Você está na página 1de 7

Pregação do

Evangelho
Pregação do Evangelho
IGOR SIRACUSA -------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Quem não gosta de receber boas notícias? Se tivermos fé e um coração aberto para o agir do Espírito Santo,
teremos acesso à melhor novidade de todas. Nosso propósito é compartilhá-la com o maior número de pessoas
possível. Por isso, no livro de João, Jesus nos revela:

Porque Deus tanto amou o mundo que deu seu Filho Unigênito, para que todo
o que nele crer não pereça, mas tenha a vida eterna. (João 3.16 – NVI)

Como seres humanos falhos, nosso destino era a morte. Mas Deus nos amou tanto que entregou Seu filho para
morrer por nós. Pela fé, não só temos vida eterna, como somos participantes ativos de Seu Reino. Além disso, nós
também ganhamos o direito de sermos filhos – e temos como herança o poder do Espírito Santo (Romanos 8.14-
17). Como herdeiros, devemos refletir a presença do Pai, compartilhando a Verdade da salvação, pois Cristo diz:

(...) Eu sou o caminho, a verdade e a vida. Ninguém


vem ao Pai, a não ser por mim. (João 14.6)

Jesus é a Verdade e a Vida reveladas no Evangelho; somos resgatados por meio d’Ele. Portanto, quem crê nas
Escrituras, crê em Jesus Cristo, pois Ele é a Verdade libertadora. Na Bíblia, há o seguinte versículo:

E conhecerão a verdade, e a verdade os libertará. (João 8.32)

Desse modo, nossa missão é espalhar essa afirmação, a fim de que outros sejam salvos através do Espírito de
Deus em nós. No entanto, a única forma de nos aproximarmos do Senhor é conhecendo Seu filho e tendo intimidade
com Ele. Quando estabelecemos uma conexão com Ele, através do Espírito Santo, transmitir Sua presença torna-se
simples. Consequentemente, ganhamos uma noção mais clara do nosso chamado como propagadores do Evangelho.
Isso não significa que seja fácil, mas, durante o caminho, temos o Espírito Santo como garantia. Além do mais,
Jesus nos traz orientações práticas e muito valiosas a respeito de como cumprir a nossa missão.

1. Devemos falar com ousadia

A insegurança faz parte da vida, pois, frequentemente, cometemos erros. Ao falarmos das obras e do sacrifício
de Jesus, enfrentamos um dos maiores desafios. Isso acontece porque temos medo do que as pessoas podem
pensar. No entanto, se cremos em um Deus que nos garantiu a vitória, devemos avançar sem preocupações. Por
isso, não temos motivo algum para sentir medo, já que o Espírito Santo nos dá a ousadia e a coragem necessárias
para enfrentarmos todos os desafios e obstáculos pela frente. Em Atos, por exemplo, vemos o seguinte relato:

Ali [Paulo e Barnabé] falaram de tal modo que veio a crer


grande multidão de judeus e de gentios. (Atos 14.1)

2 PREGAÇÃO DO EVANGELHO
Por meio de Paulo e Barnabé, uma grande multidão passou a crer na Palavra. Com a convicção que tinham e
com o agir tão forte do Espírito Santo na vida deles, era impossível não sentir o poder de Deus quando falavam.
Este também deve ser o nosso objetivo: falar com ousadia a respeito do que transborda no nosso coração.

2. O Evangelho carrega poder

Sabemos que a Palavra carrega poder; e, quando a compartilhamos, essa energia flui de nós, alcançando as
pessoas ao nosso redor. Por meio do Espírito Santo, liberado por Cristo, temos a capacidade de realizar todas as
obras que Ele fez quando esteve na Terra, como está escrito nessa passagem:

Digo-lhes a verdade: aquele que crê em mim fará também as


obras que tenho realizado. Fará coisas ainda maiores do que
estas, porque eu estou indo para o Pai. (João 14.12)

O Evangelho nos possibilita andar no sobrenatural assim como Jesus fazia, basta termos fé. Na verdade, Ele
próprio nos diz que podemos realizar obras ainda maiores, pois temos a presença do Espírito Santo. Essa é uma
das grandes diferenças, por exemplo, entre os fariseus e os apóstolos: enquanto os líderes religiosos estavam
preocupados em seguir a Palavra à risca, os seguidores de Jesus iam além. Eles entendiam que, para pregar
efetivamente o Evangelho, tinham de experimentá-lo, transbordando no Espírito Santo.

