Você está na página 1de 16

1

Matemática_ I

Olá Aluno,

Para que você possa organizar seu estudo, é importante que saiba que esta disciplina,
Mate-mática I, está dividida da seguinte forma:

UNIDADE I. TEORIA DOS CONJUNTOS. __________________________________________ 2


EXERCÍCIOS ______________________________________________________________________ 3
GABARITOS _______________________________________________________________________ 3
UNIDADE II. CONJUNTOS. _____________________________________________________ 3
EXERCÍCIOS ______________________________________________________________________ 4
GABARITOS _______________________________________________________________________ 5
UNIDADE III. ESTUDO DAS FUNÇÕES ___________________
________________________ 5
EXERCÍCIOS ______________________________________________________________________ 5
GABARITOS _______________________________________________________________________ 6
UNIDADE IV. FUNÇÃO CONSTANTE_______________________
______________________ 6
EXERCÍCIOS ______________________________________________________________________ 7
GABARITOS _______________________________________________________________________ 7
UNIDADE V. FUNÇÃO POLINOMIAL DO SEGUNDO GRAU ______ ___________________
7
EXERCÍCIOS ______________________________________________________________________ 9
GABARITOS _______________________________________________________________________ 9
UNIDADE VI. NOTAÇÃO FATORIAL ______________________
_______________________ 9
EXERCÍCIOS _____________________________________________________________________ 10
GABARITOS ______________________________________________________________________ 10
UNIDADE VII. ANÁLISE COMBINATÓRIA _________________
______________________ 10
EXERCÍCIOS _____________________________________________________________________ 10
GABARITOS ______________________________________________________________________ 11
UNIDADE VIII. AGRUPAMENTOS ______________________________________________ 11
EXERCÍCIOS _____________________________________________________________________ 12
GABARITOS ______________________________________________________________________ 12
UNIDADE IX. ÂNGULOS _______________________________ ________________________ 12
EXERCÍCIOS _____________________________________________________________________ 13
GABARITOS ______________________________________________________________________ 14
UNIDADE X. TRIÂNGULOS _____________________________ _______________________ 14
EXERCÍCIOS _____________________________________________________________________ 16
GABARITOS ______________________________________________________________________ 16

ICT Cursos - www.ictcursos.com


2 Matemática I

Ex.: J = {a, m, o, r} K = {r, o, m, a}


Olá! Eu sou o professor e vou ajudar Neste caso, dizemos que J = K.
você a entender toda a maté-ria! Se J = {1, 2, 3} e K = {a, b, c}
Vamos começar? Bem, você está Então J ¹ K
começando a estudar a disciplina de Conjunto das Partes de um Conjunto:
Matemática I! Começaremos pela Ex.: Se A = {a, b, c}
Unidade I: Teoria dos Conjuntos. Em seguida P(A) = {Æ, {a}, {b}, {c}, {a, b}, {a, c}, {b , c}, {a, b, c}}
você fará exercícios para que verifique a sua
aprendizagem, relendo os conteúdos quando Observações: Se um conjunto J tem n elementos,
necessário, e verificando suas respostas no ga- n
então o conjunto P(J) terá 2 elementos.
barito.
n
P(J)  2
UNIDADE I. TEORIA DOS CONJUNTOS.
OPERAÇÕES COM CONJUNTOS: Considere J
Você sabe que a Matemática exige uma lingua- e K conjunto dados:
gem adequada para o seu desenvolvimento, por isso Intersecção (Ç): É a operação que permite formar
se introduziu a teoria dos conjuntos. Você deve a- um novo conjunto de elementos que pertençam ao 1º
prender bem as operações com conjuntos, pois tal conjunto e ao 2º conjunto. São os elementos comuns
a dois ou mais conjuntos.
capítulo é básico para outros que virão e procurar
Ex.: J = {a, b c, d, e} K = {a, e, i, o, u} J Ç
resolver muitos problemas que envolvam diagramas,
K = {a, e}
pois estes são problemas cativos dos vestibulares do
Brasil. Em Diagramas:
CONJUNTOS: J K
Noções: Grupo, classe ou coleção.
Ex.:
O Conjunto das vogais (que são cinco)
O Conjunto dos números pares.
Representação:
Uma letra maiúscula e seus elementos entre União (È): É a operação que permite formar um
chaves separados por vírgula. novo conjunto com elementos que pertençam ao 1º
A = {a, e, i, o, u} ou ao 2º. É a reunião dos elementos de dois ou mais
conjuntos.
Por compreensão (propriedade característica
Ex.: J = {a, e, i, o, u} K = {a, b, c, d, e} J U
dos elementos).
K = {a, b, c, d, e, i, o, u}
A = {x/x é vogal do alfabeto português}
Por diagrama de Vem-Euler. Em Diagramas
J K

a
o e
u
i
Diferença (– ou /): É a operação que permite for-
mar um novo conjunto com elementos que perten-
Relação de Pertinência: çam ao 1º conjunto e não pertençam ao 2º conjunto.
Usada apenas de elemento para conjunto. Ex.: J = {a, e, i, o, u} K = {a, b, c, d, e}
A Î B (A pertence a B)
A Ï B (A não pertence a B) J–K
J K
Relação de Inclusão: i b
Usada de Conjunto para a
o c
Conjunto. A Ì B (A está contido em B)7 e
A Ë B (A não está contido em B) u d
A É B (A contém B)
AÉ B (A não contém B)
Observações: Todo conjunto está contido nele mes- K–J
mo; O conjunto vazio está contido em qualquer con- J K
junto ( A)
i a b
Relação de Igualdade:
Usada para conjuntos de mesma cardinalida- o c
de (mesmo número de elementos). u e d
A = B (A igual a B)
A ¹ B (A diferente de B)

ICT Cursos - www.ictcursos.com


3
Matemática_ I

GABARITOS
Complementar de J em relação a K:
1. B / 2. C / 3. C / 4. B.
J
Notação: C K  C J, K  K - J

J Você acabou de aprender sobre a


ATENÇÃO: CK K-JJK Teoria dos Conjuntos. Agora iremos
para o passo seguinte. Continuaremos
Então:
o estudo com a Unidade II: Conjun-
tos. Em seguida você fará exercícios
J
Se J  K ⇒ C K para que verifique a sua aprendizagem, relendo
os conteúdos quando necessário, e verificando
J
Se J = K ⇒ CK =  suas respostas no gabarito.

