Você está na página 1de 7

Disciplina: filosofia Arte

Laiza Martinez H1 A

Prof: Sonia Silva


Arte como Comunicação e Linguagem
Através da comunicação, os seres humanos e os animais partilham diferentes
informações entre si, tornando o ato de comunicar uma atividade uma atividade
essencial para a vida em sociedade.
Linguagens são as formas de expressão humana que se inserem em sistema de
comunicação, ou seja, são meios usados para produção de mensagens e obras que serão
recebidas e interpretadas por outras pessoas. Existem muitos tipos de linguagens, pode
ser através da escrita, de sinais, de imagens, expressões e entre elas, existe a linguagem
oral.
Linguagem oral: Oral é a língua falada, aquilo que se diz que se pronuncia. A língua
falada pode ser culta ou informal. Na linguagem oral, a maneira com que falamos pode
contar com recursos extralinguísticos como gestos, expressões faciais, entonações,
postura que facilitarão a transmissão de idéias e emoções na mensagem a ser assimilada
ou interpretada pelo receptor. A oratória é a arte de falar em público de forma
estruturada e deliberada.

Linguagem escrita: É a forma de comunicação que depende da interpretação da


escrita (letras, palavras, frases, símbolos que formam) caligrafia (arte de dar forma aos
sinais de uma maneira expressiva, harmoniosa e habilidosa), escrita criativa e a
literatura (arte de compor escritos em prosa ou em verso).
Linguagem corporal: É uma forma de comunicação não-verbal. Abrange
principalmente gestos, posturas e expressões faciais.
Linguagem visual: Envolve a criação de imagens ou elementos visuais para
comunicação de idéias.
Linguagem musical: A música pode ser definida como uma forma linguagem que
se utiliza de sons produzidos pela voz, instrumentos musicais e outros artifícios, para
expressar algo a alguém. Um dos poucos consensos é que ela consiste em uma
combinação de sons e de silêncios em sequencias que se desenvolvem ao longo do
tempo. Neste sentido, engloba toda combinação de elementos sonoros destinados a
serem percebidos pela audição. As musicas podem ser classificadas em gêneros como
música erudita, popular, folclórica e religiosa, cada uma dessas divisões possui centenas
de subdivisões e estilos.
A arte e sua influência na sociedade

um novo tipo de sociedade condiciona um novo tipo de arte. Porque a função da arte
varia de acordo com as exigências colocadas pela nova sociedade; porque uma nova
sociedade é governada por um novo esquema de condições econômicas; e porque
mudanças na organização social e, portanto, mudanças nas necessidades objetivas dessa
sociedade, resultam em uma função diferente de arte .

Contudo, a arte está ligada aos fatores históricos e sociais, mas dialoga ativamente com
nossa sociedade, criando os estilos de época, e acompanhando a evolução do homem e
da tecnologia.

Quando se lida com as formas em artes visuais convive-se habitualmente com as


relações entre superfície, espaço, volume, linhas, cores e a luz. Cada um desses
elementos tem suas próprias possibilidades expressivas e são ricos em significados,
tanto em si mesmo como em relação aos demais. E todos eles são intermediados pelos
autores e observadores ao se utilizarem de métodos e técnicas específicas para produzi-
las e percebê-las
Muitas vezes, o primeiro contato que os indivíduos têm com a arte é na escola, nas aulas de arte,
obrigatórias no currículo do ensino fundamental. Espera-se que os estudantes, nestas aulas,
vivenciem intensamente o processo artístico, a fim de contribuir significativamente em seus
modos de fazer técnico, de representação imaginativa e de expressividade. Ao mesmo tempo,
espera-se também que aprendam sobre os artistas e obras de arte de diferentes períodos,
complementando assim seus conhecimentos na área.

A arte foi e é sinônimo de expressão de sentimentos, emoções, revoltas, traumas... Nossa forma
de ver a arte ou de fazer arte revela a compreensão que temos do mundo.
Mercado de arte

Considerando que um mercado depende de um produtor, um produto a ser trocado ou


vendido e um consumidor interessado em adquirir ou usufruir tal produto, conclui-se
que o mercado de arte é tão remoto quanto a própria arte. Mesmo antes do
estabelecimento da noção moderna e liberal de mercado, guiado pelas leis da oferta e da
procura, e no qual homens livres trocam espontaneamente seus produtos ou mercadorias
na esfera pública, o artista já possui um público consumidor para seu trabalho. Na
Grécia a Cidade-Estado monopoliza a demanda de obras de arte; na Roma de Augusto
tanto a corte quanto particulares exercem o mecenato em ampla escala. A Igreja domina
quase totalmente as encomendas na Idade Média e permanece como um dos mais
importantes financiadores de obras de arte pelo menos até o século XVII (no Brasil, até
o final do século XVIII).