3. Não tente convencer ninguém

Quando falamos de Jesus, às vezes, achamos que a nossa função é convencer as pessoas do Evangelho,
quando, na verdade, a ideia central é totalmente diferente. A proposta é simples: precisamos apenas direcioná-
las ao Senhor, deixando o controle absoluto em Suas mãos. O próprio Cristo nunca tentou convencer ninguém da
Sua identidade como Filho de Deus, nem mesmo quando estava para ser condenado, como é descrito a seguir:

Jesus foi posto diante do governador, e este lhe perguntou: “Você é o


rei dos judeus?” Respondeu-lhe Jesus: “Tu o dizes”. (Mateus 27.11)

Ele sabia quem era, por isso, quando foi questionado pelo próprio governador de Roma, foi direto. Não teve
medo do que poderiam pensar; tinha uma missão a cumprir e iria até o fim. Ele não precisava Se afirmar para
revelar Sua autoridade, afinal, Ele já estava exercendo Seu ministério. Cristo manifestou Seu poder na cruz no
maior gesto de amor relatado na História. Por isso, hoje, Jesus nos convida a viver e pregar esse amor.

4. Pregue o que você vive

É impossível falar com propriedade de experiências que não tivemos, e isso também vale para o Evangelho.
Não podemos agir como os fariseus que propagavam uma mensagem sem entender seu verdadeiro valor. Antes
de sairmos pelo mundo inteiro declarando palavras do extraordinário amor de Deus, temos de experimentá-lo.
Nesse sentido, em Romanos, Paulo fala:

Não me atrevo a falar de nada, exceto daquilo que Cristo


realizou por meu intermédio em palavra e em ação, a fim de
levar os gentios a obedecerem a Deus. (Romanos 15.18)

3 PREGAÇÃO DO EVANGELHO
Portanto, só podemos falar de Jesus quando já tivemos nossas vidas transformadas por Ele. Só assim os
“gentios” (as pessoas que não O conhecem) terão acesso a Ele. Elas verão Cristo através das nossas palavras e
atitudes, e, então, o Espírito confirmará o nosso testemunho.

5. Seja usado por amor e compaixão

Nada do que fazemos tem valor se não compreendemos o princípio básico do Evangelho. Podemos ser as
melhores pessoas do universo, mas, sem amor, não faz sentido ministrarmos milagres, dar tudo o que temos
para os necessitados, ou ter todos os dons e talentos possíveis e imagináveis. Ainda que eles tenham o efeito
que desejamos no momento, não apontam para Deus, mas para nós mesmos.

Sobre isso, Jesus declara:

Muitos me dirão naquele dia: “Senhor, Senhor, não profetizamos


nós em teu nome? Em teu nome não expulsamos demônios e
não realizamos muitos milagres?”. (Mateus 7.22)

Devemos lembrar que, no final dos tempos, não seremos cobrados pelo que fazemos. O que realmente será
colocado à prova é a maneira como vivemos e se revelamos, de fato, o caráter de Jesus. Por isso, como filhos,
devemos refletir a natureza do Pai. Nosso propósito é alcançar e atrair as pessoas a Ele, de modo que elas O
vejam em nós.