EXERCÍCIOS
UNIDADE II. CONJUNTOS.
1. Numa classe de 140 alunos, 90 usam jeans e 70
usam tênis. Sabendo-se que 40 usam jeans e
Conjunto dos Números Naturais:
tênis, quantos não usam nem jeans e nem tênis?
a. 30
b. 20 IN = {0, 1, 2, 3, 4, 5, ...}
c. 39 IN* = {1, 2, 3, 4, 5, ...}
d. 57
e. 35
0 1 2 3 4
2. Numa indústria, 120 operários trabalham de
manhã, 130 trabalham, à tarde, 80 trabalham à
Conjunto dos Números Inteiros Relativos:
noite, 60 trabalham de manhã e à tarde, 50 tra-
balham de manhã e à noite, 40 trabalham à tarde
e à noite e 20 trabalham nos três períodos. Z = {..., -3, -2, -1, 0, 1, 2, 3, ...}
Quan-tos operários trabalham só de manhã? Subconjuntos de Z:
a. 18 Z* = {..., -3, -2, -1, 1, 2, 3,
b. 42 ...} Z = {0, 1, 2, 3, 4, ...}
c. 30
d. 32 Z- = {..., -3, -2, -1, 0}
e. 26 Z-3-2-1012
3. A uma reunião compareceram 30 homens. 15
deles têm barba e bigode, 10 têm só bigode e 20
têm barba. Sorteando-se ao acaso um desses Observe que:
homens, a probabilidade de sair um homem só IN  Z ou
com barba ou só com bigode é:
n(A) Z
Dica: P(A) = IN
n(U)
a. ( ) 47 Conjunto dos Números Racionais:

b. ( ) 1 12
Q= x / x  p/q , p  Z e q  Z
c. ( )3 7
*
d. ( )1 2
Observe que:
e. ( )1 6 IN  Z  Q ou

4. Uma escola tem 415 alunos. 221 estudam Inglês, N Z Q


163 estudam Francês e 52 estudam ambas as
línguas. Quantos alunos não estudam nenhuma
das duas?
Observe também que as frações e as dízimas
a. ( ) 332
periódicas também são números racionais, pois:
b. ( ) 83
c. ( ) 39 25 1
d. ( ) 57 0,25 = 0,333... =
e. ( ) nenhum dos itens 100 3
COMO DETERMINAR UMA FRAÇÃO
GERATRIZ DE UMA DÍZIMA PERIÓDICA:

ICT Cursos - www.ictcursos.com


4 Matemática I

Ex.:
x  0,333...
A bolinha cheia (●) indica que os extremos
10x  3,333... pertencem ao intervalo.
9x  3 ⇒ x  3/9 ⇒ x = 1/3 c) intervalo semi-aberto à direita
x = 0,3121212...
10x =3,121212...
a
a bb
1000x =312,121212...
Representaçã o algébrica
990x =309 ⇒ x = 309/990
{ x  R | a  x < b } ou [a, b[
x = 103/330
d) intervalo semi-aberto à esquerda
Conjunto dos Números Irracionais:
Você observa que existem números que tem
Representaçã o algébrica
uma infinidade de casas decimais não periódicas. Ao
conjunto formado por estes números, damos o nome { x  R | a < x  b } ou ]a, b]
de Conjunto dos Irracionais. Definimos como intervalos infinitos os se-
O conjunto dos irracionais é representado pela guintes subconjuntos de R, com sua representação na
letra I ou Q’. reta real:
Exemplos:
]a, + ¥[
   
2, 3, ..., -  , ..., - e, cos 20º... a
 -
[a, + ¥[
a
Conjunto dos Números Reais: ]- ¥, a[
a
R = Q  Q’ ]- ¥, a]
Q’ a
R Considera-se como intervalo ] – ∞, + ∞] = R

Z Q
N EXERCÍCIOS

1. Julgue os itens com V se verdadeiro ou F se fal-


so:
1. ( ) 0 Î Q
ATENÇÃO: 3
2. ( ) 8ÎR
PAR 3. ( ) 6ÎR
n Ï R, se n < 0
4. ( ) 6ÎR
5. ( ) 5.3 Î Z
Intervalos Reais:
6. ( ) 5 1 Î R
Denominamos intervalo a qualquer subcon- 2
junto dos números reais. Assim, dados dois números
reais a e b, com a < b, temos:
2. Calculando as frações geratrizes de 0,451
451451...1,244 44 44... e 0,372 7272... encon-
a) intervalo aberto
tramos:
b a. ( ) 451 ; 56 ; 41
a b 999 45 110
Representaçã o algébrica
{ x  R | a < x < b } ou ]a, b[ b. ( ) 451 ; 112 ; 41
A bolinha vazia (o) é para indicar que os ex-
999 90 99
tremos a e b não pertencem ao intervalo. Este inter- c. ( ) Estes números são Irracionais
valo contém todos os números reais compreendidos
entre a e b. 3. Assinale a afirmação verdadeira entre as seguin-
tes:
b) intervalo fechado a. ( ) Em Z existe um elemento que é menor do que
todos os outros,
a b
a b b. ( ) O número real 2 pode ser representada sob a
Representaçã o algébrica forma p/q, sendo p e q inteiros e q ¹ 0;
{ x  R | a < x  b } ou [a, b]

