por exemplo: 2. Tempos do Subjuntivo
É preciso ler este livro. Era preciso ter lido este livro.
- Presente - Enuncia um fato que pode ocorrer no momento
b) Infinitivo Pessoal:  é o infinitivo relacionado às três atual. Por exemplo: É conveniente que estudes para o exame.
pessoas do discurso. Na 1ª e 3ª pessoas do singular, não - Pretérito Imperfeito  -  Expressa um fato passado, mas
apresenta desinências, assumindo a mesma forma do impessoal; posterior a outro já ocorrido. Por exemplo: Eu esperava que
nas demais, flexiona- -se da seguinte maneira: ele vencesse o jogo.

Língua Portuguesa 29
Apostila Digital Licenciada para Renê da Silva Pereira - aspirantepm2009@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
Obs.: o pretérito imperfeito é também usado nas construções Futuro do Pretérito do Indicativo
em que se expressa a ideia de condição ou desejo. Por exemplo:
Se ele viesse ao clube, participaria do campeonato. 1ª conjugação 2ª conjugação 3ª conjugação
- Pretérito Perfeito (composto) - Expressa um fato totalmente CANTAR VENDER PARTIR
terminado num momento passado. Por exemplo: Embora tenha cantarIA venderIA partirIA
estudado bastante, não passou no teste. cantarIAS venderIAS partirIAS
- Futuro do Presente (simples) - Enuncia um fato que pode cantarIA venderIA partirIA
ocorrer num momento futuro em relação ao atual. Por exemplo: cantarÍAMOS venderÍAMOS partirÍAMOS
Quando ele vier à loja, levará as encomendas. cantarÍEIS venderÍEIS partirÍEIS
Obs.: o futuro do presente é também usado em frases que cantarIAM venderIAM partirIAM
indicam possibilidade ou desejo. Por exemplo: Se ele vier à loja,
levará as encomendas. Presente do Subjuntivo
- Futuro do Presente (composto) - Enuncia um fato posterior
ao momento atual mas já terminado antes de outro fato Para se formar o presente do subjuntivo, substitui-se a
futuro. Por exemplo:  Quando ele  tiver saído do hospital, nós o desinência -o da primeira pessoa do singular do presente do
visitaremos. indicativo pela desinência -E (nos verbos de 1ª conjugação) ou
pela desinência -A (nos verbos de 2ª e 3ª conjugação).
Presente do Indicativo
1ª conj./2ª conj./3ª conju./Des.Temp./Des.temp./Des. pess
1ª conjugação/2ª conjugação/3ª conjugação / Desinência 1ª conj. 2ª/3ª conj.
pessoal CANTAR VENDER PARTIR
CANTAR VENDER PARTIR cantE vendA partA E A Ø
cantO vendO partO O cantES vendAS partAS E A S
cantaS vendeS parteS S cantE vendA partA E A Ø
canta vende parte - cantEMOS vendAMOS partAMOS E A MOS
cantaMOS vendeMOS partiMOS MOS cantEIS vendAIS partAIS E A IS
cantaIS vendeIS partIS IS cantEM vendAM partAM E A M
cantaM vendeM parteM M
Pretérito Imperfeito do Subjuntivo
Pretérito Perfeito do Indicativo
Para formar o imperfeito do subjuntivo, elimina-se a
1ª conjugação/2ª conjugação/3ª conjugação/Desinência desinência -STE da 2ª pessoa do singular do pretérito perfeito,
pessoal obtendo-se, assim, o tema desse tempo. Acrescenta-se a esse
CANTAR VENDER PARTIR tema a desinência temporal -SSE mais a desinência de número
canteI vendI partI I e pessoa correspondente.
cantaSTE vendeSTE partISTE STE
cantoU vendeU partiU U 1ª conj. 2ª conj. 3ª conj. Des. temporal Desin. pessoal
cantaMOS vendeMOS partiMOS MOS 1ª /2ª e 3ª conj.
cantaSTES vendeSTES partISTES STES CANTAR VENDER PARTIR
cantaRAM vendeRAM partiRAM AM cantaSSE vendeSSE partiSSE SSE Ø
cantaSSES vendeSSES partiSSES SSE S
Pretérito mais-que-perfeito cantaSSE vendeSSE partiSSE SSE Ø
cantáSSEMOS vendêSSEMOS partíssemos SSE MOS
1ª conj. / 2ª conj. / 3ª conj. /Desin. Temp. /Desin. Pess. cantáSSEIS vendêSSEIS partíSSEIS SSE IS
1ª/2ª e 3ª conj. cantaSSE vendeSSEM partiSSEM SSE M
CANTAR VENDER PARTIR - -
cantaRA vendeRA partiRA RA Ø Futuro do Subjuntivo
cantaRAS vendeRAS partiRAS RA S
cantaRA vendeRA partiRA RA Ø Para formar o futuro do subjuntivo elimina-se a desinência
cantáRAMOS vendêRAMOS partíRAMOS RA MOS -STE da 2ª pessoa do singular do pretérito perfeito, obtendo-
cantáREIS vendêREIS partíREIS RE IS se, assim, o tema desse tempo. Acrescenta-se a esse tema a
cantaRAM vendeRAM partiRAM RA M desinência temporal -R mais a desinência de número e pessoa
correspondente.
Pretérito Imperfeito do Indicativo
1ª conj. / 2ª conj. / 3ª conj. / Des. temp. /Desin. pess.
1ª conjugação / 2ª conjugação / 3ª conjugação 1ª /2ª e 3ª conj.
CANTAR VENDER PARTIR CANTAR VENDER PARTIR
cantAVA vendIA partIA cantaR vendeR partiR Ø
cantAVAS vendIAS partAS cantaRES vendeRES partiRES R ES
CantAVA vendIA partIA cantaR vendeR partiR R Ø
cantÁVAMOS vendÍAMOS partÍAMOS cantaRMOS vendeRMOS partiRMOS R MOS
cantÁVEIS vendÍEIS partÍEIS cantaRDES vendeRDES partiRDES R DES
cantAVAM vendIAM partIAM cantaREM vendeREM PartiREM R EM

Futuro do Presente do Indicativo Imperativo

1ª conjugação 2ª conjugação 3ª conjugação Imperativo Afirmativo


CANTAR VENDER PARTIR
cantar ei vender ei partir ei Para se formar o imperativo afirmativo, toma-se do presente
cantar ás vender ás partir ás do indicativo a 2ª pessoa do singular (tu) e a segunda pessoa do
cantar á vender á partir á plural (vós) eliminando-se o “S” final. As demais pessoas vêm,
cantar emos vender emos partir emos sem alteração, do presente do subjuntivo. Veja: 
cantar eis vender eis partir eis
cantar ão vender ão partir ão Pres. do Indicativo Imperativo Afirm. Pres. do Subjuntivo
Eu canto --- Que eu cante

Língua Portuguesa 30
Apostila Digital Licenciada para Renê da Silva Pereira - aspirantepm2009@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
Tu cantas CantA tu Que tu cantes 04. (Escrevente TJ SP Vunesp) Assinale a alternativa
Ele canta Cante você Que ele cante contendo a frase do texto na qual a expressão verbal destacada
Nós cantamos Cantemos nós Que nós cantemos exprime possibilidade.
Vós cantais CantAI vós Que vós canteis (A) ... o cientista Theodor Nelson sonhava com um sistema
Eles cantam Cantem vocês Que eles cantem capaz de disponibilizar um grande número de obras literárias...
(B) Funcionando como um imenso sistema de informação
Imperativo Negativo e arquivamento, o hipertexto deveria ser um enorme arquivo
Para se formar o imperativo negativo, basta antecipar a virtual.
negação às formas do presente do subjuntivo. (C) Isso acarreta uma textualidade que funciona por
associação, e não mais por sequências fixas previamente
Presente do Subjuntivo Imperativo Negativo estabelecidas.
Que eu cante --- (D) Desde o surgimento da ideia de hipertexto, esse conceito
Que tu cantes Não cantes tu está ligado a uma nova concepção de textualidade...
Que ele cante Não cante você (E) Criou, então, o “Xanadu”, um projeto para disponibilizar
Que nós cantemos Não cantemos nós toda a literatura do mundo...
Que vós canteis Não canteis vós
Que eles cantem Não cantem eles 05. (Analista – Arquitetura – FCC). Está adequada a
correlação entre tempos e modos verbais na frase:
Observações: (A) Os que levariam a vida pensando apenas nos valores
absolutos talvez façam melhor se pensassem no encanto dos
- No modo imperativo não faz sentido usar na 3ª pessoa pequenos bons momentos.
(singular e plural) as formas ele/eles, pois uma ordem, pedido (B) Há até quem queira saber quem fosse o maior bandido
ou conselho só se aplicam diretamente à pessoa com quem se entre os que recebessem destaque nos popularescos programas
da TV.
fala. Por essa razão, utiliza-se você/vocês.
(C) Não admira que os leitores de Manuel Bandeira gostam
- O verbo SER, no imperativo, faz excepcionalmente: sê (tu),
tanto de sua poesia, sobretudo porque ela não tenha aspirações
sede (vós).
a ser metafísica.
(D) Se os adeptos da fama a qualquer custo levarem em
Infinitivo Impessoal conta nossa condição de mortais, não precisariam preocupar-se
com os degraus da notoriedade.
1ª conjugação 2ª conjugação 3ª conjugação (E) Quanto mais aproveitássemos o que houvesse de grande
CANTAR VENDER PARTIR nos momentos felizes, menos precisaríamos nos preocupar com
conquistas superlativas.
Infinitivo Pessoal
06. (Escrevente TJ SP Vunesp) Assinale a alternativa em
1ª conjugação 2ª conjugação 3ª conjugação que todos os verbos estão empregados de acordo com a norma-
CANTAR VENDER PARTIR padrão.
cantar vender partir (A) Enviaram o texto, para que o revíssemos antes da
cantarES venderES partirES impressão definitiva.
cantar vender partir (B) Não haverá prova do crime se o réu se manter em silêncio.
cantarMOS venderMOS partirMOS (C) Vão pagar horas-extras aos que se disporem a trabalhar
cantarDES venderDES partirDES no feriado.
cantarEM venderEM partirEM (D) Ficarão surpresos quando o verem com a toga...
(E) Se você quer a promoção, é necessário que a requera a
Questões seu superior.

01. (Agente Policia Vunesp) Considere o trecho a seguir. 07. (Papiloscopista Policial Vunesp) Assinale a alternativa
É comum que objetos ___ esquecidos em locais públicos. Mas que substitui, corretamente e sem alterar o sentido da frase,
muitos transtornos poderiam ser evitados se as pessoas a expressão destacada em – Se a criança se perder, quem
______ a atenção voltada para seus pertences, conservando-os encontrá-la verá na pulseira instruções para que envie uma
junto ao corpo. Assinale a alternativa que preenche, correta e mensagem eletrônica ao grupo ou acione o código na internet.
respectivamente, as lacunas do texto. (A) Caso a criança se havia perdido…
(A) sejam … mantesse (B) Caso a criança perdeu…
(B) sejam … mantivessem (C) Caso a criança se perca…
(C) sejam … mantém (D) Caso a criança estivera perdida…
(D) seja … mantivessem (E) Caso a criança se perda…
(E) seja … mantêm
08. (Agente de Apoio Operacional – VUNESP). Assinale a
02. (Escrevente TJ SP Vunesp) Na frase –… os níveis de alternativa em que o verbo destacado está no tempo futuro.
pessoas sem emprego estão apresentando quedas sucessivas de (A) Os consumidores são assediados pelo marketing …
2005 para cá. –, a locução verbal em destaque expressa ação (B) … somente eles podem decidir se irão ou não comprar.
(A) concluída. (C) É como se abrissem em nós uma “caixa de necessidades”
(B) atemporal. (D) … de onde vem o produto…?
(C) contínua. (E) Uma pesquisa mostrou que 55,4% das pessoas…
(D) hipotética.
(E) futura. 09. (Papiloscopista Policial – VUNESP). Assinale a
alternativa em que a concordância das formas verbais destacadas
03. (Escrevente TJ SP Vunesp) Sem querer estereotipar, se dá em conformidade com a norma-padrão da língua.
mas já estereotipando: trata--se de um ser cujas interações sociais (A) Chegou, para ajudar a família, vários amigos e vizinhos.
terminam, 99% das vezes, diante da pergunta “débito ou crédito?”. (B) Haviam várias hipóteses acerca do que poderia ter
Nesse contexto, o verbo estereotipar tem sentido de acontecido com a criança.
(A) considerar ao acaso, sem premeditação. (C) Fazia horas que a criança tinha saído e os pais já estavam
(B) aceitar uma ideia mesmo sem estar convencido dela. preocupados.
(D) Era duas horas da tarde, quando a criança foi encontrada.
(C) adotar como referência de qualidade.
(E) Existia várias maneiras de voltar para casa, mas a criança
(D) julgar de acordo com normas legais.
se perdeu mesmo assim.
(E) classificar segundo ideias preconcebidas.

Língua Portuguesa 31
Apostila Digital Licenciada para Renê da Silva Pereira - aspirantepm2009@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
10. (Agente de Escolta e Vigilância Penitenciária – 9-)
VUNESP). (A) Chegaram, para ajudar a família, vários amigos e
Leia as frases a seguir. vizinhos.
I. Havia onze pessoas jogando pedras e pedaços de madeira (B) Havia várias hipóteses acerca do que poderia ter
no animal. acontecido com a criança.
II. Existiam muitos ferimentos no boi. (D) Eram duas horas da tarde, quando a criança foi
III. Havia muita gente assustando o boi numa avenida encontrada.
movimentada. (E) Existiam várias maneiras de voltar para casa, mas a
criança se perdeu mesmo assim.
Substituindo-se o verbo Haver pelo verbo Existir e este pelo
verbo Haver, nas frases, têm-se, respectivamente: 10-)
(A) Existia – Haviam – Existiam I. Havia onze pessoas jogando pedras e pedaços de madeira
(B) Existiam – Havia – Existiam no animal.
(C) Existiam – Haviam – Existiam II. Existiam muitos ferimentos no boi.
(D) Existiam – Havia – Existia III. Havia muita gente assustando o boi numa avenida
(E) Existia – Havia – Existia movimentada.

Respostas Haver – sentido de existir= invariável, impessoal; existir =


variável. Portanto, temos:
1-B / 2-C / 3-E / 4-B / 5-E / 6-A / 7-C / 8-B / 9-C / 10-D I – Existiam onze pessoas...
II – Havia muitos ferimentos...
Comentários III – Existia muita gente...

1-) É comum que objetos sejam esquecidos em locais


públicos. Mas muitos transtornos poderiam ser evitados se as
pessoas mantivessem a atenção voltada para seus pertences, Formação de Palavras:
conservando-os junto ao corpo. Derivação, Composição,
Hibridismo, etc
2-) os níveis de pessoas sem emprego estão apresentando
quedas sucessivas de 2005 para cá. –, a locução verbal em
destaque expressa ação contínua (=não concluída)

3-) Sem querer estereotipar, mas já estereotipando: trata- Caro candidato (a);
se de um ser cujas interações sociais terminam, 99% das vezes,
diante da pergunta “débito ou crédito?”. Este conteúdo já foi estudado no tópico “Traços
Nesse contexto, o verbo estereotipar tem sentido de semânticos de radicais, prefixos e sufixos”.
classificar segundo ideias preconcebidas.

4-) (B) Funcionando como um imenso sistema de informação


e arquivamento, o hipertexto deveria ser um enorme arquivo Efeitos de sentido decorrentes do
virtual. = verbo no futuro do pretérito emprego expressivo dos sinais
de Pontuação
5-)
A) Os que levam a vida pensando apenas nos valores
absolutos talvez fariam melhor se pensassem no encanto dos
pequenos bons momentos.
B) Há até quem queira saber quem é o maior bandido entre Os sinais de pontuação são marcações gráficas que servem
os que recebem destaque nos popularescos programas da TV. para compor a coesão e a coerência textual além de ressaltar
C) Não admira que os leitores de Manuel Bandeira gostem especificidades semânticas e pragmáticas. Vejamos as principais
tanto de sua poesia, sobretudo porque ela não tem aspirações funções dos sinais de pontuação conhecidos pelo uso da língua
a ser metafísica. portuguesa.
D) Se os adeptos da fama a qualquer custo levassem em
conta nossa condição de mortais, não precisariam preocupar-se Ponto
com os degraus da notoriedade. 1- Indica o término do discurso ou de parte dele.
- Façamos o que for preciso para tirá-la da situação em que
6-) se encontra.
(B) Não haverá prova do crime se o réu se mantiver em - Gostaria de comprar pão, queijo, manteiga e leite.
silêncio.
(C) Vão pagar horas-extras aos que se dispuserem a - Acordei. Olhei em volta. Não reconheci onde estava.
trabalhar no feriado.
(D) Ficarão surpresos quando o virem com a toga... 2- Usa-se nas abreviações - V. Exª. - Sr.
(E) Se você quiser a promoção, é necessário que a requeira
a seu superior. Ponto e Vírgula ( ; )
1- Separa várias partes do discurso, que têm a mesma
7-) Caso a criança se perca… (perda = substantivo: Houve importância.
uma grande perda salarial...) -  “Os pobres dão pelo pão o  trabalho; os ricos dão pelo pão
a fazenda; os de espíritos generosos dão pelo pão a vida; os de
8-) nenhum espírito dão pelo pão a alma...” (VIEIRA)
A) Os consumidores são assediados pelo marketing … =
presente 2- Separa partes de frases que já estão separadas por
C) É como se abrissem em nós uma “caixa de necessidades”… vírgulas.
= pretérito do Subjuntivo - Alguns quiseram verão, praia e calor; outros montanhas, frio
D) … de onde vem o produto…? = presente e cobertor.
E) Uma pesquisa mostrou que 55,4% das pessoas… =
pretérito perfeito

Língua Portuguesa 32
Apostila Digital Licenciada para Renê da Silva Pereira - aspirantepm2009@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
3- Separa itens de uma enumeração, exposição de motivos, c) das expressões explicativas ou corretivas: As indústrias
decreto de lei, etc. não querem abrir mão de suas vantagens, isto é, não querem abrir
- Ir ao supermercado; mão dos lucros altos.
- Pegar as crianças na escola;
- Caminhada na praia; - Para marcar inversão:
- Reunião com amigos. a) do adjunto adverbial (colocado no início da oração):
Depois das sete horas, todo o comércio está de portas fechadas.
Dois pontos b) dos objetos pleonásticos antepostos ao verbo: Aos
1- Antes de uma citação pesquisadores, não lhes destinaram verba alguma.
- Vejamos como Afrânio Coutinho trata este assunto: c) do nome de lugar anteposto às datas: Recife, 15 de maio
de 1982.
2- Antes de um aposto
- Três coisas não me agradam: chuva pela manhã, frio à tarde - Para separar entre si elementos coordenados (dispostos
e calor à noite. em enumeração):
Era um garoto de 15 anos, alto, magro.
3- Antes de uma explicação ou esclarecimento A ventania levou árvores, e telhados, e pontes, e animais.
- Lá estava a deplorável família: triste, cabisbaixa, vivendo a
rotina de sempre. - Para marcar elipse (omissão) do verbo:
Nós queremos comer pizza; e vocês, churrasco.
4- Em frases de estilo direto
 Maria perguntou: - Para isolar:
- Por que você não toma uma decisão?
- o aposto:
Ponto de Exclamação São Paulo, considerada a metrópole brasileira, possui um
1- Usa-se para indicar entonação de surpresa, cólera, susto, trânsito caótico.
súplica, etc.
- Sim! Claro que eu quero me casar com você! - o vocativo:
Ora, Thiago, não diga bobagem.
2- Depois de interjeições ou vocativos
- Ai! Que susto! Questões
- João! Há quanto tempo!
01. (Agente Policial – Vunesp). Assinale a alternativa em
Ponto de Interrogação que a pontuação está corretamente empregada, de acordo com a
Usa-se nas interrogações diretas e indiretas livres. norma-padrão da língua portuguesa.
“- Então? Que é isso? Desertaram ambos?” (Artur Azevedo) (A) Diante da testemunha, o homem abriu a bolsa e, embora,
Reticências experimentasse, a sensação de violar uma intimidade, procurou
1- Indica que palavras foram suprimidas. a esmo entre as coisinhas, tentando encontrar algo que pudesse
- Comprei lápis, canetas, cadernos... ajudar a revelar quem era a sua dona.
(B) Diante, da testemunha o homem abriu a bolsa e, embora
2- Indica interrupção violenta da frase. experimentasse a sensação, de violar uma intimidade, procurou
“- Não... quero dizer... é verdad... Ah!” a esmo entre as coisinhas, tentando encontrar algo que pudesse
ajudar a revelar quem era a sua dona.
3- Indica interrupções de hesitação ou dúvida (C) Diante da testemunha, o homem abriu a bolsa e, embora
- Este mal... pega doutor? experimentasse a sensação de violar uma intimidade, procurou
a esmo entre as coisinhas, tentando encontrar algo que pudesse
4- Indica que o sentido vai além do que foi dito ajudar a revelar quem era a sua dona.
- Deixa, depois, o coração falar... (D) Diante da testemunha, o homem, abriu a bolsa e, embora
experimentasse a sensação de violar uma intimidade, procurou
Vírgula a esmo entre as coisinhas, tentando, encontrar algo que pudesse
Não se usa vírgula ajudar a revelar quem era a sua dona.
*separando termos que, do ponto de vista sintático, ligam-se (E) Diante da testemunha, o homem abriu a bolsa e, embora,
diretamente entre si: experimentasse a sensação de violar uma intimidade, procurou
a esmo entre as coisinhas, tentando, encontrar algo que pudesse
a) entre sujeito e predicado. ajudar a revelar quem era a sua dona.
Todos os alunos da sala    foram advertidos. 
Sujeito                            predicado 02. Assinale a opção em que está corretamente indicada a
ordem dos sinais de pontuação que devem preencher as lacunas
b) entre o verbo e seus objetos. da frase abaixo:
O trabalho custou            sacrifício             aos realizadores.  “Quando se trata de trabalho científico ___ duas coisas devem
             V.T.D.I.              O.D.                      O.I. ser consideradas ____ uma é a contribuição teórica que o trabalho
oferece ___ a outra é o valor prático que possa ter.
c) entre nome e complemento nominal; entre nome e adjunto A) dois pontos, ponto e vírgula, ponto e vírgula
adnominal. B) dois pontos, vírgula, ponto e vírgula;
A surpreendente reação do governo contra os sonegadores C) vírgula, dois pontos, ponto e vírgula;
despertou reações entre os empresários. D) pontos vírgula, dois pontos, ponto e vírgula;
adj. adnominal nome adj. adn. complemento nominal E) ponto e vírgula, vírgula, vírgula.

Usa-se a vírgula: 03. (Agente de Apoio Administrativo – FCC). Os sinais de


pontuação estão empregados corretamente em:
- Para marcar intercalação: A) Duas explicações, do treinamento para consultores
a) do adjunto adverbial: O café, em razão da sua abundância, iniciantes receberam destaque, o conceito de PPD e a construção
vem caindo de preço. de tabelas Price; mas por outro lado, faltou falar das metas de
b) da conjunção: Os cerrados são secos e áridos. Estão vendas associadas aos dois temas.
produzindo, todavia, altas quantidades de alimentos. B) Duas explicações do treinamento para consultores
iniciantes receberam destaque: o conceito de PPD e a construção

Língua Portuguesa 33
Apostila Digital Licenciada para Renê da Silva Pereira - aspirantepm2009@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
de tabelas Price; mas, por outro lado, faltou falar das metas de A) Os candidatos, em fila, aguardavam ansiosos o resultado
vendas associadas aos dois temas. do concurso.
C) Duas explicações do treinamento para consultores B) Em fila, os candidatos, aguardavam, ansiosos, o resultado
iniciantes receberam destaque; o conceito de PPD e a construção do concurso.
de tabelas Price, mas por outro lado, faltou falar das metas de C) Ansiosos, os candidatos aguardavam, em fila, o resultado
vendas associadas aos dois temas. do concurso.
D) Duas explicações do treinamento para consultores D) Os candidatos ansiosos aguardavam o resultado do
iniciantes, receberam destaque: o conceito de PPD e a construção concurso, em fila.
de tabelas Price, mas, por outro lado, faltou falar das metas de E) Os candidatos aguardavam ansiosos, em fila, o resultado
vendas associadas aos dois temas. do concurso.
E) Duas explicações, do treinamento para consultores
iniciantes, receberam destaque; o conceito de PPD e a construção 08.  A frase em que deveria haver uma vírgula é:
de tabelas Price, mas por outro lado, faltou falar das metas, de A) Comi uma fruta pela manhã e outra à tarde.
vendas associadas aos dois temas. B) Eu usei um vestido vermelho na festa e minha irmã usou
um vestido azul.
04.(Escrevente TJ SP – Vunesp). Assinale a alternativa em C) Ela tem lábios e nariz vermelhos.
que o período, adaptado da revista Pesquisa Fapesp de junho de D) Não limparam a sala nem a cozinha.
2012, está correto quanto à regência nominal e à pontuação.
(A) Não há dúvida que as mulheres ampliam, rapidamente, 09. (Cefet-PR) Assinale o item em que o texto está
seu espaço na carreira científica ainda que o avanço seja mais corretamente pontuado:
notável em alguns países, o Brasil é um exemplo, do que em A) Não nego, que ao avistar a cidade natal tive uma sensação
outros. nova.
(B) Não há dúvida de que, as mulheres, ampliam rapidamente B) Não nego que ao avistar, a cidade natal, tive uma sensação
seu espaço na carreira científica; ainda que o avanço seja mais nova.
notável, em alguns países, o Brasil é um exemplo!, do que em C) Não nego que, ao avistar, a cidade natal, tive uma sensação
outros. nova.
(C) Não há dúvida de que as mulheres, ampliam rapidamente D) Não nego que ao avistar a cidade natal tive uma sensação
seu espaço, na carreira científica, ainda que o avanço seja mais nova.
notável, em alguns países: o Brasil é um exemplo, do que em E) Não nego que, ao avistar a cidade natal, tive uma
outros. sensação nova.
(D) Não há dúvida de que as mulheres ampliam rapidamente
seu espaço na carreira científica, ainda que o avanço seja mais 10. (Agente de Apoio Operacional – VUNESP – 2013).
notável em alguns países – o Brasil é um exemplo – do que em Assinale a alternativa em que a pontuação está de acordo com a
outros. norma culta da língua.
(E) Não há dúvida que as mulheres ampliam rapidamente, A) Atualmente, não se pode, fabricar apenas um produto.
seu espaço na carreira científica, ainda que, o avanço seja mais B) Os índices de produção devem, acompanhar, o mercado.
notável em alguns países (o Brasil é um exemplo) do que em C) A responsabilidade, socioambiental, é de extrema
outros. importância.
D) Acreditar, no consumo, consciente é necessário.
05. (Papiloscopista Policial – Vunesp). Assinale a E) O marketing, como se sabe, induz ao consumo
alternativa em que a frase mantém-se correta após o acréscimo desnecessário.
das vírgulas. Resposta
(A) Se a criança se perder, quem encontrá-la, verá na pulseira
instruções para que envie, uma mensagem eletrônica ao grupo 1-C 2-C 3-B 4-D 5-E 6-B 7-B 8-B 9-E 10-E
ou acione o código na internet.
(B) Um geolocalizador também, avisará, os pais de onde o Comentários
código foi acionado. 1- Assinalei com um (X) as pontuações inadequadas
(C) Assim que o código é digitado, familiares cadastrados, (A) Diante da testemunha, o homem abriu a bolsa e, embora,
recebem automaticamente, uma mensagem dizendo que a (X) experimentasse, (X) a sensação de violar uma intimidade,
criança foi encontrada. procurou a esmo entre as coisinhas, tentando encontrar algo
(D) De fabricação chinesa, a nova pulseirinha, chega primeiro que pudesse ajudar a revelar quem era a sua dona.
às, areias do Guarujá. (B) Diante, (X) da testemunha o homem abriu a bolsa
(E) O sistema permite, ainda, cadastrar o nome e o telefone e, embora experimentasse a sensação, (X) de violar uma
de quem a encontrou e informar um ponto de referência intimidade, procurou a esmo entre as coisinhas, tentando
encontrar algo que pudesse ajudar a revelar quem era a sua
06. Assinale a série de sinais cujo emprego corresponde, na dona.
mesma ordem, aos parênteses indicados no texto: “Pergunta-se (D) Diante da testemunha, o homem, (X) abriu a bolsa e,
( ) qual é a ideia principal desse parágrafo ( ) A chegada de embora experimentasse a sensação de violar uma intimidade,
reforços ( ) a condecoração ( ) o escândalo da opinião pública procurou a esmo entre as coisinhas, tentando, (X) encontrar
ou a renúncia do presidente ( ) Se é a chegada de reforços ( ) que algo que pudesse ajudar a revelar quem era a sua dona.
relação há ( ) ou mostrou seu autor haver ( ) entre esse fato e os (E) Diante da testemunha, o homem abriu a bolsa e, embora,
restantes ( )”. (X) experimentasse a sensação de violar uma intimidade,
A) vírgula, vírgula, interrogação, interrogação, interrogação, procurou a esmo entre as coisinhas, tentando, (X) encontrar
vírgula, vírgula, vírgula, ponto final algo que pudesse ajudar a revelar quem era a sua dona.
B) dois pontos, interrogação, vírgula, vírgula, interrogação,
vírgula, travessão, travessão, interrogação 2-) Quando se trata de trabalho científico, duas coisas devem
C) travessão, interrogação, vírgula, vírgula, ponto final, ser consideradas: uma é a contribuição teórica que o trabalho
travessão, travessão, ponto final, ponto final oferece; a outra é o valor prático que possa ter vírgula, dois
D) dois pontos, interrogação, vírgula, ponto final, travessão, pontos, ponto e vírgula
vírgula, vírgula, vírgula, interrogação
E) dois pontos, ponto final, vírgula, vírgula, interrogação, 3-) Assinalei com (X) onde estão as pontuações inadequadas
vírgula, vírgula, travessão, interrogação. A) Duas explicações, (X) do treinamento para consultores
iniciantes receberam destaque, (X) o conceito de PPD e a
07. (SRF) Das redações abaixo, assinale a que não está construção de tabelas Price; mas por outro lado, faltou falar das
pontuada corretamente: metas de vendas associadas aos dois temas.

Língua Portuguesa 34
Apostila Digital Licenciada para Renê da Silva Pereira - aspirantepm2009@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
C) Duas explicações do treinamento para consultores
iniciantes receberam destaque; (X) o conceito de PPD e a
construção de tabelas Price, (X) mas por outro lado, faltou falar
das metas de vendas associadas aos dois temas. Padrões de concordância verbal
D) Duas explicações do treinamento para consultores e nominal
iniciantes, (X) receberam destaque: o conceito de PPD e a
construção de tabelas Price, (X) mas, por outro lado, faltou falar
das metas de vendas associadas aos dois temas.
E) Duas explicações, (X) do treinamento para consultores
iniciantes, (X) receberam destaque; (X) o conceito de PPD e a Concordância Verbal
construção de tabelas Price, (X) mas por outro lado, faltou falar
das metas , (X) de vendas associadas aos dois temas. Ao falarmos sobre a concordância verbal, estamos nos
referindo à relação de dependência estabelecida entre um termo
4-) e outro mediante um contexto oracional. Desta feita, os agentes
(A) Não há dúvida de que as mulheres ampliam, (X) principais desse processo são representados pelo sujeito, que no
rapidamente, (X) seu espaço na carreira científica (, ) ainda caso funciona como subordinante; e o verbo, o qual desempenha
que o avanço seja mais notável em alguns países, o Brasil é um a função de subordinado. 
exemplo, do que em outros. Dessa forma, temos que a concordância verbal caracteriza-
(B) Não há dúvida de que, (X) as mulheres, (X) ampliam se pela adaptação do verbo, tendo em vista os quesitos “número
rapidamente seu espaço na carreira científica; (X) ainda que o e pessoa” em relação ao sujeito. Exemplificando, temos: O aluno
avanço seja mais notável, (X) em alguns países, o Brasil é um chegou
exemplo! (X), do que em outros. Temos que o verbo apresenta-se na terceira pessoa do
(C) Não há dúvida de que as mulheres, (X) ampliam singular, pois faz referência a um sujeito, assim também expresso
rapidamente seu espaço, (X) na carreira científica, (X) ainda que (ele).  Como poderíamos também dizer: os alunos chegaram
o avanço seja mais notável, em alguns países: (X) o Brasil é um atrasados.
exemplo, do que em outros. Temos aí o que podemos chamar de princípio básico.
(E) Não há dúvida de que as mulheres ampliam rapidamente, Contudo, a intenção a que se presta o artigo em evidência é
(X) seu espaço na carreira científica, ainda que, (X) o avanço eleger as principais ocorrências voltadas para os casos de sujeito
seja mais notável em alguns países (o Brasil é um exemplo) do simples e para os de sujeito composto. Dessa forma, vejamos: 
que em outros.
Casos referentes a sujeito simples
5-) 1) Em caso de sujeito simples, o verbo concorda com o
(A) Se a criança se perder, quem encontrá-la, (X) verá núcleo em número e pessoa: O aluno chegou atrasado. 
na pulseira instruções para que envie, (X) uma mensagem
eletrônica ao grupo ou acione o código na internet. 2) Nos casos referentes a sujeito representado por
(B) Um geolocalizador também, (X) avisará, (X) os pais de substantivo coletivo, o verbo permanece na terceira pessoa do
onde o código foi acionado. singular:  A multidão, apavorada, saiu aos gritos.
(C) Assim que o código é digitado, familiares cadastrados, Observação:
(X) recebem ( , ) automaticamente, uma mensagem dizendo que - No caso de o coletivo aparecer seguido de adjunto adnominal
a criança foi encontrada. no plural, o verbo permanecerá no singular ou poderá ir para o
(D) De fabricação chinesa, a nova pulseirinha, (X) chega plural: Uma multidão de pessoas saiu aos gritos.
primeiro às, (X) areias do Guarujá. Uma multidão de pessoas saíram aos gritos.

6-) Pergunta-se ( : ) qual é a ideia principal desse parágrafo ( 3) Quando o sujeito é representado por expressões partitivas,
? ) A chegada de reforços ( , ) a condecoração ( , ) o escândalo da representadas por “a maioria de, a maior parte de, a metade de,
opinião pública ou a renúncia do presidente (? ) Se é a chegada uma porção de, entre outras”, o verbo tanto pode concordar
de reforços ( , ) que relação há ( - ) ou mostrou seu autor haver ( com o núcleo dessas expressões quanto com o substantivo
- ) entre esse fato e os restantes ( ? ) que a segue: A  maioria  dos alunos  resolveu  ficar.   A maioria
dos alunos resolveram ficar.
7-) Em fila, os candidatos, (X) aguardavam, ansiosos, o
resultado do concurso. 4) No caso de o sujeito ser representado por expressões
aproximativas, representadas por “cerca de, perto de”, o verbo
8-) Eu usei um vestido vermelho na festa, e minha irmã usou concorda com o substantivo determinado por elas: Cerca de
um vestido azul. Há situações em que é possível usar a vírgula vinte candidatos se inscreveram no concurso de piadas.
antes do “e”. Isso ocorre quando a conjunção aditiva coordena
orações de sujeitos diferentes nas quais a leitura fluente pode 5) Em casos em que o sujeito é representado pela expressão
ser prejudicada pela ausência da pontuação.  “mais de um”, o verbo permanece no singular: Mais de
um candidato se inscreveu no concurso de piadas.  
9-) Observação:
A) Não nego, (X) que ao avistar a cidade natal tive uma - No caso da referida expressão aparecer repetida ou
sensação nova. associada a um verbo que exprime reciprocidade, o verbo,
B) Não nego que ao avistar, (X) a cidade natal, tive uma necessariamente, deverá permanecer no plural: Mais de um
sensação nova. aluno, mais de um professor contribuíram na campanha de
C) Não nego que, ao avistar, (X) a cidade natal, tive uma doação de alimentos. 
sensação nova. Mais de um formando se abraçaram durante as solenidades
D) Não nego que ( , ) ao avistar a cidade natal ( , ) tive uma de formatura. 
sensação nova.
6) Quando o sujeito for composto da expressão “um dos
10-) que”, o verbo permanecerá no plural: Esse jogador foi  um dos
A) Atualmente, não se pode, (X) fabricar apenas um produto. que atuaram na Copa América.
B) Os índices de produção devem, (X) acompanhar, (X) o
mercado. 7) Em casos relativos à concordância com locuções
C) A responsabilidade, (X) socioambiental, (X) é de extrema pronominais, representadas por “algum de nós, qual de vós,
importância. quais de vós, alguns de nós”, entre outras, faz-se necessário nos
D) Acreditar, (X) no consumo, (X) consciente é necessário. atermos a duas questões básicas:

Língua Portuguesa 35
Apostila Digital Licenciada para Renê da Silva Pereira - aspirantepm2009@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
- No caso de o primeiro pronome estar expresso no plural, 4) Nos casos relacionados a sujeito simples, porém com
o verbo poderá com ele concordar, como poderá também mais de um núcleo, o verbo deverá permanecer no singular:
concordar com o pronome pessoal: Alguns de nós o receberemos. Meu esposo e grande companheiro merece toda a felicidade do
/ Alguns de nós o receberão. mundo.
- Quando o primeiro pronome da locução estiver expresso
no singular, o verbo permanecerá, também, no singular:  Algum 5) Casos relativos a sujeito composto de palavras sinônimas
de nós o receberá.   ou ordenado por elementos em gradação, o verbo poderá
permanecer no singular ou ir para o plural: Minha vitória,
8) No caso de o sujeito aparecer representado pelo pronome minha conquista, minha premiação são frutos de meu esforço.
“quem”, o verbo permanecerá na terceira pessoa do singular / Minha vitória, minha conquista, minha premiação é fruto de
ou poderá concordar com o antecedente desse pronome:    meu esforço.
Fomos nós  quem  contou  toda a verdade para ela. / Fomos
nós quem contamos toda a verdade para ela. Questões

9) Em casos nos quais o sujeito aparece realçado pela palavra 01. (Prefeitura de Praia Grande/SP - Agente
“que”, o verbo deverá concordar com o termo que antecede essa Administrativo - IBAM - Adaptado)
palavra: Nesta empresa somos nós que tomamos as decisões. / A concordância realizou-se adequadamente em qual
Em casa sou eu que decido tudo.    alternativa?
(A) Os Estados Unidos é considerado, hoje, a maior potência
10) No caso de o sujeito aparecer representado por econômica do planeta, mas há quem aposte que a China, em
expressões que indicam porcentagens, o verbo concordará com o breve, o ultrapassará.
numeral ou com o substantivo a que se refere essa porcentagem:    (B) Em razão das fortes chuvas haverão muitos candidatos
50% dos funcionários aprovaram a decisão da diretoria. / 50% que chegarão atrasados, tenho certeza disso.
do eleitorado apoiou a decisão. (C) Naquela barraca vendem-se tapiocas fresquinhas, pode
Observações: comê-las sem receio!
- Caso o verbo aparecer anteposto à expressão de (D) A multidão gritaram quando a cantora apareceu na
porcentagem, esse deverá concordar com o numeral: Aprovaram janela do hotel!
a decisão da diretoria 50% dos funcionários.     
- Em casos relativos a 1%, o verbo permanecerá no singular: 02. (PM-BA - Soldado da Polícia Militar - FCC - Adaptado)
1% dos funcionários não aprovou a decisão da diretoria.   “Se os cachorros correm livremente, por que eu não posso
- Em casos em que o numeral estiver acompanhado de fazer isso também?”, pergunta Bob Dylan em “New Morning”.
determinantes no plural, o verbo permanecerá no plural: Os Bob Dylan verbaliza um anseio sentido por todos nós, humanos
50% dos funcionários apoiaram a decisão da diretoria.  supersocializados: o anseio de nos livrarmos de todos os
constrangimentos artificiais decorrentes do fato de vivermos em
11) Nos casos em que o sujeito estiver representado por uma sociedade civilizada em que às vezes nos sentimos presos
pronomes de tratamento, o verbo deverá ser empregado na terceira a uma correia. Um conjunto cultural de regras tácitas e inibições
pessoa do singular ou do plural:  Vossas Majestades gostaram das está sempre governando as nossas interações cotidianas com os
homenagens. Vossa Majestade agradeceu o convite.   outros.
Uma das razões pelas quais os cachorros nos atraem é o fato
12) Casos relativos a sujeito representado por substantivo de eles serem tão desinibidos e livres. Parece que eles jogam
próprio no plural se encontram relacionados a alguns aspectos com as suas próprias regras, com a sua própria lógica interna.
que os determinam: Eles vivem em um universo paralelo e diferente do nosso - um
universo que lhes concede liberdade de espírito e paixão pela
- Diante de nomes de obras no plural, seguidos do verbo ser, vida enormemente atraentes para nós. Um cachorro latindo ao
este permanece no singular, contanto que o predicativo também vento ou uivando durante a noite faz agitar-se dentro de nós
esteja no singular:  Memórias póstumas de Brás Cubas  é  uma alguma coisa que também quer se expressar.
criação de Machado de Assis.    Os cachorros são uma constante fonte de diversão para
nós porque não prestam atenção as nossas convenções sociais.
- Nos casos de artigo expresso no plural, o verbo também Metem o nariz onde não são convidados, pulam para cima
permanece no plural: Os  Estados Unidos  são  uma potência do sofá, devoram alegremente a comida que cai da mesa. Os
mundial. cachorros raramente se refreiam quando querem fazer alguma
coisa. Eles não compartilham conosco as nossas inibições. Suas
- Casos em que o artigo figura no singular ou em que ele nem emoções estão ã flor da pele e eles as manifestam sempre que
aparece, o verbo permanece no singular:  Estados Unidos é uma as sentem.
potência mundial. 
(Adaptado de Matt Weistein e Luke Barber. Cão que
Casos referentes a sujeito composto late não morde. Trad. de Cristina Cupertino. S.Paulo: Francis,
2005. p 250)
1) Nos casos relativos a sujeito composto de pessoas
gramaticais diferentes, o verbo deverá ir para o plural, estando A frase em que se respeitam as normas de concordância
relacionado a dois pressupostos básicos: verbal é:
- Quando houver a 1ª pessoa, esta prevalecerá sobre as (A) Deve haver muitas razões pelas quais os cachorros nos
demais: Eu, tu e ele faremos um lindo passeio. atraem.
- Quando houver a 2ª pessoa, o verbo poderá (B) Várias razões haveriam pelas quais os cachorros nos
flexionar na 2ª ou na 3ª pessoa: Tu e ele sois primos. atraem.
Tu e ele são primos. (C) Caberiam notar as muitas razões pelas quais os cachorros
nos atraem.
2) Nos casos em que o sujeito composto aparecer anteposto (D) Há de ser diversas as razões pelas quais os cachorros nos
ao verbo, este permanecerá no plural: O pai e seus dois atraem.
filhos compareceram ao evento.   (E) Existe mesmo muitas razões pelas quais os cachorros
nos atraem.
3) No caso em que o sujeito aparecer posposto ao verbo, este
poderá concordar com o núcleo mais próximo ou permanecer 03. (TST - Analista Judiciário - Contabilidade - FCC -
no plural: Compareceram  ao evento  o pai e seus dois filhos. Adaptado)
Compareceu ao evento o pai e seus dois filhos. Uma pergunta

Língua Portuguesa 36
Apostila Digital Licenciada para Renê da Silva Pereira - aspirantepm2009@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
Frequentemente cabe aos detentores de cargos de 05. (PRODEST/ES – ASSISTENTE ORGANIZACIONAL –
responsabilidade tomar decisões difíceis, de graves VUNESP/2014) De acordo com a norma-padrão da língua
consequências. Haveria algum critério básico, essencial, para portuguesa, a concordância verbal está correta em:
amparar tais escolhas? Antonio Gramsci, notável pensador (A) Ela não pode usar o celular e chamar um taxista, pois
e político italiano, propôs que se pergunte, antes de tomar a acabou os créditos.
decisão: - Quem sofrerá? (B) Esta empresa mantêm contato com uma rede de táxis
Para um humanista, a dor humana é sempre prioridade a se que executa diversos serviços para os clientes.
considerar. (C) À porta do aeroporto, havia muitos táxis disponíveis para
os passageiros que chegavam à cidade.
(Salvador Nicola, inédito) (D) Passou anos, mas a atriz não se esqueceu das calorosas
lembranças que seu tio lhe deixou.
O verbo indicado entre parênteses deverá flexionar-se no (E) Deve existir passageiros que aproveitam a corrida de táxi
singular para preencher adequadamente a lacuna da frase: para bater um papo com o motorista.
(A) A nenhuma de nossas escolhas ...... (poder) deixar de
corresponder nossos valores éticos mais rigorosos. 06. (PREFEITURA DE JOÃO PESSOA/PB – AGENTE
(B) Não se ...... (poupar) os que governam de refletir sobre o EDUCACIONAL – FGV/2014)
peso de suas mais graves decisões. Analise a frase a seguir: “30% da população apoiam”.
(C) Aos governantes mais responsáveis não ...... (ocorrer) Uma frase construída por uma porcentagem seguida de um
tomar decisões sem medir suas consequências. partitivo tanto pode ter sua concordância verbal realizada com a
(D) A toda decisão tomada precipitadamente ...... (costumar) porcentagem quanto com o partitivo. A esse respeito, assinale a
sobrevir consequências imprevistas e injustas. alternativa que mostra uma concordância inaceitável.
(E) Diante de uma escolha, ...... (ganhar) prioridade, (A) 1,4 dos uruguaios apoiam.
recomenda Gramsci, os critérios que levam em conta a dor (B) 1,3 da população apoia.
humana. (C) 2,2 da população apoiam.
(D) 3,3 dos uruguaios apoiam.
04. (TRF - 4ª REGIÃO - Analista Judiciário - Engenharia (E) 1,8 da população uruguaia apoiam.
Elétrica - FCC - Adaptado)
Em um belo artigo, o físico Marcelo Gleiser, analisando a 07. (CPTM - Analista Administrativo Júnior - Makiyama -
constatação do satélite Kepler de que existem muitos planetas Adaptado) Assinale a alternativa correta quanto à concordância.
com características físicas semelhantes ao nosso, reafirmou sua (A) Tratam-se de questões sociais.
fé na hipótese da Terra rara, isto é, a tese de que a vida complexa (B) Vendeu-se todos os ingressos.
(animal) é um fenômeno não tão comum no Universo. (C) Comentou-se as suas atitudes
Gleiser retoma as ideias de Peter Ward expostas de modo (D) Necessita-se de colaboradores.
persuasivo em “Terra Rara”. Ali, o autor sugere que a vida (E) Avaliou-se os riscos
microbiana deve ser um fenômeno trivial, podendo pipocar até
em mundos inóspitos; já o surgimento de vida multicelular na 08. Texto:
Terra dependeu de muitas outras variáveis físicas e históricas,
o que, se não permite estimar o número de civilizações ONU pede ampliação de programas sociais do Brasil SÃO
extra terráqueas, ao menos faz com que reduzamos nossas PAULO – Os programas adotados no governo federal ainda
expectativas. não são suficientes para lidar com problemas de desigualdade,
Uma questão análoga só arranhada por Ward é a da reforma agrária, moradia, educação e trabalho escravo, informou
inexorabilidade da inteligência. A evolução de organismos ontem a Organização das Nações Unidas (ONU). Comitê da
complexos leva necessariamente à consciência e à inteligência? entidade pelos direitos econômicos e sociais pede uma revisão
Robert Wright diz que sim, mas seu argumento é mais do Bolsa-Família, uma maior eficiência do programa e sua
matemático do que biológico: complexidade engendra “universalização”. Por fim, constata: a cultura da violência e da
complexidade, levando a uma corrida armamentista entre impunidade reina no País.
espécies cujo subproduto é a inteligência. A ONU sugere que o Brasil amplie o Bolsa-Família para
Stephen J. Gould e Steven Pinker apostam que não. Para camadas da população que não recebem os benefícios,
eles, é apenas devido a uma sucessão de pré-adaptações e incluindo os indígenas. E cobra a “revisão” dos mecanismos de
coincidências que alguns animais transformaram a capacidade acompanhamento do programa para garantir acesso de todas as
de resolver problemas em estratégia de sobrevivência. Se famílias pobres, aumentando ainda a renda distribuída.
rebobinássemos o filme da evolução e reencenássemos o Há duas semanas, o comitê sabatinou membros do governo
processo mudando alguns detalhes do início, seriam grandes as em Genebra, na Suíça. O documento com as sugestões é resultado
chances de não chegarmos a nada parecido com a inteligência. da avaliação dos peritos do comitê que inclui o exame de dados
passados pelo governo e por cinco relatórios alternativos
(Adaptado de Hélio Schwartsman. Folha de S. Paulo, apresentados por organizações não-governamentais (ONGs).
28/10/2012) Os peritos reconhecem os avanços no combate à pobreza,
mas insistem que a injustiça social prevalece. Um dos pontos
A frase em que as regras de concordância estão plenamente considerados como críticos é a diferença de expectativa de
respeitadas é: vida e de pobreza entre brancos e negros. A sugestão da ONU
(A) Podem haver estudos que comprovem que, no passado, é que o governo tome medidas “mais focadas”. Na visão do
as formas mais complexas de vida - cujo habitat eram oceanos órgão, a exclusão é decorrente da alta proporção de pessoas
ricos em nutrientes - se alimentavam por osmose. sem qualquer forma de segurança social, muitos por estarem no
(B) Cada um dos organismos simples que vivem na natureza setor informal da economia.
sobrevivem de forma quase automática, sem se valerem de
criatividade e planejamento. (www.estadao.com.br/nacional/not_nac377078,0.htm.
(C) Desde que observe cuidados básicos, como obter energia 26.05.2009. Adaptado)
por meio de alimentos, os organismos simples podem preservar
a vida ao longo do tempo com relativa facilidade. Observe as frases:
(D) Alguns animais tem de se adaptar a um ambiente cheio de I. Reina no País a violência e a impunidade.
dificuldades para obter a energia necessária a sua sobrevivência II. Fazem duas semanas que o comitê da ONU sabatinou
e nesse processo expõe- se a inúmeras ameaças. membros do governo em Genebra, na Suíça.
(E) A maioria dos organismos mais complexos possui um III. De acordo com o relatório da ONU, cabe às autoridades
sistema nervoso muito desenvolvido, capaz de se adaptar a brasileiras medidas mais austeras no combate à pobreza.
mudanças ambientais, como alterações na temperatura.

