Você está na página 1de 16

Faculdade Anhanguera de São Caetano do Sul

Projeto Cidadão: Preconceito

Atividade Colaborativa

Thiago Andrade Leite 180452

Luiz Daniel Soares 176844

João Paulo Alves 189922

Milton Akihiro Aoki 176155

Redes 3º Semestre

São Caetano do Sul

2011
SUMÁRIO

1. Introdução ........................................................................................................ 3

5. Qual o objetivo dessa Cartilha?................................................... .............................4

6. Preconceito Social ............................................................................................ .......5

6.1 A Lei......................................................................................................................... 6

7. Preconceito Étnico-Racial ......................................................................................... 7

7.1 A Lei........................................................................................................................ .8

8. Preconceito Estético ou “Bullying” ................................................................. ...........9

8.1 A Lei........................................................................................................................10

9. Preconceito em Relação à Sexualidade ..................................................................11

9.1 A Lei ......................................................................................................................12

10. Intolerância Religiosa .............................................................................................13

10.1 A Lei......................................................................................................................14

12. Conclusão ......................................................................................................15

13. Referências.............................................................................................................16
INTRODUÇÃO

Hoje em dia vivemos em uma sociedade cujo os valores estão sujos e cheio de preconceitos.
Para que a sociedade viva em harmonia é preciso respeitar diferenças com educação e não
agindo com preconceito ou agressões verbais ou físicas.

Essa cartilha tem como objetivo orientar e educar, e informar sobre a lei sobre alguns tipos de
preconceitos.

3
Qual o objetivo dessa Cartilha?

• Nosso objetivo é orientar e ajudar a tornar nossos colaboradores cidadãos mais


conscientes de seus direitos e deveres, como parte da responsabilidade social. Esse
instrumento pode motivar a participação na construção da cidadania e disseminar conceitos
que, cada vez mais, passam afazer parte do dia-a-dia das pessoas e das empresas.

4
PRECONCEITO SOCIAL

• Esta é uma cena bastante comum no dia-a-dia. Há muitas crianças e adolescentes pobres
fora da escola que têm que batalhar para ajudar a família.

• Porém, muita gente pensa que estes adolescentes estão nas ruas por vagabundagem e já
têm tendência natural à criminalidade. Isso é um terrível preconceito social!

• Para muitos a sociedade é dividida em a “turma do bem” e a “turma do mal”; os honestos e


os criminosos. E que os pobres quase sempre são criminosos.

• A “criminalização da pobreza” é um tipo de preconceito social muito forte no Brasil e é


alimentado por programas de TV, jornais, revistas e por muitos adultos.

5
A LEI

• “Constituem objetivos fundamentais da República Federativa do Brasil: I - Construir uma


sociedade livre, justa e solidária;II - Garantir o desenvolvimento nacional; III – Erradicar a
pobreza e a marginalização e reduzir as desigualdades sociais e regionais; IV - Promover o
bem de todos, sem preconceitos de origem, raça, sexo, cor, idade e quaisquer outras formas
de discriminação”. (Constituição Federal/art. 3o.)

• “A criança e o adolescente têm o direito à educação, visando ao pleno desenvolvimento de


sua pessoa, preparo para o exercício da cidadania e qualificação para o trabalho...” (ECA/
art.53)

• A Lei 7716/89 define os preconceitos como crime e determinacomo punição prisão de 1 a 3


anos, multa e indenização por danos morais.

6
PRECONCEITO ÉTNICO-RACIAL

• Uma outra forma bem comum de expressão de intolerância é o preconceito racial e que na
sociedade brasileira está relacionada quase sempre à cor da pele da pessoa.

• Muita gente, por ser negro, é discriminado quando tenta conseguir vaga no mercado de
trabalho. Anúncios como: “procura-se moça ou rapaz de boa aparência”, na verdade servem de
mecanismo para não aceitar pessoas “diferentes” no ambiente de trabalho.

7
A LEI

Diz a Constituição Federal de 1988, em seu artigo 4º que a República Federativa do Brasil
rege-se nas suas relações internacionais pelos seguintes princípios: VIII – repúdio ao racismo;

• O artigo 5º da Constituição dispõe que a prática de racismo constitui crime inafiançável e


imprescritível, sujeito à pena de reclusão;

• A lei 7.716/89, em seu artigo 20, menciona que praticar, induzir ou incitar a discriminação
ou preconceito de raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional está sujeito a uma pena de
reclusão de um a três anos, além de pagamento de multa.

