Você está na página 1de 18

Atividades práticas de Consciência Fonológica

CONSCIÊNCIA DE PALAVRAS

A) SEGMENTAÇÃO E SUBSTITUIÇÃO DE FRASES EM PALAVRAS


Eu vou falar uma frase para cada um de vocês e, depois, eu vou repetir a frase sem
repetir a última palavra. Então, vocês terão que inventar uma nova palavra no final da
mesma frase que você ouviu.
Ex: Eu brinco de futebol. Eu brinco de amarelinha.

SUGESTÕES....
1. Eu gosto de comer maçã. Eu gosto de comer ......
2. Eu vou para a escola. Eu vou para a ......
3. Nós passeamos de carro. Nós passeamos de .....
4. No mercado tem bananas. . No mercado tem ......
5. O dia está bonito. O dia está ......

DISCUSSÃO:
Vocês viram que as frases que nós falamos tem várias partes dentro delas. Essas
partes são as palavras. Então, nós podemos dividir as frases em palavras e também
podemos trocar as palavras de uma frase por outra.

B) SEGMENTAÇÃO DE FRASES EM PALAVRAS VERIFICANDO O COMPRIMENTO


DE PALAVRAS
Vamos fazer jogos com frases e palavras. Eu vou falar uma frase e vocês vão dividi-
las em palavras. Cada um de vocês vai falar as palavras da frase. Ex: Maurício deitou.
Daí, aquele que eu escolher tem que dizer as palavras separadas. Ex: “Maurício”.
“deitou”.

SUGESTÕES....
1. Ele nadou.
2. Papai saiu.
3. João dormiu.
4. Maria caiu.
5. Você brincou

Agora as frases serão maiores. Ex: “O bolo ficou um pouco queimado.” Aquele que eu
escolher tem que dizer as palavras separadas: “O”, “bolo” “ficou”, “um”, “pouco”,
“queimado”.

SUGESTÕES....
1. A menina gostou do sorvete.
2. Mamãe foi ao supermercado.
3. O gato fugiu do cachorro.
4. Amanhã vai fazer sol.
5. Eu quero brincar mais.

Agora nós vamos verificar quais são as menores e as maiores palavras das frases.
Ex: “A menina saiu.” Tem quantas palavras? Tem 3 palavras: “A”, “menina”, “saiu”.
Qual palavra é a menor? A palavra menor é “a”. E qual palavra é a maior? A palavra
maior é “menina”

DISCUSSÃO:
Vocês viram que as frases que nós falamos tem várias partes dentro delas, que são
as palavras. Nesse jogo nós dividimos as frases nas palavras, e falamos palavra por
palavra da frase: “Você”, “pode”, “me”, “ajudar”. É sempre assim: toda frase pode ser
dividida nas palavras. E vocês aprenderam também que existem palavras que são
maiores do que outras.

C) DIVISÃO DE FRASES EM PALAVRAS


Neste jogo, deve escolher uma frase.
Convidar nº de alunos para irem à frente da sala.
Cada aluno irá representar uma palavra da frase.
Os alunos ficam um ao lado do outro, conforme a sequência de palavras da frase, e cada
um deve dizer em voz alta a palavra que representa.
Em seguida, a professora pede a um dos alunos que volte para o seu lugar, e pergunta à
classe se a frase ainda fica completa, mesmo faltando uma palavra.
A professora deve mostrar que a ausência de uma palavra na frase pode tornar a frase
sem sentido.
Após apontar a falta da palavra, a professora deve selecionar um outro aluno.
Este deve escolher uma outra palavra, de modo a completar a frase, dando-lhe um novo
sentido.
A professora novamente pergunta à classe se a frase está completa.

DISCUSSÃO
Vocês viram que as frases que nós falamos tem várias partes dentro delas, que são as
palavras. Nesse jogo nós dividimos as frases em palavras, e falamos palavra por palavra
da frase. E vocês aprenderam também que se faltar alguma palavra numa frase pode
dificultar o sentido para quem ouve ou lê.

D) ESPAÇAMENTO ENTRE PALAVRAS DE FRASES E CONTAGEM DO NÚMERO DE


PALAVRAS

A professora deve escolher uma frase com 04 palavras e convidar quatro alunos para
irem à frente da sala. Ex: Eu quero comer banana.
Cada aluno representa uma palavra da frase.
Os alunos ficam um ao lado do outro, conforme a sequência da frase, e cada um deve
dizer em voz alta a palavra que ele está representando.
A professora deve pedir, então, às duas primeiras criança para dizerem suas palavras ao
mesmo tempo. Como a frase torna-se incompreensível, a professora deve apontar à
classe que, da mesma forma que nós não podemos dizer duas palavras juntas, nós
também não devemos escrever duas palavras juntas numa frase.
A professora deve explicar aos alunos que não é possível entender a frase se não houver
espaço entre as palavras.
Em seguida, ela pede às duas crianças para falarem novamente às palavras que
representam, mas agora, uma por vez. A professora ressalta que, separando as palavras,
a frase pode ser compreendida.
Além disso, nas atividades de consciência de palavras, a professora pode pedir às
crianças para baterem palmas a cada palavras da frase, dizendo, ao final, o número total
de palavras.

DISCUSSÃO
Vocês viram que as frases que nós falamos tem várias partes dentro delas, que são as
palavras. Nesse jogo nós dividimos as frases em palavras, porém as palavras não podem
ser escritas juntas, devendo separar as mesmas por um espaço.

E) SUBSTITUIÇÃO DE PSEUDOPALAVRAS POR PALAVRAS


A criança deve fazer substituição de uma pseudopalavra por uma palavra correta. Ex: “Eu
tenho cinco fitos em cada mão” por “Eu tenho cinco dedos em cada mão.”