Língua Portuguesa 37
Apostila Digital Licenciada para Renê da Silva Pereira - aspirantepm2009@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
IV. Não apenas a revisão dos mecanismos de acompanhamento dificuldades para obter a energia necessária a sua sobrevivência
do programa como também o aumento da renda distribuída são e nesse processo expõe- se a inúmeras ameaças. ERRADO, o quê
cobrados pela ONU. ou quem tem de se adaptar? Alguns animais, portanto deveria
ser: Alguns animais têm de se....
Quanto à concordância verbal, está correto apenas o contido e) A maioria dos organismos mais complexos possui um
em: sistema nervoso muito desenvolvido, capaz de se adaptar a
(A) I. mudanças ambientais, como alterações na temperatura. CERTO.
(B) IV. A expressão “a maioria” seguida de substantivo no plural aceita
(C) I e III. tanto verbo no plural quanto no singular.
(D) I e IV.
(E) II, III e IV. 05. Resposta C
(A) Ela não pode usar o celular e chamar um taxista, pois
Respostas acabou os créditos. = acabaram
(B) Esta empresa mantêm contato com uma rede de táxis que
01. Resposta C executa diversos serviços para os clientes. = mantém (singular)
O verbo se flexiona para concordar com o seu sujeito, por (C) À porta do aeroporto, havia muitos táxis disponíveis para
isso alternativa C é a correta. os passageiros que chegavam à cidade. = correta
(D) Passou anos (passaram-se), mas a atriz não se esqueceu
02. Resposta A das calorosas lembranças que seu tio lhe deixou.
Quando acompanhado de verbo auxiliar, o verbo impessoal (E) Deve (devem) existir passageiros que aproveitam a
transmite ao auxiliar a sua impessoalidade. corrida de táxi para bater um papo com o motorista.
EX.: Deverá haver feiras de artesanato na praça. A mais recente pesquisa, elaborada pelo Instituto...,
Vai fazer cinco anos que te vi.  mostrou que 38%... A PESQUISA MOSTROU (sujeito “pesquisa”
concordando com verbo “mostrar”). Essa é a real justificativa.
03. Resposta C
A questão diz respeito a concordância verbal, logo, nesse 06. Resposta E
tipo de questão, deve-se achar o sujeito pra analisar se o verbo (A) 1,4 dos uruguaios apoiam.
vai pro plural ou não, dessa forma: (B) 1,3 da população apoia.
a) A nenhuma de nossas escolhas ...... (poder) deixar de (C) 2,2 da população apoiam.
corresponder nossos valores éticos mais rigorosos. (D) 3,3 dos uruguaios apoiam.
Colocando na ordem direta: Nossos valores éticos PODEM (E) 1,8 da população uruguaia apoiam. = apoia (tanto o
deixar de corresponder a nenhuma de nossas escolhas. (Sujeito numeral quanto o substantivo estão no singular)
no plural, verbo no plural!)
b) Não se ...... (poupar) os que governam de refletir sobre o 07. Resposta D
peso de suas mais graves decisões. Necessita-se de novos colaboradores
Colocando na ordem direta: Não se POUPEM os que Está correto, pois o verbo necessitar é transitivo indireto
governam... (A sentença está na voz passiva, tendo como sujeito seu sujeito é indeterminado e “de novos colaboradores” é objeto
paciente “Os que governam”. Dessa forma, sujeito no plural, indireto, o qual não concorda com o sujeito.
verbo no plural!!)
c) Aos governantes mais responsáveis não ...... (ocorrer) 08. Resposta D
tomar decisões sem medir suas consequências. I – Quando o sujeito composto aparece posposto ao verbo,
Colocando na ordem direta: Tomar decisões sem medir suas este pode concordar com o núcleo mais próximo (no caso
consequências não OCORRE aos governantes mais responsáveis. “violência”)
(Sujeito oracional, verbo no singular! Aqui está o nosso gabarito!) II – Na indicação de tempo decorrido, o verbo “fazer” é
d) A toda decisão tomada precipitadamente ...... (costumar) impessoal, devendo, pois, ser conjugado na 3º pessoa do singular.
sobrevir consequências imprevistas e injustas. III – O verbo “caber” deve concordar com o núcleo do sujeito
Colocando na ordem direta: Consequências imprevistas (medidas), sendo, então, conjugado na 3º pessoa do plural.
e injustas COSTUMAM sobrevir a toda decisão tomada IV – A locução verbal foi flexionada para concordar com o
precipitadamente. (Consequências imprevistas e injustas é o sujeito composto, cujos núcleos são “revisão” e “aumento”.
sujeito, portanto, sujeito no plural, verbo no plural!)
e) Diante de uma escolha, ...... (ganhar) prioridade, recomenda Concordância Nominal
Gramsci, os critérios que levam em conta a dor humana.
Colocando na ordem direta: Os critérios que levam em conta Concordância nominal é que o ajuste que fazemos aos
a dor humana GANHAM prioridade, diante de uma escolha, demais termos da oração para que concordem em gênero e
recomenda Gramsci. (Os critérios que levam em conta a dor número com o substantivo. Teremos que alterar, portanto, o
humana é o sujeito, portanto, sujeito no plural, verbo no plural!) artigo, o adjetivo, o numeral e o pronome. Além disso, temos
também o verbo, que se flexionará à sua maneira.
04. Resposta E
Segue alguns erros apontados: Regra geral: O artigo, o adjetivo, o numeral e o pronome
a) Podem haver estudos que comprovem que, no passado, concordam em gênero e número com o substantivo.
as formas mais complexas de vida - cujo habitat eram oceanos - A pequena criança é uma gracinha.
ricos em nutrientes - se alimentavam por osmose. ERRADA. Isso - O garoto que encontrei era muito gentil e simpático.
porque o “haver” está no sentido de existir e, portanto impessoal,
transferindo a sua impessoalidade para o seu auxiliar. Casos especiais: Veremos alguns casos que fogem à regra
b) Cada um dos organismos simples que vivem na natureza geral mostrada acima.
sobrevivem de forma quase automática, sem se valerem de
criatividade e planejamento. ERRADA. A expressão “Cada um” a) Um adjetivo após vários substantivos
pede verbo no singular, o correto seria VIVE 1 - Substantivos de mesmo gênero: adjetivo vai para o plural
c) Desde que observe cuidados básicos, como obter energia ou concorda com o substantivo mais próximo.
por meio de alimentos, os organismos simples podem preservar - Irmão e primo recém-chegado estiveram aqui.
a vida ao longo do tempo com relativa facilidade. ERRADA. Eu - Irmão e primo recém-chegados estiveram aqui.
acredito que seja porque quem deve observar cuidados básicos
são os organismos simples e portanto o verbo deveria estar no 2 - Substantivos de gêneros diferentes: vai para o
plural: Desde que observem... É isso? plural masculino ou concorda com o substantivo mais próximo.
d) Alguns animais tem de se adaptar a um ambiente cheio de - Ela tem pai e mãe louros.

Língua Portuguesa 38
Apostila Digital Licenciada para Renê da Silva Pereira - aspirantepm2009@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
- Ela tem pai e mãe loura. k) Tal Qual
1- “Tal” concorda com o antecedente, “qual” concorda com o
3 - Adjetivo funciona como predicativo: vai obrigatoriamente consequente.
para o plural. As garotas são vaidosas tais qual a tia.
Os pais vieram fantasiados tais quais os filhos.
- O homem e o menino estavam perdidos.
- O homem e sua esposa estiveram hospedados aqui. l) Possível
1- Quando vem acompanhado de “mais”, “menos”, “melhor”
b) Um adjetivo anteposto a vários substantivos ou “pior”, acompanha o artigo que precede as expressões.
1 - Adjetivo anteposto normalmente concorda com o mais A mais possível das alternativas é a que você expôs.
próximo. Os melhores cargos possíveis estão neste setor da empresa.
As piores situações possíveis são encontradas nas favelas da
Comi delicioso almoço e sobremesa. cidade.
Provei deliciosa fruta e suco.
2 - Adjetivo anteposto funcionando como predicativo: m) Meio
concorda com o mais próximo ou vai para o plural. 1- Como advérbio: invariável.
Estavam feridos o pai e os filhos. Estou meio (um pouco) insegura.
Estava ferido o pai e os filhos. 2- Como numeral: segue a regra geral.
Comi meia (metade) laranja pela manhã.
c) Um substantivo e mais de um adjetivo
1- antecede todos os adjetivos com um artigo. n) Só
Falava fluentemente a língua inglesa e a espanhola. 1- apenas, somente (advérbio): invariável.
2- coloca o substantivo no plural. Só consegui comprar uma passagem.
Falava fluentemente as línguas inglesa e espanhola. 2- sozinho (adjetivo): variável.
Estiveram sós durante horas.
d) Pronomes de tratamento
1 - sempre concordam com a 3ª pessoa. Questões
Vossa Santidade esteve no Brasil.
01. (TJ/SC - Analista Jurídico – TJ/SC) Indique o uso
e) Anexo, incluso, próprio, obrigado INCORRETO da concordância verbal ou nominal:
1 - Concordam com o substantivo a que se referem. (A) Será descontada em folha sua contribuição sindical.
As cartas estão anexas. (B) Na última reunião, ficou acordado que se realizariam
A bebida está inclusa. encontros semanais com os diversos interessados no assunto.
Precisamos de nomes próprios. (C) Alguma solução é necessária, e logo!
Obrigado, disse o rapaz. (D) Embora tenha ficado demonstrado cabalmente a
ocorrência de simulação na transferência do imóvel, o pedido
f) Um(a) e outro(a), num(a) e noutro(a) não pode prosperar.
1 - Após essas expressões o substantivo fica sempre no (E) A liberdade comercial da colônia, somada ao fato de D.
singular e o adjetivo no plural. João VI ter também elevado sua colônia americana à condição de
Renato advogou um e outro caso fáceis. Reino Unido a Portugal e Algarves, possibilitou ao Brasil obter
Pusemos numa e noutra bandeja rasas o peixe. certa autonomia econômica.

g) É bom, é necessário, é proibido 02. (TJ/SC - Analista Jurídico – TJ/SC) Aponte a alternativa
1- Essas expressões não variam se o sujeito não vier em que NÃO ocorre silepse (de gênero, número ou pessoa):
precedido de artigo ou outro determinante. (A) “A gente é feito daquele tipo de talento capaz de fazer a
Canja é bom. / A canja é boa. diferença.”
É necessário sua presença. / É necessária a sua presença. (B) Todos sabemos que a solução não é fácil.
É proibido entrada de pessoas não autorizadas. / A entrada (C) Essa gente trabalhadora merecia mais, pois acordam às
é proibida. cinco horas para chegar ao trabalho às oito da manhã.
(D) Todos os brasileiros sabem que esse problema vem de
h) Muito, pouco, caro longe...
1- Como adjetivos: seguem a regra geral. (E) Senhor diretor, espero que Vossa Senhoria seja mais
Comi muitas frutas durante a viagem. compreensivo.
Pouco arroz é suficiente para mim.
Os sapatos estavam caros. 03. (CEMIG/TELECOM – Técnico Administrativo -
FUMARC) A concordância nominal está INCORRETA em:
2- Como advérbios: são invariáveis. (A) A mídia julgou desnecessária a campanha e o
Comi muito durante a viagem. envolvimento da empresa.
Pouco lutei, por isso perdi a batalha. (B) A mídia julgou a campanha e a atuação da empresa
Comprei caro os sapatos. desnecessária.
(C) A mídia julgou desnecessário o envolvimento da empresa
i) Mesmo, bastante e a campanha.
1- Como advérbios: invariáveis (D) A mídia julgou a campanha e a atuação da empresa
Preciso mesmo da sua ajuda. desnecessárias.
Fiquei bastante contente com a proposta de emprego.
04. Complete os espaços com um dos nomes colocados nos
2- Como pronomes: seguem a regra geral. parênteses.
Seus argumentos foram bastantes para me convencer. (A) Será que é ____ essa confusão toda? (necessário/
Os mesmos argumentos que eu usei, você copiou. necessária)
(B) Quero que todos fiquem ____. (alerta/ alertas)
j) Menos, alerta (C) Houve ____ razões para eu não voltar lá. (bastante/
1- Em todas as ocasiões são invariáveis. bastantes)
Preciso de menos comida para perder peso. (D) Encontrei ____ a sala e os quartos. (vazia/vazios)
Estamos alerta para com suas chamadas. (E) A dona do imóvel ficou ____ desiludida com o inquilino.
(meio/ meia)

Língua Portuguesa 39
Apostila Digital Licenciada para Renê da Silva Pereira - aspirantepm2009@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
05. (PREFEITURA DO RIO DE JANEIRO – GUARDA alternativas apresentaram concordância com a ideia, com o
MUNICIPAL – FJG RIOI/2013) Quanto à concordância nominal, significado que as palavras representam. (podem ser de gênero,
verifica-se ERRO em: número, pessoa).
(A) O texto fala de uma época e de um assunto polêmicos.
(B) Tornou-se clara para o leitor a posição do autor sobre o 03. Resposta B
assunto. O correto seria: A mídia julgou a campanha e a atuação da
(C) Constata-se hoje a existência de homem, mulher e empresa desnecessárias
criança viciadas. O adjetivo concorda com os dois substantivos femininos:
(D) Não será permitido visita de amigos, apenas a de campanha e atuação da empresa
parentes.
04. a) necessária b) alerta c) bastantes d) vazia e) meio
06. (AL TO - ASSISTENTE LEGISLATIVO - PROGRAMAÇÃO
DE COMPUTADORES – CESGRANRIO) 05. Resposta C
SUBSTANTIVO (homem)+ SUBSTANTIVO (mulher)+
Texto I SUBSTANTIVO (criança) +ADJETIVO
Caso exista um substantivo masculino, deverá prevalecer o
Conta-se que, certa vez, ligaram para Brasília uns cientistas adjetivo no masculino
americanos intrigados com o que viram em algumas fotos de
satélite. Eles queriam saber o que havia na região ao norte do 06. Resposta C
Distrito Federal, porque as imagens mostravam um brilho Alternativa A: precisa concordar com o mais próximo –
intenso naquelas coordenadas, algo muito incomum. Bem, esse telefonemas é masculino, portanto, “imagens e telefonemas
telefonema pode nem ter ocorrido, mas o certo é que a Chapada diários”
dos Veadeiros, a 230 quilômetros de Brasília, está sobre uma Alternativa B: garimpagem é substantivo feminino: “A
das mais generosas jazidas de cristal de que se tem notícia. garimpagem é proibida”
Os tais cientistas americanos, caso tenham ligado mesmo, não Alternativa C: Místicos: substantivo masculino
estavam descobrindo nenhuma América, pois durante longo Pesquisadoras: substantivo feminino
tempo a garimpagem do cristal movimentou a Chapada e seus
arredores. Esse minério translúcido servia como matéria-prima O adjetivo “interessados” está posposto aos substantivos,
para fabricação de componentes eletrônicos e de computador, portanto, prevalece a forma masculina no plural.
em vista de sua altíssima condutividade. Com o tempo, os
pesquisadores desenvolveram outros materiais em laboratório Alternativa D: “Fotos e imagens eram AS MESMAS de sempre”
e o cava-cava acabou. Os místicos falam que há uma gigantesca Alternativa E: “a OLHOS vistos”
placa de cristal sob toda a região. E sobre ela, como você pode
imaginar, uma gigantesca massa de místicos. Atraídos pela 07. Resposta D
inegável atmosfera divinal da Chapada, que é um manancial “Elas não progredirão por si MESMAS”
de água e luz (a solar, ok?) e com visuais que chamam à
contemplação, milhares de terapeutas, psicólogos, massagistas e 08. Resposta C
líderes espirituais se mudaram para lá, o que faz de Alto Paraíso Na frase, o vocábulo “só” tem função de adjetivo, desta forma,
e da vizinha vila de São Jorge um “território alto-astral” de fama deve concordar com o substantivo “eles”. Assim: Eles estavam
internacional. SÓS

RODRIGUES, Otávio. Viagem, Edição Especial (Ecoturismo)Ed. Abril


- Edição 108-A.

Marque a frase em que a concordância nominal está correta.


(A) Imagens e telefonemas diárias intrigavam os Padrões de regência verbal e
pesquisadores. nominal
(B) A garimpagem é proibido naquela região.
(C) Havia místicos e pesquisadoras interessados no lugar.
(D) Fotos e imagens eram a mesma de sempre.
(E) A cidade crescia rapidamente, a olho vistos.
Dá-se o nome de regência à relação de subordinação que
07. Aponte o erro de concordância nominal. ocorre entre um verbo (ou um nome) e seus complementos.
(A) Andei por longes terras. Ocupa-se em estabelecer relações entre as palavras, criando
(B) Ela chegou toda machucada. frases não ambíguas, que expressem efetivamente o sentido
(C) Carla anda meio aborrecida. desejado, que sejam corretas e claras.
(D) Elas não progredirão por si mesmo.
(E) Ela própria nos procurou. Regência Verbal

08. Assinale o erro de concordância nominal. Termo Regente:  VERBO


(A) – Muito obrigada, disse ela.
(B) Só as mulheres foram interrogadas. A regência verbal estuda a relação que se estabelece entre
(C) Eles estavam só. os verbos e os termos que os complementam (objetos diretos e
(D) Já era meio-dia e meia. objetos indiretos) ou caracterizam (adjuntos adverbiais).
(E) Sós, ficaram tristes. O estudo da regência verbal permite-nos ampliar nossa
capacidade expressiva, pois oferece oportunidade de
Respostas conhecermos as diversas significações que um verbo pode
assumir com a simples mudança ou retirada de uma preposição. 
01. Resposta D Observe:
A alternativa “D” é a correta porque o correto é “...tenha A mãe agrada o filho. -> agradar significa acariciar, contentar.
ficado demonstrada cabalmente a ocorrência...”. A mãe agrada ao filho. -> agradar significa “causar agrado ou
prazer”, satisfazer.
02. Resposta D
A alternativa “D” é a correta porque não houve silepse, pois Logo, conclui-se que “agradar alguém” é diferente de
a concordância foi feita pelas classes gramaticais. As outras “agradar a alguém”.

Língua Portuguesa 40
Apostila Digital Licenciada para Renê da Silva Pereira - aspirantepm2009@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
Saiba que: Os pronomes pessoais do caso oblíquo de terceira pessoa que
O conhecimento do uso adequado das preposições é um podem atuar como objetos indiretos são o “lhe”, o “lhes”, para
dos aspectos fundamentais do estudo da regência verbal (e substituir pessoas. Não se utilizam os pronomes o, os, a, as como
também nominal). As preposições são capazes de modificar complementos de verbos transitivos indiretos. Com os objetos
completamente o sentido do que se está sendo dito. Veja os indiretos que não representam pessoas, usam-se pronomes
exemplos: oblíquos tônicos de terceira pessoa (ele, ela) em lugar dos
Cheguei ao metrô. pronomes átonos lhe, lhes. 
Cheguei no metrô.
Os verbos transitivos indiretos são os seguintes:
No primeiro caso, o metrô é o lugar a que vou; no segundo a) Consistir - Tem complemento introduzido pela
caso, é o meio de transporte por mim utilizado. A oração “Cheguei preposição “em”.
no metrô”, popularmente usada a fim de indicar o lugar a que se A modernidade verdadeira  consiste  em  direitos iguais para
vai, possui, no padrão culto da língua, sentido diferente. Aliás, é todos.
muito comum existirem divergências entre a regência coloquial,
cotidiana de alguns verbos, e a regência culta. b) Obedecer e Desobedecer - Possuem seus complementos
introduzidos pela preposição “a”.
Para estudar a regência verbal, agruparemos os verbos de Devemos obedecer aos nossos princípios e ideais.
acordo com sua transitividade. A transitividade, porém, não é Eles desobedeceram às leis do trânsito.
um fato absoluto: um mesmo verbo pode atuar de diferentes
formas em frases distintas. c) Responder - Tem complemento introduzido pela
preposição “a”. Esse verbo pede objeto indireto para indicar “a
Verbos Intransitivos quem” ou “ao que” se responde.
Respondi ao meu patrão.
Os verbos intransitivos não possuem complemento. É Respondemos às perguntas.
importante, no entanto, destacar alguns detalhes relativos Respondeu-lhe à altura.
aos adjuntos adverbiais que costumam acompanhá-los. Obs.:  o verbo  responder, apesar de transitivo indireto
a) Chegar, Ir quando exprime aquilo a que se responde, admite voz passiva
Normalmente vêm acompanhados de adjuntos adverbiais analítica. Veja:
de lugar. Na língua culta, as preposições usadas para O questionário foi respondido corretamente.
indicar destino ou direção são: a, para. Todas as perguntas foram respondidas satisfatoriamente.
Fui ao teatro.
      Adjunto Adverbial de Lugar d) Simpatizar e  Antipatizar - Possuem seus complementos
introduzidos pela preposição “com”.
Ricardo foi para a Espanha. Antipatizo com aquela apresentadora.
                  Adjunto Adverbial de Lugar Simpatizo com  os que condenam os políticos que governam
b) Comparecer para uma minoria privilegiada.
O adjunto adverbial de lugar pode ser introduzido
por em ou a. Verbos Transitivos Diretos e Indiretos
Comparecemos ao estádio (ou no estádio) para ver o último
jogo. Os verbos transitivos diretos e indiretos são acompanhados
de um objeto direto e um indireto. Merecem destaque, nesse
Verbos Transitivos Diretos grupo:

Os verbos transitivos diretos são complementados por Agradecer, Perdoar e Pagar


objetos diretos. Isso significa que  não  exigem preposição  para
o estabelecimento da relação de regência. Ao empregar esses São verbos que apresentam objeto direto
verbos, devemos lembrar que os pronomes oblíquos o, a, os, relacionado a coisas e objeto indireto relacionado a pessoas.
as atuam como objetos diretos. Esses pronomes podem assumir Veja os exemplos:
as formas lo, los, la, las (após formas verbais terminadas em -r, Agradeço    aos ouvintes         a audiência.
-s ou -z) ou no, na, nos, nas (após formas verbais terminadas em                    Objeto Indireto      Objeto Direto
sons nasais), enquanto  lhe e lhes são, quando complementos Cristo ensina que é preciso perdoar     o pecado        ao pecador.
verbais, objetos indiretos.                                                                  Obj. Direto       Objeto Indireto
São verbos transitivos diretos, dentre outros: abandonar, Paguei      o débito        ao cobrador.
abençoar, aborrecer, abraçar, acompanhar, acusar, admirar,                Objeto Direto      Objeto Indireto
adorar, alegrar, ameaçar, amolar, amparar, auxiliar, castigar,
condenar, conhecer, conservar,convidar, defender, eleger, estimar, - O uso dos pronomes oblíquos átonos deve ser feito com
humilhar, namorar, ouvir, prejudicar, prezar, proteger, respeitar, particular cuidado. Observe:
socorrer, suportar, ver, visitar. Agradeci o presente. / Agradeci-o.
Na língua culta, esses verbos funcionam exatamente como o Agradeço a você. / Agradeço-lhe.
verbo amar: Perdoei a ofensa. / Perdoei-a.
Amo aquele rapaz. / Amo-o. Perdoei ao agressor. / Perdoei-lhe.
Amo aquela moça. / Amo-a. Paguei minhas contas. / Paguei-as.
Amam aquele rapaz. / Amam-no. Paguei aos meus credores. / Paguei-lhes.
Ele deve amar aquela mulher. / Ele deve amá-la.
Informar
Obs.: os pronomes lhe, lhes só acompanham esses verbos para
indicar posse (caso em que atuam como adjuntos adnominais). - Apresenta objeto direto ao se referir a coisas e objeto
Quero beijar-lhe o rosto. (= beijar seu rosto) indireto ao se referir a pessoas, ou vice-versa.
Prejudicaram-lhe a carreira. (= prejudicaram sua carreira) Informe os novos preços aos clientes.
Conheço-lhe o mau humor! (= conheço seu mau humor) Informe  os  clientes  dos  novos preços. (ou sobre os novos
preços)
Verbos Transitivos Indiretos
Os verbos transitivos indiretos são complementados por - Na utilização de pronomes como complementos,  veja as
objetos indiretos. Isso significa que esses verbos exigem uma construções:
preposição  para o estabelecimento da relação de regência. Informei-os aos clientes. / Informei-lhes os novos preços.

Língua Portuguesa 41
Apostila Digital Licenciada para Renê da Silva Pereira - aspirantepm2009@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
Informe-os dos novos preços. / Informe-os deles. (ou sobre Aspirava o suave aroma. (Aspirava-o)
eles)
Obs.: a mesma regência do verbo  informar é usada  para os 2)  Aspirar  é transitivo indireto no sentido de  desejar, ter
seguintes:  avisar, certificar, notificar, cientificar, prevenir. como ambição.
Aspirávamos a melhores condições de vida. (Aspirávamos a
Comparar elas)
Obs.: como o objeto direto do verbo “aspirar” não é pessoa,
Quando seguido de dois objetos, esse verbo admite as mas coisa, não se usam as formas pronominais átonas “lhe”
preposições  “a”  ou  “com” para introduzir o complemento e “lhes” e sim as formas tônicas “a ele (s)”, “ a ela (s)”.  Veja o
indireto. exemplo:
Comparei seu comportamento ao (ou com o) de uma criança. Aspiravam a uma existência melhor. (= Aspiravam a ela)

Pedir ASSISTIR

Esse verbo pede objeto direto de coisa (geralmente na forma 1)  Assistir  é transitivo direto no sentido de  ajudar, prestar
de oração subordinada substantiva) e indireto de pessoa. assistência a, auxiliar. Por Exemplo:
Pedi-lhe                 favores. As empresas de saúde negam-se a assistir os idosos.
Objeto Indireto    Objeto Direto As empresas de saúde negam-se a assisti-los.
                                     
Pedi-lhe                     que mantivesse em silêncio. 2) Assistir é transitivo indireto no sentido de ver, presenciar,
Objeto Indireto           Oração Subordinada Substantiva estar presente, caber, pertencer.
                                                           Objetiva Direta
Exemplos:
Saiba que: Assistimos ao documentário.
1) A construção  “pedir para”,  muito comum na linguagem Não assisti às últimas sessões.
cotidiana, deve ter emprego muito limitado na língua culta. No Essa lei assiste ao inquilino.
entanto, é considerada correta quando a palavra licença estiver Obs.: no sentido de  morar, residir,  o verbo  “assistir”  é
subentendida. intransitivo, sendo acompanhado de adjunto adverbial de lugar
Peço (licença) para ir entregar-lhe os catálogos em casa. introduzido pela preposição “em”.
Observe que, nesse caso, a preposição “para” introduz uma Assistimos numa conturbada cidade.
oração subordinada adverbial final reduzida de infinitivo (para
ir entregar-lhe os catálogos em casa). CHAMAR
2) A construção  “dizer para”,  também muito usada
popularmente, é igualmente considerada incorreta. 1)  Chamar  é transitivo direto no sentido de  convocar,
solicitar a atenção ou a presença de.
Preferir Por gentileza, vá chamar sua prima. / Por favor, vá chamá-la.
Chamei você várias vezes. / Chamei-o várias vezes.
Na língua culta, esse verbo deve apresentar objeto
indireto introduzido pela preposição “a”. Por Exemplo: 2)  Chamar  no sentido de  denominar, apelidar  pode
Prefiro qualquer coisa a abrir mão de meus ideais. apresentar objeto direto e indireto, ao qual se refere predicativo
Prefiro trem a ônibus. preposicionado ou não.
Obs.: na língua culta, o verbo “preferir” deve ser usado sem A torcida chamou o jogador mercenário.
termos intensificadores, tais como:  muito, antes, mil vezes, um A torcida chamou ao jogador mercenário.
milhão de vezes, mais. A ênfase já é dada pelo prefixo existente A torcida chamou o jogador de mercenário.
no próprio verbo (pre). A torcida chamou ao jogador de mercenário.

Mudança de Transitividade  versus  Mudança de CUSTAR


Significado
1) Custar é intransitivo no sentido de ter determinado valor
Há verbos que, de acordo com a mudança de transitividade, ou preço, sendo acompanhado de adjunto adverbial.
apresentam mudança de significado. O conhecimento das Frutas e verduras não deveriam custar muito.
diferentes regências desses verbos é um recurso linguístico
muito importante, pois além de permitir a correta interpretação 2) No sentido de ser difícil, penoso, pode ser intransitivo ou
de passagens escritas, oferece possibilidades expressivas a transitivo indireto.
quem fala ou escreve. Dentre os principais, estão: Muito custa          viver tão longe da família.
            Verbo   Oração Subordinada Substantiva Subjetiva 
AGRADAR        Intransitivo                       Reduzida de Infinitivo

1) Agradar é transitivo direto no sentido de fazer carinhos, Custa-me (a mim)  crer que tomou realmente aquela atitude.
acariciar.         Objeto                 Oração Subordinada Substantiva Subjetiva 
Sempre agrada o filho quando o revê. / Sempre o agrada         Indireto                                     Reduzida de Infinitivo
quando o revê.
Cláudia não perde oportunidade de agradar o gato. / Cláudia Obs.: a Gramática Normativa condena as construções que
não perde oportunidade de agradá-lo. atribuem ao verbo “custar” um sujeito representado por pessoa.
Observe o exemplo abaixo:
2) Agradar é transitivo indireto no sentido de causar agrado Custei para entender o problema. 
a, satisfazer, ser agradável a.  Rege complemento introduzido Forma correta: Custou-me entender o problema.
pela preposição “a”.
O cantor não agradou aos presentes. IMPLICAR
O cantor não lhes agradou.
1) Como transitivo direto, esse verbo tem dois sentidos:
ASPIRAR
a) dar a entender, fazer supor, pressupor
1) Aspirar é transitivo direto no sentido de sorver, inspirar Suas atitudes implicavam um firme propósito.
(o ar), inalar.

Língua Portuguesa 42
Apostila Digital Licenciada para Renê da Silva Pereira - aspirantepm2009@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
b)  Ter como consequência, trazer como consequência, Substantivos
acarretar, provocar
Liberdade de escolha implica amadurecimento político de um Admiração a, por
povo. Devoção a, para, com, por
Medo a, de
2) Como transitivo direto e indireto, significa comprometer, Aversão a, para, por
envolver Doutor em
Implicaram aquele jornalista em questões econômicas. Obediência a
Atentado a, contra
Obs.: no sentido de antipatizar, ter implicância, é transitivo Dúvida acerca de, em, sobre
indireto e rege com preposição “com”. Ojeriza a, por
Implicava com quem não trabalhasse arduamente. Bacharel em
Horror a
PROCEDER Proeminência sobre
Capacidade de, para
1)  Proceder  é intransitivo no sentido de  ser decisivo, Impaciência com
ter cabimento, ter fundamento ou portar-se, comportar-se, Respeito a, com, para com, por
agir.  Nessa segunda acepção, vem sempre acompanhado de
adjunto adverbial de modo. Adjetivos
As afirmações da testemunha procediam, não havia como
refutá-las. Acessível a
Você procede muito mal. Diferente de
Necessário a
2) Nos sentidos de ter origem, derivar-se (rege a preposição” Acostumado a, com
de”) e  fazer, executar  (rege complemento introduzido pela Entendido em
preposição “a”) é transitivo indireto. Nocivo a
O avião procede de Maceió. Afável com, para com
Procedeu-se aos exames. Equivalente a
O delegado procederá ao inquérito. Paralelo a
Agradável a
QUERER Escasso de
Parco em, de
1)  Querer  é transitivo direto no sentido de  desejar, ter Alheio a, de
vontade de, cobiçar. Essencial a, para
Querem melhor atendimento. Passível de
Queremos um país melhor. Análogo a
Fácil de
2)  Querer  é transitivo indireto no sentido de  ter afeição, Preferível a
estimar, amar. Ansioso de, para, por
Quero muito aos meus amigos. Fanático por
Ele quer bem à linda menina. Prejudicial a
Despede-se o filho que muito lhe quer. Apto a, para
Favorável a
VISAR Prestes a
Ávido de
1)  Como transitivo direto, apresenta os sentidos de  mirar, Generoso com
fazer pontaria e de pôr visto, rubricar. Propício a
O homem visou o alvo. Benéfico a
O gerente não quis visar o cheque. Grato a, por
Próximo a
2)  No sentido de  ter em vista, ter como meta, ter como Capaz de, para
objetivo, é transitivo indireto e rege a preposição “a”. Hábil em
O ensino deve sempre visar ao progresso social. Relacionado com
Prometeram tomar medidas que visassem ao bem-estar Compatível com
público. Habituado a
Relativo a
Regência Nominal Contemporâneo a, de
    Idêntico a
É o nome da relação existente entre um nome (substantivo, Satisfeito com, de, em, por
adjetivo ou advérbio) e os termos regidos por esse nome. Essa Contíguo a
relação é sempre intermediada por uma preposição. No estudo Impróprio para
da regência nominal, é preciso levar em conta que vários nomes Semelhante a
apresentam exatamente o mesmo regime dos verbos de que Contrário a
derivam. Conhecer o regime de um verbo significa, nesses casos, Indeciso em
conhecer o regime dos nomes cognatos. Observe o exemplo: Sensível a
Verbo  obedecer  e os nomes correspondentes: todos regem Curioso de, por
complementos introduzidos pela preposição «a”.Veja: Insensível a
Sito em
Obedecer a algo/ a alguém. Descontente com
Obediente a algo/ a alguém. Liberal com
Suspeito de
Apresentamos a seguir vários nomes acompanhados Desejoso de
da preposição ou preposições que os regem. Observe-os Natural de
atentamente e procure, sempre que possível, associar esses Vazio de
nomes entre si ou a algum verbo cuja regência você conhece.

Língua Portuguesa 43
Apostila Digital Licenciada para Renê da Silva Pereira - aspirantepm2009@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
Advérbios

Longe de Perto de

Obs.: os advérbios terminados em  -mente tendem a seguir


o regime dos adjetivos de que são formados: paralela a;
paralelamente a; relativa a; relativamente a.

Fonte: http://www.soportugues.com.br/secoes/sint/sint61.php

Questões

01. (Administrador – FCC – Adaptado).


... a que ponto a astronomia facilitou a obra das outras
ciências ...

O verbo que exige o mesmo tipo de complemento que o


grifado acima está empregado em:
A) ...astros que ficam tão distantes ...
Considerando as regras de regência da norma-padrão
B) ...que a astronomia é uma das ciências ...
da língua portuguesa, a frase do primeiro quadrinho está
C) ...que nos proporcionou um espírito ...
corretamente reescrita, e sem alteração de sentido, em:
D) ...cuja importância ninguém ignora ...
A) Ter amigos ajuda contra o combate pela depressão.
E) ...onde seu corpo não passa de um ponto obscuro ...
B) Ter amigos ajuda o combate sob a depressão.
C) Ter amigos ajuda do combate com a depressão.
02.(Agente de Apoio Administrativo – FCC – Adaptado).
D) Ter amigos ajuda ao combate na depressão.
... pediu ao delegado do bairro que desse um jeito nos filhos
E) Ter amigos ajuda no combate à depressão.
do sueco.
06. (Escrevente TJ SP – Vunesp - Adaptado) Assinale a
O verbo que exige, no contexto, o mesmo tipo de
alternativa em que o período, adaptado da revista Pesquisa
complementos que o grifado acima está empregado em:
Fapesp de junho de 2012, está correto quanto à regência nominal
A) ...que existe uma coisa chamada EXÉRCITO...
e à pontuação.
B) ...como se isso aqui fosse casa da sogra?
C) ...compareceu em companhia da mulher à delegacia...
(A) Não há dúvida que as mulheres ampliam, rapidamente,
D) Eu ensino o senhor a cumprir a lei, ali no duro...
seu espaço na carreira científica ainda que o avanço seja mais
E) O delegado apenas olhou-a espantado com o atrevimento.
notável em alguns países, o Brasil é um exemplo, do que em
outros.
03.(Agente de Defensoria Pública – FCC – Adaptado).
(B) Não há dúvida de que, as mulheres, ampliam rapidamente
... constava simplesmente de uma vareta quebrada em partes
seu espaço na carreira científica; ainda que o avanço seja mais
desiguais...
notável, em alguns países, o Brasil é um exemplo!, do que em
outros.
O verbo que exige o mesmo tipo de complemento que o
(C) Não há dúvida de que as mulheres, ampliam rapidamente
grifado acima está empregado em:
seu espaço, na carreira científica, ainda que o avanço seja mais
A) Em campos extensos, chegavam em alguns casos a extremos
notável, em alguns países: o Brasil é um exemplo, do que em
de sutileza.
outros.
B) ...eram comumente assinalados a golpes de machado nos
(D) Não há dúvida de que as mulheres ampliam rapidamente
troncos mais robustos.
seu espaço na carreira científica, ainda que o avanço seja mais
C) Os toscos desenhos e os nomes estropiados desorientam,
notável em alguns países – o Brasil é um exemplo – do que em
não raro, quem...
outros.
D) Koch-Grünberg viu uma dessas marcas de caminho na
(E) Não há dúvida que as mulheres ampliam rapidamente,
serra de Tunuí...
seu espaço na carreira científica, ainda que, o avanço seja mais
E) ...em que tão bem se revelam suas afinidades com o gentio,
notável em alguns países (o Brasil é um exemplo) do que em
mestre e colaborador...
outros.
04. (Agente Técnico – FCC – Adaptado).
07. (Papiloscopista Policial – VUNESP). Assinale a
... para lidar com as múltiplas vertentes da justiça...
alternativa correta quanto à regência dos termos em destaque.
(A) Ele tentava convencer duas senhoras a assumir a
O verbo que exige o mesmo tipo de complemento que o da
responsabilidade pelo problema.
frase acima se encontra em:
(B) A menina tinha o receio a levar uma bronca por ter se
A) A palavra direito, em português, vem de directum, do verbo
perdido.
latino dirigere...
(C) A garota tinha apenas a lembrança pelo desenho de um
B) ...o Direito tem uma complexa função de gestão das
índio na porta do prédio.
sociedades...
(D) A menina não tinha orgulho sob o fato de ter se perdido
C) ...o de que o Direito [...] esteja permeado e regulado pela
de sua família.
justiça.
(E) A família toda se organizou para realizar a procura à
D) Essa problematicidade não afasta a força das aspirações
garotinha.
da justiça...
E) Na dinâmica dessa tensão tem papel relevante o sentimento
08. (Analista de Sistemas – VUNESP ). Assinale a alternativa
de justiça.
que completa, correta e respectivamente, as lacunas do texto, de
acordo com as regras de regência.
05. Leia a tira a seguir.
Os estudos _______ quais a pesquisadora se reportou já
assinalavam uma relação entre os distúrbios da imagem corporal
e a exposição a imagens idealizadas pela mídia.

Língua Portuguesa 44
Apostila Digital Licenciada para Renê da Silva Pereira - aspirantepm2009@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
A pesquisa faz um alerta ______ influência negativa que a mídia E) ...em que tão bem se revelam suas afinidades com o
pode exercer sobre os jovens. gentio, mestre e colaborador...=transitivo direto
A) dos … na
B) nos … entre a 4-) ... para lidar com as múltiplas vertentes da justiça...
C) aos … para a Lidar = transitivo intransitivo
D) sobre os … pela B) ...o Direito tem uma complexa função de gestão das
E) pelos … sob a sociedades... =transitivo direto
C) ...o de que o Direito [...] esteja permeado e regulado pela
09. (Analista em Planejamento, Orçamento e Finanças justiça. =ligação
Públicas – VUNESP ). Considerando a norma-padrão da língua, D) Essa problematicidade não afasta a força das aspirações
assinale a alternativa em que os trechos destacados estão da justiça... =transitivo direto e indireto
corretos quanto à regência, verbal ou nominal. E) Na dinâmica dessa tensão tem papel relevante o
A) O prédio que o taxista mostrou dispunha de mais de dez sentimento de justiça. =transitivo direto
mil tomadas.
B) O autor fez conjecturas sob a possibilidade de haver um 5-) Considerando as regras de regência da norma-padrão
homem que estaria ouvindo as notas de um oboé. da língua portuguesa, a frase do primeiro quadrinho está
C) Centenas de trabalhadores estão empenhados de criar corretamente reescrita, e sem alteração de sentido, em:
logotipos e negociar. Ter amigos ajuda no combate à depressão.
D) O taxista levou o autor a indagar no número de tomadas
do edifício. 6-) A correção do item deve respeitar as regras de pontuação
E) A corrida com o taxista possibilitou que o autor reparasse também. Assinalei apenas os desvios quanto à regência
a um prédio na marginal. (pontuação encontra-se em tópico específico)
(A) Não há dúvida de que as mulheres ampliam,
10. (Assistente de Informática II – VUNESP). Assinale (B) Não há dúvida de que (erros quanto à pontuação)
a alternativa que substitui a expressão destacada na frase, (C) Não há dúvida de que as mulheres, (erros quanto
conforme as regras de regência da norma-padrão da língua e à pontuação)
sem alteração de sentido. (E) Não há dúvida de que as mulheres ampliam rapidamente,
seu espaço na carreira científica, ainda que, o avanço seja mais
Muitas organizações lutaram a favor da igualdade de direitos notável em alguns países (o Brasil é um exemplo) do que em
dos trabalhadores domésticos. outros.
A) da
B) na 7-)
C) pela (B) A menina tinha o receio de levar uma bronca por ter se
D) sob a perdido.
E) sobre a (C) A garota tinha apenas a lembrança do desenho de um
índio na porta do prédio.
Respostas (D) A menina não tinha orgulho do fato de ter se perdido
de sua família.
1-D / 2-D / 3-A / 4-A / 5-E / 6-D / 7-A / 8-C / 9-A / 10-C (E) A família toda se organizou para realizar a procura pela
garotinha.
Comentários
8-)
1-) ... a que ponto a astronomia facilitou a obra das outras Os estudos aos quais a pesquisadora se reportou já
ciências ... assinalavam uma relação entre os distúrbios da imagem corporal
Facilitar – verbo transitivo direto e a exposição a imagens idealizadas pela mídia.
A pesquisa faz um alerta para a influência negativa que a
A) ...astros que ficam tão distantes ... = verbo de ligação mídia pode exercer sobre os jovens.
B) ...que a astronomia é uma das ciências ... = verbo de
ligação 9-)
C) ...que nos proporcionou um espírito ... = verbo transitivo B) O autor fez conjecturas sobre a possibilidade de haver
direto e indireto um homem que estaria ouvindo as notas de um oboé.
E) ...onde seu corpo não passa de um ponto obscuro = verbo C) Centenas de trabalhadores estão empenhados em criar
transitivo indireto logotipos e negociar.
D) O taxista levou o autor a indagar sobre o número de
2-) ... pediu ao delegado do bairro que desse um jeito nos filhos tomadas do edifício.
do sueco. E) A corrida com o taxista possibilitou que o autor reparasse
Pedir = verbo transitivo direto e indireto em um prédio na marginal.

A) ...que existe uma coisa chamada EXÉRCITO... = transitivo 10-) Muitas organizações lutaram pela igualdade de
direto direitos dos trabalhadores domésticos.
B) ...como se isso aqui fosse casa da sogra? =verbo de ligação
C) ...compareceu em companhia da mulher à delegacia...
=verbo intransitivo
E) O delegado apenas olhou-a espantado com o atrevimento.
=transitivo direto Emprego do sinal indicador de
crase
3-) ... constava simplesmente de uma vareta quebrada em
partes desiguais...
Constar = verbo intransitivo
B) ...eram comumente assinalados a golpes de machado nos
troncos mais robustos. =ligação A palavra crase é de origem grega e significa «fusão»,
C) Os toscos desenhos e os nomes estropiados desorientam, «mistura». Na língua portuguesa, é o nome que se dá à «junção»
não raro, quem... =transitivo direto de duas vogais idênticas. É de grande importância a crase da
D) Koch-Grünberg viu uma dessas marcas de caminho na preposição “a” com o artigo feminino “a” (s), com o “a” inicial dos
serra de Tunuí... = transitivo direto pronomes aquele(s), aquela (s), aquilo e com o “a” do relativo a

Língua Portuguesa 45
Apostila Digital Licenciada para Renê da Silva Pereira - aspirantepm2009@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
qual (as quais). Na escrita, utilizamos o acento grave ( ` ) para Este aparelho é posterior à invenção do telefone.
indicar a crase. O uso apropriado do acento grave depende da
compreensão da fusão das duas vogais. É fundamental também, 2-) diante da palavra “moda”, com o sentido de “à moda de”
para o entendimento da crase, dominar a regência dos verbos (mesmo que a expressão moda de fique subentendida):
e nomes que exigem a preposição  “a”. Aprender a usar a O jogador fez um gol à (moda de) Pelé. 
crase, portanto, consiste em aprender a verificar a ocorrência Usava sapatos à (moda de) Luís XV.
simultânea de uma preposição e um artigo ou pronome.  Estava com vontade de comer frango à (moda de) passarinho.
O menino resolveu vestir-se à (moda de) Fidel Castro.
Observe:
3-) na indicação de horas:
Vou a + a igreja. Acordei às sete horas da manhã.
Vou à igreja. Elas chegaram às dez horas.
Foram dormir à meia-noite.
No exemplo acima, temos a ocorrência da
preposição  “a”,  exigida pelo verbo  ir (ir a algum lugar) e a 4-) em locuções adverbiais, prepositivas e conjuntivas de
ocorrência do artigo “a” que está determinando o substantivo que participam palavras femininas. Por exemplo:
feminino igreja. Quando ocorre esse encontro das duas vogais e
elas se unem, a união delas é indicada pelo acento grave. Observe à tarde às ocultas às pressas à medida que
os outros exemplos: à noite às claras às escondidas à força

Conheço a aluna. à vontade à beça à larga à escuta


Refiro-me à aluna. às avessas à revelia à exceção de à imitação de
No primeiro exemplo, o verbo é transitivo direto (conhecer à esquerda às turras às vezes à chave
algo ou alguém), logo não exige preposição e a crase não pode
ocorrer. No segundo exemplo, o verbo é transitivo indireto à direita à procura à deriva à toa
(referir-se a algo ou a alguém) e exige a preposição  “a”. à proporção
Portanto, a crase é possível, desde que o termo seguinte seja à luz à sombra de à frente de
que
feminino e admita o artigo feminino “a” ou um dos pronomes já
especificados. à
semelhança às ordens à beira de
Veja os principais casos em que a crase NÃO ocorre: de

1-) diante de substantivos masculinos: Crase diante de Nomes de Lugar


Andamos a cavalo.
Fomos a pé. Alguns nomes de lugar não admitem a anteposição do
Passou a camisa a ferro. artigo “a”. Outros, entretanto, admitem o artigo, de modo que
Fazer o exercício a lápis. diante deles haverá crase, desde que o termo regente exija a
Compramos os móveis a prazo. preposição “a”. Para saber se um nome de lugar admite ou não
a anteposição do artigo feminino “a”, deve-se substituir o termo
2-) diante de  verbos no infinitivo: regente por um verbo que peça a preposição  “de”  ou  “em”. A
A criança começou a falar. ocorrência da contração  “da”  ou  “na”  prova que esse nome de
Ela não tem nada a dizer. lugar aceita o artigo e, por isso, haverá crase.
Por exemplo:
Obs.: como os verbos não admitem artigos, o “a” dos Vou  à  França. (Vim  da [de+a] França. Estou  na [em+a]
exemplos acima é apenas preposição, logo não ocorrerá crase. França.)
Cheguei à Grécia. (Vim da Grécia. Estou na Grécia.)
3-) diante da maioria dos pronomes e das expressões de Retornarei à Itália. (Vim da Itália. Estou na Itália)
tratamento, com exceção das formas senhora, senhorita e dona: Vou a Porto Alegre. (Vim de Porto Alegre. Estou em Porto
Diga a ela que não estarei em casa amanhã. Alegre.) 
Entreguei a todos os documentos necessários.
Ele fez referência a Vossa Excelência no discurso de ontem. - Minha dica: use a regrinha “Vou A volto DA, crase HÁ; vou A
Peço a Vossa Senhoria que aguarde alguns minutos. volto DE, crase PRA QUÊ?”
Ex: Vou a Campinas. = Volto de Campinas.
Os poucos casos em que ocorre crase diante dos pronomes Vou à praia. = Volto da praia.
podem ser identificados pelo método: troque a palavra feminina
por uma masculina, caso na nova construção surgir a forma ao, - ATENÇÃO: quando o nome de lugar estiver especificado,
ocorrerá crase. Por exemplo: ocorrerá crase. Veja:
Retornarei  à  São Paulo dos bandeirantes. =
Refiro-me à mesma pessoa. (Refiro-me ao mesmo indivíduo.) mesmo que, pela regrinha acima, seja a do “VOLTO DE”
Informei o ocorrido à senhora. (Informei o ocorrido ao senhor.) Irei à Salvador de Jorge Amado.
Peça à própria Cláudia para sair mais cedo. (Peça ao próprio
Cláudio para sair mais cedo.) Crase diante dos Pronomes Demonstrativos  Aquele (s),
Aquela (s), Aquilo
4-) diante de numerais cardinais:
Chegou a duzentos o número de feridos Haverá crase diante desses pronomes sempre que o termo
Daqui a uma semana começa o campeonato. regente exigir a preposição “a”. Por exemplo:

Casos em que a crase SEMPRE ocorre: Refiro-me a + aquele atentado.


