Você está na página 1de 7

Dicas e

precauções
Dicas e precauções
ANDRÉ TANAKA -------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

MINISTRAÇÃO NO PROFÉTICO – DICAS PRÁTICAS


Em uma de suas cartas a Timóteo, Paulo nos ensina que, para cumprirmos nossa missão, precisamos ter a
mentalidade de um soldado:

Participa dos meus sofrimentos como bom soldado de Cristo Jesus. (2 Timóteo 2.3)

Porém também notamos que não podemos nos alistar no serviço de Cristo se não estivermos preparados.
Foi isso o que Paulo chamou de “bom soldado”. Sendo assim, nesta aula estudaremos como podemos participar
da Grande Comissão enquanto ministramos às pessoas com poder, mas, do mesmo modo, com precaução.

1. As palavras são importantes

Existe uma ideia errada de que nossa mensagem não precisa ser dita por não ter valor suficiente em si
mesma. Entretanto, essa é uma maneira limitada de entender como Deus fala com as pessoas. Talvez o que
pretendemos dizer não tenha sentido aos nossos olhos, mas pode ser a resposta de que alguém está precisando,
visto que não sabemos qual é o contexto em que ela está vivendo. Portanto, até mesmo uma única palavra, se
for direcionada pelo Espírito Santo, é capaz de transformar vidas. Diante disso, basta sermos obedientes em
transmitir o que Ele colocou em nossas mãos.

2. Caminhe em fé e risco

Não acontecerão milagres sobrenaturais se não andarmos por risco. É justamente a ausência da segurança
natural que abre portas para que os sinais apareçam. Deste modo, mesmo que não saibamos com certeza se
pessoas serão curadas ou se uma palavra de conhecimento fará sentido, é nosso papel obedecer a voz do Espírito.
Por meio disso compreendemos que nunca veremos o mover de Deus se tivermos um coração incrédulo. A nossa
fé precisa estar ativada.

3. Não seja presunçoso

Uma qualidade indispensável para quem está ministrando a palavra de Deus é a humildade. Sempre que
oramos por cura ou compartilhamos uma palavra profética ou de conhecimento devemos estar cientes de que
existe uma margem de erro. Afinal, estamos em um processo de aprendizado. Nesse caso, se formos presunçosos,
da mesma forma seremos envergonhados. Mas se reconhecermos nossas limitações, mesmo quando nos
confundimos, não seremos constrangidos.

2 DICAS E PRECAUÇÕES
4. Deus sempre tem mais

Quando o Senhor compartilha uma visão ou palavra conosco, precisamos nos atentar aos detalhes. O que
acaba acontecendo é que ao invés disso, muitos recebem uma instrução incompleta e já se dão por satisfeitos.
O resultado é que essas pessoas não vivem a plenitude daquilo que Deus quer fazer. Isso não quer dizer que
todas as direções do Espírito serão extensas, uma vez que, como já vimos, uma simples palavra pode causar
grandes efeitos. Portanto, quer Ele nos diga algo grande e complexo ou curto e simples, devemos transmitir
exatamente o que ouvimos. Assim, uma ministração nunca deve conter adições ou subtrações do nosso próprio
entendimento, a fim de que a mensagem não seja distorcida.

5. Faça orações curtas e pausadas

Uma boa situação para praticarmos orações objetivas é durante um evangelismo na rua. Quem está passando
naquele momento e aceita receber uma ministração certamente não poderá ficar muito tempo parado. Por esse
motivo, precisamos ter agilidade no que fizermos. Ao mesmo tempo, devemos cuidar para que a pressa não
prejudique o mover de Deus.

Outra caraterística de uma ministração agradável é percebida quando usamos um tom de voz natural, sem
gritos e priorizando um volume suficientemente audível. Quando encontramos esse equilíbrio, conseguimos
notar mais facilmente o quanto uma pessoa está sendo impactada por uma palavra específica por meio de suas
expressões corporais, nos permitindo aprofundar em áreas de sua vida com maior precisão.

6. Ore de olhos abertos

A Bíblia não ensina que as orações devem ser feitas com olhos fechados. Esse costume ficou conhecido por
ajudar crianças a não se distraírem durante os cultos. Por isso também é dito para que elas juntem as mãos, na
intenção de não perderem o foco com os objetos à sua frente. Porém, como adultos, precisamos estar atentos
àquilo que acontece ao nosso redor enquanto ministramos. Dessa maneira nos prevenimos de ser surpreendidos
por reações que dependam do nosso suporte.

7. Seja persistente

Algumas orações não serão respondidas imediatamente, mas a Palavra mostra que precisamos persistir:

Então, chegaram a Betsaida; e lhe trouxeram um cego, rogando-lhe que o tocasse.