Agora eu vou dizer frases com palavras esquisitas, que não existem de verdade. Vocês
têm que corrigir a frase. Eu vou dizer uma frase para cada um de vocês. Ex: Se eu disser:
“A menina abriu o livro e leu a patica da Branca de Neve”. “Patica” não existe, então
vocês teriam que falar alguma coisa no lugar. Por exemplo, em vez de “A menina abriu o
livro e leu a patica da Branca de Neve”, vocês poderiam dizer: “A menina abriu o livro e
leu a estória da Branca de Neve”. Certo? Então vamos lá......

1. Um carro tem quatro mecas.


2. Fui à cantina e comprei lastes.
3. A galinha bota telos.
4. Ele gosta de fepi.
5. Eu tenho duas pernas e dois cadi.

DISCUSSÃO
Vocês viram que nós podemos trocar as palavras de uma frase.
Nesse jogo, vocês trocaram palavras que não existem por palavras que existem de
verdade e, então, as frases ficaram com sentido.
Assim, nós podemos criar frases com palavras que não existem, mas essas frases não
têm significado.

CONSCIÊNCIA DE RIMAS

A) PRODUÇÃO ORAL DE PALAVRAS QUE RIMAM


Começar dando exemplos de rimas em músicas, poesias e histórias.
Pedir às crianças para dizerem palavras terminadas com o mesmo som.
Agora, nós vamos brincar com palavras que terminam com o mesmo som.
Existem várias músicas com palavras assim [Músicas, ex: Xuxa – Jogo da rima – Brincar
de Rimar, do CD To de bem com a vida.]
Agora vou contar uma história com várias palavras que terminam com o mesmo som.
[Contar histórias ou poesias com rimas e citar exemplos.]

BÃO-LA-LA-LÃO
Bão-la-la-lão,
Senhor capitão,
Espada na cinta,
Sorvete na mão.
Bão-la-la-lão,
Senhor tenente,
a tropa na frente
e a moça na mente.

Bão-la-la-lão,
Senhor Serafim,
dinheiro no bolso,
nem liga pra mim.

Bão-la-la-lão,
Senhor garçom,
serve pra gente,
bala e bombom.

Bão-la-la-lão,
Senhor Viramum,
o pé na estrada
sem rumo nenhum.

Vocês perceberam que as palavras “capitão” e “mão” da poesia terminam do mesmo jeito,
com “ao”. As palavras “tenente”, “frente” e “mente” também terminam da mesma forma,
com “ente”. E as palavras “Serafim” e “mim”? Elas terminam com “im”.

B) PRODUÇÃO ORAL DE PALAVRAS QUE RIMAM


Agora nós vamos fazer um jogo de falar palavras que rimam.
Vamos começar falando palavras que terminam com “ao”.
Ouçam, existem as palavras, “mamão”, “porão”, “sabão” e “grandão”. Agora cada um de
vocês vai falar uma palavra que termina com “ao”.
Agora vamos falar palavras que terminam com “to”. Eu sei :“curto”, “foto”, “cesto”.
E vocês?
Agora eu vou perguntar uma coisa diferente para cada um de vocês. Esse jogo é difícil.
Vocês vão precisar prestar muita atenção e pensar bastante.
Mas não tem problema se não souberem, pois nós todos vamos ajudar quando a vez de
cada um chegar.

1. Diga o nome de um animal que termina com “to” [gato, pato, rato].
2. Diga o nome de uma fruta que termina com “ana” [banana].
3. Diga o nome de uma parte do nosso corpo que termina com “co” [macaco, porco,
marreco].
4. Diga o nome de um brinquedo do parque que termina com “dor” [escorregador,
girador].
5. Diga o nome de uma comida que termina com “oz” [arroz].

[Depois de perguntar individualmente as rimas, a professora poderá solicitar que as


crianças formem rimas com os próprios nomes. Por exemplo: “Luís é feliz, Alan gosta de
romã, Magali estuda aqui, João gosta de melão, Marcelo gosta de amarelo.”]
Discussão: Vocês viram que há palavras que terminam com o mesmo som. Elas
aparecem nas músicas e nas estórias. Nós encontramos várias palavras que terminam
com o mesmo som e podemos brincar com elas.

C) RIMA: CLASSIFICAÇÃO DE FIGURAS CONFORME A TERMINAÇÃO DE SEUS


NOMES FALADOS

[Neste jogo a professora distribui às crianças cartas com figuras de objetos cujos nomes
rimam de 03 formas diferentes. Ex: 03 terminações: “ao”, “ta”, “ço”. A professora pode dar
uma carta para cada criança na própria disposição da sala de aula. Podem ser colocadas
03 cadeiras na frente da sala, uma para cada terminação. A professora pode afixar uma
folha com cada terminação no encosto da cadeira correspondente, para facilitar a
visualização pelas crianças. Cada criança deve pegar a sua carta, dizer o nome da figura
e enfatizar a rima. Deve, então, ir à frente da sala e colocar a carta na cadeira
correspondente, ou seja, na cadeira que contém outras figuras que tenham a mesma
rima. Para ajudar, a professora pode enfatizar a rima.]

Material: Folhas com diferentes terminações escritas (ex: “ao”, “ta”, “ço”) e cartas
contendo cada qual uma figura.

Instrução: Vamos classificar as figuras de acordo com o som final de seus nomes
falados. Temos 03 cadeiras e, em cada uma delas, há um rótulo escrito. Nesta primeira
cadeira está escrito ÃO; portanto, vamos colocar aqui figuras cujos nomes terminam em
“ao”. Na segunda cadeira está escrito TA; portanto, vamos colocar as figuras que têm
nomes terminados com “ta”. Nesta terceira cadeira, com o rótulo ÇO, vamos colocar as
figuras com nomes terminados em “ço”.