• A lei prevê que o crime de racismo é inafiançável, não sendo possível o pagamento de
fiança para livrar-se da pena; é imprescritível, não há prazo para a punição do infrator, podendo
ocorrer a qualquer tempo.

8
PRECONCEITO ESTÉTICO OU “BULLYING “

• A palavra inglesa “bullying” pode ser compreendida como uma brincadeira maldosa
praticada de forma repetitiva e intencional por crianças e adolescentes no ambiente escolar,
com o intuito de amedrontar, difamar, discriminar e excluir colegas.

• Apelidos que zombam de aspectos físicos, empurrões, tapas e ofensas se enquadram no


conceito. As vítimas sentem angústia, vergonha, exclusão e sensação de impotência.

• O “BULLYING” É UMA FORMA VIOLENTA DE INTOLERÂNCIA.

Curiosidade

Em pesquisa realizada em 11 escolas na cidade do Rio de Janeiro, em 2002, com


aproximadamente seis mil alunos de quinta a oitava séries, constatou-se que 40,5% desses
alunos admitiram ter estado diretamente envolvidos em atos de Bullying.

(Fonte: Abrapia)

9
A LEI

• Não há no Brasil lei específica em relação à prática do “bullying”, mas podem ser aplicadas
sanções genéricas previstas na legislação.

• A criança ou adolescente que pratica o “bullying” comete uma infração prevista no ECA -
Estatuto da Criança e do Adolescente. O infrator pode ser punido com medidas sócio-
educativas.

• Também prevê o Decreto-lei 2848/40 (Código Penal, o art. 140) que a ofensa pode ser
punida com prisão de um a seis meses ou multa.

10
PRECONCEITO EM RELAÇÃO À SEXUALIDADE

• A intolerância quanto à orientação sexual é manifestada por atos conhecidos como


homofobia, que podem ser insultos verbais, como chamar o homossexual de bichinha”,
“viadinho”, “sapatão”, “boiola” e outros.

• A TV já divulgou, no Brasil, agressões bárbaras contra homossexuais, algumas provocando


até a morte

11
A LEI

• A Constituição Federal estabeleceu a igualdade entre homens e mulheres proibindo


qualquer discriminação baseada em sexo ou em orientação sexual e prega a liberdade das
pessoas, de ambos os sexos, agirem como quiserem em relação ao seu comportamento
sexual.

• Sob o ponto de vista penal, a homofobia pode constituir um crime, prevendo o código penal
uma pena de detenção de três meses a um ano, além de multa para quem cometer esses atos.

• Se houver violência física, o agressor também responderá pela agressão e a pena pode ser
de até oito anos de cadeia, em determinados casos.

12
INTOLERÂNCIA RELIGIOSA

• Na história da humanidade, muitos genocídios e guerras foram justificadas em nome de


crença religiosa, algumas vezes ocultando interesses econômicos e políticos de dominação.

• Ainda hoje, em todo mundo, milhões de pessoas sofrem discriminação e violência devido à
intolerância religiosa de outros grupos.No Brasil também presenciamos ou temos notícias de
atos de intolerância entre as diversas correntes religiosas.

• A primeira condição para a tolerância e o diálogo entre as religiões é a aceitação de que


existem muitas formas culturais éticas de expressar a crença em um Deus e que, por isso,
nenhuma delas pode se colocar como a única verdadeira.

13
A LEI

• O artigo 5º da Constituição Federal dispõe que é inviolável a liberdade de consciência e de


crença e que ninguém será privado de direitos por motivo de crença religiosa ou de convicção
filosófica ou política.

• A lei determina uma pena de reclusão de um a três anos, além de multa para os crimes
relacionados ao preconceito religioso.

• Se o crime for cometido por intermédio dos meios de comunicação social ou publicação de
qualquer natureza a pena aumenta para dois a cinco anos de reclusão, além da multa. Poderá
ocorrer também a proibição das respectivas transmissões radiofônicas ou televisivas.

14
CONCLUSÃO

Esperamos conscientizar algumas pessoas para ver que o preconceito é algo inútil pois
somos todos iguais perante a sociedade e a lei.

15
REFERÊNCIAS

ABNT. NBR 6028: resumos. Rio de Janeiro, 1990. 3 p

http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Projetos/Quadros/principal2003.htm

http://jus2.uol.com.br/doutrina/texto.asp?id=4199

http://recantodasletras.uol.com.br/pensamentos/617522

16