Preposição Pronome
1-) diante de palavras femininas:
Amanhã iremos à festa de aniversário de minha colega. Refiro-me àquele atentado.
Sempre vamos à praia no verão.
Ela disse à irmã o que havia escutado pelos corredores. O termo regente do exemplo acima é o verbo transitivo
Sou grata à população. indireto referir (referir-se a algo ou alguém) e exige preposição,
Fumar é prejudicial à saúde. portanto, ocorre a crase. Observe este outro exemplo:

Língua Portuguesa 46
Apostila Digital Licenciada para Renê da Silva Pereira - aspirantepm2009@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
Aluguei aquela casa. Casos em que a ocorrência da crase é FACULTATIVA

O verbo “alugar” é transitivo direto (alugar algo) e não exige 1-) diante de nomes próprios femininos:
preposição. Logo, a crase não ocorre nesse caso. Observação: é facultativo o uso da crase diante de nomes
Veja outros exemplos: próprios femininos porque é facultativo o uso do artigo. Observe:
Dediquei àquela senhora todo o meu trabalho. Paula é muito bonita. Laura é minha amiga.
Quero agradecer àqueles que me socorreram. A Paula é muito bonita. A Laura é minha amiga.
Refiro-me àquilo que aconteceu com seu pai.
Não obedecerei àquele sujeito. Como podemos constatar, é facultativo o uso do artigo
Assisti àquele filme três vezes. feminino diante de nomes próprios femininos, então podemos
Espero aquele rapaz. escrever as frases abaixo das seguintes formas:
Fiz aquilo que você disse.
Comprei aquela caneta. Entreguei o cartão a Paula. Entreguei o cartão a Roberto.
Entreguei o cartão à Paula. Entreguei o cartão ao Roberto.
Crase com os Pronomes Relativos A Qual, As Quais
2-) diante de pronome possessivo feminino:
A ocorrência da crase com os pronomes relativos a qual e as Observação: é facultativo o uso da crase diante de
quais depende do verbo. Se o verbo que rege esses pronomes pronomes possessivos femininos porque é facultativo o uso do
exigir a preposição  «a»,  haverá crase. É possível detectar a artigo. Observe:
ocorrência da crase nesses casos utilizando a substituição do Minha avó tem setenta anos. Minha irmã está
termo regido feminino por um termo regido masculino.  esperando por você.
Por exemplo: A minha avó tem setenta anos. A minha irmã está
A igreja à qual me refiro fica no centro da cidade. esperando por você.
O monumento ao qual me refiro fica no centro da cidade
Sendo facultativo o uso do artigo feminino diante de
Caso surja a forma ao com a troca do termo, ocorrerá a pronomes possessivos femininos, então podemos escrever as
crase. frases abaixo das seguintes formas:
Veja outros exemplos:
São normas às quais todos os alunos devem obedecer. Cedi o lugar a minha avó. Cedi o lugar a meu avô.
Esta foi a conclusão à qual ele chegou. Cedi o lugar à minha avó. Cedi o lugar ao meu avô.
Várias alunas  às quais  ele fez perguntas não souberam
responder nenhuma das questões. 3-) depois da preposição até:
A sessão à qual assisti estava vazia. Fui até a praia. ou Fui até à praia.
Acompanhe-o até a porta. ou Acompanhe-o até à porta.
Crase com o Pronome Demonstrativo “a” A palestra vai até as cinco horas da tarde. ou
A palestra vai até às cinco horas da tarde.
A ocorrência da crase com o pronome
demonstrativo “a” também pode ser detectada através da Questões
substituição do termo regente feminino por um termo regido
masculino.  01.( Escrevente TJ SP – Vunesp/2012) No Brasil, as
Veja: discussões sobre drogas parecem limitar-se ______aspectos
Minha revolta é ligada à do meu país. jurídicos ou policiais. É como se suas únicas consequências
Meu luto é ligado ao do meu país. estivessem em legalismos, tecnicalidades e estatísticas criminais.
As orações são semelhantes às de antes. Raro ler ____respeito envolvendo questões de saúde pública
Os exemplos são semelhantes aos de antes. como programas de esclarecimento e prevenção, de tratamento
Suas perguntas são superiores às dele. para dependentes e de reintegração desses____ vida. Quantos de
Seus argumentos são superiores aos dele. nós sabemos o nome de um médico ou clínica ____quem tentar
Sua blusa é idêntica à de minha colega. encaminhar um drogado da nossa própria família?
Seu casaco é idêntico ao de minha colega.
(Ruy Castro, Da nossa própria família. Folha de S.Paulo,
A Palavra Distância 17.09.2012. Adaptado)

Se a palavra  distância  estiver especificada, determinada, a As lacunas do texto devem ser preenchidas, correta e
crase deve ocorrer. respectivamente, com:
Por exemplo: (A) aos … à … a … a
Sua casa fica à distância de 100 Km daqui. (A palavra está (B) aos … a … à … a
determinada) (C) a … a … à … à
Todos devem ficar à distância de 50 metros do palco. (A (D) à … à … à … à
palavra está especificada.) (E) a … a … a … a

Se a palavra  distância  não estiver especificada, a 02. (Agente de Apoio Administrativo – FCC – 2013).Leia
crase não pode ocorrer.  o texto a seguir.
Por exemplo: Foi por esse tempo que Rita, desconfiada e medrosa, correu
Os militares ficaram a distância. ______ cartomante para consultá-la sobre a verdadeira causa do
Gostava de fotografar a distância. procedimento de Camilo. Vimos que ______ cartomante restituiu-
Ensinou a distância. lhe ______ confiança, e que o rapaz repreendeu-a por ter feito o
Dizem que aquele médico cura a distância. que fez.
Reconheci o menino a distância.
(Machado de Assis. A cartomante. In: Várias histórias. Rio de
Observação: por motivo de clareza, para evitar ambiguidade, Janeiro: Globo, 1997, p. 6)
pode-se usar a crase.
Veja: Preenchem corretamente as lacunas da frase acima, na
Gostava de fotografar à distância. ordem dada:
Ensinou à distância. A) à – a – a
Dizem que aquele médico cura à distância. B) a – a – à

Língua Portuguesa 47
Apostila Digital Licenciada para Renê da Silva Pereira - aspirantepm2009@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
C) à – a – à a) às - àquelas _ à 
D) à – à – a b) as - aquelas - a 
E) a – à – à c) às àquelas - a 
d) às - aquelas - à 
03 “Nesta oportunidade, volto ___ referir-me ___ problemas já e) as - àquelas - à
expostos ___ V. Sª ___ alguns dias”.
a) à - àqueles - a - há  07. (Agente de Escolta e Vigilância Penitenciária –
b) a - àqueles - a - há  VUNESP – 2013-adap)
c) a - aqueles - à - a  O acento indicativo de crase está corretamente empregado
d) à - àqueles - a - a  em:
e) a - aqueles - à - há A) Tendências agressivas começam à ser relacionadas com
as dificuldades para lidar com as frustrações de seus desejos.
04.(Agente Técnico – FCC – 2013). Leia o texto a seguir. B) A agressividade impulsiva deve-se à perturbações nos
mecanismos biológicos de controle emocional.
Comunicação C) A violência urbana é comparada à uma enfermidade.
D) Condições de risco aliadas à exemplo de impunidade
O público ledor (existe mesmo!) é sensorial: quer ter um autor alimentam a violência crescente nas cidades.
ao vivo, em carne e osso. Quando este morre, há uma queda de E) Um ambiente desfavorável à formação da personalidade
popularidade em termos de venda. Ou, quando teatrólogo, em atinge os mais vulneráveis.
termos de espetáculo. Um exemplo: G. B. Shaw. E, entre nós, o
suave fantasma de Cecília Meireles recém está se materializando, 08. (Agente de Vigilância e Recepção – VUNESP – 2013).
tantos anos depois. O sinal indicativo de crase está correto em:
Isto apenas vem provar que a leitura é um remédio para A) Este cientista tem se dedicado à uma pesquisa na área de
a solidão em que vive cada um de nós neste formigueiro. Claro biotecnologia.
que não me estou referindo a essa vulgar comunicação festiva e B) Os pais não podem ser omissos e devem se dedicar à
efervescente. educação dos filhos.
Porque o autor escreve, antes de tudo, para expressar-se. Sua C) Nossa síndica dedica-se integralmente à conservar as
comunicação com o leitor decorre unicamente daí. Por afinidades. instalações do prédio.
É como, na vida, se faz um amigo. D) O bombeiro deve dedicar sua atenção à qualquer detalhe
E o sonho do escritor, do poeta, é individualizar cada que envolva a segurança das pessoas.
formiga num formigueiro, cada ovelha num rebanho − para que E) É função da política é dedicar-se à todo problema que
sejamos humanos e não uma infinidade de xerox infinitamente comprometa o bem-estar do cidadão.
reproduzidos uns dos outros.
Mas acontece que há também autores xerox, que nos invadem 09. (Agente Educacional – VUNESP – 2013). Assinale
com aqueles seus best-sellers... a alternativa em que a sequência da frase a seguir traz o uso
Será tudo isto uma causa ou um efeito? correto do acento indicativo de crase, de acordo com a norma-
Tristes interrogações para se fazerem num mundo que já foi padrão da língua portuguesa.
civilizado. Um bom conhecimento de matemática é indispensável
A) à todo e qualquer estudante.
(Mário Quintana. Poesia completa. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 1. B) à estudantes de nível superior.
ed., 2005. p. 654) C) à quem pretende carreiras no campo de exatas.
D) à construção do saber nas mais diversas áreas.
Claro que não me estou referindo a essa vulgar comunicação E) à uma boa formação profissional.
festiva e efervescente.
O vocábulo a deverá receber o sinal indicativo de crase se o 10. (Agente Técnico de Assistência à Saúde – VUNESP –
segmento grifado for substituído por: 2013). Leia a tirinha para responder à questão.
A) leitura apressada e sem profundidade.
B) cada um de nós neste formigueiro.
C) exemplo de obras publicadas recentemente.
D) uma comunicação festiva e virtual.
E) respeito de autores reconhecidos pelo público.

05. (Agente de Escolta e Vigilância Penitenciária –


VUNESP – 2013). O Instituto Nacional de Administração
Prisional (INAP) também desenvolve atividades lúdicas de
apoio______ ressocialização do indivíduo preso, com o objetivo de
prepará-lo para o retorno______ sociedade. Dessa forma, quando
em liberdade, ele estará capacitado______ ter uma profissão e
uma vida digna.
(Disponível em:
www.metropolitana.com.br/blog/qual_e_a_importancia_da_
ressocializacao_de_presos. Acesso em: 18.08.2012. Adaptado)

Assinale a alternativa que preenche, correta e


respectivamente, as lacunas do texto, de acordo com a norma-
padrão da língua portuguesa.
A) à … à … à
B) a … a … à
C) a … à … à As lacunas da tirinha devem ser preenchidas, correta e
D) à … à ... a respectivamente, com:
E) a … à … a A) à ...a ... à ... à
B) a ...à ... à ... a
06. O Ministro informou que iria resistir _____ pressões C) a ...a ... à ... a
contrárias _____ modificações relativas _____ aquisição da casa D) a ...à ... a ... a
própria. E) a ...a ... à ... à

Língua Portuguesa 48
Apostila Digital Licenciada para Renê da Silva Pereira - aspirantepm2009@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
Respostas C) Nossa síndica dedica-se integralmente à conservar as
instalações do prédio. (verbo no infinitivo)
1-B / 2-A / 3-B / 4-A / 5-D / 6-A / 7-E / 8-B / 9-D / 10-C D) O bombeiro deve dedicar sua atenção à qualquer detalhe
que envolva a segurança das pessoas. (pronome indefinido)
Comentários E) É função da política é dedicar-se à todo problema que
comprometa o bem-estar do cidadão. (pronome indefinido)
1-)
limitar-se _aos _aspectos jurídicos ou policiais. 9-)
Raro ler __a__respeito (antes de palavra masculina não Um bom conhecimento de matemática é indispensável à
há crase) construção do saber nas mais diversas áreas.
de reintegração desses_à_ vida. (reintegrar a + a vida = à) A) à todo e qualquer estudante. (pronome indefinido)
o nome de um médico ou clínica __a_quem tentar encaminhar B) à estudantes de nível superior. (“a” no singular antes de
um drogado da nossa própria família? ( antes de pronome palavra no plural)
indefinido/relativo) C) à quem pretende carreiras no campo de exatas. (pronome
indefinido/relativo)
2-) correu _à (= para a ) cartomante para consultá-la sobre E) à uma boa formação profissional. (artigo indefinido)
a verdadeira causa do procedimento de Camilo. Vimos que _a__
cartomante (objeto direto)restituiu-lhe ___a___ confiança (objeto 10-)
direto), e que o rapaz repreendeu-a por ter feito o que fez. - a alguns anos - Pronome indefinido
- começar a ir - verbo no infinitivo
3-) “Nesta oportunidade, volto _a_ referir-me àqueles__ - ir à escola - ir a algum lugar – regência verbal pede
problemas já expostos a _ V. Sª _há_ alguns dias”. preposição
- a referir = antes de verbo no infinito não há crase; - aprender a ler - verbo no infinitivo
- quem faz referência, faz referência A algo ou A alguém ( a
regência do verbo pede preposição)
- antes de pronome de tratamento não há crase (exceção à
senhora, que admite artigo); Questões notacionais da língua:
- há no sentido de tempo passado. Por que, por quê, porque ou
porquê; Mal ou mau; Mais ou
4-) Claro que não me estou referindo à leitura apressada e
mas; Meio ou meia; Onde ou
sem profundidade.
a cada um de nós neste formigueiro. (antes de pronome aonde; Estar ou está
indefinido)
a exemplo de obras publicadas recentemente. (palavra
masculina) Caro candidato (a);
a uma comunicação festiva e virtual. (artigo indefinido)
a respeito de autores reconhecidos pelo público. (palavra Este conteúdo já foi estudado no tópico “Expressão
masculina) escrita: divisão silábica, ortografia e acentuação (v. Reforma
Ortográfica vigente).”
5-) O Instituto Nacional de Administração Prisional
(INAP) também desenvolve atividades lúdicas de apoio___à__
ressocialização do indivíduo preso, com o objetivo de prepará-
lo para o retorno___à__ sociedade. Dessa forma, quando em Figuras de linguagem
liberdade, ele estará capacitado__a___ ter uma profissão e uma
vida digna.
- Apoio a ? Regência nominal pede preposição;
- retorno a? regência nominal pede preposição;
- antes de verbo no infinitivo não há crase. As figuras de linguagem ou de estilo, de acordo com Renan
Bardine, são empregadas para valorizar o texto, tornando
6-) O Ministro informou que iria resistir _às__ pressões a linguagem mais expressiva. É um recurso linguístico para
contrárias àquelas_ modificações relativas __à_ aquisição da casa expressar experiências comuns de formas diferentes, conferindo
própria. originalidade, emotividade ou poeticidade ao discurso.
- resistir a? regência verbal pede preposição;
- contrária a? regência nominal pede preposição; As figuras revelam muito da sensibilidade de quem as
- relativas a? regência nominal pede preposição. produz, traduzindo particularidades estilísticas do autor. A
palavra empregada em sentido figurado, não-denotativo, passa
7-) a pertencer a outro campo de significação, mais amplo e criativo.
A) Tendências agressivas começam à ser relacionadas com
as dificuldades para lidar com as frustrações de seus desejos. As figuras de linguagem classificam-se em:
(antes de verbo no infinitivo não há crase)
B) A agressividade impulsiva deve-se à perturbações nos 1) figuras de palavra;
mecanismos biológicos de controle emocional. (se o “a” está no 2) figuras de harmonia;
singular e antecede palavra no plural, não há crase) 3) figuras de pensamento;
C) A violência urbana é comparada à uma enfermidade. 4) figuras de construção ou sintaxe.
(artigo indefinido)
D) Condições de risco aliadas à exemplo de impunidade
1) FIGURAS DE PALAVRA
alimentam a violência crescente nas cidades. (palavra masculina)
E) Um ambiente desfavorável à formação da personalidade
atinge os mais vulneráveis. = correta (regência nominal: As figuras de palavra são figuras de linguagem que consistem
desfavorável a?) no emprego de um termo com sentido diferente daquele
convencionalmente empregado, a fim de se conseguir um efeito
8-) mais expressivo na comunicação.
A) Este cientista tem se dedicado à uma pesquisa na área de
biotecnologia. (artigo indefinido) São figuras de palavras:
B) Os pais não podem ser omissos e devem se dedicar à
educação dos filhos. = correta (regência verbal: dedicar a ) a) comparação e) catacrese

Língua Portuguesa 49
Apostila Digital Licenciada para Renê da Silva Pereira - aspirantepm2009@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
b) metáfora f) sinestesia “é uma espécie de metáfora desgastada, em que já não se sente
c) metonímia g) antonomásia nenhum vestígio de inovação, de criação individual e pitoresca.
d) sinédoque h) alegoria É a metáfora tornada hábito lingüístico, já fora do âmbito
estilístico.” (Othon M. Garcia)
Comparação: Ocorre comparação quando se estabelece
aproximação entre dois elementos que se identificam, ligados Exemplos: folhas de livro, pele de tomate, dente de alho,
por conectivos comparativos explícitos – feito, assim como, montar em burro, céu da boca, cabeça de prego, mão de direção,
tal, como, tal qual, tal como, qual, que nem – e alguns verbos – ventre da terra, asa da xícara, sacar dinheiro no banco.
parecer, assemelhar-se e outros.
Sinestesia: A sinestesia consiste na fusão de sensações
Exemplos: “Amou daquela vez como se fosse máquina. diferentes numa mesma expressão. Essas sensações podem ser
Beijou sua mulher como se fosse lógico. físicas (gustação, audição, visão, olfato e tato) ou psicológicas
(subjetivas).
Metáfora: Ocorre metáfora quando um termo substitui
outro através de uma relação de semelhança resultante da Exemplo: “A minha primeira recordação é um muro velho, no
subjetividade de quem a cria. A metáfora também pode ser quintal de uma casa indefinível. Tinha várias feridas no reboco
entendida como uma comparação abreviada, em que o conectivo e veludo de musgo. Milagrosa aquela mancha verde [sensação
não está expresso, mas subentendido. visual] e úmida, macia [sensações táteis], quase irreal.” (Augusto
Meyer)
Exemplo: “Supondo o espírito humano uma vasta concha, o
meu fim, Sr. Soares, é ver se posso extrair pérolas, que é a razão.” Antonomásia: Ocorre antonomásia quando designamos
uma pessoa por uma qualidade, característica ou fato que a
Metonímia: Ocorre metonímia quando há substituição de distingue.
uma palavra por outra, havendo entre ambas algum grau de
semelhança, relação, proximidade de sentido ou implicação Na linguagem coloquial, antonomásia é o mesmo que apelido,
mútua. Tal substituição fundamenta-se numa relação objetiva, alcunha ou cognome, cuja origem é um aposto (descritivo,
real, realizando-se de inúmeros modos: especificativo etc.) do nome próprio.

- A causa pelo efeito e vice-versa: Exemplos:


“E ao rabi simples(1), que a igualdade prega,
“E assim o operário ia Rasga e enlameia a túnica inconsútil;
Com suor e com cimento* *1 Cristo
Erguendo uma casa aqui Pelé (= Edson Arantes do Nascimento)
Adiante um apartamento.” O poeta dos escravos (= Castro Alves)
*Com trabalho. O Dante Negro (= Cruz e Souza)
O Corso (= Napoleão)
- O lugar de origem ou de produção pelo produto:
Alegoria: A alegoria é uma acumulação de metáforas
Comprei uma garrafa do legítimo porto*. referindo-se ao mesmo objeto; é uma figura poética que
*O vinho da cidade do Porto. consiste em expressar uma situação global por meio de outra
que a evoque e intensifique o seu significado. Na alegoria, todas
- O autor pela obra: as palavras estão transladadas para um plano que não lhes é
comum e oferecem dois sentidos completos e perfeitos – um
Ela parecia ler Jorge Amado*. referencial e outro metafórico.
*A obra de Jorge Amado.
Exemplo: “A vida é uma ópera, é uma grande ópera. O tenor
- O abstrato pelo concreto e vice-versa: e o barítono lutam pelo soprano, em presença do baixo e dos
comprimários, quando não são o soprano e o contralto que
Não devemos contar com o seu coração*. lutam pelo tenor, em presença do mesmo baixo e dos mesmos
*Sentimento, sensibilidade. comprimários. Há coros numerosos, muitos bailados, e a
orquestra é excelente… (Machado de Assis)
Sinédoque: Ocorre sinédoque quando há substituição de
um termo por outro, havendo ampliação ou redução do sentido 2) FIGURAS DE HARMONIA
usual da palavra numa relação quantitativa. Encontramos
sinédoque nos seguintes casos: Chamam-se figuras de som ou de harmonia os efeitos
produzidos na linguagem quando há repetição de sons ou, ainda,
- O todo pela parte e vice-versa: quando se procura “imitar”sons produzidos por coisas ou seres.

“A cidade inteira (1) viu assombrada, de queixo caído, o As figuras de linguagem de harmonia ou de som são:
pistoleiro sumir de ladrão, fugindo nos cascos (2) de seu cavalo.”
*1 O povo. 2 Parte das patas. a) aliteração c) assonância
b) paronomásia d) onomatopéia
- O singular pelo plural e vice-versa:
Aliteração: Ocorre aliteração quando há repetição da
O paulista (3) é tímido; o carioca (4), atrevido. mesma consoante ou de consoantes similares, geralmente em
*3 Todos os paulistas. 4 Todos os cariocas. posição inicial da palavra.

- O indivíduo pela espécie (nome próprio pelo nome comum): Exemplo: “Toda gente homenageia Januária na janela.”

Para os artistas ele foi um mecenas (5). Assonância: Ocorre assonância quando há repetição da
*5 Protetor. mesma vogal ao longo de um verso ou poema.

Modernamente, a metonímia engloba a sinédoque. Exemplo: “Sou Ana, da cama


da cana, fulana, bacana
Catacrese: A catacrese é um tipo de especial de metáfora, Sou Ana de Amsterdam.”

Língua Portuguesa 50
Apostila Digital Licenciada para Renê da Silva Pereira - aspirantepm2009@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
Paronomásia: Ocorre paronomásia quando há reprodução Ironia: Ocorre ironia quando, pelo contexto, pela entonação,
de sons semelhantes em palavras de significados diferentes. pela contradição de termos, sugere-se o contrário do que as
palavras ou orações parecem exprimir. A intenção é depreciativa
Exemplo: “Berro pelo aterro pelo desterro ou sarcástica.
berro por seu berro pelo seu erro
quero que você ganhe que você me apanhe Exemplo: “Moça linda, bem tratada,
sou o seu bezerro gritando mamãe.” três séculos de família,
burra como uma porta:
Onomatopeia: Ocorre quando uma palavra ou conjunto de um amor.” (Mário de Andrade)
palavras imita um ruído ou som.
Prosopopéia: Ocorre prosopopéia (ou animização ou
Exemplo: “O silêncio fresco despenca das árvores. personificação) quando se atribui movimento, ação, fala,
Veio de longe, das planícies altas, sentimento, enfim, caracteres próprios de seres animados a
Dos cerrados onde o guaxe passe rápido… seres inanimados ou imaginários.
Vvvvvvvv… passou.”
Também a atribuição de características humanas a seres
3) FIGURAS DE PENSAMENTO animados constitui prosopopéia o que é comum nas fábulas
e nos apólogos, como este exemplo de Mário de Quintana: “O
As figuras de pensamento são recursos de linguagem que se peixinho (…) silencioso e levemente melancólico…”
referem ao significado das palavras, ao seu aspecto semântico.
Exemplos: “… os rios vão carregando as queixas do caminho.”
São figuras de linguagem de pensamento: (Raul Bopp)

a) antítese d) apóstrofe g) paradoxo Um frio inteligente (…) percorria o jardim…” (Clarice


b) eufemismo e) gradação h) hipérbole Lispector)
c) ironia f) prosopopéia i) perífrase
Perífrase: Ocorre perífrase quando se cria um torneio de
Antítese: Ocorre antítese quando há aproximação de palavras para expressar algum objeto, acidente geográfico ou
palavras ou expressões de sentidos opostos. situação que não se quer nomear.

Exemplo: “Amigos ou inimigos estão, amiúde, em posições Exemplo: “Cidade maravilhosa


trocadas. Uns nos querem mal, e fazem-nos bem. Outros nos Cheia de encantos mil
almejam o bem, e nos trazem o mal.” (Rui Barbosa) Cidade maravilhosa
Coração do meu Brasil.” (André Filho)
Apóstrofe: Ocorre apóstrofe quando há invocação de uma
pessoa ou algo, real ou imaginário, que pode estar presente 4) FIGURAS DE SINTAXE
ou ausente. Corresponde ao vocativo na análise sintática e é
utilizada para dar ênfase à expressão. As figuras de sintaxe ou de construção dizem respeito a
desvios em relação à concordância entre os termos da oração,
Exemplo: “Deus! ó Deus! onde estás, que não respondes?” sua ordem, possíveis repetições ou omissões.
(Castro Alves)
Elas podem ser construídas por:
Paradoxo: Ocorre paradoxo não apenas na aproximação
de palavras de sentido oposto, mas também na de idéias que a) omissão: assíndeto, elipse e zeugma;
se contradizem referindo-se ao mesmo termo. É uma verdade b) repetição: anáfora, pleonasmo e polissíndeto;
enunciada com aparência de mentira. Oxímoro (ou oximoron) é c) inversão: anástrofe, hipérbato, sínquise e hipálage;
outra designação para paradoxo. d) ruptura: anacoluto;
e) concordância ideológica: silepse.
Exemplo: “Amor é fogo que arde sem se ver;
É ferida que dói e não se sente; Portanto, são figuras de linguagem de construção ou sintaxe:
É um contentamento descontente;
É dor que desatina sem doer;” (Camões) a) assíndeto e) elipse i) zeugma
b) anáfora f) pleonasmo j) polissíndeto
Eufemismo: Ocorre eufemismo quando uma palavra ou c) anástrofe g) hiperbato l) sínquise
expressão é empregada para atenuar uma verdade tida como d) hipálage h) anacoluto m) silepse
penosa, desagradável ou chocante.
Assíndeto: Ocorre assíndeto quando orações ou palavras
Ex:“E pela paz derradeira(1) que enfim vai nos redimir deveriam vir ligadas por conjunções coordenativas, aparecem
Deus lhe pague” (Chico Buarque) justapostas ou separadas por vírgulas.
*1 paz derradeira: morte
Exigem do leitor atenção maior no exame de cada fato, por
Gradação: Ocorre gradação quando há uma seqüência de exigência das pausas rítmicas (vírgulas).
palavras que intensificam uma mesma idéia.
Exemplo: “Não nos movemos, as mãos é que se estenderam
Exemplo: “Aqui… além… mais longe por onde eu movo o pouco a pouco, todas quatro, pegando-se, apertando-se,
passo.” (Castro Alves) fundindo-se.” (Machado de Assis)

Hipérbole: Ocorre hipérbole quando há exagero de uma Elipse: Ocorre elipse quando omitimos um termo ou
idéia, a fim de proporcionar uma imagem emocionante e de oração que facilmente podemos identificar ou subentender no
impacto. contexto. Pode ocorrer na supressão de pronomes, conjunções,
preposições ou verbos. É um poderoso recurso de concisão e
Exemplo: “Rios te correrão dos olhos, se chorares!” (Olavo dinamismo.
Bilac)
Exemplo: “Veio sem pinturas, em vestido leve, sandálias
coloridas.”

Língua Portuguesa 51
Apostila Digital Licenciada para Renê da Silva Pereira - aspirantepm2009@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
1 Elipse do pronome ela (Ela veio) e da preposição de (de Hipálage: Ocorre hipálage quando há inversão da posição do
sandálias…) adjetivo: uma qualidade que pertence a uma objeto é atribuída a
outro, na mesma frase.
Zeugma: Ocorre zeugma quando um termo já expresso na
frase é suprimido, ficando subentendida sua repetição. Exemplo: “… as lojas loquazes dos barbeiros.” 2 (Eça de
Queiros)
Exemplo: “Foi saqueada a vida, e assassinados os partidários *2 … as lojas dos barbeiros loquazes.
dos Felipes.” 1
1 Zeugma do verbo: “e foram assassinados…” Anacoluto: Ocorre anacoluto quando há interrupção
do plano sintático com que se inicia a frase, alterando-lhe a
Anáfora: Ocorre anáfora quando há repetição intencional de seqüência lógica. A construção do período deixa um ou mais
palavras no início de um período, frase ou verso. termos – que não apresentam função sintática definida –
desprendidos dos demais, geralmente depois de uma pausa
Exemplo: “Depois o areal extenso… sensível.
Depois o oceano de pó…
Depois no horizonte imenso Exemplo: “Essas empregadas de hoje, não se pode confiar
Desertos… desertos só…” (Castro Alves) nelas.” (Alcântara Machado)

Pleonasmo: Ocorre pleonasmo quando há repetição da Silepse: Ocorre silepse quando a concordância não é feita
mesma ideia, isto é, redundância de significado. com as palavras, mas com a ideia a elas associada.

a) Pleonasmo literário: É o uso de palavras redundantes para a) Silepse de gênero: Ocorre quando há discordância entre
reforçar uma ideia, tanto do ponto de vista semântico quanto os gêneros gramaticais (feminino ou masculino).
do ponto de vista sintático. Usado como um recurso estilístico,
enriquece a expressão, dando ênfase à mensagem. Exemplo: “Quando a gente é novo, gosta de fazer bonito.”
(Guimarães Rosa)
Exemplo: “Iam vinte anos desde aquele dia
Quando com os olhos eu quis ver de perto b) Silepse de número: Ocorre quando há discordância
Quando em visão com os da saudade via.” (Alberto envolvendo o número gramatical (singular ou plural).
de Oliveira)
Exemplo: Corria gente de todos lados, e gritavam.” (Mário
“Ó mar salgado, quando do teu sal Barreto)
São lágrimas de Portugal” (Fernando Pessoa)
c) Silepse de pessoa: Ocorre quando há discordância entre o
b) Pleonasmo vicioso: É o desdobramento de ideias que sujeito expresso e a pessoa verbal: o sujeito que fala ou escreve
já estavam implícitas em palavras anteriormente expressas. se inclui no sujeito enunciado.
Pleonasmos viciosos devem ser evitados, pois não têm valor de
reforço de uma idéia, sendo apenas fruto do descobrimento do Exemplo: “Na noite seguinte estávamos reunidas algumas
sentido real das palavras. pessoas.” (Machado de Assis)

Exemplos: subir para cima, entrar para dentro, repetir de Questões


novo, ouvir com os ouvidos, hemorragia de sangue, monopólio
exclusivo, breve alocução, principal protagonista 01. (DEFENSORIA PÚBLICA DO ESTADO DO RIO DE
JANEIRO – TÉCNICO SUPERIOR ESPECIALIZADO EM
Polissíndeto: Ocorre polissíndeto quando há repetição BIBLIOTECONOMIA – FGV/2014 - adaptada). Ao dizer que os
enfática de uma conjunção coordenativa mais vezes do que exige shoppings são “cidades”, o autor do texto faz uso de um tipo de
a norma gramatical ( geralmente a conjunção e). É um recurso linguagem figurada denominada
que sugere movimentos ininterruptos ou vertiginosos. (A) metonímia.
(B) eufemismo.
Exemplo: “Vão chegando as burguesinhas pobres, (C) hipérbole.
e as criadas das burguesinhas ricas (D) metáfora.
e as mulheres do povo, e as lavadeiras da redondeza.” (E) catacrese.
(Manuel Bandeira)
02. (PREFEITURA DE ARCOVERDE/PE - ADMINISTRADOR
Anástrofe: Ocorre anástrofe quando há uma simples DE RECURSOS HUMANOS – CONPASS/2014) Identifique a
inversão de palavras vizinhas (determinante / determinado). figura de linguagem presente na tira seguinte:

Exemplo: “Tão leve estou (1) que nem sombra tenho.” (Mário
Quintana)
*1 Estou tão leve…

Hipérbato: Ocorre hipérbato quando há uma inversão


completa de membros da frase.

Exemplo: “Passeiam à tarde, as belas na Avenida. ” 1 (Carlos


Drummond de Andrade)
*1 As belas passeiam na Avenida à tarde.
(A) metonímia
Sínquise: Ocorre sínquise quando há uma inversão violenta (B) prosopopeia
de distantes partes da frase. É um hipérbato exagerado. (C) hipérbole
(D) eufemismo
Exemplo: “A grita se alevanta ao Céu, da gente. ” 1 (Camões) (E) onomatopeia
*1 A grita da gente se alevanta ao Céu.
03. (CASAL/AL - ADMINISTRADOR DE REDE - COPEVE/
UFAL/2014)

Língua Portuguesa 52
Apostila Digital Licenciada para Renê da Silva Pereira - aspirantepm2009@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
Está tão quente que dá para fritar um ovo no asfalto.

O dito popular é, na maioria das vezes, uma figura de


linguagem. Entre as 14h30min e às 15h desta terça-feira,
horário do dia em que o calor é mais intenso, a temperatura
do asfalto, medida com um termômetro de contato, chegou a Anotações
65ºC. Para fritar um ovo, seria preciso que o local alcançasse
aproximadamente 90 ºC.
Disponível em: http://zerohora.clicrbs.com.br. Acesso em: 22 jan.
2014. ————————————————————————
O texto cita que o dito popular “está tão quente que dá para ————————————————————————
fritar um ovo no asfalto” expressa uma figura de linguagem. O
autor do texto refere-se a qual figura de linguagem? ————————————————————————
(A) Eufemismo.
(B) Hipérbole. ————————————————————————
(C) Paradoxo.
(D) Metonímia. ————————————————————————
(E) Hipérbato.
————————————————————————
04. (SECRETARIA DE SEGURANÇA PÚBLICA/PI – ————————————————————————
ESCRIVÃO DE POLÍCIA CIVIL – UESPI/2014). A linguagem
por meio da qual interagimos no nosso dia a dia pode revestir- ————————————————————————
se de nuances as mais diversas: pode apresentar-se em sentido
literal, figurado, metafórico. A opção em cujo trecho utilizou-se ————————————————————————
linguagem metafórica é
(A) O equilíbrio ou desequilíbrio depende do ambiente ————————————————————————
familiar.
(B) Temos medo de sair às ruas. ————————————————————————
(C) Nestes dias começamos a ter medo também dentro dos
shoppings. ————————————————————————
(D) Somos esse novelo de dons. ————————————————————————
(E) As notícias da imprensa nos dão medo em geral.
————————————————————————
05. (SECRETARIA DE ESTADO DE DEFESA SOCIAL/MG –
AGENTE DE SEGURANÇA SOCIOEDUCATIVO – IBFC/2014) No ————————————————————————
verso “Essa dor doeu mais forte”, pode-se perceber a presença
de uma figura de linguagem denominada: ————————————————————————
(A) ironia
(B) pleonasmo ————————————————————————
(C) comparação
(D) metonímia ————————————————————————

Respostas
————————————————————————
————————————————————————
01. Resposta D
A metáfora consiste em retirar uma palavra de seu contexto ————————————————————————
convencional (denotativo) e transportá-la para um novo campo de
significação (conotativa), por meio de uma comparação implícita, ————————————————————————
de uma similaridade existente entre as duas.
(Fonte:http://educacao.uol.com.br/disciplinas/portugues/ ————————————————————————
metafora-figura-de-palavra-variacoes-e-exemplos.htm)
————————————————————————
02. Resposta D
“Eufemismo = é o emprego de uma expressão mais suave, ————————————————————————
mais nobre ou menos agressiva, para comunicar alguma coisa
————————————————————————
áspera, desagradável ou chocante”. No caso da tirinha, é utilizada
a expressão “deram suas vidas por nós” no lugar de “que ————————————————————————
morreram por nós”.
————————————————————————
03. Resposta B
A expressão é um exagero! Ela serve apenas para representar ————————————————————————
o calor excessivo que está fazendo. A figura que é utilizada “mil
vezes” (!) para atingir tal objetivo é a hipérbole. ————————————————————————

04. Resposta D ————————————————————————


A alternativa que apresenta uma linguagem metafórica
(figurada) é a que emprega o termo “novelo” fora de seu contexto ————————————————————————
habitual (novelo de lã, por exemplo), representando, aqui, um ————————————————————————
emaranhado, um monte, vários dons.
————————————————————————
05. Resposta B
Repetição de ideia = pleonasmo (essa dor doeu). ————————————————————————
————————————————————————

Língua Portuguesa 53
Apostila Digital Licenciada para Renê da Silva Pereira - aspirantepm2009@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
———————————————————————— ————————————————————————
———————————————————————— ————————————————————————
———————————————————————— ————————————————————————
———————————————————————— ————————————————————————
———————————————————————— ————————————————————————
———————————————————————— ————————————————————————
———————————————————————— ————————————————————————
———————————————————————— ————————————————————————
———————————————————————— ————————————————————————
———————————————————————— ————————————————————————
———————————————————————— ————————————————————————
———————————————————————— ————————————————————————
———————————————————————— ————————————————————————
———————————————————————— ————————————————————————
———————————————————————— ————————————————————————
———————————————————————— ————————————————————————
———————————————————————— ————————————————————————
———————————————————————— ————————————————————————
———————————————————————— ————————————————————————
———————————————————————— ————————————————————————
———————————————————————— ————————————————————————
———————————————————————— ————————————————————————
———————————————————————— ————————————————————————
———————————————————————— ————————————————————————
———————————————————————— ————————————————————————
———————————————————————— ————————————————————————
———————————————————————— ————————————————————————
———————————————————————— ————————————————————————
———————————————————————— ————————————————————————
———————————————————————— ————————————————————————
———————————————————————— ————————————————————————
———————————————————————— ————————————————————————
———————————————————————— ————————————————————————
———————————————————————— ————————————————————————
———————————————————————— ————————————————————————
———————————————————————— ————————————————————————
———————————————————————— ————————————————————————
———————————————————————— ————————————————————————
———————————————————————— ————————————————————————
———————————————————————— ————————————————————————
———————————————————————— ————————————————————————

Língua Portuguesa 54
Apostila Digital Licenciada para Renê da Silva Pereira - aspirantepm2009@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO

Função

Função do 1˚ Grau

A função do 1º grau é expressa da seguinte forma: y = ax +


b ou f(x) = ax + b, onde a e b são números reais e a também é
diferente de 0. Quando a < 0 
Isso indica que a será negativo. Por
exemplo, dada a função f(x) = - x + 1 ou
y = - x + 1, onde a = -1 e b = 1. Para construirmos seu gráfico de-
vemos atribuir valores reais para x, para que possamos achar os
valores correspondentes em y.
  x         y
-2        3
-1        2
0         1
1         0

Podemos observar que conforme o valor de x aumenta o va-


Toda expressão na forma y = ax + b ou f(x) = ax + b, onde a lor de y diminui, então dizemos que quando a < 0 a função é
e b são números reais e a ≠ 0, é considerada uma função do 1º decrescente.
grau. Exemplos:
Com os valores de x e y formamos as coordenadas que são
y = 2x + 9, pares ordenados que colocamos no plano cartesiano para for-
a=2eb=9 mar a reta. Veja:
y = –x – 1,
a=–1eb=–1 No eixo vertical colocamos os valores de y e no eixo horizon-
tal colocamos os valores de x
Toda função pode ser representada graficamente, e a função
do 1º grau é formada por uma reta. Essa reta pode ser crescente
ou decrescente, dependendo do sinal de a.

Quando a > 0

Isso significa que a será positivo. Por


exemplo, dada a função: f(x) = 2x – 1 ou
y = 2x - 1, onde a = 2 e b = -1. Para construirmos seu grá-
fico devemos atribuir valores reais para x, para que
possamos achar os valores correspondentes em y.

  x           y
- 2        - 5 
- 1        - 3
0          - 1 
1 / 2       0
1           1 

Podemos observar que conforme o valor de x aumenta o va-


lor de y também aumenta, então dizemos que quando a > 0 a
função é crescente.
Características de um gráfico de uma função do 1º grau.
Com os valores de x e y formamos as coordenadas, que são • Com a > 0 o gráfico será crescente.
pares ordenados que colocamos no plano cartesiano para for- • Com a < 0 o gráfico será decrescente.
mar a reta. Veja: • O ângulo α formado com a reta e com o eixo x será agudo
(menor que 90°) quando a > 0.
No eixo vertical colocamos os valores de y • O ângulo α formado com reta e com o eixo x será obtuso
e no eixo horizontal colocamos os valores de x. (maior que 90º) quando a < 0.
• Na construção de um gráfico de uma função do 1º grau bas-
ta indicar apenas dois valores pra x, pois o gráfico é uma reta e
uma reta é formada por, no mínimo, 2 pontos.
• Apenas um ponto corta o eixo x, e esse ponto é a raiz da
função.
• Apenas um ponto corta o eixo y, esse ponto é o valor de b.

Matemática 1
Apostila Digital Licenciada para Renê da Silva Pereira - aspirantepm2009@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO

Raiz ou zero de uma função do 1º grau 

Para compreender o zero de uma função do 1º grau é ne-


cessário relembrar dois conceitos importantes:Função do 1º
Grau  e Equação do 1º Grau.

Uma função do 1º grau pode ser escrita da seguinte maneira:

Portanto, o zero de uma função do 1º grau é dado pela ex- Para determinar a raiz ou o zero de uma função do 1º grau
pressão: é preciso considerar y = 0. De acordo com gráfico, no instante
em que y assume valor igual a zero, a reta intercecpta o eixo x
em um determinado ponto, determinando a raiz ou o zero da
função.
Vamos determinar a raiz das funções a seguir:
Logo, o zero da função é dado pelo valor de x que faz com que y = 4x + 2 
a função assuma o valor zero. Encontrar este valor de x é muito y=0
fácil, pois basta resolver a equação do 1º grau.  4x + 2 = 0
4x = –2
x = –2/4
x = –1/2
A reta representada pela função y = 4x +
Entretanto, devemos nos atentar para a representação geo- 2 intercepta o eixo x no seguinte valor: –1/2
métrica do zero da função, para que possamos compreender como y = – 2x + 10
traçar o gráfico de forma correta y=0
– 2x + 10 = 0
– 2x = – 10 (–1)
2x = 10
x = 10/2
x=5
A reta representada pela função y = – 2x + 10 intercepta o
eixo x no seguinte valor: 5 
y = – 7x + 7
y=0
–7x + 7 = 0
–7x = –7
x=1

A reta representada pela função y = –7x + 7 intercepta o eixo


x no seguinte valor: 1
Veja os pontos marcados sobre o eixo x, note que esses pon-
tos não possuem nenhum deslocamento vertical, ou seja, sua y = 3x
coordenada em relação ao eixo f(x) é nula, é zero. Portanto, y=0
quando se encontra a raiz de uma função do 1º grau, ou o zero 3x = 0
de uma função do 1º grau, determina-se em qual ponto a reta x=0
estará cortando o eixo x.
A reta representada pela função y = 3x intercepta o eixo x no
Exemplo: seguinte valor: 0
Encontre o zero da seguinte função: f(x) = 2x-4. Função constante
 

Note que o valor do coeficiente (a) é positivo, portanto esta


é uma função crescente. Conhecendo o zero da função podemos Em uma  função constante  qualquer que seja o elemen-
esboçar o gráfico desta função. to do  domínio  eles sempre terão a mesma imagem, ao variar-
mos x encontramos sempre o mesmo valor k.

Coeficientes:

Numa função do primeiro grau temos dois coeficientes, coe-


ficiente angular e coeficiente Linear.

O coeficiente angular “a” : está relacionado com o valor da


tangente do ângulo que a reta que representa o gráfico, forma
com o eixo de x, contado no sentido anti-horário.

Matemática 2
Apostila Digital Licenciada para Renê da Silva Pereira - aspirantepm2009@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
Questões
Observe a imagem:
01(CRF-RO-ASSISTENTE-ADMINISTRATIVO-FUN-
CAB-2015)Dada a função definida porf(x + 2)= 3x + 5.
O valor de f(3).f(-3) é:

(A)18
(B) -80
(C) 42
(D)-70
(E) -56

02(CBTU – METROREC – Analista de Gestão – Advogado


– CONSULPLAN/2014) Seja o gráfico de uma função do 1º grau.

De acordo com o valor do coeficiente angular podemos clas-


sificar as funções do 1º grau em crescente ou decrescente.

Coeficiente Linear “b” : está relacionado com o valor da or- Qual dos pontos a seguir pertence ao gráfico dessa função?
denada do ponto de intersecção do gráfico com o eixo de y. (A) (–2, 0).
Isto é, dada uma função do tipo f(x) = ax + b, o ponto de inter- (B) (0, 4).
secção do gráfico com o eixo de y é o par ordenado (0,b). (C) (2, 10).
Observe o exemplo, dada função f(x) = 2x + 2. (D) (3, 11
Observe o valor de b da função.
03(COBRA TECNOLOGIA S/A (BB)-TECNICO ADMINIS-
TRATIVO-QUADRIX-2014)
Observe o gráfico da função do 1° grau a seguir. 

                  

Dados os pontos A (x1,y1) e B (x2,y2), tempos que f(x1) = a x1 Sobre essa função, é possível afirmar que:
+ b e f(x2Dados
) = a xos +pontos A (x)1,y
b, daí f(x ) e )B=(xa(x
- 1f(x 2,y2),- tempos que f(xa1)==f(x
x1), portanto a x1) (A) 9ª) é uma função constante.
2 2 1 2 2
+ b e f(x
- f(x1)/ x2 - x1
2 ) = a x2 + b, daí f(x 2 ) - f(x1 ) = a(x 2 - x1), portanto a = f(x2) (B) é uma função crescente.
- f(x1)/ x2 - x1 (C) é uma função positiva.
(D) é uma função negativa
(E) é uma função decrescente.
b
04(CBTU-METROREC-ASSISTENTE DE MANUTENÇÃO
ELÉTRICA-CONSULPLAN-2014)
A função inversa de uma função f(x) do 1º grau passa pelos
pontos (2, 5) e (3, 0). A raiz de f(x) é
(A ) 2
(B) 9
(C)12
(D) 15
a → coeficiente angular (determina a inclinação da reta em 05(CBTU-METROREC-ANALISTA DE GESTÃO -CONTADOR
relação ao eixo OX). -CONSULPLAN-2014)
b → coeficiente linear (ponto em que a reta intercepta o eixo
OY).
A lei da função f(x) = ax + b representa a equação de uma reta

Matemática 3
Apostila Digital Licenciada para Renê da Silva Pereira - aspirantepm2009@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
f(-3) = -10 
E por fim: , f(3) x f(-3)
= 8 . -10 = -80

02 Resposta: D.
Sabe-se que no gráfico todo X é raiz. Sendo assim temos um
X valendo 1 e outro -1.
O domínio do X=1 é 7 e do X=-1 é 3.
Equação de função de 1 grau [ f(x)= ax + b]
Substituindo os valores de x, tem-se:

f(1)= 7 ----> f(1)= a.1+b=7                                     


a+b=7   
a+b=3, logo 2b=10
O gráfico de uma função f(x) do 1º grau y = ax + b está repre- b=5
sentado acima. O valor do coeficiente a é igual a Portanto b=5, basta substituir em qualquer parte do siste-
(A)-1 ma e encontrar o valor de A.
(B)-2 Logo a+5=7.
(C)-3 a=2
(D)-4 Colocando na equação geral das funções de primeiro grau :
f(x)= 2.x + 5
06(CMB-ASSISTENTE TÉCNICO ADMINISTRATIVO-CES- f(3)= 2.3+5 = 11    (3,11)
GRANRIO-2012)Os números m e n são racionais e tais que
m + 5n = 5 e 4m + 10n = 16.  03 Resposta: B.
Qual o valor de m + n? A Função é crescente, pois a medida que os valores de x
aumentam, os valores de y ou f(x) também aumentam.
(A)9,4
(B) 7,9 04 Resposta:D.
(C)5,5 De acordo com o enunciado a inversa passa pelos pontos
(D)3,4 (2,5) e (3,0), a f(x) passará (5,2) e (0,3)
(E)2,6 Sendo assim, 
f(5)=2 -->> a.5 + b=2
07(CAMARA MUNICIPAL DE CATAS ALTAS-MG-TECNICO f(0)=3 -->> a.0 + b=3    * assim é possível descobrir o valor de
EM CONTABILIDADE- FUMARC-2011) b = 3, pois, o a é multiplicado por zero
A função do 1º grau cujo gráfico passa pelos pontos A (-2, Ao fazer a troca fica: ( já que trata-se de uma função inversa)
10) e B (1,4), é: a.5+3=2
(A)Y = - 2x + 4 a.5= -1
(B)Y = - 2x + 2 a= -1/5
(C)Y = - 2x + 8 a= -1/5 e b=3
(D)Y = - 2x + 6
-1/5.x + 3=0
08(  CAMARA MUNICIPAL DE CUBATÃO-SP-ASSISTENTE x= -3/ -1/5
DE ADMINISTRAÇÃO PUBLICA- IBAM-2010) x=15
Em uma função matemática do 1° grau do tipo f(x) = ax + b,
sabe-se que f(-3)= 4 e f(1/2)= -10. Os valores de a e b, respecti- 05 Resposta: B.
vamente, são iguais a:Parte superior do formulário De acordo com o gráfico da função, temos que:
Para x = 1 <=> y = 1 e
(A) -4e-8 Para x = 0 <=> y = 3, então:
(B) -3 e 5 y=ax+b ;
(C) 4 e -5 1=a.1+b
(D) 3e8 a+b=1
3=a.0+b
09(PETROBRAS-ADMNISTRADIOR-CESGRANRIO-2010) b=3
O valor de um caminhão do tipo A novo é de R$ 90.000,00 e, a+b=1
com 4 anos de uso, é de R$50.000,00. Supondo que o preço caia a+3=1
com o tempo, segundo uma função linear, o valor de um cami- a=-2
nhão do tipo A, com 2 anos de uso, em reais, é de
(A) 40.000,00 06 Resposta: D.
(B)50.000,00 O primeiro passo é achar o valor de “m”: m+5n=5
(C)60.000,00 m=5-5n.
(D)70.000,00 Depois substituir na outra equação,e encontrar o valor de n:
(E)80.000,00 4m+10n=16
4.(5-5n)+10n=16
Respostas 20-20n+10n=16
20-10n=16
01 Resposta: B. 20-16=10n
Para calcular f(3): 4=10n
Deve-se fazer : x + 2 = 3 --> x = 1 n=0,4
Em seguida, com o valor de “n” na primeira equação, desco-
Em seguida substituir o valor de x na função: f(3) = 3 (3) + 5 brir o valor de “m”.
f(3) = 8 
repetir o procedimento e calcular f(-3): m+5n=5
x + 2 = -3 ---> x = -5 m+5.0,4=5
Substituir o valor de x na função: f(-3) = 3 (-3) + 5 m+2=5
m=5-2

Matemática 4
Apostila Digital Licenciada para Renê da Silva Pereira - aspirantepm2009@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
m=3 As funções do 2º grau possuem diversas aplicações no coti-
E por fim, efetuar a soma de “m”+ “n”: diano, principalmente em situações relacionadas à Física envol-
n=0,4 vendo movimento uniformemente variado, lançamento oblíquo,
m=3 etc.; na Biologia, estudando o processo de fotossíntese das plan-
m+n=3,4 tas; na Administração e Contabilidade relacionando as funções
custo, receita e lucro; e na Engenharia Civil presente nas diver-
07 Resposta: D. sas construções.
A equação da função é: f(x)=ax+b 
A(-2,10)  A representação geométrica de uma função do 2º grau é
-2a+b=10  dada por uma parábola, que de acordo com o sinal do coeficien-
B(1,4)  te a pode ter concavidade voltada para cima ou para baixo
a+b=4 
Resolvendo o sistema:
-2a+b=10 
a+b=4 
---------- 
-3a=6 
a=6/-3 
a=-2 
a+b=4 
-2+b=4 
b=4+2 
b=6  As raízes de uma função do 2º grau são os pontos onde a
f(x)=ax+b (substituindo a e b) parábola intercepta o eixo x. Dada a função f(x) = ax² + bx + c,
f(x)=-2x+6 se f(x) = 0, obtemos uma equação do 2º grau, ax² + bx + c = 0,
dependendo do valor do discriminante ? (delta), podemos ter as
08 Resposta: A seguintes situações gráficas:

f(x) = ax + b Exemplo
f(-3) = a(-3) + b
f(-3) = 4  Se a função f de R em R definida pela equação y = x2 – 2x – 3.
4 = - 3a + b (equação 1) Atribuindo à variável x qualquer valor real, obteremos em cor-
respondência os valores de y:
f(0,5) = a(0,5) + b
f(0,5) = - 10 Para x = –2 temos y = (–2)2 – 2(–2) –3 = 4 + 4 – 3 = 5
- 10 = 0,5a + b (equação 2) Para x = –1 temos y = (–1)2 – 2(–1) –3 = 1 + 2 – 3 = 0
Isolando “b” na equação 1: Para x = 0 temos y = (0)2 – 2(0) –3 = – 3
b = 4 + 3a Para x = 1 temos y = (1)2 – 2(1) –3 = 1 – 2 – 3 = –4
Isolando “b” na equação 2: Para x = 2 temos y = (2)2 – 2(2) –3 = 4 – 4 – 3 = –3
b = - 10 - 0,5a Para x = 3 temos y = (3)2 – 2(3) –3 = 9 – 6 – 3 = 0
b=b Para x = 4 temos y = (4)2 – 2(4) –3 = 16 – 8 – 3 = 5
4 + 3a = - 10 - 0,5a
3,5a = - 14 x y (x,y)
a=-4
Substituindo “a” na equação 1: –2 5 (–2,5)
b = 4 + 3a –1 0 (–1,0)
b = 4 + 3 . (- 4)
b = 4 - 12 0 –3 (0, –3)
b=-8 1 –4 (1, –4)

09 Resposta: D. 2 –3 (2, –3)


Como trata-se de uma função linear ( y = ax + b), onde y é o 3 0 (3,0)
valor do caminhão em função do ano de uso x.
O enunciado o nos fornece dois pares ordenados: (0, 90000) 4 5 (4,5)
e (4, 50000); e perecisamos saber qual o valor de y quando x = 2.
O gráfico da função de 2º grau é uma curva aberta chamada
Para isto, precisamos achar os coeficientes da função. parábola.
Usando o primeiro par temos: 90000 = a.0 + b O ponto V indicado na figura chama-se vértice da parábola.
b = 90000.
Usando o segundo par temos: 50000 = a.4 + 90000
4a = -40000
a = -10000
Substituindo os valores na fórmula temos que:
y = -10000x + 90000; aplicando x = 2
: y = -10000.2 + 90000 = 70000

Função do 2º Grau

Toda função estabelecida pela lei de formação f(x) = ax² + bx


+ c, com a, b e c números reais e a ≠ 0, é denominada função do
2º grau. Generalizando temos:

Matemática 5
Apostila Digital Licenciada para Renê da Silva Pereira - aspirantepm2009@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
de uma função do 2º grau. Observe as possibilidades descritas
abaixo:

Concavidade da Parábola

No caso das funções do 2º grau, a parábola pode ter sua con- Repare que, sendo ∆ = b2 – 4ac, podemos ter: 
cavi dade voltada para cima (a > 0) ou voltada para baixo (a < 0). Δ < 0 =  a parábola não intercepta o eixo Ox.
Δ = 0 =  a parábola é tangente ao eixo Ox.
Δ > 0 =  a parábola intercepta o eixo Ox em dois pontos dis-
tintos.

Valor máximo e valor mínimo da função do 2º grau

Para determinarmos o ponto áximo e o ponto mínmo de


uma função de 2º graus, basta calcular o vértice da parábola
utilizando as seguintes expressõe matemáticas:
a>0 a<0

Podemos por meio do gráfico de uma função, reconhecer o


seu domínio e o conjunto imagem.