Figuras sugeridas:
“ÃO”: avião, caminhão, coração, mão, leão, violão, pião, falcão.
“TA”: gata, batata, pata, porta, carta, bota, lata, mata.
“ÇO”: berço, abraço, poço, pescoço, palhaço, braço, moço, balanço.

Discussão: Vocês viram que há palavras que terminam com o mesmo som. Nós
separamos as palavras de acordo com o seu final. Colocamos juntas as figuras que
terminam com o mesmo som. Nós tínhamos figuras com nomes terminando em “ao”, em
“ta” e em “ço”. Colocamos juntas, numa cadeira, todas as figuras com nomes terminando
em “ao”. Colocamos juntas, em outra cadeira, todas as figuras com nomes terminando em
“ta”. E, colocamos juntas, nessa última cadeira, todas as figuras com nomes terminando
em “ço”. Sugestão: Fazer atividade extra-classe no pátio da escola.

D) MANIPULAÇÃO DE FORMAS GEOMÉTIRCAS REPRESENTANDO OS SONS DAS


PALAVRAS

[Jogos em que a professora apresenta alguns exemplos de rimas às crianças usando


várias formas geométricas para indicar que as palavras que rimam têm o mesmo final
(isto é, finais com a mesma forma geométrica). A professora mostra às crianças figuras
cujos nomes são representados por formas geométricas, sendo a parte inicial da palavra
representada por uma forma geométrica e a parte final, por outra forma. A professora
pede às crianças para mudar a forma geométrica inicial a partir da observação de outras
figuras, deixando a forma final constante e formando, assim, novas palavras que rimem
entre si. Ex: a professora apresenta a figura de um gato e desenha na lousa um quadrado
para representar o início “ga”, e um círculo para representar o final “to”. Então, diante da
figura de um pato, as crianças devem mudar a forma geométrica inicial, formando a
palavra “pato”.]

Material: Formas geométricas que podem ser desenhadas na lousa e figuras. As


crianças devem manipular a disposição sequencial das formas geométricas que
representam sílabas ou sons individuais, de modo a escrever os nomes falados das
figuras apresentadas.

Instrução: Vamos brincar com palavras que terminam com o mesmo som. Ouçam essa
palavra: “bico”. Essa palavra é formada por essas duas formas geométricas aqui: círculo
para “bi” e quadrado para “co”. [A professora deve dizer a palavra bico e desenhar
duas formas geométricas: um círculo e um quadrado para representar as duas sílabas. A
professora não deve escrever as sílabas na lousa, mas somente pronunciá-las para às
crianças.]

Exemplos: Ouçam “circo” - Triângulo para “cir” e quadrado para “co”. E esta: “arco” –
Estrela para “ar” e quadrado para “co”. Viram? Estas 03 palavras terminam com “co”,
que é o quadrado. Agora, vamos escrever novas palavras usando outras formas. Esse
círculo vai ser “to”. [Desenhar o círculo e falar a sílaba “to”.]
Eu vou mostrar uma figura para cada um de vocês e, então, vocês vão escrever o nome
da figura, colocando uma forma na frente do círculo. Por ex: Eu peguei a figura de “mato”.
Então, como eu tenho o “to”, só falta o “ma”. [Deixar o círculo que é o “to”. Pegar a figura
de mato e desenhar uma outra forma geométrica na frente de “to” e pronunciar,
apontando para as formas geométricas: “ma- to”.]
[Mostrar as figuras de pato, gato, prato, rato, rosto, foto, moto e tonto. Mostrar uma figura
para cada criança que deve, então, falar o nome da figura e trocar a forma geométrica
inicial, de modo a formar ou escrever o nome da figura. A professora pode selecionar
algumas crianças para participar desta brincadeira. Estas crianças podem ir à lousa,
apagar a forma geométrica inicial e desenhar uma outra forma de modo a representar o
nome da nova figura.]

Material: Figuras de pato, gato, prato, rato, rosto, foto, moto e tonto.
Figuras de facas, gatas, casas, mesas, pêras, patas, portas e bananas.

Discussão: Vocês viram que existem várias palavras que rimam, e que só o começo
muda, mas o final continua igual. Então, nós brincamos de mudar o começo das palavras
e criar novas palavras. Nós sempre podemos fazer isso com as palavras: mudar uma
parte para criar outras palavras.

E) RIMA: MANIPULAÇÃO DE FORMAS GEOMÉTRICAS REPRESENTANDO OS


SONS DE PSEUDOPALAVRAS

[O mesmo jogo da atividade anterior é feito com as crianças, mas desta vez, usando
pseudopalavras, sem ajuda de figura. As crianças devem, portanto, mudar a forma
geométrica inicial, deixando a final constante e formando, assim, pseudopalavras que
rimem entre si.]
Material: Formas geométricas que representam sílabas para as crianças manipularem
sua disposição seqüencial, de modo a escrever pseudopalavras faladas. Essas formas
geométricas podem ser desenhadas na lousa.

Vamos continuar brincando com os sons, mas agora não teremos figuras e seus nomes
falados. Em vez de nomes de coisas que existem, vamos inventar nomes de coisas que
não existem. Assim, vamos inventar palavras como, por exemplo: “cadem”. A palavra
inventada “cadem” é formada por duas formas geométricas: quadrado é o “ca” e o círculo
é o “dem”. [Desenhar um quadrado e um círculo na lousa e pronunciar as sílabas
correspondentes: “ca” – “dem”]. Assim, formamos cadem. Agora vamos formar novas
palavras inventadas terminadas em “dem”.
[A professora pode realizar essa atividade apenas oralmente. Opcionalmente, para tornar
a atividade mais lúdica, a professora pode pedir a cada criança que vá a lousa e que,
além de falar a pseudopalavra, apague a forma geométrica inicial e desenhe uma nova
forma, criando, assim a pseudopalavra.