ICT Cursos - www.ictcursos.com


5
Matemática_ I

c. ( ) O número real representado por 0,37222... é Conjunto Imagem de uma relação de J em K é o


um número racional; conjunto formado por todos os segundos elementos
d. ( ) O quadrado de qualquer número real é um dos pares ordenados da relação.
número racional. Funções:
Dados dois conjuntos J e K, uma função f de J
4. Dados A = { x Î IR / 1 < x < 7 } e B = { x Î IR em K é uma relação na qual para todo elemento de J
/3 < x < 10 }, determine: existe um e somente um elemento correspondente
a. A Ç B em B.
b. A È B Notação de Funções:
c. A – B f: {(x, y)} Î R x R/ y = 3x + 6} ou
f: R ® R, onde f (x) = 3x + 6.
Composição das Funções:
GABARITOS
Dadas duas funções: f: A ® B e g: B ® C,
chama-se composta de g com f a função gof: A ® C
1. V,V,V,F,F,V / 2. B / 3. C / 4. a)[3,7]; b) [1,10]; c) onde gof(x) = g[f(x)]
[1,3[.
B
Você terminou de aprender sobre
Conjuntos. Iremos para o passo se-
guinte. Continuaremos o estudo com a f (x)
Unidade III: Estudo das Funções. Em
seguida você fará exercícios para que g
verifique a sua aprendizagem, relendo os conte- f
údos quando necessário, e verificando suas res-
postas no gabarito.
A C
UNIDADE III. ESTUDO DAS FUNÇÕES
x g [f (x)]
Par Ordenado: Par ordenado é um conjunto com
dois elementos x e y, munidos das seguintes caracte- gof
rísticas:
1.1 (x, y) ¹ (y, x)
1.2 (x, y) = (p . q) Û x = p e y = q Função Inversa:
Plano Cartesiano: É o plano determinado por dois Denomina-se função inversa da função bijetora
–1
eixos x e y perpendiculares em 0. f: A ® B, a função, f : B ® A que se obtém trocando
de posição os elementos de todos os pares ordenados
y da função f. Regra prática para determinação de uma
função inversa:
YP P(XP , YP ) I) Na sentença y = f(x) trocamos a variável x
pela variável y e vice-versa;
II) Isolamos a variável y (encontramos o seu
valor).
0 X Funções: Crescente ou Decrescente:
P x Determinar a monotonicidade de uma função é
classificá-la em crescente ou decrescente. Seja a
Cada ponto deste plano recebe uma localização função: f: A ® B: f é crescente em A se, e somente
denominada coordenadas do ponto, e a indicação é se, x2 > x1 ⇒ f(x2) > f(x1), "x1, x2 Î A. f é
um par ordenado P(Xp, Yp) onde: decrescente em A se, e somente se, x2 > x1 ⇒ f(x2)
Xp é a abscissa do ponto P < f(x1), "x1, x2 Î A
Yp é a ordenada do ponto P
Produto Cartesiano:
Sejam J e K dois conjuntos não vazios. Chama- EXERCÍCIOS
se produto cartesiano de J por K (J x K), ao conjunto
de todos os pares ordenados (x, y) onde x Î J e y Î K. 1. Sabendo que f (x + y) = f (x) . f (y) e que f
1 5
Relação entre Dois Conjuntos: =2 2 , calcule f .

Dados dois conjuntos J e K dizemos que um 2 3


conjunto R é relação de J em K se R é subconjunto do a. 30
produto cartesiano J x K; ou R é relação de J e K « b. 20
Domínio de uma relação de J em K é o conjunto c. 39
formado por todos os primeiros elementos dos pares d. 32
ordenados da relação. e. 35

ICT Cursos - www.ictcursos.com


6 Matemática I

2. Determine as funções inversas das funções f : R ® R / f(x) = ax + b (a ¹ 0)


seguintes:
x 1 Na função f(x) = ax + b, o coeficiente a é cha-
a.
2 mado de coeficiente angular e possui uma quantidade
3 muito grande de aplicações (aceleração, velocidade,
b. x taxas de variação etc). O coeficiente b é chamado de
2 coeficiente linear e determina o ponto de encontro do
c. x
d. x+1/3 gráfico com o eixo y.
Raiz de Uma Função:
2
3. Se f(x) = x – 2 e g(x) = 2x + 1, então f[g(x)] Chama-se raiz ou zero da função o ponto de
2
é: a. ( ) x + 2x + 1 encontro entre o gráfico e o eixo x. Como conseqüên-
2
b. ( ) 4x + 4x – 1 cia disto, neste ponto a função se anula.
2
c. ( ) x Monotonicidade de Uma Função:
3 Nas funções de 1º grau o coeficiente angular
d. ( ) 2x – 3
determina a sua monotonicidade.
4. Seja a função f: R ® R, onde f (x) = 2x + 5, dê I) coeficiente angular a > 0 ⇒ função crescen-
o valor de: te.
a. f (1) = b. II) coeficiente angular a < 0 ⇒ função decres-
f (0) = c. f cente.
[f(2)] = Posições Relativas de Duas Retas num Plano:
Sejam y1 = ax + b e y2 = cx + d, duas retas
no sistema cartesiano ortogonal. Elas podem ocupar
GABARITOS
as seguintes posições relativas:
3
1. D / 2. a) 2x – 1; b) x ; c) x ; d) 3x – 1 / 3. B; PARALELAS: y1 e y2 são paralelas se, e so-
4. a) 7; b) 5; c) 23. mente se, a = c e b ¹ d, Observe o gráfico:

Bem, agora que você já conhece Y y1


um pouco sobre Funções. Iremos Y2
para o passo seguinte. Continua-
remos o estudo com a Unidade IV: b¹d
Função Constante. Em seguida
você fará exercícios para que verifique a sua a-
prendizagem, relendo os conteúdos quando ne-
cessário, e verificando suas respostas no gabari-
to.
CONCORRENTES: Se a ¹ c, então as retas se-
rão concorrentes, ou seja, se cruzam em um
UNIDADE IV. FUNÇÃO CONSTANTE único ponto.

É toda função do tipo f(x) = k que associa a y


qualquer número real x um mesmo número real k. y1
f : R  R definida por f(x)  k
Esquema (y1) Ç(y2) = (P)
R R
x
y2

PERPENDICULARES: Se a.c = -1, então as retas são


perpendiculares.
k y
y1

y1  y2

x
Observe que o gráfico de uma função
constante é sempre uma reta paralela ao eixo x (ou y2
coincidente a ele).
ª
Função do 1 grau:
É toda função que associa a cada número real
x o número real y = ax + b (a ¹ 0)

ICT Cursos - www.ictcursos.com


7
Matemática_ I

EXERCÍCIOS Características:
Concavidade:
I) Com a > 0 : concavidade voltada para ci-
1. A função f é definida por f(x) = ax + b. Sabe-se
que f(-1) = 3 e f(1) = 1. Qual o valor de f(3)? ma.
a. ( ) 1. II) Com a < 0 : concavidade voltada para
b. ( ) –1. baixo.
c. ( ) 2.
Quanto às raízes:
d. ( ) 3.
Raízes são os valores de x para os quais f(x) = 0
e. ( ) não existe. 2
, ou seja, ax + bx + c = 0 . Para a função quadrática
2. Examinando o gráfico da função f que é uma temos os seguintes casos:
reta, podemos concluir: I) D > 0 ⇒ 2 raízes reais distintas.
y II) D = 0 ⇒ 1 raiz real dupla.
III) D < 0 ⇒ não tem raiz real.
Interpretações Gráficas:
Nos casos a seguir a abertura da parábola é
chamada concavidade da parábola e V o vértice da
(3,0) parábola.