Zeros (ou raízes) de uma função do 2º grau

Denominam-se zeros ou raízes de uma função quadrática os


valores de x que anulam a função, ou seja, que tornam f(x) = 0.
Em termos de representação gráfica, são as abscissas dos pontos
onde a parábola corta o eixo x.

Denomina-se equação do 2º grau com uma variável toda


equação da forma ax2 + bx + c = 0 , onde x é a variável e a, b, c ∈
ℜ com a ≠ 0.

Resolução de Equações do 2º Grau

Resolver uma equação significa determinar o conjunto solu-


ção (ou conjunto verdade) dessa equação. Para a resolução das
equações do 2º grau, utilizamos a Fórmula Resolutiva ou Fórmu-
la de Báskara dada abaixo:

Se ax2 + bx + c = 0 e a ≠ 0, então Interseção da parábola com o eixo x (eixo das abscissas):

A parábola intercepta o eixo x (eixo das abscissas) no ponto


(x,0), ou seja, sempre que y for igual a zero. Logo, temos que ax2
−b± ∆ + bx + c = 0.
x= 2
2a , onde ∆ = b − 4ac
Interseção da parábola com o eixo y (eico das ordenadas)
A parábola intercepta o eixo das ordenadas sempre quando
temos o valor de x igual a zero, ou seja, y = a.02 + b.0 + c = 0 +
∆ = 0 0 + c = c. Logo, a parábola intercepta o eixo das ordenadas no
 ponto (0,c).

Se ∆ ≥ 0 a equação tem raízes reais 


∆ > 0 Se Coordenadas do vértice da parábola
∆<0 a
equação não tem raízes reais.
A parábola que representa graficamente a função do 2º grau
As raízes (quando são reais), o vértice e a intersecção com apresenta como eixo de simetria uma reta vertical que intercep-
o eixo y são fundamentais para traçarmos um esboço do gráfico ta o gráfico num ponto chamado de vértice.

Matemática 6
Apostila Digital Licenciada para Renê da Silva Pereira - aspirantepm2009@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
As coordenadas do vértice são: y = x2 – 4x + 3

Coordenadas do vértice:
−b −∆
xV = yV = − b − (− 4 ) 4
2a e 4a xV = = = =2
2a 2(1) 2 V (2, –1)
Vértice (V)
yV = (2)2 – 4(2) + 3 = 4 – 8 + 3 = –1

Tabela:

Para x = 0 temos y = (0)2 – 4(0) + 3 = 0 – 0 + 3 = 3


Para x = 1 temos y = (1)2 – 4(1) + 3 = 1 – 4 + 3 = 0
Para x = 3 temos y = (3)2 – 4(3) + 3 = 9 – 12 + 3 = 0
Para x = 4 temos y = (4)2 – 4(4) + 3 = 16 – 16 + 3 = 3
O Conjunto Imagem de uma função do 2º grau está associado
ao seu ponto extremo, ou seja, à ordenada do vértice (yv). x y (x,y)
0 3 (0,3)
1 0 (1,0)
2 –1 (2,–1)Vértice
3 0 (3,0)
4 3 (4,3)

Gráfico:

Exemplo

Vamos determinar as coordenadas do vértice da parábola da


seguinte função quadrática: y = x2 – 8x + 15.

Cálculo da abscissa do vértice:

− b − (− 8) 8
xV = = = =4
2a 2(1) 2

Cálculo da ordenada do vértice:


Substituindo x por 4 na função dada:

yV = (4)2 – 8(4) + 15 = 16 – 32 + 15 = –1

Logo, o ponto V, vértice dessa parábola, é dado por V (4, –1).


Estudos do sinal da função do 2º grau
Valor máximo e valor mínimo da função do 2º grau
Estudar o sinal de uma função quadrática é determinar os
- Se a > 0, o vértice é o ponto da parábola que tem ordenada valores reais de x que tornam a função positiva, negativa ou nula.
mínima. Nesse caso, o vértice é chamado ponto de mínimo e a
ordenada do vértice é chamada valor mínimo da função; Exemplo
- Se a < 0, o vértice é o ponto da parábola que tem ordenada
máxima. Nesse caso, o vértice é ponto de máximo e a ordenada y = x2 – 6x + 8
do vértice é chamada valor máximo da função.
Zeros da função: Esboço do gráfico:

Construção do gráfico da função do 2º grau

- Determinamos as coordenadas do vértice;


Para x < 2 ou x > 4 temos y > 0
- Atribuímos a x valores menores e maiores que xv e calcula-
Para x = 2 ou x = 4 temos y = 0
mos os correspondentes valores de y;
Para 2 < x < 4 temos y < 0
- Construímos assim uma tabela de valores;
- Marcamos os pontos obtidos no sistema cartesiano;
y = x2 – 6x + 8
- Traçamos a curva.
= (–6)2 – 4(1)(8)
= 36 – 32 = 4
Exemplo
∆ = 4=2

Matemática 7
Apostila Digital Licenciada para Renê da Silva Pereira - aspirantepm2009@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
6+2 8 05(CBTU/RJ - ASSISTENTE OPERACIONAL - CONDUÇÃO
= =4 DE VEÍCULOS METROFERROVIÁRIOS – CONSULPLAN/2014)
2 2 A função inversa de uma função f(x) do 1º grau passa pelos
6±2 pontos (2, 5) e (3, 0). A raiz de f(x) é
x=
2
6−2 4 (A) 2.
= =2
2 2 (B) 9.
Para 2 < x < 4 temos y < 0 (C) 12.
(D) 15.
Questões
06(SEDUC-AM-PROFESSOR MATEMÁTICA-FGV-2014)
01 (CRF-RO-ASSISTENTE ADMINISTRATIVO-FUN- Considere a função quadrática y =  x2  - 4x + 5.
CAB-2015)As coordenadas do vértice da parábola y = 2x2 - 3x Seja No número de pontos, com coordenadas inteiras, perten-
+ 5 são: centes ao gráfico dessa função e que estão acima da reta y = 2 e
abaixo da reta y =10 .
(A) O valor de N é
(A)2
(B)4
(B) (C)6
(D)8
(E)10
(C)
07(COBRA TECNOLOGIA S/A (BB)-TÉCNICO DE OPERA-
ÇÃO-ESPP-2013)
(D)
Com relação à função quadrática f(x) = ax2 + bx + c, é correto
afirmar que:
(E) (A) O ponto de máximo é dado pela maior raíz da função.
(B)Se b2 – 4ac < 0 então a função não possui ponto de máximo
e nem ponto de mínimo.
02(SEE-AC-PROFESSOR DE MATEMÁTICA E FÍSICA-FUN- (C)Se o coeficiente de x for igual à zero pode ser que a função
CAB-2014) não tenha raízes reais
Considerando a função y = -2x² + 3x - 1, assinale a alternativa (D)As coordenadas do ponto mínimo da função são  (-  b⁄a,
correta. - Δ⁄2a )  para a > 0.
(A)Seu gráfico é uma parábola com a concavidade voltada
para cima. 08(LIQUIGÁS-NIVEL MÉDIO-CESGRANRIO-2013)
(B) Seu gráfico não toca o eixo X. A função f : [ - 2,4 ] → R , definida por f ( x ) = - x2 + 2x + 3,
(C)Para todo valor de x a função tem imagem positiva. possui seu gráfico apresentado a seguir.
(D) A função possui duas raízes reais e diferentes.
(E)Seu gráfico toca uma única vez o eixo X.

03(COBRA TECNOLOGIA S/A (BB)-ANALISTA DE OPERA-


ÇÕES-NEGÓCIOS-QUADRIX-2014)
Observe o gráfico da função quadrática a seguir.

O valor máximo assumido pela função f é


 
(A)6
Sobre essa função, é possível afirmar que:
(B) 5
(C)4
(A)Δ > 0
(D)3
(B)Δ < 0
(E)1
(C) Δ=0
(D)a < 0
09 (PREFEITURA DE NATAL-RN-PROFESSOR DE MATE-
(E)a = 0
MÁTICA- CONSULPLAN-2013)
O gráfico a seguir representa uma função do segundo grau
04(IPEM-PE-ASSISTENTE GESTÃO EM METROLOGIA E
da forma y = ax2 + bx + c. Sobre os coeficientes dessa função, é
QUALIDADE INDUSTRIAL-IPAD-2014)O valor mínimo da fun-
correto afirmar que  
ção f(X) = 2X2 - 3X +1, é:

(A)-2
(B) -1/8
(C)1/2
(D)2
(E)1/32

Matemática 8
Apostila Digital Licenciada para Renê da Silva Pereira - aspirantepm2009@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
parábola “intercepta” o eixo x em apenas um ponto;
∆ < 0------ Não possui raízes reais --- A parábola não inter-
cepta o eixo x.

Por fim , temos duas raízes diferentes e reais.

03 Resposta: A.
Trata-se de uma funcão quadrática, e pelo gráfico observa-
-se que a concavidade curvada para cima, o qual indica que a é
positivo. Os zeros da função não cortam o eixo das abscissas, o
que indica que ambos são positivos. Portanto: Δ > 0 

04Resposta:B.
Para calcular o valor mínimo, usa-se a fómula:
Yv= -Δ/4a
        
Yv= -(b²-4.a.c)/4a
(A a < b < c. 
Yv= -((-3)²-4.2.1)/4.2
(B) b < a < c. 
Yv= -(9-8)/8
(C)c < a < b. 
Yv= -(1)/8
(D)b < c < a.
Yv= -1/8
Respostas
05 Resposta:D.
01.Resposta: C.
Para calcular os valores de a e b, temos que y = ax + b.
Para calcular os vértices da parábola, devemos utilizar as se-
* Para determinar a: substitui-se os pontos T (2, 5) e V (3,
guintes fórmulas:
0) na equação:
X v = -b / 2 a
( T ) 5 = a.2 + b ,
Yv = - ∆ / 4a
2.a + b = 5 ( I )
--------------
( V ) 0 = a.3 + b
Como a= 2 ; b= -3 e c= 5 ; temos:
3.a + b = 0
b = – 3.a ( II )
Xv = - (-3) / 2 x 2 = 3/4
-------
Substituindo a equação ( II ) na equação ( I ), temos:
∆= (-3)² - 4x2x5 = 9 - 40 = -31
----------
2.a + (– 3.a) = 5
Yv = - (-31) / 4x2 = 31/8
2.a – 3.a = 5
– a = 5 . (– 1)
Logo, {Xv, Yv} = {3/4; 31/8}
a=–5
02.Resposta: D
Para calcular o valor de b, vamos substituir os valores de um
Seja a  função y = - 2x² + 3x - 1.
dos pontos e o valor de a na equação.
Temos: a = - 2;  b= 3 e c = - 1.
Utiliza-se o ponto V (3, 0) :
Em se tratando de uma função do segundo grau da forma
 f(x) = ax2+ bx +c,
y = a.x + b
Porém existem fatores que devem ser comentados para uma
0 = – 5.3 + b
melhor compreensão:
b = 15
I)O valor de a (concavidade)
Portanto, y = – 5.x + 15 .
. Quando a > 0 ---- Concavidade (“boca”) voltada para cima,
logo teremos um ponto de mínimo.
Para calcular a função inversa: é só trocar x por y :
. Quando a < 0 --- Concavidade voltada para baixo, logo tere-
mos um ponto de máximo.
x = – 5.y + 15
5.y = – x +15
II) Valor de c (intersecção)
y = – x / 5 + 15/5
Este determina a intersecção da parábola com o eixo y (eixo
das ordenadas). Cabe ressaltar que isto ocorre quando atribuí-
y = – x / 5 + 3 = (função inversa)
mos a x o valor zero.
III) Raízes
Para calcular aa raiz faz-se y = 0:
Determinam a intersecção da parábola com o eixo x (eixo das
0=–x/5+3
abscissas).
x/5=3
Resolvemos com a fórmula de Báskara.
x=3.5
Δ = b2– 4. a.c
x = 15
Δ  = 3 2 - 4 . (-2) . (-1) = 9 - 8 = 1
−b± ∆ 06 Resposta:A.
x= Substituindo os valores na função: y = x2 - 4x + 5.
2.a
X=-1, y=10
x’=-3±1/2.2
x’= -2/4=-1/2
X=0, y=5
x”=-4/4=-1
X=1, y=2
Como a quantidade de raízes de uma função do 2º grau varia
X=2, y=1
de acordo com o valor de delta.
X=3, y=2
Veja:
X=4, y=5
∆ > 0----- 2 raízes reais e diferentes ----- A parábola intercep-
X=5, y=10
ta o eixo x em dois pontos;
Logo, somente os pontos (0,5) e (4,5) estão acima de y=2 e
∆= 0----- 2 raízes reais e iguais (na prática, 1 raiz real) ----- A
abaixo de y=10.

Matemática 9
Apostila Digital Licenciada para Renê da Silva Pereira - aspirantepm2009@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
07 Resposta: C.
Para compreendermos emlhor a questão segue abaixo a jus-
tificativa sobre cada item: Progressão Aritmética
Progressão Geométrica
a) O ponto de máximo é dado pela maior raíz da função.
O valor de “a” dá o ponto de máximo ou de mínimo da função,
a concavidade e a abertura da parábola: Progressão aritmética
a > 0: dá o valor mínimo e a concavidade é para cima. Uma progressão aritmética ( P. A.) é uma sequência numé-
a < 0: dá o valor máximo e a concavidade é para baixo. rica em que cada termo, a partir do segundo, é igual à soma do
a = 0: a equação torna-se linear (ERRADA) termo anterior com uma constante   O número   é chamado
b) Se b2 – 4ac < 0 então a função não possui ponto de máximo de razão  da PA.
e nem ponto de mínimo. Alguns exemplos de progressões aritméticas:
A discriminante (b2 – 4ac) não determina o ponto de máximo 1, 4, 7, 10, 13, ..., é uma PA em que a razão (a diferença entre
ou de mínimo, e sim o número e a natureza das raízes. O variável os números consecutivos) é igual a 3. É uma PA crescente.
que determina esses valore é “a”. Para que a função não tenha -2, -4, -6, -8, -10, ..., é uma P.A. em que  É uma PA
o  ponto de máximo ou de mínimo  “a” deve ser zero, porém, a decrescente.
equação torna-se linear. (ERRADA) 6, 6, 6, 6, 6, ..., é uma P.A. com  É uma PA constante
c) Se o coeficiente de x for igual à zero Numa progressão aritmética, a partir do segundo termo, o
pode ser que a função não tenha raízes reais. termo central é a média aritmética do termo antecessor e do su-
O que define o número e a natureza das raízes é o valor da dis- cessor, isto é, a n = a n −1 + a n +1
criminante (b2 – 4ac):
2
b2 – 4ac < 0: A função não possui raízes reais. A parábola não Fórmula do termo geral de uma PA
intersecta o eixo x. O enésimo termo de uma PA, representado por   pode
b2 – 4ac = 0: A função possui raízes reais e iguais. Nesse caso, ser obtido por meio da formula:
dizemos que a função possui uma única raiz ou dupla raiz. A pa-
rábola intersecta o eixo x em um só ponto.
2 – 4ac  > 0: A função possui duas raízes reais e distintas.
A parábola intersecta o eixo x em dois pontos distintos. (COR- a 1 é o primeiro termo
RETA) a n é o último termo
n é o número de termos
d) As coordenadas do ponto mínimo da função são  (- b/a, - r é a razão
?/2a) para a > 0.  As coordenadas são (- b/2a, -?/4a ). (ERRADA) Ex: 1. Numa PA de 7 termos, o primeiro deles é 6, o segundo
é 10. Escreva todos os termos dessa PA.
08 Resposta: C.
Os valores máximos e mínimos são encontrados da seguinte Resp: 6, 10, 14, 18, 22, 26, 30
forma:
Xv= -b / 2 a   2. Numa PA de 5 termos, o último deles é 201 e o penúltimo
Yv= -Δ / 4 a é 187. Escreva todos os termos dessa PA.
*Por Bhaskara f ( x ) = - x2 + 2x + 3
Δ = b2– 4. a.c Resp: 145, 159, 173, 187, 201
Δ  = 2 2 - 4 . (-1) . 3 = 4+12
∆=16 3. Numa PA de 8 termos, o 3º termo é 26 e a razão é -3. Es-
Assim sendo: creva todos os termos dessa PA.
Xv= -b / 2 a  temos: -2 / 2 * - 1 = 1
Yv= -Δ / 4 a temos: -16 / 4 * -1 = 4, que é o valor máximo Resp: 32, 29, 26, 23, 20, 17, 14, 11
assumido pela função de f.  
4. Determinar o 21º termo da PA (9, 13, 17, 21,...)
09 Resposta: C.
Através do gráfico temos os seguintes pontos: (-3,0), (-1,0) Resp: r = 4      a1 = 9       n = 21       a61 = ?
e (0,-3). a61 = 9 + (21 – 1).4
Montando um sistema: a61 = 9 + 20.4 = 9 + 80 = 89 
i) 9a-3b+c=0
ii) 1a-1b+c=0 5. Determinar o número de termos da PA  (4,7,10,...,136)
iii) 0a+0b+c=-3 ---> iv) c=-3
O enunciado também nos informa que o x do vértice da pa- Resp: a1 = 4     an = 136               r = 7 – 4 = 3
rábola é -2: an = a1 + (n – 1).r
Xv= -b / 2 a   136 = 4 + (n – 1).3
-2=-b/2ª 136 = 4 + 3n – 3
 b=4a 3n = 136 – 4 + 3
Substituindo nas equações: 3n = 135
9a-3(4a)-3=0 n = 135/3 = 45 termos 
9a-12a=3
-3a=3 Soma dos termos de uma PA
 a=-1
Para somar os n primeiros termos, pode-se utilizar a se-
Como  b=4a guinte fórmula:
b=4.-1
b=-4
Desse modo, a=-1, b=-4 e c=-3.
S n é a soma dos termos
n é o número de termos
a 1 é o primeiro termo
a n é o último termo

Matemática 10
Apostila Digital Licenciada para Renê da Silva Pereira - aspirantepm2009@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
Ex:
1. Calcular a soma dos trinta primeiros termos da PA (4, 9,
14, 19,...).
 
a30 = a1 + (30 – 1).r
a30 = a1 + 29.r
a30 = 4 + 29.5 = 149

Questões
Progressão geométrica
Denominamos de progressão geométrica, ou simplesmente 01 ( UFES-TECNICO EM CONTABILIDADE-UFES-2015)
PG, a toda sequência de números não nulos em que cada um de- O primeiro, segundo e terceiro termos de uma progressão
les, multiplicado por um número fixo, resulta no próximo núme- aritmética são -  x2 - 6 ,  x  e 9, respectivamente, sendo  x um
ro da sequência. Esse número fixo é chamado de razão da pro- número negativo. O quinto termo da progressão aritmética
gressão e os números da sequência recebem o nome de termos é igual a
da progressão.
Observe estes exemplos: (A) 20
8, 16, 32, 64, 128, 256, 512, 1024 é uma PG de 8 termos, com (B) 27
razão 2. (C) 33
5, 15, 45,135 é uma PG de 4 termos, com razão 3 (D) 41
(E) 42
Fórmula do termo geral de uma progressão geométrica.
02 ( MGS- NIVEL MÉDIO-IBFC-2015)As razões entre a pro-
gressão aritmética 3,7,... e a progressão geométrica cujo primei-
ro termo é 5 são iguais. Desse modo, o quinto termo da progres-
são geométrica é igual a:
(A) 320
Ex:
(B) 80
1. Determinar a razão da PG tal que: (C) 1280
(D) 2560

03( UFES-ENEGENHEIRO CIVIL-UFES-2015)


Uma progressão geométrica tem primeiro termo igual a 1 e
razão negativa. A soma dos três primeiros termos da progressão
(A) 93
(B) –21
(C) –42
(D) –12
(E) 81

04(CIS - AMOSC – SC-TECNICO ADMINISTRATIVO-CURSI-


VA-2015)Determine a soma dos termos da Progressão Geomé-
trica (1, 2, 4, 8 ...; 1024).

(A) 2048
(B) 2049
(C) 2046
(D) 2047

05 (BANPARÁ-TECNICO EM INFORMÁTICA-EXA-
TUS-2015)A soma dos 15 termos de uma progressão aritmética
Formula da soma dos n primeiros termos de uma PG: é 90. A metade do oitavo termo dessa progressão é igual a:  
(A) 5
Sendo Sn a soma dos n primeiros termos da PG (a1,a2, a3,... (B) 2
an,...) de razão q, temos: (C) 1
(D) 4
(E) 3
Se q = 1, então Sn = n.a1

≠ a1 (q n − 1) 06( PREFEITURA DE PORTO BARREIRO-PR-ADVOGADO-


Se q 1 , então S n = -OBJETIVA-2015)
q −1
Determinar o valor de x, de modo que os números (x + 2),(6x
a n .q − a1 - 5),(3x - 4) estejam, nessa ordem, em progressão aritmética: 
Ou , se q ≠ 1 então S
n
=
q −1
(A) 0
Ex: 1. Calcular a soma dos dez primeiros termos da PG (3, (B) 1
6, 12,....). (C) 2
(D) 3

Matemática 11
Apostila Digital Licenciada para Renê da Silva Pereira - aspirantepm2009@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
07(TECNICO DE ADMINISTRAÇÃO E CONTRO-
LE JUNIOR-PETROBRAS-CESGRANRIO-2015)Conside- 4, 20, 80, 320, 1280,
re a progressão geométrica finita (a  1  , a 2  , a 3 ,...,a 11  , a 12 ), na
qual o primeiro termo vale metade da razão e a  7  = 64 .a  4 . 03 Resposta: E.
O último termo dessa progressão é igual a De acordo com mo eninciado em que a razão é negativa,
pode ser: -1, -2, -3, -4... ; sendo a soma dos três primeiros ter-
(A)2 12 mos igual a 7, vemos que a razão negativa não será um número
(B) 2 16 grande.
(C)222 Dessa maneira, testando -1, -2, -3 como a razão na fórmula
(D) 223 do termo geral da progressão geométrica,
(E) 234 an = a1 * q(n-1)

08(BANCO DA AMAZONIA-TECNICO-BANCÁRIO-CES- chegamos a -3 como a razão, já que:


GRANRIO-2015)
Uma sequência de números reais tem seu ter- a2 = 1 * -3(2-1) = -3
mo geral, an  , dado por an  = 4.23n+1, para n ≥ 1.  a3 = 1 * -3(3-1) = 9
Essa sequência é uma progressão portanto, 1+(-3)+9 = 7.
(A) geométrica, cuja razão é igual a 2. Achando a razão, fazemos a fórmula com o quinto termo de-
(B) geométrica, cuja razão é igual a 32. sejado (a5):
(C) aritmética, cuja razão é igual a 3. a5 = 1 * -3(5-1) = 81
(D) aritmética, cuja razão é igual a 1.
(E) geométrica, cuja razão é igual a 8. 04 Resposta: E.
Para o cálculo da PG, devemos utilizar a fórmula da soma:
09( PREFEITURA DE SAQUAREMA-RJ- ASSISTENTE AD-
MINISTRATIVO-CEPERJ-2015) Sn = a1 (qn   1) 
Observe a seguinte tabela. Ela mostra o número de pes-            q   1
soas  que se hospedaram em uma pousada de Saquarema nos
meses de janeiro e fevereiro de 2015 Como a Progressão Geométrica (1, 2, 4, 8 ...; 1024)

Para utilizarmos a fórmula da soma é preciso saber o valor


de a1 ( 1º termo) , a razão e a quantidade de elementos que
essa PG possui.
Se (360, 300, x) formam uma progressão geométrica, o valor a1 = 1         primeiro termo
de x corresponde a: q = 2           razão
(A) 280. n = ?           número de elementos da PG
(B) 270. Sn = ?         Soma dos n elementos
(C)260.
(D) 250. Portanto,  é preciso que encontremos a quantidade de ele-
(E) 240. mentos que possui essa PG, utilizando a fórmula do termo geral.
an = a1 . q n – 1
10(PETROBRAS-PROFISSIONAL JUNIOR-CESGRAN- 1024 =1 . 2 n – 1
RIO-2015)Considere an e bn os termos gerais de duas progres- 1024 : 1 = 2 n – 1
sões geométricas, cujas razões são 4 e 1/2 , respectivamen- 1024 = 2 n – 1
te. Tem-se, portanto, que cn = an  . bn  é o termo geral de uma 210 = 2 n – 1
progressão geométrica cuja razão é igual a n – 1 = 10
(A) 8 n = 11
(B) 9/2 E por fim, calcular a soma:
(C) 2 Sn = a1 (q n – 1) / q-1
(D)1/2
(E) 1/8 S11 = 1 ( 2048– 1)/2-1

Respostas S11 = 1 . (2047)


01 Resposta: C. S11 = 2047
Para calcular a PA:
05 Resposta: E.
a1 = - x² - 6; Através do enunciado, Sabe-se que:
a2 = a1 + c = x => - x² - 6 + c = x => c = x² + x + 6; (o “c” repre- S15= 90
senta a razao da PA) Precisamos de:
a3 = a2 + c = 9 => x + c = 9 => c = 9 - x; a1 e a15 para resolver o exercício:
x² + x + 6 = 9 - x => x² + 2x - 3 = 0 => x1 = 1; e x2 = - 3. Deve-se utilizar a fórmula do Termo geral para encontrar o
como x é negativo: x = -3 a1 an = a1+(n-1)r
substituindo x = - 3 nos temos a1, a2 e a3 temos: a15 = a1 + (15-1)r
a1 = - 15 a15 = a1 + 14r 
a2 = - 3 Utilizando a fórmula da soma e substituindo a15:
a3 = 9 Sn = (a1+a15)n /2
continuando a sequencia temos: 90 = (a1 + a1 + 14r)15  /2
a4 = 21 90 = (2a1 + 14r)15   /2  
a5 = 33.
Multiplicando em cruz:
02 Resposta: C. 180 = (2a1 + 14r)15   ------------ aplicando a multiplicação
De acordo com o enunciado verifique que a razão da PA distributiva nos elementos dentro do parênteses, temos:
(3,7,...) é 4, pois 7 - 3 = 4. [ A razão de uma PA é uma soma] 180 = 30a1 + 210r
Como a questão disse que a PA e a PG possuem razões iguais. Como todos são divisiveis por 30, então podemos dividi-los
Sabendo que a razão de uma PG é um produto, temos: para simplificar:
6 = a1 + 7r ------------ organizando a equação, logo:

Matemática 12
Apostila Digital Licenciada para Renê da Silva Pereira - aspirantepm2009@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
a1 = 6 - 7r Para determinar qual o próximo termo da PG (360,300, x) ?
Vamos encontrar o a8 Basta multiplicar 300 por 5/6. Fica assim:
an = a1 + (n-1)r 300 . 5/6 = 1500/6 = 250
a8 = a1 + (8-1)r --------- substituindo o a1 pelo que encontra-
mos acima: 10 Resposta: C.
a8 = 6 - 7r + 7r Como o enunciado deu os valores dos termos an e bn , dizen-
a8 = 6 do que são 4 e 1/2 , respectivamente, e depois nos dá a fórmula
Como no enunciado precisamos determinar a metade do oi- : cn = an . bn
tavo elemento (a8), basta dividir este por 2, portanto: Fica bem simples, então é só substituir e calcular, ou seja,
a8/2= multiplicar por 4x1/2 = 2.sendo esta a razão da PG
6/2 = 3

06 Resposta: B.
Utilizando a fórmula da PA:   Juros simples e compostos
 an = a1 + (n - 1).r
Assim, devemos montar a fórmula para a2 e a3:
a2 = a1 + (2 - 1).r => 6x - 5 = x + 2 + r => 5x - 7 = r (substitui Juros representam a remuneração do Capital emprega-
na fórmula de a3, embaixo) do em alguma atividade produtiva. Os juros podem ser ca-
a3 = a1 + (3 - 1).r => 3x - 4 = x+ 2 +2r => (substituindo o pitalizados segundo dois regimes: simples ou compostos.
«r»)
JUROS SIMPLES: o juro de cada intervalo de tempo sem-
3x - 4 = x + 2 + 10x - 14 =>  (deixando o “x” em evidencia)  - pre é calculado sobre o capital inicial emprestado ou aplica-
8x = - 8 =>      x = 8/8 => x=1  do.

07Resposta: D. JUROS COMPOSTOS: o juro de cada intervalo de tempo é


De acordo com o enuciado, o primeiro termo vale metade da calculado a partir do saldo no início de correspondente inter-
razão, ou seja, a1 = q/2. valo. Ou seja: o juro de cada intervalo de tempo é incorpora-
O sétimo termo é a7= 64 x a4. do ao capital inicial e passa a render juros também.
Sabemos que para ir de a4 até o a7 precisamos multiplicar 3
vezes pela razão, ou seja, a7 = a4 x q3. Juros Simples
Comparando essa expressão com a7= a4 x 64, vemos que: No sistema de capitalização simples, os juros são calculados
q3= 64 baseados no valor da dívida ou da aplicação. Dessa forma, o va-
lor dos juros é igual no período de aplicação ou composição da
q=3√64, logo dívida.
q = 4  - Os juros são representados pela letra j.
Então, a1= q/2 = 4/2 = 2.  - O dinheiro que se deposita ou se empresta chamamos de
O 12º termo dessa progressão é só jogar na formula básica capital e é representado pela letra C.
de P.G.: - O tempo de depósito ou de empréstimo é representado
an= a1x q(n-1) pela letra t.
a12= 2 x 4(12-1) - A taxa de juros é a razão centesimal que incide sobre um ca-
a12= 2 x 411 pital durante certo tempo. É representado pela letra i e utilizada
a12= 2 x (22)^11 para calcular juros.
a12 = 2 x 222a12 = 223
Chamamos de simples os juros que são somados ao capital
08 Resposta: E. inicial no final da aplicação.
Temos a seguinte expressão: an = 4.2 3n+1
 Para n = 1 temos:  A expressão matemática utilizada para o cálculo das situa-
a1 = 4.2 3.1+1  ções envolvendo juros simples é a seguinte:
a1 = 4.2 3+1 
a1 = 4.24  J = C . i . t, onde
a1 = 4.16  J = juros
a1 = 64  C = capital
Para n = 2 temos:  i = taxa de juros ( na forma decimal)
a2 = 4.2 3.2+1  t = tempo de aplicação (mês, bimestre, trimestre, semestre,
a2 = 4.2 6+1  ano...)
a2 = 4.27 
 a2 = 4.128 Montante:   (conhecido como  valor acumulado) é a soma
 a2 = 512 do Capital Inicial com o juro produzido em determinado tempo.
 Para n = 3 temos:  M=C+J
a3 = 4.2 3.3+1 M = montante final
 a3 = 4.2 9+1 C = capital
 a3 = 4.210 J = juros
 a3 = 4.1024
 a3 = 4096 Ex: 1. Qual o valor do montante produzido por um capital de
Dividindo o segundo pelo primeiro termo temos (a2/a1) R$ 1.200,00, aplicado no regime de juros simples a uma taxa
512 / 64 = 8. mensal de 2%, durante 10 meses?
Dividindo o terceiro pelo segundo , temos(a3/a2) Capital: 1200
4096 / 512 = 8. i = 2% = 2/100 = 0,02 ao mês (a.m.)
Ou seja, estamos diante de uma progressão geométrica de t = 10 meses
razão igual a 8.  J=C.i.t
J = 1200 . 0,02 . 10
09 Resposta: D. J = 240
Por se tratar de uma PG, a razão será sempre um produto. M=C+j
Nesta questão: M = 1200 + 240
360, 300, x --- Ao dividir 300/360 encontramos a razão= 5/6.  M = 1440

Matemática 13
Apostila Digital Licenciada para Renê da Silva Pereira - aspirantepm2009@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
Resp: O montante produzido será de R$ 1.440,00. pital através juros simples e juros compostos, com um exemplo:
Suponha que $100,00 são empregados a uma taxa de 10% a.a.
2. Determine o valor do capital que aplicado durante 14 me- (ao ano) Teremos:
ses, a uma taxa de 6%, rendeu juros de R$ 2.688,00.
J=C.i.t
2688 = C . 0,06 . 14
2688 = C . 0,84
2688
C = 0,84

C = 3200
Resp: O valor do capital é de R$ 3.200,00.
Observe que o crescimento do principal segundo juros sim-
Observações: ples é LINEAR enquanto que o crescimento segundo juros com-
postos é EXPONENCIAL, e, portanto tem um crescimento muito
1) A taxa i e o tempo t devem ser expressos na mesma uni- mais “rápido”. Isto poderia ser ilustrado graficamente da seguin-
dade. te forma:
2) Nessa fórmula, a taxa i deve ser expressa na forma deci-
mal.

Juros Compostos

O regime de juros compostos é o mais comum no sistema


financeiro e portanto, o mais útil para cálculos de problemas do
dia-a-dia. Os juros gerados a cada período são incorporados ao
principal para o cálculo dos juros do período seguinte.
  Na prática, as empresas, órgãos governamentais e investido-
Chamamos de capitalização o momento em que os juros res particulares costumam reinvestir as quantias geradas pelas
são incorporados ao principal. aplicações financeiras, o que justifica o emprego mais comum de
  juros compostos na Economia. Na verdade, o uso de juros sim-
Após três meses de capitalização, temos: ples não se justifica em estudos econômicos.
1º mês: M =P.(1 + i)
2º mês: o principal é igual ao montante do mês anterior: M Fórmula para o cálculo de Juros compostos
= P x (1 + i) x (1 + i) 
3º mês: o principal é igual ao montante do mês anterior: M = Considere o capital inicial (principal P) $1000,00 aplicado a
P x (1 + i) x (1 + i) x (1 + i) uma taxa mensal de juros compostos ( i ) de 10% (i = 10% a.m.).
Simplificando, obtemos a fórmula: Vamos calcular os montantes (principal + juros), mês a mês:
Após o 1º mês, teremos: M1 = 1000 x 1,1 = 1100 = 1000(1
+ 0,1)
M = P . (1 +  i)n Após o 2º mês, teremos: M2 = 1100 x 1,1 = 1210 = 1000(1 +
  0,1)2
Importante:  a taxa  i  tem que ser expressa na mesma Após o 3º mês, teremos: M3 = 1210 x 1,1 = 1331 = 1000(1 +
medida de tempo de n, ou seja, taxa de juros ao mês para 0,1)3
n meses. .....................................................................................................
Para calcularmos apenas os juros basta diminuir o Após o nº (enésimo) mês, sendo S o montante, teremos evi-
principal do montante ao final do período: dentemente: S = 1000(1 + 0,1)n
J=M-P
  De uma forma genérica, teremos para um principal P, apli-
Exemplo: cado a uma taxa de juros compostos i durante o período n : S =
P (1 + i)n
 Calcule o montante de um capital de R$6.000,00, aplicado onde S = montante, P = principal, i = taxa de juros e n = nú-
a juros compostos, durante 1 ano, à taxa de 3,5% ao mês. mero de períodos que o principal P (capital inicial) foi aplicado.
  (use log 1,035=0,0149 e log 1,509=0,1788) Nota: Na fórmula acima, as unidades de tempo referentes à
   Resolução: taxa de juros (i) e do período (n), tem de ser necessariamente
P = R$6.000,00 iguais. Este é um detalhe importantíssimo, que não pode ser es-
t = 1 ano = 12 meses quecido! Assim, por exemplo, se a taxa for 2% ao mês e o perío-
i = 3,5 % a.m. = 0,035 do 3 anos, deveremos considerar 2% ao mês durante 3x12=36
M=? meses.

Usando a fórmula M=P.(1+i)n, obtemos: Exemplos


M  =  6000.(1+0,035)12  =  6000. (1,035)12
Fazendo  x = 1,03512 e aplicando logaritmos, encontramos: 1 – Expresse o número de períodos n de uma aplicação, em
log x = log 1,03512    =>   log x = 12 log 1,035    =>   log x = função do montante S e da taxa de aplicação i por período.
0,1788    =>   x = 1,509
Então  M = 6000.1,509 = 9054. Solução:
Portanto o montante é R$9.054,00 Temos S = P(1+i)n
Logo, S/P = (1+i)n
O capital inicial (principal) pode crescer, como já sabemos, Pelo que já conhecemos de logaritmos, poderemos escrever:
devido aos juros, segundo duas modalidades, a saber: n = log (1+ i ) (S/P) . Portanto, usando logaritmo decimal (base
Juros simples - ao longo do tempo, somente o principal ren- 10), vem:
de juros.
Juros compostos - após cada período, os juros são incorpora-
dos ao principal e passam, por sua vez, a render juros. Também
conhecido como “juros sobre juros”.
Vamos ilustrar a diferença entre os crescimentos de um ca-

Matemática 14
Apostila Digital Licenciada para Renê da Silva Pereira - aspirantepm2009@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
Temos também da expressão acima que: n.log(1 + i) = logS 05(UNIOESTE-  TÉCNICO EM ENFERMAGEM- UNIOES-
– logP TE- 2015)
Deste exemplo, dá para perceber que o estudo dos juros Um capital de R$ 5.000,00 aplicado, a juros simples, a uma
compostos é uma aplicação prática do estudo dos logarit- taxa de 3% ao semestre rende, por semestre,
mos. (A)R$ 100,00.
(B)R$ 125,00.
2 – Um capital é aplicado em regime de juros compostos a (C) R$ 150,00.
uma taxa mensal de 2% (2% a.m.). Depois de quanto tempo este (D)R$ 175,00.
capital estará duplicado? (E)R$ 200,00.

Solução: Sabemos que S = P (1 + i)n. Quando o capital inicial 06(TJ-SP-CONTADOR JUDICIÁRIO-VUNESP-2015)


estiver duplicado, teremos S = 2P. Um capital C foi aplicado no regime de juros compostos,
Substituindo, vem: 2P = P(1+0,02)n [Obs: 0,02 = 2/100 = 2%] por um período de 15 meses, com taxa de juros de 7,5% ao ano. 
Simplificando, fica: A alternativa que contém corretamente uma expressão para o
2 = 1,02n , que é uma equação exponencial simples. cálculo do montante M relativa a essa aplicação é:
Teremos então: n = log1,022 = log2 /log1,02 = 0,30103 /
0,00860 = 35 (A)

Nota: log2 = 0,30103 e log1,02 = 0,00860; estes valores po-


dem ser obtidos rapidamente em máquinas calculadoras cientí- (B)
ficas. Caso não seja permitido uso de calculadora, em alguma
prova, a banca examinadora teria de informar os valores dos
logaritmos necessários. (C)
Portanto, o capital estaria duplicado após 35 meses (observe
que a taxa de juros do problema é mensal), o que equivale a 2
anos e 11 meses. (D)
Resposta: 2 anos e 11 meses.
Questões
(E)
01(UFPE-ASSISTENTE DE LABORATÓRIO- COVEST-COP-
SET-2015)Qual deve ser o prazo de aplicação de um capital, a 07(SEBRAE-RN- ASSISTENTE I-FUNCERN-2015)
uma taxa de juros simples e anuais de 15%, para que os juros Carlos fez uma aplicação de um capital de R$ 3.400,00 du-
correspondam a três vezes o valor do capital? rante 5 meses, produzindo juros de R$ 595,00. A taxa de juros
(A)14 anos simples aplicada ao mês sobre esse capital foi de:
(B)16 anos (A)3,5%
(C)18 anos (B)4,8%
(D)20 anos (C)5,3%
(E) 22 anos (D)7,2%

02(UFPE-  ASSISTENTE EM ADMINISTRAÇÃO COVEST- 08(CRC-RO-  AUXILIAR DE SERVIÇOS GERAIS-FUN-


-COPSET-2015) CAB-2015)
Acrescido de juros simples pelo prazo de cinco meses, um Hugo investiu R$ 2.500,00, a juros simples, em um investi-
capital aplicado resultou num montante de R$ 18.900,00. O mento que rende 4% ao mês, durante seis meses. Depois retirou
mesmo capital, acrescentado de juros simples pelo prazo de oito todo o dinheiro e aplicou somente os juros em um investimento,
meses, aplicado à mesma taxa que o anterior, resultou num mon- a juros simples, a uma taxa de 5% ao mês por mais seis meses
tante de R$ 19.440,00. Qual a taxa anual de juros? Qual foi o lucro total de Hugo, depois das duas aplicações. 
(A)1% (A)R$780,00
(B)4% (B)R$1.530,00
(C)6% (C) R$1.350,00
(D)8% (D)R$860,00
(E)12% (E)R$930,00

03(TJ-SP-  ESCREVENTE TÉCNICO JUDICIÁRIO-VU- 09(PREFEITURA DE ARUJÁ – SP-FISCAL TRIBUTÁRIO-


NESP-2015) -VUNESP-2015)
Aluísio e Berilo aplicaram, respectivamente, R$ 4.000,00 e Certo capital, C1, permaneceu aplicado durante 4 meses a
R$ 5.000,00 a uma mesma taxa mensal de juros simples durante uma taxa de juro simples de 18% ao ano e rendeu R$ 450,00
quatro meses. Se o valor dos juros recebidos por Berilo foi R$ de juros. Outro capital, C2, igual a 80% de C1, foi aplicado por 8
50,00 maior que o valor dos juros recebidos por Aluísio, então a meses e rendeu R$ 600,00 de juros. O capital C2 foi aplicado a
taxa anual de juros simples dessas aplicações foi de uma taxa mensal de juros simples de
(A)10,8%. (A)1,5%
(B)12%. (B)1,25%
(C)12,6%. (C)1,2%
(D)14,4%. (D)1%
(E)15% (E)0,75%

04(PREFEITURA DE NOVA FRIBURGO – RJ-INSPETOR DE 10(PREFEITURA DE CARLOS BARBOSA – RS-  AGENTE


ALUNOS- EXATUS-PR-2015) ADMINISTRATIVO-OBJETIVA-2015)
Um capital de R$ 7.400,00 foi aplicado à taxa de juros sim- Pedro quitou determinado boleto dois dias após o seu ven-
ples por um período de 26 meses. Sabe-se que após esse perío- cimento e pagou R$ 5,74 de juros. Sabendo-se que lhe foram co-
do, o montante retirado foi de R$ 9.805,00. A taxa de juros efeti- brados juros compostos de 5% ao dia, se Pedro tivesse pago o
vada nessa transação foi de:   boleto antes do vencimento, teria pago o valor de:
(A)15% a.a. (A) R$ 18,00
(B)12,5% a.a. (B)R$ 25,00
(C)9% a.a. (C) R$ 56,00
(D)7,5% a.a. (D)R$ 84,00

Matemática 15
Apostila Digital Licenciada para Renê da Silva Pereira - aspirantepm2009@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
11(PREF. GUARUJÁ/SP – SEDUC – PROFESSOR DE MA-   4.000j = 50
TEMÁTICA – CAIPIMES/2014) Um capital foi aplicado por um    j = 50 / 4.000 
período de 3 anos, com taxa de juros compostos de 10% ao ano.    j = 5 / 400
É correto afirmar que essa aplicação rendeu juros que corres-     j = 1 / 80 
ponderam a, exatamente:     j = 0,0125 
(A) 30% do capital aplicado.     j = 1,25% ao mês
(B) 31,20% do capital aplicado.
(C) 32% do capital aplicado.  Para obtermos a taxa anual basta multiplicar essa taxa
(D) 33,10% do capital aplicado. mensal por 12 meses:
    j = 1,25% x 12
12(FUNDUNESP – AUXILIAR ADMINISTRATIVO – VU- j=15% ao ano 
NESP/2014) Por um empréstimo com período de 45 dias fo-
ram pagos R$ 18,75 de juros. Se o capital emprestado foi de R$ 04 Resposta: B.
1.500,00, então é verdade que a taxa anual correspondente de M = C + J 
juros simples cobrada foi de M = C + (C . i . t)/100 
(A) 8,35%. 9805 = 7400 + (7400 . i . 26)/100 
(B) 9,0%. 9805 = 7400 + 192400i/100 
(C) 9,5%. 9805 - 7400 = 1924i 
(D) 10%. 2405 = 1924i 
(E) 10,37%. i = 2405/1924
i = 1,25% a.m.  
13 (INSTITUTO DE PESQUISAS TECNOLÓGICAS – SECRE- Como precisamos determinar a taxa anual basta multiplicar
TÁRIA – VUNESP/2014) essa taxa mensal por 12 meses:
Considere um empréstimo de certo valor por 5 meses, con-
traído no sistema de juro simples, a uma taxa de 14,4% ao ano. 1,25% a.m x 12 = 15% a.a.
Sabendo-se que o montante a ser pago na data de vencimento do
empréstimo será igual a R$ 5.300,00, pode-se afirmar, correta- 05 Resposta: C.
mente, que o valor emprestado foi de Utilizando a fórmula de juros simples:
(A) R$ 4.900,00. J = C . i . t 
(B) R$ 4.950,00. Temos que:
(C) R$ 5.000,00. C= 5000
(D) R$ 5.050,00. i=0,03/6=0,005(divide por 6 , pois trata-se de uma taxa de
(E) R$ 5.100,00. 3% ao semestre)
t=6
Respostas
01.Resposta: D. J = C . i . t 
Para calcular juros simples usa-se a seguinte formula: J=5000.0,005.6
J=C.i.t J=150

J= C.0,15.t 06 Resposta: A.
Como ao final da aplicação teremos juros igual a 3 vezes o Pelo enunciado temos que:
capital, ou seja C=C
J = 3.C t = 15 meses = 1,25 ano
3C = C.0,15.t  i = 7,5% a.a
0,15t = 3  Aplicando a fórmula dos juros compostos: M = C (1+i)t 
t = 20 logo
M = C (1,075)1,25
02.Resposta: E. M = C x (1,075)¹ x (1,075)0,25
Pelo enunciando temos que: x + x.5j = 18900
x (1+5j) = 18900 07 Resposta: A.
x = 18900/(1+5j) [I] Aplica-se a fórmula de juros simples:
x + x.8j = 19440 J = C.i.t 
x (1+8j) = 19440 Na questão temos que:
x = 19440/(1+8j) [II] c = 3400;   J = 595; t = 5 meses; i = ?
igualando as equações I e II: 595=3400.i.5
595=17000i
18900/(1+5j) = 19440/(1+8j) i=0,035, ou seja 3,5%
540 = 54000j 
j = 0,01 ou 1% (a.m.) 08 Resposta: A
Porém devemos multiplicar por 12, uma vez que a questão Utilizando a fórmula J = C . i . t temos:
pede a taxa de juros anual: Primeiro investimento: J=2500.0,04.6
1% x 12 = 12% (a.a.) J=600 
Segundo investimento: J=600.0,05.6
J=180  
03 Resposta: E. Total de lucro= 600 + 180 =  780
Utilizando a fórmula de juros simples:
J = C . i . t  09 Resposta: B
Temos que: Como pelo enunciando o valor de i (taxa) está em ano e o C1
 O total recebido por Berilo é 50 reais maior que o total rece- foi aplicado em 4 meses temos que manter a mesma uniddae ,
bido por Aluísio, ou seja:  portanto:

      JBerilo = JAluísio + 50 18% / 12 (meses) 


 5.000.j.4 = 4.000.j.4 + 50  i = 0,015
  20.000j    = 16.000j + 50 
  20.000j - 16.000j = 50 

Matemática 16
Apostila Digital Licenciada para Renê da Silva Pereira - aspirantepm2009@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
Logo:

J1 = C1 . i . t 6.C = 100 . (5300 – C)


6.C = 530000 – 100.C
450 = C1 . 0,015  . 4 6.C + 100.C = 530000

450 = 0,060C1 106.C = 530000


C = 530000 / 106
C1 = 450 / 0,060
C = R$ 5000,00
C1 = 7500

Então C2 = 80% de C1 (7500) = 6000 Análise combinatória

J2 = C2 . i . t
A  análise combinatória  são cálculos que permitem a
600 = 6000 . i . 8 formação de grupos relacionados à contagem, de forma que faz
análise das possibilidades e das combinações possíveis entre um
600 = 480i conjunto de elementos.
Diagrama de árvore
i = 600 / 480  É um diagrama que mostra todos os possíveis resultados de
um acontecimento, utilizado quando número de possibilidades
i = 1,25  é pequeno.

10 Resposta: C. Exemplo : Lançam-se 3 moedas ao ar (ou lança-se uma moeda


Utilizando a fórmula de Juros Compostos: 3 vezes ao ar), qual a probabilidade de saírem  exatamente 2
vezes o mesmo lado (seja Cara ou Coroa)?
S=P(1+i)n
P+5,74=P(1+0,05)²
P+5,74=1,1025P
5,74=1,1025P-P
5,74=0,1025P
P=5,74/0,1025
P=56

11Resposta: D.
10% = 0,1

Resposta: A probabilidade é igual a 6 em 8 (6/8 = 3/4) 


Como M = C + j , ou seja , j = M – C , temos: Nota-se que, para o exemplo acima, cada lançamento não
influencia o outro.
j = 1,331.C – C = 0,331 . C Este tipo de árvore serve para acontecimentos em que há
reposição das condições iniciais, ou seja, em cada experiência
0,331 = 33,10 / 100 = 33,10% aleatória.
Sendo assim, podemos observar que se um acontecimento
12Resposta: D. A pode ocorrer de n modos diferentes e se para cada um dos
J = C.i.t  n modos de A, um segundo acontecimento B pode ocorrer de
18,75=1500.i.45 m modos diferentes, então o número de modos de ocorrer o
(ao dia) acontecimento A seguido do acontecimento B é n.m.
Se um acontecimento pode ocorrer de n modos diferentes,
Ao ano: 0,000278 . 365 = 0,101 ou 10,1% um segundo de m modos diferentes, um terceiro de x modos
diferentes e assim por diante, então o número de modos que
13 Resposta: C. esse acontecimento pode ocorrer é dado pelo produto: n.m.x....
Para fazer os cálculos, devemos trabalhar a mesma unidade,
ou seja nesse caso, com meses., portanto: Problemas

1. Quantos números de 2 algarismos podem ser formados


Deve-se dividir por 12: usando apenas os algarismos 3, 4, 5, 6 e 7

14,4% a.a. / 12 = 1,2% a.m. 2. De quantas maneiras diferentes uma pessoa pode se vestir
sabendo que ela possui 2 saias, 3 blusas e 3 sapatos?
*Montante:
Respostas

5300 = C + j , ou seja, j = 5300 – C ( I ) 1. Como dispomos de 5 algarismos, são 5 possibilidades


de escolha para a primeira casa, depois dessa escolha temos
J = C.i.t  ( II ) novamente 5 possibilidades para a segunda casa, uma vez que
podemos repetir algarismos.
Vamos substituir a equação ( I ) na equação ( II ): 5 . 5 = 25

Matemática 17
Apostila Digital Licenciada para Renê da Silva Pereira - aspirantepm2009@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
São 25 números É importante observar que duas combinações são diferentes
quando possuem elementos distintos, não importando a ordem
2. Sabendo que são 2 saias, 3 blusas e 3 sapatos vamos em que os elementos são colocados.
multiplicar 2 . 3. 3 = 18, logo são 18 maneiras diferentes de se Representando por Cn,p o número total de combinações de n
vestir. elementos tomados p a p , temos a seguinte fórmula:
Para efetuar os cálculos em alguns problemas, devemos
estudar algumas propriedades da análise combinatória:  

Permutação
A cada um dos agrupamentos que podemos formar com
certo número de elementos distintos, tal que a diferença entre
um agrupamento e outro se dê apenas pela mudança de posição Ex: Uma prova consta de 6 questões, das quais o aluno deve
entre seus elementos, damos o nome de permutação simples. resolver 3. De quantas formas ele poderá escolher as 3 questões?
Por exemplo, se C = (2, 3, 4), as permutações simples de seus Quer-se agrupar 3 elementos, dentre os 6 existentes.
elementos são: 234, 243, 324, 342, 423 e 432.  Perceba que  a ordem em que os elementos aparecerão
Indicamos o número de Permutações simples de n elementos não será importante, uma vez que, ao resolver a  1ª , a 2ª e a
distintos por: 3ª questão é o mesmo que resolver a 2ª , a 3º e a 1ª, portanto é
Pn = n!  um problema de combinação.
Ex: Quantos anagramas podemos formar a partir da palavra Logo, um aluno pode escolher suas 3 questões de 20
ORDEM? maneiras diferentes.
Um anagrama é uma palavra ou frase formada com todas as
letras de uma outra palavra ou frase. Normalmente as palavras
ou frases resultantes são sem significado, como já era de se
esperar.
Como a palavra  ORDEM  possui  5  letras distintas, devemos
calcular o número de permutações calculando P5. Temos então:
P5 = 5! = 5 . 4 . 3 . 2 . 1 = 120 Questões
Portanto:
O número de anagramas que podemos formar a partir da 01 (TJ-RO –TECNICO JUDICIÁRIO – FGV -2015)
palavra ORDEM é igual 120. João tem 5 processos que devem ser analisados e Arnaldo
Alguns anagramas: MEDRO, ROMED, EDROM, DEMOR... e Bruno estão disponíveis para esse trabalho. Como Arnaldo é
mais experiente, João decidiu dar 3 processos para Arnaldo e 2
Arranjos para Bruno.
Os agrupamentos dos elementos dependem da ordem e O número de maneiras diferentes pelas quais João pode
da natureza dos mesmos. Assim, para obter o arranjo simples distribuir esses 5 processos entre Arnaldo e Bruno é:
de n elementos tomados p a p (p ≤ n), ou seja, para calcular os (A) 6.
diferentes arranjos ordenados de tais elementos, utiliza-se a (B) 8.
seguinte expressão: (C) 10.
(D) 12.
(E) 15.