Discussão: Vocês tinham visto, antes, que há várias palavras que rimam, em que só o
começo muda, mas o final continua igual. E agora vocês viram que podemos inventar
palavras que não existem e que terminam com o mesmo som. Então, não são só os
nomes das coisas que existem que podem ter o mesmo som, mas as palavras inventadas
também podem.

F) RIMA: ESCOLHA DA TERMINAÇÃO QUE RIMA COM A PALAVRA OUVIDA


[A professora escolhe 03 alunos para irem à frente da sala, e 03 terminações de palavras.
Ex: “co”, “to”, “le”. Cada aluno representa uma terminação.
Assim, o aluno representa o senhor “co”, o outro representa o senhor “to” e o terceiro o
senhor “lê”. Então a professora pronuncia uma palavra com uma das 03 terminações (ex:
mole), e escolhe um outro aluno da classe que é solicitado a dizer a terminação da
palavra falada pela professora (Ex: lê) e a dirigir-se até o aluno que representa a
terminação correta, cumprimentando-o.
A professora prossegue, então, pronunciando outras palavras com uma das 03
terminações, de forma que todos os alunos da classe participem.]

Discussão: Neste jogo, vocês também observaram que há várias palavras que rimam,
em que só o começo muda, mas o final continua igual.

Lista de palavras: Marco, bico, caco, fico, tato, ato, mato, fato, gato, pato, chato, mole,
gole, pele, baile, xale, fale.

CONSCIÊNCIA DE ALITERAÇÃO

A) PRODUÇÃO ORAL DE PALAVRAS QUE ALITERAM


[Contar histórias curtas com aliterações. Então, começar um jogo em que a professora
pede as crianças para falarem itens que começam com um determinado som. Ex:
palavras que começam com “a”, ou animais cujos nomes começam com “ma”. Na
primeira parte, os exercícios de aliteração endereçam o nível da sílaba; na segunda, eles
endereçam o nível do fonema.]
Instrução: Agora nós vamos brincar com palavras que começam com o mesmo som. Há
vários versos com palavras assim. Por ex: “O rato roeu a roupa do rei de Roma”. As
palavras “rato”, “roeu”, “roupa”, “rei” e “Roma” começam com o mesmo som. Agora eu
vou dizer uma frase com várias palavras que começam com o mesmo som:

Ex: “O sapo solitário sumiu silenciosamente na sombra da samambaia da sala.” (As


palavras da história começam com o mesmo som “SSSSSSSSSS”)

Ex: “O gato guloso e gorducho do garoto Guto não gosta da goteira da garagem” (as
palavras da história começam com o mesmo som “GGGGGGGGGGGGG”)

Agora nós vamos fazer um jogo de falar palavras que começam com o mesmo som.
Vamos falar palavras que começam com ”a”. Nós temos – por exemplo – as palavras:
amor, amigo, alto.... Agora cada um de vocês vai falar uma palavra com “a”.

Agora nós vamos falar palavras com o som “XXXXXXXXXX”. Eu sei “chegada”. E vocês?

Ótimo, agora eu vou perguntar uma coisa diferente para vocês. Precisamos prestar
bastante atenção e pensar. Mas não tem problema se não souberem, todos podem
ajudar. [A professora pode dar dicas gestuais ou verbais]

Perguntas do nível da sílaba:


1. Diga um nome de uma cor que começa com “ver”? [Verde, vermelho]
2. Diga o nome de uma comida que começa com “pi”? [Pizza, pimentão, pirão]
3. Diga o nome de um animal que começa com “le”? [leão, leoa, lebre, leopardo]
4. Diga o nome de uma roupa que começa com “ca”? [camisa, calça, casaco, cachecol]
5. Diga o nome de um menino que começa com “Ju”? [Juca, Julio, Juliano]

Discussão: Vocês viram que há palavras que começam com a mesma sílaba. Elas
aparecem nas músicas e nas estórias. Encontramos várias palavras que começam com a
mesma sílaba e podemos brincar com elas.

Perguntas do nível do fonema: [Nesta atividade, a professora deve dizer os sons da


letra. Ex: ‘FFFFFFFFFFF”, mas não seus nomes, ex: “efe”.]
1. Diga um nome de uma cor que começa com “aaaa”? [amarelo, azul]
2. Diga o nome de uma fruta que começa com “lllllllll”? [limão, laranja]
3. Diga o nome de um animal que começa com “ttttttttttttttt”? [tatu, tartaruga, tamanduá,
tigre]
4. Diga o nome de uma comida que começa com “fffffffffffff”? [feijão, farofa, feijoada, figo,
farinha]
5. Diga o nome de um número que começa com “ddddddddddd”? [Dois, doze, duzentos,
duas]

Discussão: Vocês viram que há palavras que começam com o mesmo som. Eles
aparecem nas músicas e nas estórias. Encontramos várias palavras que começam com o
mesmo som e podemos brincar com eles.

B) CLASSIFICAÇÃO DE FIGURAS CONFORME INÍCIO DE SEUS NOMES FALADOS


[Neste jogo a professora distribui às crianças cartas com figuras de objetos cujos nomes
aliteram de 03 formas diferentes. Ex: Pode haver 03 inícios: “bo”, “ca”, e “ma”. A
professora pode dar uma carta para cada criança, na própria disposição da sala de aula.
Podem ser colocadas 03 cadeiras na frente da sala, uma para cada início. A professora
pode afixar um cartão de cada início no encosto da cadeira correspondente, de modo a
facilitar a visualização das crianças. Cada criança deve pegar a sua carta, e dizer o nome
da figura e enfatizar a aliteração. Deve, então, ir a frente da sala e colocar a carta na
cadeira correspondente. Ou seja, na cadeira que contém outras figuras que tenham a
mesma aliteração. Para ajudar a professora pode enfatizar a aliteração.]