x  Se D > 0 e a > 0
a. ( ) se f(x) < 0, então x > 3 y y
b. ( ) se x > 2, então f(x) > f(2)
c. ( ) se x < 0, então f(x) < 0
d. ( ) se f(x) < 0, então x < 0
x x
3. O salário mensal dos vendedores de uma loja de b>0 b<0
ferramentas consiste em duas partes: salário fixo de V V
400 reais e 3% de comissão calculada sobre o valor y
total dos itens que cada um vende no mês. A lei que
representa o salário (S) mensal do vendedor como
função do valor total de itens por ele vendidos (V) é:
a) S = 3 + 400 V. x
b) S = 400 + 0,3 – V.
c) S = 0,3 + 400 V. d)
V b=0
Nesse caso os pontos nos quais a parábola in-
S = 400 + 3 V. tercepta o eixo 0x (raízes) são:
e) S = 400 + 0,03 V.
-b -  -b + 
;0 e ;0 .
GABARITOS 2a 2a
1. B / 2. E / 3. E.  Se  > 0 e a < 0
Vy y V
Você já está terminando de aprender
sobre Funções. Logo poderá fazer iden-
tificar as diferenças entre cada tipo de x x
Função. Em seguida faça os exercícios b>0 b<0
para verificar sua aprendizagem! Releia os conteú- y
dos quando necessário, e verifique suas respostas V
no gabarito.

x
UNIDADE V. FUNÇÃO POLINOMIAL DO b=0
SEGUNDO GRAU
Os pontos nos quais a parábola intercepta o ei-
xo 0x (raízes) são:
Função Polinomial de 2°Grau: -b -  -b + 
Chama-se função polinomial de 2° grau, ou ;0 e ;0 .
quadrática, toda função f: RR definida por: 2a 2a
2
f(x) = a x + bx + c com a, b e c  R e a ¹ 0 .
O gráfico de uma função quadrática é uma pa-
rábola, com algumas características, a saber.

ICT Cursos - www.ictcursos.com


8 Matemática I

 Se =0ea>0 y y
x x
y y V V
b>0 b<0

b>0 b<0

y
V x V x
y V x
b=0

b=0

V x Eixo de Simetria:
Seja xV a abscissa do vértice V, pode-se
O ponto no qual a parábola toca o eixo 0x é: x1
b garantir que xV = + x2 onde x1 e x2 são as raízes
- ;0 (vértice). 2
x b
2a da função quadrática, disso decorre que V =-
.A
2a
 Se  = 0 e a < 0 parábola é simétrica em relação a um eixo e que
y y passa pelo seu vértice V, ou seja: f(xV - h) = f(xV + h)
V V y e
x x
b>0 b<0

y f(x - h) = f(x + h)
V x1 xV x2
x
x-h x+h x
b=0
V
onde h é uma constante real.

 Se  < 0 e a > 0 Máximo e Mínimo:


y y
2
Na função quadrática f(x) = a x + bx + c se

a > 0 , então - b é chamado de ponto de mínimo da


b>0 b<0 2a
V V
x x função e -  é chamado mínimo ou valor mínimo da
y 4a
função.
y

b=0
V
x

 Se <0ea<0
-
4a V
x
-b
2a
Se a < 0 , então - b é chamado ponto máximo
2a
da função e -

é chamado de máximo ou valor
4a
máximo da função.

ICT Cursos - www.ictcursos.com


9
Matemática_ I

y 2. Uma pedra é lançada Verticalmente para cima. Sua


V altura em relação ao solo, t segundos após o
2
- lançamento, é dada por h = – 5t + 20t. A altura
4a
máxima alcançada pela pedra é:
b x a) 12 metros. b) 24 metros. c) 80 metros.
-
2a
Altura

Sinal da Função Quadrática:


2
O sinal do valor da função quadrática para um
dado valor x é dado em um dos seguintes casos: 100
I)  > 0 : 1 solo Alcance (m)
d) 60 metros. e) 20 metros.

3. A figura dada representa a trajetória parabólica de


+++ -- --- - +++ um projétil, disparado para cima, a partir do solo,
x x com uma certa inclinação. O valor aproximado da
1 2 a>0 altura máxima, em metros, atingida pelo projétil
é:
--- +++ - -- a) 550 b) 535 c) 510 d) 505 e) 500
x 2
x1 2 a<0 4. O gráfico da função quadrática f(x) = ax + bx
+c é: Pode-se afirmar que:

II)  = 0

+++ +++
x1 = x2 a>0 a) a > 0, b > 0, c = 0.
b) a > 0, b > 0, c > 0.
- - - x1 = x2 - - - c) a < 0, b = 0, c > 0.
a<0 d) a < 0, b = 0, c > 0.
e) a > 0, b = 0, c < 0.

GABARITOS
III)  < 0
1. E / 2. E / 3. D / 4. E.

+ + + + + + + + + + +
a>0 Você terminou de aprender sobre Fun-
- - - - - - - - - - - - - - ções. Portanto, vamos adiante! Estuda-
a<0 remos Notação Fatorial. Em seguida
faça os exercícios para verificar sua
aprendizagem! Releia os conteúdos
quando necessário, e verifique suas respostas no
gabarito.
EXERCÍCIOS

1. Sabendo-se que f (x) é uma função quadrática,


UNIDADE VI. NOTAÇÃO FATORIAL
tal que f(0) = 7, f(1) = 6 e f(–1) = 10, f(x) será:
2
a) - x + 2x + 7
2 Notação fatorial:
b) 2x x – x + 7
2 Seja n um número inteiro não negativo. Definimos o
c) – x – 2x + 7 fatorial de n (indicado pelo símbolo n!) como sendo: n!
2
d) -2x +x+7
2 = n .(n-1) . (n-2) . ... .4.3.2.1 para n > 2.
e) x – 2x + 7 Para n = 0 , teremos : 0! = 1.
Para n = 1 , teremos : 1! = 1.