Nota-se uma pequena mudança no quadro na Idade Média Tardia, em que a maioria das
encomendas para obras de arte é feita por indivíduos pertencentes à próspera classe
média. A Igreja não constitui mais o único encomendante dos arquitetos e artistas;
agora, com o desenvolvimento das cidades, muitos edifícios precisam ser projetados e
decorados para os integrantes das cortes, governantes e mercadores em ascensão. O
pleno desenvolvimento dessa situação se dá durante o Renascimento. Amplia-se o
mercado secular para obras de arte. Os lares dos ricos cidadãos, assim como os castelos
e palácios da nobreza passam a ser decorados com pinturas e esculturas. Presencia-se
nesse período uma outra mudança fundamental para a história do mercado de arte:
começa a surgir o tipo moderno de consumidor de arte, o connoisseur ou colecionador,
que diferentemente do antigo encomendante, compra ou não o que lhe é oferecido.
Conseqüentemente, o artista passa a trabalhar de forma mais independente tanto da
clientela quanto das guildas.

A arte em diferentes áreas da vida

Expressão do ser humano

Talvez essa seja a função mais conhecida da arte, ou a mais aceita. São os quadros que
expressam as angústias pessoais do autor, as poesias que falam da alma do artista, o
graffiti no muro que reage a movimentos políticos etc.

É por meio da arte que o ser humano consegue dividir suas experiências e compartilhar
sentimentos com todos aqueles que estiverem disponíveis, dispostos e sintonizados.
Dessa forma, a arte é livre e não pode ser imposta. É preciso estar aberto para receber e
sentir o seu significado, que também será pessoal e íntimo. Tanto o artista que cria a
obra quanto a audiência que a aprecia participam do processo de expressão do ser
humano. A construção dos significados relaciona-se com a essência de cada um e,
portanto, será exclusiva de cada indivíduo que faz e recebe.
Esse espaço de criação e experimentação é intrínseco de todos, sendo assim, todos são
artistas, mesmo que não percebam. Ao escrever uma carta, falar sobre seus sentimentos
ou presentear um amigo com algo feito por suas próprias mãos, a arte é usada como
expressão íntima e única.

Arteterapia

A arte também pode ser uma ferramenta de terapia, cura, autoconhecimento e análise.
Muitos elementos podem ser usados, como desenhos, música, teatro e artesanato, para
ajudar uma pessoa a acessar sentimentos, memórias e conhecimentos, trazendo à tona
bloqueios, traumas e questões que precisam ser analisadas e trabalhadas.

Comunicação

Transpondo barreiras linguísticas, a arte tem a capacidade de comunicar sem palavras.


Diferentes grupos e povos podem transmitir uma série de informações por meio da arte,
criando uma conexão profunda e presente, que muitas vezes não é possível por meio
apenas das palavras.

Educação com arte

Embora o modelo de formação acadêmico seja ainda o mais reconhecido e aceito, outras
formas de aprendizado estão ganhando destaque como forma complementar e
igualmente importante. As pessoas têm perfis e formas de assimilar conteúdos
diferentes: alguns são mais visuais, outros absorvem mais informações pela audição,
outros precisam escrever e esquematizar. A arte é uma forma de abrir o leque e
democratizar a educação, para que pessoas com esses tipos diferentes de aprendizados
possam ser contemplados também.

Sustentabilidade

A arte tem um papel importante na sociedade como forma de ressignificar e reciclar


objetos que seriam descartados, reduzindo assim o acúmulo de lixo que temos no nosso
planeta. O artesanato é a forma mais comum de transformar e criar com resíduos
descartados.

A arte está muito ligada à essência humana, à força criadora que move e conecta as
pessoas. Se a sociedade é feita de pessoas, logo, ela é feita de arte

A arte em Cabo Verde é “bastante desvalorizada e desconhecida”


O artista plástico e fotógrafo cubano, residente há vários anos na Cidade da Praia, Omar
Camilo, considerou que a arte em Cabo Verde é, ainda, “bastante desvalorizada e
desconhecida”, principalmente a sua importância ética e social.

Em declarações à Inforpress, Omar Camilo, que teceu “duras” críticas à “falta de


investimento para a arte”, que considerou de “maior património” que a Nação tem,
lembrou que disse-o há 15 anos, mas que até hoje “não viu nada a ser feito” para a
valorização da arte.

Omar Camilo criticou o facto de a televisão nacional investir “muitas horas” em


desporto e em outras áreas e nem “poucos segundos” em arte, alertando que tal situação
é “muito perigosa”.

“Quantos segundos se investem em artes, atenção estou a separar a arte da cultura,


tradição. A arte é universal e une toda língua, religião, credo ou raça”, sustentou.

Na opinião do também director de cinema e poeta, mesmo sendo o desporto


“importante” para a disciplina da sociedade e do indivíduo, a arte também o é, pelo
facto de corresponder à filosofia, ao saber e à espiritualidade do ser humano, por isso,
afirma que “sem investimento” na arte o país “não vai chegar a lugar nenhum”.

As artes cabo-verdianas reflectem a pujança e a identidade da cultura do país,


projectando-o igualmente no exterior através das suas vocações popular, interventiva,
humanista e universalista.

Do mesmo modo os artistas plásticos de Cabo Verde traduzem o cosmopolitismo e o


intercâmbio de experiências de um país situado no centro do Atlântico e aberto ao
mundo.
sites

enciclopedia.itaucultural.org.br/termo3803/mercado-de-arte
https://artesatividades.blogspot.com/2017/04/o-que...

Artes: O que é Arte.....Comunicação e Linguagem... (artesatividades.blogspot.com)

https://www.guiadecaboverde.cv/index.php/2016/09/14/artes/?lang=pt

https://www.turimagazine.com/2017/08/14/arte-cabo-verde