Materiais: Cartões com diferentes inícios escritos, ex: “bo”, “ca”, “ma” e cartas contendo,
cada qual, uma figura.

Figuras sugeridas:
“BO”: BOLO, BONECA, BOI, BOTÃO, BORBOLETA, BONÉ, BOCA, BOLACHA.
“CA”: CASA, CACHORRO, CAMISA, CABIDE, CAJU, CADEIRA, CASTOR, CABELO.
“MA”: MAÇÃ, MALA, MARTELO, MACACO, MÁGICO, MADEIRA, MACHUCADO,
MAPA.

Instrução: Vamos classificar as figuras de acordo com o início de seus nomes falados.
Temos 03 cadeiras e em cada uma delas há um rótulo escrito. Nesta 1ª cadeira está
escrito “bo”, portanto vamos colocar aqui as figuras cujos nomes começam com “bo”. Na
2ª cadeira está escrito “ca”, portanto vamos colocar as figuras que têm nomes começados
com “ca”. E nesta 3ª cadeira, com o rótulo “ma”, vamos colocar as figuras com nomes
começados com “ma”.

Discussão: Vocês viram que há palavras que começam com o mesmo som. Nós
separamos as palavras de acordo com o seu início. Colocamos juntas as figuras que
começam com o mesmo som. Nós tínhamos figuras com nomes começando em “bo”, em
“ca” e em “ma”. Colocamos juntas, noutra cadeira, todas as figuras com nomes
começando em “ca”. E colocamos juntas, nessa última cadeira, todas as figuras com
nomes começando em “ma”.

C) MANIPULAÇÃO DE FORMAS GEOMÉTRICAS REPRESENTANDO OS SONS DE


PALAVRAS
[Jogos em que a professora apresenta alguns exemplos de aliteração às crianças usando
várias formas geométricas para indicar que as palavras têm o mesmo início (isto é,
inícios com a mesma forma geométrica). A professora mostra às crianças seqüências de
formas geométricas que representam sílabas ou sons de palavras faladas. Nessas
seqüências, a parte inicial da palavra é representada por uma forma geométrica, e a parte
final por outra forma geométrica. A professora pede às crianças para mudar a forma
geométrica final a partir da observação de outras figuras, deixando a forma inicial
constante e formando, assim, novas palavras que aliteram entre si. Ex: a professora
apresenta a figura de um sapo, em que a sílaba “as” é representada por uma estrela, e a
sílaba “po” por um círculo. Então, diante da figura de um sapo, as crianças devem mudar
a forma geométrica final, formando a palavra “sala”.]

Material: Formas geométricas e figuras, para que as crianças manipulem a disposição


seqüencial das formas geométricas que representam sílabas ou sons individuais, de
modo a escrever os nomes falados de figuras apresentadas. Alternativamente, a
professora poderá desenhar as formas geométricas na lousa.

Instrução: Vamos brincar com palavras que começam com o mesmo som. Ouçam essa
palavra: “zebra”. Essa palavra é formada por essas duas formas geométricas aqui: estrela
para “ze” e círculo para “bra”. [A professora deve dizer a palavra zebra e desenhar
duas formas geométricas: uma estrela e um círculo para representar as duas sílabas. A
professora não deve escrever as sílabas na lousa, mas somente pronunciá-las para às
crianças.]

Exemplos: Ouçam “zebu” - Estrela para “ze” e quadrado para “bu”. E esta: “zelar” –
Estrela para “ze” e quadrado para “lar”. Viram? Estas 03 palavras começam com “ze”,
que é a estrela. Agora, vamos escrever novas palavras usando outras formas. Esse
círculo vai ser “o”. [Desenhar o círculo e falar a sílaba “o”.]
Eu vou mostrar uma figura para cada um de vocês e, então, vocês vão escrever o nome
da figura, colocando uma forma depois do círculo. Por ex: Eu peguei a figura de “ovelha”.
Então, como eu tenho o “o”, só falta o “velha”. [Deixar o círculo que é o “o”. Pegar a figura
de ovelha e colocar uma outra forma geométrica depois de “o” e pronunciar, apontando
para as formas geométricas: “o- ve-lha”.]
[Mostrar as figuras de ovo, operação, ônibus, orelha, oito, olho, ostra e oficina. Mostrar
uma figura para cada criança que deve, então, falar o nome da figura e trocar a forma
geométrica final, de modo a formar ou escrever o nome da figura. A professora pode
selecionar algumas crianças para participar desta brincadeira. Estas crianças podem ir à
lousa, apagar a forma geométrica final e desenhar uma outra forma de modo a
representar o nome da nova figura.]

Material: Figuras de ovo, operação, ônibus, orelha, oito, olho, ostra e oficina. Figuras de
sapo, sino, saia, semáforo, selo, sapato, sorvete, sapateiro. Figuras de faca, fada, feijão,
fogo, família, farmácia, fechadura, festa, formiga, ferro, flor e folha.

Discussão: Vocês viram que existem várias palavras que aliteram, e que só o final muda,
mas o começo continua igual. Então, nós brincamos de mudar o final das palavras e criar
novas palavras. Nós sempre podemos fazer isso com as palavras: mudar uma parte para
criar outras palavras.

D) MANIPULAÇÃO DE FORMAS GEOMÉTRICAS REPRESENTANDO SONS DE


PSEUDOPALAVRAS

[O mesmo jogo da atividade anterior é feito com as crianças, mas desta vez, usando
pseudopalavras, sem ajuda de figura. As crianças devem, portanto, mudar a forma
geométrica final, deixando a inicial constante e formando, assim, pseudopalavras que
aliterem entre si.]