ICT Cursos - www.ictcursos.com


10 Matemática I

Exemplos: então a escolha de um ou outro elemento se realizará


a) 6! = 6.5.4.3.2.1 = 720 de m+n formas, desde que tais escolhas sejam inde-
b) 4! = 4.3.2.1 = 24 pendentes, isto é, nenhuma das escolhas de um ele-
c) observe que 6! = 6.5.4! mento pode coincidir com uma escolha do outro.”
d) 10! = 10.9.8.7.6.5.4.3.2.1 Ex.: Se você possui quatro pares de sapatos e seis
e) 10! = 10.9.8.7.6.5! pares de tênis diferentes, de quantas maneiras distin-
f ) 10! = 10.9.8! tas você pode calçar-se, usando sapato ou tênis?
“Princípio da Multiplicação: A regra do produto
EXERCÍCIOS diz que se um elemento H pode ser escolhido de m
formas diferentes e se depois de cada uma dessas
1. Considere a função f definida no conjunto dos escolhas, um outro elemento M pode ser escolhido de
números inteiros e dada pela seguinte expressão: f(n) n formas diferentes, a escolha do par (H,M) nesta
5 3 ordem poderá ser realizada de m.n formas.”
= n - 5n + 4n . Julgue os itens a seguir: Ex.: Numa sala há 3 homens e 4 mulheres. De quan-
(1) A soma dos números inteiros para os quais f tos modos é possível selecionar um casal homem-
se anula é igual a um. mulher?
(2) para todo n ³ 3 , é válida a igualdade Exemplo1: Um homem vai a um restaurante
n+2 ! disposto a comer um só prato de carne e uma só
sobremesa. O cardápio oferece oito pratos de carne e
f(n) =  n  3! . cinco pratos diferentes de sobremesa. De quantas
formas pode o homem fazer sua refeição?
(3) para todo n ³ 3 , é válida a igualdade
Temos duas decisões a tomar: escolher o prato
n+3 de carne e escolher a sobremesa. Para escolher o
f(n + 1) = f(n). .
n-2 prato de carne existem 8 modos e para escolher o
(4) Para todo inteiro n, f(n) é divisível por 120. prato de sobremesa temos 5 modos, logo, pelo “Prin-
cípio da Multiplicação”, este homem tem 8´ 5 = 40
p 2! formas de fazer sua refeição.
2. Resolver a equação  72 Exemplo 2: Uma bandeira é formada por 7 lis-
p! tras que devem ser coloridas usando apenas as cores
verde, azul e cinza. Se cada listra deve ter apenas
uma cor e não se pode usar cores iguais em listras
GABARITOS adjacentes, de quantos modos se pode colorir a ban-
deira?
1. 7 / 2. E;C;C;C. Colorir a bandeira equivale a escolher a cor de
cada listra. Há 3 modos de escolher a cor da primeira
listra e, a partir daí, 2 modos de escolher a cor de
cada uma das outras 6 listras. Logo, a resposta é
Após o término de Notação Fatorial, 6
continuaremos com o estudo Análise
3 2 = 192 .
Combinatória. Em seguida você fará exercícios Exemplo 3:Quantos são os números de três
para que verifique a sua aprendizagem, dígitos distintos?
relendo os conteúdos quando necessário, e O primeiro dígito pode ser escolhido de 9 mo-
verificando suas respostas no dos, pois ele não pode ser igual a 0. O segundo dígito
gabarito. pode ser escolhido de 9 modos, pois não pode ser
igual ao primeiro dígito (note que agora o 0 pode ser
incluído). O terceiro dígito pode ser escolhido de 8
modos, pois não pode ser igual nem ao primeiro nem
ao segundo dígitos. A resposta é 9 ´ 9 ´ 8 = 648
UNIDADE VII. ANÁLISE COMBINATÓRIA

A análise combinatória tem por finalidade de- EXERCÍCIOS


terminar o número de possibilidades de ocorrer um
dado evento, a quantidade de maneiras de se realizar 1. Uma empresa vai fabricar cofres com senhas de
uma certa experiência, sem, necessariamente, des- 4 letras, usando 18 consoantes e 5 vogais. Se cada
crever cada uma das possibilidades, cada uma das senha deve começar com uma consoante e terminar
maneiras. È, em síntese, um estudo de regras de com uma vogal, sem repetir letras, qual é o número
contagem. senhas possível?
A seguir apresentaremos o “Princípio da Adi-
ção”, que ao lado do “Princípio da Multiplicação”, 2. Suponha que o número de inscrição no cadastro
constitui a ferramenta básica para resolver os pro- de um órgão público seja formado por nove algaris-
blemas de contagem abordados em nível de vestibu- mos. Admita que os dois primeiros algarismos do
lar. número de inscrição, da esquerda para a direita,
“Princípio da Adição: A regra da soma nos diz pertençam ao conjunto {3, 4, 5, 6, 7} e os demais ao
que se um elemento pode ser escolhido de m formas conjunto {0, 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9} . A partir dessas
e um outro elemento pode ser escolhido de n formas,
informações, julgue os itens:

ICT Cursos - www.ictcursos.com


11
Matemática_ I

(1) Se no censo de 2000 a população atingir 200 As seqüências serão do tipo xyz. Para a primei-
milhões, não haverá números suficientes para ca- ra posição teremos 10 alternativas, para a segunda, 9
dastrar todos os brasileiros nesse órgão. e para a terceira, 8. Podemos aplicar a fórmula de
(2) A probabilidade de um número de inscrição to- arranjos, mas pelo princípio fundamental de conta-
mado ao acaso ter os dois primeiros algarismos gem, chegaremos ao mesmo resultado: 10.9.8 =
da esquerda para a direita repetidos é 1/5. 720.
(3) Pode ser gerado 20 × 8! números de inscrição com Observe que 720 = A10,3
todos os algarismos distintos. Permutações:
Este é um caso particular de arranjo em que
3. Uma fábrica de automóveis produz três modelos k=m. Para obter o número de permutações com m
de carros. Para cada um, os clientes podem escolher elementos distintos de um conjunto C, basta escolher
entre sete cores diferentes; três tipos de estofamen- os m elementos em uma determinada ordem. A tabe-
to, que podem vir, seja em cinza, em vermelho; dois la de arranjos com todas as linhas até a ordem k=m,
modelos distintos de pneus; e entre vidros brancos permitirá obter o número de permutações de m ele-
ou vidros tintos. Ademais, opcionalmente, é possível mentos:
adquirir os seguintes acessórios: um cinzeiro; uma de Denotaremos o número de permutações de m
duas marcas de rádio ou um modelo de toca-fita; um elementos, por P(m) e a expressão para seu cálculo
aquecedor; e um câmbio hidramático. Quantos e- será dada por:
xemplares de carros distintos entre si a fábrica chega P(m) = m(m-1)(m-2)...(m-p+1)...3.2.1
a produzir? A(m,m) = P(m)=m!
a) P6 = 6! = 6.5.4.3.2.1 = 720
b) Calcule o número de formas distintas de 5 pesso-
GABARITOS
as ocuparem os lugares de um banco retangular de
8 2 cinco lugares.
1. 2160 / 2. 2 .3 .7 / 3. no máximo 2 eleitores. P5 = 5! = 5.4.3.2.1 = 120
c) (Denomina-se ANAGRAMA o agrupamento forma-
Importante! Agora você já aprendeu
do pelas letras de uma palavra, que podem ter ou
Análise Combinatória! Portanto, va- não significado na linguagem comum)
mos adiante! Continuaremos com o
Os possíveis anagramas da palavra REI são:
estudo de Agrupamentos. Em seguida REI, RIE, ERI, EIR, IRE e IER.
você fará exercícios para que verifique a sua Permutações com elementos repetidos:
aprendizagem, relendo os conteúdos quando Se entre os n elementos de um conjunto, exis-
necessário, e verificando suas respostas no tem a elementos repetidos, b elementos repetidos, c
gabarito. elementos repetidos e assim sucessivamente, o nú-
mero total de permutações que podemos formar é
dado por:
UNIDADE VIII. AGRUPAMENTOS

Arranjos, Permutações ou Combinações, são os


três tipos principais de agrupamentos, sendo que eles
podem ser simples, com repetição ou circulares. A- Ex.: Determine o número de anagramas da palavra
presentaremos alguns detalhes de tais agrupamen- MATEMÁTICA.(não considere o acento)
tos. Circulares - Ocorre quando obtemos grupos com m
Arranjos: elementos distintos formando uma circunferência de
Dado um conjunto com n elementos, chama-se círculo.
arranjo simples de taxa k , a todo agrupamento de k Fórmula - Pc(m) = (m-1)!
elementos distintos dispostos numa certa ordem. Ex.: Seja um conjunto com 4 pessoas
Dois arranjos diferem entre si, pela ordem de coloca- K={A,B,C,D}. De quantos modos distintos estas pes-
ção dos elementos. soas poderão sentar-se junto a uma mesa circular
Representando o número total de arranjos de n (pode ser retangular) para realizar o jantar sem que
elementos tomados k a k (taxa k) por An,k , teremos haja repetição das posições?
a seguinte fórmula: P(4)=3!=6, pois, se considerássemos todas as per-
mutações simples possíveis com estas 4 pessoas,
teríamos 24 grupos, apresentados no conjunto:
Pc={ABCD,ABDC,ACBD,ACDB,ADBC,ADCB,BACD,BAD
C, BCAD,BCDA,BDAC,BDCA,CABD,CADB,CBAD,CBDA,
CDAB,CDBA, DABC,DACB,DBAC,DBCA,DCAB,DCBA}
Ex.: Um cofre possui um disco marcado com os dígi- Acontece que junto a uma mesa "circular" temos que:
tos 0,1,2,...,9. O segredo do cofre é marcado por
uma seqüência de 3 dígitos distintos. Se uma pessoa
tentar abrir o cofre, quantas tentativas deverá fa- ABCD=BCDA=CDAB=DABC
zer(no máximo) para conseguir abri-lo? ABDC=BDCA=DCAB=CABD
Solução: ACBD=CBDA=BDAC=DACB
ACDB=CDBA=DBAC=BACD

ICT Cursos - www.ictcursos.com


12 Matemática I

ADBC=DBCA=BCAD=CADB GABARITOS
ADCB=DCBA=CBAD=BADC
o que significa existem somente 6 grupos distintos,
dados por: 1. 252 / 2. 504 / 3. 648 / 4. 161280.
Pc={ABCD,ABDC,ACBD,ACDB,ADBC,ADCB}
Combinações:
Lembre-se! Você acabou de aprender
Diremos que uma coleção de k elementos de
sobre Agrupamentos. Agora aprenderá
um conjunto C com m elementos é uma combinação
sobre ângulos. Em seguida você fará
de m elementos tomados k a k, se as coleções com p
elementos não tem os mesmos elementos que já exercícios para que verifique a sua
apareceram em outras coleções com o mesmo núme- aprendizagem, relendo os conteúdos quando ne-
cessário, e verificando suas respostas no gabari-
ro p de elementos. Representando por Cn,k o número
to.
total de combinações de n elementos tomados k a k
(taxa k) , temos a seguinte fórmula:
UNIDADE IX. ÂNGULOS

Definições:

De quantas formas podemos colocar juntos 3 Ponto, reta e plano são conceitos primitivos.
livros A, B e C diferentes em uma estante? O número Neste texto, vamos designar pontos por letras maiús-
de arranjos é P(3) = 6 e o conjunto solução é: culas (A, B, C, ..., P, Q, R, ...) retas por letras minús-
culas (r, s, t, ...) e planos por letras gregas
P={ABC,ACB,BAC,BCA,CAB,CBA}
( ,  ,  , ...) . Observe, na figura abaixo, a represen-
Uma prova consta de 15 questões das quais o tação gráfica de um ponto A, de uma reta r e um
aluno deve resolver 10. De quantas formas ele pode- plano  .
rá escolher as 10 questões?
Solução: r
A
Observe que a ordem das questões não muda
o teste. Logo, podemos concluir que trata-se de um
problema de combinação de 15 elementos com taxa
10. Aplicando simplesmente a fórmula chegaremos a:

C15,10 = 15! / [(15-10)! . 10!] = 15! / (5! .