Jesus, tomando o cego pela mão, levou-o para fora da aldeia e, aplicando-lhe saliva
aos olhos e impondo-lhe as mãos, perguntou-lhe: Vês alguma coisa? Este, recobrando
a vista, respondeu: Vejo os homens, porque como árvores os vejo, andando.
Então, novamente lhe pôs as mãos nos olhos, e ele, passando a ver claramente,
ficou restabelecido; e tudo distinguia de modo perfeito. (Marcos 8.22-25)

Assim como Jesus Se manteve firme na certeza de que o cego voltaria a enxergar, a ponto de repetir o que
havia feito, é necessário entendermos que, em algumas situações, também teremos que continuar acreditando
que Deus está Se movendo, ainda que não vejamos naturalmente.

3 DICAS E PRECAUÇÕES
8. Imposição de mãos

É importante nos atentarmos para onde estamos colocando as mãos sobre alguém enquanto ministramos.
Um lugar seguro seria dos ombros para cima e dos joelhos para baixo. Porém ainda existe a ideia de que, para
um membro específico ser curado, precisamos impor as mãos sobre ele. Na verdade, Deus não depende disso
para manifestar Seu poder. Logo, para preservarmos a decência e a intimidade de uma pessoa, podemos tocar
em seus ombros ou segurar em suas mãos, por ser regiões no corpo que dificilmente causarão desconforto. Do
mesmo modo, precisamos evitar a imposição de mãos na cabeça, uma vez que algumas denominações e religiões
veem essa atitude de forma ofensiva.

9. Cuide de sua higiene pessoal

A sujeira ou o mal odor de quem está ministrando são capazes de impedir que alguém se concentre no
que Deus está falando. Para que situações desagradáveis como essa não aconteçam, é importante termos
o hábito de tomar banho regularmente, escovarmos os dentes e usarmos desodorante ou perfume. Quando
estamos muito malcheirosos, as pessoas poderão se esquecer das profecias que compartilhamos com elas, mas
certamente se lembrarão de que temos uma má higiene pessoal.

10. Como receber ministrações

Uma vez que entendemos melhor como podemos levar a mensagem do Senhor às pessoas, precisamos assumir
também a posição de bons receptores. Para isso, é importante sabermos que alguns dos que ministram em
nossas vidas podem não ter maturidade suficiente para liberar profecias ou palavras de conhecimento. Sendo
assim, uma boa forma de guardarmos todas as ministrações, sem que nenhuma delas interfira negativamente
em nosso futuro, é estabelecendo uma ordem de prioridade.

Podemos imaginar que cada uma delas, conforme sua importância, seja colocada em prateleiras, divididas da
seguinte maneira:

• Primeira prateleira: nela ficam todas as palavras proféticas que já recebemos, visto que nenhuma delas
deve ser desperdiçada. Isso inclui o que ouvimos do nosso chamado, profissão, família ou sobre qualquer
outra área. Porém, nesse lugar, elas não podem causar mudanças em nossas vidas, porque ainda estão
em fase de provação. No momento em que uma delas se repetir por inúmeras vezes, por meio de diversas
pessoas, então aumentamos sua prioridade;

• Segunda prateleira: nesse nível organizamos as palavras que se repetiram muitas vezes, como também
aquelas que foram entregues por pessoas que já conhecemos a maturidade que têm em Deus. Elas
também não poderão causar mudanças drásticas sobre nós, mas exigem que alguns passos práticos
sejam dados. Por exemplo, quando alguém recebe uma palavra profética sobre missões internacionais,
poderá tirar seu passaporte e aprender outro idioma. Já quando essas profecias se tornam muito
frequentes, então podemos avançar para um próximo lugar de prioridade;

• Terceira prateleira: nessa nós deixamos as profecias repetidas diversas vezes por quem já conhecemos e
palavras que sejam ministradas por um profeta de ofício, que são aqueles aprovados nesse dom específico.
Em casos como esses, precisamos estar prontos para aceitar mudanças mais radicais.

Entretanto, devemos sempre ter em mente que as palavras proféticas são confirmações do que Deus já está
compartilhando em nosso coração no secreto. As instruções transmitidas pela vida de outras pessoas não
podem ser desconhecidas a nós mesmos. Portanto, precisamos buscar em intimidade quais são Seus planos
para nós, para que só então possamos dar passos com total confiança.

Com base nas dicas sobre ministração que acabamos de estudar, responda:

4 DICAS E PRECAUÇÕES
1. O que mudou em seu entendimento com esta aula?

2. Como sabemos quando uma palavra é importante o bastante para ser compartilhada?

3. Por que o mover sobrenatural está rodeado por situações de risco?

4. Como nossa vida de intimidade com Deus interfere em nossas ministrações?

5 DICAS E PRECAUÇÕES
5. Na sua opinião, qual relato sobre a vida de Jesus mais
reflete as dicas que estudamos nesta aula?

6. De acordo com o que aprendeu, o que você pode colocar


em prática para desenvolver suas ministrações?

7. De que forma as dicas desta aula podem ser compartilhadas com seus irmãos na fé?

DESAFIO PESSOAL: Coloque em prática a dica número dez desta aula. Organize a prioridade de todas as profecias
que já recebeu. Em seguida, aponte quais atitudes podem ser dadas a respeito das palavras que estiverem nos níveis
dois e três de prioridade.

6 DICAS E PRECAUÇÕES
7 DICAS E PRECAUÇÕES