Material: Formas geométricas que representam sílabas – que podem ser desenhadas na
lousa sendo que cada forma representa uma sílaba – para as crianças manipularem sua
disposição seqüencial, de modo a escrever pseudopalavras faladas.

Vamos continuar brincando com os sons, mas agora não teremos figuras e seus nomes
falados. Em vez de nomes de coisas que existem, vamos inventar nomes de coisas que
não existem. Assim, vamos inventar palavras como, por exemplo: “xifó”. A palavra
inventada “xifó” é formada por duas formas geométricas: quadrado é o “xi” e o círculo é o
“fó”. [Desenhar um quadrado e um círculo na lousa e pronunciar as sílabas
correspondentes: “xi” – “fó”]. Assim, formamos xifó. Agora vamos formar novas palavras
inventadas começando com “xi”.
[A professora pode realizar essa atividade apenas oralmente. Opcionalmente, para tornar
a atividade mais lúdica, a professora pode pedir a cada criança que vá a lousa e que,
além de falar a pseudopalavra, apague a forma geométrica final e desenhe uma nova
forma, criando, assim a pseudopalavra.
Discussão: Vocês tinham visto, antes, que há várias palavras que aliteram umas com as
outras. Nessas palavras só o final muda, mas o início continua igual. E agora vocês viram
que podemos inventar palavras que não existem e que começam com o mesmo som.
Então, não são só os nomes das coisas que existem que podem ter o mesmo som, mas
as palavras inventadas também podem começar com o mesmo som.

E) RIMA E ALITERAÇÃO: ESCOLHA DE FIGURAS CUJOS NOMES RIMAM OU


ALITERAM COM O MODELO

[Jogo em que a professora apresenta a cada criança uma folha com figuras. As crianças
devem colorir as figuras cujos nomes aliteram com o nome da figura modelo.]

Sugestões: Figura – modelo: Cadeira; figuras cujos nomes aliteram com o da figura-
modelo: cabide, caderno, caju, cachorro; Figuras cujos nomes não aliteram com a figura-
modelo: bruxa, golfinho, tartaruga e sanfona.

A mesma atividade é repetida depois, sendo que a tarefa passa a ser a de colorir as
figuras cujos nomes rimam com o nome da figura-modelo.

Sugestões: Figura – modelo: Tubarão; figuras cujos nomes rimam com o da figura-
modelo: televisão, pavão, balão, mão, violão, pião; Figuras cujos nomes não rimam com a
figura-modelo: urso, uva, dinheiro, xícara, sino e gelo.

Material: Folhas contendo conjunto de figuras (uma figura-modelo acima e figuras


alternativas abaixo), para as crianças colorirem aquelas cujos nomes aliteram ou rimam
com o nome da figura-modelo.

CONSCIÊNCIA SILÁBICA

A) MARCAÇÃO DE SÍLABAS EM CANÇÕES


Bater palmas em cada sílaba falada.

Material: Músicas familiares

Música sugerida: Parabéns a você

Discussão: Vocês tinham visto que as frases podem ser divididas em palavras. As
próprias palavras podem ser divididas em partes menores, que são as sílabas.

B) CONTAGEM DE SÍLABAS EM NOMES PRÓPRIOS


Bater palmas para cada sílaba do nome em grupo de pessoas.

Material: Se for escrever – opcionalmente – utilizar lápis ou caneta.

Montar quadro na lousa separando os nomes de 2, 3 ou mais sílabas para fazer


comparação em seguida.

Discussão: Vocês viram que nesse jogo, os nossos nomes também têm partes menores,
as sílabas. Nós podemos contar quantas sílabas os nossos nomes têm. Cada um de
vocês contou quantas sílabas têm seu nome. Alguns nomes são compridos, porque tem
mais sílabas, outros têm poucas sílabas e são curtos.

C) CONTAGEM DE SÍLABAS DURANTE A NOMEAÇÃO ORAL DE FIGURAS


Retirar uma carta e dizer o nome da figura e em seguida deve bater palmas a cada sílaba
para mostrar quantas sílabas o nome da figura tem.

Material: Cartas com figuras (Lince).

Discussão: Vocês viram que nesse jogo, os nomes das coisas também têm partes
menores, as sílabas. Nós podemos contar quantas sílabas existem em alguns nomes.
Alguns nomes são compridos, porque tem mais sílabas, outros têm poucas sílabas e são
curtos.

D) CONTAGEM DE SÍLABAS E CLASSIFICAÇÃO DE FIGURAS CONFORME SEU


COMPRIMENTO
Categorizar as figuras, colocando-as em caixas marcadas com os números 1, 2 e 3, de
acordo com o número de sílabas que compõem os nomes das figuras.

Material: Cartas com figuras individuais e 03 caixas de sapato, cada qual com um
número 1, 2 e 3.

Discussão: Vocês viram que nesse jogo, os nomes das coisas também têm sílabas. Nós
podemos contar quantas sílabas os nomes têm. Nós colocamos na caixa nº 1, os nomes
que têm somente uma sílaba, como mão. Na caixa nº 2, os nomes que têm duas sílabas
como pato. Na caixa de nº 3, os nomes que têm 03 sílabas como sapato.

E) JOGO DO PERCURSO
Percurso a ser completado. Cada um tira uma carta e olhar a figura. Andar o nº de casas
conforme as sílabas da figura retirada.

Material: Tabuleiro de percurso, piões coloridos e cartas com figuras.

Sugestão: desenhar percurso em quadra com giz. Piões são as próprias crianças que
devem se posicionar no percurso ou utilizar peças de boliche, fixando o nome de cada
criança nas peças de boliche.