Podemos ver a reta e o plano como conjuntos
10!) = 15.14.13.12.11.10! / 5.4.3.2.1.10! = 3003
infinitos de pontos; o plano pode ser considerado um
conjunto de infinitas retas.
EXERCÍCIOS
Ângulos:
A união de duas semi-retas de mesma origem é
1. Qual é a quantidade de números de 3 algarismos
chamada ângulo. A origem comum é o vértice e as
que tem pelo menos 2 algarismos repetidos?
semi-retas são os lados do ângulo. O ângulo formado
UUUR UUUR

2. Seis times de futebol, entre os quais estão A e pelas semi-retas OA e OB pode ser representado
B, vão disputar um campeonato. Suponha que na por AOBou BOA .
classi-ficação final não existam empates. Um Região Angular
indivíduo fez duas apostas sobre a classificação final. Convexa
Região Angular
Na primeira apostou que A não seria campeão; na Côncava
segunda, apos-tou que B não seria o último colocado. A
Em quantas das 720 classificações possíveis, esses
indivíduos ganha as duas apostas?
O B
3. Quantos números naturais compreendidos entre
3000 e 7000 podemos escrever com os algarismos
1,4,5,6,7 e 9?
Ângulos Consecutivos e Adjacentes:
4. Numa Kombi viajam 9 pessoas, das quais 4 po- Dois ângulos são consecutivos quando tiverem
dem dirigir. De quantas maneiras diferentes é possí- vértice comum e pelo menos um lado comum entre
vel acomodá-las na Kombi (3 no banco da frente, 3 eles.
no banco do meio e 3 no banco de trás) de forma que
uma das 4 que dirigem ocupe o lugar da direção?

ICT Cursos - www.ictcursos.com


13
Matemática_ I

I) A Teorema: sendo dois ângulos o.p.v. então eles


UUUR são congruentes.
B (admite OB em co-
mum) Retas Paralelas:

O C Duas retas são ditas paralelas se pertencem ao


II) A mesmo plano (são coplanares) e não possuem ponto
UUUR em comum.
B (admite OB em co-
mum)
r
O C r//s
No caso II os ângulos se dizem adjacentes por
serem consecutivos e não possuírem pontos comuns. s
Disto decore que dois ângulos adjacentes são conse-
cutivos, mas nem sempre dois ângulos consecutivos Retas Paralelas Interceptadas por uma Trans-
são adjacentes. versal:
Definições e Propriedades: Sejam r e s duas paralelas distintas e t uma re-
)
ta concorrente com r e s. Oito ângulos são assim
Seja AOB um ângulo qualquer, denota-se a formados, vejamos:
)

medida desse ângulo por  = m( AOB),


)

0 o    180o . Dizemos que AOB é:


o
raso se, e somente se,  = 180 ;
o
nulo se, e somente se,  = 0 ;
o
reto se, e somente se,  = 90 ;
o o
agudo se, e somente se, 0    90 ;
o o
obtuso se, e somente se, 90    180 .

Se um ângulo é reto, seus lados são perpendi-


culares. As retas que contêm tais lados são chamadas
retas perpendiculares.

r
Nomenclatura Propriedade
Correspondentes
ângulo reto Congruentes
s a e e; b e f; c e g; d e h
retas
90o perpendiculares Alternos internos
(r s)
Congruentes
c e e; d e f
o Alternos externos
Se a soma das medidas de dois ângulos é 90 Congruentes
a e g; b e h
, então os ângulos são complementares.
o Colaterais internos
Se a soma das medidas é 180 , então os dois Suplementares
cef;dee
ângulos são ditos suplementares.
Dois ângulos são ditos congruentes quando Colaterais externos
Suplementares
possuem as mesmas medidas. a e h; b e g
Ângulos Opostos pelo Vértice:
EXERCÍCIOS
Duas retas concorrentes determinam dois pa-
res de ângulos chamados opostos pelo vértice 1. Calcule as medidas dos ângulos  e  na figura
(o.p.v.).
que se segue.
A C São Opostos pelo Vértice:

AOC e COD
) )
O
) )
AOC e BOD
B D

2. Da medida de um ângulo tira-se a sua terça parte


e depois a metade da medida do suplemento do que

ICT Cursos - www.ictcursos.com


14 Matemática I

restou e obtém-se 80º. Qual é a medida desse ângu-  E1, E2 e E3: ângulos externos do triângulo
lo? ABC.

3. O suplemento do complemento de um ângulo é


igual ao triplo deste ângulo. Calcule as medidas do
suplemento desse ângulo.

4. Um raio de luz é refletido por três espelhos pla-


nos, dois dos quais são paralelos, como mostra a
Condição de Exis-
figura. Lembrando que o raio de luz é refletido por
tência (Desi-
um espelho segundo o seu ângulo de incidência, ou
gualdade Triangu-
seja, o ângulo de reflexão é igual ao ângulo de inci-
lar):
dência, o valor do ângulo  é, em graus:
“A medida de qualquer lado é menor que a so-
a) 90 b) 85 c) 80 d) 75 e)65 ma das medidas dos outros dois e maior que o módu-
lo da diferença das medidas dos outros lados”.
Sendo a, b e c as medidas dos lados de um tri-
ângulo qualquer, teremos sempre:

bcabc
acbac
abcab
5. Na figura as retas r e s são paralelas. Calcule a DICA: se um triângulo possui dois lados me-
medida do ângulo b. dindo a e b, o terceiro lado estará compreendido
entre |a - b| e a+b.

CLASSIFICAÇÃO DOS TRIÂNGULOS: Os


triângulos podem ser classificados quanto à medida
dos lados em:
EQUILÁTEROS: medidas dos lados i-
guais; como conseqüência disto, os 3 ângulos inter-
nos de um triângulo eqüilátero são congruentes, isto
é , possuem a mesma medida e, portanto cada ângu-
lo mede 60º .
GABARITOS

1. A  130º  =150º / 2. 170º / 3. 135º. / 4. B / 5.


100º.

