Você está na página 1de 3

Projeto São Gabriel – minha cidade educadora

Fase 1: O lugar de onde eu falo

1 Tema
A cidade educadora é um novo paradigma, um projeto necessariamente
compartilhado que envolve todos os departamentos das administrações locais e
a sociedade civil. A integração e a coordenação são essenciais para dar sentido
às ações que incorporam a educação como um processo que ocorre ao longo da
vida.
A concepção de Cidade Educadora compreende que todos os espaços
fazem parte de um território educativo. O seu objetivo é o de aprender, trocar,
partilhar e, por consequência, enriquecer a vida dos seus habitantes.
Considerando que existem múltiplos agentes e lugares de aprendizagem,
pretende-se partir do que podemos considerar o primeiro espaço educativo: a
casa do aluno e seu entorno.

2 Justificativa
A Educação em nosso município está em pleno desenvolvimento, sempre
procurando atender as demandas educativas que surgem a cada momento. Após
o empenho de pessoas que entendem a educação no seu sentido mais amplo, a
Associação Internacional de Cidades Educadoras – AICE (com sede em
Barcelona/Espanha), certificou o município de São Gabriel como CIDADE
EDUCADORA. A oficialização ocorreu no dia 11 de março de 2020, a partir da
tramitação do projeto e da aprovação da Lei Municipal sobre o assunto em 2019, em
que São Gabriel assumiu a responsabilidade pelos princípios da “Carta das Cidades
Educadoras”.
Assim, esse projeto é relevante para divulgar na comunidade escolar e civil da
cidade o contexto atual de nosso município, uma vez que, no mundo são 505
cidades, de 34 países de todos os continentes (maioria da Europa), sendo apenas
21 do Brasil.

3 Objetivos
3.1 Objetivo Geral
• Desenvolver o conceito de Cidade Educadora para a comunidade escolar
das Escolas Municipais de São Gabriel, RS.

3.2 Objetivos específicos


• Introduzir o conceito de cidade educadora para professores e alunos da
rede de ensino municipal;
• Levar os alunos e professores a refletirem sobre os espaços educativos
formais, não formais e informais da cidade;
• Proporcionar a cada aluno a percepção e a valorização de sua casa e
entorno como seu primeiro espaço educativo.

4 Metodologia
O projeto será desenvolvido em três fases, de acordo com os princípios
gerais da Carta das Cidades Educadoras, a saber: O direito a uma cidade
educadora; O compromisso da cidade e A serviço integral das pessoas.
Essa fase inicial está relacionada ao primeiro princípio. Nesse primeiro
momento, chamado de O lugar de onde eu falo, os professores orientarão seus
alunos para o desenvolvimento de trabalhos que levem a refletir sobre o contexto
sociocultural em que vivem.
Para a descrição do contexto do aluno, deverão ser realizadas atividades
variadas, com metodologias e recursos diversos, em que se obtenham respostas
a perguntas como, por exemplo:
a) Como é o espaço onde ele mora? Qual é o seu lugar preferido dentro da sua
casa? Por quê? O que ele vê de sua janela? Quem habita esse espaço junto
com ele? Há crianças, jovens, adultos e idosos na casa? Como é a relação entre
as pessoas de várias idades diferentes na sua casa?
b) Ele convive com seus vizinhos? Há um lugar de interação comunitária perto
da sua casa? Existem árvores próximas? Há locais religiosos? E escolas? A
escola onde estuda é próxima?
c) Ele ouve histórias de sua família? E de seus vizinhos? Há alguma história
conhecida que tenha acontecido em sua comunidade? Alguém tem o hábito de
leitura na sua casa?
O objetivo não é a aplicação de questionário ao aluno, mas sim que haja
reflexão sobre o seu contexto familiar e social mais próximo.
A segunda fase diz respeito ao princípio O compromisso da cidade. Nessa
fase, chamada A identidade da minha cidade, serão pesquisadas, por exemplo, as
construções e símbolos que constituam referências ao passado e à existência de
São Gabriel, de maneira a envolver não só as comunidades escolares, mas também
os demais cidadãos do município.
Para a fase final, correspondente ao princípio A serviço integral das pessoas,
identificaremos A cidade que me forma e me respeita, considerando que, segundo
esse princípio geral, a cidade deverá proporcionar para que as famílias recebam
uma formação que lhes permita ajudar seus filhos a crescer e a apreender a cidade,
bem como encorajar a coesão social entre os bairros e os seus habitantes. Nessa
fase, os alunos identificarão, por exemplo, os espaços educativos do município
A partir deste projeto, cada professor, de forma individual ou coletiva, irá
elaborar seu próprio subprojeto, considerando o ano e a disciplina em que atua, com
atividades específicas para a turma nessa primeira fase, de preferência que
envolvam mais de uma área de conhecimento.
A segunda e a terceira fase terão projetos específicos.

5 Cronograma
A primeira fase do projeto corresponde aos meses de junho e julho de
2020, sendo melhor especificado no subprojeto de cada professor.