Discussão: Nós podemos brincar com o nº de sílabas que as palavras têm. Nós
retiramos cartas com figuras. Dissemos o nome da figura em voz alta. Batemos palmas a
cada sílaba. Para cada sílaba, nós andamos uma casa no percurso. Então, nós andamos
no percurso conforme o nº de sílabas da palavra que nós sorteamos. Lembrando:
palavras compridas têm mais sílabas e palavras curtas têm menos sílabas. Quem sorteia
figuras com nomes compridos andam mais casas, do que quem sorteia figuras com
nomes curtos.

F) ADIÇÃO E SUBTRAÇÃO DE SÍLABAS


Apresentar formas geométricas para cada sílaba.
Dizer como ficam as palavras ao adicionar ou retirar as sílabas.

Material: Desenhos de formas geométricas ou blocos lógicos.


Sugestão: No início forma geométrica com as sílabas escritas, depois retira-se a forma
escrita das sílabas.

Ir + ca (no começo) = cair


La + Ta (no fim) = lata
Lado + ti (meio) = latido
Verde + da (meio) = verdade
Fada + zen (meio) = fazenda
Caco + ma (começo) = macaco
Boneca – ne (meio) = boca
Escola – Es (começo) = cola
Gemada – da (fim) = gema
Brincadeira – brin (começo) = cadeira
Corpo – pó (fim) = cor
Camelo – me (meio) = calo

Discussão: Vocês viram que nós podemos brincar com as palavras, colocando e tirando
partes delas. Nós podemos colocar uma sílaba e formar uma palavra nova. Podemos
também tirar uma sílaba e formar uma palavra nova.

G) SÍNTESE DE SÍLABAS
Jogo chamado “teia de aranha”.
Eu falo uma palavra em partes, e vocês juntam as partes dizendo como fica a palavra.
Forma-se um círculo passando o novelo para a criança que juntará as partes formando a
palavra.

Material: Novelo de lã.

Sugestão:
Po - lenta = polenta
De - Colar = decolar
Ar - mário = armário
Ter - nó = trenó
Xí - cara = xícara
Brin - cadeira = brincadeira

Depois que a teia se forma, todos erguem a teia sobre suas cabeças e cantam a música
da aranha.

Discussão: Vocês viram nesse jogo que nós podemos juntar uma sílaba com uma
palavra e formar um outra palavra nova.

H) TRANSPOSIÇÃO DE SÍLABAS

Usar formas geométricas para representar sílabas.


Fala uma palavra e a criança terá que dizer como fica a palavra de trás para frente.

Material: Formas geométricas desenhadas na lousa ou blocos lógicos.

Sugestão:
Fa - ço = sofá
lo - bo = bolo
Ta - pa = pata
pa – to = topa
Go - ma = mago
Ver - de = dever

Discussão: Vocês viram nesse jogo que nós podemos falar as palavras de trás para
frente, invertendo as sílabas e formando novas palavras.

IDENTIDADE FONÊMICA

A) IDENTIFICAÇÃO DO MESMO FONEMA EM PALAVRAS DIFERENTES


Contar histórias que tenham palavras que comecem com o mesmo som.

Ex: “Fabio afiou a faca. A faca ficou tão afiada que cortou facilmente a folha de papel.
Fábio ficou tão feliz e falou: que facada!”

Vejam as palavras que começam com o mesmo som “FFFFFFFFFFFFFFF”. Todas elas
começam da mesma forma, com a letra “efe” e que possui o som “FFFFFFFFFFFFFF”.
Depois, a professora poderá escrever a estória na lousa e pedir para as crianças
circularem as letras F com lápis colorido.

Discussão: Vocês viram que existem palavras que começam com o mesmo som. Os
mesmo sons podem aparecer em várias palavras diferentes, ex: Fábio, feliz, facada.

B) IDENTIFICAÇÃO DO FONEMA INICIAL PARA CLASSIFICAÇÃO DE FIGURAS


Usar cartas com figuras e cadeiras representando os sons que iniciam as figuras.

Material: Cartas com figuras e cadeiras para marcar com sons.

Sugestão:
“E”: elefante, exercício, escada, escova.
“ch”: chuva, chá, chinelo, chuveiro.
“R”: rainha, rádio, raiz, rodo.
“B”: bebê, bailarina, banheiro, beijar.
“C”: castelo, calçada, cadeira.
“P”: papagaio, pipoca, piano, pescar.

Discussão: Vocês viram nesse jogo que existem palavras que começam com o mesmo
som. Assim, nós vimos que há muitas palavras diferentes que começam com o mesmo
som.

C) DOMINÓ COM FIGURAS


Usar dominós com figuras que deverão ser unidas pelo mesmo som.

Material: Cartas com dominó e letras do alfabeto.

Discussão: Vocês viram nesse jogo que existem palavras que começam com o mesmo
som. Assim, nós vimos que há muitas palavras diferentes que começam com o mesmo
som.
D) ESCOLHA DE FIGURAS CUJOS NOMES COMECEM COM O MESMO SOM DE UM
DESENHO MODELO
Usar folha com figuras para colorir, cujos nomes começam com o mesmo som da figura-
modelo.

Material: folha com figuras para colorir.

CONSCIÊNCIA FONÊMICA

A) CORREÇÃO DE PALAVRAS COM TROCAS FONÊMICAS


Contar uma história falando algumas palavras erradas, na qual as pessoas terão que
corrigi-las.

Material: Fantoche.