02 ( SEDUC-PE- AGENTE DE APOIO AO DESENVOLVIMENTO


ESCOLAR ESPECIAL- FGV -2015)
Ex: Uma família é composta por seis pessoas (pai, mãe e Um professor deseja dividir um grupo de cinco alunos em
quatro filhos) que nasceram em meses diferentes do ano. Calcule dois grupos: um com dois alunos e o outro com três alunos. Dos
as sequências dos possíveis meses de nascimento dos membros cinco alunos, dois deles são especiais.
dessa família. De quantas maneiras diferentes o professor pode fazer
a divisão  dos cinco alunos em dois grupos, de modo que cada
Resolução: grupo tenha um aluno especial?
(A) 3.
Sabemos que 1 ano é composto de 12 meses, então devemos (B) 4.
determinar o número de sequência através do arranjo de 12, (C) 5.
tomados 6 a 6. (D) 6.
(E) 10.
Como outro exemplo de arranjo, podemos pensar nas
eleições, de modo que 20 deputados concorrem a 2 vagas no 03 (TSE –CE   ANALISTA DE TECNOLOGIA DA
estado de São Paulo. Dessa forma, de quantas maneiras distintas INFORMAÇÃO-SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO – FGV -2015)
a escolha poderá ser feita? Observe que nesse caso, a ordem é João tem 4 primas e 3 primos, deseja convidar duas dessas
importante, visto que altera o resultado final. pessoas para ir ao cinema, mas não quer que o grupo seja
exclusivamente masculino.
O número de maneiras diferentes pelas quais João pode
escolher seus dois convidados é:
(A) 9.
(B) 12.
(C) 15.
(D) 16.
(E) 18.

04 (PETROBRÁS –CONHECIMENTOS BÁSICOS NÍVEL


MÉDIO – CESGRANRIO-2014)
Logo, o arranjo pode ser feito de 380 maneiras diferentes. A Figura apresenta a disposição de 20 carteiras escolares em
uma sala de aula. As carteiras que estão identificadas por letras
Combinação Denominamos combinações simples de n já estavam ocupadas quando Marcelo, Joana e Clara entraram na
elementos distintos tomados p a p aossubconjuntos  formados sala.
por p elementos distintos escolhidos entre os n elementos dados.

Matemática 18
Apostila Digital Licenciada para Renê da Silva Pereira - aspirantepm2009@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
Quantos códigos diferentes podem ser criados?
(A) 3312.
(B) 4608.
(C) 5040.
(D) 7000.
(E) 7290.

09 (PETROBRAS-TECNICO EM CONTABILIDADE-
CESGRANRIO-2012)
Para montar a senha de segurança de sua conta bancária,
que deve ser formada por seis dígitos, João escolheu 1, 2, 5,
5, 7 e 8. Os dígitos escolhidos não serão dispostos na ordem
apresentada, pois, para João, é importante que a senha seja um
número maior do que 500.000.
Com os dígitos escolhidos por João, quantas senhas maiores
do que 500.000 podem ser formadas?

Se Marcelo, Joana e Clara vão escolher três carteiras seguidas (A) 720.
(lado a lado), de quantos modos distintos eles podem sentar-se? (B) 600.
(A) 6. (C) 360.
(B) 9. (D) 240.
(C) 12. (E) 120.
(D) 18.
(E) 24. 10 (PETROBRAS-TECNICO EM INFORMÁTICA-
CESGRANRIO-2011)
05 (BNDES – TÉCNICO ADMINISTRATIVO – CESGRANRIO Em uma loja, trabalham 8 funcionárias, dentre as quais Diana e
-2013) Sandra. O gerente da loja precisa escolher duas funcionárias para
Uma empresa de propaganda pretende criar panfletos trabalharem no próximo feriado. Sandra e Diana trabalharam
coloridos para divulgar certo produto. O papel pode ser no último feriado e, por isso, não podem ser escolhidas.
laranja, azul, preto, amarelo, vermelho ou roxo, enquanto o Sendo assim, de quantos modos distintos esse gerente poderá
texto é escrito no panfleto em preto, vermelho ou branco.  fazer a escolha?
De quantos modos distintos é possível escolher uma cor para o (A) 15.
fundo e uma cor para o texto se, por uma questão de contraste, (B) 28.
as cores do fundo e do texto não podem ser iguais? (C) 32.
(A) 13. (D)45.
(B) 14. (E) 56.
(C) 16.
(D) 17. Respostas
(E) 18.
01 Resposta: C.
06 (EPE-ASSISENTE ADMINISTRATIVO- CESGRANRIO Para uma melhor compreensão vamos fazer da seguinte
-2012) maneira:
Dois adultos e seis crianças aguardavam um táxi. Quando   as linhas representam os processos ( que são 5) :   ______ 
o táxi chegou, o motorista informou-lhes que o carro só pode ______   ______   ______   ______  
transportar 5 pessoas e, portanto, só poderiam viajar ele, o as letras são as iniciais que                       A             A            A 
motorista, e mais 4 passageiros. Os adultos decidiram que um B       B
deles embarcaria no táxi, levando consigo o maior número deverão ser permutadas entre si:
possível de crianças, e que o outro ficaria com as crianças Arnaldo: AAA( 3 processos) e Bruno BB( 2 processos) 
restantes, aguardando outro táxi. agora é só fazer as permutações possíveis no esquema acima
CALCULO:
De quantos modos distintos é possível escolher os TOTAL DE 5 LETRAS: A A A B B permutadas entre si e o
passageiros que embarcarão nesse táxi? desconto das repetições.
(A) 12. LOGO:   5! / 3! x 2!
(B) 15. 5! ( das 5 letras)
(C) 20. 3! ( das 3 letras ‘’A’’ que repetem)
(D) 40. 2! ( das 2 letras ‘’B’’ que repetem)
(E) 70. fazendo os cálculos temos:
5x4x3x2x1 / 3x2x2x1  = 10
07 (TRANSPETRO-ADMINISTRATIVO JUNIOR-
CESGRANRIO-2012) 02 Resposta: D.
Quantos anagramas de 5 letras distintas podem ser formados Como temos dois grupos de alunos nomeados por especiais
com as letras T, R, A, N e S se o R não pode preceder o T ? e não especiais vamos utilizar letras para distingui-los e tentar
(A) 24. resolver o problema sem uso de fórmulas:
(B) 48. Sendo:
(C) 60. Alunos especiais A e B
(D) 84. Alunos não especiais: C D E
(E) 120. Primeira situação:
Aluno especias A mais um formando grupos de dois (note que
08 ( PETROBRAS- NIVEL MÉDIO –TODOS OS CARGOS ao formar um grupo o outro será composto obrigatoriamente
CESGRANRIO-2012) pelos alunos restantes)
Certa empresa identifica as diferentes peças que produz, AC
utilizando códigos numéricos compostos de 5 dígitos, mantendo, AD
sempre, o seguinte padrão: os dois últimos dígitos de cada código AE
são iguais entre si, mas diferentes dos demais. Por exemplo, o Segunda situação:
código “03344” é válido, já o código “34544”, não. Aluno especial A com mais dois alunos formando

Matemática 19
Apostila Digital Licenciada para Renê da Silva Pereira - aspirantepm2009@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
grupos de três (o outro grupo, como na situação anterior, é 9 . 9 . 9 . 10 . 1
automaticamente formado) Agora ficou fácil é só resolver a multiplicação, portanto:
ACD (9 . 9 . 9 . 10 . 1 = 7.290).
ACE
ADE 09 Resposta: D.
Para resolver essa combinação entre os números:
03 Resposta: E. 1,2,5,5,7,8              
De acordo com o texto, observa-se que como João não quer Possibilidades = 6 digitos
que o grupo seja exclusivamente masculino, ele pode ter duas ____    ____    ____    ____   ____   ____  
opções:    4        5        4         3       2        1      = 4*5*4*3*2*1= 480
- grupos com 1 homem e 1 mulher:   neste caso temos 4 x possibilidades
3 = 12 possibilidades (basta escolher 1 dos 3 primos e 1 das 4 Porém é importante ressaltar que o dígito 5  aparece duas
primas). vezes, portanto:                                                                  
- grupos com 2 mulheres: neste caso basta combinar as 4   480/2=240
primas em grupos de 2, ou seja, C(4,2) = 4×3 / 2! = 12 / 2 = 6
possibilidades. 10 Resposta: A.
Como não importa a ordem, tremos utilizar para a resolução
Ao todo temos 12 + 6 = 18 somadas as possibilidades desse exercício, a fómula de combinação:
encontradas nos grupos 1 e 2. São 8 funcionárias no total, porém 2 não serão escaladas
para trabalhar no feriado (8-2=6).
04 Resposta: C. Fórmula da Combinação:
De acordo com a figura foi possível observar que somente na Cn,p = n! / p! (n-p)!
terceira linha é possível escolherem três lado a lado. C6,2 = 6! / 2! (6-2)!
Como são quatro lugares, é necessário fazer a permutação C6,2 = 6.5.4! / 2! 4!
de 3! e depois multiplicar por dois, pois eles podem sentar nas C6,2 = 15 modos distintos
primeiras três cadeiras e depois na segunda, terceira e quarta,
da esquerda para a direita ou contrário.
Fazendo a permutaçaõ de 3! = 3.2.1 = 6 Probabilidade
Multiplicando por 2:
6  x  2 = 12.
O estudo da probabilidade vem da necessidade de em certas
05 Resposta: C. situações, prevermos a possibilidade de ocorrência de determi-
O primeiro passo é descobrir o total de maneiras possíveis,  nados fatos.
SEM restrições Papel = 6 e texto = 3: A história da teoria das probabilidades, teve início com os
C 6,3 = 6 x 5 x 4 x 3 ! = 120  = 20 jogos de cartas, dados e de roleta. Esse é o motivo da grande
                3! 3 x 2 x 1 !       6 existência de exemplos de jogos de azar no estudo da probabili-
dade. A teoria da probabilidade permite que se calcule a chance
Descobri o total de maneiras possíveis COM restrições. de ocorrência de um número em um experimento aleatório.
Papel = 6 - 2 (preto e vermelho) = 4 e texto = 3
C 4,3 = 4 x 3 !  = 4 Experimento Aleatório
              3! 1!   É aquele experimento que quando repetido em iguais
Fazendo a diferença entre as combinações possíveis 20-4 condições, podem fornecer resultados diferentes, ou seja, são
=16 resultados explicados ao acaso. Quando se fala de tempo e
possibilidades de ganho na loteria, a abordagem envolve cálculo
06 Resposta: D. de experimento aleatório.
Como temos 6 crianças e 3 assentos para elas, pois 1 é do  Se lançarmos uma moeda ao chão para observarmos a face
motorista e outro é do adulto. Faz-se a seguinte combinação: que ficou para cima, o resultado é imprevisível, pois tanto pode
C6x3 = 6!/3!3! = 20  dar cara, quanto pode dar coroa.
Mas os adultos podem permutar entre si, pois a condição é Se ao invés de uma moeda, o objeto a ser lançado for um
de 1 adulto e 3 crianças no táxi, ficando portanto, 20x2! = 40 dado, o resultado será mais imprevisível ainda, pois aumenta-
modos distintos. mos o número de possibilidades de resultado.
A experimentos como estes, ocorrendo nas mesmas condi-
ções ou em condições semelhantes, que podem apresentar re-
07 Resposta: C. sultados diferentes a cada ocorrência, damos o nome de experi-
Trata-se de uma  permutação com elementos repetidos, mentos aleatórios.
ou seja, toda vez que palavras forem formadas com R.T serão
sequências repetidas. Dessa maneira, podemos considerar duas Espaço Amostral
hipóstes: Ao lançarmos uma moeda não sabemos qual será a face que
1ª: O T antes do R = Aceitável ficará para cima, no entanto podemos afirmar com toda certeza
2ª: O R antes do T = Inaceitável que ou será cara, ou será coroa, pois uma moeda só possui estas
Dessa forma, como são apenas duas hipóteses, metade dos duas faces. Neste exemplo, ao conjunto 
anagramas serão para a primeira hipótese e a outra metade para { cara, coroa }  damos o nome de  espaço amostral, pois ele
a segunda hipóstese. é o conjunto de todos os resultados possíveis de ocorrer neste
Se todos os anagrama de TRANS são fatorial de cinco: 5! - experimento.
5*4*3*2*1=120 Representamos um  espaço amostral, ou  espaço amostral
Metade de 120 são 60 anagramas. universal  como também é chamado, pela letra  S. No caso da
moeda representamos o seu espaço amostral por:
08 Resposta: E. S = { cara, coroa }
Nesse caso, trata-se de uma permutação de  números Se novamente ao invés de uma moeda, o objeto a ser lançado
repetidos e diferentes dos demais for um dado, o espaço amostral será:
Nos três primeiros dígitos atribui 9 valores, pois não podem S = { 1, 2, 3, 4, 5, 6 }
ter o mesmo valor das últimas ‘casas’.
Como os últimos dígitos são iguais é só atribuir 10 Evento
possibilidades a um e o outro por ser igual só vai possuir uma Quando lançamos um dado ou uma moeda, chamamos a
possibilidade , resultando : ocorrência deste fato de  evento. Qualquer subconjunto de um

Matemática 20
Apostila Digital Licenciada para Renê da Silva Pereira - aspirantepm2009@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
espaço amostral é um evento.
Em relação ao espaço amostral do lançamento de um dado,
veja o conjunto a seguir:
A = { 2, 3, 5 }
Note que    ( A está contido em S, A é um
subconjunto de S ). O conjunto  A  é a representação do P(AUB) = P(A) + P(B) – P(A∩B) 
evento do lançamento de um dado, quando temos a face
para cima igual a um número primo. Ex: Numa urna existem 10 bolas numeradas de 1 a 10. Reti-
rando uma bola ao acaso, qual a probabilidade de ocorrer múlti-
Classificação de Eventos plos de 2 ou múltiplos de 3? 

Podemos classificar os eventos por vários tipos. Vejamos al-


guns deles:
Evento Simples
Classificamos assim os eventos que são formados por um
único elemento do espaço amostral.
A = { 5 } é a representação de um evento simples do lança-
mento de um dado cuja face para cima é divisível por5. Nenhuma
das outras possibilidades são divisíveis por 5.
Evento Certo
Ao lançarmos um dado é certo que a face que ficará para
cima, terá um  número divisor  de  720. Este é um  evento certo,
pois 720 = 6! = 6 . 5 . 4 . 3 . 2 . 1, obviamente qualquer um dos
números da face de um dado é um divisor de 720, pois 720 é o
produto de todos eles.
O conjunto A = { 2, 3, 5, 6, 4, 1 } representa um evento certo A é o evento “múltiplo de 2”. 
pois ele possui todos os elementos do espaço amostral S = { 1, B é o evento “múltiplo de 3”. 
2, 3, 4, 5, 6 }. P(AUB) = P(A) + P(B) – P(A∩B) =   + - = = 70%
Evento Impossível
No lançamento conjunto de dois dados qual é a possibilidade Probabilidade da intersecção de dois eventos
de a soma dos números contidos nas duas faces para cima, ser
igual a 15? A probabilidade da intersecção de dois eventos ou probabi-
Este é um evento impossível, pois o valor máximo que pode- lidade de eventos sucessivos determina a chance, a possibilida-
mos obter é igual a doze. Podemos representá-lo por  de, de dois eventos ocorrerem simultânea ou sucessivamente.
, ou ainda por A = {}. Para o cálculo desse tipo de probabilidade devemos interpretar
muito bem os problemas, lendo com atenção e fazendo o uso da
Conceito de probabilidade seguinte fórmula:
Sejam A e B dois eventos de um espaço amostral S. A proba-
Se em um fenômeno aleatório as possibilidades são igual- bilidade de
mente prováveis, então a probabilidade de ocorrer um evento A ∩ B é dada por:
A é:

Onde
p(A∩B)   → é a probabilidade da ocorrência simultânea de
Por, exemplo, no lançamento de um dado, um número par AeB
pode ocorrer de 3 maneiras diferentes dentre 6 igualmente pro- p(A) → é a probabilidade de ocorrer o evento A
váveis, portanto, P = 3/6= 1/2 = 50% p(B│A)   → é a probabilidade de ocorrer o evento B sa-
bendo da ocorrência de A (probabilidade condicional)
Probabilidade da União de dois Eventos
Se os eventos A e B forem independentes (ou seja, se a ocor-
Dados dois eventos A e B de um espaço amostral S a probabi- rência de um não interferir na probabilidade de ocorrer outro),
lidade de ocorrer A ou B é dada por:  a fórmula para o cálculo da probabilidade da intersecção será
P(A U B) = P(A) + P(B) – P(A ∩ B) dada por:

Vejamos alguns exemplos de aplicação.

Ex. 1. Em dois lançamentos sucessivos de um mesmo dado,


qual a probabilidade de sair um número ímpar e o número 4?

Resolução: O que determina a utilização da fórmu-


la da intersecção para resolução desse problema é a pa-
lavra “e” na frase “a probabilidade de sair um número
Verificação: ímpar e o número 4”. Lembre-se que na matemática “e”
O Número de elementos de A U B é igual à soma do número representa intersecção, enquanto “ou” representa união.
de elementos de A com o número de elementos de B, menos uma
vez o número de elementos de A ∩ B que foi contado duas vezes Note que a ocorrência de um dos eventos não interfe-
(uma em A e outra em B). Assim temos:  re na ocorrência do outro. Temos, então, dois eventos in-
dependentes. Vamos identificar cada um dos eventos.
n(AUB) = n(A) + n(B) – n(A∩B) 
Dividindo por n(S) [S ≠  ] resulta  Evento A: sair um número ímpar = {1, 3, 5}
Evento B: sair o número 4 = {4}

Matemática 21
Apostila Digital Licenciada para Renê da Silva Pereira - aspirantepm2009@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
Espaço Amostral: S = {1, 2, 3, 4, 5, 6} nados uma dúzia e meia de ovos. Sabe-se, porém, que três deles
estão impróprios para o consumo.
Temos que: Se forem escolhidos dois ovos ao acaso, qual a probabilidade
de ambos estarem estragados?
(A) 2/153
(B) 1/9
(C) 1/51
(D) 1/3
(E) 4/3

03 (Polícia Militar/SP – Aluno – Oficial – VUNESP) O po-


liciamento de um grande evento musical deteve 100 pessoas.
Assim, teremos: Sabe-se que 50 pessoas foram detidas por furto de celulares,
que 25 pessoas detidas são mulheres, e que 20 mulheres foram
Ex. 2. Numa urna há 20 bolinhas numeradas de 1 a 20. Retiram-se detidas por furto de celulares. Para a elaboração do relatório,
duas bolinhas dessa urna, uma após a outra, sem reposição. Qual o PM Jurandir montou uma tabela e inseriu esses dados, para
a probabilidade de ter saído um número par e um múltiplo de 5? depois completá-la.
Solução: Primeiro passo é identificar os eventos e o espaço amostral.
Furto de Outros Total
Evento A: sair um número par = {2, 4, 6, 8, 10, 12, 14, 16, 18, 20}
Evento B: sair um múltiplo de 5 = {5, 10, 15, 20} Celulares Motivos
Espaço amostral: S = {1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, Sexo Femini- 20 25
9, 10, 11, 12, 13, 14, 15, 16, 17, 18, 19, 20}
no
Como as duas bolinhas foram retiradas uma após a outra e Sexo Mascu-
não houve reposição, ou seja, não foram devolvidas à urna, a lino
ocorrência do evento A interfere na ocorrência do B, pois ha-
verá na urna somente 19 bolinhas após a retirada da primeira. Total 50 100
Tomando-se ao acaso uma das pessoas detidas por outros m
Assim, temos que: otivos, a probabilidade de que ela seja do sexo masculino é
de
(A) 90%.
(B) 75%.
(C) 50%.
(D) 45%.
(E) 30%.

04 (Polícia Civil/SP – Desenhista Técnico-Pericial – VU-


NESP) A tabela a seguir apresenta dados dos ingressantes em
uma universidade, com informações sobre área de estudo e clas-
se socioeconômica.
Após a retirada da primeira bola, ficamos com 19 bolinhas
na urna. Logo, teremos:

Se um aluno ingressante é aleatoriamente escolhido, é ver-


dade que a probabilidade de ele
(A) pertencer à classe B é de 40%.
(B) estudar na área de Biológicas é de 40%.
(C) pertencer à classe B e estudar na área de Biológicas é de
Questões 25%.
(D) pertencer à classe B é de 20%.
01 (Corpo de Bombeiros Militar/MT – Oficial Bombeiro (E) estudar na área de Biológicas é de 22,5%.
Militar – COVEST – UNEMAT) Uma loja de eletrodoméstico tem
uma venda mensal de sessenta ventiladores. Sabe-se que, des- 05 (BNDES – ADMINISTRAÇÃO – CESGRANRIO) Suponha
se total, seis apresentam algum tipo de problema nos primeiros que no banco em que Ricardo trabalha, ele faça parte de um gru-
seis meses e precisam ser levados para o conserto em um servi- po de quatro administradores e que no mesmo banco existam
ço autorizado. também cinco economistas. Será formado um comitê composto
Um cliente comprou dois ventiladores. A probabilidade de por três administradores e três economistas, todos escolhidos
que ambos não apresentem problemas nos seis primeiros meses aleatoriamente. Qual é a probabilidade de o comitê formado ter
é de aproximadamente: Ricardo como um dos componentes?
(A) 90% (A) 0
(B) 81% (B) 0,25
(C) 54% (C) 0,50
(D) 11% (D) 0,75
(E) 89% (E) 1

02 (Corpo de Bombeiros Militar/MT – Oficial Bombeiro


Militar – COVEST – UNEMAT) Em uma caixa estão acondicio-

Matemática 22
Apostila Digital Licenciada para Renê da Silva Pereira - aspirantepm2009@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
Respostas

01. Resposta: B.

6 / 60 = 0,1 = 10% de ter problema Anotações


Assim, se 10% tem problemas, então 90% não apresentam
problemas.
————————————————————————
————————————————————————
02 Resposta: C. ————————————————————————

(: 6 / 6) ————————————————————————

03. Resposta: A. ————————————————————————


————————————————————————
Vamos completar a tabela:
————————————————————————
Furto de Outros Total
————————————————————————
Celulares Motivos ————————————————————————
Sexo Femini- 20 5 25
no ————————————————————————
Sexo Mascu- 30 45 75 ————————————————————————
lino
————————————————————————
Total 50 50 100
————————————————————————
Assim, a probabilidade é de: 45 / 50 = 0,9 = 90 / 100 = 90%
————————————————————————
04. Resposta: B.
————————————————————————
O Total de alunos é:
* Exatas: 300 + 200 + 150 = 650 alunos ————————————————————————
* Humanas: 250 + 150 + 150 = 550 alunos ————————————————————————
* Biológicas: 450 + 250 + 100 = 800 alunos
————————————————————————
* TOTAL: 650 + 550 + 800 = 2000 alunos
————————————————————————
Agora, vamos analisar cada alternativa:
————————————————————————
(A) Classe B: 200 + 150 + 250 = 600 alunos
————————————————————————
————————————————————————
(B) Área de Biológicas: 800 alunos
————————————————————————
————————————————————————
05. Resposta: D. ————————————————————————
Administradores ————————————————————————
————————————————————————

Economistas ————————————————————————
————————————————————————
————————————————————————
Total de possibilidades: 4.10=40
————————————————————————
Com Ricardo presente na comissão, sobra 3 administradores
para 2 cargos ————————————————————————
————————————————————————
Economistas tem as mesmas possibilidades ————————————————————————
Total: 3.10=30
————————————————————————
————————————————————————

Matemática 23
Apostila Digital Licenciada para Renê da Silva Pereira - aspirantepm2009@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO
———————————————————————— ————————————————————————
———————————————————————— ————————————————————————
———————————————————————— ————————————————————————
———————————————————————— ————————————————————————
———————————————————————— ————————————————————————
———————————————————————— ————————————————————————
———————————————————————— ————————————————————————
———————————————————————— ————————————————————————
———————————————————————— ————————————————————————
———————————————————————— ————————————————————————
———————————————————————— ————————————————————————
———————————————————————— ————————————————————————
———————————————————————— ————————————————————————
———————————————————————— ————————————————————————
———————————————————————— ————————————————————————
———————————————————————— ————————————————————————
———————————————————————— ————————————————————————
———————————————————————— ————————————————————————
———————————————————————— ————————————————————————
———————————————————————— ————————————————————————
———————————————————————— ————————————————————————
———————————————————————— ————————————————————————
———————————————————————— ————————————————————————
———————————————————————— ————————————————————————
———————————————————————— ————————————————————————
———————————————————————— ————————————————————————
———————————————————————— ————————————————————————
———————————————————————— ————————————————————————
———————————————————————— ————————————————————————
———————————————————————— ————————————————————————
———————————————————————— ————————————————————————
———————————————————————— ————————————————————————
———————————————————————— ————————————————————————
———————————————————————— ————————————————————————
———————————————————————— ————————————————————————
———————————————————————— ————————————————————————
———————————————————————— ————————————————————————
———————————————————————— ————————————————————————
———————————————————————— ————————————————————————
———————————————————————— ————————————————————————
———————————————————————— ————————————————————————

Matemática 24
Apostila Digital Licenciada para Renê da Silva Pereira - aspirantepm2009@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO

treinados. Foram quase 10 anos de conflito, com destaque para


as duas Batalhas de Guararapes, até que em janeiro de 1654 os
holandeses se renderam. O movimento foi um marco
importante para o Brasil, tanto militarmente, com a
consolidação das táticas de guerrilha e emboscada, quanto
sócio politicamente, com o aumento da miscigenação entre as
três raças (negro africano, branco europeu e índio nativo) e o
começo de um sentimento de nacionalidade.
A ocupação dos holandeses fez Recife prosperar, onde se
estabeleceram muitos comerciantes e mascates, enquanto
Formação territorial de Olinda continuava a ser o reduto dos senhores de engenho.
Devido a divergências quanto à demarcação de novas vilas, em
Pernambuco 1710, os moradores de Olinda invadem o Recife, dando início
1.1 Processos de formação a chamada Guerra dos Mascates. O líder da ocupação,
Bernardo Vieira de Melo entrou para a história quando sugeriu
que Pernambuco se tornasse uma república. Essa foi a
primeira vez que se falou em república no país. O conflito só
Pernambuco: Uma terra altiva, de muitos movimentos terminou com a chegada, em 1711, do novo governador da
nativistas que tiveram impacto histórico determinante para o região.
Brasil.1
O Império
O Início Em 1817, Pernambuco tentou proclamar-se independente
Em 1501, quando a expedição do navegador Gaspar de de Portugal, mas o movimento foi derrotado. A Revolução
Lemos fundou feitorias no litoral da colônia portuguesa, na Praeira, em 1848, questionava o regime monárquico, e já
recém descoberta América, teve início o processo de pregava a República. Joaquim Nabuco, um dos maiores
colonização de Pernambuco, uma das primeiras áreas símbolos do Abolicionismo, iniciou a pregação das ideias no
brasileiras a ter ativa colonização portuguesa. Recife. Os pernambucanos se orgulham de sua participação
Entre os anos de 1534 e 1536, Dom João III, então rei de altiva na História do Brasil, sempre mantendo altos ideais
Portugal, instalou o sistema de Capitanias Hereditárias no libertários.
Brasil, que consistia na doação de um lote de terras, chamado
Capitania, a um Donatário (português), a quem caberia A República
explorar, colonizar as terras, fundar povoados, arrecadar Com o advento da República, Pernambuco procura ampliar
impostos e estabelecer as regras do local. Dentre os primeiros sua rede industrial, mas continua marcado pela tradicional
14 lotes distribuídos por D. João III estava a Capitania de exploração do açúcar. O Estado moderniza suas relações
Pernambuco, ou Capitania de Nova Lusitânia, como seu trabalhistas e lidera movimentos para o desenvolvimento do
Donatário, Duarte Coelho, a batizou. Dessa forma, em 1535, Nordeste, como no momento da criação da Sudene. A partir de
Duarte Coelho se estabeleceu no local onde fundou a vila de meados da década de 60, Pernambuco começa a reestruturar
Olinda e espalhou os primeiros engenhos da região. Até então, sua economia, ampliando a rede rodoviária até o sertão e
os ocupantes do território eram os índios Tabajaras. investindo em polos de investimento no interior do Estado. Na
última década, consolidam-se os setores de ponta da economia
A Colônia pernambucana, sobretudos aqueles atrelados ao setor de
No período colonial, Pernambuco torna-se um grande serviços (turismo, informática, medicina) e estabelece-se uma
produtor de açúcar e durante muitos anos é responsável por tendência constante de modernização da administração
mais de metade das exportações brasileiras. Pernambuco pública.
torna-se a mais promissora das capitanias da Colônia
Portuguesa na América. Tal prosperidade chamou a atenção
dos holandeses, que, entre 1630 e 1654, ocuparam toda a
região, sob o comando da Companhia das Índias Ocidentais,
tendo como representante o Conde Mauricio de Nassau, que
1.2 Mesorregiões
por ter incendiado Olinda, estabeleceu-se no Recife, fazendo-a
capital do Brasil holandês. Nassau traz para Pernambuco uma
forma de administrar inovadora. Realiza inúmeras obras de
urbanização, amplia a lavoura da cana e assegura a liberdade
de culto.
No período holandês, é fundada no Recife a primeira
sinagoga das Américas. Amante das artes, Nassau tem na sua
equipe inúmeros artistas, como Frans Post e Albert Eckhrout,
pioneiros na documentação visual da paisagem brasileira e do
cotidiano dos seus habitantes.
A partir de 1645 teve início um movimento de luta popular
contra o domínio holandês de Pernambuco: a Insurreição
Pernambucana. A primeira vitória importante dos insurretos
se deu no Monte das Tabocas, hoje localizado no município de
Vitória de Santo Antão, onde 1.200 insurretos mazombos
munidos de armas de fogo, foices, paus e flechas derrotaram
numa emboscada 1.900 holandeses bem armados e bem

1Governo do Estado de Pernambuco. História. Disponível em:


http://www.pe.gov.br/conheca/historia/. Acesso em: Março/2016.

Geografia 1
Apostila Digital Licenciada para Renê da Silva Pereira - aspirantepm2009@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO

Disponível em: Mesorregião da Zona da Mata:


https://www.google.com.br/search?q=mesorregioes+de+perna É formada pela união de 43 municípios distribuídos em
mbuco&sa=X&espv=2&biw=1366&bih=667&tbm=isch&tbo=u& três microrregiões.
source=univ&ved=0ahUKEwi3pLa8isDLAhXFQpAKHdHNDHIQs As cidades mais importantes por microrregião são:
AQIKw#imgrc=lRc6U37CU6GDJM%3A. Acesso em: Na microrregião da Vitória de Santo Antão: Vitória de
Março/2016. Santo Antão;
Na microrregião da Mata Setentrional Pernambucana
A divisão geopolítica de uma região dá-se pela influência (Zona da Mata Norte): Goiana, Carpina, Timbaúba e Paudalho;
socioeconômica das atividades de sua população. Na microrregião da Mata Meridional Pernambucana (Zona
Conferindo o mapa, podemos perceber que Pernambuco da Mata Sul): Palmares, Escada, Sirinhaém e Barreiros.
está organizado em 5 Mesorregiões: A Zona da Mata Pernambucana estende-se por uma área de
Metropolitana do Recife; 8.738 km2, limitando-se ao norte com a Paraíba, ao sul com
Zona da Mata; Alagoas, ao leste com a Região Metropolitana do Recife e ao
Agreste de Pernambuco; oeste com o Agreste. Com uma população estimada em
Sertão Pernambucano; 1.193.661 habitantes.
São Francisco.
A Zona da Mata foi a porta de entrada dos europeus em
Mesorregião do São Francisco: Pernambuco, pois antes de existir a Região Metropolitana do
A mesorregião do São Francisco Pernambucano é formada Recife, todas as cidades do leste pernambucano eram
por duas microrregiões e abrange 15 municípios. integrantes dessa mesorregião antes de vigorar a Lei
Petrolina é a capital regional dessa mesorregião, que além Complementar número 14, que criou outra mesorregião. A
de possuir um importante porto fluvial e um aeroporto região é servida pelas rodovias federais BR-232, BR-101 e BR-
internacional para exportações, é um polo agroindustrial, 408. O nome "Zona da Mata" refere-se ao que os portugueses
financeiro e comercial. viram desde o litoral, uma faixa de Mata Atlântica. O revelo é
Localiza-se no centro sul do estado de Pernambuco. Faz ondulado e argiloso, com alturas variando entre o litoral ao
divisa com os estados do Piauí, Bahia e Alagoas. interior, aumentando a altura para o interior.
A mesorregião é circundada pela margem esquerda do Rio
São Francisco, o qual faz divisa natural com o Estado da Bahia. A mesorregião é cortada pelos rios mais importantes do
Graças ao rio, a região apresenta uma desenvolvida estado, como o Rio Capibaribe, o Rio Ipojuca e o Rio Ipanema.
agricultura irrigada, a qual põe Pernambuco como um dos Além de rios de menor extensão como o Rio Siriji.
maiores produtores e exportadores de frutas do país.
A vegetação nativa é composta por Caatinga. A vegetação é composta por Mata Atlântica, que incluem
árvores de médio e grande porte e gramíneas, com uma rica
Mesorregião do Sertão Pernambucano: fauna.
É formada pela união de 50 municípios distribuídos em
quatro microrregiões. Mesorregião Metropolitana do Recife:
Essa mesorregião é a menos densamente habitada de
Pernambuco. A mesorregião Metropolitana do Recife é formada por
Suas maiores cidades são Serra Talhada, Araripina e quatro microrregiões, que totalizam dezoito municípios,
Arcoverde. incluindo Vila dos Remédios (pertencente ao arquipélago de
A mesorregião é cortada por rios abundantes, como rio Fernando de Noronha).
Pajeú, rio Brígida e o rio Moxotó. Além de as nascentes do rio
e Ipojuca se localizar em uma serra do município de Arcoverde. A MMR é caracterizada também por incluir a Região
Sua vegetação é composta pela Caatinga, com árvores de Metropolitana do Recife conhecida pela sigla (RMR), que
médio porte, arbustos e estepe. Sua fauna é rica possui 14 municípios, não fazendo parte Vila dos Remédios.
principalmente em aves.
A origem institucional da mesorregião Metropolitana do
Mesorregião do Agreste Pernambucano: Recife data dos nos anos 70 (1973), embora a identificação do
É formada pela união de 71 municípios distribuídos em fenômeno metropolitano remonte a meados do século XX,
seis microrregiões. quando o urbanista pernambucano Antônio Baltar (1951)
Estende-se por uma área aproximada de 24 400 km², caracteriza o Recife – município sede e núcleo da região - como
inserida entre a Zona da Mata e o Sertão. cidade transmunicipal / cidade conurbada / cidade
Representa 24,7% do território pernambucano e conta metropolitana.
com uma população de cerca de 1,8 milhão de habitantes (um
quarto da população do estado). Desde então, a vida urbana do Recife se integra a dos
Geologicamente a região está situada sobre o Planalto do municípios vizinhos, que, em relação a ele, conformam o
Borborema em uma altitude média entre 400 a 800 metros, aglomerado metropolitano de mais alto nível de integração -
sendo que em alguns pontos como nas microrregiões de Jaboatão dos Guararapes, Olinda e Paulista.
Garanhuns e do Ipojuca, as altitudes podem chegar 1000
metros. Inicialmente composta por 9 municípios, a MMR ampliou
A região está inserida na área de abrangência do Polígono esse número ao longo de três décadas, seja por expansão de
das Secas, mas apresentando, um tempo de estiagem menor seu perímetro, seja por desagregação de municípios no seu
que a do sertão, devido a sua proximidade do litoral. Os índices interior, integrando, atualmente, 17 municípios – Jaboatão dos
pluviométricos podem variar em cada microrregião. Guararapes, Olinda, Paulista, Igarassu, Abreu e Lima,
A região está situada em parte no planalto da Borborema, Camaragibe, Cabo de Santo Agostinho, São Lourenço da Mata,
o que confere à região um clima mais ameno em relação ao Araçoiaba, Ilha de Itamaracá, Ipojuca, Moreno, Itapissuma e
semiárido e com maior índice pluviométrico. A região Recife – e um distrito estadual – o Arquipélago de Fernando de
apresenta estações do ano bem definidas, em comparação ao Noronha.
litoral e ao oeste pernambucano.

Geografia 2
Apostila Digital Licenciada para Renê da Silva Pereira - aspirantepm2009@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO

são da ilha principal — e se situa no Oceano Atlântico, distante


360 km a nordeste de Natal, no Rio Grande do Norte, e 545 km
1.3 Microrregiões a nordeste da capital pernambucana, Recife.
Avistada pela primeira vez entre 1500 e 1502, tem sua
descoberta atribuída a uma expedição comandada pelo
explorador Fernão de Loronha, embora haja controvérsias;
porém é certo que o primeiro a descrevê-la foi Américo
Vespúcio, em expedição realizada entre 1503 e 1504. Primeira
capitania hereditária do Brasil, o arquipélago sofreu
constantes invasões de ingleses, franceses e holandeses entre
os séculos XVI e XVIII. Em 24 de setembro de 1700, Fernando
de Noronha tornou-se, por carta régia, dependência de
Pernambuco, capitania com a qual já tinha uma ligação
histórica. Em 1736 a lha foi invadida pela Companhia Francesa
das Índias Orientais, passando-se a chamar Isle Dauphine,
porém, no ano seguinte, uma expedição enviada pelo Recife
expulsou os franceses.
Em 1942, com a Segunda Guerra Mundial, o arquipélago
tornou-se território federal, cuja sigla era FN e a capital era
Disponível em:
Vila dos Remédios, passando a servir como base avançada de
http://www.citybrazil.com.br/pe/microregiao. Acesso em:
guerra; mas voltou à administração pernambucana quatro
Março/2016.
décadas e meia depois, no ano de 1988.
Atualmente Fernando de Noronha constitui um distrito
01. Microrregião do Alto Capibaribe:
estadual de Pernambuco, e é gerida por um administrador-
A Microrregião do Alto Capibaribe é uma subdivisão da
geral designado pelo governo do estado.
Mesorregião do Agreste Pernambucano, no estado de
Após uma campanha liderada pelo ambientalista José
Pernambuco, formada por 9 municípios. Em sua maioria, são
Truda Palazzo Júnior, em 14 de outubro de 1988 a maior parte
municípios agrícolas rurais, com exceção de Santa Cruz do
do arquipélago foi declarada Parque Nacional, com cerca de
Capibaribe, Surubim e Toritama, que detém 70% da
11,270 ha, para a proteção das espécies endêmicas lá
urbanização da microrregião. O município de Santa Cruz do
existentes e da área de concentração dos golfinhos rotadores
Capibaribe se urbanizou rapidamente a partir dos anos 1970,
(Stenella longirostris), que se reúnem diariamente na Baía dos
com os polos de confecção compostos por microempresas.
Golfinhos — o lugar de observação mais regular da espécie em
Possui o clima mais seco do agreste de Pernambuco, semi-
todo o planeta. No ano de 2001 a UNESCO declarou Fernando
árido e compõe os meses chuvosos: fevereiro - junho, havendo
de Noronha Patrimônio Natural da Humanidade.
vegetação de caatinga hiper-xerófila, típica da região do
O centro comercial de Fernando de Noronha é a Vila dos
vizinho cariri paraibano;
Remédios, que não é considerada capital por ser a ilha um
distrito estadual. A administração do Parque Nacional está
02. Microrregião do Araripe:
atualmente a cargo do Instituto Chico Mendes de Conservação
A Microrregião do Araripe é formada por dez municípios,
da Biodiversidade (ICMBio).
tem mais de 11% da área do estado. Seu clima é o semi-árido,
e a vegetação é predominantemente de xerófilas. Apenas na
região da Chapada do Araripe o clima é diferenciado - ameno e
com índices pluviométricos maiores. Na economia da
microrregião, tem grande destaque a produção de gesso - no
Polo Gesseiro do Araripe, que compreende os municípios de
Araripina, Ipubi, Trindade, Bodocó e Ouricuri. Neste polo é
produzido 95% do gesso consumido em todo o Brasil. A
maioria do gesso retirado das jazidas do polo gesseiro é
processado em Araripina, Ipubi e Trindade. Grandes reservas
do minério gipsita ainda encontra-se intactas nos municípios
de Ipubi e Bodocó. Tendo nos mesmos uma garantia de
continuidade do sistema produtivo por mais alguns séculos.

03. Microrregião do Brejo:


A microrregião do Brejo Pernambucano é uma subdivisão Fotografia aérea da ilha principal do arquipélago.
da mesorregião do Agreste Pernambucano, estado de
Pernambuco, Brasil. É composta por 11 municípios, 05. Microrregião do Garanhuns:
abrangendo uma área de 2.462 km2, equivalente a 2,6% do
território do estado. Além do clima semiárido, há locais de A Microrregião de Garanhuns é composta por dezenove
clima ameno e alta pluviosidade, os brejos. Lá são praticadas municípios, tem mais de 5% da área estadual (5183 km²).
diversas atividades agrícolas, como cultivo de frutas,
hortaliças e café. Os municípios de maior população são A economia é baseada na criação de gado de leite e de
Bonito, Panelas e Altinho. corte. A agricultura praticada é de subsistência.

04. Microrregião de Fernando de Noronha: O comércio na região tem suas maiores concentrações em
Fernando de Noronha é um arquipélago brasileiro do Garanhuns e Lajedo, Garanhuns que também é um polo
estado de Pernambuco. turístico importante da região, devido ao clima de
Pertence à Mesorregião Metropolitana do Recife e à temperaturas baixas, Os Municípios mais importantes e
Microrregião de Fernando de Noronha. populosos da Microrregião de Garanhuns são: Garanhuns
Formado por 21 ilhas, ilhotas e rochedos de origem 136.057 hab, Bom Conselho 45.503 hab e Lajedo 36.628 hab.
vulcânica, ocupa uma área total de 26 km² — dos quais 17 km²

Geografia 3
Apostila Digital Licenciada para Renê da Silva Pereira - aspirantepm2009@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO

06. Microrregião de Itamaracá: O nome da Microrregião, vem do Rio Pajeú, que tem sua
A Microrregião do Itamaracá, formada pelos municípios de nascente na cidade de Brejinho - PE e serpenteia dezessete
Araçoiaba, Itapissuma, Ilha de Itamaracá e Igarassu, fica cidades em seu percurso.
dentro da RMR.
É altamente urbanizada, e tem no litoral famosos sítios 12. Microrregião de Petrolina:
históricos, como a cidade de Itamaracá, além das bonitas A Microrregião de Petrolina localiza-se nas proximidades
paisagens da ilha de mesmo nome. do Rio São Francisco, no estado de Pernambuco.
A cidade mais populosa da região é Igarassu. É formada por oito municípios, ocupando mais de 15% do
território do estado.
07. Microrregião de Itaparica: Sua economia é bastante privilegiada pela umidade trazida
A microrregião de Itaparica é composta por sete pelo Rio São Francisco e da irrigação a partir dele, e pela
municípios, também é banhada pelo Rio São Francisco em localização da microrregião - ela equidista das mais
grande parte de seu território, e ao longo do rio intensa importantes regiões metropolitanas do Nordeste - Recife,
atividade agrícola é praticada, como na microrregião de Fortaleza e Salvador, com as quais faz intensas trocas
Petrolina. comerciais, em especial através do aeroporto de Petrolina,
Nas áreas rurais, predomina a pecuária extensiva. reformado para voos regulares e recebimento de grandes
A indústria e o comércio são pouco representativos. aviões de carga nos anos 2000.
Nesta microrregião localiza-se a usina hidrelétrica de A cidade de Petrolina é a mais importante, têm indústrias
Itaparica, da Chesf. População de 130 mil habitantes. e comércio presentes. População de 433 mil habitantes.

08. Microrregião da Mata Meridional: 13. Microrregião do Recife:


A Microrregião da Mata Meridional Pernambucana é A Microrregião do Recife é formada por oito municípios,
composta por 21 municípios, é o mais importante centro de incluindo a capital de mesmo nome e o município mais antigo
cultivo de cana de açúcar do estado. do estado, Patrimônio Cultural da Humanidade, Olinda.
Localizada no sul do estado, seu litoral tem algumas das Tem economia baseada em comércio, serviços e indústria.
mais belas praias do estado, como Praia dos Carneiros, Praia Os polos industriais estão concentrados na capital, e em
de Guadalupe e São José da Coroa Grande. Jaboatão dos Guararapes, Paulista e Abreu e Lima.
Tem como principal cidade Palmares, que influencia toda Sua população é de 3.274.441 habitantes, numa área total
região com seus quase 60 mil habitantes e com seu centro de 1.250,3 km² e densidade demográfica de 2.618,92
comercial. habitantes/km².

09. Microrregião da Mata Setentrional: 14. Microrregião do Salgueiro:


A Microrregião da Mata Setentrional Pernambucana é A microrregião de Salgueiro é uma microrregião da
formada por dezessete municípios e abrange uma área de mesorregião do Sertão Pernambucano. Localiza-se na região
3.200 km², o que corresponde a 3,25% do território estadual. central do estado e possui uma área de 8.834 km². Formada
Possui uma população estimada de 443.189 (estimativa IBGE por 7 municípios, tem clima semiárido e vegetação de
2009), sendo as cidades mais importantes e populosas Goiana, xerófilas.
Carpina, Timbaúba e Paudalho. Sua economia é baseada em pecuária extensiva e
Há presença de indústria canavieira, e também de agricultura de subsistência.
tecelagem, entre outras atividades agrícolas e industriais. Salgueiro é a cidade mais importante - cortada
Há também alguma presença de cultura de agricultura de horizontalmente pela BR-232 e verticalmente pela BR-116, é
subsistência. passagem para os transportes de carga e pessoas vindas do
Nordeste e Sudeste do país.
10. Microrregião do Médio Capibaribe: É também a cidade mais populosa. São José do Belmonte é
A microrregião do Médio Capibaribe é composta por dez a segunda cidade mais importante, com reservas de minérios
municípios, sendo Limoeiro o de maior população. de ferro.
A economia é basicamente de pecuária mista e de corte.
A agricultura praticada é de subsistência. 15. Microrregião do Sertão de Moxotó:
A microrregião do Sertão do Moxotó é formada por 7
11. Microrregião de Pajeú: municípios, tem clima semi-árido e pequena economia, em sua
A Microrregião do Pajeú, ao norte do estado de maioria concentrada na cidade de Arcoverde, que detém
Pernambuco, é composta por dezessete municípios, tem clima aproximadamente 50% da população urbana, e 1/3 do total da
semiárido na maioria de seu território, sendo exceção a área microrregião.
de brejo de altitude, que compõe, por exemplo, a cidade de Arcoverde, situada entre a capital do estado e o extremo
Triunfo, ponto mais alto do estado com mil duzentos e oeste dele, é um importante centro comercial, educacional, de
sessenta metros. saúde e de entidades governamentais do Sertão.
Tem a agropecuária mais desenvolvida do sertão Arcoverde, com 72 625 habitantes, é o município mais
brasileiro. populoso.
A pequena atividade econômica da microrregião é em sua
maioria movimentada pelo comércio, seguido da O município menos populoso é Betânia, com 12 539
agropecuária. habitantes.
Na região de brejo de altitude, a atividade agrícola tem
mais diversidade, inclusive fruticultura. A área média dos sete municípios que compõem a
Nas regiões baixas, a pecuária caprina e bovina prevalece microrregião é de 1.292 km², sendo que Sertânia possui a
e a agricultura predominante é a de subsistência. maior área territorial entre estes, com 2.421,511 km², seguido
A cidade mais populosa é Serra Talhada, seguida de por Custódia, com 1 404,100 km². Os dois menores municípios
Afogados da Ingazeira, São José do Egito e Tabira. O Vale do em área territorial são Arcoverde e Manari, com 353 km² e 406
Pajeú está retratado no livro de Luís Cristóvão dos Santos, km², respectivamente.
Caminhos do Pajeú.

Geografia 4
Apostila Digital Licenciada para Renê da Silva Pereira - aspirantepm2009@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO

O município que apresenta o maior Produto interno bruto, Sanharó;


de acordo com dados econômicos de 2013 do Instituto São Bento do Uma;
Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), é Uberlândia, com São Caitano;
R$ 774,463 milhões. Já o município com menor Produto São Joaquim do Monte;
interno bruto é Betânia, com R$ 59,250 milhões. Tacaimbó.