6. O sucesso está na entrega

Aceitar a Cristo é se entregar completamente a Ele diariamente. Fazemos isso ao cumprir o Seu chamado,
propagando o Evangelho para que vidas sejam salvas em Seu nome. Nem sempre teremos os resultados que
esperamos, visto que podemos errar. De qualquer forma, se obedecermos e fizermos o que Jesus nos comanda,
não precisamos nos preocupar com as circunstâncias, pois sabemos que Ele sempre estará conosco, e isso faz
toda a diferença.

Muitas vezes, quando exercemos nosso ministério, nos arriscamos, ministrando curas ou profecias que não
se cumprem imediatamente. Na hora, ficamos frustrados, sem entender por que as coisas não aconteceram de
acordo com as nossas expectativas. Porém, se o nosso coração está voltado para Deus, Ele nos honra.

7. Evangelismo é um estilo de vida

Diversas pessoas confundem o evangelismo com um ministério da igreja, do qual apenas alguns fazem
parte. Pensam que pregar é tarefa das pessoas que têm o dom da fala, e que isso só acontece em passeatas,
marchas ou eventos. Porém o Evangelho de Cristo não pode ser limitado por um espaço ou tempo. Pelo
contrário, ele vai muito além.

Deus pode usar quem Ele quiser para manifestar Seu amor e poder. Isto está acessível a todos aqueles
que têm um coração disposto e obediente. A partir do momento em que cremos n’Ele, Ele nos dá ousadia para
vivermos pela Palavra todos os dias através do Espírito Santo.

4 PREGAÇÃO DO EVANGELHO
8. A importância de um encontro com o Espírito Santo

Como mencionado antes, ganhamos a salvação ao crermos em Jesus. Ela é confirmada pelo Espírito Santo
quando temos um encontro genuíno com Ele, como os apóstolos em Atos. Consequentemente, milhares de
pessoas foram salvas:

Os que aceitaram a mensagem foram batizados, e naquele dia


houve um acréscimo de cerca de três mil pessoas. (Atos 2.41)

Três mil pessoas se converteram depois que Pedro pregou o arrependimento genuíno, experiência que ele
mesmo viveu anteriormente. O Espírito Santo transbordava de tal forma na vida dele que todos os que ouviam
notavam algo diferente. Ele não agia mais da mesma forma, mas era um novo homem, pois Jesus o transformou.

O Evangelho da salvação é proclamado quando andamos no Espírito e somos inteiramente transformados por
Ele. Em Isaías, há um versículo que declara o seguinte:

O Espírito do Soberano Senhor está sobre mim porque o Senhor ungiu-


me para levar boas notícias aos pobres. Enviou-me para cuidar dos
que estão com o coração quebrantado, anunciar a liberdade aos
cativos e libertação das trevas aos prisioneiros. (Isaías 61.1)

Esta é a verdade que nos guia a todo instante: somos ungidos para declarar as boas-novas pela fé. Assim,
todos os que creem são atraídos pela Palavra proclamada do Evangelho de Cristo.

Para finalizarmos a aula e exercitar o que aprendemos, responda às seguintes perguntas:

1. Qual é a importância de pregar o Evangelho?

5 PREGAÇÃO DO EVANGELHO
2. Cite pelo menos 5 estratégias que o(a) auxiliarão a evangelizar.

3. De que forma você se parece com os discípulos de Jesus? E com os fariseus? Explique.

4. Quais são as suas atitudes que poderia melhorar para atrair


as pessoas pela Palavra? Cite pelo menos 3.

5. Cite no mínimo cinco vezes em que você foi usado para proclamar
o Evangelho. Em seguida, escreva ao menos 3 outras oportunidades
do seu dia a dia que seriam ideias para tomar tal atitude.

6 PREGAÇÃO DO EVANGELHO
DESAFIO PESSOAL: Ore e peça para que Deus revele a você o nome de dez pessoas que precisam conhecê-lO. Peça
também para que Ele lhe dê estratégias para abordá-las; mas, principalmente, para que o Espírito Santo Se derrame
na sua vida de tal forma que você consiga alcançá-las

7 PREGAÇÃO DO EVANGELHO