Sugestão:
Ontem, eu fui ao parque com meu amigo, o Pedro.
Lá, encontramos muitos brinquedos para a gente trincar.
Eu gosto de trincar no parque. Eu gosto do palanço, e do escorregalor. Tinha bola
para a gente jogar cutebol. Mas eu não gosto de cutebol, eu gosto mais de folei. Eu
vi umas meninas brincando de goneca. Elas faziam de conta que as gonecas estavam
fazendo um polo de nocolate. Mas eu e o Pedro gostamos mesmo foi de trincar na
gangola. Era uma delícia, subir e descer na gangola. Nós também trincamos na
areia, só que por isso, eu sujei toda a minha rouda. Quando eu cheguei em casa, minha
mãe perguntou se eu tinha caído numa poça de lama!

Discussão: Vocês viram que nós podemos falar as palavras trocando alguns sons, mas
aí fica tudo esquisito, a palavra não fica certa! Mas nós podemos colocar o som correto
no lugar, para consertar a palavra.

B) SÍNTESE DE FONEMAS
Contar uma história falando algumas palavras erradas, na qual as pessoas terão que
corrigi-las.

Material: Fantoche.

Sugestão:
Hoje vamos brincar de fantoche.
Eu serei um fantoche e vocês conversarão comigo.
Só que eu falarei as palavras divididas em partes, e vocês terão que repetir essas
palavras pronunciando-as inteiras, sem pausas. Ex: B – ONECA!

Discussão: Vocês viram que nós podemos falar as palavras separando alguns sons
como o fantoche fazia. E vocês juntaram os sons das palavras.

C) SUBSTITUIÇÃO DE VOGAIS EM PALAVRAS


Cantar uma música familiar, trocando as vogais das palavras.
Material: Música “O sapo não lava o pé”.

Sugestões: Fazer perguntas trocando as vogais. Descubra a fruta que eu estou falando
na língua do “a”: a – ba – ca – xa?

Discussão: Vocês viram que nós podemos falar as palavras trocando alguns sons. Fica
estranho, mas na música fica divertido! Nós podemos trocar os sons das palavras,
colocando um som no lugar do outro.

D) ANÁLISE DE FONEMAS

Diante de uma palavra falada ou lida, a criança deverá dizer o som de cada letra.

Material: Letras do alfabeto.

Sugestões:
1. Eu
2. Ta
3. Tia
4. Pai
5. Lua
6. Boa
7. Isso
8. Acho

Discussão: As palavras têm partes menores que são os sons das letras. É difícil falar os
sons separadamente e daí juntando os sons, nós formamos as sílabas, e juntando as
sílabas formamos as palavras.

E) ADIÇÃO DE FONEMAS (Pode fazer o mesmo com substração)


Formar palavras novas, colocando no início, no meio ou no fim das figuras apresentadas.
Cada figura representa um som.

Material: Desenhos de figuras geométricas.

Sugestões:

Três blocos para “ata” = Mata, Pata, Cata


Três blocos para “ola” = Bola, Cola, Mola
Dois blocos para “eu” = Meu, teu, Deu

2 blocos para “bo”= bom, boa, boi


2 blocos para “pa”= Pai, paz, par
2 blocos para “vi” = vir, viu, via, vim

2 blocos para “m – u” = meu, mau


3 blocos para “bo – o”= bolo, boto, bobo
3 blocos para “sa-o” = sapo, saco, saio, saro
Discussão: Podemos colocar alguns sons no começo, no meio ou no fim das palavras,
inventando novas palavras.

F) SUBSTITUIÇÃO DE FONEMAS

G) ANÁLISE E CONTAGEM DE FONEMAS


Representar cada som da palavra com formas geométricas.

Material: Desenhos de figuras geométricas ou blocos lógicos.

Sugestões:
Os, Ei, Ir, As, Ou, És,
Má, Só, Pai, foi, sua
Faço, mesa, mola, time
Palavras inventadas: dale, tice, rebo, jupi, goxe

Discussão: Podemos representar as palavras com formas geométricas, sendo que cada
forma é um som. As palavras podem ser divididas nesses sons, que são as menores
partes das palavras.

H) SÍNTESE DE FONEMAS
Fala palavras omitindo ou segmentando o som inicial e as crianças devem dizer qual a
palavra correspondente.
Material: Desenhos de figuras geométricas ou blocos lógicos.

Sugestões: Iniciar com os nomes das crianças da sala de aula e depois em frases,
omitindo o som de uma das palavras.

_aís para Taís


_árbara para Bárbara
_iogo para Diogo
Escrevo com _ápis para lápis

Sugestão: Fazer com novelo de lã. Ex: R-ATO, P-ATO (escrevendo a palavra na lousa de
início, depois oralmente)

Discussão: Juntando os sons formamos as palavras.

I) CONTAGEM E MANIPULAÇÃO DE FONEMAS


Fala uma palavra e a criança deverá representar cada som da palavra com formas
geométricas e contá-las e depois manipulá-las.

Material: Desenhos de figuras geométricas ou blocos lógicos.

Sugestões:
Rosto = 5 figuras
Rosto – R = Osto
Moça = 4 figuras
Moça + s = Moças
Discussão: Podemos colocar e retirar sons das palavras, formando outras palavras.

J) INVERSÃO DE FONEMAS
Usar formas geométricas para representar fonemas.
Fala uma palavra e a criança terá que dizer como fica a palavra colocando os sons de
trás para frente.

Material: Formas geométricas desenhadas na lousa ou blocos lógicos.

Sugestão:
ós = só
oa = ao
avu = uva
ila = ali
olá = alô

Discussão: Vocês viram nesse jogo que nós podemos falar as palavras de trás para
frente, invertendo os sons e formando novas palavras.

K) ALFABETO INVENTADO
Usar códigos de um alfabeto inventado e utilizá-los para formar palavras

Discussão: Nós podemos descobrir qual é a palavra que está escrita mesmo que nós
não saibamos ler aquelas letras. Para tanto, é só comparar as palavras que nós
conhecemos. Se nós fizermos isso, poderemos ler algumas palavras.