16. Microrregião do Suape: Região de Desenvolvimento: Agreste Meridional:


A Microrregião de Suape é formada pelos municípios de Municípios:
Cabo de Santo Agostinho e Ipojuca. Sua principal atividade Águas Belas;
econômica é relacionada ao porto de Suape, o maior do Angelim;
Nordeste e o segundo maior do país. Também há diversas Bom Conselho;
indústrias, especialmente do ramo petroquímico no município Brejão;
do Cabo, e intenso polo turístico nas praias do município de Buíque;
Ipojuca. Caetés;
Calçado;
17. Microrregião do Vale do Ipanema: Canhotinho;
A microrregião do Vale do Ipanema é formada por 6 Capoeiras;
municípios, sendo Buíque e Águas Belas os mais populosos. Correntes;
Tem clima semi-árido e área de 5.274 km². Garanhuns;
A economia é de pecuária extensiva e lavouras de Iati;
subsistência. Itaíba;
Jucatí;
18. Microrregião do Vale do Ipojuca: Jupi;
A microrregião do Vale do Ipojuca é uma subdivisão do Jurema;
estado brasileiro de Pernambuco. Lagoa do Ouro;
Localiza-se na Mesorregião do Agreste Pernambucano, ao Lajedo;
longo da bacia hidrográfica do rio Ipojuca. Palmeirina;
Paranatama;
19. Microrregião de Santo Antão: Pedra;
A Microrregião da Vitória de Santo Antão é formada por Saloá;
cinco municípios. São João;
A densidade demográfica da microrregião é de 187,09 Terezinha;
habitantes por km², mais do dobro da média estadual. Tupanatinga;
Seu município mais importante é o de mesmo nome, Venturosa.
Vitória de Santo Antão, importante centro comercial do
interior pernambucano, distante cerca de 42km da capital. Região de Desenvolvimento: Agreste Setentrional:
A microrregião é economicamente dependente do cultivo Municípios:
de cana-de-açúcar da região. Bom Jardim;
Casinhas;
Cumaru;
1.4 Regiões de Feira Nova;
Desenvolvimento – RD Frei Miguelinho;
João Alfredo;
Limoeiro;
Relação dos municípios, por Região de Machados;
Desenvolvimento: Orobo;
Passira;
Região de Desenvolvimento: Agreste Central: Salgadinho;
Municípios: Santa Cruz do Capibaribe;
Agrestina; Santa Maria do Cambuca;
Alagoinha; São Vicente Férrer;
Altinho; Surubim;
Barra de Guabiraba; Taquaritinga do Norte;
Belo Jardim; Toritama;
Bezerros; Vertente do Lério;
Bonito; Vertentes.
Brejo da Madre de Deus;
Cachoeirinha; Região de Desenvolvimento: Mata Norte:
Camocim de São Felix; Municípios:
Caruaru; Aliança;
Cupira; Buenos Aires;
Gravatá; Camutanga;
Ibirajuba; Carpina;
Jatáuba; Chã de Alegria;
Lagoa dos Gatos; Condado;
Panelas; Ferreiros;
Pesqueira; Glória do Goitá;
Poção; Goiana;
Riacho das Almas; Itambé;
Sairé; Itaquitinga;

Geografia 5
Apostila Digital Licenciada para Renê da Silva Pereira - aspirantepm2009@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO

Lagoa do Carro; Itacuruba;


Lagoa de Itaenga; Jatobá;
Macaparana; Petrolândia;
Nazaré da Mata; Tacaratu.
Paudalho;
Timbaúba; Região de Desenvolvimento: Sertão do Araripe:
Tracunhaém; Municípios:
Vicência. Araripina;
Bodoco;
Região de Desenvolvimento: Mata Sul: Exu;
Municípios: Granito;
Água Preta; Ipubi;
Amaraji; Moreilândia;
Barreiros; Ouricuri;
Belém de Maria; Santa Cruz;
Catende; Santa Filomena;
Chã Grande; Trindade.
Cortes;
Escada; Região de Desenvolvimento: Sertão do Moxotó:
Gameleira; Municípios:
Jaqueira; Arcoverde;
Joaquim Nabuco; Betânia;
Maraial; Custódia;
Palmares; Ibimirim;
Pombos; Inajá;
Primavera; Manari;
Quipapá; Sertânia.
Ribeirão;
Rio Formoso; Região de Desenvolvimento: Sertão do Pajeú:
São Benedito do Sul; Municípios:
Sirinhaém; Afogados da Ingazeira;
São José da Coroa Grande; Brejinho;
Tamandaré; Calumbi;
Vitória de Santo Antão; Carnaíba;
Xexéu. Flores;
Iguaraci;
Região de Desenvolvimento: Metropolitana: Ingazeira;
Municípios: Itapetim;
Abreu e Lima; Quixaba;
Aracoiaba; Santa Cruz da Baixa Verde;
Cabo de Santo Agostinho; Santa Terezinha;
Camaragibe; São José do Egito;
Fernando Noronha; Serra Talhada;
Igarassu; Solidão;
Ipojuca; Tabira;
Itamaracá; Triunfo;
Itapissuma; Tuparetama.
Jaboatão dos Guararapes;
Moreno; Região de Desenvolvimento: Sertão do São Francisco:
Olinda; Municípios:
Paulista; Afrânio;
Recife; Cabrobó;
São Lourenço da Mata. Dormentes;
Lagoa Grande;
Região de Desenvolvimento: Sertão Central: Orocó;
Municípios: Petrolina;
Cedro; Santa Maria da Boa Vista.
Mirandiba;
Parnamirim;
Salgueiro; Fonte: Fundação de Desenvolvimento Municipal. Disponível
São José do Belmonte; em:
Serrita; http://www.bde.pe.gov.br/visualizacao/Visualizacao_form
Terra Nova; ato2.aspx?CodInformacao=798&Cod=1. Acesso em:
Verdejante. Março/2016.

Região de Desenvolvimento: Sertão de Itaparica:


Municípios:
Belém de São Francisco;
Carnaubeira da Penha;
Floresta;

Geografia 6
Apostila Digital Licenciada para Renê da Silva Pereira - aspirantepm2009@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO

A depressão relativa ocorre nas proximidades do planalto


2. Aspectos físicos de Borborema, isso quer dizer a área está altimetricamente
2.1 Clima abaixo das áreas periféricas (planalto).

Composto por planícies e serras, Pernambuco registra


O Estado de Pernambuco é uma das unidades da Federação áreas geograficamente bem demarcadas.
brasileira localizada na região Nordeste, ocupa uma área de
98.146,315 km2. Esse espaço geográfico abrange diversas
paisagens, constituídas a partir da interação entre os
elementos naturais, sendo que os principais são: relevo, clima,
vegetação e hidrografia. 2
Em Pernambuco são identificadas duas características
climáticas: o clima tropical e o semi-árido. O clima tropical
ocorre nas áreas litorâneas denominadas de zona da mata. A
temperatura é elevada, a média anual é de 24°C. Quanto aos
Maracaípe
índices pluviométricos, a média anual é de 1.500 mm. Nas
áreas que predominam o clima semi-árido as temperaturas
são elevadas em boa parte do ano (cerca de 26°) e a quantidade
de chuva é reduzida, algo em torno de 600 mm ao ano.
No clima, Pernambuco está inserido na Zona Intertropical
apresentando predominantemente temperaturas altas,
podendo variar no quadro climático devido à interferência do
relevo e das massas de ar. No Recife, por exemplo, a
temperatura média é de 25ºc, com máximas de 32º. Já em
cidades do interior, nos meses de inverno – entre maio e julho Morro do Pico - Fernando de Noronha
– as temperaturas podem baixar consideravelmente, podendo
chegar, em alguns locais, até a 8ºc, a exemplo de Triunfo e
Garanhuns, Sertão e Agreste respectivamente. 3

2.2 Vegetação

O Estado também é dotado de uma vegetação muito Vista do Alto da Sé – Olinda


diversificada, com matas, manguezais e cerrados, além da
grande presença da caatinga. Com 98.311 km², Pernambuco é um dos 27 estados
A cobertura vegetal do estado é composta por vegetação brasileiros. Localizado no centro leste da Região Nordeste, tem
Litorânea, floresta Tropical e Caatinga. sua costa banhada pelo Oceano Atlântico. O estado faz limite
A vegetação Litorânea predomina em áreas muito com a Paraíba, Ceará, Alagoas, Bahia e Piauí. Também faz parte
próximas ao oceano, por isso são identificadas vegetações do território pernambucano, o arquipélago de Fernando de
rasteiras, coqueiros, mangues e em alguns casos arbustos. Noronha, a 545 km da costa. São 185 municípios - com um total
A floresta Tropical é onde originalmente abrigava a de 8.796.032 habitantes - e tem a cidade do Recife como sua
floresta Atlântica. capital.
E por fim, na região do agreste e do sertão do estado o que Apesar de ser um dos menores estados da Federação em
predomina é a vegetação da Caatinga. extensão territorial, o estado possui paisagens variadas:
serras, planaltos, brejos, semi-aridez no interior, e belíssimas
praias. O relevo é linear em sua maioria, sendo de planície
litorânea - com alguns pontos, sobretudo no Recife, no nível do
2.3 Relevo mar - e, à medida que vai se entrando para o interior, tem picos
de montanhas que ultrapassam os 1000 metros de altitude.
A Zona da Mata é marcada por formações onduladas,
O relevo do estado é formado basicamente por três tipos: caracterizadas como “domínio dos mares-de-morro”. É lá,
planície costeira, planalto e depressão. inclusive, que na transição com o Agreste é localizada a Serra
Grande parte do território estadual, cerca de 76%, possui das Russas que, na verdade, é a borda ocidental do Planalto da
um relevo relativamente plano, não ultrapassa os 600 metros Borborema, que corta alguns estados da Região Nordeste. O
de altitude. Agreste localiza-se sobre este planalto, sua altitude média é de
As planícies se encontram em áreas próximas ao litoral. 400m, podendo passar dos 1000m nos pontos mais elevados.
À medida que se afasta do litoral a altitude aumenta, pode A estrutura geológica predominante é a cristalina, sendo
atingir até 1.200 metros. responsável, junto com o clima semi-árido, por formações
O planalto de Borborema possui cerca de 600 metros de abruptas (pedimentos e pediplanos).
altitude, mas existem áreas onde a média de altitude é de 800 No Sertão as cotas altimétricas decrescem em direção ao
metros, como a Chapada do Araripe. Rio São Francisco formando, em relação ao Planalto da
Borborema, uma área de depressão relativa. As formações
geomorfológicas predominantes são os inselbergues, serras e

2FRANCISCO, Wagner De Cerqueira E. "Aspectos naturais do Estado 3Governo do Estado de Pernambuco. Geografia. Disponível em:
de Pernambuco"; Brasil Escola. Disponível em http://www.pe.gov.br/conheca/geografia/. Acesso em: Março/2016.
<http://brasilescola.uol.com.br/brasil/aspectos-naturais-estado-
pernambuco.htm>. Acesso em 14 de marco de 2016.

Geografia 7
Apostila Digital Licenciada para Renê da Silva Pereira - aspirantepm2009@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO

chapadas, estas últimas aparecendo em áreas sedimentares. Pernambucana. O movimento foi o responsável pelo começo
Na Microrregião do Pajeú, próximo ao Município de Triunfo, de um sentimento conhecido como pernambucanidade.
localiza-se o Pico do Papagaio com 1.260 metros, no limite com Povo festeiro, acolhedor e trabalhador, dedicado à arte de
o sudoeste da Paraíba.4 receber bem e de cultivar as tradições. Este é o pernambucano.
Que tem orgulho de carregar a bandeira do Estado no peito,
símbolo maior dessa cultura. Mas esse estado não é apenas a
tradição: é também o espaço da modernidade e das expressões
2.4 Hidrografia contemporâneas no campo das artes, da tecnologia, da
arquitetura, da música, da dança, do teatro, da culinária.
A distribuição populacional no estado ocorre de maneira
Na hidrografia, existe a forte presença de rios – sobretudo desproporcional, os centros urbanos localizados próximos ao
na Região Metropolitana do Recife (RMR) que conta com 14 litoral concentram um elevado percentual da população
municípios. pernambucana, enquanto que o sertão é pouco povoado. O IDH
Há, também, muitas barragens de contenção de enchentes (Índice de Desenvolvimento Humano) do estado é 0,718. Os
e abastecimento populacional como Tapacurá, Carpina, indicadores sociais apresentam uma expectativa de vida de
Jucazinho, entre outras. 67,1 anos, a mortalidade infantil apresenta índices elevados
Os principais rios do estado são o Capibaribe e Beberibe, 35,7 óbitos a cada mil nascidos vivos; a taxa de analfabetismo
Ipojuca, Uma, Pajeú, Jaboatão e São Francisco, este último é de 17,6%.
extremamente importante do desenvolvimento do Sertão, Recife, capital pernambucana, abriga uma população de
uma vez que possibilita a distribuição de águas nas regiões aproximadamente 1,5 milhão de pessoas, em uma extensão
secas. territorial de 219 km².6
A hidrografia pernambucana é formada por vários rios,
mas, sem dúvida, o principal é o São Francisco, uma vez que o
mesmo é fundamental para a irrigação e demais atividades do
sertanejo nordestino. 3.2 Economia
Existem ainda os rios: Capibaribe, Ipojuca, Una, Pajeú e
Jaboatão.
Essa unidade federativa tem apresentado elevado
desenvolvimento econômico, fato constatado no aumento
3. Aspectos Humanos e anual do Produto Interno Bruto (PIB) estadual. Em 2008, o PIB
indicadores sociais pernambucano atingiu a marca de R$ 62,2 bilhões,
3.1 População correspondendo a 2,3% do PIB brasileiro; no âmbito regional
essa participação foi de 17,9%, sendo a segunda maior, inferior
apenas à Bahia (31,5%).7
Historicamente, Pernambuco tinha na agricultura sua
O pernambucano é batalhador e por isso vencedor. Uma principal atividade econômica, sendo a cana-de-açúcar o
gente que luta por seus ideais e conquistas.5 produto de maior destaque. No entanto, nas últimas três
É um estado rico e miscigenado. décadas esse cenário mudou totalmente, o setor de serviços
Pernambuco é o sétimo estado mais populoso do Brasil, passou a ser o elemento fundamental para a geração de
com 9,278 milhões (IBGE, 1 de jul de 2014), o que corresponde receitas. A atual composição do PIB estadual é a seguinte:
a aproximadamente 4,6% da população brasileira, Agropecuária: 4,8%.
distribuídos em 185 municípios. Indústria: 21,9%.
Cerca de 80,2% dos habitantes do estado moram em zonas Serviços: 73,3%.
urbanas. A agricultura estadual baseia-se no cultivo de cana-de-
A densidade demográfica estadual é de 89,5 hab./km². açúcar, porém está sendo substituída pelas plantações de
Conforme dados do IBGE, a composição étnica da rosas, gladíolo e crisântemo, na Zona da Mata; e pela
população pernambucana é constituída por pardos (53,3%), fruticultura irrigada, especialmente na região de Petrolina,
brancos (40,4%), negros (4,9%) e índios (0,5%), de acordo onde se produz uva, manga, melancia e banana. O estado
com o Censo 2010 do IBGE. também produz feijão, mandioca, cebola, milho e algodão.
Os povos e a diversidade caminham de mãos dadas desde A pecuária, por sua vez, é composta por rebanhos bovinos
o início da formação do Estado de Pernambuco. (2.122.191 de cabeças) e caprinos (1.685.845).
Heterogeneidade é a palavra que descreve o povo A indústria tem apresentado desenvolvimento em razão
pernambucano. Na sua formação, o Estado teve um elevado dos constantes investimentos nos segmentos de
número de imigrantes. São portugueses, italianos, espanhóis, transformação de minerais, confecções, químico,
árabes, judeus, japoneses, alemães, holandeses e ingleses. petroquímico, farmacêutico, mobiliário, transporte e de
Além das fortes influências africana e, claro, indígenas. energia. Recife, capital pernambucana, possui um moderno
Trata-se de um caldeirão cultural de riqueza ímpar, polo de informática, que concentra mais de 200 empresas e
traduzida no jeito de ser de uma gente que aprendeu, desde realiza negócios comerciais que atingem mais de 100 milhões
sempre, a lutar por liberdade. O espírito guerreiro e o amor de reais por ano.
pela terra vêm desde os primórdios. Foi esta garra que fez com O setor de serviços, responsável por 73,3% do PIB
que os pernambucanos se unissem para derrubar o domínio estadual, é impulsionado pelo turismo e pelo comércio. O
holandês no estado em 1645, quando teve início a Insurreição estado possui 187 quilômetros de praia de areia fina e água
esverdeada, com destaque para Tamandaré e Porto de

4 Governo do Estado de Pernambuco. Geografia. Disponível em: <http://brasilescola.uol.com.br/brasil/aspectos-populacao-


http://www.pe.gov.br/conheca/geografia/. Acesso em: Março/2016. pernambuco.htm>. Acesso em 14 de marco de 2016.
5 Governo do Estado de Pernambuco. População. Disponível em: 7 FRANCISCO, Wagner De Cerqueira E. "A economia do estado de

http://www.pe.gov.br/conheca/geografia/. Acesso em: Março/2016. Pernambuco"; Brasil Escola. Disponível em


6 FRANCISCO, Wagner De Cerqueira E. "Aspectos da população de <http://brasilescola.uol.com.br/brasil/a-economia-estado-
Pernambuco "; Brasil Escola. Disponível em pernambuco.htm>. Acesso em 14 de marco de 2016.

Geografia 8
Apostila Digital Licenciada para Renê da Silva Pereira - aspirantepm2009@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO

Galinhas. Outro grande destino dos turistas é o arquipélago de


Fernando de Noronha, considerado patrimônio natural da
humanidade pela Organização das Nações Unidas para a
Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO).
Um fator negativo das atividades desenvolvidas em
Pernambuco refere-se à plantação de maconha. O polígono da
maconha, como é conhecida a região pernambucana localizada
na fronteira com Bahia e Alagoas, é um dos principais locais de
cultivo de maconha no Brasil. Instituto Ricardo Brennand

Exportações e Importações de Pernambuco: Pernambuco tem umas das igrejas mais antigas do Brasil,
Exportações: localizada no município de Igarassu, na Região Metropolitana
Açúcar de cana: 26%. do Recife. A igreja dedicada a São Cosme e Damião, que data de
Plástico, borracha e seus produtos: 16%. 1535, faz parte de um Centro Histórico com 396 m² tombados
Mangas e uvas frescas: 14%. pelo IPHAN. Um dos mais antigos e bem conservados
Materiais/aparelhos elétricos e eletrônicos: 8%. conjuntos arquitetônicos, civil e religioso do Estado.
Combustíveis e lubrificantes para embarcações e Ainda na Região Metropolitana do Recife as atrações são
aeronaves: 6%. inúmeras. O Recife Antigo, bairro mais tradicional da capital
Crustáceos: 4%. pernambucana, polo cultural e de animação, é ponto de
Outros: 26%. visitação imperdível para o turista. São bares, restaurantes,
Importações: boates, feirinha de artesanato, além do marco zero da cidade e
Produtos das indústrias químicas: 26%. da primeira sinagoga das Américas, a Kahal Zur Israel,
Derivados de petróleo: 17%. construída em 1637 por judeus que vieram de Amsterdã para
Trigo e farinha de trigo: 7%. viver no Recife. A capital do Estado também se destaca pelo
Máquinas e equipamentos: 7%. pioneirismo na cinematografia e por ser berço de talentos
Alimentos: 6%. criativos e empreendedores e todos os anos a cidade do Recife
Mate: 6%. se transforma no palco do cinema nacional. No CINE PE são
Adubos e fertilizantes: 4%. exibidos os melhores filmes brasileiros da temporada e estão
Equipamentos médico-hospitalares: 3%. presentes cineastas que fizeram nome no cinema nacional,
Outros: 24%. assim como jovens realizadores, produtores, atores e atrizes,
uma vitrine da sétima arte que já entrou no calendário
Turismo em Pernambuco:8 nacional.

Uma das principais vocações econômicas do estado, o


turismo gera emprego e renda em todas as regiões. São praias
paradisíacas, de Norte a Sul, monumentos, cidades, calor e frio.
Um estado rico que contempla a todos e recebe seus turistas
sempre com o maior prazer.
Do Litoral ao Sertão, Pernambuco é só beleza. É o destino
certo para quem procura o melhor das riquezas naturais do
Nordeste, com um extenso e apreciado litoral de águas mornas
e cristalinas. Os cenários convidativos de praias paradisíacas Oficina de Francisco Brennand
como Tamandaré e Porto de Galinhas são apenas alguns dos
inúmeros atrativos se sobressai, ainda, na magnitude e O Sítio Histórico de Olinda é uma atração à parte para os
importância histórica de suas tradições culturais, como os sedentos de cultura. Um dos mais importantes conjuntos
festejos carnavalescos e juninos. arquitetônicos do país, Olinda recebeu o título de Patrimônio
Cultural da Humanidade, concedido pela Unesco, e de primeira
capital brasileira da cultura. Os antigos casarios e as
charmosas ladeiras contribuem para o charme da cidade, que
também é palco de uma das festas mais populares do Brasil: o
Carnaval.
No Agreste pernambucano está o paraíso dos esportes
radicais. Bonito, com oito quedas d’água que variam de 2 a 30
metros de altura, proporciona aos aventureiros, trilhas,
arvorismos, trekkings e rapéis de tirar o fôlego. Formadas
Fernando de Noronha pelas águas do Rio Verdinho e riacho Águas Vermelhas, as
cachoeiras de Bonito compõem uma das mais belas paisagens
O litoral com cerca de 187 km de extensão, entre praias e do Estado.
falésias, zonas urbanas e locais praticamente intocados, Também no agreste pernambucano um dos atrativos é o
representa o principal atrativo turístico do Estado. Sem falar clima. A cidade de Gravatá, a 80 km do Recife, está a uma
no belíssimo arquipélago de Fernando de Noronha, altitude de 447 metros. Nos meses de junho e julho, as baixas
frequentado por brasileiros e estrangeiros durante todas as temperaturas, as atividades que caracterizam a vida no campo
épocas do ano. e a gastronomia local atraem milhares de visitantes. Nas
cidades de maior altitude, no chamado Planalto da Borborema,
o frio inspirou eventos culturais como o Festival de Inverno de
Garanhuns. O município, a 230 km do Recife, sedia há mais de
vinte anos um dos maiores festivais de música do estado.

8Governo do Estado de Pernambuco. Turismo. Disponível em:


http://www.pe.gov.br/conheca/turismo/. Acesso em: MARÇO/2016.

Geografia 9
Apostila Digital Licenciada para Renê da Silva Pereira - aspirantepm2009@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO

Dentre os seus municípios, Garanhuns destaca-se


apresentando uma acentuada população urbana, com uma
taxa de 89,1%, já os municípios de Paranatama, Manari e
Caetés revelam-se, com taxas de 79,1%, 78,9%, e 71,7% da
população rural respectivamente, revelando assim, uma certa
heterogeneidade no território. Além disso, vale ressaltar, que
o município de Garanhuns centraliza economicamente o
Agreste Meridional e se estabelece pela importância como
polo regional.
Gastronomia pernambucana Quanto aos indicadores sociais, observa-se uma grande
amplitude relativa ao IDH-M (Índice de Desenvolvimento
O sertão do estado também tem um sítio de clima Humano Municipal) entre os municípios. Os municípios de
diferenciado. A 1.004 metros de altitude fica a cidade de Garanhuns, de Venturosa e de São Bento do Una apresentam
Triunfo, a mais alta do território pernambucano, onde todos os os maiores IDH-M, com 0,69; 0,63 e 0,62 respectivamente. Já
anos acontece a Festa do Estudante, com grupos de teatro de os municípios de Manari e Caetés apresentam os menores IDH-
dança, e o Festival de Cinema, no Cine Teatro Guarany, um M com 0,47 e 0,52. Tais informações revelam também a
prédio tombado pelo patrimônio histórico. ocorrência de uma acentuada disparidade na qualidade de
Pernambuco tem ainda a Feira de Caruaru, a maior feira vida entre os municípios do Território.
livre do mundo, considerada patrimônio imaterial do Brasil As áreas rurais do Território são reconhecidas
pelo IPHAN; o Teatro de Nova Jerusalém, o maior teatro ao ar economicamente pela presença da pecuária leiteira. No
livre do mundo onde, todos os anos, é encenado o espetáculo entanto, as pequenas propriedades rurais, de cunho familiar,
da Paixão de Cristo; o Parque Nacional da Serra do Catimbau, que exploram principalmente as culturas do feijão e da
entre o Agreste e o Sertão pernambucano, formado por um mandioca, apresentam grande relevância socioeconômica
complexo de serras, vales e rochas sedimentares, distribuídos para a região, revelando nesse conjunto as principais
em 90 mil hectares, que impressiona pela grandiosidade e atividades de exploração das áreas rurais. Historicamente,
primitivismo; a Serra Negra, em Bezerros, situada em uma esse arranjo formou-se ao longo dos anos, pois o Agreste
altitude de 960 metros com temperatura de até 9º C, cercada constituiu-se como o local de produção de alimentos para o
por uma reserva ecológica, que faz da sua beleza um cenário abastecimento interno da região Nordeste, em face da cultura
para cartão postal; o Vale do São Francisco, com suas dezenas expansionista e exportadora da cana-de-açúcar.
de vinícolas, local ideal para os amantes de um bom vinho. A velha estrutura coronelista, ainda reflete sobre a atual
Pernambuco está sempre de braços abertos para receber estrutura agrária e sobre as relações sociais de dependência e
os turistas. Além da riqueza natural, dispõe de moderna e subordinação que insiste em permanecer em diversos
capacitada rede hoteleira. Sem falar na hospitalidade sem igual municípios desse Território. Dessa forma perpetua-se a ação
do povo pernambucano. política de comando sobre a população e cargos, de uma forma
geral, atuando em diversos segmentos e instituições públicas.
Os festejos juninos apresentam-se como a expressão
3.3 O espaço rural de máxima da cultura, porém as tradições folclóricas tendem a se
perder no tempo, em face da homogeneização dos costumes,
Pernambuco principalmente relacionado à música, com os grupos
eletrônicos de forró. Trabalhar as ruralidades ainda presentes
requer um árduo e constante desafio, para que não se perca
Território Rural do Agreste Meridional de tanto cultural como economicamente, uma vez que esses
Pernambuco 9 valores são descontruídos pela aquisição de novos hábitos
impostos pelos meios de dominação e imposição de valores
O Território Rural denominado por Agreste Meridional de externos.
Pernambuco abrange uma área de 13.153 km2, está localizado Atrelado a isso nota-se a insatisfatória presença de
em parte da Mesorregião do Agreste Pernambucano e Sertão estrutura das políticas públicas, relacionadas ao nível
Pernambucano. Atualmente é composto por 20 municípios: educacional, principalmente nas formações iniciais das
Águas Belas, Buíque, Iati, Ibimirim, Inajá, Itaíba, Pedra, crianças, no apoio à assistência das atividades produtivas e na
Venturosa, Angelim, Bom Conselho, Caetés, Capoeiras, preservação e exploração sustentável das riquezas naturais e
Garanhuns, Ibirajuba, Manarí, Paranatama, Saloá, São Bento do arqueológicas.
Una, Terezinha e Tupanatinga.
De acordo com informações do IBGE (2010), o contingente Território Rural do Sertão do Pajeú de Pernambuco
populacional do território se apresenta com 587.086
habitantes, dos quais 257.840 residem na área rural, o que A região sertaneja pernambucana possui características
corresponde a 42,7% do total. Com IDH médio de 0,60 esse peculiares intrínsecas a sua geografia e dentro desse contexto
rural é composto por agricultores familiares e patronais, surge a divisão em três territórios: O Território do Araripe, o
famílias assentadas, comunidades quilombolas, terras Território do São Francisco e o Território do Sertão do Pajeú.
indígenas, dentre outros. Em relação a esse último, destacamos a denominação “Pajeú”
O Território enquadra-se na categoria de rural, seguindo- devido a referência ao Rio Pajeú que atravessa parte dos
se o critério estabelecido por Veiga (2002), pois apresenta municípios que compõem o Território, revelando significativa
uma população média de 29.354 habitantes e uma densidade importância para o povoamento dessa parte do Sertão de
de 44,77 habitantes por km2, ou seja, uma população média Pernambuco.
menor do que 50.000 habitantes e uma densidade inferior a O Território do Sertão do Pajeú é composto por 20
80,0 habitantes por km2. municípios, divididos em 3 microrregiões:

9Disponível em:
http://www.territoriosruraispe.com.br/historico.html. Acesso em:
Março/2016.

Geografia 10
Apostila Digital Licenciada para Renê da Silva Pereira - aspirantepm2009@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO

a) MICRORREGIÃO DE SÃO JOSÉ DO EGITO, composta vistas pela população como algo externo ao seu cotidiano e que
pelos municípios de Brejinho, Itapetim, Santa Terezinha, São aparentemente não lhe trarão resultados satisfatórios e
José do Egito e Tuparetama; esperanças para o futuro.
b) MICRORREGIÃO DE AFOGADOS, composta pelos
municípios de Afogados da Ingazeira, Carnaúba, Iguaraci,
Quixaba, Sertânia, Solidão e Tabira;
c) MICRORREGIÃO DE SERRA TALHADA, composta pelos 3.4 Urbanização em
municípios de Calumbi, Flores, Mirandiba, Santa Cruz da Baixa Pernambuco
Verde, São José do Belmonte, Serra Talhada e Triunfo.
Dados históricos revelam que o início da exploração
econômica do Sertão Pernambucano ocorreu através da
atividade pecuária. Estudos sobre essa questão informam que A urbanização no Nordeste iniciou-se no período
tal fato foi decorrente da proibição, por parte da coroa colonial, mas só se intensificou ao longo das últimas
portuguesa, da exploração da pecuária nas áreas próximas ao décadas.10
litoral (Zona da Mata) da capitania de Pernambuco que se
destinavam apenas para o cultivo da cana-de-açúcar. Assim, O processo de Urbanização no Nordeste caracterizou-se,
induzia-se o deslocamento do gado para o Sertão, seguindo o principalmente, por ter se manifestado de forma e período
caminho inverso das águas do Rio São Francisco e dos seus distintos das demais regiões brasileiras, iniciando-se no
afluentes, tendo o Rio Pajeú como um deles. Tal fato trouxe período colonial e conhecendo um relativo declínio
para a região, juntamente com o gado, o povoamento dessas justamente quando o restante do país intensificou o processo
terras, a formação de latifúndios, ocupando extensas áreas e as de metropolização.
formas de convivência. Para compreendermos melhor como ocorreu – e ainda
As relações de poder foram organizadas a partir da ocorre – a urbanização nordestina, primeiramente é
formação das estruturas fundiárias e delas surgiram as necessário compreender o que é, propriamente, a expressão
cidades sertanejas, tendo na figura do dono das terras e do urbanização. Essa expressão designa o crescimento das
gado a expressão do poder autoritário e paternalista que ainda cidades em relação ao crescimento do campo, ou seja, só há
permanece. Atualmente, algumas poucas mudanças pontuais urbanização quando o crescimento da população e do espaço
são percebidas e de alguma forma buscam alterar o quadro das cidades é superior ao crescimento da população e do
político e econômico dessa região. espaço do meio rural.
A mistura racial está presente e provém tanto dos Além do mais, é preciso considerar a heterogeneidade do
habitantes naturais, indígenas, quanto do processo de espaço dessa região, que só é concebida em um conjunto a
escravidão com a chegada dos negros e dos embates e fugas partir das divisões regionais brasileiras ocorridas ao longo do
dos portugueses e holandeses vindos das regiões litorâneas. século XX. Antes disso, o Nordeste era entendido como uma
Essa mistura de raça traz consigo também a mistura de área com diversas regiões e atividades, possuindo um litoral,
culturas expressadas pelas danças e músicas, pela poesia e nos por exemplo, economicamente mais dinâmico e um Agreste e
hábitos alimentares adaptados à sobrevivência no semi-árido Sertão em fase de evolução.
da caatinga. Como já frisamos, a região Nordeste foi a primeira a se
A caprinocultura e a ovinocultura são atividades de grande urbanizar no Brasil, em virtude do fato de ela abrigar as
relevância econômica nos municípios desse território, muito primeiras localidades colonizadas e onde se instalaram as
em face da rusticidade e adaptação dos animais às condições principais atividades econômicas brasileiras. Estabeleceu-se,
do ambiente do semi-árido nordestino. Em relação às primeiramente, a cultura da cana-de-açúcar, consolidando a
atividades da agricultura predominam os cultivos de milho, formação do chamado “Nordeste Açucareiro”, que contrastava
feijão e mandioca que fazem parte da dieta básica do sertanejo. em relação às demais atividades regionais. Esse contexto
Os dias de feira-livre constituem-se no ponto de referência favoreceu o crescimento de cidades como Salvador e Recife,
para as negociações mais diversas, presencia-se a que eram, respectivamente, os centros político e econômico do
convergência da população vinda desde os locais mais Nordeste Açucareiro.
recônditos das áreas rurais. Ao se misturarem com os A partir do século XVIII, houve um declínio dessa atividade
moradores das cidades estabelecem a comercialização da em função da competição da produção de açúcar no Caribe, o
produção das atividades produtivas e contribuem para o que se intensificou com o crescimento econômico da produção
incremento do comércio. A feira-livre é uma tradição de café na região Sudeste. Em oposição, no século XIX, as faixas
nordestina, existente em toda a região. do Agreste e do Sertão intensificaram a produção de algodão e
as atividades pecuaristas, formando o “Nordeste algodoeiro-
As histórias sobre o legendário Lampião e o mundo do pecuarista”, o que propiciou o crescimento de algumas cidades
cangaço são retratadas em formas de cordel e encontra no nessa região.
Município de Serra Talhada, cidade natal, o ponto de referência Ao longo do século XX, estabeleceu-se a formação do
com o museu sobre essa figura que percorria essas terras com chamado “Nordeste cacaueiro”, consolidando o crescimento
sua tropa, deixando atônita e aterrorizada a população do regional que, em particular, favoreceu o desenvolvimento de
sertão nordestino. cidades baianas, com destaque para Itabuna e Ilhéus.
Porém, em linhas gerais, a região Nordeste conheceu um
Quanto as infraestruturas existentes e destinadas para intenso declínio econômico e, consequentemente, urbano ao
esse território, ressalta-se a precariedade das estradas que longo dos séculos XIX e XX. Por outro lado, regiões como o
interligam os municípios, com significativa falta de Sudeste cresceram cada vez mais e urbanizaram-se. Desse
conservação e apoio o que resulta na deficiência dos sistemas modo, justamente quando as taxas de emigrações no Nordeste
de transportes coletivos. As obras dos canais da transposição acentuavam-se, as regiões urbanas nas demais localidades
do Rio São Francisco (integração de bacias hidrográficas) proliferavam-se. Apesar disso, algumas metrópoles, como
estão sendo realizadas e cortam parte desse território, mas são Recife e Fortalezam, formavam-se em função das migrações

10PENA, Rodolfo F. Alves. "Urbanização no Nordeste"; Brasil Escola.


Disponível em <http://brasilescola.uol.com.br/brasil/a-urbanizacao-
nordeste.htm>. Acesso em 14 de marco de 2016.

Geografia 11
Apostila Digital Licenciada para Renê da Silva Pereira - aspirantepm2009@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO

internas, em que povos do Sertão partiam em direção às faixas No interior, seja no Sertão ou no Agreste, há outros
litorâneas economicamente mais desenvolvidas. movimentos culturais.
Assim, atualmente, ao contrário do que ocorre nas demais Os caretas de Triunfo (cidade sertaneja a 600km do
regiões, principalmente no Centro-Oeste, no Sudeste e no Sul, Recife); os Papangus de Bezerros (agreste, 90km da capital)
que apresentam uma acentuada queda em suas taxas de que no carnaval promovem uma grande festa nas ruas do
crescimento urbano, o Nordeste passa a se urbanizar cada vez município.
mais, elevando o crescimento de suas regiões metropolitanas.
Isso ocorre, principalmente, em função do atual estágio de
desconcentração industrial em curso no Brasil.
Dados do IBGE apontam que, na década de 1960, a
população rural do Nordeste somava quase o dobro da
população urbana: mais de 14 mil contra pouco mais de 7 mil
habitantes, respectivamente. Na década de 1980, a população
das cidades finalmente superou a população do campo.

Segundo o Censo Demográfico de 2010, a população Rua da Aurora – Recife


urbana nordestina é de 38.821.246 pessoas, enquanto, no
meio rural, o número é de 14.260.704 habitantes. Tais Pernambuco também é a terra do São João. O período
números servem, afinal, para desmitificar a ideia de que o junino no estado é um dos mais tradicionais do país. A cidade
Nordeste é essencialmente rural. É claro que, não diferente do de Caruaru, no agreste, é o ponto central onde acontecem 30
que ocorre no restante do país, essa urbanização é dias de festa - todo o mês de junho. É a terra do forró, do
extremamente concentrada, principalmente nas cidades do xaxado, do mestre Vitalino, da famosa “Feira de Caruaru”, do
litoral, com destaque para algumas exceções, como a cidade de Alto do Moura, entre outros. Mas não só é nesta cidade, onde
Imperatriz, no Maranhão. acontecem os festejos. Da capital ao interior são muitas as
homenagens ao Santo.
Na Zona da Mata, tanto a Norte quanto a Sul, o destaque
fica para os maracatus. De baque solto ou de baque virado. De
3.5 Movimentos culturais influência africana, eles têm muita força nesta região devido à
em Pernambuco grande presença de engenhos de cana de açúcar. No período
colonial, os escravos vindos da África para trabalhar a
produção do açúcar trouxeram os costumes para cá.
Antigamente, muitas dessas movimentações aconteciam às
Nossa cultura é rica, verdadeira referência para o mundo.
escondidas ou na senzala. Com o passar dos anos e a liberdade
São muitos os movimentos - maracatu, frevo, caboclinho, o
dos negros, a cultura foi incorporada como um todo. E hoje é
forró, entre outros - que fazem de Pernambuco um caldeirão
um dos nossos destaques. E entre as cidades, Nazaré da Mata
cultural.11
desponta como uma das que mais concentra maracatus.
Tudo isso é apenas uma demonstração da rica cultura de
Pernambuco é, antes de tudo, um estado marcado pela
Pernambuco. Uma cultura que orgulha os pernambucanos, que
diversidade cultural. E tem uma população que respira e
é passada de geração em geração, levada para todos os cantos
valoriza a sua cultura, passando de geração em geração. Não
do mundo, mas que só pode ser sentida em sua alma em nosso
por acaso, o estado é conhecido no país como um dos que têm
Estado. Por isso, para conhecer um pouco mais do que o povo
a cena cultural mais viva, construída a partir da contribuição
pernambucano tem a oferecer não basta estudar e ler...
de índios, portugueses, holandeses, judeus, africanos, entre
Tem que experimentar. Isso é Pernambuco.
outros. É celeiro de poetas, artistas plásticos e músicos
reconhecidos em todo mundo, sem falar nos seus movimentos,
no carnaval, no São João, em nossa cultura. Isso é Pernambuco.
4. A questão Ambiental em
Pernambuco

Núcleos de Educação Ambiental - Pernambuco12


Nas grandes cidades o crescimento urbano tem se dado
quase sem nenhum planejamento, tendo em vista,
principalmente, a dificuldade de se estabelecer uma política de
Lampião e Maria Bonita | Museu do Forró – Caruaru acesso ao uso do solo pelas camadas de baixa renda.
Nas grandes cidades o crescimento urbano tem se dado
O carnaval, por exemplo, é a maior festa. Não só dos quase sem nenhum planejamento, tendo em vista,
pernambucanos, mas de todos que visitam o estado na época principalmente, a dificuldade de se estabelecer uma política de
dessa democrática festa – seja na capital, nas praias, no acesso ao uso do solo pelas camadas de baixa renda.
interior. Tem o maracatu, o caboclinho, o coco de roda, a A Região Metropolitana de Recife, que compreende os
ciranda e o maior de todos os representantes - o frevo! O ritmo, municípios de Recife, Olinda, Abreu e Lima, Cabo, Camaragibe,
aliás, é único e teve origem no próprio estado. Na festa, além Igarassu, Itamaracá, Itapissuma, Ipojuca, Moreno, Paulista e
das ladeiras de Olinda, do fervor do Recife Antigo, tem também São Lourenço da Mata, apresenta uma densidade demográfica
o Galo da Madrugada, o maior bloco de rua do mundo (segundo em torno de 1264 hab/km2. Dentro desse quadro, constata-se
o Guinness Book). uma gama de problemas tais como: desemprego, falta de
moradia, acarretando a formação de grandes favelas,

11 Governo do Estado de Pernambuco. Cultura. Disponível em: acao/nucleos_de_educacao_ambiental_-_pernambuco.html. Acesso


http://www.pe.gov.br/conheca/turismo/. Acesso em: MARÇO/2016. em: Março/2016.
12 Disponível em:

http://ambientes.ambientebrasil.com.br/educacao/nucleos_de_educ

Geografia 12
Apostila Digital Licenciada para Renê da Silva Pereira - aspirantepm2009@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO

principalmente em área de encostas de morro, falta de (B) Pernambuco apresenta vegetações variadas de acordo
saneamento básico e saúde precária. com cada região, predominando as áreas de caatinga, floresta
É neste contexto, que o Núcleo de Educação Ambiental da tropical e mangues litorâneos.
Representação do IBAMA em Pernambuco, vem (C) A maioria dos rios de Pernambuco pertence à Região
desenvolvendo atividades de Educação Ambiental de forma Hidrográfica do São Francisco.
interdisciplinar que tornem possível práticas concretas nas (D) Ponta do Seixas, considerada o ponto extremo leste do
áreas de educação, sociologia, política e gestão ambiental, território brasileiro, está localizada em Pernambuco.
embaçadas nas experiências dos envolvidos nos trabalhos, (E). Os climas predominantes no estado são o tropical
como nas realidades regionais, objetivando a formação da atlântico e o semiárido.
consciência crítica das populações, para resgatar as condições
e meios de intervir, junto com as instituições governamentais, 04. (BRASILESCOLA) Sobre as características
por uma possível melhoria de qualidade de vida. Assim, as populacionais de Pernambuco é correto afirmar que:
ações educativas do NEA, baseiam-se num trabalho de (A) Pernambuco, com cerca de 8,7 milhões de habitantes, é
Educação Ambiental Comunitário, abrangendo os municípios o estado mais populoso da Região Nordeste.
de Abreu e Lima, Camaragibe, Carnaíba, Rio Formoso, (B) A população estadual está distribuída de forma
Tamandaré. Municípios estes que apresentam problemas desigual no território, visto que as regiões litorâneas
ambientais graves como deteriorização e erosão dos solos concentram maior contingente populacional; em
produtivos, contaminação dos recursos hídricos, devastação contrapartida, o interior é pouco populoso.
da vegetação nativa, uso indevido de agrotóxicos, pesca (C) A maioria dos habitantes de Pernambuco reside em
predatória e falta de saneamento básico que evidenciam a áreas rurais, pois a agropecuária é a principal atividade
necessidade de ações de educação ambiental, envolvendo econômica.
todos os segmentos sociais da comunidade, para mediante (D). Os pernambucanos desfrutam de elevado padrão
uma ação conjunta, serem encontradas soluções adequadas. social, não havendo problemas de ordem socioeconômica.
(E). Por ser a sub-região com maior extensão territorial em
Questões Pernambuco, o Sertão é o mais populoso.

01. (PM/PE – Soldado - UPENET/IAUPE/ Adaptada) 05. (BRASILESCOLA) Analise as afirmativas sobre as
Sobre as regiões de Pernambuco, analise as afirmações abaixo. características econômicas de Pernambuco e marque (V) para
I. Na Zona da Mata, o clima é quente e úmido; o relevo se as verdadeiras e (F) para as falsas.
caracteriza por apresentar colinas convexas, que surgem (A) O setor de serviços é o principal responsável pelo PIB
dominantemente em terrenos cristalinos da porção oriental de Pernambuco, impulsionado pelo turismo e pelo comércio.
do estado, principalmente na Mata Sul assim como apresenta (B). Importante atividade econômica nos séculos
médias anuais de chuvas superiores a 1.800mm, com anteriores, a agricultura não contribui mais para o PIB
temperaturas anuais em torno de 24ºC. estadual.
II. No Sertão, sobretudo a partir de Arcoverde, o relevo se (C) O setor industrial está em constante expansão, com
mostra com predominância de superfície aplainada, destaque para os segmentos de transformação de minerais,
denominado de pediplanos, com relevos residuais, também confecção, petroquímico e farmacêutico.
conhecidos como inselbergues. Apresenta precipitações (D) Apesar do potencial turístico do estado, essa atividade
anuais iguais ou inferiores a 800mm. Também são é pouco desenvolvida, sobretudo pela falta de estrutura
encontradas “ilhas de umidade”, ou brejos, onde se observam hoteleira.
índices de chuvas em torno de 900 a 1.000 mm.
III. O Agreste marca a transição entre a Zona da Mata e o 06. (UFPE – Geografia - Adaptada) Num relatório de
Sertão. A policultura e a pecuária de corte são as principais trabalho de campo, realizado por um grupo de alunos
atividades econômicas. Os rios são predominantemente encarregados de estudar geograficamente uma determinada
perenes, sendo constatados, apenas, pela forma do leito e pela área do Brasil, foi dito o seguinte: “A área investigada, situada
existência de alguns poços. na Zona da Mata pernambucana, apresenta um relevo
Somente está CORRETO o que se afirma em dominantemente composto por colinas de perfil convexo, em
(A) I e II. áreas cristalinas. Os solos são bem desenvolvidos e, nas
(B) II e III. várzeas, são excelentes para o desenvolvimento de atividades
(C) I e III. agrícolas. Essa área apresenta semelhanças notáveis com
(D) II. alguns trechos da Região Sudeste do país, especialmente no
(E) III. que se refere às condições de umidade atmosférica,
pedológicas e cobertura vegetal. Contudo o uso do solo e o
02. (BRASILESCOLA) Pernambuco é uma unidade processo de ocupação do espaço exibem grandes diferenças
federativa do Brasil. Sendo assim, o estado integra uma das quando comparadas com essa macrorregião brasileira
cinco Regiões do país. Portanto, marque a alternativa que mencionada”. Que princípio da análise geográfica foi utilizado
indica corretamente a Região que abriga o estado de nesse texto?
Pernambuco. (A) Princípio da Analogia
(A) Sul (B) Princípio do Atualismo
(B) Norte (C) Princípio da Atividade
(C) Centro-Oeste (D) Princípio do Determinismo
(D) Sudeste (E) Princípio da Causalidade
(E) Nordeste

03. (BRASILESCOLA) Analise as afirmativas sobre os Respostas


aspectos físicos de Pernambuco e marque a alternativa
INCORRETA. 01. Resposta: A.
(A) O território pernambucano está localizado na Região O clima da Zona da Mata é tropical úmido. As chuvas se
Nordeste do Brasil, sendo banhado pelo Oceano Atlântico. concentram nas estações do outono e inverno. As
temperaturas médias mensais são altas.

Geografia 13
Apostila Digital Licenciada para Renê da Silva Pereira - aspirantepm2009@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO

No Sertão as cotas altimétricas decrescem em direção ao


Rio São Francisco, formando, em relação ao Planalto da
Borborema uma área de depressão relativa. As formações
geomorfológicas predominantes são os inselbergues, serras e
chapadas, estas últimas aparecendo em áreas sedimentares. A
Chapada do Araripe tem altitude média de 800m.

02. Resposta: E.
Pernambuco, juntamente com Bahia, Sergipe, Alagoas,
Paraíba, Rio Grande do Norte, Ceará, Piauí e Maranhão,
formam a Região Nordeste do Brasil.

03. Resposta: D.
O ponto extremo leste do território brasileiro é Ponta do
Seixas, que está localizada no estado da Paraíba e não em
Pernambuco.

04. Resposta: B.
O território pernambucano apresenta uma grande
disparidade com relação à ocupação humana. As regiões
litorâneas concentram um elevado número de habitantes,
enquanto que o interior é pouco populoso.

05. Resposta.
a) Verdadeiro: O setor de serviços, impulsionado pelo
comércio e o turismo, responde por mais de 73% do Produto
Interno Bruto (PIB) pernambucano, sendo a principal fonte de
receitas do estado.

b) Falso: Apesar de não ser a principal atividade


econômica de Pernambuco, a agricultura continua sendo uma
importante fonte de capitação de receitas financeiras, com
destaque para os cultivos de cana-de-açúcar e rosas.

c) Verdadeiro: Pernambuco tem apresentado


fortalecimento nas atividades industriais. Os segmentos mais
expressivos são o de transformação de minerais, confecção,
petroquímico e farmacêutico.

d) Falso: O turismo é uma atividade econômica elementar


para o estado, que possui uma boa estrutura hoteleira,
recebendo milhares de visitantes de vários países.

06. Resposta: A.
O Princípio implícito no texto é o da Analogia, que foi
enunciado por Karl Ritter. De acordo com esse princípio,
depois de uma área estudada ser delimitada, deve-se compará-
la com outras áreas, estabelecendo as semelhanças e
diferenças que existam.

Anotações

Geografia 14
Apostila Digital Licenciada para Renê da Silva Pereira - aspirantepm2009@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO

Ao lado de muitos outros documentos fósseis, os do


Araripe, em especial os de Santana, dão uma contribuição
importante à Teoria da Evolução de Darwin sobre o ritmo dos
acontecimentos na evolução biológica, hoje em estreita
sintonia com a pesquisa genética mais avançada. Além dos
sedimentos do Cretáceo, também existem depósitos jurássicos
mais antigos, como troncos fossilizados de árvores. Há ainda
sítios arqueológicos que atestam uma ocupação humana do
período neolítico (utensílios de pedra, cerâmica, pinturas
rupestres, com 5 a 7 mil anos).
A região é também uma das maiores produtoras de gipsita
do país.
Ocupação pré-colonial do
Vale do Catimbau
atual Estado de Pernambuco:
Ocupação Pré-Histórica de Aproximadamente 12 mil anos, durante a transição entre
Pernambuco os períodos Pleistoceno e Holoceno, boa parte do território
brasileiro já estava ocupado por grupos de caçadores e
coletores pré-históricos.
Apesar de contabilizarmos a idade do Brasil como 515 Esses grupos são divididos pelos arqueólogos em
anos, desde a chegada dos portugueses em 22 de abril de 1500, tradições, estabelecidas de acordo com os resquícios de sua
já existiam habitantes neste território, com histórias, línguas, cultura material. À tradição Nordeste pertenciam aqueles que
culturas e religiões próprias. possuíam indústria lítica e faziam pinturas rupestres. Há mais
Em Pernambuco não foi diferente. O ou menos 7 mil anos atrás, esse grupo foi substituído pelas
nome Pernambuco vem do tupi Paranãpuka, que significa tribos da tradição Agreste, caracterizadas pela tradição
"buraco de mar", expressão com a qual os índios conheciam a guerreira. É a esse período de transição que remonta a
foz do rio Santa Cruz, que separa a ilha de Itamaracá do presença humana mais antiga de que se tem notícia no Parque
continente, ao norte do Recife. Daí, caminhou para suas formas Nacional do Vale do Catimbau. Em 1970 foi descoberto um
primitivas Perñabuquo e Fernambouc, já denominando o esqueleto datado de 6.800 anos em um abrigo utilizado como
porto do Recife e fazendo-se presente nos mapas portugueses. cemitério. Atualmente está em exposição no Museu Municipal
Sobre a origem dos povos indígenas pernambucanos, de Buíque.
existem ao menos duas teorias sobre sua chegada ao Segundo pesquisadores da UFPE, os antigos habitantes do
continente americano. A versão tradicional aponta para a lugar eram grupos caçadores-coletores do Período Holoceno
travessia do estreito de Bering, entre a Sibéria e o Alasca, entre que não apresentavam domínio da cerâmica e moravam em
12 e 15 mil anos atrás. A partir da chegada ao Alasca, os povos cavernas (tanto é que, das cerca de 200 grutas e cavernas
teriam se dispersado por todo o continente americano, no existentes no Vale, pelo menos 28 guardam vestígios de
sentido Norte-Sul. sepultamentos). Dos 23 sítios arqueológicos com grafismos
Após pesquisas realizadas na Serra da Capivara, no Estado rupestres já catalogados pelo IPHAN no Parque, o maior e mais
do Piauí, a arqueóloga Niède Guidon encontrou indícios de que importante é o Alcobaça, situado em um paredão rochoso com
o continente seria habitado a partir de pelo menos 50 mil anos configuração de anfiteatro. Lá foram encontradas pinturas
atrás, alcançando a América através da travessia do oceano rupestres em um painel de 60m, ocupando uma área de 50m
Pacífico. A pesquisa da arqueóloga ainda é tema de discussões de extensão com largura variando entre 2 e 3m. Já a pedra da
e debates, pois mesmo com a datação feita através do Carbono Concha apresenta um painel de 2,3m por 1,5m, abrigando
14, que possui grande precisão, muitos argumentam que os inscrições com figuras humanas, animais e desenhos
restos de fogueira atribuídos aos povos que habitavam a geométricos em tons ocre. São imagens isoladas que não
região fossem na verdade restos de queimadas naturais. compõem cenas, com predominância da tradição Agreste.
Entre os principais destaques na área arqueológica do Acredita-se que foram utilizados nas pinturas pigmentos
Estado de Pernambuco estão: metálicos e não metálicos misturados a pigmentos orgânicos,
como genipapo e urucum.
Chapada do Araripe
Furna do Estrago
A Chapada do Araripe é uma das mais importantes áreas
para o estudo geológico de Pernambuco, com 8 mil km² de A Furna do Estrago, abrigo sob rocha localizado no
superfície e uma altitude média de 600m na divisa com o Município de Brejo da Madre de Deus, é um dos mais
Ceará, consistindo em um dos principais sítios do Período importantes sítios arqueológicos do Brasil. Formado pelo
Cretáceo do mundo. desabamento de um grande bloco de rocha granítica no sopé
Na região, destacam-se a concentração de diversos tipos de da Serra da Boa Vista durante as glaciações, o abrigo foi
fósseis e formações geológicas, que começaram a ser preenchido por blocos de rocha e sedimentos soltos pelo
explorados nos primeiros anos do século XIX, com registros intemperismo físico, transportados em violentas precipitações
entre 110 e 70 milhões de anos, em excepcional estado de torrenciais. Constituído por um único salão de 125m² de área
preservação e diversidade. Na Chapada do Araripe encontram- coberta, com abertura voltada para nordeste, o abrigo é
se mais de um terço de todos os registros de pterossauros do bastante arejado, seco e iluminado, e diante dele se estende um
mundo, mais de 20 ordens diferentes de insetos e a única patamar delimitado por grandes blocos de rocha granítica,
notação da interação inseto-planta. Os fósseis da "Formação de alguns contendo arte rupestre. Da sucessiva utilização do sítio
Santana", um dos setores geológicos da Bacia do Araripe mais como habitação por grupos caçadores-coletores numa
ricos em vestígios de peixes, evidenciam a época em que boa sequência temporal de aproximadamente 10 mil anos,
parte do Nordeste era um imenso mar continental, entre 112 e resultou uma estratigrafia em que predominam as lentes de
99 milhões de anos atrás. fogueiras superpostas, formando pacotes de cinzas, e

História 1

Apostila Digital Licenciada para Renê da Silva Pereira - aspirantepm2009@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO

sedimentos finos, soltos, secos, de cor parda, contendo restos como os municípios de Carnaubeira da Penha e Floresta se
alimentares e artefatos de pedra e osso. inserem no chamado "polígono da maconha", que engloba
Há cerca de 2 mil anos, a Furna passou a ser utilizada como vários municípios do sertão pernambucano.
cemitério. Os depósitos feitos pelo homem desde o início do No mais, vale mencionar que prevalecem as habitações de
Holoceno foram intensamente perturbados com a abertura de taipa e alvenaria, ocorrendo também as de palha.
dezenas de fossas funerárias. Apenas uma área próxima do Fulni-ô
fundo do abrigo permaneceu intacta e foi tomada para estudos.
Da ocupação do sítio como cemitério foram encontrados O domínio dos Fulni-ô sobre as terras de Águas Belas é
83 esqueletos humanos em bom estado de conservação. As bastante antigo, e desenvolve-se profundamente imbricado
condições ambientais favoreceram a rápida desidratação da com o antigo aldeamento que originaria o núcleo urbano de
matéria orgânica e a preservação da pele, dos cabelos e do Águas Belas. Desde o século XVIII têm--se notícias de índios
cérebro em alguns indivíduos, bem como do artesanato em ocupando a Serra do Comunati, situada ao norte da atual
palha utilizado no ritual funerário. É de notar a persistência de cidade de Águas Belas. Por esta época foi criado o aldeamento
um padrão de sepultamento em que os corpos eram colocados do Ipanema, cujas terras seriam doadas aos índios "Carnijós"
na posição fletida (fetal), amarrados com cipós e embrulhados pelo Governo Imperial através de Carta Régia nº 33 em 05 de
em esteiras de folhas de palmeira, compondo verdadeiros junho de 1705, com duas léguas de terras em quadra.
fardos funerários. Os recém-nascidos eram depositados em Os Fulni-ô são o único grupo do Nordeste que conseguiu
pequenos cestos ou em espatas de palmeiras e não levavam manter viva e ativa sua própria língua - o Ia-tê - assim como
adornos, ao passo que os adultos estavam acompanhados de um ritual a que chamam Ouricuri, que atualmente realizam no
colares e alguns levavam flautas ósseas e tacapes. maior sigilo.