Importante! Veremos agora o que são os


Triângulos. Logo após você fará exercícios para
que verifique a sua aprendizagem, relendo os ISÓSCELES: possuem pelo menos dois
conteúdos quando necessário, e verificando lados com medidas iguais. O terceiro lado chama-se
suas respostas base. Verifica-se facilmente, que os ângulos da base
no gabarito. de um triângulo isósceles possuem medidas iguais, ou
seja, são congruentes. Todo triângulo eqüilátero é
também um triângulo isósceles.
UNIDADE X. TRIÂNGULOS

Dados 3 pontos A ,B e C , não colineares, isto


é, não alinhados, chama-se Triângulo à região do
plano limitada pelos segmentos AB , AC e BC , deno-
minados lados, sendo A, B e C os seus vértices. Os
ângulos internos são representados por A, B e C.
Nesta figura temos:

 A,B e C: vértices do triângulo ABC; ESCALENO: possui os três lados desi-


 guais.
 AC, AB, BC: lados do triângulo ABC;

 x,y e z: ângulos internos do triângulo ABC;

ICT Cursos - www.ictcursos.com


15
Matemática_ I

Os triângulos podem ser classificados quanto


às medidas dos ângulos internos, em: AG=2.GM1,BG=2.GM2,CG=2.GM3
RETÂNGULO: possuem um ângulo reto Altura: é o segmento que une um vértice ao lado
(90º). O lado oposto ao ângulo reto é chamado hipo- oposto (ou ao prolongamento deste), sendo perpen-
tenusa e os outros 2 lados, são chamados catetos. dicular a esse lado. As 3 alturas de um triângulo pas-sam
por um mesmo ponto, chamado ORTOCENTRO
do triângulo.
A

H3
H2
ACUTÂNGULO: todos os ângulos são
agudos.

B H1 C
Bissetriz interna: é o segmento que divide cada
ângulo interno do triângulo, em 2 ângulos iguais. As
3 bissetrizes internas de um triângulo passam por um
ponto chamado INCENTRO do triângulo. O incentro é
o centro da circunferência inscrita no triângulo, isto é,
OBTUSÂNGULO: possui um ângulo ob- da circunferência que tangencia os 3 lados do triân-
tuso gulo.
A

c b
r r

PONTOS NOTÁVEIS E CEVIANAS: r


Mediana: é o segmento que une um vértice ao ponto
médio do lado oposto. Conclui-se que todo triângulo B a C
possui 3 medianas; o ponto de interseção das 3 me-
dianas de um triângulo, encontram-se em um ponto Mediatriz: é a reta perpendicular ao lado, passando
denominado BARICENTRO ou CENTRO DE pelo ponto médio do mesmo. As 3 mediatrizes de
GRAVIDADE do triângulo. qualquer triângulo passam por um mesmo ponto,
chamado CIRCUNCENTRO, que é o centro da circun-
ferência circunscrita ao triângulo, isto é , da circunfe-
rência que passa pelos 3 vértices do triângulo.
ALGUNS TEOREMAS IMPORTANTES
 T1: A soma dos ângulos internos de um tri-
ângulo é igual a 180º.
 T2: Em todo triângulo, um ângulo externo é
igual à soma dos ângulos internos não adja-
centes, ou seja:
E1 = y + z
E2 = x + y
PROPRIEDADE: E3 = x + z

CONGRUÊNCIA DE TRIÂNGULOS: Intuitiva-


mente, dois triângulos são congruentes se têm a
mesma forma e o mesmo tamanho, isto é, a não ser
pela posição no plano, são “iguais”. Formalmente dois
triângulos são congruentes se, e somente se, existir
uma correspondência entre seus vértices de forma
que os ângulos correspondentes sejam congruentes e
os lados correspondentes sejam congruentes. As
condições mínimas que asseguram a congruência de
O baricentro divide cada mediana na razão 2:1 triângulos: a
partir do vértice, ou seja, na figura acima:

ICT Cursos - www.ictcursos.com


16 Matemática I

 1º CASO: LAL - Se dois triângulos têm dois 5. Calcular o valor do ângulo na figura a seguir,
lados iguais e o ângulo por eles determinados sabendo que ED=EF
congruentes aos seus correspondentes, então
 eles são congruentes;
 2º CASO: ALA –Se dois triângulos têm dois
ângulos e o lado adjacente a eles congruen-
tes aos seus correspondentes, então eles são
 congruentes;
 3º CASO: LLL – Se dois triângulos têm os
três lados congruentes aos seus correspon-
 dentes, então eles são congruentes;
 4º CASO: LAA – Se dois triângulos têm con-
gruentes um lado, um ângulo e o ângulo o-
 posto ao lado, então eles são congruentes.
GABARITOS
 CASO ESPECIAL HC: O caso especial é a
correspondência hipotenusa cateto, pois se
dois triângulos retângulos têm hipotenusa e 1. 38cm / 2. 10 / 3. C;C;C;E / 4. 42 / 5. 20º.
um cateto correspondentes congruentes, en-
tão eles são congruentes.
Parabéns! Você concluiu os estudos de
Bem, agora você já tem uma idéia sobre esta Matemática I! Já está apto a desem-
parte da matemática. Importante penhar todas as habilidades que os
rever todos os conceitos e formulas conteúdos estudados lhe proporcio-
visto nesta parte da matéria, e nada nam. Agora é só utilizá-los! Boa sorte
melhor para ajudar fazendo os em seus próximos estudos na UNI! Estamos feli-
exercícios propostos. Bom Trabalho! zes por você ter chegado aqui com êxito e conti-
nue estudando! Pois “O estudo enobrece o ho-
mem”.

EXERCÍCIOS

1. Se dois lados de um triângulo isósceles medem


38 cm e 14 cm, qual poderá ser a medida do terceiro
lado?

2. Na figura, ABCD é retângulo, M é o ponto médio


de CD e o triângulo ABM é eqüilátero. Sendo AB=15,
calcule AP.

3. Classificar em certo ou errado cada uma das


seguintes afirmações:
(1) Todos os ângulos externos de um triângulo po-
dem ser obtusos;
(2) Todos os ângulos externos de um triângulo po-
dem ter medidas diferentes
(3) Um ângulo externo de um triângulo pode ter sua
medida menor que a medida de um ângulo inter-
no
(4) Um ângulo externo de um triângulo não pode ser
congruente a um ângulo interno.

4. O lado AB de um triângulo ABC é expresso por


um número inteiro. Sabendo-se que os lados AC e BC
medem, respectivamente, 27 cm e 16 cm, calcule o
valor máximo de AB (em cm).

ICT Cursos - www.ictcursos.com