O ritual do Ouricuri
Características socioculturais Os preparativos para a mudança para a aldeia do Ouricuri
das populações indígenas que se iniciam nas últimas semanas do mês de agosto. Todos os
Fulni-ô que trabalham fora de Águas Belas, como funcionários,
habitavam o território do atual professores, policiais, durante a primeira semana do ritual
estado de Pernambuco, antes pedem licença para se ausentarem do trabalho e se
dos primeiros contatos euro- concentrarem na aldeia do Ouricuri; os que podem aí
permanecem sem sair durante todo o ritual.
americanos Todos os Fulni-ô têm como norma a proibição de falar do
ritual. Os anciãos asseguram que aqueles que infringiram esta
Entre os povos que ainda habitam Pernambuco,
norma tiveram morte estranha. Sem dúvida esta é uma
sobreviventes dos massacres e doenças, estão:
advertência para evitar a quebra do sigilo.
Uma parte do que acontece na aldeia do Ouricuri é de
Atikum
domínio público. Sabemos assim que existem áreas onde as
mulheres não podem entrar, embora elas tenham
Há vários registros antigos de índios habitando a região da
conhecimento das atividades que se realizam nesses lugares.
serra do Umã, As primeiras visitas de representantes do
Durante a noite os homens dormem separados das mulheres,
Serviço de Proteção ao Índio àquele grupo ocorreram entre
estas nas casas e aqueles nos galpões. Durante os meses do
1943 e 1945, conforme depoimento de índios Atikum, quando
ritual está proibido manter relações sexuais dentro da aldeia
funcionários desse órgão estiveram na área para assisti-los
do Ouricuri. Embora não se pratique uma abstinência sexual
dançarem o "toré". A realização do "toré" seria o Indicador de
absoluta, respeita-se o lugar sagrado do ritual, mantendo este
que os habitantes daquela serra do sertão pernambucano
tipo de relações fora da aldeia. Está proibido também tomar
eram "índios", o que Ihes daria então o direito de receberem
bebidas alcoólicas, escutar música, e inclusive assobiar.
assistência do SPI (Serviço de Proteção ao Índio). Em 1949 foi
Quando um Fulni-ô na cidade ou na aldeia do Posto Indígena
criado o Posto Indígena Aticum, posteriormente denominado
toma alguma bebida alcoólica, não pode ir à aldeia do Ouricuri.
Padre Nelson, na aldeia Alto da Serra. Documentos do SPI dão
Por esse motivo nesta época evitam tomar qualquer bebida
conta que antes da Instalação do posto, a prefeitura de Floresta
embriagante. No dizer de alguns anciãos no ritual rezam e
cobrava Imposto ou foro dos índios pelo uso da terra, e
oram pelo bem de todos, pois asseguram que sua religião é
fazendeiros vizinhos acostumavam utilizar as terras da serra
bastante parecida com a religião católica.
como pastagem de gado. Teria sido através de intervenções do
SPI junto à prefeitura, que os índios conseguiram a suspensão
Pankará
da cobrança do Imposto.
Na serra do Umã prevalece um solo de tipo argiloso, em
O povo Pankará, semelhante a outros povos situados na
contraposição ao arenoso característico do sertão que a
região Nordeste, passou por um processo histórico não linear,
rodeia. A vegetação na serra é predominantemente arbustiva,
caracterizado pelo fluxo constante de grupos indígenas nos
sendo que em alguns trechos despontam árvores de maior
sertões do Pajeú e adjacências como consequência do esbulho
porte. As capoeiras são uma constante na paisagem local.
de suas terras por tradicionais invasores presentes no cenário
Quanto à fauna, destacam-se gaviões, corujas, tiús, pebas,
político desde o período colonial, retratando, de certo modo, o
tatus, cangambás, cobras, preás, tamanduás, caititus e jacus.
contexto de dominação política e econômica presente nessa
Dos frutos silvestres, destacam-se o umbu e o maracujá. As
região até os dias atuais.
frutas cultivadas são as seguintes, por ordem de quantidade:
banana, manga, caju, mamão, pinha, goiaba, jaca, coco, laranja,
Todo o período do século XVII até início do século XVIII foi
limão. Há uma boa produção de mel também.
marcado pela expansão da pecuária nos Vales do Pajeú e São
A agricultura, base da economia Atikum, faz com que as
Francisco promovida pela Casa da Torre, comandada pelos
roças de mandioca, fava, milho, feijão, arroz, mamona e
Garcia D’Ávila. Neste período, descendentes de fundadores da
algodão sejam também uma constante na paisagem da Serra
Casa da Torre concederam a familiares dotes de terras por
do Umã. Acrescenta-se a isso o plantio de maconha (Cannabis
todo o riacho do Pajeú, estabelecendo-se as primeiras
sativa) que, apesar de não fazer parte de uma agricultura
fazendas sob o controle de famílias de coronéis.
Atikum, soma-se ao panorama geral, uma vez que a serra, bem

História 2

Apostila Digital Licenciada para Renê da Silva Pereira - aspirantepm2009@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO

Suas principais atividades produtivas estão voltadas para


Em decorrência, durante todo o século XVIII é comum a agricultura e a pesca. Assim elencam os produtos que
encontrar referências sobre os índios dessa região como cultivam, destacando a importância do milho em sua tradição:
“revoltados”, “dispersos”, “ladrões de gado”, “bárbaros”. As “Nós plantamos cebola, arroz, manga, macaxeira, mandioca,
perseguições e guerras contra os índios se estenderam até o goiaba, coco, coentro, alface, tomate, melancia, pimentão,
século XIX. Neste período também se legaliza o domínio pimentinha, cachi, cenoura, beterraba e milho. Quando nós
territorial das famílias tradicionais através do Registro de dizemos: ‘só milho!’ é uma expressão de que está tudo bem”.
Terras – Lei Imperial de 1850, para garantir a propriedade Os Truká também coletam e eventualmente caçam.
imobiliária; as do atual município de Floresta foram
registradas, pela primeira vez, em 1858 Xukuru

Pankararu Os Xukuru habitam um conjunto de montanhas, conhecido


como Serra do Ororubá, no estado de Pernambuco. Os
Os Pankararu fazem parte do grupo mais amplo de “índios registros sobre esses índios datam do século XVI e desde então
do sertão” ou Tapuia, caracterizado historicamente por indicavam que a sua ocupação nessa região já sofria
oposição aos Tupis da costa e ao Jê dos cerrados à oeste. Muito transformações devido aos violentos processos de
pouco estudados etnográfica e linguisticamente, pode-se expropriação de suas terras. Documentos relativos ao período
apenas inferir sobre seus movimentos pré-coloniais, quando colonial atestam essa invasão por parte dos portugueses e
aparentemente foram expulsos do litoral pela expansão no registram que a antiga Vila de Cimbres, hoje uma aldeia
sentido Norte/Sul dos Tupis e, encontrando resistência para o xukuru, foi palco de conflitos entre os Xukuru e os
avanço à Oeste, pela presença do Jê, se estabeleceram no sub- colonizadores. Muitas aldeias foram extintas e as terras logo
médio São Francisco. registradas em nome de fazendeiros.
Os primeiros contatos sistemáticos do grupo foram Desde muito tempo conflitos entre os Xukuru e os
estabelecidos com missionários que no início do século XVII fazendeiros e políticos locais são constantes, mas sua
avançavam de Santo Antônio da Glória/BA, sertão adentro, em intensificação se deu especialmente com o início do processo
busca de mais almas para a conversão. demarcatório de suas terras em 1989.
Um pequeno brejo, formado pela vaga aberta em meio aos
últimos contrafortes da Serra de Tacaratu (mais conhecida
pela população local como Serra Grande), ganha a forma de um A Capitânia de Pernambuco:
anfiteatro, com sua cabeceira à leste abrindo-se no sentido
oeste em direção às margens do São Francisco. Este pequeno
a “Guerra dos Bárbaros”; a
"oásis verdejante", que serviu para a localização do lavoura açucareira e mão de
aldeamento de Brejo dos Padres, é um ponto avançado do obra escrava; a Guerra dos
agreste em plena área sertaneja, contrastante com a paisagem
em torno, marcada por uma pecuária ultra extensiva e
Mascates; as instituições
articulada, até meados do século XX, a uma agricultura de eclesiásticas e a sociedade
subsistência em geral pouco expressiva. colonial; Insurreição
As mudanças de infraestrutura decorrentes da instalação
das UHE de Paulo Afonso e Itaparica na década de 1980 e
Pernambucana
mesmo antes, quando das frustradas tentativas de irrigação
das margens do São Francisco pelo DNOCS na década de 1930,
atenuam o contraste entre o Brejo e seus arredores, onde se O início do domínio europeu e as tentativas de
sucedem cidades e áreas de irrigação. resistências à escravidão na América
Na seção central da Terra Indígena encontramos uma terra
bastante úmida e escura, alimentada por quatro fontes d'água O processo de interação e dominação entre indígenas e
que nascem na cabeceira dos contrafortes e que, antes das europeus começa com os primeiros contatos nas ilhas da
obras de canalização realizadas ao longo da década de 1990, América Central em 1492. Lá foram implantados os
formavam um pequeno rio que escorria até a estreita saída “repartimentos” que consistiam na distribuição de indígenas a
desse anfiteatro, procurando desembocar, quando a seca alguns espanhóis, conhecidos como encomendeiros, que
permitia, no São Francisco. Uma região rica em fruteiras, em tinham a função de cuidar e catequizar na fé cristã, ganhando
especial as mangueiras, goiabeiras e pinhas, que podem em troca a mão de obra indígena. Em 1500 a coroa espanhola
complementar a renda familiar de seus moradores em épocas tornou os indígenas livres e não mais sujeitos a servitude. Ao
menos secas. Como a qualidade do solo permite plantar de mesmo tempo ainda era possível dominar e escravizar
tudo, desde o milho e os diferentes tipos de feijão até a cana, indígenas através da chamada “Guerra Justa”, quando as ações
introduzida ali em inícios do século XIX, e que por muito tempo dos espanhóis pudessem ser consideradas morais.
alimentou pequenos engenhos de índios, não-índios e do SPI Os espanhóis possuíam vantagem em relação aos povos
na fabricação de "mel", garapa e rapadura. americanos pela estranheza e admiração que causavam. O
cavalo era um animal nunca antes visto no continente e
Truká impressionava os indígenas. Também a crença espanhola na
superioridade cultural, moral, e principalmente religiosa
Os Truká vivem na Ilha da Assunção no médio rio São ajudou no processo de dominação, além dos equipamentos de
Francisco no município de Cabrobó estão estimados em 3.463 combate, como armaduras e arcabuzes (primeiras
e tem seu território com uma superfície de 5.769ha. A aldeia espingardas) contra lanças e flechas.
da Assunção foi fundada provavelmente em 1722, e ficava O impacto da escravidão das populações indígenas foi
situada em uma grande ilha com esse mesmo nome imenso. Poucos anos após a chegada de Colombo em 1492
A Terra Indígena Truká está inserida em região conhecida grande parte da população nativa da América havia sido
como “Polígono da Maconha” e os índios vêm denunciando o dizimada por doenças e conflitos com europeus. Em 1512,
uso indevido de suas terras para esse plantio. tentando regular o funcionamento das Encomiendas, surgiu a
Lei de Burgos. Porém, a lei pouco adiantou, pois a ação
intensiva dos encomendeiros e a falta de fiscalização sobre
História 3

Apostila Digital Licenciada para Renê da Silva Pereira - aspirantepm2009@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO

suas ações não acabaram com as práticas de morte e trabalhos Para os portugueses o desafio foi diferente do enfrentado
forçados pelos espanhóis. A mão de obra indígena era indispensável
para as intenções mercantilistas de Portugal, que pretendia
Apesar de algumas sociedades que fizeram contato com iniciar a produção da cana-de-açúcar para a produção do
espanhóis estarem acostumados com grandes batalhas, como açúcar voltada para a exportação para o mercado europeu, o
Incas e Astecas nas regiões da Mesoamérica e andes, os gerava a necessidade da existência de uma grande quantidade
armamentos que os espanhóis possuíam tinham uma grande de mão de obra barata para gerar lucros.
vantagem em relação aos indígenas. Armas de pedra e madeira Apesar de serem considerados súditos da coroa, e
não eram páreo e se quebravam ou não possuíam efeito nas portanto, não poderem ser escravizados, a legislação criada
armaduras espanholas, armas de fogo possuíam mais poder por Portugal permitia recursos legais para a pratica da
destrutivo do que um arco e flecha. Assim, mesmo em menor dominação das populações nativas. O grupos indígenas que
número, os espanhóis ainda conseguiam obter uma vantagem sofreram o maior impacto da escravidão foram aqueles
militar. localizados no nordeste do país, nas capitanias de Pernambuco
e Bahia. Durante o período de 1540 a 1570 muitos colonos que
Além dos elementos bélicos, os espanhóis também se habitavam as citadas capitanias fizeram contato com indígenas
aproveitaram dos conflitos já existentes entre grupos da região e começaram a estabelecer trocas. Pelo fato de
indígenas distintos para conquistar as populações da América. existirem muitos grupos indígenas no Brasil, existiam também
Diferentemente do caso brasileiro, onde existiam diversas muitas diferenças e as guerras entre eles era algo constante.
etnias diversificadas entre si, os espanhóis encontraram Muitos dos prisioneiros feitos nesses conflitos eram trocados
grandes impérios nos caso Inca e Asteca, onde o poder ficava com os portugueses, que os utilizavam como escravos.
centralizado na figura de um único individuo, e a conquista e Muitos padres da Companhia de Jesus, conhecidos por
dominação destes significava a desestruturação da sociedade Jesuítas condenavam as ações praticadas pelos colonos
que comandavam. Em casos como o Asteca, os espanhóis portugueses em relação aos escravos indígenas, já que a rotina
utilizaram seus inimigos que foram dominados por um longo de trabalho nos canaviais era árdua e durava longas horas
período. A derrubada do império Asteca também significava diárias. Por pressão dos Jesuítas, a Coroa portuguesa
para esses indivíduos o fim da opressão que vinham sofrendo estabeleceu que os escravos fossem liberados de suas
de seus dominadores. Apesar da vitória contra os Astecas e o atividades durante os domingos para praticar a fé cristã e
auxílio aos espanhóis, essas populações acabaram por ter o frequentar a missa. Apesar da determinação real, a medida não
mesmo destino, que seus inimigos, indo de encontro também era seguida por muitos senhores de engenhos e quando era
à escravidão praticada, muitos indígenas acabavam usando o dia para
No caso Inca a geografia de seus territórios auxiliou para descansar ou praticar outras atividades que lhes rendessem
prolongar a resistência. Apesar da rápida conquista que uma alimentação complementar, deixando de lado as
obtiveram, optaram por fundar uma nova capital para obrigações religiosas.
comandar a região, em Lima (Atual capital do Peru), deixando Os Jesuítas criaram aldeamentos com o objetivo de batizar
a antiga capital do império Inca em Cuzco na mão de os índios na fé católica. Com a ideia de que poderiam alcançar
subordinados do antigo império. A distribuição desigual de o paraíso e praticar a fé cristã, os índios eram catequizados.
riquezas entre os lideres incas pelos espanhóis causaram Para conseguir uma aproximação e conquistar os interesses
revoltas, como as ocorridas entre 1536 e 1537, na tentativa de indígenas, os Jesuítas aprenderam sua linguagem e seus
recuperar as terras que haviam sido dominadas. A vantagem costumes, para pouco a pouco incorporar elementos religiosos
dos indígenas nesse caso foi a altitude dos Andes, que lhes em sua cultura e finalmente torna-los completamente cristãos
rendeu vitórias em batalha por algum tempo, já que os O abandono das antigas crenças e aceitação da fé cristã,
espanhóis não estavam acostumados com a falta de oxigênio mesmo quando imposta, era considerada pelos jesuítas, que
causada pela altitude das montanhas. acreditavam que a melhor maneira de conquistar os índios era
através da fé, o que os tornaria mais pacíficos e facilitariam a
Apesar dos impérios americanos constituírem grande vida dos colonos pois auxiliariam em guerras contra tribos
parte do território de ação dos espanhóis, alguns grupos consideradas perigosas e hostis, além dos invasores franceses
autônomos renderam aos espanhóis grandes preocupações e e holandeses que possuíam grande interesse pelo território
conflitos. Grupos como os Araucanos e Mixtecas, que viviam brasileiro. É importante notar o ponto de vista indígena,
nas fronteiras dos grandes impérios, não possuíam a mesma muitas vezes atraídos para os aldeamentos com o objetivo de
unidade de Incas e Astecas, e tinham de ser conquistados um fugir da escravidão imposta pelos colonos e das guerras
por um. A existência de grupos não pacificados ou dominados praticadas por seus rivais.
gerava uma grande perda para a economia local, pois os gastos Ao passo em que não se mostra mais atrativa, a colonização
com a defesa desses lugares era muito grande, além dos indígena no Brasil, assim como na América espanhola passa a
prejuízos gerados pelos ataques, como são os casos das ser considerada sob a pretensão da “Guerra Justa”
Guerras de Arauco na região do Chile e as rebeliões no norte Ocorrida entre os anos de 1650 e 1720, a Guerra dos
do México causados por Mixtecas. Bárbaros envolveu os colonizadores e os povos nativos
chamados Tapuia e teve como palco uma área que
A escravidão no Brasil correspondia em termos atuais a um território que inclui os
sertões nordestinos, desde a Bahia até o Maranhão. A
O domínio da América portuguesa se deu de forma muito denominação Tapuia foi dada pelos cronistas da época, e
diferente da América espanhola. O território brasileiro possuía perpetuada pela historiografia oficial, aos grupos indígenas
uma grande variedade de povos indígenas, de diferentes com diversidade linguística e cultural que habitavam o
culturas e costumes. É importante destacar a heterogeneidade interior, em distinção aos Tupi, que falavam a língua geral e se
dos povos que aqui viviam. Há uma estimativa de que no fixaram no litoral. Estudos atuais demonstram que esses povos
momento do contato com os europeus viviam aqui entre 2 e 4 pertenceram aos seguintes grupos culturais: os Jê, os Tarairiu,
milhões de pessoas, que estariam, segundo alguns autores, os Cariri e os grupos isolados e sem classificação. Entre eles
divididos em mais de 1000 povos diferentes, que podem ser citados os Sucurú, os Bultrim, os Ariu, os Pega, os
desapareceram por conta de epidemias, conflitos armados e Panati, os Corema, os Paiacu, os Janduí, os Tremembé, os Icó,
desorganização social e cultural. os Carateú, os Carati, os Pajok, os Aponorijon, os Gurgueia, que

História 4

Apostila Digital Licenciada para Renê da Silva Pereira - aspirantepm2009@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO

lutaram ora contra ora a favor dos colonizadores de acordo consequências. A colônia portuguesa de exploração prosperou
com as estratégias que visavam à sua sobrevivência. graças ao sucesso comercial da produção da cana-de-açúcar.
Um dos exemplos deu-se com a "Confederação dos Cariris",
que durou de 1683 - 1713, na qual nativos do Rio Grande do
Norte e principalmente do Ceará, e alguns de Pernambuco,
Piauí e Parnaíba se uniram em uma confederação para
enfrentar o conquistador branco.
Os cariris ocupavam a vastíssima região compreendida
entre a margem esquerda do Rio São Francisco e as quebradas
das serras do Araripe e da Ibiapaba. Habitavam o sertão mas,
ao longo dos rios e de suas cabeceiras, estendiam-se até as
proximidades da costa ou para lá se dirigiam de outubro a
novembro, para a colheita do caju, que usavam como alimento
e na fabricação do vinho denominado mocororó.
Em face da gravidade da situação, dos pedidos de socorro
que lhe chegavam das zonas conflagradas, não dispondo de
forças suficientes para reprimir a revolta, frei Manuel da
Ressurreição, então no governo-geral do Brasil, decidiu
requisitar bandeirantes de São Paulo e de São Vicente, para
acabar com a anarquia.
A presença dos paulistas não evitou que a guerra entre os
brancos e os silvícolas confederados se dilatasse anos seguidos
das fronteiras do Rio Grande do Norte ao interior do Ceará. Os
Baiacus foram os mais terríveis e constantes inimigos dos
colonizadores na zona do baixo Jaguaribe.
No ano de 1713 a Confederação mostrou-se ainda viva na
revolta geral desencadeada pelos Baiacus, Anacés,
Jaguaribaras, Acriús, Canindés e Jenipapos, que forçaram os
Tremembés a segui-los.
A vila do Aquiraz, então sede da Capitania, foi
inopinadamente atacada. Na sua defesa morreram 200
pessoas. O resto da população fugiu, defendendo-se como pode Fonte: http://4.bp.blogspot.com/Economia+no+século+XVI.jpg
pelo caminho, que se semeou de mortos, indo acolher-se à
proteção dos canhões da fortaleza de Nossa Senhora da O senhor de engenho, que era proprietário do complexo de
Assunção na foz do Pajeú. produção de açúcar, ou engenho desfrutava de admirável
Entrou então em ação o famoso regimento de ordenanças status social. Os engenhos eram compostos de amplas
do coronel João de Barros Braga. Essa cavalaria, vestida de propriedades de terras ganhas através da cessão de sesmarias.
couro como os vaqueiros e composta de homens conhecedores O senhor de engenho e sua família moravam na casa-grande –
do terreno em que pisavam, bem como do modo de guerrear local onde ele desempenhava sua autoridade junto aos seus,
dos indígenas, exterminou-se em violentíssima guerra de cumprindo seu papel de patriarca.
morte, que subiu pelo vale do Jaguaribe ao do Cariri e aos Em 1630 os holandeses invadiram o nordeste da colônia,
confins piauienses. na região de Pernambuco, que era a maior produtora na época.
Assim, acabou melancolicamente a terrível Confederação Durante sua permanência no Brasil, os holandeses adquiriram
dos Cariris que durante 30 anos trouxe em sobressalto as o conhecimento de todos os aspectos técnicos e
gentes que iam povoando e civilizando as terras do Rio Grande organizacionais da indústria açucareira. Esses conhecimentos
do Norte e do Ceará. criaram as bases para a implantação e desenvolvimento de
uma indústria concorrente, de produção de açúcar em grande
A cana-de-açúcar escala, na região do Caribe. A concorrência imposta pelos
holandeses, que haviam sido expulsos pelos portugueses, fez
Houveram muitos motivos para a escolha da cana como com o Brasil perdesse o monopólio que exercia mercado
produto da colônia, entre eles a ocorrência do solo de massapê, mundial do açúcar, levando a produção a entrar em declínio.
que é propício para o cultivo da cana-de-açúcar. Além disso, As invasões holandesas na primeira metade do século XVII
era um produto muito bem cotado no comércio europeu. As estão relacionadas com a criação da União Ibérica. Antes do
primeiras mudas de cana-de-açúcar chegaram no início da domínio dos Habsburgos, as relações comerciais e financeiras
ocupação efetiva do território brasileiro, trazidas por Martim entre Portugal e Holanda eram intensas. Pouco antes de Felipe
Afonso de Souza em 1533 e plantadas no primeiro engenho, II tornar-se rei de Portugal, os Países Baixos iniciaram uma
construído em São Vicente. guerra de independência, tentando libertar-se do domínio
Os principais centros de produção açucareira do Brasil espanhol. Iniciada em 1568, essa guerra de libertação
localizavam-se nos atuais estados de Pernambuco, Bahia e São culminou com a União de Utrecht, sob a chefia de Guilherme de
Paulo. A ocupação do Brasil no Século XVI esteve Orange. Em 1581, nasciam as Províncias Unidas dos Países
profundamente ligada à indústria açucareira. A economia de Baixos, mas a guerra continuou.
plantation possui relação intensa com os interesses dos Assim que Filipe II assumiu o trono luso, proibiu o
proprietários de terras que lucravam enormemente com as comercio açucareiro luso-flamengo. O embargo de navios
culturas de exportação. holandeses em Lisboa provocou a criação de companhias
O latifúndio, isto é, a grande propriedade rural, formou-se privilegiadas de comércio. Entre 1609 e 1621, houve uma
nesse período, tendo consequências até os dias de hoje. A trégua, que permitiu a normatização temporária do comercio
produção da cana-de-açúcar também contribuiu para a entre Brasil-Portugal e Holanda. Em 1621, terminada a trégua,
vinculação dependente do país em relação ao exterior, a os holandeses fundaram a Companhia de Comercio das Índias
monocultura de exportação e a escravidão e suas

História 5

Apostila Digital Licenciada para Renê da Silva Pereira - aspirantepm2009@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO

Ocidentais, cujo alvo era o Brasil. Começava a Guerra do O cultivo do açúcar e os engenhos motivaram essa variação
Açúcar. de trabalhadores livres, em que os senhores de engenhos
A primeira invasão foi na Bahia, realizada por três mil e consideravam estar no topo da sociedade. A divisão da terra
trezentos soldados. Salvador foi ocupada sem muita através das sesmarias beneficiava os mais abastados que se
resistência. O governador Diogo de Mendonça Furtado foi tornavam os grandes proprietários e arrendavam uma parte
preso e a cidade, saqueada. A população fugiu para o interior, para colonos que não possuíam condições para ter sua própria
onde a resistência foi organizada pelo bispo D. Marcos Teixeira terra, denominando assim os Senhores de engenhos
e por Matias de Albuquerque. Os baianos também receberam (produtores de açúcar) e os lavradores (produtores de cana).
a ajuda de uma esquadra luso-espanhola (“Jornada dos As relações entre senhores de engenho e agricultores, unidos
Vassalos”) e, em maio de 1625, os holandeses foram expulsos. pelo interesse e pela dependência em relação ao mercado
A segunda invasão holandesa no Nordeste foi direcionada internacional, formaram o setor açucareiro.
contra Pernambuco, uma capitania rica em açúcar e pouco A ideia de colônia construída por duas categorias
protegida. Olinda e Recife foram ocupadas e saqueadas. A (senhores e escravos), priorizando as relações de produção e
resistência foi comandada por Matias de Albuquerque, a partir forças produtivas, escondeu uma sociedade bem mais ampla,
do Arraial do Bom Jesus, e durante alguns anos impediu que os de um universo social açucareiro, em que viviam
invasores ampliassem sua área de dominação. Mas a “traição” trabalhadores do campo e semi-livres que exerciam trabalhos
de Domingos Calabar alterou a situação. como mercadores, roceiros, artesãos, oficiais, lavradores de
Entre 1637 e 1644, o Brasil holandês foi governado pelo roças e desocupados. A partir do século XVIII a colônia tinha
conde Mauricio de Nassau-Siegen, que expandiu o domínio uma população de libertos e libertas que originavam pequenos
holandês do Nordeste até o Maranhão e conquistou Angola proprietários de terras, de etnias diversas: brancos pobres,
(fornecedora de escravos). Porém, em 1638, fracassou ao negros libertos, mestiços, artesãos e trabalhadores livres.
tentar conquistar a Bahia. Quando Portugal restaurou sua O autor Stuart B. Schwartz detalha sobre os trabalhadores
independência e assinou a “Trégua dos Dez Anos” com a livres assalariados dos engenhos, voltando seus estudos para
Holanda. Nassau continuou administrando o Brasil holandês o Engenho Sergipe, trabalhadores que recebiam a soldada por
de forma exemplar. Urbanizou Recife, fundou um zoológico, dia ou tarefa, que ao longo do tempo sofreu declinações e
um observatório astronômico e uma biblioteca, construiu diminuições dos salários. Dentro dos engenhos exerciam
jardins e palácios e promoveu a vinda de artistas e cientistas trabalhos como: mestres de açúcar, feitores, banqueiro,
para o Brasil. caixeiro, purgador, caldeireiro, médico (que também era
Além disso, adotou a tolerância religiosa e dinamizou a dentista e farmacêutico) e escumeiro, funções que tinham um
economia canavieira. Sua política garantiu o apoia da pagamento e que variava ao longo da colheita, do serviço e até
aristocracia local, mas entrou em choque com os objetivos da mesmo do engenho em que se prestava serviço, o feitor-mor
Companhia das índias Ocidentais. Em 1644, Nassau demitiu- recebia a soldada mais alta e não há uma disputa por
se. Enquanto isso, os próprios brasileiros organizaram a luta trabalhadores. Com a utilização da mão de obra escrava muitos
contra os flamengos, com a Insurreição Pernambucana Os trabalhos deixaram de existir, como os barqueiros, vaqueiros,
líderes foram André Vidal de Negreiros, João Fernandes Vieira. levadeiros e escumeiros, com a substituição dos trabalhadores
Henrique Dias (negro) e o índio Filipe Camarão. Em 1648 e livres por escravos especializados. Os trabalhadores livres
1649, as duas batalhas de Guararapes foram vitorias dos começaram a priorizar o trabalho artesanal como carpinteiro,
nativos. Em 1652, o apoio oficial de Portugal e as lutas dos ferreiro, sapateiro, ourives e alfaiates.
holandeses na Europa contra os ingleses, em decorrência dos Os trabalhadores livres não possuíram uma estrutura
prejuízos causados pelos Atos de Navegação de Oliver social configurada. Por conta da instabilidade, pelo trabalho
Cromwell, levaram os holandeses a Capitulação da Campina do esporádico, incerto e aleatório, o vadio não possuía um
Taborda Expulsos do Brasil. os holandeses foram, desenvolver trabalho fixo. Porém, a qualquer hora poderia ser utilizado em
a produção de açúcar nas Antilhas, contribuindo para a crise alguma coisa, considerados como uma espécie de exército de
do complexo açucareiro nordestino. Mais tarde, Portugal e reserva da escravidão, uma mão-de-obra alternativa.
Holanda firmaram o Tratado de Paz de Haia (1661), graças a
mediação inglesa. Segundo tal tratado, a Holanda receberia A sociedade no Brasil colonial
uma indenização de 4 milhões de cruzados e a cessão pelos
portugueses das ilhas Molucas e do Ceilão, recebendo ainda o
direito de comerciar com maior liberdade nas possessões
portuguesas, em razão da perda do Brasil holandês.

No Brasil colonial a mão de obra escrava foi utilizada


amplamente. A escravidão está presente na formação do país,
desde os índios aos negros que chegavam em navios, a
utilização do trabalho escravo se deu pela intenção de
maximizar lucros através da superexploração do trabalho e do
trabalhador. Apesar da ampla utilização do trabalho escravo,
este não foi o único, uma parte da sociedade era livre,
composta de trabalhadores livres, que no início eram
portugueses condenados ao exílio na América como punição.
Ser livre na colônia significava não ser escravo, já que
mesmo sendo livres, os mais pobres eram marginalizados e
tinham poucas chances de ascensão e eram privados de exigir
melhores situações econômicas. No grupo de trabalhadores
livres estavam os degredados portugueses, escravos forros
(libertos), os mestiços, pardos e brancos. Os homens livres
formam um grupo bastante variado em que a posição social e
o serviço são variáveis e boa parte dos homens livres não
viviam melhor que muitos escravos.

História 6

Apostila Digital Licenciada para Renê da Silva Pereira - aspirantepm2009@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO

Luta entre os proprietários rurais de Olinda e os


comerciantes portugueses de Recife, originada pela expulsão
dos holandeses no século XVII.

Se a perda do monopólio brasileiro do fornecimento de


açúcar à Europa foi trágica para os produtores
pernambucanos, não foi tanto assim para a burguesia lusitana
de Recife, que passou a financiar a produção olindense, com
elevadas taxas e grandes hipotecas.

A superioridade econômico-financeira de Recife não tinha


correspondente político, visto que seus habitantes
continuavam dependendo da Câmara Municipal de Olinda. Em
1710, Recife conseguiu sua emancipação político-
administrativa, transformando-se em município autônomo.

Os olindenses, comandados por Bernardo Vieira de Melo,


invadiram Recife, provocando a reação dos Mascates,
chefiados por João da Mota.

A luta entre as duas cidades manteve-se até 1714, quando


foi encerrada graças à mediação da Coroa.
Fonte: http://portaldoprofessor.mec.gov.br/
O esforço da aristocracia fora inútil: Recife manteve sua
A imagem acima é uma representação da organização autonomia.
social no Brasil colonial:

No topo da pirâmide estavam os senhores de engenho, A Província de Pernambuco no I


além de grandes proprietários de terras e escravos, e II Reinado: Pernambuco no
dominavam a economia e a política, exercendo poder sobre contexto da Independência do
sua família e sobre outras pessoas que viviam em seus
domínios, sob sua proteção – os agregados. Brasil; Movimentos Liberais:
Era a chamada família patriarcal. Confederação do Equador e
Revolução Praieira; O tráfico
Na camada intermediária estavam os homens livres,
como religiosos, feitores, capatazes, militares, comerciantes, transatlântico de escravos para
artesãos e funcionários públicos. Alguns possuíam terras e terras pernambucanas; Cotidiano
escravos, porém não exerciam grande influência e formas de resistência escrava
individualmente, principalmente em relação à economia.
em Pernambuco; Crise da
Na base estava a maior parte da população, que era Lavoura canavieira; A
composta de africanos e índios escravizados (sendo os participação dos políticos
índios a primeira tentativa de escravidão, que mostrou-se
pouco vantajosa). pernambucanos no processo de
Os escravos não eram vistos como pessoas com direito a emancipação/abolição da
igualdade. escravatura.
Eram considerados propriedade dos senhores e faziam
praticamente todo o trabalho na colônia. A Confederação do Equador

Os escravos nas zonas rurais não tinham nenhum direito Inconformados com o caráter elitista da Constituição de
na sociedade e começavam a trabalhar desde crianças, aos 5 1824 e com o uso de um poder centralizador por parte de D.
anos de idade. Pedro I, representantes de algumas províncias do nordeste
defendiam a federação de algumas províncias do nordeste e a
A sociedade colonial brasileira foi um reflexo da própria separação destas do Brasil.
estrutura econômica, acompanhando suas tendências e Em Pernambuco, que já possuía um histórico de aversão
mudanças. aos portugueses e ao domínio imperial, com a revolução de
Suas características básicas, entretanto, definiram-se logo 1817, sentiram o peso do autoritarismo real quando D. Pedro
no início da colonização segundo padrões e valores do I depôs o então governador, Manuel de Carvalho Paes de
colonizador português. Assim, a sociedade do Nordeste Andrade, e indicou um substituto para o cargo. A troca do
açucareiro do século XVI, essencialmente ruralizada, governo seria o último episódio que antecedeu a formação do
patriarcal, elitista, escravista e marcada pela imobilidade movimento que ficou conhecido como Confederação do
social, é a matriz sobre a qual se assentarão as modificações Equador.
dos séculos seguintes. A Confederação teve início com a ação de lideranças e
populares pernambucanas, e logo ganhou força e espalhou-se
A Guerra dos Mascates (Pernambuco, 1710-1714) para outros estados do nordeste. Rio Grande do Norte, Ceará e
Paraíba também se juntaram ao movimento. Impassíveis às
tentativas de negociação do Império, os revoltosos buscaram
criar uma constituição de caráter republicano e liberal. Além

História 7

Apostila Digital Licenciada para Renê da Silva Pereira - aspirantepm2009@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO

disso, o novo governo resolveu abolir a escravidão e organizou abastecia com essa criação a área açucareira. Também era
forças contra as tropas imperiais. utilizada no Agreste, região intermediária entre Zona da Mata
Após as primeiras ações estabelecidas pela Confederação, e Sertão. No Agreste, foi desenvolvida a pecuária e diversas
alguns dos líderes decidiram radicalizar alguns pontos do culturas alimentares; o algodão também se fez presente nessa
novo governo, como a ampliação dos direitos políticos e região a partir da segunda metade do século XVIII.
reformas sociais. O rumo tomado por Frei Caneca e Cipriano Ao todo, estima-se que desembarcaram 853.833 africanos
Barata fez com que os apoiadores do movimento ligados em Pernambuco durante o período de vigência do tráfico e 260
diretamente à elite regional o abandonassem, temendo perder mil, ou 30%, entre 1801 e 1850, perfazendo uma média de 5
privilégios políticos e sociais já existentes. mil desembarcados por ano. Comparativamente, nos séculos
O governo imperial reagiu ferozmente ao movimento, XVII e XVIII a média era de 2.500 e 3.300 por ano,
utilizando inclusive a contratação de mercenários ingleses respectivamente.
para conter o levante. Os ataques do império e o Dados recentes apontam que o comércio de escravos em
enfraquecimento interno levaram ao fim da revolta, que teve Pernambuco era amplamente praticado pelos residentes da
dezesseis condenados à morte, entre eles, Frei Caneca, que foi região, visto que boa parte dos navios que aportavam em
fuzilado. Recife haviam partido do mesmo porto.
Os escravos capturados na África eram provenientes de
Revolução Praieira várias situações:

A revolução Praieira ocorreu em 1848, nascida de uma - poderiam ser prisioneiros de guerra;
rivalidade entre os partidos Liberal e Conservador na - punição para indivíduos condenados por roubo,
província de Pernambuco. Nessa época, o país se recuperava assassinato, feitiçaria ou adultério;
da crise econômica e, enquanto as províncias do Rio de Janeiro, - indivíduos penhorados como garantia de pagamento de
São Paulo e Minas Gerais prosperavam economicamente com dívidas;
a produção e exportação do café, as províncias nordestinas - raptos em pequenas vilas ou mesmo troca de um membro
estavam em decadência devido à crise da produção do da comunidade por alimentos;
açúcar e do algodão. A maior parte dos escravos vindos da África Centro-
Além da crise agrária, a província de Pernambuco possuía Ocidental era fornecida por chefes políticos ou mercadores.
grandes problemas sociais, como o fato do comercio e da A proveniência dos escravos percorria toda a costa oeste
política estarem nas mãos de portugueses que não admitiam da África, passando por Cabo Verde, Congo, Quíloa e Zimbábue.
trabalhadores brasileiros em seus estabelecimentos, Dividiam-se em três grupos: sudaneses, guinenos-
impunham os preços sem nenhuma forma de regulamento e sudaneses muçulmanos e bantus. Cada um desses grupos
possuíam total controle político. representava determinada região do continente e tinha um
Com a criação do Partido da Praia em 1842, formado por destino característico no desenrolar do comércio.
um grupo de democratas e liberais pernambucanos, liderados Os sudaneses dividiam-se em três subgrupos: iorubas,
por Borges da Fonseca, Abreu Lima, Inácio Bento de Loiola, gegês e fanti-ashantis. Esse grupo tinha origem do que hoje é
Nunes Machado e Pedro Ivo, surge uma nova voz na política representado pela Nigéria, Daomei e Costa do Ouro e seu
pernambucana, que acreditava que a luta armada seria a forma destino geralmente era a Bahia.
de resolver os problemas locais. Já os bantus, grupo mais numeroso, dividiam-se em dois
Com eleição de um presidente conservador para a subgrupos: angola-congoleses e moçambiques. A origem desse
província em 1848, os membros do Partido da Praia lançaram grupo estava ligada ao que hoje representa Angola, Zaire e
o chamado "Manifesto ao Mundo", documento em que exigiam Moçambique (correspondestes ao centro-sul do continente
o fim da monarquia e a proclamação de uma república; o fim africano) e rinha como destino Maranhão, Pará, Pernambuco,
do voto censitário para que todos os brasileiros tivessem o Alagoas, Rio de Janeiro e São Paulo.
direito de votar; a extinção do Senado Vitalício e do Poder Os guineanos-sudaneses muçulmanos dividiam-se em
Moderador; o fim dos privilégios comerciais dos estrangeiros quatro subgrupos: fula, mandinga, haussas e tapas. Esse grupo
e a liberdade de imprensa. tinha a mesma origem e destino dos sudaneses, a diferença
Logo após, tomam a iniciativa de liderar uma revolta com estava no fato de serem convertidos ao islamismo.
a participação das camadas populares, que ficou conhecida
como revolução praieira, tendo início na cidade de Olinda com Cotidiano e formas de resistência escrava em
a derrubada do presidente da província. Apesar da tentativa Pernambuco
de tentar tomar controle de toda a província, os revoltosos
foram contidos em 1849 pelas tropas imperiais. A Revolução A violência legal e sistematicamente utilizada pelo branco
Praieira foi a última grande revolta contra o governo imperial como meio de submeter o escravo, gerava o medo, mas
e os grandes proprietários rurais. também a revolta e formas de resistência por parte dos
escravos submetidos a tais castigos cruéis. A reação do escravo
O tráfico transatlântico de escravos para terras assumiu várias formas.
pernambucanas O aborto foi frequentemente provocado pelas escravas
para não verem seus filhos na mesma situação degradante
Ao todo, embarcaram em navios negreiros mais de 12,5 delas e também como meio de prejudicar o senhor, sempre
milhões de africanos, 5 milhões destes com destino ao Brasil. interessado no aumento do número de crias.
Este tráfico movimentava, entre outras atividades, a indústria A reação pelo suicídio era uma forma do escravo em se
naval e o sistema financeiro e creditício europeus libertar das condições subumanas em que vivia. O suicídio
É evidente a importância do Recife como centro de tráfico estava geralmente ligado a um momento de medo ou impasse
de escravos, sendo o Recife o quinto maior centro organizado em que o escravo se via indefeso diante da repressão do
de tráfico transatlântico de escravos do mundo. branco, sendo comum escravos se matarem após terem
A mão de obra negra era empregada no cultivo da cana, agredido ou matado um branco.
mais comum na Zona da Mata, extensa área próxima da costa A rebeldia consistia a resposta do negro à violência do
com clima quente e úmido, na criação de animais no Sertão, sistema escravista. Rebeldia está também respondida com
região mais a oeste em Pernambuco e de clima semiárido que violência pelos escravos. Eram comuns os casos em que

História 8

Apostila Digital Licenciada para Renê da Silva Pereira - aspirantepm2009@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO

feitores, senhores e seus familiares são estrangulados, Em Pernambuco, por volta de 1870 - 1890 apareceram as
asfixiados, esfaqueados ou simplesmente mortos a pancada usinas, em substituição aos engenhos e meio aparelhos,
pelos escravos. buscando fazer frente ao mercado europeu, que explorava a
O ódio do escravo era pelo senhor e pelo feitor, mas cultura da beterraba e da cana-de-açúcar das Antilhas e Cuba,
também por suas famílias, pois era um modo indireto de então colônia espanhola. Observa-se que de 1874 a 1884
atingi-los. A freqüência de ataques e homicídios cometidos por foram implantadas seis usinas, sendo a primeira delas a de São
escravos levou muitas vezes o governo brasileiro a promulgar Francisco da Várzea, em 1875.
leis duras, inclusive a pena de morte. A partir de então os engenhos deram lugar às usinas, que
A forma de resistência escrava mais temida pelos senhores utilizavam o poder econômico para barganharem preços de
era a fuga seguida da formação de aldeamentos coletivos, os fornecimento, chegando muitas a adquirirem e fecharem as
quilombos. A fuga era para o escravo a solução mais simples fábricas dos engenhos, ficando com a posse das terras para o
contra a violência da dominação branca. O trabalho cultivo da cana-de-açúcar.
compulsório e excessivo, as precárias condições de O desenvolvimento da cultura da cana e da produção de
subsistência, a degradação e o controle constante a que açúcar transposto do Brasil para as Antilhas após a expulsão
estavam submetidos predispunham os escravos a evasão, dos holandeses do Nordeste, provocou uma melhoria nas
facilitada pela grande extensão de terras sem ocupação efetiva técnicas de produção e na qualidade do produto. O fato causou
no país. um impacto sobre a região que continuou, até o início do
Em relação aos quilombos, Palmares foi a maior rebelião século XIX, a cultivar a cana crioula, a usar a mão-de-obra
contra a escravidão na América portuguesa. Tal quilombo manual - o arado só foi introduzido em meados do século XIX -
promoveu assaltos a engenhos e povoações, incitou fugas em e a produzir o açúcar bruto, de baixa qualidade.
massa e resistiu por um século à repressão das autoridades
coloniais. O mocambo provocou tamanha inquietação na elite A participação dos políticos pernambucanos no
que a própria monarquia portuguesa tentou, por diversas processo de emancipação/abolição da escravatura.
vezes, negociar com os rebeldes, propondo-lhes a alforria. Mas
foi apenas lançando mão de um exército de 6 mil homens que Tráfico negreiro, lutas abolicionistas e fim da
o quilombo foi aniquilado, nos últimos anos do século XVII. escravidão
Após ser destruído, Palmares continuou a existir, como o
símbolo de uma ameaça, para a elite da capitania de Tentando atrair o capital do tráfico para a industrialização,
Pernambuco. O medo que os colonizadores sentiam ao pensar a Inglaterra extinguiu o comércio de escravos (1807) e passou
na possibilidade de que outro Palmares pudesse existir levou a mover intensa campanha internacional contra o tráfico
senhores e autoridades de toda a colônia a buscar formas de negreiro. Nas negociações do reconhecimento da
reprimir os cativos em caso de fuga. Em função disso, os independência do Brasil, a Inglaterra condicionara o seu apoio
capitães-do-mato, homens livres cuja profissão era capturar à extinção do tráfico e forçara Dom Pedro I a assinar, em 1826,
escravos fugidos, foram se tornando cada vez mais comuns. um convênio no qual se comprometia a extingui-lo em três
Ademais, diversas milícias foram criadas, de forma temporária anos. Cinco anos depois, a regência proibiu a importação de
ou permanente, com o objetivo de destruir mocambos. escravos (1831), mas a oposição dos grandes proprietários
rurais impediu que isso fosse levado à prática. Estimulado pela
Crise da Lavoura canavieira crescente procura de mão-de-obra para a lavoura cafeeira, o
tráfico de escravos aumentou: desembarcaram no Brasil
Na segunda metade do século XIX, a Zona da Mata de 19.453 escravos em 1845, 60 mil em 1848 e 54 mil em 1849.
Pernambuco passou por significativas mudanças nas relações Os navios ingleses perseguiam os navios negreiros até
sociais de produção fruto dos investimentos do capital dentro das águas e dos portos brasileiros, o que deu origem a
industrial e financeiro em seu território. Dois aspectos foram vários atritos diplomáticos entre o governo imperial e o
relevantes neste processo: a implantação das ferrovias na britânico. Finalmente, em 4 de setembro de 1850, foi
região agrícola canaviera e o surgimento dos engenhos promulgada a Lei da Extinção do Tráfico Negreiro, mais
centrais e das usinas de açúcar que, pouco a pouco, conhecida como Lei Eusébio de Queirós. Em 1851, entraram
substituindo os tradicionais engenhos banguês, tornaram-se 3.827 escravos no Brasil, e apenas 700 no ano seguinte.
os principais espaços de produção da agroindústria O fim da importação de escravos estimulou o tráfico
açucareira. interprovincial: para saldar suas dívidas com especuladores e
Os engenhos tipo “bangüê” eram movidos a tração traficantes, os senhores dos decadentes engenhos do Nordeste
humana, animal (engenho trapiche) ou rodas-d´água (engenho e do Recôncavo Baiano passaram a vender, a preços elevados,
real) e produziam açúcar mascavo (demerara), que depois era suas peças (escravos) para as prósperas lavouras do vale do
submetido a um processo de alvejamento utilizando argila, Paraíba e outras zonas cafeeiras. Forçados pela escassez e
destinado à exportação. Os engenhos que produziam rapadura encarecimento do trabalhador escravo, vários cafeicultores
para ser vendida no mercado interno eram denominados de paulistas começaram a trazer colonos europeus para suas
engenhocas. fazendas, como fizera o senador Nicolau de Campos Vergueiro,
Era comum o ditado que para se ter um bom engenho, em 1847, numa primeira experiência mal sucedida. A mão-de-
eram necessárias, em ordem de importância: boas terras, para obra assalariada, porém, só se tornaria importante na
plantio; água para acionar moendas; matas próximas, para economia brasileira depois de 1880, quando o governo
suprimento de lenha; 50 peças de bons escravos, para limpeza imperial passou a subvencionar e a regularizar a imigração, e
de área e plantio da cana-de-açúcar e 50 juntas de bois, para os proprietários rurais se adaptaram ao sistema de contrato de
transporte da cana-de-açúcar. colonos livres. Mais de 1 milhão de europeus (dos quais cerca
Registros indicam que de 1842 a 1852 foram instalados de 600 mil italianos) imigraram para o Brasil em fins do século
137 engenhos em Pernambuco, tendo como novidades as XIX.
tecnologias em cozimento e as centrífugas, desenvolvidas por A extinção do tráfico negreiro liberou subitamente grande
Alfredo e Eduardo Mornay. Em 1852 foram substituídas as soma de capitais que afluíram para outras atividades
caixas de madeira pelos sacos de pano para o transporte do econômicas. Entre 1850 e 1860, foram fundadas 62 empresas
açúcar. industriais, 14 bancos, três caixas econômicas, 20 companhias

História 9

Apostila Digital Licenciada para Renê da Silva Pereira - aspirantepm2009@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO

de navegação a vapor, 23 companhias de seguros e oito momento passava a se constituir de brasileiros em sua
estradas de ferro. maioria, ao invés de africanos recém-chegados;
A cidade do Rio de Janeiro, o grande empório do comércio -O tráfico interno, que deslocava os escravizados
de café, modernizou-se rapidamente: suas ruas foram indisciplinados do Norte para a cafeicultura também seria um
calçadas, criaram-se serviços de limpeza pública e de elemento incentivador da revolta escrava, pois os escravizados
transportes urbanos, e redes de esgoto e de água. A geração de vindos de outras regiões chegavam às lavouras do Sudeste
empresários capitalistas que surgiu nesse período teve em com suas próprias concepções de “cativeiro justo”. Ou seja,
Irineu Evangelista de Sousa, barão e depois visconde de Mauá, com definições de quais as atividades deveriam desempenhar,
sua figura mais representativa. Em 1844, o ministro da de ritmo de trabalho e de disciplina, e frequentemente
Fazenda, Manuel Alves Branco, contrariando os interesses dos entravam em choque com os novos costumes
comerciantes e industriais ingleses, colocou em vigor novas
tarifas alfandegárias que variavam em torno de 30%, o dobro, “A Princesa Imperial Regente, em nome de Sua Majestade o
portanto, das anteriores. Embora visasse a solucionar a Imperador, o senhor D. Pedro II, faz saber a todos os súditos do
carência de recursos financeiros do governo imperial, essa Império que a Assembleia Geral decretou e ela sancionou a lei
medida teve efeitos protecionistas: ao tornar mais caros os seguinte:
produtos importados, favorecia a fabricação de similares Art. 1o Os filhos da mulher escrava que nascerem no Império
nacionais. desde a data desta lei serão considerados de condição livre.
§1o Os ditos filhos menores ficarão em poder e sob a
Processo abolicionista autoridade dos senhores de suas mães, os quais terão obrigação
A memória da Abolição dentre nós é de uma concessão de criá-los e tratá-los até a idade de oito anos completos.
feita em 13 de maio de 1888 por uma princesa branca que, em Chegando o filho da escrava a esta idade, o senhor da mãe terá
um ato de generosidade, livrou da escravidão milhares de a opção, ou de receber do Estado a indenização de 600$000, ou
brasileiros. Já a nossa memória sobre o processo abolicionista de utilizar-se dos serviços do menor até a idade de 21 anos
é de que este começou nos finais da década de 1870, quando completos. [...]”
um grupo de pessoas solidárias com o sofrimento dos
escravizados ergueu como bandeira de luta o fim da Quando a Lei de 1871 foi criada, a sua intenção era atender
escravidão. algumas das reivindicações dos escravizados e promover a
O crescimento da rebeldia escrava tem sido apontado emancipação através de um caminho pacífico e seguro - frente
como anterior ao movimento abolicionista e mesmo como às revoltas das décadas de 1850 e 1860 – que poderiam
motivação para a aprovação da legislação emancipacionista. descambar numa revolução. Como já foi demonstrado pelos
Diferentes explicações foram dadas para o crescimento da vários estudiosos que estudaram as ações de liberdade
resistência escrava, nas décadas de 1860 e 1870, perceptível ocorridas em diferentes e distantes localidades do Brasil, os
pelos roubos, aumento das fugas, das formações de quilombos escravizados souberam manipular habilmente as brechas
cada vez mais próximos aos núcleos urbanos e pelos contidas na Lei do Ventre Livre em favor da própria liberdade
assassinatos de senhores e prepostos. Boa parte das e da liberdade dos seus parentes. Neste sentido, os objetivos
explicações para o aumento da criminalidade escrava é da lei - de conter a revolta escrava facilitando o acesso à
relacionada ao final do tráfico de escravos, em 1850. alforria e de submeter os libertos à tutela senhorial – foram
subvertidos, na medida em que o campo jurídico se
Lei no 581 (Lei Eusébio de Queirós), de 4 de setembro transformou em arena de litígio entre escravizados e senhores,
de 1850 tendo como consequência direta a dificuldade de se
preservarem os laços de dependência, lealdade e proteção
“Dom Pedro, por Graça de Deus e unânime aclamação dos entre senhores e ex-escravizados.
povos, Imperador Constitucional e Defensor Perpétuo do Brasil:
Fazemos saber a todos os nossos súditos que a Assembleia Geral Lei no 3.270 (Lei dos Sexagenários ou Lei Saraiva-
decretou e nós queremos a Lei seguinte: Cotegipe), de 28 de setembro de 1885
Art. 1o As embarcações brasileiras encontradas em qualquer
parte, e as estrangeiras encontradas nos portos, enseadas, “D. Pedro II, por Graça de Deus e Unânime Aclamação dos
ancoradouros, ou mares territoriais do Brasil, tendo a seu bordo Povos, Imperador Constitucional e Defensor Perpétuo do Brasil:
escravos, cuja importação está proibida pela Lei de sete de Fazemos saber a todos os Nossos súditos que a Assembleia Geral
novembro de mil oitocentos e trinta e um, ou havendo-os Decretou e Nós Queremos a Lei seguinte: [...]
desembarcado, serão apreendidas pelas autoridades, ou pelos Art. 3o [...]
navios de guerra brasileiros e consideradas importadoras de §10o São libertos os escravos de 60 anos de idade, completos
escravos. antes e depois da data em que entrar em execução esta lei,
Aquelas que não tiverem escravos a bordo, porém que se ficando, porém, obrigados, a título de indenização pela sua
encontrarem com os sinais de se empregarem no tráfico de alforria, a prestar serviços a seus ex-senhores pelo espaço de três
escravos, serão igualmente apreendidas, e consideradas em anos.
tentativa de importação de escravos.” §11o Os que forem maiores de 60 e menores de 65 anos, logo
que completarem esta idade, não serão sujeitos aos aludidos
Lei no 2.040 (Lei do Ventre Livre), de 28 de setembro serviços, qualquer que seja o tempo que os tenham prestado com
de 1871 relação ao prazo acima declarado.”

A Lei do Ventre Livre foi decorrente da inquietação dos Lei no 3.353 (Lei Áurea), de 13 de maio de 1888
escravizados, num momento em que o sentimento
abolicionista ainda não havia se propagado entre a classe “A Princesa Imperial Regente, em nome de Sua Majestade o
média urbana. Existem várias hipóteses que tentam explicar o Imperador, o Senhor D. Pedro II, faz saber a todos os súditos do
aumento da revolta escrava nas décadas de 1860 e 1870. Império que a Assembleia Geral decretou e ela sancionou a lei
Dentre elas: seguinte:
-As motivações para esta inquietação seria a mudança Art. 1o É declarada extinta desde a data desta lei a
estrutural pela qual passava a população escrava, que naquele escravidão no Brasil.”

História 10

Apostila Digital Licenciada para Renê da Silva Pereira - aspirantepm2009@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO

oligarquias, pela alternância de poder entre os estados de São


Os políticos pernambucanos e a abolição Paulo e Minas Gerais (política do café-com-leite), e pelo poder
local exercido pelos Coronéis.
Um esforço contrariado para estabelecer um caminho Com a saída dos militares do governo em 1894, teve início
parlamentar para o fim da escravidão tornou-se catalisador de o período chamado República das Oligarquias. A palavra
um movimento abolicionista popular. Em agosto de 1880, Oligarquia vem do grego oligarkhía, que significa “governo de
Joaquim Nabuco, então jovem liberal de Pernambuco, tentou poucos”. Os grupos dominantes, em geral ligados ao café e ao
introduzir um projeto na Câmara dos Deputados gado, impunham sua vontade sobre o governo, seja pela via
estabelecendo 1890 como o ano de término da escravidão. legal, seja através de fraudes nas votações e criação de leis
Contando com a oposição da maioria dos deputados de todo o específicas para beneficiar o grupo dominante.
espectro político, o projeto de Nabuco foi logo esmagado. Essa
tentativa fracassada demonstrava a intransigente oposição do O Coronelismo
Parlamento à ideia de abolição e levou Nabuco a ampliar seus
esforços, procurando a mudança por meio da pressão popular. Durante o período regencial, espaço entre a abdicação de
Duas semanas depois, ele presidiu a formação da Sociedade D. Pedro I e a coroação de D. Pedro II, diversas revoltas e
Brasileira contra a Escravidão, organização vista como tentativas de separação e instalação de uma república
pioneira na consolidação das bases do movimento aconteceram no Brasil. Sem condições de controlar todas as
abolicionista nacional. Fundada em 7 de setembro de 1880, dia revoltas, o governo regencial, pela sugestão de Diogo Feijó,
da Independência, a Sociedade publicou um jornal, O criou a Guarda Nacional, com o propósito de defender a
Abolicionista, que circulou mensalmente de novembro de constituição, a integridade, a liberdade e a independência do
1880 a dezembro de 1881. A Sociedade Brasileira Contra a Império Brasileiro. Sua criação desorganiza o Exército, e
Escravidão contava entre seus membros cinco deputados na começa a se constituir no país uma força armada vinculada
legislatura então corrente, dois ex-presidentes de província, diretamente à aristocracia rural, com organização
engenheiros e oficiais navais. descentralizada, composta por membros da elite agrária e seus
A Princesa Imperial Regente Isabel enviara à Assembleia agregados. Para compor os quadros da Guarda nacional era
Geral, na terça-feira 8 de maio de 1888, a proposta necessário possuir amplos direitos políticos, ou seja, pelas
determinando o fim da escravidão no País. Dois dias depois, o determinações constitucionais, poderiam fazer parte dela
projeto já estava aprovado em segundo turno, e seguia para o apenas aqueles que dispusessem de altos ganhos anuais.
Senado. A aprovação se deu em tempo recorde, graças ao Com a criação da Guarda e suas exigências para
esforço da bancada antiescravagista – liderada pelo participação, surgiram os coronéis, que eram grandes
pernambucano Joaquim Nabuco – e com a ajuda do presidente proprietários rurais que compravam suas patentes militares
da Casa, Henrique Pereira de Lucena, o Barão de Lucena (PE). do Estado. Na prática, eles foram responsáveis pela
Joaquim Aurélio Barreto Nabuco de Araújo era filho do organização de milícias locais, responsáveis por manter a
Senador José Tomás Nabuco de Araújo e de Ana Benigna ordem pública e proteger os interesses privados daqueles que
Barreto Nabuco de Araújo. Estudou humanidades no Colégio as comandavam. O coronelismo esteve profundamente
Pedro 2o, do Rio de Janeiro, bacharelando-se em Letras. enraizado no cenário político brasileiro do século XIX e início
Em 1865, seguiu para São Paulo, onde fez os três primeiros do século XX.
anos de direito. Formou-se no Recife, em 1870. Entrou logo Após o fim da República da Espada, os grupos ligados ao
para o serviço diplomático, como adido de primeira classe em setor agrário ganharam força na política nacional, gerando
Londres, depois em Washington, de 1876 a 1879. uma maior relevância para os coronéis no controle dos
Atraído pela política interna, foi eleito deputado por sua interesses e na manutenção da ordem social. Como
província, passando a residir no Rio de Janeiro. Sua entrada comandantes de forças policiais locais, os coronéis
para a Câmara marcou o início de sua campanha em favor da configuravam-se como uma autoridade quase inquestionável
abolição da escravatura. Em 1883, em Londres, publicou "O nas áreas rurais.
Abolicionismo", sua principal obra. A autoridade do coronel, além de usada para manter a
De regresso ao país, foi novamente eleito deputado por ordem social, era exercida principalmente durante as eleições,
Pernambuco, retomando o lugar de líder da campanha para garantir que o candidato ou grupo político que ele
abolicionista. Ao ser proclamada a República, em 1889, representasse saísse vencedor. A oposição ao comando do
permaneceu intransigente nas convicções monarquistas e, coronel poderia resultar em violência física, ameaças e
mais de uma vez, resistiu ao apelo dos chefes da nova política perseguições, o que fazia com que muitos votassem a
para tornar ao serviço diplomático. Retirou-se da vida pública, contragosto, para evitar as consequências de discordar da
dedicando-se à sua obra e ao estudo. autoridade local, gerando uma prática conhecida como Voto
de Cabresto.
Pernambuco Republicano:
Voto de Cabresto e Política
dos governadores;
Pernambuco sob a
interventoria de Agamenon
Magalhães;

Características da Primeira Republica

O período que vai de 1889, data da Proclamação da


República, até 1930, quando Getúlio Vargas assumiu o poder, A charge do gaúcho Alfredo Storni feita em 1927 critica uma
prática bastante utilizada durante a República Velha, conhecida como
é conhecido como Primeira República. O período é marcado
voto de cabresto. Na imagem, a mulher, identificada como soberania,
pela dominação de poucos grupos políticos, conhecidos como pergunta ao político se o eleitor, caracterizado como burro de carga e
História 11

Apostila Digital Licenciada para Renê da Silva Pereira - aspirantepm2009@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO

preso a um cabresto, trata-se do “Zé Besta”, ao passo em que o político


que o conduz responde que na verdade é o “Zé Burro”. Agamenon Sérgio de Godói Magalhães nasceu em Vila Bela,
atual Serra Talhada (PE), no dia 5 de novembro de 1893, filho
Na república velha, o sistema eleitoral era muito frágil e de Sérgio Nunes Magalhães e de Antônia de Godói Magalhães.
fácil de ser manipulado. Os coronéis compravam votos para Seu pai foi juiz de direito e deputado federal por Pernambuco
seus candidatos ou trocavam votos por bens materiais. Como em 1914 e 1915, eleito com o apoio de Hermes da Fonseca e
o voto era aberto, os coronéis mandavam os capangas para os José Gomes Pinheiro Machado, em oposição a Emídio Dantas
locais de votação, com o objetivo de intimidar os eleitores e Barreto. Seu irmão Sérgio Nunes de Magalhães foi deputado
ganhar os votos. As regiões controladas politicamente pelos federal pelo Distrito Federal e depois pelo estado da
coronéis eram conhecidas como currais eleitorais. Guanabara entre 1955 e 1964, quando teve seu mandato
Os coronéis costumavam alterar votos, sumir com urnas e cassado devido à vitória do movimento político-militar que
até mesmo patrocinavam a prática do voto fantasma. Este derrubou o presidente João Goulart.
último consistia na falsificação de documentos para que Agamenon Magalhães realizou os primeiros estudos em
pessoas pudessem votar várias vezes ou até mesmo utilizar o sua cidade natal e, por sugestão de seu pai, ingressou em
nome de falecidos nas votações. seguida no Seminário de Olinda, onde foi companheiro de
Dessa forma, a vontade política do coronel era atendida, Temístocles Cavalcanti e Olímpio de Melo. Reconhecendo a
garantindo que seus candidatos fossem eleitos em nível falta de vocação para o sacerdócio, deixou o seminário depois
municipal e também estadual, e garantindo também de dois anos e se transferiu para o Colégio Arquidiocesano,
participação na esfera federal. onde concluiu o curso de humanidades em 1912. Matriculou-
Em 1898 o paulista Manuel Ferraz de Campos Salles se então na Faculdade de Direito de Recife, bacharelando-se
assumiu a presidência no lugar de Prudente de Morais. Antes em dezembro de 1916.
mesmo de assumir o governo, Campos Salles renegociou a Iniciou sua carreira profissional como promotor público
dívida brasileira, que vinha se arrastando desde os tempos do em São Lourenço da Mata (PE), função que exerceu durante
império. Para resolver a situação, ele se reuniu com os um ano. Ingressando na política, foi eleito deputado estadual
credores e estabeleceu um acordo chamado Funding-Loan. em 1918 na legenda do Partido Republicano Democrata (PRD),
Este acordo consistia no seguinte: o Brasil fazia empréstimos liderado pelo governador Manuel Borba (1915-1919), com
e atrasava o pagamento da dívida, fazendo concessões aos quem estabeleceu fortes vínculos. Começou então a participar
banqueiros nacionais. Como consequência a indústria e o de debates políticos através da imprensa e, no ano seguinte,
comércio foram afetados e as camadas pobres e a classe média tornou-se redator-chefe de A Ordem e redator de A Província,
também foram prejudicadas. jornais de Recife. Escreveu em 1921 a tese O Nordeste
A transição de governos consolidou o poder das brasileiro, que lhe assegurou a aprovação no concurso para a
oligarquias de São Paulo e Minas Gerais no poder. O único cadeira de geografia geral do Ginásio Pernambucano, hoje
entrave para um governo harmônico eram as disputas Colégio Estadual de Pernambuco, a qual ocuparia de 1924 a
políticas entre as oligarquias locais nos Estados. O governo 1932.
federal acabava intervindo nas disputas, porém, a incerteza de Nas eleições de março de 1922, participou da campanha da
uma colaboração duradoura entre os Estados e a União ainda Reação Republicana, movimento que patrocinou a candidatura
permanecia. Outro fator que não permitia uma plena de Nilo Peçanha à presidência da República, afinal derrotado
consolidação política era a vontade do executivo em impor-se pelo situacionista Artur Bernardes. Reeleito deputado
ao legislativo, mesmo com a afirmação na Constituição de que estadual nesse mesmo ano na legenda do PRD, tornou-se
os três poderes eram harmônicos e independentes e si. primeiro-secretário da Assembleia Legislativa até o ano
A junção desses fatores levou Campos Salles a criar um seguinte, quando conquistou um mandato na Câmara Federal
arranjo político capaz de garantir a estabilidade e controlar o para a legislatura iniciada em 3 de maio de 1924. Reeleito em
legislativo, que ficou conhecido como Política dos 1927, sempre na legenda do PRD, apresentou no ano seguinte,
Governadores. sem êxito, um projeto de criação de um instituto de
Basicamente, a política dos governadores apoiava-se em aposentadoria e pensões para os comerciários.
uma ideia simples: o presidente apoiava as oligarquias Em junho de, 1929, na preparação das eleições
estaduais mais fortes, e em troca, essas oligarquias apoiavam presidenciais de março de 1930, as forças situacionistas de
e votavam nos candidatos indicados pelo presidente. Minas Gerais e do Rio Grande do Sul organizaram a Aliança
Na Câmara dos Deputados, uma mudança simples garantiu Liberal, que contou com a adesão do governo da Paraíba no
o domínio. Conhecida como Comissão de Verificação de mês seguinte. Dessa articulação nasceu a chapa oposicionista
poderes, essa ferramenta permitia decidir quais políticos às eleições presidenciais, formada por Getúlio Vargas e João
deveriam integrar a Câmara e quais deveriam ser “degolados”, Pessoa, apoiada em Pernambuco pelo PRD e o Partido
que na gíria política da época significava ser excluído. Democrático local, que formaram a Frente Liberal. Ao mesmo
Quando ocorriam eleições para a Câmara, os vencedores tempo em que se engajava na campanha eleitoral, essa frente
em cada estado recebiam um diploma. Na falta de um sistema participou dos entendimentos voltados para a preparação de
de justiça eleitoral, ficava a cargo da comissão determinar a um levante armado contra o governo federal, defendido por
validade do diploma. A comissão era escolhida pelo presidente setores da Aliança Liberal e oficiais ligados ao movimento
temporário da nova Câmara eleita, o que até antes da reforma tenentista.
de Campos Salles significava o mais velho parlamentar eleito. Agamenon Magalhães defendeu a Aliança Liberal em
Com a reforma, o presidente da nova Câmara deveria ser o discurso pronunciado no dia 12 de agosto de 1929 na Câmara
presidente do mandato anterior, desde que reeleito. Dessa e, durante a campanha, publicou vários artigos na imprensa
forma, o novo presidente da Câmara seria sempre alguém pernambucana contra os governos estadual e federal,
ligado ao governo, e caso algum deputado oposicionista ou que chefiados respectivamente por Estácio Coimbra e Washington
desagradasse o governo fosse eleito, ficava mais fácil remove- Luís. Seu mandato parlamentar terminou em 31 de dezembro
lo do poder. de 1929. No mês seguinte, os aliancistas organizaram a
chamada Caravana Liberal, que deveria percorrer todo o Norte
Agamenon Magalhães1 do país. Ao chegar em Recife, a caravana se dividiu, tendo

1
Texto adaptado disponível em http://cpdoc.fgv.br/
História 12

Apostila Digital Licenciada para Renê da Silva Pereira - aspirantepm2009@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO

Agamenon acompanhado os integrantes que, liderados por Além da sua atuação parlamentar, Agamenon atuou como
João Batista Luzardo e Paulo Duarte, foram incumbidos de intermediário nas divergências surgidas entre a bancada
fazer a propaganda oposicionista nos estados do Rio Grande pernambucana e o interventor federal no estado, Carlos de
do Norte, Ceará e Piauí. Lima Cavalcanti, com quem manteve estreitas relações nesse
A vitória da chapa situacionista liderada por Júlio Prestes período. Em 17 de julho de 1934, um dia depois da
foi considerada fraudulenta pela oposição, acirrando o clima promulgação da nova Carta, Getúlio Vargas foi eleito
de tensão existente no país. Os preparativos para um levante presidente da República pelos constituintes e passou a compor
armado foram intensificados, e o assassinato de João Pessoa seu novo ministério, pedindo então ao interventor de
em 26 de julho de 1930 fez com que novos setores aderissem Pernambuco que indicasse um nome para ocupar a pasta do
à pregação revolucionária. Trabalho, Indústria e Comércio. Lima Cavalcanti escolheu
O movimento foi deflagrado em 3 de outubro em Minas Agamenon Magalhães, que substituiu Joaquim Pedro Salgado
Gerais e no Rio Grande do Sul, e na madrugada do dia seguinte Filho em 25 de julho de 1934, tornando-se no período seguinte
eclodiu na Paraíba, obtendo completo êxito nas suas primeiras o principal intermediário do governo pernambucano junto ao
operações. Apenas meia hora depois da tomada da capital Executivo federal.
paraibana, uma coluna composta de cerca de 80 homens
fortemente armados partiu para Recife, que foi ocupada no dia Ainda em 1934, Agamenon defendeu a tese O Estado e a
5 com o apoio de grupos locais. Agamenon Magalhães realidade contemporânea, conquistando a cadeira de direito
participou ativamente do levante na capital pernambucana, público e constitucional da Faculdade de Direito de Recife. Sua
cujas primeiras ações militares de envergadura foram as atuação no Ministério do Trabalho e as atividades posteriores
tomadas do 21º Batalhão de Caçadores e do depósito de armas na vida pública impediram-no contudo de exercer o
e munições da 7ª Região Militar (7ª RM), situado no bairro da magistério, reduzindo-se sua atuação a apenas uma aula no
Soledade. Com a fuga do governador Estácio Coimbra, Carlos curso de introdução à ciência do direito.
de Lima Cavalcanti foi empossado pelos revolucionários na
chefia do governo estadual, recebendo desde o início todo o Ministro do Trabalho
apoio de Agamenon. A gestão de Agamenon Magalhães no Ministério do
O avanço das forças revolucionárias em todo o país levou à Trabalho foi marcada, segundo Edgar Carone, por uma postura
deposição do presidente Washington Luís em 24 de outubro autoritária e anticomunista. Ao mesmo tempo, Agamenon
por oficiais de alta patente lotados no Rio de Janeiro, então defendeu ardentemente o fortalecimento do sindicalismo no
Distrito Federal. Formou-se então uma junta militar que país como instância coordenadora da integração capital-
entregou o poder ao Governo Provisório, chefiado por Getúlio trabalho, o que implicou o aperfeiçoamento da legislação
Vargas, em 3 de novembro. trabalhista e a consolidação do sistema previdenciário. Nessa
atividade, Agamenon projetou-se rapidamente no cenário
Na Constituinte de 1934 nacional, iniciando uma trajetória política que provocou seu
afastamento gradativo de Lima Cavalcanti, cujo prestígio junto
O regime de exceção implantado depois da vitória da ao governo federal decrescia. O ministro do Trabalho passou
Revolução de 1930 produziu tensões crescentes em alguns então a ser o principal nome de que Vargas dispunha para
estados, que resultaram na Revolução Constitucionalista de implementar sua política em Pernambuco, sendo acusado pelo
1932, deflagrada em São Paulo. Depois da vitória militar sobre interventor de tentar marginalizá-lo e centralizar as
os paulistas, o Governo Provisório convocou para 3 de maio de informações, assumindo todos os compromissos e tomando
1933 eleições para a formação da Assembleia Nacional decisões em nome do estado. A candidatura de Agamenon ao
Constituinte. Agamenon Magalhães foi um dos articuladores governo de Pernambuco chegou a ser veiculada por seus
do Partido Social Democrático (PSD) de Pernambuco, fundado correligionários, mas não foi concretizada, pois os partidários
em 19 de dezembro de 1932, e nessa legenda foi eleito de Lima Cavalcanti obtiveram maioria na Assembleia
deputado à Constituinte, que se reuniu a partir de novembro Constituinte estadual que, em 15 de abril de 1935, concedeu
de 1933. ao interventor um mandato de governador.
Participando de quase todos os debates em pauta, O distanciamento de Lima Cavalcanti em relação ao
Agamenon foi o parlamentar de maior destaque da bancada governo federal aumentou depois do fracassado Levante
pernambucana, dedicando atenção especial ao tema da Comunista deflagrado em Natal, Recife e no Rio de Janeiro em
organização política do país. Defendeu ardorosamente a novembro de 1935, ocasião em que o governador de
adoção do regime parlamentarista, “expressão maior da Pernambuco estava na Europa. Mesmo assim, foi acusado por
democracia”, afirmando que o presidencialismo era “a seus adversários de envolvimento com a revolta, pois havia em
ditadura permanente”. Manifestou-se contra a separação seu secretariado dois adeptos da proscrita Aliança Nacional
absoluta dos poderes Legislativo e Executivo, que deveriam ter Libertadora (ANL), frente política que estava sob hegemonia
funções coordenadas, inclusive no tocante à atuação dos dos comunistas. Compartilhando dessas suspeitas, Agamenon
ministérios. Ressaltou a necessidade de os governos foi encarregado por Vargas de documentar as denúncias e
concederem maior atenção ao crédito agrícola, facilitarem o indícios, apresentados principalmente pelo deputado Eurico
acesso à propriedade da terra para os lavradores e planejarem Sousa Leão. A batalha no Judiciário foi longa e o promotor
a produção de alimentos de acordo com o potencial de cada Honorato Himalaia Virgulino chegou a pedir a prisão
região. Sua defesa da intervenção estatal abrangia também preventiva de Lima Cavalcanti, que seria finalmente absolvido
todas as outras esferas da vida econômica e social, divergindo pelo Tribunal de Segurança Nacional em 17 de agosto de 1937.
assim do liberalismo apregoado por alguns setores presentes Depois do Levante Comunista, o governo federal,
na Constituinte. preocupado em reprimir mobilizações operárias no país,
Agamenon Magalhães votou a favor da emenda que passou a ter no Ministério do Trabalho um importante centro
tornava obrigatória a filiação das diversas categorias de formulação e aplicação de políticas de controle do
profissionais a sindicatos, definidos como órgãos responsáveis movimento sindical. Entre 1935 e 1937, período em que viveu
pela defesa do trabalho, e combateu a prorrogação dos a maior parte do tempo sob estado de sítio e estado de guerra,
mandatos dos deputados constituintes para a primeira Agamenon interveio regularmente nas entidades de
legislatura ordinária posterior à promulgação da Constituição. trabalhadores, nomeando para sua direção sindicalistas
Em ambos os casos, sua posição foi vitoriosa. favoráveis ao governo. Ao mesmo tempo, defendeu o

História 13

Apostila Digital Licenciada para Renê da Silva Pereira - aspirantepm2009@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO

cumprimento da legislação social, instituiu o sistema de do chamado Plano Cohen, pretensamente elaborado pelos
seguro contra acidentes de trabalho, criou o Serviço de comunistas para a tomada violenta do poder. Conforme
Identificação Profissional, regulamentou a profissão de comprovação posterior, tratava-se de um documento forjado,
químico e encaminhou um projeto de lei racionalizando as utilizado pela alta cúpula militar e a chefia do governo para
empresas de seguro e criando o Instituto Federal de favorecer o golpe de Estado.
Resseguros. Datam também desse período duas leis Em 1º de outubro, a Câmara dos Deputados aprovou o
importantes: a de nacionalização do trabalho (que obrigava as pedido de nova decretação do estado de guerra, que fora
empresas a contratarem pelo menos 2/3 de sua mão-de-obra suspenso em junho. O decreto foi assinado por Vargas no dia
entre brasileiros) e a que assegurou ao empregado da seguinte. Mais uma vez, a execução do estado de guerra ficou a
indústria ou do comércio uma indenização quando fosse cargo dos governadores, com exceção dos estados onde as
dispensado sem justa causa ou sem que existisse prazo forças de oposição eram significativas. Assim, no Rio Grande
estipulado para o término do contrato. do Sul, São Paulo e Distrito Federal Vargas nomeou militares
Em janeiro de 1936, Agamenon criou comissões para essa função e, em Pernambuco, a fim de diminuir o peso
compostas de empregados e empregadores com o objetivo de de Lima Cavalcanti, formou um triunvirato composto pelo
elaborar estudos para a adoção do salário mínimo. Nesse governador, o coronel Amaro de Azambuja Vilanova
mesmo ano, participou da elaboração do anteprojeto de (comandante da 7ª RM) e o comandante Ildefonso Castilho
criação da Justiça do Trabalho. (capitão dos portos). Pouco depois, colocou a Brigada Militar
Entretanto, essas duas medidas só seriam implementadas local sob controle federal.
durante a vigência do Estado Novo (1937-1945). Em 31 de Em 5 de novembro, dias antes do golpe de Estado,
dezembro de 1936, Agamenon criou o Instituto de Agamenon teve uma reunião com todos os gerentes de fábrica
Aposentadoria e Pensões dos Industriários (IAPI). do Rio de Janeiro para transmitir instruções do governo sobre
a propaganda contra o comunismo a ser desenvolvida de
forma sistemática junto à classe operária. Ficou então acertado
No Ministério da Justiça que os trabalhadores seriam obrigados a ouvir diariamente,
em todas as empresas, antes de entrar no serviço, uma
Em 7 de janeiro de 1937, Agamenon assumiu exposição de cinco a dez minutos sobre os perigos do
interinamente o cargo de ministro da Justiça e Negócios comunismo. No dia 10 de novembro o golpe foi deflagrado sob
Interiores em substituição a Vicente Rao, acumulando essa a liderança de Vargas e com o apoio das forças armadas e de
pasta com a do Trabalho. No mês seguinte, o governador todo o gabinete, à exceção de Odilon Braga, ministro da
baiano Juraci Magalhães e outros líderes políticos do Nordeste Agricultura.
indicaram, com o apoio de muitos antigos integrantes do Com a implantação do Estado Novo, que provocou o
movimento tenentista, o paraibano José Américo de Almeida fechamento dos órgãos legislativos do país e a suspensão das
como candidato às eleições presidenciais previstas para eleições, Carlos de Lima Cavalcanti foi afastado do governo de
janeiro de 1938. Apesar de apoiar oficiosamente José Américo Pernambuco, sendo substituído interinamente pelo coronel
contra o governador paulista Armando de Sales Oliveira, Azambuja Vilanova. Agamenon Magalhães, um dos principais
também candidato, Vargas não demonstrou entusiasmo pela artífices do novo regime, recebeu mensagens de
questão sucessória, deixando perceber suas intenções congratulações de representantes de diversos segmentos
continuístas. Agamenon, o general Pedro Aurélio de Góis sociais de Pernambuco e de outros estados, tendo expresso
Monteiro, então chefe do Estado-Maior do Exército (EME), e nessa época sua aversão à democracia liberal e sua crítica à
outros líderes políticos e militares apoiavam Declaração universal dos direitos do homem: “Assegurar todas
incondicionalmente o presidente. essas liberdades é dizer morra de fome; a essa democracia não
Lima Cavalcanti, enfraquecido na esfera federal e darei o meu voto, a minha colaboração, porque contra ele
pressionado pela possibilidade de Agamenon concorrer ao clama a minha consciência de cristão.” No dia 25 de novembro,
governo do estado, retardou seu posicionamento público foi substituído no Ministério do Trabalho por Valdemar Falcão,
sobre a sucessão presidencial, apesar de nutrir interesse desde sendo nomeado interventor federal em Pernambuco, cargo
o início por um candidato que representasse as forças políticas que assumiu em 3 de dezembro. Em seu discurso de posse,
nordestinas. Concedeu seu apoio a José Américo em 20 de pronunciado na sacada do palácio do governo, usou uma
maio de 1937, depois que o diretório central do PSD expressão que se tornaria célebre: “Vim para criar a emoção
pernambucano resolveu aderir a essa campanha. Entretanto, o do Estado Novo.”
grupo partidário de Agamenon, fiel à política getulista
contrária ao reforço das candidaturas, provocou uma cisão no Na interventoria de Pernambuco
partido. Quatro deputados federais (de um total de 15) e cinco
estaduais (de um total de 27) ficaram ao lado do ministro do Embora afirmasse que a situação do estado era tranquila,
Trabalho, enquanto o governador conseguiu o apoio dos pouco depois de sua posse Agamenon telegrafou
restantes. sigilosamente a Vargas para informar a existência de 269
Agamenon transmitiu o cargo de ministro da Justiça a José presos políticos considerados comunistas. Recebeu em
Carlos de Macedo Soares em 3 de junho de 1937, seguida 40% dos cinco mil contos de linha especial de crédito
permanecendo na pasta do Trabalho. Em 18 de agosto aberta pelo governo federal para a repressão ao comunismo
seguinte, transformou a Caixa de Aposentadoria e Pensões dos em todos os estados, deflagrando um cerrado combate à
Trabalhadores em Trapiche e Armazéns de Café, criada em oposição, inclusive às antigas forças situacionistas, que foram
maio de 1934, no Instituto de Aposentadoria e Pensões dos completamente marginalizadas de todos os centros de poder.
Empregados em Transportes e Cargas (Iapetec). Nessa época, A consolidação do novo esquema político dominante ocorreu
junto com Francisco através da nomeação, em todos os níveis, de funcionários
Campos, Gustavo Capanema, Góis Monteiro e outros, comprometidos com o regime recém-implantado.
participou de debates sobre a proposição de uma reforma Ao contrário de Lima Cavalcanti, que valorizava o caráter
constitucional que permitisse a reeleição de Vargas para a técnico da atuação das diversas secretarias, Agamenon
presidência da República. Esse caminho, contudo, se ressaltava a função política desses órgãos, bem como das
desdobrou em uma articulação golpista que entrou em sua fase entidades classistas, buscando reforçar sua lealdade ao Estado
final em 30 de setembro de 1937, com a divulgação pelo EME Novo. Em dezembro de 1937, criou o Conselho Legislativo e de

História 14

Apostila Digital Licenciada para Renê da Silva Pereira - aspirantepm2009@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO

Economia do Estado, órgão consultivo da administração pequeno porte. Agamenon criou também a Cooperativa de
pública e composto de quatro seções (legislativa, de economia, Produtores de Leite, a Usina de Pasteurização e diversas
de reforma financeira e tributária e de ensino técnico e estações e postos de pecuária nos municípios, incentivando
profissional), nomeando pessoas de sua inteira confiança para ainda a formação de várias outras cooperativas de leite.
exercer essas funções. Mesmo assim, o processo de A questão da habitação popular mereceu especial atenção
centralização das decisões governamentais provocou em do governo de Agamenon que criou, em 12 de julho de 1939, a
pouco tempo o esvaziamento desse órgão, que veio a assumir Liga Social contra o Mocambo, hoje Serviço Social contra o
um papel decorativo. Segundo Dulce Pandolfi, a máquina Mocambo, com o objetivo de construir casas que seriam
administrativa pernambucana tornou-se autoritária, compradas a prazo pela população favelada, de acordo com o
repressiva e excessivamente voltada para a doutrinação nível de renda de cada família. Agamenon afirmava que todo
político-ideológica da população. Com efeito, a divulgação das cidadão deveria ser proprietário de sua moradia e deu
obras e realizações do Estado Novo em Pernambuco foi prioridade na aquisição de casas aos trabalhadores
considerada pelo governo federal um exemplo para os demais sindicalizados e contribuintes dos institutos de previdência e
estados. pensões do Ministério do Trabalho, procurando assim
Com o objetivo de reforçar a propaganda oficial, Agamenon fortalecer a sindicalização operária. Os fundos da liga
fundou em 1938 o jornal Folha da Manhã, que saía em duas advinham inicialmente de donativos do próprio governo
edições diárias e tinha uma coluna permanente intitulada estadual, sindicatos, empresas e particulares,
“Agamenon Magalhães escreve”, reproduzida também em complementados mais tarde, em 1940, com uma verba federal
diversos órgãos de imprensa nos principais estados da de quatro mil contos anuais.
Federação. O interventor mantinha assim um contato Para superar as resistências dos proprietários de terrenos
permanente com a opinião pública, respondendo a indagações em que as novas habitações seriam construídas, Agamenon
que os leitores lhe enviavam por correspondência sobre propôs que eles construíssem as casas com financiamento da
diversos temas: cultura, política, problemas administrativos Caixa Econômica e depois as vendessem aos habitantes dos
etc. Além disso, Agamenon dispunha de um programa diário mocambos. Depois de uma ampla campanha de propaganda, o
na Rádio Clube de Pernambuco. Ainda em maio de 1938, Departamento de Saúde Pública iniciou a interdição e, em
quando o interventor no estado do Rio de Janeiro, Ernâni seguida, a expropriação de milhares de barracos, buscando
Amaral Peixoto, tentou organizar a Legião Nacional, partido sempre o apoio da opinião pública e das próprias famílias
político de âmbito nacional e de cunho cooperativista, desapropriadas. Segundo dados oficiais, nos seus quatro
Agamenon apoiou a iniciativa, ao lado de Benedito Valadares, primeiros anos de existência a Liga Social contra o Mocambo
Ademar de Barros e Osvaldo Cordeiro de Farias. O projeto construiu 5.707 casas na capital e 8.109 no interior,
sofreu contudo restrições por parte do general Góis Monteiro quantidade claramente insuficiente para erradicar os 45 mil
e não chegou a se concretizar. barracos recenseados em 1937. Agamenon recebeu diversas
Detentor da confiança de Vargas e consciente de que podia críticas por essa iniciativa, destacando-se a do intelectual
contar com a liberação de recursos federais significativos para oposicionista Gilberto Freire, que considerava a obra
seu estado, Agamenon costumava usar a expressão: demagógica.
“Pernambuco cose-se com as próprias linhas.” Seu programa Prosseguindo em sua política de apoio irrestrito ao Estado
de governo considerava prioritárias a urbanização da capital e Novo, Agamenon organizou em dezembro de 1939 uma
a recuperação do mundo rural, destacando também os grande exposição nacional que recebeu elogios do governo
problemas de habitação popular, educação, saúde pública e o federal, especialmente do ministro do Trabalho, Valdemar
setor rodoviário. Preocupado em ampliar sua base social entre Falcão.
os trabalhadores, aproximou-se rapidamente dos centros A grave seca que chegou a atingir 2/3 do território
educativos operários, criados por um grupo católico pouco pernambucano durante o primeiro semestre de 1942 levou o
antes da implantação do Estado Novo, coordenados por Mílton governo estadual a organizar, junto com as prefeituras e
de Pontes. O projeto desses centros era dar aos operários cooperativas, um plano de emergência que incluiu a criação de
instrução primária e profissional, educação trabalhista e um serviço de distribuição de sementes para os habitantes de
cívica, e assistência médica e odontológica, desenvolvendo áreas não atingidas e o reforço do serviço de vacinação e
intensa propaganda anticomunista e ressaltando a assistência médica aos flagelados. Entretanto, o interventor
necessidade de cooperação entre os órgãos de representação não considerava a seca o único grande obstáculo ao
classista e o poder público. desenvolvimento da agricultura pernambucana. Segundo ele,
O governo de Agamenon incentivou sistematicamente a o latifúndio improdutivo precisava ser energicamente
população, através dos meios de comunicação, a cultivar combatido pelo governo através de uma legislação especial
gêneros alimentícios e estabeleceu um acordo com os que estabelecesse um imposto territorial progressivo sobre as
usineiros do estado segundo o qual 5% da área ocupada pelos áreas não cultivadas. Por sugestão de Agamenon, Vargas
canaviais seriam destinados à plantação de culturas de assinou em 26 de janeiro de 1943 um decreto fixando em 20%
subsistência. No próprio decreto de financiamento da lavoura no primeiro ano e 50% nos subsequentes o imposto para
canavieira foi definido que seriam fornecidas sementes ao propriedades improdutivas, mas os efeitos práticos dessa
trabalhador rural para o cultivo das roças no interior dos medida foram insignificantes.
terrenos das usinas. Outra iniciativa nesse setor foi o incentivo O interventor em Pernambuco foi também um dos
à criação de cooperativas de pequenos produtores, que articuladores da criação, em 31 de janeiro de 1943, de três
começaram a se multiplicar em 1938, atingiram o número de grandes federações sindicais de trabalhadores das regiões
52 em maio de 1939 (com nove mil filiados) e chegaram a cem Norte-Nordeste do país, com sede em Recife. Até então apenas
em 1941 (com 20 mil filiados). Esse sistema facilitava a os sindicatos patronais tinham experimentado esse grau
distribuição de sementes para o lavrador, ajudava a governo a superior de organização.
redefinir a produção agrícola do estado e aperfeiçoava o
processo de concessão de crédito, pois o grande proprietário O Regime Militar e A Nova República
recorria à Carteira Agrícola do Banco do Brasil e o pequeno às
cooperativas assistidas e controladas pelo governo estadual. Em 1º de abril de 1964 foi dado o golpe militar pelo
Essas entidades passaram a financiar a atuação do Serviço exército. Contou com apoio de vários setores sociais como o
de Açudagem e Irrigação, criado para executar obras de alto clero da Igreja Católica, ruralistas e grandes empresários

História 15

Apostila Digital Licenciada para Renê da Silva Pereira - aspirantepm2009@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO

urbanos. Devido a este apoio este período atualmente é AI- 2: Instituiu bipartidarismo. Só podiam existir a ARENA
chamado de Ditadura Civil-Militar e o MDB. Consolida as eleições indiretas. O voto dos
(Ditadura militar com apoio civil). O argumento para o congressistas para a presidência era aberto e declarado dito no
golpe foi afastar o “risco comunista”. Entre 1946 e 1964 o microfone na assembleia. Além disso, toda a oposição já teve
Brasil viveu um período democrático e muito rico seus mandatos cassados. Não havia oposição de fato. O
culturalmente. Neste momento os movimentos sociais e congresso aprovava tudo o que os presidentes militares
estudantis atuaram com bastante intensidade. Havia um mandavam.
movimento que lutava pela reforma agrária (como o MST) AI- 3: Estabelecia eleições indiretas para governadores de
chamado de “ligas camponesas”, a UNE (união nacional de estado. Votavam os deputados estaduais por voto aberto e
estudantes), teatros populares e sindicatos de várias declarado.
categorias de trabalhadores. Muitas manifestações populares AI- 4: convocação urgente da assembleia para a aprovação
e greves estavam ocorrendo naquele momento, sobretudo no da constituição de 67
início da década de 60. Nas eleições de 1959 foi eleito para AI- 5: Concede poder excepcional ao presidente que pode
presidente da república Jânio Quadros e como vice João cassar mandatos e cargos fechar o congresso, estabelecer
Goulart (eram de partidos opostos Goulart era PTB, partido de estado de sítio. Eliminou as garantias individuais.
Vargas e Jânio era apoiado pela UDN. Jânio Quadros após
pouco mais de seis meses de mandato renunciou à presidência. Os presidentes eram escolhidos pelos próprios militares
O vice João Goulart estava em visita diplomática à China. O em colégio eleitoral, assim como os governadores de estado e
congresso (deputados federais e senadores) brasileiro quis prefeitos de cidades com mais de 300 mil habitantes. O voto da
impedir a posse de João Goulart por considerá-lo esquerdista população em nível federal limita-se aos deputados e
comunista. Para tanto, enquanto ainda Jango estava no senadores que eram ou da ARENA (partido do sim) ou do MDB
exterior o regime de governo foi mudado de presidencialismo (partido do sim senhor). Não havia oposição real e concreta no
para parlamentarismo. Quando Jango retorna toma posse congresso. Somente a permitida pelos militares.
como presidente, mas com poderes limitados. Foram presidentes militares:
No presidencialismo o presidente é ao mesmo tempo chefe Castelo Branco (64-67)
de governo (quem governa realmente) e chefe de Estado Costa e Silva (67-69)
(representação diplomática) Garrastazu Médici (69-74)
No parlamentarismo o presidente é chefe de Estado Ernesto Geisel (74-79)
(representação diplomática) e o chefe de governo é o primeiro Figueiredo (79-85)
ministro (escolhido entre os deputados)
A ditadura entre 1964 e 1967 durante o governo do
Jango passou seu governo tentando retomar o poder Marechal Castelo Brancos foi um período mais brando dentro
conseguiu um plebiscito para 1963 para a população optar do contexto do regime. Os partidos foram extintos (ficou o
pelo presidencialismo ou pelo parlamentarismo. O bipartidarismo) e a censura ocorria, mas ainda que pequeno,
presidencialismo ganhou e Goulart tenta a reeleição. Realizou havia um espaço para os trabalhadores e estudantes se
alguns comícios em que anunciou as reformas de base: A manifestares, sobretudo os artistas. As manifestações
reforma agrária (redistribuição das terras improdutivas), proliferaram. Ocorreram grandes greves operárias em
tributária (reordenamento dos impostos), política (mudanças Contagem (MG) e São Paulo. O último ato de Castelo Branco foi
na lei eleitoral). Essas reformas eram consideradas muito a imposição de LSN (lei de segurança nacional), que
esquerdistas e radicais para a época, o que reforçava a imagem estabelecia que certas ações de oposição ao regime seriam
de comunista de Jango. Além disso, como a crise econômica e consideradas “atentatórias” à segurança nacional e punidas
uma pesada inflação estava rolando à anos, as greves se com rigor.
espalharam. Espalharam-se manifestações de apoio ao Após enfrentamentos entre os estudantes e militares em
presidente e de repúdio a ele, como a “marcha por Deus, pela que ocorreram mortes de jovens, contra a repressão ocorreu a
Família e pela Liberdade” passeata dos 100 mil.
Diante deste contexto de fortes agitações sociais que o
exército dá o golpe sob o argumento de afastar o risco Em dezembro de 1968, sob o governo do Marechal Costa e
comunista que rondava os pais. Silva foi instituído o AI-5 o mais duro e repressor dos atos
Quando inicia o governo militar realizam uma grande institucionais acabava com as garantias civis (de ser preso
perseguição política aos líderes de esquerda, que são presos após julgamento por exemplo), enrijecia a censura e a
na calada da noite. Os deputados e políticos em geral que perseguição. Concedia uma autoridade excepcional para o
tinham mandatos de partidos de esquerda foram cassados poder executivo. O Presidente poderia fechar o congresso
(expulsos). Para tanto foi criado o SNI (serviço nacional de nacional e cassar mandatos parlamentares, aposentar
informação). Era o serviço secreto do Exército e havia agente intelectuais, demitir juízes, suspender garantias do judiciário
em todos os lugares como jornais, sindicatos, escolas ... Bastava e declarar estado de sítio.
o agente do SNI apontar um suspeito para ele ser preso. Apesar
das cassações de mandato o congresso nacional foi mantido. Alguns grupos políticos contra a ditadura passaram à
Os militares passaram a governar através de Atos atuar na clandestinidade. Alguns deles, devido ao AI-5
institucionais. Mesmo após a constituição de 67, que optaram por partir para a revolta armada. Surgiram focos de
institucionalizava o regime os militares continuaram guerrilha urbana (principalmente são Paulo) e guerrilha rural
governando através de atos institucionais. (na região do rio Araguaia). A guerrilha nunca representou um
grande problema de verdade pois eram pequenos e poucos
AI- 1: Ampliação dos poderes do presidente, eleição grupos, mas forneceu o argumento que a ditadura precisava
indireta e a cassação de parlamentares de esquerda. (O início para manter e aumentar a repressão, pois tínhamos inclusive
da instalação da Ditadura. Perseguem lideranças de oposição um inimigo interno comunista. O risco não havia passado
(lideres camponeses, estudantis, sindicais, partidários e (lembra-se que o pretexto do golpe era afastar o risco
intelectuais) e são cassados mandados políticos e cargos comunista?).
públicos.
Milagre econômico e repressão

História 16

Apostila Digital Licenciada para Renê da Silva Pereira - aspirantepm2009@hotmail.com (Proibida a Revenda) - www.apostilasopcao.com.br
APOSTILAS OPÇÃO

atuavam junto ao MEC por solicitação do governo brasileiro,


Durante o Governo do General Médici o país viveu a maior gerando uma série de acordos que deveriam orientar a política
onda de repressões e torturas da ditadura. O AI-5 era aplicado educacional brasileira.
com toda a força e a censura era plena. Ao mesmo tempo o país As manifestações estudantis foram os mais expressivos
vivia um período de propaganda ufanista (nacionalismo de meios de denúncia e reação contra a subordinação brasileira
enaltecimento do Brasil) e experimentava um grande aos objetivos e diretrizes do capitalismo norte-americano. O
crescimento econômico e urbano em razão do “milagre movimento estudantil não parava de crescer, e com ele a
econômico”. repressão. No dia 28 de março de 1968 uma manifestação
contra a má qualidade do ensino, realizada no restaurante
Foram contraídos empréstimos e concedidos créditos ao estudantil Calabouço, no Rio de Janeiro, foi violentamente
consumido, mas ao mesmo temo os salários foram congelados. reprimida pela polícia, resultando na morte do estudante
Esta política nos primeiros anos de aplicação gerou um Edson Luís Lima Souto.
enorme consumo e consequentemente gerou empregos (cada A reação estudantil foi imediata: no dia seguinte, o enterro
vez menos remunerados). Ao final da década de setenta o país do jovem estudante transformou-se em um dos maiores atos
amargava uma grande inflação, salários cada vez mais públicos contra a repressão; missas de sétimo dia foram
defasados e um aumento da desigualdade social. celebradas em quase todas as capitais do país, seguidas de
passeatas que reuniram milhares de pessoas.
O período Médici foi o qual viveu maior propaganda Em outubro do mesmo ano, a UNE (na ilegalidade)
ufanista crescimento econômico conciliada com a maior convocou um congresso para a pequena cidade de Ibiúna, no
repressão do período. interior de São Paulo. A polícia descobriu a reunião, invadiu o
local e prendeu os estudantes.

Movimentos sindicais
As greves foram reprimidas duramente durante a ditadura.
Movimentos sociais e Os últimos movimentos operários ocorreram em 1968, em
repressão durante a Osasco e Contagem, sendo reavivadas somente no fim da
década de 1970, com a greve de 1.600 trabalhadores, no ABC
Ditadura Civil-Militar (1964- paulista em 12 de maio de 1978, que marcou a volta do
1985) em Pernambuco; movimento operário à cena política.
Em junho do mesmo ano, o movimento espalhou-se por
São Paulo, Osasco e Campinas. Até 27 de julho registraram-se
166 acordos entre empresas e sindicatos, beneficiando cerca
Movimentos de resistência
de 280 mil trabalhadores. Nessas negociações, tornou-se
conhecido em todo o país o presidente do Sindicato dos
O movimento estudantil
Metalúrgicos de São Bernardo e Diadema, Luís Inácio da Silva.